SlideShare uma empresa Scribd logo
Ilha dos Amores: a
preparação
Professora Vanda Barreto
• Estrutura Externa:
Canto IX, est. 18-29
• Estrutura Interna:
Narração
• Narrador:
Poeta
• Plano Narrativo:
Plano Mitológico
Contextualização na obra:
Após a terrível tempestade, a frota de VG chega finalmente a Calecut
(Canto VII), onde é muito bem acolhida. Paulo da Gama explica ao
governador da cidade (catual) o significado das figuras desenhadas nas
bandeiras portuguesas, contando-lhe alguns episódios da HP (Canto VIII).
Porém, subornado pelos muçulmanos – cujo chefe tinha sido
influenciado por Baco, em sonhos – o Catual aprisiona VG, só o deixando
voltar a embarcar em troca das mercadorias que os Portugueses traziam a
bordo.
Depois de diversas negociações (Canto IX), a frota parte de regresso a
casa.
Vénus decide então preparar uma surpresa aos Portugueses,
procurando premiá-los e dar-lhes um merecido repouso, depois de terem
ultrapassado tantas dificuldades e provações
Localiza no episódio:
1ª parte: Decisão de Vénus
2ª parte: O Prémio
3ª parte: A ajuda de Cupido
4ª parte: A missão de Cupido
Estâncias
18-20
21-22
23-24
25-29
Completa o quadro:
Est
.
vv Recurso Expressividade
18
“Dar-lhe nos mares tristes,
alegria”
Pôr em relevo o contraste
entre a dureza da vida no mar
e o prémio que Vénus
pretende oferecer.
19 8
Perífrase
20 7,8
Antítese
24
“as aves que na vida/Vão da
morte as exéquias
celebrando”/=cisnes
Acentuar o ambiente sereno e
apaixonado que Vénus queria
que se vivesse na ilha.
Lê as estâncias 18 a 20 e ordena as alíneas abaixo:
a) Para além de premiar a coragem dos navegadores portugueses,
Vénus pretende recompensá-los pelo desgaste e pelos anos de vida
perdidos.
b) Para isso, Vénus pede ajuda a Cupido.
c) Antes das instruções de Júpiter, Vénus já tencionava proporcionar
algum descanso e diversão aos lusos, para os compensar de todas
as dificuldades.
d) Instruída por Júpiter, Vénus pretende recompensar os Portugueses,
levando-os a alcançar a merecida glória.
e) Vénus recorda que, no seu percurso, os nautas tinham sido vítimas
de Baco.
Correção:
 Instruída por Júpiter, Vénus pretende recompensar os Portugueses,
levando-os a alcançar a merecida glória.
 Vénus recorda que, no seu percurso, os nautas tinham sido vítimas
de Baco.
 Antes das instruções de Júpiter, Vénus já tencionava proporcionar
algum descanso e diversão aos lusos, para os compensar de todas as
dificuldades.
 Para isso, Vénus pede ajuda a Cupido.
 Para além de premiar a coragem dos navegadores portugueses,
Vénus pretende recompensá-los pelo desgaste e pelos anos de vida
perdidos.
• O que decide Vénus fazer para recompensar os
Portugueses?
• Que função desempenhariam as “aquáticas
donzelas”?
• Como asseguraria Vénus o cumprimento dessa
função?
• Que versos comprovam que as ninfas reuniam as
características necessárias?
Vénus decide preparar uma ilha, onde os Portugueses pudessem
parar e ter a recompensa por tão audaciosa aventura.
As “aquáticas donzelas” iriam receber os nautas portugueses,
recompensando-os com a sua beleza, as suas danças e o seu amor.
Vénus, com a ajuda de Cupido, faria com que elas se afeiçoassem
aos Portugueses.
“(Todas as que têm títulos de belas/Glória dos olhos, dor dos
corações)/Com danças e coreias” (es. 22, vv 3-5)
• Na est. 23, faz-se referência a uma “empresa antiga”.
Que empresa foi esta?
• Retira da est. 24 um exemplo da preocupação de
Vénus em preparar um ambiente sereno para os
Portugueses.
• Será que este plano estava já a ser cumprido?
Justifica.
A ajuda que Cupido deu a Vénus, fazendo com que
Eneias fosse bem recebido por Dido.
Vénus leva consigo “as aves que na vida/Vão da
morte as exéquias celebrando”
Sim, porque quando Vénus parte da ilha, “No ar
lascivos beijos se vão dando./Ela, por onde passa, o
ar e o vento/Sereno faz, com brando movimento.”
• Entretanto, Cupido pretendia “Fazer hũa famosa
expedição/Contra o mundo revelde” porque queria
mostrar que ...
a) é um erro não amar o que merece ser verdadeiramente
amado.
b) é possível amar aquilo que, aparentemente, não é digno
de amor.
c) as pessoas não conseguem decidir quem ou o que devem
amar.
d) é impossível lutar contra o “mundo revelde”.

