SlideShare uma empresa Scribd logo
O ÍNDIO BRASILEIRO
• O Índio Brasileiro: o que você precisa
  saber sobre os povos indígenas no Brasil
  de hoje / Gersem dos Santos Luciano –
  Brasília:   Ministério  da    Educação,
  Secretaria de Educação Continuada,
  alfabetização        e      Diversidade;
  LACED/Museu Nacional, 2006.
ASPECTOS A SEREM
           ABORDADOS
• Quem são e quantos são os índios no Brasil
• Movimento indígena etnopolítico: história de
  resistência e luta
• Da cidadania à autonomia indígena: um
  desafio à diversidade cultural.
• Educação Indígena
• Saúde indígena
• Economia indígena
• Gênero
• Contribuições dos povos indígenas ao Brasil
  e ao mundo
QUEM SÃO E QUANTOS
 SÃO OS ÍNDIOS NO
      BRASIL?
Falar hoje de índios no Brasil significa


            • Falar de uma diversidade de
              povos;
            • Quem são eles?
            • São povos que já habitavam há
              milhares de anos essas terras.
Definição técnica das Nações Unidas (1986)


                 Continuidade histórica das
                  sociedades anteriores à
                  invasão e à colonização;
                 consideram a si mesmos
                  distintos de outros setores da
                  sociedade;
                 estão decididos a conservar,
                  a desenvolver e a transmitir
                  às gerações futuras seus
                  territórios ancestrais e sua
                  identidade étnica.
CRITÉRIOS DE AUTODEFINIÇÃO



- Estreita vinculação com o território;
- Sistemas sociais, econômicos e políticos bem
  definidos;
- Língua, cultura e crenças definidas;
- Identificar-se como diferente da sociedade
  nacional.
ESTIMATIVA DEMOGRÁFICAS




 1500 - pelo menos por 5 milhões de índios;

 HOJE - pouco mais de 700.000 (IBGE/2001) ;
 - pouco mais de 300.000 (FUNAI/FUNASA)
Por que Índios ou Indígenas?
             SEGUNDO DICIONÁRIO:
           - Significa nativo, natural de
             um lugar;

           -Esta denominação é o
             resultado de um erro
             náutico
           - Colombo-1492 (Espanha
             rumo às Índias) apelido
             genérico
Por que Índios ou Indígenas?

           Na verdade, cada “índio”
             pertence a um povo, a
             uma etnia.
             Ex: Guarani – Yanomami
           • A partir de 1970 os
             índios se tratam como
             parentes
           • Significa apenas que
             compartilham de alguns
             interesses comuns, como
             os direitos coletivos
Denominação “caboclo na Amazônia”



            • Não se identifica
              como índio;
            • Aquele que nega sua
              origem nativa;
            • Porém, não se
              reconhece como branco
              ou negro
O que pensam os brasileiros sobre
           os índios

           Alguns religiosos    europeus
             duvidavam que      os índios
             tivessem alma.
           A     sociedade      brasileira
             continua com        a visão
             evolucionista da   história e
             das     culturas   (estágios
             inferiores)
O que pensam os brasileiros
      sobre os índios
         FUNAI - uma vítima e um coitado que
          precisa de tutor para protegê-lo e
          sustentá-lo;

         Justificar o massacre - visão do
         índio cruel, bárbaro, canibal, animal
         selvagem, preguiçoso, traiçoeiro e
         tantos outros adjetivos negativos;

         Constituição de 1988 - concebe os
          índios como sujeitos de direitos e,
          portanto, de cidadania; (terra coletiva
          suficiente para a sua reprodução
          física, cultural e espiritual)
Identidade Indígena: o orgulho
         de ser índio
             Valorização das culturas
              indígenas possibilitaram
              uma nova consciência étnica
             As atuais gerações
              indígenas nascem, crescem
              e vivem com um novo olhar
              para o futuro
             Manifestam consciência
              moral, estética, religiosa e
              social
“Ser índio é ser igual, é ser diferente. Ser índio é ter
     coragem de lutar e com a luta unir seu povo”.
                                   Puhuy Pataxó Hãhãhãe
Movimento indígena
   etnopolítico
Nesse capitulo se discute sobre os movimentos indígenas, como forma de
organizar diferentes estratégias de resistência e luta adotadas, o qual surgiu na
década de 1970, no Brasil, devido a necessidades dos povos indígenas lutarem pelos
seus direitos, resistirem a dominação, massacre e colonização europeia. Mas, para
isso acontecer, os povos indígenas superaram as rivalidades e se uniram para lutar
em conjunto por seus interesses em busca de fortalecimento e consolidação do
movimento indígena organizado.
Movimento indígena é definido como o conjunto de estratégias e
ações que as comunidades e as organizações indígenas desenvolvem em
defesa de seus direitos e interesses coletivos e para fazer parte desse
movimento não é necessário pertencer formalmente a uma organização ou
aldeia indígena, basta que ele comungue e participe politicamente de ações e
projetos das comunidades e organizações que participam e sustentam a
existência do movimento indígena.




         No Brasil há vários movimentos indígenas, sendo que cada aldeia,
 povo ou território indígena tem possibilidade e de estabelecer e desenvolver
 o seu desenvolvimento.
Muitos governantes não acreditam que possa haver
movimento indígena devido a diversidade de povos e realidades. Eles
só tem o interesse proposito de dominação, manipulação e
cooptação dos índios em favor de seus interesses políticos e
econômicos ao invés de implementar politicas coerentes.
O que é organização indígena?

         É a forma pela qual uma comunidade ou povo indígena
organiza seu trabalhos, sua luta e sua vida coletiva. Uma organização
social própria, cuja existência é dividida a uma necessidade coletiva de
ordenação interna em que a definições de objetivo, metas, estratégias e
ações a serem desenvolvidas coletivamente, além de distribuição de
tarefas e responsabilidades.
Existem 2 tipos de organizações adotadas na atualidade pelos povos
indígenas no Brasil: a organização tradicional e a organização não-
tradicional ou formal.


A organização tradicional é considerada como a original dos índios, sendo que
cada comunidade ou povo indígena possui seus modos típicos de organização
social, política, econômica e jurídica.


