SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Nº48,CNPGC,abr.93,p.1-5
(3ª Ed. rev./95 - 1ª reimpr./96)
MANEJO SANITÁRIO EM BEZERROS DE CORTE
(Do nascimento ao desmame)
Maria Aparecida Moreira Schenk
1
Pedro Paulo Pires
2
Renato Andreotti 3
Alberto Gomes
4
O desempenho de qualquer sistema de produção de gado de corte está
diretamente ligado às condições sanitárias e nutricionais do rebanho. Este
desempenho produtivo pode ser avaliado em termos de bezerros
desmamados, de animais para o abate e da produção de carne e carcaça
(Corrêa 1983).
Para se evitar o comprometimento deste sistema, tornam-se indispensáveis
medidas preventivas que diminuam morbidades e mortalidades, que resultam
em última instância na redução e, conseqüentemente, na queda de produção.
Portanto, o manejo sanitário de bezerros assume importância fundamental.
Para facilitar a execução das medidas preventivas, sugere-se um roteiro de
fácil utilização pelos criadores (Anexo I).
No Brasil Central, em sistema de criação exclusivamente a pasto, a época de
monta sugerida é a de novembro a janeiro (Valle 1995). Esta apresenta
algumas vantagens, entre outras, a melhor disponibilidade de forragens e a
concentração de nascimentos no período seco, época oportuna para se fazer
um bom manejo sanitário nos bezerros, onde uma série de medidas
preventivas têm data certa para serem executadas.
Os cuidados começam com as vacas prenhes separando-as, pelo menos, no
último mês de gestação, em um pasto maternidade de fácil acesso, boa
qualidade de pasto e água e carga-animal adequada. Os cuidados também
devem se estender às vacas que abortarem, buscando-se sempre determinar
as causas.
Para se garantir a sobrevivência e bom desenvolvimento dos animais durante a
vida, é preciso que os bezerros recebam anticorpos maternos, através do
colostro, nas primeiras horas de vida (no máximo até 6 horas). Normalmente, a
natureza providencia esse "manejo". No entanto, nos casos em que a vaca não
produz o colostro ou que, por algum motivo, o bezerro não receba este leite da
mãe, é indispensável que seja utilizado o colostro de outra vaca récem-parida.
O colostro, além de fornecer anticorpos, é rico em proteínas, minerais, enzimas
e vitaminas e, ligeiramente laxativo, antitóxico e energético.
Para o bom desenvolvimento do bezerro, a "cura do umbigo" é fundamental
para evitar contaminações pelo ambiente externo e instalações de miíases. O
umbigo deve ser cortado na medida de dois dedos (aproximadamente 4 cm) e
colocado em imersão durante 2 a 3 minutos numa solução de iodo a 10%
(Anexo II), ou outro produto similar, imediatamente após o nascimento. Os
bezerros "curados" deverão ser revisados até a completa cura. Vale aqui
lembrar que um grande número de pecuarista tem utilizado o Ivermectin em
bezerros recém-nascidos para prevenção das miíases e que, segundo Bianchin
et al. (1991), não confere vantagem adicional ao uso do iodo na "cura do
umbigo". O consumo adequado do colostro e a "cura" bem feita do umbigo
podem ser responsáveis por 70,0% da prevenção das doenças de bezerros
(Laender et al., 1984).
É importante vacinar os bezerros contra paratifo ou salmonelose entre os 15 e
20 dias de vida. Recomenda-se também que as vacas sejam vacinadas contra
o paratifo no oitavo mês de gestação. A diarréia é um sinal clínico bastante
observado nos bezerros recém-nascidos, entretanto, outros agentes podem
causar este processo (Madruga et al., 1984). Nestes casos a melhor indicação
para o tratamento deve ser dado pelo médico-veterinário.
Para o controle de febre aftosa, os órgãos oficiais de defesa sanitária de cada
Estado coordenam campanhas que variam conforme a região e o resultado
desejado. No Mato Grosso do Sul, o IAGRO obriga a conduta a seguir, uma
vez que se busca a erradicação da doença.
Na região do planalto vacina-se todos os animais, com menos de um ano de
idade, no período de 1 a 28 de fevereiro; todos os animais com menos de dois
anos de idade no período de 1 a 30 de maio e todos os animais da propriedade
entre 1e 30 de novembro.
Na região do pantanal vacina-se todos os animais da propriedade uma vez ao
ano, ou no período de 1º de maio a 15 de junho, ou de 1º de novembro a 15 de
dezembro.
Toda vez que houver saída de bovinos do pantanal, revacinar se já houver
passado seis meses da última vacinação.
A vacinação contra a brucelose deve ser ministrada, em dose única, no período
de novembro a junho seguinte ao nascimento, somente nas fêmeas com três a
oito meses de idade. Estas devem ser marcadas com um "V" na " cara
esquerda" acompanhado do último dígito do ano de vacinação. A este manejo
pode ser associada a vacina contra carbúnculo sintomático (vacina polivalente)
entre quatro e seis meses. Esta deve ser repetida seis meses após.
Em áreas onde ocorre o botulismo, os bezerros devem ser vacinados aos
