SlideShare uma empresa Scribd logo
INTRODUÇÃO À
ANTROPOLOGIA
Profª. Esp. Jessielly Guimarães
Antropologia no contexto das
descobertas.
 O início de um pensamento sobre a antropologia está
inscrito em um contexto de mudanças na sociedade, seu
surgimento ocorre em meio a “descobertas” Europeias à
outros continentes. (Século XIV,
 Grandes navegações;
 Cronistas e viajantes ;
 O papel da Igreja – no registro;
 As questões sobre os povos “descobertos” – tão iguais porém,
tão diferentes.
 A expansão da Europa sobre outros continentes, formam o cenário
do surgimento da antropologia como ciência.
 Primeiro Espanha e Portugal
 Logo em seguida: França , Inglaterra com o neocolonialismo – no
século XVIII (dominação indireta).
1ª A revolução industrial
Mudança de paradigma
 No final do século XVIII inicio do século XIX – a antropologia
começa a se estabelecer como ciência – desta forma , segue
as mudanças que também incorrem neste período:
 Inicio da 1ª revolução industrial -
A constituição de um saber cientifico
O homem passa então a está nos centro do debate científico;
O domínio da natureza pelo homem ;
E a antropologia ?
O homem como objeto
 Mas o projeto de fundar uma ciência do homem – uma
antropologia – é ao contrário , muito recente . De fato ,
apenas no final do século XVIII é que começa a se constituir
um saber cientifico (ou pretensamente cientifico ) que torna
no homem como objeto de conhecimento , e não mais a
natureza; ( LAPLANTINE , p.13)
 Métodos de outras ciências aplicados ao estudo do homem (
biologia , física , geografia ).
 Na segunda metade do século XIX – a antropologia atribui objetos
empíricos autônomos : Sociedades ditas primitivas, exteriores as
sociedades europeias e norte americana.
 Dualidade da ciência – observador/objeto.
 Não existe experimentação em laboratório - biologia ;física.
 Nem observação ao longo do tempo a exemplo da história .
 Sociedades longínquas
Que tipo de sociedades eram essas
 As sociedades estudadas pelos antropólogos são sociedades
longínquas , as quais são atribuídas as seguintes
características: Sociedades de dimensões restritas ; que
tiveram poucos contatos com os grupos vizinhos ; cuja
tecnologia é pouco desenvolvida em relação à nossa; e nas
quais há uma menor especialização das atividades e funções
sociais . São também qualificadas como “simples”;
(LAPLANTINE , p.14)
SOCIEDADE “PRIMITIVAS”
A morte do objeto
 Com a chegada do século XX a antropologia passa por uma crise de
identidade, impulsionado pelo desenvolvimento capitalista que chegou
até a população ditas “primitivas” .
 Existiram três perspectivas :
 1.Aceitar a morte do objeto e se voltar para outras ciências;
 2. Buscar uma nova área de investigação: tomando para si o estudo
sobre o camponês tratando-o como “selvagem”;
 3. E por último algo que não exclui o anterior , mas que assume uma
nova perspectiva de olhar o todo e não mais a parte
 a) O estudo do homem inteiro;
 b) O estudo do homem em todas as sociedades , sob todos os
seus estados e todas épocas;
O estudo do Homem por inteiro.
O que caracteriza a antropologia.
Aquilo que, de fato
caracteriza a unidade do
homem , de que a
antropologia , como já
dissemos e voltaremos a
dizer ,... Formas de
organização social
extremamente diversos.
O projeto antropológico
consiste , portanto, no
reconhecimento ,
conhecimento , juntamente
com a compreensão de
uma humanidade plural .
 A base do conhecimento antropológico, é entender que para
conhecer a nossa cultura, precisamos conhecer outras “ e
devemos essencialmente reconhecer que somos uma cultura
possível entre tantas outras, mas não a única” (LAPLANTINE ,
p.21)
Tipos de antropologia
Antropologia
biológica
Antropologia
Cultural /Social
