SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
Baixar para ler offline
GÊNEROS TEXTUAIS

 Pró-Letramento
Alfabetização e
   Linguagem
Tutora:Celismar
a Seleguin Gnann
Textos diversificados formam um
excelente material, que deve ser
oferecido à criança, durante o
processo de alfabetização.
A variedade é necessária para que a
criança perceba os diferentes
objetivos de um texto escrito e seu
uso no dia-a dia, de acordo com
nossas necessidades e oportunidades.
Através da escrita, exteriorizamos
nosso pensamento, contrário à
leitura, que é um momento de
interiorização e reflexão.
Ambas, leitura e escrita, fazem parte
da compreensão do texto escrito, que
é um auxiliar na sistematização do
código lingüístico.
O Sanduiche da Maricota

A galinha Maricota preparou um sanduíche: pão, milho, quirera e ovo.
Mas quando ia comer, a campainha tocou.
Era o bode Serafim, que olhou o sanduíche e exclamou:- Vixe! Falta aí
um capim.
Aí chegou o Kim, o gato, cumprimentou a galinha, e vendo o
sanduíche, palpitou:- Falta a sardinha.
João, o cão, veio com o seu jeito de bom moço.E educado, sugeriu:-
Coloquem nele um bom osso.Sempre zumbindo e agitada, chegou a
abelha Isabel.Olhou o esquisito recheio:-Melhora se puser mel.
Da janela, ouvindo o papo, muito metido a bacana, falou, convencido o
macaco:- Claro que falta banana!-Banana? Sardinha? Mel?
Era o rato Aleixo.-Milho? Osso? Capim? Argh!!!- Vocês esqueceram o
queijo!
A brincadeira acabou quando a raposa Celina olhou bem para a Maricota
e falou:- Falta galinha!Maricota ficou brava:- Fora daqui minha
gente!Jogou fora o sanduíche e começou novamente; Pão, milho, quirera
e ovo. Como era pra ter sido._ Quem quiser que faça o seu com recheio
preferido.
O que vocês trouxeram ?
Vamos separar o que
   trouxeram ...


  ( organizar uma
 exposição de todo
      material)
MODALIDADE ESCRITA                              ESFERAS
                                                                       DISCURSIVAS
                         Verbete de enciclopédia infantil;      Explicação; Exposição oral
                         Artigo de divulgação científica para
   Esfera escolar        crianças.

                         Manchete; Notícia; Entrevista;         Notícia televisiva e radiofônica;
                         Resenha; Artigo de opinião             Comentário de notícias; Relato de
  Esfera jornalística                                           acontecimento do cotidiano;
                                                                Entrevista

                         Conto de repetição; Conto              Conto de repetição; Conto
                         Tradicional; Fábula; Lenda e Mito;     Tradicional; Fábula; Lenda e Mito;
   Esfera literária      Canção; Cordel; Poema Visual;          Canção; Cordel; Rap
                         Poema

                         Bilhete; Receita; Regras de jogos;     Recado; Receita; Regras de jogos;
  Esfera cotidiana       Carta, E-mail; Roteiro e mapa de       Relato de experiências vividas;
                         localização.                           Descrição de itinerário

                         Carta de solicitação e de              Debate; Solicitação, reclamação;
                         reclamação; Requerimento e carta       Debate regrado; Entrevista
Esfera da vida pública   de solicitação, de reclamação;         profissional
                         Estatuto; Currículo
Uma dica interessante é elaborar
um portifólio com as crianças. Você pode
pedir que elas tragam de casa diferentes
gêneros textuais:

