SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
Profa. Me. Míriam Navarro de Castro
Nunes
Aula 9: Tecnologia para surdos
• PEREIRA, M. C. da C. (org). LIBRAS conhecimento além dos sinais.
São Paulo: Person Prentice Hall, 2011. Pag. 51-55.
TEXTO
• Tecnologia Assistiva é uma área do
conhecimento, de característica
interdisciplinar, que engloba
produtos, recursos, metodologias,
estratégias, práticas e serviços que
dão mais autonomia, independência
e qualidade de vida a pessoas com
deficiência, incapacidades ou
mobilidade reduzida (Comitê de
Ajudas Técnicas - 2008).
Tecnologia Assistiva
• Para atender à especificidade das pessoas surdas, as indústrias têm
criado recursos tecnológicos, desde simples até altamente
sofisticados.
Tecnologia: adaptações culturais
• Enquanto os ouvintes têm campainha sonora em casa, os surdos têm
campainha luminosa. Assim, quando alguém chega à residência de uma
família surda, ao tocar a campainha, em vez de acionar um som, é acionada
uma luz. Essa campainha, normalmente, é ativada em diferentes partes da
casa. Também são usadas em escolas especiais para crianças surdas.
Campainhas luminosas
• A exemplo da babá eletrônica, a babá luminosa consiste em um receptor que
é colocado próximo ao berço do bebê. Quando o bebê chora, uma lâmpada
se acende perto da mãe. Alguns modelos também vibram e transmitem
imagens em tempo real.
Babás luminosas
• O relógio de pulso vibratório vibra, em vez de tocar no horário programado.
Relógio de pulso vibratório
• O despertador vibratório vibra no horário programado. É muito utilizado
pelas pessoas surdas, principalmente sob o travesseiro.
Despertador vibratório
Despertador vibratório
• O telefone para surdos (TDD, do inglês Telephone Device for Deaf),
denominado pela Anatel como Terminal Telefônico para Surdos (TTS),
permite aos surdos se comunicarem por meio de envio de mensagem escrita,
que é digitada em um teclado acoplado ao telefone e pode ser lida no visor
do telefone do interlocutor.
• Os interlocutores devem ter aparelhos telefônicos para surdos.
• Caso um deles não tenha o TTS, recorre-se então a uma central telefônica
(Sistema de Intermediação Surdo-Ouvinte - Siso).
Telefone para surdos
Telefone público para surdos
• A comunicação pode se dar por meio de videoconferência, chamada de
vídeo, aplicativos ou mensagem de texto. Necessidade de conexão com a
internet.
Celular com acesso à Libras
• Intérprete que traduz automaticamente voz ou texto para Libras.
Aplicativos
• A legenda oculta (closed caption) permite o acesso por escrito à informação
veiculada oralmente na televisão. Para isso, o televisor do espectador deve
possuir a tecla Closed Caption ou CC.
Legenda Oculta
• https://www.youtube.com/watch?v=twQWFpqekNg&t=1s
• https://www.youtube.com/watch?v=GL4rZhtF9VY
Vídeos
Questões de concurso
A Tecnologia Assistiva pode ser definida como:
a) uma área da saúde, de característica interdisciplinar, que visa à promoção da
funcionalidade em pessoas com deficiência.
b) uma abordagem voltada para a promoção de autonomia, da qualidade de
vida e da inclusão social de qualquer pessoa com deficiência, incapacidade ou
mobilidade reduzida.
c) metodologias e práticas, que objetivam apenas promover a funcionalidade
de qualquer pessoa com dificuldade.
d) uma área do conhecimento, de característica interdisciplinar, que engloba
produtos, recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços.
e) recursos de alto custo, que objetivam promover a funcionalidade,
relacionada à atividade e participação, de pessoas com deficiência,
incapacidades ou mobilidade reduzida.
Adaptações culturais, voltadas para as necessidades das pessoas surdas,
procuram facilitar a autonomia e melhoria da qualidade da vida em sociedade.
Servem de exemplo de adaptações tecnológicas:
a) despertador automático, babás luminosas, telefones para surdos, fones de
ouvido.
b) campainhas luminosas, legenda oculta, aplicativos de tradução, celular com
tecnologia 3G e acesso à língua de sinais.
c) serviços de mensagem de texto, legenda oculta, relógios mecânicos de
bolso.
d) televisores portáteis, agendas de bolso, terminais telefônicos para surdos
(TTS).
e) quadros interativos, câmeras fotográficas digitais, aplicativos de tradução.
Os telefones para surdos no Brasil são conhecidos como TS (Telefone para
Surdo) e TTS (Terminal Telefônico para Surdo), são importantes recursos para a
comunidade surda, pois geram acessibilidade na comunicação. Dentre as
alternativas a seguir, assinale a que apresenta uma INVERDADE sobre o uso
desses sistemas:
a) Caso um dos interlocutores não tenha o terminal, uma atendente da
empresa operadora recebe a mensagem falada, digita e envia para o
receptor.
b) Só é possível enviar e receber mensagens escritas para outra pessoa que
também tenha este tipo de aparelho ligado à linha telefônica.
c) O telefone é um meio de comunicação que os surdos não são capazes de
usar e o TS é uma utopia.
d) Esses sistemas são considerados artefatos culturais das comunidades
surdas, ou seja, produtos e materiais que atendem suas demandas.
e) Esses aparelhos possuem teclado alfanumérico e visor de legenda para
enviar e receber mensagens digitais.
A ideia de criar legendas ocultas (closed caption) surgiu há cerca de trinta anos, nos
Estados Unidos, com a intenção de auxiliar os surdos a acompanharem os programas
de televisão e, a partir de 1997, percebeu-se no Brasil um crescente uso dessas
legendas. Com relação às legendas ocultas (closed caption), marque a afirmativa
INCORRETA .
a) As legendas são desnecessárias tendo em vista que os surdos apresentam
grandes dificuldades com a Língua Portuguesa.
b) Para os surdos, são muito importantes as legendas em todos os canais da TV,
para que esses indivíduos se mantenham em dia com os noticiários nacionais e
internacionais.
c) Com as legendas, as pessoas surdas se mantêm bem informadas e têm acesso à
cultura, como é direito de todo cidadão.
d) Closed caption é uma legenda oculta que foi criada para permitir aos surdos e às
pessoas com dificuldades auditivas o acesso a programas, comerciais e filmes
veiculados na televisão e em vídeo.
e) Há duas formas de legendas ocultas: a on-line, que é feita em tempo real pela
estenotipia ou software de reconhecimento de voz, e a off-line, pós-produzida
em programas gravados, utilizando computadores com softwares específicos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTAL
MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTALMODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTAL
MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTALJuciara Brito
 
