SlideShare uma empresa Scribd logo
AULA DE
HISTÓRIA.
POVOS
INDIGENAS NO
BRASIL.
PROFESSO
R
Seu Riba.
"Eu não fico deitado sem pensar."
(Rupawê; velho sábio do povo Xavante, do Mato Grosso)
POVOS INDIGENAS NO BRASIL
O Atual território do Brasil começou a ser povoado
a mais de 10 mil anos.
Os povos eram nômades, coletores e caçadores,
fabricavam utensílios de pedra e pintavam desenhos
em rochas.
Formaram sambaquis – montes de conchas.
Sedentarizaram-se, agricultura e objetos de cerâmica.
Povos marajoaras (ilha de Marajó) e os patagônicos
(Santarém) moravam em aldeias populosas.
Migraram da Amazônia para outras regiões
brasileiras.
Entrara em contato com os portugueses no século
XVI.
A diversidade dos povos indígenas.
O nome Brasil foi dado pelos colonizadores portugueses
no século XVI, outros nomes eram Maranhão e Pará.
O território era conhecido pelos indígenas como
Pindorama (terra da palmeira).
No século XIX, passou a designar uma nação.
LÍNGUAS INDÍGENAS.
Diversidade de povos no leste da América do
Sul
Grupos linguísticos (famílias)
-tupi-guarani, jê, aruaque e caribe.
- famílias reduzidas – pontos de dispersão
Principais focos: nordeste brasileiro,
do oeste a Bolívia
e entre o Peru e o equador
Os tupis – guaranis.
Moravam em aldeias dispostas em forma de pátio.
O chefe era escolhido pela sua habilidade e força no campo
de batalha.
As decisões eram tomadas por um conselho dos lideres.
Ritual antropofágico.
O trabalho de homes e mulheres.
Homens – maior força física; guerra,
limpeza do terreno, construção de casa.
Mulheres – semeadura e a colheita.
Homes e mulheres ligadas à arte; mulheres produção de
cerâmica, homes arte plumaria.
Aspectos da cultura indígena
- crença no mundo espiritual
- no poder mítico dos animais
- intermediário entre o mundo humano e dos
espíritos.
Um mundo cheio de espíritos
- Tupã controlava os raios
- pajé – por presságios e adivinhações curavam ou
faziam profecia.
A mitologia indígena
- crença na terra sem mal lugar de imortalidade, abundancia
e ausência de sofrimentos.
Adornos, pintura e utensílios.
- cada povo praticava certo tipo de pintura e adornos
plumarias, com significados peculiares.
- apreço pela música.
Os botoque nas orelhas e nos lábios.
Tudo diferencia a sua identidade cultura
1. ENEM 2001 – Os textos referem-se à integração do índio na sociedade brasileira:
I – “ Mais uma vez , nós, os povos indígenas , somos vítimas de um pensamento que separa e que tenta nos eliminar
cultural, social e até físicamente . A justificativa é a de que somos apenas 250 mil pessoas e o Brasil não pode
suportar esse ônus (...) É preciso congelar essas idéias colonizadoras , porque elas são irreais e hipócritas e também
genocidas (...) Nós, índios, queremos falar , mas queremos ser escutados na nossa língua , nos nossos costumes “ .
Marcos terena , F S P 31.08.94 .
II – “ O Brasil não terá índios no final do século XXI (...) . E por que isso (...) ? Pela razão muito simples que consiste
no fato de o índio brasileiro não ser distinto das demais comunidades primitivas que existiram no mundo . A história
não é outra coisa senão um processo civilizatório , que conduz o homem por conta própria ou por difusão da cultura ,
a passar do paleolítico ao neolítico e do neolítico a um estágio civilizatório . “ Hélio Jaguaribe , F S P 2.9.94 .
Pode-se afirmar , segundo os textos que :
a) tanto Terena quanto Jaguaribe propõem idéias inadequadas , pois o primeiro deseja a aculturação feita pela
civilização branca e o segundo o confinamento de tribos
b) Terena quer transformar o Brasil numa terra só de índios , pois pretende mudar até mesmo a língua do país ,
enquanto a idéia de Jaguaribe é anticonstitucional , pois fere o direito à identidade cultural dos índios
c) Terena compreende que a melhor solução é que os brancos aprendam a língua tupi para entender melhor o que
dizem os índios . Jaguaribe é de opinião que, até o final do século XXI , seja feita uma limpeza étnica no Brasil
d) Terena defende que a sociedade brasileira deve respeitar a cultura dos índios e Jaguaribe acredita na
inevitabilidade do processo de aculturação dos índios e da sua incorporação á sociedade brasileira .
e) Terena prega que a integração indígena deve ser lenta , gradativa e progressiva e Jaguaribe propõe que essa
integração resulte da decisão autônoma das comunidades indígenas .
2. UFSCAR 2004 . Há muitas representações errôneas na história sobre as populações indígenas brasileiras. No
entanto, é correto reconhecer que
a) todos os índios são iguais, porque possuem a mesma cultura e descendem de populações que chegaram à
América há 40 mil anos.
b) os índios pertencem gloriosamente ao passado da história brasileira, mas, infelizmente, hoje em dia, já foram todos
aculturados.
c) as comunidades indígenas precisam ser preservadas porque são representantes da “infância” da humanidade, ou
seja, de um estágio inicial da história.
d) as culturas indígenas sobreviventes, atualmente, vivem de modo similar há centenas de anos, mantendo costumes
de seus ancestrais, como daqueles que viviam aqui em 1500.
e) os povos indígenas permanecem com o direito de reivindicar terras e outros direitos à condição de índio, mesmo
quando alteram aspectos no seu modo de viver, por influência da sociedade ocidental.
Fontes : gloogle imagens.
http://oficina-do-gif.blogspot.com.br/2011/10/gifs-de-agradecimento.html
GOOGLE IMAGENS.
http://www.iande.art.br/textos/pensamentoindigena.htm
Livro Ser protagonista - História, ensino médio,2ºano.editora SM.
Acessado dia 18/03/15.
FELIZ 2015.
FIQUEM EM PAZ.
"No dia em que não houver lugar
para o índio no mundo, não
haverá lugar para ninguém."
(Aílton Krenak ; do povo Krenak,
de Minas Gerais)
GABARITO; 1 – D / 2 -
E

