SlideShare uma empresa Scribd logo
COLÉGIO MILITAR DE CAMPO GRANDE
                     DISCIPLINA DE HISTÓRIA     1º ANO DO ENSINO MÉDIO

                                   ASSUNTO: CIVILIZAÇÃO GREGA

1. LOCALIZAÇÃO: a Grécia está localizada no Sul da Península Balcânica, entre os mares Mediterrâneo,
Jônico e Egeu, limita-se ao Norte com a Macedônia, a Albânia, a Bulgária e a Nordeste com a Turquia.




2. MEIO-FÍSICO: possui um solo rochoso e árido, sendo que 80% do território são formados por montanhas.
Tem um litoral bem recortado e com muitas baías, dando origem a muitos portos naturais. Esse relevo e solo
influenciaram na atividade econômica desenvolvida e na formação das Cidades-Estados.
Compreendia 4 regiões:
Grécia Asiática: colônias na Ásia Menor.
Grécia Continental: terras ligadas ao continente europeu.
Grécia Insular: formada pelas ilhas.
Magna Grécia: localizada na Península Itálica.
                                         MAGNA GRÉCIA
3. ECONOMIA:
Agricultura: a pouca quantidade de chuvas, os rios secos e a escassez de terras férteis dificultaram o
desenvolvimento da agricultura. Cultivavam a vinha, a oliveira e a figueira.




Artesanato: possuíam excelente argila e um território rico em minérios de ferro, cobre e mármore, por isso
desenvolveram o artesanato.
Comércio marítimo: existência de portos naturais e o relevo montanhoso favoreceram a navegação ao
mesmo tempo em que dificultava a comunicação interna, por isso usavam embarcações para irem de um
lugar para outro o que acabou desenvolvendo o comércio.

4. POVOS FORMADORES DA GRÉCIA: Aqueus, Jônios, Eólios, Dórios
5. HISTÓRIA POLÍTICA DA GRÉCIA: compreende 4 períodos.
• Período Pré-Homérico: séc. XX a.C. ao XII a.C.
• Período Homérico: séc. XII ao séc. VIII a.C.
• Período Arcaico: VIII a.C. ao VI a.C.
• Período Clássico: V a.C. ao IV a.C.

                                        5.1. Período Pré-Homérico:
Período de povoamento da Grécia, a partir de 2 000 a.C.com a chegada dos aqueus. Os aqueus entraram em
contato com os cretenses, de quem aprenderam a escrita, técnicas agrícolas, técnicas de navegação,
comerciais e construção e depois os aniquilaram. Organizaram vários reinos liderados pela cidade de Micenas.
Mais tarde chegaram os eólios e os jônios, sendo que a convivência foi pacifica.
No século XII a. C. chegaram os dórios, tribo guerreira, nômade e belicosa, que destruíram as cidades
gregas, ocorrendo um retrocesso na região.

                                   5.2. Período Homérico
Recebeu esse nome em homenagem a Homero (Ilíada e Odisséia), cujas obras serviram para o estudo desse
período.




As invasões dóricas provocaram retrocesso nas relações comerciais, sociais e culturais gregas, surgindo os
Genos.
Genos: comunidade familiar, chefiada pelo patriarca (hereditário), onde a terra, a produção e os bens eram
coletivos. Quase que auto-suficiente, em raros momentos praticavam a troca.

Desagregação dos genos: provocado pelo aumento da população e em conseqüência ocorreu a divisão das
terras.
Conseqüências da desagregação dos genos:
•Surgimento das classes sociais. (a classe mais alta era formada pelos parentes mais próximos do patriarca).
•Escassez de terras para o cultivo, já que a maioria da terra ficava com um pequeno grupo de pessoas.
(classe alta)
•Processo de expansão, com o surgimento de colônias fora da Grécia. (Ásia Menor e Magna Grécia): o
território da Grécia tinha se tornado pequeno para atender às necessidades de uma população cada vez
maior, além disso, as terras estavam nas mãos da aristocracia e por isso numerosos agricultores foram em
busca de terras fora da Grécia, dando origem as colônias gregas.

                                             5.3. Período Arcaico
O período caracterizou-se pelo desenvolvimento das Cidades-estado, pela emigração e fundação das colônias
gregas em regiões fora do país.
          Foi uma época de expansão do povo grego por todo mar Mediterrâneo e Negro. Foram fundadas
cidades-estados independentes, ligadas pela cultura grega. Neste mesmo período o povo grego entrou em
contato com povos da Síria, Mesopotâmia, Índia e China devido às trocas comerciais, tornando o mar Egeu o
centro das rotas marítimas em direção à Ásia. Várias frátrias formavam uma tribo, diversas tribos juntas
deram origem aos demos – que, em grego, significa povo. As tribos se fixavam no alto dos montes por
questão de segurança(Acrópole). Construíram fortaleza criando a administração política e o templos
religiosos. Obedeciam ao rei (basileu), que tinha funções: política, militar e religiosa.
        Nas áreas próximas da acrópole desenvolveram atividades agrícolas, pecuária. As cidades gregas
(espaço urbano e rural) eram construídas em torno de uma praça chamada Àgora. Nessa praça, a
população fazia comércio, discutiam problemas em geral. Era comum os camponeses se endividarem e
tornarem-se escravos por dívida, pois não conseguiam produzir o mesmo tanto que os mais ricos
(aristocratas).
  Esquema:
Aristocracia - frátrias - tribo




Várias tribos se agruparam no alto de montes, formando a polis que era formada pela Acrópole ( templos e
fortaleza ), com a administração pública (basileu) e religiosa.
•Ágora ( praça )
•Asti (mercado )
POLIS GREGA




Portanto, as polis deram origem as Cidades-Estados, essas cidades tinham a cultura em comum, mas
politicamente eram independentes.
         As principais cidades-estados gregas foram: Corinto, Tebas, Olímpia, Mileto, Argos, merecendo
  destaque para Atenas e Esparta.

                                                 ATENAS:
Localização: Península da Ática.
Fundadores: jônios
Formas de governo: Monarquia, Arcontado, Tirania e Democracia.
   •Monarquia: governo hereditário e vitalício, onde o chefe detém todo poder (hoje a maior parte das
   monarquias é constitucional).
   •Arcontado: governo constituído por uma assembléia de nobres.
   •Tirania:o chefe governa com poderes ilimitado, usando da força para se manter no poder.
   •Democracia: governo que representa a vontade dos cidadãos.
•   Aristocracia:forma de governo na qual um pequeno grupo ou classe detém o poder político.
Ostracismo: O “óstraco” era cacos de cerâmica, onde os atenienses escreviam o nome da pessoa que
   queriam banir, por dez anos, da cidade.
Legisladores Atenienses: foram governantes que administraram Atenas. Esses homens criaram leis com a
   finalidade de melhorar a sociedade ateniense. Dentre eles:
   - Drácon: leis severas;
   - Sólon: pôs fim à escravidão por dívidas, reforma agrária e classificou a sociedade com bases em
   fatores econômicos;
   - Pisístrato: estabeleceu a tirania.
   - Clístenes: instalação da democracia – participação política dos cidadãos (exceto mulheres, metecos e
   escravos);
   - Péricles: possibilitou o desenvolvimento artístico, literário e da democracia. Construiu o Parthenon –
   templo dedicado à deusa Atena e as novas muralhas de proteção da cidade.
Classes sociais:
Cidadãos: descendentes dos jônios, de pai e mãe ateniense e os únicos com direitos políticos.
Metecos: eram os estrangeiros, não tinham privilégios políticos e dedicavam-se ao comércio e artesanato.
Escravos: eram comprados como mercadoria, escravizados por dívidas ou ainda prisioneiros de guerras.
Educação em Atenas: era um privilégio dos cidadãos e educavam para ser bons cidadãos. Para isso
precisavam adquirir um corpo sadio e u ma mente ágil, com bom raciocínio.
-6 anos: leitura, cálculo, poesia, drama, história, ciência e ginástica.
-14 anos: ginásio
-18 anos: freqüentavam a academia ou liceu para receber instrução militar e assistiam palestras de sábios.
-20 anos: recebiam o equipamento militar e prestavam um juramento de lealdade a cidade.
Democracia escravista de Atenas: território dividido em 100 áreas chamadas demos agrupadas em 10
tribos. Cada cidadão ateniense registrava-se em seu demo e poderia participar da política da cidade. Só a
classe alta tinha direito ao voto. A mulher, os escravos e os estrangeiros não tinham direito algum.
Organização política:
      •Eclésia: assembléia popular.
      •Bule: era um conselho que elaborava as leis, formada por 500 membros sorteados.
      •Heléia, o tribunal de justiça.
Atenas desenvolveu o comércio e o artesanato juntamente com a agricultura.

