SlideShare uma empresa Scribd logo
Grécia
Antiga
www.profisabelaguiar.blogspot.com
PERIODIZAÇÃOPERIODIZAÇÃO
LOCALIZAÇÃO
GEOGRÁFICACARACTERÍSTICAS DA REGIÃO
Clima: excelente (temperaturas constantes)
Relevo: muito acidentado, montanhoso
Solo: infértil (árido e pedregoso)
Litoral: recortado (baías e enseadas), excelente para a navegação.
LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA
Grécia Antiga
POVOAMENTO DA GRÉCIA
Os primeiros povos que chegaram na região foram de origem Indo-
Européia e eram denominados de PELASGOS = povos de longe. Em
sucessivas migrações no território, destacaram-se:
Os Aqueus = originaram os micênicos
Os Eólios = originaram os tebanos.
Os Jônios = originaram os atenienses.
Os Dórios = originaram os espartanos.
Civilização Cretense ou minóica:
 posição geográfica privilegiada
 Exerceu hegemonia comercial sobre a região ( talassocracia )
 rei lendário – Minos
 principal cidade Cnossos ( cidade que chegou a 100 mil hab. )
 escrita : linear A e linear B – duvidas sobre essas escritas.
 As cidades cretenses dotavam de sistema de saneamento e
luxuosos palácios ( inúmeros compartimentos – “ideia do labirinto” )
 principal divindade era feminina ( grande mãe)
 civilização creto-micênica
Grécia Antiga
Grécia Antiga
Grécia Antiga
PERÍODO HOMÉRICOPERÍODO HOMÉRICO
Corresponde a fase das comunidades gentílicas (genos=famílias). Foi um
período narrado a partir dos poemas de Homero:
- "Ilíada": retrata a Guerra de Tróia (Gregos X Troianos)
- "Odisséia": narrativa sobre a volta de Ulisses para a Grécia. Esse
retorno foi repleto de aventuras mitológicas.
Grécia Antiga
Grécia Antiga
Grécia Antiga
PERÍODO HOMÉRICOPERÍODO HOMÉRICO
• Os Dórios trouxeram a
decadência para a Grécia,
provocaram um colapso comercial
e cultural, o que quase levou ao
desaparecimento da escrita nessa
região.
Grécia Antiga
• Os refugiados da primeira diáspora grega fundaram pequenas
unidades autossuficientes baseadas no coletivismo – os genos, ou
comunidades gentílicas.
• Essas unidades eram compostas de membros de uma mesma
família, sob a chefia do pater.
• Por volta do ano 800 a.C., as disputas por terras cultiváveis e o
crescimento populacional acabaram com o sistema gentílico.
• Alguns paters se apropriaram das melhores terras, originando a
propriedade privada, e muitas outras famílias se dispersaram
para o sul da Itália e para outras regiões, ocasionando a
segunda diáspora grega.
A escrita, o artesanato, o comércio deixaram de ser
praticados. Os gregos viveram um momento de
regressão – fase obscura.
Grécia Antiga
A desintegração dos genos
provocou a formação das pólis e a
colonização da região
correspondente ao sul da Itália e à
ilha da Sicília,área denominada
Magna Grécia. Com as mudanças
foram reforçadas as diferenças
sociais.
PERÍODO ARCAICOPERÍODO ARCAICO
• Com o surgimento da propriedade
privada,iniciaram os conflitos entre os grupos, e,
para lidar com as constantes crises, os
proprietários de terra passaram a formar
associações, as fratrias, que formaram as
tribos, que, por sua vez, se organizaram em
demos.
• Os demos deram origem às cidades-Estados, ou
pólis – a principal transformação do período
Arcaico .
Grécia Antiga
• Cada cidade-Estado grega era um centro político, social e
religioso autônomo, com uma classe dominante, deuses e um
sistema de vida próprios.
A PÓLISA PÓLIS
A Pólis grega era uma cidade com leis próprias, costumes próprios e
governos próprios, completamente autônoma em relação às outras. O