• Embora conheça o verdadeiro Amor, a deusa sabe
que o mundo despreza esse sentimento. Relê as
estâncias 26 a 29 e localiza as sínteses seguintes:
a) Vénus percebe que aqueles que se deveriam dedicar ao
próximo, fingem ser justos e íntegros, mas apenas amam o
poder e a riqueza.
b) Vénus quer dar a conhecer o Amor a Actéon, que o
repudia e dele foge.
c) Vénus conclui que ninguém ama aquilo que deveria amar.
d) Vénus percebe que os homens com mais influencia/poder
se amam apenas a si mesmos, sendo presunçosos e
aduladores.
Est. 28
Est. 26
Est. 29
Est. 27
Esparsa
sua ao desconcerto do mundo
Os bons vi sempre passar
no mundo graves tormentos;
e, pera mais me espantar,
os maus vi sempre nadar
em mar de contentamentos.
Cuidando alcançar assim
o bem tão mal ordenado,
fui mau, mas fui castigado.
Assi que, só pera mim
anda o mundo concertado.
Camões
Camões afirma:
“os maus vi sempre nadar/em mar de contentamentos” (vv. 4-5)
Consideras que os desonestos saem sempre vitoriosos das
situações em que se envolvem?
Escreve um texto de opinião, que pudesse ser publicado num
jornal escolar, no qual apresentes as desvantagens de ser
desonesto, tentando convencer os leitores de que é importante
adotar condutas sociais de respeito pelas leis e pelos cidadãos.
O teu texto deve ter um mínimo de 180 e um máximo de 240
palavras.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os LusíadasOs Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
Maria Gomes
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Dina Baptista
 
Adamastor
AdamastorAdamastor
Adamastor
sin3stesia
 
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologia
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologiaIlha dos Amores- Os Lusíadas: simbologia
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologia
sin3stesia
 
Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1
Célia Gonçalves
 
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e AdamastorAnálise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Marisa Ferreira
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
Helena Coutinho
 
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do PoetaCanto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
Catarina Sousa
 
Tempestade e Chegada à Índia
Tempestade e Chegada à ÍndiaTempestade e Chegada à Índia
Tempestade e Chegada à Índia
sin3stesia
 
Invocação e Dedicarória
Invocação e DedicaróriaInvocação e Dedicarória
Invocação e Dedicarória
Paula Oliveira Cruz
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Dina Baptista
 
10ºano camões parte C
10ºano camões parte C10ºano camões parte C
10ºano camões parte C
Lurdes Augusto
 
Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97
Maria Teresa Soveral
 
Despedidas em belém
Despedidas em belémDespedidas em belém
Despedidas em belém
Lurdes
 
Síntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deusesSíntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deuses
Eva Antunes
 
As cantigas de amigo
As cantigas de amigoAs cantigas de amigo
As cantigas de amigo
Helena Coutinho
 