 Textos literários ( contos, poemas,
 história em quadrinhos);
 · Jornalísticos (notícias);
 · Epistolares (cartas, bilhetes, cartões,
 convites);
 · Publicitários (anúncios, propagandas);
 · Instrucionais ( receitas, listagens,
 manuais de instrução);
 · Textos não-verbais, mistos e
 humorísticos (rótulos, logotipos, placas);
 · Científicos (tabelas, gráficos);
 · Informativos e outros
Com os que ainda não dominam a leitura
e a escritapode-se fazer um trabalho com
oralidade e depois um texto coletivo.
A professora será a escriba das crianças.
Depois elas copiarão o texto coletivo do
quadro.
Os maiores podem criar suas próprias
produções, observando a ligação entre a
linguagem oral e a escrita.
Através destas atividades, as crianças irão
perceber que a linguagem, além de
transmitir informações, pode revelar o
que elas pensam (real ou imaginário),
contribuindo para a formação de
operações mentais mais complexas.
Tente usar o recurso do portifólio com
seus alunos. Garanto que eles vão
adorar!!!
Receitas, bulas de remédio, instruções de jogo,
manuais de funcionamento e de uso de aparelhos
domésticos e de máquinas, prospectos de
concursos, manuais do consumidor, guias de
cidades, folhetos explicativos sobre prevenção de
doenças e epidemias, etc.; são textos que
diariamente circulam entre nós, dando-nos
orientações, por meio de uma linguagem clara e
                     objetiva.

Alguns apresentam uma estrutura mais ou menos
padronizada, como as receitas e as bulas de
remédio; os demais empregam a forma que for
mais conveniente para atingir sua principal
finalidade: INSTRUIR O LEITOR.
A receita é um gênero textual que apresenta
duas partes bem definidas – ingredientes e
modo de fazer -, que podem ou não vir
indicadas por títulos. A primeira parte apenas
relaciona os ingredientes, estipulando as
quantidades necessárias, indicadas em gramas,
xícaras, colheres, pitadas, etc.
No modo de fazer, os verbos se apresentam
quase sempre no modo imperativo (o modo
verbal que expressa ordem, conselho, etc.)

Essa parte indica, passo a passo, a sequência
dos procedimentos e da junção dos
ingredientes a ser seguida para se obter o
melhor resultado da receita

– Exemplo: pastéis de forno recheados de
goiaba. Às vezes, o imperativo é substituído
pelo infinitivo, como, por exemplo, “Preparar a
massa: misturar com as pontas dos dedos [...]”,
“Aos poucos, abrir pequenas porções da massa
[...]”, etc.
Uma receita pode apresentar outras
informações, como grau de dificuldade,
tempo médio de preparo, rendimento,
calorias, etc. Pode, ainda, conter dicas
para decoração ou para variações.

Nesse gênero textual costuma-se
empregar uma linguagem direta, clara e
objetiva, pois sua finalidade é levar o
leitor ou cozinheiro a obter sucesso no
preparo de prato culinário.
Características da RECEITA:
.
~ Contém título;
.
~ Normalmente apresenta uma estrutura
constituída de: título, ingredientes e modo de
preparo ou de fazer;
.
~ No modo de fazer, os verbos geralmente são
empregados no imperativo;
.
~ Pode conter indicação de calorias por
porção, rendimento, dicas de preparo ou de
como decorar e servir, etc.;
.
~ A linguagem direta, clara e objetiva;
.
~ Emprega o padrão culto da língua.
.
Trabalho com o gênero RECEITA
1- Apresentação de uma situação ( necessidade/
  motivo da produção)
               Receita da bruxa

2- Seleção do gênero textual
3- Reconhecimento do gênero selecionado
a) Pesquisa sobre o gênero
b) Leitura de textos do gênero, explorando e
    estabelecendo relações entre:
Sua função social:

.Para que serve este gênero?
.Como tomamos geralmente conhecimento
   desse gênero?
 .Onde se encontram escritos?
. Quem costuma ler textos desse gênero ?
. São textos que divertem ou ensinam? Como
   percebemos isso
Seu conteúdo temático:

• As receitas exploram que assunto? Por quê?
• Do que falam as receitas ?
• As receitas possuem indicação do autor ?
• O que mais as crianças sabem sobre o
  assunto?
• Qual a importância da receita ?
Sua estrutura composicional:

• Como estão organizadas as receitas?
• Poderá convidar os alunos para observar os
  suportes e as receitas que estão em exposição
  na sala?
• Perceber: o que há de comum em todas elas?
  O que há de diferente? Como estão
  organizadas?
c) Seleção de um texto do
gênero para um estudo
mais específico

