SlideShare uma empresa Scribd logo
Colégio Estadual de Alagoinhas
Regente: Liciana Palmeira
Estagiária: Eula Paula R. dos Santos
Série: 3º     Eixo: VII       Turma: V1
Data:13/10/10 e 15/10/10


                                    Plano de aula semanal 1


    Tema: Genética

    Sub-temas: -1ª Lei de Mendel
                -Conceitos de genética
                 -Transmissão das características hereditárias




        Objetivos: - Conhecer os experimentos realizados por Mendel e sua importância para a
           genética;
       - Identificar como são transmitidas as características hereditárias;
       - Definir cromossomos sexuais e como eles determinam o sexo dos bebês.

   Conteúdos

    Conceituais: - Conhecimento da importância da genética para a humanidade;
   - Identificação da forma de transmissão das características hereditárias;
   - Conceituação dos termos mais utilizados em genética.

      Procedimentais: - Construção de um glossário contendo os termos mais comuns em genética.
      Atitudinais: - Apreciação da importância e influência da genética para a vida humana e os
       benefícios adquiridos pelo conhecimento mais aprofundado de pesquisadores que buscam a
       melhoria da qualidade de vida das pessoas.

   Procedimentos metodológicos: - Exposição dialogada do assunto.
       - Demonstração didática (uso do quadro).


   Sequência didática:
         13/10/10 quarta-feira:
        - 20min: Tempo programado para me apresentar à turma e conhecer os alunos.
        Solicitar de cada um à exposição das dificuldades apresentadas no aprendizado de
        Biologia.
        Sondar a existência de um conhecimento prévio quanto à temática abordada.
        - 20 min: Fazer uma rápida apresentação dos tópicos abordados e a metodologia que será
        utilizada.
        Abordar a forma como será avaliado o aprendizado da turma, além das atividades que
        serão cobradas.
        - 60 min: Aula expositiva dialógica abordando às grandes contribuições dadas por
        Mendel para o surgimento da genética, a transmissão das características hereditárias e os
        cromossomos sexuais.
        Haverá perguntas de mediação como:
           Você sabe o que é genética?
            Porque será que existem pessoas que não se parecem com seus pais?
            Você já ouviu falar de Mendel?
            Já ouviu falar sobre o Projeto Genoma? Sabe o que isso significa?
            Saberia dizer a importância dessas pesquisas para a humanidade?

           15/10/10 sexta-feira:
          - 10min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semi-círculo.
          - 70 min: Aula expositiva dando continuidade ao assunto anterior e definindo termos
          como: genética, genes, cromossomos homólogos, genes alelos, dentre outros.
          - 20 min: Aplicar um questionário sobre o assunto que será cobrado e corrigido na
          próxima aula.


   Recursos didáticos: Livro didático e lousa.
 Avaliação: Serão avaliados conforme ao conhecimento prévio do assunto e dificuldade
  apresentada durante o aprendizado.
 Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova
  Geração.


 Observações:
  13/10/10: Houve grande participação dos alunos, fazendo muitas perguntas, expondo
  curiosidades e assuntos do dia-a-dia, relacionando-os com a temática abordada.
  Tive um pouco de dificuldade para cumprir o plano de aula devido à grande participação dos
  mesmos.

   15/10/10: Não houve aula devido ao feriado do dia dos professores, sendo transferida para o
   dia 20/10/10.

 Anexos



                                    Plano de aula semanal 2
Data: 20/10/10 e 22/10/10

 Tema: Genética

 Sub-temas: -1ª Lei de Mendel;
             -Conceitos de genética;
   -Transmissão das características hereditárias;
   - Os cromossomos sexuais.

 Objetivos: - Conhecer os experimentos realizados por Mendel e sua importância para a
  genética;
  - Identificar como são transmitidas as características hereditárias;
  - Definir cromossomos sexuais e como eles determinam o sexo dos bebês.

 Conteúdos

 Conceituais: - Conhecimento da importância da genética para a humanidade;
- Identificação da forma de transmissão das características hereditárias;
- Conceituação dos termos mais utilizados em genética.

 Procedimentais: - Resolução de questionário sobre o assunto;
- Construção de um glossário contendo os termos mais comuns em genética.

 Atitudinais: - Conscientização da influência da genética no seu dia-a-dia e os benefícios
   adquiridos através do seu conhecimento.

 Procedimentos metodológicos: - Exposição dialogada do assunto.
    - Demonstração didática ( uso do quadro )


 Sequência didática:
       20/10/10 quarta-feira:
      - 10min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semi-círculo.
      - 70 min: Aula expositiva dando continuidade ao assunto anterior e definindo termos
      como: genética, genes, cromossomos homólogos, genes alelos, dentre outros.
      - 20 min: Aplicar um questionário sobre o assunto que será cobrado e corrigido na
      próxima aula.

           22/10/10 sexta-feira:

        - 10 min: Organizar os alunos em semicírculo e fazer a chamada.
        - 40 min: Rápida revisão das aulas anteriores.
        50 min: Correção do questionário com a participação dos mesmos.

 Recursos didáticos: Livro didático e lousa.

 Avaliação: Correção do questionário.
 Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova
  Geração.


 Observações:
  20/10/10: Tentei utilizar a TV pendrive, mas, apesar de ter salvado os slides no formato jpeg,
  não conseguir visualizá-los, o que me obrigou a utilizar apenas o quadro.
  No geral, a aula transcorreu muito bem, com grande participação dos alunos. Porém, muitos
  faltaram nesse dia, por isso, em vez de aplicar um questionário, dividi a sala em 5 duplas e
  pedi para que cada um desse o fenótipo completo do seu par. Os alunos adoraram a atividade
  e pude perceber que houve uma maior fixação e aprendizado pelos mesmos.

   22/10/10: Devido à pequena quantidade de alunos presentes na aula anterior, tive que fazer
   uma revisão da aula anterior.


 Anexos: Os slides que deveriam ser utilizados na aula e não foram.
Glossário de genética

1. Gene: denominação dada ao segmento de DNA situado em uma posição específica do
cromossomo, que é responsável pela expressão do caráter.
2. Genética: ciência que estuda a hereditariedade e a variação.
3. Genótipo: constituição genética de um indivíduo.
4. Alelos: formas alternativas do gene responsáveis pelos diferentes fenótipos do caráter situadas no
mesmo loco, em cromossomos homólogos.
5. Fenótipo: as diferentes expressões de um dado caráter.
6. Recessivo: denominação dada ao alelo que só se expressa em homozigose.
7. Alelo Dominante: alelo que se expressa produzindo seu fenótipo tanto em homozigose quanto em
heterozigose.
8. Mendel: comsiderado o pai da genética.
9. Homólogos: cromossomos morfologicamente iguais e portadores dos mesmos genes.
10. Heterozigóticos: indivíduos que possuem alelos diferentes.
11. Homozigóticos: indivíduos que possuem alelos idênticos.
12. Cromossomo: estrutura nucleoprotéica situada no núcleo e observada durante as divisões
celulares.
13. Características hereditárias: transmitidas de pais para filhos.
14. Cromossomos sexuais: determinam o sexo de uma pessoa.



                                      Plano de aula semanal 3
   Data:27/10/10 e 29/10/10

    Tema: Genética

    Sub-temas: -Conceitos de genética
                 -Introdução à engenharia genética



        Objetivos: - Conhecer os termos mais utilizados em genética;
       - Identificar a importância e influência da genética no nosso dia-a-dia.

   Conteúdos

    Conceituais: - Conceituação dos termos mais utilizados em genética;
   - Conhecimento da influência da genética para a humanidade, seus benefícios e malefícios.
   .

    Procedimentais: - Participação em um jogo realizado em equipe sobre conceitos de genética;
   - Discussão sobre o filme Gattaca.

    Atitudinais: - Fixação dos conceitos genéticos e conhecimento da influência da genética no
      seu dia-a-dia com os seus benefícios e malefícios.

   Procedimentos metodológicos: - Jogo didático;
      - Demonstração didática (uso da TV e DVD);
      - Filme Gattaca.

   Sequência didática:
         27/10/10 quarta-feira:
- 10min: Fazer a chamada e dividir a sala em 5 grupos.
           - 15 min: Sendo usados para explicar o jogo e o seu objetivo.
           - 60 min: Execução do jogo. O jogo se parece com um dominó contendo 28 pedras,
           divididas em 14 pedras com perguntas e 14 com respostas. Os alunos deverão montá-las
           corretamente e a equipe vencedora será aquela que montar corretamente e em menor
           tempo.
           - 15 min: Pequena revisão do jogo que conterá apenas os termos mais utilizados em
           genética.

              29/10/10 sexta-feira:

           - 10 min: Organizar os alunos em semicírculo e fazer a chamada.
           - 90 min: Exibição do filme Gattaca.

   Recursos didáticos: TV e DVD.

   Avaliação: - Correção do jogo pedagógico;
                - Discussão sobre o filme na próxima aula.

   Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova
    Geração.


   Observações:
    27/10/10: Os alunos gostaram bastante do jogo, muitos tiveram um excelente desempenho,
    todos participaram da atividade. A aula transcorreu bem tranquila, não tive nenhuma
    dificuldade na execução do plano de aula.

      29/10/10: Não houve aula nesse dia, sendo transferida para o dia 03/11/10.


    Anexos:        JOGO PEDAGÓGICO
        A Genética é uma ciência que envolve vários conceitos. Essencialmente no ensino médio é
importante que alguns desses fundamentos de Genética sejam bem fixados. Para tornar o processo de
fixação desses conceitos mais efetivo e dinâmico, é importante utilizar-se de ferramentas que
facilitem o aprendizado. Uma das ferramentas é procurar passar o conhecimento por meio de alguma
estratégia em que o aluno sinta prazer em realizá-la. Esse tipo de estratégia tem sido proposta em
algumas ciências no Brasil, entre elas a Genética (Pavan, O.H.O 2000).
O jogo que está sendo proposto é semelhante a um dominó, exceto que as “pedras”,
ao invés de terem números, contêm perguntas de um lado e respostas, do outro; vale ressaltar que,
em cada pedra, pergunta e resposta não são correspondentes.
Nesta proposta, o dominó possuirá 28 pedras, sendo que em 14destas, como já mencionado, deverão
conter perguntas e, nas outras, respostas. Sugere-se que cada pedra do dominó seja de tábuas de
madeira em tamanho de 4cm de largura x 11cm de comprimento, com uma rachadura no centro, de
modo a separar a resposta da pergunta,
porém as pedras poderão ser confeccionadas de acordo com o material disponível e a facilidade
encontrada na instituição.
O jogo chegará ao fim quando todas as pedras do dominó forem encaixadas de modo correto, sendo
vencedor o grupo de alunos que completar o jogo em menor tempo.
- Perguntas:
1. Gene: denominação dada ao segmento de DNA situado em uma posição específica do
cromossomo, que é responsável pela expressão do caráter.
2. Genética: ciência que estuda a hereditariedade e a variação.
3. Genótipo: constituição genética de um indivíduo.
4. Alelos: formas alternativas do gene responsáveis pelos diferentes fenótipos do caráter situadas no
mesmo loco, em cromossomos homólogos.
5. Fenótipo: as diferentes expressões de um dado caráter.
6. Recessivo: denominação dada ao alelo que só se expressa em homozigose.
7. Alelo Dominante: alelo que se expressa produzindo seu fenótipo tanto em homozigose quanto em
heterozigose.
8. Mendel: comsiderado o pai da genética.
9. Homólogos: cromossomos morfologicamente iguais e portadores dos mesmos genes.
10. Heterozigóticos: indivíduos que possuem alelos diferentes.
11. Homozigóticos: indivíduos que possuem alelos idênticos.
12. Cromossomo: estrutura nucleoprotéica situada no núcleo e observada durante as divisões
celulares.
13. Características hereditárias: transmitidas de pais para filhos.
14. Cromossomos sexuais: determinam o sexo de uma pessoa.
Sinopse: GATTACA- A experiência genética

Sendo um dos últimos seres “naturais” nascido em um mundo geneticamente concebido, Vincent
Freeman (Ethan Hawke) não possui nenhum DNA planejado que vai lhe garantir o sucesso.
Desesperado para realizar o seu sonho de explorar o espaço, Vincent resolve assumir a identidade de
um atleta considerado geneticamente superior (Jude Law).
Para evitar de ser descoberto, Vincent se torna um dos experts da Estação Espacial Gattaca,
chamando a atenção de uma atraente colega de trabalho (Uma Thurman). Mas, quando um diretor de
vôo é brutalmente assassinado, uma pista deixada na cena do crime ameaça acabar com os planos de
Vincent.




