SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC
AGENTE DE DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA
CAMPUS GUARABIRA
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - IFPB
REITORIA
Cícero Nicácio do Nascimento Lopes| Reitor
Vania Maria de Medeiros| Pró-Reitora de Extensão
Dimas Brasileiro Veras | Diretor de Gestão das Atividades de Extensão
Paulo DiTarso Maciel Júnior | Diretor de Extensão Tecnológica e Assuntos Comunitários
COORDENAÇÃO GERAL DO PRONATEC
Ivanilda Matias Gentle | Coordenadora Geral
Gilcean Silva Alves | Coordenador Adjunto
CAMPUS GUARABIRA
Sabrina da Costa Rocha| Coordenador de Pesquisa e Extensão
Golbery de O. Chagas Aguiar Rodrigues| Coordenador Adjunto PRONATEC
Ticiana Q. Guedes Cunha| Coordenadora Adjunta PRONATEC
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
Resolução CS-IFPB n. 111 / 2012 CS / IFPB
PLANO PEDAGÓGICO DE CURSO – FIC
CAMPUS: Guarabira
EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios
1. CURSO AGENTE DE DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA
(PACTUAÇÃO 2014)
2. Contextualização da(s) localidade(s) onde ocorrerá o curso
O município de Guarabira, bem como as cidades circunvizinhas, é fortemente marcado pela presença
de seguimentos do ramo comercial e agropecuário. Uma boa parte desses comerciantes e
agropecuaristas não possui o curso de capacitação na área. O curso em tela será executado na unidade
remota do campus Guarabira no Sítio Tananduba, município de Guarabira/PB, como também no
município de Pedro Régis. Essa comunidade rural planeja organizar uma associação e na chamada
pública que o Pronatec/IFPB, campus Guarabira, organiza, solicitou o curso de Agente de
desenvolvimento cooperativista, para que capacitasse pessoas da comunidade para implementar a
iniciativa cooperativista.
3. Justificativa pela escolha da formação inicial e continuada / qualificação profissional
Diante da demanda existente no país de qualificação profissional o IFPB – Campus Guarabira, com a
estrutura já existente, se propõe a participar do Programa de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego –
PRONATEC, entendendo que o referido programa contribuirá para o fortalecimento das atividades de
extensão deste Campus, ampliará as parcerias e intercâmbios interinstitucionais, favorecendo cada vez
mais o fortalecimento da Instituição na região, cumprindo assim, seu papel social de promover
oportunidades que possibilitem a melhoria da qualidade de vida da população regional.
4. Objetivos do curso
Objetivo Geral
+Formar o profissional para atuar na formação, desenvolvimento e gestão de cooperativas do setor
comercial e agropecuário, planejando e executando os processos cooperativos nas diversas áreas de
atuação da região e áreas circunvizinhas.
Objetivos Específicos
+Desenvolver a formação e o desenvolvimento de cooperativas, fundamentado nos princípios éticos e
políticos;
+Atuar na gestão de contratos de cooperativas, assegurando o cumprimento da legislação trabalhista;
+Prestar assistência e serviços em cooperativas, bem como atuar como fundador de cooperativas
convicto de um espírito de empreendedor;
+Executar pesquisas em cooperativismo, contribuindo com a reflexão e ampliação da atuação, dos
princípios e das finalidades do cooperativismo.
C. H. Formação Profissional
160 hs
C. H. Complementar
48 hs
Carga horária Total
208 hs
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
Duração do curso
04 meses, aproximadamente
Qtd. de vagas ofertadas
30
Qtd. de turmas ofertadas
02
5. Requisito de escolaridade: Ensino Médio Incompleto
6. Descrição da forma de acesso (processo de seleção)
O processo seletivo, definido pelo CRAS, refere-se aos trinta primeiros inscritos.
A forma de acesso se dará conforme estabelecido pela Resolução CD/FNDE nº 04 de 16 de março de
2012, relativo às demandas o MDS e M.T.E.
No caso da Bolsa-formação Estudante, os critérios de acesso são definidos pelo Centro de Referência
de Assistência Social - CRAS.
7. Perfil profissional do egresso
Trabalhador que vai desempenhar a função de Agente de Desenvolvimento Cooperativista.
8. Critérios de avaliação da aprendizagem
Avaliação continuada e de competências, conforme descrito na Resolução CS/IFPB nº111, de 14 de
julho de 2012.
9. Descrição dos equipamentos utilizados
10. Instalações
Salas de aulas, biblioteca, refeitório, banheiros, sala de professores, sala de apoio ao aluno e ao
professor.
11. Salas de aula
Quadro branco, datashow, mesa para o professor, carteiras, caixas de som para PC.
12. Laboratório
Desenvolvimento de aulas laboratoriais (práticas), em lojas, bancos e feiras da região.
13. Assistência estudantil
Vale transporte, lanche, material didático e fardamento.
14. Certificados
Emitidos pela coordenação adjunta do programa e registrado pela coordenação geral do programa e
pela pró-reitoria de extensão do IFPB.
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
15. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR
MATRIZ CURRICULAR - 2014
NÚCLEO
FUNDAMENTAL
EIXO: Mulher, Identidade, Cultura e Cidadania
DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA
Identificação de Conhecimentos e Habilidades
Previamente Adquiridas.
12
Desenvolvimento Pessoal e Relacionamentos 12
Subtotal 24
NÚCLEO
ARTICULADOR
EIXO: Trabalho e Sustentabilidade
DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA
Saúde da Mulher e Qualidade de Vida. 12
Cooperativismo e Economia Solidária. 12
Subtotal 24
NÚCLEO
TECNOLÓGICO
EIXO: Tecnológico (Profissional)
DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA
Fundamentos do Cooperativismo 30
Legislação Cooperativista 30
Administração de Empresas Cooperativas 30
Direito do Consumidor 30
Projeto de Empresas Cooperativistas (Empreendedorismo) 20
Motivação e Trabalho em Equipe 20
Subtotal 160
TOTAL 208
Aulas de 60 min
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
16. QUADRO DE PESSOAL
PROFISSIONAIS QUANTIDADE
Coordenador Adjunto 01
Supervisor (interno e externo) 02
Apoio às atividades acadêmicas
administrativas
01
Professores 10
TOTAL 13
17. REFERÊNCIAS
- Lei nº 12.513, de 26 de outubro de 2011.
- MEC/SETEC – Guia Pronatec de Cursos FIC, 2013.( 3ª Edição)
(www.pronatec.mec.gov.br/fic/)
- MEC/SETEC - Documento de Referência para Bolsa-formação Trabalhador no âmbito
do - Pronatec, 2012.
- Resolução CD/FNDE nº 04 de 16 de março de 2012.
- Resolução CD/FNDE nº 72, de 20 de dezembro de 2011.
- Resolução CNE/CEB nº 06, de 20 de setembro de 2012.
- Portaria nº 168, de 07 de março de 2013.
- Portaria MEC n° 1.015, de 21 de julho de 2011.
18. LISTA DE MATERIAIS DE CONSUMO UTILIZADOS NO CURSO
DESCRIÇÃO QUANTIDADE PREÇO UNITÁRIO
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
19. PLANOS DE DISCIPLINAS
Núcleo Fundamental
PLANO DE DISCIPLINA
Componente curricular:
IDENTIFICAÇÃO DE CONHECIMENTOS E HABILIDADES
PREVIAMENTE ADQUIRIDAS.
Carga horária: 12h
PROGRAMA
EMENTA
Construção do Mapa da Vida por meio de oficinas. Socialização do Mapa da Vida.
Reconhecimento das vivências e saberes/Perfil Situacional das alunas por meio de
oficinas. Início da construção do portfólio.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Oficina de construção do mapa da vida/representação e trajetória de vida:
 Quem eu fui? Quem eu sou? Quem eu quero ser?
Socialização do mapa da vida: Exposição dialogada das histórias de vidas;
Vivências para a melhoria da autoestima;
Oficina de reconhecimento dos saberes técnicos e profissionais;
Início da construção do portfólio.
OBJETIVOS DE ENSINO
Geral:
 Oportunizar a troca de experiências de vida das mulheres, potencializando-
as como autoras das histórias de suas vidas, de seus grupos e de suas
comunidades.
Específicos:
 Apoiar o aprendizado e estimular a reflexão sobre sua trajetória de vida na
infância, juventude e maturidade;
 Promover o resgate da autoestima das alunas;
 Propiciar a interação e integração do grupo;
Comunicar e compartilhar ideias de maneira coletiva.
METODOLOGIA DE ENSINO
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
A metodologia será desenvolvida por meio de oficinas nas quais as alunas irão
contar suas histórias de vidas por meio da produção e apresentação do mapa da
vida, relato de experiências, início da construção do portfólio, e aplicando a
metodologia específica do programa.
AVALIAÇÃO
A avaliação é feita de modo contínuo de acordo com o desenvolvimento de cada
aluna.
REFERÊNCIAS
BRASIL, SETEC/MEC. Mulheres Mil - Guia metodológico do Sistema de
acesso, permanência e êxito. Disponível em:
<http://portal.iff.edu.br/campus/pronatec/documentos-de
referencia/Guia%20Metodologico%20do%20Sistema%20de%20Acesso-
%20Permanencia%20e%20Exito%20do%20Programa%20Mulheres%20Mil.pdf/vie
w> Acesso em: 09 de Nov. de 2014
PLANO DE DISCIPLINA
Componente curricular:
DESENVOLVIMENTO PESSOAL E RELACIONAMENTOS Carga horária: 12h
PROGRAMA
EMENTA
Noções de Ética, Relações Interpessoais e Cidadania.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Conduta e princípios éticos do comportamento humano;
Ética Empresarial;
Autoestima;
Relacionamentos Interpessoais;
Empatia;
Comunicação;
Trabalho em equipe;
Conceitos de Cidadania, origem e histórico de cidadania;
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
Os diretos e deveres do cidadão: civis, políticos e sociais;
OBJETIVOS DE ENSINO
Geral:
 Conscientizar os estudantes acerca de seus direitos e deveres, no exercício da
cidadania e contribuir para a melhoria da autoestima e dos relacionamentos
interpessoais.
Específicos:
 Propiciar a igualdade de gênero nas relações sociais, especificamente de trabalho e
família.
 Promover o acesso à documentação civil.
 Conscientizar em relação à violência de gênero como questão de segurança, justiça
e saúde pública.
 Trabalhar a autoestima e melhorar relacionamentos interpessoais.
METODOLOGIA DE ENSINO
Aulas dialogadas; Discussões em grupo; Leitura e explicação de textos didáticos e
de publicações científicas.
AVALIAÇÃO
A avaliação é feita de modo contínuo de acordo com o desenvolvimento de cada
aluna.
REFERÊNCIAS
Del Prette A, Del Prette, ZAP. Psicologia das relações Interpessoais: vivências para o
trabalho em grupo. Petrópolis: Vozes, 2001.
BERGAMINI, Cecília W. Motivação: uma viagem ao centro do conceito. Fator
Humano.V.12, 2002.
Moscovici, Fela. Desenvolvimento interpessoal: treinamento em grupo - Rio de Janeiro:
José Olympio, 2002.
BONETTI, Alinne de Lima; ABREU, Maria Aparecida A. Faces da Desigualdade de
Gênero e Raça no Brasil. Brasília: Ipea, 2011.
BRABO, Tânia Suely Antonelli Marcelino (org.). Gênero, educação e política: múltiplos
olhares. São Paulo: Icone, 2009
CARVALHO, José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. 10. ed. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2008.
DEL PRETTE, Almir; DEL PRETTE, Zilda A. P. Psicologia das relações
interpessoais: vivências para o trabalho em grupo. 1.ed. Petrópolis: Vozes,
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
2001.
FRITZEN, Silvino José. Relações humanas interpessoais: nas convivências
grupais e comunitárias. 12.ed. Petrópolis: Vozes, 2001.
MINICUCCI, Agostinho. Relações humanas: psicologia das relações
interpessoais. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2001.
Núcleo Articulador
PLANO DE DISCIPLINA
Componente curricular:
SAÚDE DA MULHER E QUALIDADE DE VIDA Carga horária: 12h
PROGRAMA
EMENTA
A Política Nacional de Atenção Integral a Mulher, vivências e reflexão das
dimensões da corporeidade: sensibilidade, motricidade, emoção, expressão,
comunicação, criatividade e consciência
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
1. Prevenção das doenças relacionadas ao gênero feminino.
2. Doenças sexualmente transmissíveis (DST’s).
3. Doenças crônicas: diabete, hipertensão, etc.
4. Doenças associadas ao envelhecimento: osteoporose, osteoartrose, demências, etc.
5. Dualismo e sua influência no conhecimento corporal.
6. Do corpo objeto ao corpo sujeito.
7. Imagem corporal e os signos tatuados no corpo.
8. A construção da Autoimagem.
9. A corporeidade como condição humana.
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
OBJETIVOS DE ENSINO
Geral:
 Conscientizar os estudantes sobre a importância da prevenção de doenças
para a melhoria da saúde e da qualidade de vida.
Específicos:
 Vivenciar dimensões expressivas da corporeidade por meio de jogos
teatrais e comunicação não verbal, explorando a ludicidade na construção
da autoimagem;
 Refletir sobre o corpo no cotidiano e a construção histórica da corporeidade
da mulher.
 Fazer reflexão sobre saúde e qualidade de vida.
METODOLOGIA DE ENSINO