4.12.2013 Oficina Literatura Surda: "Adaptações e traduções de uma cultura su...
4.12.2013 Oficina Literatura Surda: "Adaptações e traduções de uma cultura su...4.12.2013 Oficina Literatura Surda: "Adaptações e traduções de uma cultura su...
4.12.2013 Oficina Literatura Surda: "Adaptações e traduções de uma cultura su...Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
Cultura e identidade surda
Cultura e identidade surdaCultura e identidade surda
Cultura e identidade surdaValdemar Júnior
 
LIBRAS AULA 4: Legislação sobre Libras
LIBRAS AULA 4: Legislação sobre LibrasLIBRAS AULA 4: Legislação sobre Libras
LIBRAS AULA 4: Legislação sobre Librasprofamiriamnavarro
 
LIBRAS AULA 2: As línguas de sinais: sua importância para os Surdos
LIBRAS AULA 2: As línguas de sinais: sua importância para os SurdosLIBRAS AULA 2: As línguas de sinais: sua importância para os Surdos
LIBRAS AULA 2: As línguas de sinais: sua importância para os Surdosprofamiriamnavarro
 
Gabarito instrutor de libras
Gabarito   instrutor de librasGabarito   instrutor de libras
Gabarito instrutor de librassecseduc
 
Curso de libras – aula 1
Curso de libras – aula 1Curso de libras – aula 1
Curso de libras – aula 1David Santos
 
