SlideShare uma empresa Scribd logo
TEXTO ÁUREO
"
VERDADE PRÁTICA
(APLICAÇÃO)
O obreiro aprovado por Deus tem
as marcas do Senhor Jesus Cristo
Humildade (Capacidade de reconhecer os pró prios erros,
defeitos ou limitaç ões, Vida Simples sem Luxo ou sofistica-
ção, Modéstia).
•Aprendamos com Cristo o que é ser Manso e Humilde.
•Humilde para ser acessível a todos, humilde para tornar-se
homem.
•Humilde para servir a outros, Humilde para suportar as
ofensas. Ef 4:1-2
•Humilde para suportar as lutas.
.Humilde para compreender os outros.
•O Humilde de espírito obterá honra. Pv. 29:23 / Fp 2:11-12
Texto em estudo
Objetivo geral
Contrastar o obreiro aprovado e
o "vaso de honra" com os falsos
mestres.
OBJETIVOS
ESPECÍFICOS
O B J E T I V O G E R A L
Contrastar o obreiro aprovado e o "vaso de honra" com os falsos mestres.
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o
professor deve atingir em cada tópico, com os seus
respectivos subtópicos.
I. Apresentar a pureza e a humildade do obreiro
aprovado por Deus.
II. Explicar as expressões “vaso de honra” e “vaso de
desonra”.
III. Propor uma postura ministerial equilibrada.
Vasos de honra
Vasos de desonra
INTRODUÇÃO
I - OBREIROS APROVADOS POR DEUS
1. Pregam e ensinam sem engano.
a. Paulo nunca usou de engano em suas
pregações, diferente de alguns falsos
mestres de sua época que pregavam e
ensinavam com argumentos falsos e logro.
É preciso ter muito cuidado com os
"lobos" vestidos de ovelhas, que andam a
enganar os crentes incautos, sob a capa de
"muito espirituais".
b. Paulo exortava a igreja através da
mensagem do evangelho, mostrando-lhes as
verdades desconhecidas.
Para os novos crentes ele tornou conhecido
o "mistério de Deus" - Cristo (Cl 2.2).
Paulo era um líder zeloso que levava a
mensagem de modo claro, obedecendo à
revelação que recebera do Senhor.
Aliás, era esse também o cuidado dos
demais apóstolos (1 Jo 4.6; 2 Pe 1.16).
2. Pregam com pureza
Paulo pregava por amor a Cristo. Jesus era o
seu alvo. Atualmente, há muitos falsos
obreiros que só visam lucro e bens
financeiros.
Estes se aproveitam da fé dos fiéis para obter
ganhos. Na primeira carta a Timóteo, Paulo
coloca como um dos requisitos para aqueles
que almejam o ministério pastoral, não ser
"cobiçoso de torpe ganância" (1 Tm 3.3).
Pedro também exortou que o obreiro deve
apascentar o rebanho do Senhor
"tendo cuidado dele, não por força, mas
voluntariamente; nem por torpe ganância" (1
Pe 5.2).
O obreiro aprovado não visa lucro material,
pois sabe que a sua recompensa vem do
Senhor.
3. Não buscam a glória de homens
"E, não buscamos glória dos homens" [...] (1 Ts 2.6).
Quando Paulo estava com os tessalonicenses, ele
afirmou que não buscou o elogio deles. Infelizmente
muitos buscam glória para si.
Estes são movidos a elogios e bajulações.
Isso é um perigo para o ministério pastoral e para
qualquer servo ou serva de Deus.
Tem pregadores e mestres que não aceitam convite para
falar para um pequeno auditório.
Só se sentem bem se estiverem diante de grandes