Aulas dialogadas; Discussões em grupo; Leitura e explicação de textos didáticos
e de publicações científicas.
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM
A avaliação é feita de modo contínuo de acordo com o desenvolvimento de cada
aluna.
REFERÊNCIAS
1. ASSMANN, H. Paradigmas educacionais e corporeidade. Piracicaba: UNIMEP, 1995.
2. ATLAS, Equipe. Segurança e medicina do trabalho: Lei nº 6.514, de 22 de Dezembro de 1977. 63.
ed. São Paulo: Atlas, 2009.
3. BERTERAT, T. As estações do corpo: aprenda a olhar o seu corpo para manter a forma. São
Paulo: Martins Fontes, 1995.
4. CHOPRA, D. Corpo sem idade, mente sem fronteiras. Rio de Janeiro: Rocio, 1995.
5. DAVIS, P. O poder do toque. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1990.
6. _____. O poder da transformação: a dinâmica do corpo e da mente. São Paulo: Summus, 1994.
7. FREIRE, J. B. O sensível e o inteligível: novos olhares sobre o corpo. Tese de doutorado. São
Paulo, USP, 1991.
8. GONÇALVES, M. A. S. Sentir, pensar, agir: corporeidade e educação. Campinas: Papirus, 1994.
9. PRADRO, Cintra. Atualização Terapêutica: Diagnóstico e Tratamento 2012/13. [s.l.]: Artes
Médicas, 2012.
10. SANTIN, S. Perspectivas na visão da corporeidade. In: Wagner W. Moreira (Org.) Educação
física & 12-esportes: perspectivas para o século XXI. Campinas: Papirus, 1992. Bibliografia
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
Complementar
11. LEPARGNEUR, H. Consciência, corpo e mente. Campinas, SP: Papirus, 1994.
12. LOWEN, A. Prazer: uma abordagem criativa da vida. São Paulo: Summus, 1984.
13. REGIS DE MORAES, J. F. Consciência corporal e dimensionamento o futuro. In: Wagner W.
Moreira (Org.) Educação Física & esportes: perspectivas para o século XXI. Campinas: Papirus,
1992.
14. WIENER et al. Princípios da Medicina Interna. 17.ed. [s.l.]: Revinter, 2012
PLANO DE DISCIPLINA
Componente curricular:
COOPERATIVISMO E ECONOMIA SOLIDÁRIA Carga horária: 12
PROGRAMA
EMENTA
A disciplina busca instruir os estudantes sobre noções de empreendedorismo,
cooperativismo e economia solidária como forma de gerar ocupação e renda.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Conceito de empreendedorismo, economia solidária, economia popular; gestão
empreendedora; oportunidade de negócios; criatividade e visão empreendedora
da mulher; órgão e instituição de apoio a geração de empreendimentos
inovadores; associativismo e cooperativismo como forma de gerar ocupação e
renda.
OBJETIVOS DE ENSINO
Geral:
 Capacitar o aluno a conhecer os mecanismos de formação de cooperativas e
redes para conscientiza-lo da importância e efetividade da economia solidária e do
trabalho em rede.
Específicos:
 Conhecer o contexto histórico e os princípios da ECONOMIA SOLIDÁRIA, no
mundo e no Brasil;
 Construir estratégias comerciais na perspectiva da economia solidária; Conhecer
sobre leis cooperativistas e suas práticas bem como sua relação com a economia
solidária.
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
METODOLOGIA DE ENSINO
Aulas dialogadas; Discussões em grupo; Leitura e explicação de textos didáticos e
de publicações científicas.
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM
A avaliação é feita de modo contínuo de acordo com o desenvolvimento de cada
aluna.
REFERÊNCIAS
Básica
BRASIL. Economia Solidária, outra economia acontece: Cartilha da Campanha Nacional
de Mobilização Social – Brasília: MET, SENAES, FBES, 2007.
BRASIL. Manual para formadores: descobrindo a outra economia que já acontece –
Brasília: MTE SENAES, 2007 BRASIL escola Disponível em:
<http://www.brasilescola.com/>. Acesso em: 28 dez. 2011.
MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO. Brasil escola. Disponível em:
<http://www.mda.gov.br/portal/>. Acesso em: 28 dez. 2011.
FACES do Brasil Disponível em: <http://www.facesdobrasil.org.br/>. Acesso em: 28 dez.
2011.
OLIVEIRA, Benedito Anselmo M. de. COPROCOL: um caso de contra poder cooperativo?
Lavras: UFLA, 1996, 132 p. (Dissertação de Mestrado).
SINGER, Paul. Introdução à economia solidária. São Paulo: Ed. Perseu Abramo, 2002.
Complementar
CATTANI, Antônio David (Org.) A outra economia. Porto Alegre: Editora Veraz. 2003.
306 p.
FARIA, J. H. Relações de poder e formas de gestão. Curitiba: Ed. Criar, CDE/FAE,
1985,87 p.
GUIMARÃES, Gonçalo, (Org.). Sindicalismo e cooperativismo. São Paulo/Rio de Janeiro:
ITCP-COPPE/RITCP’s/UNITRABALHO, 1999.
LEITÃO, Gilvandro Sá. O que é cooperativismo. São Paulo: Ed. Brasiliense. 1986.
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
Núcleo Tecnológico
PLANO DE DISCIPLINA
Componente curricular:
FUNDAMENTOS DO COOPERATIVISMO Carga horária: 30
PROGRAMA
EMENTA
A disciplina busca instruir os estudantes sobre Fundamentos; doutrina; história; filosofia;
princípios; realizadores; e precursores do Cooperativismo como forma de gerar ocupação e
renda.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
1. Fundação e funcionamento de cooperativas;
2. Classificação e organização das cooperativas
3. Ramos do Cooperativismo no Brasil
4. Fundamentos do Cooperativismo
5. Doutrina do Cooperativismo
6. História do Cooperativismo
7. Princípios do Cooperativismo
8. Realizadores do Cooperativismo
9. Precursores do Cooperativismo
OBJETIVOS DE ENSINO
Geral:
 Apresentar os Fundamentos do Cooperativismo aos alunos no contexto teórico e
prático durante o curso.
Específicos:
 -Proporcionar ao participante do curso uma compreensão geral acerca dos
fundamentos do cooperativismo;
 -Promover conhecimento sobre a doutrina, história, realizadores e precursores do
cooperativismo;
 -Proporcionar atividades que sensibilizem o participante a perceber a forma correta
de aplicar os princípios do cooperativismo.
 -Promover conhecimento sobre as formas de trabalhos cooperativos e
associativismo.
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
METODOLOGIA DE ENSINO
Aulas dialogadas; Discussões em grupo; Leitura e explicação de textos didáticos e
de publicações científicas.
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM
A avaliação é feita de modo contínuo de acordo com o desenvolvimento de cada
aluna.
REFERÊNCIAS
Básica
BRASIL. Economia Solidária, outra economia acontece: Cartilha da Campanha Nacional
de Mobilização Social – Brasília: MET, SENAES, FBES, 2007.
BRASIL. Manual para formadores: descobrindo a outra economia que já acontece –
Brasília: MTE SENAES, 2007 BRASIL escola Disponível em:
<http://www.brasilescola.com/>. Acesso em: 28 dez. 2011.
MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO. Brasil escola. Disponível em:
<http://www.mda.gov.br/portal/>. Acesso em: 28 dez. 2011.
FACES do Brasil Disponível em: <http://www.facesdobrasil.org.br/>. Acesso em: 28 dez.
2011.
OLIVEIRA, Benedito Anselmo M. de. COPROCOL: um caso de contra poder cooperativo?
Lavras: UFLA, 1996, 132 p. (Dissertação de Mestrado).
SINGER, Paul. Introdução à economia solidária. São Paulo: Ed. Perseu Abramo, 2002.
Complementar
CATTANI, Antônio David (Org.) A outra economia. Porto Alegre: Editora Veraz. 2003.
306 p.
FARIA, J. H. Relações de poder e formas de gestão. Curitiba: Ed. Criar, CDE/FAE,
1985,87 p.
GUIMARÃES, Gonçalo, (Org.). Sindicalismo e cooperativismo. São Paulo/Rio de Janeiro:
ITCP-COPPE/RITCP’s/UNITRABALHO, 1999.
LEITÃO, Gilvandro Sá. O que é cooperativismo. São Paulo: Ed. Brasiliense. 1986.
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
PLANOS DE ENSINO
Curso: Agente de desenvolvimento coopearativista
Eixo tecnológico: Gestão e negócios
Disciplina: Legislação Cooperativista
Carga Horária: 30h
Ementa:
Legislação Cooperativista, Lei Nº 5.764, de 16 de dezembro de 1971.
Conteúdo Programático
CAPÍTULO I - Da Política Nacional de Cooperativismo;
CAPÍTULO II -Das Sociedades Cooperativas;
CAPÍTULO III - Do Objetivo e Classificação das Sociedades Cooperativas;
CAPÍTULO IV - Da Constituição das Sociedades Cooperativas;
CAPÍTULO V - Dos Livros;
CAPÍTULO VI - Do Capital Social;
CAPÍTULO VII - Dos Fundos;
CAPÍTULO VIII - Dos Associados;
CAPÍTULO IX - Dos Órgãos Sociais;
CAPÍTULO X - Fusão, Incorporação e Desmembramento;
CAPÍTULO XI - Da Dissolução e Liquidação;
CAPÍTULO XII - Do Sistema Operacional das Cooperativas;
CAPÍTULO XIII - Da Fiscalização e Controle;
CAPÍTULO XIV - Do Conselho Nacional de Cooperativismo;
CAPÍTULO XV - Dos Órgãos Governamentais;
CAPÍTULO XVI - Da Representação do Sistema Cooperativista;
CAPÍTULO XVII - Dos Estímulos Creditícios;
CAPÍTULO XVIII - Das Disposições Gerais e Transitórias.
Objetivo Geral
- Apresentar a Legislação Cooperativista aos alunos no contexto teórico e prático durante
o curso.
Objetivo Específico
-Proporcionar ao participante do curso uma compreensão geral acerca da Legislação
Cooperativista;
- Promover conhecimento sobre a Política Nacional de Cooperativismo, Das Sociedades
Cooperativas, Do Objetivo e Classificação das Sociedades Cooperativas, Da Constituição
das Sociedades Cooperativas, Dos Livros, Do Capital Social,Dos Fundos, Dos
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
Associados, Dos Órgãos Sociais, Fusão, Incorporação e Desmembramento, Da Dissolução
e Liquidação, Do Sistema Operacional das Cooperativas, Da Fiscalização e Controle, Do
Conselho Nacional de Cooperativismo, Dos Órgãos Governamentais, Da Representação
do Sistema Cooperativista, Dos Estímulos Creditícios, Das Disposições Gerais e
Transitórias;
-Proporcionar atividades que sensibilizem o participante a perceber a forma correta de
aplicar a Legislação Cooperativista.
Metodologia
Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de
textos e ainda trabalhos individuais e de grupo.
Avaliação
Seminários, leituras e produção de textos e trabalhos individuais e em grupo.
Referências
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5764.htm‎
. Acesso em: 03 junho 2013.
PLANOS DE ENSINO
Curso: Agente de desenvolvimento coopearativista
Eixo tecnológico: Gestão e negócios
Disciplina: Administração de Empresas Cooperativistas
Carga Horária: 30h
Ementa:
Histórico do Cooperativismo. O Cooperativismo e o Contexto Econômico Brasileiro e
Internacional. A Empresa Cooperativa. A Moderna Administração em Cooperativas.
Direção e Gestão de Empresas Cooperativas. Modernização, Globalização e
Competitividade. A Nova Geração de Cooperativas. Reformas no cooperativismo.
Conteúdo Programático
1 – Breve História da Cooperação;
2 –A Moderna Administração de Cooperativas;
3 – Poder e Decisão em Cooperativas;
4 –Eficiência Empresarial e Relacões com Associados.
Objetivo Geral
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
Oportunizar a reflexão sobre aspectos teóricos e práticos do cooperativismo tendo em vista
os impactos das transformações na economia e na sociedade mundial.
Objetivo Específico
-Proporcionar ao participante do curso uma compreensão geral acerca da Administração
de Empresas Cooperativistas;
-Promover conhecimento sobre as formas de trabalhos em empresas cooperativistas.
Metodologia
Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de
textos e ainda trabalhos individuais e de grupo.
Avaliação
Seminários, leituras e produção de textos e trabalhos individuais e em grupo.
Referências
VALADARES, José Horta.A Moderna Administração em Cooperativas. Rio de
Janeiro.– MBA em Gestão Empresarial em Cooperativas de Saúde – Realização Fundação
Getulio Vargas – Cursos‎“in‎Company”.
http://www.administracaovirtual.com/Acesso em: 03 junho 2013.
PLANOS DE ENSINO
Curso: Agente de desenvolvimento Cooperativista
Eixo tecnológico: Gestão e negócios
Disciplina: Direito do Consumidor
Carga Horária: 30h
Ementa:
Código de Defesa do Consumidor. Política nacional das relações de consumo. Conceitos e
relação entre consumidor e fornecedor. Prevenção e reparação de danos. Responsabilidade
por fato e vício do produto e serviço. Garantia legal e contratual dos produtos e serviços.
Oferta e publicidade. Sanções.
Conteúdo Programático
1. Introdução
2. Breve relato histórico
3. Panorama do direito do consumidor no Brasil
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
4. Conceitos
4.1. Consumidor
4.2. Fornecedor
4.3. Relação de consumo
5. Prevenção e reparação dos danos
5.1. Direitos básicos
6. Responsabilidade civil no CDC
6.1. Responsabilidade pelo fato do produto e do serviço
6.2. Responsabilidade pelo vício do produto e do serviço
7. Garantias
7.1. Garantia legal de adequação
7.2. Garantia contratual
8. Oferta e publicidade
8.1. Princípios e requisitos da oferta
8.2. Publicidade enganosa
8.3. Publicidade abusiva
9. Sanções
10. Conclusão
Objetivo Geral
- Apresentar o Direito do Consumidor aos alunos no contexto teórico e prático durante o
curso.
Objetivo Específico

