SlideShare uma empresa Scribd logo
Modelo OSI
Camada Física
Grupo 7
Componentes do Grupo
 Fernando Pereira
 Nilson Alves Pimenta Júnior
 Thayná Araujo
Índice de Apresentação
• Introdução
• Camada Física
• Métodos de Sinalização
• Métodos de Codificação
• Meios Físicos de Transmissão
• Cabo de Cobre
• Fibra Ótica
• Sem fio
• Topologias
Introdução
• Este capítulo introduz as funções gerais da camada
Física e também os padrões e protocolos que
gerenciam a transmissão de dados pelo meio físico
local.
Camada Física OSI
• A função da camada Física
é codificar os dígitos
binários que representam
quadros da camada de
Enlace de Dados em sinais,
e transmitir e receber esses
sinais através do meio físico
- fios de cobre, fibra óptica
e sem fio -, que conecta os
dispositivos de rede.
Métodos de Sinalização
• Os métodos de sinalização criados pelos organismos
internacionais, tradicionalmente alteram uma das
características físicas (amplitude, frequência ou fase) para
representar o bit. Todas essas características são
trabalhadas de acordo com o padrão de sinalização, criado
para a tecnologia em questão.
Métodos de Codificação
• Codificação é um método de converter um fluxo de
bits de dados em um código predefinido. Os
códigos são grupos de bits utilizados para fornecer
um padrão previsível que possa ser reconhecido
pelo remetente e pelo receptor.
Meios Físicos de Transmissão
• Podemos considerar que os meios físicos são
responsáveis por transportar sinais que representam
os dígitos binários, mas, estes sinais podem assumir
diversas formas, como sinais elétricos, óticos e
ondas de rádio.
Cabo de Cobre
O cabo de cobre é o meio
físico mais utilizado, nos dias
de hoje, para a transmissão
em redes
Fibra
O meio físico chamado de fibra
consiste na utilização de
cabeamento composto por fibras
feitas de vidro ou plástico, por
onde são transportados sinais de
luz.
 Sem Fio
O meio físico sem fio consiste na
transmissão de dígitos binários
utilizando sinais eletromagnéticos nas
frequências de rádio e de micro-ondas.
Uma grande característica da utilização
do meio sem fio é que a transferência
utilizando este meio não está restrita ao
meio condutor que está utilizando,
como no caso do cobre e fibra.
Topologias

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Redes Convergentes
Redes ConvergentesRedes Convergentes
Redes Convergentes
Mauro Ribeiro
 
Rede de Computadores - Cabo Coaxial
Rede de Computadores - Cabo CoaxialRede de Computadores - Cabo Coaxial
Rede de Computadores - Cabo Coaxial
Marcelo Carvalho
 
Aula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadoresAula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadores
LucasMansueto
 
Curso de redes de computador Parte 2
Curso de redes de computador Parte 2Curso de redes de computador Parte 2
Curso de redes de computador Parte 2
Djayllton Moraes
 
Equipamentos de Rede
Equipamentos de RedeEquipamentos de Rede
Equipamentos de Rede
Ana Julia F Alves Ferreira
 
Redes padroes e cabeamento
Redes padroes e cabeamentoRedes padroes e cabeamento
Redes padroes e cabeamento
Mauro Pereira
 
Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-DuplexSimplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Yohana Alves
 
Meios de transmissao
Meios de transmissaoMeios de transmissao
Meios de transmissao
Nikoameer
 
Cabeamento Estruturado
Cabeamento EstruturadoCabeamento Estruturado
Cabeamento Estruturado
Anderson Zardo
 
Modelo osi
Modelo osiModelo osi
Modelo osi
Ana Santos
 
Topologia em redes
Topologia em redesTopologia em redes
Topologia em redes
Yohana Alves
 
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fioAula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
camila_seixas
 
Cablagem
CablagemCablagem
Cablagem
ffatimacaldeira
 
Estrutura Fisica De Redes Parte I
Estrutura Fisica De Redes  Parte IEstrutura Fisica De Redes  Parte I
Estrutura Fisica De Redes Parte I
Sergio Gomes Ferreira
 
Protocolos de Redes
Protocolos de RedesProtocolos de Redes
Protocolos de Redes
Wellington Oliveira
 
A importância dos meios físicos de transmissão
A importância dos meios físicos de transmissãoA importância dos meios físicos de transmissão
A importância dos meios físicos de transmissão
H P
 
Cablagem de rede
Cablagem de redeCablagem de rede
Cablagem de rede
André Barroso
 
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte IIAula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
Dalton Martins
 