Novas Tecnologias Utilizadas na Educação dos Surdos
Novas Tecnologias Utilizadas na Educação dos SurdosNovas Tecnologias Utilizadas na Educação dos Surdos
Novas Tecnologias Utilizadas na Educação dos SurdosUNEB
 
LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de SinaisLIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de SinaisLene Reis
 
3o slide linha do tempo na historia da educacao de surdos
3o slide   linha do tempo na historia da educacao de surdos3o slide   linha do tempo na historia da educacao de surdos
3o slide linha do tempo na historia da educacao de surdosJean Rodrigo
 
introdução a língua de sinais LIBRAS
introdução a língua de sinais LIBRASintrodução a língua de sinais LIBRAS
introdução a língua de sinais LIBRASSuenia Souza
 

Mais procurados (20)

Curso De Libras 2ª Aula
Curso De Libras 2ª AulaCurso De Libras 2ª Aula
Curso De Libras 2ª Aula
 
Historia da Educação dos Surdos.
Historia da Educação dos Surdos. Historia da Educação dos Surdos.
Historia da Educação dos Surdos.
 
MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTAL
MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTALMODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTAL
MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTAL
 
Mundo Surdo
Mundo SurdoMundo Surdo
Mundo Surdo
 
4.12.2013 Oficina Literatura Surda: "Adaptações e traduções de uma cultura su...
4.12.2013 Oficina Literatura Surda: "Adaptações e traduções de uma cultura su...4.12.2013 Oficina Literatura Surda: "Adaptações e traduções de uma cultura su...
4.12.2013 Oficina Literatura Surda: "Adaptações e traduções de uma cultura su...
 
Sintaxe da libras
Sintaxe da librasSintaxe da libras
Sintaxe da libras
 
História dos surdos e oralismo
História dos surdos e oralismoHistória dos surdos e oralismo
História dos surdos e oralismo
 
Cultura e identidade surda
Cultura e identidade surdaCultura e identidade surda
Cultura e identidade surda
 
LIBRAS AULA 4: Legislação sobre Libras
LIBRAS AULA 4: Legislação sobre LibrasLIBRAS AULA 4: Legislação sobre Libras
LIBRAS AULA 4: Legislação sobre Libras
 
Brincando com-a-libras (1)
Brincando com-a-libras (1)Brincando com-a-libras (1)
Brincando com-a-libras (1)
 
Projeto Libras
Projeto LibrasProjeto Libras
Projeto Libras
 
LIBRAS AULA 2: As línguas de sinais: sua importância para os Surdos
LIBRAS AULA 2: As línguas de sinais: sua importância para os SurdosLIBRAS AULA 2: As línguas de sinais: sua importância para os Surdos
LIBRAS AULA 2: As línguas de sinais: sua importância para os Surdos
 
Tecnologia assistiva
Tecnologia assistivaTecnologia assistiva
Tecnologia assistiva
 
Gabarito instrutor de libras
Gabarito   instrutor de librasGabarito   instrutor de libras
Gabarito instrutor de libras
 
Curso de libras – aula 1
Curso de libras – aula 1Curso de libras – aula 1
Curso de libras – aula 1
 
LIBRAS AULA 7: Cultura Surda
LIBRAS AULA 7: Cultura SurdaLIBRAS AULA 7: Cultura Surda
LIBRAS AULA 7: Cultura Surda
 
Novas Tecnologias Utilizadas na Educação dos Surdos
Novas Tecnologias Utilizadas na Educação dos SurdosNovas Tecnologias Utilizadas na Educação dos Surdos
Novas Tecnologias Utilizadas na Educação dos Surdos
 
LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de SinaisLIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
 
3o slide linha do tempo na historia da educacao de surdos
3o slide   linha do tempo na historia da educacao de surdos3o slide   linha do tempo na historia da educacao de surdos
3o slide linha do tempo na historia da educacao de surdos
 
introdução a língua de sinais LIBRAS
introdução a língua de sinais LIBRASintrodução a língua de sinais LIBRAS
introdução a língua de sinais LIBRAS
 