                                                 ESPARTA:
Localização: Península do Peloponeso, região da Lacônia.
Forma de governo: Oligarquia militar.
Classes sociais: Espartanos: descendentes dos dórios, eram os únicos que tinham direitos políticos.
                     Periecos : dedicavam-se ao comércio, eram livres mas não tinham direitos políticos.
                     Hilotas: eram os vencidos das guerras, pertenciam ao Estado.

Organização Política: Ápela: assembléia composta por todos os espartanos maiores de 30 anos.
                     Gerúsia: formada por 28 espartanos com mais de 60 anos.
                     Éforato: composto por 5 membros eleitos anualmente pela ápela, eram os que
mandavam.
                     Diarquia: formada por dois reis responsáveis pelos assuntos religiosos e pelo comando
do exército, eram de famílias diferentes, chegavam ao cargo por hereditariedade.
Educação em Esparta: visava formar o bom guerreiro. A disciplina era severa, as crianças defeituosas eram
jogadas do alto de um morro.
-7 anos: os meninos passavam a morar em um acampamento militar. Aprendiam a ler e escrever, mas sua
educação concentrava-se principalmente em exercícios físicos e atividades para manter a disciplina do corpo.
-14 anos: acompanhavam os guerreiros nas guerras.
-20 anos: recebiam o equipamento completo de militar.
-30 anos: adquiriam direitos políticos, recebiam terras e eram obrigados a casar.
                                 DIFERENÇAS ENTRE ATENAS E ESPARTA
ATENAS: desenvolveu o comércio, valorizava a liberdade política, conheceu várias formas de governo, visava
formar cidadãos e a economia baseava-se no comércio, no artesanato e na agricultura.
Esparta era fechada às influências estrangeiras, quase não desenvolveu o comércio, valorizava a autoridade,
a ordem e a disciplina, visava formar bons soldados e a economia baseava-se na agricultura.




                                            5.4. Período Clássico
Foi um período de guerras, sendo que a primeira grande guerra foi contra os persas e denominaram-se
guerras médicas, mais tarde houve uma guerra que atingiu praticamente todas as cidades gregas, a Guerra
do Peloponeso.
Guerras Médicas: no decorrer de quase todo século V a.C. duas grandes civilizações enfrentaram-se, a
Pérsia e a Grécia. A principal causa dessas guerras foi à luta pela independência das cidades jônicas, colônia
grega na Anatólia (região da atual Turquia), que os persas em sua expansão territorial passaram a dominar,
comprometendo o comércio grego no Oriente.


•A primeira Guerra Médica (490 a.C.) O poderoso exército persa, organizado por Dario I, depois de submeter
os jônios e arrasar Mileto (494) dirigiu-se para a Grécia (490). Numa frota composta de 60 navios, atacou
Naxos, incendiou Erétria e desembarcou na Planície de Maratona, próxima de Atenas. Filpíades correu até
Esparta para pedir auxílio, mas não chegou a tempo e acabou morrendo. Milcíades, grande general
ateniense, conseguiu derrotar os invasores salvando a Grécia.

•A segunda Guerra Médica (480 a 479 a.C.). Xerxes, filho de Dario comandou dez anos depois uma invasão à
Grécia em grande escala. Algumas cidades gregas, lideradas por Atenas e Esparta, formaram uma coalizão
para enfrentarem o invasor. Outras como Tebas, submeteram-se aos persas.
Inicialmente, os persas venceram os gregos nas Termópilas (apesar de Leônidas liderar os 300 de Esparta) e
em Artemision; a seguir, invadiram e saquearam Atenas. A frota ateniense, porém, comandada por
Temístocles (524 a.C./459 a.C.), conseguiu destruir a frota persa em Salamina e mudou o rumo da guerra.
Meses depois, comandada pelo espartano Pausânias (510/467 a.C.), o exército da coalizão grega venceu o
exército persa em Platéia e pôs fim à invasão.

A Confederação de Delos (478 a.C.) foi formada uma liga de cidades gregas sob a proteção de Atenas,
denominada "Confederação de Delos", com sede em Delos. Seu objetivo era combater os persas. As cidades
que dela faziam parte deveriam contribuir, anualmente, com dinheiro, homens e barcos.

Século de ouro de Atenas: foi no século V a. C. que Atenas conheceu um grande desenvolvimento artístico
e literário, enriquecendo a cidade com muitos monumentos. Isso foi possível com o capital recolhido da
Confederação de Delos, que foi usado em benefício apenas de Atenas.
•A  Terceira Guerra Médica (468 a.C.). liderados por Artajerjes I, os persas planejaram invadir a Gércia
novamente mas são derrotados pelo ateniense Címon, filho de Milcíades, na Ásia Menor. Foi assinado um
acordo de paz chamado Paz de Calias onde os persas reconheceram o domínio grego sobre o Mar Egeu.

A vitória da Grécia garantiu-lhe o controle comercial da região, imortalizou seus heróis e impôs ao mundo o
  modelo ocidental de se fazer a guerra.

Guerra do Peloponeso: a hegemonia conquistada por Atenas despertou a oposição de Esparta, que apoiada
por outras cidades enfrentou o poderio ateniense, organizando a Liga do Peloponeso e acabaram entrando em
guerra.
As batalhas prolongaram-se por 27 anos e participaram todas as cidades do mundo grego.
As duas Ligas intercalaram vitórias, mas no final, Esparta acabou saindo vitoriosa, assumindo o controle de
uma Grécia exausta.

A vitória de Esparta durou pouco, pois essas guerras enfraqueceram as cidades gregas, facilitando a
conquista por Filipe I, rei da Macedônia.
A conquista da Grécia pelos macedônicos deu inicio ao Período Helenístico.

                                          5.5. Período helenístico
  1. INTRODUÇÃO: as guerras Médicas e do Peloponeso enfraqueceram as cidades-estado gregas, pois
  grande parte da população foi morta, as cidades sofreram destruições e as atividades agrícolas e
  comerciais foram prejudicadas.

  Filipe II, da Macedônia, aproveitou-se do declínio das cidades gregas para conquistá-las. A Macedônia,
  pequena faixa de terra, situava-se no Norte da Grécia, era habitada por povos descendentes dos
  primitivos gregos. Viviam da agricultura do pastoreio.

  A modernização da Macedônia começou com Filipe II, que a governou a partir de 356 a.C. Após uma
  série de reformas internas e conhecendo as rivalidades existentes entre as Cidades-estados gregas
  iniciou a conquista da Grécia. Em 338 a.C., Filipe venceu os gregos na Batalha da Queronéia mas
  morreu dois anos mais tarde, em 336 a.C.

  2. ALEXANDRE MAGNO: filho de Filipe II assumiu o poder depois da morte do pai, dominou a revolta
  grega iniciada após a morte de Filipe II e colocou em prática o plano de conquistar o Oriente, aliado aos
  gregos. Este era um antigo projeto grego, a fim de tomar posse dos tesouros persas, para vingar os
  ataques de Dario e Xerxes e estender o seu domínio além do mar Egeu.

  Alexandre Magno tornou-se imperador aos 20 anos de idade. Grande militar – considerado um dos
  maiores guerreiros da Antiguidade – aos 18 anos Alexandre se destacara como comandante de uma das
  alas do exército macedônico, na batalha de Queronéia.

