SlideShare uma empresa Scribd logo
Nome Nº 
Turma Data 
Série 
Disciplina Educador(a): 
ARTE FRANCISCO ARAUJO 
::. AVALIAÇÃO CONTINUA 2 - ARTE .:: 
9º 
1 - Observe as imagens abaixo: 
As alternativas abaixo referem a conceitos sobre a arte indígena brasileira, todas estão corretas, EXCETO: 
A) Os povos indígenas não só têm sentidos diferentes daqueles que atribuímos às suas produções plásticas como 
também possuem palavra correspondente à “arte” em suas respectivas línguas. 
B) Para o indígena, a perfeição dos objetos, sua “qualidade plástica” está mais ligada à sua finalidade do que às suas 
características estéticas isoladas. 
C) Quando dizemos que um objeto indígena tem qualidades artísticas, estamos lidando com noções que são próprias 
da nossa civilização, estranhas ao universo indígena. 
D) A arte indígena é representativa da comunidade em que está inserida. Sua plasticidade resulta da confluência de 
concepções e inquietações coletivas. 
E) As expressões plásticas indígenas restringem-se à produção de objetos, como cuias, cestos, redes, remos, 
máscaras, esculturas, cocares. 
2- A arte indígena no Brasil é mais representativa das tradições da comunidade em que está inserida que da 
personalidade do indivíduo que a faz. É por isso que os estilos de seus trabalhos artísticos variam significativamente 
de uma tribo para outra. A tendência indígena de fazer objetos bonitos para usar na vida tribal pode ser apreciada 
principalmente: 
A) na cerâmica, no trançado e na tecelagem. 
B) na cerâmica, na tecelagem e na ourivesaria. 
C) no trançado, na ourivesaria e na cutelaria. 
D) na cutelaria, na arte corporal e na ourivesaria. 
E) na arte corporal, na tecelagem e na colagem. 
3- Segundo Lévi-Strauss, as pinturas do rosto conferem de início ao indivíduo sua dignidade de ser humano, 
operando a passagem da natureza à cultura, do animal estúpido ao homem civilizado e também exprimem, em uma 
sociedade complexa, a hierarquia social, possuindo, assim, uma função sociológica. Acerca desse assunto, assinale a 
opção correta. 
A) A pintura corporal pode ser uma manifestação artística, cultural ou social. 
B) A pintura corporal transforma e determina a segunda pele do indivíduo. 
C) Os índios pintavam seus rostos com pigmentos industrializados e trabalhavam os desenhos de forma simples. 
D) Na arte contemporânea, a pintura do corpo restringe-se à beleza. 
E) Nas sociedades tribais, as pinturas e outros tipos de intervenções no corpo são idênticos.
4- Cada cultura possui uma produção artística que a caracteriza, não há registro de culturas sem manifestação 
artística. Sobre a cultura indígena pode-se afirmar que: 
A ) As peças de artesanato indígenas são de boa qualidade e muito importantes para conhecer o perfil do artesão 
indígena. 
B ) Atualmente, não se considera arte a produção artesanal do indígena. 
C ) O trabalho artístico indígena é artesanato e sendo artesanato não é arte. 
D ) As peças indígenas não são representativas para a cultura brasileira. 
E ) A preocupação do indígena com a feitura. 
5- Sobre a arte indígena, analise os itens seguintes. 
I- É representada principalmente pela cerâmica, arte plumária, mascaras e pintura corporal. 
II- As esculturas em bronze e ouro representam o refinamento alcançado pelos índios na produção de artefatos 
utilizados em danças cerimoniais. 
III- É uma arte utilitária. 
Indique a única opção correta: 
A) Somente estão corretos os itens I e II. 
B) Somente estão corretos os itens II e III. 
C) Somente estão corretos os itens I e III. 
D) Estão corretos os itens I, II e III. 
E) Somente o item I está correto. 
6- Leia o texto abaixo: 
São 206 os povos indígenas no Brasil de hoje. Na maioria sociedades diminutas, remanescentes de populações que já 
foram consideráveis, destruídas por doenças, escravização, massacres, invasão de seus territórios, deportação, 
programas de assimilação: mais de dois terços desses grupos não chegam hoje a mil pessoas. No total, são uns 280 
mil índios, contando-se apenas os que moram em áreas indígenas. Outros 30 mil são índios desaldeados, que moram 
na maioria em áreas urbanas. A população indígena concentra-se na Amazônia, onde moram cerca de 60% dos 
índios brasileiros. As sociedades indígenas são muito diversas entre si. Vejam-se as línguas, por exemplo. Distinguem-se 
163 línguas indígenas diferentes. Se incluirmos os dialetos, esse número sobe para 195. Com exceção de dez 
línguas isoladas, que não se aparentam com nenhuma outra, essa grande variedade de línguas pode ser agrupada 
em 14 conjuntos. Quatro grandes grupos lingüísticos espalham-se por territórios amplos, que podem transbordar das 
fronteiras nacionais: são os grupos Macro-Tupi, Macro-Jê, Aruak e Karib. A diversidade das sociedades indígenas - 
cada uma sendo uma síntese original de sociabilidade e de uso dos recursos naturais - é um patrimônio essencial do 
Brasil. O que talvez mais chame a atenção seja o contraste entre a simplicidade das tecnologias e a riqueza dos 
universos culturais. As sociedades indígenas elaboraram cosmologias e sistemas sociais complexos, nos quais o 
