SlideShare uma empresa Scribd logo
PLANO DE CURSO
DADOS DA DISCIPLINA
DISCIPLINA: TÉCNICA DE GUIAMENTO EM TURISMO - TGT CARGA HORÁRIA:
PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa
EMENTA
Técnicas, regras e procedimentos de guiamento de turistas, com orientação, assessoria e transmissão de
informações. Animação turística no guiamento de grupos.
OBJETIVO GERAL
Apresentar uma visão geral da atuação do guia de turismo regional, Guia Nacional/América do Sul
CONTEÚDOS
1.Transfer in e transfer out;
2. Procedimentos nas interfaces (aeroporto, rodoviária, porto ):
2.1 Viagens Rodoviárias
2.2 Viagens Aéreas
2.3 Regras para viagens Marítimas, Lacustres e Fluviais
3.Quem é o guia de turismo, classificação .
4.O guia e suas circunstâncias
5.Os 10 mandamentos do turista.
6.Estudo da história das cidades da Costa do Cacau e aspectos turísticos
7.Lista de passageiros;
8.Organização de Room List;
9.O check list;
10.Formas de explanação dos atrativos;
11.Organização de refeições para grupo;
12.Procedimentos de bordo (uso de microfone, serviço de bordo, animação turística);
13Procedimentos de retorno (agradecimentos e promoção de outros roteiros);
14.Pesquisa de Opinião;
15.Técnicas de Guiamento para PNEE(portadores de necessidades educacionais específicas).
16.PORTARIA Nº 27, DE 30 DE JANEIRO DE 2014
METODOLOGIA
O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser
explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos:
•Aulas de campo;
•Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia.
•Estudo monitorado individual e em grupo;
•Debates, discussões e elaboração de painéis;
•Oficinas de leitura e produção de textos;
•Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos.
AVALIAÇÃO
•A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a
utilização dos seguintes critérios:
QUALITATIVO:
•Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos;
•Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse;
•Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas;
•Avaliações conjuntas e auto avaliações.
QUANTITATIVO
•Atividades individuais e em grupos;
•Trabalhos escritos e expositivos;
•Produções textuais
Seminários
RECURSOS
Quadro Branco;
Pincel;
Apagador
Data Show;
Caixa De Som.
Internet
TRANSPORTE
REFERÊNCIA BASICA
CHIMENRI, Silva. Guia de Turismo o profissional e a profissão. São Paulo; SENAC,2007.
HINTZE, Hélio.Guia de Turismo- Formação e Perfil Profissional. São Paulo: Roca
LIMA, Oberdan Ferreira. Formação do guia de turismo . São Paulo: Renovarum,2002.
SENAC, Turismo no Brasil: um guia para o guia /Alex Raposo; Márcia Capella; Cláudia Cardoso dos
Santos, Rio de Janeiro, 2002.
REFERÊNCIA COMPLEMENTAR
Plano de Gestão em Turismo da Costa do Cacau 2014- SETUR/UFBA
1.LAGE, B., MILONE, P. (Org.). Turismo: Teoria e Prática.São Paulo: Atlas, 2000.
RAPOSO, A.; CAPELLA, M., SANTOS, C. Turismo no Brasil: Um guia para o guia. Rio de Janeiro: Ed.
SENAC Nacional, 2004.
DATA;_____/______/ 2016
__________________________________________________________
Assinatura do Professor (a)
PLANO DE CURSO
DADOS DA DISCIPLINA
DISCIPLINA: Legislação Aplicada ao Turismo -LAT CARGA HORÁRIA:
PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa
EMENTA
Estudos introdutórios ao estudo do Direito, seus fundamentos teóricos e conceituais. O turismo e
a Constituição Brasileira. O Regime Jurídico e a legislação aplicada aos serviços turísticos no
Brasil: contrato de prestação de serviços, agenciamento de viagens, relações de transporte aéreo,
marítimo etc. Proteção ao turista e a responsabilidade civil. O Código de Defesa do Consumidor
e o Direito Ambiental. As normas turísticas internacionais e a noção de normas alfandegárias. Os
roteiros turísticos e a legislação de proteção ao patrimônio público cultural, natural/ambiental.
OBJETIVO GERAL
Apresentar uma visão geral da atuação do guia de turismo Nacional e América do Sul a partir da leitura,
compreensão e exemplos práticos da legislação pertinente ao turismo, às relações de consumo, e a atuação
do guia de turismo.
CONTEÚDOS
1. Apresentação da proposta disciplina
2. Os 10 mandamentos do turismo
3. Lei Geral do Turismo nº 11.771/08 de 17 de setembro de 2008
4. Lei nº 8.623/93 de 28 de janeiro de 1993
5. Decreto nº 946/93, de 1 de outubro de 1993
6. Decreto n 5046 de 30 de março de 2005 , Revogado pelo Decreto nº 7.381, de 2010
7. Lei Estadual de Turismo LEI Nº 12.933 DE 09 DE JANEIRO DE 2014
8. Código de Defesa do Consumidor Lei Nº 8.078, de 11 de setembro de 1990
9. Código de Ética dos Guias de Turismo
10. Código Mundial de Ética do Turismo
11. PORTARIA Nº 27, DE 30 DE JANEIRO DE 2014
12. Lei nº. 10.098/2000 , Acessibilidade
13. Decreto Federal nº. 5.296/04 , Acessibilidade
METODOLOGIA
O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser
explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos:
•Aulas de campo;
•Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia.
•Estudo monitorado individual e em grupo;
•Debates, discussões e elaboração de painéis;
•Oficinas de leitura e produção de textos;
•Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos.
AVALIAÇÃO
•A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a
utilização dos seguintes critérios:
QUALITATIVO:
•Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos;
•Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse;
•Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas;
•Avaliações conjuntas e auto avaliações.
QUANTITATIVO
•Atividades individuais e em grupos;
•Trabalhos escritos e expositivos;
•Produções textuais
Seminários
RECURSOS
Quadro Branco;
Pincel;
Apagador
Data Show;
Caixa De Som.
Internet
TRANSPORTE
REFERÊNCIA BASICA
CHIMENRI, Silva. Guia de Turismo o profissional e a profissão. São Paulo; SENAC,2007.
HINTZE, Hélio.Guia de Turismo- Formação e Perfil Profissional. São Paulo: Roca
LIMA, Oberdan Ferreira. Formação do guia de turismo . São Paulo: Renovarum,2002.
SENAC, Turismo no Brasil: um guia para o guia /Alex Raposo; Márcia Capella; Cláudia Cardoso dos
Santos, Rio de Janeiro, 2002.
REFERÊNCIA COMPLEMENTAR
Plano de Gestão em Turismo da Costa do Cacau 2014- SETUR/UFBA
2.LAGE, B., MILONE, P. (Org.). Turismo: Teoria e Prática.São Paulo: Atlas, 2000.
RAPOSO, A.; CAPELLA, M., SANTOS, C. Turismo no Brasil: Um guia para o guia. Rio de Janeiro: Ed.
SENAC Nacional, 2004.
DATA;_____/______/ 2016
__________________________________________________________
Assinatura do Professor (a)
PLANO DE CURSO
DADOS DA DISCIPLINA
DISCIPLINA: ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS TURÍSTICOS-OET CARGA HORÁRIA:
PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa
EMENTA
Estudos da área de eventos turísticos e sua importância no atual contexto político, social e mercadológico.
Reconhecimento da cultura local, regional e territorial para implantação de eventos. Os tipos de eventos e
suas especificidades aplicadas ao contexto turístico. O planejamento, a organização e a execução de
eventos e o direcionamento aos públicos: temáticas, cerimonial, protocolos e etiquetas. A importância do
mercado de evento nas atividades turísticas.Os serviços, equipes e parcerias necessárias à organização de
eventos. O perfil do profissional técnico para atuação na área.
OBJETIVO GERAL
Apresentar uma visão geral da atuação do guia de turismo regional, Guia Nacional/América do Sul
CONTEÚDOS
1.Tipos de eventos
2. A dinâmica dos eventos
3. Fases de um evento
4.Atribuições do organizador de eventos
5.Planejamento, projeto e operacionalização de eventos
7.Organização do Seminário Integrador
8.Participação em eventos regionais
O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser
explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos:
•Aulas de campo;
•Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia.
•Estudo monitorado individual e em grupo;
•Debates, discussões e elaboração de painéis;
•Oficinas de leitura e produção de textos;
•Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos.
AVALIAÇÃO
•A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a
utilização dos seguintes critérios:
QUALITATIVO:
•Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos;
•Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse;
•Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas;
•Avaliações conjuntas e auto avaliações.
QUANTITATIVO
•Atividades individuais e em grupos;
•Trabalhos escritos e expositivos;
•Produções textuais
Seminários
RECURSOS
Quadro Branco;
Pincel;
Apagador
Data Show;
Caixa De Som.
Internet
TRANSPORTE
REFERÊNCIA BASICA
1.CESCA, Cleuza G. Organização de eventos: manual para planejamento e execução. São Paulo:
Summus editorial, 1997.
2. NAKANE, Andréa. Técnicas de organização de eventos. Rio de Janeiro: Infobook, 2000.
3. GIACAGLIA, Maria Cecília. Organização de Eventos: Teoria e Prática- São Paulo: Editora
ABDR
Referências Complementares:
1.ANDRADE, José Vicente de. Turismo: Fundamentos e Dimensões. São Paulo: Ed. Ática,
1998.
2. BARRETO, Margarita. Manual de iniciação ao estudo do turismo. Campinas, SP: Papirus, 1995.
3. VIERA, Elenara Viera de. Recepcionista de eventos: Organização e Técnicas para Eventos. Caxias
do Sul: EDUCS, 2002.
DATA;_____/______/ 2016
__________________________________________________________
Assinatura do Professor (a)
PLANO DE CURSO
DADOS DA DISCIPLINA
DISCIPLINA: GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS CARGA HORÁRIA:
PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa
EMENTA
Estudos dos conceitos básicos, processos e ferramentas de gestão de um empreendimento. O controle e a