plateias, pois querem ser vistos pelos homens e não
abençoar as pessoas.
O obreiro aprovado pelo Senhor busca apontar tão
somente o Senhor, e não ele
A QUESTAO DOS DOIS TIPOS DE VASOS
• O PROCESSO DE COMO SÃO FEITOS
Escolha e extração da materia prima
AMASSAR O BARRO
A MODELAGEM
SECAR OS VASOS
A QUEIMA DOS VASOS
A RETIRADA DOS VASOS DO FORNO
SE QUEBRAR O TRISTE É
O DESCARTE!!!
MAS TEM SOLUÇÃO!!!
O ACABAMENTO
1. Vasos de honra (2.20).
Paulo estava preocupado com a situação confusa
que prevalecia na igreja em Éfeso. Ele então usa a
analogia dos vasos para mostrar que na igreja
existem pessoas sinceras e obedientes aos ensinos
de Cristo (vasos de honra). Estes adornavam e
adornam a Casa de Deus, com sua santidade e
pureza. Deus deseja usar este tipo de vaso, limpo e
sem contaminação. Tem você sido um vaso de honra
na Casa do Senhor? O crente deve ter uma vida
irrepreensível. Isso só é possível na vida do crente
através do poder redentor, libertador e purificador
do sangue de Jesus mediante a fé.
Vasos de honra
• 2. Vaso de desonra. Quem são estes? Paulo
estava se referindo aos falsos mestres,
Himeneu e Fileto (2.17). Himeneu também foi
mencionado em 1 Timóteo 1.20. Podemos
igualmente afirmar que são os crentes infiéis,
que causam problemas e escândalos na Casa do
Senhor. Os vasos de honra são "o trigo" e os
"vasos para desonra" são o "joio" a que se
referiu Jesus (Mt 13.24-30).
III - REJEITANDO AS DISSENSÕES E QUESTÕES
LOUCAS
1. Rejeitando "questões loucas". O que eram as "questões
loucas"? Eram as questões levantadas pelos falsos mestres,
que traziam confusão e não edificavam ninguém (1 Tm 1.3,
6,7). O obreiro deve rejeitar questionamentos que não
edificam (2 Tm2.23). Atualmente, muitos estão levantando
indagações que em nada vai edificar a fé dos irmãos. Outros,
ainda estão cometendo o terrível pecado de adicionar,
subtrair e modificar partes das Escrituras. A Palavra de Deus
é completa e infalível e não precisa de quaisquer acréscimos
ou revisões em seu conteúdo e mensagem.
Há, em nossos dias, diversas "novas teologias" que precisam
ser combatidas pela liderança, pois agridem diretamente a
mensagem bíblica.
2. Não entrando em contenda.
"E ao servo do Senhor não convém
contender, mas, sim, ser manso para com
todos, apto para ensinar, sofredor" (2Tm
2.24).
Paulo exorta a Timóteo a fim de que ele não
contendesse com os falsos mestres, pois
brigas e discussões são obras da carne e
envergonham a Igreja do Senhor.
Uma pessoa espiritualmente cega não pode
ser convencida de seus erros pela força.
Pregamos e ensinamos, mas só o Espírito
Santo podem convencê-las dos seus erros
Na administração das igrejas, por
vezes, surgem conflitos de ordem
espiritual e doutrinária. Por isso, os
líderes precisam de preparo bíblico
e teológico. Como obreiros
aprovados devem conduzir o
rebanho do Senhor. Seja você um
vaso de honra na Casa de Deus.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 11- A Tolerância Cristã
Lição 11- A Tolerância CristãLição 11- A Tolerância Cristã
Lição 11- A Tolerância Cristã
Regio Davis
 
