SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
“PREGAÇÃO: TRINTA MINUTOS CAPAZES
DE RESSUSICTAR MORTOS - RUSKIN
HOMILÉTICA
HOMILÉTICA:
E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho
a toda criatura. Marcos 16:15
 A palavra Homilética vem do grego HOMILÉO ou HOMILIA, que
significa persuasão, falar e etc.;
 Ciência ou a arte de elaborar e expor o sermão; "É a arte de
pregar sermões“; “A ciência da pregação”;
 As primeiras teorias acerca da Homilética surgiram entre 345 e
405 d.C. nos escritos de Crisóstomo, pregador da igreja
primitiva e também por Agostinho.
DEUS: Autor e inspirador da mensagem;
PREGADOR: Veículo usado para transmitir a palavra;
OUVINTE: É o alvo a ser alcançado.
ORAÇÃO
TEXTO
MEDITAÇÃO
INTERPRETAÇÃO
ESBOÇO
COMUNICAÇÃO
ATORES DA HOMILÉTICA
PASSOS DA HOMILÉTICA
QUALIDADES
DO PREGADOR:
 CARÁTER
 ENTUSIASMO
 DETERMINAÇÃO
 INSPIRAÇÃO
 SENSIBILIDADE
 OBSERVAÇÃO
 SÍNTESE
 CRIATIVIDADE
 MEMÓRIA
 APARÊNCIA
 VOCABULÁRIO
 HUMILDADE
“O coração alegre
embeleza o rosto”
Pv 15:13 a
SUPERANDO O MEDO
FALAR EM PÚBLICO 41%
MEDO DE ALTURA 32%
INSETOS 22%
PROB. FINANCEIROS 22%
ÁGUAS PROFUNDAS 22%
DOENÇA 19%
MORTE 19%
AVIÃO 18%
SOLIDÃO 14%
CACHORRO 11%
ESCURIDÃO 8%
ELEVADORES 5%
O medo lembra que você está
preparado para entrar em ação.
“O RISCO DO FRACASSO É O
PREÇO DO SUCESSO”
COMUNICAÇÃO VISUAL
DICÇÃO
“A oratória é a rainha de todas as artes, e o orador, o rei dos artistas” – Alves Mendes
EFICÊNCIA: busca alcançar um objetivo
RETÓRICA: Capacidade de organizar as ideias
ELOQÜÊNCIA: A arte de persuadir, fazer um
discurso bem-sucedido
ORATÓRIA
“Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo” – Salomão
 Interpretativo
 Éticos
 Devocionais
 Doutrinários
 Filosóficos ou apologéticos
 Sociais ( família, educação)
 Evangelísticos
CLASSIFICAÇÃO DE SERMÕES
CONTEÚDO GERAL TIPO DE ESTRUTURA
 Exposição - Texto, um livro
 Argumento – Dedutivo ou indutivo
 Enfoque Múltiplos: Vários ângulos
 Analogia – comparação, parábola
Método Psicológico
 Normativo - Leva à obediência
 Persuasivos – leva a convicção
 Cooperativos – busca soluções
 Interrogativo – Leva ao esclarecer
1. INTRODUÇÃO
2. DESENVOLVIMENTO
3. APLICAÇÃO
4. CONCLUSÃO
O SERMÃO DEVE CONTER
“O Deus todo-poderoso tinha apenas um Filho,
e este tornou-se pregador” – Anônimo
“A pregação bíblica é um milagre duplo.
O primeiro milagre é Deus usar um
homem imperfeito, pecador e cheio de
defeitos para transmitir a perfeita e
infalível Palavra de Deus” – Robson Marinho
TIPO DE SERMÕES
TEMÁTICO TEXTUAL EXPOSITIVO
SERMÃO TEMÁTICO
 É o tipo mais usado, é mais fácil prepara-lo.
 Selecione o tema e defina a ideia central e
busque os textos bíblicos,
 É muito usado para sermões doutrinários e
evangelísticos,
 Os textos tem que ser progressivos e
elucidativos, tem que haver um crescendo.
1. O Assunto ou Tema Determina o Sermão.
VANTAGENS DO METÓDO
1. VARIEDADE DO ASSUNTO
2. FACILIDADE DO PREPARO
3. FACILIDADE DE ALCANÇAR OS OBJETIVOS
4. FAVORECIMENTO DA UNIDADE
5. FAVORECIMENTO DO ESTILO LITERÁRIO
6. HARMÔNIA DAS PARTES
Sermão Temático
DESVANTAGENS DO METÓDO
1. RISCO DE SECULARISMO
2. RISCO DE INTELECTUALISMO
3. RISCO DE INDOLÊNCIA
Sermão Temático
Sermão Temático
2. Uma Ideia de um Sermão Doutrinário:
2.1. Os Sinais indicam, Jesus está voltando!
2.1.1. Os sinais na natureza,
2.1.2. Os sinais político-sociais,
2.1.3. Os sinais religiosos.
1. O Sermão é tirado de um texto bíblico
pequeno, geralmente um só verso, de onde
vêm a ideia central e as divisões principais.
Conduz-se o ouvinte para dentro da Bíblia.
Escolha o texto, defina a ideia central e
busque a sequência, de preferência na ordem
do texto bíblico.
SERMÃO TEXTUAL