Protocolo IPv4
Protocolo IPv4Protocolo IPv4
Protocolo IPv4
André Nobre
 
Arquitetura de Redes de Computadores
 Arquitetura de Redes de Computadores Arquitetura de Redes de Computadores
Arquitetura de Redes de Computadores
Ana Julia F Alves Ferreira
 

Mais procurados (20)

Redes Convergentes
Redes ConvergentesRedes Convergentes
Redes Convergentes
 
Rede de Computadores - Cabo Coaxial
Rede de Computadores - Cabo CoaxialRede de Computadores - Cabo Coaxial
Rede de Computadores - Cabo Coaxial
 
Aula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadoresAula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadores
 
Curso de redes de computador Parte 2
Curso de redes de computador Parte 2Curso de redes de computador Parte 2
Curso de redes de computador Parte 2
 
Equipamentos de Rede
Equipamentos de RedeEquipamentos de Rede
Equipamentos de Rede
 
Redes padroes e cabeamento
Redes padroes e cabeamentoRedes padroes e cabeamento
Redes padroes e cabeamento
 
Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-DuplexSimplex, Half-Duplex e Full-Duplex
Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
 
Meios de transmissao
Meios de transmissaoMeios de transmissao
Meios de transmissao
 
Cabeamento Estruturado
Cabeamento EstruturadoCabeamento Estruturado
Cabeamento Estruturado
 
Modelo osi
Modelo osiModelo osi
Modelo osi
 
Topologia em redes
Topologia em redesTopologia em redes
Topologia em redes
 
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fioAula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
 
Cablagem
CablagemCablagem
Cablagem
 
Estrutura Fisica De Redes Parte I
Estrutura Fisica De Redes  Parte IEstrutura Fisica De Redes  Parte I
Estrutura Fisica De Redes Parte I
 
Protocolos de Redes
Protocolos de RedesProtocolos de Redes
Protocolos de Redes
 
A importância dos meios físicos de transmissão
A importância dos meios físicos de transmissãoA importância dos meios físicos de transmissão
A importância dos meios físicos de transmissão
 
Cablagem de rede
Cablagem de redeCablagem de rede
Cablagem de rede
 
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte IIAula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
 
Protocolo IPv4
Protocolo IPv4Protocolo IPv4
Protocolo IPv4
 
Arquitetura de Redes de Computadores
 Arquitetura de Redes de Computadores Arquitetura de Redes de Computadores
Arquitetura de Redes de Computadores
 

Destaque

Camada 1 do modelo osi
Camada 1 do modelo osiCamada 1 do modelo osi
Camada 1 do modelo osi
thereasonismile
 
Redes - Camada Fisica
Redes - Camada FisicaRedes - Camada Fisica
Redes - Camada Fisica
Luiz Arthur
 
Componentes da camada fisica do modelo OSI - redes de comunicação
Componentes da camada fisica do modelo OSI - redes de comunicaçãoComponentes da camada fisica do modelo OSI - redes de comunicação
Componentes da camada fisica do modelo OSI - redes de comunicação
Tudosbinformatica .blogspot.com
 
Modelo OSI
Modelo OSIModelo OSI
Modelo OSI
Ricardo Batista
 
Prova enade-computacao-2011
Prova   enade-computacao-2011Prova   enade-computacao-2011
Prova enade-computacao-2011mariainesmachado
 
Modelo osi e seus serviços
Modelo osi e seus serviçosModelo osi e seus serviços
Modelo osi e seus serviços
Luciano Rodrigues da Silva
 
Aula03 camada física - meios de transmissão
Aula03  camada física - meios de transmissãoAula03  camada física - meios de transmissão
Aula03 camada física - meios de transmissão
Carlos Veiga
 
O modelo osi
O modelo osiO modelo osi
Vantagens e desvantagens em topologias de redes
Vantagens e desvantagens em topologias de redesVantagens e desvantagens em topologias de redes
Vantagens e desvantagens em topologias de redes
Marco Martins
 
Modelo OSI - Camada de Rede
Modelo OSI - Camada de RedeModelo OSI - Camada de Rede
Modelo OSI - Camada de Rede
Walyson Vëras
 
Modelo osi
Modelo osiModelo osi

Destaque (11)

Camada 1 do modelo osi
Camada 1 do modelo osiCamada 1 do modelo osi
Camada 1 do modelo osi
 
Redes - Camada Fisica
Redes - Camada FisicaRedes - Camada Fisica
Redes - Camada Fisica
 