         Já a organização não-tradicional ou formal, tem caráter jurídico de
modelo não-indígena, mas necessários às comunidades e povos indígenas
para responder às demandas e às necessidades pós-contato, como a defesa
dos direitos territoriais e outras politicas públicas para viabilizar recursos
financeiros, técnicos e matérias desejadas de serem apreendidos na sociedade
moderna.
Com o surgimento das organizações indígenas modificou-se a
configuração dos aspectos de poder presentes na comunidade e povos
indígenas, pois só haviam lideranças tradicionais como caciques e tuxauas e
há algum tempo houve necessidade de outros tipos de lideranças como as
politicas, que servem para dialogar nas relações com a sociedade não-
indígena.
O principal desafio enfrentado pelos povos
                  indígenas

         O maior desafio dos povos indígenas é garantir seu espaço na
sociedade brasileira contemporânea, mas não deixar de lado o que lhe é
característico, as culturas, tradições, conhecimentos e valores.
Capítulo 3

Da cidadania à
autonomia
indígena: um
desafio à
diversidade
cultural.
Luta do índio pelos seus
               direitos
• Nos últimos vinte anos os povos indígenas vem lutando para
  conquistar o status políticos de cidadãos brasileiros.
• Eles vem, aos poucos, conseguindo ter acesso à valores e
  conhecimentos do mundo global, ao mesmo tempo que vivem
  segundo suas tradições e seus costumes.
• Essa cidadania diferenciada ainda esta sendo construída, e tem
  como questão fundamental para se pensar nela, a superação
  da visão limitada e etnocêntrica de cidadania. Os índios não
  partilham da mesma cultura, costumes, linguagens, estrutura
  politica e jurídica da sociedade brasileira.
• Os povos indígenas são um dos pilares da construção da
  identidade de nossa nação, por isso devem usufruir dos
  direitos de cidadãos brasileiros sem ter que abrir mão de seu
  modo de vida para tal.
• Atualmente no Brasil, as terras indígenas
  representam 12% do território brasileiro.
• A cidadania é um recurso apropriado pelos
  povos      indígenas    para    garantir    seu
  sobrevivência em meio à sociedade
  majoritária.
• A cidadania diferenciada representa o acesso
  aos direitos universais do cidadão brasileiro e
  aos relacionados aos seus costumes e
  tradições.
• Adquirir a cidadania brasileira significa ter o
  direito de acesso a todos os benefícios que
  esta sociedade pode oferecer, como à
  tecnologia da informação.
Não se pode haver domínio e usufruto social da tecnologia
sem educação de qualidade e adequada, sem isso o acesso a
tais tornará os indígenas vítimas consumidoras da invasão de
novas visões do mundo e do homem.
Terra, território e
meio-ambiente
indígena.

Os povos indígenas se
formaram por milhares
de anos em condições
ecológicas excepcionais,
sempre desenvolvendo os
seus conhecimentos para
o uso racional da
natureza.
A sociedade brasileira majoritária, guiada por princípios
capitalistas, vem ocasionando profunda destruição dos
recursos naturais.
Situação política das terras indígenas no
                  Brasil
• Atualmente, no Brasil, a maioria das terras
  indígenas em extensão estão demarcadas, mas
  ainda faltam muitas terras a serem regularizadas.
• Várias famílias e povos indígenas estão sem terra,
  ou estão com terras insuficientes para garantir a
  sobrevivência do grupo.
• Antes da constituição de 1988, o direito dos povos
  indígenas sobre suas terras era pouco claro, o que
  permitia inúmeras interpretações que nem sempre
  eram boas para os índios. Eles eram vistos como um
  povo sem futuro, por isso não valia a pena dar grandes
  terras à quem logo se extinguiria.

• A partir de 1970, contrariando a todos, os povos
  indígenas do Brasil iniciaram um período de
  recuperação demográfica e de autoestima identitária.

• As terras se tornaram insuficientes, então começou-se
  uma luta por revisão e ampliação de terras.
• Um fator que explica a crescente demanda por
  terra indígena, e o fenômeno conhecido como
  “etnogenêse”, que é quando um povo étnico
  consegue reassumir sua identidade étnica e
  reafirmá-la, recuperando aspectos relevantes
  de sua cultura tradicional.
• O governo brasileiro mostra sinais de reação
  negativa ao processo de etnogênese e tenta
  desqualifica-lo.
• As terras indígenas são as mais preservadas,
  porém a forte pressão econômica faz com que
  haja arredamento de parte dessas terras.
A riqueza das línguas indígenas.
Línguas indígenas
• Segundo pesquisadores, em 1500 existiam
  entre 1200 à 1500 línguas indígenas. Destas
  somente 180 ainda são faladas hoje e delas
  mais de 40 estão ameaçadas de extinção.

• Os linguistas classificam as atuais línguas
  indígenas faladas no Brasil por meios de
  troncos, famílias, línguas e dialetos.
A escola devoradora
• A escola é a principal acusada de devorar
  culturas de povos indígenas
• Ela aplicou o projeto do monolinguísmo, mas
  esse não conseguiu acabar com todas as
  línguas graças a resistência de alguns
  indígenas.
• Falar em língua indígena nas escolas era
  repreendido com notas baixas ou castigos com
  duras e violentas medidas disciplinares.
• A Constituição Federal de 1988 reconheceu o
  direito dos povos indígenas de terem seus próprios
  processos de educação.

