SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
1
INSTRUÇÕES
Igreja Local
e à Liderança
2
 SINTESE DE UMA GRANDE RECOMENDAÇÃO
“Ninguém despreze a tua mocidade; mas
sê o exemplo dos fiéis:
na palavra, no trato, no amor, no espírito,
na fé, na pureza” (1Tm 4.12).
ALGUMAS
INSTRU
ÇÕES
3
COMO ISSO OCORRE?
VERDADE PRÁTICA
As cartas pastorais
reúnem orientações à
liderança cristã e aos
membros em geral para
que vivam conforme a
vontade de Deus.
TEM QUE SERVIR DE EXEMPLO!
VIDA: DISCIPLINADA.
E para estas coisas quem é idôneo?
2 Cor.2:16
RESPOSTA:
2 Timóteo 2:21 - De sorte que, se alguém
se purificar destas coisas, será vaso para
honra, santificado e idôneo para uso do
Senhor, e preparado para toda a boa obra.
4
NOMEAÇÃO/CARGO/CHEFIA:
NÃO SÃO SINONIMOS DE LIDERANÇA.
É INFLUENCIAR!!!!
PALAVRA
5
DISCIPLINA CRISTÃ
O QUE PASSA PELO PENSAMENTO QUANDO
OUVIMOS FALAR ESSA PALAVRA?
PORQUE?
FALANDO NISSO, VAMOS VER UM POUCO O QUE
SIGNIFICA DISCIPLINA?
 Matéria ensinada na escola, em faculdades etc.
O conjunto dos regulamentos destinados a manter
a boa ordem em qualquer empresa,
empreendimento, ou corporação; a boa ordem
resultante da observância desses regulamentos: a
disciplina militar.
P.ext. Modo de agir que demonstra constância,
métodos: a disciplina era necessária para
conseguir aquele trabalho.
 s.f. respeito às regras, às normas, àqueles que são
seus superiores etc: disciplina estudantil,
eclesiastica, teologica, ideológica, militar, do
atleta, CRISTÃ (seu manual a Bíblia).
Regulamentação que garante a satisfação de
indivíduos ou instituições.
Boa conduta: certos alunos têm uma péssima
disciplina.
Submissão ou respeito a um regulamento.
6
ENTÃO TUDO QUE NÃO EDUCA NÃO É DISCIPLINA!
E AINDA É BOM SABER...
7
O castigo tem por finalidade:
vingar, punir e condenar aquele
que desobedeceu a palavra da
legislação.
NUNCA ESQUEÇA Do 70 X 7.
Então Pedro se aproximou dele e disse: Senhor,
quantas vezes devo perdoar a meu irmão, quando
ele pecar contra mim? Até sete vezes?
Respondeu Jesus: Não te digo até sete vezes, mas
até setenta vezes sete.
Mateus 18:21,22
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
8
O MANUAL
?
 As epístolas para Timóteo e Tito apresentam
orientações aos líderes e membros quanto à
vida pessoal e cristã.
 (DISCIPLINA)
9
NINGUEM CONSEGUE IR A
UM DESTINO SEM SEGUIR
ORIENTAÇÕES
I. AS EPÍSTOLAS PASTORAIS
10
INICIALMENTE DIRIGIDA AOS
PASTORES:
TIMOTEO E TITO
INTRODUÇÃO
O portunidade ímpar de estudar as Epístolas de 1 e 2 Timóteo
e Tito.
Dirigidas a dois jovens pastores que cuidavam do rebanho do
Senhor juntamente com Paulo.
O conteúdo delas está repleto de conselhos úteis sobre a
estrutura da vida na igreja. Estes conselhos fazem destas
cartas verdadeiros manuais eclesiásticos para a liderança das
Igrejas de hoje.
11
1 Pedro 5:2) “Apascentai o rebanho de
Deus que está entre vós, tendo cuidado
dele, não por força, mas
voluntariamente; nem por torpe
ganância, mas de ânimo pronto”
ONDE ESTAVAM:
2. DATAS EM QUE FORAM ESCRITAS.
12
A
IGREJA
CEP: 81.000
CURITIBA – PR
(U R G E N T E )
REMETENTE: APOSTOLO PAULO. - PELA AÇÃO DO E.S.
13
A Primeira Epístola/carta de Timóteo foi
escrita por volta de 64 d.C., entre a
primeira e a segunda prisão de Paulo, e
enviada de Roma (1ª) ou da Macedônia
(talvez Filipos) (2ª.)
Em seguida, por volta de 65 d.C., foi escrita
a Carta a Tito.
Já a Segunda Epístola de Timóteo foi
escrita em tomo de 67 d.C., quando do
segundo encarceramento do apóstolo, e
antes de sua morte.
Faz parte das “cartas da prisão”, ao lado de
aos :
Filipenses, Efésios, Colossenses e a
Filemom.
3. CONTEÚDO.
Estas epístolas formam um conjunto literário,
devocional e doutrinário, em que se observam o
mesmo vocabulário, o mesmo estilo e os mesmos
propósitos para qual foram escritas.
A estrutura foi elaborada com o intuito de
alcançar seus destinatários com solenes ensinos
e advertências da parte de Deus.
O conteúdo pode ser resumido da seguinte
maneira:
14
a) Saudação. Nas saudações aos destinatários, Paulo
demonstra o seu cuidado para com os jovens obreiros
(1Tm 1.2; Tt 1.1-4; 2Tm 1.1,2);
b) Qualificações ministeriais. Paulo demonstra que para
ser Ministro do Evangelho, há requisitos a serem
respeitados (1Tm 3.1-13 ; Tt 1.5-9);
Em I Tim. 3:6 ELE RECOMENDA QUE NÃO SEJA
NEOFITO ( O QUE SIGNIFICA ISSO (?).
c) Alerta contra os falsos mestres e as falsas doutrinas
(1Tm 4.1-5; Tt 1.10-16). Falsos mestres e falsas
doutrinas já existiam nas igrejas e infelizmente ainda
existem em muitos lugares;
d) O cuidado com a “sã doutrina” (1Tm 1.10; 6.3; 2Tm
1.13; 4.3; Tt 2.1); a falta desse cuidado contribui para a
disseminação das heresias e desvios de toda a espécie;
e) Comportamento e conselhos a diversos grupos (1Tm
5.1-25; Tt 2.1-10). Paulo fala a respeito dos servos,
senhores, pais, filhos, jovens e outros grupos.
15
II. PROPÓSITO E MENSAGEM
 As cartas pastorais de 1 Timóteo, 2 Timóteo e Tito
tinham em comum os seguintes propósitos:
 1. Orientar os líderes quanto à vida pessoal.
 Paulo exorta o jovem pastor Timóteo dizendo que
ele deveria servir como exemplo em tudo (1Tm
4.12,16).
 Para estar na liderança de uma igreja local é
imprescindível ter uma vida exemplar.
 Também é necessário e importante que o líder
saiba cuidar bem de sua vida familiar (1Tm 3.1-13),
a fim de que sua esposa e filhos tenham uma boa
conduta.
16
2. COMBATER AS HERESIAS
Paulo sabia das diversas heresias que ameaçavam as
igrejas locais. O apóstolo estava preocupado com os
crentes que já haviam sido seduzidos pelo judaísmo.
O judaísmo exigia o cumprimento de vários rituais e
liturgias, contudo Jesus nos ensinou uma nova
maneira de cumprir a Lei e de viver. Jesus fez uma
Nova Aliança com a humanidade mediante seu
sacrifício na cruz. Naquele tempo havia também o