                                    Plano de aula semanal 4
Data: 03/11/10 e 05/11/10


    Tema: Genética

    Sub-temas: - Engenharia genética
                 - Polialelia


    Objetivos: - Caracterizar a engenharia genética como uma ciência presente no nosso
     cotidiano;
            - Identificar a importância e influência da genética no nosso dia-a-dia.


    Conteúdos

      Conceituais: - Conhecimento da influência da genética para a humanidade, seus benefícios e
       malefícios;


      Procedimentais: - Discussão sobre o filme Gattaca.

      Atitudinais: - Fixação dos conceitos genéticos e conhecimento da influência da genética no
       seu dia-a-dia com os seus benefícios e malefícios.



   Procedimentos metodológicos:- Demonstração didática (uso da TV e DVD);

    Sequência didática:
         03/11/10 quarta-feira:
        10 min: Organizar os alunos em semicírculo e fazer a chamada.
        90 min: Exibição do filme Gattaca.

            05/11/10 sexta-feira:
           15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo
           30 min: Discussão do filme Gattaca
           60min: Exposição dialogada sobre Engenharia genética, abordando sobre clonagem,
           transgênicos, dentre outros.
           Haverá perguntas de mediação, como:
               Você sabe o que é Engenharia genética?
                Imagina como ela pode afetar sua vida de alguma forma?
                Já ouviram falar sobre os transgênicos? E tem alguma opinião formada sobre eles?
               Acham mesmo que o homem conseguirá clonar o ser humano?
               Como vocês avaliam o avanço da ciência?


    Recursos didáticos: TV e DVD.

    Avaliação: Discussão sobre o filme Gattaca.
 Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova
     Geração.


     Observações:
03/11/10: Os alunos prestaram muita atenção no filme, apesar de acharem o filme entediante e não
compreenderem a linguagem muito rebuscada e científica do mesmo.
Pretendia com este filme solicitar dos mesmos um relatório, porém, devido à dificuldade de
compreensão não pude executar essa atividade.

05/11/10: Não houve aula devido à greve do transporte escolar rural. Portanto, a aula foi transferida
para o dia 10/11/10.

    Anexos:
                               Sinopse: GATTACA- A experiência genética

       Sendo um dos últimos seres “naturais” nascido em um mundo geneticamente concebido,
       Vincent Freeman (Ethan Hawke) não possui nenhum DNA planejado que vai lhe garantir o
       sucesso. Desesperado para realizar o seu sonho de explorar o espaço, Vincent resolve
       assumir a identidade de um atleta considerado geneticamente superior (Jude Law).
       Para evitar de ser descoberto, Vincent se torna um dos experts da Estação Espacial Gattaca,
       chamando a atenção de uma atraente colega de trabalho (Uma Thurman). Mas, quando um
       diretor de vôo é brutalmente assassinado, uma pista deixada na cena do crime ameaça acabar
       com os planos de Vincent.




                                     Plano de aula semanal 5
Data:10/11/10 e 12/11/10


    Tema: Genética

    Sub-temas: - Engenharia genética
                 - Sistema ABO
                - Fator Rh

    Objetivos: - Caracterizar a engenharia genética como uma ciência presente no nosso
     cotidiano;
       - Descrever o mecanismo de clonagem de moléculas e células;
        - Identificar as principais síndromes e aberrações cromossômicas;
        - Reconhecer o papel do aconselhamento genético nos cuidados da saúde;
         - Identificação genética dos grupos sanguíneos;
       - Perceber a teoria de alelos múltiplos associada ao sistema ABO.



    Conteúdos

      Conceituais: - Conhecimento da influência da genética para a humanidade, seus benefícios e
       malefícios;
         - Descrição do mecanismo de clonagem;
         - Identificação dos grupos sanguíneos;
         - Conhecimento das principais síndromes e aberrações cromossômicas;
         - Percepção da importância do aconselhamento genético nos cuidados da saúde.


      Procedimentais: Pesquisa sobre eritroblastose fetal, daltonismo e hemofilia

      Atitudinais: - Apreciação da importância e influência da genética para a vida humana.
             -Conscientização da necessidade de se fazer aconselhamento genético.
             - Respeito às limitações dos indivíduos portadores de doenças genéticas.
             -Refletir sobre o impacto do mapeamento genético na ciência e na vida das pessoas.
           - Curiosidade sobre as questões culturais, sociais e religiosas que dificultam o progresso
   da ciência.
 Procedimentos metodológicos: Exposição dialogada do assunto
             Demonstração didática (uso da TV pendrive)

 Sequência didática:
        10/11/10 quarta-feira:
  15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo
  30 min: Discussão do filme Gattaca
  60min: Exposição dialogada sobre Engenharia genética, abordando sobre clonagem,
  transgênicos, dentre outros.
  Haverá perguntas de mediação, como:
      Você sabe o que é Engenharia genética?
       Imagina como ela pode afetar sua vida de alguma forma?
       Já ouviram falar sobre os transgênicos? E tem alguma opinião formada sobre eles?
      Acham mesmo que o homem conseguirá clonar o ser humano?
      Como vocês avaliam o avanço da ciência?

        12/11/10 sexta-feira:
       15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo.
       85min: Continuar a exposição dialogada sobre engenharia genética e abordar também
       sistema ABO e fator Rh.
       Solicitar dos alunos uma pesquisa sobre eritroblastose fetal, daltonismo e hemofilia

 Recursos didáticos: TV pendrive.

 Avaliação: Correção da pesquisa sobre eritroblastose fetal, daltonismo e hemofilia.

 Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova
  Geração.


 Observações:
  10/11/10: A aula foi bastante produtiva, com grande participação dos alunos
  contextualizando a temática abordada com suas vivências. Porém, tive problemas com a TV
  pendrive, não sendo possível continuar a visualização dos slides. Visto que o único controle
  da escola que estava funcionando e que estava sendo usado por mim foi solicitado por outra
  professora com a promessa de devolver, porém, a aula terminou e o controle não apareceu, o
  que prejudicou bastante o cumprimento do plano de aula.

   12/11/10: Tive que dar continuidade ao assunto da aula anterior. E, como sempre, transcorreu
   muito bem quanto à atenção e participação dos alunos.

 Anexos:
Plano de aula semanal 6
Data: 17/11/10 e 19/11/10

    Tema: Genética

    Sub-temas: - Engenharia genética
                 - Sistema ABO
               - Fator Rh


    Objetivos: - Caracterizar a engenharia genética como uma ciência presente no nosso
     cotidiano;
       - Descrever o mecanismo de clonagem de moléculas e células;
        - Identificar as principais síndromes e aberrações cromossômicas;
        - Reconhecer o papel do aconselhamento genético nos cuidados da saúde;
         - Identificação genética dos grupos sanguíneos;
       - Verificar a teoria de alelos múltiplos associada ao sistema ABO.



    Conteúdos

      Conceituais: - Conhecimento da influência da genética para a humanidade, seus benefícios e
       malefícios;
         - Descrição do mecanismo de clonagem;
         - Identificação dos grupos sanguíneos;
         - Conhecimento das principais síndromes e aberrações cromossômicas;
         - Percepção da importância do aconselhamento genético nos cuidados da saúde.


      Procedimentais: Resolução de estudo dirigido em equipe.

     Atitudinais: - Apreciação da importância e influência da genética para a vida humana.
           - Conscientização da necessidade de se fazer aconselhamento genético.
            - Respeito às limitações dos indivíduos portadores de doenças genéticas.
            - Refletir sobre o impacto do mapeamento genético na ciência e na vida das pessoas.
             - Curiosidade sobre as questões culturais, sociais e religiosas que dificultam o
   progresso da ciência.

    Procedimentos metodológicos: Exposição dialogada do assunto
                Demonstração didática (uso da TV pendrive)

    Sequência didática:
         17/11/10 quarta-feira:
        15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo
        85 min: Exposição dialogada do assunto.

           19/11/10 sexta-feira:
          15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo.
          20 min: Explicação da atividade que será feita em grupo: um estudo dirigido sobre o
          assunto abordado
          65 min: Aplicação da atividade.

    Recursos didáticos: TV pendrive.

    Avaliação: Correção do estudo dirigido.

    Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova
     Geração.


    Observações:
17/11/10: A aula como sempre foi bem tranquila, os alunos não apresentaram nenhuma dificuldade
quanto ao aprendizado do assunto, nem eu tive problemas quanto à execução do plano de aula.

19/11/10: Todos os alunos presentes na aula fizeram o estudo dirigido. As dúvidas que surgiam
relativas à atividade eram tiradas imediatamente.

    Anexos:

                                            ESTUDO DIRIGIDO

       Disciplina: Biologia
       Assunto: Genética
       Profª: Eula Paula

       O tema Polialelia e grupos sanguíneos, desenvolvido no texto em anexo, serão estudados por
       vocês, através da técnica de “Estudo dirigido”.

       Ao final deste trabalho vocês serão capazes de:

        - Definir polialelia;
 - Identificar os diferentes grupos sanguíneos;
 - Distinguir aglutinogênio A de aglutinogênio B;
 - Saber como é feito o teste para determinar o grupo sanguíneo feito em hospitais;
 - Descrever quais as condições em que ocorre a eritroblastose fetal;
 - Conhecer os efeitos de acidentes nas transfusões de sangue.

 Para alcançar os objetivos acima, siga as instruções:

 1 a Parte: 40min.
 Trabalho individual

      1. Leia todo o texto, tomando nota das partes que julgar interessante.
      2. Sublinhe as palavras novas e busque significado para as mesmas.
3.Em caso de dúvidas, chame o professor discretamente.                       '
4.Trabalhe em silencio.

  28 Parte: 40min.
  Trabalho em grupo

  Com base no texto, responda as questões abaixo:

      1.  Defina polialelia.
      2.  Como é feito o teste para determinar o grupo sanguíneo de uma pessoa?
      3.  Neste estudo qual a definição de soro?
      4.  O que ocorre quando se mistura o soro com a gota de sangue?
      5.  Identifique os diferentes grupos sanguíneos.
      6.  Qual diferença há entre aglutinogênio A de aglutinogênio B?
      7.   O que pode ocorrer se o sangue de um indivíduo do grupo A for doado a um
          indivíduo do grupo B?'
     8.No teste para determinar o grupo sanguíneo, quando é que pode se afirmar que o
      sangue é do tipo A, do tipo B, do tipo AB e do tipo O?
     9.Pessoas de que grupo sanguíneo são consideradas doadoras universais? Por quê?
     10.Quem são as pessoas consideradas receptoras universais? Explique.
     11.Com análise dos grupos sanguíneos é possível esclarecer casos de paternidade
      duvidosa ou de troca de bebês em maternidade? Como?
     12.Com que tipo de teste é possível se provar 'com mais segurança a paternidade de
      uma criança?
     13.Quando foi proposto o sistema ABO e por quem foi proposto? Que análise vocês
      fazem desse sistema?                                                          .
     14. De acordo com o texto em que situação é possível ocorrer a eritroblastose?
     15. Como essa doença é também conhecida?
     16. Como se desenvolve a doença?
     17.Como a eritroblastose pode ser evitada?
     18.Ainda falando em eritroblastose, em uma primeira gestação a criança pode nascer
       com segurança? Como.isso pode ocorrer?
      19 .O que pode ocorrer após uma segunda gestação, onde a mãe é Rh- e a criança é
       Rh+?
   20. O que pode ocorrer nos casos mais graves da doença?
"O sentimento de culpa algema o espírito e quanto mais esses evoluem mais sofrimentos
lhes causa. Enquanto não sobrevier uma sentença de absolvição seremos réus diante de nós
mesmos, pois o tribunal divino funciona na própria consciência de cada um."

                                                                                   Salvador Gentille
    BOA SORTE!




                                              Polialelia e grupos sanguíneos

 Os caracteres genéticos até agora são controlados por dois alelos. Por exemplo, no albinismo um gene (A),
determina pele normal e o seu alelo (a), determina a anomalia. Na pelagem das cobaias, um gene (L),
determina pêlo arrepiado e seu alelo (1), determina pêlo liso. Nas ervilhas, R determina sementes com
superfície lisa e R com superfície rugosa, etc ..