Os Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De TarsoOs Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De Tarso
Grupo Espírita Cristão
 
Guerra
GuerraGuerra
Guerra
lucinda34
 
Priorizando o discipulado
Priorizando o discipuladoPriorizando o discipulado
Priorizando o discipulado
Antonio Rodrigues
 
LBA Lição 11 - A tolerância cristã
LBA Lição 11 - A tolerância cristãLBA Lição 11 - A tolerância cristã
LBA Lição 11 - A tolerância cristã
Natalino das Neves Neves
 
3º trimestre 2015 lição 08 adultos
3º trimestre 2015 lição 08 adultos3º trimestre 2015 lição 08 adultos
3º trimestre 2015 lição 08 adultos
Joel Silva
 
Vivendo os últimos dias
Vivendo os últimos diasVivendo os últimos dias
Vivendo os últimos dias
Antonio Rodrigues
 
A verdade sobre o homem Paul Washer
A verdade sobre o homem   Paul WasherA verdade sobre o homem   Paul Washer
A verdade sobre o homem Paul Washer
Claudio Valentim Rebelo
 
Lição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela féLição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela fé
Natalino das Neves Neves
 
Vivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santaVivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santa
Antonio Rodrigues
 
Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)
Joel Silva
 
Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judas
Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judasAula 70 –doutrina de pedro, joão e judas
Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judas
Cesar Cardoso
 
A tentação de Jesus
A tentação de Jesus A tentação de Jesus
A tentação de Jesus
Quenia Damata
 
5 Segredos para vida que agrada a Deus
5 Segredos para vida que agrada a Deus5 Segredos para vida que agrada a Deus
5 Segredos para vida que agrada a Deus
Osmar Santos
 
Estudos pastores fiéis e infiéis
Estudos  pastores fiéis e infiéisEstudos  pastores fiéis e infiéis
Estudos pastores fiéis e infiéis
Joel Silva
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristã
Joel Silva
 
Lição 11 - A Tolerância Cristã
Lição 11 - A Tolerância CristãLição 11 - A Tolerância Cristã
Lição 11 - A Tolerância Cristã
Andrew Guimarães
 
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
Joel Silva
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
Joel Silva
 
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇÃO E NO LOUVOR
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇÃO E NO LOUVORLBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇÃO E NO LOUVOR
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇÃO E NO LOUVOR
Natalino das Neves Neves
 

Mais procurados (20)

Lição 11- A Tolerância Cristã
Lição 11- A Tolerância CristãLição 11- A Tolerância Cristã
Lição 11- A Tolerância Cristã
 
Os Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De TarsoOs Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De Tarso
 
Guerra
GuerraGuerra
Guerra
 
Priorizando o discipulado
Priorizando o discipuladoPriorizando o discipulado
Priorizando o discipulado
 
LBA Lição 11 - A tolerância cristã
LBA Lição 11 - A tolerância cristãLBA Lição 11 - A tolerância cristã
LBA Lição 11 - A tolerância cristã
 
3º trimestre 2015 lição 08 adultos
3º trimestre 2015 lição 08 adultos3º trimestre 2015 lição 08 adultos
3º trimestre 2015 lição 08 adultos
 
Vivendo os últimos dias
Vivendo os últimos diasVivendo os últimos dias
Vivendo os últimos dias
 
A verdade sobre o homem Paul Washer
A verdade sobre o homem   Paul WasherA verdade sobre o homem   Paul Washer
A verdade sobre o homem Paul Washer
 
Lição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela féLição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela fé
 
Vivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santaVivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santa
 
Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)
 
Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judas
Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judasAula 70 –doutrina de pedro, joão e judas
Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judas
 
A tentação de Jesus
A tentação de Jesus A tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 
5 Segredos para vida que agrada a Deus
5 Segredos para vida que agrada a Deus5 Segredos para vida que agrada a Deus
5 Segredos para vida que agrada a Deus
 
Estudos pastores fiéis e infiéis
Estudos  pastores fiéis e infiéisEstudos  pastores fiéis e infiéis
Estudos pastores fiéis e infiéis
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristã
 
Lição 11 - A Tolerância Cristã
Lição 11 - A Tolerância CristãLição 11 - A Tolerância Cristã
Lição 11 - A Tolerância Cristã
 
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
 
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇÃO E NO LOUVOR
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇÃO E NO LOUVORLBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇÃO E NO LOUVOR
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇÃO E NO LOUVOR
 

Destaque

Construindo Relacionamentos Saudáveis
Construindo Relacionamentos SaudáveisConstruindo Relacionamentos Saudáveis
Construindo Relacionamentos Saudáveis
IBMemorialJC
 
NAMORO CRISTÃO
NAMORO CRISTÃONAMORO CRISTÃO
NAMORO CRISTÃO
Janio Clímaco
 
Liderança juvep parte 2 gil
Liderança juvep parte 2 gilLiderança juvep parte 2 gil
Liderança juvep parte 2 gil
Gildelanio Da Silva
 
Conselhos Para Casamento
Conselhos Para CasamentoConselhos Para Casamento
Conselhos Para Casamento
Khaleb Bueno
 
Namoro cristão
Namoro cristãoNamoro cristão
Namoro cristão
Diego Ribeiro
 
Casados para sempre power
Casados para sempre powerCasados para sempre power
Casados para sempre power
Paulo Moretti
 