perigo do gnosticismo, ou seja, uma filosofia herética,
que defendia o dualismo, segundo o qual a matéria é
má e o espírito é bom.
Por isso, negava a encarnação de Cristo, pois o
corpo, sendo matéria, contaminaria seu espírito.
Paulo deixou Timóteo em Éfeso para amenizar os
estragos dessa heresia, que se infiltrou no meio dos
crentes, sob influência de Himeneu e Alexandre (1Tm
1.19,20). VIDE AT. 15 - POLÊMICA NO
CONCÍLIO,RECOMENDAÇÕES.
 SÍNTESE DO TÓPICO (II)
As epístolas de Timóteo e Tito tinham como propósitos orientar os
líderes quanto à vida pessoal e no combate as heresias
17
III. UMA MENSAGEM PARA A IGREJA LOCAL
E A LIDERANÇA DA ATUALIDADE
Estamos vivendo os tempos
trabalhosos que Paulo falou em 1
Timóteo 4.1,2.
Precisamos estar atentos, por isso,
vamos estudar duas heresias da
atualidade.
Estas precisam ser confrontadas
com a Palavra de Deus. 18
O QUE É HERESIA? EXEMPLOS
 1. interpretação, doutrina ou sistema
teológico rejeitado como falso pela
Igreja.
 2. teoria, ideia, prática etc. que nega ou
contraria a doutrina estabelecida.
 EM SINTESE: HERESIA
 CAMINHO PRÓPRIO, CONTRAMÃO DA
VERDADE BIBLICA.
19
1. O “EVANGELHO” DA PROSPERIDADE
Um dos mais eminentes defensores, desta falsa doutrina
ensinou que “você é tanto uma encarnação de Deus quanto
Jesus Cristo o foi.
Você não tem um deus dentro de você. Você é um deus”. Se o
crente é “deus” pode tudo; tudo o que disser tornar-se-á
realidade (confissão positiva); e terá o mundo e as riquezas que
desejar, sem pobreza nem enfermidades. À luz da Palavra de
Deus, tal ensinamento equivale a orgulho, presunção e
soberba. Sabemos que Deus abomina toda altivez (Pv 6.16-19)
e que tal ensino é contrário as Escrituras Sagradas. Somos
criaturas, temos falhas e sem Deus nada somos e nada
podemos. O poder e a majestade são dEle.
20
Paulo adverte aos crentes quanto ao
que está acontecendo nos dias atuais,
onde muitos estão abandonando a fé em
Cristo.
Para Tito, ele faz advertência
semelhante sobre falsos líderes,
contradizentes e de torpe ganância
(Tt 1.9-13).
Precisamos estar atentos para que os
ensinos heréticos e a apostasia não
alcancem a Igreja do Senhor. O líder
tem a responsabilidade de zelar pela sã
doutrina.
21
IV. MENSAGEM PARA A LIDERANÇA
1. Administração eclesiástica. Em 1 Timóteo 3.1-12 e em Tito
1.5-9, vemos um conjunto de qualificações que aqueles que
desejam liderar uma igreja necessitam ter. Infelizmente, em
muitas igrejas, nem sempre estas recomendações são
observadas. Porém, a liderança exige esforço. É necessário
que o pastor tenha uma vida santa e irrepreensível. É preciso
esforço e disciplina.
Algumas das qualificações necessárias ao líder:
Irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos fiéis,
não soberbo, não iracundo, não dado ao vinho, não
espancador, não cobiçoso de torpe ganância, dado à
hospitalidade, amigo do bem, moderado, justo, santo,
temperante, retendo firme a Palavra, capaz de admoestar com
a sã doutrina, etc. 22
2. ÉTICA MINISTERIAL.
Na Segunda Epístola a Timóteo, Paulo
diz que o ministro deve apresentar-se a
Deus “aprovado, como obreiro que não
tem de que se envergonhar; que
maneja bem a palavra da verdade”
(2.15).
A verdadeira liderança se estabelece
pelo exemplo, pelo testemunho, muito
mais do que pela eloquência, pela
oratória ou pela retórica. 23
Nem são os diplomas de um obreiro
que o qualificam como líder cristão,
mas seu exemplo, sua ética, diante de
Deus, da sociedade e da igreja local.
Paulo tinha condições de ensinar
liderança e ética, pois sua vida era
exemplo para a igreja e para os de
fora (Fp 3.17; 1Co 11.1).
O líder cristão não é o que “manda”,
mas o que serve. Não é o maior, e sim
o menor (Mt 20.24-28).
24
25
Liderança é bíblica, e necessária, se não
houver é como um barco sem rumo, não vai
a lugar algum.
A ideia de alguém liderando outros está fundamentada nas
Escrituras. Assumir papel de líder na igreja de Deus e
esperar que outros sigam seu exemplo não é egoísmo,
autoritarismo, condescendência nem pecado. Temos certeza
disso porque as Escrituras deitam as bases e os princípios
da liderança cristã” (MACARTHUR, John. Ministério Pastoral:
Alcançando a excelência no ministério cristão. 7ª Edição. RJ:
CPAD, 2012, pp.294-5). Liderança é bíblica, e necessária, se
não houver é como um barco sem rumo, não vai a lugar
algum.
A ideia de alguém liderando outros está fundamentada nas
Escrituras. Assumir papel de líder na igreja de Deus e
esperar que outros sigam seu exemplo não é egoísmo,
autoritarismo, condescendência nem pecado. Temos certeza
disso porque as Escrituras deitam as bases e os princípios
da liderança cristã” (MACARTHUR, John. Ministério Pastoral:
Alcançando a excelência no ministério cristão. 7ª Edição. RJ:
CPAD, 2012, pp.294-5).
“A LIDERANÇA É ESSENCIAL À VIDA E MISSÃO
DA IGREJA”.
Sem ela, a igreja tropeça e cai num curso
incerto em sua peregrinação rumo a um
lugar melhor. É como um barco sem leme.
Sem liderança EFICAZ, a igreja não é capaz
de cumprir seus propósitos de ministrar
eficazmente aos de dentro e alcançar os de
fora, nem pode render a Deus a glória que
Ele merece.
O pastor é a pessoa chamada para prover a
liderança final da igreja, não importando o
sistema administrativo dela.
O sucesso da igreja depende em grande
parte de sua capacidade de liderança.
26
CONCLUSÃO
As cartas pastorais contêm doutrinas
e exortações quanto a assuntos
práticos, mas também diretrizes
gerais sobre liderança, designação de
obreiros, suas qualificações, as
responsabilidades espirituais e
morais do ministério; do
relacionamento com Deus, com os
líderes e das relações interpessoais.
São riquíssimas fontes de ensino para
edificação das igrejas locais nos
tempos presentes.(trabalhosos).
27

