SlideShare uma empresa Scribd logo
Oração e recomendação às
mulheres cristãs
TEXTO ÁUREO
“Admoesto-te, pois, antes de tudo,
que se façam deprecações, orações,
intercessões e ações de graças por
todos os homens” (1Tm 2.1).
VERDADE PRÁTICA
A oração é o meio pelo qual falamos
com Deus, intercedemos por nossas
necessidades e em favor do próximo.
Oração e recomendação às mulheres cristãs
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
1 Timóteo 2.1-5,9-11.
OBJETIVO GERAL
Apresentar as recomendações paulinas quanto à
oração e o comportamento da mulher cristã.
Oração e recomendação às mulheres cristãs
INTRODUÇÃO
• Nesta lição estudaremos a respeito da
ordem na Igreja. Sabemos que Paulo
escreveu a Timóteo para que ele
colocasse ordem na igreja efésia. Este
era um assunto de extrema
importância, tanto que o apóstolo
declara: “Admoesto-te, pois, antes de
tudo”.
• Paulo orienta o pastor quanto à oração
por todos os que têm autoridade, a fim
de que pudessem viver de modo quieto
e sossegado.
•
INTERCESSÃO SEMPRE
• Como Igreja do Senhor
precisamos interceder a fim de
que possamos cumprir nossa
missão de levar a salvação aos
homens que, a cada dia, estão
mais distantes de Deus. Paulo
também ensina a respeito do
comportamento das mulheres
na vida da igreja.
Oração e recomendação às mulheres cristãs
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo, os objetivos específicos referem-
se ao que o professor deve atingir em
cada tópico.
I. Tratar acerca da responsabilidade do
crente de orar em favor de todos os
homens.
II. Conscientizar-se de que Deus deseja
que todos se salvem.
III. Refletir a respeito da maneira como as
mulheres cristãs devem se vestir.
IV. Discutir a respeito da conduta das
mulheres na igreja.
I. ORAÇÃO POR TODOS OS HOMENS
• 1. “Deprecações” (2.1). O termo (gr. deesis) significa
“suplicar, implorar, rogar por” alguém. É a intercessão a
Deus por todos os homens, de modo ardente e
compassivo. Embora Deus seja soberano e saiba de todas
as coisas, Ele deseja ouvir nossas orações. O Senhor não
somente nos ouve, mas também atende nossas súplicas.
Não existe situação, por mais difícil que seja, que não
possa ser resolvida mediante a oração. Paulo nos ensina a
orar por todos aqueles que estão na liderança, seja na
igreja, seja fora dela.
• 2. “Orações”. Alguns exegetas entendem que Paulo usava
os termos como sinônimos. Mas, no original grego, as
palavras empregadas são diferentes. “Orações” (gr.
proseuche) refere-se ao termo comum para as orações em
geral, de súplica, de louvor, de intercessão, etc.
Oração e recomendação às mulheres cristãs
ALGO PARA PENSARMOS!!!
4. “Ações de graça”.
Vem do termo grego eucharistia.
A expressão é autoexplicativa, denotando
orações em que a pessoa expressa sua
gratidão a Deus por bênçãos recebidas, ou
até por coisas adversas. Por isso, Paulo
diz: “Em tudo dai graças, porque esta é a
vontade de Deus em Cristo Jesus para
convosco” (1Ts 5.18). Aqui está o porquê
não podemos concordar com a ideia de que
os quatro termos aqui usados são apenas
sinônimos.
Quem presta “ações de graça” não roga
nem suplica  SOMENTE AGRADEÇE!!!!
Oração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãs
II. A SALVAÇÃO DE TODOS
1.“Que todos se salvem” (v.4). Paulo exorta a Igreja mostrando que
Deus deseja que todos os homens se salvem e venham ao
conhecimento da verdade. Esse é o desejo divino: a salvação da
humanidade, pois Ele “amou o mundo de tal maneira, que deu seu
Filho Unigênito” [...] (Jo 3.16). Fora de Cristo, não há salvação (1Tm
2.5,6). Quem nEle crê é salvo. Quem não crê é condenado (Jo 3.18,19).
É missão da Igreja levar a mensagem de salvação a todas as criaturas
(Mt 28.19,20).
2. Um árduo trabalho missionário. Paulo e seus companheiros de
ministério trabalharam arduamente na obra de evangelização (1Ts 2.9).
O ministério exige sacrifício e trabalho. Muitos, erroneamente,
acreditam que o pastor deve se preocupar somente com as questões
administrativas e financeiras da igreja, mas o ministro de Deus, tem a
responsabilidade de exortar, ganhar almas para Cristo e discipular seus
filhos na fé. Paulo não se preocupava só com as ovelhas do rebanho,
mas demonstrava um zelo especial com a evangelização e a obra
missionária.
3. A melhor recompensa.
O ministério pastoral exige sacrifício e esforço,
mas também é muito gratificante poder servir ao
Senhor e ver o fruto do trabalho: ao observar as
almas se rendendo aos pés de Cristo, sendo
batizadas nas águas e no Espírito Santo.
É na verdade, a coroação do trabalho realizado.
Os que estão na liderança sabem que muitas são
as lutas e tristezas, no entanto existe um galardão
a espera dos obreiros fiéis (1Pe 5.2-4).
AGUARDEMOS QUE ISSO É PROMESSA
DE QUEM NUNCA FALHOU.