• Em relação à oportunidades de trabalhos há um
  prejuízo e discriminação de alguns indígenas que
  não conseguem dominar bem o português.
  Mesmos os estudantes bilíngues graduados e pós-
  graduados enfrentam dificuldades para concorrer
  em processos de seleção e formação com os que
  tem o português como língua materna.
Educação Indígena
Educação Indígena
• A educação indígena refere-se aos processos
  próprios de transmissão e produção dos
  conhecimentos dos povos indígenas.
• A educação escolar indígena refere-se à escola
  apropriada pelos povos indígenas para reforçar
  seus projetos socioculturais.
• Diante das necessidades de um mundo cada vez
  mais globalizado, os índios julgam que a
  educação escolar quando apropriada por eles,
  pode ser um instrumento de fortalecimento das
  culturas e das identidades indígenas.
• Ainda existe no Brasil a ideia generalizada e errônea de que
  os povos indígenas não possuem nenhum tipo de
  educação.
• Os pais e os avós são responsáveis por transmitir aos seus
  filhos ou netos, desde a mais tenra idade, a sabedoria
  aprendida por seus ancestrais.
• Não há necessidades de professores, pois se houvesse seria
  interpretado como resultado da incapacidade dos pais, dos
  adultos e da própria comunidade de cumprirem o seu
  papel social.
• As formas de educação que desenvolvem lhes permitem
  continuar a ser eles mesmos e transmitir suas culturas
  através das gerações.
• A prática pedagógica tradicional indígena
  integra, sobretudo, elementos relacionados
  entre si: o território, a língua, a economia e o
  parentesco. São os quatro aspectos
  fundamentais da cultura integrada, dentre
  eles o território e a língua são os mais
  complexos, onde o território é sempre a
  referência e a base da existência e a língua é a
  expressão dessa relação.
A vida indígena pode ser dividida em:
1-Nascimento: o nascimento de uma criança é
sempre um momento sagrado, rodeado de
mistérios, rituais e cerimônias.
2-Passagem da vida de criança para à vida adulta:
os ritos de passagem ou de “iniciação” são uma
espécie de colação de grau.
3-Vida madura: momento importante na vida de
um índio, é o período em que os velhos tem a
obrigação de repassar todos os conhecimentos às
novas gerações
Situação da educação escolar indígena
              no Brasil
• Nos últimos dez anos, foram formados ou estão em
  formação, em cursos específicos de Magistério
  Indígena, cerca de 8.ooo professores indígenas em
  quase todos os estados do Brasil.
• A qualidade de ensino nas aldeias não é boa, o que faz
  com que centenas de jovens indígenas precisem deixar
  suas aldeias e migrar para as cidades em busca de
  níveis de escolarização mais avançados.
• Desde 1988 o Conselho dos Professores Indígenas da
  Amazônia (COPIAM) vem se reunindo em encontros
  anuais para discutir os problemas comuns procurando
  mudar a situação das escolas indígenas na região.
• A escola não é o único lugar de aprendizado, a
  família, a comunidade e/ ou o povo sãos
  responsáveis     também      por     transmitir
  aprendizados.
• No contexto da educação indígena a escola é ,
  um lugar onde a relação entre os
  conhecimentos tradicionais e os novos
  conhecimentos científicos e tecnológicos
  deverão articular-se de forma equilibrada.
Os povos indígenas e a escola
• A implantação das primeiras escolas no Brasil é
  contemporâneo à consolidação do próprio
  empreendimento colonial.
• A educação indígena no Brasil Colônia foi
  promovida por missionários, principalmente
  jesuítas.
• Com o advento, em 1822, o panorama da
  educação indígena, permaneceu inalterado.
• A Constituição de 1934 foi a primeira que atribui
  poderes exclusivos da União para legislar sobre
  assuntos indígenas.
• Organização Internacional do Trabalho (OIT) que
  definia entre outras coisas:
• A universalização do direito à educação formal
  aos povos indígenas.
• O combate ao preconceito contra os povos
  indígenas nos diversos setores da comunidade
  nacional, através da adoção de medidas
  educativas.
• O reconhecimento oficial das línguas indígenas
  como instrumentos de comunicação com essas
  minorias.
A Constituição Federal de 1988
• Reconhece aos índios sua organização social, costumes,
  línguas, crenças e tradições, e os direitos originários
  sobre as terras que tradicionalmente ocupam.
• Estabelece ainda que o Estado protegerá as
  manifestações das culturas populares, indígenas e afro-
  brasileiras.
• Decreto 26 de 1991, que transfere da FUNAI para o
  MEC a responsabilidade de coordenação das ações de
  educação escolar indígena.
• A lei 9394 de 1996, Lei de Diretrizes e Bases da
  Educação Nacional.
• O Plano Nacional de Educação ( Lei 10.172/2001)
Educação Escolar Indígena

• Avanços : Constituição
  Federal de 1988;
• LDB de 1996

• Desafios : Respeito do
  Poder Público ao
  Currículo Específico .
Etnia Funi-ô , Pernambuco.
Professores indígenas como agentes
            políticos e educativos
 Dados : 20 anos atras;
  menos de 20% dos
  docentes eram
  indígenas
 2005 : Dos 9.100
  professores , 8.800
  eram indígenas , ou
  seja, cerca de 88%.


(Censo Escolar Indígena)
Escolas Indígenas Diferenciadas
• Escolas – piloto :
  experiências inovadoras
  de iniciativa não-
  governamental.
• Ideia Central : Pensar e
  praticar os processos
  pedagogicos a partir das
  realidades socio-
  históricas e culturais dos
  povos indígenas
Ensino Básico
• Investimentos insuficientes

• Materiais didáticos voltado para o público urbano ou
  rural.

• Alimentação industrializada,fora dos hábitos alimentares

• Bilingüismo praticado até a 4ª série
Ensino Superior
• Em 1990 iniciou-se a ampliação do acesso ao
  ensino superior

• Política de interiorização

• Sistema de cotas
As ciências e os conhecimentos tradicionais.

• Seus saberes correspondem as suas
  necessidades e desejos;

• Saberes ligados a compreensão da natureza;

• Invasão da cultura dominante
Saúde Indígena
Saúde e medicina tradicional.
• Doença é o resultado da luta interna da
  natureza entre os espíritos “bons” e os
  espíritos “maus”.

• Pajé

• Rejeitam a medicina moderna.
Breve histórico da política de saúde indígena
                  no Brasil
• Inicia-se no Brasil em 1910, com a criação do Serviço de
  Proteção ao Índio (SPI)

• Em 1967, o SPI foi substituído pela Fundação Nacional
  do Índio (FUNAI)

• Em 1991, transferida a gestão de saúde indígena da
  FUNAI para o Ministério da Saúde.
A experiência dos Distritos
Sanitários Especiais Indígenas
Avanços e desafios dos DISEIs

• Aumento nos recursos destinados para saúde
  indígena;

• Reconhecimento da necessidade de uma
  política específica para saúde indígena
Economia Indígena

Refere-se as questões
de subsistência e
desenvolvimento
socioeconômico
sustentável , na busca
de uma autonomia
econômica .
Características das economias indígenas




                    • Organização social
Dabucuri , cerimonia no Alto Rio Negro
Características das economias indígenas

• Economia de auto –
  sustento .
• Caça , pesca ,
  artesanato
Longas caçadas dos Yanomamis
Características das economias
          indígenas
               • Diversidade
Características das Economias
              indígenas


Organização e
 Técnica
Características das economias
          indígenas
              matapi


              • Grau de
                sustentabilidade




              cacuri
Características das economias
              indígenas
O grau de valores
 agregados
Gênero
Criaçao de novas categorias sociais e politicas
                  indigenas...