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonialA Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonial
Alex Ferreira dos Santos
 
Brasil colônia
Brasil colônia Brasil colônia
Brasil colônia
Elaine Bogo Pavani
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
Nila Michele Bastos Santos
 
1 os primeiros povos da america
1 os primeiros povos da america1 os primeiros povos da america
1 os primeiros povos da america
Paulo Alexandre
 
Diáspora Africana
Diáspora AfricanaDiáspora Africana
Diáspora Africana
Paulo Alexandre
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
ANDI - Comunicação e Direitos
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 
Formação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiroFormação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiro
feraps
 
Escravidão / Resistência
Escravidão / ResistênciaEscravidão / Resistência
Escravidão / Resistência
Joemille Leal
 
Indígenas na américa
Indígenas na américaIndígenas na américa
Indígenas na américa
harlissoncarvalho
 
Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
Janaína Tavares
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
Jhonatan Max
 
Quilombos orig.
Quilombos  orig.Quilombos  orig.
Quilombos orig.
Felipe Weizenmann
 
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Loredana Ruffo
 
Os incas
Os incasOs incas
Os incas
edna2
 
A origem do homem
A origem do homemA origem do homem
A origem do homem
Janayna Lira
 
Escravidão no Brasil
Escravidão no BrasilEscravidão no Brasil
Escravidão no Brasil
bastianbe
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
Douglas Barraqui
 
A Formação do Povo Brasileiro
A Formação do Povo BrasileiroA Formação do Povo Brasileiro
A Formação do Povo Brasileiro
karla cristina marano
 

Mais procurados (20)

A Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonialA Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonial
 
Brasil colônia
Brasil colônia Brasil colônia
Brasil colônia
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
 
1 os primeiros povos da america
1 os primeiros povos da america1 os primeiros povos da america
1 os primeiros povos da america
 
Diáspora Africana
Diáspora AfricanaDiáspora Africana
Diáspora Africana
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
Power Point "Racismo e Desigualdades Raciais no Brasil"
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
Formação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiroFormação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiro
 
Escravidão / Resistência
Escravidão / ResistênciaEscravidão / Resistência
Escravidão / Resistência
 
Indígenas na américa
Indígenas na américaIndígenas na américa
Indígenas na américa
 
Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Quilombos orig.
Quilombos  orig.Quilombos  orig.
Quilombos orig.
 
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
Povos indígenas, afrodescendentes e mulheres na primeira república.
 