patrimônio imaterial parece ter um privilégio sobre o patrimônio material. Enquanto a propriedade privada da terra, 
por exemplo, é inexistente, direitos sobre bens imateriais, tais como nomes próprios, cantos, ornamentos rituais, são 
objetos de detalhada regulamentação. A arte indígena, por sua vez, parece preferir suportes perecíveis: em muitas 
dessas sociedades, o corpo humano, a palha e as plumas são objeto de um trabalho artístico intenso - pintura 
corporal, cestaria, arte plumária - sobre objetos essencialmente efêmeros. 
Considere os itens abaixo, relativos à evolução e às condições das lutas indígenas em nosso país. 
I - As sociedades indígenas são diminutas, como vimos, e dão uma impressão errônea de isolamento. Na realidade, 
elas têm crescentemente se revelado ligadas a uma extensa rede de trocas - de mercadorias, de esposas, de cantos e 
rituais - e abertas ao exterior. 
II - Todas as Constituições brasileiras, desde a de 1934, garantem aos índios as terras que eles ocupam. Esta 
ocupação ficou definida na Constituição de 1988, no artigo 231, parágrafo 1, segundo o qual são terras 
tradicionalmente ocupadas pelos índios as por eles habitadas em caráter permanente, as utilizadas para suas 
atividades produtivas, as imprescindíveis à preservação dos recursos ambientais necessários a seu bem-estar e as 
necessárias à sua reprodução física e cultural, segundo seus usos, costumes e tradições. 
III - As terras indígenas ainda não estão completamente regularizadas, apesar do preceito constitucional que 
estipulava que o fossem até 1993. Em junho de 1996, das 554 áreas, 148 encontravam-se demarcadas e registradas. 
As demarcações são necessárias, mas não suficientes para a proteção das terras indígenas, que sofrem invasões de 
várias naturezas. Mineradoras, madeireiras, garimpeiros, fazendeiros, são fontes de inúmeros conflitos.
IV - Enquanto nos anos 50 e 60 previa-se o desaparecimento dos índios, hoje se constata uma recuperação 
demográfica e um ressurgimento de etnias que se ocultavam diante do preconceito. Assim mesmo, ainda são - 
lamentam os que os consideram como empecilhos ao desenvolvimento - poucos índios para muita terra. O juízo de 
valores pode ser invertido, desde que se saibam avaliar os benefícios possíveis: os índios têm preservado, nas 
grandes áreas da Amazônia que ocupam, uma espantosa riqueza em biodiversidade e um saber acumulado cujo 
valor de mercado ainda não é reconhecido. 
INDIQUE quais das alternativas apresentam avanços alcançados pelas comunidades indígenas. 
a) Apenas II e III. 
b) Apenas I, II e IV. 
c) Apenas I e IV. 
d) Apenas II, III e IV. 
e) Apenas I e III. 
7- Observe o contexto que a charge revela: 
Assinale a alternativa que expõe qual a causa do problema revelado nessa charge. 
a) Os povos indígenas não dispõem da posse efetiva das terras onde vivem, pois as suas reservas pertencem à Funai, 
que não tem recursos para protegê-las das invasões feitas por garimpeiros, latifundiários e madeireiros. 
b) Recentemente, houve uma mudança na legislação que permite o uso dos rios das regiões próximas às áreas de 
reservas ambientais indígenas para o turismo ecológico e para o estudo de recursos voltados à biotecnologia. 
c) Para as organizações indígenas, a legislação é preconceituosa e induz o índio a largar a sua própria cultura para 
conquistar sua emancipação jurídica e muitas vezes, passa a consumir, a comprar e a utilizar de produtos das 
grandes cidades, para adquirir maioridade jurídica. 
d) A territorialidade não leva em conta a existência de fronteiras de países, as suas referências espaciais são 
marcadas por um sentimento de apego às terras e florestas, às suas tradições e à vida dos seus ancestrais, que são 
descartadas pelo consumismo e pelos estrangeirismos. 
8 - A arte indígena, em todas as suas manifestações anteriores ao descobrimento, demonstra ricas linguagens 
simbólicas, representativas da criatividade, sensibilidade e habilidade, refletindo a busca do prazer estético e de 
comunicação por meio de uma expressão visual. Prova disso são as pequenas esculturas de rãs em pedra verde 
usadas como amuletos chamados de: 
A) Igaçaba; 
B) Muiraquitã; 
C) Escapulário; 
D) Tukunã; 
E) Xamã.
9 - Quanto à arte plumária indígena e à pintura corporal dos índios brasileiros, assinale a opção correta. 
A) Em seus adereços, os índios utilizavam penas e pigmentos vegetais como matéria-prima, além de contas, fibras e 
conchas. 
B) A arte indígena, em todas as suas manifestações, era muito pobre, com pouca diversidade de recursos e 
matérias-primas. 
C) A pintura corporal, uma forma de expressão artística, era utilizada apenas durante as festas. 
D) A arte dos índios brasileiros era pouco expressiva. 
10 – Caracterize a arte plumária e as máscaras na cultura indígena brasileira. 
_______________________________________________________________________________________________ 
_______________________________________________________________________________________________ 
____________________________________________________________________________________________