tomada de decisão gerencial. O desenvolvimento de estratégias eficazes em negociação, bem como
habilidades para compreensão dos sistemas de forças, visando assegurar a continuidade dos negócios para
a otimização do resultado global. Administração de empresas turísticas: agências, transportadores, meios
de hospedagem e outros. Estudos fundamentais de planos e negócios turísticos. As estruturas para
gerenciamento de empreendimentos turísticos e a visão empreendedora para mapeamento de
oportunidades nas áreas de concentração turística.Aspectos inovadores para gestão na área: processos de
franquia, terceirização, parcerias e outros.
OBJETIVO GERAL
Exercitar a construção e gestão de negócios sendo capaz de organizar um plano de negócios com base no
mercado local.
CONTEÚDOS
1. PLANO DE NEGÓCIO
1.2 O que é e para que serve
2. – A ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIO
2.1 Sumário Executivo
3 Dados dos empreendedores, experiência profissional e atribuições.
4 Dados do empreendimento
5 Setores de atividades
6 Forma jurídica
7 Enquadramento tributário
8 Análise de mercado
9 Estudo dos clientes
10 Estudo dos concorrentes
11 Estudo dos fornecedores
12 Plano de Marketing.
13 Sustentabilidade
14 Acessibilidade
15 Avaliação do Plano de Negócio
16 Tirando o negócio do papel
17 Inauguração do negócio
O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser
explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos:
•Aulas de campo;
•Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia.
•Estudo monitorado individual e em grupo;
•Debates, discussões e elaboração de painéis;
•Oficinas de leitura e produção de textos;
•Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos.
Construção do negócio por meio de maquetes sustentáveis- utilizando materiais recicláveis.
AVALIAÇÃO
•A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a
utilização dos seguintes critérios:
QUALITATIVO:
•Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos;
•Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse;
•Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas;
•Avaliações conjuntas e auto avaliações.
QUANTITATIVO
•Atividades individuais e em grupos;
•Trabalhos escritos e expositivos;
•Produções textuais
Seminários
RECURSOS
Quadro Branco;
Pincel;
Apagador
Data Show;
Caixa De Som.
Internet
TRANSPORTE
REFERÊNCIA BASICA
CEAG/MG. Programa microempresa. Belo Horizonte: CEAG, 1987. 83 p., il.
CENNI, Marcelo. Montando uma empresa: dicas para obter sucesso. Belo Horizonte: Autêntica, 1998. 94
p., il. (Coleção Pequena Empresa, v.1).
CHIAVENATO, Idalberto. Vamos abrir um negócio? São Paulo: Makron Books, 1995. 140 p., il. COMO
administrar uma pequena empresa: manual metodológico. [Belo Horizonte]: Sebrae MG, [19--].
DE FELIPPE JÚNIOR, Bernardo. Pesquisa: o que é e para que serve. Brasília: Sebrae, 71 p., il. (Série
Marketing para a Pequena Empresa, 6).
DOLABELLA, Fernando. O segredo de Luísa. São Paulo: Cultura, 1999. 312 p., il.
FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. Aprender a empreender. [S.l]: Sebrae, 2001. 160 p. il.
GUIA PEQUENAS EMPRESAS GRANDES NEGÓCIOS: como montar seu próprio negócio. São
Paulo: Globo, 2002. 152 p., il. MANUAL iniciando um pequeno grande negócio. [Brasília]: Sebrae, [19--
DATA;_____/______/ 2016
__________________________________________________________
Assinatura do Professor (a)
PLANO DE CURSO
DADOS DA DISCIPLINA
DISCIPLINA:FUNDAMENTOS DO TURISMO E HOSPEDAGEM -
FTH
CARGA HORÁRIA:
PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa
EMENTA
Estudos históricos do turismo e da hospitalidade no Brasil e no mundo. O conceito de hospitalidade e de
hospedagem. O mercado hoteleiro e suas características. Tipologia e impactos gerados pelo turismo.
Estrutura organizacional dos meios de hospedagem: de pequeno, médio e de grande porte. A gestão
aplicada aos meios de hospedagem. A hospedagem e os produtos turísticos. A comercialização dos
produtos e serviços. O perfil dos profissionais para atuação no turismo e na hospitalidade.
OBJETIVO GERAL
Apresentar uma visão geral da atuação do guia de turismo regional, Guia Nacional/América do Sul
CONTEÚDOS
1. História e evolução dos meios de hospedagem;
2. Tipos de meios de hospedagem;
3. Termos técnicos em turismo e hotelaria;
4. A dinâmica da empresa hoteleira;
5. Estrutura física e funcional da empresa hoteleira;
6. Atribuições e cargos na hotelaria;
7. Rotinas na hotelaria;
9Excelência no atendimento aos hóspedes.
METODOLOGIA
O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser
explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos:
•Aulas de campo;
•Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia.
•Estudo monitorado individual e em grupo;
•Debates, discussões e elaboração de painéis;
•Oficinas de leitura e produção de textos;
•Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos.
AVALIAÇÃO
•A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a
utilização dos seguintes critérios:
QUALITATIVO:
•Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos;
•Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse;
•Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas;
•Avaliações conjuntas e auto avaliações.
QUANTITATIVO
•Atividades individuais e em grupos;
•Trabalhos escritos e expositivos;
•Produções textuais
Seminários
RECURSOS
Quadro Branco;
Pincel;
Apagador
Data Show;
Caixa De Som.
Internet
TRANSPORTE
REFERÊNCIA BASICA
CÂNDIDO, Índio. Gestão de hotéis: técnicas, operações e serviços. Caxias do Sul: EDUCS, 2003.
CASTELLI, Geraldo. Administração hoteleira. 9. ed. Caxias do Sul: EDUCS, 2003.
PETROCCHI, Mário. Hotelaria: planejamento e gestão. São Paulo: Futura, 2001.
DATA;_____/______/ 2016
_________________________________________________________
Assinatura do Professor (a)
PLANO DE CURSO
DADOS DA DISCIPLINA
DISCIPLINA: PLANEJAMENTO DE ROTEIROS TURÍSTICOS-PRT CARGA HORÁRIA:
PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa
EMENTA
Os impactos turísticos no contexto local/regional/territorial. A compreensão dos aspectos essenciais para
elaboração de um planejamento. O planejamento turístico e os elementos para atratividade de públicos. A
necessidade de compreensão dos espaços locais/territoriais/regionais para a organização e planejamento
de roteiros turísticos: patrimônios históricos, naturais e culturais. Atividades e comportamentos locais,
gastronomia e manifestações culturais. Técnicas para desenvolvimento das atividades planejadas do guia
de turismo. A elaboração e organização de pacotes para roteiros turísticos. Os roteiros e programas
turísticos disponibilizados no mundo virtual: páginas, portais, blogs e a visão de marketing.
Conhecimento dos documentos e materiaisMnecessários para as viagens.
OBJETIVO GERAL
Analisar o potencial turístico local e infraestrutura turística para formatação de roteiros turísticos
CONTEÚDOS
1. Termos técnicos em roteiros e transportes;
2. Definições básicas: Roteiro, Rota, Itinerários e Trilhas;
3. O papel do agente de viagens;
4. Potencialidades turísticas;
5. Tipos de Roteiros;
6. Estruturação do roteiro (n.º de paradas, itinerário, transporte, custo, divulgação e distribuição);
7. Elaboração de roteiros locais e regionais;
8. Atendimento ao turista durante o roteiro;
9. Informações sobre serviços opcionais;
10. Políticas Públicas dos Roteiros Turísticos;
METODOLOGIA
O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser
explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos:
•Aulas de campo;
•Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia.
•Estudo monitorado individual e em grupo;
•Debates, discussões e elaboração de painéis;
•Oficinas de leitura e produção de textos;
•Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos.
AVALIAÇÃO
•A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a
utilização dos seguintes critérios:
QUALITATIVO:
•Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos;
•Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse;
•Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas;
•Avaliações conjuntas e auto avaliações.
QUANTITATIVO
•Atividades individuais e em grupos;
•Trabalhos escritos e expositivos;
•Produções textuais
Seminários
RECURSOS
Quadro Branco;
Pincel;
Apagador
Data Show;
Caixa De Som.
Internet
TRANSPORTE
REFERÊNCIA BASICA
BAHI, MigueL.Viagens e roteiros turísticos. Curitiba. Protexto. 2004
CHIMENRI, Silva. Guia de Turismo o profissional e a profissão. São Paulo; SENAC,2007.
HINTZE, Hélio.Guia de Turismo- Formação e Perfil Profissional. São Paulo: Roca
LIMA, Oberdan Ferreira. Formação do guia de turismo . São Paulo: Renovarum,2002.
SENAC, Turismo no Brasil: um guia para o guia /Alex Raposo; Márcia Capella; Cláudia Cardoso dos
Santos, Rio de Janeiro, 2002.
REFERÊNCIA COMPLEMENTAR
Plano de Gestão em Turismo da Costa do Cacau 2014- SETUR/UFBA
3.LAGE, B., MILONE, P. (Org.). Turismo: Teoria e Prática.São Paulo: Atlas, 2000.
RAPOSO, A.; CAPELLA, M., SANTOS, C. Turismo no Brasil: Um guia para o guia. Rio de Janeiro: Ed.
SENAC Nacional, 2004.
DATA;_____/______/ 2016
__________________________________________________________
Assinatura do Professor (a)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modelo slide para apresentação do artigo
Modelo   slide para apresentação do artigoModelo   slide para apresentação do artigo
Modelo slide para apresentação do artigo
Adelmo Bicalho
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio
Giselle Coutinho
 