traço comum entre elas era a religião, a cultura e a língua.
ATENASATENAS
• Conhecida como a cidade exemplar da
Grécia Antiga, por sua cultura e
prosperidade econômica, Atenas, se
desenvolveu na Ática, região cercada
de montanhas. Por causa da falta de
terras férteis, os atenienses voltaram-
se para a pesca, a navegação e o
comércio marítimo.
Grécia Antiga
• Eupátridas (grandes proprietários de
terra)
• Georgóis (pequenos proprietários)
• Demiurgos (comerciantes)
• Thetas (camponeses sem terra)
• Thecnays (thetas que viviam do
artesanato)
• Metecos (estrangeiros) e escravos.
SOCIEDADE DE ATENASSOCIEDADE DE ATENAS
Evolução política:
• Monarquia. Forma de governo em que o rei governava sozinho ou com um
conselho de nobres. O rei comandava o exército, era responsável pela justiça,
além de exercer a função de sumo sacerdote. Essa forma de governo
prevaleceu durante o período Homérico, após a formação das cidades-estados.
• Oligarquia. Governo de poucos, geralmente formado por donos de terras.
• Tirania. Governo de um único homem que assumia o poder pela força.
Frequentemente tinha o apoio da população contra a aristocracia.
• Democracia. Sistema no qual todos os cidadãos participa­vam da elaboração
das leis por meio de uma espécie de Assembleia. Mulheres, crianças, escravos
e estrangeiros não eram considerados cidadãos, por isso não tinham direito a
tomar decisões políticas.
• Eclésia (assembléia popular que
aprovava as medidas da Bulé)
• Bulé (ou Conselho dos 400 que
elaboravam as leis a serem votadas
pela assembléia popular)
• Arcontado (exerciam a justiça e
administração)
• Estrategos (cuidavam do exército)
• Helieu (tribunal de justiça popular)
POLÍTICA EM ATENASPOLÍTICA EM ATENAS
LEGISLADORES DE ATENASLEGISLADORES DE ATENAS
• Drácon: redigiu as leis – até então orais -,
dificultando sua manipulação pelos eupátridas.
• Sólon: Aboliu a escravidão por dívidas, libertou os
devedores da prisão e determinou a devolução de
terras confiscadas pelos credores eupátridas. Também
dividiu a sociedade de forma censitária em quatro
classes sociais e instituiu o princípio da eunomia
(igualdade perante a lei). Criou órgãos legislativos; a
Bulé (ou Conselho dos 400), que preparava leis, e a
Eclésia (Assembléia Popular), que as votava.
TIRANOS DE ATENASTIRANOS DE ATENAS
• Pisístrato: estabeleceu a tirania. Procurou
amenizar as diferenças sociais,
patrocinando várias obras públicas, gerando
emprego a thetas e georgóis descontentes.
• Hiparco e Hípias: filhos de Pisístrato, não
deram seguimento as reformas.
• Clístenes: Foi neste contexto que ocorreu
uma grande revolta liderada por Clístenes,
que instituiu a democracia na cidade .
DEMOCRACIA ATENIENSE
• A democracia ateniense era
formada com a participação de
cidadãos atenienses (adultos,
filhos de pai e mãe ateniense)
que correspondiam a uma
minoria, pois eram excluídos os
estrangeiros, escravos e
mulheres.
Grécia Antiga
ESPARTAESPARTA
Representou os valores de
austeridade, espírito cívico,
submissão total do indivíduo ao
Estado. Sociedade conservadora,
patriarcal, aristocrática, guerreira
e eugênica (não se admite defeitos
físicos nos cidadãos).
Grécia Antiga
SOCIEDADE ESPARTANASOCIEDADE ESPARTANA
1. Espartanos: principal grupo social e
elite militar.
2. Periecos: eram pequenos
proprietários que se dedicavam ao
artesanato e ao comércio em
pequena escala.
3. Hilotas: Servos de propriedade do
Estado, sem direito políticos.