Antropologia
Linguística
Antropologia
Pré-histórica
Antropologia
Psicologica
Tipos de antropologia
Antropologia biológica – Busca estuda a relação dos
aspectos genéticos e o meio em que o homem vive .
Antropologia pré-histórica – manter relação com a
arqueologia porém vai além das descobertas e vestígios
deixados pelos antepassados, concentra-se no estudo
das organizações desses povos;
Antropologia linguística
Só através
Como
pensam
da língua os
homens
Como se
expressam
podem
compreender
Como eles
interpretam
seu próprio
saber
• Compreende os
aspectos psicológico
dos indivíduos , uma
vez que não lidamos
apenas com
processos sociais ,
mas com indivíduos
Antropologia
Psicológica
• Abrange tudo que
constitui uma sociedade :
seus modos de produção
econômica , suas
técnicas , sua
organização política e
jurídica , seus sistemas
de parentesco; crenças
religiosas ; língua etc.
Antropologia
cultural e
social.
Lévi- Strauss, - os antropólogos estudam aquilo que
não encontra-se registrado nem na pedra nem no
papel, mas nos gestos, costumes , nas trocas
simbólicas , os menores detalhes do
comportamento humano (adaptado).
Estudo do Homem em sua diversidade
 A Antropologia nasce estudando apenas o exótico, as
sociedades extra-europeias.
 Produz um tipo de conhecimento especifico para contribuir
nas ciências humanas, a partir do tipo de observação direta e
dos métodos utilizados;
 O distanciamento dessas sociedades observadas, é a chave de
leitura da própria sociedade, onde o que antes era percebido
como natural passa a ser reconhecido como cultural.
Observar sociedades distantes possibilitou a
antropologia criar a ideia de estranhamento,
que é “ a perplexidade provocada pelo
encontro vai levar a uma modificação do
olhar que se tinha sobre si mesmo.”
(LAPLANTINE , p.21)
ALGUNS AUTORES REPRESENTANTES DA
ANTROPOLOGIA
Edwar R. Taylor 1832-1917
Pensava a cultura como evolução.
ALTERIDADE
 A palavra alteridade possui o prefixo latino alter, que significa outro, colocar-se
no lugar de outro na relação interpessoal, com valorização, consideração,
identificação, e diálogo com o outro. A prática da alteridade se conecta tanto
entre indivíduos, quanto entre grupos, bem ainda entre indivíduo e a natureza. A
prática alteritária leva em conta sempre os fenômenos da complementaridade e
da interdependência, no modo de pensar, de sentir, de agir, sem a preocupação
com a sobreposição, assimilação ou destruição do outro com o qual nos
relacionamos.
 A prática da alteridade pretende conduzir da diferença à soma nas relações
interpessoais entre os seres humanos, na medida em que propõe estabelecer
uma relação pacífica e construtiva com os diferentes, na medida em que se
identifique, entenda e aprenda a aprender com o contrário.
Leia mais: http://jus.com.br/artigos/10241/alteridade-categoria-fundamental-da-etica-ambiental/2#ixzz3JAewx1yz
Quem é o outro?
 “ A descoberta da alteridade é a de uma relação que nos
permite deixar de identificar nossa pequena província de
humanidade, e correlativamente deixar de rejeitar o
presumido “selvagem” fora de nós mesmos.” (LAPLANTINE ,
p.23)
Questões para o debate
Quem somos nós?
Qual o nosso papel como futuro profissional
da saúde?
Como podemos estimular a alteridade?
Quem são os Sonacirema?
Alteridade
 Texto para discussão em sala: “O ritual do corpo entre os
Sonacirema”
 Quem é o outro
 Quem somos nós ?
 Qual a relação que alteridade tem com o fazer do profissional
da saúde?
 Quem são os Sonacirema?
 Leitura complementar :VELHO, Gilberto, “Observando O
famíliar”.
 DAMATTA, Roberto . Relativizando, Introdução a antropologia
social.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a introdução a antropologia, histórico.pptx