Plano de aula teste
Plano de aula testePlano de aula teste
Plano de aula teste
bloguerreiro
 
Sequencia didatica - partindo de um genero textual
Sequencia didatica - partindo de um genero textualSequencia didatica - partindo de um genero textual
Sequencia didatica - partindo de um genero textual
Secretaria Municipal de Educação de Dona Inês/PB
 
Plano de ensino geografia corrigios
Plano de ensino geografia corrigiosPlano de ensino geografia corrigios
Plano de ensino geografia corrigios
simonclark
 
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdfESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
LIDIADASILVASANTOS
 
Ficha de avaliação de seminário
Ficha de avaliação de seminárioFicha de avaliação de seminário
Ficha de avaliação de seminário
Roberto Rorras Moura
 
Formação para os professores Premissa Protagonismo Juvenil
Formação para os professores Premissa Protagonismo JuvenilFormação para os professores Premissa Protagonismo Juvenil
Formação para os professores Premissa Protagonismo Juvenil
SandraRombi
 
Tipos de avaliação
Tipos de avaliaçãoTipos de avaliação
Sequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historiaSequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historia
UyaraPortugal
 
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em ComunidadeProjeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Vania Brasileiro
 
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docx
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docxPlanejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docx
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docx
Josenito Silva Santana
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
Vinícius Oliveira da Costa
 
Apresentacao Seminario
Apresentacao SeminarioApresentacao Seminario
Apresentacao Seminario
Reginaldo Avelino
 
Plano de ação 2011
Plano de ação 2011Plano de ação 2011
Plano de ação 2011
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Viviane De Carvalho Teixeira
 
Dinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estimaDinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estima
rosangelars
 
Geografia 2º ano
Geografia 2º anoGeografia 2º ano
Geografia 2º ano
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escritoComo redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Biblioteca Escolar Ourique
 
Slide conceitos
Slide conceitosSlide conceitos
Slide conceitos
Karlla Costa
 

Mais procurados (20)

Modelo slide para apresentação do artigo
Modelo   slide para apresentação do artigoModelo   slide para apresentação do artigo
Modelo slide para apresentação do artigo
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio
 
Plano de aula teste
Plano de aula testePlano de aula teste
Plano de aula teste
 
Sequencia didatica - partindo de um genero textual
Sequencia didatica - partindo de um genero textualSequencia didatica - partindo de um genero textual
Sequencia didatica - partindo de um genero textual
 
Plano de ensino geografia corrigios
Plano de ensino geografia corrigiosPlano de ensino geografia corrigios
Plano de ensino geografia corrigios
 
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdfESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
 
Ficha de avaliação de seminário
Ficha de avaliação de seminárioFicha de avaliação de seminário
Ficha de avaliação de seminário
 
Formação para os professores Premissa Protagonismo Juvenil
Formação para os professores Premissa Protagonismo JuvenilFormação para os professores Premissa Protagonismo Juvenil
Formação para os professores Premissa Protagonismo Juvenil
 
Tipos de avaliação
Tipos de avaliaçãoTipos de avaliação
Tipos de avaliação
 
Sequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historiaSequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historia
 