-Proporcionar ao participante do curso uma compreensão geral acerca dos direitos do
consumidor;
-Promover conhecimento sobre a responsabilidade civil dos fornecedores nas relações de
consumo;
-Proporcionar atividades que sensibilizem o participante a perceber a forma correta de
informar e ofertar produtos e serviços aos consumidores;
-Promover conhecimento sobre as formas de sanções e suas conseqüências para os
fornecedores.
Metodologia
Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de
textos e ainda trabalhos individuais e de grupo.
Avaliação
Seminários, leituras e produção de textos e trabalhos individuais e em grupo.
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
Referências
http//programatraineegrupocanopus.files.wordpress.com/.../apostila-direito-do...‎
Acesso em: 03 junho 2013.
PLANOS DE ENSINO
Curso: Agente de desenvolvimento cooperativista
Eixo tecnológico: Gestão e negócios
Disciplina: Empreendedorismo
Carga Horária: 20h
Ementa:
Empreendedorismo, empreendimento e empresa; oportunidade de negócios, criatividade e
visão empreendedora; formação e desenvolvimento de empreendedores; o perfil do
empreendedor de sucesso; planejamento, ferramentas de gestão e avaliação de
empreendimentos; a oferta de trabalho e a iniciativa empreendedorista; políticas e
estratégias competitivas para os empreendimentos emergentes; órgãos e instituições de
apoio à geração de empreendimentos inovadores; elaboração de planos de negócios.
Conteúdo Programático
Processo Empreendedor
O que é um negócio?
O que é empreendedorismo?
O ensino do empreendedorismo.
Vantagens e desvantagens de ser um empreendedor.
Ambiente e Características de Negócios
O dinâmico ambiente dos negócios.
Classificação das empresas pelo porte.
Constituição formal da empresa.
Como escolher o negócio adequado.
Formação e Desenvolvimento de Empreendedores
Características de um negócio bem sucedido.
Perfil empreendedor.
O empreendedor como administrador geral do negócio.
Atividades de alta alavancagem.
Profissionais e instituições de apoio ao negócio.
Criatividade e Visão Empreendedora
Diferenciando idéias de oportunidades.
Fontes de novas idéias.
Avaliando uma oportunidade.
Oportunidades na Internet e Web.
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
Tendências.
Gestão do Empreendimento
Descrição e apresentação da empresa
Plano de gestão de pessoas.
Plano de marketing.
Plano operacional.
Plano financeiro.
Planejamento Estratégico
O que é planejamento?
Estratégia e planejamento estratégico.
Estratégias competitivas, de crescimento e de estabilidade.
Outras estratégias genéricas.
Implementação, acompanhamento, controle e avaliação.
Avaliação do Empreendimento
Indicadores de desempenho do negócio.
Elaboração do Plano de Negócios
O que é o plano de negócios?
A importância do plano de negócios.
Estrutura do plano de negócios.
Utilidades do plano de negócios.
Objetivo Geral
Fomentar o desenvolvimento de novos empreendedores, sintonizados com as novas
tendências mundiais, avaliando a situação do emprego e identificando oportunidades para
aplicar os conhecimentos de forma criativa, gerando empreendimentos de alta importância
e relevância para a sociedade.
Objetivo Específico
Instrumentalizar os alunos para a identificação de oportunidades de novos
empreendimentos na área de conhecimento;
Fornecer conhecimentos e ferramentas auxiliares à gestão desses empreendimentos.
Orientar o desenvolvimento de competências em gestão de negócios;
Desenvolver o senso crítico, a percepção e identificação de estratégias inovadoras, para a
aplicação dos conhecimentos no campo econômico, político e/ou social.
Metodologia
Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
textos e ainda trabalhos individuais e de grupo.
Avaliação
Seminários, leituras e produção de textos e trabalhos individuais e em grupo.
Referências
DORNELAS, José Carlos Assis. Empreendedorismo: transformando idéias em
negócios.2.ed. Rio de Janeiro: Campus, 2001.
PLANO DE DISCIPLINA / MÓDULO – PRONATEC - FIC
COMPONENTE CURRICULAR: Motivação e Trabalho em Equipe
CARGA HORÁRIA: 20 h
DOCENTE RESPONSÁVEL:
EMENTA
Motivação; Processos Motivacionais; Trabalho em equipe; Como Motivar uma equipe.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Motivação.
Motivação no contexto organizacional.
Grupo X Equipe.
Trabalho em Equipe.
Administração de conflitos e negociação
Qualidade de vida no trabalho
Assédio moral no trabalho
OBJETIVO GERAL
Apresentar as teorias da Motivação.
Conceituar Equipe de Trabalho.
Refletir sobre a importância do trabalho em equipe para o sucesso das organizações
OBJETIVO ESPECÍFICO
Contextualizar sobre a importância da motivação nas organizações;Proporcionar vivências sobre o trabalho em equipe.
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
METODOLOGIA
Aulas teóricas expositivas, dinâmica de grupo.
AVALIAÇÃO
Trabalhos individuais e em grupo
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. CHIAVENATO, Idalberto. Gerenciando pessoas: o passo decisivo para a administração participativa. 3° Ed. São Paulo:
Makron Books, 1994.
2. HITT, Michael A. Comportamento Organizacional: uma abordagem estratégica. Rio de Janeiro: LCT, 2011.
3. ROBBINS, Stephen P. Comportamento Organizacional. 11° Ed. São Paulo: Pearson
4. MOSCOVICI, Fela. Desenvolvimento Interpessoal: treinamento em grupo. 3 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1985.
5. BRUCE, Anne. Como Motivar Sua Equipe. Rio de Janeiro: Sextante, 2006
PLANOS DE ENSINO
Curso: Agente de desenvolvimento cooperativista
Eixo tecnológico: Gestão e negócios
Disciplina: Inglês Instrumental
Carga Horária: 12h
Ementa:
Dicas e/ou Estratégias que facilitam a compreensão de textos em língua inglesa. Dates;
Days of the Week; Months of the Year; Hours. Coloquial Correspondence. Aplication
Letter to Job. Commercial Correspondence. Curriculum Vitae – resumé. Texts.
Conteúdo Programático
Dicas e/ou Estratégias que facilitam a compreensão de textos em língua inglesa
• Dates; Days of the Week; Months of the Year; Hours.
• Coloquial Correspondence
• Personal questions
• Personal Details
• Introducing yourself
• Composition
• Aplication Letter to Job
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
• Understanding Job Ads
• How to aplly to Job
• How to Fill applications
• Commercial Correspondence
• Envelope
• Address
• Body of the letter
• Curriculum Vitae – resumé
• Personal Information; Nationality; city; Occupations
• Historical Life of the Student
• Texts
• Text comprehension
Objetivo geral
Conhecer a importância da Língua Inglesa no mundo eletrônico; Analisar e interpretar
textos técnicos em inglês básico. Conhecer as técnicas de leitura; Conhecer as formas
de interpretar textos; Compreender Glossário de termos técnicos; Identificar a língua
inglesa como instrumento de acesso a informações, a outras culturas e grupos sociais.
Objetivos específicos
Ser capaz de ler e interpretar textos; Ler palavras necessárias para configuração
de equipamentos eletrônicos; Recorrer às tecnologias de apoio como dicionário e
gramática, informatizados ou não.
Metodologia
Aulas teóricas expositivas e aulas práticas em laboratório
Avaliação
Avaliações escritas e práticas;
Trabalhos individuais e em grupo (listas de exercícios, estudos dirigidos, pesquisas)
Referências bibliográficas
“Basic Pneumatics” Copyright 1971,1974 by Technical Publishing Company, Barrington,
Illinois.
Munhoz, Rosângela. Inglês Instrumental: Estratégias de leitura – Módulo I. São Paulo:
Texto Novo, 2002.
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
PLANO DE DISCIPLINA / MÓDULO – PRONATEC – FIC
COMPONENTE CURRICULAR: Relações Interpessoais
CARGA HORÁRIA: 12 h
DOCENTE RESPONSÁVEL:
EMENTA
Relações interpessoais e inter-grupais, comunicação e dinâmica de grupo. A liderança e
seus reflexos nas organizações. As teorias e modelos conceituais dos problemas atuais nas
organizações.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Fundamentos, objetivos e importância das Relações Interpessoais e inter-grupais.
OBJETIVO GERAL
Apresentar os Fundamentos da Relação Interpessoal aos alunos no contexto teórico e
prático durante o curso.
OBJETIVO ESPECÍFICO
Proporcionar ao participante do curso uma compreensão geral acerca dos fundamentos de
relação interpessoal;
Promover conhecimento teórico e prático com os alunos sobre os fundamentos de relação
interpessoal.
METODOLOGIA
Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de
textos e ainda trabalhos individuais e de grupo.
AVALIAÇÃO
Seminários, leituras e produção de textos e trabalhos individuais e em grupo.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Del Prette A, Del Prette, ZAP.Psicologia das relações Interpessoais: vivências para o
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
trabalho em grupo. Petrópolis: Vozes, 2001.
BERGAMINI, Cecília W. Motivação: uma viagem ao centro do conceito. Fator
Humano.V.12, 2002.
Moscovici, Fela. Desenvolvimento interpessoal: treinamento em grupo-Rio de Janeiro: José
Olympio, 2002.
PLANOS DE ENSINO
Curso: Agente de desenvolvimento cooperativista
Eixo tecnológico: Gestão e negócios
Disciplina: Leitura e produção de textos
Carga Horária: 12h
Ementa
Organização do texto escrito, discurso e gêneros técnicos e acadêmicos
Objetivos
- Identificar marcas estilísticas caracterizadoras da linguagem técnica, científica e/ou
acadêmica;
- Reconhecer traços configuradores de gêneros técnicos, científicos e/ou acadêmicos
(especialmente do Resumo, da Resenha, do Relatório e do Artigo científico);
- Estudar a progressão discursiva em Resenha, Relatório e Artigo;
- Expressar-se em estilo adequado aos gêneros técnicos, científicos e/ou acadêmicos;
- Utilizar-se de estratégias de pessoalização e impessoalização da linguagem;
- Citar o discurso alheio de forma pertinente e de acordo com as convenções da ABNT;
- Produzir Resumo, Resenha, Relatório e Artigo científico, conforme diretrizes expostas
na disciplina.
Conteúdo Programático
1. Organização do texto escrito de natureza técnica, científica e/ou acadêmica;
1.1. Características da linguagem técnica, científica e/ou acadêmica;
1.2. Sinalização da progressão discursiva entre frases, parágrafos e outras partes
do texto;
1.3. Estratégias da pessoalização e de impessoalização da linguagem;
2. Discurso alheio no texto escrito de natureza técnica, científica e/ou acadêmica;
2.1. Formas básicas de citação do discurso alheio: discurso direto, indireto,
modalização em discurso, segundo a ilha textual;
2.2. Convenções da ABNT, para as citações do discurso alheio;
3. Gêneros técnicos, científicos e/ou acadêmicos: Resumo, Resenha, Relatório e
Artigo científico;
3.1. Estrutura composicional e estilo.
Metodologia de Ensino
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
Aula dialogada, leitura dirigida, discussão e exercícios.
Avaliação de ensino e de aprendizagem
Contínua por meio de atividades orais e escritas, individuais e em grupo
Recursos necessários
- Quadro branco;
- Marcadores para quadro branco;
- sala de aula com microcomputador e TV, projetor multimídia.
Referências bibliográficas
ALEXANDRE, M. J. de O. A construção do trabalho científico: um guia para projetos,
pesquisas e relatórios científicos. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS: NBR 10520: Informação e
documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2002.
BECHARA, E. Gramática escolar da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001.
2.19. Metodologia
Aulas expositivas dialogadas, com a utilização de textos relacionados aos conteúdos
desenvolvidos, vídeos referentes às disciplinas, aplicação de exercícios descritivo-associativos a
área do curso.
PLANO DE DISCIPLINA / MÓDULO – PRONATEC - FIC
COMPONENTE CURRICULAR: Ética e Cidadania
CARGA HORÁRIA: 12 h
DOCENTE RESPONSÁVEL:
EMENTA
Concepção da ética e da cidadania suas interpelações e uso no cotidiano.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
1. Concepção de ética
2. Concepção de cidadania
3. Relação entre ética e cidadania
4. Ética e cidadania no cotidiano
OBJETIVO GERAL
Compreender o que é Ética e Cidadania e suas relações com a vida em sociedade.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Desenvolver uma compreensão básica acerca da ética, bem como da sua relação com a moral e os valores;
Conscientizar o educando quanto à importância de identificar e refletir criticamente sobre o referencial axiológico que
orienta um dado sujeito moral em suas relações sociais;
METODOLOGIA
Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de textos e ainda trabalhos
individuais e de grupo.
AVALIAÇÃO
Avaliações escritas e práticas;
Trabalhos individuais e em grupo.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. SECRETARIA de Educação Básica - SED/MEC. Ética e cidadania: construindo valores na escola e na sociedade [recurso
eletrônico]. Brasília: MEC, 2007.
2. ELIN, Elizabeth; HERSHBERG, Eric. Construindo a democracia: direitos humanos, cidadania e sociedade na América
Latina.
São Paulo: Edusp, 2006. 334 p. (Direitos Humanos ; v. 1).
3. BUFFA, Ester; ARROYO, Miguel; NOSELLA, Paolo. Educação e cidadania: quem educa o cidadão?. 2. ed. São Paulo:
Cortez,
1988. 94 p. (Polêmicas do nosso tempo, v. 23).
4. SEVERINO, Antônio Joaquim. Filosofia da educação: construindo a cidadania. São Paulo: FTD, 1994. 152 p. (Coleção
aprender e ensinar).
5. GUTIÉRREZ, Francisco; PRADO, Cruz; INSTITUTO PAULO FREIRE. Ecopedagogia e cidadania planetária. 3. ed. São Paulo:
Cortez, 2002. 128 p. (Guia da escola cidadã).
PPC FIC/PRONATEC 2014.2
6. COVRE, Maria de Lourdes M. O que é cidadania. São Paulo, Brasiliense, 2007.
7. DALLARI, Dalmo de Abreu. Direitos humanos e cidadania. São Paulo, 1998.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão de Pessoas
Gestão de PessoasGestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
Luis Cunha
 