Aprender antropologia
Aprender antropologiaAprender antropologia
Aprender antropologia
Andreia Regina Moura Mendes
 
Apostila estudos antropológicos e políticos
Apostila estudos antropológicos e políticosApostila estudos antropológicos e políticos
Apostila estudos antropológicos e políticos
Ricardo Albert
 
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdf
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdfHistória da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdf
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdf
FelipeCavalcantiFerr
 
Relações sociais e identidade
Relações sociais e identidadeRelações sociais e identidade
Relações sociais e identidade
Wilton Moretto
 
Ciências Sociais 1
Ciências Sociais 1Ciências Sociais 1
Ciências Sociais 1
Fernando Pimentel
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
Bernardo Ferreira
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
Bernardo Ferreira
 
Antropologia (1).ppt
Antropologia (1).pptAntropologia (1).ppt
Antropologia (1).ppt
TlioLucena5
 
Estudos culturais e antropologicos
Estudos culturais e antropologicosEstudos culturais e antropologicos
Estudos culturais e antropologicos
Salomao Lucio Dos Santos
 
Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas
Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências HumanasAntropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas
Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas
danielaleite59
 
Antropologia 1.pptx
Antropologia 1.pptxAntropologia 1.pptx
Antropologia 1.pptx
IslanaPereira1
 
Modulo de Antropologia em Apresentacao.pptx
Modulo de Antropologia em Apresentacao.pptxModulo de Antropologia em Apresentacao.pptx
Modulo de Antropologia em Apresentacao.pptx
GuidoEduardoAntnio
 
Contribuições metodológicas para a antropologia cideria
Contribuições metodológicas para a antropologia   cideriaContribuições metodológicas para a antropologia   cideria
Contribuições metodológicas para a antropologia cideria
Cidéria Moreira
 
Antropologia 126496 Un1.pdf
Antropologia 126496 Un1.pdfAntropologia 126496 Un1.pdf
Antropologia 126496 Un1.pdf
RenataTamares1
 
Antropologia da religião 2
Antropologia da religião 2Antropologia da religião 2
Antropologia da religião 2
Salomao Lucio Dos Santos
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
dylan costa
 
Aprender Antropologia - Introdução - Laplantine.pptx
Aprender Antropologia - Introdução - Laplantine.pptxAprender Antropologia - Introdução - Laplantine.pptx
Aprender Antropologia - Introdução - Laplantine.pptx
Ranna Pinho
 
Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02
Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02
Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02
Claudia araujo
 
Antropologia cultural
Antropologia culturalAntropologia cultural
Antropologia cultural
Andressa Joao Bidoia
 
4 antropologia missionária
4 antropologia missionária4 antropologia missionária
4 antropologia missionária
faculdadeteologica
 

Semelhante a introdução a antropologia, histórico.pptx (20)

Aprender antropologia
Aprender antropologiaAprender antropologia
Aprender antropologia
 
Apostila estudos antropológicos e políticos
Apostila estudos antropológicos e políticosApostila estudos antropológicos e políticos
Apostila estudos antropológicos e políticos
 
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdf
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdfHistória da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdf
História da Antropologia_ teoria, método e colonialismo.pdf
 
Relações sociais e identidade
Relações sociais e identidadeRelações sociais e identidade
Relações sociais e identidade
 
Ciências Sociais 1
Ciências Sociais 1Ciências Sociais 1
Ciências Sociais 1
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
Antropologia (1).ppt
Antropologia (1).pptAntropologia (1).ppt
Antropologia (1).ppt
 
Estudos culturais e antropologicos
Estudos culturais e antropologicosEstudos culturais e antropologicos
Estudos culturais e antropologicos
 
Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas
Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências HumanasAntropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas
Antropologia - Disciplina de Fundamentos de Filosofia e Ciências Humanas
 
Antropologia 1.pptx
Antropologia 1.pptxAntropologia 1.pptx
Antropologia 1.pptx
 
Modulo de Antropologia em Apresentacao.pptx
Modulo de Antropologia em Apresentacao.pptxModulo de Antropologia em Apresentacao.pptx
Modulo de Antropologia em Apresentacao.pptx
 
Contribuições metodológicas para a antropologia cideria
Contribuições metodológicas para a antropologia   cideriaContribuições metodológicas para a antropologia   cideria
Contribuições metodológicas para a antropologia cideria
 
Antropologia 126496 Un1.pdf
Antropologia 126496 Un1.pdfAntropologia 126496 Un1.pdf
Antropologia 126496 Un1.pdf
 