III. A MANEIRA DE SE VESTIR DAS MULHERES
1. As mulheres na Casa de Deus. Paulo orienta
Timóteo quanto à maneira correta de as mulheres
se comportarem na igreja. A mulher cristã precisa
ser reconhecida não somente por sua maneira de
vestir, mas por suas atitudes. Não podemos nos
esquecer que nosso corpo é “templo do Espírito
Santo” e que devemos glorificar a Deus em toda a
nossa maneira de viver. Queira ou não, o homem e a
mulher cristã têm de ser diferente em todos os
aspectos da vida, diante de Deus e dos homens,
inclusive na sua maneira de se vestir e de se portar.
Oração e recomendação às mulheres cristãs
2. Traje honesto, com pudor. É sinônimo de
decoroso, decente, com sobriedade, ou
simplicidade. Um vestido transparente não é
honesto, pois embora esteja cobrindo o corpo, atrai
a cobiça dos homens, incentivando o pecado.
Infelizmente, muitas mulheres estão errando na
hora de se vestir. A mulher pode e deve se vestir
bem, ficar bonita, porém com pudor, de modo a
agradar a Deus.
3. Traje com modéstia. Modéstia significa
“simplicidade, singeleza, despretensão”. Além de
se vestir de maneira honesta e com pudor (recato),
a mulher cristã precisa se vestir com modéstia.
Infelizmente, em algumas igrejas as irmãs acabam
competindo umas com as outras. Parece haver uma
“disputa” para ver quem usa a roupa ou a bolsa
mais cara ou o sapato mais alto. Muitas se
preocupam apenas com o exterior. A elegância e a
beleza de uma mulher devem vir de dentro para
fora, pois começa no caráter santo (1Pe 3.3).
Como devem as mulheres cristãs
vestir-se?
• Que diz o apóstolo Pedro sobre o usode jóias, vest
idos de última moda,enfeites dos cabelos, pintura
s?
• I S. Pedro 3:3-4 -
"O enfeite delas nãoseja o exterior, no frisado dos
cabelos, no usode jóias de ouro, na compostura d
e vestidos;mas o homem encoberto no coração; n
oincorruptível traje de espírito manso e quieto,qu
e é precioso diante de Deus".
• Salmos 1:1-2 - "Bem-
aventurado ovarão que não anda no conselho dosí
mpios, nem se detém no caminho dosescarneced
ores. Antes o seu prazer estána lei do Senhor, e n
a Sua lei medita dedia e de noite“.
• Creio que o cristão deve viver acima dopadrão do
mundo em sua aparência,palavras e atitudes. Deci
do comportar-
me como Cristo revela em Sua Palavra.
NÃO FAZEM MAL A NINGUEM.
NÃO FAZEM MAL A NINGUEM!
Oração e recomendação às mulheres cristãs
IV. A CONDUTA DAS MULHERES NA IGREJA
1. O silêncio no culto. “A mulher aprenda em
silêncio, com toda a sujeição” (1Tm 2.11). Paulo
também faz uma recomendação semelhante a esta
em 1 Coríntios 14.34,35. Qual seria o motivo de tal
restrição? Segundo o Comentário Bíblico Beacon,
“na igreja coríntia havia muitas mulheres recém
convertidas do paganismo, e que a nova liberdade
que desfrutavam em Cristo levava a certas
extravagâncias que eram impróprias”. É importante
ressaltar que em outro texto de Coríntios, Paulo
mostra que as mulheres podiam profetizar nas
igrejas: “Toda mulher que ora ou profetiza com a
cabeça descoberta [...]” (1Co 11.5).
Oração e recomendação às mulheres cristãs
2. As mulheres no Novo Testamento
Cristo, em seu ministério terreno, teve a
cooperação de diversas mulheres que atuavam
ao seu lado. Eram obreiras de grande valor: “[...]
Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete
demônios; e Joana, mulher de Cuza, procurador
de Herodes, e Suzana, e muitas outras que o
serviam com suas fazendas” (Lc 8.1-3). Paulo
muito valorizou o trabalho das mulheres, na
igreja (Rm 16.1-15).
Oração e recomendação às mulheres cristãs
3. A liderança do homem
Paulo aborda a questão da liderança masculina,
citando a ordem da criação.
É importante ressaltar que o próprio Paulo, ao
escrever aos gálatas, ensina que perante Cristo,
para a salvação, homens e mulheres são iguais (Gl
3.28).
Por que Paulo se utiliza do exemplo de Adão e Eva?
Ele utiliza tal ilustração para mostrar o que estava
acontecendo na igreja de Éfeso. Assim como Eva foi
seduzida e enganada pela serpente, as irmãs
daquela igreja estavam se deixando seduzir pelos
ensinos dos falsos mestres.
Oração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãs
CONCLUSÃO
Quanto à oração, os ensinos paulinos são
válidos para todos os crentes, em qualquer
época e em qualquer lugar. Devemos fazer
súplicas, intercessões e ações de graças
diante de Deus.
No que concerne ao comportamento cristão,
Paulo deu um destaque incisivo quanto à
postura das mulheres, especialmente às
irmãs de Éfeso, tendo em vista o contexto
liberal e lascivo da sociedade em que a igreja
estava inserida.
BOA AULA
• PROF. ELSON JP LOUREIRO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 4 pastores e diaconos
Lição 4   pastores e diaconosLição 4   pastores e diaconos
Lição 4 pastores e diaconos
Pr. Gerson Eller
 