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

teologia eclesiologia e missiologia
teologia   eclesiologia e missiologiateologia   eclesiologia e missiologia
teologia eclesiologia e missiologiaalexandrepsantos
 
Lição 8 aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
Lição 8   aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015Lição 8   aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
Lição 8 aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015Andrew Guimarães
 
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipuladoLição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipuladoErberson Pinheiro
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroEdnilson do Valle
 
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus CristoLição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus CristoÉder Tomé
 
Lição 5 - Fruto do Espírito: o Eu Crucificado
Lição 5 - Fruto do Espírito: o Eu CrucificadoLição 5 - Fruto do Espírito: o Eu Crucificado
Lição 5 - Fruto do Espírito: o Eu CrucificadoÉder Tomé
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisMoisés Sampaio
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósÉder Tomé
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1Moisés Sampaio
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosmgno42
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,Felicio Araujo
 
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasLição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasÉder Tomé
 
APOSTILA DISCIPULADO BASICO
APOSTILA DISCIPULADO BASICOAPOSTILA DISCIPULADO BASICO
APOSTILA DISCIPULADO BASICOBispoAlberto
 
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1Sandro Manuel
 

Mais procurados (20)

teologia eclesiologia e missiologia
teologia   eclesiologia e missiologiateologia   eclesiologia e missiologia
teologia eclesiologia e missiologia
 
Lição 8 aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
Lição 8   aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015Lição 8   aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
Lição 8 aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
 
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipuladoLição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
 