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Fabiola Oliveira
 
Prova 1.ª elementos do teatro a
Prova 1.ª elementos do teatro   aProva 1.ª elementos do teatro   a
Prova 1.ª elementos do teatro a
Denise Compasso
 
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
Fabiola Oliveira
 
Texto arte indigena
Texto arte indigenaTexto arte indigena
Texto arte indigena
Laís Paiva
 
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLOAVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
Geo Honório
 
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembroAvaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Moesio Alves
 
6º ano avaliação de arte 1º bimestre
6º ano avaliação de arte 1º bimestre6º ano avaliação de arte 1º bimestre
6º ano avaliação de arte 1º bimestre
Fabiola Oliveira
 
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes Professora Leoneide Carvalho
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes  Professora Leoneide CarvalhoP rovas 6°ao 9º Ano- Artes  Professora Leoneide Carvalho
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes Professora Leoneide Carvalho
Leoneide Carvalho
 
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
   Grafite - Arte nas paredes e nos muros   Grafite - Arte nas paredes e nos muros
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
Mary Alvarenga
 
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGN
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGNAvaliação 9º ano POP ART e DESIGN
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGN
Casiris Crescencio
 
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6° AO 9º ANO
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6°  AO  9º ANOAVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6°  AO  9º ANO
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6° AO 9º ANO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Artes Dança/ Danças Regionais e Atividades
Artes Dança/ Danças Regionais e AtividadesArtes Dança/ Danças Regionais e Atividades
Artes Dança/ Danças Regionais e Atividades
Geo Honório
 
Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )
graduartes
 
Entenda a arte (atividades)
Entenda a arte (atividades)Entenda a arte (atividades)
Entenda a arte (atividades)
graduartes
 
Prova de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 anoProva de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 ano
Bárbara Fonseca
 
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º  E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º  E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestre9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestre
Fabiola Oliveira
 
Avaliação de artes 6° ano
Avaliação de artes 6° anoAvaliação de artes 6° ano
Avaliação de artes 6° ano
Sônia De Medeiros Damaceno
 
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
Andreza Andrade
 

Mais procurados (20)

Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
 
Prova 1.ª elementos do teatro a
Prova 1.ª elementos do teatro   aProva 1.ª elementos do teatro   a
Prova 1.ª elementos do teatro a
 
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
 
Texto arte indigena
Texto arte indigenaTexto arte indigena
Texto arte indigena
 
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLOAVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
 
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembroAvaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
 