Os incas
Os incasOs incas
Os incas
 
A origem do homem
A origem do homemA origem do homem
A origem do homem
 
Escravidão no Brasil
Escravidão no BrasilEscravidão no Brasil
Escravidão no Brasil
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
A Formação do Povo Brasileiro
A Formação do Povo BrasileiroA Formação do Povo Brasileiro
A Formação do Povo Brasileiro
 

Destaque

Povos indigenas brasil
Povos indigenas brasilPovos indigenas brasil
Povos indigenas brasil
Profgalao
 
Tópico 5 historia 6 ano1
Tópico 5 historia 6 ano1Tópico 5 historia 6 ano1
Tópico 5 historia 6 ano1
Atividades Diversas Cláudia
 
Cotidiano indigena
Cotidiano indigenaCotidiano indigena
Cotidiano indigena
pratesclaudio
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
Claudenilson da Silva
 
Salame de chocolate
Salame de chocolateSalame de chocolate
Salame de chocolate
Marcelo Almeida
 
História e cultura dos povos indígenas no brasil
História e cultura dos povos indígenas no brasilHistória e cultura dos povos indígenas no brasil
História e cultura dos povos indígenas no brasil
dayvid
 
Abstracionismo (Arte Abstrata)
Abstracionismo (Arte Abstrata)Abstracionismo (Arte Abstrata)
Abstracionismo (Arte Abstrata)
Samara Coimbra
 
HistóRia Trabalho A Cabanagem
HistóRia   Trabalho   A CabanagemHistóRia   Trabalho   A Cabanagem
HistóRia Trabalho A Cabanagem
Marco Andrade
 
Kaigang
KaigangKaigang
Kaigang
viajante2
 
8. mesopotâmia.17
8. mesopotâmia.178. mesopotâmia.17
8. mesopotâmia.17
Jose Ribamar Santos
 
América indígena
América indígenaAmérica indígena
América indígenaanimal13
 
A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais
Marcelo Ferreira Boia
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
Fábio Paiva
 
Aula filosofia
Aula filosofiaAula filosofia
Aula filosofia
Jerry Adriano
 
LENDAS DO FOLCLORE BRASILEIRO.
LENDAS DO FOLCLORE BRASILEIRO.LENDAS DO FOLCLORE BRASILEIRO.
LENDAS DO FOLCLORE BRASILEIRO.
franmunizluz
 
Filosofia e democracia da grécia
Filosofia e democracia da gréciaFilosofia e democracia da grécia
Filosofia e democracia da grécia
Luis Carlos
 
Continete Africano
Continete AfricanoContinete Africano
Continete Africano
pratesclaudio
 
Material de revisão
Material de revisãoMaterial de revisão
Material de revisão
Felipe Serra
 
Arte abstrata
Arte abstrataArte abstrata
Cabanagem
CabanagemCabanagem

Destaque (20)

Povos indigenas brasil
Povos indigenas brasilPovos indigenas brasil
Povos indigenas brasil
 
Tópico 5 historia 6 ano1
Tópico 5 historia 6 ano1Tópico 5 historia 6 ano1
Tópico 5 historia 6 ano1
 
Cotidiano indigena
Cotidiano indigenaCotidiano indigena
Cotidiano indigena
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
 
Salame de chocolate
Salame de chocolateSalame de chocolate
Salame de chocolate
 
História e cultura dos povos indígenas no brasil
História e cultura dos povos indígenas no brasilHistória e cultura dos povos indígenas no brasil
História e cultura dos povos indígenas no brasil
 
Abstracionismo (Arte Abstrata)
Abstracionismo (Arte Abstrata)Abstracionismo (Arte Abstrata)
Abstracionismo (Arte Abstrata)
 
HistóRia Trabalho A Cabanagem
HistóRia   Trabalho   A CabanagemHistóRia   Trabalho   A Cabanagem
HistóRia Trabalho A Cabanagem
 
Kaigang
KaigangKaigang
Kaigang
 
8. mesopotâmia.17
8. mesopotâmia.178. mesopotâmia.17
8. mesopotâmia.17
 
América indígena
América indígenaAmérica indígena
América indígena
 
A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
 
Aula filosofia
Aula filosofiaAula filosofia
Aula filosofia
 
LENDAS DO FOLCLORE BRASILEIRO.
LENDAS DO FOLCLORE BRASILEIRO.LENDAS DO FOLCLORE BRASILEIRO.
LENDAS DO FOLCLORE BRASILEIRO.
 