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em ComunidadeProjeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
Projeto Direitos Humanos: da Sala de Aula à Convivência em Comunidade
 
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docx
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docxPlanejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docx
Planejamento ii bimestre do 6º ano a e b.docx
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
 
Apresentacao Seminario
Apresentacao SeminarioApresentacao Seminario
Apresentacao Seminario
 
Plano de ação 2011
Plano de ação 2011Plano de ação 2011
Plano de ação 2011
 
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
 
Dinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estimaDinâmicas projeto auto estima
Dinâmicas projeto auto estima
 
Geografia 2º ano
Geografia 2º anoGeografia 2º ano
Geografia 2º ano
 
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escritoComo redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
 
Slide conceitos
Slide conceitosSlide conceitos
Slide conceitos
 

Destaque

Proposta de trabalho de grupo
Proposta de trabalho de grupoProposta de trabalho de grupo
Proposta de trabalho de grupo
Paula Tomaz
 
Os direitos dos consumidores em grandes eventos de entretenimento
Os direitos dos consumidores em grandes eventos de entretenimentoOs direitos dos consumidores em grandes eventos de entretenimento
Os direitos dos consumidores em grandes eventos de entretenimento
Carla Viola
 
Trabalho de grupo rota 1
Trabalho de grupo rota 1Trabalho de grupo rota 1
Trabalho de grupo rota 1
Tina Lima
 
Trabalho relevo
Trabalho relevoTrabalho relevo
Trabalho relevo
Tânia Baptista
 
Trabalho de grupo tur população portuguesa
Trabalho de grupo tur população portuguesaTrabalho de grupo tur população portuguesa
Trabalho de grupo tur população portuguesa
Tina Lima
 
Plano de Aula para Oficina Tecnológica
Plano de Aula para Oficina TecnológicaPlano de Aula para Oficina Tecnológica
Plano de Aula para Oficina Tecnológica
Aildes Vieira
 
Projeto acolhendo
Projeto acolhendoProjeto acolhendo
Projeto acolhendo
Ivaneide B S
 
Plano de aula oficina de linguas final
Plano de aula oficina de linguas finalPlano de aula oficina de linguas final
Plano de aula oficina de linguas final
macenaquiteria
 
Plano de Aula - Oficina de Artes - As Pinturas Renascentistas
Plano de Aula  - Oficina de Artes - As Pinturas RenascentistasPlano de Aula  - Oficina de Artes - As Pinturas Renascentistas
Plano de Aula - Oficina de Artes - As Pinturas Renascentistas
PIBID HISTÓRIA
 
Direitos Dos Professores
Direitos Dos ProfessoresDireitos Dos Professores
Direitos Dos Professores
Mira Carvalh
 
Brasil na américa do sul: fronteiras e integração física e energética
Brasil na américa do sul: fronteiras e integração física e energéticaBrasil na américa do sul: fronteiras e integração física e energética
Brasil na américa do sul: fronteiras e integração física e energética
Daniel Montarroyos
 
Trabalho consumo e sociedade
Trabalho consumo e sociedadeTrabalho consumo e sociedade
Trabalho consumo e sociedade
Prof. Francesco Torres
 
Brasil territorio e fronteiras 7º ano
Brasil territorio e fronteiras   7º anoBrasil territorio e fronteiras   7º ano
Brasil territorio e fronteiras 7º ano
Professor
 
Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)
rosaband
 
Aula 2 população
Aula 2   populaçãoAula 2   população
Aula 2 população
Péricles Penuel
 
O Turismo
O TurismoO Turismo
O Turismo
lidia76
 
Turismo
TurismoTurismo
Turismo
Joanasoph
 
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNOFUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
Cursos Profissionalizantes
 
01 Conceitos Turismo
01    Conceitos  Turismo01    Conceitos  Turismo
01 Conceitos Turismo
cursotiat
 
Serviços e Turismo
Serviços e TurismoServiços e Turismo
Serviços e Turismo
Geografia .
 

Destaque (20)

Proposta de trabalho de grupo
Proposta de trabalho de grupoProposta de trabalho de grupo
Proposta de trabalho de grupo
 
Os direitos dos consumidores em grandes eventos de entretenimento
Os direitos dos consumidores em grandes eventos de entretenimentoOs direitos dos consumidores em grandes eventos de entretenimento
Os direitos dos consumidores em grandes eventos de entretenimento
 
Trabalho de grupo rota 1
Trabalho de grupo rota 1Trabalho de grupo rota 1
Trabalho de grupo rota 1
 
Trabalho relevo
Trabalho relevoTrabalho relevo
Trabalho relevo
 
Trabalho de grupo tur população portuguesa
Trabalho de grupo tur população portuguesaTrabalho de grupo tur população portuguesa
Trabalho de grupo tur população portuguesa
 
Plano de Aula para Oficina Tecnológica
Plano de Aula para Oficina TecnológicaPlano de Aula para Oficina Tecnológica
Plano de Aula para Oficina Tecnológica
 
Projeto acolhendo
Projeto acolhendoProjeto acolhendo
Projeto acolhendo
 
Plano de aula oficina de linguas final
Plano de aula oficina de linguas finalPlano de aula oficina de linguas final
Plano de aula oficina de linguas final
 
Plano de Aula - Oficina de Artes - As Pinturas Renascentistas
Plano de Aula  - Oficina de Artes - As Pinturas RenascentistasPlano de Aula  - Oficina de Artes - As Pinturas Renascentistas
Plano de Aula - Oficina de Artes - As Pinturas Renascentistas
 
Direitos Dos Professores
Direitos Dos ProfessoresDireitos Dos Professores
Direitos Dos Professores
 
Brasil na américa do sul: fronteiras e integração física e energética
Brasil na américa do sul: fronteiras e integração física e energéticaBrasil na américa do sul: fronteiras e integração física e energética
Brasil na américa do sul: fronteiras e integração física e energética
 
Trabalho consumo e sociedade
Trabalho consumo e sociedadeTrabalho consumo e sociedade
Trabalho consumo e sociedade
 
Brasil territorio e fronteiras 7º ano
Brasil territorio e fronteiras   7º anoBrasil territorio e fronteiras   7º ano
Brasil territorio e fronteiras 7º ano
 
Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)
 
Aula 2 população
Aula 2   populaçãoAula 2   população
Aula 2 população
 
O Turismo
O TurismoO Turismo
O Turismo
 
Turismo
TurismoTurismo
Turismo
 
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNOFUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
FUNDAMENTOS ÉTICOS DA RELAÇÃO PROFESSOR X ALUNO
 
01 Conceitos Turismo
01    Conceitos  Turismo01    Conceitos  Turismo
01 Conceitos Turismo
 
Serviços e Turismo
Serviços e TurismoServiços e Turismo
Serviços e Turismo
 

Semelhante a Plano de aula 2016

Iat
IatIat
Apresentação tcc power point
Apresentação tcc power pointApresentação tcc power point
Apresentação tcc power point
Kizzy Ørberg
 
Ecoturismo
EcoturismoEcoturismo
Portfólio Território
Portfólio TerritórioPortfólio Território
Portfólio Território
territorioej
 
Turismo e Globalização na Educação
Turismo e Globalização na EducaçãoTurismo e Globalização na Educação
Turismo e Globalização na Educação
João Paulo Freire
 
Turismo e Globalização na Educação.pdf
Turismo e Globalização na Educação.pdfTurismo e Globalização na Educação.pdf
Turismo e Globalização na Educação.pdf
João Paulo Freire
 