6º ano avaliação de arte 1º bimestre
6º ano avaliação de arte 1º bimestre6º ano avaliação de arte 1º bimestre
6º ano avaliação de arte 1º bimestre
 
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes Professora Leoneide Carvalho
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes  Professora Leoneide CarvalhoP rovas 6°ao 9º Ano- Artes  Professora Leoneide Carvalho
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes Professora Leoneide Carvalho
 
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
   Grafite - Arte nas paredes e nos muros   Grafite - Arte nas paredes e nos muros
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
 
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGN
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGNAvaliação 9º ano POP ART e DESIGN
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGN
 
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6° AO 9º ANO
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6°  AO  9º ANOAVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6°  AO  9º ANO
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6° AO 9º ANO
 
Artes Dança/ Danças Regionais e Atividades
Artes Dança/ Danças Regionais e AtividadesArtes Dança/ Danças Regionais e Atividades
Artes Dança/ Danças Regionais e Atividades
 
Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )
 
Entenda a arte (atividades)
Entenda a arte (atividades)Entenda a arte (atividades)
Entenda a arte (atividades)
 
Prova de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 anoProva de arte1 9 ano
Prova de arte1 9 ano
 
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º  E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º  E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
 
9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestre9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestre
 
Avaliação de artes 6° ano
Avaliação de artes 6° anoAvaliação de artes 6° ano
Avaliação de artes 6° ano
 
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
 

Semelhante a PROVA DE ARTE INDIGENA

Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.
Jose Ribamar Santos
 
Simulado
Simulado Simulado
sld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdfsld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdf
SammuelFabricio1
 
9º ano a e b
9º ano a e b9º ano a e b
9º ano a e b
Leoneide Carvalho
 
Cultura indígena
Cultura indígenaCultura indígena
Cultura indígena
Paula Naranjo
 
Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01
roberto mosca junior
 
Índios. Uma análise de como estamos... 2014
Índios. Uma análise de como estamos... 2014Índios. Uma análise de como estamos... 2014
Índios. Uma análise de como estamos... 2014
Dayse Alves
 
Lei 11.645
Lei 11.645Lei 11.645
Lei 11.645
natielemesquita
 
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no BrasilCapítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Arte popular
Arte popularArte popular
Arte popular
Josiele Marcolino
 
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
henriquecorreia39
 
Princípios que balizam a inclusão da temática indígena
Princípios que balizam a inclusão da temática indígenaPrincípios que balizam a inclusão da temática indígena
Princípios que balizam a inclusão da temática indígena
natielemesquita
 
Arte indígena brasileira
Arte indígena brasileiraArte indígena brasileira
Arte indígena brasileira
Carol Mendoza
 
Tópico 8. cultura e natureza22
Tópico 8. cultura e natureza22Tópico 8. cultura e natureza22
Tópico 8. cultura e natureza22
Atividades Diversas Cláudia
 
Tópico 8. cultura e natureza22
Tópico 8. cultura e natureza22Tópico 8. cultura e natureza22
Tópico 8. cultura e natureza22
Atividades Diversas Cláudia
 
O que é cultura
O que é culturaO que é cultura
O que é cultura
Rodrigo Silveira
 
O que é cultura
O que é culturaO que é cultura
O que é cultura
Rodrigo Silveira
 
Cultura 1
Cultura 1Cultura 1
Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2
Profgalao
 
Prova 9°Ano
Prova 9°AnoProva 9°Ano
Prova 9°Ano
Leoneide Carvalho
 

Semelhante a PROVA DE ARTE INDIGENA (20)

Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.Povos indigenas no Brasil.
Povos indigenas no Brasil.
 
Simulado
Simulado Simulado
Simulado
 
sld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdfsld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdf
 
9º ano a e b
9º ano a e b9º ano a e b
9º ano a e b
 
Cultura indígena
Cultura indígenaCultura indígena
Cultura indígena
 
Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01Questões de antropologia_01
Questões de antropologia_01
 
Índios. Uma análise de como estamos... 2014
Índios. Uma análise de como estamos... 2014Índios. Uma análise de como estamos... 2014
Índios. Uma análise de como estamos... 2014
 
Lei 11.645
Lei 11.645Lei 11.645
Lei 11.645
 
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no BrasilCapítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
Capítulo 3 - Povos indígenas no Brasil
 
Arte popular
Arte popularArte popular
Arte popular
 
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
 
Princípios que balizam a inclusão da temática indígena
Princípios que balizam a inclusão da temática indígenaPrincípios que balizam a inclusão da temática indígena
Princípios que balizam a inclusão da temática indígena
 
Arte indígena brasileira
Arte indígena brasileiraArte indígena brasileira
Arte indígena brasileira
 
Tópico 8. cultura e natureza22
Tópico 8. cultura e natureza22Tópico 8. cultura e natureza22
Tópico 8. cultura e natureza22
 
Tópico 8. cultura e natureza22
Tópico 8. cultura e natureza22Tópico 8. cultura e natureza22
Tópico 8. cultura e natureza22
 
O que é cultura
O que é culturaO que é cultura
O que é cultura
 
O que é cultura
O que é culturaO que é cultura
O que é cultura
 
Cultura 1
Cultura 1Cultura 1
Cultura 1
 
Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2Povos indigenas brasil 2
Povos indigenas brasil 2
 
Prova 9°Ano
Prova 9°AnoProva 9°Ano
Prova 9°Ano
 

Mais de Francisco Antonio Machado Araujo

Objetivos para a pesquisa
Objetivos para a pesquisaObjetivos para a pesquisa
Objetivos para a pesquisa
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Prova de história geral outubro 3º ano
Prova de história geral outubro 3º anoProva de história geral outubro 3º ano
Prova de história geral outubro 3º ano
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Prova historia geral agosto 3 ano
Prova historia geral agosto 3 anoProva historia geral agosto 3 ano
Prova historia geral agosto 3 ano
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Prova de história geral 3 ano setembro
Prova de história  geral   3 ano  setembroProva de história  geral   3 ano  setembro
Prova de história geral 3 ano setembro
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Questao prova historia_geral_3_ano_chiquinho_apoio
Questao prova historia_geral_3_ano_chiquinho_apoioQuestao prova historia_geral_3_ano_chiquinho_apoio
Questao prova historia_geral_3_ano_chiquinho_apoio
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandréDebate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Artigo arte rupestre
Artigo arte rupestreArtigo arte rupestre
Artigo arte rupestre
Francisco Antonio Machado Araujo
 

Mais de Francisco Antonio Machado Araujo (7)

Objetivos para a pesquisa
Objetivos para a pesquisaObjetivos para a pesquisa
Objetivos para a pesquisa
 
Prova de história geral outubro 3º ano
Prova de história geral outubro 3º anoProva de história geral outubro 3º ano
Prova de história geral outubro 3º ano
 
Prova historia geral agosto 3 ano
Prova historia geral agosto 3 anoProva historia geral agosto 3 ano
Prova historia geral agosto 3 ano
 
Prova de história geral 3 ano setembro
Prova de história  geral   3 ano  setembroProva de história  geral   3 ano  setembro
Prova de história geral 3 ano setembro
 
Questao prova historia_geral_3_ano_chiquinho_apoio
Questao prova historia_geral_3_ano_chiquinho_apoioQuestao prova historia_geral_3_ano_chiquinho_apoio
Questao prova historia_geral_3_ano_chiquinho_apoio
 
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandréDebate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
 
Artigo arte rupestre
Artigo arte rupestreArtigo arte rupestre
Artigo arte rupestre
 

