SlideShare uma empresa Scribd logo
CENTRO UNIVERSITARIO FACEX – UNIFACEX
UP: FARMACOLOGIAAPLICADAA ENFERMAGEM
DOCENTE: CARLOS CAPISTRANO
DISCENTES: JAKELINE OLIVEIRA, SIMARA SILVA, JEANE XAVIER,
MARIA DA PIEDADE GUEDES, CÁTIA MARIA, IRLANIA DANTAS, JOSÉ
HUMBERTO
CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX-UNIFACEX
UP: FARMACOLOGIA APLICADA A ENFERMAGEM
DOCENTE: DR. CARLOS CAPISTRANO
FÁRMACOS QUE ATUAM NO
SISTEMA DIGESTÓRIO
DISCENTES: JAKELINE OLIVEIRA, SIMARA SILVA, JEANE XAVIER, CÁTIA
MARIA, IRLANIA DANTAS, MARIA DA PIEDADE GUEDES, JOSÉ
HUMBERTO
 Inibidores de secreção gástrica: Antagonistas dos
receptores H2, inibidores da bomba de próton, antiácidos e
protetores de mucosa.
 Antiemético : Anti-histamínicos, anticolinérgicos,
antagonista de receptor dopaminérgico, antagonista do
receptor de serotonina.
 Catárticos: Laxantes formadores de volume, Laxantes
lubrificantes, catárticos irritantes, catárticos salinos.
 Antidiarreicos
 Digestivos
 Farmacocinética: é absorvida no intestino
com pico sérico de 60 a 90 minutos. É
metabolizado no fígado (meia vida de 2 horas)
e sua eliminação é a urina.
 Efeitos Colaterais: diarreia, cefaleia, tontura,
dores musculares, erupções cutâneas e
hipergastrinemia, ginecomastia em homens,
inibe P450.
 Interações: retardar o metabolismo de
anticoagulantes orais, fenitoina,
carbamazepina, teofilina e ADT.
 Ação: Antiulceroso, bloqueiam
receptores H2 inibindo
competitivamente, a ação da histamina
bem como a secreção gástrica.
EX: Cimetidina e Ranitidina
 Uso Clínico: Acidez gástrica, esofagite,
hipersecreção gástrica, úlcera duodenal
e úlcera gástrica.
Não fumar durante o tratamento.
 Contra indicações: lactantes, asma ou
doenças cardíacas, úlcera gástrica
maligna.
 Ação: Inibição irreversível da
H+/K+- ATPase Inibe a secreção→
ácida tanto basal quanto
Estimulada.
Ex: Omeprazol e Pantoprazol .
 Uso Clínico: úlceras do
estomago,úlcera duodenal,
esofagite de refluxo, infecção por
Helicobacter pylori, síndrome de
Zollinger-Ellison.
 Contra indicação: câncer de
estomago, crianças lactantes.
 Farmacocinética: a absorção intestinal com meia-vida
menor que 1 hora, metabolismo hepático e eliminação
de 80% é excretada na urina.
 Efeitos Colaterais: cefaleia, tonturas, sonolência e
confusão mental, náuseas, diarreia, flatulência,
diminuição da absorção de vitamina B12.
 Interações: interfere no metabolismo de diazepam,
fenitoína e warfrin aumentando a meia vida bem como
na absorção de drogas que dependem do pH gástrico
como cetoconazol, digoxina e ampicilina.
 Ação: agem diretamente na mucosa
gastrintestinal neutralizando o HCl e
inibindo a atividade péptica através da
inibição da pepsina.
 Uso Clínico: hiperacidez, refluxo
gastroesofágico, gastrite, úlcera péptica,
hérnia de hiato, hiperfosfatemia.
 Contra indicações: Insuficiência renal.
Tratamento simultâneo com
Aureomicina. Pacientes que presentem
hipersensibilidade a qualquer um dos
componentes da fórmula.
Farmacocinética: como neutralizam o HCl não
precisam ser absorvidos, são distribuídos por
todo o TGI eliminados nas fezes.
Efeitos Colaterais: Antiácidos contendo
alumínio podem causar constipação podendo
levar a obstrução intestinal.
Interações: não utiliza em tratamento
simultâneo com aureomicina.
 Ação: Inibe a bomba protônica H+,K+
ATPase, enzima responsável pela etapa
final da secreção ácida gástrica .
 Uso Clínico: Cytocec está indicado para
o tratamento de úlceras gástricas e
duodenais ativas. diminuição lesões da
mucosa causadas por AINEs,
cicatrização de úlceras em geral.
 Contra indicações: pode pôr em risco a
gravidez e seus efeitos sobre o feto
humano em desenvolvimento não são
conhecidos.Portanto, Cytotec não deve
ser usado pela mulher grávida.
 Farmacocinética: após perder um radical éster,
forma o ácido de misoprostol. Sua absorção é
rápida, com metabolismo nos tecidos do corpo. A
excreção é feita pela urina.
 Efeitos colaterais: náuseas, vômitos, diarreia,
fortes dores abdominais, febre, tremores, risco de
aborto.