Tcp marketing pessoal e comunicação interpessoal-aula 2- roneysousa
Tcp  marketing pessoal e comunicação interpessoal-aula 2- roneysousaTcp  marketing pessoal e comunicação interpessoal-aula 2- roneysousa
Tcp marketing pessoal e comunicação interpessoal-aula 2- roneysousa
Roney Sousa
 
Tecnologias aplicadas a educação
Tecnologias aplicadas a educaçãoTecnologias aplicadas a educação
Tecnologias aplicadas a educação
marlene350
 
UFCD –STC5 Redes de Informação e Comunição.pptx
UFCD –STC5 Redes de Informação e Comunição.pptxUFCD –STC5 Redes de Informação e Comunição.pptx
UFCD –STC5 Redes de Informação e Comunição.pptx
Nome Sobrenome
 

Mais procurados (20)

Framework de Inovação (e Roadmap) para Gestão Estratégica da Inovação
Framework de Inovação (e Roadmap)  para Gestão Estratégica da Inovação Framework de Inovação (e Roadmap)  para Gestão Estratégica da Inovação
Framework de Inovação (e Roadmap) para Gestão Estratégica da Inovação
 
Introdução ao uso do Moodle para Professores e Tutores Versão 2.4
Introdução ao uso do Moodle  para Professores e Tutores Versão 2.4Introdução ao uso do Moodle  para Professores e Tutores Versão 2.4
Introdução ao uso do Moodle para Professores e Tutores Versão 2.4
 
Conceito e inovação
Conceito e inovaçãoConceito e inovação
Conceito e inovação
 
Responsabilidade social (3)
Responsabilidade social (3)Responsabilidade social (3)
Responsabilidade social (3)
 
Trabalho em equipe
Trabalho em equipeTrabalho em equipe
Trabalho em equipe
 
Gestão de Pessoas
Gestão de PessoasGestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
 
Tecnologias digitais de informação e comunicação (tdic
Tecnologias digitais de informação e comunicação (tdicTecnologias digitais de informação e comunicação (tdic
Tecnologias digitais de informação e comunicação (tdic
 
Tcp marketing pessoal e comunicação interpessoal-aula 2- roneysousa
Tcp  marketing pessoal e comunicação interpessoal-aula 2- roneysousaTcp  marketing pessoal e comunicação interpessoal-aula 2- roneysousa
Tcp marketing pessoal e comunicação interpessoal-aula 2- roneysousa
 
Artigo cientifico anhanguera
Artigo cientifico anhangueraArtigo cientifico anhanguera
Artigo cientifico anhanguera
 
Tecnologias aplicadas a educação
Tecnologias aplicadas a educaçãoTecnologias aplicadas a educação
Tecnologias aplicadas a educação
 
Dinamicas para melhorar comunicação interna
Dinamicas para melhorar comunicação interna Dinamicas para melhorar comunicação interna
Dinamicas para melhorar comunicação interna
 
UFCD –STC5 Redes de Informação e Comunição.pptx
UFCD –STC5 Redes de Informação e Comunição.pptxUFCD –STC5 Redes de Informação e Comunição.pptx
UFCD –STC5 Redes de Informação e Comunição.pptx
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Motivação para o desempenho
Motivação para o desempenhoMotivação para o desempenho
Motivação para o desempenho
 
Formação ppt
Formação pptFormação ppt
Formação ppt
 
Comoelaborar
ComoelaborarComoelaborar
Comoelaborar
 
Metodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
Metodologias Ativas, Imersivas e InovadorasMetodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
Metodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
 
A importância da tecnologia para educação
A importância da tecnologia para educaçãoA importância da tecnologia para educação
A importância da tecnologia para educação
 
Comunicação 2
Comunicação 2Comunicação 2
Comunicação 2
 
Gestão de pessoas, liderança e valorização do trabalhador da saúde
Gestão de pessoas, liderança e valorização do trabalhador da saúdeGestão de pessoas, liderança e valorização do trabalhador da saúde
Gestão de pessoas, liderança e valorização do trabalhador da saúde
 

Semelhante a Agente De Desenvolvimento Cooperativista (208).pdf

Gcd atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
Gcd   atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvtGcd   atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
Gcd atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
Jovert Freire
 