  Alem de excelente militar, Alexandre era dotado de um grande potencial intelectual, pois fora discípulo
  de Aristóteles, o maior filósofo do século IV e talvez de toda a Grécia Antiga. Como imperador, ele
  superou a obra do seu pai e da maioria dos grandes imperadores orientais.

  Alexandre, o Grande, expandiu o seu império em direção a Ásia e da África. Conquistou o império
  persa, a Fenícia, o Egito e parte da Índia. Ele pretendia conquistar até a região do rio Ganges, na Índia,
  porém seus soldados, cansados de tantas guerras seguidas, se recusaram a segui-lo. De qualquer
  maneira, a Macedônia já havia se tornado o centro de um dos maiores impérios do mundo antigo: O
  Império de Alexandre.
3. CARACTERÍSTICAS DO GOVERNO DE ALEXANDRE MAGNO:
    •Respeitou as religiões dos povos conquistados e suas instituições políticas;
    •Incentivou o casamento entre vencidos e vencedores;
    •Permitiu que jovens persas participassem dos exércitos greco-macedônicos;
•Tentou fundir os povos, buscando eliminar as diferenças e as desigualdades entre eles.

Agindo assim, Alexandre Magno criava condições para uma integração cultural no vasto império por ele
conquistado. O resultado mais importante do seu trabalho foi à chamada cultura helenística.

4. CONCEITO DE HELENISMO: fusão da cultura grega com a dos povos conquistada por Alexandre,
principalmente egípcia.
Em função do expansionismo macedônico para leste, o centro econômico e cultural deslocou-se para o
Oriente, como Pérgamo, Antioquia e Alexandria. Alexandria tornou-se grande centro cultural e
helenístico de respeito mundial em decorrência dos museus e bibliotecas.
5. CARACTERISTICAS DO HELENISMO:
 1.Difusão da língua grega e seus costumes;
 2.Arte impregnada com valores orientais;
 3.Surgimento de centros difusores: Alexandria, Pérgamo, Rodes e Antioquia.
 Após a morte do grande imperador, em 323 a.C., e como conseqüência das lutas internas, o império foi
 dividido entre seus principais generais.
    •O da Síria: formado pela Síria, Ásia Menor, Mesopotâmia e Pérsia;
    •O do Egito: abrangendo o Egito, a Fenícia e a Palestina;
    •O da Macedônia: que englobava a Macedônia e a Grécia
    .
                                           CULTURA GREGA
 1. INTRODUÇÃO: a Grécia Antiga era considerada pelos historiadores como uma civilização de grande
 esplendor cultural. Os gregos desenvolveram a filosofia, as artes, a tecnologia, os esportes e muito
 mais. Tamanha era a importância desta cultura, que os romanos, ao invadir a Península Balcânica, não
 resistiram e beberam nesta esplendida fonte cultural.
 2. CARACTERÍSTICAS:
 Humanismo.
 Otimismo
 Simplicidade.

 3. ARTES: eram humanistas, com a glorificação do homem como a mais importante criatura do
 universo. Refletia o ideal grego de moderação, amor pela vida e de exaltação ao belo.

3.1. Escultura:Os gregos eram excelentes escultores, pois buscavam retratar o corpo humano em sua
perfeição. Músculos, vestimentas, sentimentos e expressões eram retratados pelos escultores gregos. As
artes plásticas da Grécia Antiga influenciaram profundamente a arte romana e renascentista. Fídias,
maior escultor (Deusa Atena)

 3.2. Filosofia: A cidade de Atenas foi palco de grande desenvolvimento filosófico durante a o Período
 Clássico da Grécia (século V AC). Os filósofos gregos pensavam e criavam teorias para explicar a
 complexa existência humana, os comportamentos e sentimentos. Podemos destacar como principais
 filósofos gregos Platão e Sócrates.

 3.3. Esportes: Foram os gregos que desenvolveram os Jogos Olímpicos. Aconteciam de quatro em
 quatro anos na cidade grega de Olímpia. Era uma homenagem aos deuses, principalmente a Zeus
 (deus dos deuses). Atletas de diversas cidades gregas se reuniam para disputarem esportes como, por
 exemplo, natação, corrida, arremesso de disco entre outros. Os vencedores das Olimpíadas eram
recebidos         em          suas          cidades          como          verdadeiros          heróis.

3.4. Mitologia: Para explicarem as coisas do mundo e transmitirem conhecimentos populares, os
gregos criaram vários mitos e lendas. As estórias eram transmitidas oralmente de geração para
geração. A mitologia grega era repleta de monstros, heróis, deuses e outras figuras mitológicas. Os
mitos mais conhecidos são: Minotauro, Cavalo de Tróia, Medusa e Os Doze trabalhos de Hércules.

3.5. Teatro: Os gregos eram apaixonados pelo teatro. As peças eram apresentadas em anfiteatros ao
ar livre e os atores, só homens, representavam usando máscaras. As comédias, dramas e sátiras
retravam, principalmente, o comportamento e os conflitos do ser humano. Ésquilo e Sófocles foram os
dois mais importantes escritores de peças de teatro da Grécia Antiga. Foi a maior expressão literária e
tinha a função de instruir e divertir, com dois gêneros, a tragédia e a comédia.
•Ésquilo, pai da tragédia (Prometeu Acorrentado, Os persas)
•Sófocles: maior teatrólogo. (Édipo, Antígona)

3.6. Arquitetura: Eles assentavam com perfeição os blocos de mármores ou de pedra calcária, sem
usar argamassa e empregavam graciosas colunas para sustentar o trabalho dos templos,
desenvolveram 3 estilos, conhecidos por suas colunas.
O dórico: simples, sobriedade e solidez.
O Jônico: mais leveza e elegância.
O Coríntio: luxuoso, tinha os capitéis enfeitados com folhas, fusão da cultura oriental.




3.7. Literatura: desenvolveram dois estilos:
•Poesia épica: Homero com Ilíada e Odisséia
•Poesia Lírica: cantada com acompanhamento de instrumentos musicais.

3.8. Pintura: pintura em cerâmica, no qual os gregos retratavam costumes e cenas mitológicas.

4. DEMOCRACIA: A cidade de Atenas é considerada o berço da democracia. Os cidadãos atenienses
(homens, nascidos na cidade, adultos e livres) eram aqueles que podiam participar das votações que
ocorriam na Ágora (praça pública). Decidiam, de forma direta, os rumos da cidade-estado.

5. RELIGIÃO: era politeísta e antropomórfica. Os deuses eram semelhantes aos homens, possuindo
seus defeitos e qualidades, com a diferença de serem imortais.
Os deuses habitavam o monte Olimpo. :




Zeus - Deus do céu e Senhor do Olimpo;
Héstia - Deusa do lar;
Hades - Deus do mundo subterrâneo (inferno);
Deméter - Deusa da agricultura;
Hera - Deusa do casamento;
Posêidon - Deus dos mares
Ares - Deus da guerra;
Atena - Deusa da inteligência e da sabedoria;
Afrodite - Deusa do amor e da beleza;
Dionísio - Deus do vinho, do prazer e da aventura;
Apolo - Deus do Sol, das artes e da razão;
Artemis - Deusa da Lua, da caça e da fecundidade animal;
Hefestos - Deus do fogo;
Hermes - Deus do comércio e das comunicações.
Asclépio - Deus da medicina.




Praticavam ainda, o culto dos heróis, ou semideuses que eram seres mitológicos considerados pelos
gregos, como seus antecessores, eram mortais, fundadores de suas cidades, às quais davam proteção:
Teseu, Épido, Perseu, Belerofonte e Hércules.
O culto aos deuses era tão desenvolvido entre os gregos, que chegaram a erigir soberbos templos as
suas divindades, nos quais realizavam suas orações. Consideravam que os oráculos(Delos)eram meios
utilizados pelos deuses para se comunicarem com eles.