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTEDOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
Gildelanio Da Silva
 
Violência namoro
Violência namoroViolência namoro
Violência namoro
Educação para a Saúde
 
Namoro
NamoroNamoro
Namoro
mots123
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Wander Sousa
 
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
Jonas Martins Olímpio
 
Casados p sempre
Casados p sempreCasados p sempre
Casados p sempre
iceanapolis
 
Projeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para SempreProjeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para Sempre
Solinftec
 
Namoro consequências
Namoro   consequênciasNamoro   consequências
Namoro consequências
Silvia Maltempi
 
Curso para obreiros
Curso para obreirosCurso para obreiros
Curso para obreiros
CELSO SOARES
 
Youblisher.com 96282-odilon cpo
Youblisher.com 96282-odilon cpoYoublisher.com 96282-odilon cpo
Youblisher.com 96282-odilon cpo
Flavia Marques
 
O Namoro Cristão
O Namoro CristãoO Namoro Cristão
O Namoro Cristão
ALTAIR GERMANO
 
Namoro na adolescencia
Namoro na adolescenciaNamoro na adolescencia
Namoro na adolescencia
Vilcelino Phiuki
 
Ficar Ou Namorar!
Ficar Ou Namorar!Ficar Ou Namorar!
Ficar Ou Namorar!
josyespirita
 
Manual de ética ministerial
Manual de ética ministerialManual de ética ministerial
Manual de ética ministerial
Ricardo819
 

Destaque (20)

Construindo Relacionamentos Saudáveis
Construindo Relacionamentos SaudáveisConstruindo Relacionamentos Saudáveis
Construindo Relacionamentos Saudáveis
 
NAMORO CRISTÃO
NAMORO CRISTÃONAMORO CRISTÃO
NAMORO CRISTÃO
 
Liderança juvep parte 2 gil
Liderança juvep parte 2 gilLiderança juvep parte 2 gil
Liderança juvep parte 2 gil
 
Conselhos Para Casamento
Conselhos Para CasamentoConselhos Para Casamento
Conselhos Para Casamento
 
Namoro cristão
Namoro cristãoNamoro cristão
Namoro cristão
 
Casados para sempre power
Casados para sempre powerCasados para sempre power
Casados para sempre power
 
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTEDOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
DOZE PASSOS PARA TORNAR SEU FILHO UM DELINQUENTE
 
Violência namoro
Violência namoroViolência namoro
Violência namoro
 
Namoro
NamoroNamoro
Namoro
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
 
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
E Por Falar em Namoro... Como Está Seu Relacionamento com Deus?
 
Casados p sempre
Casados p sempreCasados p sempre
Casados p sempre
 
Projeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para SempreProjeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para Sempre
 
Namoro consequências
Namoro   consequênciasNamoro   consequências
Namoro consequências
 
Curso para obreiros
Curso para obreirosCurso para obreiros
Curso para obreiros
 
Youblisher.com 96282-odilon cpo
Youblisher.com 96282-odilon cpoYoublisher.com 96282-odilon cpo
Youblisher.com 96282-odilon cpo
 
O Namoro Cristão
O Namoro CristãoO Namoro Cristão
O Namoro Cristão
 
Namoro na adolescencia
Namoro na adolescenciaNamoro na adolescencia
Namoro na adolescencia
 
Ficar Ou Namorar!
Ficar Ou Namorar!Ficar Ou Namorar!
Ficar Ou Namorar!
 
Manual de ética ministerial
Manual de ética ministerialManual de ética ministerial
Manual de ética ministerial
 

Semelhante a Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO

APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
Samarone Melo
 
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUSLIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
Lourinaldo Serafim
 
Lição 8 aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
Lição 8   aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015Lição 8   aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
Lição 8 aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
Andrew Guimarães
 
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇAINSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Boletim 30 de junho 2013
Boletim 30  de junho 2013Boletim 30  de junho 2013
Boletim 30 de junho 2013
Silas Roberto Nogueira
 
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
Joel Silva
 
Lição 3 oração e recomendação as mulheres cristãs 3º trimestre de 2015
Lição 3   oração e recomendação as mulheres cristãs  3º trimestre de 2015Lição 3   oração e recomendação as mulheres cristãs  3º trimestre de 2015
Lição 3 oração e recomendação as mulheres cristãs 3º trimestre de 2015
Andrew Guimarães
 