Semelhante a LIBRAS AULA 9: Tecnologia para surdos

Soluções de audioguia e acessibilidade da NEOCULTURA
Soluções de audioguia e acessibilidade da NEOCULTURASoluções de audioguia e acessibilidade da NEOCULTURA
Soluções de audioguia e acessibilidade da NEOCULTURALuciano Motta
 
Apresentação resumida - Características da TV digital - Profa Erika Zuza - 15...
Apresentação resumida - Características da TV digital - Profa Erika Zuza - 15...Apresentação resumida - Características da TV digital - Profa Erika Zuza - 15...
Apresentação resumida - Características da TV digital - Profa Erika Zuza - 15...Erika Zuza
 
AULA ACESSIBILIDADE.pptx
AULA ACESSIBILIDADE.pptxAULA ACESSIBILIDADE.pptx
AULA ACESSIBILIDADE.pptxssuser8e05f21
 
Palestra TV Digital ou TVs Digitais
Palestra TV Digital ou TVs DigitaisPalestra TV Digital ou TVs Digitais
Palestra TV Digital ou TVs DigitaisMarcelo CORREIA
 
A P R E S E N T AÇÃ O M U L T I M I D I A
A P R E S E N T AÇÃ O  M U L T I M I D I AA P R E S E N T AÇÃ O  M U L T I M I D I A
A P R E S E N T AÇÃ O M U L T I M I D I Araquelcarvalheiro
 
Um olhar sobre o telejornalismo online
Um olhar sobre o telejornalismo onlineUm olhar sobre o telejornalismo online
Um olhar sobre o telejornalismo onlineJocasta Luiza
 
Conhecendo a Tecnologia Assistiva - Jaqueline Ribeiro
Conhecendo a Tecnologia Assistiva - Jaqueline RibeiroConhecendo a Tecnologia Assistiva - Jaqueline Ribeiro
Conhecendo a Tecnologia Assistiva - Jaqueline RibeiroByte Girl
 
Meios de comunicação em massa
Meios de comunicação em massaMeios de comunicação em massa
Meios de comunicação em massaEquipemundi2014
 
Televisão Digital Interativa: Aspectos de Produção e Demanda
Televisão Digital Interativa: Aspectos de Produção e DemandaTelevisão Digital Interativa: Aspectos de Produção e Demanda
Televisão Digital Interativa: Aspectos de Produção e DemandaLauro Teixeira
 

Semelhante a LIBRAS AULA 9: Tecnologia para surdos (20)

T.A. para surdos
T.A.  para surdosT.A.  para surdos
T.A. para surdos
 
Pesquisa
PesquisaPesquisa
Pesquisa
 
Que-Fala!
Que-Fala!Que-Fala!
Que-Fala!
 
REVISTA
REVISTA REVISTA
REVISTA
 
Tecnologia assistiva
Tecnologia assistivaTecnologia assistiva
Tecnologia assistiva
 
Soluções de audioguia e acessibilidade da NEOCULTURA
Soluções de audioguia e acessibilidade da NEOCULTURASoluções de audioguia e acessibilidade da NEOCULTURA
Soluções de audioguia e acessibilidade da NEOCULTURA
 
Mesa 6 prof. josé antonio borges
Mesa 6   prof. josé antonio borgesMesa 6   prof. josé antonio borges
Mesa 6 prof. josé antonio borges
 
Apresentação resumida - Características da TV digital - Profa Erika Zuza - 15...
Apresentação resumida - Características da TV digital - Profa Erika Zuza - 15...Apresentação resumida - Características da TV digital - Profa Erika Zuza - 15...
Apresentação resumida - Características da TV digital - Profa Erika Zuza - 15...
 
Atividade 1 Etlog
Atividade 1   EtlogAtividade 1   Etlog
Atividade 1 Etlog
 
AULA ACESSIBILIDADE.pptx
AULA ACESSIBILIDADE.pptxAULA ACESSIBILIDADE.pptx
AULA ACESSIBILIDADE.pptx
 
Palestra TV Digital ou TVs Digitais
Palestra TV Digital ou TVs DigitaisPalestra TV Digital ou TVs Digitais
Palestra TV Digital ou TVs Digitais
 
