SlideShare uma empresa Scribd logo
MEIOSE
MEIOSE
• O termo meiose deriva da palavra grega meíosis que
significa diminuição;
• Esse nome é uma alusão ao fato de nessa divisão, o
número de cromossomos ser reduzido a metade nas
células filhas;
• Essa redução ocorre porque nesse processo há uma
única duplicação cromossômica, seguida de duas
divisões nucleares consecutivas: Meiose I e Meiose II;
• Na meiose formam-se quatro células-filhas, cada uma
com metade do número de cromossomos da célula
mãe.
MEIOSE
MEIOSE
• Fases da meiose
 Tanto a meiose I como a meiose II, são divididas em quatro fases;
 A meiose I é dividida em: prófase I, metáfase I, anáfase I e telófase
I;
 A meiose II é dividida em: prófase II, metáfase II, anáfase II e
telófase II.
 Prófase I
 A prófase I é longa e complexa, por isso os pesquisadores a
dividiram em 5 subfases:
o Leptóteno;
o Zigóteno;
o Paquíteno;
o Diplóteno;
o Diacinese.
MEIOSE
• Leptóteno: visualização dos cromossomos
 Na fase de leptóteno tem início a condensação dos cromossomos;
 Eles se tornam visíveis ao microscópio óptico, como fios longos e finos,
pontilhados de grânulos, denominados Cromômeros.
MEIOSE
• Zigóteno: emparelhamento cromossômico
 Nessa fase ocorre a sinapse cromossômica, o que significa que os
cromossomos homólogos colocam-se lado a lado emparelhando-se ao longo de
seu comprimento;
 Formação do complexo sinaptonêmico: proteínas formam um longo eixo
central e duas barras laterais às quais se associam os cromossomos homólogos,
emparelhando-se.
MEIOSE
• Paquíteno: formação dos bivalentes
 Nessa fase, os cromossomos estão mais condensados e completamente
emparelhados;
 Cada par de homólogos forma um conjunto denominado bivalente ou tétrade;
 Ocorrem quebras nas cromátides dos cromossomos homólogos seguidas por
soldaduras de reparação, uma cromátide se solda ao fragmento da sua
homóloga e vice-versa;
 Esse fenômeno leva a troca de pedaços entro os cromossomos, fenômeno
chamada de permutação ou crossing-over;
MEIOSE
 A permutação é um evento com importante significado biológico: a troca de
fragmentos entre as cromátides homólogas aumenta as misturas genéticas,
levando uma maior variedade de gametas formados por um indivíduo.
MEIOSE
• Diplóteno: Visualização dos quiasmas
 Os cromossomos homólogos agora começando a se separar, aparecem
nitidamente constituídos por duas cromátides;
 Isso ocorre devido os desaparecimento do complexo sinaptonêmico;
 Observa-se que as cromátides se cruzam em determinados pontos, originando
figuras chamadas de quiasmas, esse cruzamento ocorre no ponto onde houve a
permutação;
 As cromátides-irmãs permanecem unidas entre si.
MEIOSE
• Diacinese: terminação dos quiasmas
 Os cromossomos homólogos continuam em separação;
 Devido a condensação os cromossomos deixam de sintetizar RNA;
 A carioteca se desfaz e os pares de homólogos, ainda associados pelos
quiasmas espalham-se pelo citoplasma.
Meiose
MEIOSE
 Metáfase I
• Na metáfase I os pares de cromossomos homólogos prendem-se ao fuso
acromático formado na prófase dispondo-se na região equatorial da célula;
• No entanto, há uma diferença fundamental da metáfase I da meiose para a
metáfase da mitose;
• Cada cromossomo com suas duas cromátides prendem-se a microtúbulos
provenientes de um dos pólos;
• O homólogo prende-se a um microtúbulo do pólo oposto.
MITOSE
MEIOSE
MEIOSE
• Anáfase I
 Nessa fase, cada cromossomo de um par de homólogos, constituído por duas
cromátides unidas pelo centrômero, é puxado para um dos pólos da célula.
MEIOSE
• Telófase I
 Na telófase I, os cromossomos estão separados em dois lotes, um em cada
pólo da célula;
 O fuso acromático se desfaz, os cromossomos de descondensam, as
membranas nucleares se reorganizam;
 Surgem assim dois novas núcleos, cada um deles com metade do número de
cromossomos presentes no núcleo original;
 Cada cromossomo entretanto ainda está constituído por duas cromátides.
MEIOSE
• Citocinese
 Após a primeira divisão meiótica se completar, ocorre a citocinese I resultando
em duas células-filhas;
 Seguidamente inicia-se a meiose II.
MEIOSE
• Meiose II
 A meiose II é muito semelhante a mitose;
 As duas células resultantes da meiose II entram simultaneamente em prófase II
e passam pelos quatro processos de divisão.
• Prófase II
 Os cromossomos já constituídos por duas cromátides, começam a se
condensar;
 Ao fim da prófase II, a carioteca se fragmenta e os cromossomos se espalham
pelo citoplasma.
• Metáfase II
 Os cromossomos se ligam ao fuso acromático se alinhando no equador da
célula;
 Os microtúbulos puxam as cromátides-irmãs para pólos opostos.
MEIOSE
• Anáfase II
 Os cromossomos-irmãos migram para os pólos opostos da célula.
• Telófase II
 Os cromossomos de descondensam;
 As cariotecas se reorganizam;
 O citoplasma se divide (citocinese II).
Meiose