• Associaçao de professores;

• Agentes indigenas de saude ;

• Associaçao de mulheres ;

• Agentes agroambientais ;

• Comerciantes indigenas
Questao do genero entre os povos indigenas,
     enquanto direitos das mulheres...
• Lideranças indigenas tradicionais vs
  Associaçoes de mulheres indigenas
Contribuições dos povos indígenas ao Brasil
               e ao mundo.
• Técnicas de sobrevivência na selva para os
  colonizadores;

• Expressões e palavras incorporadas a língua portuguesa

• Conhecimentos Culinários

• Conhecimento Medicinal
Cultura indígena
Cultura indígena

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A formação do povo brasileiro
A formação do povo brasileiroA formação do povo brasileiro
A formação do povo brasileiro
João Marcelo
 
História e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígenaHistória e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígena
Valeria Santos
 
Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.
Jose Ribamar Santos
 
Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
Luciano Pessanha
 
Consciencia negra
Consciencia negraConsciencia negra
Consciencia negra
Estado do RS
 
Cultura negra / Afro-Brasileira
Cultura negra / Afro-BrasileiraCultura negra / Afro-Brasileira
Cultura negra / Afro-Brasileira
Niela Tuani
 
Indígenas no Brasil
Indígenas no BrasilIndígenas no Brasil
Indígenas no Brasil
Edenilson Morais
 
Religiões de matriz africana
Religiões de matriz africanaReligiões de matriz africana
Religiões de matriz africana
Portal do Vestibulando
 
Racismo no Brasil
Racismo no BrasilRacismo no Brasil
Racismo no Brasil
João Alfredo Telles Melo
 
Povo e cultura
Povo e culturaPovo e cultura
Povo e cultura
Pedro Neves
 
História Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos AfricanosHistória Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos Africanos
Isaquel Silva
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
Fatima Freitas
 
Escravidão no Brasil
Escravidão no BrasilEscravidão no Brasil
Escravidão no Brasil
bastianbe
 
Dia da consciência negra
Dia da consciência negraDia da consciência negra
Dia da consciência negra
Marcelo Fernandes
 
Quilombos orig.
Quilombos  orig.Quilombos  orig.
Quilombos orig.
Felipe Weizenmann
 
Preconceito e intolerência
Preconceito e intolerênciaPreconceito e intolerência
Preconceito e intolerência
Victor Claudio
 
Racismo no Brasil
Racismo no BrasilRacismo no Brasil
Racismo no Brasil
progerio81
 
Diversidade etnica
Diversidade etnicaDiversidade etnica
Diversidade etnica
Cristina de Souza
 
Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais
Isaquel Silva
 

Mais procurados (20)

A formação do povo brasileiro
A formação do povo brasileiroA formação do povo brasileiro
A formação do povo brasileiro
 
História e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígenaHistória e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígena
 
Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.
 
Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
 
Consciencia negra
Consciencia negraConsciencia negra
Consciencia negra
 
Cultura negra / Afro-Brasileira
Cultura negra / Afro-BrasileiraCultura negra / Afro-Brasileira
Cultura negra / Afro-Brasileira
 
Indígenas no Brasil
Indígenas no BrasilIndígenas no Brasil
Indígenas no Brasil
 
Religiões de matriz africana
Religiões de matriz africanaReligiões de matriz africana
Religiões de matriz africana
 
Racismo no Brasil
Racismo no BrasilRacismo no Brasil
Racismo no Brasil
 
Povo e cultura
Povo e culturaPovo e cultura
Povo e cultura
 
História Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos AfricanosHistória Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos Africanos
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
 
Escravidão no Brasil
Escravidão no BrasilEscravidão no Brasil
Escravidão no Brasil
 
Dia da consciência negra
Dia da consciência negraDia da consciência negra
Dia da consciência negra
 
Quilombos orig.
Quilombos  orig.Quilombos  orig.
Quilombos orig.
 
Preconceito e intolerência
Preconceito e intolerênciaPreconceito e intolerência
Preconceito e intolerência
 
Racismo no Brasil
Racismo no BrasilRacismo no Brasil
Racismo no Brasil
 
Diversidade etnica
Diversidade etnicaDiversidade etnica
Diversidade etnica
 
Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais
 
Migrações no brasil
Migrações no brasilMigrações no brasil
Migrações no brasil
 

Semelhante a Cultura indígena

As identidades culturais indiginas na pós modernidade
As identidades culturais indiginas na pós modernidadeAs identidades culturais indiginas na pós modernidade
As identidades culturais indiginas na pós modernidade
Hérika Diniz
 
Princípios que balizam a inclusão da temática indígena
Princípios que balizam a inclusão da temática indígenaPrincípios que balizam a inclusão da temática indígena
Princípios que balizam a inclusão da temática indígena
natielemesquita
 
Henrique e Julio 603 Aula Roma
Henrique e Julio 603   Aula RomaHenrique e Julio 603   Aula Roma
Henrique e Julio 603 Aula Roma
Vera Mln Silva
 
A luta dos povos indígenas e a violação
A luta dos povos indígenas e a violaçãoA luta dos povos indígenas e a violação
A luta dos povos indígenas e a violação
Erica Marcela
 
POVOS INDIGENAS BRASILEIROS
POVOS INDIGENAS BRASILEIROSPOVOS INDIGENAS BRASILEIROS
POVOS INDIGENAS BRASILEIROS
Antonio Marcos Nunes dos Reis Marcos
 
O processo de socialização dos grupos indígenas
O processo de socialização dos grupos indígenasO processo de socialização dos grupos indígenas
O processo de socialização dos grupos indígenas
Maira Conde
 
íNdios
íNdiosíNdios
íNdios
guest991a823b
 
Índios. Uma análise de como estamos... 2014
Índios. Uma análise de como estamos... 2014Índios. Uma análise de como estamos... 2014
Índios. Uma análise de como estamos... 2014
Dayse Alves
 