Caderno Temático: As multimídias como ferramentas didáticas na escola paranaense
Caderno Temático: As multimídias como ferramentas didáticas na escola paranaenseCaderno Temático: As multimídias como ferramentas didáticas na escola paranaense
Caderno Temático: As multimídias como ferramentas didáticas na escola paranaense
carmezini
 
Caderno ilustrado silmara_com tutoriais
Caderno ilustrado silmara_com tutoriaisCaderno ilustrado silmara_com tutoriais
Caderno ilustrado silmara_com tutoriais
carmezini
 
Apresenta visita técnica mt
Apresenta   visita técnica  mtApresenta   visita técnica  mt
Apresenta visita técnica mt
jcmerij
 
II - Realizar atividades de gestão educacional nos diversos espaços instituci...
II - Realizar atividades de gestão educacional nos diversos espaços instituci...II - Realizar atividades de gestão educacional nos diversos espaços instituci...
II - Realizar atividades de gestão educacional nos diversos espaços instituci...
Colaborar Educacional
 
HISTÓRIA - LICENCIATURA
HISTÓRIA - LICENCIATURAHISTÓRIA - LICENCIATURA
HISTÓRIA - LICENCIATURA
xiaowu8637
 
O objetivo de aprendizagem do programa de extensão em Inovação e Empreendedor...
O objetivo de aprendizagem do programa de extensão em Inovação e Empreendedor...O objetivo de aprendizagem do programa de extensão em Inovação e Empreendedor...
O objetivo de aprendizagem do programa de extensão em Inovação e Empreendedor...
Colaborar Educacional
 

Semelhante a Agente De Desenvolvimento Cooperativista (208).pdf (20)

Gcd atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
Gcd   atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvtGcd   atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
Gcd atividade 3 - apresentação slide - conhecendo a cead - final jvt
 
(ConSePS 2015) imersão 1
(ConSePS 2015) imersão 1 (ConSePS 2015) imersão 1
(ConSePS 2015) imersão 1
 
Caderno Temático: As multimídias como ferramentas didáticas na escola paranaense
Caderno Temático: As multimídias como ferramentas didáticas na escola paranaenseCaderno Temático: As multimídias como ferramentas didáticas na escola paranaense
Caderno Temático: As multimídias como ferramentas didáticas na escola paranaense
 
Caderno ilustrado silmara_com tutoriais
Caderno ilustrado silmara_com tutoriaisCaderno ilustrado silmara_com tutoriais
Caderno ilustrado silmara_com tutoriais
 
Diretrizes do programa ensino integral
Diretrizes do programa ensino integralDiretrizes do programa ensino integral
Diretrizes do programa ensino integral
 
Seminário Projeto Escola Municipal de Saúde - Coop. Téc. Internacional
Seminário Projeto Escola Municipal de Saúde - Coop. Téc. InternacionalSeminário Projeto Escola Municipal de Saúde - Coop. Téc. Internacional
Seminário Projeto Escola Municipal de Saúde - Coop. Téc. Internacional
 
Aula 01 pc
Aula 01 pcAula 01 pc
Aula 01 pc
 
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docxCópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
 
CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdf
CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdfCURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdf
CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO - live.pdf
 
Prática docentes vivenciadas no PIBID e sua infalência na formação de novos P...
Prática docentes vivenciadas no PIBID e sua infalência na formação de novos P...Prática docentes vivenciadas no PIBID e sua infalência na formação de novos P...
Prática docentes vivenciadas no PIBID e sua infalência na formação de novos P...
 
1_Manual_Estagio_Hibrido_Ensino_pdf.pdf
1_Manual_Estagio_Hibrido_Ensino_pdf.pdf1_Manual_Estagio_Hibrido_Ensino_pdf.pdf
1_Manual_Estagio_Hibrido_Ensino_pdf.pdf
 
Plano rafael
Plano rafaelPlano rafael
Plano rafael
 
curriculo.pdf
curriculo.pdfcurriculo.pdf
curriculo.pdf
 
Apresenta visita técnica mt
Apresenta   visita técnica  mtApresenta   visita técnica  mt
Apresenta visita técnica mt
 
II - Realizar atividades de gestão educacional nos diversos espaços instituci...
II - Realizar atividades de gestão educacional nos diversos espaços instituci...II - Realizar atividades de gestão educacional nos diversos espaços instituci...
II - Realizar atividades de gestão educacional nos diversos espaços instituci...
 
MAPPA_LGG site.pdf
MAPPA_LGG site.pdfMAPPA_LGG site.pdf
MAPPA_LGG site.pdf
 
MAPPA_LGG_UC1.pdf
MAPPA_LGG_UC1.pdfMAPPA_LGG_UC1.pdf
MAPPA_LGG_UC1.pdf
 
Plano estratégico ESEnfCVPOA
Plano estratégico ESEnfCVPOAPlano estratégico ESEnfCVPOA
Plano estratégico ESEnfCVPOA
 
HISTÓRIA - LICENCIATURA
HISTÓRIA - LICENCIATURAHISTÓRIA - LICENCIATURA
HISTÓRIA - LICENCIATURA
 
O objetivo de aprendizagem do programa de extensão em Inovação e Empreendedor...
O objetivo de aprendizagem do programa de extensão em Inovação e Empreendedor...O objetivo de aprendizagem do programa de extensão em Inovação e Empreendedor...
O objetivo de aprendizagem do programa de extensão em Inovação e Empreendedor...
 

Último

sistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptxsistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
CarladeOliveira25
 
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
Renandantas16
 
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdfAula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
lucianatorresdemelo
 

Último (12)

Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptxsistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
 
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIAMERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
 
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
 
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
 
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
 
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
 
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdfAula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
 
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptxProfissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
 