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
Sheila Cassenotte
 
Variabilidade
VariabilidadeVariabilidade
Variabilidade
Mariana Cordeiro
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
Fatima Comiotto
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Núcleo e divisão celular
Núcleo e divisão celularNúcleo e divisão celular
Núcleo e divisão celular
UERGS
 
Reprodução assexuada e sexuada
Reprodução assexuada  e sexuadaReprodução assexuada  e sexuada
Reprodução assexuada e sexuada
Matheus Faria do Valle
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a genetica
UERGS
 
Organelas Celulares I
Organelas Celulares IOrganelas Celulares I
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
César Milani
 
Ciclo celular e mitose
Ciclo celular e mitoseCiclo celular e mitose
Ciclo celular e mitose
emanuel
 
Aula respiração celular
Aula respiração celularAula respiração celular
Aula respiração celular
Tércio De Santana
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
Killer Max
 
Aula citologia
Aula citologiaAula citologia
Aula citologia
Adrianne Mendonça
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
Dalu Barreto
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Aula gametogênese
Aula gametogêneseAula gametogênese
Aula gametogênese
César Milani
 
Introdução à genética
Introdução à genética Introdução à genética
Introdução à genética
nielimaia
 
Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologia
bradok157
 
Teorias evolutivas
Teorias evolutivasTeorias evolutivas
Teorias evolutivas
Raphaell Garcia
 

Mais procurados (20)

Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
 
Variabilidade
VariabilidadeVariabilidade
Variabilidade
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
 
Núcleo e divisão celular
Núcleo e divisão celularNúcleo e divisão celular
Núcleo e divisão celular
 
Reprodução assexuada e sexuada
Reprodução assexuada  e sexuadaReprodução assexuada  e sexuada
Reprodução assexuada e sexuada
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a genetica
 
Organelas Celulares I
Organelas Celulares IOrganelas Celulares I
Organelas Celulares I
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
 
Ciclo celular e mitose
Ciclo celular e mitoseCiclo celular e mitose
Ciclo celular e mitose
 
Aula respiração celular
Aula respiração celularAula respiração celular
Aula respiração celular
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Aula citologia
Aula citologiaAula citologia
Aula citologia
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Biotecnologia
 
Aula gametogênese
Aula gametogêneseAula gametogênese
Aula gametogênese
 
Introdução à genética
Introdução à genética Introdução à genética
Introdução à genética
 
Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologia
 
Teorias evolutivas
Teorias evolutivasTeorias evolutivas
Teorias evolutivas
 

Semelhante a Meiose

Meiose
MeioseMeiose
Meiose
gdw147
 
Mitose
MitoseMitose
Apres.ppoint.meiose
Apres.ppoint.meioseApres.ppoint.meiose
Apres.ppoint.meiose
Albano Novaes
 
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdfAula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
HllemSimone
 
Aula 4 divisao celular pot
Aula 4 divisao celular   potAula 4 divisao celular   pot
Aula 4 divisao celular pot
tatyannat
 
Núcleo e rep celular
Núcleo e rep celularNúcleo e rep celular
Núcleo e rep celular
paulogrillo
 
Divisão celular mitose e meiose biologia
Divisão celular mitose e meiose biologiaDivisão celular mitose e meiose biologia
Divisão celular mitose e meiose biologia
Gov. Estado do Paraná
 
Aula -divisao-celular-mitose-e-meiose.pptx
Aula -divisao-celular-mitose-e-meiose.pptxAula -divisao-celular-mitose-e-meiose.pptx
Aula -divisao-celular-mitose-e-meiose.pptx
NalbertoMartins1
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
camilatintel
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
camilatintel
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
Alessandra Firmino
 
Divisoes celulares
Divisoes celularesDivisoes celulares
Divisoes celulares
URCA
 
Bio ação 3 ciclo celular equipe 4 apresentação
Bio ação 3 ciclo celular  equipe 4 apresentaçãoBio ação 3 ciclo celular  equipe 4 apresentação
Bio ação 3 ciclo celular equipe 4 apresentação
Bologia
 
Meiose (Divisão Celular)
Meiose (Divisão Celular) Meiose (Divisão Celular)
Meiose (Divisão Celular)
Caio Cavalcanti
 
Ciclo celular
Ciclo celularCiclo celular
Ciclo celular
LarissaComparini
 
Apostila divisão celular - UFF
Apostila divisão celular - UFFApostila divisão celular - UFF
Apostila divisão celular - UFF
Guellity Marcel
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
Nathalia Fuga
 
Aula de Revisão de Meiose
Aula de Revisão de MeioseAula de Revisão de Meiose
Aula de Revisão de Meiose
BIOGERALDO
 
Conceitos basicos de Genetica - aula 3a.ppt
Conceitos basicos de Genetica - aula 3a.pptConceitos basicos de Genetica - aula 3a.ppt
Conceitos basicos de Genetica - aula 3a.ppt
ElizangelaDeSouzaAra
 
Cmc expressão gênica
Cmc   expressão gênicaCmc   expressão gênica
Cmc expressão gênica
Als Mötta
 

Semelhante a Meiose (20)

Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Mitose
MitoseMitose
Mitose
 
Apres.ppoint.meiose
Apres.ppoint.meioseApres.ppoint.meiose
Apres.ppoint.meiose
 
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdfAula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
Aula 4- Ciclo Celular Mitose e Meiose .pdf
 
Aula 4 divisao celular pot
Aula 4 divisao celular   potAula 4 divisao celular   pot
Aula 4 divisao celular pot
 
Núcleo e rep celular
Núcleo e rep celularNúcleo e rep celular
Núcleo e rep celular
 
Divisão celular mitose e meiose biologia
Divisão celular mitose e meiose biologiaDivisão celular mitose e meiose biologia
Divisão celular mitose e meiose biologia
 
Aula -divisao-celular-mitose-e-meiose.pptx
Aula -divisao-celular-mitose-e-meiose.pptxAula -divisao-celular-mitose-e-meiose.pptx
Aula -divisao-celular-mitose-e-meiose.pptx
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
 
Divisoes celulares
Divisoes celularesDivisoes celulares
Divisoes celulares
 
Bio ação 3 ciclo celular equipe 4 apresentação
Bio ação 3 ciclo celular  equipe 4 apresentaçãoBio ação 3 ciclo celular  equipe 4 apresentação
Bio ação 3 ciclo celular equipe 4 apresentação
 