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Gijasilvelitz 2
 
A tempestade
A tempestadeA tempestade
A tempestade
Vanda Marques
 
Os Planos d'Os Lusíadas
Os Planos d'Os LusíadasOs Planos d'Os Lusíadas
Os Planos d'Os Lusíadas
Rosalina Simão Nunes
 
Ondados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzenteOndados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzente
Helena Coutinho
 

Mais procurados (20)

Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os LusíadasOs Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
 
Adamastor
AdamastorAdamastor
Adamastor
 
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologia
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologiaIlha dos Amores- Os Lusíadas: simbologia
Ilha dos Amores- Os Lusíadas: simbologia
 
Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1
 
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e AdamastorAnálise comparativa - Mostrengo e Adamastor
Análise comparativa - Mostrengo e Adamastor
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
 
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do PoetaCanto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
 
Tempestade e Chegada à Índia
Tempestade e Chegada à ÍndiaTempestade e Chegada à Índia
Tempestade e Chegada à Índia
 
Invocação e Dedicarória
Invocação e DedicaróriaInvocação e Dedicarória
Invocação e Dedicarória
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
 
10ºano camões parte C
10ºano camões parte C10ºano camões parte C
10ºano camões parte C
 
Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97Canto vii est 78_97
Canto vii est 78_97
 
Despedidas em belém
Despedidas em belémDespedidas em belém
Despedidas em belém
 
Síntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deusesSíntese do consílio dos deuses
Síntese do consílio dos deuses
 
As cantigas de amigo
As cantigas de amigoAs cantigas de amigo
As cantigas de amigo
 
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
 
A tempestade
A tempestadeA tempestade
A tempestade
 
Os Planos d'Os Lusíadas
Os Planos d'Os LusíadasOs Planos d'Os Lusíadas
Os Planos d'Os Lusíadas
 
Ondados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzenteOndados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzente
 

Destaque

Exercícios sobre classes de palavras: substantivo, adjetivo e advérbio
Exercícios sobre classes de palavras: substantivo, adjetivo e advérbioExercícios sobre classes de palavras: substantivo, adjetivo e advérbio
Exercícios sobre classes de palavras: substantivo, adjetivo e advérbio
ma.no.el.ne.ves
 
Invocação
InvocaçãoInvocação
Invocação
Lurdes
 
Funçoes sintacticas vocativo
Funçoes sintacticas vocativoFunçoes sintacticas vocativo
Funçoes sintacticas vocativo
Elsa Maximiano
 
A fragilidade da vida humana
A fragilidade da vida humanaA fragilidade da vida humana
A fragilidade da vida humana
Jorge Lopes
 
Dedicatória
DedicatóriaDedicatória
Dedicatória
Maria Teresa Soveral
 
Novos Programas de Português IX
Novos Programas de Português IXNovos Programas de Português IX
Novos Programas de Português IX
Luís Ferreira
 
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
nanasimao
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
becastanheiradepera
 
Exercícios sobre classes de palavras
Exercícios sobre classes de palavrasExercícios sobre classes de palavras
Exercícios sobre classes de palavras
Maria Gnv
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
Ana Arminda Moreira
 
Síntese literatura tradicional
Síntese literatura tradicionalSíntese literatura tradicional
Síntese literatura tradicional
Fernanda Monteiro
 
Recursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercíciosRecursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercícios
Fernanda Monteiro
 

Destaque (12)

Exercícios sobre classes de palavras: substantivo, adjetivo e advérbio
Exercícios sobre classes de palavras: substantivo, adjetivo e advérbioExercícios sobre classes de palavras: substantivo, adjetivo e advérbio
Exercícios sobre classes de palavras: substantivo, adjetivo e advérbio
 
Invocação
InvocaçãoInvocação
Invocação
 
Funçoes sintacticas vocativo
Funçoes sintacticas vocativoFunçoes sintacticas vocativo
Funçoes sintacticas vocativo
 