VANTAGENS DO METÓDO
1. FIXA ATENÇÃO NUM TRECHO DA BÍBLIA
2. É FACIL DO PREPARAR
3. AJUDA O OUVINTE A ACOMPANHAR A IDEIA
4. LEVA O OUVINTE À BÍBLIA
Sermão Textual
DESVANTAGENS DO METÓDO
1. O METÓDO NÃO PODE SER APLICADO A TODOS OS TEXTOS
2. O TEXTO PODE CONTER MAIS IDEIAIS
3. RISCO DE ARTIFICIALISMO
4. RISCO DE DESINTERESSE
5. DIFÍCIL APLICAÇÃO PRÁTICA
Sermão Textual
2. Ordem Conforme o Texto.
2.1. Cristo é tudo para o crente (João 14:6)
2.1.1. Cristo é o caminho para o céu.
2.1.2. Cristo é a verdade que orienta.
2.1.3. Cristo é a vida que salva.
O Sermão Textual
1. Todas as ideias saem do texto e do
contexto.
 A ideia central, as divisões principais
e as subdivisões saem da passagem
maior da Bíblia e são interpretadas à
luz do contexto.
SERMÃO EXPOSITIVO
Kathryn Kuhlman
 Pode ser:
 Uma Parábola,
 Um Salmo,
 Um Capítulo (Curto),
 Um Episódio.
 Possuí maior volume de conteúdo
Bíblico.
SERMÃO EXPOSITIVO
O Sermão Expositivo
 O pregador leva o ouvinte a reviver as
circunstâncias e os sentimentos que
produziram aquele texto.
 Este modelo de sermão honra a Bíblia,
alimenta a igreja e desenvolve o
pregador.
 O propósito do pregador está em
harmonia, com o propósito do escritor
Bíblico.
O Sermão Expositivo
2. Para se elaborar este Sermão,
estuda-se:
2.1. O Histórico,
2.2. A Gramática,
2.3. E a Literatura.
 Respeitando-se sempre o
contexto.
O Sermão Expositivo
3. Características Básicas de um
Sermão Expositivo.
3.1. Texto único,
3.2. Fidelidade ao texto,
3.3. As partes ligada entre si , Coesão,
3.4. O ouvinte é conduzido do ponto de
partida ao ponto de chegada – O
Movimento.
4. Como Organizar O Sermão
Expositivo:
4.1. Estude bem, o texto e o contexto
Bíblico,
4.2. Enumere os pontos altos e ideias
mais fortes do texto,
4.3. Descubra o pensamento principal
que o levará à ideia central,
4.4. Escolha a sequência das divisões
de acordo com o clímax que
deseja chegar,
4.5. Respeite a ordem do texto Bíblico.
VANTAGENS DO METÓDO
1. GARANTE A MENSAGEM DE DEUS
2. HONRA A BÍBLIA
3. ALIMENTA A IGREJA
4. ALIMENTA E DESENVOLVE O PREGADOR
Sermão Expositivo
DESVANTAGENS DO METÓDO
1. É DIFÍCIL DE PREPARAR
2. EXIGE MAIS TEMPO DE PREPARAÇÃO
3. É MAIS DIFÍCIL APLICAR À ATUALIDADE
4. SE MAL PREPARADO, AFASTA O OUVINTE DA BÍBLIA
Sermão Expositivo
“ A preparação expositiva é a comunicação de um conceito
bíblico, derivado e transmitido por meio de um estudo histórico,
gramatical e literário de uma passagem no seu contexto, que o
Espírito Santo primeiro aplica à personalidade e experiência do
pregador, e depois, por meio dele, aos seus ouvintes” Haddon
W. Robinson
O Sermão Expositivo
5. Explorando o conteúdo
doutrinário do texto.
5.1. O Cristão e o Novo Nascimento (João 3:1-15)
5.1.1. A necessidade do novo nascimento (v.v.3-5)
5.1.2. O mistério do novo nascimento (v.v. 6-10)
5.1.3. A recompensa do novo nascimento (v. 15)
Ilustrações
a) São recursos usados para o enriquecimento, e o esclarecimento de uma
mensagem, ou conceito, quando devidamente aplicada. O significado de o
termo ilustrar é tornar claro, iluminar, esclarecer mediante um exemplo,
ajudando o ouvinte a compreender a mensagem proclamada.
O bom uso da ilustração desperta o interesse, enriquece, convence, comove,
desafia e estimula o ouvinte, valoriza e vivifica a mensagem.
b) Ilustrar é “lançar luz” sobre um assunto ou ideia, onde se busca criar uma
imagem na mente do ouvinte. As Ilustrações são como as janelas em uma
casa, lançam luz sobre as ideias.
Objetivos das ilustrações: • Ajudar a fixar as verdades apresentadas dentro do
sermão; • despertar o interesse para o assunto em questão. É um recurso