Povos índigenas
Povos índigenasPovos índigenas
Povos índigenas
Larissa Silva
 
Os povos índigenas
Os povos índigenasOs povos índigenas
Os povos índigenas
Larissa Silva
 
Diversidade Cultural
Diversidade CulturalDiversidade Cultural
Diversidade Cultural
Gestão Pública
 
Povos indigenas brasil
Povos indigenas brasilPovos indigenas brasil
Povos indigenas brasil
Profgalao
 
1 - Os índios.pptx
1 - Os índios.pptx1 - Os índios.pptx
1 - Os índios.pptx
benazech1
 
Matrizes culturais – 2ª parte
Matrizes culturais – 2ª parteMatrizes culturais – 2ª parte
Matrizes culturais – 2ª parte
felipedacarpereira
 
Etnocentrismo...
Etnocentrismo...Etnocentrismo...
Etnocentrismo...
ALCIONE
 
Irmãos villas boas
Irmãos villas boasIrmãos villas boas
Irmãos villas boas
luiz0309
 
Simulado
Simulado Simulado
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no BrasilCapítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2
Profgalao
 
Identidades Brasileiras
Identidades BrasileirasIdentidades Brasileiras
Identidades Brasileiras
Helio Fagundes
 

Semelhante a Cultura indígena (20)

As identidades culturais indiginas na pós modernidade
As identidades culturais indiginas na pós modernidadeAs identidades culturais indiginas na pós modernidade
As identidades culturais indiginas na pós modernidade
 
Princípios que balizam a inclusão da temática indígena
Princípios que balizam a inclusão da temática indígenaPrincípios que balizam a inclusão da temática indígena
Princípios que balizam a inclusão da temática indígena
 
Henrique e Julio 603 Aula Roma
Henrique e Julio 603   Aula RomaHenrique e Julio 603   Aula Roma
Henrique e Julio 603 Aula Roma
 
A luta dos povos indígenas e a violação
A luta dos povos indígenas e a violaçãoA luta dos povos indígenas e a violação
A luta dos povos indígenas e a violação
 
POVOS INDIGENAS BRASILEIROS
POVOS INDIGENAS BRASILEIROSPOVOS INDIGENAS BRASILEIROS
POVOS INDIGENAS BRASILEIROS
 
O processo de socialização dos grupos indígenas
O processo de socialização dos grupos indígenasO processo de socialização dos grupos indígenas
O processo de socialização dos grupos indígenas
 
íNdios
íNdiosíNdios
íNdios
 
Índios. Uma análise de como estamos... 2014
Índios. Uma análise de como estamos... 2014Índios. Uma análise de como estamos... 2014
Índios. Uma análise de como estamos... 2014
 
Povos índigenas
Povos índigenasPovos índigenas
Povos índigenas
 
Os povos índigenas
Os povos índigenasOs povos índigenas
Os povos índigenas
 
Diversidade Cultural
Diversidade CulturalDiversidade Cultural
Diversidade Cultural
 
Povos indigenas brasil
Povos indigenas brasilPovos indigenas brasil
Povos indigenas brasil
 
1 - Os índios.pptx
1 - Os índios.pptx1 - Os índios.pptx
1 - Os índios.pptx
 
Matrizes culturais – 2ª parte
Matrizes culturais – 2ª parteMatrizes culturais – 2ª parte
Matrizes culturais – 2ª parte
 
Etnocentrismo...
Etnocentrismo...Etnocentrismo...
Etnocentrismo...
 
Irmãos villas boas
Irmãos villas boasIrmãos villas boas
Irmãos villas boas
 
Simulado
Simulado Simulado
Simulado
 
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no BrasilCapítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
 
Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2
 
Identidades Brasileiras
Identidades BrasileirasIdentidades Brasileiras
Identidades Brasileiras
 

Mais de Paula Naranjo

A família do Marcelo- Literatura infantil
A família do Marcelo- Literatura infantil A família do Marcelo- Literatura infantil
A família do Marcelo- Literatura infantil
Paula Naranjo
 
A bruxa apaixonada e o lobo fujão- Literatura infantil
A bruxa apaixonada e o lobo fujão- Literatura infantil A bruxa apaixonada e o lobo fujão- Literatura infantil
A bruxa apaixonada e o lobo fujão- Literatura infantil
Paula Naranjo
 
LDB -LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL
LDB -LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONALLDB -LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL
LDB -LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL
Paula Naranjo
 
Modelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisaModelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisa
Paula Naranjo
 
Soares magda -_linguagem_e_esc
Soares magda -_linguagem_e_escSoares magda -_linguagem_e_esc
Soares magda -_linguagem_e_esc
Paula Naranjo
 
Estruturação temporal- Psicomotricidade
Estruturação temporal- PsicomotricidadeEstruturação temporal- Psicomotricidade
Estruturação temporal- Psicomotricidade
Paula Naranjo
 
Wallon oficial - Psicologia da aprendizagem
Wallon oficial - Psicologia da aprendizagemWallon oficial - Psicologia da aprendizagem
Wallon oficial - Psicologia da aprendizagem
Paula Naranjo
 
Dicas de livros infantis oficial.
Dicas de livros infantis oficial.Dicas de livros infantis oficial.
Dicas de livros infantis oficial.
Paula Naranjo
 
Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.
Paula Naranjo
 

Mais de Paula Naranjo (9)

A família do Marcelo- Literatura infantil
A família do Marcelo- Literatura infantil A família do Marcelo- Literatura infantil
A família do Marcelo- Literatura infantil
 
A bruxa apaixonada e o lobo fujão- Literatura infantil
A bruxa apaixonada e o lobo fujão- Literatura infantil A bruxa apaixonada e o lobo fujão- Literatura infantil
A bruxa apaixonada e o lobo fujão- Literatura infantil
 
LDB -LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL
LDB -LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONALLDB -LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL
LDB -LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL
 
Modelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisaModelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisa
 
Soares magda -_linguagem_e_esc
Soares magda -_linguagem_e_escSoares magda -_linguagem_e_esc
Soares magda -_linguagem_e_esc
 
Estruturação temporal- Psicomotricidade
Estruturação temporal- PsicomotricidadeEstruturação temporal- Psicomotricidade
Estruturação temporal- Psicomotricidade
 
Wallon oficial - Psicologia da aprendizagem
Wallon oficial - Psicologia da aprendizagemWallon oficial - Psicologia da aprendizagem
Wallon oficial - Psicologia da aprendizagem
 
Dicas de livros infantis oficial.
Dicas de livros infantis oficial.Dicas de livros infantis oficial.
Dicas de livros infantis oficial.
 
Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.
 

Último

Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
alphabarros2
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 

Último (20)

Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 

Cultura indígena

  • 2. • O Índio Brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje / Gersem dos Santos Luciano – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, alfabetização e Diversidade; LACED/Museu Nacional, 2006.
  • 3. ASPECTOS A SEREM ABORDADOS • Quem são e quantos são os índios no Brasil • Movimento indígena etnopolítico: história de resistência e luta • Da cidadania à autonomia indígena: um desafio à diversidade cultural. • Educação Indígena • Saúde indígena • Economia indígena • Gênero • Contribuições dos povos indígenas ao Brasil e ao mundo
  • 4. QUEM SÃO E QUANTOS SÃO OS ÍNDIOS NO BRASIL?
  • 5. Falar hoje de índios no Brasil significa • Falar de uma diversidade de povos; • Quem são eles? • São povos que já habitavam há milhares de anos essas terras.
  • 6. Definição técnica das Nações Unidas (1986)  Continuidade histórica das sociedades anteriores à invasão e à colonização;  consideram a si mesmos distintos de outros setores da sociedade;  estão decididos a conservar, a desenvolver e a transmitir às gerações futuras seus territórios ancestrais e sua identidade étnica.
  • 7. CRITÉRIOS DE AUTODEFINIÇÃO - Estreita vinculação com o território; - Sistemas sociais, econômicos e políticos bem definidos; - Língua, cultura e crenças definidas; - Identificar-se como diferente da sociedade nacional.
  • 8. ESTIMATIVA DEMOGRÁFICAS  1500 - pelo menos por 5 milhões de índios;  HOJE - pouco mais de 700.000 (IBGE/2001) ;  - pouco mais de 300.000 (FUNAI/FUNASA)
  • 9. Por que Índios ou Indígenas? SEGUNDO DICIONÁRIO: - Significa nativo, natural de um lugar; -Esta denominação é o resultado de um erro náutico - Colombo-1492 (Espanha rumo às Índias) apelido genérico
  • 10. Por que Índios ou Indígenas? Na verdade, cada “índio” pertence a um povo, a uma etnia. Ex: Guarani – Yanomami • A partir de 1970 os índios se tratam como parentes • Significa apenas que compartilham de alguns interesses comuns, como os direitos coletivos
  • 11. Denominação “caboclo na Amazônia” • Não se identifica como índio; • Aquele que nega sua origem nativa; • Porém, não se reconhece como branco ou negro
  • 12. O que pensam os brasileiros sobre os índios Alguns religiosos europeus duvidavam que os índios tivessem alma. A sociedade brasileira continua com a visão evolucionista da história e das culturas (estágios inferiores)
  • 13. O que pensam os brasileiros sobre os índios  FUNAI - uma vítima e um coitado que precisa de tutor para protegê-lo e sustentá-lo;  Justificar o massacre - visão do índio cruel, bárbaro, canibal, animal selvagem, preguiçoso, traiçoeiro e tantos outros adjetivos negativos;  Constituição de 1988 - concebe os índios como sujeitos de direitos e, portanto, de cidadania; (terra coletiva suficiente para a sua reprodução física, cultural e espiritual)
  • 14. Identidade Indígena: o orgulho de ser índio  Valorização das culturas indígenas possibilitaram uma nova consciência étnica  As atuais gerações indígenas nascem, crescem e vivem com um novo olhar para o futuro  Manifestam consciência moral, estética, religiosa e social
  • 15. “Ser índio é ser igual, é ser diferente. Ser índio é ter coragem de lutar e com a luta unir seu povo”. Puhuy Pataxó Hãhãhãe
  • 16. Movimento indígena etnopolítico
  • 17. Nesse capitulo se discute sobre os movimentos indígenas, como forma de organizar diferentes estratégias de resistência e luta adotadas, o qual surgiu na década de 1970, no Brasil, devido a necessidades dos povos indígenas lutarem pelos seus direitos, resistirem a dominação, massacre e colonização europeia. Mas, para isso acontecer, os povos indígenas superaram as rivalidades e se uniram para lutar em conjunto por seus interesses em busca de fortalecimento e consolidação do movimento indígena organizado.
  • 18. Movimento indígena é definido como o conjunto de estratégias e ações que as comunidades e as organizações indígenas desenvolvem em defesa de seus direitos e interesses coletivos e para fazer parte desse movimento não é necessário pertencer formalmente a uma organização ou aldeia indígena, basta que ele comungue e participe politicamente de ações e projetos das comunidades e organizações que participam e sustentam a existência do movimento indígena. No Brasil há vários movimentos indígenas, sendo que cada aldeia, povo ou território indígena tem possibilidade e de estabelecer e desenvolver o seu desenvolvimento.
  • 19. Muitos governantes não acreditam que possa haver movimento indígena devido a diversidade de povos e realidades. Eles só tem o interesse proposito de dominação, manipulação e cooptação dos índios em favor de seus interesses políticos e econômicos ao invés de implementar politicas coerentes.
  • 20. O que é organização indígena? É a forma pela qual uma comunidade ou povo indígena organiza seu trabalhos, sua luta e sua vida coletiva. Uma organização social própria, cuja existência é dividida a uma necessidade coletiva de ordenação interna em que a definições de objetivo, metas, estratégias e ações a serem desenvolvidas coletivamente, além de distribuição de tarefas e responsabilidades.
  • 21. Existem 2 tipos de organizações adotadas na atualidade pelos povos indígenas no Brasil: a organização tradicional e a organização não- tradicional ou formal. A organização tradicional é considerada como a original dos índios, sendo que cada comunidade ou povo indígena possui seus modos típicos de organização social, política, econômica e jurídica. Já a organização não-tradicional ou formal, tem caráter jurídico de modelo não-indígena, mas necessários às comunidades e povos indígenas para responder às demandas e às necessidades pós-contato, como a defesa dos direitos territoriais e outras politicas públicas para viabilizar recursos financeiros, técnicos e matérias desejadas de serem apreendidos na sociedade moderna.