A fragilidade da vida humana
A fragilidade da vida humanaA fragilidade da vida humana
A fragilidade da vida humana
 
Dedicatória
DedicatóriaDedicatória
Dedicatória
 
Novos Programas de Português IX
Novos Programas de Português IXNovos Programas de Português IX
Novos Programas de Português IX
 
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Exercícios sobre classes de palavras
Exercícios sobre classes de palavrasExercícios sobre classes de palavras
Exercícios sobre classes de palavras
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Síntese literatura tradicional
Síntese literatura tradicionalSíntese literatura tradicional
Síntese literatura tradicional
 
Recursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercíciosRecursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercícios
 

Semelhante a Ilha dos Amores

Dial9cdr teste lusiadas_3
Dial9cdr teste lusiadas_3Dial9cdr teste lusiadas_3
Dial9cdr teste lusiadas_3
airpereira
 
lusiadas_lexicoenarradores.docx
lusiadas_lexicoenarradores.docxlusiadas_lexicoenarradores.docx
lusiadas_lexicoenarradores.docx
FamIndisciplinadAA
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 130-131
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 130-131Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 130-131
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 130-131
luisprista
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 140-141
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 140-141Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 140-141
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 140-141
luisprista
 
Camões / Os Lusíadas
Camões / Os LusíadasCamões / Os Lusíadas
Camões / Os Lusíadas
Andriane Cursino
 
Os lusiadas
Os lusiadasOs lusiadas
Os lusiadas
Ronald Simoes
 
Camões os lusíadas
Camões os lusíadasCamões os lusíadas
Camões os lusíadas
Pedro Lopes
 
Camões os lusíadas
Camões os lusíadasCamões os lusíadas
Camões os lusíadas
Pedro Lopes
 
Os lusíadas resumo
Os lusíadas resumoOs lusíadas resumo
Os lusíadas resumo
Mirceya Lima
 
9 ano 2005.pdf
9 ano 2005.pdf9 ano 2005.pdf
9 ano 2005.pdf
Cláudia Correia
 
Provas finais
Provas finaisProvas finais
Provas finais
António Fernandes
 
Camões 2.0
Camões 2.0Camões 2.0
Camões 2.0
José Ricardo Lima
 
Os-lusiadas - resumo
 Os-lusiadas - resumo Os-lusiadas - resumo
Os-lusiadas - resumo
NunoNelasOliveira
 
Camões, vida e epopeia
Camões, vida e epopeiaCamões, vida e epopeia
Camões, vida e epopeia
maria.j.fontes
 
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 29
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 29ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 29
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 29
luisprista
 
Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)
olilucia
 
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 25
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 25ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 25
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 25
luisprista
 
Luís vaz de camões (1524 – 1580
Luís vaz de camões (1524 – 1580Luís vaz de camões (1524 – 1580
Luís vaz de camões (1524 – 1580
Amanda Assenza Fratucci
 
Despedidas em belém
Despedidas em belémDespedidas em belém
Despedidas em belém
Vanda Marques
 
Lusiadas Figurasdeestilo
Lusiadas FigurasdeestiloLusiadas Figurasdeestilo
Lusiadas Figurasdeestilo
André Cerqueira
 

Semelhante a Ilha dos Amores (20)

Dial9cdr teste lusiadas_3
Dial9cdr teste lusiadas_3Dial9cdr teste lusiadas_3
Dial9cdr teste lusiadas_3
 
lusiadas_lexicoenarradores.docx
lusiadas_lexicoenarradores.docxlusiadas_lexicoenarradores.docx
lusiadas_lexicoenarradores.docx
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 130-131
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 130-131Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 130-131
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 130-131
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 140-141
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 140-141Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 140-141
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 140-141
 
Camões / Os Lusíadas
Camões / Os LusíadasCamões / Os Lusíadas
Camões / Os Lusíadas
 