• Sistema Oligárquico.
• O governo era Diarquia (dois
Reis).
• A Assembléia (Ápela) era
formada por espartanos com mais
de 30 anos.
• A Ápela era responsável pela
eleição da Gerúsia e do eforato.
POLÍTICA em EspartaPOLÍTICA em Esparta
5. A gerúsia, formada por 28
espartanos com mais de 60 anos,
tinha atribuições legislativas e
judiciárias.
6. Os cinco éforos tinham funções
executivas.
7. Os Reis tinham funções religiosas
e militares
Grécia Antiga
Grécia Antiga
PERÍODO CLÁSSICO
• Esse período foi marcado por violentas lutas
dos gregos contra os povos invasores (persas)
e entre si.
• Foi considerado o apogeu da antiga civilização
grega, concentrando suas maiores realizações
culturais.
• A primeira das grandes guerras de gregos
contra persas ficou conhecida como Guerras
Médicas.(por causa dos Medos que habitavam
o Império Persa).
Guerras Médicas
• Gregos X Persas.
• Causas: imperialismo persa (expansão persa
na Ásia Menor).
• Batalha em Maratona: vitória grega.
Desfiladeiro de Termópilas: o exército
espartano comandado por Leônidas é
derrotado por Xerxes. Batalha Naval de
Salamina: os persas são derrotados. Batalha
de Platéia: Xerxes é derrotado. Paz de
Címon ou Calias: os persas se comprometiam
a abandonar o mar Egeu.
Grécia Antiga
LIGA DE DELOS
• A hegemonia ateniense, com a expansão de sua influência
política, foi combatida por Esparta, que não desejava que
o império de Atenas colocasse em risco as alianças de
Esparta com outras cidades. A formação da Liga do
Peloponeso inseriu-se nesse contexto.
• Foram 28 anos de lutas, que terminaram com a derrota
ateniense. A supremacia espartana teve curta duração,
sendo seguida pelo predomínio de Tebas e por um período
de perturbações generalizadas. As principais cidades
gregas estavam esgotadas por décadas de guerra. Eram
alvos fáceis para um inimigo exterior: a Macedônia.
GUERRA DO PELOPONESO
Grécia Antiga
PERÍODO HELENÍSTICOPERÍODO HELENÍSTICO
• Período caracterizado pela invasão da Grécia
pelos macedônios comandados por Filipe II
(Batalha de Queronéia).
• A política expansionista iniciada por Filipe II
teve continuidade com seu filho e sucessor
Alexandre Magno, que consolidou a dominação da
Grécia e conquistou a Pérsia, o Egito e a
Mesopotâmia.
• Alexandre respeitou as instituições
políticas e religiosas dos povos vencidos
e promoveu casamentos entre seus
oficiais e jovens das populações locais;
ele próprio desposou uma princesa
persa.
• A fusão dos valores gregos com as
tradições das várias regiões asiáticas
conquistadas deu origem a uma nova
manifestação cultural, o helenismo.
HELENISMO
• Fusão dos elementos gregos
com as culturas locais.
• Recebeu este nome pois os
gregos chamavam a si mesmos
de helenos
Grécia Antiga
Grécia Antiga
Correntes filosóficas:
 Sofistas – eram hábeis nos discursos / alguns sofistas manipulavam
os discursos ( coisas absurdas apresentadas como verdadeiras)
exemplo: existem pessoas que não fumam e tem câncer no pulmão.
Logo, o cigarro não provoca câncer no pulmão...
 Hedonistas – defendiam que a felicidade está na vida de prazeres.
 Estóicos – o prazer só seria alcançado através de prazeres superiores:
estudo, amizade, arte...
 céticos ou pirrônicos – diziam que não é possível encontrar nenhuma
verdade.
Obs.: todo o conhecimento grego só foi possível graças ao “ócio
criativo”
Grécia Antiga
Atribuição de
qualidades e
tributos humanos
a Deus.
A religião grega era politeísta
e antropomórfica.
Grécia Antiga