quatro meses, repetindo a dose após 40 dias e anualmente.
A vacina contra a raiva bovina é recomendada somente em áreas onde a
doença ocorre e deve ser dada anualmente, no mês de julho. Dependendo do
tipo de exploração pecuária (cria, recria ou engorda) pode-se utilizar vacinas
com períodos de proteção diferentes. Deve ser associada à vacinação dos
cães, equídeos e ao controle dos morcegos hematófagos na região.
Acima de seis meses de idade, os bezerros devem ser desmamados e
marcados a fogo. Do desmame aos 30 meses de idade Honer & Bianchin
(1991) recomendam a vermifugação estratégica anual nos meses de maio,
julho e setembro.
Para que os animais respondam adequadamente às vacinas eles precisam
estar em um bom estado nutricional, o que depende da disponibilidade e de
boa qualidade de pastagens, associada a uma suplementação mineral própria
para a região, à vontade, no cocho, durante o ano inteiro.
È importante que o médico-veterinário acompanhe o cronograma sanitário,
para administração correta das vacinas, principalmente da brucelose, para o
diagnóstico de doenças e para prescrição de medicamentos quando
necessários. Vale lembrar que este documento serve para orientar o produtor
rural. Entretanto, novas opções de vacinas e de medicamentos poderão surgir
no mercado. Neste caso, consulte um médico-veterinário.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BIANCHIN, I.; CORRÊA, E.S.; GOMES, A.; HONER, M.R.; CURVO, J.B.E. Uso do
Ivermectin na prevenção da miíases umbilicais em bezerros de corte criados
extensivamente. Campo Grande : EMBRAPA-CNPGC, 1991. 6p. (EMBRAPA-
CNPGC. Comunicado Técnico, 41).
CORRÊA, A.S. Alguns aspectos da pecuária de corte no Brasil. Campo Grande :
EMBRAPA-CNPGC, 1983. 43p. (EMBRAPA-CNPGC. Documentos, 10).
HONER, M.R.; BIANCHIN, I. Programa de controle estratégico da verminose em gado
de corte no Brasil. A Hora Veterinária, Porto Alegre, v.12, n.71, p.17-19, 1993.
LAENDER, F.C.; VIANA, F.C.; PASSOS, L.M.I.; GALVÃO, C.L. Alguns aspectos de
manejo sanitário e principais doenças de bovinos. Tecnologia Agropecuária, Belo
Horizonte, v.6, n.4, p.1-51, 1984.
MADRUGA, C.R.; GOMES, R.; SCHENK, M.A.M.; KESSLER, R.H.; GRATÃO, G.;
GALES, M.E.; SCHENK, J.A.P.; ANDREASI, M.; BIANCHIN, I.; MIGUITA, M. Etiologia
de algumas doenças de bezerros de corte no Estado de Mato Grosso do Sul.
Campo Grande : EMBRAPA-CNPGC, 1984. 27p. (EMBRAPA-CNPGC. Circular
Técnica, 15).
VALLE, E.R. Estação de monta e desmama precoce em bovinos de corte. Revista dos
Criadores, São Paulo, v.65, n.785, p.9-13, 1995.
ANEXO I
CRONOGRAMA DE MANEJO SANITÁRIO PARA BEZERROS
DO NASCIMENTO AO DESMAME
Atividade MÊS Observações
O N D J F M A M J J A S
Estação de monta x ‚ n Varia conforme o
manejo do rebanho.
Vacina contra
paratifo nas vacas
prenhas
x ‚ n No oitavo mês de
gestação.
Nascimento, cura
umbigo e vacina
contra paratifo nos
bezerros
n x ‚ Vacinar bezerros
entre 15 e 20 dias de
idade.
Vacina contra
febre aftosa
(planalto de Mato
Grosso do Sul)
l l l Usar vacina oleosa e
comunicar ao IAGRO
até 15 dias após.
Vacina contra
febre aftosa
l w l w Vacinar apenas uma
vez ao ano com
(pantanal de Mato
Grosso do Sul)
vacina oleosa;
comunicar ao IAGRO.
Vacina contra
carbún-culo
sintomático
¦ ¦ • • ¦ ¦ ‚ ‚ 1ª dose do 4º ao 6º
mês de idade; 2ª dose
6 meses após a 1ª.
Vacina contra
bruce-lose
¦ ¦ ¦ m ¦ ¦ ¦ ¦ Vacinar as fêmeas do
3º ao 8º mês. Marcar
a cara com "V".
Vacina contra
botulismo
¦ ¦ ¦ • ‚ 1ª dose ao 4º mês; 2ª
dose 40 dias após 1ª;
repetir uma dose
anual.
Vacina contra
raiva
m Vacinar nas áreas
endêmicas
anualmente, a partir
do 4º mês.
Desmama e
marcação
l Desmamar após o 6º
mês de idade.
Vermifugação
estratégica
l l l Vermifugar os
bezerros da desmama
ao 30º mês de idade.
Suplementação
mineral
l l l l l l l l l l l l Fornecer à vontade -
rebanho geral.
l = 30 dias; w = 15 dias; • = 30 dias para 1ª vacina; ‚ = 30 dias para 2ª vacina;
m = melhor época para vacinação; ¦ = possíveis datas para vacinação;
x ‚ ou n = 30 dias correlacionados dos períodos de concepção, gestação e nascimento - cura
umbigo.
ANEXO II
PREPARAÇÃO DE TINTURA DE IODO A 10%
1. Dissolver 2 a 3 g de iodeto de potássio em 10 a 20 ml de água, agitar até diluir.
2. Adicionar 10 g de iodo ressublimado e agitar.
3. Adicionar álcool etílico q.s.p. 100 ml, agitar para dissolver. A solubilização é lenta.
1ª edição - abr.93 - Tiragem: 800 exemplares
2ª Edição revista - abr.94 - Tiragem: 800 exemplares
3ª Edição revista - nov.95 - Tiragem: 1.000 exemplares
1ª Reimpressão - ago.96 - Tiragem: 800 exemplares
1Méda-Veta., M.Sc., CRMV-MS Nº 0157, EMBRAPA-Centro Nacional de Pesquisa de Gado de Corte (CNPGC), Caixa Postal 154, CEP 79002-970
Campo Grande, MS.
2Méd.-Vet., M.Sc., CRMV-MS Nº 0875, EMBRAPA-CNPGC.
3Méd.-Vet., M.Sc., CRMV-MS Nº 510, EMBRAPA-CNPGC.
4Méd.-Vet., Ph.D., CRMV-MS Nº 0104, EMBRAPA-CNPGC.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