 RECEITA DE BRIGADEIRO
Para o grupo pensar...
• Vamos organizar as atividades com o gênero
  considerando...
- Sua função social
- Seu conteúdo temático
- sua estrutura composicional
- Seu estilo ( análise linguística)
4- PRODUÇÃO DE TEXTO DO GÊNERO
  • - Apresentar os ingredientes da receita e os alunos
     escreverem o modo de fazer
  Ex: Receita de brigadeiro
  • 1 lata de leite condensado
  • 4 colheres (sopa) de chocolate em pó ou achocolatado
  • 1 colher (sopa) de margarina
  • chocolate granulado ou granulado colorido

        Modo de fazer: ( produção escrita)
5- Reescrita do texto
• Como você trabalharia a reescrita dessa
    receita? Que aspecto(s) poderia(m) ser
    privilegiado(s)?
• Você pode refletir com seus alunos, os
    seguintes pontos:
Revisem o texto que vocês
    escreveram, verificando se:
a) está dividido em duas partes: ingredientes e
    modo de fazer;
b) contém todos os ingredientes necessários;
c) apresenta detalhadamente como fazer o
    brigadeiro;
Ler e reler o que escrevemos para
comprovar se o texto expressa bem
nossa intenção, se é apropriado para
aqueles que vão ler, se é coerente, isto
é, se é clara a idéia central e
subtemas, se as partes do texto estão
bem conectadas, se tem a forma
adequada ao tipo de texto, se a
ortografia é correta e a sintaxe
apropriada;
6- Circulação do gênero

• Como vocês poderão fazer circular a receita de
  brigadeiro escrita pelas crianças ....
PARA FINALIZAR....

    Agora vamos
       escrever
     uma receita
     de memória
        para os
         nossos
      colegas ....

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ProjetFábula: Projeto fábulas
ProjetFábula: Projeto  fábulas ProjetFábula: Projeto  fábulas
ProjetFábula: Projeto fábulas Salomé Rocha
 
Autobiografia: proposta de produção textual
Autobiografia: proposta de produção textualAutobiografia: proposta de produção textual
Autobiografia: proposta de produção textualMaria Cecilia Silva
 
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITAPROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITAJane Santos
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaJosilene Borges
 
Projeto dia da cidade
Projeto dia da cidadeProjeto dia da cidade
Projeto dia da cidadeMarcio Moura
 
Projeto poetas na escola
Projeto poetas na escolaProjeto poetas na escola
Projeto poetas na escolaEunice Vieira
 
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)Edeil Reis do Espírito Santo
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textualLuis Carlos Santos
 
Sequência didática -_gênero_convite
Sequência didática -_gênero_conviteSequência didática -_gênero_convite
Sequência didática -_gênero_conviteAngela Silva
 
Se as coisas fossem mães. 3
Se as coisas fossem mães. 3Se as coisas fossem mães. 3
Se as coisas fossem mães. 3rovonah
 
Jogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesaJogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesaJorge Luciano
 
Projeto ProduçãO De Textos
Projeto ProduçãO De TextosProjeto ProduçãO De Textos
Projeto ProduçãO De Textosguest67b92
 
Sugestões para trabalhar a cultura africana na educação
Sugestões para trabalhar a cultura africana na educaçãoSugestões para trabalhar a cultura africana na educação
Sugestões para trabalhar a cultura africana na educaçãojaqueegervasio
 
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º ano
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º anoSEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º ano
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º anoIolanda Sá
 
Projeto páscoa cmei2009 s imone drumond
Projeto páscoa cmei2009 s imone drumondProjeto páscoa cmei2009 s imone drumond
Projeto páscoa cmei2009 s imone drumondSimoneHelenDrumond
 
Refacção de texto
Refacção de textoRefacção de texto
Refacção de textoAna Paula
 
Proposta de atividade do conto terror oficia
Proposta de atividade do conto terror  oficiaProposta de atividade do conto terror  oficia
Proposta de atividade do conto terror oficiaJanete Garcia de Freitas
 
Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil Luiza Carvalho
 

Mais procurados (20)

ProjetFábula: Projeto fábulas
ProjetFábula: Projeto  fábulas ProjetFábula: Projeto  fábulas
ProjetFábula: Projeto fábulas
 