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdf
 

Agente De Desenvolvimento Cooperativista (208).pdf

  • 1. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC AGENTE DE DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA CAMPUS GUARABIRA
  • 2. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - IFPB REITORIA Cícero Nicácio do Nascimento Lopes| Reitor Vania Maria de Medeiros| Pró-Reitora de Extensão Dimas Brasileiro Veras | Diretor de Gestão das Atividades de Extensão Paulo DiTarso Maciel Júnior | Diretor de Extensão Tecnológica e Assuntos Comunitários COORDENAÇÃO GERAL DO PRONATEC Ivanilda Matias Gentle | Coordenadora Geral Gilcean Silva Alves | Coordenador Adjunto CAMPUS GUARABIRA Sabrina da Costa Rocha| Coordenador de Pesquisa e Extensão Golbery de O. Chagas Aguiar Rodrigues| Coordenador Adjunto PRONATEC Ticiana Q. Guedes Cunha| Coordenadora Adjunta PRONATEC
  • 3. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 Resolução CS-IFPB n. 111 / 2012 CS / IFPB PLANO PEDAGÓGICO DE CURSO – FIC CAMPUS: Guarabira EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios 1. CURSO AGENTE DE DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA (PACTUAÇÃO 2014) 2. Contextualização da(s) localidade(s) onde ocorrerá o curso O município de Guarabira, bem como as cidades circunvizinhas, é fortemente marcado pela presença de seguimentos do ramo comercial e agropecuário. Uma boa parte desses comerciantes e agropecuaristas não possui o curso de capacitação na área. O curso em tela será executado na unidade remota do campus Guarabira no Sítio Tananduba, município de Guarabira/PB, como também no município de Pedro Régis. Essa comunidade rural planeja organizar uma associação e na chamada pública que o Pronatec/IFPB, campus Guarabira, organiza, solicitou o curso de Agente de desenvolvimento cooperativista, para que capacitasse pessoas da comunidade para implementar a iniciativa cooperativista. 3. Justificativa pela escolha da formação inicial e continuada / qualificação profissional Diante da demanda existente no país de qualificação profissional o IFPB – Campus Guarabira, com a estrutura já existente, se propõe a participar do Programa de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego – PRONATEC, entendendo que o referido programa contribuirá para o fortalecimento das atividades de extensão deste Campus, ampliará as parcerias e intercâmbios interinstitucionais, favorecendo cada vez mais o fortalecimento da Instituição na região, cumprindo assim, seu papel social de promover oportunidades que possibilitem a melhoria da qualidade de vida da população regional. 4. Objetivos do curso Objetivo Geral +Formar o profissional para atuar na formação, desenvolvimento e gestão de cooperativas do setor comercial e agropecuário, planejando e executando os processos cooperativos nas diversas áreas de atuação da região e áreas circunvizinhas. Objetivos Específicos +Desenvolver a formação e o desenvolvimento de cooperativas, fundamentado nos princípios éticos e políticos; +Atuar na gestão de contratos de cooperativas, assegurando o cumprimento da legislação trabalhista; +Prestar assistência e serviços em cooperativas, bem como atuar como fundador de cooperativas convicto de um espírito de empreendedor; +Executar pesquisas em cooperativismo, contribuindo com a reflexão e ampliação da atuação, dos princípios e das finalidades do cooperativismo. C. H. Formação Profissional 160 hs C. H. Complementar 48 hs Carga horária Total 208 hs
  • 4. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 Duração do curso 04 meses, aproximadamente Qtd. de vagas ofertadas 30 Qtd. de turmas ofertadas 02 5. Requisito de escolaridade: Ensino Médio Incompleto 6. Descrição da forma de acesso (processo de seleção) O processo seletivo, definido pelo CRAS, refere-se aos trinta primeiros inscritos. A forma de acesso se dará conforme estabelecido pela Resolução CD/FNDE nº 04 de 16 de março de 2012, relativo às demandas o MDS e M.T.E. No caso da Bolsa-formação Estudante, os critérios de acesso são definidos pelo Centro de Referência de Assistência Social - CRAS. 7. Perfil profissional do egresso Trabalhador que vai desempenhar a função de Agente de Desenvolvimento Cooperativista. 8. Critérios de avaliação da aprendizagem Avaliação continuada e de competências, conforme descrito na Resolução CS/IFPB nº111, de 14 de julho de 2012. 9. Descrição dos equipamentos utilizados 10. Instalações Salas de aulas, biblioteca, refeitório, banheiros, sala de professores, sala de apoio ao aluno e ao professor. 11. Salas de aula Quadro branco, datashow, mesa para o professor, carteiras, caixas de som para PC. 12. Laboratório Desenvolvimento de aulas laboratoriais (práticas), em lojas, bancos e feiras da região. 13. Assistência estudantil Vale transporte, lanche, material didático e fardamento. 14. Certificados Emitidos pela coordenação adjunta do programa e registrado pela coordenação geral do programa e pela pró-reitoria de extensão do IFPB.
  • 5. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 15. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR MATRIZ CURRICULAR - 2014 NÚCLEO FUNDAMENTAL EIXO: Mulher, Identidade, Cultura e Cidadania DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA Identificação de Conhecimentos e Habilidades Previamente Adquiridas. 12 Desenvolvimento Pessoal e Relacionamentos 12 Subtotal 24 NÚCLEO ARTICULADOR EIXO: Trabalho e Sustentabilidade DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA Saúde da Mulher e Qualidade de Vida. 12 Cooperativismo e Economia Solidária. 12 Subtotal 24 NÚCLEO TECNOLÓGICO EIXO: Tecnológico (Profissional) DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA Fundamentos do Cooperativismo 30 Legislação Cooperativista 30 Administração de Empresas Cooperativas 30 Direito do Consumidor 30 Projeto de Empresas Cooperativistas (Empreendedorismo) 20 Motivação e Trabalho em Equipe 20 Subtotal 160 TOTAL 208 Aulas de 60 min
  • 6. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 16. QUADRO DE PESSOAL PROFISSIONAIS QUANTIDADE Coordenador Adjunto 01 Supervisor (interno e externo) 02 Apoio às atividades acadêmicas administrativas 01 Professores 10 TOTAL 13 17. REFERÊNCIAS - Lei nº 12.513, de 26 de outubro de 2011. - MEC/SETEC – Guia Pronatec de Cursos FIC, 2013.( 3ª Edição) (www.pronatec.mec.gov.br/fic/) - MEC/SETEC - Documento de Referência para Bolsa-formação Trabalhador no âmbito do - Pronatec, 2012. - Resolução CD/FNDE nº 04 de 16 de março de 2012. - Resolução CD/FNDE nº 72, de 20 de dezembro de 2011. - Resolução CNE/CEB nº 06, de 20 de setembro de 2012. - Portaria nº 168, de 07 de março de 2013. - Portaria MEC n° 1.015, de 21 de julho de 2011. 18. LISTA DE MATERIAIS DE CONSUMO UTILIZADOS NO CURSO DESCRIÇÃO QUANTIDADE PREÇO UNITÁRIO
  • 7. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 19. PLANOS DE DISCIPLINAS Núcleo Fundamental PLANO DE DISCIPLINA Componente curricular: IDENTIFICAÇÃO DE CONHECIMENTOS E HABILIDADES PREVIAMENTE ADQUIRIDAS. Carga horária: 12h PROGRAMA EMENTA Construção do Mapa da Vida por meio de oficinas. Socialização do Mapa da Vida. Reconhecimento das vivências e saberes/Perfil Situacional das alunas por meio de oficinas. Início da construção do portfólio. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Oficina de construção do mapa da vida/representação e trajetória de vida:  Quem eu fui? Quem eu sou? Quem eu quero ser? Socialização do mapa da vida: Exposição dialogada das histórias de vidas; Vivências para a melhoria da autoestima; Oficina de reconhecimento dos saberes técnicos e profissionais; Início da construção do portfólio. OBJETIVOS DE ENSINO Geral:  Oportunizar a troca de experiências de vida das mulheres, potencializando- as como autoras das histórias de suas vidas, de seus grupos e de suas comunidades. Específicos:  Apoiar o aprendizado e estimular a reflexão sobre sua trajetória de vida na infância, juventude e maturidade;  Promover o resgate da autoestima das alunas;  Propiciar a interação e integração do grupo; Comunicar e compartilhar ideias de maneira coletiva. METODOLOGIA DE ENSINO
  • 8. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 A metodologia será desenvolvida por meio de oficinas nas quais as alunas irão contar suas histórias de vidas por meio da produção e apresentação do mapa da vida, relato de experiências, início da construção do portfólio, e aplicando a metodologia específica do programa. AVALIAÇÃO A avaliação é feita de modo contínuo de acordo com o desenvolvimento de cada aluna. REFERÊNCIAS BRASIL, SETEC/MEC. Mulheres Mil - Guia metodológico do Sistema de acesso, permanência e êxito. Disponível em: <http://portal.iff.edu.br/campus/pronatec/documentos-de referencia/Guia%20Metodologico%20do%20Sistema%20de%20Acesso- %20Permanencia%20e%20Exito%20do%20Programa%20Mulheres%20Mil.pdf/vie w> Acesso em: 09 de Nov. de 2014 PLANO DE DISCIPLINA Componente curricular: DESENVOLVIMENTO PESSOAL E RELACIONAMENTOS Carga horária: 12h PROGRAMA EMENTA Noções de Ética, Relações Interpessoais e Cidadania. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Conduta e princípios éticos do comportamento humano; Ética Empresarial; Autoestima; Relacionamentos Interpessoais; Empatia; Comunicação; Trabalho em equipe; Conceitos de Cidadania, origem e histórico de cidadania;
  • 9. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 Os diretos e deveres do cidadão: civis, políticos e sociais; OBJETIVOS DE ENSINO Geral:  Conscientizar os estudantes acerca de seus direitos e deveres, no exercício da cidadania e contribuir para a melhoria da autoestima e dos relacionamentos interpessoais. Específicos:  Propiciar a igualdade de gênero nas relações sociais, especificamente de trabalho e família.  Promover o acesso à documentação civil.  Conscientizar em relação à violência de gênero como questão de segurança, justiça e saúde pública.  Trabalhar a autoestima e melhorar relacionamentos interpessoais. METODOLOGIA DE ENSINO Aulas dialogadas; Discussões em grupo; Leitura e explicação de textos didáticos e de publicações científicas. AVALIAÇÃO A avaliação é feita de modo contínuo de acordo com o desenvolvimento de cada aluna. REFERÊNCIAS Del Prette A, Del Prette, ZAP. Psicologia das relações Interpessoais: vivências para o trabalho em grupo. Petrópolis: Vozes, 2001. BERGAMINI, Cecília W. Motivação: uma viagem ao centro do conceito. Fator Humano.V.12, 2002. Moscovici, Fela. Desenvolvimento interpessoal: treinamento em grupo - Rio de Janeiro: José Olympio, 2002. BONETTI, Alinne de Lima; ABREU, Maria Aparecida A. Faces da Desigualdade de Gênero e Raça no Brasil. Brasília: Ipea, 2011. BRABO, Tânia Suely Antonelli Marcelino (org.). Gênero, educação e política: múltiplos olhares. São Paulo: Icone, 2009 CARVALHO, José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. 10. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008. DEL PRETTE, Almir; DEL PRETTE, Zilda A. P. Psicologia das relações interpessoais: vivências para o trabalho em grupo. 1.ed. Petrópolis: Vozes,
  • 10. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 2001. FRITZEN, Silvino José. Relações humanas interpessoais: nas convivências grupais e comunitárias. 12.ed. Petrópolis: Vozes, 2001. MINICUCCI, Agostinho. Relações humanas: psicologia das relações interpessoais. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2001. Núcleo Articulador PLANO DE DISCIPLINA Componente curricular: SAÚDE DA MULHER E QUALIDADE DE VIDA Carga horária: 12h PROGRAMA EMENTA A Política Nacional de Atenção Integral a Mulher, vivências e reflexão das dimensões da corporeidade: sensibilidade, motricidade, emoção, expressão, comunicação, criatividade e consciência CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Prevenção das doenças relacionadas ao gênero feminino. 2. Doenças sexualmente transmissíveis (DST’s). 3. Doenças crônicas: diabete, hipertensão, etc. 4. Doenças associadas ao envelhecimento: osteoporose, osteoartrose, demências, etc. 5. Dualismo e sua influência no conhecimento corporal. 6. Do corpo objeto ao corpo sujeito. 7. Imagem corporal e os signos tatuados no corpo. 8. A construção da Autoimagem. 9. A corporeidade como condição humana.