Agente De Desenvolvimento Cooperativista (208).pdf
Agente De Desenvolvimento Cooperativista (208).pdfAgente De Desenvolvimento Cooperativista (208).pdf
Agente De Desenvolvimento Cooperativista (208).pdf
ArquimedesMariano1
 
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosTendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Aristides Faria
 
Aprendiz_de_lazer_e_turismo
Aprendiz_de_lazer_e_turismoAprendiz_de_lazer_e_turismo
Aprendiz_de_lazer_e_turismo
Walfrido dos Mares Guia
 
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminar
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminarDoutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminar
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminar
Aristides Faria
 
Ciclo Saruê-Quati
Ciclo Saruê-QuatiCiclo Saruê-Quati
Ciclo Saruê-Quati
Rafael Ummus
 
Seminários - Desafios do turismo em Roraima-RR
Seminários - Desafios do turismo em Roraima-RRSeminários - Desafios do turismo em Roraima-RR
Seminários - Desafios do turismo em Roraima-RR
Bruno Muniz de Brito
 
Lazereturismo
LazereturismoLazereturismo
Lazereturismo
gibinha30
 
Programa Trans Visitas De Estudo Organizadores
Programa Trans Visitas De Estudo OrganizadoresPrograma Trans Visitas De Estudo Organizadores
Programa Trans Visitas De Estudo Organizadores
SHR Moisio
 
Portifolio9.9
Portifolio9.9Portifolio9.9
Portifolio9.9
nemo116
 
Portifolio9.9
Portifolio9.9Portifolio9.9
Portifolio9.9
nemo116
 
Mapeamento competencia turismo
Mapeamento competencia turismoMapeamento competencia turismo
Mapeamento competencia turismo
Karlla Costa
 
CLUSTER TURÍSTICO COMO MODELO DE GOVERNANÇA NA ZONA COSTEIRA DE ARACAJU/SE
CLUSTER TURÍSTICO COMO MODELO DE GOVERNANÇA NA ZONA COSTEIRA DE ARACAJU/SECLUSTER TURÍSTICO COMO MODELO DE GOVERNANÇA NA ZONA COSTEIRA DE ARACAJU/SE
CLUSTER TURÍSTICO COMO MODELO DE GOVERNANÇA NA ZONA COSTEIRA DE ARACAJU/SE
Leylane Meneses
 
Passaporte para o mundo
Passaporte para o mundoPassaporte para o mundo
Passaporte para o mundo
Ma Rina
 
Passaporte para o mundo
Passaporte para o mundoPassaporte para o mundo
Passaporte para o mundo
Walfrido dos Mares Guia
 

Semelhante a Plano de aula 2016 (20)

Iat
IatIat
Iat
 
Apresentação tcc power point
Apresentação tcc power pointApresentação tcc power point
Apresentação tcc power point
 
Ecoturismo
EcoturismoEcoturismo
Ecoturismo
 
Portfólio Território
Portfólio TerritórioPortfólio Território
Portfólio Território
 
Turismo e Globalização na Educação
Turismo e Globalização na EducaçãoTurismo e Globalização na Educação
Turismo e Globalização na Educação
 
Turismo e Globalização na Educação.pdf
Turismo e Globalização na Educação.pdfTurismo e Globalização na Educação.pdf
Turismo e Globalização na Educação.pdf
 
Agente De Desenvolvimento Cooperativista (208).pdf
Agente De Desenvolvimento Cooperativista (208).pdfAgente De Desenvolvimento Cooperativista (208).pdf
Agente De Desenvolvimento Cooperativista (208).pdf
 
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosTendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
 
Aprendiz_de_lazer_e_turismo
Aprendiz_de_lazer_e_turismoAprendiz_de_lazer_e_turismo
Aprendiz_de_lazer_e_turismo
 
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminar
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminarDoutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminar
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminar
 
Ciclo Saruê-Quati
Ciclo Saruê-QuatiCiclo Saruê-Quati
Ciclo Saruê-Quati
 
Seminários - Desafios do turismo em Roraima-RR
Seminários - Desafios do turismo em Roraima-RRSeminários - Desafios do turismo em Roraima-RR
Seminários - Desafios do turismo em Roraima-RR
 
Lazereturismo
LazereturismoLazereturismo
Lazereturismo
 
Programa Trans Visitas De Estudo Organizadores
Programa Trans Visitas De Estudo OrganizadoresPrograma Trans Visitas De Estudo Organizadores
Programa Trans Visitas De Estudo Organizadores
 
Portifolio9.9
Portifolio9.9Portifolio9.9
Portifolio9.9
 
Portifolio9.9
Portifolio9.9Portifolio9.9
Portifolio9.9
 
Mapeamento competencia turismo
Mapeamento competencia turismoMapeamento competencia turismo
Mapeamento competencia turismo
 
CLUSTER TURÍSTICO COMO MODELO DE GOVERNANÇA NA ZONA COSTEIRA DE ARACAJU/SE
CLUSTER TURÍSTICO COMO MODELO DE GOVERNANÇA NA ZONA COSTEIRA DE ARACAJU/SECLUSTER TURÍSTICO COMO MODELO DE GOVERNANÇA NA ZONA COSTEIRA DE ARACAJU/SE
CLUSTER TURÍSTICO COMO MODELO DE GOVERNANÇA NA ZONA COSTEIRA DE ARACAJU/SE
 
Passaporte para o mundo
Passaporte para o mundoPassaporte para o mundo
Passaporte para o mundo
 
Passaporte para o mundo
Passaporte para o mundoPassaporte para o mundo
Passaporte para o mundo
 

Mais de Karlla Costa

Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedinCertificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
Karlla Costa
 
Trabalho Remoto
Trabalho RemotoTrabalho Remoto
Trabalho Remoto
Karlla Costa
 
FACILITADORES DA APRENDIZAGEM
FACILITADORES DA APRENDIZAGEMFACILITADORES DA APRENDIZAGEM
FACILITADORES DA APRENDIZAGEM
Karlla Costa
 
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO  DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
Karlla Costa
 
PAA
PAAPAA
MROC
MROCMROC
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAISFORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
Karlla Costa
 
Certificadoempreendedorismonaep
CertificadoempreendedorismonaepCertificadoempreendedorismonaep
Certificadoempreendedorismonaep
Karlla Costa
 
Turismo e-hotelaria
Turismo e-hotelariaTurismo e-hotelaria
Turismo e-hotelaria
Karlla Costa
 
Agroturismo
AgroturismoAgroturismo
Agroturismo
Karlla Costa
 
ASSOCATIVISMO 5
ASSOCATIVISMO 5ASSOCATIVISMO 5
ASSOCATIVISMO 5
Karlla Costa
 
ASSOCIATIVISMO 5
ASSOCIATIVISMO 5ASSOCIATIVISMO 5
ASSOCIATIVISMO 5
Karlla Costa
 
ASSCIATIVISMO 4
ASSCIATIVISMO 4ASSCIATIVISMO 4
ASSCIATIVISMO 4
Karlla Costa
 
ASSOCIATIVISMO 3
ASSOCIATIVISMO 3ASSOCIATIVISMO 3
ASSOCIATIVISMO 3
Karlla Costa
 
CURSO ASSOCIATIVISMO 2
CURSO ASSOCIATIVISMO 2CURSO ASSOCIATIVISMO 2
CURSO ASSOCIATIVISMO 2
Karlla Costa
 
CURSO ASSOCIATIVISMO 1
CURSO ASSOCIATIVISMO 1CURSO ASSOCIATIVISMO 1
CURSO ASSOCIATIVISMO 1
Karlla Costa
 
Agricultura de precisao modulo 6
Agricultura de precisao modulo 6Agricultura de precisao modulo 6
Agricultura de precisao modulo 6
Karlla Costa
 