Os lusiadas
Os lusiadasOs lusiadas
Os lusiadas
 
Camões os lusíadas
Camões os lusíadasCamões os lusíadas
Camões os lusíadas
 
Camões os lusíadas
Camões os lusíadasCamões os lusíadas
Camões os lusíadas
 
Os lusíadas resumo
Os lusíadas resumoOs lusíadas resumo
Os lusíadas resumo
 
9 ano 2005.pdf
9 ano 2005.pdf9 ano 2005.pdf
9 ano 2005.pdf
 
Provas finais
Provas finaisProvas finais
Provas finais
 
Camões 2.0
Camões 2.0Camões 2.0
Camões 2.0
 
Os-lusiadas - resumo
 Os-lusiadas - resumo Os-lusiadas - resumo
Os-lusiadas - resumo
 
Camões, vida e epopeia
Camões, vida e epopeiaCamões, vida e epopeia
Camões, vida e epopeia
 
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 29
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 29ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 29
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 29
 
Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)Cons deuses-resumo (1)
Cons deuses-resumo (1)
 
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 25
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 25ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 25
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 25
 
Luís vaz de camões (1524 – 1580
Luís vaz de camões (1524 – 1580Luís vaz de camões (1524 – 1580
Luís vaz de camões (1524 – 1580
 
Despedidas em belém
Despedidas em belémDespedidas em belém
Despedidas em belém
 
Lusiadas Figurasdeestilo
Lusiadas FigurasdeestiloLusiadas Figurasdeestilo
Lusiadas Figurasdeestilo
 

Mais de Vanda Marques

Planif Anual 7.docx
Planif Anual 7.docxPlanif Anual 7.docx
Planif Anual 7.docx
Vanda Marques
 
A Tempestade
A TempestadeA Tempestade
A Tempestade
Vanda Marques
 
Poesias 7
Poesias 7Poesias 7
Poesias 7
Vanda Marques
 
A pontuação
A pontuaçãoA pontuação
A pontuação
Vanda Marques
 
A notícia
A notíciaA notícia
A notícia
Vanda Marques
 
As lendas
As lendasAs lendas
As lendas
Vanda Marques
 
Funções sintáticas 1
Funções sintáticas 1Funções sintáticas 1
Funções sintáticas 1
Vanda Marques
 
Formação de palavras
Formação de palavrasFormação de palavras
Formação de palavras
Vanda Marques
 
A história da língua
A história da línguaA história da língua
A história da língua
Vanda Marques
 
Inês de castro
Inês de castroInês de castro
Inês de castro
Vanda Marques
 
Contextualizando os lusiadas
Contextualizando os lusiadasContextualizando os lusiadas
Contextualizando os lusiadas
Vanda Marques
 
Consílio
ConsílioConsílio
Consílio
Vanda Marques
 
Adamastor
AdamastorAdamastor
Adamastor
Vanda Marques
 
A epopeia
A epopeiaA epopeia
A epopeia
Vanda Marques
 
Contextualizando os lusiadas
Contextualizando os lusiadasContextualizando os lusiadas
Contextualizando os lusiadas
Vanda Marques
 
Consílio
ConsílioConsílio
Consílio
Vanda Marques
 
Texto a abóbada
Texto a abóbadaTexto a abóbada
Texto a abóbada
Vanda Marques
 
Trabalhos escritos
Trabalhos escritosTrabalhos escritos
Trabalhos escritos
Vanda Marques
 
O mundo em que vivi
O mundo em que viviO mundo em que vivi
O mundo em que vivi
Vanda Marques
 
Textos autobiográficos
Textos autobiográficosTextos autobiográficos
Textos autobiográficos
Vanda Marques
 

Mais de Vanda Marques (20)