Festas realizadas aos deuses:
Jogos Olímpicos, dedicados a Zeus, na cidade Olímpia. Os Jogos Olímpicos eram praticados de quatro
em quatro anos. Durante sua realização, sustavam-se as guerras, e respeitavam-se como as pessoas
sagradas os seus participantes. Deu origem as modernas Olimpíadas.
Festas Dionisíacas: em homenagem ao deus Dioniso, deu origem ao teatro.
Panatenéias: em homenagem a deusa Atena, eram celebradas com concursos de cantos, música e
competições esportivas.


6. CIÊNCIAS:
6.1.História: Heródoto: “Pai da História”, foi o primeiro que separou lenda da informação, só que
procura interpretá-los de acordo om suas crenças religiosas. (Guerras Persas)

6.2. Filosofia: foi uma das grandes realizações dos gregos, significa amor a sabedoria e surgiu para
explicar racionalmente o universo, a origem da vida e do homem.
      •Tales de Mileto: “Pai da Filosofia”, era também matemático, lutou para conseguir a união dos
      gregos contra os persas.(origem do mundo)

•Sócrates: nada respondia, ajudava cada um a descobrir por si mesmo. (preocupação com o homem)

•Platão: discípulo de Sócrates, fundador da academia de Atenas. (República)

     •Aristóteles: dava aulas nos jardins do templo de Apolo Lício, por isso liceu. foi cientista, educou
     Alexandre Magno, classificou as ciências, criou a Zoologia e a Botânica.

6.3. Matemática: Pitágoras: filosofo e matemático criou o Teorema de Pitágoras.

6.4. Medicina: Hipócrates de Cós, que descobriu que as doenças tem causas naturais, com o método de
observação clinica.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

História do maranhão
História do maranhãoHistória do maranhão
História do maranhão
Lyssa Martins
 
Grécia Antiga
 Grécia Antiga Grécia Antiga
Grécia Antiga
Luis Silva
 
Quiz - 6º ano "D"
Quiz - 6º ano "D"Quiz - 6º ano "D"
Quiz - 6º ano "D"
Marcela Marangon Ribeiro
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Janaína Bindá
 
Império Macedônico
Império MacedônicoImpério Macedônico
Império Macedônico
Adriana Gomes Messias
 
Atividade sobre as grandes navegaçoes
Atividade sobre as grandes navegaçoesAtividade sobre as grandes navegaçoes
Atividade sobre as grandes navegaçoes
Atividades Diversas Cláudia
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
cattonia
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
Nefer19
 
Atividades discursivas grécia antiga
Atividades discursivas grécia antigaAtividades discursivas grécia antiga
Atividades discursivas grécia antiga
PAULO APARECIDO DOS SANTOS
 
Renascimento Reforma Protestante e Contrarreforma
Renascimento Reforma Protestante e ContrarreformaRenascimento Reforma Protestante e Contrarreforma
Renascimento Reforma Protestante e Contrarreforma
Luis Silva
 
Exercicios 6 ano grecia
Exercicios 6 ano greciaExercicios 6 ano grecia
Exercicios 6 ano grecia
Mila E Wlamir
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
Marco Santos
 
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
Daniel Alves Bronstrup
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
Fabiana Tonsis
 
O Renascimento - 7º Ano (2016)
O Renascimento  - 7º Ano (2016)O Renascimento  - 7º Ano (2016)
O Renascimento - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
Gustavo_Cardoso
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Cruzadinha de História - O humanismo e o renascimento
Cruzadinha de História - O  humanismo e o renascimentoCruzadinha de História - O  humanismo e o renascimento
Cruzadinha de História - O humanismo e o renascimento
Mary Alvarenga
 
Teste de História: absolutismo e mercantilismo
Teste de História: absolutismo e mercantilismoTeste de História: absolutismo e mercantilismo
Teste de História: absolutismo e mercantilismo
Acrópole - História & Educação
 
Independência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da BahiaIndependência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da Bahia
Aulas de História
 

Mais procurados (20)

História do maranhão
História do maranhãoHistória do maranhão
História do maranhão
 
Grécia Antiga
 Grécia Antiga Grécia Antiga
Grécia Antiga
 
Quiz - 6º ano "D"
Quiz - 6º ano "D"Quiz - 6º ano "D"
Quiz - 6º ano "D"
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
 
Império Macedônico
Império MacedônicoImpério Macedônico
Império Macedônico
 
Atividade sobre as grandes navegaçoes
Atividade sobre as grandes navegaçoesAtividade sobre as grandes navegaçoes
Atividade sobre as grandes navegaçoes
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
 
Atividades discursivas grécia antiga
Atividades discursivas grécia antigaAtividades discursivas grécia antiga
Atividades discursivas grécia antiga
 
Renascimento Reforma Protestante e Contrarreforma
Renascimento Reforma Protestante e ContrarreformaRenascimento Reforma Protestante e Contrarreforma
Renascimento Reforma Protestante e Contrarreforma
 
Exercicios 6 ano grecia
Exercicios 6 ano greciaExercicios 6 ano grecia
Exercicios 6 ano grecia
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
 
O Renascimento - 7º Ano (2016)
O Renascimento  - 7º Ano (2016)O Renascimento  - 7º Ano (2016)
O Renascimento - 7º Ano (2016)
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
 
Cruzadinha de História - O humanismo e o renascimento
Cruzadinha de História - O  humanismo e o renascimentoCruzadinha de História - O  humanismo e o renascimento
Cruzadinha de História - O humanismo e o renascimento
 
Teste de História: absolutismo e mercantilismo
Teste de História: absolutismo e mercantilismoTeste de História: absolutismo e mercantilismo
Teste de História: absolutismo e mercantilismo
 
Independência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da BahiaIndependência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da Bahia
 

Destaque

1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
Daniel Alves Bronstrup
 
Resumo grécia antiga
Resumo  grécia antigaResumo  grécia antiga
Resumo grécia antiga
Claudenilson da Silva
 
Civilização Grega
Civilização GregaCivilização Grega
Civilização Grega
Margarida Moreira
 
Grecia Antiga
Grecia AntigaGrecia Antiga
Grecia Antiga
Sara Silva
 
GRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGAGRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGA
Jackeline Póvoas
 
Cultura grega
Cultura gregaCultura grega
Cultura grega
Filipe Matos
 
3° ano - Grécia Antiga – aula 2
3° ano - Grécia Antiga – aula 23° ano - Grécia Antiga – aula 2
3° ano - Grécia Antiga – aula 2
Daniel Alves Bronstrup
 
A CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO GregaA CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO Grega
Sílvia Mendonça
 
PPT - Civilização Grega
PPT - Civilização GregaPPT - Civilização Grega
PPT - Civilização Grega
josafaslima
 
Roma antiga resumo
Roma antiga resumoRoma antiga resumo
Roma antiga resumo
Gisele Finatti Baraglio
 
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e EspartaGrecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Alexandre Protásio
 
Introdução ao estudo de História
Introdução ao estudo de HistóriaIntrodução ao estudo de História
Introdução ao estudo de História
Alex Ferreira dos Santos
 
O Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o anoO Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o ano
Lucas Degiovani
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
Eloy Souza
 
Grécia Antiga
Grécia  AntigaGrécia  Antiga
Grécia Antiga
Thiago Bro
 
Esquema resumo grécia antiga
Esquema resumo grécia antigaEsquema resumo grécia antiga
Esquema resumo grécia antiga
luzia Camilo lopes
 
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
aparicioanabela
 
A cultura grega
A cultura gregaA cultura grega
A cultura grega
historiajovem2011
 
Aulas 1ª unidade
Aulas 1ª unidadeAulas 1ª unidade
Aulas 1ª unidade
Jackeline Póvoas
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
Valeria Kosicki
 

Destaque (20)

1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
 
Resumo grécia antiga
Resumo  grécia antigaResumo  grécia antiga
Resumo grécia antiga
 
Civilização Grega
Civilização GregaCivilização Grega
Civilização Grega
 
Grecia Antiga
Grecia AntigaGrecia Antiga
Grecia Antiga
 
GRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGAGRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGA
 