Lição 03 - Oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 03 - Oração e recomendação às mulheres cristãsLição 03 - Oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 03 - Oração e recomendação às mulheres cristãs
Regio Davis
 
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
Lourinaldo Serafim
 
Lição 09 - A corrupção dos últimos dias
Lição 09 - A corrupção dos últimos diasLição 09 - A corrupção dos últimos dias
Lição 09 - A corrupção dos últimos dias
Regio Davis
 
Lição 02 - O evangelho da graça
Lição 02 - O evangelho da graçaLição 02 - O evangelho da graça
Lição 02 - O evangelho da graça
Regio Davis
 
Lição 02 - O evangelho da graça
Lição 02 - O  evangelho da graçaLição 02 - O  evangelho da graça
Lição 02 - O evangelho da graça
Regio Davis
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Oração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãsOração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãs
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Andrew Guimarães
 
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃSLIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
Lourinaldo Serafim
 
Lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãsLição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
Pr. Gerson Eller
 
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaUma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Pr. Gerson Eller
 
Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério - Lição 05 - 3ºTrimestre de ...
Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério - Lição 05 - 3ºTrimestre de ...Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério - Lição 05 - 3ºTrimestre de ...
Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério - Lição 05 - 3ºTrimestre de ...
Pr. Andre Luiz
 
Aula 3 O homem aprovado na Sociedade.pptx
Aula 3  O homem aprovado  na Sociedade.pptxAula 3  O homem aprovado  na Sociedade.pptx
Aula 3 O homem aprovado na Sociedade.pptx
JosMauroPiresCoutinh
 

Semelhante a Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO (20)

APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
 
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUSLIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
 
Lição 8 aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
Lição 8   aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015Lição 8   aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
Lição 8 aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
 
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇAINSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
 
Boletim 30 de junho 2013
Boletim 30  de junho 2013Boletim 30  de junho 2013
Boletim 30 de junho 2013
 
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
 
Lição 3 oração e recomendação as mulheres cristãs 3º trimestre de 2015
Lição 3   oração e recomendação as mulheres cristãs  3º trimestre de 2015Lição 3   oração e recomendação as mulheres cristãs  3º trimestre de 2015
Lição 3 oração e recomendação as mulheres cristãs 3º trimestre de 2015
 
Lição 03 - Oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 03 - Oração e recomendação às mulheres cristãsLição 03 - Oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 03 - Oração e recomendação às mulheres cristãs
 
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
 
Lição 09 - A corrupção dos últimos dias
Lição 09 - A corrupção dos últimos diasLição 09 - A corrupção dos últimos dias
Lição 09 - A corrupção dos últimos dias
 
Lição 02 - O evangelho da graça
Lição 02 - O evangelho da graçaLição 02 - O evangelho da graça
Lição 02 - O evangelho da graça
 
Lição 02 - O evangelho da graça
Lição 02 - O  evangelho da graçaLição 02 - O  evangelho da graça
Lição 02 - O evangelho da graça
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
 
Oração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãsOração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãs
 
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
 
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃSLIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
 
Lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãsLição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs
Lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
 
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaUma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderança
 
Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério - Lição 05 - 3ºTrimestre de ...
Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério - Lição 05 - 3ºTrimestre de ...Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério - Lição 05 - 3ºTrimestre de ...
Apostasia, Fidelidade e Diligência no Ministério - Lição 05 - 3ºTrimestre de ...
 
Aula 3 O homem aprovado na Sociedade.pptx
Aula 3  O homem aprovado  na Sociedade.pptxAula 3  O homem aprovado  na Sociedade.pptx
Aula 3 O homem aprovado na Sociedade.pptx
 