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...
Ednilson do Valle
 
Lição 7 eu sei em quem tenho crido 3º trimestre de 2015
Lição 7   eu sei em quem tenho crido 3º trimestre de 2015Lição 7   eu sei em quem tenho crido 3º trimestre de 2015
Lição 7 eu sei em quem tenho crido 3º trimestre de 2015
Andrew Guimarães
 
2015 3 tri lição 4 - Pastores e diáconos
2015 3 tri lição 4 - Pastores e diáconos2015 3 tri lição 4 - Pastores e diáconos
2015 3 tri lição 4 - Pastores e diáconos
Natalino das Neves Neves
 
4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos
INOVAR CLUB
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
Moisés Sampaio
 
A Mulher Virtuosa.
A Mulher Virtuosa. A Mulher Virtuosa.
A Mulher Virtuosa.
Antonio Fernandes
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 4 pastores e diáconos.
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 4 pastores e diáconos.EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 4 pastores e diáconos.
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 4 pastores e diáconos.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
TEOLOGIA PASTORAL
TEOLOGIA PASTORALTEOLOGIA PASTORAL
TEOLOGIA PASTORAL
BispoAlberto
 
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Regio Davis
 
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
Pr. Andre Luiz
 
A Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja LocalA Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja Local
Antonio Fernandes
 
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
Ednilson do Valle
 
O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)
Pastor Adilson Lopes Oficial
 
Curso de formação de diáconos
Curso de formação de diáconosCurso de formação de diáconos
Curso de formação de diáconos
Cleiton Azevedo
 
O presbítero, bispo ou ancião
O presbítero, bispo ou anciãoO presbítero, bispo ou ancião
O presbítero, bispo ou ancião
Moisés Sampaio
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
shalonahr
 
DIACONATO MINISTÉRIO HEBROM
DIACONATO MINISTÉRIO HEBROM DIACONATO MINISTÉRIO HEBROM
DIACONATO MINISTÉRIO HEBROM
LUIZ GUSTAVO Souza Paula
 
A PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NO ANTIGO TESTAMENTO - I
A PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NO ANTIGO TESTAMENTO - IA PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NO ANTIGO TESTAMENTO - I
A PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NO ANTIGO TESTAMENTO - I
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Gerson G. Ramos
 

Mais procurados (20)

Lição 4 pastores e diaconos
Lição 4   pastores e diaconosLição 4   pastores e diaconos
Lição 4 pastores e diaconos
 
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...
 
Lição 7 eu sei em quem tenho crido 3º trimestre de 2015
Lição 7   eu sei em quem tenho crido 3º trimestre de 2015Lição 7   eu sei em quem tenho crido 3º trimestre de 2015
Lição 7 eu sei em quem tenho crido 3º trimestre de 2015
 
2015 3 tri lição 4 - Pastores e diáconos
2015 3 tri lição 4 - Pastores e diáconos2015 3 tri lição 4 - Pastores e diáconos
2015 3 tri lição 4 - Pastores e diáconos
 
4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos4 biblia do_discipulado_-_atos
4 biblia do_discipulado_-_atos
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
 
A Mulher Virtuosa.
A Mulher Virtuosa. A Mulher Virtuosa.
A Mulher Virtuosa.
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 4 pastores e diáconos.
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 4 pastores e diáconos.EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 4 pastores e diáconos.
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 4 pastores e diáconos.
 