Avivamento
AvivamentoAvivamento
Avivamento
 
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus CristoLição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
 
Paulo vida e_obra
Paulo vida e_obraPaulo vida e_obra
Paulo vida e_obra
 
Lição 5 - Fruto do Espírito: o Eu Crucificado
Lição 5 - Fruto do Espírito: o Eu CrucificadoLição 5 - Fruto do Espírito: o Eu Crucificado
Lição 5 - Fruto do Espírito: o Eu Crucificado
 
Ceia do Senhor
Ceia do SenhorCeia do Senhor
Ceia do Senhor
 
42 1 pedro
42 1 pedro42 1 pedro
42 1 pedro
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
 
TEOLOGIA PASTORAL
TEOLOGIA PASTORALTEOLOGIA PASTORAL
TEOLOGIA PASTORAL
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
 
Carta aos efesios
Carta aos efesiosCarta aos efesios
Carta aos efesios
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
 
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasLição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
 
APOSTILA DISCIPULADO BASICO
APOSTILA DISCIPULADO BASICOAPOSTILA DISCIPULADO BASICO
APOSTILA DISCIPULADO BASICO
 
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1
 

Destaque

Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)
Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)
Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)Renata Carvalho Silva
 
IAHSS Advanced cert
IAHSS Advanced certIAHSS Advanced cert
IAHSS Advanced certMichael Rowe
 
Criatividade e Inovação - valores pessoais e organizacionais
Criatividade e Inovação - valores pessoais e organizacionaisCriatividade e Inovação - valores pessoais e organizacionais
Criatividade e Inovação - valores pessoais e organizacionaisIsabel Campos
 
Uma visão cristã dos quatro pilares da educação
Uma visão cristã dos quatro pilares da educaçãoUma visão cristã dos quatro pilares da educação
Uma visão cristã dos quatro pilares da educaçãoAmor pela EBD
 
apostila: "finanças na biblia"
apostila: "finanças na biblia"apostila: "finanças na biblia"
apostila: "finanças na biblia"Wildney Gomes
 
Seminario Biblia Dinheiro 01
Seminario Biblia Dinheiro 01Seminario Biblia Dinheiro 01
Seminario Biblia Dinheiro 01Lemuel Silva
 
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaUma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaPr. Gerson Eller
 
O cristão e o dinheiro
O cristão e o dinheiroO cristão e o dinheiro
O cristão e o dinheiroIPB706Sul
 
Palestra - GRANDES LIDERES - 5 Comportamentos - Kairos Treinamentos
Palestra - GRANDES LIDERES - 5 Comportamentos - Kairos TreinamentosPalestra - GRANDES LIDERES - 5 Comportamentos - Kairos Treinamentos
Palestra - GRANDES LIDERES - 5 Comportamentos - Kairos TreinamentosKairos Treinamentos
 
“Doutrinas, normas, estatutos e preceitos” culto de doutrina
“Doutrinas, normas, estatutos e preceitos” culto de doutrina“Doutrinas, normas, estatutos e preceitos” culto de doutrina
“Doutrinas, normas, estatutos e preceitos” culto de doutrinajonasfreitasdejesus
 
Finanças e as Escrituras Sagradas
Finanças e as Escrituras SagradasFinanças e as Escrituras Sagradas
Finanças e as Escrituras SagradasDouglas Sborowski
 
Como Jesus Formou Sua Equipe
Como Jesus Formou Sua EquipeComo Jesus Formou Sua Equipe
Como Jesus Formou Sua EquipeLorena Vieira
 
finanças e harmonia familiar - ABORDAGEM BIBLICA
finanças e harmonia familiar - ABORDAGEM BIBLICAfinanças e harmonia familiar - ABORDAGEM BIBLICA
finanças e harmonia familiar - ABORDAGEM BIBLICACaixa Econômica Federal
 
10 passos para uma vida financeira equilibrada
10 passos para uma vida financeira equilibrada10 passos para uma vida financeira equilibrada
10 passos para uma vida financeira equilibradaevangelismo emslides
 
Educação Financeira Cristã
Educação Financeira CristãEducação Financeira Cristã
Educação Financeira CristãDaniel Luzz
 
Serial office 2010
Serial office 2010Serial office 2010
Serial office 2010zulma hendri
 

Destaque (20)

Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)
Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)
Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)
 
IAHSS Advanced cert
IAHSS Advanced certIAHSS Advanced cert
IAHSS Advanced cert
 
Vida Financeira Equilibrada (1)
Vida Financeira Equilibrada  (1)Vida Financeira Equilibrada  (1)
Vida Financeira Equilibrada (1)
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
 
Criatividade e Inovação - valores pessoais e organizacionais
Criatividade e Inovação - valores pessoais e organizacionaisCriatividade e Inovação - valores pessoais e organizacionais
Criatividade e Inovação - valores pessoais e organizacionais
 
Uma visão cristã dos quatro pilares da educação
Uma visão cristã dos quatro pilares da educaçãoUma visão cristã dos quatro pilares da educação
Uma visão cristã dos quatro pilares da educação
 
apostila: "finanças na biblia"
apostila: "finanças na biblia"apostila: "finanças na biblia"
apostila: "finanças na biblia"
 
Seminario Biblia Dinheiro 01
Seminario Biblia Dinheiro 01Seminario Biblia Dinheiro 01
Seminario Biblia Dinheiro 01
 