 Interações: não há evidência de interações com
drogas cardíacas, gastrintestinais, pulmonares ou
que atuam no SNC.
O processo do vômito é coordenado pelo centro do vômito,
uma estrutura do sistema nervoso central (SNC),
conectado às seguintes estruturas:
Zona de gatilho dos quimiorreceptores;
Núcleo do trato solitário do nervo vago;
Antieméticos: Atuam como antagonistas dos receptores
presentes na zona de gatilho quimiorreceptora ou inibidores
das vias aferentes vagais.
Antagonistas do receptor 5-HT3: Ex. dolasetrona
Anti-histamínicos: Ex. Fernegan.
Antagonistas dos receptores muscarínicos:
Ex. Escopolamina.
Antagonistas dos receptores dopaminérgicos:
Ex. droperidol .
 Ação: Antagonistas dos receptores H1da
histamina e agonistas α1e muscarínicos,
agem no aparelho vestibular evitando o
enjoo de movimento (cinetose).
 Uso Clínico: nauseas,rinite alergica,
sedação,cinetose, na êmese pós-
operatória, labirintites.
 Contra indicações: ataque de asma,
crianças com doença aguda ou
desidratação, dano cerebral, doença
cardiovascular, lactantes, epilepsia,
estado de coma.
 Farmacocinética: rápida absorção VO, pico em 1-2 horas
e eficaz por 3-6 horas. Metabolização hepática e excreção
renal.
 Efeito Colateral: sonolência, tonturas, turvação visual,
insônia, nervosismo, secura de boca, garganta e vias
respiratórias bem como retenção urinária.
 Interações: potencializa drogas depressoras do SNC,
evitar o uso com inibidores da MAO, sedativos,
tranquilizantes, ototóxicos (mascara os sintomas de
ototoxicidade).
 Ação: agem no centro do vômito,
bloqueiam estímulos do trato
solitário e agem nos
quimiorreceptores das drogas
citostáticas (quimioterápicos).
 Uso Clínico: cinetose, náuseas,
vômitos pós-operatórios, controle da
dismenorreia ,úlcera duodenal,
úlcera de estomago.
 Contra indicações: lactantes.
 Farmacocinética: é absorvida no intestino e tem
efeito anticolinérgico periférico, inibindo a
transmissão ganglionar.
É metabolizada no fígado com eliminação renal.
 Efeito Colateral: secura da boca, taquicardia,
vertigem, retenção urinária, pressão baixa, rubor.
 Interações: intensifica a ação anticolinérgica de
antidepressivos e anti-histamínicos, aumenta a ação
taquicardia dos agentes beta-adrenérgicos.
 Ação: bloqueia os receptores dopaminérgicos no
SNC e aumenta a sensibilidade dos tecidos à
acetilcolina.Estimula a motilidade do TGI
superior, aumenta a pressão esofágica
inferior,acelera o esvaziamento do estomago e
aumenta o trânsito intestinal.
 Uso Clínico: náuseas e vômitos, esofagite com
refluxo.
 Contraindicações: epilepsia, hemorragia
gastrointestinal, insuficiência hepática, IRC,
obstrução intestinal.
 Farmacocinética: A absorção gastrintestinal e
mucosa retal. A meia-vida a é de 3 a 6 horas.
Metabolizado parcialmente pelo fígado e
eliminado sem alteração na urina.
 Efeito Colateral: agitação, torcicolo, sonolência,
constipação, diarreia, edema oral e periorbital, e
galactorréia.
 Interações: altera a velocidade de absorção de
algumas drogas (como paracetamol), reduz a
biodisponibilidade da cimetidina por VO.
 Ação: é um potente antagonista,
altamente seletivo, dos receptores 5-
HT3 .
 Uso Clínico: náuseas e vômitos em
geral.
 Contra indicações: pacientes que
apresentam hipersensibilidade
conhecida à qualquer componente da
fórmula, e a crianças menores de 4
anos.
 Farmacocinética: é absorvida pelo TGI, metabolizada
pelo fígado e eliminada é eliminada da circulação
sistêmica predominantemente por metabolismo
hepático.
 Efeito Colateral: movimento circular involuntário dos
olhos, agitação, convulsões, visão turva, arritmia ,
lipotimia , cefaleia , constipação e soluços.
 Interações: Não existem evidências que a ondansetrona
induza ou iniba o metabolismo de outras drogas.
 Ação: lubrificam e amolecem as fezes(impede a
dessecação).
 Uso Clínico: utilizados como laxantes.
 Farmacocinética: são absorvidos no intestino
(hidrolisados pela lipase intestinal), metabolizado pelo
fígado através da bile e eliminados nas fezes.