      No entanto, determinado gene pode sofrer ao longo do tempo diversas mutações e originar
    diversos genes alelos. Assim um gene original (A), pode sofrer duas, três ou mais
    mutações diferentes e originar- uma série de múltiplos alelos que. controlam o mesmo
    caráter. Esse fenômeno é chamado de polialelia.


    TESTE PARA DETERMINAR O GRUPO SANGUÍNEO
"             ,


    É o teste para saber a que grupo' sanguíneo uma pessoa pertence, feito nos hospitais e
    clínicas por profissionais de saúde,  onde duas gotas de sangue são colocadas, cada uma-
    delas em uma extremidade de uma lâmina de microscopia e adiciona-se a uma gota soro
    c.9m aglutinina anti – A e a outra soro com aglutinina anti - B (o soro é a parte líquida do
    sangue, obtida após a coagulação).

    Misturando o soro com a gota de sangue pode-se ver quando há aglutinação das hemácias
    do sangue que está sendo analisado. Se elas tiverem os dois aglutinogênios (sangue AB), a
    aglutinação ocorrera nas duas extremidades da lâmina, ou seja, onde houver soro anti - A
    (portador de aglutinina anti - A) e soro anti - B (portador de aglutinina anti - B). Se nas
    hemácias houver apenas aglutinogênio A ocorrera aglutinação no soro .anti - A. Se
    apresentarem aglutinogênio B ocorrerá aglutinação _no soro anti - B. Se não houver
    aglutinação em nenhuma das extremidades da lâmina, as hemácias não. possuem
    aglutinogênios e o sangue é do tipo O.

     ACIDENDES NAS TRANSFUSÕES

     Se o sangue de um indivíduo do grupo A for doado a um indivíduo do grupo B, as
     hemácias A do doador serão aglutinadas pelas aglutininas anti - A do plasma do receptor.
     Os aglomerados de hemácias obstruem pequenos vasos sanguíneos e causam problemas
     circulatórios. Algum tempo depois, essas hemácias são destruídas por, glóbulos brancos e
     liberam a hemoglobina e outros produtos no plasma. Com isso, pode ocorrer desde uma .
     pequena reação alérgica até lesões renais graves (causadas pelos produtos liberados) e
     morte. O mesmo ocorre se um indivíduo do grupo B doar sangue a um indivíduo.do grupo
     A.                                                  '

      Teoricamente, em pequenas transfusões (até meio litro mais ou menos), as aglutininas do
      doador se diluem muito no volume total de sangue.do receptor.: e sua concentração não
      deveria causar aglutinação. O problema maior seria a aglutinação das hemácias do doador
      pelo plasma do receptor.

      Como o grupo O não têm aglutinogênio nas hemácias, pequenas quantidades desse tipo de
      sangue poderiam teoricamente ser doadas a qualquer receptor. Por isso pessoas do grupo
      O são chamadas de doadores universais. De modo semelhante, teoricamente, pessoas do
      grupo AB, por não terem aglutininas, aceitariam pequenas transfusões de.qualquer tipo
      de sangue, sendo chamadas de receptores universais.

    GRUPOS SANGUÍNEOS E EXCLUSÃO DE PATERNIDADE

    Com análise dos grupos sanguíneos é possível esclarecer casos de paternidade duvidosa.ou
    de troca de bebês em maternidade. Dependendo das circunstâncias é possível provar que
    determinado indivíduo não pode ser o pai de uma criança. Entretanto, apenas pelos grupos
    sanguíneos do sistema ABO nunca se pode provar que um homem é, de fato pai de uma
    criança, mesmo que seja.
Para exemplificar, considerem o seguinte caso: se um homem e uma mulher são do grupo
0, jamais poderiam ter um filho dos grupos A, B e AB, mas se a criança for do grupo O
não se prova que aquele homem é o pai, pois qualquer outro indivíduo do grupo O e mesmo do
grupo A ou B híbrido poderia ser o pai.      '
Atualmente com o teste de DNA, a paternidade pode ser esclarecida com altíssimo grau de
certeza.

SISTEMA ABO

 Sistema proposto em 1900, pelo' austríaco Landsteiner, onde ele classificou o grupo
 sanguíneo segundo a polialelia do sistema ABO considerando a relação entre os pares dos alelos:
 IA, IB e i, em quatro grupos: grupo A, grupo B, grupo AB e grupo O.

 Por análise desse sistema, as hemácias humanas podem apresentar nas' membranas as
 substâncias as substâncias aglutinogênios, esses aglutinogênios são sintetizados pelos
 alelos IA ou IB sendo: aglutinogênio A, aglutinogênio B ou a coexistência dos dois tipos,
 além da substância química aglutinina contida no plasma das células (hemácias): Anti-A e
 Anti-B.
O fator Rh é importante e sua importância em populações humanas                          reside   no
aparecimento, em certas condições, da doença do recém nascido ou eritroblastose fetal.



ERITOBLASTOSE FETAL

 Também conhecida como doença hemolítica do recém-nascido (DHRN) pode ocorrer
 apenas em filhos de mãe Rh-. Se o filho for Rh-, terá o mesmo padrão da mãe e não haverá
 incompatibilidade entre eles. Se for Rh+, alguns dias antes do nascimento é.principalmente
 durante o parto uma parte do sangue do feto escapa. para o organismo materno, que é
 .estimulado a produzir anticorpo anti-Rh. Como a produção não é imediata,esse primeiro
 .filho poderá nascer sem problemas. Em uma segunda gestação, os anticorpos matemos, já
 concentrados no sangue, atravessam a placenta e podem provocar aglutinação das
 hemácias do feto, que serão fagocitadas e eliminadas. Nesse caso, ao nascer à criança
 apresenta anemia e icterícia: a hemoglobina da hemácia (proteína presente nos eritrócitos
 (hemácias), constituindo um pigmento presente no sangue responsável' por transportar o
 oxigênio, levando-o dos pulmões aos tecidos de todo o corpo), destruída é transformada
 em bilirrubina (pigmento amarelo); que em quantidade excessiva se deposita nos tecidos e
 dá a coloração amarelada à pele. Além disso, pode se depositar no cérebro da criança e provocar
 surdez e deficiência mental. A destruição das hemácias do feto e do recém-
 nascido leva seus órgãos produtores de sangue a lançarem na circulação hemácias ainda
 jovens - os eritroblastos -, daí o nome da doença.

 Nos casos mais graves chega a ocorrer aborto involuntário. Se a criança        nascer, poderá ser
 salva com a troca gradativa de seu sangue por sangue Rh-. As novas             hemácias Rh- não
 serão destruídas e, após algum tempo, quando forem substituídas                naturalmente 'por
 hemácias Rh+ da própria criança, os anticorpos anti-Rh da mãe que               passaram para a
 criança já terão sido eliminados.



Para prevenir a eritroblastose fetal, até três dias após o parto da primeira criança Rh+ (ou
um pouco antes) a mãe Rh- deve receber uma aplicação de anticorpos anti-Rh.
Provenientes do plasma de pessoas Rh-, esses anticorpos destroem as hemácias Rh+
deixadas pelo feto no sangue da mãe, o que impede o desencadeamento da produção de
anticorpos maternos.


 Com o tempo, esses anticorpos são: eliminados. Como o organismo da mulher não "aprendeu" a
fabricá-los, não os substitui e ela fica livre para uma 'próxima gravidez. Se novamente a criança
for    Rh+,     na     haverá     problema,      pois    será   como     se    fosse,o  primeiro
filho. No entanto, o tratamento tem' de ser repetido para prevenir acidentes na gravidez
seguinte, pois durante o parto a criança, sendo positiva, pode lançar hemácias com antígenos no
sangue materno. '      -

    REFERÊNCIAS:



LINHARES, Sérgio; GEwkSZNAJDER, Fernando. Biologia. Volume único.
Ed. Ática;

                                  ~.
http://.www.todabiologia.comlanatomia/hemoglobina.htm.




                                      Plano de aula semanal 7
Data: 24/11/10 e 26/11/10

    Tema: Genética e ecologia

    Sub-temas: - Doenças genéticas


    Objetivos:
      - Descrever o mecanismo de clonagem de moléculas e células;
       - Identificar as principais síndromes e aberrações cromossômicas;
       - Reconhecer o papel do aconselhamento genético nos cuidados da saúde;




    Conteúdos

      Conceituais: - Conhecimento das principais síndromes e aberrações cromossômicas;
         - Percepção da importância do aconselhamento genético nos cuidados da saúde.
         - Conceituação dos termos mais utilizados em ecologia.


      Procedimentais: Construção de glossário com termos de ecologia.

     Atitudinais: - Apreciação da importância e influência da genética para a vida humana.
           - Conscientização da necessidade de se fazer aconselhamento genético.
            - Respeito às limitações dos indivíduos portadores de doenças genéticas.
            - Refletir sobre o impacto do mapeamento genético na ciência e na vida das pessoas.
             - Curiosidade sobre as questões culturais, sociais e religiosas que dificultam o
   progresso da ciência.

    Procedimentos metodológicos: Exposição dialogada do assunto
                Demonstração didática (uso da TV pendrive)

    Sequência didática:
         24/11/10 quarta-feira:
        15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo
        85 min: Continuação da explicação do assunto através de exposição dialógica.

           26/11/10 sexta-feira:
          15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo.
          85 min: Construção de um glossário com termos de ecologia, explanando cada um deles.

    Recursos didáticos: TV pendrive.

    Avaliação: Correção do glossário.

    Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova
     Geração.


    Observações:
    24/11/10 e 26/11/10: A aula transcorreu muito bem, não tive nenhum problema nem quanto a
    execução dos planos nem com o aprendizado e participação dos alunos.


    Anexos:
Glossário de Ecologia


    1. População: conjunto de indivíduos da mesma espécie que convivem em uma mesma área.
    2. Comunidade: conjunto de populações que habita uma mesma área.

    3. Ecossistema: conjunto formado pela comunidade e pelos fatores abióticos (água, ar, solo, luz,
        calor, entre outros).
    4. Fatores bióticos: conjunto dos seres vivos.
    5. Biosfera: conjunto de ecossistemas.
    6. Litosfera: camada rochosa.
    7. Hidrosfera: parte de água líquida.
    8. Atmosfera: camada gasosa.
    9. Ecologia: estudo das relações dos seres vivos entre si e com o ambiente onde vivem.
    10.Habitat: lugar, no ecossistema, onde habitam os organismos de cada população.

    11.Autótrofos: seres capazes de produzir seu próprio alimento a partir de substâncias inorgânicas
        simples.
    12.Heterótrofos: seres que não são capazes de produzir seu próprio alimento.
    13.Decompositores: seres capazes de decompor a matéria orgânica do corpo de organismos mortos.
    14.Rede alimentar: é o conjunto das cadeias alimentares a que um animal participa.
    15.Teia alimentar: é o conjunto de todas as redes alimentares de um ecossistema.


                                        Plano de aula semanal 8
Data: 01/12/10 e 03/12/10

    Tema: Educação ambiental


    Objetivos: - Identificar as principais conseqüências da ação do homem na natureza.
               - Descrever soluções para que os recursos naturais possam ser utilizados de forma
     consciente e sustentável visando à preservação do meio ambiente.


    Conteúdos

      Conceituais: - Conhecimento das principais ações humanas na biosfera;
                   - Identificação das medidas que podem ser utilizadas para a conservação do
       meio ambiente.

      Procedimentais: Construção do Jornal do meio ambiente em grupo.

      Atitudinais: - Respeito à natureza;
                    - Consciência ética sobre a grande necessidade de preservação do meio
       ambiente.

    Procedimentos metodológicos: Elaboração de um jornal.
 Sequência didática:
         01/12/10 quarta-feira:
        15 min: Fazer a chamada e separar a sala em duas equipes de 10 alunos cada para a
        execução da atividade.
        25 min: Serão usados para explicar como será confeccionado o jornal e as temáticas
        sobre o meio ambiente que deverão serão abordadas por cada equipe, eles deverão relatar
        os problemas ambientais de sua comunidade, da sua escola e do mundo, bem como
        apontar soluções para os mesmos. O jornal deverá conter assuntos descontraídos como
        culinária, moda, cruzadinhas relacionadas ao tema, dentre outros.
        60 min: Os alunos iniciaram a construção do jornal.

            03/12/10 sexta-feira:
           15 min: Fazer a chamada.
           85 min: Os alunos deverão apresentar o jornal para a turma e depois farão a exposição do
           mesmo no pátio da escola para as outras turmas.