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Roma Antiga - Antiguidade Clássica II
Roma Antiga - Antiguidade Clássica IIRoma Antiga - Antiguidade Clássica II
Roma Antiga - Antiguidade Clássica II
Valéria Shoujofan
 
Grécia e Roma - Tópicos
Grécia e Roma - TópicosGrécia e Roma - Tópicos
Grécia e Roma - Tópicos
dmflores21
 
Revisão hist. 1º ano
Revisão hist. 1º anoRevisão hist. 1º ano
Revisão hist. 1º ano
eunamahcado
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
Jorge Miklos
 
I - Antiguidade Clássica
I - Antiguidade ClássicaI - Antiguidade Clássica
I - Antiguidade Clássica
profrogerio1
 
Antiguidade Clássica: A Grécia
Antiguidade Clássica:  A GréciaAntiguidade Clássica:  A Grécia
Antiguidade Clássica: A Grécia
Edenilson Morais
 
Mapa mental sobre o Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Mapa mental sobre o   Feudalismo, Grécia Antiga e RomaMapa mental sobre o   Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Mapa mental sobre o Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Jéssica Frontelli
 
1 Free GréCia E Roma
1   Free GréCia E Roma1   Free GréCia E Roma
1 Free GréCia E Roma
celsoidamiano
 
Super revisão enem em foco 03 - grécia e roma - rafa - aula 1
Super revisão enem em foco   03 - grécia e roma - rafa - aula 1Super revisão enem em foco   03 - grécia e roma - rafa - aula 1
Super revisão enem em foco 03 - grécia e roma - rafa - aula 1
Rafael Noronha
 
Roma 2020
Roma 2020Roma 2020
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
Janaína Tavares
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
Carlos Zaranza
 
Grécia 2020
Grécia 2020Grécia 2020
ROMA ANTIGA
ROMA ANTIGAROMA ANTIGA
ROMA ANTIGA
Norberto Correa
 
Imperio do brasil primeiro reinado
Imperio do brasil   primeiro reinadoImperio do brasil   primeiro reinado
Imperio do brasil primeiro reinado
Carlos Zaranza
 
Hist 0007 história antiga grécia período arcaico atenas esparta
Hist 0007 história antiga grécia período arcaico atenas espartaHist 0007 história antiga grécia período arcaico atenas esparta
Hist 0007 história antiga grécia período arcaico atenas esparta
Lilian Larroca
 
Mundo greco romano
Mundo greco romanoMundo greco romano
Mundo greco romano
Profdaltonjunior
 
Imperio Romano Blog
Imperio Romano BlogImperio Romano Blog
Imperio Romano Blog
vaniareginahistoria1
 
História - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou ClássicaHistória - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou Clássica
Carson Souza
 
Pré barra grécia antiga
Pré barra grécia antigaPré barra grécia antiga
Pré barra grécia antiga
Jorge Marcos Oliveira
 

Mais procurados (20)

Roma Antiga - Antiguidade Clássica II
Roma Antiga - Antiguidade Clássica IIRoma Antiga - Antiguidade Clássica II
Roma Antiga - Antiguidade Clássica II
 
Grécia e Roma - Tópicos
Grécia e Roma - TópicosGrécia e Roma - Tópicos
Grécia e Roma - Tópicos
 
Revisão hist. 1º ano
Revisão hist. 1º anoRevisão hist. 1º ano
Revisão hist. 1º ano
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
I - Antiguidade Clássica
I - Antiguidade ClássicaI - Antiguidade Clássica
I - Antiguidade Clássica
 
Antiguidade Clássica: A Grécia
Antiguidade Clássica:  A GréciaAntiguidade Clássica:  A Grécia
Antiguidade Clássica: A Grécia
 
Mapa mental sobre o Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Mapa mental sobre o   Feudalismo, Grécia Antiga e RomaMapa mental sobre o   Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Mapa mental sobre o Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
 
1 Free GréCia E Roma
1   Free GréCia E Roma1   Free GréCia E Roma
1 Free GréCia E Roma
 
Super revisão enem em foco 03 - grécia e roma - rafa - aula 1
Super revisão enem em foco   03 - grécia e roma - rafa - aula 1Super revisão enem em foco   03 - grécia e roma - rafa - aula 1
Super revisão enem em foco 03 - grécia e roma - rafa - aula 1
 
Roma 2020
Roma 2020Roma 2020
Roma 2020
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Grécia 2020
Grécia 2020Grécia 2020
Grécia 2020
 
ROMA ANTIGA
ROMA ANTIGAROMA ANTIGA
ROMA ANTIGA
 
Imperio do brasil primeiro reinado
Imperio do brasil   primeiro reinadoImperio do brasil   primeiro reinado
Imperio do brasil primeiro reinado
 