 Efeitos Colaterais: aumento da resistência a insulina.
 Interações: reduzem a absorção das vitaminas
lipossolúveis, aumentam a absorção sistêmica podendo
resultar em depósitos teciduais do óleo.
Ex: Óleo Vegetal.
 Ação: aumenta o conteúdo
intraluminal por retenção
osmótica, formam um gel que
mantém as fezes hidratadas,
consequentemente acelerando o
trânsito intestinal .
 Uso Clínico: usado como laxante
em casos de constipações em
geral.
Farmacocinética: como não são absorvidas
sistematicamente, os polissacarídeos são
convertidos pela flora intestinal em metabólitos
osmoticamente ativos, que retém água para o
intestino. São excretados nas fezes.
Efeito Colateral: o uso em excesso pode causar
constipação.
Interações: absorção diminuída de digoxina,
warfarin e salicilatos ocorre se essas drogas forem
tomadas concomitantemente.
 Ação: estabelece a liquefação das fezes através da liberação
de água absorvida. Esta fluidificação estimula o peristaltismo.
 Uso Clínico: constipações em geral.
 Farmacocinética: absorvido no reto de metabolismo e
excreção locais.
 Efeito Colateral: Não se conhecem efeitos colaterais
atribuídos ao preparado.
 Interações: O preparado não produz, nem sofre interações
como outros medicamentos.
Ex: Minilax
 Ação: Laxativo osmótico na constipação
intestinal habitual ou eventual.
 Uso Clínico: Para normalizar o intestino, no
pós-operatório e no puerpério.
Para esvaziamento intestinal no preparo
para colonoscopia ,
retoscopia, partos
e urografia excretora. No tratamento do
íleo adinâmico pós-operatório.
 Contra indicações: casos de hemorragias
agudas ou crises de retocolite
Ação: Aumenta a motilidade do TGI e a diminuição de
absorção de líquidos que são os principais fatores da
diarreia. Os antidiarreicos incluem os fármacos
antimotilidade, os adsorventes e fármacos que
modificam o transporte de água e eletrólitos.
Uso Clínico: diarreia, restauração da flora intestinal,
Contra indicações: Não são conhecidas, até o
momento, condições que contra-indiquem o uso
de Floratil e Floratil PEDIÁTRICO.
 Farmacocinética: o medicamento não é absorvido
e age localmente; é excretado nas fezes.
 Efeito Colateral: não são conhecidos relatos sobre
de reações adversas. Em algumas crianças pode-se
observar odor de fermento nas fezes, sem qualquer
significado nocivo.
 Interações: não deve ser administrado juntamente
com agentes fungistáticos e fungicidas (poliênicos
e os derivados do imidazol) que poderiam inativar
o produto.
 Ação: promovem o processo de digestão no trato
gastrointestinal e constituem um tipo de terapia de
reposição em estados carências de HCl, pancreatina,
pancrelipase, enzimas lactase.
 Uso Clínico: patologias dispépticas (eructações,
flatulência, empachamento pós-prandial, distensão
abdominal epigástrica e dor abdominal).
 Contraindicações: hipersensibilidade a quaisquer dos
componentes de sua fórmula e nos casos de hemorragia
e obstrução ou perfuração gastrintestinal.
Digeplus também é contraindicado em pacientes com
doença de Parkinson e com história de epilepsia.
 Farmacocinética: absorvido pela mucosa intestinal
com biodisponibilidade de 32 a 97%. Sua
metabolização é hepática e a excreção é urinária.
 Efeitos Colaterais: tontura, depressão, retenção
hídrica, galactorréia, fraqueza, reação alérgica,
constipação intestinal, diarreia, urticária.
 Interações: Deve ser evitada a terapia
concomitante com antidepressivos e tricíclicos e
com aminas simpaticomiméticas.
 VIANA, Dirce Laplaca, SILVA, Evandro de Sena,guia de medicamentos e
Cuidados de Enfermagem , 1ª Edição, 2012, são Caetano –SP, editora
Yends
 www.google.com/imagens
 www.medicina.net.com
 http://www.ebah.com.br/content/ABAAAfj5YAH/antiemeticos
 http://www.anestesiologia.org.br/pdfs/antiemeticos.pdf
 www.tuasaude.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula - Anti-inflamatórios não esteróidais
Aula - Anti-inflamatórios não esteróidaisAula - Anti-inflamatórios não esteróidais
Aula - Anti-inflamatórios não esteróidais
Mauro Cunha Xavier Pinto
 