  • 11. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 OBJETIVOS DE ENSINO Geral:  Conscientizar os estudantes sobre a importância da prevenção de doenças para a melhoria da saúde e da qualidade de vida. Específicos:  Vivenciar dimensões expressivas da corporeidade por meio de jogos teatrais e comunicação não verbal, explorando a ludicidade na construção da autoimagem;  Refletir sobre o corpo no cotidiano e a construção histórica da corporeidade da mulher.  Fazer reflexão sobre saúde e qualidade de vida. METODOLOGIA DE ENSINO Aulas dialogadas; Discussões em grupo; Leitura e explicação de textos didáticos e de publicações científicas. AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM A avaliação é feita de modo contínuo de acordo com o desenvolvimento de cada aluna. REFERÊNCIAS 1. ASSMANN, H. Paradigmas educacionais e corporeidade. Piracicaba: UNIMEP, 1995. 2. ATLAS, Equipe. Segurança e medicina do trabalho: Lei nº 6.514, de 22 de Dezembro de 1977. 63. ed. São Paulo: Atlas, 2009. 3. BERTERAT, T. As estações do corpo: aprenda a olhar o seu corpo para manter a forma. São Paulo: Martins Fontes, 1995. 4. CHOPRA, D. Corpo sem idade, mente sem fronteiras. Rio de Janeiro: Rocio, 1995. 5. DAVIS, P. O poder do toque. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1990. 6. _____. O poder da transformação: a dinâmica do corpo e da mente. São Paulo: Summus, 1994. 7. FREIRE, J. B. O sensível e o inteligível: novos olhares sobre o corpo. Tese de doutorado. São Paulo, USP, 1991. 8. GONÇALVES, M. A. S. Sentir, pensar, agir: corporeidade e educação. Campinas: Papirus, 1994. 9. PRADRO, Cintra. Atualização Terapêutica: Diagnóstico e Tratamento 2012/13. [s.l.]: Artes Médicas, 2012. 10. SANTIN, S. Perspectivas na visão da corporeidade. In: Wagner W. Moreira (Org.) Educação física & 12-esportes: perspectivas para o século XXI. Campinas: Papirus, 1992. Bibliografia
  • 12. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 Complementar 11. LEPARGNEUR, H. Consciência, corpo e mente. Campinas, SP: Papirus, 1994. 12. LOWEN, A. Prazer: uma abordagem criativa da vida. São Paulo: Summus, 1984. 13. REGIS DE MORAES, J. F. Consciência corporal e dimensionamento o futuro. In: Wagner W. Moreira (Org.) Educação Física & esportes: perspectivas para o século XXI. Campinas: Papirus, 1992. 14. WIENER et al. Princípios da Medicina Interna. 17.ed. [s.l.]: Revinter, 2012 PLANO DE DISCIPLINA Componente curricular: COOPERATIVISMO E ECONOMIA SOLIDÁRIA Carga horária: 12 PROGRAMA EMENTA A disciplina busca instruir os estudantes sobre noções de empreendedorismo, cooperativismo e economia solidária como forma de gerar ocupação e renda. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Conceito de empreendedorismo, economia solidária, economia popular; gestão empreendedora; oportunidade de negócios; criatividade e visão empreendedora da mulher; órgão e instituição de apoio a geração de empreendimentos inovadores; associativismo e cooperativismo como forma de gerar ocupação e renda. OBJETIVOS DE ENSINO Geral:  Capacitar o aluno a conhecer os mecanismos de formação de cooperativas e redes para conscientiza-lo da importância e efetividade da economia solidária e do trabalho em rede. Específicos:  Conhecer o contexto histórico e os princípios da ECONOMIA SOLIDÁRIA, no mundo e no Brasil;  Construir estratégias comerciais na perspectiva da economia solidária; Conhecer sobre leis cooperativistas e suas práticas bem como sua relação com a economia solidária.
  • 13. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 METODOLOGIA DE ENSINO Aulas dialogadas; Discussões em grupo; Leitura e explicação de textos didáticos e de publicações científicas. AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM A avaliação é feita de modo contínuo de acordo com o desenvolvimento de cada aluna. REFERÊNCIAS Básica BRASIL. Economia Solidária, outra economia acontece: Cartilha da Campanha Nacional de Mobilização Social – Brasília: MET, SENAES, FBES, 2007. BRASIL. Manual para formadores: descobrindo a outra economia que já acontece – Brasília: MTE SENAES, 2007 BRASIL escola Disponível em: <http://www.brasilescola.com/>. Acesso em: 28 dez. 2011. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO. Brasil escola. Disponível em: <http://www.mda.gov.br/portal/>. Acesso em: 28 dez. 2011. FACES do Brasil Disponível em: <http://www.facesdobrasil.org.br/>. Acesso em: 28 dez. 2011. OLIVEIRA, Benedito Anselmo M. de. COPROCOL: um caso de contra poder cooperativo? Lavras: UFLA, 1996, 132 p. (Dissertação de Mestrado). SINGER, Paul. Introdução à economia solidária. São Paulo: Ed. Perseu Abramo, 2002. Complementar CATTANI, Antônio David (Org.) A outra economia. Porto Alegre: Editora Veraz. 2003. 306 p. FARIA, J. H. Relações de poder e formas de gestão. Curitiba: Ed. Criar, CDE/FAE, 1985,87 p. GUIMARÃES, Gonçalo, (Org.). Sindicalismo e cooperativismo. São Paulo/Rio de Janeiro: ITCP-COPPE/RITCP’s/UNITRABALHO, 1999. LEITÃO, Gilvandro Sá. O que é cooperativismo. São Paulo: Ed. Brasiliense. 1986.
  • 14. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 Núcleo Tecnológico PLANO DE DISCIPLINA Componente curricular: FUNDAMENTOS DO COOPERATIVISMO Carga horária: 30 PROGRAMA EMENTA A disciplina busca instruir os estudantes sobre Fundamentos; doutrina; história; filosofia; princípios; realizadores; e precursores do Cooperativismo como forma de gerar ocupação e renda. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Fundação e funcionamento de cooperativas; 2. Classificação e organização das cooperativas 3. Ramos do Cooperativismo no Brasil 4. Fundamentos do Cooperativismo 5. Doutrina do Cooperativismo 6. História do Cooperativismo 7. Princípios do Cooperativismo 8. Realizadores do Cooperativismo 9. Precursores do Cooperativismo OBJETIVOS DE ENSINO Geral:  Apresentar os Fundamentos do Cooperativismo aos alunos no contexto teórico e prático durante o curso. Específicos:  -Proporcionar ao participante do curso uma compreensão geral acerca dos fundamentos do cooperativismo;  -Promover conhecimento sobre a doutrina, história, realizadores e precursores do cooperativismo;  -Proporcionar atividades que sensibilizem o participante a perceber a forma correta de aplicar os princípios do cooperativismo.  -Promover conhecimento sobre as formas de trabalhos cooperativos e associativismo.
  • 15. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 METODOLOGIA DE ENSINO Aulas dialogadas; Discussões em grupo; Leitura e explicação de textos didáticos e de publicações científicas. AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM A avaliação é feita de modo contínuo de acordo com o desenvolvimento de cada aluna. REFERÊNCIAS Básica BRASIL. Economia Solidária, outra economia acontece: Cartilha da Campanha Nacional de Mobilização Social – Brasília: MET, SENAES, FBES, 2007. BRASIL. Manual para formadores: descobrindo a outra economia que já acontece – Brasília: MTE SENAES, 2007 BRASIL escola Disponível em: <http://www.brasilescola.com/>. Acesso em: 28 dez. 2011. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO. Brasil escola. Disponível em: <http://www.mda.gov.br/portal/>. Acesso em: 28 dez. 2011. FACES do Brasil Disponível em: <http://www.facesdobrasil.org.br/>. Acesso em: 28 dez. 2011. OLIVEIRA, Benedito Anselmo M. de. COPROCOL: um caso de contra poder cooperativo? Lavras: UFLA, 1996, 132 p. (Dissertação de Mestrado). SINGER, Paul. Introdução à economia solidária. São Paulo: Ed. Perseu Abramo, 2002. Complementar CATTANI, Antônio David (Org.) A outra economia. Porto Alegre: Editora Veraz. 2003. 306 p. FARIA, J. H. Relações de poder e formas de gestão. Curitiba: Ed. Criar, CDE/FAE, 1985,87 p. GUIMARÃES, Gonçalo, (Org.). Sindicalismo e cooperativismo. São Paulo/Rio de Janeiro: ITCP-COPPE/RITCP’s/UNITRABALHO, 1999. LEITÃO, Gilvandro Sá. O que é cooperativismo. São Paulo: Ed. Brasiliense. 1986.
  • 16. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 PLANOS DE ENSINO Curso: Agente de desenvolvimento coopearativista Eixo tecnológico: Gestão e negócios Disciplina: Legislação Cooperativista Carga Horária: 30h Ementa: Legislação Cooperativista, Lei Nº 5.764, de 16 de dezembro de 1971. Conteúdo Programático CAPÍTULO I - Da Política Nacional de Cooperativismo; CAPÍTULO II -Das Sociedades Cooperativas; CAPÍTULO III - Do Objetivo e Classificação das Sociedades Cooperativas; CAPÍTULO IV - Da Constituição das Sociedades Cooperativas; CAPÍTULO V - Dos Livros; CAPÍTULO VI - Do Capital Social; CAPÍTULO VII - Dos Fundos; CAPÍTULO VIII - Dos Associados; CAPÍTULO IX - Dos Órgãos Sociais; CAPÍTULO X - Fusão, Incorporação e Desmembramento; CAPÍTULO XI - Da Dissolução e Liquidação; CAPÍTULO XII - Do Sistema Operacional das Cooperativas; CAPÍTULO XIII - Da Fiscalização e Controle; CAPÍTULO XIV - Do Conselho Nacional de Cooperativismo; CAPÍTULO XV - Dos Órgãos Governamentais; CAPÍTULO XVI - Da Representação do Sistema Cooperativista; CAPÍTULO XVII - Dos Estímulos Creditícios; CAPÍTULO XVIII - Das Disposições Gerais e Transitórias. Objetivo Geral - Apresentar a Legislação Cooperativista aos alunos no contexto teórico e prático durante o curso. Objetivo Específico -Proporcionar ao participante do curso uma compreensão geral acerca da Legislação Cooperativista; - Promover conhecimento sobre a Política Nacional de Cooperativismo, Das Sociedades Cooperativas, Do Objetivo e Classificação das Sociedades Cooperativas, Da Constituição das Sociedades Cooperativas, Dos Livros, Do Capital Social,Dos Fundos, Dos
  • 17. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 Associados, Dos Órgãos Sociais, Fusão, Incorporação e Desmembramento, Da Dissolução e Liquidação, Do Sistema Operacional das Cooperativas, Da Fiscalização e Controle, Do Conselho Nacional de Cooperativismo, Dos Órgãos Governamentais, Da Representação do Sistema Cooperativista, Dos Estímulos Creditícios, Das Disposições Gerais e Transitórias; -Proporcionar atividades que sensibilizem o participante a perceber a forma correta de aplicar a Legislação Cooperativista. Metodologia Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de textos e ainda trabalhos individuais e de grupo. Avaliação Seminários, leituras e produção de textos e trabalhos individuais e em grupo. Referências http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5764.htm‎ . Acesso em: 03 junho 2013. PLANOS DE ENSINO Curso: Agente de desenvolvimento coopearativista Eixo tecnológico: Gestão e negócios Disciplina: Administração de Empresas Cooperativistas Carga Horária: 30h Ementa: Histórico do Cooperativismo. O Cooperativismo e o Contexto Econômico Brasileiro e Internacional. A Empresa Cooperativa. A Moderna Administração em Cooperativas. Direção e Gestão de Empresas Cooperativas. Modernização, Globalização e Competitividade. A Nova Geração de Cooperativas. Reformas no cooperativismo. Conteúdo Programático 1 – Breve História da Cooperação; 2 –A Moderna Administração de Cooperativas; 3 – Poder e Decisão em Cooperativas; 4 –Eficiência Empresarial e Relacões com Associados. Objetivo Geral
  • 18. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 Oportunizar a reflexão sobre aspectos teóricos e práticos do cooperativismo tendo em vista os impactos das transformações na economia e na sociedade mundial. Objetivo Específico -Proporcionar ao participante do curso uma compreensão geral acerca da Administração de Empresas Cooperativistas; -Promover conhecimento sobre as formas de trabalhos em empresas cooperativistas. Metodologia Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de textos e ainda trabalhos individuais e de grupo. Avaliação Seminários, leituras e produção de textos e trabalhos individuais e em grupo. Referências VALADARES, José Horta.A Moderna Administração em Cooperativas. Rio de Janeiro.– MBA em Gestão Empresarial em Cooperativas de Saúde – Realização Fundação Getulio Vargas – Cursos‎“in‎Company”. http://www.administracaovirtual.com/Acesso em: 03 junho 2013. PLANOS DE ENSINO Curso: Agente de desenvolvimento Cooperativista Eixo tecnológico: Gestão e negócios Disciplina: Direito do Consumidor Carga Horária: 30h Ementa: Código de Defesa do Consumidor. Política nacional das relações de consumo. Conceitos e relação entre consumidor e fornecedor. Prevenção e reparação de danos. Responsabilidade por fato e vício do produto e serviço. Garantia legal e contratual dos produtos e serviços. Oferta e publicidade. Sanções. Conteúdo Programático 1. Introdução 2. Breve relato histórico 3. Panorama do direito do consumidor no Brasil
  • 19. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 4. Conceitos 4.1. Consumidor 4.2. Fornecedor 4.3. Relação de consumo 5. Prevenção e reparação dos danos 5.1. Direitos básicos 6. Responsabilidade civil no CDC 6.1. Responsabilidade pelo fato do produto e do serviço 6.2. Responsabilidade pelo vício do produto e do serviço 7. Garantias 7.1. Garantia legal de adequação 7.2. Garantia contratual 8. Oferta e publicidade 8.1. Princípios e requisitos da oferta 8.2. Publicidade enganosa 8.3. Publicidade abusiva 9. Sanções 10. Conclusão Objetivo Geral - Apresentar o Direito do Consumidor aos alunos no contexto teórico e prático durante o curso. Objetivo Específico  -Proporcionar ao participante do curso uma compreensão geral acerca dos direitos do consumidor; -Promover conhecimento sobre a responsabilidade civil dos fornecedores nas relações de consumo; -Proporcionar atividades que sensibilizem o participante a perceber a forma correta de informar e ofertar produtos e serviços aos consumidores; -Promover conhecimento sobre as formas de sanções e suas conseqüências para os fornecedores. Metodologia Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de textos e ainda trabalhos individuais e de grupo. Avaliação Seminários, leituras e produção de textos e trabalhos individuais e em grupo.