pedagógico eficiente, pois ajuda a atrair e conservar a atenção; Auxilia a
memória; Foi o método usado por Jesus para ensinar; Toca o coração das
pessoas.
Como usar: Deve ter relação com o assunto do sermão no sentido de
esclarecer e trazer o tópico em questão.
Importante: Primeiro cite o ponto, depois a ilustração para ajudar o ensino.
CONCEITO:
1 - Pregar sem ter um alvo ou objetivo a ser alcançado;
2 - Desistir de pregar porque não foi bem sucedido em ocasiões anteriores
3 - Viver sempre improvisando ou preparando sermões de ultima hora ou
não, nunca meditar.
4 - Falar de um assunto que não está bem familiarizado ou começar em
gêneses e de repente, já tá em apocalipse.
5 - Gritar exageradamente no microfone, lembrar que os irmãos tem 2
ouvidos. (Retificando que, o espírito santo age, conforme seja a sua
personalidade, temperamento, mas, ter um pouquinho de controle é sempre
bom como Ético.)
6 - Exagerar nas gesticulações, machucar a bíblia ou testar
a resistência do Púlpito
ERROS QUE DEVEM SER EVITADOS
7 - Pregar sempre os mesmos sermões,(versículos) nunca procurar algo
novo.
8 - Pregar um sermão que ouviu de outro pregador e até mesmo distorcê-lo.
9 - Pregar sem ler a bíblia. (Motivos: não sabe ler ou tá sem enxergar ou
acha-se uma máquina de recitação de versículos, a gloria é pra Deus, não
pra você).
10 - Pregar “muito” e orar pouco, exigir muito e não fazer nem um pouco.
11 - Brincar excessivamente durante a pregação. Onde fica a moral?
12 - Usar o púlpito para desabafar, detonar “alguém”, criticar.
13 - Nunca receber críticas e nunca admitir que pode-se e precisa melhorar.
14 - Não gostar de ler a bíblia.
15 - Pregar com fins lucrativos e ou visando a venda de apostila, CD e etc.
ERROS QUE DEVEM SER EVITADOS
16 - Citar, durante a pregação, testemunhos que não se conhece a
procedência ou incoerente com a realidade, vindo de outro “mundo”.
17 - Querer fazer de uma experiência pessoal, uma doutrina a todos.
18 - Só pregar sermões preparados por outra pessoa.
19 - Manipular o povo, conduzindo-os a um falso "mover do espirito"
20 - Não se Preocupar com o RELÓGIO e O TEMPO NÃO É SÓ SEU. O
povo precisa também dormir..
ERROS QUE DEVEM SER EVITADOS
ANTES DO SERMÃO
1. Tenha uma vida devocional: leitura bíblica e oração
(cuidado para não ser um “profissional” da pregação);
2. Estude o (s) texto (s) em várias versões, se possível
estude os “originais”;
3. Leia as referências e textos paralelos;
4. Descubra o contexto imediato (antes e depois) e o
contexto histórico;
5. Descubra as principais palavras e termos do texto.
IDENTIDADE EM DEUS
PREGAÇÃO
1. Base bíblica.
2. Interpretação bíblica correta.
3. Contemporaneidade.
4. Aplicação prática.
5. Espírito Santo
Se tratando de uma pregação, mais do que
uma boa homilia, deve ter:
BIBLIOGRAFIA
BRAGA, James – COMO PREPARAR MENSAGENS BÍBLICAS. 13ª ed. – São
Paulo: Vida Nova, 2000.
LUND, E; NELSON, C – HERMENÊUTICA: Regras de Interpretação Bíblica.
15 ed. - São Paulo: Editora Vida, 1999.
MARINHO, Robson Moura - A ARTE DE PREGAR: Como alcançar o ouvinte
pós-moderno. 2ª Ed. rev. E ampl. – São Paulo: Vida Nova, 2008.
ROBINSON, Haddon; LARSON, Graig B. – ARTE E OFÍCIO DA PREGAÇÃO
BÍBLICA. São Paulo: Shedd Publicações, 2009.
FATEBE: ILUSTRAÇÃO - http://faculdadebetania.com.br/caroline/claroline-1.11
.10-1/claroline/backends/download.php?url=L0F1bGFfNl8tX0lsdXN0cmFjb2VzL
nBkZg%3D%3D&cidReset=true&cidReq=PREG001MA
Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o
ensino, para a repreensão, para a correção e para a
instrução na justiça,
para que o homem de Deus seja apto e plenamente
preparado para toda boa obra.
2 Timóteo 3:16,17
OBRIGADO!
Pr. Paulo Ferreira