A P R E S E N T AÇÃ O M U L T I M I D I A
A P R E S E N T AÇÃ O  M U L T I M I D I AA P R E S E N T AÇÃ O  M U L T I M I D I A
A P R E S E N T AÇÃ O M U L T I M I D I A
 
Um olhar sobre o telejornalismo online
Um olhar sobre o telejornalismo onlineUm olhar sobre o telejornalismo online
Um olhar sobre o telejornalismo online
 
Pessoas com deficiência visual, tecnologia assistiva e acessibilidade
Pessoas com deficiência visual, tecnologia assistiva e acessibilidadePessoas com deficiência visual, tecnologia assistiva e acessibilidade
Pessoas com deficiência visual, tecnologia assistiva e acessibilidade
 
Tcp aula 4
Tcp aula 4Tcp aula 4
Tcp aula 4
 
Conhecendo a Tecnologia Assistiva - Jaqueline Ribeiro
Conhecendo a Tecnologia Assistiva - Jaqueline RibeiroConhecendo a Tecnologia Assistiva - Jaqueline Ribeiro
Conhecendo a Tecnologia Assistiva - Jaqueline Ribeiro
 
Tecnologia aplicada a educaçao
Tecnologia aplicada a educaçaoTecnologia aplicada a educaçao
Tecnologia aplicada a educaçao
 
Meios de comunicação em massa
Meios de comunicação em massaMeios de comunicação em massa
Meios de comunicação em massa
 
C.L.C. 5 - Telemóveis
C.L.C. 5 - TelemóveisC.L.C. 5 - Telemóveis
C.L.C. 5 - Telemóveis
 
Televisão Digital Interativa: Aspectos de Produção e Demanda
Televisão Digital Interativa: Aspectos de Produção e DemandaTelevisão Digital Interativa: Aspectos de Produção e Demanda
Televisão Digital Interativa: Aspectos de Produção e Demanda
 

Mais de profamiriamnavarro

Como ganhar dinheiro em casa: ideias para professores
Como ganhar dinheiro em casa: ideias para professoresComo ganhar dinheiro em casa: ideias para professores
Como ganhar dinheiro em casa: ideias para professoresprofamiriamnavarro
 
MPEHG ALFABETO CARTOGRÁFICO E LEGENDA
MPEHG ALFABETO CARTOGRÁFICO E LEGENDAMPEHG ALFABETO CARTOGRÁFICO E LEGENDA
MPEHG ALFABETO CARTOGRÁFICO E LEGENDAprofamiriamnavarro
 
MPEHG AULA 13: Teoria e Prática do ensino de Geografia
MPEHG AULA 13: Teoria e Prática do ensino de GeografiaMPEHG AULA 13: Teoria e Prática do ensino de Geografia
MPEHG AULA 13: Teoria e Prática do ensino de Geografiaprofamiriamnavarro
 
MPEHG ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA
MPEHG ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICAMPEHG ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA
MPEHG ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICAprofamiriamnavarro
 
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC profamiriamnavarro
 
MPEHG AULA 11: Geografia na BNCC: unidades temáticas, objetos de conhecimento...
MPEHG AULA 11: Geografia na BNCC: unidades temáticas, objetos de conhecimento...MPEHG AULA 11: Geografia na BNCC: unidades temáticas, objetos de conhecimento...
MPEHG AULA 11: Geografia na BNCC: unidades temáticas, objetos de conhecimento...profamiriamnavarro
 
MPEHG AULA 10: Aula 10: Geografia na BNCC: introdução + competências específicas
MPEHG AULA 10: Aula 10: Geografia na BNCC: introdução + competências específicasMPEHG AULA 10: Aula 10: Geografia na BNCC: introdução + competências específicas
MPEHG AULA 10: Aula 10: Geografia na BNCC: introdução + competências específicasprofamiriamnavarro
 
MPEHG AULA 7: A formação do professor de História/ A atuação do aluno-mestre
MPEHG AULA 7: A formação do professor de História/ A atuação do aluno-mestre MPEHG AULA 7: A formação do professor de História/ A atuação do aluno-mestre
MPEHG AULA 7: A formação do professor de História/ A atuação do aluno-mestre profamiriamnavarro
 