    Recursos didáticos: Elaboração do jornal.

    Avaliação: Correção do jornal.

    Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova
     Geração.


    Observações:
    01/12/10: Os alunos compreenderam rapidamente o que deveria ser feito e a grande maioria
    participou ativamente na construção do jornal, os que não se empenharam e fizeram de qualquer
    forma tiveram uma nota inferior daqueles que se dedicaram.


    03/12/10: Como o professor dos primeiros horários avisou que não daria aula, os alunos me
    informaram que não viriam para a escola neste dia, conversei com a professora regente e ela disse
    que não haveria necessidade de eu comparecer na escola, visto que não haveria aula. Sendo
    transferida para o dia 08/12/10.




                                        Plano de aula semanal 9
Data: 08/12/10

    Tema: Educação ambiental


    Objetivos: - Identificar as principais conseqüências da ação do homem na natureza.
               - Descrever soluções para que os recursos naturais possam ser utilizados de forma
     consciente e sustentável visando à preservação do meio ambiente.


    Conteúdos

      Conceituais: - Conhecimento das principais ações humanas na biosfera;
                   - Identificação das medidas que podem ser utilizadas para a conservação do
       meio ambiente.

      Procedimentais: Construção do Jornal do meio ambiente em grupo.

      Atitudinais: - Respeito à natureza;
                    - Consciência ética sobre a grande necessidade de preservação do meio
       ambiente.

    Procedimentos metodológicos: Elaboração de um jornal.

    Sequência didática:
         08/12/10 sexta-feira:
15 min: Fazer a chamada.
            85 min: Os alunos deverão apresentar o jornal para a turma e depois farão a exposição do
            mesmo no pátio da escola para as outras turmas.

     Recursos didáticos: Elaboração do jornal.

     Avaliação: Correção do jornal.

     Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova
      Geração.


     Observações:
    08/12/10: Uma equipe se empenhou mais que a outra, apresentando o trabalho da forma que foi
    solicitada, todo impresso e com gravuras e bem contextualizado. A outra equipe fez o trabalho
    escrito e ainda por cima terminaram de fazer no dia da apresentação. Justificaram-se dizendo não
    haver tido tempo para fazer o trabalho. Por isso, tiveram sua nota reduzida.

      Este foi o último dia de aula. E neste dia, um fato curioso aconteceu. No meio da primeira aula, a
professora dos últimos horários entrou na sala e falou: “Ah vocês estão sem aula é?” Sendo que os
alunos estavam dando os ajustes finais nos cartazes, aí quando ela me viu disse:” Ah, agora a aula é da
professora tal (no caso, a regente).” Depois , quando estávamos no meio da segunda aula, a mesma
professora retornou a sala e começou a fazer a chamada solicitando dos alunos o trabalho que ela havia
passado e também começou a dar as notas. Sendo que minha aula ainda não havia terminado e depois da
minha aula haveria intervalo, sendo que a aula dela seria apenas depois do intervalo. Nesta situação
pude sentir que estagiário não tem valor algum para muitos professores, esta ,por exemplo, não teve um
pingo de respeito. Inclusive, até os alunos criticaram a atitude dela na minha aula.




        Anexos:
Planos de aulas  o correto
Planos de aulas  o correto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Planejamento de biologia 2º ano
Planejamento de  biologia 2º anoPlanejamento de  biologia 2º ano
Planejamento de biologia 2º ano
Antonio Carneiro
 
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
João Monteiro
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
Andrea Barreto
 
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
Ronaldo Santana
 
Noções de evolução
Noções de evoluçãoNoções de evolução
Noções de evolução
emanuel
 
Atividade mitose e meiose
Atividade mitose e meioseAtividade mitose e meiose
Atividade mitose e meiose
julianapbicalho
 
Genética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de HereditariedadeGenética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de Hereditariedade
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Plano de aula 1º bimestre biologia - 1º ano matutino - 2022
Plano de aula 1º bimestre   biologia - 1º ano matutino - 2022Plano de aula 1º bimestre   biologia - 1º ano matutino - 2022
Plano de aula 1º bimestre biologia - 1º ano matutino - 2022
dibugiu
 
Evolução das espécies
Evolução das espéciesEvolução das espécies
Evolução das espécies
Edvaldo S. Júnior
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
profatatiana
 
Especiação
EspeciaçãoEspeciação
Especiação
URCA
 
Lista exercícios evolução e origem da vida
Lista exercícios evolução e origem da vidaLista exercícios evolução e origem da vida
Lista exercícios evolução e origem da vida
César Milani
 
Planejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º anoPlanejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º ano
Agenario Silva
 
PLANEJAMENTO ANUAL [BIOLOGIA - 1° ANO - ENSINO MÉDIO EXATAS UNASP SP]
PLANEJAMENTO ANUAL [BIOLOGIA - 1° ANO - ENSINO MÉDIO EXATAS UNASP SP]PLANEJAMENTO ANUAL [BIOLOGIA - 1° ANO - ENSINO MÉDIO EXATAS UNASP SP]
PLANEJAMENTO ANUAL [BIOLOGIA - 1° ANO - ENSINO MÉDIO EXATAS UNASP SP]
Ronaldo Santana
 
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
Luiz Lázaro Leal de Albuquerque
 
atividade-mitose-pdf
atividade-mitose-pdfatividade-mitose-pdf
atividade-mitose-pdf
Marcelo Henderson Salles
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humanaAula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Ronaldo Santana
 
Planejamento de biologia 3º ano professor antonio carlos carneiro barroso
Planejamento de biologia 3º ano professor antonio carlos carneiro barrosoPlanejamento de biologia 3º ano professor antonio carlos carneiro barroso
Planejamento de biologia 3º ano professor antonio carlos carneiro barroso
Antonio Carneiro
 
Aula biologia celular
Aula   biologia celularAula   biologia celular
Aula biologia celular
santhdalcin
 
Exercícios sobre células
Exercícios sobre célulasExercícios sobre células
Exercícios sobre células
MINEDU
 

Mais procurados (20)

Planejamento de biologia 2º ano
Planejamento de  biologia 2º anoPlanejamento de  biologia 2º ano
Planejamento de biologia 2º ano
 
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
Aula 2° Ano EM - O reino dos vegetais (Reino Plantae)
 
Noções de evolução
Noções de evoluçãoNoções de evolução
Noções de evolução
 
Atividade mitose e meiose
Atividade mitose e meioseAtividade mitose e meiose
Atividade mitose e meiose
 
Genética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de HereditariedadeGenética: Noções de Hereditariedade
Genética: Noções de Hereditariedade
 
Plano de aula 1º bimestre biologia - 1º ano matutino - 2022
Plano de aula 1º bimestre   biologia - 1º ano matutino - 2022Plano de aula 1º bimestre   biologia - 1º ano matutino - 2022
Plano de aula 1º bimestre biologia - 1º ano matutino - 2022
 
Evolução das espécies
Evolução das espéciesEvolução das espécies
Evolução das espécies
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
 
Especiação
EspeciaçãoEspeciação
Especiação
 
Lista exercícios evolução e origem da vida
Lista exercícios evolução e origem da vidaLista exercícios evolução e origem da vida
Lista exercícios evolução e origem da vida
 
Planejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º anoPlanejamento de ciências 6º ano
Planejamento de ciências 6º ano
 
PLANEJAMENTO ANUAL [BIOLOGIA - 1° ANO - ENSINO MÉDIO EXATAS UNASP SP]
PLANEJAMENTO ANUAL [BIOLOGIA - 1° ANO - ENSINO MÉDIO EXATAS UNASP SP]PLANEJAMENTO ANUAL [BIOLOGIA - 1° ANO - ENSINO MÉDIO EXATAS UNASP SP]
PLANEJAMENTO ANUAL [BIOLOGIA - 1° ANO - ENSINO MÉDIO EXATAS UNASP SP]
 
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
 
atividade-mitose-pdf
atividade-mitose-pdfatividade-mitose-pdf
atividade-mitose-pdf
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humanaAula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
 
Planejamento de biologia 3º ano professor antonio carlos carneiro barroso
Planejamento de biologia 3º ano professor antonio carlos carneiro barrosoPlanejamento de biologia 3º ano professor antonio carlos carneiro barroso
Planejamento de biologia 3º ano professor antonio carlos carneiro barroso
 
Aula biologia celular
Aula   biologia celularAula   biologia celular
Aula biologia celular
 
Exercícios sobre células
Exercícios sobre célulasExercícios sobre células
Exercícios sobre células
 

Destaque

Exemplo. plano de aula
Exemplo. plano de aulaExemplo. plano de aula
Exemplo. plano de aula
Bárbara Caldeira
 
Planos de aulas esem 1 2014
Planos de aulas   esem 1 2014Planos de aulas   esem 1 2014
Planos de aulas esem 1 2014
Bruna Cavalcante
 
Plano de aula ii lu
Plano de aula ii luPlano de aula ii lu
Plano de aula ii lu
familiaestagio
 
Plano de aula 05
Plano de aula 05Plano de aula 05
Plano de aula 05
familiaestagio
 
Plano de aula 5 sistema circulatório
Plano de aula 5 sistema circulatórioPlano de aula 5 sistema circulatório
Plano de aula 5 sistema circulatório
familiaestagio
 
Planos de biologia 3 ano reinv
Planos de biologia 3 ano reinvPlanos de biologia 3 ano reinv
Planos de biologia 3 ano reinv
Atividades Diversas Cláudia
 
Planos de aulas c.anexos[1]
Planos de aulas c.anexos[1]Planos de aulas c.anexos[1]
Planos de aulas c.anexos[1]
Vinibiologoo
 
Plano de aula 02 sistema circulatório
Plano de aula 02 sistema circulatórioPlano de aula 02 sistema circulatório
Plano de aula 02 sistema circulatório
familiaestagio
 
Livro bio sonia lopes
Livro bio  sonia lopesLivro bio  sonia lopes
Livro bio sonia lopes
familiaestagio
 
Apresentação voleibol
Apresentação voleibol Apresentação voleibol
Apresentação voleibol
Inácio Júnior
 
Plano de aula digestão 3
Plano de aula  digestão 3Plano de aula  digestão 3
Plano de aula digestão 3
familiaestagio
 
Plano de aula 01 sistema digestório
Plano de aula 01 sistema digestórioPlano de aula 01 sistema digestório
Plano de aula 01 sistema digestório
familiaestagio
 
Voleibol na escola
Voleibol na escolaVoleibol na escola
Voleibol na escola
evandrolhp
 
Planos bimestrais 6º ao 9º educação física
Planos bimestrais  6º ao 9º educação físicaPlanos bimestrais  6º ao 9º educação física
Plano de aula UTFPR
Plano de aula UTFPRPlano de aula UTFPR
Plano de aula UTFPR
eddergueddes
 
Avaliação diagnóstica ciencias 9 ano
Avaliação diagnóstica ciencias 9 anoAvaliação diagnóstica ciencias 9 ano
Avaliação diagnóstica ciencias 9 ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Planos de aula 2012 - pdf
Planos de aula   2012 - pdfPlanos de aula   2012 - pdf
Planos de aula 2012 - pdf
qcavalcante
 
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de marçoPlano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
SHEILA MONTEIRO
 

Destaque (18)

Exemplo. plano de aula
Exemplo. plano de aulaExemplo. plano de aula
Exemplo. plano de aula
 
Planos de aulas esem 1 2014
Planos de aulas   esem 1 2014Planos de aulas   esem 1 2014
Planos de aulas esem 1 2014
 
Plano de aula ii lu
Plano de aula ii luPlano de aula ii lu
Plano de aula ii lu
 
Plano de aula 05
Plano de aula 05Plano de aula 05
Plano de aula 05
 
Plano de aula 5 sistema circulatório
Plano de aula 5 sistema circulatórioPlano de aula 5 sistema circulatório
Plano de aula 5 sistema circulatório
 
Planos de biologia 3 ano reinv
Planos de biologia 3 ano reinvPlanos de biologia 3 ano reinv
Planos de biologia 3 ano reinv
 
Planos de aulas c.anexos[1]
Planos de aulas c.anexos[1]Planos de aulas c.anexos[1]
Planos de aulas c.anexos[1]
 
Plano de aula 02 sistema circulatório
Plano de aula 02 sistema circulatórioPlano de aula 02 sistema circulatório
Plano de aula 02 sistema circulatório
 