Último

Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 

PROVA DE ARTE INDIGENA

  • 1. Nome Nº Turma Data Série Disciplina Educador(a): ARTE FRANCISCO ARAUJO ::. AVALIAÇÃO CONTINUA 2 - ARTE .:: 9º 1 - Observe as imagens abaixo: As alternativas abaixo referem a conceitos sobre a arte indígena brasileira, todas estão corretas, EXCETO: A) Os povos indígenas não só têm sentidos diferentes daqueles que atribuímos às suas produções plásticas como também possuem palavra correspondente à “arte” em suas respectivas línguas. B) Para o indígena, a perfeição dos objetos, sua “qualidade plástica” está mais ligada à sua finalidade do que às suas características estéticas isoladas. C) Quando dizemos que um objeto indígena tem qualidades artísticas, estamos lidando com noções que são próprias da nossa civilização, estranhas ao universo indígena. D) A arte indígena é representativa da comunidade em que está inserida. Sua plasticidade resulta da confluência de concepções e inquietações coletivas. E) As expressões plásticas indígenas restringem-se à produção de objetos, como cuias, cestos, redes, remos, máscaras, esculturas, cocares. 2- A arte indígena no Brasil é mais representativa das tradições da comunidade em que está inserida que da personalidade do indivíduo que a faz. É por isso que os estilos de seus trabalhos artísticos variam significativamente de uma tribo para outra. A tendência indígena de fazer objetos bonitos para usar na vida tribal pode ser apreciada principalmente: A) na cerâmica, no trançado e na tecelagem. B) na cerâmica, na tecelagem e na ourivesaria. C) no trançado, na ourivesaria e na cutelaria. D) na cutelaria, na arte corporal e na ourivesaria. E) na arte corporal, na tecelagem e na colagem. 3- Segundo Lévi-Strauss, as pinturas do rosto conferem de início ao indivíduo sua dignidade de ser humano, operando a passagem da natureza à cultura, do animal estúpido ao homem civilizado e também exprimem, em uma sociedade complexa, a hierarquia social, possuindo, assim, uma função sociológica. Acerca desse assunto, assinale a opção correta. A) A pintura corporal pode ser uma manifestação artística, cultural ou social. B) A pintura corporal transforma e determina a segunda pele do indivíduo. C) Os índios pintavam seus rostos com pigmentos industrializados e trabalhavam os desenhos de forma simples. D) Na arte contemporânea, a pintura do corpo restringe-se à beleza. E) Nas sociedades tribais, as pinturas e outros tipos de intervenções no corpo são idênticos.
  • 2. 4- Cada cultura possui uma produção artística que a caracteriza, não há registro de culturas sem manifestação artística. Sobre a cultura indígena pode-se afirmar que: A ) As peças de artesanato indígenas são de boa qualidade e muito importantes para conhecer o perfil do artesão indígena. B ) Atualmente, não se considera arte a produção artesanal do indígena. C ) O trabalho artístico indígena é artesanato e sendo artesanato não é arte. D ) As peças indígenas não são representativas para a cultura brasileira. E ) A preocupação do indígena com a feitura. 5- Sobre a arte indígena, analise os itens seguintes. I- É representada principalmente pela cerâmica, arte plumária, mascaras e pintura corporal. II- As esculturas em bronze e ouro representam o refinamento alcançado pelos índios na produção de artefatos utilizados em danças cerimoniais. III- É uma arte utilitária. Indique a única opção correta: A) Somente estão corretos os itens I e II. B) Somente estão corretos os itens II e III. C) Somente estão corretos os itens I e III. D) Estão corretos os itens I, II e III. E) Somente o item I está correto. 6- Leia o texto abaixo: São 206 os povos indígenas no Brasil de hoje. Na maioria sociedades diminutas, remanescentes de populações que já foram consideráveis, destruídas por doenças, escravização, massacres, invasão de seus territórios, deportação, programas de assimilação: mais de dois terços desses grupos não chegam hoje a mil pessoas. No total, são uns 280 mil índios, contando-se apenas os que moram em áreas indígenas. Outros 30 mil são índios desaldeados, que moram na maioria em áreas urbanas. A população indígena concentra-se na Amazônia, onde moram cerca de 60% dos índios brasileiros. As sociedades indígenas são muito diversas entre si. Vejam-se as línguas, por exemplo. Distinguem-se 163 línguas indígenas diferentes. Se incluirmos os dialetos, esse número sobe para 195. Com exceção de dez línguas isoladas, que não se aparentam com nenhuma outra, essa grande variedade de línguas pode ser agrupada em 14 conjuntos. Quatro grandes grupos lingüísticos espalham-se por territórios amplos, que podem transbordar das fronteiras nacionais: são os grupos Macro-Tupi, Macro-Jê, Aruak e Karib. A diversidade das sociedades indígenas - cada uma sendo uma síntese original de sociabilidade e de uso dos recursos naturais - é um patrimônio essencial do Brasil. O que talvez mais chame a atenção seja o contraste entre a simplicidade das