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaUma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderança
 
O cristão e o dinheiro
O cristão e o dinheiroO cristão e o dinheiro
O cristão e o dinheiro
 
Palestra - GRANDES LIDERES - 5 Comportamentos - Kairos Treinamentos
Palestra - GRANDES LIDERES - 5 Comportamentos - Kairos TreinamentosPalestra - GRANDES LIDERES - 5 Comportamentos - Kairos Treinamentos
Palestra - GRANDES LIDERES - 5 Comportamentos - Kairos Treinamentos
 
Liderança é um Contrato
Liderança é um Contrato  Liderança é um Contrato
Liderança é um Contrato
 
“Doutrinas, normas, estatutos e preceitos” culto de doutrina
“Doutrinas, normas, estatutos e preceitos” culto de doutrina“Doutrinas, normas, estatutos e preceitos” culto de doutrina
“Doutrinas, normas, estatutos e preceitos” culto de doutrina
 
Finanças e as Escrituras Sagradas
Finanças e as Escrituras SagradasFinanças e as Escrituras Sagradas
Finanças e as Escrituras Sagradas
 
Como Jesus Formou Sua Equipe
Como Jesus Formou Sua EquipeComo Jesus Formou Sua Equipe
Como Jesus Formou Sua Equipe
 
finanças e harmonia familiar - ABORDAGEM BIBLICA
finanças e harmonia familiar - ABORDAGEM BIBLICAfinanças e harmonia familiar - ABORDAGEM BIBLICA
finanças e harmonia familiar - ABORDAGEM BIBLICA
 
Liderança é um Contrato
Liderança é um ContratoLiderança é um Contrato
Liderança é um Contrato
 
10 passos para uma vida financeira equilibrada
10 passos para uma vida financeira equilibrada10 passos para uma vida financeira equilibrada
10 passos para uma vida financeira equilibrada
 
Educação Financeira Cristã
Educação Financeira CristãEducação Financeira Cristã
Educação Financeira Cristã
 
Serial office 2010
Serial office 2010Serial office 2010
Serial office 2010
 

Semelhante a INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA

LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA Lourinaldo Serafim
 
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à LiderançaLição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à LiderançaTcc Final
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015Andrew Guimarães
 
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015Pr. Andre Luiz
 
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderançaElson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015Andrew Guimarães
 
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015Pr. Andre Luiz
 
CONSELHOS GERAIS - LIÇÃO 06
CONSELHOS GERAIS - LIÇÃO 06CONSELHOS GERAIS - LIÇÃO 06
CONSELHOS GERAIS - LIÇÃO 06Samarone Melo
 
APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO LIÇÃO 05
APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO LIÇÃO 05APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO LIÇÃO 05
APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO LIÇÃO 05Samarone Melo
 
Lição 11 a organização de uma igreja local 3º trimestre de 2015
Lição 11   a organização de uma igreja local    3º trimestre de 2015Lição 11   a organização de uma igreja local    3º trimestre de 2015
Lição 11 a organização de uma igreja local 3º trimestre de 2015Andrew Guimarães
 
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIONatalino das Neves Neves
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula5 apostasia,fidelidade e diligên...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula5 apostasia,fidelidade e diligên...EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula5 apostasia,fidelidade e diligên...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula5 apostasia,fidelidade e diligên...GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Regio Davis
 
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptxLição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptxCelso Napoleon
 
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAISLIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAISLourinaldo Serafim
 
LIÇÃO 11 - A ORGANIZAÇÃO DE UMA IGREJA LOCAL
LIÇÃO 11 - A ORGANIZAÇÃO DE UMA IGREJA LOCALLIÇÃO 11 - A ORGANIZAÇÃO DE UMA IGREJA LOCAL
LIÇÃO 11 - A ORGANIZAÇÃO DE UMA IGREJA LOCALLourinaldo Serafim
 
EBD CPAD Lição 12 3°trimestre 2015 Exortações gerais.
EBD CPAD Lição 12 3°trimestre 2015 Exortações gerais.EBD CPAD Lição 12 3°trimestre 2015 Exortações gerais.
EBD CPAD Lição 12 3°trimestre 2015 Exortações gerais.GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015Pr. Andre Luiz
 

Semelhante a INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA (20)

LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
 
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à LiderançaLição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
Lição 1 - 5 de julho de 2015 - Uma Mensagem à Igreja Local e à Liderança
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
 
Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
 
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
 
aula 5 classe de adulto
aula 5 classe de adultoaula 5 classe de adulto
aula 5 classe de adulto
 
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
 
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
 
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
 
CONSELHOS GERAIS - LIÇÃO 06
CONSELHOS GERAIS - LIÇÃO 06CONSELHOS GERAIS - LIÇÃO 06
CONSELHOS GERAIS - LIÇÃO 06
 
APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO LIÇÃO 05
APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO LIÇÃO 05APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO LIÇÃO 05
APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO LIÇÃO 05
 
Lição 11 a organização de uma igreja local 3º trimestre de 2015
Lição 11   a organização de uma igreja local    3º trimestre de 2015Lição 11   a organização de uma igreja local    3º trimestre de 2015
Lição 11 a organização de uma igreja local 3º trimestre de 2015
 
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula5 apostasia,fidelidade e diligên...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula5 apostasia,fidelidade e diligên...EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula5 apostasia,fidelidade e diligên...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula5 apostasia,fidelidade e diligên...
 