Antropologia da religião 2
Antropologia da religião 2Antropologia da religião 2
Antropologia da religião 2
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
Aprender Antropologia - Introdução - Laplantine.pptx
Aprender Antropologia - Introdução - Laplantine.pptxAprender Antropologia - Introdução - Laplantine.pptx
Aprender Antropologia - Introdução - Laplantine.pptx
 
Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02
Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02
Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02
 
Antropologia cultural
Antropologia culturalAntropologia cultural
Antropologia cultural
 
4 antropologia missionária
4 antropologia missionária4 antropologia missionária
4 antropologia missionária
 

Mais de JessiellyGuimares

plantas medicinais efeitos ATENÇÃO PRIMÁRIA.pptx
plantas medicinais efeitos ATENÇÃO PRIMÁRIA.pptxplantas medicinais efeitos ATENÇÃO PRIMÁRIA.pptx
plantas medicinais efeitos ATENÇÃO PRIMÁRIA.pptx
JessiellyGuimares
 
Aula 04 Tipos de textos_Intertextualidade 1 - Copia.pptx
Aula 04 Tipos de textos_Intertextualidade 1 - Copia.pptxAula 04 Tipos de textos_Intertextualidade 1 - Copia.pptx
Aula 04 Tipos de textos_Intertextualidade 1 - Copia.pptx
JessiellyGuimares
 
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptxAula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
JessiellyGuimares
 
PATOLOGIA DO TRABALHO enfermagem do trabalho.pptx
PATOLOGIA DO TRABALHO enfermagem do trabalho.pptxPATOLOGIA DO TRABALHO enfermagem do trabalho.pptx
PATOLOGIA DO TRABALHO enfermagem do trabalho.pptx
JessiellyGuimares
 
POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL historia, av
POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL historia, avPOLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL historia, av
POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL historia, av
JessiellyGuimares
 
EPIDEMIOLOGIA.ppt
EPIDEMIOLOGIA.pptEPIDEMIOLOGIA.ppt
EPIDEMIOLOGIA.ppt
JessiellyGuimares
 
períodos evolutivos da enfermagem.pptx
períodos evolutivos da enfermagem.pptxperíodos evolutivos da enfermagem.pptx
períodos evolutivos da enfermagem.pptx
JessiellyGuimares
 
ÉTICA E MORAL AULA.pptx
ÉTICA E MORAL AULA.pptxÉTICA E MORAL AULA.pptx
ÉTICA E MORAL AULA.pptx
JessiellyGuimares
 
AS PRÁTICAS DE SAÚDE CONTEXTO HISTÓRICO.pptx
AS PRÁTICAS DE SAÚDE CONTEXTO HISTÓRICO.pptxAS PRÁTICAS DE SAÚDE CONTEXTO HISTÓRICO.pptx
AS PRÁTICAS DE SAÚDE CONTEXTO HISTÓRICO.pptx
JessiellyGuimares
 
fundamentos da ética.pptx
fundamentos da ética.pptxfundamentos da ética.pptx
fundamentos da ética.pptx
JessiellyGuimares
 
Metodologia-de-Pesquisa-AULA-1.ppt
Metodologia-de-Pesquisa-AULA-1.pptMetodologia-de-Pesquisa-AULA-1.ppt
Metodologia-de-Pesquisa-AULA-1.ppt
JessiellyGuimares
 
Diagnósticos de enfermagem aula.pptx
Diagnósticos de enfermagem aula.pptxDiagnósticos de enfermagem aula.pptx
Diagnósticos de enfermagem aula.pptx
JessiellyGuimares
 
GÊNERO E SAÚDE AULA.ppt
GÊNERO E SAÚDE AULA.pptGÊNERO E SAÚDE AULA.ppt
GÊNERO E SAÚDE AULA.ppt
JessiellyGuimares
 
RELAÇÕES étnicos raciais e saúde coletiva.pptx
RELAÇÕES étnicos raciais e saúde coletiva.pptxRELAÇÕES étnicos raciais e saúde coletiva.pptx
RELAÇÕES étnicos raciais e saúde coletiva.pptx
JessiellyGuimares
 