[Palestra] Ademir Maciel Pereira: Suplementação proteica na seca
[Palestra] Ademir Maciel Pereira: Suplementação proteica na seca[Palestra] Ademir Maciel Pereira: Suplementação proteica na seca
[Palestra] Ademir Maciel Pereira: Suplementação proteica na seca
AgroTalento
 
Cria de bezerros de corte
Cria de bezerros de corteCria de bezerros de corte
Cria de bezerros de corte
Allen Ferreira
 
Dietas de-confinamento
Dietas de-confinamentoDietas de-confinamento
Dietas de-confinamento
Exagro
 
[Palestra] Mateus Paranhos: Melhores práticas no bem-estar animal na pecuári...
[Palestra] Mateus Paranhos:  Melhores práticas no bem-estar animal na pecuári...[Palestra] Mateus Paranhos:  Melhores práticas no bem-estar animal na pecuári...
[Palestra] Mateus Paranhos: Melhores práticas no bem-estar animal na pecuári...
AgroTalento
 
121023 03-wbeef-engorda-a-pasto-marcelo-manella
121023 03-wbeef-engorda-a-pasto-marcelo-manella121023 03-wbeef-engorda-a-pasto-marcelo-manella
121023 03-wbeef-engorda-a-pasto-marcelo-manella
AgroTalento
 
Suplementação de vaca de cria visando a estação de monta e melhor período de ...
Suplementação de vaca de cria visando a estação de monta e melhor período de ...Suplementação de vaca de cria visando a estação de monta e melhor período de ...
Suplementação de vaca de cria visando a estação de monta e melhor período de ...
AgroTalento
 
Bioclimatologia e comportamento animal
Bioclimatologia e comportamento animalBioclimatologia e comportamento animal
Bioclimatologia e comportamento animal
Vanderlei Holz Lermen
 

Mais procurados (20)

Nutrição e instalação para aves de postura
Nutrição e instalação para aves de posturaNutrição e instalação para aves de postura
Nutrição e instalação para aves de postura
 
[Palestra] Ademir Maciel Pereira: Suplementação proteica na seca
[Palestra] Ademir Maciel Pereira: Suplementação proteica na seca[Palestra] Ademir Maciel Pereira: Suplementação proteica na seca
[Palestra] Ademir Maciel Pereira: Suplementação proteica na seca
 
Cria de bezerros de corte
Cria de bezerros de corteCria de bezerros de corte
Cria de bezerros de corte
 
Manejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corteManejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corte
 
Dietas de-confinamento
Dietas de-confinamentoDietas de-confinamento
Dietas de-confinamento
 
Alimentação para bov de corte
Alimentação para bov de corteAlimentação para bov de corte
Alimentação para bov de corte
 
Bovinocultura de Corte
Bovinocultura de Corte Bovinocultura de Corte
Bovinocultura de Corte
 
Apostila sunicultura basica
Apostila sunicultura basicaApostila sunicultura basica
Apostila sunicultura basica
 
Aula melhoramento bovinos corte parte 1 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 1  2012Aula melhoramento bovinos corte parte 1  2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 1 2012
 
[Palestra] Mateus Paranhos: Melhores práticas no bem-estar animal na pecuári...
[Palestra] Mateus Paranhos:  Melhores práticas no bem-estar animal na pecuári...[Palestra] Mateus Paranhos:  Melhores práticas no bem-estar animal na pecuári...
[Palestra] Mateus Paranhos: Melhores práticas no bem-estar animal na pecuári...
 