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local
 
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptxLição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
 
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAISLIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS
 
LIÇÃO 11 - A ORGANIZAÇÃO DE UMA IGREJA LOCAL
LIÇÃO 11 - A ORGANIZAÇÃO DE UMA IGREJA LOCALLIÇÃO 11 - A ORGANIZAÇÃO DE UMA IGREJA LOCAL
LIÇÃO 11 - A ORGANIZAÇÃO DE UMA IGREJA LOCAL
 
EBD CPAD Lição 12 3°trimestre 2015 Exortações gerais.
EBD CPAD Lição 12 3°trimestre 2015 Exortações gerais.EBD CPAD Lição 12 3°trimestre 2015 Exortações gerais.
EBD CPAD Lição 12 3°trimestre 2015 Exortações gerais.
 
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
 

Mais de Elson Juvenal Pinto Loureiro

Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIROAprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIROElson Juvenal Pinto Loureiro
 
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado bIgreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado bElson Juvenal Pinto Loureiro
 

Mais de Elson Juvenal Pinto Loureiro (20)

Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja - Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja -
 
Lição 12 apresentação
Lição 12 apresentaçãoLição 12 apresentação
Lição 12 apresentação
 
Lição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvioLição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvio
 
Lição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher bLição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher b
 
Lição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulherLição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulher
 
A criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terrA criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terr
 
Gênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livroGênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livro
 
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIROAprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
 
Oração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãsOração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãs
 
O evangelho da graça
O evangelho da graçaO evangelho da graça
O evangelho da graça
 
A ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentaçãoA ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentação
 
Subsidios ao professor
Subsidios ao professorSubsidios ao professor
Subsidios ao professor
 
O nascimento de jesus 2
O nascimento de jesus  2O nascimento de jesus  2
O nascimento de jesus 2
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
 
10 mandamento não cobiçaras final
10 mandamento não cobiçaras  final10 mandamento não cobiçaras  final
10 mandamento não cobiçaras final
 
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
Previa da lição  10  mandamento não cobiçarasPrevia da lição  10  mandamento não cobiçaras
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
 
Apresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumidaApresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumida
 
Não furtarás
Não furtarásNão furtarás
Não furtarás
 
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado bIgreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
 

Último

04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalErikOliveira40
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 

INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA

  • 2. 2
  • 3.  SINTESE DE UMA GRANDE RECOMENDAÇÃO “Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis: na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza” (1Tm 4.12). ALGUMAS INSTRU ÇÕES 3 COMO ISSO OCORRE?
  • 4. VERDADE PRÁTICA As cartas pastorais reúnem orientações à liderança cristã e aos membros em geral para que vivam conforme a vontade de Deus. TEM QUE SERVIR DE EXEMPLO! VIDA: DISCIPLINADA. E para estas coisas quem é idôneo? 2 Cor.2:16 RESPOSTA: 2 Timóteo 2:21 - De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra. 4 NOMEAÇÃO/CARGO/CHEFIA: NÃO SÃO SINONIMOS DE LIDERANÇA. É INFLUENCIAR!!!!
  • 5. PALAVRA 5 DISCIPLINA CRISTÃ O QUE PASSA PELO PENSAMENTO QUANDO OUVIMOS FALAR ESSA PALAVRA? PORQUE?
  • 6. FALANDO NISSO, VAMOS VER UM POUCO O QUE SIGNIFICA DISCIPLINA?  Matéria ensinada na escola, em faculdades etc. O conjunto dos regulamentos destinados a manter a boa ordem em qualquer empresa, empreendimento, ou corporação; a boa ordem resultante da observância desses regulamentos: a disciplina militar. P.ext. Modo de agir que demonstra constância, métodos: a disciplina era necessária para conseguir aquele trabalho.  s.f. respeito às regras, às normas, àqueles que são seus superiores etc: disciplina estudantil, eclesiastica, teologica, ideológica, militar, do atleta, CRISTÃ (seu manual a Bíblia). Regulamentação que garante a satisfação de indivíduos ou instituições. Boa conduta: certos alunos têm uma péssima disciplina. Submissão ou respeito a um regulamento. 6 ENTÃO TUDO QUE NÃO EDUCA NÃO É DISCIPLINA!
  • 7. E AINDA É BOM SABER... 7 O castigo tem por finalidade: vingar, punir e condenar aquele que desobedeceu a palavra da legislação. NUNCA ESQUEÇA Do 70 X 7. Então Pedro se aproximou dele e disse: Senhor, quantas vezes devo perdoar a meu irmão, quando ele pecar contra mim? Até sete vezes? Respondeu Jesus: Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. Mateus 18:21,22
  • 8. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE 8 O MANUAL ?
  • 9.  As epístolas para Timóteo e Tito apresentam orientações aos líderes e membros quanto à vida pessoal e cristã.  (DISCIPLINA) 9 NINGUEM CONSEGUE IR A UM DESTINO SEM SEGUIR ORIENTAÇÕES
  • 10. I. AS EPÍSTOLAS PASTORAIS 10 INICIALMENTE DIRIGIDA AOS PASTORES: TIMOTEO E TITO
  • 11. INTRODUÇÃO O portunidade ímpar de estudar as Epístolas de 1 e 2 Timóteo e Tito. Dirigidas a dois jovens pastores que cuidavam do rebanho do Senhor juntamente com Paulo. O conteúdo delas está repleto de conselhos úteis sobre a estrutura da vida na igreja. Estes conselhos fazem destas cartas verdadeiros manuais eclesiásticos para a liderança das Igrejas de hoje. 11 1 Pedro 5:2) “Apascentai o rebanho de Deus que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto” ONDE ESTAVAM:
  • 12. 2. DATAS EM QUE FORAM ESCRITAS. 12 A IGREJA CEP: 81.000 CURITIBA – PR (U R G E N T E ) REMETENTE: APOSTOLO PAULO. - PELA AÇÃO DO E.S.
  • 13. 13 A Primeira Epístola/carta de Timóteo foi escrita por volta de 64 d.C., entre a primeira e a segunda prisão de Paulo, e enviada de Roma (1ª) ou da Macedônia (talvez Filipos) (2ª.) Em seguida, por volta de 65 d.C., foi escrita a Carta a Tito. Já a Segunda Epístola de Timóteo foi escrita em tomo de 67 d.C., quando do segundo encarceramento do apóstolo, e antes de sua morte. Faz parte das “cartas da prisão”, ao lado de aos : Filipenses, Efésios, Colossenses e a Filemom.
  • 14. 3. CONTEÚDO. Estas epístolas formam um conjunto literário, devocional e doutrinário, em que se observam o mesmo vocabulário, o mesmo estilo e os mesmos propósitos para qual foram escritas. A estrutura foi elaborada com o intuito de alcançar seus destinatários com solenes ensinos e advertências da parte de Deus. O conteúdo pode ser resumido da seguinte maneira: 14
  • 15. a) Saudação. Nas saudações aos destinatários, Paulo demonstra o seu cuidado para com os jovens obreiros (1Tm 1.2; Tt 1.1-4; 2Tm 1.1,2); b) Qualificações ministeriais. Paulo demonstra que para ser Ministro do Evangelho, há requisitos a serem respeitados (1Tm 3.1-13 ; Tt 1.5-9); Em I Tim. 3:6 ELE RECOMENDA QUE NÃO SEJA NEOFITO ( O QUE SIGNIFICA ISSO (?). c) Alerta contra os falsos mestres e as falsas doutrinas (1Tm 4.1-5; Tt 1.10-16). Falsos mestres e falsas doutrinas já existiam nas igrejas e infelizmente ainda existem em muitos lugares; d) O cuidado com a “sã doutrina” (1Tm 1.10; 6.3; 2Tm 1.13; 4.3; Tt 2.1); a falta desse cuidado contribui para a disseminação das heresias e desvios de toda a espécie; e) Comportamento e conselhos a diversos grupos (1Tm 5.1-25; Tt 2.1-10). Paulo fala a respeito dos servos, senhores, pais, filhos, jovens e outros grupos. 15
  • 16. II. PROPÓSITO E MENSAGEM  As cartas pastorais de 1 Timóteo, 2 Timóteo e Tito tinham em comum os seguintes propósitos:  1. Orientar os líderes quanto à vida pessoal.  Paulo exorta o jovem pastor Timóteo dizendo que ele deveria servir como exemplo em tudo (1Tm 4.12,16).  Para estar na liderança de uma igreja local é imprescindível ter uma vida exemplar.  Também é necessário e importante que o líder saiba cuidar bem de sua vida familiar (1Tm 3.1-13), a fim de que sua esposa e filhos tenham uma boa conduta. 16