Cultura grega
Cultura gregaCultura grega
Cultura grega
 
3° ano - Grécia Antiga – aula 2
3° ano - Grécia Antiga – aula 23° ano - Grécia Antiga – aula 2
3° ano - Grécia Antiga – aula 2
 
A CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO GregaA CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO Grega
 
PPT - Civilização Grega
PPT - Civilização GregaPPT - Civilização Grega
PPT - Civilização Grega
 
Roma antiga resumo
Roma antiga resumoRoma antiga resumo
Roma antiga resumo
 
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e EspartaGrecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
 
Introdução ao estudo de História
Introdução ao estudo de HistóriaIntrodução ao estudo de História
Introdução ao estudo de História
 
O Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o anoO Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o ano
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
 
Grécia Antiga
Grécia  AntigaGrécia  Antiga
Grécia Antiga
 
Esquema resumo grécia antiga
Esquema resumo grécia antigaEsquema resumo grécia antiga
Esquema resumo grécia antiga
 
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
Grécia Antiga - Telma e Andreia 10h2
 
A cultura grega
A cultura gregaA cultura grega
A cultura grega
 
Aulas 1ª unidade
Aulas 1ª unidadeAulas 1ª unidade
Aulas 1ª unidade
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 

Semelhante a Resumo grécia

Grecia antiga 2011
Grecia antiga 2011Grecia antiga 2011
Grecia antiga 2011
Carlos Zaranza
 
Grécia Antiga
Grécia AntigaGrécia Antiga
Grécia Antiga
Isabel Aguiar
 
GRECIA 2013
GRECIA 2013GRECIA 2013
GRECIA 2013
Fabio Salvari
 
Grécia Antiga
Grécia AntigaGrécia Antiga
Grécia Antiga
Ramon Chieppe
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Módulo 1 contexto histórico regular
Módulo 1   contexto histórico regularMódulo 1   contexto histórico regular
Módulo 1 contexto histórico regular
Carla Freitas
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
ISJ
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
Victor Melo
 
Grecia antiga 2
Grecia antiga 2Grecia antiga 2
Grecia antiga 2
joaoamrfs
 
História aula 01 - mundo grego
História   aula 01 - mundo gregoHistória   aula 01 - mundo grego
História aula 01 - mundo grego
Caio César
 
História - Mundo Grego
História - Mundo GregoHistória - Mundo Grego
História - Mundo Grego
Carson Souza
 
História - Mundo Grego
História -  Mundo GregoHistória -  Mundo Grego
História - Mundo Grego
Carson Souza
 
Grecia Antiga
Grecia Antiga Grecia Antiga
Grecia Antiga
Carlos Zaranza
 
Pism
PismPism
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
Braulio Santos Pereira
 
Os Gregos No SéCulo V
Os Gregos No SéCulo VOs Gregos No SéCulo V
Os Gregos No SéCulo V
Sílvia Mendonça
 
A Grécia Antiga
A Grécia AntigaA Grécia Antiga
A Grécia Antiga
Sílvia Mendonça
 
Grécia_Antiga.ppt
Grécia_Antiga.pptGrécia_Antiga.ppt
Grécia_Antiga.ppt
PedroIgor76
 
Trabalho de historia periodo arcaico
Trabalho de historia   periodo arcaicoTrabalho de historia   periodo arcaico
Trabalho de historia periodo arcaico
Jhorlando
 
Grecia
GreciaGrecia

Semelhante a Resumo grécia (20)

Grecia antiga 2011
Grecia antiga 2011Grecia antiga 2011
Grecia antiga 2011
 
Grécia Antiga
Grécia AntigaGrécia Antiga
Grécia Antiga
 
GRECIA 2013
GRECIA 2013GRECIA 2013
GRECIA 2013
 
Grécia Antiga
Grécia AntigaGrécia Antiga
Grécia Antiga
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Módulo 1 contexto histórico regular
Módulo 1   contexto histórico regularMódulo 1   contexto histórico regular
Módulo 1 contexto histórico regular
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
Grecia antiga 2
Grecia antiga 2Grecia antiga 2
Grecia antiga 2
 
História aula 01 - mundo grego
História   aula 01 - mundo gregoHistória   aula 01 - mundo grego
História aula 01 - mundo grego
 
História - Mundo Grego
História - Mundo GregoHistória - Mundo Grego
História - Mundo Grego
 
História - Mundo Grego
História -  Mundo GregoHistória -  Mundo Grego
História - Mundo Grego
 
Grecia Antiga
Grecia Antiga Grecia Antiga
Grecia Antiga
 
Pism
PismPism
Pism
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
Os Gregos No SéCulo V
Os Gregos No SéCulo VOs Gregos No SéCulo V
Os Gregos No SéCulo V
 
A Grécia Antiga
A Grécia AntigaA Grécia Antiga
A Grécia Antiga
 
Grécia_Antiga.ppt
Grécia_Antiga.pptGrécia_Antiga.ppt
Grécia_Antiga.ppt
 
Trabalho de historia periodo arcaico
Trabalho de historia   periodo arcaicoTrabalho de historia   periodo arcaico
Trabalho de historia periodo arcaico
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 

Mais de Péricles Penuel

Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
Péricles Penuel
 
Arte egípicia
Arte egípiciaArte egípicia
Arte egípicia
Péricles Penuel
 
éTica capitulo 6
éTica capitulo 6éTica capitulo 6
éTica capitulo 6
Péricles Penuel
 
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Péricles Penuel
 
3 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 20133 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 2013
Péricles Penuel
 
1 diversidade da vida
1 diversidade da vida1 diversidade da vida
1 diversidade da vida
Péricles Penuel
 
Lista 1 2013 escalas termométricas
Lista 1 2013   escalas termométricasLista 1 2013   escalas termométricas
Lista 1 2013 escalas termométricas
Péricles Penuel
 
Aula 2 população
Aula 2   populaçãoAula 2   população
Aula 2 população
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
Péricles Penuel
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
Péricles Penuel
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
Péricles Penuel
 
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano   frente 2 - procariontesBiologia 2º ano   frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
Péricles Penuel
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
Aula 1 o brasil
Aula 1   o brasilAula 1   o brasil
Aula 1 o brasil
Péricles Penuel
 
Entradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmpEntradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmp
Péricles Penuel
 
Plano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmpPlano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmp
Péricles Penuel
 

Mais de Péricles Penuel (20)

Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
 
Arte egípicia
Arte egípiciaArte egípicia
Arte egípicia
 
éTica capitulo 6
éTica capitulo 6éTica capitulo 6
éTica capitulo 6
 
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
 
3 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 20133 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 2013
 
1 diversidade da vida
1 diversidade da vida1 diversidade da vida
1 diversidade da vida
 
Lista 1 2013 escalas termométricas
Lista 1 2013   escalas termométricasLista 1 2013   escalas termométricas
Lista 1 2013 escalas termométricas
 
Aula 2 população
Aula 2   populaçãoAula 2   população
Aula 2 população
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
 
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano   frente 2 - procariontesBiologia 2º ano   frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
Aula 1 o brasil
Aula 1   o brasilAula 1   o brasil
Aula 1 o brasil
 
Entradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmpEntradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmp
 
Plano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmpPlano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmp
 