Hist 0007 história antiga grécia período arcaico atenas esparta
Hist 0007 história antiga grécia período arcaico atenas espartaHist 0007 história antiga grécia período arcaico atenas esparta
Hist 0007 história antiga grécia período arcaico atenas esparta
 
Mundo greco romano
Mundo greco romanoMundo greco romano
Mundo greco romano
 
Imperio Romano Blog
Imperio Romano BlogImperio Romano Blog
Imperio Romano Blog
 
História - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou ClássicaHistória - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou Clássica
 
Pré barra grécia antiga
Pré barra grécia antigaPré barra grécia antiga
Pré barra grécia antiga
 

Semelhante a Grécia Antiga

GRECIA 2013
GRECIA 2013GRECIA 2013
GRECIA 2013
Fabio Salvari
 
Grécia antiga revisão
Grécia antiga revisãoGrécia antiga revisão
Grécia antiga revisão
Alexandre Santana
 
Grécia_Antiga.ppt
Grécia_Antiga.pptGrécia_Antiga.ppt
Grécia_Antiga.ppt
PedroIgor76
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
Victor Melo
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
ISJ
 
Grécia show de bola
Grécia show de bolaGrécia show de bola
Grécia show de bola
tigraomd
 
Grecia Antiga
Grecia Antiga Grecia Antiga
Grecia Antiga
Carlos Zaranza
 
Grecia
GreciaGrecia
Resumo grécia
Resumo gréciaResumo grécia
Resumo grécia
Péricles Penuel
 
Yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
YyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyYyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
Yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
mayques122
 
A GRÉCIA ANTIGA
A GRÉCIA ANTIGAA GRÉCIA ANTIGA
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e EspartaGrecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Alexandre Protásio
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
YyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyYyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
Yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
mayques1
 
Grecia antiga 2011
Grecia antiga 2011Grecia antiga 2011
Grecia antiga 2011
Carlos Zaranza
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
Braulio Santos Pereira
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
guestf1f2cd
 
Grecia antiga 2
Grecia antiga 2Grecia antiga 2
Grecia antiga 2
joaoamrfs
 
Semi extensivo - frente 2 módulos 1 e 2- esparta e atenas
Semi extensivo - frente 2 módulos 1 e  2- esparta e atenasSemi extensivo - frente 2 módulos 1 e  2- esparta e atenas
Semi extensivo - frente 2 módulos 1 e 2- esparta e atenas
Lú Carvalho
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
ISJ
 

Semelhante a Grécia Antiga (20)

GRECIA 2013
GRECIA 2013GRECIA 2013
GRECIA 2013
 
Grécia antiga revisão
Grécia antiga revisãoGrécia antiga revisão
Grécia antiga revisão
 
Grécia_Antiga.ppt
Grécia_Antiga.pptGrécia_Antiga.ppt
Grécia_Antiga.ppt
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
Grécia show de bola
Grécia show de bolaGrécia show de bola
Grécia show de bola
 
Grecia Antiga
Grecia Antiga Grecia Antiga
Grecia Antiga
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
Resumo grécia
Resumo gréciaResumo grécia
Resumo grécia
 
Yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
YyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyYyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
Yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
 
A GRÉCIA ANTIGA
A GRÉCIA ANTIGAA GRÉCIA ANTIGA
A GRÉCIA ANTIGA
 
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e EspartaGrecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
YyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyYyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
Yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy
 
Grecia antiga 2011
Grecia antiga 2011Grecia antiga 2011
Grecia antiga 2011
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
Grecia antiga 2
Grecia antiga 2Grecia antiga 2
Grecia antiga 2
 
Semi extensivo - frente 2 módulos 1 e 2- esparta e atenas
Semi extensivo - frente 2 módulos 1 e  2- esparta e atenasSemi extensivo - frente 2 módulos 1 e  2- esparta e atenas
Semi extensivo - frente 2 módulos 1 e 2- esparta e atenas
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 

Mais de Isabel Aguiar

Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
Isabel Aguiar
 
A GUERRA FRIA
A GUERRA FRIAA GUERRA FRIA
A GUERRA FRIA
Isabel Aguiar
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
Isabel Aguiar
 
A marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América PortuguesaA marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América Portuguesa
Isabel Aguiar
 
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO  XIXEUA E EUROPA NO SÉCULO  XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
Isabel Aguiar
 
Eua séc XIX
Eua séc XIXEua séc XIX
Eua séc XIX
Isabel Aguiar
 
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAISEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
Isabel Aguiar
 
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
Quiz Historia
Quiz Historia Quiz Historia
Quiz Historia
Isabel Aguiar
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
Isabel Aguiar
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
Isabel Aguiar
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
Isabel Aguiar
 
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIIIILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
Isabel Aguiar
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 ano
Isabel Aguiar
 
Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historia
Isabel Aguiar
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
Isabel Aguiar
 

Mais de Isabel Aguiar (20)

Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
 
A GUERRA FRIA
A GUERRA FRIAA GUERRA FRIA
A GUERRA FRIA
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
A marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América PortuguesaA marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América Portuguesa
 
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO  XIXEUA E EUROPA NO SÉCULO  XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
 
Eua séc XIX
Eua séc XIXEua séc XIX
Eua séc XIX
 
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAISEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
 
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
 
Quiz Historia
Quiz Historia Quiz Historia
Quiz Historia
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
 
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
 
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIIIILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 ano
 
Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historia
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 

Último

Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Renato Henriques
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 