Livro bio sonia lopes
Livro bio  sonia lopesLivro bio  sonia lopes
Livro bio sonia lopes
 
Apresentação voleibol
Apresentação voleibol Apresentação voleibol
Apresentação voleibol
 
Plano de aula digestão 3
Plano de aula  digestão 3Plano de aula  digestão 3
Plano de aula digestão 3
 
Plano de aula 01 sistema digestório
Plano de aula 01 sistema digestórioPlano de aula 01 sistema digestório
Plano de aula 01 sistema digestório
 
Voleibol na escola
Voleibol na escolaVoleibol na escola
Voleibol na escola
 
Planos bimestrais 6º ao 9º educação física
Planos bimestrais  6º ao 9º educação físicaPlanos bimestrais  6º ao 9º educação física
Planos bimestrais 6º ao 9º educação física
 
Plano de aula UTFPR
Plano de aula UTFPRPlano de aula UTFPR
Plano de aula UTFPR
 
Avaliação diagnóstica ciencias 9 ano
Avaliação diagnóstica ciencias 9 anoAvaliação diagnóstica ciencias 9 ano
Avaliação diagnóstica ciencias 9 ano
 
Planos de aula 2012 - pdf
Planos de aula   2012 - pdfPlanos de aula   2012 - pdf
Planos de aula 2012 - pdf
 
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de marçoPlano de aula 6ª série   7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
Plano de aula 6ª série 7º ano -ensino fundamental 1ª semana de março
 

Semelhante a Planos de aulas o correto

Plano de aula 04
Plano de aula 04Plano de aula 04
Plano de aula 04
Carlos Souza
 
5 plano semanal rondinelle
5   plano semanal rondinelle5   plano semanal rondinelle
5 plano semanal rondinelle
familiaestagio
 
1º plano semanal rondinelle
1º  plano semanal rondinelle1º  plano semanal rondinelle
1º plano semanal rondinelle
familiaestagio
 
Plano de itihane ix
Plano de itihane ixPlano de itihane ix
Plano de itihane ix
itihane
 
Plano de itihane ix
Plano de itihane ixPlano de itihane ix
Plano de itihane ix
itihane
 
Estágio supervisionado ii
Estágio supervisionado iiEstágio supervisionado ii
Estágio supervisionado ii
familiaestagio
 
Plano de aula 04 - Lorena Sá
Plano de aula 04  - Lorena SáPlano de aula 04  - Lorena Sá
Plano de aula 04 - Lorena Sá
Lorenabiologia
 
Planos de aula juntos
Planos de aula juntosPlanos de aula juntos
Planos de aula juntos
itihane
 
Plano i luciana
Plano i  lucianaPlano i  luciana
Plano i luciana
familiaestagio
 
Plano de aula 05
Plano de aula 05Plano de aula 05
Plano de aula 05
Carlos Souza
 
Plano de aula 01 - Lorena Sá
Plano de aula 01 -  Lorena Sá Plano de aula 01 -  Lorena Sá
Plano de aula 01 - Lorena Sá
Lorenabiologia
 
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula II
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula IIEstágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula II
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula II
Cássio Cunha Dourado
 
4 plano semanal rondinelle
4   plano semanal rondinelle4   plano semanal rondinelle
4 plano semanal rondinelle
familiaestagio
 
Plano de aula_07[1]
Plano de aula_07[1]Plano de aula_07[1]
Plano de aula_07[1]
familiaestagio
 
Plano de aula_03_maria_tereza
Plano de aula_03_maria_terezaPlano de aula_03_maria_tereza
Plano de aula_03_maria_tereza
familiaestagio
 
Plano de aula i
Plano de aula iPlano de aula i
Plano de aula i
itihane
 
Plano 10 helen
Plano 10 helenPlano 10 helen
Plano 10 helen
Helenrsr
 
Plano 10 helen
Plano 10 helenPlano 10 helen
Plano 10 helen
Helenrsr
 
Plano 10 helen
Plano 10 helenPlano 10 helen
Plano 10 helen
Helenrsr
 
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula VI
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula VIEstágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula VI
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula VI
Cássio Cunha Dourado
 

Semelhante a Planos de aulas o correto (20)

Plano de aula 04
Plano de aula 04Plano de aula 04
Plano de aula 04
 
5 plano semanal rondinelle
5   plano semanal rondinelle5   plano semanal rondinelle
5 plano semanal rondinelle
 
1º plano semanal rondinelle
1º  plano semanal rondinelle1º  plano semanal rondinelle
1º plano semanal rondinelle
 
Plano de itihane ix
Plano de itihane ixPlano de itihane ix
Plano de itihane ix
 
Plano de itihane ix
Plano de itihane ixPlano de itihane ix
Plano de itihane ix
 
Estágio supervisionado ii
Estágio supervisionado iiEstágio supervisionado ii
Estágio supervisionado ii
 
Plano de aula 04 - Lorena Sá
Plano de aula 04  - Lorena SáPlano de aula 04  - Lorena Sá
Plano de aula 04 - Lorena Sá
 
Planos de aula juntos
Planos de aula juntosPlanos de aula juntos
Planos de aula juntos
 
Plano i luciana
Plano i  lucianaPlano i  luciana
Plano i luciana
 
Plano de aula 05
Plano de aula 05Plano de aula 05
Plano de aula 05
 
Plano de aula 01 - Lorena Sá
Plano de aula 01 -  Lorena Sá Plano de aula 01 -  Lorena Sá
Plano de aula 01 - Lorena Sá
 
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula II
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula IIEstágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula II
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula II
 
4 plano semanal rondinelle
4   plano semanal rondinelle4   plano semanal rondinelle
4 plano semanal rondinelle
 
Plano de aula_07[1]
Plano de aula_07[1]Plano de aula_07[1]
Plano de aula_07[1]
 
Plano de aula_03_maria_tereza
Plano de aula_03_maria_terezaPlano de aula_03_maria_tereza
Plano de aula_03_maria_tereza
 
Plano de aula i
Plano de aula iPlano de aula i
Plano de aula i
 
Plano 10 helen
Plano 10 helenPlano 10 helen
Plano 10 helen
 
Plano 10 helen
Plano 10 helenPlano 10 helen
Plano 10 helen
 
Plano 10 helen
Plano 10 helenPlano 10 helen
Plano 10 helen
 
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula VI
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula VIEstágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula VI
Estágio Supervisionado II Cássio Cunha: Plano de aula VI
 

Mais de familiaestagio

Portfólio ulisses
Portfólio   ulissesPortfólio   ulisses
Portfólio ulisses
familiaestagio
 
Portfólio daniel
Portfólio   danielPortfólio   daniel
Portfólio daniel
familiaestagio
 
Plano de aula 04
Plano de aula 04Plano de aula 04
Plano de aula 04
familiaestagio
 
Plano de aula 04
Plano de aula 04Plano de aula 04
Plano de aula 04
familiaestagio
 
Plano de aula_03[1]
Plano de aula_03[1]Plano de aula_03[1]
Plano de aula_03[1]
familiaestagio
 
Plano de aula 02
Plano de aula 02Plano de aula 02
Plano de aula 02
familiaestagio
 
Plano de aula 01
Plano de aula 01Plano de aula 01
Plano de aula 01
familiaestagio
 
Cronograma cetep iv unidade
Cronograma  cetep iv unidadeCronograma  cetep iv unidade
Cronograma cetep iv unidade
familiaestagio
 
Cronograma cetep iv unidade
Cronograma  cetep iv unidadeCronograma  cetep iv unidade
Cronograma cetep iv unidade
familiaestagio
 
Cronograma
CronogramaCronograma
Cronograma
familiaestagio
 
Planos de unidade corrigido
Planos de unidade corrigidoPlanos de unidade corrigido
Planos de unidade corrigido
familiaestagio
 
Plano de unidade adriana fernanades e deiseane meireles
Plano de unidade adriana fernanades e deiseane meirelesPlano de unidade adriana fernanades e deiseane meireles
Plano de unidade adriana fernanades e deiseane meireles
familiaestagio
 
Plano de aula adriana fernandes viii
Plano de aula adriana fernandes viiiPlano de aula adriana fernandes viii
Plano de aula adriana fernandes viii
familiaestagio
 
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
familiaestagio
 
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
familiaestagio
 
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
familiaestagio
 
Plano de aula adriana fernandes v (teste)
Plano de aula adriana fernandes v (teste)Plano de aula adriana fernandes v (teste)
Plano de aula adriana fernandes v (teste)
familiaestagio
 
Plano aula adriana fernandes iv
Plano aula adriana fernandes ivPlano aula adriana fernandes iv
Plano aula adriana fernandes iv
familiaestagio
 
Plano de aula adriana fernandes iii
Plano de aula adriana fernandes iiiPlano de aula adriana fernandes iii
Plano de aula adriana fernandes iii
familiaestagio
 
Plano de aula adriana fernandes ii
Plano de aula adriana fernandes iiPlano de aula adriana fernandes ii
Plano de aula adriana fernandes ii
familiaestagio
 

Mais de familiaestagio (20)

Portfólio ulisses
Portfólio   ulissesPortfólio   ulisses
Portfólio ulisses
 
Portfólio daniel
Portfólio   danielPortfólio   daniel
Portfólio daniel
 
Plano de aula 04
Plano de aula 04Plano de aula 04
Plano de aula 04
 
Plano de aula 04
Plano de aula 04Plano de aula 04
Plano de aula 04
 
Plano de aula_03[1]
Plano de aula_03[1]Plano de aula_03[1]
Plano de aula_03[1]
 
Plano de aula 02
Plano de aula 02Plano de aula 02
Plano de aula 02
 
Plano de aula 01
Plano de aula 01Plano de aula 01
Plano de aula 01
 
Cronograma cetep iv unidade
Cronograma  cetep iv unidadeCronograma  cetep iv unidade
Cronograma cetep iv unidade
 
Cronograma cetep iv unidade
Cronograma  cetep iv unidadeCronograma  cetep iv unidade
Cronograma cetep iv unidade
 
Cronograma
CronogramaCronograma
Cronograma
 
Planos de unidade corrigido
Planos de unidade corrigidoPlanos de unidade corrigido
Planos de unidade corrigido
 
Plano de unidade adriana fernanades e deiseane meireles
Plano de unidade adriana fernanades e deiseane meirelesPlano de unidade adriana fernanades e deiseane meireles
Plano de unidade adriana fernanades e deiseane meireles
 
Plano de aula adriana fernandes viii
Plano de aula adriana fernandes viiiPlano de aula adriana fernandes viii
Plano de aula adriana fernandes viii
 
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
 
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
Plano de aula adriana fernandes vii (prova)
 
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
 
Plano de aula adriana fernandes v (teste)
Plano de aula adriana fernandes v (teste)Plano de aula adriana fernandes v (teste)
Plano de aula adriana fernandes v (teste)
 
Plano aula adriana fernandes iv
Plano aula adriana fernandes ivPlano aula adriana fernandes iv
Plano aula adriana fernandes iv
 
Plano de aula adriana fernandes iii
Plano de aula adriana fernandes iiiPlano de aula adriana fernandes iii
Plano de aula adriana fernandes iii
 
Plano de aula adriana fernandes ii
Plano de aula adriana fernandes iiPlano de aula adriana fernandes ii
Plano de aula adriana fernandes ii
 