Agricultura de precisao modulo 5
Agricultura de precisao modulo 5Agricultura de precisao modulo 5
Agricultura de precisao modulo 5
Karlla Costa
 
Agricultura de precisao modulo 4
Agricultura de precisao modulo 4Agricultura de precisao modulo 4
Agricultura de precisao modulo 4
Karlla Costa
 
Agricultura de precisao modulo 3
Agricultura de precisao modulo 3Agricultura de precisao modulo 3
Agricultura de precisao modulo 3
Karlla Costa
 

Mais de Karlla Costa (20)

Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedinCertificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
Certificado deconclusao como aproveitar ao maximo o linkedin
 
Trabalho Remoto
Trabalho RemotoTrabalho Remoto
Trabalho Remoto
 
FACILITADORES DA APRENDIZAGEM
FACILITADORES DA APRENDIZAGEMFACILITADORES DA APRENDIZAGEM
FACILITADORES DA APRENDIZAGEM
 
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO  DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
DA VITIMIZAÇÃO A AÇÃO
 
PAA
PAAPAA
PAA
 
MROC
MROCMROC
MROC
 
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAISFORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
FORMAÇÃO DE CONTEUDISTAS PARA CURSOS VIRTUAIS
 
Certificadoempreendedorismonaep
CertificadoempreendedorismonaepCertificadoempreendedorismonaep
Certificadoempreendedorismonaep
 
Turismo e-hotelaria
Turismo e-hotelariaTurismo e-hotelaria
Turismo e-hotelaria
 
Agroturismo
AgroturismoAgroturismo
Agroturismo
 
ASSOCATIVISMO 5
ASSOCATIVISMO 5ASSOCATIVISMO 5
ASSOCATIVISMO 5
 
ASSOCIATIVISMO 5
ASSOCIATIVISMO 5ASSOCIATIVISMO 5
ASSOCIATIVISMO 5
 
ASSCIATIVISMO 4
ASSCIATIVISMO 4ASSCIATIVISMO 4
ASSCIATIVISMO 4
 
ASSOCIATIVISMO 3
ASSOCIATIVISMO 3ASSOCIATIVISMO 3
ASSOCIATIVISMO 3
 
CURSO ASSOCIATIVISMO 2
CURSO ASSOCIATIVISMO 2CURSO ASSOCIATIVISMO 2
CURSO ASSOCIATIVISMO 2
 
CURSO ASSOCIATIVISMO 1
CURSO ASSOCIATIVISMO 1CURSO ASSOCIATIVISMO 1
CURSO ASSOCIATIVISMO 1
 
Agricultura de precisao modulo 6
Agricultura de precisao modulo 6Agricultura de precisao modulo 6
Agricultura de precisao modulo 6
 
Agricultura de precisao modulo 5
Agricultura de precisao modulo 5Agricultura de precisao modulo 5
Agricultura de precisao modulo 5
 
Agricultura de precisao modulo 4
Agricultura de precisao modulo 4Agricultura de precisao modulo 4
Agricultura de precisao modulo 4
 
Agricultura de precisao modulo 3
Agricultura de precisao modulo 3Agricultura de precisao modulo 3
Agricultura de precisao modulo 3
 

Último

Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
maria-oliveira
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
erico paulo rocha guedes
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 

Último (20)

Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 

Plano de aula 2016

  • 1. PLANO DE CURSO DADOS DA DISCIPLINA DISCIPLINA: TÉCNICA DE GUIAMENTO EM TURISMO - TGT CARGA HORÁRIA: PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa EMENTA Técnicas, regras e procedimentos de guiamento de turistas, com orientação, assessoria e transmissão de informações. Animação turística no guiamento de grupos. OBJETIVO GERAL Apresentar uma visão geral da atuação do guia de turismo regional, Guia Nacional/América do Sul CONTEÚDOS 1.Transfer in e transfer out; 2. Procedimentos nas interfaces (aeroporto, rodoviária, porto ): 2.1 Viagens Rodoviárias 2.2 Viagens Aéreas 2.3 Regras para viagens Marítimas, Lacustres e Fluviais 3.Quem é o guia de turismo, classificação . 4.O guia e suas circunstâncias 5.Os 10 mandamentos do turista. 6.Estudo da história das cidades da Costa do Cacau e aspectos turísticos 7.Lista de passageiros; 8.Organização de Room List; 9.O check list; 10.Formas de explanação dos atrativos; 11.Organização de refeições para grupo; 12.Procedimentos de bordo (uso de microfone, serviço de bordo, animação turística);
  • 2. 13Procedimentos de retorno (agradecimentos e promoção de outros roteiros); 14.Pesquisa de Opinião; 15.Técnicas de Guiamento para PNEE(portadores de necessidades educacionais específicas). 16.PORTARIA Nº 27, DE 30 DE JANEIRO DE 2014 METODOLOGIA O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos: •Aulas de campo; •Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia. •Estudo monitorado individual e em grupo; •Debates, discussões e elaboração de painéis; •Oficinas de leitura e produção de textos; •Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos. AVALIAÇÃO •A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a utilização dos seguintes critérios: QUALITATIVO: •Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos; •Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse; •Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas; •Avaliações conjuntas e auto avaliações. QUANTITATIVO •Atividades individuais e em grupos; •Trabalhos escritos e expositivos; •Produções textuais Seminários RECURSOS Quadro Branco; Pincel;
  • 3. Apagador Data Show; Caixa De Som. Internet TRANSPORTE REFERÊNCIA BASICA CHIMENRI, Silva. Guia de Turismo o profissional e a profissão. São Paulo; SENAC,2007. HINTZE, Hélio.Guia de Turismo- Formação e Perfil Profissional. São Paulo: Roca LIMA, Oberdan Ferreira. Formação do guia de turismo . São Paulo: Renovarum,2002. SENAC, Turismo no Brasil: um guia para o guia /Alex Raposo; Márcia Capella; Cláudia Cardoso dos Santos, Rio de Janeiro, 2002. REFERÊNCIA COMPLEMENTAR Plano de Gestão em Turismo da Costa do Cacau 2014- SETUR/UFBA 1.LAGE, B., MILONE, P. (Org.). Turismo: Teoria e Prática.São Paulo: Atlas, 2000. RAPOSO, A.; CAPELLA, M., SANTOS, C. Turismo no Brasil: Um guia para o guia. Rio de Janeiro: Ed. SENAC Nacional, 2004. DATA;_____/______/ 2016 __________________________________________________________ Assinatura do Professor (a)
  • 4. PLANO DE CURSO DADOS DA DISCIPLINA DISCIPLINA: Legislação Aplicada ao Turismo -LAT CARGA HORÁRIA: PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa EMENTA Estudos introdutórios ao estudo do Direito, seus fundamentos teóricos e conceituais. O turismo e a Constituição Brasileira. O Regime Jurídico e a legislação aplicada aos serviços turísticos no Brasil: contrato de prestação de serviços, agenciamento de viagens, relações de transporte aéreo, marítimo etc. Proteção ao turista e a responsabilidade civil. O Código de Defesa do Consumidor e o Direito Ambiental. As normas turísticas internacionais e a noção de normas alfandegárias. Os roteiros turísticos e a legislação de proteção ao patrimônio público cultural, natural/ambiental. OBJETIVO GERAL Apresentar uma visão geral da atuação do guia de turismo Nacional e América do Sul a partir da leitura, compreensão e exemplos práticos da legislação pertinente ao turismo, às relações de consumo, e a atuação do guia de turismo. CONTEÚDOS 1. Apresentação da proposta disciplina 2. Os 10 mandamentos do turismo 3. Lei Geral do Turismo nº 11.771/08 de 17 de setembro de 2008 4. Lei nº 8.623/93 de 28 de janeiro de 1993 5. Decreto nº 946/93, de 1 de outubro de 1993 6. Decreto n 5046 de 30 de março de 2005 , Revogado pelo Decreto nº 7.381, de 2010 7. Lei Estadual de Turismo LEI Nº 12.933 DE 09 DE JANEIRO DE 2014 8. Código de Defesa do Consumidor Lei Nº 8.078, de 11 de setembro de 1990 9. Código de Ética dos Guias de Turismo 10. Código Mundial de Ética do Turismo 11. PORTARIA Nº 27, DE 30 DE JANEIRO DE 2014 12. Lei nº. 10.098/2000 , Acessibilidade 13. Decreto Federal nº. 5.296/04 , Acessibilidade
  • 5. METODOLOGIA O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos: •Aulas de campo; •Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia. •Estudo monitorado individual e em grupo; •Debates, discussões e elaboração de painéis; •Oficinas de leitura e produção de textos; •Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos. AVALIAÇÃO •A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a utilização dos seguintes critérios: QUALITATIVO: •Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos; •Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse; •Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas; •Avaliações conjuntas e auto avaliações. QUANTITATIVO •Atividades individuais e em grupos; •Trabalhos escritos e expositivos; •Produções textuais Seminários RECURSOS Quadro Branco; Pincel; Apagador Data Show;
  • 6. Caixa De Som. Internet TRANSPORTE REFERÊNCIA BASICA CHIMENRI, Silva. Guia de Turismo o profissional e a profissão. São Paulo; SENAC,2007. HINTZE, Hélio.Guia de Turismo- Formação e Perfil Profissional. São Paulo: Roca LIMA, Oberdan Ferreira. Formação do guia de turismo . São Paulo: Renovarum,2002. SENAC, Turismo no Brasil: um guia para o guia /Alex Raposo; Márcia Capella; Cláudia Cardoso dos Santos, Rio de Janeiro, 2002. REFERÊNCIA COMPLEMENTAR Plano de Gestão em Turismo da Costa do Cacau 2014- SETUR/UFBA 2.LAGE, B., MILONE, P. (Org.). Turismo: Teoria e Prática.São Paulo: Atlas, 2000. RAPOSO, A.; CAPELLA, M., SANTOS, C. Turismo no Brasil: Um guia para o guia. Rio de Janeiro: Ed. SENAC Nacional, 2004. DATA;_____/______/ 2016 __________________________________________________________ Assinatura do Professor (a)
  • 7. PLANO DE CURSO DADOS DA DISCIPLINA DISCIPLINA: ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS TURÍSTICOS-OET CARGA HORÁRIA: PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa EMENTA Estudos da área de eventos turísticos e sua importância no atual contexto político, social e mercadológico. Reconhecimento da cultura local, regional e territorial para implantação de eventos. Os tipos de eventos e suas especificidades aplicadas ao contexto turístico. O planejamento, a organização e a execução de eventos e o direcionamento aos públicos: temáticas, cerimonial, protocolos e etiquetas. A importância do mercado de evento nas atividades turísticas.Os serviços, equipes e parcerias necessárias à organização de eventos. O perfil do profissional técnico para atuação na área. OBJETIVO GERAL Apresentar uma visão geral da atuação do guia de turismo regional, Guia Nacional/América do Sul CONTEÚDOS 1.Tipos de eventos 2. A dinâmica dos eventos 3. Fases de um evento 4.Atribuições do organizador de eventos 5.Planejamento, projeto e operacionalização de eventos 7.Organização do Seminário Integrador 8.Participação em eventos regionais O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos: •Aulas de campo; •Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia. •Estudo monitorado individual e em grupo; •Debates, discussões e elaboração de painéis; •Oficinas de leitura e produção de textos; •Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos.
  • 8. AVALIAÇÃO •A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a utilização dos seguintes critérios: QUALITATIVO: •Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos; •Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse; •Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas; •Avaliações conjuntas e auto avaliações. QUANTITATIVO •Atividades individuais e em grupos; •Trabalhos escritos e expositivos; •Produções textuais Seminários RECURSOS Quadro Branco; Pincel; Apagador Data Show; Caixa De Som. Internet TRANSPORTE REFERÊNCIA BASICA 1.CESCA, Cleuza G. Organização de eventos: manual para planejamento e execução. São Paulo: Summus editorial, 1997. 2. NAKANE, Andréa. Técnicas de organização de eventos. Rio de Janeiro: Infobook, 2000. 3. GIACAGLIA, Maria Cecília. Organização de Eventos: Teoria e Prática- São Paulo: Editora ABDR Referências Complementares: 1.ANDRADE, José Vicente de. Turismo: Fundamentos e Dimensões. São Paulo: Ed. Ática, 1998. 2. BARRETO, Margarita. Manual de iniciação ao estudo do turismo. Campinas, SP: Papirus, 1995. 3. VIERA, Elenara Viera de. Recepcionista de eventos: Organização e Técnicas para Eventos. Caxias do Sul: EDUCS, 2002. DATA;_____/______/ 2016 __________________________________________________________ Assinatura do Professor (a)
