SlideShare uma empresa Scribd logo
PROF. ELSON JP LOUREIRO
1
1º TRI 2015
Título:
A Igreja e o seu Testemunho
As ordenanças de Cristo nas
cartas pastorais
Comentarista:
Elinaldo Renovato de Lima
3
1. O QUE?
2. QUANDO?
3. ONDE?
4. POR QUE?
5. QUEM?
6. QUANTO?
ORDENANÇA
CONTEUDO: O QUE DEVEMOS ESTUDAR NO
3º. TRIM.2015
4
Lição 1: Uma mensagem à igreja local e à
liderança
 Lição 2: O Evangelho da Graça
 Lição 3: Oração e recomendação às mulheres cristãs
 Lição 4: Pastores e Diáconos
 Lição 5: Apostasia, fidelidade e diligência no
Ministério
 Lição 6: Conselhos gerais
 Lição 7: Eu sei em Quem tenho crido
 Lição 8: Aprovados por Deus em Cristo Jesus
 Lição 9: A corrupção dos Últimos Dias
 Lição 10: O líder diante da chegada da morte
 Lição 11: A organização de uma igreja local
 Lição 12: Exortações gerais
 Lição 13: A manifestação da Graça da salvação
5
Lição 1:
Uma mensagem à
Igreja Local
e à Liderança
TEXTO ÁUREO
“Ninguém despreze a tua
mocidade; mas sê o exemplo dos
fiéis, na palavra, no trato, no amor,
no espírito, na fé, na pureza” (1Tm
4.12).
ALGUMAS
INSTRU
ÇÕES
6
VERDADE PRÁTICA
As cartas pastorais
reúnem orientações à
liderança cristã e aos
membros em geral para
que vivam conforme a
vontade de Deus.
7
8
POR ISSO TEM QUE TER VIDA QUE
SIRVA DE EXEMPLO!
VIDA: DISCIPLINADA.
E para estas coisas quem é idôneo?
2 Cor.2:16
RESPOSTA:
2 Timóteo 2:21 - De sorte que, se alguém se
purificar destas coisas, será vaso para
honra, santificado e idôneo para uso do
Senhor, e preparado para toda a boa obra.
PALAVRA
9
DISCIPLINA CRISTÃ
O QUE PASSA PELO PENSAMENTO QUANDO
OUVIMOS FALAR ESSA PALAVRA?
PORQUE?
VAMOS PENSAR JUNTOS?
FALANDO NISSO, VAMOS VER UM POUCO O QUE
SIGNIFICA DISCIPLINA?
 Matéria ensinada na escola, em faculdades etc.
O conjunto dos regulamentos destinados a manter
a boa ordem em qualquer empresa,
empreendimento, ou corporação; a boa ordem
resultante da observância desses regulamentos: a
disciplina militar.
P.ext. Modo de agir que demonstra constância,
métodos: a disciplina era necessária para
conseguir aquele trabalho.
 s.f. respeito às regras, às normas, àqueles que são
seus superiores etc: disciplina estudantil,
eclesiastica, teologica, ideológica, militar, do
atleta, CRISTÃ (seu manual a Bíblia).
Regulamentação que garante a satisfação de
indivíduos ou instituições.
Boa conduta: certos alunos têm uma péssima
disciplina.
Submissão ou respeito a um regulamento.
10
ENTÃO TUDO QUE NÃO EDUCA NÃO É DISCIPLINA!
11
E AINDA...
12
O castigo tem por finalidade
vingar, condenar, punir
alguém que desobedeceu
alguma lei ou regra.
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
13
OBJETIVO GERAL
14
Apresentar um panorama geral das
epístolas paulinas de Timóteo e Tito.
OBJETIVOS ESPECIFICOS
I. Introduzir as
epístolas pastorais
de Timóteo e Tito.
.
15
IV. Explicar o
conteúdo da
mensagem de
Paulo para a
liderança
III.
Conscientizar a
respeito da
atualidade das
epístolas
pastorais
II. Conhecer os
propósitos das
epístolas de
Timóteo e Tito.
 As epístolas para Timóteo e Tito apresentam
orientações aos líderes e membros quanto à
vida pessoal e cristã.
 (DISCIPLINA)
Orienta-
ções
16
NINGUEM CONSEGUE IR A
UM DESTINO SEM SEGUIR
ORIENTAÇÕES
I. AS EPÍSTOLAS PASTORAIS
17
INTRODUÇÃO
18
Neste trimestre teremos a oportunidade ímpar de estudar as
Epístolas de 1 e 2 Timóteo e Tito.
Dirigidas a dois jovens pastores que cuidavam do rebanho do
Senhor juntamente com Paulo.
O conteúdo delas está repleto de conselhos úteis sobre a
estrutura da vida na igreja. Estes conselhos fazem destas
cartas verdadeiros manuais eclesiásticos para a liderança das
Igrejas de hoje.
19
1 Pedro 5:2) “Apascentai o rebanho de
Deus que está entre vós, tendo cuidado
dele, não por força, mas
voluntariamente; nem por torpe
ganância, mas de ânimo pronto”
2. DATAS EM QUE FORAM ESCRITAS.
20
A
IADC de Jardim Itamarati
A/C DO PR. ANDERSON C. ROMANO
RUA
CEP 81.000
CURITIBA – PR
(U R G E N T E )
REMETENTE: APOSTOLO PAULO.
21
A Primeira Epístola/carta de Timóteo foi
escrita por volta de 64 d.C., entre a primeira e
a segunda prisão de Paulo, e enviada de Roma
(1ª) ou da Macedônia (talvez Filipos) (2ª.)
Em seguida, por volta de 65 d.C., foi escrita a
Carta a Tito.
Já a Segunda Epístola de Timóteo foi escrita
em tomo de 67 d.C., quando do segundo
encarceramento do apóstolo, e antes de sua
morte. Faz parte das “cartas da prisão”, ao
lado de Filipenses, Efésios, Colossenses e
Filemom.
3. CONTEÚDO.
Estas epístolas formam um conjunto literário, devocional e
doutrinário, em que se observam o mesmo vocabulário, o
mesmo estilo e os mesmos propósitos para qual foram
escritas.
A estrutura foi elaborada com o intuito de alcançar seus
destinatários com solenes ensinos e advertências da parte
de Deus.
O conteúdo pode ser resumido da seguinte maneira:
22
a) Saudação. Nas saudações aos destinatários, Paulo
demonstra o seu cuidado para com os jovens obreiros (1Tm
1.2; Tt 1.1-4; 2Tm 1.1,2);
b) Qualificações ministeriais. Paulo demonstra que para ser
Ministro do Evangelho, há requisitos a serem respeitados (1Tm
3.1-13; Tt 1.5-9);
c) Alerta contra os falsos mestres e as falsas doutrinas
(1Tm 4.1-5; Tt 1.10-16). Falsos mestres e falsas doutrinas já
existiam nas igrejas e infelizmente ainda existem em muitos
lugares;
d) O cuidado com a “sã doutrina” (1Tm 1.10; 6.3; 2Tm 1.13;
4.3; Tt 2.1); a falta desse cuidado contribui para a disseminação
das heresias e desvios de toda a espécie;
e) Comportamento e conselhos a diversos grupos (1Tm 5.1-
25; Tt 2.1-10). Paulo fala a respeito dos servos, senhores, pais,
filhos, jovens e outros grupos.
23
II. PROPÓSITO E MENSAGEM
 As cartas pastorais de 1 Timóteo, 2 Timóteo e Tito tinham em
comum os seguintes propósitos:
 1. Orientar os líderes quanto à vida pessoal.
 Paulo exorta o jovem pastor Timóteo dizendo que ele deveria
servir como exemplo em tudo (1Tm 4.12,16).
 Para estar na liderança de uma igreja local é imprescindível ter
uma vida exemplar.
 Também é necessário e importante que o líder saiba cuidar
bem de sua vida familiar (1Tm 3.1-13), a fim de que sua esposa
e filhos tenham uma boa conduta.
24
O COMBATE DA FÉ
25
2. COMBATER AS HERESIAS
Paulo sabia das diversas heresias que ameaçavam as igrejas locais. O
apóstolo estava preocupado com os crentes que já haviam sido seduzidos
pelo judaísmo.
O judaísmo exigia o cumprimento de vários rituais e liturgias, contudo
Jesus nos ensinou uma nova maneira de cumprir a Lei e de viver. Jesus
fez uma Nova Aliança com a humanidade mediante seu sacrifício na cruz.
Naquele tempo havia também o perigo do gnosticismo, ou seja, uma
filosofia herética, que defendia o dualismo, segundo o qual a matéria é má
e o espírito é bom.
Por isso, negava a encarnação de Cristo, pois o corpo, sendo matéria,
contaminaria seu espírito. Paulo deixou Timóteo em Éfeso para amenizar
os estragos dessa heresia, que se infiltrou no meio dos crentes, sob
influência de Himeneu e Alexandre (1Tm 1.19,20).
 SÍNTESE DO TÓPICO (II)
As epístolas de Timóteo e Tito tinham como propósitos
orientar os líderes quanto à vida pessoal e no combate as
heresias
26
III. UMA MENSAGEM PARA A IGREJA LOCAL E A
LIDERANÇA DA ATUALIDADE
Estamos vivendo os tempos
trabalhosos que Paulo falou em 1
Timóteo 4.1,2.
Precisamos estar atentos, por isso,
vamos estudar duas heresias da
atualidade.
Estas precisam ser confrontadas
com a Palavra de Deus. 27
O QUE É HERESIA?
EXEMPLOS
 1. interpretação, doutrina ou sistema teológico rejeitado
como falso pela Igreja.
 2. teoria, ideia, prática etc. que nega ou contraria a
doutrina estabelecida.
 EM SINTESE: CAMINHO PRÓPRIO, CONTRAMÃO DA
VERDADE BIBLICA.
28
1. O “EVANGELHO” DA PROSPERIDADE
Um dos mais eminentes defensores, desta falsa doutrina
ensinou que “você é tanto uma encarnação de Deus quanto
Jesus Cristo o foi.
Você não tem um deus dentro de você. Você é um deus”. Se o
crente é “deus” pode tudo; tudo o que disser tornar-se-á
realidade (confissão positiva); e terá o mundo e as riquezas que
desejar, sem pobreza nem enfermidades. À luz da Palavra de
Deus, tal ensinamento equivale a orgulho, presunção e
soberba. Sabemos que Deus abomina toda altivez (Pv 6.16-19)
e que tal ensino é contrário as Escrituras Sagradas. Somos
criaturas, temos falhas e sem Deus nada somos e nada
podemos. O poder e a majestade são dEle.
29
MEDIDA DA ESPIRITUALIDADE
30
2. APOSTASIA DOS ÚLTIMOS DIAS.
Paulo adverte aos crentes quanto ao que está
acontecendo nos dias atuais, onde muitos
estão abandonando a fé em Cristo.
Para Tito, ele faz advertência semelhante
sobre falsos líderes, contradizentes e de torpe
ganância
(Tt 1.9-13).
Precisamos estar atentos para que os ensinos
heréticos e a apostasia não alcancem a Igreja
do Senhor. O líder tem a responsabilidade de
zelar pela sã doutrina. 31
32
IV. MENSAGEM PARA A LIDERANÇA
1. Administração eclesiástica. Em 1 Timóteo 3.1-12 e em Tito
1.5-9, vemos um conjunto de qualificações que aqueles que
desejam liderar uma igreja necessitam ter. Infelizmente, em
muitas igrejas, nem sempre estas recomendações são
observadas. Porém, a liderança exige esforço. É necessário
que o pastor tenha uma vida santa e irrepreensível. É preciso
esforço e disciplina.
Algumas das qualificações necessárias ao líder:
Irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos fiéis,
não soberbo, não iracundo, não dado ao vinho, não
espancador, não cobiçoso de torpe ganância, dado à
hospitalidade, amigo do bem, moderado, justo, santo,
temperante, retendo firme a Palavra, capaz de admoestar com
a sã doutrina, etc. 33
34
2. ÉTICA MINISTERIAL.
Na Segunda Epístola a Timóteo, Paulo
diz que o ministro deve apresentar-se a
Deus “aprovado, como obreiro que não
tem de que se envergonhar; que
maneja bem a palavra da verdade”
(2.15).
A verdadeira liderança se estabelece
pelo exemplo, pelo testemunho, muito
mais do que pela eloquência, pela
oratória ou pela retórica. 35
36
37
SERÁ QUE ISSO TEM A VER COM VIDA CRISTÃ?
Não são os diplomas de um pastor
que o qualificam como líder cristão, mas
seu exemplo, sua ética, diante de Deus
e da igreja local.
Paulo tinha condições de ensinar
liderança e ética, pois sua vida era
exemplo para a igreja e para os de fora
(Fp 3.17; 1Co 11.1).
O líder cristão não é o que “manda”,
mas o que serve.
Não é o maior, e sim o menor
(Mt 20.24-28).
38
“A LIDERANÇA É ESSENCIAL
À VIDA E MISSÃO DA IGREJA”.
Sem ela, a igreja tropeça e cai num curso incerto
em sua peregrinação rumo a um lugar melhor.
Sem liderança EFICAZ, a igreja não é capaz de
cumprir seus propósitos de ministrar eficazmente
aos de dentro e alcançar os de fora, nem pode
render a Deus a glória que Ele merece.
O pastor é a pessoa chamada para prover a
liderança final da igreja, não importando o sistema
administrativo dela.
O sucesso da igreja depende em grande parte de
sua capacidade de liderança.
39
40
Liderança é bíblica, e necessária, se não houver é
como um barco sem rumo, não vai a lugar algum.
A ideia de alguém liderando outros está fundamentada nas Escrituras.
Assumir papel de líder na igreja de Deus e esperar que outros sigam
seu exemplo não é egoísmo, autoritarismo, condescendência nem
pecado. Temos certeza disso porque as Escrituras deitam as bases e
os princípios da liderança cristã” (MACARTHUR, John. Ministério
Pastoral: Alcançando a excelência no ministério cristão. 7ª Edição. RJ:
CPAD, 2012, pp.294-5). Liderança é bíblica, e necessária, se não
houver é como um barco sem rumo, não vai a lugar algum.
A ideia de alguém liderando outros está fundamentada nas Escrituras.
Assumir papel de líder na igreja de Deus e esperar que outros sigam
seu exemplo não é egoísmo, autoritarismo, condescendência nem
pecado. Temos certeza disso porque as Escrituras deitam as bases e
os princípios da liderança cristã” (MACARTHUR, John. Ministério
Pastoral: Alcançando a excelência no ministério cristão. 7ª Edição. RJ:
CPAD, 2012, pp.294-5).
Sêneca (04 a.C.-65) foi um importante filósofo,
escritor, mestre da arte da retórica, membro do
Senado e magistrado da justiça criminal, durante
o Império Romano.
CONCLUSÃO
As cartas pastorais contêm doutrinas e
exortações quanto a assuntos práticos, mas
também diretrizes gerais sobre liderança,
designação de obreiros, suas qualificações,
as responsabilidades espirituais e morais
do ministério; do relacionamento com Deus,
com os líderes e das relações
interpessoais.
São riquíssimas fontes de ensino para
edificação das igrejas locais nos tempos
presentes.(trabalhosos).
41
PROF. ELSON J.P. LOUREIRO
42
IADC/ J. ITAMARATI

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Andrew Guimarães
 
O exemplo de Timóteo
O exemplo de TimóteoO exemplo de Timóteo
O exemplo de Timóteo
Jessé Lopes
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
shalonahr
 
10 biblia do_discipulado_-_1_tm_-_hb
10 biblia do_discipulado_-_1_tm_-_hb10 biblia do_discipulado_-_1_tm_-_hb
10 biblia do_discipulado_-_1_tm_-_hb
INOVAR CLUB
 
A FIDELIDADE DOS OBREIROS DO SENHOR - Lição 06 – Escola Donminical
A FIDELIDADE DOS OBREIROS DO SENHOR - Lição 06 – Escola DonminicalA FIDELIDADE DOS OBREIROS DO SENHOR - Lição 06 – Escola Donminical
A FIDELIDADE DOS OBREIROS DO SENHOR - Lição 06 – Escola Donminical
yosseph2013
 
LBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristã
LBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristãLBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristã
LBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristã
Natalino das Neves Neves
 
Firmes na fé
Firmes na féFirmes na fé
Firmes na fé
Antonio Rodrigues
 
A igrea e a disciplina
A igrea e a disciplinaA igrea e a disciplina
A igrea e a disciplina
Paulo Roberto
 
Lição 09
Lição 09Lição 09
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04
Samarone Melo
 
Etica crista-aulas-5-e-6
Etica crista-aulas-5-e-6Etica crista-aulas-5-e-6
Etica crista-aulas-5-e-6
Marinaldo Oliveira
 
Lição 06 - Conselhos gerais
Lição 06 - Conselhos geraisLição 06 - Conselhos gerais
Lição 06 - Conselhos gerais
Regio Davis
 
Fiéis à verdade
Fiéis à verdadeFiéis à verdade
Fiéis à verdade
Antonio Rodrigues
 
Regimento Interno
Regimento InternoRegimento Interno
Regimento Interno
Viva a Igreja
 
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
Samarone Melo
 
Código de ética do obreiro
Código de ética do obreiroCódigo de ética do obreiro
Código de ética do obreiro
CRTVO
 
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADE
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADEDISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADE
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADE
Enerliz
 
Lição 17 Os efeitos do mundanismo na família
Lição 17   Os efeitos do mundanismo na famíliaLição 17   Os efeitos do mundanismo na família
Lição 17 Os efeitos do mundanismo na família
Wander Sousa
 
MARCA 7 - DISCIPLINA BÍBLICA NA IGREJA
MARCA 7 - DISCIPLINA BÍBLICA NA IGREJAMARCA 7 - DISCIPLINA BÍBLICA NA IGREJA
MARCA 7 - DISCIPLINA BÍBLICA NA IGREJA
Enerliz
 
3º Trimestre 2015 Lição 06 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 06 Adultos3º Trimestre 2015 Lição 06 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 06 Adultos
Joel Silva
 

Mais procurados (20)

Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015Lição 1   uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
Lição 1 uma mensagem à igreja local e à liderança - 3º trimestre de 2015
 
O exemplo de Timóteo
O exemplo de TimóteoO exemplo de Timóteo
O exemplo de Timóteo
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
 
10 biblia do_discipulado_-_1_tm_-_hb
10 biblia do_discipulado_-_1_tm_-_hb10 biblia do_discipulado_-_1_tm_-_hb
10 biblia do_discipulado_-_1_tm_-_hb
 
A FIDELIDADE DOS OBREIROS DO SENHOR - Lição 06 – Escola Donminical
A FIDELIDADE DOS OBREIROS DO SENHOR - Lição 06 – Escola DonminicalA FIDELIDADE DOS OBREIROS DO SENHOR - Lição 06 – Escola Donminical
A FIDELIDADE DOS OBREIROS DO SENHOR - Lição 06 – Escola Donminical
 
LBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristã
LBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristãLBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristã
LBA LIÇÃO 1 - O que é ética cristã
 
Firmes na fé
Firmes na féFirmes na fé
Firmes na fé
 
A igrea e a disciplina
A igrea e a disciplinaA igrea e a disciplina
A igrea e a disciplina
 
Lição 09
Lição 09Lição 09
Lição 09
 
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04
 
Etica crista-aulas-5-e-6
Etica crista-aulas-5-e-6Etica crista-aulas-5-e-6
Etica crista-aulas-5-e-6
 
Lição 06 - Conselhos gerais
Lição 06 - Conselhos geraisLição 06 - Conselhos gerais
Lição 06 - Conselhos gerais
 
Fiéis à verdade
Fiéis à verdadeFiéis à verdade
Fiéis à verdade
 
Regimento Interno
Regimento InternoRegimento Interno
Regimento Interno
 
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
 
Código de ética do obreiro
Código de ética do obreiroCódigo de ética do obreiro
Código de ética do obreiro
 
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADE
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADEDISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADE
DISCIPLINA ECLESIÁSTICA EM TEMPOS DE IMPUNIDADE
 
Lição 17 Os efeitos do mundanismo na família
Lição 17   Os efeitos do mundanismo na famíliaLição 17   Os efeitos do mundanismo na família
Lição 17 Os efeitos do mundanismo na família
 
MARCA 7 - DISCIPLINA BÍBLICA NA IGREJA
MARCA 7 - DISCIPLINA BÍBLICA NA IGREJAMARCA 7 - DISCIPLINA BÍBLICA NA IGREJA
MARCA 7 - DISCIPLINA BÍBLICA NA IGREJA
 
3º Trimestre 2015 Lição 06 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 06 Adultos3º Trimestre 2015 Lição 06 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 06 Adultos
 

Destaque

As cartas pastorais
As cartas pastoraisAs cartas pastorais
As cartas pastorais
guest1671d3
 
01 uma mensagem á igreja local e a liderança
01 uma mensagem á igreja local e a liderança01 uma mensagem á igreja local e a liderança
01 uma mensagem á igreja local e a liderança
José Nilson Virgino
 
Uma mensagem a igreja local e a liderança
Uma mensagem a igreja local e a liderançaUma mensagem a igreja local e a liderança
Uma mensagem a igreja local e a liderança
Ailton da Silva
 
Lição 12 apresentação
Lição 12 apresentaçãoLição 12 apresentação
Lição 12 apresentação
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Timoteo
TimoteoTimoteo
comentario biblico-1 timóteo (moody)
comentario biblico-1 timóteo (moody)comentario biblico-1 timóteo (moody)
comentario biblico-1 timóteo (moody)
leniogravacoes
 
Cartas paulinas
Cartas paulinasCartas paulinas
Cartas paulinas
roneydecarvalho
 
As Cartas de Paulo
As Cartas de PauloAs Cartas de Paulo
As Cartas de Paulo
Egmon Pereira
 
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Natalino das Neves Neves
 
Cartas paulinas
Cartas paulinasCartas paulinas
Cartas paulinas
varp86
 
Bíblia de Estudo John Macarthur-completa
Bíblia de Estudo John Macarthur-completaBíblia de Estudo John Macarthur-completa
Bíblia de Estudo John Macarthur-completa
Rosangela Borkoski
 
Cartas paulinas
Cartas paulinasCartas paulinas
Cartas paulinas
Carmen Calpe
 
Lição 13 os últimos dias serão tempos trabalhosos e de apostasia
Lição 13 os últimos dias serão tempos trabalhosos e de apostasiaLição 13 os últimos dias serão tempos trabalhosos e de apostasia
Lição 13 os últimos dias serão tempos trabalhosos e de apostasia
Éder Tomé
 

Destaque (13)

As cartas pastorais
As cartas pastoraisAs cartas pastorais
As cartas pastorais
 
01 uma mensagem á igreja local e a liderança
01 uma mensagem á igreja local e a liderança01 uma mensagem á igreja local e a liderança
01 uma mensagem á igreja local e a liderança
 
Uma mensagem a igreja local e a liderança
Uma mensagem a igreja local e a liderançaUma mensagem a igreja local e a liderança
Uma mensagem a igreja local e a liderança
 
Lição 12 apresentação
Lição 12 apresentaçãoLição 12 apresentação
Lição 12 apresentação
 
Timoteo
TimoteoTimoteo
Timoteo
 
comentario biblico-1 timóteo (moody)
comentario biblico-1 timóteo (moody)comentario biblico-1 timóteo (moody)
comentario biblico-1 timóteo (moody)
 
Cartas paulinas
Cartas paulinasCartas paulinas
Cartas paulinas
 
As Cartas de Paulo
As Cartas de PauloAs Cartas de Paulo
As Cartas de Paulo
 
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
 
Cartas paulinas
Cartas paulinasCartas paulinas
Cartas paulinas
 
Bíblia de Estudo John Macarthur-completa
Bíblia de Estudo John Macarthur-completaBíblia de Estudo John Macarthur-completa
Bíblia de Estudo John Macarthur-completa
 
Cartas paulinas
Cartas paulinasCartas paulinas
Cartas paulinas
 
Lição 13 os últimos dias serão tempos trabalhosos e de apostasia
Lição 13 os últimos dias serão tempos trabalhosos e de apostasiaLição 13 os últimos dias serão tempos trabalhosos e de apostasia
Lição 13 os últimos dias serão tempos trabalhosos e de apostasia
 

Semelhante a 2a. versão mensagem a igreja local e a liderança

EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
Lourinaldo Serafim
 
2015 3 TRI LIÇÃO 1 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
2015 3 TRI LIÇÃO 1 - Uma mensagem à igreja local e à liderança2015 3 TRI LIÇÃO 1 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
2015 3 TRI LIÇÃO 1 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
Natalino das Neves Neves
 
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaUma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Pr. Gerson Eller
 
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderançaLição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
Regio Davis
 
Panorama do NT - 1Timóteo
Panorama do NT - 1TimóteoPanorama do NT - 1Timóteo
Panorama do NT - 1Timóteo
Respirando Deus
 
Lições para a vida timóteo
Lições para a vida   timóteoLições para a vida   timóteo
Lições para a vida timóteo
Eloi Lago
 
Panorama do NT - Tito
Panorama do NT - TitoPanorama do NT - Tito
Panorama do NT - Tito
Respirando Deus
 
Tito - Introdução
Tito - IntroduçãoTito - Introdução
Tito - Introdução
Daniel Junior
 
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Pr. Andre Luiz
 
014 timoteo 1º
014 timoteo 1º014 timoteo 1º
014 timoteo 1º
Diógenes Gimenes
 
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
Pr. Andre Luiz
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=
PIB Penha
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
Dalila Melo
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
Dalila Melo
 
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Regio Davis
 
A mensagem de 1 timoteo e tito john-stott
A mensagem de 1 timoteo e tito   john-stottA mensagem de 1 timoteo e tito   john-stott
A mensagem de 1 timoteo e tito john-stott
soarescastrodf
 
A mensagem de 1 timoteo e tito john-stott
A mensagem de 1 timoteo e tito   john-stottA mensagem de 1 timoteo e tito   john-stott
A mensagem de 1 timoteo e tito john-stott
soarescastrodf
 
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
Natalino das Neves Neves
 
Lição 5 a apostasia, fidelidade e diligência no ministério
Lição 5    a apostasia, fidelidade e diligência no ministérioLição 5    a apostasia, fidelidade e diligência no ministério
Lição 5 a apostasia, fidelidade e diligência no ministério
Pr. Gerson Eller
 

Semelhante a 2a. versão mensagem a igreja local e a liderança (20)

EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°Trimestre2015 aula 1 Uma mensagem à Igreja local e...
 
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
LIÇÃO 01 - UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA
 
2015 3 TRI LIÇÃO 1 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
2015 3 TRI LIÇÃO 1 - Uma mensagem à igreja local e à liderança2015 3 TRI LIÇÃO 1 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
2015 3 TRI LIÇÃO 1 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
 
Uma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderançaUma mensagem à igreja local e à liderança
Uma mensagem à igreja local e à liderança
 
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderançaLição 01 -  Uma mensagem à igreja local e à liderança
Lição 01 - Uma mensagem à igreja local e à liderança
 
Panorama do NT - 1Timóteo
Panorama do NT - 1TimóteoPanorama do NT - 1Timóteo
Panorama do NT - 1Timóteo
 
Lições para a vida timóteo
Lições para a vida   timóteoLições para a vida   timóteo
Lições para a vida timóteo
 
Panorama do NT - Tito
Panorama do NT - TitoPanorama do NT - Tito
Panorama do NT - Tito
 
Tito - Introdução
Tito - IntroduçãoTito - Introdução
Tito - Introdução
 
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
 
014 timoteo 1º
014 timoteo 1º014 timoteo 1º
014 timoteo 1º
 
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
 
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local
 
A mensagem de 1 timoteo e tito john-stott
A mensagem de 1 timoteo e tito   john-stottA mensagem de 1 timoteo e tito   john-stott
A mensagem de 1 timoteo e tito john-stott
 
A mensagem de 1 timoteo e tito john-stott
A mensagem de 1 timoteo e tito   john-stottA mensagem de 1 timoteo e tito   john-stott
A mensagem de 1 timoteo e tito john-stott
 
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
 
Lição 5 a apostasia, fidelidade e diligência no ministério
Lição 5    a apostasia, fidelidade e diligência no ministérioLição 5    a apostasia, fidelidade e diligência no ministério
Lição 5 a apostasia, fidelidade e diligência no ministério
 

Mais de Elson Juvenal Pinto Loureiro

Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja - Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvioLição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvio
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher bLição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher b
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Lição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulherLição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulher
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terrA criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terr
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Gênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livroGênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livro
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIROAprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Oração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãsOração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãs
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
O evangelho da graça
O evangelho da graçaO evangelho da graça
O evangelho da graça
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentaçãoA ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentação
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Subsidios ao professor
Subsidios ao professorSubsidios ao professor
Subsidios ao professor
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
O nascimento de jesus 2
O nascimento de jesus  2O nascimento de jesus  2
O nascimento de jesus 2
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
10 mandamento não cobiçaras final
10 mandamento não cobiçaras  final10 mandamento não cobiçaras  final
10 mandamento não cobiçaras final
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
Previa da lição  10  mandamento não cobiçarasPrevia da lição  10  mandamento não cobiçaras
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Apresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumidaApresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumida
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
Não furtarás
Não furtarásNão furtarás
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado bIgreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 

Mais de Elson Juvenal Pinto Loureiro (20)

Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja - Qualidade nos relacionamentos na igreja -
Qualidade nos relacionamentos na igreja -
 
Lição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvioLição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvio
 
Lição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher bLição 3 criação do homem e da mulher b
Lição 3 criação do homem e da mulher b
 
Lição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulherLição 3 criação do homem e da mulher
Lição 3 criação do homem e da mulher
 
A criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terrA criação dos céus, e da terr
A criação dos céus, e da terr
 
Gênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livroGênesis introdução ao livro
Gênesis introdução ao livro
 
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIROAprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
 
Oração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãsOração e recomendação às mulheres cristãs
Oração e recomendação às mulheres cristãs
 
O evangelho da graça
O evangelho da graçaO evangelho da graça
O evangelho da graça
 
A ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentaçãoA ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentação
 
Subsidios ao professor
Subsidios ao professorSubsidios ao professor
Subsidios ao professor
 
O nascimento de jesus 2
O nascimento de jesus  2O nascimento de jesus  2
O nascimento de jesus 2
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
 
10 mandamento não cobiçaras final
10 mandamento não cobiçaras  final10 mandamento não cobiçaras  final
10 mandamento não cobiçaras final
 
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
Previa da lição  10  mandamento não cobiçarasPrevia da lição  10  mandamento não cobiçaras
Previa da lição 10 mandamento não cobiçaras
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
 
Apresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumidaApresentação tcc integração resumida
Apresentação tcc integração resumida
 
Não furtarás
Não furtarásNão furtarás
Não furtarás
 
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado bIgreja pentecostalismo, missiologia e  discipulado b
Igreja pentecostalismo, missiologia e discipulado b
 

Último

Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 

Último (20)

Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 

2a. versão mensagem a igreja local e a liderança

  • 1. PROF. ELSON JP LOUREIRO 1 1º TRI 2015
  • 2. Título: A Igreja e o seu Testemunho As ordenanças de Cristo nas cartas pastorais Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima
  • 3. 3 1. O QUE? 2. QUANDO? 3. ONDE? 4. POR QUE? 5. QUEM? 6. QUANTO? ORDENANÇA
  • 4. CONTEUDO: O QUE DEVEMOS ESTUDAR NO 3º. TRIM.2015 4 Lição 1: Uma mensagem à igreja local e à liderança  Lição 2: O Evangelho da Graça  Lição 3: Oração e recomendação às mulheres cristãs  Lição 4: Pastores e Diáconos  Lição 5: Apostasia, fidelidade e diligência no Ministério  Lição 6: Conselhos gerais  Lição 7: Eu sei em Quem tenho crido  Lição 8: Aprovados por Deus em Cristo Jesus  Lição 9: A corrupção dos Últimos Dias  Lição 10: O líder diante da chegada da morte  Lição 11: A organização de uma igreja local  Lição 12: Exortações gerais  Lição 13: A manifestação da Graça da salvação
  • 5. 5 Lição 1: Uma mensagem à Igreja Local e à Liderança
  • 6. TEXTO ÁUREO “Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza” (1Tm 4.12). ALGUMAS INSTRU ÇÕES 6
  • 7. VERDADE PRÁTICA As cartas pastorais reúnem orientações à liderança cristã e aos membros em geral para que vivam conforme a vontade de Deus. 7
  • 8. 8 POR ISSO TEM QUE TER VIDA QUE SIRVA DE EXEMPLO! VIDA: DISCIPLINADA. E para estas coisas quem é idôneo? 2 Cor.2:16 RESPOSTA: 2 Timóteo 2:21 - De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra.
  • 9. PALAVRA 9 DISCIPLINA CRISTÃ O QUE PASSA PELO PENSAMENTO QUANDO OUVIMOS FALAR ESSA PALAVRA? PORQUE? VAMOS PENSAR JUNTOS?
  • 10. FALANDO NISSO, VAMOS VER UM POUCO O QUE SIGNIFICA DISCIPLINA?  Matéria ensinada na escola, em faculdades etc. O conjunto dos regulamentos destinados a manter a boa ordem em qualquer empresa, empreendimento, ou corporação; a boa ordem resultante da observância desses regulamentos: a disciplina militar. P.ext. Modo de agir que demonstra constância, métodos: a disciplina era necessária para conseguir aquele trabalho.  s.f. respeito às regras, às normas, àqueles que são seus superiores etc: disciplina estudantil, eclesiastica, teologica, ideológica, militar, do atleta, CRISTÃ (seu manual a Bíblia). Regulamentação que garante a satisfação de indivíduos ou instituições. Boa conduta: certos alunos têm uma péssima disciplina. Submissão ou respeito a um regulamento. 10 ENTÃO TUDO QUE NÃO EDUCA NÃO É DISCIPLINA!
  • 11. 11
  • 12. E AINDA... 12 O castigo tem por finalidade vingar, condenar, punir alguém que desobedeceu alguma lei ou regra.
  • 13. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE 13
  • 14. OBJETIVO GERAL 14 Apresentar um panorama geral das epístolas paulinas de Timóteo e Tito.
  • 15. OBJETIVOS ESPECIFICOS I. Introduzir as epístolas pastorais de Timóteo e Tito. . 15 IV. Explicar o conteúdo da mensagem de Paulo para a liderança III. Conscientizar a respeito da atualidade das epístolas pastorais II. Conhecer os propósitos das epístolas de Timóteo e Tito.
  • 16.  As epístolas para Timóteo e Tito apresentam orientações aos líderes e membros quanto à vida pessoal e cristã.  (DISCIPLINA) Orienta- ções 16 NINGUEM CONSEGUE IR A UM DESTINO SEM SEGUIR ORIENTAÇÕES
  • 17. I. AS EPÍSTOLAS PASTORAIS 17
  • 19. Neste trimestre teremos a oportunidade ímpar de estudar as Epístolas de 1 e 2 Timóteo e Tito. Dirigidas a dois jovens pastores que cuidavam do rebanho do Senhor juntamente com Paulo. O conteúdo delas está repleto de conselhos úteis sobre a estrutura da vida na igreja. Estes conselhos fazem destas cartas verdadeiros manuais eclesiásticos para a liderança das Igrejas de hoje. 19 1 Pedro 5:2) “Apascentai o rebanho de Deus que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto”
  • 20. 2. DATAS EM QUE FORAM ESCRITAS. 20 A IADC de Jardim Itamarati A/C DO PR. ANDERSON C. ROMANO RUA CEP 81.000 CURITIBA – PR (U R G E N T E ) REMETENTE: APOSTOLO PAULO.
  • 21. 21 A Primeira Epístola/carta de Timóteo foi escrita por volta de 64 d.C., entre a primeira e a segunda prisão de Paulo, e enviada de Roma (1ª) ou da Macedônia (talvez Filipos) (2ª.) Em seguida, por volta de 65 d.C., foi escrita a Carta a Tito. Já a Segunda Epístola de Timóteo foi escrita em tomo de 67 d.C., quando do segundo encarceramento do apóstolo, e antes de sua morte. Faz parte das “cartas da prisão”, ao lado de Filipenses, Efésios, Colossenses e Filemom.
  • 22. 3. CONTEÚDO. Estas epístolas formam um conjunto literário, devocional e doutrinário, em que se observam o mesmo vocabulário, o mesmo estilo e os mesmos propósitos para qual foram escritas. A estrutura foi elaborada com o intuito de alcançar seus destinatários com solenes ensinos e advertências da parte de Deus. O conteúdo pode ser resumido da seguinte maneira: 22
  • 23. a) Saudação. Nas saudações aos destinatários, Paulo demonstra o seu cuidado para com os jovens obreiros (1Tm 1.2; Tt 1.1-4; 2Tm 1.1,2); b) Qualificações ministeriais. Paulo demonstra que para ser Ministro do Evangelho, há requisitos a serem respeitados (1Tm 3.1-13; Tt 1.5-9); c) Alerta contra os falsos mestres e as falsas doutrinas (1Tm 4.1-5; Tt 1.10-16). Falsos mestres e falsas doutrinas já existiam nas igrejas e infelizmente ainda existem em muitos lugares; d) O cuidado com a “sã doutrina” (1Tm 1.10; 6.3; 2Tm 1.13; 4.3; Tt 2.1); a falta desse cuidado contribui para a disseminação das heresias e desvios de toda a espécie; e) Comportamento e conselhos a diversos grupos (1Tm 5.1- 25; Tt 2.1-10). Paulo fala a respeito dos servos, senhores, pais, filhos, jovens e outros grupos. 23
  • 24. II. PROPÓSITO E MENSAGEM  As cartas pastorais de 1 Timóteo, 2 Timóteo e Tito tinham em comum os seguintes propósitos:  1. Orientar os líderes quanto à vida pessoal.  Paulo exorta o jovem pastor Timóteo dizendo que ele deveria servir como exemplo em tudo (1Tm 4.12,16).  Para estar na liderança de uma igreja local é imprescindível ter uma vida exemplar.  Também é necessário e importante que o líder saiba cuidar bem de sua vida familiar (1Tm 3.1-13), a fim de que sua esposa e filhos tenham uma boa conduta. 24
  • 25. O COMBATE DA FÉ 25
  • 26. 2. COMBATER AS HERESIAS Paulo sabia das diversas heresias que ameaçavam as igrejas locais. O apóstolo estava preocupado com os crentes que já haviam sido seduzidos pelo judaísmo. O judaísmo exigia o cumprimento de vários rituais e liturgias, contudo Jesus nos ensinou uma nova maneira de cumprir a Lei e de viver. Jesus fez uma Nova Aliança com a humanidade mediante seu sacrifício na cruz. Naquele tempo havia também o perigo do gnosticismo, ou seja, uma filosofia herética, que defendia o dualismo, segundo o qual a matéria é má e o espírito é bom. Por isso, negava a encarnação de Cristo, pois o corpo, sendo matéria, contaminaria seu espírito. Paulo deixou Timóteo em Éfeso para amenizar os estragos dessa heresia, que se infiltrou no meio dos crentes, sob influência de Himeneu e Alexandre (1Tm 1.19,20).  SÍNTESE DO TÓPICO (II) As epístolas de Timóteo e Tito tinham como propósitos orientar os líderes quanto à vida pessoal e no combate as heresias 26
  • 27. III. UMA MENSAGEM PARA A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA DA ATUALIDADE Estamos vivendo os tempos trabalhosos que Paulo falou em 1 Timóteo 4.1,2. Precisamos estar atentos, por isso, vamos estudar duas heresias da atualidade. Estas precisam ser confrontadas com a Palavra de Deus. 27
  • 28. O QUE É HERESIA? EXEMPLOS  1. interpretação, doutrina ou sistema teológico rejeitado como falso pela Igreja.  2. teoria, ideia, prática etc. que nega ou contraria a doutrina estabelecida.  EM SINTESE: CAMINHO PRÓPRIO, CONTRAMÃO DA VERDADE BIBLICA. 28
  • 29. 1. O “EVANGELHO” DA PROSPERIDADE Um dos mais eminentes defensores, desta falsa doutrina ensinou que “você é tanto uma encarnação de Deus quanto Jesus Cristo o foi. Você não tem um deus dentro de você. Você é um deus”. Se o crente é “deus” pode tudo; tudo o que disser tornar-se-á realidade (confissão positiva); e terá o mundo e as riquezas que desejar, sem pobreza nem enfermidades. À luz da Palavra de Deus, tal ensinamento equivale a orgulho, presunção e soberba. Sabemos que Deus abomina toda altivez (Pv 6.16-19) e que tal ensino é contrário as Escrituras Sagradas. Somos criaturas, temos falhas e sem Deus nada somos e nada podemos. O poder e a majestade são dEle. 29
  • 31. 2. APOSTASIA DOS ÚLTIMOS DIAS. Paulo adverte aos crentes quanto ao que está acontecendo nos dias atuais, onde muitos estão abandonando a fé em Cristo. Para Tito, ele faz advertência semelhante sobre falsos líderes, contradizentes e de torpe ganância (Tt 1.9-13). Precisamos estar atentos para que os ensinos heréticos e a apostasia não alcancem a Igreja do Senhor. O líder tem a responsabilidade de zelar pela sã doutrina. 31
  • 32. 32
  • 33. IV. MENSAGEM PARA A LIDERANÇA 1. Administração eclesiástica. Em 1 Timóteo 3.1-12 e em Tito 1.5-9, vemos um conjunto de qualificações que aqueles que desejam liderar uma igreja necessitam ter. Infelizmente, em muitas igrejas, nem sempre estas recomendações são observadas. Porém, a liderança exige esforço. É necessário que o pastor tenha uma vida santa e irrepreensível. É preciso esforço e disciplina. Algumas das qualificações necessárias ao líder: Irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos fiéis, não soberbo, não iracundo, não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, dado à hospitalidade, amigo do bem, moderado, justo, santo, temperante, retendo firme a Palavra, capaz de admoestar com a sã doutrina, etc. 33
  • 34. 34
  • 35. 2. ÉTICA MINISTERIAL. Na Segunda Epístola a Timóteo, Paulo diz que o ministro deve apresentar-se a Deus “aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar; que maneja bem a palavra da verdade” (2.15). A verdadeira liderança se estabelece pelo exemplo, pelo testemunho, muito mais do que pela eloquência, pela oratória ou pela retórica. 35
  • 36. 36
  • 37. 37 SERÁ QUE ISSO TEM A VER COM VIDA CRISTÃ?
  • 38. Não são os diplomas de um pastor que o qualificam como líder cristão, mas seu exemplo, sua ética, diante de Deus e da igreja local. Paulo tinha condições de ensinar liderança e ética, pois sua vida era exemplo para a igreja e para os de fora (Fp 3.17; 1Co 11.1). O líder cristão não é o que “manda”, mas o que serve. Não é o maior, e sim o menor (Mt 20.24-28). 38
  • 39. “A LIDERANÇA É ESSENCIAL À VIDA E MISSÃO DA IGREJA”. Sem ela, a igreja tropeça e cai num curso incerto em sua peregrinação rumo a um lugar melhor. Sem liderança EFICAZ, a igreja não é capaz de cumprir seus propósitos de ministrar eficazmente aos de dentro e alcançar os de fora, nem pode render a Deus a glória que Ele merece. O pastor é a pessoa chamada para prover a liderança final da igreja, não importando o sistema administrativo dela. O sucesso da igreja depende em grande parte de sua capacidade de liderança. 39
  • 40. 40 Liderança é bíblica, e necessária, se não houver é como um barco sem rumo, não vai a lugar algum. A ideia de alguém liderando outros está fundamentada nas Escrituras. Assumir papel de líder na igreja de Deus e esperar que outros sigam seu exemplo não é egoísmo, autoritarismo, condescendência nem pecado. Temos certeza disso porque as Escrituras deitam as bases e os princípios da liderança cristã” (MACARTHUR, John. Ministério Pastoral: Alcançando a excelência no ministério cristão. 7ª Edição. RJ: CPAD, 2012, pp.294-5). Liderança é bíblica, e necessária, se não houver é como um barco sem rumo, não vai a lugar algum. A ideia de alguém liderando outros está fundamentada nas Escrituras. Assumir papel de líder na igreja de Deus e esperar que outros sigam seu exemplo não é egoísmo, autoritarismo, condescendência nem pecado. Temos certeza disso porque as Escrituras deitam as bases e os princípios da liderança cristã” (MACARTHUR, John. Ministério Pastoral: Alcançando a excelência no ministério cristão. 7ª Edição. RJ: CPAD, 2012, pp.294-5). Sêneca (04 a.C.-65) foi um importante filósofo, escritor, mestre da arte da retórica, membro do Senado e magistrado da justiça criminal, durante o Império Romano.
  • 41. CONCLUSÃO As cartas pastorais contêm doutrinas e exortações quanto a assuntos práticos, mas também diretrizes gerais sobre liderança, designação de obreiros, suas qualificações, as responsabilidades espirituais e morais do ministério; do relacionamento com Deus, com os líderes e das relações interpessoais. São riquíssimas fontes de ensino para edificação das igrejas locais nos tempos presentes.(trabalhosos). 41
  • 42. PROF. ELSON J.P. LOUREIRO 42 IADC/ J. ITAMARATI