Resumo grécia

  • 1. COLÉGIO MILITAR DE CAMPO GRANDE DISCIPLINA DE HISTÓRIA 1º ANO DO ENSINO MÉDIO ASSUNTO: CIVILIZAÇÃO GREGA 1. LOCALIZAÇÃO: a Grécia está localizada no Sul da Península Balcânica, entre os mares Mediterrâneo, Jônico e Egeu, limita-se ao Norte com a Macedônia, a Albânia, a Bulgária e a Nordeste com a Turquia. 2. MEIO-FÍSICO: possui um solo rochoso e árido, sendo que 80% do território são formados por montanhas. Tem um litoral bem recortado e com muitas baías, dando origem a muitos portos naturais. Esse relevo e solo influenciaram na atividade econômica desenvolvida e na formação das Cidades-Estados. Compreendia 4 regiões: Grécia Asiática: colônias na Ásia Menor. Grécia Continental: terras ligadas ao continente europeu. Grécia Insular: formada pelas ilhas. Magna Grécia: localizada na Península Itálica. MAGNA GRÉCIA
  • 2. 3. ECONOMIA: Agricultura: a pouca quantidade de chuvas, os rios secos e a escassez de terras férteis dificultaram o desenvolvimento da agricultura. Cultivavam a vinha, a oliveira e a figueira. Artesanato: possuíam excelente argila e um território rico em minérios de ferro, cobre e mármore, por isso desenvolveram o artesanato. Comércio marítimo: existência de portos naturais e o relevo montanhoso favoreceram a navegação ao mesmo tempo em que dificultava a comunicação interna, por isso usavam embarcações para irem de um lugar para outro o que acabou desenvolvendo o comércio. 4. POVOS FORMADORES DA GRÉCIA: Aqueus, Jônios, Eólios, Dórios 5. HISTÓRIA POLÍTICA DA GRÉCIA: compreende 4 períodos. • Período Pré-Homérico: séc. XX a.C. ao XII a.C. • Período Homérico: séc. XII ao séc. VIII a.C. • Período Arcaico: VIII a.C. ao VI a.C. • Período Clássico: V a.C. ao IV a.C. 5.1. Período Pré-Homérico: Período de povoamento da Grécia, a partir de 2 000 a.C.com a chegada dos aqueus. Os aqueus entraram em contato com os cretenses, de quem aprenderam a escrita, técnicas agrícolas, técnicas de navegação, comerciais e construção e depois os aniquilaram. Organizaram vários reinos liderados pela cidade de Micenas. Mais tarde chegaram os eólios e os jônios, sendo que a convivência foi pacifica. No século XII a. C. chegaram os dórios, tribo guerreira, nômade e belicosa, que destruíram as cidades gregas, ocorrendo um retrocesso na região. 5.2. Período Homérico Recebeu esse nome em homenagem a Homero (Ilíada e Odisséia), cujas obras serviram para o estudo desse período. As invasões dóricas provocaram retrocesso nas relações comerciais, sociais e culturais gregas, surgindo os Genos. Genos: comunidade familiar, chefiada pelo patriarca (hereditário), onde a terra, a produção e os bens eram coletivos. Quase que auto-suficiente, em raros momentos praticavam a troca. Desagregação dos genos: provocado pelo aumento da população e em conseqüência ocorreu a divisão das terras.
  • 3. Conseqüências da desagregação dos genos: •Surgimento das classes sociais. (a classe mais alta era formada pelos parentes mais próximos do patriarca). •Escassez de terras para o cultivo, já que a maioria da terra ficava com um pequeno grupo de pessoas. (classe alta) •Processo de expansão, com o surgimento de colônias fora da Grécia. (Ásia Menor e Magna Grécia): o território da Grécia tinha se tornado pequeno para atender às necessidades de uma população cada vez maior, além disso, as terras estavam nas mãos da aristocracia e por isso numerosos agricultores foram em busca de terras fora da Grécia, dando origem as colônias gregas. 5.3. Período Arcaico O período caracterizou-se pelo desenvolvimento das Cidades-estado, pela emigração e fundação das colônias gregas em regiões fora do país. Foi uma época de expansão do povo grego por todo mar Mediterrâneo e Negro. Foram fundadas cidades-estados independentes, ligadas pela cultura grega. Neste mesmo período o povo grego entrou em contato com povos da Síria, Mesopotâmia, Índia e China devido às trocas comerciais, tornando o mar Egeu o centro das rotas marítimas em direção à Ásia. Várias frátrias formavam uma tribo, diversas tribos juntas deram origem aos demos – que, em grego, significa povo. As tribos se fixavam no alto dos montes por questão de segurança(Acrópole). Construíram fortaleza criando a administração política e o templos religiosos. Obedeciam ao rei (basileu), que tinha funções: política, militar e religiosa. Nas áreas próximas da acrópole desenvolveram atividades agrícolas, pecuária. As cidades gregas (espaço urbano e rural) eram construídas em torno de uma praça chamada Àgora. Nessa praça, a população fazia comércio, discutiam problemas em geral. Era comum os camponeses se endividarem e tornarem-se escravos por dívida, pois não conseguiam produzir o mesmo tanto que os mais ricos (aristocratas). Esquema: Aristocracia - frátrias - tribo Várias tribos se agruparam no alto de montes, formando a polis que era formada pela Acrópole ( templos e fortaleza ), com a administração pública (basileu) e religiosa. •Ágora ( praça ) •Asti (mercado )
  • 4. POLIS GREGA Portanto, as polis deram origem as Cidades-Estados, essas cidades tinham a cultura em comum, mas politicamente eram independentes. As principais cidades-estados gregas foram: Corinto, Tebas, Olímpia, Mileto, Argos, merecendo destaque para Atenas e Esparta. ATENAS: Localização: Península da Ática. Fundadores: jônios Formas de governo: Monarquia, Arcontado, Tirania e Democracia. •Monarquia: governo hereditário e vitalício, onde o chefe detém todo poder (hoje a maior parte das monarquias é constitucional). •Arcontado: governo constituído por uma assembléia de nobres. •Tirania:o chefe governa com poderes ilimitado, usando da força para se manter no poder. •Democracia: governo que representa a vontade dos cidadãos.
  • 5. Aristocracia:forma de governo na qual um pequeno grupo ou classe detém o poder político. Ostracismo: O “óstraco” era cacos de cerâmica, onde os atenienses escreviam o nome da pessoa que queriam banir, por dez anos, da cidade. Legisladores Atenienses: foram governantes que administraram Atenas. Esses homens criaram leis com a finalidade de melhorar a sociedade ateniense. Dentre eles: - Drácon: leis severas; - Sólon: pôs fim à escravidão por dívidas, reforma agrária e classificou a sociedade com bases em fatores econômicos; - Pisístrato: estabeleceu a tirania. - Clístenes: instalação da democracia – participação política dos cidadãos (exceto mulheres, metecos e escravos); - Péricles: possibilitou o desenvolvimento artístico, literário e da democracia. Construiu o Parthenon – templo dedicado à deusa Atena e as novas muralhas de proteção da cidade. Classes sociais: Cidadãos: descendentes dos jônios, de pai e mãe ateniense e os únicos com direitos políticos. Metecos: eram os estrangeiros, não tinham privilégios políticos e dedicavam-se ao comércio e artesanato. Escravos: eram comprados como mercadoria, escravizados por dívidas ou ainda prisioneiros de guerras. Educação em Atenas: era um privilégio dos cidadãos e educavam para ser bons cidadãos. Para isso precisavam adquirir um corpo sadio e u ma mente ágil, com bom raciocínio. -6 anos: leitura, cálculo, poesia, drama, história, ciência e ginástica. -14 anos: ginásio -18 anos: freqüentavam a academia ou liceu para receber instrução militar e assistiam palestras de sábios. -20 anos: recebiam o equipamento militar e prestavam um juramento de lealdade a cidade. Democracia escravista de Atenas: território dividido em 100 áreas chamadas demos agrupadas em 10 tribos. Cada cidadão ateniense registrava-se em seu demo e poderia participar da política da cidade. Só a classe alta tinha direito ao voto. A mulher, os escravos e os estrangeiros não tinham direito algum. Organização política: •Eclésia: assembléia