  • 22. Com o surgimento das organizações indígenas modificou-se a configuração dos aspectos de poder presentes na comunidade e povos indígenas, pois só haviam lideranças tradicionais como caciques e tuxauas e há algum tempo houve necessidade de outros tipos de lideranças como as politicas, que servem para dialogar nas relações com a sociedade não- indígena.
  • 23. O principal desafio enfrentado pelos povos indígenas O maior desafio dos povos indígenas é garantir seu espaço na sociedade brasileira contemporânea, mas não deixar de lado o que lhe é característico, as culturas, tradições, conhecimentos e valores.
  • 24. Capítulo 3 Da cidadania à autonomia indígena: um desafio à diversidade cultural.
  • 25. Luta do índio pelos seus direitos • Nos últimos vinte anos os povos indígenas vem lutando para conquistar o status políticos de cidadãos brasileiros. • Eles vem, aos poucos, conseguindo ter acesso à valores e conhecimentos do mundo global, ao mesmo tempo que vivem segundo suas tradições e seus costumes. • Essa cidadania diferenciada ainda esta sendo construída, e tem como questão fundamental para se pensar nela, a superação da visão limitada e etnocêntrica de cidadania. Os índios não partilham da mesma cultura, costumes, linguagens, estrutura politica e jurídica da sociedade brasileira. • Os povos indígenas são um dos pilares da construção da identidade de nossa nação, por isso devem usufruir dos direitos de cidadãos brasileiros sem ter que abrir mão de seu modo de vida para tal.
  • 26. • Atualmente no Brasil, as terras indígenas representam 12% do território brasileiro. • A cidadania é um recurso apropriado pelos povos indígenas para garantir seu sobrevivência em meio à sociedade majoritária. • A cidadania diferenciada representa o acesso aos direitos universais do cidadão brasileiro e aos relacionados aos seus costumes e tradições. • Adquirir a cidadania brasileira significa ter o direito de acesso a todos os benefícios que esta sociedade pode oferecer, como à tecnologia da informação.
  • 27. Não se pode haver domínio e usufruto social da tecnologia sem educação de qualidade e adequada, sem isso o acesso a tais tornará os indígenas vítimas consumidoras da invasão de novas visões do mundo e do homem.
  • 28. Terra, território e meio-ambiente indígena. Os povos indígenas se formaram por milhares de anos em condições ecológicas excepcionais, sempre desenvolvendo os seus conhecimentos para o uso racional da natureza.
  • 29. A sociedade brasileira majoritária, guiada por princípios capitalistas, vem ocasionando profunda destruição dos recursos naturais.
  • 30. Situação política das terras indígenas no Brasil
  • 31. • Atualmente, no Brasil, a maioria das terras indígenas em extensão estão demarcadas, mas ainda faltam muitas terras a serem regularizadas. • Várias famílias e povos indígenas estão sem terra, ou estão com terras insuficientes para garantir a sobrevivência do grupo.
  • 32.
  • 33.
  • 34. • Antes da constituição de 1988, o direito dos povos indígenas sobre suas terras era pouco claro, o que permitia inúmeras interpretações que nem sempre eram boas para os índios. Eles eram vistos como um povo sem futuro, por isso não valia a pena dar grandes terras à quem logo se extinguiria. • A partir de 1970, contrariando a todos, os povos indígenas do Brasil iniciaram um período de recuperação demográfica e de autoestima identitária. • As terras se tornaram insuficientes, então começou-se uma luta por revisão e ampliação de terras.
  • 35. • Um fator que explica a crescente demanda por terra indígena, e o fenômeno conhecido como “etnogenêse”, que é quando um povo étnico consegue reassumir sua identidade étnica e reafirmá-la, recuperando aspectos relevantes de sua cultura tradicional. • O governo brasileiro mostra sinais de reação negativa ao processo de etnogênese e tenta desqualifica-lo. • As terras indígenas são as mais preservadas, porém a forte pressão econômica faz com que haja arredamento de parte dessas terras.
  • 36. A riqueza das línguas indígenas.
  • 37. Línguas indígenas • Segundo pesquisadores, em 1500 existiam entre 1200 à 1500 línguas indígenas. Destas somente 180 ainda são faladas hoje e delas mais de 40 estão ameaçadas de extinção. • Os linguistas classificam as atuais línguas indígenas faladas no Brasil por meios de troncos, famílias, línguas e dialetos.
  • 38.
  • 39. A escola devoradora • A escola é a principal acusada de devorar culturas de povos indígenas • Ela aplicou o projeto do monolinguísmo, mas esse não conseguiu acabar com todas as línguas graças a resistência de alguns indígenas. • Falar em língua indígena nas escolas era repreendido com notas baixas ou castigos com duras e violentas medidas disciplinares.
  • 40. • A Constituição Federal de 1988 reconheceu o direito dos povos indígenas de terem seus próprios processos de educação. • Em relação à oportunidades de trabalhos há um prejuízo e discriminação de alguns indígenas que não conseguem dominar bem o português. Mesmos os estudantes bilíngues graduados e pós- graduados enfrentam dificuldades para concorrer em processos de seleção e formação com os que tem o português como língua materna.
  • 42. Educação Indígena • A educação indígena refere-se aos processos próprios de transmissão e produção dos conhecimentos dos povos indígenas. • A educação escolar indígena refere-se à escola apropriada pelos povos indígenas para reforçar seus projetos socioculturais. • Diante das necessidades de um mundo cada vez mais globalizado, os índios julgam que a educação escolar quando apropriada por eles, pode ser um instrumento de fortalecimento das culturas e das identidades indígenas.
  • 43. • Ainda existe no Brasil a ideia generalizada e errônea de que os povos indígenas não possuem nenhum tipo de educação. • Os pais e os avós são responsáveis por transmitir aos seus filhos ou netos, desde a mais tenra idade, a sabedoria aprendida por seus ancestrais. • Não há necessidades de professores, pois se houvesse seria interpretado como resultado da incapacidade dos pais, dos adultos e da própria comunidade de cumprirem o seu papel social. • As formas de educação que desenvolvem lhes permitem continuar a ser eles mesmos e transmitir suas culturas através das gerações.