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Como preparar e apresentar seu sermão
Como preparar e apresentar seu sermãoComo preparar e apresentar seu sermão
Como preparar e apresentar seu sermão
Paulo Dias Nogueira
 
Aprenda a fazer um esboço de pregação
Aprenda a fazer um esboço de pregaçãoAprenda a fazer um esboço de pregação
Aprenda a fazer um esboço de pregação
Nelson Pereira
 

Mais procurados (20)

Bibliologia - Introdução - Aula 01
Bibliologia - Introdução - Aula 01Bibliologia - Introdução - Aula 01
Bibliologia - Introdução - Aula 01
 
Como preparar e apresentar seu sermão
Como preparar e apresentar seu sermãoComo preparar e apresentar seu sermão
Como preparar e apresentar seu sermão
 
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
 
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
 
Aperfeiçoamento de liderança cristã
Aperfeiçoamento de liderança cristãAperfeiçoamento de liderança cristã
Aperfeiçoamento de liderança cristã
 
Batismo com o Espírito Santo
Batismo com o Espírito SantoBatismo com o Espírito Santo
Batismo com o Espírito Santo
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
 
O Evangelismo e a igreja.ppt
O Evangelismo e a igreja.pptO Evangelismo e a igreja.ppt
O Evangelismo e a igreja.ppt
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
 
A excelência do professor da escola dominical
A excelência do professor da escola dominicalA excelência do professor da escola dominical
A excelência do professor da escola dominical
 
Aprenda a fazer um esboço de pregação
Aprenda a fazer um esboço de pregaçãoAprenda a fazer um esboço de pregação
Aprenda a fazer um esboço de pregação
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
 
O discipulado na prática
O discipulado na práticaO discipulado na prática
O discipulado na prática
 
Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Apocalipse
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf
9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf
9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf
 
Bibliologia - Inspiração - Cânon das Escrituras Sagradas
Bibliologia - Inspiração - Cânon das Escrituras SagradasBibliologia - Inspiração - Cânon das Escrituras Sagradas
Bibliologia - Inspiração - Cânon das Escrituras Sagradas
 
Liderança cristã 01 gil juvep
Liderança cristã 01 gil juvepLiderança cristã 01 gil juvep
Liderança cristã 01 gil juvep
 
Educação cristã
Educação cristãEducação cristã
Educação cristã
 

Semelhante a Homilética arte de pregar

30 homilética arte de preparar e pregar sermões
30 homilética   arte de preparar e pregar sermões30 homilética   arte de preparar e pregar sermões
30 homilética arte de preparar e pregar sermões
ssuser615052
 
Cursobasicoepraticodehomiletica 130211091526-phpapp01 (1)
Cursobasicoepraticodehomiletica 130211091526-phpapp01 (1)Cursobasicoepraticodehomiletica 130211091526-phpapp01 (1)
Cursobasicoepraticodehomiletica 130211091526-phpapp01 (1)
Marcos Gomes
 
Como pregar-a-palavra-sermao-seminario
Como pregar-a-palavra-sermao-seminarioComo pregar-a-palavra-sermao-seminario
Como pregar-a-palavra-sermao-seminario
Jose Vertiz
 

Semelhante a Homilética arte de pregar (20)

Homilética
HomiléticaHomilética
Homilética
 
HOMILÉTICA -a arte de preparar e pregar sermões.docx
HOMILÉTICA -a arte de preparar e pregar sermões.docxHOMILÉTICA -a arte de preparar e pregar sermões.docx
HOMILÉTICA -a arte de preparar e pregar sermões.docx
 
Evangélico curso de teologia - homilética
Evangélico   curso de teologia - homiléticaEvangélico   curso de teologia - homilética
Evangélico curso de teologia - homilética
 
Curso de teologia - homilética
Curso de teologia - homiléticaCurso de teologia - homilética
Curso de teologia - homilética
 
HOMILÉTICA
HOMILÉTICA HOMILÉTICA
HOMILÉTICA
 
Aula 2 homilética
Aula 2 homiléticaAula 2 homilética
Aula 2 homilética
 
30 homilética arte de preparar e pregar sermões
30 homilética   arte de preparar e pregar sermões30 homilética   arte de preparar e pregar sermões
30 homilética arte de preparar e pregar sermões
 
HOMILÉTICA 2 (Parte 2 - Tipos de sermões).pptx
HOMILÉTICA 2 (Parte 2 - Tipos de sermões).pptxHOMILÉTICA 2 (Parte 2 - Tipos de sermões).pptx
HOMILÉTICA 2 (Parte 2 - Tipos de sermões).pptx
 
Roteirização noçoes e g o
Roteirização noçoes e g oRoteirização noçoes e g o
Roteirização noçoes e g o
 
Curso basico e pratico de homiletica
Curso basico e pratico de homileticaCurso basico e pratico de homiletica
Curso basico e pratico de homiletica
 
Curso de pregação e estudo bíblico
Curso de pregação e estudo bíblicoCurso de pregação e estudo bíblico
Curso de pregação e estudo bíblico
 
Tipos de sermões
Tipos de sermõesTipos de sermões
Tipos de sermões
 
Conhecimentos de homilética
Conhecimentos de homiléticaConhecimentos de homilética
Conhecimentos de homilética
 
HOMILETICA._CFE.pdf
HOMILETICA._CFE.pdfHOMILETICA._CFE.pdf
HOMILETICA._CFE.pdf
 
Homilética etecam
Homilética etecamHomilética etecam
Homilética etecam
 
Cursobasicoepraticodehomiletica 130211091526-phpapp01 (1)
Cursobasicoepraticodehomiletica 130211091526-phpapp01 (1)Cursobasicoepraticodehomiletica 130211091526-phpapp01 (1)
Cursobasicoepraticodehomiletica 130211091526-phpapp01 (1)
 
Curso basico e pratico de homiletica ronaldo gomes da silva
Curso basico e pratico de homiletica   ronaldo gomes da silvaCurso basico e pratico de homiletica   ronaldo gomes da silva
Curso basico e pratico de homiletica ronaldo gomes da silva
 
O sermão
O sermãoO sermão
O sermão
 
Como pregar-a-palavra-sermao-seminario
Como pregar-a-palavra-sermao-seminarioComo pregar-a-palavra-sermao-seminario
Como pregar-a-palavra-sermao-seminario
 
HERMENÊUTICA E HOMILÉTICA (AULA 04 - BÁSICO - IBADEP)
HERMENÊUTICA E HOMILÉTICA (AULA 04 - BÁSICO - IBADEP)HERMENÊUTICA E HOMILÉTICA (AULA 04 - BÁSICO - IBADEP)
HERMENÊUTICA E HOMILÉTICA (AULA 04 - BÁSICO - IBADEP)
 

Mais de Paulo Ferreira (8)

Sexo agora
Sexo agoraSexo agora
Sexo agora
 
Panorama do pentateuco
Panorama do pentateucoPanorama do pentateuco
Panorama do pentateuco
 
Profetas maiores e menores
Profetas maiores e menoresProfetas maiores e menores
Profetas maiores e menores
 
Identidade Fragmentada - racismo - sistema de cotas
Identidade Fragmentada - racismo - sistema de cotasIdentidade Fragmentada - racismo - sistema de cotas
Identidade Fragmentada - racismo - sistema de cotas
 
Liderança cristã - Conversa com a Igreja
Liderança cristã - Conversa com a IgrejaLiderança cristã - Conversa com a Igreja
Liderança cristã - Conversa com a Igreja
 
Adorar
AdorarAdorar
Adorar
 
Políticas Educacionais Globais - PISA
Políticas Educacionais Globais - PISAPolíticas Educacionais Globais - PISA
Políticas Educacionais Globais - PISA
 
Políticas Educacionais Globais - PISA
Políticas Educacionais Globais - PISAPolíticas Educacionais Globais - PISA
Políticas Educacionais Globais - PISA
 

Último

Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

Homilética arte de pregar

  • 1. “PREGAÇÃO: TRINTA MINUTOS CAPAZES DE RESSUSICTAR MORTOS - RUSKIN HOMILÉTICA
  • 2. HOMILÉTICA: E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Marcos 16:15  A palavra Homilética vem do grego HOMILÉO ou HOMILIA, que significa persuasão, falar e etc.;  Ciência ou a arte de elaborar e expor o sermão; "É a arte de pregar sermões“; “A ciência da pregação”;  As primeiras teorias acerca da Homilética surgiram entre 345 e 405 d.C. nos escritos de Crisóstomo, pregador da igreja primitiva e também por Agostinho.
  • 3. DEUS: Autor e inspirador da mensagem; PREGADOR: Veículo usado para transmitir a palavra; OUVINTE: É o alvo a ser alcançado. ORAÇÃO TEXTO MEDITAÇÃO INTERPRETAÇÃO ESBOÇO COMUNICAÇÃO ATORES DA HOMILÉTICA PASSOS DA HOMILÉTICA
  • 4. QUALIDADES DO PREGADOR:  CARÁTER  ENTUSIASMO  DETERMINAÇÃO  INSPIRAÇÃO  SENSIBILIDADE  OBSERVAÇÃO  SÍNTESE  CRIATIVIDADE  MEMÓRIA  APARÊNCIA  VOCABULÁRIO  HUMILDADE “O coração alegre embeleza o rosto” Pv 15:13 a
  • 5. SUPERANDO O MEDO FALAR EM PÚBLICO 41% MEDO DE ALTURA 32% INSETOS 22% PROB. FINANCEIROS 22% ÁGUAS PROFUNDAS 22% DOENÇA 19% MORTE 19% AVIÃO 18% SOLIDÃO 14% CACHORRO 11% ESCURIDÃO 8% ELEVADORES 5% O medo lembra que você está preparado para entrar em ação. “O RISCO DO FRACASSO É O PREÇO DO SUCESSO”
  • 7. “A oratória é a rainha de todas as artes, e o orador, o rei dos artistas” – Alves Mendes EFICÊNCIA: busca alcançar um objetivo RETÓRICA: Capacidade de organizar as ideias ELOQÜÊNCIA: A arte de persuadir, fazer um discurso bem-sucedido ORATÓRIA
  • 8. “Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo” – Salomão  Interpretativo  Éticos  Devocionais  Doutrinários  Filosóficos ou apologéticos  Sociais ( família, educação)  Evangelísticos CLASSIFICAÇÃO DE SERMÕES CONTEÚDO GERAL TIPO DE ESTRUTURA  Exposição - Texto, um livro  Argumento – Dedutivo ou indutivo  Enfoque Múltiplos: Vários ângulos  Analogia – comparação, parábola Método Psicológico  Normativo - Leva à obediência  Persuasivos – leva a convicção  Cooperativos – busca soluções  Interrogativo – Leva ao esclarecer
  • 9. 1. INTRODUÇÃO 2. DESENVOLVIMENTO 3. APLICAÇÃO 4. CONCLUSÃO O SERMÃO DEVE CONTER
  • 10. “O Deus todo-poderoso tinha apenas um Filho, e este tornou-se pregador” – Anônimo
  • 11. “A pregação bíblica é um milagre duplo. O primeiro milagre é Deus usar um homem imperfeito, pecador e cheio de defeitos para transmitir a perfeita e infalível Palavra de Deus” – Robson Marinho TIPO DE SERMÕES TEMÁTICO TEXTUAL EXPOSITIVO
  • 12. SERMÃO TEMÁTICO  É o tipo mais usado, é mais fácil prepara-lo.  Selecione o tema e defina a ideia central e busque os textos bíblicos,  É muito usado para sermões doutrinários e evangelísticos,  Os textos tem que ser progressivos e elucidativos, tem que haver um crescendo. 1. O Assunto ou Tema Determina o Sermão.
  • 13. VANTAGENS DO METÓDO 1. VARIEDADE DO ASSUNTO 2. FACILIDADE DO PREPARO 3. FACILIDADE DE ALCANÇAR OS OBJETIVOS 4. FAVORECIMENTO DA UNIDADE 5. FAVORECIMENTO DO ESTILO LITERÁRIO 6. HARMÔNIA DAS PARTES Sermão Temático
  • 14. DESVANTAGENS DO METÓDO 1. RISCO DE SECULARISMO 2. RISCO DE INTELECTUALISMO 3. RISCO DE INDOLÊNCIA Sermão Temático
  • 15. Sermão Temático 2. Uma Ideia de um Sermão Doutrinário: 2.1. Os Sinais indicam, Jesus está voltando! 2.1.1. Os sinais na natureza, 2.1.2. Os sinais político-sociais, 2.1.3. Os sinais religiosos.
  • 16. 1. O Sermão é tirado de um texto bíblico pequeno, geralmente um só verso, de onde vêm a ideia central e as divisões principais. Conduz-se o ouvinte para dentro da Bíblia. Escolha o texto, defina a ideia central e busque a sequência, de preferência na ordem do texto bíblico. SERMÃO TEXTUAL