popular. •Bule: era um conselho que elaborava as leis, formada por 500 membros sorteados. •Heléia, o tribunal de justiça. Atenas desenvolveu o comércio e o artesanato juntamente com a agricultura. ESPARTA: Localização: Península do Peloponeso, região da Lacônia. Forma de governo: Oligarquia militar. Classes sociais: Espartanos: descendentes dos dórios, eram os únicos que tinham direitos políticos. Periecos : dedicavam-se ao comércio, eram livres mas não tinham direitos políticos. Hilotas: eram os vencidos das guerras, pertenciam ao Estado. Organização Política: Ápela: assembléia composta por todos os espartanos maiores de 30 anos. Gerúsia: formada por 28 espartanos com mais de 60 anos. Éforato: composto por 5 membros eleitos anualmente pela ápela, eram os que mandavam. Diarquia: formada por dois reis responsáveis pelos assuntos religiosos e pelo comando do exército, eram de famílias diferentes, chegavam ao cargo por hereditariedade. Educação em Esparta: visava formar o bom guerreiro. A disciplina era severa, as crianças defeituosas eram jogadas do alto de um morro. -7 anos: os meninos passavam a morar em um acampamento militar. Aprendiam a ler e escrever, mas sua educação concentrava-se principalmente em exercícios físicos e atividades para manter a disciplina do corpo. -14 anos: acompanhavam os guerreiros nas guerras. -20 anos: recebiam o equipamento completo de militar. -30 anos: adquiriam direitos políticos, recebiam terras e eram obrigados a casar. DIFERENÇAS ENTRE ATENAS E ESPARTA ATENAS: desenvolveu o comércio, valorizava a liberdade política, conheceu várias formas de governo, visava formar cidadãos e a economia baseava-se no comércio, no artesanato e na agricultura.
  • 6. Esparta era fechada às influências estrangeiras, quase não desenvolveu o comércio, valorizava a autoridade, a ordem e a disciplina, visava formar bons soldados e a economia baseava-se na agricultura. 5.4. Período Clássico Foi um período de guerras, sendo que a primeira grande guerra foi contra os persas e denominaram-se guerras médicas, mais tarde houve uma guerra que atingiu praticamente todas as cidades gregas, a Guerra do Peloponeso. Guerras Médicas: no decorrer de quase todo século V a.C. duas grandes civilizações enfrentaram-se, a Pérsia e a Grécia. A principal causa dessas guerras foi à luta pela independência das cidades jônicas, colônia grega na Anatólia (região da atual Turquia), que os persas em sua expansão territorial passaram a dominar, comprometendo o comércio grego no Oriente. •A primeira Guerra Médica (490 a.C.) O poderoso exército persa, organizado por Dario I, depois de submeter os jônios e arrasar Mileto (494) dirigiu-se para a Grécia (490). Numa frota composta de 60 navios, atacou Naxos, incendiou Erétria e desembarcou na Planície de Maratona, próxima de Atenas. Filpíades correu até Esparta para pedir auxílio, mas não chegou a tempo e acabou morrendo. Milcíades, grande general ateniense, conseguiu derrotar os invasores salvando a Grécia. •A segunda Guerra Médica (480 a 479 a.C.). Xerxes, filho de Dario comandou dez anos depois uma invasão à Grécia em grande escala. Algumas cidades gregas, lideradas por Atenas e Esparta, formaram uma coalizão para enfrentarem o invasor. Outras como Tebas, submeteram-se aos persas. Inicialmente, os persas venceram os gregos nas Termópilas (apesar de Leônidas liderar os 300 de Esparta) e em Artemision; a seguir, invadiram e saquearam Atenas. A frota ateniense, porém, comandada por Temístocles (524 a.C./459 a.C.), conseguiu destruir a frota persa em Salamina e mudou o rumo da guerra. Meses depois, comandada pelo espartano Pausânias (510/467 a.C.), o exército da coalizão grega venceu o exército persa em Platéia e pôs fim à invasão. A Confederação de Delos (478 a.C.) foi formada uma liga de cidades gregas sob a proteção de Atenas, denominada "Confederação de Delos", com sede em Delos. Seu objetivo era combater os persas. As cidades que dela faziam parte deveriam contribuir, anualmente, com dinheiro, homens e barcos. Século de ouro de Atenas: foi no século V a. C. que Atenas conheceu um grande desenvolvimento artístico e literário, enriquecendo a cidade com muitos monumentos. Isso foi possível com o capital recolhido da Confederação de Delos, que foi usado em benefício apenas de Atenas.
  • 7. •A Terceira Guerra Médica (468 a.C.). liderados por Artajerjes I, os persas planejaram invadir a Gércia novamente mas são derrotados pelo ateniense Címon, filho de Milcíades, na Ásia Menor. Foi assinado um acordo de paz chamado Paz de Calias onde os persas reconheceram o domínio grego sobre o Mar Egeu. A vitória da Grécia garantiu-lhe o controle comercial da região, imortalizou seus heróis e impôs ao mundo o modelo ocidental de se fazer a guerra. Guerra do Peloponeso: a hegemonia conquistada por Atenas despertou a oposição de Esparta, que apoiada por outras cidades enfrentou o poderio ateniense, organizando a Liga do Peloponeso e acabaram entrando em guerra. As batalhas prolongaram-se por 27 anos e participaram todas as cidades do mundo grego. As duas Ligas intercalaram vitórias, mas no final, Esparta acabou saindo vitoriosa, assumindo o controle de uma Grécia exausta. A vitória de Esparta durou pouco, pois essas guerras enfraqueceram as cidades gregas, facilitando a conquista por Filipe I, rei da Macedônia. A conquista da Grécia pelos macedônicos deu inicio ao Período Helenístico. 5.5. Período helenístico 1. INTRODUÇÃO: as guerras Médicas e do Peloponeso enfraqueceram as cidades-estado gregas, pois grande parte da população foi morta, as cidades sofreram destruições e as atividades agrícolas e comerciais foram prejudicadas. Filipe II, da Macedônia, aproveitou-se do declínio das cidades gregas para conquistá-las. A Macedônia, pequena faixa de terra, situava-se no Norte da Grécia, era habitada por povos descendentes dos primitivos gregos. Viviam da agricultura do pastoreio. A modernização da Macedônia começou com Filipe II, que a governou a partir de 356 a.C. Após uma série de reformas internas e conhecendo as rivalidades existentes entre as Cidades-estados gregas iniciou a conquista da Grécia. Em 338 a.C., Filipe venceu os gregos na Batalha da Queronéia mas morreu dois anos mais tarde, em 336 a.C. 2. ALEXANDRE MAGNO: filho de Filipe II assumiu o poder depois da morte do pai, dominou a revolta grega iniciada após a morte de Filipe II e colocou em prática o plano de conquistar o Oriente, aliado aos gregos. Este era um antigo projeto grego, a fim de tomar posse dos tesouros persas, para vingar os ataques de Dario e Xerxes e estender o seu domínio além do mar Egeu. Alexandre Magno tornou-se imperador aos 20 anos de idade. Grande militar – considerado um dos maiores guerreiros da Antiguidade – aos 18 anos Alexandre se destacara como comandante de uma das alas do exército macedônico, na batalha de Queronéia. Alem de excelente militar, Alexandre era dotado de um grande potencial intelectual, pois fora discípulo de Aristóteles, o maior filósofo do século IV e talvez de toda a Grécia Antiga. Como imperador, ele superou a obra do seu pai e da maioria dos grandes imperadores orientais. Alexandre, o Grande, expandiu o seu império em direção a Ásia e da África. Conquistou o império persa, a Fenícia, o Egito e parte da Índia. Ele pretendia conquistar até a região do rio Ganges, na Índia, porém seus soldados, cansados de tantas guerras seguidas, se recusaram a segui-lo. De qualquer maneira, a Macedônia já havia se tornado o centro de um dos maiores impérios do mundo antigo: O Império de Alexandre.