Bubalinocultura
BubalinoculturaBubalinocultura
Bubalinocultura
 
Criação de bezerras em sistemas leiteiros
Criação de bezerras em sistemas leiteirosCriação de bezerras em sistemas leiteiros
Criação de bezerras em sistemas leiteiros
 
Cunicultura
CuniculturaCunicultura
Cunicultura
 
121023 03-wbeef-engorda-a-pasto-marcelo-manella
121023 03-wbeef-engorda-a-pasto-marcelo-manella121023 03-wbeef-engorda-a-pasto-marcelo-manella
121023 03-wbeef-engorda-a-pasto-marcelo-manella
 
Aulapastejolotação.ppt
Aulapastejolotação.pptAulapastejolotação.ppt
Aulapastejolotação.ppt
 
Aula 2 - Cadeia produtiva leite.pptx
Aula 2 - Cadeia produtiva leite.pptxAula 2 - Cadeia produtiva leite.pptx
Aula 2 - Cadeia produtiva leite.pptx
 
Suplementação de vaca de cria visando a estação de monta e melhor período de ...
Suplementação de vaca de cria visando a estação de monta e melhor período de ...Suplementação de vaca de cria visando a estação de monta e melhor período de ...
Suplementação de vaca de cria visando a estação de monta e melhor período de ...
 
Agentes de Melhoramento Genético e Lucratividade
Agentes de Melhoramento Genético e LucratividadeAgentes de Melhoramento Genético e Lucratividade
Agentes de Melhoramento Genético e Lucratividade
 
Bioclimatologia e comportamento animal
Bioclimatologia e comportamento animalBioclimatologia e comportamento animal
Bioclimatologia e comportamento animal
 
Manual prático de caprino e ovinocultura
Manual prático de caprino e ovinoculturaManual prático de caprino e ovinocultura
Manual prático de caprino e ovinocultura
 

Destaque

Dia de Campo Sanidade de Pequenos Ruminantes
Dia de Campo Sanidade de Pequenos RuminantesDia de Campo Sanidade de Pequenos Ruminantes
Dia de Campo Sanidade de Pequenos Ruminantes
AgriPoint
 
Francisco cândido xavier emmanuel - assim vencerás
Francisco cândido xavier   emmanuel - assim vencerásFrancisco cândido xavier   emmanuel - assim vencerás
Francisco cândido xavier emmanuel - assim vencerás
Francisco Baptista
 
Crystal shanta gabriel - conheca a si mesmo
Crystal   shanta gabriel - conheca a si mesmoCrystal   shanta gabriel - conheca a si mesmo
Crystal shanta gabriel - conheca a si mesmo
Francisco Baptista
 
O evangelho purificador (psicografia joão nunes maia espírito miramez)
O evangelho purificador (psicografia joão nunes maia   espírito miramez)O evangelho purificador (psicografia joão nunes maia   espírito miramez)
O evangelho purificador (psicografia joão nunes maia espírito miramez)
Francisco Baptista
 
O evangelho segundo o espiritismo (allan kardec)
O evangelho segundo o espiritismo (allan kardec)O evangelho segundo o espiritismo (allan kardec)
O evangelho segundo o espiritismo (allan kardec)
Francisco Baptista
 

Destaque (20)

Manual australiano de manejo de bezerros de corte [em inglês]
Manual australiano de manejo de bezerros de corte [em inglês]Manual australiano de manejo de bezerros de corte [em inglês]
Manual australiano de manejo de bezerros de corte [em inglês]
 
10 091022 Alexandre Pedroso Suplementacao Bezerros
10 091022 Alexandre Pedroso Suplementacao Bezerros10 091022 Alexandre Pedroso Suplementacao Bezerros
10 091022 Alexandre Pedroso Suplementacao Bezerros
 
Mais bezerros
Mais bezerrosMais bezerros
Mais bezerros
 
Manual de nascimento de bezerros
Manual de nascimento de bezerrosManual de nascimento de bezerros
Manual de nascimento de bezerros
 
Dia de Campo Sanidade de Pequenos Ruminantes
Dia de Campo Sanidade de Pequenos RuminantesDia de Campo Sanidade de Pequenos Ruminantes
Dia de Campo Sanidade de Pequenos Ruminantes
 
Fórum Exagro 2015 - Boi 7-7-7 ou 21@ em 24 meses
Fórum Exagro 2015 - Boi 7-7-7 ou 21@ em 24 mesesFórum Exagro 2015 - Boi 7-7-7 ou 21@ em 24 meses
Fórum Exagro 2015 - Boi 7-7-7 ou 21@ em 24 meses
 
Comercialização conjunta de gado de corte para abate: a experiência da ACGC N...
Comercialização conjunta de gado de corte para abate: a experiência da ACGC N...Comercialização conjunta de gado de corte para abate: a experiência da ACGC N...
Comercialização conjunta de gado de corte para abate: a experiência da ACGC N...
 