TEOLOGIA PASTORAL
TEOLOGIA PASTORALTEOLOGIA PASTORAL
TEOLOGIA PASTORAL
 
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local
 
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
 
A Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja LocalA Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja Local
 
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
 
O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)
 
Curso de formação de diáconos
Curso de formação de diáconosCurso de formação de diáconos
Curso de formação de diáconos
 
O presbítero, bispo ou ancião
O presbítero, bispo ou anciãoO presbítero, bispo ou ancião
O presbítero, bispo ou ancião
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
 
DIACONATO MINISTÉRIO HEBROM
DIACONATO MINISTÉRIO HEBROM DIACONATO MINISTÉRIO HEBROM
DIACONATO MINISTÉRIO HEBROM
 
A PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NO ANTIGO TESTAMENTO - I
A PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NO ANTIGO TESTAMENTO - IA PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NO ANTIGO TESTAMENTO - I
A PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NO ANTIGO TESTAMENTO - I
 
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
 

Destaque

Mulheres A Serviço do Senhor
Mulheres A Serviço do SenhorMulheres A Serviço do Senhor
Mulheres A Serviço do Senhor
Elciene Oliveira
 
(1) a moda e a mulher cristã i
(1) a moda e a mulher cristã   i(1) a moda e a mulher cristã   i
(1) a moda e a mulher cristã i
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
Treinamento epi adm e visitantes
Treinamento epi adm e visitantesTreinamento epi adm e visitantes
Treinamento epi adm e visitantes
Cristian Carvalho
 
Cartaz Chá de Mulheres Igreja Unida
Cartaz Chá de Mulheres Igreja UnidaCartaz Chá de Mulheres Igreja Unida
Cartaz Chá de Mulheres Igreja Unida
Cristian Carvalho
 
A maneira correta a mulher cristã vestir
A maneira correta a mulher cristã vestirA maneira correta a mulher cristã vestir
A maneira correta a mulher cristã vestir
Eduardo Sousa Gomes
 
O cristão e a moda
O cristão e a modaO cristão e a moda
O cristão e a moda
IPB706Sul
 
A História da Ordem Rosacruz AMORC
A História da Ordem Rosacruz AMORCA História da Ordem Rosacruz AMORC
A História da Ordem Rosacruz AMORC
Paulo Magalhães
 
Traje cristão feminino 1
Traje cristão feminino 1Traje cristão feminino 1
Traje cristão feminino 1
Leandro Dakel Cunha
 
Vestuário - princípios cristãos
Vestuário - princípios cristãosVestuário - princípios cristãos
Vestuário - princípios cristãos
Ivair Augusto Costa
 
Conduta de vestimenta
Conduta de vestimentaConduta de vestimenta
Conduta de vestimenta
Aline Rocha
 
Usos e costmes defendidos pela igreja a assembleia de deus
Usos e costmes defendidos pela igreja  a assembleia de deusUsos e costmes defendidos pela igreja  a assembleia de deus
Usos e costmes defendidos pela igreja a assembleia de deus
jonasfreitasdejesus
 
Curso para casais 2015
Curso  para casais  2015Curso  para casais  2015
Curso para casais 2015
Pr Ismael Carvalho
 
Dinâmica: Mulher sábia
  Dinâmica: Mulher sábia  Dinâmica: Mulher sábia
Dinâmica: Mulher sábia
Luis Hamilton Arruda
 
Mulheres de joelho igreja de pé
Mulheres de joelho igreja de péMulheres de joelho igreja de pé
Mulheres de joelho igreja de pé
negramary
 
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!
Rosângela Oliveira
 
A mulher como instrumento de bênção
A mulher como instrumento de bênçãoA mulher como instrumento de bênção
A mulher como instrumento de bênção
Vilmar Nascimento
 
Intercessão e batalha espiritual
Intercessão e batalha espiritualIntercessão e batalha espiritual
Intercessão e batalha espiritual
Marcos Fernando Moreira
 
Mulheres moldadas pela Palavra de Deus
Mulheres moldadas pela Palavra de Deus Mulheres moldadas pela Palavra de Deus
Mulheres moldadas pela Palavra de Deus
Cacilda Barbosa Santiago
 
Designing Teams for Emerging Challenges
Designing Teams for Emerging ChallengesDesigning Teams for Emerging Challenges
Designing Teams for Emerging Challenges
Aaron Irizarry
 

Destaque (19)

Mulheres A Serviço do Senhor
Mulheres A Serviço do SenhorMulheres A Serviço do Senhor
Mulheres A Serviço do Senhor
 
(1) a moda e a mulher cristã i
(1) a moda e a mulher cristã   i(1) a moda e a mulher cristã   i
(1) a moda e a mulher cristã i
 
Treinamento epi adm e visitantes
Treinamento epi adm e visitantesTreinamento epi adm e visitantes
Treinamento epi adm e visitantes
 
Cartaz Chá de Mulheres Igreja Unida
Cartaz Chá de Mulheres Igreja UnidaCartaz Chá de Mulheres Igreja Unida
Cartaz Chá de Mulheres Igreja Unida
 
A maneira correta a mulher cristã vestir
A maneira correta a mulher cristã vestirA maneira correta a mulher cristã vestir
A maneira correta a mulher cristã vestir
 