Componentes da camada fisica do modelo OSI - redes de comunicação
Componentes da camada fisica do modelo OSI - redes de comunicaçãoComponentes da camada fisica do modelo OSI - redes de comunicação
Componentes da camada fisica do modelo OSI - redes de comunicação
 
Modelo OSI
Modelo OSIModelo OSI
Modelo OSI
 
Prova enade-computacao-2011
Prova   enade-computacao-2011Prova   enade-computacao-2011
Prova enade-computacao-2011
 
Modelo osi e seus serviços
Modelo osi e seus serviçosModelo osi e seus serviços
Modelo osi e seus serviços
 
Aula03 camada física - meios de transmissão
Aula03  camada física - meios de transmissãoAula03  camada física - meios de transmissão
Aula03 camada física - meios de transmissão
 
O modelo osi
O modelo osiO modelo osi
O modelo osi
 
Vantagens e desvantagens em topologias de redes
Vantagens e desvantagens em topologias de redesVantagens e desvantagens em topologias de redes
Vantagens e desvantagens em topologias de redes
 
Modelo OSI - Camada de Rede
Modelo OSI - Camada de RedeModelo OSI - Camada de Rede
Modelo OSI - Camada de Rede
 
Modelo osi
Modelo osiModelo osi
Modelo osi
 

Semelhante a Modelo OSI Camada Física

Modelo de referência osi
Modelo de referência osiModelo de referência osi
Modelo de referência osi
Ayrton José Castro Batalha
 
CCNA1_Capitulo 8_V4.0.ppt
CCNA1_Capitulo 8_V4.0.pptCCNA1_Capitulo 8_V4.0.ppt
CCNA1_Capitulo 8_V4.0.ppt
WagnerSantiago2
 
Aula02 - principios da comunicaçao
Aula02  - principios da comunicaçaoAula02  - principios da comunicaçao
Aula02 - principios da comunicaçao
Carlos Veiga
 
Meios guiado de transmissão
Meios guiado de transmissãoMeios guiado de transmissão
Meios guiado de transmissão
Thiago Barros, PSM
 
4 meios físicos ópticos
4 meios físicos ópticos4 meios físicos ópticos
4 meios físicos ópticos
Edmir Tavares de Arruda Junior
 
Redes de Computadores - Aula 04
Redes de Computadores - Aula 04Redes de Computadores - Aula 04
Redes de Computadores - Aula 04
thomasdacosta
 
Meio Físico de transmissão de dados
Meio Físico de transmissão de dadosMeio Físico de transmissão de dados
Meio Físico de transmissão de dados
Rafael Vieira
 
Fibras ópticas
Fibras ópticasFibras ópticas
Fibras ópticas
Thalles Anderson
 
Revistasemanaacademicafibraoptica
RevistasemanaacademicafibraopticaRevistasemanaacademicafibraoptica
Revistasemanaacademicafibraoptica
Elias Vidal
 
Fibra optica
Fibra opticaFibra optica
Fibra optica
asmendes
 
Comunicacoes opticas I
Comunicacoes opticas IComunicacoes opticas I
Comunicacoes opticas I
Igors Cardoso
 
Aulas de rede
Aulas de redeAulas de rede
Aulas de rede
Luand Gadelha
 
Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.
Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.
Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.
Filipo Mór
 
Informática básica redes
Informática básica redesInformática básica redes
Informática básica redes
Matheus França
 
07 aula 27032012
07   aula 2703201207   aula 27032012
07 aula 27032012
atsileg
 
FIBRA ÓPTICA TECNOLOGIA GPON
FIBRA ÓPTICA TECNOLOGIA GPONFIBRA ÓPTICA TECNOLOGIA GPON
FIBRA ÓPTICA TECNOLOGIA GPON
WELLINGTON MARTINS
 
Fundamentos de redes de computadores
Fundamentos de redes de computadoresFundamentos de redes de computadores
Fundamentos de redes de computadores
Thalis Silva
 
Rct 18 - camadas física e enlace
Rct   18 - camadas física e enlaceRct   18 - camadas física e enlace
Rct 18 - camadas física e enlace
Universal.org.mx
 
Comunicações ópticas
Comunicações ópticasComunicações ópticas
Comunicações ópticas
Heitor Galvão
 
Iscad ti 2010_2011_4 - comunicacoes
Iscad ti 2010_2011_4 - comunicacoesIscad ti 2010_2011_4 - comunicacoes
Iscad ti 2010_2011_4 - comunicacoes
Luis Vidigal
 

Semelhante a Modelo OSI Camada Física (20)

Modelo de referência osi
Modelo de referência osiModelo de referência osi
Modelo de referência osi
 
CCNA1_Capitulo 8_V4.0.ppt
CCNA1_Capitulo 8_V4.0.pptCCNA1_Capitulo 8_V4.0.ppt
CCNA1_Capitulo 8_V4.0.ppt
 
Aula02 - principios da comunicaçao
Aula02  - principios da comunicaçaoAula02  - principios da comunicaçao
Aula02 - principios da comunicaçao
 
Meios guiado de transmissão
Meios guiado de transmissãoMeios guiado de transmissão
Meios guiado de transmissão
 
4 meios físicos ópticos
4 meios físicos ópticos4 meios físicos ópticos
4 meios físicos ópticos
 
Redes de Computadores - Aula 04
Redes de Computadores - Aula 04Redes de Computadores - Aula 04
Redes de Computadores - Aula 04
 
Meio Físico de transmissão de dados
Meio Físico de transmissão de dadosMeio Físico de transmissão de dados
Meio Físico de transmissão de dados
 
Fibras ópticas
Fibras ópticasFibras ópticas
Fibras ópticas
 
Revistasemanaacademicafibraoptica
RevistasemanaacademicafibraopticaRevistasemanaacademicafibraoptica
Revistasemanaacademicafibraoptica
 
Fibra optica
Fibra opticaFibra optica
Fibra optica
 
Comunicacoes opticas I
Comunicacoes opticas IComunicacoes opticas I
Comunicacoes opticas I
 
Aulas de rede
Aulas de redeAulas de rede
Aulas de rede
 
Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.
Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.
Aula 1 - Redes de Computadores A - Conceitos Básicos.
 
Informática básica redes
Informática básica redesInformática básica redes
Informática básica redes
 
07 aula 27032012
07   aula 2703201207   aula 27032012
07 aula 27032012
 
FIBRA ÓPTICA TECNOLOGIA GPON
FIBRA ÓPTICA TECNOLOGIA GPONFIBRA ÓPTICA TECNOLOGIA GPON
FIBRA ÓPTICA TECNOLOGIA GPON
 
Fundamentos de redes de computadores
Fundamentos de redes de computadoresFundamentos de redes de computadores
Fundamentos de redes de computadores
 
Rct 18 - camadas física e enlace
Rct   18 - camadas física e enlaceRct   18 - camadas física e enlace
Rct 18 - camadas física e enlace
 
Comunicações ópticas
Comunicações ópticasComunicações ópticas
Comunicações ópticas
 
Iscad ti 2010_2011_4 - comunicacoes
Iscad ti 2010_2011_4 - comunicacoesIscad ti 2010_2011_4 - comunicacoes
Iscad ti 2010_2011_4 - comunicacoes
 

Mais de Fernando Pereira

Usina hidreletrica
Usina hidreletricaUsina hidreletrica
Usina hidreletrica
Fernando Pereira
 
Erico verissimo Biografia
Erico verissimo BiografiaErico verissimo Biografia
Erico verissimo Biografia
Fernando Pereira
 
Jorge amado biografia
Jorge amado biografiaJorge amado biografia
Jorge amado biografia
Fernando Pereira
 
Herança do Sexo
Herança do SexoHerança do Sexo
Herança do Sexo
Fernando Pereira
 
Vinicius de Moraes: Biografia
Vinicius de Moraes: Biografia Vinicius de Moraes: Biografia
Vinicius de Moraes: Biografia
Fernando Pereira
 
Murilo mendes: Biografia
Murilo mendes: Biografia Murilo mendes: Biografia
Murilo mendes: Biografia
Fernando Pereira
 
O método da ciência da natureza
O método da ciência da natureza O método da ciência da natureza
O método da ciência da natureza
Fernando Pereira
 
Período entre Guerras
Período entre Guerras Período entre Guerras
Período entre Guerras
Fernando Pereira
 
Instalações Elétricas
Instalações Elétricas Instalações Elétricas
Instalações Elétricas
Fernando Pereira
 
O consumo de Energia no Brasil
O consumo de Energia no BrasilO consumo de Energia no Brasil
O consumo de Energia no Brasil
Fernando Pereira
 
Carvão Mineral e Energia Elétrica
Carvão Mineral e Energia ElétricaCarvão Mineral e Energia Elétrica
Carvão Mineral e Energia Elétrica
Fernando Pereira
 
A grande guerra
A grande guerraA grande guerra
A grande guerra
Fernando Pereira
 
Conceitos básicos de eletricidade
Conceitos básicos de eletricidadeConceitos básicos de eletricidade
Conceitos básicos de eletricidade
Fernando Pereira
 
História social do romantismo
História social do romantismoHistória social do romantismo
História social do romantismo
Fernando Pereira
 
As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias
As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias
As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias
Fernando Pereira
 

Mais de Fernando Pereira (15)

Usina hidreletrica
Usina hidreletricaUsina hidreletrica
Usina hidreletrica
 
Erico verissimo Biografia
Erico verissimo BiografiaErico verissimo Biografia
Erico verissimo Biografia
 
Jorge amado biografia
Jorge amado biografiaJorge amado biografia
Jorge amado biografia
 
Herança do Sexo
Herança do SexoHerança do Sexo
Herança do Sexo
 
Vinicius de Moraes: Biografia
Vinicius de Moraes: Biografia Vinicius de Moraes: Biografia
Vinicius de Moraes: Biografia
 
Murilo mendes: Biografia
Murilo mendes: Biografia Murilo mendes: Biografia
Murilo mendes: Biografia
 
O método da ciência da natureza
O método da ciência da natureza O método da ciência da natureza
O método da ciência da natureza
 
Período entre Guerras
Período entre Guerras Período entre Guerras
Período entre Guerras
 
Instalações Elétricas
Instalações Elétricas Instalações Elétricas
Instalações Elétricas
 
O consumo de Energia no Brasil
O consumo de Energia no BrasilO consumo de Energia no Brasil
O consumo de Energia no Brasil
 
Carvão Mineral e Energia Elétrica
Carvão Mineral e Energia ElétricaCarvão Mineral e Energia Elétrica
Carvão Mineral e Energia Elétrica
 
A grande guerra
A grande guerraA grande guerra
A grande guerra
 
Conceitos básicos de eletricidade
Conceitos básicos de eletricidadeConceitos básicos de eletricidade
Conceitos básicos de eletricidade
 
História social do romantismo
História social do romantismoHistória social do romantismo
História social do romantismo
 
As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias
As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias
As vanguardas Brasileiras e Vanguardas Europeias
 

Último

Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 

Último (20)

Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 

Modelo OSI Camada Física

  • 2. Componentes do Grupo  Fernando Pereira  Nilson Alves Pimenta Júnior  Thayná Araujo
  • 3. Índice de Apresentação • Introdução • Camada Física • Métodos de Sinalização • Métodos de Codificação • Meios Físicos de Transmissão • Cabo de Cobre • Fibra Ótica • Sem fio • Topologias
  • 4. Introdução • Este capítulo introduz as funções gerais da camada Física e também os padrões e protocolos que gerenciam a transmissão de dados pelo meio físico local.
  • 5. Camada Física OSI • A função da camada Física é codificar os dígitos binários que representam quadros da camada de Enlace de Dados em sinais, e transmitir e receber esses sinais através do meio físico - fios de cobre, fibra óptica e sem fio -, que conecta os dispositivos de rede.
  • 6. Métodos de Sinalização • Os métodos de sinalização criados pelos organismos internacionais, tradicionalmente alteram uma das características físicas (amplitude, frequência ou fase) para representar o bit. Todas essas características são trabalhadas de acordo com o padrão de sinalização, criado para a tecnologia em questão.
  • 7. Métodos de Codificação • Codificação é um método de converter um fluxo de bits de dados em um código predefinido. Os códigos são grupos de bits utilizados para fornecer um padrão previsível que possa ser reconhecido pelo remetente e pelo receptor.
  • 8. Meios Físicos de Transmissão • Podemos considerar que os meios físicos são responsáveis por transportar sinais que representam os dígitos binários, mas, estes sinais podem assumir diversas formas, como sinais elétricos, óticos e ondas de rádio.
  • 9. Cabo de Cobre O cabo de cobre é o meio físico mais utilizado, nos dias de hoje, para a transmissão em redes
  • 10. Fibra O meio físico chamado de fibra consiste na utilização de cabeamento composto por fibras feitas de vidro ou plástico, por onde são transportados sinais de luz.
  • 11.  Sem Fio O meio físico sem fio consiste na transmissão de dígitos binários utilizando sinais eletromagnéticos nas frequências de rádio e de micro-ondas. Uma grande característica da utilização do meio sem fio é que a transferência utilizando este meio não está restrita ao meio condutor que está utilizando, como no caso do cobre e fibra.