Calendário de vacinação 2013 mai
Calendário de vacinação 2013 maiCalendário de vacinação 2013 mai
Calendário de vacinação 2013 mai
 
Vida espiritual
Vida espiritualVida espiritual
Vida espiritual
 
Francisco cândido xavier emmanuel - assim vencerás
Francisco cândido xavier   emmanuel - assim vencerásFrancisco cândido xavier   emmanuel - assim vencerás
Francisco cândido xavier emmanuel - assim vencerás
 
Reforma interior
Reforma interiorReforma interior
Reforma interior
 
Mentalizando o bem (miramez)
Mentalizando o bem (miramez)Mentalizando o bem (miramez)
Mentalizando o bem (miramez)
 
Agora
AgoraAgora
Agora
 
Crystal shanta gabriel - conheca a si mesmo
Crystal   shanta gabriel - conheca a si mesmoCrystal   shanta gabriel - conheca a si mesmo
Crystal shanta gabriel - conheca a si mesmo
 
Horizontes da fala
Horizontes da falaHorizontes da fala
Horizontes da fala
 
Eleve a conversacao
Eleve a conversacaoEleve a conversacao
Eleve a conversacao
 
O evangelho purificador (psicografia joão nunes maia espírito miramez)
O evangelho purificador (psicografia joão nunes maia   espírito miramez)O evangelho purificador (psicografia joão nunes maia   espírito miramez)
O evangelho purificador (psicografia joão nunes maia espírito miramez)
 
O evangelho segundo o espiritismo (allan kardec)
O evangelho segundo o espiritismo (allan kardec)O evangelho segundo o espiritismo (allan kardec)
O evangelho segundo o espiritismo (allan kardec)
 
734 Mensagens de luz
734 Mensagens de luz734 Mensagens de luz
734 Mensagens de luz
 
Emater mg alimentacao_gado_leiteiro
Emater mg alimentacao_gado_leiteiroEmater mg alimentacao_gado_leiteiro
Emater mg alimentacao_gado_leiteiro
 

Semelhante a Manejo de bezerros embrapa comunicado técnico

Cuidados na vacinação do rebanho bovino
Cuidados na vacinação do rebanho bovinoCuidados na vacinação do rebanho bovino
Cuidados na vacinação do rebanho bovino
Rural Pecuária
 
Cuidados na vacinação do rebanho bovino
Cuidados na vacinação do rebanho bovinoCuidados na vacinação do rebanho bovino
Cuidados na vacinação do rebanho bovino
Rural Pecuária
 
Caprinos x verminose
Caprinos x verminoseCaprinos x verminose
Caprinos x verminose
unipampagepa
 
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
Rural Pecuária
 
Sanidade de caprino e ovino
Sanidade de caprino e ovinoSanidade de caprino e ovino
Sanidade de caprino e ovino
adelmosantana
 
Como reduzir a taxa de mortalidade de suínos
Como reduzir a taxa de mortalidade de suínosComo reduzir a taxa de mortalidade de suínos
Como reduzir a taxa de mortalidade de suínos
Rafael Portinho
 

Semelhante a Manejo de bezerros embrapa comunicado técnico (20)

Cuidados na vacinação do rebanho bovino
Cuidados na vacinação do rebanho bovinoCuidados na vacinação do rebanho bovino
Cuidados na vacinação do rebanho bovino
 
Cuidados na vacinação do rebanho bovino
Cuidados na vacinação do rebanho bovinoCuidados na vacinação do rebanho bovino
Cuidados na vacinação do rebanho bovino
 
Manual-do-PNCEBT-Original.pdf
Manual-do-PNCEBT-Original.pdfManual-do-PNCEBT-Original.pdf
Manual-do-PNCEBT-Original.pdf
 
Treinamento Vacinação Antirrábica - Recife // 2018
Treinamento Vacinação Antirrábica - Recife // 2018Treinamento Vacinação Antirrábica - Recife // 2018
Treinamento Vacinação Antirrábica - Recife // 2018
 
Caprinos x verminose
Caprinos x verminoseCaprinos x verminose
Caprinos x verminose
 
Artigo_Bioterra_V22_N2_06
Artigo_Bioterra_V22_N2_06Artigo_Bioterra_V22_N2_06
Artigo_Bioterra_V22_N2_06
 
influenza equina.docx
influenza equina.docxinfluenza equina.docx
influenza equina.docx
 
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
 
Professor iveraldo
Professor iveraldoProfessor iveraldo
Professor iveraldo
 
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
Desempenho e aspectos sanitários de bezerras leiteiras que receberam dieta co...
 
Desafios sanitários de suínos e aves no Brasil
Desafios sanitários de suínos e aves no BrasilDesafios sanitários de suínos e aves no Brasil
Desafios sanitários de suínos e aves no Brasil
 
Artigo abmba v6_n1_2018_01
Artigo abmba v6_n1_2018_01Artigo abmba v6_n1_2018_01
Artigo abmba v6_n1_2018_01
 
Artigo abmba v7_n1_2019_01
Artigo abmba v7_n1_2019_01Artigo abmba v7_n1_2019_01
Artigo abmba v7_n1_2019_01
 
Tristeza
TristezaTristeza
Tristeza
 
Neosporose em rebanhos bovinos leiteiros
Neosporose em rebanhos bovinos leiteirosNeosporose em rebanhos bovinos leiteiros
Neosporose em rebanhos bovinos leiteiros
 
Sanidade de caprino e ovino
Sanidade de caprino e ovinoSanidade de caprino e ovino
Sanidade de caprino e ovino
 
Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...
Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...
Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...
 