Planif Anual 7.docx
Planif Anual 7.docxPlanif Anual 7.docx
Planif Anual 7.docx
 
A Tempestade
A TempestadeA Tempestade
A Tempestade
 
Poesias 7
Poesias 7Poesias 7
Poesias 7
 
A pontuação
A pontuaçãoA pontuação
A pontuação
 
A notícia
A notíciaA notícia
A notícia
 
As lendas
As lendasAs lendas
As lendas
 
Funções sintáticas 1
Funções sintáticas 1Funções sintáticas 1
Funções sintáticas 1
 
Formação de palavras
Formação de palavrasFormação de palavras
Formação de palavras
 
A história da língua
A história da línguaA história da língua
A história da língua
 
Inês de castro
Inês de castroInês de castro
Inês de castro
 
Contextualizando os lusiadas
Contextualizando os lusiadasContextualizando os lusiadas
Contextualizando os lusiadas
 
Consílio
ConsílioConsílio
Consílio
 
Adamastor
AdamastorAdamastor
Adamastor
 
A epopeia
A epopeiaA epopeia
A epopeia
 
Contextualizando os lusiadas
Contextualizando os lusiadasContextualizando os lusiadas
Contextualizando os lusiadas
 
Consílio
ConsílioConsílio
Consílio
 
Texto a abóbada
Texto a abóbadaTexto a abóbada
Texto a abóbada
 
Trabalhos escritos
Trabalhos escritosTrabalhos escritos
Trabalhos escritos
 
O mundo em que vivi
O mundo em que viviO mundo em que vivi
O mundo em que vivi
 
Textos autobiográficos
Textos autobiográficosTextos autobiográficos
Textos autobiográficos
 