Planos de aulas o correto

  • 1. Colégio Estadual de Alagoinhas Regente: Liciana Palmeira Estagiária: Eula Paula R. dos Santos Série: 3º Eixo: VII Turma: V1 Data:13/10/10 e 15/10/10 Plano de aula semanal 1  Tema: Genética  Sub-temas: -1ª Lei de Mendel -Conceitos de genética -Transmissão das características hereditárias  Objetivos: - Conhecer os experimentos realizados por Mendel e sua importância para a genética; - Identificar como são transmitidas as características hereditárias; - Definir cromossomos sexuais e como eles determinam o sexo dos bebês.  Conteúdos  Conceituais: - Conhecimento da importância da genética para a humanidade; - Identificação da forma de transmissão das características hereditárias; - Conceituação dos termos mais utilizados em genética.  Procedimentais: - Construção de um glossário contendo os termos mais comuns em genética.  Atitudinais: - Apreciação da importância e influência da genética para a vida humana e os benefícios adquiridos pelo conhecimento mais aprofundado de pesquisadores que buscam a melhoria da qualidade de vida das pessoas.  Procedimentos metodológicos: - Exposição dialogada do assunto. - Demonstração didática (uso do quadro).  Sequência didática:  13/10/10 quarta-feira: - 20min: Tempo programado para me apresentar à turma e conhecer os alunos. Solicitar de cada um à exposição das dificuldades apresentadas no aprendizado de Biologia. Sondar a existência de um conhecimento prévio quanto à temática abordada. - 20 min: Fazer uma rápida apresentação dos tópicos abordados e a metodologia que será utilizada. Abordar a forma como será avaliado o aprendizado da turma, além das atividades que serão cobradas. - 60 min: Aula expositiva dialógica abordando às grandes contribuições dadas por Mendel para o surgimento da genética, a transmissão das características hereditárias e os cromossomos sexuais. Haverá perguntas de mediação como: Você sabe o que é genética? Porque será que existem pessoas que não se parecem com seus pais? Você já ouviu falar de Mendel? Já ouviu falar sobre o Projeto Genoma? Sabe o que isso significa? Saberia dizer a importância dessas pesquisas para a humanidade?  15/10/10 sexta-feira: - 10min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semi-círculo. - 70 min: Aula expositiva dando continuidade ao assunto anterior e definindo termos como: genética, genes, cromossomos homólogos, genes alelos, dentre outros. - 20 min: Aplicar um questionário sobre o assunto que será cobrado e corrigido na próxima aula.  Recursos didáticos: Livro didático e lousa.
  • 2.  Avaliação: Serão avaliados conforme ao conhecimento prévio do assunto e dificuldade apresentada durante o aprendizado.  Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova Geração.  Observações: 13/10/10: Houve grande participação dos alunos, fazendo muitas perguntas, expondo curiosidades e assuntos do dia-a-dia, relacionando-os com a temática abordada. Tive um pouco de dificuldade para cumprir o plano de aula devido à grande participação dos mesmos. 15/10/10: Não houve aula devido ao feriado do dia dos professores, sendo transferida para o dia 20/10/10.  Anexos Plano de aula semanal 2 Data: 20/10/10 e 22/10/10  Tema: Genética  Sub-temas: -1ª Lei de Mendel; -Conceitos de genética; -Transmissão das características hereditárias; - Os cromossomos sexuais.  Objetivos: - Conhecer os experimentos realizados por Mendel e sua importância para a genética; - Identificar como são transmitidas as características hereditárias; - Definir cromossomos sexuais e como eles determinam o sexo dos bebês.  Conteúdos  Conceituais: - Conhecimento da importância da genética para a humanidade; - Identificação da forma de transmissão das características hereditárias; - Conceituação dos termos mais utilizados em genética.  Procedimentais: - Resolução de questionário sobre o assunto; - Construção de um glossário contendo os termos mais comuns em genética.  Atitudinais: - Conscientização da influência da genética no seu dia-a-dia e os benefícios adquiridos através do seu conhecimento.  Procedimentos metodológicos: - Exposição dialogada do assunto. - Demonstração didática ( uso do quadro )  Sequência didática:  20/10/10 quarta-feira: - 10min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semi-círculo. - 70 min: Aula expositiva dando continuidade ao assunto anterior e definindo termos como: genética, genes, cromossomos homólogos, genes alelos, dentre outros. - 20 min: Aplicar um questionário sobre o assunto que será cobrado e corrigido na próxima aula.  22/10/10 sexta-feira: - 10 min: Organizar os alunos em semicírculo e fazer a chamada. - 40 min: Rápida revisão das aulas anteriores. 50 min: Correção do questionário com a participação dos mesmos.  Recursos didáticos: Livro didático e lousa.  Avaliação: Correção do questionário.
  • 3.  Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova Geração.  Observações: 20/10/10: Tentei utilizar a TV pendrive, mas, apesar de ter salvado os slides no formato jpeg, não conseguir visualizá-los, o que me obrigou a utilizar apenas o quadro. No geral, a aula transcorreu muito bem, com grande participação dos alunos. Porém, muitos faltaram nesse dia, por isso, em vez de aplicar um questionário, dividi a sala em 5 duplas e pedi para que cada um desse o fenótipo completo do seu par. Os alunos adoraram a atividade e pude perceber que houve uma maior fixação e aprendizado pelos mesmos. 22/10/10: Devido à pequena quantidade de alunos presentes na aula anterior, tive que fazer uma revisão da aula anterior.  Anexos: Os slides que deveriam ser utilizados na aula e não foram.
  • 4.
  • 5. Glossário de genética 1. Gene: denominação dada ao segmento de DNA situado em uma posição específica do cromossomo, que é responsável pela expressão do caráter. 2. Genética: ciência que estuda a hereditariedade e a variação. 3. Genótipo: constituição genética de um indivíduo. 4. Alelos: formas alternativas do gene responsáveis pelos diferentes fenótipos do caráter situadas no mesmo loco, em cromossomos homólogos. 5. Fenótipo: as diferentes expressões de um dado caráter. 6. Recessivo: denominação dada ao alelo que só se expressa em homozigose. 7. Alelo Dominante: alelo que se expressa produzindo seu fenótipo tanto em homozigose quanto em heterozigose. 8. Mendel: comsiderado o pai da genética. 9. Homólogos: cromossomos morfologicamente iguais e portadores dos mesmos genes. 10. Heterozigóticos: indivíduos que possuem alelos diferentes. 11. Homozigóticos: indivíduos que possuem alelos idênticos. 12. Cromossomo: estrutura nucleoprotéica situada no núcleo e observada durante as divisões celulares. 13. Características hereditárias: transmitidas de pais para filhos. 14. Cromossomos sexuais: determinam o sexo de uma pessoa. Plano de aula semanal 3 Data:27/10/10 e 29/10/10  Tema: Genética  Sub-temas: -Conceitos de genética -Introdução à engenharia genética  Objetivos: - Conhecer os termos mais utilizados em genética; - Identificar a importância e influência da genética no nosso dia-a-dia.  Conteúdos  Conceituais: - Conceituação dos termos mais utilizados em genética; - Conhecimento da influência da genética para a humanidade, seus benefícios e malefícios. .  Procedimentais: - Participação em um jogo realizado em equipe sobre conceitos de genética; - Discussão sobre o filme Gattaca.  Atitudinais: - Fixação dos conceitos genéticos e conhecimento da influência da genética no seu dia-a-dia com os seus benefícios e malefícios.  Procedimentos metodológicos: - Jogo didático; - Demonstração didática (uso da TV e DVD); - Filme Gattaca.  Sequência didática:  27/10/10 quarta-feira:
  • 6. - 10min: Fazer a chamada e dividir a sala em 5 grupos. - 15 min: Sendo usados para explicar o jogo e o seu objetivo. - 60 min: Execução do jogo. O jogo se parece com um dominó contendo 28 pedras, divididas em 14 pedras com perguntas e 14 com respostas. Os alunos deverão montá-las corretamente e a equipe vencedora será aquela que montar corretamente e em menor tempo. - 15 min: Pequena revisão do jogo que conterá apenas os termos mais utilizados em genética.  29/10/10 sexta-feira: - 10 min: Organizar os alunos em semicírculo e fazer a chamada. - 90 min: Exibição do filme Gattaca.  Recursos didáticos: TV e DVD.  Avaliação: - Correção do jogo pedagógico; - Discussão sobre o filme na próxima aula.  Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova Geração.  Observações: 27/10/10: Os alunos gostaram bastante do jogo, muitos tiveram um excelente desempenho, todos participaram da atividade. A aula transcorreu bem tranquila, não tive nenhuma dificuldade na execução do plano de aula. 29/10/10: Não houve aula nesse dia, sendo transferida para o dia 03/11/10.  Anexos: JOGO PEDAGÓGICO A Genética é uma ciência que envolve vários conceitos. Essencialmente no ensino médio é importante que alguns desses fundamentos de Genética sejam bem fixados. Para tornar o processo de fixação desses conceitos mais efetivo e dinâmico, é importante utilizar-se de ferramentas que facilitem o aprendizado. Uma das ferramentas é procurar passar o conhecimento por meio de alguma estratégia em que o aluno sinta prazer em realizá-la. Esse tipo de estratégia tem sido proposta em algumas ciências no Brasil, entre elas a Genética (Pavan, O.H.O 2000). O jogo que está sendo proposto é semelhante a um dominó, exceto que as “pedras”, ao invés de terem números, contêm perguntas de um lado e respostas, do outro; vale ressaltar que, em cada pedra, pergunta e resposta não são correspondentes. Nesta proposta, o dominó possuirá 28 pedras, sendo que em 14destas, como já mencionado, deverão conter perguntas e, nas outras, respostas. Sugere-se que cada pedra do dominó seja de tábuas de madeira em tamanho de 4cm de largura x 11cm de comprimento, com uma rachadura no centro, de modo a separar a resposta da pergunta, porém as pedras poderão ser confeccionadas de acordo com o material disponível e a facilidade encontrada na instituição. O jogo chegará ao fim quando todas as pedras do dominó forem encaixadas de modo correto, sendo vencedor o grupo de alunos que completar o jogo em menor tempo. - Perguntas: 1. Gene: denominação dada ao segmento de DNA situado em uma posição específica do cromossomo, que é responsável pela expressão do caráter. 2. Genética: ciência que estuda a hereditariedade e a variação. 3. Genótipo: constituição genética de um indivíduo. 4. Alelos: formas alternativas do gene responsáveis pelos diferentes fenótipos do caráter situadas no mesmo loco, em cromossomos homólogos. 5. Fenótipo: as diferentes expressões de um dado caráter. 6. Recessivo: denominação dada ao alelo que só se expressa em homozigose. 7. Alelo Dominante: alelo que se expressa produzindo seu fenótipo tanto em homozigose quanto em heterozigose. 8. Mendel: comsiderado o pai da genética. 9. Homólogos: cromossomos morfologicamente iguais e portadores dos mesmos genes. 10. Heterozigóticos: indivíduos que possuem alelos diferentes. 11. Homozigóticos: indivíduos que possuem alelos idênticos. 12. Cromossomo: estrutura nucleoprotéica situada no núcleo e observada durante as divisões celulares. 13. Características hereditárias: transmitidas de pais para filhos. 14. Cromossomos sexuais: determinam o sexo de uma pessoa.
  • 7. Sinopse: GATTACA- A experiência genética Sendo um dos últimos seres “naturais” nascido em um mundo geneticamente concebido, Vincent Freeman (Ethan Hawke) não possui nenhum DNA planejado que vai lhe garantir o sucesso. Desesperado para realizar o seu sonho de explorar o espaço, Vincent resolve assumir a identidade de um atleta considerado geneticamente superior (Jude Law). Para evitar de ser descoberto, Vincent se torna um dos experts da Estação Espacial Gattaca, chamando a atenção de uma atraente colega de trabalho (Uma Thurman). Mas, quando um diretor de vôo é brutalmente assassinado, uma pista deixada na cena do crime ameaça acabar com os planos de Vincent. Plano de aula semanal 4 Data: 03/11/10 e 05/11/10  Tema: Genética  Sub-temas: - Engenharia genética - Polialelia  Objetivos: - Caracterizar a engenharia genética como uma ciência presente no nosso cotidiano; - Identificar a importância e influência da genética no nosso dia-a-dia.  Conteúdos  Conceituais: - Conhecimento da influência da genética para a humanidade, seus benefícios e malefícios;  Procedimentais: - Discussão sobre o filme Gattaca.  Atitudinais: - Fixação dos conceitos genéticos e conhecimento da influência da genética no seu dia-a-dia com os seus benefícios e malefícios. Procedimentos metodológicos:- Demonstração didática (uso da TV e DVD);  Sequência didática:  03/11/10 quarta-feira: 10 min: Organizar os alunos em semicírculo e fazer a chamada. 90 min: Exibição do filme Gattaca.  05/11/10 sexta-feira: 15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo 30 min: Discussão do filme Gattaca 60min: Exposição dialogada sobre Engenharia genética, abordando sobre clonagem, transgênicos, dentre outros. Haverá perguntas de mediação, como: Você sabe o que é Engenharia genética? Imagina como ela pode afetar sua vida de alguma forma? Já ouviram falar sobre os transgênicos? E tem alguma opinião formada sobre eles? Acham mesmo que o homem conseguirá clonar o ser humano? Como vocês avaliam o avanço da ciência?  Recursos didáticos: TV e DVD.  Avaliação: Discussão sobre o filme Gattaca.