Meiose (Divisão Celular)
Meiose (Divisão Celular) Meiose (Divisão Celular)
Meiose (Divisão Celular)
 
Ciclo celular
Ciclo celularCiclo celular
Ciclo celular
 
Apostila divisão celular - UFF
Apostila divisão celular - UFFApostila divisão celular - UFF
Apostila divisão celular - UFF
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
 
Aula de Revisão de Meiose
Aula de Revisão de MeioseAula de Revisão de Meiose
Aula de Revisão de Meiose
 
Conceitos basicos de Genetica - aula 3a.ppt
Conceitos basicos de Genetica - aula 3a.pptConceitos basicos de Genetica - aula 3a.ppt
Conceitos basicos de Genetica - aula 3a.ppt
 
Cmc expressão gênica
Cmc   expressão gênicaCmc   expressão gênica
Cmc expressão gênica
 

Mais de Gabriel Mendes de Almeida

Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Cloroplastos e fotossíntese
Cloroplastos e fotossínteseCloroplastos e fotossíntese
Cloroplastos e fotossíntese
Gabriel Mendes de Almeida
 
O citoplasma
O citoplasmaO citoplasma
Respiração anaeróbia
Respiração anaeróbiaRespiração anaeróbia
Respiração anaeróbia
Gabriel Mendes de Almeida
 
Mitocôndrias e respiração celular
Mitocôndrias e respiração celularMitocôndrias e respiração celular
Mitocôndrias e respiração celular
Gabriel Mendes de Almeida
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
Gabriel Mendes de Almeida
 
Ácidos nucléicos
Ácidos nucléicosÁcidos nucléicos
Ácidos nucléicos
Gabriel Mendes de Almeida
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
Gabriel Mendes de Almeida
 
Genética
GenéticaGenética

Mais de Gabriel Mendes de Almeida (9)

Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
 
Cloroplastos e fotossíntese
Cloroplastos e fotossínteseCloroplastos e fotossíntese
Cloroplastos e fotossíntese
 
O citoplasma
O citoplasmaO citoplasma
O citoplasma
 
Respiração anaeróbia
Respiração anaeróbiaRespiração anaeróbia
Respiração anaeróbia
 
Mitocôndrias e respiração celular
Mitocôndrias e respiração celularMitocôndrias e respiração celular
Mitocôndrias e respiração celular
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
 
Ácidos nucléicos
Ácidos nucléicosÁcidos nucléicos
Ácidos nucléicos
 
Divisão celular
Divisão celularDivisão celular
Divisão celular
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 

Último

EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 

Último (20)

EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 

Meiose

  • 2. MEIOSE • O termo meiose deriva da palavra grega meíosis que significa diminuição; • Esse nome é uma alusão ao fato de nessa divisão, o número de cromossomos ser reduzido a metade nas células filhas; • Essa redução ocorre porque nesse processo há uma única duplicação cromossômica, seguida de duas divisões nucleares consecutivas: Meiose I e Meiose II; • Na meiose formam-se quatro células-filhas, cada uma com metade do número de cromossomos da célula mãe.
  • 4. MEIOSE • Fases da meiose  Tanto a meiose I como a meiose II, são divididas em quatro fases;  A meiose I é dividida em: prófase I, metáfase I, anáfase I e telófase I;  A meiose II é dividida em: prófase II, metáfase II, anáfase II e telófase II.  Prófase I  A prófase I é longa e complexa, por isso os pesquisadores a dividiram em 5 subfases: o Leptóteno; o Zigóteno; o Paquíteno; o Diplóteno; o Diacinese.
  • 5. MEIOSE • Leptóteno: visualização dos cromossomos  Na fase de leptóteno tem início a condensação dos cromossomos;  Eles se tornam visíveis ao microscópio óptico, como fios longos e finos, pontilhados de grânulos, denominados Cromômeros.
  • 6. MEIOSE • Zigóteno: emparelhamento cromossômico  Nessa fase ocorre a sinapse cromossômica, o que significa que os cromossomos homólogos colocam-se lado a lado emparelhando-se ao longo de seu comprimento;  Formação do complexo sinaptonêmico: proteínas formam um longo eixo central e duas barras laterais às quais se associam os cromossomos homólogos, emparelhando-se.
  • 7. MEIOSE • Paquíteno: formação dos bivalentes  Nessa fase, os cromossomos estão mais condensados e completamente emparelhados;  Cada par de homólogos forma um conjunto denominado bivalente ou tétrade;  Ocorrem quebras nas cromátides dos cromossomos homólogos seguidas por soldaduras de reparação, uma cromátide se solda ao fragmento da sua homóloga e vice-versa;  Esse fenômeno leva a troca de pedaços entro os cromossomos, fenômeno chamada de permutação ou crossing-over;
  • 8. MEIOSE  A permutação é um evento com importante significado biológico: a troca de fragmentos entre as cromátides homólogas aumenta as misturas genéticas, levando uma maior variedade de gametas formados por um indivíduo.
  • 9. MEIOSE • Diplóteno: Visualização dos quiasmas  Os cromossomos homólogos agora começando a se separar, aparecem nitidamente constituídos por duas cromátides;  Isso ocorre devido os desaparecimento do complexo sinaptonêmico;  Observa-se que as cromátides se cruzam em determinados pontos, originando figuras chamadas de quiasmas, esse cruzamento ocorre no ponto onde houve a permutação;  As cromátides-irmãs permanecem unidas entre si.
  • 10. MEIOSE • Diacinese: terminação dos quiasmas  Os cromossomos homólogos continuam em separação;  Devido a condensação os cromossomos deixam de sintetizar RNA;  A carioteca se desfaz e os pares de homólogos, ainda associados pelos quiasmas espalham-se pelo citoplasma.
  • 12. MEIOSE  Metáfase I • Na metáfase I os pares de cromossomos homólogos prendem-se ao fuso acromático formado na prófase dispondo-se na região equatorial da célula; • No entanto, há uma diferença fundamental da metáfase I da meiose para a metáfase da mitose; • Cada cromossomo com suas duas cromátides prendem-se a microtúbulos provenientes de um dos pólos; • O homólogo prende-se a um microtúbulo do pólo oposto.
  • 14. MEIOSE • Anáfase I  Nessa fase, cada cromossomo de um par de homólogos, constituído por duas cromátides unidas pelo centrômero, é puxado para um dos pólos da célula.
  • 15. MEIOSE • Telófase I  Na telófase I, os cromossomos estão separados em dois lotes, um em cada pólo da célula;  O fuso acromático se desfaz, os cromossomos de descondensam, as membranas nucleares se reorganizam;  Surgem assim dois novas núcleos, cada um deles com metade do número de cromossomos presentes no núcleo original;  Cada cromossomo entretanto ainda está constituído por duas cromátides.
  • 16. MEIOSE • Citocinese  Após a primeira divisão meiótica se completar, ocorre a citocinese I resultando em duas células-filhas;  Seguidamente inicia-se a meiose II.
  • 17. MEIOSE • Meiose II  A meiose II é muito semelhante a mitose;  As duas células resultantes da meiose II entram simultaneamente em prófase II e passam pelos quatro processos de divisão. • Prófase II  Os cromossomos já constituídos por duas cromátides, começam a se condensar;  Ao fim da prófase II, a carioteca se fragmenta e os cromossomos se espalham pelo citoplasma. • Metáfase II  Os cromossomos se ligam ao fuso acromático se alinhando no equador da célula;  Os microtúbulos puxam as cromátides-irmãs para pólos opostos.
  • 18. MEIOSE • Anáfase II  Os cromossomos-irmãos migram para os pólos opostos da célula. • Telófase II  Os cromossomos de descondensam;  As cariotecas se reorganizam;  O citoplasma se divide (citocinese II).