Como reduzir a taxa de mortalidade de suínos
Como reduzir a taxa de mortalidade de suínosComo reduzir a taxa de mortalidade de suínos
Como reduzir a taxa de mortalidade de suínos
 
VACINAS-EM-EQUINOS.pdf
VACINAS-EM-EQUINOS.pdfVACINAS-EM-EQUINOS.pdf
VACINAS-EM-EQUINOS.pdf
 
AAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVO
AAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVOAAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVO
AAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVO
 

Mais de AgroTalento

Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker NetoPalestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
AgroTalento
 
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
AgroTalento
 
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
AgroTalento
 
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani..."Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
AgroTalento
 
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com..."Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
AgroTalento
 
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
AgroTalento
 
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
AgroTalento
 
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
AgroTalento
 
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
AgroTalento
 
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
AgroTalento
 
Avanços da raça angus americana beefpoint - marcelo selistre
Avanços da raça angus americana   beefpoint - marcelo selistreAvanços da raça angus americana   beefpoint - marcelo selistre
Avanços da raça angus americana beefpoint - marcelo selistre
AgroTalento
 
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
AgroTalento
 
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
AgroTalento
 

Mais de AgroTalento (20)

Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
Palestra "Como conciliar várias escolas e estratégias no Marketing Digital" c...
 
Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker NetoPalestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
Palestra Merial BeefPoint - Antonio Chaker Neto
 
Ativos Pecuária de Corte
Ativos Pecuária de CorteAtivos Pecuária de Corte
Ativos Pecuária de Corte
 
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
Web Série: Controle do complexo respiratório bovino - Maurício Morais - Você ...
 
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
Web série: Controle do Complexo Respiratório Bovino - Daniel Rodrigues - O pr...
 
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani..."Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Prof. Enrico Ortolani...
 
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com..."Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
"Web Série: Controle do Completo Respiratório Bovino" - Sebastião Faria - Com...
 
O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...
O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...
O que o produtor brasileiro precisa saber antes de entrar no CAR - Palestra A...
 
Criando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e Finanças
Criando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e FinançasCriando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e Finanças
Criando Valor - Gestão Integrada de Estratégia e Finanças
 
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
[Palestra] Diede Loureiro: Aditivos melhoradores de performance: uma nova fer...
 
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
[Palestra] Pablo Paiva: Qual a tendência de utilização de endectocidas após I...
 
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
 
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
[Palestra] Rodrigo Meirelles: O que suplementar? - 2º BeefPoint Live Day
 
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
[Palestra] Mauro Meneghetti: IATF: como obter resultados acima da média (Dado...
 
Valorização do bezerro atrai atenção para a cria
Valorização do bezerro atrai atenção para a criaValorização do bezerro atrai atenção para a cria
Valorização do bezerro atrai atenção para a cria
 
Avanços da raça angus americana beefpoint - marcelo selistre
Avanços da raça angus americana   beefpoint - marcelo selistreAvanços da raça angus americana   beefpoint - marcelo selistre
Avanços da raça angus americana beefpoint - marcelo selistre
 
Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014
Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014
Roteiro Viagem Tecnica BeefPoint California EUA 2014
 
Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014
Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014
Confira o roteiro da viagem técnica BeefPoint à Califórnia - EUA 2014
 
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
CRV Lagoa - Palestra: O impacto da fertilidade dos touros sobre os resultados...
 
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
140801- carne bovina desafios e tendências - Minerva - Fabiano
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 