Mais de Elson Juvenal Pinto Loureiro

Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja - Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 12 apresentação
Lição 12 apresentaçãoLição 12 apresentação
Lição 12 apresentação
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvioLição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvio
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher bLição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher b
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulherLição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulher
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terrA criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terr
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Gênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livroGênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livro
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
O evangelho da graça
O evangelho da graçaO evangelho da graça
O evangelho da graça
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentaçãoA ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentação
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Subsidios ao professor
Subsidios ao professorSubsidios ao professor
Subsidios ao professor
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
O nascimento de jesus 2
O nascimento de jesus  2O nascimento de jesus  2
O nascimento de jesus 2
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
10 mandamento não cobiçaras final
10 mandamento não cobiçaras  final10 mandamento não cobiçaras  final
10 mandamento não cobiçaras final
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
Previa da lição  10  mandamento não cobiçarasPrevia da lição  10  mandamento não cobiçaras
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Apresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumidaApresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumida
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Não furtarás
Não furtarásNão furtarás
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado bIgreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 

Mais de Elson Juvenal Pinto Loureiro (20)

Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja - Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja -
 
Lição 12 apresentação
Lição 12 apresentaçãoLição 12 apresentação
Lição 12 apresentação
 
Lição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvioLição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvio
 
Lição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher bLição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher b
 
Lição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulherLição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulher
 
A criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terrA criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terr
 
Gênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livroGênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livro
 
O evangelho da graça
O evangelho da graçaO evangelho da graça
O evangelho da graça
 
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
 
A ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentaçãoA ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentação
 
Subsidios ao professor
Subsidios ao professorSubsidios ao professor
Subsidios ao professor
 
O nascimento de jesus 2
O nascimento de jesus  2O nascimento de jesus  2
O nascimento de jesus 2
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
 
10 mandamento não cobiçaras final
10 mandamento não cobiçaras  final10 mandamento não cobiçaras  final
10 mandamento não cobiçaras final
 
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
Previa da lição  10  mandamento não cobiçarasPrevia da lição  10  mandamento não cobiçaras
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
 
Apresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumidaApresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumida
 
Não furtarás
Não furtarásNão furtarás
Não furtarás
 
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado bIgreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
 

Último

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 

Último (20)