Wanda horta e o cuidado.pptx
Wanda horta e o cuidado.pptxWanda horta e o cuidado.pptx
Wanda horta e o cuidado.pptx
JessiellyGuimares
 
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptxCORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
JessiellyGuimares
 
VIRGINIA+HENDERSON.ppt
VIRGINIA+HENDERSON.pptVIRGINIA+HENDERSON.ppt
VIRGINIA+HENDERSON.ppt
JessiellyGuimares
 
teoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptx
teoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptxteoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptx
teoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptx
JessiellyGuimares
 
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptxCORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
JessiellyGuimares
 
humanizaonaassistenc.pptx
humanizaonaassistenc.pptxhumanizaonaassistenc.pptx
humanizaonaassistenc.pptx
JessiellyGuimares
 

Mais de JessiellyGuimares (20)

plantas medicinais efeitos ATENÇÃO PRIMÁRIA.pptx
plantas medicinais efeitos ATENÇÃO PRIMÁRIA.pptxplantas medicinais efeitos ATENÇÃO PRIMÁRIA.pptx
plantas medicinais efeitos ATENÇÃO PRIMÁRIA.pptx
 
Aula 04 Tipos de textos_Intertextualidade 1 - Copia.pptx
Aula 04 Tipos de textos_Intertextualidade 1 - Copia.pptxAula 04 Tipos de textos_Intertextualidade 1 - Copia.pptx
Aula 04 Tipos de textos_Intertextualidade 1 - Copia.pptx
 
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptxAula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
Aula 01 comunicação e linguagem leitura.pptx
 
PATOLOGIA DO TRABALHO enfermagem do trabalho.pptx
PATOLOGIA DO TRABALHO enfermagem do trabalho.pptxPATOLOGIA DO TRABALHO enfermagem do trabalho.pptx
PATOLOGIA DO TRABALHO enfermagem do trabalho.pptx
 
POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL historia, av
POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL historia, avPOLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL historia, av
POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL historia, av
 
EPIDEMIOLOGIA.ppt
EPIDEMIOLOGIA.pptEPIDEMIOLOGIA.ppt
EPIDEMIOLOGIA.ppt
 
períodos evolutivos da enfermagem.pptx
períodos evolutivos da enfermagem.pptxperíodos evolutivos da enfermagem.pptx
períodos evolutivos da enfermagem.pptx
 
ÉTICA E MORAL AULA.pptx
ÉTICA E MORAL AULA.pptxÉTICA E MORAL AULA.pptx
ÉTICA E MORAL AULA.pptx
 
AS PRÁTICAS DE SAÚDE CONTEXTO HISTÓRICO.pptx
AS PRÁTICAS DE SAÚDE CONTEXTO HISTÓRICO.pptxAS PRÁTICAS DE SAÚDE CONTEXTO HISTÓRICO.pptx
AS PRÁTICAS DE SAÚDE CONTEXTO HISTÓRICO.pptx
 
fundamentos da ética.pptx
fundamentos da ética.pptxfundamentos da ética.pptx
fundamentos da ética.pptx
 
Metodologia-de-Pesquisa-AULA-1.ppt
Metodologia-de-Pesquisa-AULA-1.pptMetodologia-de-Pesquisa-AULA-1.ppt
Metodologia-de-Pesquisa-AULA-1.ppt
 
Diagnósticos de enfermagem aula.pptx
Diagnósticos de enfermagem aula.pptxDiagnósticos de enfermagem aula.pptx
Diagnósticos de enfermagem aula.pptx
 
GÊNERO E SAÚDE AULA.ppt
GÊNERO E SAÚDE AULA.pptGÊNERO E SAÚDE AULA.ppt
GÊNERO E SAÚDE AULA.ppt
 
RELAÇÕES étnicos raciais e saúde coletiva.pptx
RELAÇÕES étnicos raciais e saúde coletiva.pptxRELAÇÕES étnicos raciais e saúde coletiva.pptx
RELAÇÕES étnicos raciais e saúde coletiva.pptx
 
Wanda horta e o cuidado.pptx
Wanda horta e o cuidado.pptxWanda horta e o cuidado.pptx
Wanda horta e o cuidado.pptx
 