Manejo de bezerros embrapa comunicado técnico

  • 1. Nº48,CNPGC,abr.93,p.1-5 (3ª Ed. rev./95 - 1ª reimpr./96) MANEJO SANITÁRIO EM BEZERROS DE CORTE (Do nascimento ao desmame) Maria Aparecida Moreira Schenk 1 Pedro Paulo Pires 2 Renato Andreotti 3 Alberto Gomes 4 O desempenho de qualquer sistema de produção de gado de corte está diretamente ligado às condições sanitárias e nutricionais do rebanho. Este desempenho produtivo pode ser avaliado em termos de bezerros desmamados, de animais para o abate e da produção de carne e carcaça (Corrêa 1983). Para se evitar o comprometimento deste sistema, tornam-se indispensáveis medidas preventivas que diminuam morbidades e mortalidades, que resultam em última instância na redução e, conseqüentemente, na queda de produção. Portanto, o manejo sanitário de bezerros assume importância fundamental. Para facilitar a execução das medidas preventivas, sugere-se um roteiro de fácil utilização pelos criadores (Anexo I). No Brasil Central, em sistema de criação exclusivamente a pasto, a época de monta sugerida é a de novembro a janeiro (Valle 1995). Esta apresenta algumas vantagens, entre outras, a melhor disponibilidade de forragens e a concentração de nascimentos no período seco, época oportuna para se fazer um bom manejo sanitário nos bezerros, onde uma série de medidas preventivas têm data certa para serem executadas. Os cuidados começam com as vacas prenhes separando-as, pelo menos, no último mês de gestação, em um pasto maternidade de fácil acesso, boa qualidade de pasto e água e carga-animal adequada. Os cuidados também
  • 2. devem se estender às vacas que abortarem, buscando-se sempre determinar as causas. Para se garantir a sobrevivência e bom desenvolvimento dos animais durante a vida, é preciso que os bezerros recebam anticorpos maternos, através do colostro, nas primeiras horas de vida (no máximo até 6 horas). Normalmente, a natureza providencia esse "manejo". No entanto, nos casos em que a vaca não produz o colostro ou que, por algum motivo, o bezerro não receba este leite da mãe, é indispensável que seja utilizado o colostro de outra vaca récem-parida. O colostro, além de fornecer anticorpos, é rico em proteínas, minerais, enzimas e vitaminas e, ligeiramente laxativo, antitóxico e energético. Para o bom desenvolvimento do bezerro, a "cura do umbigo" é fundamental para evitar contaminações pelo ambiente externo e instalações de miíases. O umbigo deve ser cortado na medida de dois dedos (aproximadamente 4 cm) e colocado em imersão durante 2 a 3 minutos numa solução de iodo a 10% (Anexo II), ou outro produto similar, imediatamente após o nascimento. Os bezerros "curados" deverão ser revisados até a completa cura. Vale aqui lembrar que um grande número de pecuarista tem utilizado o Ivermectin em bezerros recém-nascidos para prevenção das miíases e que, segundo Bianchin et al. (1991), não confere vantagem adicional ao uso do iodo na "cura do umbigo". O consumo adequado do colostro e a "cura" bem feita do umbigo podem ser responsáveis por 70,0% da prevenção das doenças de bezerros (Laender et al., 1984). É importante vacinar os bezerros contra paratifo ou salmonelose entre os 15 e 20 dias de vida. Recomenda-se também que as vacas sejam vacinadas contra o paratifo no oitavo mês de gestação. A diarréia é um sinal clínico bastante observado nos bezerros recém-nascidos, entretanto, outros agentes podem causar este processo (Madruga et al., 1984). Nestes casos a melhor indicação para o tratamento deve ser dado pelo médico-veterinário. Para o controle de febre aftosa, os órgãos oficiais de defesa sanitária de cada Estado coordenam campanhas que variam conforme a região e o resultado desejado. No Mato Grosso do Sul, o IAGRO obriga a conduta a seguir, uma vez que se busca a erradicação da doença. Na região do planalto vacina-se todos os animais, com menos de um ano de idade, no período de 1 a 28 de fevereiro; todos os animais com menos de dois anos de idade no período de 1 a 30 de maio e todos os animais da propriedade entre 1e 30 de novembro. Na região do pantanal vacina-se todos os animais da propriedade uma vez ao ano, ou no período de 1º de maio a 15 de junho, ou de 1º de novembro a 15 de dezembro. Toda vez que houver saída de bovinos do pantanal, revacinar se já houver passado seis meses da última vacinação.
  • 3. A vacinação contra a brucelose deve ser ministrada, em dose única, no período de novembro a junho seguinte ao nascimento, somente nas fêmeas com três a oito meses de idade. Estas devem ser marcadas com um "V" na " cara esquerda" acompanhado do último dígito do ano de vacinação. A este manejo pode ser associada a vacina contra carbúnculo sintomático (vacina polivalente) entre quatro e seis meses. Esta deve ser repetida seis meses após. Em áreas onde ocorre o botulismo, os bezerros devem ser vacinados aos quatro meses, repetindo a dose após 40 dias e anualmente. A vacina contra a raiva bovina é recomendada somente em áreas onde a doença ocorre e deve ser dada anualmente, no mês de julho. Dependendo do tipo de exploração pecuária (cria, recria ou engorda) pode-se utilizar vacinas com períodos de proteção diferentes. Deve ser associada à vacinação dos cães, equídeos e ao controle dos morcegos hematófagos na região. Acima de seis meses de idade, os bezerros devem ser desmamados e marcados a fogo. Do desmame aos 30 meses de idade Honer & Bianchin (1991) recomendam a vermifugação estratégica anual nos meses de maio, julho e setembro. Para que os animais respondam adequadamente às vacinas eles precisam estar em um bom estado nutricional, o que depende da disponibilidade e de boa qualidade de pastagens, associada a uma suplementação mineral própria para a região, à vontade, no cocho, durante o ano inteiro. È importante que o médico-veterinário acompanhe o cronograma sanitário, para administração correta das vacinas, principalmente da brucelose, para o diagnóstico de doenças e para prescrição de medicamentos quando necessários. Vale lembrar que este documento serve para orientar o produtor rural. Entretanto, novas opções de vacinas e de medicamentos poderão surgir no mercado. Neste caso, consulte um médico-veterinário. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BIANCHIN, I.; CORRÊA, E.S.; GOMES, A.; HONER, M.R.; CURVO, J.B.E. Uso do Ivermectin na prevenção da miíases umbilicais em bezerros de corte criados extensivamente. Campo Grande : EMBRAPA-CNPGC, 1991. 6p. (EMBRAPA- CNPGC. Comunicado Técnico, 41). CORRÊA, A.S. Alguns aspectos da pecuária de corte no Brasil. Campo Grande : EMBRAPA-CNPGC, 1983. 43p. (EMBRAPA-CNPGC. Documentos, 10).
  • 4. HONER, M.R.; BIANCHIN, I. Programa de controle estratégico da verminose em gado de corte no Brasil. A Hora Veterinária, Porto Alegre, v.12, n.71, p.17-19, 1993. LAENDER, F.C.; VIANA, F.C.; PASSOS, L.M.I.; GALVÃO, C.L. Alguns aspectos de manejo sanitário e principais doenças de bovinos. Tecnologia Agropecuária, Belo Horizonte, v.6, n.4, p.1-51, 1984. MADRUGA, C.R.; GOMES, R.; SCHENK, M.A.M.; KESSLER, R.H.; GRATÃO, G.; GALES, M.E.; SCHENK, J.A.P.; ANDREASI, M.; BIANCHIN, I.; MIGUITA, M. Etiologia de algumas doenças de bezerros de corte no Estado de Mato Grosso do Sul. Campo Grande : EMBRAPA-CNPGC, 1984. 27p. (EMBRAPA-CNPGC. Circular Técnica, 15). VALLE, E.R. Estação de monta e desmama precoce em bovinos de corte. Revista dos Criadores, São Paulo, v.65, n.785, p.9-13, 1995. ANEXO I CRONOGRAMA DE MANEJO SANITÁRIO PARA BEZERROS DO NASCIMENTO AO DESMAME Atividade MÊS Observações O N D J F M A M J J A S Estação de monta x ‚ n Varia conforme o manejo do rebanho. Vacina contra paratifo nas vacas prenhas x ‚ n No oitavo mês de gestação. Nascimento, cura umbigo e vacina contra paratifo nos bezerros n x ‚ Vacinar bezerros entre 15 e 20 dias de idade. Vacina contra febre aftosa (planalto de Mato Grosso do Sul) l l l Usar vacina oleosa e comunicar ao IAGRO até 15 dias após. Vacina contra febre aftosa l w l w Vacinar apenas uma vez ao ano com
  • 5. (pantanal de Mato Grosso do Sul) vacina oleosa; comunicar ao IAGRO. Vacina contra carbún-culo sintomático ¦ ¦ • • ¦ ¦ ‚ ‚ 1ª dose do 4º ao 6º mês de idade; 2ª dose 6 meses após a 1ª. Vacina contra bruce-lose ¦ ¦ ¦ m ¦ ¦ ¦ ¦ Vacinar as fêmeas do 3º ao 8º mês. Marcar a cara com "V". Vacina contra botulismo ¦ ¦ ¦ • ‚ 1ª dose ao 4º mês; 2ª dose 40 dias após 1ª; repetir uma dose anual. Vacina contra raiva m Vacinar nas áreas endêmicas anualmente, a partir do 4º mês. Desmama e marcação l Desmamar após o 6º mês de idade. Vermifugação estratégica l l l Vermifugar os bezerros da desmama ao 30º mês de idade. Suplementação mineral l l l l l l l l l l l l Fornecer à vontade - rebanho geral. l = 30 dias; w = 15 dias; • = 30 dias para 1ª vacina; ‚ = 30 dias para 2ª vacina; m = melhor época para vacinação; ¦ = possíveis datas para vacinação; x ‚ ou n = 30 dias correlacionados dos períodos de concepção, gestação e nascimento - cura umbigo. ANEXO II PREPARAÇÃO DE TINTURA DE IODO A 10% 1. Dissolver 2 a 3 g de iodeto de potássio em 10 a 20 ml de água, agitar até diluir. 2. Adicionar 10 g de iodo ressublimado e agitar. 3. Adicionar álcool etílico q.s.p. 100 ml, agitar para dissolver. A solubilização é lenta.
  • 6. 1ª edição - abr.93 - Tiragem: 800 exemplares 2ª Edição revista - abr.94 - Tiragem: 800 exemplares 3ª Edição revista - nov.95 - Tiragem: 1.000 exemplares 1ª Reimpressão - ago.96 - Tiragem: 800 exemplares 1Méda-Veta., M.Sc., CRMV-MS Nº 0157, EMBRAPA-Centro Nacional de Pesquisa de Gado de Corte (CNPGC), Caixa Postal 154, CEP 79002-970 Campo Grande, MS. 2Méd.-Vet., M.Sc., CRMV-MS Nº 0875, EMBRAPA-CNPGC. 3Méd.-Vet., M.Sc., CRMV-MS Nº 510, EMBRAPA-CNPGC. 4Méd.-Vet., Ph.D., CRMV-MS Nº 0104, EMBRAPA-CNPGC.