Grécia Antiga

  • 3. LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICACARACTERÍSTICAS DA REGIÃO Clima: excelente (temperaturas constantes) Relevo: muito acidentado, montanhoso Solo: infértil (árido e pedregoso) Litoral: recortado (baías e enseadas), excelente para a navegação.
  • 6. POVOAMENTO DA GRÉCIA Os primeiros povos que chegaram na região foram de origem Indo- Européia e eram denominados de PELASGOS = povos de longe. Em sucessivas migrações no território, destacaram-se: Os Aqueus = originaram os micênicos Os Eólios = originaram os tebanos. Os Jônios = originaram os atenienses. Os Dórios = originaram os espartanos.
  • 7. Civilização Cretense ou minóica:  posição geográfica privilegiada  Exerceu hegemonia comercial sobre a região ( talassocracia )  rei lendário – Minos  principal cidade Cnossos ( cidade que chegou a 100 mil hab. )  escrita : linear A e linear B – duvidas sobre essas escritas.  As cidades cretenses dotavam de sistema de saneamento e luxuosos palácios ( inúmeros compartimentos – “ideia do labirinto” )  principal divindade era feminina ( grande mãe)  civilização creto-micênica
  • 11. PERÍODO HOMÉRICOPERÍODO HOMÉRICO Corresponde a fase das comunidades gentílicas (genos=famílias). Foi um período narrado a partir dos poemas de Homero: - "Ilíada": retrata a Guerra de Tróia (Gregos X Troianos) - "Odisséia": narrativa sobre a volta de Ulisses para a Grécia. Esse retorno foi repleto de aventuras mitológicas.
  • 16. • Os Dórios trouxeram a decadência para a Grécia, provocaram um colapso comercial e cultural, o que quase levou ao desaparecimento da escrita nessa região.
  • 18. • Os refugiados da primeira diáspora grega fundaram pequenas unidades autossuficientes baseadas no coletivismo – os genos, ou comunidades gentílicas. • Essas unidades eram compostas de membros de uma mesma família, sob a chefia do pater. • Por volta do ano 800 a.C., as disputas por terras cultiváveis e o crescimento populacional acabaram com o sistema gentílico. • Alguns paters se apropriaram das melhores terras, originando a propriedade privada, e muitas outras famílias se dispersaram para o sul da Itália e para outras regiões, ocasionando a segunda diáspora grega.
  • 19. A escrita, o artesanato, o comércio deixaram de ser praticados. Os gregos viveram um momento de regressão – fase obscura.
  • 21. A desintegração dos genos provocou a formação das pólis e a colonização da região correspondente ao sul da Itália e à ilha da Sicília,área denominada Magna Grécia. Com as mudanças foram reforçadas as diferenças sociais.
  • 22. PERÍODO ARCAICOPERÍODO ARCAICO • Com o surgimento da propriedade privada,iniciaram os conflitos entre os grupos, e, para lidar com as constantes crises, os proprietários de terra passaram a formar associações, as fratrias, que formaram as tribos, que, por sua vez, se organizaram em demos. • Os demos deram origem às cidades-Estados, ou pólis – a principal transformação do período Arcaico .
  • 24. • Cada cidade-Estado grega era um centro político, social e religioso autônomo, com uma classe dominante, deuses e um sistema de vida próprios.
  • 25. A PÓLISA PÓLIS A Pólis grega era uma cidade com leis próprias, costumes próprios e governos próprios, completamente autônoma em relação às outras. O traço comum entre elas era a religião, a cultura e a língua.
  • 26. ATENASATENAS • Conhecida como a cidade exemplar da Grécia Antiga, por sua cultura e prosperidade econômica, Atenas, se desenvolveu na Ática, região cercada de montanhas. Por causa da falta de terras férteis, os atenienses voltaram- se para a pesca, a navegação e o comércio marítimo.
  • 28. • Eupátridas (grandes proprietários de terra) • Georgóis (pequenos proprietários) • Demiurgos (comerciantes) • Thetas (camponeses sem terra) • Thecnays (thetas que viviam do artesanato) • Metecos (estrangeiros) e escravos. SOCIEDADE DE ATENASSOCIEDADE DE ATENAS
  • 29. Evolução política: • Monarquia. Forma de governo em que o rei governava sozinho ou com um conselho de nobres. O rei comandava o exército, era responsável pela justiça, além de exercer a função de sumo sacerdote. Essa forma de governo prevaleceu durante o período Homérico, após a formação das cidades-estados. • Oligarquia. Governo de poucos, geralmente formado por donos de terras. • Tirania. Governo de um único homem que assumia o poder pela força. Frequentemente tinha o apoio da população contra a aristocracia. • Democracia. Sistema no qual todos os cidadãos participa­vam da elaboração das leis por meio de uma espécie de Assembleia. Mulheres, crianças, escravos e estrangeiros não eram considerados cidadãos, por isso não tinham direito a tomar decisões políticas.
  • 30. • Eclésia (assembléia popular que aprovava as medidas da Bulé) • Bulé (ou Conselho dos 400 que elaboravam as leis a serem votadas pela assembléia popular) • Arcontado (exerciam a justiça e administração) • Estrategos (cuidavam do exército) • Helieu (tribunal de justiça popular) POLÍTICA EM ATENASPOLÍTICA EM ATENAS