  • 20. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 Referências http//programatraineegrupocanopus.files.wordpress.com/.../apostila-direito-do...‎ Acesso em: 03 junho 2013. PLANOS DE ENSINO Curso: Agente de desenvolvimento cooperativista Eixo tecnológico: Gestão e negócios Disciplina: Empreendedorismo Carga Horária: 20h Ementa: Empreendedorismo, empreendimento e empresa; oportunidade de negócios, criatividade e visão empreendedora; formação e desenvolvimento de empreendedores; o perfil do empreendedor de sucesso; planejamento, ferramentas de gestão e avaliação de empreendimentos; a oferta de trabalho e a iniciativa empreendedorista; políticas e estratégias competitivas para os empreendimentos emergentes; órgãos e instituições de apoio à geração de empreendimentos inovadores; elaboração de planos de negócios. Conteúdo Programático Processo Empreendedor O que é um negócio? O que é empreendedorismo? O ensino do empreendedorismo. Vantagens e desvantagens de ser um empreendedor. Ambiente e Características de Negócios O dinâmico ambiente dos negócios. Classificação das empresas pelo porte. Constituição formal da empresa. Como escolher o negócio adequado. Formação e Desenvolvimento de Empreendedores Características de um negócio bem sucedido. Perfil empreendedor. O empreendedor como administrador geral do negócio. Atividades de alta alavancagem. Profissionais e instituições de apoio ao negócio. Criatividade e Visão Empreendedora Diferenciando idéias de oportunidades. Fontes de novas idéias. Avaliando uma oportunidade. Oportunidades na Internet e Web.
  • 21. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 Tendências. Gestão do Empreendimento Descrição e apresentação da empresa Plano de gestão de pessoas. Plano de marketing. Plano operacional. Plano financeiro. Planejamento Estratégico O que é planejamento? Estratégia e planejamento estratégico. Estratégias competitivas, de crescimento e de estabilidade. Outras estratégias genéricas. Implementação, acompanhamento, controle e avaliação. Avaliação do Empreendimento Indicadores de desempenho do negócio. Elaboração do Plano de Negócios O que é o plano de negócios? A importância do plano de negócios. Estrutura do plano de negócios. Utilidades do plano de negócios. Objetivo Geral Fomentar o desenvolvimento de novos empreendedores, sintonizados com as novas tendências mundiais, avaliando a situação do emprego e identificando oportunidades para aplicar os conhecimentos de forma criativa, gerando empreendimentos de alta importância e relevância para a sociedade. Objetivo Específico Instrumentalizar os alunos para a identificação de oportunidades de novos empreendimentos na área de conhecimento; Fornecer conhecimentos e ferramentas auxiliares à gestão desses empreendimentos. Orientar o desenvolvimento de competências em gestão de negócios; Desenvolver o senso crítico, a percepção e identificação de estratégias inovadoras, para a aplicação dos conhecimentos no campo econômico, político e/ou social. Metodologia Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de
  • 22. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 textos e ainda trabalhos individuais e de grupo. Avaliação Seminários, leituras e produção de textos e trabalhos individuais e em grupo. Referências DORNELAS, José Carlos Assis. Empreendedorismo: transformando idéias em negócios.2.ed. Rio de Janeiro: Campus, 2001. PLANO DE DISCIPLINA / MÓDULO – PRONATEC - FIC COMPONENTE CURRICULAR: Motivação e Trabalho em Equipe CARGA HORÁRIA: 20 h DOCENTE RESPONSÁVEL: EMENTA Motivação; Processos Motivacionais; Trabalho em equipe; Como Motivar uma equipe. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Motivação. Motivação no contexto organizacional. Grupo X Equipe. Trabalho em Equipe. Administração de conflitos e negociação Qualidade de vida no trabalho Assédio moral no trabalho OBJETIVO GERAL Apresentar as teorias da Motivação. Conceituar Equipe de Trabalho. Refletir sobre a importância do trabalho em equipe para o sucesso das organizações OBJETIVO ESPECÍFICO Contextualizar sobre a importância da motivação nas organizações;Proporcionar vivências sobre o trabalho em equipe.
  • 23. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 METODOLOGIA Aulas teóricas expositivas, dinâmica de grupo. AVALIAÇÃO Trabalhos individuais e em grupo REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. CHIAVENATO, Idalberto. Gerenciando pessoas: o passo decisivo para a administração participativa. 3° Ed. São Paulo: Makron Books, 1994. 2. HITT, Michael A. Comportamento Organizacional: uma abordagem estratégica. Rio de Janeiro: LCT, 2011. 3. ROBBINS, Stephen P. Comportamento Organizacional. 11° Ed. São Paulo: Pearson 4. MOSCOVICI, Fela. Desenvolvimento Interpessoal: treinamento em grupo. 3 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1985. 5. BRUCE, Anne. Como Motivar Sua Equipe. Rio de Janeiro: Sextante, 2006 PLANOS DE ENSINO Curso: Agente de desenvolvimento cooperativista Eixo tecnológico: Gestão e negócios Disciplina: Inglês Instrumental Carga Horária: 12h Ementa: Dicas e/ou Estratégias que facilitam a compreensão de textos em língua inglesa. Dates; Days of the Week; Months of the Year; Hours. Coloquial Correspondence. Aplication Letter to Job. Commercial Correspondence. Curriculum Vitae – resumé. Texts. Conteúdo Programático Dicas e/ou Estratégias que facilitam a compreensão de textos em língua inglesa • Dates; Days of the Week; Months of the Year; Hours. • Coloquial Correspondence • Personal questions • Personal Details • Introducing yourself • Composition • Aplication Letter to Job
  • 24. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 • Understanding Job Ads • How to aplly to Job • How to Fill applications • Commercial Correspondence • Envelope • Address • Body of the letter • Curriculum Vitae – resumé • Personal Information; Nationality; city; Occupations • Historical Life of the Student • Texts • Text comprehension Objetivo geral Conhecer a importância da Língua Inglesa no mundo eletrônico; Analisar e interpretar textos técnicos em inglês básico. Conhecer as técnicas de leitura; Conhecer as formas de interpretar textos; Compreender Glossário de termos técnicos; Identificar a língua inglesa como instrumento de acesso a informações, a outras culturas e grupos sociais. Objetivos específicos Ser capaz de ler e interpretar textos; Ler palavras necessárias para configuração de equipamentos eletrônicos; Recorrer às tecnologias de apoio como dicionário e gramática, informatizados ou não. Metodologia Aulas teóricas expositivas e aulas práticas em laboratório Avaliação Avaliações escritas e práticas; Trabalhos individuais e em grupo (listas de exercícios, estudos dirigidos, pesquisas) Referências bibliográficas “Basic Pneumatics” Copyright 1971,1974 by Technical Publishing Company, Barrington, Illinois. Munhoz, Rosângela. Inglês Instrumental: Estratégias de leitura – Módulo I. São Paulo: Texto Novo, 2002.
  • 25. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 PLANO DE DISCIPLINA / MÓDULO – PRONATEC – FIC COMPONENTE CURRICULAR: Relações Interpessoais CARGA HORÁRIA: 12 h DOCENTE RESPONSÁVEL: EMENTA Relações interpessoais e inter-grupais, comunicação e dinâmica de grupo. A liderança e seus reflexos nas organizações. As teorias e modelos conceituais dos problemas atuais nas organizações. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Fundamentos, objetivos e importância das Relações Interpessoais e inter-grupais. OBJETIVO GERAL Apresentar os Fundamentos da Relação Interpessoal aos alunos no contexto teórico e prático durante o curso. OBJETIVO ESPECÍFICO Proporcionar ao participante do curso uma compreensão geral acerca dos fundamentos de relação interpessoal; Promover conhecimento teórico e prático com os alunos sobre os fundamentos de relação interpessoal. METODOLOGIA Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de textos e ainda trabalhos individuais e de grupo. AVALIAÇÃO Seminários, leituras e produção de textos e trabalhos individuais e em grupo. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Del Prette A, Del Prette, ZAP.Psicologia das relações Interpessoais: vivências para o
  • 26. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 trabalho em grupo. Petrópolis: Vozes, 2001. BERGAMINI, Cecília W. Motivação: uma viagem ao centro do conceito. Fator Humano.V.12, 2002. Moscovici, Fela. Desenvolvimento interpessoal: treinamento em grupo-Rio de Janeiro: José Olympio, 2002. PLANOS DE ENSINO Curso: Agente de desenvolvimento cooperativista Eixo tecnológico: Gestão e negócios Disciplina: Leitura e produção de textos Carga Horária: 12h Ementa Organização do texto escrito, discurso e gêneros técnicos e acadêmicos Objetivos - Identificar marcas estilísticas caracterizadoras da linguagem técnica, científica e/ou acadêmica; - Reconhecer traços configuradores de gêneros técnicos, científicos e/ou acadêmicos (especialmente do Resumo, da Resenha, do Relatório e do Artigo científico); - Estudar a progressão discursiva em Resenha, Relatório e Artigo; - Expressar-se em estilo adequado aos gêneros técnicos, científicos e/ou acadêmicos; - Utilizar-se de estratégias de pessoalização e impessoalização da linguagem; - Citar o discurso alheio de forma pertinente e de acordo com as convenções da ABNT; - Produzir Resumo, Resenha, Relatório e Artigo científico, conforme diretrizes expostas na disciplina. Conteúdo Programático 1. Organização do texto escrito de natureza técnica, científica e/ou acadêmica; 1.1. Características da linguagem técnica, científica e/ou acadêmica; 1.2. Sinalização da progressão discursiva entre frases, parágrafos e outras partes do texto; 1.3. Estratégias da pessoalização e de impessoalização da linguagem; 2. Discurso alheio no texto escrito de natureza técnica, científica e/ou acadêmica; 2.1. Formas básicas de citação do discurso alheio: discurso direto, indireto, modalização em discurso, segundo a ilha textual; 2.2. Convenções da ABNT, para as citações do discurso alheio; 3. Gêneros técnicos, científicos e/ou acadêmicos: Resumo, Resenha, Relatório e Artigo científico; 3.1. Estrutura composicional e estilo. Metodologia de Ensino
  • 27. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 Aula dialogada, leitura dirigida, discussão e exercícios. Avaliação de ensino e de aprendizagem Contínua por meio de atividades orais e escritas, individuais e em grupo Recursos necessários - Quadro branco; - Marcadores para quadro branco; - sala de aula com microcomputador e TV, projetor multimídia. Referências bibliográficas ALEXANDRE, M. J. de O. A construção do trabalho científico: um guia para projetos, pesquisas e relatórios científicos. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS: NBR 10520: Informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2002. BECHARA, E. Gramática escolar da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001. 2.19. Metodologia Aulas expositivas dialogadas, com a utilização de textos relacionados aos conteúdos desenvolvidos, vídeos referentes às disciplinas, aplicação de exercícios descritivo-associativos a área do curso. PLANO DE DISCIPLINA / MÓDULO – PRONATEC - FIC COMPONENTE CURRICULAR: Ética e Cidadania CARGA HORÁRIA: 12 h DOCENTE RESPONSÁVEL: EMENTA Concepção da ética e da cidadania suas interpelações e uso no cotidiano. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
  • 28. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 1. Concepção de ética 2. Concepção de cidadania 3. Relação entre ética e cidadania 4. Ética e cidadania no cotidiano OBJETIVO GERAL Compreender o que é Ética e Cidadania e suas relações com a vida em sociedade. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Desenvolver uma compreensão básica acerca da ética, bem como da sua relação com a moral e os valores; Conscientizar o educando quanto à importância de identificar e refletir criticamente sobre o referencial axiológico que orienta um dado sujeito moral em suas relações sociais; METODOLOGIA Aulas expositivo-dialogadas, acompanhadas de debates, seminários, leituras e produção de textos e ainda trabalhos individuais e de grupo. AVALIAÇÃO Avaliações escritas e práticas; Trabalhos individuais e em grupo. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. SECRETARIA de Educação Básica - SED/MEC. Ética e cidadania: construindo valores na escola e na sociedade [recurso eletrônico]. Brasília: MEC, 2007. 2. ELIN, Elizabeth; HERSHBERG, Eric. Construindo a democracia: direitos humanos, cidadania e sociedade na América Latina. São Paulo: Edusp, 2006. 334 p. (Direitos Humanos ; v. 1). 3. BUFFA, Ester; ARROYO, Miguel; NOSELLA, Paolo. Educação e cidadania: quem educa o cidadão?. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1988. 94 p. (Polêmicas do nosso tempo, v. 23). 4. SEVERINO, Antônio Joaquim. Filosofia da educação: construindo a cidadania. São Paulo: FTD, 1994. 152 p. (Coleção aprender e ensinar). 5. GUTIÉRREZ, Francisco; PRADO, Cruz; INSTITUTO PAULO FREIRE. Ecopedagogia e cidadania planetária. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002. 128 p. (Guia da escola cidadã).
  • 29. PPC FIC/PRONATEC 2014.2 6. COVRE, Maria de Lourdes M. O que é cidadania. São Paulo, Brasiliense, 2007. 7. DALLARI, Dalmo de Abreu. Direitos humanos e cidadania. São Paulo, 1998.