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...profamiriamnavarro
 
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História  MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História profamiriamnavarro
 
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...profamiriamnavarro
 
MPEHG AULA 3: Conteúdos Históricos: como selecionar? Aprendizagens em História
MPEHG AULA 3: Conteúdos Históricos: como selecionar?  Aprendizagens em História MPEHG AULA 3: Conteúdos Históricos: como selecionar?  Aprendizagens em História
MPEHG AULA 3: Conteúdos Históricos: como selecionar? Aprendizagens em História profamiriamnavarro
 
MPEHG AULA 2: História no Ensino Fundamental – Anos Iniciais Unidades temátic...
MPEHG AULA 2: História no Ensino Fundamental – Anos Iniciais Unidades temátic...MPEHG AULA 2: História no Ensino Fundamental – Anos Iniciais Unidades temátic...
MPEHG AULA 2: História no Ensino Fundamental – Anos Iniciais Unidades temátic...profamiriamnavarro
 
MPEHG AULA 1: Visão geral da BNCC
MPEHG AULA 1: Visão geral da BNCC MPEHG AULA 1: Visão geral da BNCC
MPEHG AULA 1: Visão geral da BNCC profamiriamnavarro
 
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...profamiriamnavarro
 
MPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
MPEMC AULA 10: Alfabetização CientíficaMPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
MPEMC AULA 10: Alfabetização Científicaprofamiriamnavarro
 
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCCMPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCCprofamiriamnavarro
 
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatística
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e EstatísticaMPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatística
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatísticaprofamiriamnavarro
 
MPEMC AULA 7: Grandezas e Medidas
MPEMC AULA 7: Grandezas e MedidasMPEMC AULA 7: Grandezas e Medidas
MPEMC AULA 7: Grandezas e Medidasprofamiriamnavarro
 

Mais de profamiriamnavarro (20)

Como ganhar dinheiro em casa: ideias para professores
Como ganhar dinheiro em casa: ideias para professoresComo ganhar dinheiro em casa: ideias para professores
Como ganhar dinheiro em casa: ideias para professores
 
Aplicativos para aula ao vivo
Aplicativos para aula ao vivoAplicativos para aula ao vivo
Aplicativos para aula ao vivo
 
MPEHG ALFABETO CARTOGRÁFICO E LEGENDA
MPEHG ALFABETO CARTOGRÁFICO E LEGENDAMPEHG ALFABETO CARTOGRÁFICO E LEGENDA
MPEHG ALFABETO CARTOGRÁFICO E LEGENDA
 
MPEHG AULA 13: Teoria e Prática do ensino de Geografia
MPEHG AULA 13: Teoria e Prática do ensino de GeografiaMPEHG AULA 13: Teoria e Prática do ensino de Geografia
MPEHG AULA 13: Teoria e Prática do ensino de Geografia
 
MPEHG ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA
MPEHG ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICAMPEHG ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA
MPEHG ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA
 
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC
 
MPEHG AULA 11: Geografia na BNCC: unidades temáticas, objetos de conhecimento...
MPEHG AULA 11: Geografia na BNCC: unidades temáticas, objetos de conhecimento...MPEHG AULA 11: Geografia na BNCC: unidades temáticas, objetos de conhecimento...
MPEHG AULA 11: Geografia na BNCC: unidades temáticas, objetos de conhecimento...
 
MPEHG AULA 10: Aula 10: Geografia na BNCC: introdução + competências específicas
MPEHG AULA 10: Aula 10: Geografia na BNCC: introdução + competências específicasMPEHG AULA 10: Aula 10: Geografia na BNCC: introdução + competências específicas
MPEHG AULA 10: Aula 10: Geografia na BNCC: introdução + competências específicas
 
MPEHG AULA 7: A formação do professor de História/ A atuação do aluno-mestre
MPEHG AULA 7: A formação do professor de História/ A atuação do aluno-mestre MPEHG AULA 7: A formação do professor de História/ A atuação do aluno-mestre
MPEHG AULA 7: A formação do professor de História/ A atuação do aluno-mestre
 
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
MPEHG AULA 6: Eixos geradores do conhecimento / Metodologia do ensino de Hist...
 
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História  MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História
 
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...
 
MPEHG AULA 3: Conteúdos Históricos: como selecionar? Aprendizagens em História
MPEHG AULA 3: Conteúdos Históricos: como selecionar?  Aprendizagens em História MPEHG AULA 3: Conteúdos Históricos: como selecionar?  Aprendizagens em História
MPEHG AULA 3: Conteúdos Históricos: como selecionar? Aprendizagens em História
 
MPEHG AULA 2: História no Ensino Fundamental – Anos Iniciais Unidades temátic...
MPEHG AULA 2: História no Ensino Fundamental – Anos Iniciais Unidades temátic...MPEHG AULA 2: História no Ensino Fundamental – Anos Iniciais Unidades temátic...
MPEHG AULA 2: História no Ensino Fundamental – Anos Iniciais Unidades temátic...
 
MPEHG AULA 1: Visão geral da BNCC
MPEHG AULA 1: Visão geral da BNCC MPEHG AULA 1: Visão geral da BNCC
MPEHG AULA 1: Visão geral da BNCC
 
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
 
MPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
MPEMC AULA 10: Alfabetização CientíficaMPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
MPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
 
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCCMPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
 
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatística
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e EstatísticaMPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatística
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatística
 
MPEMC AULA 7: Grandezas e Medidas
MPEMC AULA 7: Grandezas e MedidasMPEMC AULA 7: Grandezas e Medidas
MPEMC AULA 7: Grandezas e Medidas
 

Último

atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfAutonoma
 
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfAutonoma
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...azulassessoria9
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Centro Jacques Delors
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfFbioFerreira207918
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaANNAPAULAAIRESDESOUZ
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Centro Jacques Delors
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptxM0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptxJustinoTeixeira1
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxAntonioVieira539017
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanomarla71199
 

Último (20)

atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptxM0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
 