Filosofia e democracia da grécia
Filosofia e democracia da gréciaFilosofia e democracia da grécia
Filosofia e democracia da grécia
 
Continete Africano
Continete AfricanoContinete Africano
Continete Africano
 
Material de revisão
Material de revisãoMaterial de revisão
Material de revisão
 
Arte abstrata
Arte abstrataArte abstrata
Arte abstrata
 
Cabanagem
CabanagemCabanagem
Cabanagem
 

Semelhante a Povos indigenas no Brasil.

Todo dia era dia de Índio1
Todo dia era dia de Índio1Todo dia era dia de Índio1
Todo dia era dia de Índio1
Dayse Portugal
 
Sociodiversidade
SociodiversidadeSociodiversidade
íNdios do brasil aula 1º ano
íNdios do brasil   aula 1º anoíNdios do brasil   aula 1º ano
íNdios do brasil aula 1º ano
seixasmarianas
 
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no BrasilCapítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Sentidos de estudar a história indígena
Sentidos de estudar a história indígenaSentidos de estudar a história indígena
Sentidos de estudar a história indígena
Sharley Cunha
 
sld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdfsld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdf
SammuelFabricio1
 
Artigo1
Artigo1Artigo1
Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2
Profgalao
 
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do BrasilIndios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
lilianeducatablet
 
povos indiginas Brasileiros, diversidade
povos indiginas Brasileiros, diversidadepovos indiginas Brasileiros, diversidade
povos indiginas Brasileiros, diversidade
alexasjsantos1
 
Matrizes culturais – 2ª parte
Matrizes culturais – 2ª parteMatrizes culturais – 2ª parte
Matrizes culturais – 2ª parte
felipedacarpereira
 
DE PERI A MUNDURUKU: A INSERÇÃO DO INDÍGENA NO CONTEXTO LITERÁRIO BRASILEIRO
DE PERI A MUNDURUKU: A INSERÇÃO DO INDÍGENA NO CONTEXTO LITERÁRIO BRASILEIRODE PERI A MUNDURUKU: A INSERÇÃO DO INDÍGENA NO CONTEXTO LITERÁRIO BRASILEIRO
DE PERI A MUNDURUKU: A INSERÇÃO DO INDÍGENA NO CONTEXTO LITERÁRIO BRASILEIRO
Instituto Uka
 
Hist.3 aula02 (2014)
Hist.3 aula02 (2014)Hist.3 aula02 (2014)
Hist.3 aula02 (2014)
Evanildo Pitombeira
 
íNdio brasileiro ana beatriz
íNdio brasileiro   ana beatrizíNdio brasileiro   ana beatriz
íNdio brasileiro ana beatriz
leopalasjh
 
Web aula 1éder
Web aula 1éderWeb aula 1éder
Web aula 1éder
Dudu1980
 
Web aula 1éder
Web aula 1éderWeb aula 1éder
Web aula 1éder
Dudu1980
 
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
Fábio Fernandes
 
PROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENAPROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENA
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Henrique e Julio 603 Aula Roma
Henrique e Julio 603   Aula RomaHenrique e Julio 603   Aula Roma
Henrique e Julio 603 Aula Roma
Vera Mln Silva
 
Identidades Brasileiras
Identidades BrasileirasIdentidades Brasileiras
Identidades Brasileiras
Helio Fagundes
 

Semelhante a Povos indigenas no Brasil. (20)

Todo dia era dia de Índio1
Todo dia era dia de Índio1Todo dia era dia de Índio1
Todo dia era dia de Índio1
 
Sociodiversidade
SociodiversidadeSociodiversidade
Sociodiversidade
 
íNdios do brasil aula 1º ano
íNdios do brasil   aula 1º anoíNdios do brasil   aula 1º ano
íNdios do brasil aula 1º ano
 
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no BrasilCapítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
 
Sentidos de estudar a história indígena
Sentidos de estudar a história indígenaSentidos de estudar a história indígena
Sentidos de estudar a história indígena
 
sld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdfsld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdf
 
Artigo1
Artigo1Artigo1
Artigo1
 
Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2
 
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do BrasilIndios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
 
povos indiginas Brasileiros, diversidade
povos indiginas Brasileiros, diversidadepovos indiginas Brasileiros, diversidade
povos indiginas Brasileiros, diversidade
 