  • 8. 3. CARACTERÍSTICAS DO GOVERNO DE ALEXANDRE MAGNO: •Respeitou as religiões dos povos conquistados e suas instituições políticas; •Incentivou o casamento entre vencidos e vencedores; •Permitiu que jovens persas participassem dos exércitos greco-macedônicos; •Tentou fundir os povos, buscando eliminar as diferenças e as desigualdades entre eles. Agindo assim, Alexandre Magno criava condições para uma integração cultural no vasto império por ele conquistado. O resultado mais importante do seu trabalho foi à chamada cultura helenística. 4. CONCEITO DE HELENISMO: fusão da cultura grega com a dos povos conquistada por Alexandre, principalmente egípcia. Em função do expansionismo macedônico para leste, o centro econômico e cultural deslocou-se para o Oriente, como Pérgamo, Antioquia e Alexandria. Alexandria tornou-se grande centro cultural e helenístico de respeito mundial em decorrência dos museus e bibliotecas.
  • 9. 5. CARACTERISTICAS DO HELENISMO: 1.Difusão da língua grega e seus costumes; 2.Arte impregnada com valores orientais; 3.Surgimento de centros difusores: Alexandria, Pérgamo, Rodes e Antioquia. Após a morte do grande imperador, em 323 a.C., e como conseqüência das lutas internas, o império foi dividido entre seus principais generais. •O da Síria: formado pela Síria, Ásia Menor, Mesopotâmia e Pérsia; •O do Egito: abrangendo o Egito, a Fenícia e a Palestina; •O da Macedônia: que englobava a Macedônia e a Grécia . CULTURA GREGA 1. INTRODUÇÃO: a Grécia Antiga era considerada pelos historiadores como uma civilização de grande esplendor cultural. Os gregos desenvolveram a filosofia, as artes, a tecnologia, os esportes e muito mais. Tamanha era a importância desta cultura, que os romanos, ao invadir a Península Balcânica, não resistiram e beberam nesta esplendida fonte cultural. 2. CARACTERÍSTICAS: Humanismo. Otimismo Simplicidade. 3. ARTES: eram humanistas, com a glorificação do homem como a mais importante criatura do universo. Refletia o ideal grego de moderação, amor pela vida e de exaltação ao belo. 3.1. Escultura:Os gregos eram excelentes escultores, pois buscavam retratar o corpo humano em sua perfeição. Músculos, vestimentas, sentimentos e expressões eram retratados pelos escultores gregos. As artes plásticas da Grécia Antiga influenciaram profundamente a arte romana e renascentista. Fídias, maior escultor (Deusa Atena) 3.2. Filosofia: A cidade de Atenas foi palco de grande desenvolvimento filosófico durante a o Período Clássico da Grécia (século V AC). Os filósofos gregos pensavam e criavam teorias para explicar a complexa existência humana, os comportamentos e sentimentos. Podemos destacar como principais filósofos gregos Platão e Sócrates. 3.3. Esportes: Foram os gregos que desenvolveram os Jogos Olímpicos. Aconteciam de quatro em quatro anos na cidade grega de Olímpia. Era uma homenagem aos deuses, principalmente a Zeus (deus dos deuses). Atletas de diversas cidades gregas se reuniam para disputarem esportes como, por exemplo, natação, corrida, arremesso de disco entre outros. Os vencedores das Olimpíadas eram
  • 10. recebidos em suas cidades como verdadeiros heróis. 3.4. Mitologia: Para explicarem as coisas do mundo e transmitirem conhecimentos populares, os gregos criaram vários mitos e lendas. As estórias eram transmitidas oralmente de geração para geração. A mitologia grega era repleta de monstros, heróis, deuses e outras figuras mitológicas. Os mitos mais conhecidos são: Minotauro, Cavalo de Tróia, Medusa e Os Doze trabalhos de Hércules. 3.5. Teatro: Os gregos eram apaixonados pelo teatro. As peças eram apresentadas em anfiteatros ao ar livre e os atores, só homens, representavam usando máscaras. As comédias, dramas e sátiras retravam, principalmente, o comportamento e os conflitos do ser humano. Ésquilo e Sófocles foram os dois mais importantes escritores de peças de teatro da Grécia Antiga. Foi a maior expressão literária e tinha a função de instruir e divertir, com dois gêneros, a tragédia e a comédia. •Ésquilo, pai da tragédia (Prometeu Acorrentado, Os persas) •Sófocles: maior teatrólogo. (Édipo, Antígona) 3.6. Arquitetura: Eles assentavam com perfeição os blocos de mármores ou de pedra calcária, sem usar argamassa e empregavam graciosas colunas para sustentar o trabalho dos templos, desenvolveram 3 estilos, conhecidos por suas colunas. O dórico: simples, sobriedade e solidez. O Jônico: mais leveza e elegância. O Coríntio: luxuoso, tinha os capitéis enfeitados com folhas, fusão da cultura oriental. 3.7. Literatura: desenvolveram dois estilos: •Poesia épica: Homero com Ilíada e Odisséia
  • 11. •Poesia Lírica: cantada com acompanhamento de instrumentos musicais. 3.8. Pintura: pintura em cerâmica, no qual os gregos retratavam costumes e cenas mitológicas. 4. DEMOCRACIA: A cidade de Atenas é considerada o berço da democracia. Os cidadãos atenienses (homens, nascidos na cidade, adultos e livres) eram aqueles que podiam participar das votações que ocorriam na Ágora (praça pública). Decidiam, de forma direta, os rumos da cidade-estado. 5. RELIGIÃO: era politeísta e antropomórfica. Os deuses eram semelhantes aos homens, possuindo seus defeitos e qualidades, com a diferença de serem imortais. Os deuses habitavam o monte Olimpo. : Zeus - Deus do céu e Senhor do Olimpo; Héstia - Deusa do lar; Hades - Deus do mundo subterrâneo (inferno);
  • 12. Deméter - Deusa da agricultura; Hera - Deusa do casamento; Posêidon - Deus dos mares Ares - Deus da guerra; Atena - Deusa da inteligência e da sabedoria; Afrodite - Deusa do amor e da beleza; Dionísio - Deus do vinho, do prazer e da aventura; Apolo - Deus do Sol, das artes e da razão; Artemis - Deusa da Lua, da caça e da fecundidade animal; Hefestos - Deus do fogo; Hermes - Deus do comércio e das comunicações. Asclépio - Deus da medicina. Praticavam ainda, o culto dos heróis, ou semideuses que eram seres mitológicos considerados pelos gregos, como seus antecessores, eram mortais, fundadores de suas cidades, às quais davam proteção: Teseu, Épido, Perseu, Belerofonte e Hércules. O culto aos deuses era tão desenvolvido entre os gregos, que chegaram a erigir soberbos templos as suas divindades, nos quais realizavam suas orações. Consideravam que os oráculos(Delos)eram meios utilizados pelos deuses para se comunicarem com eles. Festas realizadas aos deuses: Jogos Olímpicos, dedicados a Zeus, na cidade Olímpia. Os Jogos Olímpicos eram praticados de quatro em quatro anos. Durante sua realização, sustavam-se as guerras, e respeitavam-se como as pessoas sagradas os seus participantes. Deu origem as modernas Olimpíadas. Festas Dionisíacas: em homenagem ao deus Dioniso, deu origem ao teatro. Panatenéias: em homenagem a deusa Atena, eram celebradas com concursos de cantos, música e competições esportivas. 6. CIÊNCIAS:
  • 13. 6.1.História: Heródoto: “Pai da História”, foi o primeiro que separou lenda da informação, só que procura interpretá-los de acordo om suas crenças religiosas. (Guerras Persas) 6.2. Filosofia: foi uma das grandes realizações dos gregos, significa amor a sabedoria e surgiu para explicar racionalmente o universo, a origem da vida e do homem. •Tales de Mileto: “Pai da Filosofia”, era também matemático, lutou para conseguir a união dos gregos contra os persas.(origem do mundo) •Sócrates: nada respondia, ajudava cada um a descobrir por si mesmo. (preocupação com o homem) •Platão: discípulo de Sócrates, fundador da academia de Atenas. (República) •Aristóteles: dava aulas nos jardins do templo de Apolo Lício, por isso liceu. foi cientista, educou Alexandre Magno, classificou as ciências, criou a Zoologia e a Botânica. 6.3. Matemática: Pitágoras: filosofo e matemático criou o Teorema de Pitágoras. 6.4. Medicina: Hipócrates de Cós, que descobriu que as doenças tem causas naturais, com o método de observação clinica.