  • 31. LEGISLADORES DE ATENASLEGISLADORES DE ATENAS • Drácon: redigiu as leis – até então orais -, dificultando sua manipulação pelos eupátridas. • Sólon: Aboliu a escravidão por dívidas, libertou os devedores da prisão e determinou a devolução de terras confiscadas pelos credores eupátridas. Também dividiu a sociedade de forma censitária em quatro classes sociais e instituiu o princípio da eunomia (igualdade perante a lei). Criou órgãos legislativos; a Bulé (ou Conselho dos 400), que preparava leis, e a Eclésia (Assembléia Popular), que as votava.
  • 32. TIRANOS DE ATENASTIRANOS DE ATENAS • Pisístrato: estabeleceu a tirania. Procurou amenizar as diferenças sociais, patrocinando várias obras públicas, gerando emprego a thetas e georgóis descontentes. • Hiparco e Hípias: filhos de Pisístrato, não deram seguimento as reformas. • Clístenes: Foi neste contexto que ocorreu uma grande revolta liderada por Clístenes, que instituiu a democracia na cidade .
  • 33. DEMOCRACIA ATENIENSE • A democracia ateniense era formada com a participação de cidadãos atenienses (adultos, filhos de pai e mãe ateniense) que correspondiam a uma minoria, pois eram excluídos os estrangeiros, escravos e mulheres.
  • 35. ESPARTAESPARTA Representou os valores de austeridade, espírito cívico, submissão total do indivíduo ao Estado. Sociedade conservadora, patriarcal, aristocrática, guerreira e eugênica (não se admite defeitos físicos nos cidadãos).
  • 37. SOCIEDADE ESPARTANASOCIEDADE ESPARTANA 1. Espartanos: principal grupo social e elite militar. 2. Periecos: eram pequenos proprietários que se dedicavam ao artesanato e ao comércio em pequena escala. 3. Hilotas: Servos de propriedade do Estado, sem direito políticos.
  • 38. • Sistema Oligárquico. • O governo era Diarquia (dois Reis). • A Assembléia (Ápela) era formada por espartanos com mais de 30 anos. • A Ápela era responsável pela eleição da Gerúsia e do eforato. POLÍTICA em EspartaPOLÍTICA em Esparta
  • 39. 5. A gerúsia, formada por 28 espartanos com mais de 60 anos, tinha atribuições legislativas e judiciárias. 6. Os cinco éforos tinham funções executivas. 7. Os Reis tinham funções religiosas e militares
  • 42. PERÍODO CLÁSSICO • Esse período foi marcado por violentas lutas dos gregos contra os povos invasores (persas) e entre si. • Foi considerado o apogeu da antiga civilização grega, concentrando suas maiores realizações culturais. • A primeira das grandes guerras de gregos contra persas ficou conhecida como Guerras Médicas.(por causa dos Medos que habitavam o Império Persa).
  • 43. Guerras Médicas • Gregos X Persas. • Causas: imperialismo persa (expansão persa na Ásia Menor). • Batalha em Maratona: vitória grega. Desfiladeiro de Termópilas: o exército espartano comandado por Leônidas é derrotado por Xerxes. Batalha Naval de Salamina: os persas são derrotados. Batalha de Platéia: Xerxes é derrotado. Paz de Címon ou Calias: os persas se comprometiam a abandonar o mar Egeu.
  • 46. • A hegemonia ateniense, com a expansão de sua influência política, foi combatida por Esparta, que não desejava que o império de Atenas colocasse em risco as alianças de Esparta com outras cidades. A formação da Liga do Peloponeso inseriu-se nesse contexto. • Foram 28 anos de lutas, que terminaram com a derrota ateniense. A supremacia espartana teve curta duração, sendo seguida pelo predomínio de Tebas e por um período de perturbações generalizadas. As principais cidades gregas estavam esgotadas por décadas de guerra. Eram alvos fáceis para um inimigo exterior: a Macedônia. GUERRA DO PELOPONESO
  • 48. PERÍODO HELENÍSTICOPERÍODO HELENÍSTICO • Período caracterizado pela invasão da Grécia pelos macedônios comandados por Filipe II (Batalha de Queronéia). • A política expansionista iniciada por Filipe II teve continuidade com seu filho e sucessor Alexandre Magno, que consolidou a dominação da Grécia e conquistou a Pérsia, o Egito e a Mesopotâmia.
  • 49. • Alexandre respeitou as instituições políticas e religiosas dos povos vencidos e promoveu casamentos entre seus oficiais e jovens das populações locais; ele próprio desposou uma princesa persa. • A fusão dos valores gregos com as tradições das várias regiões asiáticas conquistadas deu origem a uma nova manifestação cultural, o helenismo.
  • 50. HELENISMO • Fusão dos elementos gregos com as culturas locais. • Recebeu este nome pois os gregos chamavam a si mesmos de helenos
  • 53. Correntes filosóficas:  Sofistas – eram hábeis nos discursos / alguns sofistas manipulavam os discursos ( coisas absurdas apresentadas como verdadeiras) exemplo: existem pessoas que não fumam e tem câncer no pulmão. Logo, o cigarro não provoca câncer no pulmão...  Hedonistas – defendiam que a felicidade está na vida de prazeres.  Estóicos – o prazer só seria alcançado através de prazeres superiores: estudo, amizade, arte...  céticos ou pirrônicos – diziam que não é possível encontrar nenhuma verdade. Obs.: todo o conhecimento grego só foi possível graças ao “ócio criativo”
  • 55. Atribuição de qualidades e tributos humanos a Deus. A religião grega era politeísta e antropomórfica.