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptxCORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
 
VIRGINIA+HENDERSON.ppt
VIRGINIA+HENDERSON.pptVIRGINIA+HENDERSON.ppt
VIRGINIA+HENDERSON.ppt
 
teoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptx
teoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptxteoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptx
teoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptx
 
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptxCORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
CORPO. CORPOREIDADE E MEDICALIZAÇÃO.pptx
 
humanizaonaassistenc.pptx
humanizaonaassistenc.pptxhumanizaonaassistenc.pptx
humanizaonaassistenc.pptx
 

introdução a antropologia, histórico.pptx

  • 2. Antropologia no contexto das descobertas.  O início de um pensamento sobre a antropologia está inscrito em um contexto de mudanças na sociedade, seu surgimento ocorre em meio a “descobertas” Europeias à outros continentes. (Século XIV,  Grandes navegações;  Cronistas e viajantes ;  O papel da Igreja – no registro;  As questões sobre os povos “descobertos” – tão iguais porém, tão diferentes.
  • 3.  A expansão da Europa sobre outros continentes, formam o cenário do surgimento da antropologia como ciência.  Primeiro Espanha e Portugal  Logo em seguida: França , Inglaterra com o neocolonialismo – no século XVIII (dominação indireta).
  • 4. 1ª A revolução industrial
  • 5. Mudança de paradigma  No final do século XVIII inicio do século XIX – a antropologia começa a se estabelecer como ciência – desta forma , segue as mudanças que também incorrem neste período:  Inicio da 1ª revolução industrial - A constituição de um saber cientifico O homem passa então a está nos centro do debate científico; O domínio da natureza pelo homem ; E a antropologia ?
  • 6. O homem como objeto  Mas o projeto de fundar uma ciência do homem – uma antropologia – é ao contrário , muito recente . De fato , apenas no final do século XVIII é que começa a se constituir um saber cientifico (ou pretensamente cientifico ) que torna no homem como objeto de conhecimento , e não mais a natureza; ( LAPLANTINE , p.13)  Métodos de outras ciências aplicados ao estudo do homem ( biologia , física , geografia ).
  • 7.  Na segunda metade do século XIX – a antropologia atribui objetos empíricos autônomos : Sociedades ditas primitivas, exteriores as sociedades europeias e norte americana.  Dualidade da ciência – observador/objeto.  Não existe experimentação em laboratório - biologia ;física.  Nem observação ao longo do tempo a exemplo da história .  Sociedades longínquas
  • 8. Que tipo de sociedades eram essas  As sociedades estudadas pelos antropólogos são sociedades longínquas , as quais são atribuídas as seguintes características: Sociedades de dimensões restritas ; que tiveram poucos contatos com os grupos vizinhos ; cuja tecnologia é pouco desenvolvida em relação à nossa; e nas quais há uma menor especialização das atividades e funções sociais . São também qualificadas como “simples”; (LAPLANTINE , p.14)
  • 10. A morte do objeto  Com a chegada do século XX a antropologia passa por uma crise de identidade, impulsionado pelo desenvolvimento capitalista que chegou até a população ditas “primitivas” .  Existiram três perspectivas :  1.Aceitar a morte do objeto e se voltar para outras ciências;  2. Buscar uma nova área de investigação: tomando para si o estudo sobre o camponês tratando-o como “selvagem”;  3. E por último algo que não exclui o anterior , mas que assume uma nova perspectiva de olhar o todo e não mais a parte  a) O estudo do homem inteiro;  b) O estudo do homem em todas as sociedades , sob todos os seus estados e todas épocas;
  • 11. O estudo do Homem por inteiro.
  • 12. O que caracteriza a antropologia. Aquilo que, de fato caracteriza a unidade do homem , de que a antropologia , como já dissemos e voltaremos a dizer ,... Formas de organização social extremamente diversos.
  • 13. O projeto antropológico consiste , portanto, no reconhecimento , conhecimento , juntamente com a compreensão de uma humanidade plural .