Último

As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 

Ilha dos Amores

  • 1. Ilha dos Amores: a preparação Professora Vanda Barreto
  • 2. • Estrutura Externa: Canto IX, est. 18-29 • Estrutura Interna: Narração • Narrador: Poeta • Plano Narrativo: Plano Mitológico
  • 3. Contextualização na obra: Após a terrível tempestade, a frota de VG chega finalmente a Calecut (Canto VII), onde é muito bem acolhida. Paulo da Gama explica ao governador da cidade (catual) o significado das figuras desenhadas nas bandeiras portuguesas, contando-lhe alguns episódios da HP (Canto VIII). Porém, subornado pelos muçulmanos – cujo chefe tinha sido influenciado por Baco, em sonhos – o Catual aprisiona VG, só o deixando voltar a embarcar em troca das mercadorias que os Portugueses traziam a bordo. Depois de diversas negociações (Canto IX), a frota parte de regresso a casa. Vénus decide então preparar uma surpresa aos Portugueses, procurando premiá-los e dar-lhes um merecido repouso, depois de terem ultrapassado tantas dificuldades e provações
  • 4. Localiza no episódio: 1ª parte: Decisão de Vénus 2ª parte: O Prémio 3ª parte: A ajuda de Cupido 4ª parte: A missão de Cupido Estâncias 18-20 21-22 23-24 25-29
  • 5. Completa o quadro: Est . vv Recurso Expressividade 18 “Dar-lhe nos mares tristes, alegria” Pôr em relevo o contraste entre a dureza da vida no mar e o prémio que Vénus pretende oferecer. 19 8 Perífrase 20 7,8 Antítese 24 “as aves que na vida/Vão da morte as exéquias celebrando”/=cisnes Acentuar o ambiente sereno e apaixonado que Vénus queria que se vivesse na ilha.
  • 6. Lê as estâncias 18 a 20 e ordena as alíneas abaixo: a) Para além de premiar a coragem dos navegadores portugueses, Vénus pretende recompensá-los pelo desgaste e pelos anos de vida perdidos. b) Para isso, Vénus pede ajuda a Cupido. c) Antes das instruções de Júpiter, Vénus já tencionava proporcionar algum descanso e diversão aos lusos, para os compensar de todas as dificuldades. d) Instruída por Júpiter, Vénus pretende recompensar os Portugueses, levando-os a alcançar a merecida glória. e) Vénus recorda que, no seu percurso, os nautas tinham sido vítimas de Baco.
  • 7. Correção:  Instruída por Júpiter, Vénus pretende recompensar os Portugueses, levando-os a alcançar a merecida glória.  Vénus recorda que, no seu percurso, os nautas tinham sido vítimas de Baco.  Antes das instruções de Júpiter, Vénus já tencionava proporcionar algum descanso e diversão aos lusos, para os compensar de todas as dificuldades.  Para isso, Vénus pede ajuda a Cupido.  Para além de premiar a coragem dos navegadores portugueses, Vénus pretende recompensá-los pelo desgaste e pelos anos de vida perdidos.
  • 8. • O que decide Vénus fazer para recompensar os Portugueses? • Que função desempenhariam as “aquáticas donzelas”? • Como asseguraria Vénus o cumprimento dessa função? • Que versos comprovam que as ninfas reuniam as características necessárias? Vénus decide preparar uma ilha, onde os Portugueses pudessem parar e ter a recompensa por tão audaciosa aventura. As “aquáticas donzelas” iriam receber os nautas portugueses, recompensando-os com a sua beleza, as suas danças e o seu amor. Vénus, com a ajuda de Cupido, faria com que elas se afeiçoassem aos Portugueses. “(Todas as que têm títulos de belas/Glória dos olhos, dor dos corações)/Com danças e coreias” (es. 22, vv 3-5)
  • 9. • Na est. 23, faz-se referência a uma “empresa antiga”. Que empresa foi esta? • Retira da est. 24 um exemplo da preocupação de Vénus em preparar um ambiente sereno para os Portugueses. • Será que este plano estava já a ser cumprido? Justifica. A ajuda que Cupido deu a Vénus, fazendo com que Eneias fosse bem recebido por Dido. Vénus leva consigo “as aves que na vida/Vão da morte as exéquias celebrando” Sim, porque quando Vénus parte da ilha, “No ar lascivos beijos se vão dando./Ela, por onde passa, o ar e o vento/Sereno faz, com brando movimento.”
  • 10. • Entretanto, Cupido pretendia “Fazer hũa famosa expedição/Contra o mundo revelde” porque queria mostrar que ... a) é um erro não amar o que merece ser verdadeiramente amado. b) é possível amar aquilo que, aparentemente, não é digno de amor. c) as pessoas não conseguem decidir quem ou o que devem amar. d) é impossível lutar contra o “mundo revelde”. 
  • 11. • Embora conheça o verdadeiro Amor, a deusa sabe que o mundo despreza esse sentimento. Relê as estâncias 26 a 29 e localiza as sínteses seguintes: a) Vénus percebe que aqueles que se deveriam dedicar ao próximo, fingem ser justos e íntegros, mas apenas amam o poder e a riqueza. b) Vénus quer dar a conhecer o Amor a Actéon, que o repudia e dele foge. c) Vénus conclui que ninguém ama aquilo que deveria amar. d) Vénus percebe que os homens com mais influencia/poder se amam apenas a si mesmos, sendo presunçosos e aduladores. Est. 28 Est. 26 Est. 29 Est. 27
  • 12. Esparsa sua ao desconcerto do mundo Os bons vi sempre passar no mundo graves tormentos; e, pera mais me espantar, os maus vi sempre nadar em mar de contentamentos. Cuidando alcançar assim o bem tão mal ordenado, fui mau, mas fui castigado. Assi que, só pera mim anda o mundo concertado. Camões
  • 13. Camões afirma: “os maus vi sempre nadar/em mar de contentamentos” (vv. 4-5) Consideras que os desonestos saem sempre vitoriosos das situações em que se envolvem? Escreve um texto de opinião, que pudesse ser publicado num jornal escolar, no qual apresentes as desvantagens de ser desonesto, tentando convencer os leitores de que é importante adotar condutas sociais de respeito pelas leis e pelos cidadãos. O teu texto deve ter um mínimo de 180 e um máximo de 240 palavras.