Matrizes culturais – 2ª parte
Matrizes culturais – 2ª parteMatrizes culturais – 2ª parte
Matrizes culturais – 2ª parte
 
DE PERI A MUNDURUKU: A INSERÇÃO DO INDÍGENA NO CONTEXTO LITERÁRIO BRASILEIRO
DE PERI A MUNDURUKU: A INSERÇÃO DO INDÍGENA NO CONTEXTO LITERÁRIO BRASILEIRODE PERI A MUNDURUKU: A INSERÇÃO DO INDÍGENA NO CONTEXTO LITERÁRIO BRASILEIRO
DE PERI A MUNDURUKU: A INSERÇÃO DO INDÍGENA NO CONTEXTO LITERÁRIO BRASILEIRO
 
Hist.3 aula02 (2014)
Hist.3 aula02 (2014)Hist.3 aula02 (2014)
Hist.3 aula02 (2014)
 
íNdio brasileiro ana beatriz
íNdio brasileiro   ana beatrizíNdio brasileiro   ana beatriz
íNdio brasileiro ana beatriz
 
Web aula 1éder
Web aula 1éderWeb aula 1éder
Web aula 1éder
 
Web aula 1éder
Web aula 1éderWeb aula 1éder
Web aula 1éder
 
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
 
PROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENAPROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENA
 
Henrique e Julio 603 Aula Roma
Henrique e Julio 603   Aula RomaHenrique e Julio 603   Aula Roma
Henrique e Julio 603 Aula Roma
 
Identidades Brasileiras
Identidades BrasileirasIdentidades Brasileiras
Identidades Brasileiras
 

Mais de Jose Ribamar Santos

Grécia.17
Grécia.17Grécia.17
A.persia.2017
A.persia.2017A.persia.2017
A.persia.2017
Jose Ribamar Santos
 
11. fenicios. 17
11. fenicios. 1711. fenicios. 17
11. fenicios. 17
Jose Ribamar Santos
 
Quadro fenicios,hebreus e persas..pptx [salvo automaticamente]
Quadro fenicios,hebreus e persas..pptx [salvo automaticamente]Quadro fenicios,hebreus e persas..pptx [salvo automaticamente]
Quadro fenicios,hebreus e persas..pptx [salvo automaticamente]
Jose Ribamar Santos
 
1.apresentação seu riba 17
1.apresentação seu riba 171.apresentação seu riba 17
1.apresentação seu riba 17
Jose Ribamar Santos
 
1.apresentação seu riba 17
1.apresentação seu riba 171.apresentação seu riba 17
1.apresentação seu riba 17
Jose Ribamar Santos
 
4.assim nasceu a humanidade.16
4.assim nasceu a humanidade.164.assim nasceu a humanidade.16
4.assim nasceu a humanidade.16
Jose Ribamar Santos
 
Colonização do brasil
Colonização do brasilColonização do brasil
Colonização do brasil
Jose Ribamar Santos
 
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
Jose Ribamar Santos
 
Renasc.15
Renasc.15Renasc.15
Baixa i.média.15
Baixa i.média.15Baixa i.média.15
Baixa i.média.15
Jose Ribamar Santos
 
As transformacoes do feudalismo
As transformacoes do feudalismoAs transformacoes do feudalismo
As transformacoes do feudalismo
Jose Ribamar Santos
 
16.a.bizantino
16.a.bizantino16.a.bizantino
16.a.bizantino
Jose Ribamar Santos
 
15.feudalismo
15.feudalismo15.feudalismo
15.feudalismo
Jose Ribamar Santos
 
14. idade média no ocidente.
14. idade média no ocidente.14. idade média no ocidente.
14. idade média no ocidente.
Jose Ribamar Santos
 
Aula indios com música.
Aula indios com música.Aula indios com música.
Aula indios com música.
Jose Ribamar Santos
 
11. o imperio persa. 15
11. o imperio persa. 1511. o imperio persa. 15
11. o imperio persa. 15
Jose Ribamar Santos
 
9.os hebreus.2015
9.os hebreus.20159.os hebreus.2015
9.os hebreus.2015
Jose Ribamar Santos
 
12.grecia antiga 15
12.grecia antiga 1512.grecia antiga 15
12.grecia antiga 15
Jose Ribamar Santos
 