  • 8.  Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova Geração.  Observações: 03/11/10: Os alunos prestaram muita atenção no filme, apesar de acharem o filme entediante e não compreenderem a linguagem muito rebuscada e científica do mesmo. Pretendia com este filme solicitar dos mesmos um relatório, porém, devido à dificuldade de compreensão não pude executar essa atividade. 05/11/10: Não houve aula devido à greve do transporte escolar rural. Portanto, a aula foi transferida para o dia 10/11/10.  Anexos: Sinopse: GATTACA- A experiência genética Sendo um dos últimos seres “naturais” nascido em um mundo geneticamente concebido, Vincent Freeman (Ethan Hawke) não possui nenhum DNA planejado que vai lhe garantir o sucesso. Desesperado para realizar o seu sonho de explorar o espaço, Vincent resolve assumir a identidade de um atleta considerado geneticamente superior (Jude Law). Para evitar de ser descoberto, Vincent se torna um dos experts da Estação Espacial Gattaca, chamando a atenção de uma atraente colega de trabalho (Uma Thurman). Mas, quando um diretor de vôo é brutalmente assassinado, uma pista deixada na cena do crime ameaça acabar com os planos de Vincent. Plano de aula semanal 5 Data:10/11/10 e 12/11/10  Tema: Genética  Sub-temas: - Engenharia genética - Sistema ABO - Fator Rh  Objetivos: - Caracterizar a engenharia genética como uma ciência presente no nosso cotidiano; - Descrever o mecanismo de clonagem de moléculas e células; - Identificar as principais síndromes e aberrações cromossômicas; - Reconhecer o papel do aconselhamento genético nos cuidados da saúde; - Identificação genética dos grupos sanguíneos; - Perceber a teoria de alelos múltiplos associada ao sistema ABO.  Conteúdos  Conceituais: - Conhecimento da influência da genética para a humanidade, seus benefícios e malefícios; - Descrição do mecanismo de clonagem; - Identificação dos grupos sanguíneos; - Conhecimento das principais síndromes e aberrações cromossômicas; - Percepção da importância do aconselhamento genético nos cuidados da saúde.  Procedimentais: Pesquisa sobre eritroblastose fetal, daltonismo e hemofilia  Atitudinais: - Apreciação da importância e influência da genética para a vida humana. -Conscientização da necessidade de se fazer aconselhamento genético. - Respeito às limitações dos indivíduos portadores de doenças genéticas. -Refletir sobre o impacto do mapeamento genético na ciência e na vida das pessoas. - Curiosidade sobre as questões culturais, sociais e religiosas que dificultam o progresso da ciência.
  • 9.  Procedimentos metodológicos: Exposição dialogada do assunto Demonstração didática (uso da TV pendrive)  Sequência didática:  10/11/10 quarta-feira: 15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo 30 min: Discussão do filme Gattaca 60min: Exposição dialogada sobre Engenharia genética, abordando sobre clonagem, transgênicos, dentre outros. Haverá perguntas de mediação, como: Você sabe o que é Engenharia genética? Imagina como ela pode afetar sua vida de alguma forma? Já ouviram falar sobre os transgênicos? E tem alguma opinião formada sobre eles? Acham mesmo que o homem conseguirá clonar o ser humano? Como vocês avaliam o avanço da ciência?  12/11/10 sexta-feira: 15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo. 85min: Continuar a exposição dialogada sobre engenharia genética e abordar também sistema ABO e fator Rh. Solicitar dos alunos uma pesquisa sobre eritroblastose fetal, daltonismo e hemofilia  Recursos didáticos: TV pendrive.  Avaliação: Correção da pesquisa sobre eritroblastose fetal, daltonismo e hemofilia.  Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova Geração.  Observações: 10/11/10: A aula foi bastante produtiva, com grande participação dos alunos contextualizando a temática abordada com suas vivências. Porém, tive problemas com a TV pendrive, não sendo possível continuar a visualização dos slides. Visto que o único controle da escola que estava funcionando e que estava sendo usado por mim foi solicitado por outra professora com a promessa de devolver, porém, a aula terminou e o controle não apareceu, o que prejudicou bastante o cumprimento do plano de aula. 12/11/10: Tive que dar continuidade ao assunto da aula anterior. E, como sempre, transcorreu muito bem quanto à atenção e participação dos alunos.  Anexos:
  • 10.
  • 11.
  • 12. Plano de aula semanal 6 Data: 17/11/10 e 19/11/10  Tema: Genética  Sub-temas: - Engenharia genética - Sistema ABO - Fator Rh  Objetivos: - Caracterizar a engenharia genética como uma ciência presente no nosso cotidiano; - Descrever o mecanismo de clonagem de moléculas e células; - Identificar as principais síndromes e aberrações cromossômicas; - Reconhecer o papel do aconselhamento genético nos cuidados da saúde; - Identificação genética dos grupos sanguíneos; - Verificar a teoria de alelos múltiplos associada ao sistema ABO.  Conteúdos  Conceituais: - Conhecimento da influência da genética para a humanidade, seus benefícios e malefícios; - Descrição do mecanismo de clonagem; - Identificação dos grupos sanguíneos; - Conhecimento das principais síndromes e aberrações cromossômicas; - Percepção da importância do aconselhamento genético nos cuidados da saúde.  Procedimentais: Resolução de estudo dirigido em equipe.  Atitudinais: - Apreciação da importância e influência da genética para a vida humana. - Conscientização da necessidade de se fazer aconselhamento genético. - Respeito às limitações dos indivíduos portadores de doenças genéticas. - Refletir sobre o impacto do mapeamento genético na ciência e na vida das pessoas. - Curiosidade sobre as questões culturais, sociais e religiosas que dificultam o progresso da ciência.  Procedimentos metodológicos: Exposição dialogada do assunto Demonstração didática (uso da TV pendrive)  Sequência didática:  17/11/10 quarta-feira: 15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo 85 min: Exposição dialogada do assunto.  19/11/10 sexta-feira: 15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo. 20 min: Explicação da atividade que será feita em grupo: um estudo dirigido sobre o assunto abordado 65 min: Aplicação da atividade.  Recursos didáticos: TV pendrive.  Avaliação: Correção do estudo dirigido.  Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova Geração.  Observações:
  • 13. 17/11/10: A aula como sempre foi bem tranquila, os alunos não apresentaram nenhuma dificuldade quanto ao aprendizado do assunto, nem eu tive problemas quanto à execução do plano de aula. 19/11/10: Todos os alunos presentes na aula fizeram o estudo dirigido. As dúvidas que surgiam relativas à atividade eram tiradas imediatamente.  Anexos: ESTUDO DIRIGIDO Disciplina: Biologia Assunto: Genética Profª: Eula Paula O tema Polialelia e grupos sanguíneos, desenvolvido no texto em anexo, serão estudados por vocês, através da técnica de “Estudo dirigido”. Ao final deste trabalho vocês serão capazes de: - Definir polialelia; - Identificar os diferentes grupos sanguíneos; - Distinguir aglutinogênio A de aglutinogênio B; - Saber como é feito o teste para determinar o grupo sanguíneo feito em hospitais; - Descrever quais as condições em que ocorre a eritroblastose fetal; - Conhecer os efeitos de acidentes nas transfusões de sangue. Para alcançar os objetivos acima, siga as instruções: 1 a Parte: 40min. Trabalho individual 1. Leia todo o texto, tomando nota das partes que julgar interessante. 2. Sublinhe as palavras novas e busque significado para as mesmas. 3.Em caso de dúvidas, chame o professor discretamente. ' 4.Trabalhe em silencio. 28 Parte: 40min. Trabalho em grupo Com base no texto, responda as questões abaixo: 1. Defina polialelia. 2. Como é feito o teste para determinar o grupo sanguíneo de uma pessoa? 3. Neste estudo qual a definição de soro? 4. O que ocorre quando se mistura o soro com a gota de sangue? 5. Identifique os diferentes grupos sanguíneos. 6. Qual diferença há entre aglutinogênio A de aglutinogênio B? 7. O que pode ocorrer se o sangue de um indivíduo do grupo A for doado a um indivíduo do grupo B?' 8.No teste para determinar o grupo sanguíneo, quando é que pode se afirmar que o sangue é do tipo A, do tipo B, do tipo AB e do tipo O? 9.Pessoas de que grupo sanguíneo são consideradas doadoras universais? Por quê? 10.Quem são as pessoas consideradas receptoras universais? Explique. 11.Com análise dos grupos sanguíneos é possível esclarecer casos de paternidade duvidosa ou de troca de bebês em maternidade? Como? 12.Com que tipo de teste é possível se provar 'com mais segurança a paternidade de uma criança? 13.Quando foi proposto o sistema ABO e por quem foi proposto? Que análise vocês fazem desse sistema? . 14. De acordo com o texto em que situação é possível ocorrer a eritroblastose? 15. Como essa doença é também conhecida? 16. Como se desenvolve a doença? 17.Como a eritroblastose pode ser evitada? 18.Ainda falando em eritroblastose, em uma primeira gestação a criança pode nascer com segurança? Como.isso pode ocorrer? 19 .O que pode ocorrer após uma segunda gestação, onde a mãe é Rh- e a criança é Rh+? 20. O que pode ocorrer nos casos mais graves da doença?
  • 14. "O sentimento de culpa algema o espírito e quanto mais esses evoluem mais sofrimentos lhes causa. Enquanto não sobrevier uma sentença de absolvição seremos réus diante de nós mesmos, pois o tribunal divino funciona na própria consciência de cada um." Salvador Gentille BOA SORTE! Polialelia e grupos sanguíneos Os caracteres genéticos até agora são controlados por dois alelos. Por exemplo, no albinismo um gene (A), determina pele normal e o seu alelo (a), determina a anomalia. Na pelagem das cobaias, um gene (L), determina pêlo arrepiado e seu alelo (1), determina pêlo liso. Nas ervilhas, R determina sementes com superfície lisa e R com superfície rugosa, etc .. No entanto, determinado gene pode sofrer ao longo do tempo diversas mutações e originar diversos genes alelos. Assim um gene original (A), pode sofrer duas, três ou mais mutações diferentes e originar- uma série de múltiplos alelos que. controlam o mesmo caráter. Esse fenômeno é chamado de polialelia. TESTE PARA DETERMINAR O GRUPO SANGUÍNEO " , É o teste para saber a que grupo' sanguíneo uma pessoa pertence, feito nos hospitais e clínicas por profissionais de saúde, onde duas gotas de sangue são colocadas, cada uma- delas em uma extremidade de uma lâmina de microscopia e adiciona-se a uma gota soro c.9m aglutinina anti – A e a outra soro com aglutinina anti - B (o soro é a parte líquida do sangue, obtida após a coagulação). Misturando o soro com a gota de sangue pode-se ver quando há aglutinação das hemácias do sangue que está sendo analisado. Se elas tiverem os dois aglutinogênios (sangue AB), a aglutinação ocorrera nas duas extremidades da lâmina, ou seja, onde houver soro anti - A (portador de aglutinina anti - A) e soro anti - B (portador de aglutinina anti - B). Se nas hemácias houver apenas aglutinogênio A ocorrera aglutinação no soro .anti - A. Se apresentarem aglutinogênio B ocorrerá aglutinação _no soro anti - B. Se não houver aglutinação em nenhuma das extremidades da lâmina, as hemácias não. possuem aglutinogênios e o sangue é do tipo O. ACIDENDES NAS TRANSFUSÕES Se o sangue de um indivíduo do grupo A for doado a um indivíduo do grupo B, as hemácias A do doador serão aglutinadas pelas aglutininas anti - A do plasma do receptor. Os aglomerados de hemácias obstruem pequenos vasos sanguíneos e causam problemas circulatórios. Algum tempo depois, essas hemácias são destruídas por, glóbulos brancos e liberam a hemoglobina e outros produtos no plasma. Com isso, pode ocorrer desde uma . pequena reação alérgica até lesões renais graves (causadas pelos produtos liberados) e morte. O mesmo ocorre se um indivíduo do grupo B doar sangue a um indivíduo.do grupo A. ' Teoricamente, em pequenas transfusões (até meio litro mais ou menos), as aglutininas do doador se diluem muito no volume total de sangue.do receptor.: e sua concentração não deveria causar aglutinação. O problema maior seria a aglutinação das hemácias do doador pelo plasma do receptor. Como o grupo O não têm aglutinogênio nas hemácias, pequenas quantidades desse tipo de sangue poderiam teoricamente ser doadas a qualquer receptor. Por isso pessoas do grupo O são chamadas de doadores universais. De modo semelhante, teoricamente, pessoas do grupo AB, por não terem aglutininas, aceitariam pequenas transfusões de.qualquer tipo de sangue, sendo chamadas de receptores universais. GRUPOS SANGUÍNEOS E EXCLUSÃO DE PATERNIDADE Com análise dos grupos sanguíneos é possível esclarecer casos de paternidade duvidosa.ou de troca de bebês em maternidade. Dependendo das circunstâncias é possível provar que determinado indivíduo não pode ser o pai de uma criança. Entretanto, apenas pelos grupos sanguíneos do sistema ABO nunca se pode provar que um homem é, de fato pai de uma criança, mesmo que seja.