Autobiografia: proposta de produção textual
Autobiografia: proposta de produção textualAutobiografia: proposta de produção textual
Autobiografia: proposta de produção textual
 
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITAPROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
PROJETO DE LEITURA: UM PALCO PARA A LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
 
Projeto dia da cidade
Projeto dia da cidadeProjeto dia da cidade
Projeto dia da cidade
 
Projeto poetas na escola
Projeto poetas na escolaProjeto poetas na escola
Projeto poetas na escola
 
Plano de Aula
Plano de AulaPlano de Aula
Plano de Aula
 
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
Discutindo diagnósticos de escrita (SLIDES 3ª Formação NUALFA)
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
 
Sequência didática -_gênero_convite
Sequência didática -_gênero_conviteSequência didática -_gênero_convite
Sequência didática -_gênero_convite
 
Se as coisas fossem mães. 3
Se as coisas fossem mães. 3Se as coisas fossem mães. 3
Se as coisas fossem mães. 3
 
Jogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesaJogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesa
 
Projeto ProduçãO De Textos
Projeto ProduçãO De TextosProjeto ProduçãO De Textos
Projeto ProduçãO De Textos
 
Sugestões para trabalhar a cultura africana na educação
Sugestões para trabalhar a cultura africana na educaçãoSugestões para trabalhar a cultura africana na educação
Sugestões para trabalhar a cultura africana na educação
 
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º ano
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º anoSEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º ano
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO 1º 2º 3º ano
 
Projeto páscoa cmei2009 s imone drumond
Projeto páscoa cmei2009 s imone drumondProjeto páscoa cmei2009 s imone drumond
Projeto páscoa cmei2009 s imone drumond
 
Refacção de texto
Refacção de textoRefacção de texto
Refacção de texto
 
Proposta de atividade do conto terror oficia
Proposta de atividade do conto terror  oficiaProposta de atividade do conto terror  oficia
Proposta de atividade do conto terror oficia
 
Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil
 
Projeto leitura
Projeto leituraProjeto leitura
Projeto leitura
 

Destaque

Gênero textual
Gênero textualGênero textual
Gênero textualthiagokrek
 
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratores
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratoresGêneros , tipologia textual, descritores e distratores
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratoresRenato Rodrigues
 
Descritoresedestratores 100920191418-phpapp02
Descritoresedestratores 100920191418-phpapp02Descritoresedestratores 100920191418-phpapp02
Descritoresedestratores 100920191418-phpapp02Edileusa Camargo
 
Descritores e distratores
Descritores e distratoresDescritores e distratores
Descritores e distratoreslouisacarla
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros TextuaisEdna Brito
 
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros TextuaisUnidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros TextuaisElaine Cruz
 
Generos e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais pptGeneros e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais pptpnaicdertsis
 
Oficina de produção de texto
Oficina de produção de textoOficina de produção de texto
Oficina de produção de textoElia Rejany
 

Destaque (14)

Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
 
Generos Textuais
Generos TextuaisGeneros Textuais
Generos Textuais
 
Gênero textual
Gênero textualGênero textual
Gênero textual
 
Gêneros textuais
Gêneros textuais Gêneros textuais
Gêneros textuais
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
 
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratores
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratoresGêneros , tipologia textual, descritores e distratores
Gêneros , tipologia textual, descritores e distratores
 
Descritoresedestratores 100920191418-phpapp02
Descritoresedestratores 100920191418-phpapp02Descritoresedestratores 100920191418-phpapp02
Descritoresedestratores 100920191418-phpapp02
 
Descritores e distratores
Descritores e distratoresDescritores e distratores
Descritores e distratores
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
 
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros TextuaisUnidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
 
Generos e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais pptGeneros e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais ppt
 
Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
 
Oficina de produção de texto
Oficina de produção de textoOficina de produção de texto
Oficina de produção de texto
 
Apostila gêneros textuais 4º ano
Apostila gêneros textuais  4º anoApostila gêneros textuais  4º ano
Apostila gêneros textuais 4º ano
 