  • 17. VANTAGENS DO METÓDO 1. FIXA ATENÇÃO NUM TRECHO DA BÍBLIA 2. É FACIL DO PREPARAR 3. AJUDA O OUVINTE A ACOMPANHAR A IDEIA 4. LEVA O OUVINTE À BÍBLIA Sermão Textual
  • 18. DESVANTAGENS DO METÓDO 1. O METÓDO NÃO PODE SER APLICADO A TODOS OS TEXTOS 2. O TEXTO PODE CONTER MAIS IDEIAIS 3. RISCO DE ARTIFICIALISMO 4. RISCO DE DESINTERESSE 5. DIFÍCIL APLICAÇÃO PRÁTICA Sermão Textual
  • 19. 2. Ordem Conforme o Texto. 2.1. Cristo é tudo para o crente (João 14:6) 2.1.1. Cristo é o caminho para o céu. 2.1.2. Cristo é a verdade que orienta. 2.1.3. Cristo é a vida que salva. O Sermão Textual
  • 20. 1. Todas as ideias saem do texto e do contexto.  A ideia central, as divisões principais e as subdivisões saem da passagem maior da Bíblia e são interpretadas à luz do contexto. SERMÃO EXPOSITIVO Kathryn Kuhlman
  • 21.  Pode ser:  Uma Parábola,  Um Salmo,  Um Capítulo (Curto),  Um Episódio.  Possuí maior volume de conteúdo Bíblico. SERMÃO EXPOSITIVO
  • 22. O Sermão Expositivo  O pregador leva o ouvinte a reviver as circunstâncias e os sentimentos que produziram aquele texto.  Este modelo de sermão honra a Bíblia, alimenta a igreja e desenvolve o pregador.  O propósito do pregador está em harmonia, com o propósito do escritor Bíblico.
  • 23. O Sermão Expositivo 2. Para se elaborar este Sermão, estuda-se: 2.1. O Histórico, 2.2. A Gramática, 2.3. E a Literatura.  Respeitando-se sempre o contexto.
  • 24. O Sermão Expositivo 3. Características Básicas de um Sermão Expositivo. 3.1. Texto único, 3.2. Fidelidade ao texto, 3.3. As partes ligada entre si , Coesão, 3.4. O ouvinte é conduzido do ponto de partida ao ponto de chegada – O Movimento.
  • 25. 4. Como Organizar O Sermão Expositivo: 4.1. Estude bem, o texto e o contexto Bíblico, 4.2. Enumere os pontos altos e ideias mais fortes do texto, 4.3. Descubra o pensamento principal que o levará à ideia central, 4.4. Escolha a sequência das divisões de acordo com o clímax que deseja chegar, 4.5. Respeite a ordem do texto Bíblico.
  • 26. VANTAGENS DO METÓDO 1. GARANTE A MENSAGEM DE DEUS 2. HONRA A BÍBLIA 3. ALIMENTA A IGREJA 4. ALIMENTA E DESENVOLVE O PREGADOR Sermão Expositivo
  • 27. DESVANTAGENS DO METÓDO 1. É DIFÍCIL DE PREPARAR 2. EXIGE MAIS TEMPO DE PREPARAÇÃO 3. É MAIS DIFÍCIL APLICAR À ATUALIDADE 4. SE MAL PREPARADO, AFASTA O OUVINTE DA BÍBLIA Sermão Expositivo “ A preparação expositiva é a comunicação de um conceito bíblico, derivado e transmitido por meio de um estudo histórico, gramatical e literário de uma passagem no seu contexto, que o Espírito Santo primeiro aplica à personalidade e experiência do pregador, e depois, por meio dele, aos seus ouvintes” Haddon W. Robinson
  • 28. O Sermão Expositivo 5. Explorando o conteúdo doutrinário do texto. 5.1. O Cristão e o Novo Nascimento (João 3:1-15) 5.1.1. A necessidade do novo nascimento (v.v.3-5) 5.1.2. O mistério do novo nascimento (v.v. 6-10) 5.1.3. A recompensa do novo nascimento (v. 15)
  • 29. Ilustrações a) São recursos usados para o enriquecimento, e o esclarecimento de uma mensagem, ou conceito, quando devidamente aplicada. O significado de o termo ilustrar é tornar claro, iluminar, esclarecer mediante um exemplo, ajudando o ouvinte a compreender a mensagem proclamada. O bom uso da ilustração desperta o interesse, enriquece, convence, comove, desafia e estimula o ouvinte, valoriza e vivifica a mensagem. b) Ilustrar é “lançar luz” sobre um assunto ou ideia, onde se busca criar uma imagem na mente do ouvinte. As Ilustrações são como as janelas em uma casa, lançam luz sobre as ideias. Objetivos das ilustrações: • Ajudar a fixar as verdades apresentadas dentro do sermão; • despertar o interesse para o assunto em questão. É um recurso pedagógico eficiente, pois ajuda a atrair e conservar a atenção; Auxilia a memória; Foi o método usado por Jesus para ensinar; Toca o coração das pessoas. Como usar: Deve ter relação com o assunto do sermão no sentido de esclarecer e trazer o tópico em questão. Importante: Primeiro cite o ponto, depois a ilustração para ajudar o ensino. CONCEITO:
  • 30. 1 - Pregar sem ter um alvo ou objetivo a ser alcançado; 2 - Desistir de pregar porque não foi bem sucedido em ocasiões anteriores 3 - Viver sempre improvisando ou preparando sermões de ultima hora ou não, nunca meditar. 4 - Falar de um assunto que não está bem familiarizado ou começar em gêneses e de repente, já tá em apocalipse. 5 - Gritar exageradamente no microfone, lembrar que os irmãos tem 2 ouvidos. (Retificando que, o espírito santo age, conforme seja a sua personalidade, temperamento, mas, ter um pouquinho de controle é sempre bom como Ético.) 6 - Exagerar nas gesticulações, machucar a bíblia ou testar a resistência do Púlpito ERROS QUE DEVEM SER EVITADOS
  • 31. 7 - Pregar sempre os mesmos sermões,(versículos) nunca procurar algo novo. 8 - Pregar um sermão que ouviu de outro pregador e até mesmo distorcê-lo. 9 - Pregar sem ler a bíblia. (Motivos: não sabe ler ou tá sem enxergar ou acha-se uma máquina de recitação de versículos, a gloria é pra Deus, não pra você). 10 - Pregar “muito” e orar pouco, exigir muito e não fazer nem um pouco. 11 - Brincar excessivamente durante a pregação. Onde fica a moral? 12 - Usar o púlpito para desabafar, detonar “alguém”, criticar. 13 - Nunca receber críticas e nunca admitir que pode-se e precisa melhorar. 14 - Não gostar de ler a bíblia. 15 - Pregar com fins lucrativos e ou visando a venda de apostila, CD e etc. ERROS QUE DEVEM SER EVITADOS
  • 32. 16 - Citar, durante a pregação, testemunhos que não se conhece a procedência ou incoerente com a realidade, vindo de outro “mundo”. 17 - Querer fazer de uma experiência pessoal, uma doutrina a todos. 18 - Só pregar sermões preparados por outra pessoa. 19 - Manipular o povo, conduzindo-os a um falso "mover do espirito" 20 - Não se Preocupar com o RELÓGIO e O TEMPO NÃO É SÓ SEU. O povo precisa também dormir.. ERROS QUE DEVEM SER EVITADOS
  • 33. ANTES DO SERMÃO 1. Tenha uma vida devocional: leitura bíblica e oração (cuidado para não ser um “profissional” da pregação); 2. Estude o (s) texto (s) em várias versões, se possível estude os “originais”; 3. Leia as referências e textos paralelos; 4. Descubra o contexto imediato (antes e depois) e o contexto histórico; 5. Descubra as principais palavras e termos do texto.
  • 35. PREGAÇÃO 1. Base bíblica. 2. Interpretação bíblica correta. 3. Contemporaneidade. 4. Aplicação prática. 5. Espírito Santo Se tratando de uma pregação, mais do que uma boa homilia, deve ter:
  • 36. BIBLIOGRAFIA BRAGA, James – COMO PREPARAR MENSAGENS BÍBLICAS. 13ª ed. – São Paulo: Vida Nova, 2000. LUND, E; NELSON, C – HERMENÊUTICA: Regras de Interpretação Bíblica. 15 ed. - São Paulo: Editora Vida, 1999. MARINHO, Robson Moura - A ARTE DE PREGAR: Como alcançar o ouvinte pós-moderno. 2ª Ed. rev. E ampl. – São Paulo: Vida Nova, 2008. ROBINSON, Haddon; LARSON, Graig B. – ARTE E OFÍCIO DA PREGAÇÃO BÍBLICA. São Paulo: Shedd Publicações, 2009. FATEBE: ILUSTRAÇÃO - http://faculdadebetania.com.br/caroline/claroline-1.11 .10-1/claroline/backends/download.php?url=L0F1bGFfNl8tX0lsdXN0cmFjb2VzL nBkZg%3D%3D&cidReset=true&cidReq=PREG001MA
  • 37. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra. 2 Timóteo 3:16,17 OBRIGADO! Pr. Paulo Ferreira