10.os fenicios.2015
10.os fenicios.201510.os fenicios.2015
10.os fenicios.2015
Jose Ribamar Santos
 

Mais de Jose Ribamar Santos (20)

Grécia.17
Grécia.17Grécia.17
Grécia.17
 
A.persia.2017
A.persia.2017A.persia.2017
A.persia.2017
 
11. fenicios. 17
11. fenicios. 1711. fenicios. 17
11. fenicios. 17
 
Quadro fenicios,hebreus e persas..pptx [salvo automaticamente]
Quadro fenicios,hebreus e persas..pptx [salvo automaticamente]Quadro fenicios,hebreus e persas..pptx [salvo automaticamente]
Quadro fenicios,hebreus e persas..pptx [salvo automaticamente]
 
1.apresentação seu riba 17
1.apresentação seu riba 171.apresentação seu riba 17
1.apresentação seu riba 17
 
1.apresentação seu riba 17
1.apresentação seu riba 171.apresentação seu riba 17
1.apresentação seu riba 17
 
4.assim nasceu a humanidade.16
4.assim nasceu a humanidade.164.assim nasceu a humanidade.16
4.assim nasceu a humanidade.16
 
Colonização do brasil
Colonização do brasilColonização do brasil
Colonização do brasil
 
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
 
Renasc.15
Renasc.15Renasc.15
Renasc.15
 
Baixa i.média.15
Baixa i.média.15Baixa i.média.15
Baixa i.média.15
 
As transformacoes do feudalismo
As transformacoes do feudalismoAs transformacoes do feudalismo
As transformacoes do feudalismo
 
16.a.bizantino
16.a.bizantino16.a.bizantino
16.a.bizantino
 
15.feudalismo
15.feudalismo15.feudalismo
15.feudalismo
 
14. idade média no ocidente.
14. idade média no ocidente.14. idade média no ocidente.
14. idade média no ocidente.
 
Aula indios com música.
Aula indios com música.Aula indios com música.
Aula indios com música.
 
11. o imperio persa. 15
11. o imperio persa. 1511. o imperio persa. 15
11. o imperio persa. 15
 
9.os hebreus.2015
9.os hebreus.20159.os hebreus.2015
9.os hebreus.2015
 
12.grecia antiga 15
12.grecia antiga 1512.grecia antiga 15
12.grecia antiga 15
 
10.os fenicios.2015
10.os fenicios.201510.os fenicios.2015
10.os fenicios.2015
 

Último

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 

Último (20)

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 

Povos indigenas no Brasil.