O cristão e a moda
O cristão e a modaO cristão e a moda
O cristão e a moda
 
A História da Ordem Rosacruz AMORC
A História da Ordem Rosacruz AMORCA História da Ordem Rosacruz AMORC
A História da Ordem Rosacruz AMORC
 
Traje cristão feminino 1
Traje cristão feminino 1Traje cristão feminino 1
Traje cristão feminino 1
 
Vestuário - princípios cristãos
Vestuário - princípios cristãosVestuário - princípios cristãos
Vestuário - princípios cristãos
 
Conduta de vestimenta
Conduta de vestimentaConduta de vestimenta
Conduta de vestimenta
 
Usos e costmes defendidos pela igreja a assembleia de deus
Usos e costmes defendidos pela igreja  a assembleia de deusUsos e costmes defendidos pela igreja  a assembleia de deus
Usos e costmes defendidos pela igreja a assembleia de deus
 
Curso para casais 2015
Curso  para casais  2015Curso  para casais  2015
Curso para casais 2015
 
Dinâmica: Mulher sábia
  Dinâmica: Mulher sábia  Dinâmica: Mulher sábia
Dinâmica: Mulher sábia
 
Mulheres de joelho igreja de pé
Mulheres de joelho igreja de péMulheres de joelho igreja de pé
Mulheres de joelho igreja de pé
 
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!
 
A mulher como instrumento de bênção
A mulher como instrumento de bênçãoA mulher como instrumento de bênção
A mulher como instrumento de bênção
 
Intercessão e batalha espiritual
Intercessão e batalha espiritualIntercessão e batalha espiritual
Intercessão e batalha espiritual
 
Mulheres moldadas pela Palavra de Deus
Mulheres moldadas pela Palavra de Deus Mulheres moldadas pela Palavra de Deus
Mulheres moldadas pela Palavra de Deus
 
Designing Teams for Emerging Challenges
Designing Teams for Emerging ChallengesDesigning Teams for Emerging Challenges
Designing Teams for Emerging Challenges
 

Semelhante a Oração e recomendação às mulheres cristãs

EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃSLIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
Lourinaldo Serafim
 
2015 3 tri lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
2015 3 tri lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs2015 3 tri lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs
2015 3 tri lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
Natalino das Neves Neves
 
Lbj lição 3 a organização da igreja
Lbj lição 3   a organização da igrejaLbj lição 3   a organização da igreja
Lbj lição 3 a organização da igreja
boasnovassena
 
O chamado ministerial
O chamado ministerialO chamado ministerial
O chamado ministerial
Wilson Paulo de Santana Paulo
 
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Pr. Andre Luiz
 
3º trimestre 2015 lição 03 adultos
3º trimestre 2015 lição 03 adultos3º trimestre 2015 lição 03 adultos
3º trimestre 2015 lição 03 adultos
Joel Silva
 
2015 3º trimestre adultos lição 03.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 03.pptx2015 3º trimestre adultos lição 03.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 03.pptx
Joel Silva
 
3° Trimestre 2015 Lição 03 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 03 Adultos3° Trimestre 2015 Lição 03 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 03 Adultos
Joel Silva
 
LIÇÃO 06 - CONSELHOS GERAIS
LIÇÃO 06 - CONSELHOS GERAISLIÇÃO 06 - CONSELHOS GERAIS
LIÇÃO 06 - CONSELHOS GERAIS
Lourinaldo Serafim
 
Ebd lição 6 conselhos gerais 3ºtrimestre 2015
Ebd lição 6 conselhos gerais 3ºtrimestre 2015Ebd lição 6 conselhos gerais 3ºtrimestre 2015
Ebd lição 6 conselhos gerais 3ºtrimestre 2015
Dangelo Nascimento
 
3° Trimestre 2015 Lição 04 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 04 Adultos3° Trimestre 2015 Lição 04 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 04 Adultos
Joel Silva
 
Lição 4 pastores e diáconos 3º trimestre de 2015
Lição 4   pastores e diáconos  3º trimestre de 2015Lição 4   pastores e diáconos  3º trimestre de 2015
Lição 4 pastores e diáconos 3º trimestre de 2015
Andrew Guimarães
 
O Evangelho da Graça & Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs
O Evangelho da Graça & Oração e Recomendação às Mulheres CristãsO Evangelho da Graça & Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs
O Evangelho da Graça & Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs
pralucianaevangelista
 
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCAManual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
MINISTERIO IPCA.
 
Pastores e Diáconos
Pastores e DiáconosPastores e Diáconos
Pastores e Diáconos
Antonio Fernandes
 
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaUma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Pr. Gerson Eller
 
3º trimestre 2015 lição 04 adultos
3º trimestre 2015 lição 04 adultos3º trimestre 2015 lição 04 adultos
3º trimestre 2015 lição 04 adultos
Joel Silva
 
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015
Pr. Andre Luiz
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 

Semelhante a Oração e recomendação às mulheres cristãs (20)

EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre2015 aula 3 oração e recomendação às mulh...
 
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃSLIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
LIÇÃO 3 - ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS
 
2015 3 tri lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
2015 3 tri lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs2015 3 tri lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs
2015 3 tri lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
 
Lbj lição 3 a organização da igreja
Lbj lição 3   a organização da igrejaLbj lição 3   a organização da igreja
Lbj lição 3 a organização da igreja
 
O chamado ministerial
O chamado ministerialO chamado ministerial
O chamado ministerial
 
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
Conselhos Gerais - Lição 06 - 3º Trimestre de 2015
 
3º trimestre 2015 lição 03 adultos
3º trimestre 2015 lição 03 adultos3º trimestre 2015 lição 03 adultos
3º trimestre 2015 lição 03 adultos
 
2015 3º trimestre adultos lição 03.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 03.pptx2015 3º trimestre adultos lição 03.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 03.pptx
 
3° Trimestre 2015 Lição 03 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 03 Adultos3° Trimestre 2015 Lição 03 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 03 Adultos
 
LIÇÃO 06 - CONSELHOS GERAIS
LIÇÃO 06 - CONSELHOS GERAISLIÇÃO 06 - CONSELHOS GERAIS
LIÇÃO 06 - CONSELHOS GERAIS
 
Ebd lição 6 conselhos gerais 3ºtrimestre 2015
Ebd lição 6 conselhos gerais 3ºtrimestre 2015Ebd lição 6 conselhos gerais 3ºtrimestre 2015
Ebd lição 6 conselhos gerais 3ºtrimestre 2015
 
3° Trimestre 2015 Lição 04 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 04 Adultos3° Trimestre 2015 Lição 04 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 04 Adultos
 
Lição 4 pastores e diáconos 3º trimestre de 2015
Lição 4   pastores e diáconos  3º trimestre de 2015Lição 4   pastores e diáconos  3º trimestre de 2015
Lição 4 pastores e diáconos 3º trimestre de 2015
 
O Evangelho da Graça & Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs
O Evangelho da Graça & Oração e Recomendação às Mulheres CristãsO Evangelho da Graça & Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs
O Evangelho da Graça & Oração e Recomendação às Mulheres Cristãs
 
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCAManual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
 
Pastores e Diáconos
Pastores e DiáconosPastores e Diáconos
Pastores e Diáconos
 
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaUma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderança
 
3º trimestre 2015 lição 04 adultos
3º trimestre 2015 lição 04 adultos3º trimestre 2015 lição 04 adultos
3º trimestre 2015 lição 04 adultos
 
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
 

Mais de Elson Juvenal Pinto Loureiro

Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja - Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇAINSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 12 apresentação
Lição 12 apresentaçãoLição 12 apresentação
Lição 12 apresentação
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvioLição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvio
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher bLição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher b
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulherLição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulher
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terrA criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terr
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Gênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livroGênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livro
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIROAprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
O evangelho da graça
O evangelho da graçaO evangelho da graça
O evangelho da graça
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentaçãoA ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentação
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Subsidios ao professor
Subsidios ao professorSubsidios ao professor
Subsidios ao professor
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
O nascimento de jesus 2
O nascimento de jesus  2O nascimento de jesus  2
O nascimento de jesus 2
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
10 mandamento não cobiçaras final
10 mandamento não cobiçaras  final10 mandamento não cobiçaras  final
10 mandamento não cobiçaras final
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
Previa da lição  10  mandamento não cobiçarasPrevia da lição  10  mandamento não cobiçaras
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Apresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumidaApresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumida
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 

Mais de Elson Juvenal Pinto Loureiro (20)

Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja - Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja -
 
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇAINSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
 
Lição 12 apresentação
Lição 12 apresentaçãoLição 12 apresentação
Lição 12 apresentação
 
Lição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvioLição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvio
 
Lição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher bLição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher b
 
Lição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulherLição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulher
 
A criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terrA criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terr
 
Gênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livroGênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livro
 
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIROAprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
 
O evangelho da graça
O evangelho da graçaO evangelho da graça
O evangelho da graça
 
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
2a. versão mensagem a igreja local e a liderança
 
A ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentaçãoA ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentação
 
Subsidios ao professor
Subsidios ao professorSubsidios ao professor
Subsidios ao professor
 
O nascimento de jesus 2
O nascimento de jesus  2O nascimento de jesus  2
O nascimento de jesus 2
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
 
10 mandamento não cobiçaras final
10 mandamento não cobiçaras  final10 mandamento não cobiçaras  final
10 mandamento não cobiçaras final
 
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
Previa da lição  10  mandamento não cobiçarasPrevia da lição  10  mandamento não cobiçaras
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
 
Apresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumidaApresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumida
 

Último

Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 

Último (20)

Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 

Oração e recomendação às mulheres cristãs

  • 1. Oração e recomendação às mulheres cristãs
  • 2. TEXTO ÁUREO “Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens” (1Tm 2.1). VERDADE PRÁTICA A oração é o meio pelo qual falamos com Deus, intercedemos por nossas necessidades e em favor do próximo.
  • 4. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE 1 Timóteo 2.1-5,9-11.
  • 5. OBJETIVO GERAL Apresentar as recomendações paulinas quanto à oração e o comportamento da mulher cristã.
  • 7. INTRODUÇÃO • Nesta lição estudaremos a respeito da ordem na Igreja. Sabemos que Paulo escreveu a Timóteo para que ele colocasse ordem na igreja efésia. Este era um assunto de extrema importância, tanto que o apóstolo declara: “Admoesto-te, pois, antes de tudo”. • Paulo orienta o pastor quanto à oração por todos os que têm autoridade, a fim de que pudessem viver de modo quieto e sossegado. •
  • 8. INTERCESSÃO SEMPRE • Como Igreja do Senhor precisamos interceder a fim de que possamos cumprir nossa missão de levar a salvação aos homens que, a cada dia, estão mais distantes de Deus. Paulo também ensina a respeito do comportamento das mulheres na vida da igreja.
  • 10. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Abaixo, os objetivos específicos referem- se ao que o professor deve atingir em cada tópico. I. Tratar acerca da responsabilidade do crente de orar em favor de todos os homens. II. Conscientizar-se de que Deus deseja que todos se salvem. III. Refletir a respeito da maneira como as mulheres cristãs devem se vestir. IV. Discutir a respeito da conduta das mulheres na igreja.
  • 11. I. ORAÇÃO POR TODOS OS HOMENS • 1. “Deprecações” (2.1). O termo (gr. deesis) significa “suplicar, implorar, rogar por” alguém. É a intercessão a Deus por todos os homens, de modo ardente e compassivo. Embora Deus seja soberano e saiba de todas as coisas, Ele deseja ouvir nossas orações. O Senhor não somente nos ouve, mas também atende nossas súplicas. Não existe situação, por mais difícil que seja, que não possa ser resolvida mediante a oração. Paulo nos ensina a orar por todos aqueles que estão na liderança, seja na igreja, seja fora dela. • 2. “Orações”. Alguns exegetas entendem que Paulo usava os termos como sinônimos. Mas, no original grego, as palavras empregadas são diferentes. “Orações” (gr. proseuche) refere-se ao termo comum para as orações em geral, de súplica, de louvor, de intercessão, etc.
  • 14. 4. “Ações de graça”. Vem do termo grego eucharistia. A expressão é autoexplicativa, denotando orações em que a pessoa expressa sua gratidão a Deus por bênçãos recebidas, ou até por coisas adversas. Por isso, Paulo diz: “Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” (1Ts 5.18). Aqui está o porquê não podemos concordar com a ideia de que os quatro termos aqui usados são apenas sinônimos. Quem presta “ações de graça” não roga nem suplica  SOMENTE AGRADEÇE!!!!
  • 17. II. A SALVAÇÃO DE TODOS 1.“Que todos se salvem” (v.4). Paulo exorta a Igreja mostrando que Deus deseja que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade. Esse é o desejo divino: a salvação da humanidade, pois Ele “amou o mundo de tal maneira, que deu seu Filho Unigênito” [...] (Jo 3.16). Fora de Cristo, não há salvação (1Tm 2.5,6). Quem nEle crê é salvo. Quem não crê é condenado (Jo 3.18,19). É missão da Igreja levar a mensagem de salvação a todas as criaturas (Mt 28.19,20). 2. Um árduo trabalho missionário. Paulo e seus companheiros de ministério trabalharam arduamente na obra de evangelização (1Ts 2.9). O ministério exige sacrifício e trabalho. Muitos, erroneamente, acreditam que o pastor deve se preocupar somente com as questões administrativas e financeiras da igreja, mas o ministro de Deus, tem a responsabilidade de exortar, ganhar almas para Cristo e discipular seus filhos na fé. Paulo não se preocupava só com as ovelhas do rebanho, mas demonstrava um zelo especial com a evangelização e a obra missionária.
  • 18. 3. A melhor recompensa. O ministério pastoral exige sacrifício e esforço, mas também é muito gratificante poder servir ao Senhor e ver o fruto do trabalho: ao observar as almas se rendendo aos pés de Cristo, sendo batizadas nas águas e no Espírito Santo. É na verdade, a coroação do trabalho realizado. Os que estão na liderança sabem que muitas são as lutas e tristezas, no entanto existe um galardão a espera dos obreiros fiéis (1Pe 5.2-4).
  • 19. AGUARDEMOS QUE ISSO É PROMESSA DE QUEM NUNCA FALHOU.
  • 20. III. A MANEIRA DE SE VESTIR DAS MULHERES 1. As mulheres na Casa de Deus. Paulo orienta Timóteo quanto à maneira correta de as mulheres se comportarem na igreja. A mulher cristã precisa ser reconhecida não somente por sua maneira de vestir, mas por suas atitudes. Não podemos nos esquecer que nosso corpo é “templo do Espírito Santo” e que devemos glorificar a Deus em toda a nossa maneira de viver. Queira ou não, o homem e a mulher cristã têm de ser diferente em todos os aspectos da vida, diante de Deus e dos homens, inclusive na sua maneira de se vestir e de se portar.
  • 22. 2. Traje honesto, com pudor. É sinônimo de decoroso, decente, com sobriedade, ou simplicidade. Um vestido transparente não é honesto, pois embora esteja cobrindo o corpo, atrai a cobiça dos homens, incentivando o pecado. Infelizmente, muitas mulheres estão errando na hora de se vestir. A mulher pode e deve se vestir bem, ficar bonita, porém com pudor, de modo a agradar a Deus. 3. Traje com modéstia. Modéstia significa “simplicidade, singeleza, despretensão”. Além de se vestir de maneira honesta e com pudor (recato), a mulher cristã precisa se vestir com modéstia. Infelizmente, em algumas igrejas as irmãs acabam competindo umas com as outras. Parece haver uma “disputa” para ver quem usa a roupa ou a bolsa mais cara ou o sapato mais alto. Muitas se preocupam apenas com o exterior. A elegância e a beleza de uma mulher devem vir de dentro para fora, pois começa no caráter santo (1Pe 3.3).
  • 23. Como devem as mulheres cristãs vestir-se? • Que diz o apóstolo Pedro sobre o usode jóias, vest idos de última moda,enfeites dos cabelos, pintura s? • I S. Pedro 3:3-4 - "O enfeite delas nãoseja o exterior, no frisado dos cabelos, no usode jóias de ouro, na compostura d e vestidos;mas o homem encoberto no coração; n oincorruptível traje de espírito manso e quieto,qu e é precioso diante de Deus". • Salmos 1:1-2 - "Bem- aventurado ovarão que não anda no conselho dosí mpios, nem se detém no caminho dosescarneced ores. Antes o seu prazer estána lei do Senhor, e n a Sua lei medita dedia e de noite“. • Creio que o cristão deve viver acima dopadrão do mundo em sua aparência,palavras e atitudes. Deci do comportar- me como Cristo revela em Sua Palavra. NÃO FAZEM MAL A NINGUEM.
  • 24. NÃO FAZEM MAL A NINGUEM!
  • 26. IV. A CONDUTA DAS MULHERES NA IGREJA 1. O silêncio no culto. “A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição” (1Tm 2.11). Paulo também faz uma recomendação semelhante a esta em 1 Coríntios 14.34,35. Qual seria o motivo de tal restrição? Segundo o Comentário Bíblico Beacon, “na igreja coríntia havia muitas mulheres recém convertidas do paganismo, e que a nova liberdade que desfrutavam em Cristo levava a certas extravagâncias que eram impróprias”. É importante ressaltar que em outro texto de Coríntios, Paulo mostra que as mulheres podiam profetizar nas igrejas: “Toda mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta [...]” (1Co 11.5).
  • 28. 2. As mulheres no Novo Testamento Cristo, em seu ministério terreno, teve a cooperação de diversas mulheres que atuavam ao seu lado. Eram obreiras de grande valor: “[...] Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios; e Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, e Suzana, e muitas outras que o serviam com suas fazendas” (Lc 8.1-3). Paulo muito valorizou o trabalho das mulheres, na igreja (Rm 16.1-15).
  • 30. 3. A liderança do homem Paulo aborda a questão da liderança masculina, citando a ordem da criação. É importante ressaltar que o próprio Paulo, ao escrever aos gálatas, ensina que perante Cristo, para a salvação, homens e mulheres são iguais (Gl 3.28). Por que Paulo se utiliza do exemplo de Adão e Eva? Ele utiliza tal ilustração para mostrar o que estava acontecendo na igreja de Éfeso. Assim como Eva foi seduzida e enganada pela serpente, as irmãs daquela igreja estavam se deixando seduzir pelos ensinos dos falsos mestres.
  • 33. CONCLUSÃO Quanto à oração, os ensinos paulinos são válidos para todos os crentes, em qualquer época e em qualquer lugar. Devemos fazer súplicas, intercessões e ações de graças diante de Deus. No que concerne ao comportamento cristão, Paulo deu um destaque incisivo quanto à postura das mulheres, especialmente às irmãs de Éfeso, tendo em vista o contexto liberal e lascivo da sociedade em que a igreja estava inserida.
  • 34. BOA AULA • PROF. ELSON JP LOUREIRO