  • 9. PLANO DE CURSO DADOS DA DISCIPLINA DISCIPLINA: GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS CARGA HORÁRIA: PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa EMENTA Estudos dos conceitos básicos, processos e ferramentas de gestão de um empreendimento. O controle e a tomada de decisão gerencial. O desenvolvimento de estratégias eficazes em negociação, bem como habilidades para compreensão dos sistemas de forças, visando assegurar a continuidade dos negócios para a otimização do resultado global. Administração de empresas turísticas: agências, transportadores, meios de hospedagem e outros. Estudos fundamentais de planos e negócios turísticos. As estruturas para gerenciamento de empreendimentos turísticos e a visão empreendedora para mapeamento de oportunidades nas áreas de concentração turística.Aspectos inovadores para gestão na área: processos de franquia, terceirização, parcerias e outros. OBJETIVO GERAL Exercitar a construção e gestão de negócios sendo capaz de organizar um plano de negócios com base no mercado local. CONTEÚDOS 1. PLANO DE NEGÓCIO 1.2 O que é e para que serve 2. – A ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIO 2.1 Sumário Executivo 3 Dados dos empreendedores, experiência profissional e atribuições. 4 Dados do empreendimento 5 Setores de atividades 6 Forma jurídica 7 Enquadramento tributário 8 Análise de mercado 9 Estudo dos clientes 10 Estudo dos concorrentes 11 Estudo dos fornecedores 12 Plano de Marketing. 13 Sustentabilidade 14 Acessibilidade 15 Avaliação do Plano de Negócio 16 Tirando o negócio do papel 17 Inauguração do negócio O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos:
  • 10. •Aulas de campo; •Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia. •Estudo monitorado individual e em grupo; •Debates, discussões e elaboração de painéis; •Oficinas de leitura e produção de textos; •Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos. Construção do negócio por meio de maquetes sustentáveis- utilizando materiais recicláveis. AVALIAÇÃO •A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a utilização dos seguintes critérios: QUALITATIVO: •Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos; •Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse; •Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas; •Avaliações conjuntas e auto avaliações. QUANTITATIVO •Atividades individuais e em grupos; •Trabalhos escritos e expositivos; •Produções textuais Seminários RECURSOS Quadro Branco; Pincel; Apagador Data Show; Caixa De Som. Internet TRANSPORTE REFERÊNCIA BASICA CEAG/MG. Programa microempresa. Belo Horizonte: CEAG, 1987. 83 p., il. CENNI, Marcelo. Montando uma empresa: dicas para obter sucesso. Belo Horizonte: Autêntica, 1998. 94 p., il. (Coleção Pequena Empresa, v.1). CHIAVENATO, Idalberto. Vamos abrir um negócio? São Paulo: Makron Books, 1995. 140 p., il. COMO administrar uma pequena empresa: manual metodológico. [Belo Horizonte]: Sebrae MG, [19--]. DE FELIPPE JÚNIOR, Bernardo. Pesquisa: o que é e para que serve. Brasília: Sebrae, 71 p., il. (Série Marketing para a Pequena Empresa, 6). DOLABELLA, Fernando. O segredo de Luísa. São Paulo: Cultura, 1999. 312 p., il. FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. Aprender a empreender. [S.l]: Sebrae, 2001. 160 p. il. GUIA PEQUENAS EMPRESAS GRANDES NEGÓCIOS: como montar seu próprio negócio. São Paulo: Globo, 2002. 152 p., il. MANUAL iniciando um pequeno grande negócio. [Brasília]: Sebrae, [19-- DATA;_____/______/ 2016 __________________________________________________________ Assinatura do Professor (a)
  • 11. PLANO DE CURSO DADOS DA DISCIPLINA DISCIPLINA:FUNDAMENTOS DO TURISMO E HOSPEDAGEM - FTH CARGA HORÁRIA: PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa EMENTA Estudos históricos do turismo e da hospitalidade no Brasil e no mundo. O conceito de hospitalidade e de hospedagem. O mercado hoteleiro e suas características. Tipologia e impactos gerados pelo turismo. Estrutura organizacional dos meios de hospedagem: de pequeno, médio e de grande porte. A gestão aplicada aos meios de hospedagem. A hospedagem e os produtos turísticos. A comercialização dos produtos e serviços. O perfil dos profissionais para atuação no turismo e na hospitalidade. OBJETIVO GERAL Apresentar uma visão geral da atuação do guia de turismo regional, Guia Nacional/América do Sul CONTEÚDOS 1. História e evolução dos meios de hospedagem; 2. Tipos de meios de hospedagem; 3. Termos técnicos em turismo e hotelaria; 4. A dinâmica da empresa hoteleira; 5. Estrutura física e funcional da empresa hoteleira; 6. Atribuições e cargos na hotelaria; 7. Rotinas na hotelaria; 9Excelência no atendimento aos hóspedes. METODOLOGIA O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos: •Aulas de campo; •Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia. •Estudo monitorado individual e em grupo; •Debates, discussões e elaboração de painéis; •Oficinas de leitura e produção de textos; •Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos.
  • 12. AVALIAÇÃO •A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a utilização dos seguintes critérios: QUALITATIVO: •Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos; •Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse; •Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas; •Avaliações conjuntas e auto avaliações. QUANTITATIVO •Atividades individuais e em grupos; •Trabalhos escritos e expositivos; •Produções textuais Seminários RECURSOS Quadro Branco; Pincel; Apagador Data Show; Caixa De Som. Internet TRANSPORTE REFERÊNCIA BASICA CÂNDIDO, Índio. Gestão de hotéis: técnicas, operações e serviços. Caxias do Sul: EDUCS, 2003. CASTELLI, Geraldo. Administração hoteleira. 9. ed. Caxias do Sul: EDUCS, 2003. PETROCCHI, Mário. Hotelaria: planejamento e gestão. São Paulo: Futura, 2001. DATA;_____/______/ 2016 _________________________________________________________ Assinatura do Professor (a)
  • 13. PLANO DE CURSO DADOS DA DISCIPLINA DISCIPLINA: PLANEJAMENTO DE ROTEIROS TURÍSTICOS-PRT CARGA HORÁRIA: PROFESSOR RESPONSÁVEL: Karlla Miranda da Costa EMENTA Os impactos turísticos no contexto local/regional/territorial. A compreensão dos aspectos essenciais para elaboração de um planejamento. O planejamento turístico e os elementos para atratividade de públicos. A necessidade de compreensão dos espaços locais/territoriais/regionais para a organização e planejamento de roteiros turísticos: patrimônios históricos, naturais e culturais. Atividades e comportamentos locais, gastronomia e manifestações culturais. Técnicas para desenvolvimento das atividades planejadas do guia de turismo. A elaboração e organização de pacotes para roteiros turísticos. Os roteiros e programas turísticos disponibilizados no mundo virtual: páginas, portais, blogs e a visão de marketing. Conhecimento dos documentos e materiaisMnecessários para as viagens. OBJETIVO GERAL Analisar o potencial turístico local e infraestrutura turística para formatação de roteiros turísticos CONTEÚDOS 1. Termos técnicos em roteiros e transportes; 2. Definições básicas: Roteiro, Rota, Itinerários e Trilhas; 3. O papel do agente de viagens; 4. Potencialidades turísticas; 5. Tipos de Roteiros; 6. Estruturação do roteiro (n.º de paradas, itinerário, transporte, custo, divulgação e distribuição); 7. Elaboração de roteiros locais e regionais; 8. Atendimento ao turista durante o roteiro; 9. Informações sobre serviços opcionais; 10. Políticas Públicas dos Roteiros Turísticos; METODOLOGIA O desenvolvimento metodológico será enriquecido através de técnicas de estudo mediante o tema a ser explorado. Teremos como atividades básicas de trabalho os seguintes procedimentos pedagógicos: •Aulas de campo; •Exposição dialógica; vídeos, filmes, quadro branco, documentários e multimídia. •Estudo monitorado individual e em grupo; •Debates, discussões e elaboração de painéis; •Oficinas de leitura e produção de textos; •Apresentações de seminários trabalhos individuais e em grupos. AVALIAÇÃO
  • 14. •A avaliação como processo contínuo e integrante do trabalho docente-educativo, será realizada com a utilização dos seguintes critérios: QUALITATIVO: •Demonstração crítica, coerência e cientificidade na utilização dos conhecimentos (re) construídos; •Iniciativa, responsabilidade, autonomia, criatividade e participação nas aulas e atividades extraclasse; •Respeito, solidariedade e ética profissional entre professores, alunos e colegas; •Avaliações conjuntas e auto avaliações. QUANTITATIVO •Atividades individuais e em grupos; •Trabalhos escritos e expositivos; •Produções textuais Seminários RECURSOS Quadro Branco; Pincel; Apagador Data Show; Caixa De Som. Internet TRANSPORTE REFERÊNCIA BASICA BAHI, MigueL.Viagens e roteiros turísticos. Curitiba. Protexto. 2004 CHIMENRI, Silva. Guia de Turismo o profissional e a profissão. São Paulo; SENAC,2007. HINTZE, Hélio.Guia de Turismo- Formação e Perfil Profissional. São Paulo: Roca LIMA, Oberdan Ferreira. Formação do guia de turismo . São Paulo: Renovarum,2002. SENAC, Turismo no Brasil: um guia para o guia /Alex Raposo; Márcia Capella; Cláudia Cardoso dos Santos, Rio de Janeiro, 2002. REFERÊNCIA COMPLEMENTAR Plano de Gestão em Turismo da Costa do Cacau 2014- SETUR/UFBA 3.LAGE, B., MILONE, P. (Org.). Turismo: Teoria e Prática.São Paulo: Atlas, 2000. RAPOSO, A.; CAPELLA, M., SANTOS, C. Turismo no Brasil: Um guia para o guia. Rio de Janeiro: Ed. SENAC Nacional, 2004. DATA;_____/______/ 2016 __________________________________________________________ Assinatura do Professor (a)