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 

Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO

  • 1.
  • 3. VERDADE PRÁTICA (APLICAÇÃO) O obreiro aprovado por Deus tem as marcas do Senhor Jesus Cristo Humildade (Capacidade de reconhecer os pró prios erros, defeitos ou limitaç ões, Vida Simples sem Luxo ou sofistica- ção, Modéstia). •Aprendamos com Cristo o que é ser Manso e Humilde. •Humilde para ser acessível a todos, humilde para tornar-se homem. •Humilde para servir a outros, Humilde para suportar as ofensas. Ef 4:1-2 •Humilde para suportar as lutas. .Humilde para compreender os outros. •O Humilde de espírito obterá honra. Pv. 29:23 / Fp 2:11-12
  • 5. Objetivo geral Contrastar o obreiro aprovado e o "vaso de honra" com os falsos mestres.
  • 6. OBJETIVOS ESPECÍFICOS O B J E T I V O G E R A L Contrastar o obreiro aprovado e o "vaso de honra" com os falsos mestres. Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico, com os seus respectivos subtópicos. I. Apresentar a pureza e a humildade do obreiro aprovado por Deus. II. Explicar as expressões “vaso de honra” e “vaso de desonra”. III. Propor uma postura ministerial equilibrada.
  • 10. I - OBREIROS APROVADOS POR DEUS 1. Pregam e ensinam sem engano. a. Paulo nunca usou de engano em suas pregações, diferente de alguns falsos mestres de sua época que pregavam e ensinavam com argumentos falsos e logro. É preciso ter muito cuidado com os "lobos" vestidos de ovelhas, que andam a enganar os crentes incautos, sob a capa de "muito espirituais".
  • 11. b. Paulo exortava a igreja através da mensagem do evangelho, mostrando-lhes as verdades desconhecidas. Para os novos crentes ele tornou conhecido o "mistério de Deus" - Cristo (Cl 2.2). Paulo era um líder zeloso que levava a mensagem de modo claro, obedecendo à revelação que recebera do Senhor. Aliás, era esse também o cuidado dos demais apóstolos (1 Jo 4.6; 2 Pe 1.16).
  • 12. 2. Pregam com pureza Paulo pregava por amor a Cristo. Jesus era o seu alvo. Atualmente, há muitos falsos obreiros que só visam lucro e bens financeiros. Estes se aproveitam da fé dos fiéis para obter ganhos. Na primeira carta a Timóteo, Paulo coloca como um dos requisitos para aqueles que almejam o ministério pastoral, não ser "cobiçoso de torpe ganância" (1 Tm 3.3). Pedro também exortou que o obreiro deve apascentar o rebanho do Senhor "tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância" (1 Pe 5.2). O obreiro aprovado não visa lucro material, pois sabe que a sua recompensa vem do Senhor.
  • 13. 3. Não buscam a glória de homens "E, não buscamos glória dos homens" [...] (1 Ts 2.6). Quando Paulo estava com os tessalonicenses, ele afirmou que não buscou o elogio deles. Infelizmente muitos buscam glória para si. Estes são movidos a elogios e bajulações. Isso é um perigo para o ministério pastoral e para qualquer servo ou serva de Deus. Tem pregadores e mestres que não aceitam convite para falar para um pequeno auditório. Só se sentem bem se estiverem diante de grandes plateias, pois querem ser vistos pelos homens e não abençoar as pessoas. O obreiro aprovado pelo Senhor busca apontar tão somente o Senhor, e não ele
  • 14.
  • 15. A QUESTAO DOS DOIS TIPOS DE VASOS • O PROCESSO DE COMO SÃO FEITOS Escolha e extração da materia prima
  • 19. A QUEIMA DOS VASOS
  • 20. A RETIRADA DOS VASOS DO FORNO SE QUEBRAR O TRISTE É O DESCARTE!!! MAS TEM SOLUÇÃO!!!
  • 22. 1. Vasos de honra (2.20). Paulo estava preocupado com a situação confusa que prevalecia na igreja em Éfeso. Ele então usa a analogia dos vasos para mostrar que na igreja existem pessoas sinceras e obedientes aos ensinos de Cristo (vasos de honra). Estes adornavam e adornam a Casa de Deus, com sua santidade e pureza. Deus deseja usar este tipo de vaso, limpo e sem contaminação. Tem você sido um vaso de honra na Casa do Senhor? O crente deve ter uma vida irrepreensível. Isso só é possível na vida do crente através do poder redentor, libertador e purificador do sangue de Jesus mediante a fé.
  • 24. • 2. Vaso de desonra. Quem são estes? Paulo estava se referindo aos falsos mestres, Himeneu e Fileto (2.17). Himeneu também foi mencionado em 1 Timóteo 1.20. Podemos igualmente afirmar que são os crentes infiéis, que causam problemas e escândalos na Casa do Senhor. Os vasos de honra são "o trigo" e os "vasos para desonra" são o "joio" a que se referiu Jesus (Mt 13.24-30).
  • 25. III - REJEITANDO AS DISSENSÕES E QUESTÕES LOUCAS 1. Rejeitando "questões loucas". O que eram as "questões loucas"? Eram as questões levantadas pelos falsos mestres, que traziam confusão e não edificavam ninguém (1 Tm 1.3, 6,7). O obreiro deve rejeitar questionamentos que não edificam (2 Tm2.23). Atualmente, muitos estão levantando indagações que em nada vai edificar a fé dos irmãos. Outros, ainda estão cometendo o terrível pecado de adicionar, subtrair e modificar partes das Escrituras. A Palavra de Deus é completa e infalível e não precisa de quaisquer acréscimos ou revisões em seu conteúdo e mensagem. Há, em nossos dias, diversas "novas teologias" que precisam ser combatidas pela liderança, pois agridem diretamente a mensagem bíblica.
  • 26. 2. Não entrando em contenda. "E ao servo do Senhor não convém contender, mas, sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor" (2Tm 2.24). Paulo exorta a Timóteo a fim de que ele não contendesse com os falsos mestres, pois brigas e discussões são obras da carne e envergonham a Igreja do Senhor. Uma pessoa espiritualmente cega não pode ser convencida de seus erros pela força. Pregamos e ensinamos, mas só o Espírito Santo podem convencê-las dos seus erros
  • 27.
  • 28. Na administração das igrejas, por vezes, surgem conflitos de ordem espiritual e doutrinária. Por isso, os líderes precisam de preparo bíblico e teológico. Como obreiros aprovados devem conduzir o rebanho do Senhor. Seja você um vaso de honra na Casa de Deus.