  • 15. Para exemplificar, considerem o seguinte caso: se um homem e uma mulher são do grupo 0, jamais poderiam ter um filho dos grupos A, B e AB, mas se a criança for do grupo O não se prova que aquele homem é o pai, pois qualquer outro indivíduo do grupo O e mesmo do grupo A ou B híbrido poderia ser o pai. ' Atualmente com o teste de DNA, a paternidade pode ser esclarecida com altíssimo grau de certeza. SISTEMA ABO Sistema proposto em 1900, pelo' austríaco Landsteiner, onde ele classificou o grupo sanguíneo segundo a polialelia do sistema ABO considerando a relação entre os pares dos alelos: IA, IB e i, em quatro grupos: grupo A, grupo B, grupo AB e grupo O. Por análise desse sistema, as hemácias humanas podem apresentar nas' membranas as substâncias as substâncias aglutinogênios, esses aglutinogênios são sintetizados pelos alelos IA ou IB sendo: aglutinogênio A, aglutinogênio B ou a coexistência dos dois tipos, além da substância química aglutinina contida no plasma das células (hemácias): Anti-A e Anti-B. O fator Rh é importante e sua importância em populações humanas reside no aparecimento, em certas condições, da doença do recém nascido ou eritroblastose fetal. ERITOBLASTOSE FETAL Também conhecida como doença hemolítica do recém-nascido (DHRN) pode ocorrer apenas em filhos de mãe Rh-. Se o filho for Rh-, terá o mesmo padrão da mãe e não haverá incompatibilidade entre eles. Se for Rh+, alguns dias antes do nascimento é.principalmente durante o parto uma parte do sangue do feto escapa. para o organismo materno, que é .estimulado a produzir anticorpo anti-Rh. Como a produção não é imediata,esse primeiro .filho poderá nascer sem problemas. Em uma segunda gestação, os anticorpos matemos, já concentrados no sangue, atravessam a placenta e podem provocar aglutinação das hemácias do feto, que serão fagocitadas e eliminadas. Nesse caso, ao nascer à criança apresenta anemia e icterícia: a hemoglobina da hemácia (proteína presente nos eritrócitos (hemácias), constituindo um pigmento presente no sangue responsável' por transportar o oxigênio, levando-o dos pulmões aos tecidos de todo o corpo), destruída é transformada em bilirrubina (pigmento amarelo); que em quantidade excessiva se deposita nos tecidos e dá a coloração amarelada à pele. Além disso, pode se depositar no cérebro da criança e provocar surdez e deficiência mental. A destruição das hemácias do feto e do recém- nascido leva seus órgãos produtores de sangue a lançarem na circulação hemácias ainda jovens - os eritroblastos -, daí o nome da doença. Nos casos mais graves chega a ocorrer aborto involuntário. Se a criança nascer, poderá ser salva com a troca gradativa de seu sangue por sangue Rh-. As novas hemácias Rh- não serão destruídas e, após algum tempo, quando forem substituídas naturalmente 'por hemácias Rh+ da própria criança, os anticorpos anti-Rh da mãe que passaram para a criança já terão sido eliminados. Para prevenir a eritroblastose fetal, até três dias após o parto da primeira criança Rh+ (ou um pouco antes) a mãe Rh- deve receber uma aplicação de anticorpos anti-Rh. Provenientes do plasma de pessoas Rh-, esses anticorpos destroem as hemácias Rh+ deixadas pelo feto no sangue da mãe, o que impede o desencadeamento da produção de anticorpos maternos. Com o tempo, esses anticorpos são: eliminados. Como o organismo da mulher não "aprendeu" a fabricá-los, não os substitui e ela fica livre para uma 'próxima gravidez. Se novamente a criança for Rh+, na haverá problema, pois será como se fosse,o primeiro filho. No entanto, o tratamento tem' de ser repetido para prevenir acidentes na gravidez seguinte, pois durante o parto a criança, sendo positiva, pode lançar hemácias com antígenos no sangue materno. ' -  REFERÊNCIAS: LINHARES, Sérgio; GEwkSZNAJDER, Fernando. Biologia. Volume único. Ed. Ática; ~.
  • 16. http://.www.todabiologia.comlanatomia/hemoglobina.htm. Plano de aula semanal 7 Data: 24/11/10 e 26/11/10  Tema: Genética e ecologia  Sub-temas: - Doenças genéticas  Objetivos: - Descrever o mecanismo de clonagem de moléculas e células; - Identificar as principais síndromes e aberrações cromossômicas; - Reconhecer o papel do aconselhamento genético nos cuidados da saúde;  Conteúdos  Conceituais: - Conhecimento das principais síndromes e aberrações cromossômicas; - Percepção da importância do aconselhamento genético nos cuidados da saúde. - Conceituação dos termos mais utilizados em ecologia.  Procedimentais: Construção de glossário com termos de ecologia.  Atitudinais: - Apreciação da importância e influência da genética para a vida humana. - Conscientização da necessidade de se fazer aconselhamento genético. - Respeito às limitações dos indivíduos portadores de doenças genéticas. - Refletir sobre o impacto do mapeamento genético na ciência e na vida das pessoas. - Curiosidade sobre as questões culturais, sociais e religiosas que dificultam o progresso da ciência.  Procedimentos metodológicos: Exposição dialogada do assunto Demonstração didática (uso da TV pendrive)  Sequência didática:  24/11/10 quarta-feira: 15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo 85 min: Continuação da explicação do assunto através de exposição dialógica.  26/11/10 sexta-feira: 15 min: Fazer a chamada e organizar os alunos em semicírculo. 85 min: Construção de um glossário com termos de ecologia, explanando cada um deles.  Recursos didáticos: TV pendrive.  Avaliação: Correção do glossário.  Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova Geração.  Observações: 24/11/10 e 26/11/10: A aula transcorreu muito bem, não tive nenhum problema nem quanto a execução dos planos nem com o aprendizado e participação dos alunos.  Anexos:
  • 17.
  • 18.
  • 19. Glossário de Ecologia 1. População: conjunto de indivíduos da mesma espécie que convivem em uma mesma área. 2. Comunidade: conjunto de populações que habita uma mesma área. 3. Ecossistema: conjunto formado pela comunidade e pelos fatores abióticos (água, ar, solo, luz, calor, entre outros). 4. Fatores bióticos: conjunto dos seres vivos. 5. Biosfera: conjunto de ecossistemas. 6. Litosfera: camada rochosa. 7. Hidrosfera: parte de água líquida. 8. Atmosfera: camada gasosa. 9. Ecologia: estudo das relações dos seres vivos entre si e com o ambiente onde vivem. 10.Habitat: lugar, no ecossistema, onde habitam os organismos de cada população. 11.Autótrofos: seres capazes de produzir seu próprio alimento a partir de substâncias inorgânicas simples. 12.Heterótrofos: seres que não são capazes de produzir seu próprio alimento. 13.Decompositores: seres capazes de decompor a matéria orgânica do corpo de organismos mortos. 14.Rede alimentar: é o conjunto das cadeias alimentares a que um animal participa. 15.Teia alimentar: é o conjunto de todas as redes alimentares de um ecossistema. Plano de aula semanal 8 Data: 01/12/10 e 03/12/10  Tema: Educação ambiental  Objetivos: - Identificar as principais conseqüências da ação do homem na natureza. - Descrever soluções para que os recursos naturais possam ser utilizados de forma consciente e sustentável visando à preservação do meio ambiente.  Conteúdos  Conceituais: - Conhecimento das principais ações humanas na biosfera; - Identificação das medidas que podem ser utilizadas para a conservação do meio ambiente.  Procedimentais: Construção do Jornal do meio ambiente em grupo.  Atitudinais: - Respeito à natureza; - Consciência ética sobre a grande necessidade de preservação do meio ambiente.  Procedimentos metodológicos: Elaboração de um jornal.
  • 20.  Sequência didática:  01/12/10 quarta-feira: 15 min: Fazer a chamada e separar a sala em duas equipes de 10 alunos cada para a execução da atividade. 25 min: Serão usados para explicar como será confeccionado o jornal e as temáticas sobre o meio ambiente que deverão serão abordadas por cada equipe, eles deverão relatar os problemas ambientais de sua comunidade, da sua escola e do mundo, bem como apontar soluções para os mesmos. O jornal deverá conter assuntos descontraídos como culinária, moda, cruzadinhas relacionadas ao tema, dentre outros. 60 min: Os alunos iniciaram a construção do jornal.  03/12/10 sexta-feira: 15 min: Fazer a chamada. 85 min: Os alunos deverão apresentar o jornal para a turma e depois farão a exposição do mesmo no pátio da escola para as outras turmas.  Recursos didáticos: Elaboração do jornal.  Avaliação: Correção do jornal.  Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova Geração.  Observações: 01/12/10: Os alunos compreenderam rapidamente o que deveria ser feito e a grande maioria participou ativamente na construção do jornal, os que não se empenharam e fizeram de qualquer forma tiveram uma nota inferior daqueles que se dedicaram. 03/12/10: Como o professor dos primeiros horários avisou que não daria aula, os alunos me informaram que não viriam para a escola neste dia, conversei com a professora regente e ela disse que não haveria necessidade de eu comparecer na escola, visto que não haveria aula. Sendo transferida para o dia 08/12/10. Plano de aula semanal 9 Data: 08/12/10  Tema: Educação ambiental  Objetivos: - Identificar as principais conseqüências da ação do homem na natureza. - Descrever soluções para que os recursos naturais possam ser utilizados de forma consciente e sustentável visando à preservação do meio ambiente.  Conteúdos  Conceituais: - Conhecimento das principais ações humanas na biosfera; - Identificação das medidas que podem ser utilizadas para a conservação do meio ambiente.  Procedimentais: Construção do Jornal do meio ambiente em grupo.  Atitudinais: - Respeito à natureza; - Consciência ética sobre a grande necessidade de preservação do meio ambiente.  Procedimentos metodológicos: Elaboração de um jornal.  Sequência didática:  08/12/10 sexta-feira:
  • 21. 15 min: Fazer a chamada. 85 min: Os alunos deverão apresentar o jornal para a turma e depois farão a exposição do mesmo no pátio da escola para as outras turmas.  Recursos didáticos: Elaboração do jornal.  Avaliação: Correção do jornal.  Referências: LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único. 1ªed- São Paulo: Nova Geração.  Observações: 08/12/10: Uma equipe se empenhou mais que a outra, apresentando o trabalho da forma que foi solicitada, todo impresso e com gravuras e bem contextualizado. A outra equipe fez o trabalho escrito e ainda por cima terminaram de fazer no dia da apresentação. Justificaram-se dizendo não haver tido tempo para fazer o trabalho. Por isso, tiveram sua nota reduzida. Este foi o último dia de aula. E neste dia, um fato curioso aconteceu. No meio da primeira aula, a professora dos últimos horários entrou na sala e falou: “Ah vocês estão sem aula é?” Sendo que os alunos estavam dando os ajustes finais nos cartazes, aí quando ela me viu disse:” Ah, agora a aula é da professora tal (no caso, a regente).” Depois , quando estávamos no meio da segunda aula, a mesma professora retornou a sala e começou a fazer a chamada solicitando dos alunos o trabalho que ela havia passado e também começou a dar as notas. Sendo que minha aula ainda não havia terminado e depois da minha aula haveria intervalo, sendo que a aula dela seria apenas depois do intervalo. Nesta situação pude sentir que estagiário não tem valor algum para muitos professores, esta ,por exemplo, não teve um pingo de respeito. Inclusive, até os alunos criticaram a atitude dela na minha aula.  Anexos: