SlideShare uma empresa Scribd logo
MICROORGANISMOS Fernanda Roberta Casagrande Rebecca Weber Tatiane Regina dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina Engenharia Bioquímica
MICROORGANISMOS INTRODUÇÃO   BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS   Principais objetivos:  - produção aumentada de ingredientes e propriedades melhoradas de culturas    “starter” - formação de flavour ( sabor e aroma) - preservação Leveduras, fungos filamentosos e bactérias podem ser usados  para a obtenção direta de  alimentos, ou seja, transforma matéria- prima, fazendo parte daquele alimento.
EXEMPLOS INTRODUÇÃO   BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS   Bactérias: - fermentação do leite ( iogurtes e queijos) -   carnes ( salames) - vegetais (picles) Leveduras: - fermento na indústria de panificação - bebidas (cerveja e vinho) - suplemento alimentar Fungos: - fermentação de diversos queijos - consumidos diretamente ( champignon e shitake)
CARACTERISTICAS Bactérias são procariontes Procariontes:  organismos unicelulares e microscópicos que  não possuem núcleo organizado  O tamanho das bactérias geralmente varia de 0,5 a 5 μm Só podem ser vistas com microscópio Sem microscópio é possível ver as colônias INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS   FUNGOS  LEVEDURAS   A maior bactéria conhecida foi descoberto em 1999 e se chama Pérola de Enxofre de Namibia ( Thiomargarita Namibiensis ).  Ela pode ser vista com olho nu devido a um diâmetro até 0,75mm.
RESPIRAÇÃO  E  NUTRIÇÃO Aeróbicas podem crescer apenas na presença de oxigénio Anaeróbicas podem crescer apenas na ausência de oxigénio Facultativas podem crescer tanto na presença como na ausência de oxigénio INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS   FUNGOS  LEVEDURAS   Heterótrofos - Saprófitos   decompõem material orgânico de    animais e plantas mortas - Parasitas   envenenam o organismo do hospede com   os seus produtos de metabolismo - Simbióticos   vivem por exemplo no intestino dos    animais que comem plantas e quebram    celulose   Autótrofos - Fotossintetizantes   obtêm a energia na forma de luz, para    a fotossíntese - Quimiossintetizantes   obtêm energia pela oxidação de    compostos químicos
Algumas das bactérias mais nocivas ao homem e as doenças associadas a cada uma dela: Streptococcus pneumoniae  - causa septicemia, infecção no ouvido médio, pneumonia e meningite. Haemophilus influenzae   - causa pneumonia, infecção do ouvido e meningite principalmente em crianças.  Shigella dysenteria  - causa disenteria (diarréia sangrenta). Linhagens resistentes podem levar a epidemias e algumas podem ser tratadas apenas com medicamentos muito caros (fluoroquinolonas).  Neisseria gonorrhoeae  - causa gonorréia, a resistência às drogas limita o seu tratamento principalmente à cefalosporina.  Pseudomonas aeruginosa  - causa septicemia e pneumonia, principalmente em pessoas com fibrose cística ou com o sistema imune comprometido. Algumas linhagens super resistentes não podem ser tratadas com drogas.  Enterococcus faecalis   - causa septicemia e infecção do trato urinário, e infecção das vias respiratórias nos pacientes com o sistema imune comprometido. Algumas linhagens ultra resistentes não podem ser tratadas com drogas.  Escherichia coli  - causa infecção do trato urinário, infecção do sangue, diarréia e falência dos rins. Algumas linhagens  são ultra resistentes.  Acinetobacter  - causa septicemia em pacientes com o sistema imune comprometido.  Mycobacterium tuberculosis  - causa tuberculose. Algumas linhagens ultra resistentes não podem ser tratadas com drogas.  Staphylococcus aureus   - causa septicemia, infecção nas vias respiratórias e pneumonia. Algumas linhagens tem se mostrado muito resistentes a vários antibióticos.  INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS   FUNGOS  LEVEDURAS
FUNGOS INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS   CARACTERISTICAS TIPOS DE FUNGOS DIVISÃO DOS FUNGOS OS   FUNGOS NA BIOTECNOLOGIA FERMENTAÇÃO INDUSTRIAL
CARACTERISTICAS Unicelular ou Pluricelular. Eucariontes. Habitat: lugares úmidos. Como parasitas,causam doenças vegetais,humanas e animais. Todos são heterótrofos. Reprodução por esporos.  INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS
TIPOS DE FUNGOS INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS   Fungos para fins medicinais. Fungos alucinógenos. Fungos tóxicos e venenosos Fungos comestíveis.
DIVISÃO INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS   OS FUNGOS SÃO DIVIDOS EM: Basideomecetos Ascomicetos Ficomicetos
OS FUNGOS NA BIOTECNOLOGIA INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS   Tratamento de resíduos líquidos e biorremediação de solos poluídos;  Mineralogia e biohidrometalurgia;  Produção de biomassa, incluindo proteína comestível;  Tecnologia de combustíveis, particularmente na solubilização de carvão;  Emprego em controle biológico
FUNGOS NA FERMENTAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS   Fabricação de cerveja. Fabricação de vinho. Produção de antibióticos.
LEVEDURAS INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS  CARACTERISTICAS ESTRUTURA E REPRODUÇÃO BENEFICIOS  LEVEDURAS DE INTERESSE EM ALIMENTOS
CARACTERISTICAS INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS  As leveduras não constituem um grupo definidos de microorganismos  . Unicelulares ( crescem e se reproduzem mais rapidamente). A  maioria  não vive no solo, mas adaptou-se a ambientes com alto teor de  açúcares ( néctar da flores e superficie de frutas). Existem, aproximadamente, 350 espécies diferentes de leveduras, separadas em cerca de 39 gêneros
ESTRUTURA  INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS  Unicelulares; Células ovais. REPRODUÇÃO Se multiplicam assexuadamente comumente por brotamento ou gemulação.
BENEFICIOS INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS  As leveduras são utilizadas há milênios na produção de pão e  de bebidas alcoólicas; Importância industrial  conhecido do ponto de vista  bioquímico e genético  Produção de toneladas  industrias de bebidas, etanol combustível e em industrias destinadas à fabricação de pães.
LEVEDURAS DE INTERESSE EM ALIMENTOS INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS  Top yeast: leveduras de superfície  Botton yeast: leveduras de profundidade
EXEMPLOS S. cerevisae, S. calrsbergensis  botton yeast, após o crescimento e fermentação precipitam. Usadas na panificação, cerveja, vinhos, etc  S. fragilis, S. lactis  fermentam lactose (tratamento de resíduos)  S. roufii, S. mellis osmofílicas  - frutas secas, xaropes, geléias  S. baillie  fermentação de sucos (cítricos)  Torulopsis osmofílica  - leite condensado  Candida  produz grande quantidade de proteínas, ataca leite e derivados  Rodutorula  deterioração de pickles, chucrutes e carnes (cor vermelha ou amarelo  Picchia, Hansenula, Debarymocyces, Thricosporum  deterioração de pickles com produção de película, oxida o ácido acético e altera o sabor  Debaryomyces  carnes, queijo e salsichas     INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS
PRODUÇÃO DE ÁLCOOL INTRODUÇÃO  BACTÉRIAS  FUNGOS  LEVEDURAS  Saaccharomyces cerevisae Fabricação de pães – álcool Falta de oxigênio – fermentação anaeróbica – não converte totalmente as gás carbônico e água açúcar – álcool é produto da degradação parcial.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS http://www.cib.org.br http://www.bichoonline.com.br   http://www.ufv.br/dbg/trab2002/MELHOR.htmcib.org.br   http://www.biologianviva.hpg.ig.com.br http://www.ambientebrasil.com.br http://www.adi.pt/sectores%20de%20actividade/projectos/leveduras.htm   http://www.zum.de http://www.wikipedia.de www.sonnenseite.oekoserve.net

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doenças causadas por fungos
Doenças causadas por fungosDoenças causadas por fungos
Doenças causadas por fungos
Rafael Serafim
 
Aula 11 fungos
Aula   11 fungosAula   11 fungos
Aula 11 fungos
Gildo Crispim
 
Aula 12 virus
Aula   12 virusAula   12 virus
Aula 12 virus
Gildo Crispim
 
Microorganismos
MicroorganismosMicroorganismos
Microorganismos
Carla Gomes
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
emanuel
 
História e importância da microbiologia
História e importância da microbiologiaHistória e importância da microbiologia
História e importância da microbiologia
Francisco de Lima
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
profatatiana
 
Vírus
VírusVírus
Bacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elasBacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elas
Evandro Batista
 
REINO FUNGI
REINO FUNGIREINO FUNGI
Fungos
FungosFungos
Seres vivos 7o ano bacterias.protistas.fungos
Seres vivos 7o ano   bacterias.protistas.fungosSeres vivos 7o ano   bacterias.protistas.fungos
Seres vivos 7o ano bacterias.protistas.fungos
Nahya Paola Souza
 
Conhecendo o que é zoonoses
Conhecendo o que é zoonosesConhecendo o que é zoonoses
Conhecendo o que é zoonoses
Dessa Reis
 
O VÍRUS e doenças virais
O VÍRUS e doenças viraisO VÍRUS e doenças virais
O VÍRUS e doenças virais
Junio Henrique
 
Aula fungos 2018
Aula fungos 2018Aula fungos 2018
Aula fungos 2018
Andre Luiz Nascimento
 
Virus
VirusVirus
Principios basico de microbiologia
Principios basico de microbiologiaPrincipios basico de microbiologia
Principios basico de microbiologia
Luciano Marques
 
Doenças virais
Doenças viraisDoenças virais
Doenças virais
Matheus Oliveira Santana
 
Fungos
FungosFungos
Virus e bactérias aula 2
Virus e bactérias aula 2Virus e bactérias aula 2
Virus e bactérias aula 2
Professora Raquel
 

Mais procurados (20)

Doenças causadas por fungos
Doenças causadas por fungosDoenças causadas por fungos
Doenças causadas por fungos
 
Aula 11 fungos
Aula   11 fungosAula   11 fungos
Aula 11 fungos
 
Aula 12 virus
Aula   12 virusAula   12 virus
Aula 12 virus
 
Microorganismos
MicroorganismosMicroorganismos
Microorganismos
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
História e importância da microbiologia
História e importância da microbiologiaHistória e importância da microbiologia
História e importância da microbiologia
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Bacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elasBacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elas
 
REINO FUNGI
REINO FUNGIREINO FUNGI
REINO FUNGI
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Seres vivos 7o ano bacterias.protistas.fungos
Seres vivos 7o ano   bacterias.protistas.fungosSeres vivos 7o ano   bacterias.protistas.fungos
Seres vivos 7o ano bacterias.protistas.fungos
 
Conhecendo o que é zoonoses
Conhecendo o que é zoonosesConhecendo o que é zoonoses
Conhecendo o que é zoonoses
 
O VÍRUS e doenças virais
O VÍRUS e doenças viraisO VÍRUS e doenças virais
O VÍRUS e doenças virais
 
Aula fungos 2018
Aula fungos 2018Aula fungos 2018
Aula fungos 2018
 
Virus
VirusVirus
Virus
 
Principios basico de microbiologia
Principios basico de microbiologiaPrincipios basico de microbiologia
Principios basico de microbiologia
 
Doenças virais
Doenças viraisDoenças virais
Doenças virais
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Virus e bactérias aula 2
Virus e bactérias aula 2Virus e bactérias aula 2
Virus e bactérias aula 2
 

Semelhante a Microrganismos

A microbiologia dos alimentos e a
A microbiologia dos alimentos e aA microbiologia dos alimentos e a
A microbiologia dos alimentos e a
Catarina Schmidt
 
Microbiologia apostila tecnologia-de-alimentos-de-origem-animal
Microbiologia apostila tecnologia-de-alimentos-de-origem-animalMicrobiologia apostila tecnologia-de-alimentos-de-origem-animal
Microbiologia apostila tecnologia-de-alimentos-de-origem-animal
kelilibardi
 
Microbiologia de Alimentos
Microbiologia de AlimentosMicrobiologia de Alimentos
Microbiologia de Alimentos
LORRANE BRANDÃO
 
Introdução a microbiologia dos alimentos
Introdução a microbiologia dos alimentosIntrodução a microbiologia dos alimentos
Introdução a microbiologia dos alimentos
Priscilla Maria Carvalho Oliveira
 
Aula Morfologia e Citologia dos Fungos.pptx
Aula Morfologia e Citologia dos Fungos.pptxAula Morfologia e Citologia dos Fungos.pptx
Aula Morfologia e Citologia dos Fungos.pptx
JoaraSilva1
 
Aula 03 (1)
Aula 03 (1)Aula 03 (1)
Aula 03 (1)
FABIACOSTA5
 
7229 9 microbiologia dos alimentos 2011.1
7229 9   microbiologia dos alimentos 2011.17229 9   microbiologia dos alimentos 2011.1
7229 9 microbiologia dos alimentos 2011.1
goretypuente
 
Apostila biotecnologia alimentos
Apostila biotecnologia alimentosApostila biotecnologia alimentos
Apostila biotecnologia alimentos
consultor tecnico
 
Aula1 introduoamicrobiologiadosalimentos
Aula1 introduoamicrobiologiadosalimentosAula1 introduoamicrobiologiadosalimentos
Aula1 introduoamicrobiologiadosalimentos
Juliana Braga
 
Hsa
HsaHsa
435
435435
Micróbios
Micróbios Micróbios
Micróbios
andreaires
 
1318 microbiologia dos alimentos(1)
1318 microbiologia dos alimentos(1)1318 microbiologia dos alimentos(1)
1318 microbiologia dos alimentos(1)
Crisliane Camargo de Sá
 
Microbiologia aplicada aula13 alimentos
Microbiologia aplicada aula13 alimentosMicrobiologia aplicada aula13 alimentos
Microbiologia aplicada aula13 alimentos
Amanda Fraga
 
Fungos
FungosFungos
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
vicregia
 
elementos de microbiologia
elementos de microbiologiaelementos de microbiologia
elementos de microbiologia
Qualikadi Assessoria Técnica
 
Elementos de Microbiologia
Elementos de MicrobiologiaElementos de Microbiologia
Elementos de Microbiologia
Qualikadi Assessoria Técnica
 
Aula de bacterias pdf104201112530
Aula de bacterias pdf104201112530Aula de bacterias pdf104201112530
Aula de bacterias pdf104201112530
Jerson Dos Santos
 
Aula 7º ano - Reino Monera
Aula 7º ano - Reino MoneraAula 7º ano - Reino Monera
Aula 7º ano - Reino Monera
Leonardo Kaplan
 

Semelhante a Microrganismos (20)

A microbiologia dos alimentos e a
A microbiologia dos alimentos e aA microbiologia dos alimentos e a
A microbiologia dos alimentos e a
 
Microbiologia apostila tecnologia-de-alimentos-de-origem-animal
Microbiologia apostila tecnologia-de-alimentos-de-origem-animalMicrobiologia apostila tecnologia-de-alimentos-de-origem-animal
Microbiologia apostila tecnologia-de-alimentos-de-origem-animal
 
Microbiologia de Alimentos
Microbiologia de AlimentosMicrobiologia de Alimentos
Microbiologia de Alimentos
 
Introdução a microbiologia dos alimentos
Introdução a microbiologia dos alimentosIntrodução a microbiologia dos alimentos
Introdução a microbiologia dos alimentos
 
Aula Morfologia e Citologia dos Fungos.pptx
Aula Morfologia e Citologia dos Fungos.pptxAula Morfologia e Citologia dos Fungos.pptx
Aula Morfologia e Citologia dos Fungos.pptx
 
Aula 03 (1)
Aula 03 (1)Aula 03 (1)
Aula 03 (1)
 
7229 9 microbiologia dos alimentos 2011.1
7229 9   microbiologia dos alimentos 2011.17229 9   microbiologia dos alimentos 2011.1
7229 9 microbiologia dos alimentos 2011.1
 
Apostila biotecnologia alimentos
Apostila biotecnologia alimentosApostila biotecnologia alimentos
Apostila biotecnologia alimentos
 
Aula1 introduoamicrobiologiadosalimentos
Aula1 introduoamicrobiologiadosalimentosAula1 introduoamicrobiologiadosalimentos
Aula1 introduoamicrobiologiadosalimentos
 
Hsa
HsaHsa
Hsa
 
435
435435
435
 
Micróbios
Micróbios Micróbios
Micróbios
 
1318 microbiologia dos alimentos(1)
1318 microbiologia dos alimentos(1)1318 microbiologia dos alimentos(1)
1318 microbiologia dos alimentos(1)
 
Microbiologia aplicada aula13 alimentos
Microbiologia aplicada aula13 alimentosMicrobiologia aplicada aula13 alimentos
Microbiologia aplicada aula13 alimentos
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
elementos de microbiologia
elementos de microbiologiaelementos de microbiologia
elementos de microbiologia
 
Elementos de Microbiologia
Elementos de MicrobiologiaElementos de Microbiologia
Elementos de Microbiologia
 
Aula de bacterias pdf104201112530
Aula de bacterias pdf104201112530Aula de bacterias pdf104201112530
Aula de bacterias pdf104201112530
 
Aula 7º ano - Reino Monera
Aula 7º ano - Reino MoneraAula 7º ano - Reino Monera
Aula 7º ano - Reino Monera
 

Mais de tiago.ufc

Aula 02 - Curso Fotografia Básica
Aula 02 - Curso Fotografia BásicaAula 02 - Curso Fotografia Básica
Aula 02 - Curso Fotografia Básica
tiago.ufc
 
Aula 01 - Curso de Fotografia Básica
Aula 01 - Curso de Fotografia BásicaAula 01 - Curso de Fotografia Básica
Aula 01 - Curso de Fotografia Básica
tiago.ufc
 
Aula 01 Introdução à Física
Aula 01   Introdução à FísicaAula 01   Introdução à Física
Aula 01 Introdução à Física
tiago.ufc
 
INCLUSÃO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS
INCLUSÃO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAISINCLUSÃO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS
INCLUSÃO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS
tiago.ufc
 
Hormônios Vegetais
Hormônios VegetaisHormônios Vegetais
Hormônios Vegetais
tiago.ufc
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
tiago.ufc
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
tiago.ufc
 
Isomeria óptica Colégio Santa Isabel 1° 2° Anos Manhã E Tarde Professor T...
Isomeria óptica  Colégio Santa Isabel 1°  2° Anos Manhã E Tarde   Professor T...Isomeria óptica  Colégio Santa Isabel 1°  2° Anos Manhã E Tarde   Professor T...
Isomeria óptica Colégio Santa Isabel 1° 2° Anos Manhã E Tarde Professor T...
tiago.ufc
 
Isomeria Espacial Santa Isabel 1° 2° Anos Manhã E Tarde Professor Tomé Me...
Isomeria Espacial  Santa Isabel 1°  2° Anos Manhã E Tarde   Professor Tomé Me...Isomeria Espacial  Santa Isabel 1°  2° Anos Manhã E Tarde   Professor Tomé Me...
Isomeria Espacial Santa Isabel 1° 2° Anos Manhã E Tarde Professor Tomé Me...
tiago.ufc
 
Internet - Sensibilizar para os riscos e desafios
Internet - Sensibilizar para os riscos e desafiosInternet - Sensibilizar para os riscos e desafios
Internet - Sensibilizar para os riscos e desafios
tiago.ufc
 
Oficina de Vídeo
Oficina de VídeoOficina de Vídeo
Oficina de Vídeo
tiago.ufc
 
Planeta Terra
Planeta TerraPlaneta Terra
Planeta Terra
tiago.ufc
 

Mais de tiago.ufc (12)

Aula 02 - Curso Fotografia Básica
Aula 02 - Curso Fotografia BásicaAula 02 - Curso Fotografia Básica
Aula 02 - Curso Fotografia Básica
 
Aula 01 - Curso de Fotografia Básica
Aula 01 - Curso de Fotografia BásicaAula 01 - Curso de Fotografia Básica
Aula 01 - Curso de Fotografia Básica
 
Aula 01 Introdução à Física
Aula 01   Introdução à FísicaAula 01   Introdução à Física
Aula 01 Introdução à Física
 
INCLUSÃO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS
INCLUSÃO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAISINCLUSÃO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS
INCLUSÃO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS
 
Hormônios Vegetais
Hormônios VegetaisHormônios Vegetais
Hormônios Vegetais
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
 
Isomeria óptica Colégio Santa Isabel 1° 2° Anos Manhã E Tarde Professor T...
Isomeria óptica  Colégio Santa Isabel 1°  2° Anos Manhã E Tarde   Professor T...Isomeria óptica  Colégio Santa Isabel 1°  2° Anos Manhã E Tarde   Professor T...
Isomeria óptica Colégio Santa Isabel 1° 2° Anos Manhã E Tarde Professor T...
 
Isomeria Espacial Santa Isabel 1° 2° Anos Manhã E Tarde Professor Tomé Me...
Isomeria Espacial  Santa Isabel 1°  2° Anos Manhã E Tarde   Professor Tomé Me...Isomeria Espacial  Santa Isabel 1°  2° Anos Manhã E Tarde   Professor Tomé Me...
Isomeria Espacial Santa Isabel 1° 2° Anos Manhã E Tarde Professor Tomé Me...
 
Internet - Sensibilizar para os riscos e desafios
Internet - Sensibilizar para os riscos e desafiosInternet - Sensibilizar para os riscos e desafios
Internet - Sensibilizar para os riscos e desafios
 
Oficina de Vídeo
Oficina de VídeoOficina de Vídeo
Oficina de Vídeo
 
Planeta Terra
Planeta TerraPlaneta Terra
Planeta Terra
 

Microrganismos

  • 1. MICROORGANISMOS Fernanda Roberta Casagrande Rebecca Weber Tatiane Regina dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina Engenharia Bioquímica
  • 2. MICROORGANISMOS INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS Principais objetivos: - produção aumentada de ingredientes e propriedades melhoradas de culturas “starter” - formação de flavour ( sabor e aroma) - preservação Leveduras, fungos filamentosos e bactérias podem ser usados para a obtenção direta de alimentos, ou seja, transforma matéria- prima, fazendo parte daquele alimento.
  • 3. EXEMPLOS INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS Bactérias: - fermentação do leite ( iogurtes e queijos) - carnes ( salames) - vegetais (picles) Leveduras: - fermento na indústria de panificação - bebidas (cerveja e vinho) - suplemento alimentar Fungos: - fermentação de diversos queijos - consumidos diretamente ( champignon e shitake)
  • 4. CARACTERISTICAS Bactérias são procariontes Procariontes: organismos unicelulares e microscópicos que não possuem núcleo organizado O tamanho das bactérias geralmente varia de 0,5 a 5 μm Só podem ser vistas com microscópio Sem microscópio é possível ver as colônias INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS A maior bactéria conhecida foi descoberto em 1999 e se chama Pérola de Enxofre de Namibia ( Thiomargarita Namibiensis ). Ela pode ser vista com olho nu devido a um diâmetro até 0,75mm.
  • 5. RESPIRAÇÃO E NUTRIÇÃO Aeróbicas podem crescer apenas na presença de oxigénio Anaeróbicas podem crescer apenas na ausência de oxigénio Facultativas podem crescer tanto na presença como na ausência de oxigénio INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS Heterótrofos - Saprófitos decompõem material orgânico de animais e plantas mortas - Parasitas envenenam o organismo do hospede com os seus produtos de metabolismo - Simbióticos vivem por exemplo no intestino dos animais que comem plantas e quebram celulose   Autótrofos - Fotossintetizantes obtêm a energia na forma de luz, para a fotossíntese - Quimiossintetizantes obtêm energia pela oxidação de compostos químicos
  • 6. Algumas das bactérias mais nocivas ao homem e as doenças associadas a cada uma dela: Streptococcus pneumoniae - causa septicemia, infecção no ouvido médio, pneumonia e meningite. Haemophilus influenzae - causa pneumonia, infecção do ouvido e meningite principalmente em crianças. Shigella dysenteria - causa disenteria (diarréia sangrenta). Linhagens resistentes podem levar a epidemias e algumas podem ser tratadas apenas com medicamentos muito caros (fluoroquinolonas). Neisseria gonorrhoeae - causa gonorréia, a resistência às drogas limita o seu tratamento principalmente à cefalosporina. Pseudomonas aeruginosa - causa septicemia e pneumonia, principalmente em pessoas com fibrose cística ou com o sistema imune comprometido. Algumas linhagens super resistentes não podem ser tratadas com drogas. Enterococcus faecalis - causa septicemia e infecção do trato urinário, e infecção das vias respiratórias nos pacientes com o sistema imune comprometido. Algumas linhagens ultra resistentes não podem ser tratadas com drogas. Escherichia coli - causa infecção do trato urinário, infecção do sangue, diarréia e falência dos rins. Algumas linhagens  são ultra resistentes. Acinetobacter - causa septicemia em pacientes com o sistema imune comprometido. Mycobacterium tuberculosis - causa tuberculose. Algumas linhagens ultra resistentes não podem ser tratadas com drogas. Staphylococcus aureus - causa septicemia, infecção nas vias respiratórias e pneumonia. Algumas linhagens tem se mostrado muito resistentes a vários antibióticos. INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS
  • 7. FUNGOS INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS CARACTERISTICAS TIPOS DE FUNGOS DIVISÃO DOS FUNGOS OS FUNGOS NA BIOTECNOLOGIA FERMENTAÇÃO INDUSTRIAL
  • 8. CARACTERISTICAS Unicelular ou Pluricelular. Eucariontes. Habitat: lugares úmidos. Como parasitas,causam doenças vegetais,humanas e animais. Todos são heterótrofos. Reprodução por esporos. INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS
  • 9. TIPOS DE FUNGOS INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS Fungos para fins medicinais. Fungos alucinógenos. Fungos tóxicos e venenosos Fungos comestíveis.
  • 10. DIVISÃO INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS OS FUNGOS SÃO DIVIDOS EM: Basideomecetos Ascomicetos Ficomicetos
  • 11. OS FUNGOS NA BIOTECNOLOGIA INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS Tratamento de resíduos líquidos e biorremediação de solos poluídos; Mineralogia e biohidrometalurgia; Produção de biomassa, incluindo proteína comestível; Tecnologia de combustíveis, particularmente na solubilização de carvão; Emprego em controle biológico
  • 12. FUNGOS NA FERMENTAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS Fabricação de cerveja. Fabricação de vinho. Produção de antibióticos.
  • 13. LEVEDURAS INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS CARACTERISTICAS ESTRUTURA E REPRODUÇÃO BENEFICIOS LEVEDURAS DE INTERESSE EM ALIMENTOS
  • 14. CARACTERISTICAS INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS As leveduras não constituem um grupo definidos de microorganismos . Unicelulares ( crescem e se reproduzem mais rapidamente). A maioria não vive no solo, mas adaptou-se a ambientes com alto teor de açúcares ( néctar da flores e superficie de frutas). Existem, aproximadamente, 350 espécies diferentes de leveduras, separadas em cerca de 39 gêneros
  • 15. ESTRUTURA INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS Unicelulares; Células ovais. REPRODUÇÃO Se multiplicam assexuadamente comumente por brotamento ou gemulação.
  • 16. BENEFICIOS INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS As leveduras são utilizadas há milênios na produção de pão e de bebidas alcoólicas; Importância industrial conhecido do ponto de vista bioquímico e genético Produção de toneladas industrias de bebidas, etanol combustível e em industrias destinadas à fabricação de pães.
  • 17. LEVEDURAS DE INTERESSE EM ALIMENTOS INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS Top yeast: leveduras de superfície Botton yeast: leveduras de profundidade
  • 18. EXEMPLOS S. cerevisae, S. calrsbergensis botton yeast, após o crescimento e fermentação precipitam. Usadas na panificação, cerveja, vinhos, etc S. fragilis, S. lactis fermentam lactose (tratamento de resíduos) S. roufii, S. mellis osmofílicas - frutas secas, xaropes, geléias S. baillie fermentação de sucos (cítricos) Torulopsis osmofílica - leite condensado Candida produz grande quantidade de proteínas, ataca leite e derivados Rodutorula deterioração de pickles, chucrutes e carnes (cor vermelha ou amarelo Picchia, Hansenula, Debarymocyces, Thricosporum deterioração de pickles com produção de película, oxida o ácido acético e altera o sabor Debaryomyces carnes, queijo e salsichas   INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS
  • 19. PRODUÇÃO DE ÁLCOOL INTRODUÇÃO BACTÉRIAS FUNGOS LEVEDURAS Saaccharomyces cerevisae Fabricação de pães – álcool Falta de oxigênio – fermentação anaeróbica – não converte totalmente as gás carbônico e água açúcar – álcool é produto da degradação parcial.
  • 20. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS http://www.cib.org.br http://www.bichoonline.com.br   http://www.ufv.br/dbg/trab2002/MELHOR.htmcib.org.br   http://www.biologianviva.hpg.ig.com.br http://www.ambientebrasil.com.br http://www.adi.pt/sectores%20de%20actividade/projectos/leveduras.htm http://www.zum.de http://www.wikipedia.de www.sonnenseite.oekoserve.net