  • 14.  A base do conhecimento antropológico, é entender que para conhecer a nossa cultura, precisamos conhecer outras “ e devemos essencialmente reconhecer que somos uma cultura possível entre tantas outras, mas não a única” (LAPLANTINE , p.21)
  • 15. Tipos de antropologia Antropologia biológica Antropologia Cultural /Social Antropologia Linguística Antropologia Pré-histórica Antropologia Psicologica
  • 16. Tipos de antropologia Antropologia biológica – Busca estuda a relação dos aspectos genéticos e o meio em que o homem vive . Antropologia pré-histórica – manter relação com a arqueologia porém vai além das descobertas e vestígios deixados pelos antepassados, concentra-se no estudo das organizações desses povos;
  • 17. Antropologia linguística Só através Como pensam da língua os homens Como se expressam podem compreender Como eles interpretam seu próprio saber
  • 18. • Compreende os aspectos psicológico dos indivíduos , uma vez que não lidamos apenas com processos sociais , mas com indivíduos Antropologia Psicológica
  • 19. • Abrange tudo que constitui uma sociedade : seus modos de produção econômica , suas técnicas , sua organização política e jurídica , seus sistemas de parentesco; crenças religiosas ; língua etc. Antropologia cultural e social.
  • 20. Lévi- Strauss, - os antropólogos estudam aquilo que não encontra-se registrado nem na pedra nem no papel, mas nos gestos, costumes , nas trocas simbólicas , os menores detalhes do comportamento humano (adaptado).
  • 21. Estudo do Homem em sua diversidade  A Antropologia nasce estudando apenas o exótico, as sociedades extra-europeias.  Produz um tipo de conhecimento especifico para contribuir nas ciências humanas, a partir do tipo de observação direta e dos métodos utilizados;  O distanciamento dessas sociedades observadas, é a chave de leitura da própria sociedade, onde o que antes era percebido como natural passa a ser reconhecido como cultural.
  • 22. Observar sociedades distantes possibilitou a antropologia criar a ideia de estranhamento, que é “ a perplexidade provocada pelo encontro vai levar a uma modificação do olhar que se tinha sobre si mesmo.” (LAPLANTINE , p.21)
  • 23. ALGUNS AUTORES REPRESENTANTES DA ANTROPOLOGIA
  • 24. Edwar R. Taylor 1832-1917 Pensava a cultura como evolução.
  • 25.
  • 26.
  • 27. ALTERIDADE  A palavra alteridade possui o prefixo latino alter, que significa outro, colocar-se no lugar de outro na relação interpessoal, com valorização, consideração, identificação, e diálogo com o outro. A prática da alteridade se conecta tanto entre indivíduos, quanto entre grupos, bem ainda entre indivíduo e a natureza. A prática alteritária leva em conta sempre os fenômenos da complementaridade e da interdependência, no modo de pensar, de sentir, de agir, sem a preocupação com a sobreposição, assimilação ou destruição do outro com o qual nos relacionamos.  A prática da alteridade pretende conduzir da diferença à soma nas relações interpessoais entre os seres humanos, na medida em que propõe estabelecer uma relação pacífica e construtiva com os diferentes, na medida em que se identifique, entenda e aprenda a aprender com o contrário. Leia mais: http://jus.com.br/artigos/10241/alteridade-categoria-fundamental-da-etica-ambiental/2#ixzz3JAewx1yz
  • 28. Quem é o outro?
  • 29.
  • 30.  “ A descoberta da alteridade é a de uma relação que nos permite deixar de identificar nossa pequena província de humanidade, e correlativamente deixar de rejeitar o presumido “selvagem” fora de nós mesmos.” (LAPLANTINE , p.23)
  • 31. Questões para o debate Quem somos nós? Qual o nosso papel como futuro profissional da saúde? Como podemos estimular a alteridade? Quem são os Sonacirema?
  • 32. Alteridade  Texto para discussão em sala: “O ritual do corpo entre os Sonacirema”  Quem é o outro  Quem somos nós ?  Qual a relação que alteridade tem com o fazer do profissional da saúde?  Quem são os Sonacirema?  Leitura complementar :VELHO, Gilberto, “Observando O famíliar”.  DAMATTA, Roberto . Relativizando, Introdução a antropologia social.