  • 17. 2. COMBATER AS HERESIAS Paulo sabia das diversas heresias que ameaçavam as igrejas locais. O apóstolo estava preocupado com os crentes que já haviam sido seduzidos pelo judaísmo. O judaísmo exigia o cumprimento de vários rituais e liturgias, contudo Jesus nos ensinou uma nova maneira de cumprir a Lei e de viver. Jesus fez uma Nova Aliança com a humanidade mediante seu sacrifício na cruz. Naquele tempo havia também o perigo do gnosticismo, ou seja, uma filosofia herética, que defendia o dualismo, segundo o qual a matéria é má e o espírito é bom. Por isso, negava a encarnação de Cristo, pois o corpo, sendo matéria, contaminaria seu espírito. Paulo deixou Timóteo em Éfeso para amenizar os estragos dessa heresia, que se infiltrou no meio dos crentes, sob influência de Himeneu e Alexandre (1Tm 1.19,20). VIDE AT. 15 - POLÊMICA NO CONCÍLIO,RECOMENDAÇÕES.  SÍNTESE DO TÓPICO (II) As epístolas de Timóteo e Tito tinham como propósitos orientar os líderes quanto à vida pessoal e no combate as heresias 17
  • 18. III. UMA MENSAGEM PARA A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA DA ATUALIDADE Estamos vivendo os tempos trabalhosos que Paulo falou em 1 Timóteo 4.1,2. Precisamos estar atentos, por isso, vamos estudar duas heresias da atualidade. Estas precisam ser confrontadas com a Palavra de Deus. 18
  • 19. O QUE É HERESIA? EXEMPLOS  1. interpretação, doutrina ou sistema teológico rejeitado como falso pela Igreja.  2. teoria, ideia, prática etc. que nega ou contraria a doutrina estabelecida.  EM SINTESE: HERESIA  CAMINHO PRÓPRIO, CONTRAMÃO DA VERDADE BIBLICA. 19
  • 20. 1. O “EVANGELHO” DA PROSPERIDADE Um dos mais eminentes defensores, desta falsa doutrina ensinou que “você é tanto uma encarnação de Deus quanto Jesus Cristo o foi. Você não tem um deus dentro de você. Você é um deus”. Se o crente é “deus” pode tudo; tudo o que disser tornar-se-á realidade (confissão positiva); e terá o mundo e as riquezas que desejar, sem pobreza nem enfermidades. À luz da Palavra de Deus, tal ensinamento equivale a orgulho, presunção e soberba. Sabemos que Deus abomina toda altivez (Pv 6.16-19) e que tal ensino é contrário as Escrituras Sagradas. Somos criaturas, temos falhas e sem Deus nada somos e nada podemos. O poder e a majestade são dEle. 20
  • 21. Paulo adverte aos crentes quanto ao que está acontecendo nos dias atuais, onde muitos estão abandonando a fé em Cristo. Para Tito, ele faz advertência semelhante sobre falsos líderes, contradizentes e de torpe ganância (Tt 1.9-13). Precisamos estar atentos para que os ensinos heréticos e a apostasia não alcancem a Igreja do Senhor. O líder tem a responsabilidade de zelar pela sã doutrina. 21
  • 22. IV. MENSAGEM PARA A LIDERANÇA 1. Administração eclesiástica. Em 1 Timóteo 3.1-12 e em Tito 1.5-9, vemos um conjunto de qualificações que aqueles que desejam liderar uma igreja necessitam ter. Infelizmente, em muitas igrejas, nem sempre estas recomendações são observadas. Porém, a liderança exige esforço. É necessário que o pastor tenha uma vida santa e irrepreensível. É preciso esforço e disciplina. Algumas das qualificações necessárias ao líder: Irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos fiéis, não soberbo, não iracundo, não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, dado à hospitalidade, amigo do bem, moderado, justo, santo, temperante, retendo firme a Palavra, capaz de admoestar com a sã doutrina, etc. 22
  • 23. 2. ÉTICA MINISTERIAL. Na Segunda Epístola a Timóteo, Paulo diz que o ministro deve apresentar-se a Deus “aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar; que maneja bem a palavra da verdade” (2.15). A verdadeira liderança se estabelece pelo exemplo, pelo testemunho, muito mais do que pela eloquência, pela oratória ou pela retórica. 23
  • 24. Nem são os diplomas de um obreiro que o qualificam como líder cristão, mas seu exemplo, sua ética, diante de Deus, da sociedade e da igreja local. Paulo tinha condições de ensinar liderança e ética, pois sua vida era exemplo para a igreja e para os de fora (Fp 3.17; 1Co 11.1). O líder cristão não é o que “manda”, mas o que serve. Não é o maior, e sim o menor (Mt 20.24-28). 24
  • 25. 25 Liderança é bíblica, e necessária, se não houver é como um barco sem rumo, não vai a lugar algum. A ideia de alguém liderando outros está fundamentada nas Escrituras. Assumir papel de líder na igreja de Deus e esperar que outros sigam seu exemplo não é egoísmo, autoritarismo, condescendência nem pecado. Temos certeza disso porque as Escrituras deitam as bases e os princípios da liderança cristã” (MACARTHUR, John. Ministério Pastoral: Alcançando a excelência no ministério cristão. 7ª Edição. RJ: CPAD, 2012, pp.294-5). Liderança é bíblica, e necessária, se não houver é como um barco sem rumo, não vai a lugar algum. A ideia de alguém liderando outros está fundamentada nas Escrituras. Assumir papel de líder na igreja de Deus e esperar que outros sigam seu exemplo não é egoísmo, autoritarismo, condescendência nem pecado. Temos certeza disso porque as Escrituras deitam as bases e os princípios da liderança cristã” (MACARTHUR, John. Ministério Pastoral: Alcançando a excelência no ministério cristão. 7ª Edição. RJ: CPAD, 2012, pp.294-5).
  • 26. “A LIDERANÇA É ESSENCIAL À VIDA E MISSÃO DA IGREJA”. Sem ela, a igreja tropeça e cai num curso incerto em sua peregrinação rumo a um lugar melhor. É como um barco sem leme. Sem liderança EFICAZ, a igreja não é capaz de cumprir seus propósitos de ministrar eficazmente aos de dentro e alcançar os de fora, nem pode render a Deus a glória que Ele merece. O pastor é a pessoa chamada para prover a liderança final da igreja, não importando o sistema administrativo dela. O sucesso da igreja depende em grande parte de sua capacidade de liderança. 26
  • 27. CONCLUSÃO As cartas pastorais contêm doutrinas e exortações quanto a assuntos práticos, mas também diretrizes gerais sobre liderança, designação de obreiros, suas qualificações, as responsabilidades espirituais e morais do ministério; do relacionamento com Deus, com os líderes e das relações interpessoais. São riquíssimas fontes de ensino para edificação das igrejas locais nos tempos presentes.(trabalhosos). 27