  • 1. AULA DE HISTÓRIA. POVOS INDIGENAS NO BRASIL. PROFESSO R Seu Riba. "Eu não fico deitado sem pensar." (Rupawê; velho sábio do povo Xavante, do Mato Grosso)
  • 2. POVOS INDIGENAS NO BRASIL O Atual território do Brasil começou a ser povoado a mais de 10 mil anos. Os povos eram nômades, coletores e caçadores, fabricavam utensílios de pedra e pintavam desenhos em rochas. Formaram sambaquis – montes de conchas. Sedentarizaram-se, agricultura e objetos de cerâmica. Povos marajoaras (ilha de Marajó) e os patagônicos (Santarém) moravam em aldeias populosas. Migraram da Amazônia para outras regiões brasileiras. Entrara em contato com os portugueses no século XVI.
  • 3. A diversidade dos povos indígenas. O nome Brasil foi dado pelos colonizadores portugueses no século XVI, outros nomes eram Maranhão e Pará. O território era conhecido pelos indígenas como Pindorama (terra da palmeira). No século XIX, passou a designar uma nação.
  • 4. LÍNGUAS INDÍGENAS. Diversidade de povos no leste da América do Sul Grupos linguísticos (famílias) -tupi-guarani, jê, aruaque e caribe. - famílias reduzidas – pontos de dispersão Principais focos: nordeste brasileiro, do oeste a Bolívia e entre o Peru e o equador
  • 5. Os tupis – guaranis. Moravam em aldeias dispostas em forma de pátio. O chefe era escolhido pela sua habilidade e força no campo de batalha. As decisões eram tomadas por um conselho dos lideres. Ritual antropofágico.
  • 6. O trabalho de homes e mulheres. Homens – maior força física; guerra, limpeza do terreno, construção de casa. Mulheres – semeadura e a colheita. Homes e mulheres ligadas à arte; mulheres produção de cerâmica, homes arte plumaria.
  • 7. Aspectos da cultura indígena - crença no mundo espiritual - no poder mítico dos animais - intermediário entre o mundo humano e dos espíritos.
  • 8. Um mundo cheio de espíritos - Tupã controlava os raios - pajé – por presságios e adivinhações curavam ou faziam profecia.
  • 9. A mitologia indígena - crença na terra sem mal lugar de imortalidade, abundancia e ausência de sofrimentos. Adornos, pintura e utensílios. - cada povo praticava certo tipo de pintura e adornos plumarias, com significados peculiares. - apreço pela música.
  • 10. Os botoque nas orelhas e nos lábios. Tudo diferencia a sua identidade cultura
  • 11. 1. ENEM 2001 – Os textos referem-se à integração do índio na sociedade brasileira: I – “ Mais uma vez , nós, os povos indígenas , somos vítimas de um pensamento que separa e que tenta nos eliminar cultural, social e até físicamente . A justificativa é a de que somos apenas 250 mil pessoas e o Brasil não pode suportar esse ônus (...) É preciso congelar essas idéias colonizadoras , porque elas são irreais e hipócritas e também genocidas (...) Nós, índios, queremos falar , mas queremos ser escutados na nossa língua , nos nossos costumes “ . Marcos terena , F S P 31.08.94 . II – “ O Brasil não terá índios no final do século XXI (...) . E por que isso (...) ? Pela razão muito simples que consiste no fato de o índio brasileiro não ser distinto das demais comunidades primitivas que existiram no mundo . A história não é outra coisa senão um processo civilizatório , que conduz o homem por conta própria ou por difusão da cultura , a passar do paleolítico ao neolítico e do neolítico a um estágio civilizatório . “ Hélio Jaguaribe , F S P 2.9.94 . Pode-se afirmar , segundo os textos que : a) tanto Terena quanto Jaguaribe propõem idéias inadequadas , pois o primeiro deseja a aculturação feita pela civilização branca e o segundo o confinamento de tribos b) Terena quer transformar o Brasil numa terra só de índios , pois pretende mudar até mesmo a língua do país , enquanto a idéia de Jaguaribe é anticonstitucional , pois fere o direito à identidade cultural dos índios c) Terena compreende que a melhor solução é que os brancos aprendam a língua tupi para entender melhor o que dizem os índios . Jaguaribe é de opinião que, até o final do século XXI , seja feita uma limpeza étnica no Brasil d) Terena defende que a sociedade brasileira deve respeitar a cultura dos índios e Jaguaribe acredita na inevitabilidade do processo de aculturação dos índios e da sua incorporação á sociedade brasileira . e) Terena prega que a integração indígena deve ser lenta , gradativa e progressiva e Jaguaribe propõe que essa integração resulte da decisão autônoma das comunidades indígenas . 2. UFSCAR 2004 . Há muitas representações errôneas na história sobre as populações indígenas brasileiras. No entanto, é correto reconhecer que a) todos os índios são iguais, porque possuem a mesma cultura e descendem de populações que chegaram à América há 40 mil anos. b) os índios pertencem gloriosamente ao passado da história brasileira, mas, infelizmente, hoje em dia, já foram todos aculturados. c) as comunidades indígenas precisam ser preservadas porque são representantes da “infância” da humanidade, ou seja, de um estágio inicial da história. d) as culturas indígenas sobreviventes, atualmente, vivem de modo similar há centenas de anos, mantendo costumes de seus ancestrais, como daqueles que viviam aqui em 1500. e) os povos indígenas permanecem com o direito de reivindicar terras e outros direitos à condição de índio, mesmo quando alteram aspectos no seu modo de viver, por influência da sociedade ocidental.
  • 12. Fontes : gloogle imagens. http://oficina-do-gif.blogspot.com.br/2011/10/gifs-de-agradecimento.html GOOGLE IMAGENS. http://www.iande.art.br/textos/pensamentoindigena.htm Livro Ser protagonista - História, ensino médio,2ºano.editora SM. Acessado dia 18/03/15. FELIZ 2015. FIQUEM EM PAZ. "No dia em que não houver lugar para o índio no mundo, não haverá lugar para ninguém." (Aílton Krenak ; do povo Krenak, de Minas Gerais) GABARITO; 1 – D / 2 - E