LIBRAS AULA 9: Tecnologia para surdos

  • 1. LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS Profa. Me. Míriam Navarro de Castro Nunes Aula 9: Tecnologia para surdos
  • 2. • PEREIRA, M. C. da C. (org). LIBRAS conhecimento além dos sinais. São Paulo: Person Prentice Hall, 2011. Pag. 51-55. TEXTO
  • 3. • Tecnologia Assistiva é uma área do conhecimento, de característica interdisciplinar, que engloba produtos, recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços que dão mais autonomia, independência e qualidade de vida a pessoas com deficiência, incapacidades ou mobilidade reduzida (Comitê de Ajudas Técnicas - 2008). Tecnologia Assistiva
  • 4. • Para atender à especificidade das pessoas surdas, as indústrias têm criado recursos tecnológicos, desde simples até altamente sofisticados. Tecnologia: adaptações culturais
  • 5. • Enquanto os ouvintes têm campainha sonora em casa, os surdos têm campainha luminosa. Assim, quando alguém chega à residência de uma família surda, ao tocar a campainha, em vez de acionar um som, é acionada uma luz. Essa campainha, normalmente, é ativada em diferentes partes da casa. Também são usadas em escolas especiais para crianças surdas. Campainhas luminosas
  • 6. • A exemplo da babá eletrônica, a babá luminosa consiste em um receptor que é colocado próximo ao berço do bebê. Quando o bebê chora, uma lâmpada se acende perto da mãe. Alguns modelos também vibram e transmitem imagens em tempo real. Babás luminosas
  • 7. • O relógio de pulso vibratório vibra, em vez de tocar no horário programado. Relógio de pulso vibratório
  • 8. • O despertador vibratório vibra no horário programado. É muito utilizado pelas pessoas surdas, principalmente sob o travesseiro. Despertador vibratório
  • 10. • O telefone para surdos (TDD, do inglês Telephone Device for Deaf), denominado pela Anatel como Terminal Telefônico para Surdos (TTS), permite aos surdos se comunicarem por meio de envio de mensagem escrita, que é digitada em um teclado acoplado ao telefone e pode ser lida no visor do telefone do interlocutor. • Os interlocutores devem ter aparelhos telefônicos para surdos. • Caso um deles não tenha o TTS, recorre-se então a uma central telefônica (Sistema de Intermediação Surdo-Ouvinte - Siso). Telefone para surdos
  • 12. • A comunicação pode se dar por meio de videoconferência, chamada de vídeo, aplicativos ou mensagem de texto. Necessidade de conexão com a internet. Celular com acesso à Libras
  • 13. • Intérprete que traduz automaticamente voz ou texto para Libras. Aplicativos
  • 14. • A legenda oculta (closed caption) permite o acesso por escrito à informação veiculada oralmente na televisão. Para isso, o televisor do espectador deve possuir a tecla Closed Caption ou CC. Legenda Oculta
  • 17. A Tecnologia Assistiva pode ser definida como: a) uma área da saúde, de característica interdisciplinar, que visa à promoção da funcionalidade em pessoas com deficiência. b) uma abordagem voltada para a promoção de autonomia, da qualidade de vida e da inclusão social de qualquer pessoa com deficiência, incapacidade ou mobilidade reduzida. c) metodologias e práticas, que objetivam apenas promover a funcionalidade de qualquer pessoa com dificuldade. d) uma área do conhecimento, de característica interdisciplinar, que engloba produtos, recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços. e) recursos de alto custo, que objetivam promover a funcionalidade, relacionada à atividade e participação, de pessoas com deficiência, incapacidades ou mobilidade reduzida.
  • 18. Adaptações culturais, voltadas para as necessidades das pessoas surdas, procuram facilitar a autonomia e melhoria da qualidade da vida em sociedade. Servem de exemplo de adaptações tecnológicas: a) despertador automático, babás luminosas, telefones para surdos, fones de ouvido. b) campainhas luminosas, legenda oculta, aplicativos de tradução, celular com tecnologia 3G e acesso à língua de sinais. c) serviços de mensagem de texto, legenda oculta, relógios mecânicos de bolso. d) televisores portáteis, agendas de bolso, terminais telefônicos para surdos (TTS). e) quadros interativos, câmeras fotográficas digitais, aplicativos de tradução.
  • 19. Os telefones para surdos no Brasil são conhecidos como TS (Telefone para Surdo) e TTS (Terminal Telefônico para Surdo), são importantes recursos para a comunidade surda, pois geram acessibilidade na comunicação. Dentre as alternativas a seguir, assinale a que apresenta uma INVERDADE sobre o uso desses sistemas: a) Caso um dos interlocutores não tenha o terminal, uma atendente da empresa operadora recebe a mensagem falada, digita e envia para o receptor. b) Só é possível enviar e receber mensagens escritas para outra pessoa que também tenha este tipo de aparelho ligado à linha telefônica. c) O telefone é um meio de comunicação que os surdos não são capazes de usar e o TS é uma utopia. d) Esses sistemas são considerados artefatos culturais das comunidades surdas, ou seja, produtos e materiais que atendem suas demandas. e) Esses aparelhos possuem teclado alfanumérico e visor de legenda para enviar e receber mensagens digitais.
  • 20. A ideia de criar legendas ocultas (closed caption) surgiu há cerca de trinta anos, nos Estados Unidos, com a intenção de auxiliar os surdos a acompanharem os programas de televisão e, a partir de 1997, percebeu-se no Brasil um crescente uso dessas legendas. Com relação às legendas ocultas (closed caption), marque a afirmativa INCORRETA . a) As legendas são desnecessárias tendo em vista que os surdos apresentam grandes dificuldades com a Língua Portuguesa. b) Para os surdos, são muito importantes as legendas em todos os canais da TV, para que esses indivíduos se mantenham em dia com os noticiários nacionais e internacionais. c) Com as legendas, as pessoas surdas se mantêm bem informadas e têm acesso à cultura, como é direito de todo cidadão. d) Closed caption é uma legenda oculta que foi criada para permitir aos surdos e às pessoas com dificuldades auditivas o acesso a programas, comerciais e filmes veiculados na televisão e em vídeo. e) Há duas formas de legendas ocultas: a on-line, que é feita em tempo real pela estenotipia ou software de reconhecimento de voz, e a off-line, pós-produzida em programas gravados, utilizando computadores com softwares específicos.