  • 44. • A prática pedagógica tradicional indígena integra, sobretudo, elementos relacionados entre si: o território, a língua, a economia e o parentesco. São os quatro aspectos fundamentais da cultura integrada, dentre eles o território e a língua são os mais complexos, onde o território é sempre a referência e a base da existência e a língua é a expressão dessa relação.
  • 45. A vida indígena pode ser dividida em: 1-Nascimento: o nascimento de uma criança é sempre um momento sagrado, rodeado de mistérios, rituais e cerimônias. 2-Passagem da vida de criança para à vida adulta: os ritos de passagem ou de “iniciação” são uma espécie de colação de grau. 3-Vida madura: momento importante na vida de um índio, é o período em que os velhos tem a obrigação de repassar todos os conhecimentos às novas gerações
  • 46. Situação da educação escolar indígena no Brasil
  • 47. • Nos últimos dez anos, foram formados ou estão em formação, em cursos específicos de Magistério Indígena, cerca de 8.ooo professores indígenas em quase todos os estados do Brasil. • A qualidade de ensino nas aldeias não é boa, o que faz com que centenas de jovens indígenas precisem deixar suas aldeias e migrar para as cidades em busca de níveis de escolarização mais avançados. • Desde 1988 o Conselho dos Professores Indígenas da Amazônia (COPIAM) vem se reunindo em encontros anuais para discutir os problemas comuns procurando mudar a situação das escolas indígenas na região.
  • 48. • A escola não é o único lugar de aprendizado, a família, a comunidade e/ ou o povo sãos responsáveis também por transmitir aprendizados. • No contexto da educação indígena a escola é , um lugar onde a relação entre os conhecimentos tradicionais e os novos conhecimentos científicos e tecnológicos deverão articular-se de forma equilibrada.
  • 49. Os povos indígenas e a escola • A implantação das primeiras escolas no Brasil é contemporâneo à consolidação do próprio empreendimento colonial. • A educação indígena no Brasil Colônia foi promovida por missionários, principalmente jesuítas. • Com o advento, em 1822, o panorama da educação indígena, permaneceu inalterado. • A Constituição de 1934 foi a primeira que atribui poderes exclusivos da União para legislar sobre assuntos indígenas.
  • 50. • Organização Internacional do Trabalho (OIT) que definia entre outras coisas: • A universalização do direito à educação formal aos povos indígenas. • O combate ao preconceito contra os povos indígenas nos diversos setores da comunidade nacional, através da adoção de medidas educativas. • O reconhecimento oficial das línguas indígenas como instrumentos de comunicação com essas minorias.
  • 51. A Constituição Federal de 1988 • Reconhece aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam. • Estabelece ainda que o Estado protegerá as manifestações das culturas populares, indígenas e afro- brasileiras. • Decreto 26 de 1991, que transfere da FUNAI para o MEC a responsabilidade de coordenação das ações de educação escolar indígena. • A lei 9394 de 1996, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. • O Plano Nacional de Educação ( Lei 10.172/2001)
  • 52. Educação Escolar Indígena • Avanços : Constituição Federal de 1988; • LDB de 1996 • Desafios : Respeito do Poder Público ao Currículo Específico .
  • 53. Etnia Funi-ô , Pernambuco.
  • 54. Professores indígenas como agentes políticos e educativos  Dados : 20 anos atras; menos de 20% dos docentes eram indígenas  2005 : Dos 9.100 professores , 8.800 eram indígenas , ou seja, cerca de 88%. (Censo Escolar Indígena)
  • 55. Escolas Indígenas Diferenciadas • Escolas – piloto : experiências inovadoras de iniciativa não- governamental. • Ideia Central : Pensar e praticar os processos pedagogicos a partir das realidades socio- históricas e culturais dos povos indígenas
  • 56. Ensino Básico • Investimentos insuficientes • Materiais didáticos voltado para o público urbano ou rural. • Alimentação industrializada,fora dos hábitos alimentares • Bilingüismo praticado até a 4ª série
  • 57.
  • 58. Ensino Superior • Em 1990 iniciou-se a ampliação do acesso ao ensino superior • Política de interiorização • Sistema de cotas
  • 59. As ciências e os conhecimentos tradicionais. • Seus saberes correspondem as suas necessidades e desejos; • Saberes ligados a compreensão da natureza; • Invasão da cultura dominante
  • 61. Saúde e medicina tradicional. • Doença é o resultado da luta interna da natureza entre os espíritos “bons” e os espíritos “maus”. • Pajé • Rejeitam a medicina moderna.
  • 62. Breve histórico da política de saúde indígena no Brasil • Inicia-se no Brasil em 1910, com a criação do Serviço de Proteção ao Índio (SPI) • Em 1967, o SPI foi substituído pela Fundação Nacional do Índio (FUNAI) • Em 1991, transferida a gestão de saúde indígena da FUNAI para o Ministério da Saúde.
  • 63. A experiência dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas
  • 64. Avanços e desafios dos DISEIs • Aumento nos recursos destinados para saúde indígena; • Reconhecimento da necessidade de uma política específica para saúde indígena
  • 65. Economia Indígena Refere-se as questões de subsistência e desenvolvimento socioeconômico sustentável , na busca de uma autonomia econômica .
  • 66. Características das economias indígenas • Organização social
  • 67. Dabucuri , cerimonia no Alto Rio Negro
  • 68. Características das economias indígenas • Economia de auto – sustento . • Caça , pesca , artesanato
  • 69. Longas caçadas dos Yanomamis
  • 70. Características das economias indígenas • Diversidade
  • 71. Características das Economias indígenas Organização e Técnica
  • 72. Características das economias indígenas matapi • Grau de sustentabilidade cacuri
  • 73. Características das economias indígenas O grau de valores agregados
  • 75. Criaçao de novas categorias sociais e politicas indigenas... • Associaçao de professores; • Agentes indigenas de saude ; • Associaçao de mulheres ; • Agentes agroambientais ; • Comerciantes indigenas
  • 76. Questao do genero entre os povos indigenas, enquanto direitos das mulheres... • Lideranças indigenas tradicionais vs Associaçoes de mulheres indigenas
  • 77. Contribuições dos povos indígenas ao Brasil e ao mundo. • Técnicas de sobrevivência na selva para os colonizadores; • Expressões e palavras incorporadas a língua portuguesa • Conhecimentos Culinários • Conhecimento Medicinal