tecnologias e a riqueza dos universos culturais. As sociedades indígenas elaboraram cosmologias e sistemas sociais complexos, nos quais o patrimônio imaterial parece ter um privilégio sobre o patrimônio material. Enquanto a propriedade privada da terra, por exemplo, é inexistente, direitos sobre bens imateriais, tais como nomes próprios, cantos, ornamentos rituais, são objetos de detalhada regulamentação. A arte indígena, por sua vez, parece preferir suportes perecíveis: em muitas dessas sociedades, o corpo humano, a palha e as plumas são objeto de um trabalho artístico intenso - pintura corporal, cestaria, arte plumária - sobre objetos essencialmente efêmeros. Considere os itens abaixo, relativos à evolução e às condições das lutas indígenas em nosso país. I - As sociedades indígenas são diminutas, como vimos, e dão uma impressão errônea de isolamento. Na realidade, elas têm crescentemente se revelado ligadas a uma extensa rede de trocas - de mercadorias, de esposas, de cantos e rituais - e abertas ao exterior. II - Todas as Constituições brasileiras, desde a de 1934, garantem aos índios as terras que eles ocupam. Esta ocupação ficou definida na Constituição de 1988, no artigo 231, parágrafo 1, segundo o qual são terras tradicionalmente ocupadas pelos índios as por eles habitadas em caráter permanente, as utilizadas para suas atividades produtivas, as imprescindíveis à preservação dos recursos ambientais necessários a seu bem-estar e as necessárias à sua reprodução física e cultural, segundo seus usos, costumes e tradições. III - As terras indígenas ainda não estão completamente regularizadas, apesar do preceito constitucional que estipulava que o fossem até 1993. Em junho de 1996, das 554 áreas, 148 encontravam-se demarcadas e registradas. As demarcações são necessárias, mas não suficientes para a proteção das terras indígenas, que sofrem invasões de várias naturezas. Mineradoras, madeireiras, garimpeiros, fazendeiros, são fontes de inúmeros conflitos.
  • 3. IV - Enquanto nos anos 50 e 60 previa-se o desaparecimento dos índios, hoje se constata uma recuperação demográfica e um ressurgimento de etnias que se ocultavam diante do preconceito. Assim mesmo, ainda são - lamentam os que os consideram como empecilhos ao desenvolvimento - poucos índios para muita terra. O juízo de valores pode ser invertido, desde que se saibam avaliar os benefícios possíveis: os índios têm preservado, nas grandes áreas da Amazônia que ocupam, uma espantosa riqueza em biodiversidade e um saber acumulado cujo valor de mercado ainda não é reconhecido. INDIQUE quais das alternativas apresentam avanços alcançados pelas comunidades indígenas. a) Apenas II e III. b) Apenas I, II e IV. c) Apenas I e IV. d) Apenas II, III e IV. e) Apenas I e III. 7- Observe o contexto que a charge revela: Assinale a alternativa que expõe qual a causa do problema revelado nessa charge. a) Os povos indígenas não dispõem da posse efetiva das terras onde vivem, pois as suas reservas pertencem à Funai, que não tem recursos para protegê-las das invasões feitas por garimpeiros, latifundiários e madeireiros. b) Recentemente, houve uma mudança na legislação que permite o uso dos rios das regiões próximas às áreas de reservas ambientais indígenas para o turismo ecológico e para o estudo de recursos voltados à biotecnologia. c) Para as organizações indígenas, a legislação é preconceituosa e induz o índio a largar a sua própria cultura para conquistar sua emancipação jurídica e muitas vezes, passa a consumir, a comprar e a utilizar de produtos das grandes cidades, para adquirir maioridade jurídica. d) A territorialidade não leva em conta a existência de fronteiras de países, as suas referências espaciais são marcadas por um sentimento de apego às terras e florestas, às suas tradições e à vida dos seus ancestrais, que são descartadas pelo consumismo e pelos estrangeirismos. 8 - A arte indígena, em todas as suas manifestações anteriores ao descobrimento, demonstra ricas linguagens simbólicas, representativas da criatividade, sensibilidade e habilidade, refletindo a busca do prazer estético e de comunicação por meio de uma expressão visual. Prova disso são as pequenas esculturas de rãs em pedra verde usadas como amuletos chamados de: A) Igaçaba; B) Muiraquitã; C) Escapulário; D) Tukunã; E) Xamã.
  • 4. 9 - Quanto à arte plumária indígena e à pintura corporal dos índios brasileiros, assinale a opção correta. A) Em seus adereços, os índios utilizavam penas e pigmentos vegetais como matéria-prima, além de contas, fibras e conchas. B) A arte indígena, em todas as suas manifestações, era muito pobre, com pouca diversidade de recursos e matérias-primas. C) A pintura corporal, uma forma de expressão artística, era utilizada apenas durante as festas. D) A arte dos índios brasileiros era pouco expressiva. 10 – Caracterize a arte plumária e as máscaras na cultura indígena brasileira. _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________