Semelhante a Gêneros textuais e alfabetização

Isso é coisa de criança
Isso é coisa de criançaIsso é coisa de criança
Isso é coisa de criançacriativivendo
 
Apresentação vovo coruja
Apresentação vovo coruja Apresentação vovo coruja
Apresentação vovo coruja Naysa Taboada
 
Projecto Ler é Crescer
Projecto   Ler é Crescer Projecto   Ler é Crescer
Projecto Ler é Crescer isigoncalves
 
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDA
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDAFORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDA
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDAweleslima
 
projeto alimentaçãoProjeto alimentação
projeto alimentaçãoProjeto  alimentaçãoprojeto alimentaçãoProjeto  alimentação
projeto alimentaçãoProjeto alimentaçãosilviacerqueira1
 
A galinha dos ovos misteriosos
A galinha dos ovos misteriososA galinha dos ovos misteriosos
A galinha dos ovos misteriososjivermil
 
Portifólio virtual g2 manhã
Portifólio virtual g2 manhãPortifólio virtual g2 manhã
Portifólio virtual g2 manhãEscolaPedrita
 
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docx
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docxPROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docx
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docxEscolaMunicipalMaria16
 
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docx
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docxPROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docx
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docxEscolaMunicipalMaria16
 
Direitos de aprendizagem oralidade
Direitos de aprendizagem   oralidadeDireitos de aprendizagem   oralidade
Direitos de aprendizagem oralidademariaelidias
 
5 liliane mendes duarte professor inovador
5 liliane mendes duarte professor inovador5 liliane mendes duarte professor inovador
5 liliane mendes duarte professor inovadorSimoneHelenDrumond
 
Liliane mendes duarte professor inovador
Liliane mendes duarte professor inovadorLiliane mendes duarte professor inovador
Liliane mendes duarte professor inovadorSimoneHelenDrumond
 
Sugestões atividades oralidade
Sugestões atividades oralidadeSugestões atividades oralidade
Sugestões atividades oralidadeDyone Andrade
 
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.Dinapaes
 
Projeto chapeuzinho vermelho
Projeto chapeuzinho vermelhoProjeto chapeuzinho vermelho
Projeto chapeuzinho vermelholadydanasoares
 
aprendizagem português (1).docx
aprendizagem português (1).docxaprendizagem português (1).docx
aprendizagem português (1).docxElianheCosta
 

Semelhante a Gêneros textuais e alfabetização (20)

Isso é coisa de criança
Isso é coisa de criançaIsso é coisa de criança
Isso é coisa de criança
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Apresentação vovo coruja
Apresentação vovo coruja Apresentação vovo coruja
Apresentação vovo coruja
 
Projecto Ler é Crescer
Projecto   Ler é Crescer Projecto   Ler é Crescer
Projecto Ler é Crescer
 
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDA
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDAFORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDA
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDA
 
projeto alimentaçãoProjeto alimentação
projeto alimentaçãoProjeto  alimentaçãoprojeto alimentaçãoProjeto  alimentação
projeto alimentaçãoProjeto alimentação
 
A galinha dos ovos misteriosos
A galinha dos ovos misteriososA galinha dos ovos misteriosos
A galinha dos ovos misteriosos
 
Portifólio virtual g2 manhã
Portifólio virtual g2 manhãPortifólio virtual g2 manhã
Portifólio virtual g2 manhã
 
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docx
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docxPROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docx
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docx
 
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docx
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docxPROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docx
PROJETO Ed Inf 2023 Ler é Bom Expreimente.docx
 
G2manha
G2manhaG2manha
G2manha
 
Portfolio g2 manhã
Portfolio g2  manhãPortfolio g2  manhã
Portfolio g2 manhã
 
Direitos de aprendizagem oralidade
Direitos de aprendizagem   oralidadeDireitos de aprendizagem   oralidade
Direitos de aprendizagem oralidade
 
Curso 7 classica
Curso 7 classicaCurso 7 classica
Curso 7 classica
 
5 liliane mendes duarte professor inovador
5 liliane mendes duarte professor inovador5 liliane mendes duarte professor inovador
5 liliane mendes duarte professor inovador
 
Liliane mendes duarte professor inovador
Liliane mendes duarte professor inovadorLiliane mendes duarte professor inovador
Liliane mendes duarte professor inovador
 
Sugestões atividades oralidade
Sugestões atividades oralidadeSugestões atividades oralidade
Sugestões atividades oralidade
 
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.
 
Projeto chapeuzinho vermelho
Projeto chapeuzinho vermelhoProjeto chapeuzinho vermelho
Projeto chapeuzinho vermelho
 
aprendizagem português (1).docx
aprendizagem português (1).docxaprendizagem português (1).docx
aprendizagem português (1).docx
 

Mais de Celismara Seleguin

Fasc. 1 sugestões de atividades dos 5 eixos
Fasc. 1 sugestões de atividades dos 5 eixosFasc. 1 sugestões de atividades dos 5 eixos
Fasc. 1 sugestões de atividades dos 5 eixosCelismara Seleguin
 
As Capacidades Linguísticas da Alfabetização
As Capacidades Linguísticas da AlfabetizaçãoAs Capacidades Linguísticas da Alfabetização
As Capacidades Linguísticas da AlfabetizaçãoCelismara Seleguin
 
Pressupostos da Aprendizagem e do Ensino da Alfabetização
Pressupostos da Aprendizagem e do Ensino da AlfabetizaçãoPressupostos da Aprendizagem e do Ensino da Alfabetização
Pressupostos da Aprendizagem e do Ensino da AlfabetizaçãoCelismara Seleguin
 

Mais de Celismara Seleguin (9)

Unidade 7 pacto
Unidade 7 pactoUnidade 7 pacto
Unidade 7 pacto
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Lúdico na sla de aula
Lúdico na sla de aulaLúdico na sla de aula
Lúdico na sla de aula
 
Fasciculo livro didatico
Fasciculo livro didatico Fasciculo livro didatico
Fasciculo livro didatico
 
Fasc. 1 sugestões de atividades dos 5 eixos
Fasc. 1 sugestões de atividades dos 5 eixosFasc. 1 sugestões de atividades dos 5 eixos
Fasc. 1 sugestões de atividades dos 5 eixos
 
As Capacidades Linguísticas da Alfabetização
As Capacidades Linguísticas da AlfabetizaçãoAs Capacidades Linguísticas da Alfabetização
As Capacidades Linguísticas da Alfabetização
 
Pressupostos da Aprendizagem e do Ensino da Alfabetização
Pressupostos da Aprendizagem e do Ensino da AlfabetizaçãoPressupostos da Aprendizagem e do Ensino da Alfabetização
Pressupostos da Aprendizagem e do Ensino da Alfabetização
 
Questões sobre Avaliação
Questões sobre AvaliaçãoQuestões sobre Avaliação
Questões sobre Avaliação
 
Questões sobre Avaliação
Questões sobre AvaliaçãoQuestões sobre Avaliação
Questões sobre Avaliação
 

Último

Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 

Último (20)

Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 

Gêneros textuais e alfabetização

  • 1. GÊNEROS TEXTUAIS Pró-Letramento Alfabetização e Linguagem Tutora:Celismar a Seleguin Gnann
  • 2. Textos diversificados formam um excelente material, que deve ser oferecido à criança, durante o processo de alfabetização. A variedade é necessária para que a criança perceba os diferentes objetivos de um texto escrito e seu uso no dia-a dia, de acordo com nossas necessidades e oportunidades. Através da escrita, exteriorizamos nosso pensamento, contrário à leitura, que é um momento de interiorização e reflexão. Ambas, leitura e escrita, fazem parte da compreensão do texto escrito, que é um auxiliar na sistematização do código lingüístico.
  • 3.
  • 4. O Sanduiche da Maricota A galinha Maricota preparou um sanduíche: pão, milho, quirera e ovo. Mas quando ia comer, a campainha tocou. Era o bode Serafim, que olhou o sanduíche e exclamou:- Vixe! Falta aí um capim. Aí chegou o Kim, o gato, cumprimentou a galinha, e vendo o sanduíche, palpitou:- Falta a sardinha. João, o cão, veio com o seu jeito de bom moço.E educado, sugeriu:- Coloquem nele um bom osso.Sempre zumbindo e agitada, chegou a abelha Isabel.Olhou o esquisito recheio:-Melhora se puser mel. Da janela, ouvindo o papo, muito metido a bacana, falou, convencido o macaco:- Claro que falta banana!-Banana? Sardinha? Mel? Era o rato Aleixo.-Milho? Osso? Capim? Argh!!!- Vocês esqueceram o queijo! A brincadeira acabou quando a raposa Celina olhou bem para a Maricota e falou:- Falta galinha!Maricota ficou brava:- Fora daqui minha gente!Jogou fora o sanduíche e começou novamente; Pão, milho, quirera e ovo. Como era pra ter sido._ Quem quiser que faça o seu com recheio preferido.
  • 5. O que vocês trouxeram ?
  • 6. Vamos separar o que trouxeram ... ( organizar uma exposição de todo material)
  • 7. MODALIDADE ESCRITA ESFERAS DISCURSIVAS Verbete de enciclopédia infantil; Explicação; Exposição oral Artigo de divulgação científica para Esfera escolar crianças. Manchete; Notícia; Entrevista; Notícia televisiva e radiofônica; Resenha; Artigo de opinião Comentário de notícias; Relato de Esfera jornalística acontecimento do cotidiano; Entrevista Conto de repetição; Conto Conto de repetição; Conto Tradicional; Fábula; Lenda e Mito; Tradicional; Fábula; Lenda e Mito; Esfera literária Canção; Cordel; Poema Visual; Canção; Cordel; Rap Poema Bilhete; Receita; Regras de jogos; Recado; Receita; Regras de jogos; Esfera cotidiana Carta, E-mail; Roteiro e mapa de Relato de experiências vividas; localização. Descrição de itinerário Carta de solicitação e de Debate; Solicitação, reclamação; reclamação; Requerimento e carta Debate regrado; Entrevista Esfera da vida pública de solicitação, de reclamação; profissional Estatuto; Currículo
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13. Uma dica interessante é elaborar um portifólio com as crianças. Você pode pedir que elas tragam de casa diferentes gêneros textuais: Textos literários ( contos, poemas, história em quadrinhos); · Jornalísticos (notícias); · Epistolares (cartas, bilhetes, cartões, convites); · Publicitários (anúncios, propagandas); · Instrucionais ( receitas, listagens, manuais de instrução); · Textos não-verbais, mistos e humorísticos (rótulos, logotipos, placas); · Científicos (tabelas, gráficos); · Informativos e outros
  • 14. Com os que ainda não dominam a leitura e a escritapode-se fazer um trabalho com oralidade e depois um texto coletivo. A professora será a escriba das crianças. Depois elas copiarão o texto coletivo do quadro. Os maiores podem criar suas próprias produções, observando a ligação entre a linguagem oral e a escrita. Através destas atividades, as crianças irão perceber que a linguagem, além de transmitir informações, pode revelar o que elas pensam (real ou imaginário), contribuindo para a formação de operações mentais mais complexas. Tente usar o recurso do portifólio com seus alunos. Garanto que eles vão adorar!!!
  • 15. Receitas, bulas de remédio, instruções de jogo, manuais de funcionamento e de uso de aparelhos domésticos e de máquinas, prospectos de concursos, manuais do consumidor, guias de cidades, folhetos explicativos sobre prevenção de doenças e epidemias, etc.; são textos que diariamente circulam entre nós, dando-nos orientações, por meio de uma linguagem clara e objetiva. Alguns apresentam uma estrutura mais ou menos padronizada, como as receitas e as bulas de remédio; os demais empregam a forma que for mais conveniente para atingir sua principal finalidade: INSTRUIR O LEITOR.
  • 16. A receita é um gênero textual que apresenta duas partes bem definidas – ingredientes e modo de fazer -, que podem ou não vir indicadas por títulos. A primeira parte apenas relaciona os ingredientes, estipulando as quantidades necessárias, indicadas em gramas, xícaras, colheres, pitadas, etc.
  • 17. No modo de fazer, os verbos se apresentam quase sempre no modo imperativo (o modo verbal que expressa ordem, conselho, etc.) Essa parte indica, passo a passo, a sequência dos procedimentos e da junção dos ingredientes a ser seguida para se obter o melhor resultado da receita – Exemplo: pastéis de forno recheados de goiaba. Às vezes, o imperativo é substituído pelo infinitivo, como, por exemplo, “Preparar a massa: misturar com as pontas dos dedos [...]”, “Aos poucos, abrir pequenas porções da massa [...]”, etc.
  • 18. Uma receita pode apresentar outras informações, como grau de dificuldade, tempo médio de preparo, rendimento, calorias, etc. Pode, ainda, conter dicas para decoração ou para variações. Nesse gênero textual costuma-se empregar uma linguagem direta, clara e objetiva, pois sua finalidade é levar o leitor ou cozinheiro a obter sucesso no preparo de prato culinário.
  • 19. Características da RECEITA: . ~ Contém título; . ~ Normalmente apresenta uma estrutura constituída de: título, ingredientes e modo de preparo ou de fazer; . ~ No modo de fazer, os verbos geralmente são empregados no imperativo; . ~ Pode conter indicação de calorias por porção, rendimento, dicas de preparo ou de como decorar e servir, etc.; . ~ A linguagem direta, clara e objetiva; . ~ Emprega o padrão culto da língua. .
  • 20. Trabalho com o gênero RECEITA 1- Apresentação de uma situação ( necessidade/ motivo da produção) Receita da bruxa 2- Seleção do gênero textual 3- Reconhecimento do gênero selecionado a) Pesquisa sobre o gênero b) Leitura de textos do gênero, explorando e estabelecendo relações entre:
  • 21. Sua função social: .Para que serve este gênero? .Como tomamos geralmente conhecimento desse gênero? .Onde se encontram escritos? . Quem costuma ler textos desse gênero ? . São textos que divertem ou ensinam? Como percebemos isso
  • 22. Seu conteúdo temático: • As receitas exploram que assunto? Por quê? • Do que falam as receitas ? • As receitas possuem indicação do autor ? • O que mais as crianças sabem sobre o assunto? • Qual a importância da receita ?
  • 23. Sua estrutura composicional: • Como estão organizadas as receitas? • Poderá convidar os alunos para observar os suportes e as receitas que estão em exposição na sala? • Perceber: o que há de comum em todas elas? O que há de diferente? Como estão organizadas?
  • 24. c) Seleção de um texto do gênero para um estudo mais específico RECEITA DE BRIGADEIRO
  • 25. Para o grupo pensar... • Vamos organizar as atividades com o gênero considerando... - Sua função social - Seu conteúdo temático - sua estrutura composicional - Seu estilo ( análise linguística)
  • 26. 4- PRODUÇÃO DE TEXTO DO GÊNERO • - Apresentar os ingredientes da receita e os alunos escreverem o modo de fazer Ex: Receita de brigadeiro • 1 lata de leite condensado • 4 colheres (sopa) de chocolate em pó ou achocolatado • 1 colher (sopa) de margarina • chocolate granulado ou granulado colorido Modo de fazer: ( produção escrita)
  • 27. 5- Reescrita do texto • Como você trabalharia a reescrita dessa receita? Que aspecto(s) poderia(m) ser privilegiado(s)? • Você pode refletir com seus alunos, os seguintes pontos: Revisem o texto que vocês escreveram, verificando se: a) está dividido em duas partes: ingredientes e modo de fazer; b) contém todos os ingredientes necessários; c) apresenta detalhadamente como fazer o brigadeiro;
  • 28. Ler e reler o que escrevemos para comprovar se o texto expressa bem nossa intenção, se é apropriado para aqueles que vão ler, se é coerente, isto é, se é clara a idéia central e subtemas, se as partes do texto estão bem conectadas, se tem a forma adequada ao tipo de texto, se a ortografia é correta e a sintaxe apropriada;
  • 29. 6- Circulação do gênero • Como vocês poderão fazer circular a receita de brigadeiro escrita pelas crianças ....
  • 30. PARA FINALIZAR.... Agora vamos escrever uma receita de memória para os nossos colegas ....