Aula de Farmacologia sobre Fármacos anti-hipertensivos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos anti-hipertensivosAula de Farmacologia sobre Fármacos anti-hipertensivos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos anti-hipertensivos
Jaqueline Almeida
 
Analgésicos
AnalgésicosAnalgésicos
Analgésicos
Safia Naser
 
ANTI-INFLAMATÓRIOS e ANALGÉSICOS
ANTI-INFLAMATÓRIOS e ANALGÉSICOSANTI-INFLAMATÓRIOS e ANALGÉSICOS
ANTI-INFLAMATÓRIOS e ANALGÉSICOS
Leonardo Souza
 
Aula antiinflamatórios
Aula  antiinflamatóriosAula  antiinflamatórios
Aula antiinflamatórios
Renato Santos
 
Grupos de medicamentos
Grupos de medicamentosGrupos de medicamentos
Grupos de medicamentos
Francisco José
 
Anti-hipertensivos
Anti-hipertensivosAnti-hipertensivos
Anti-hipertensivos
resenfe2013
 
Glicocorticoides (AIES) e Antiinflamatórios não esteroidais (AINES)
Glicocorticoides (AIES) e Antiinflamatórios não esteroidais (AINES)Glicocorticoides (AIES) e Antiinflamatórios não esteroidais (AINES)
Glicocorticoides (AIES) e Antiinflamatórios não esteroidais (AINES)
Vanessa Cunha
 
Farmacodinâmica
FarmacodinâmicaFarmacodinâmica
Farmacodinâmica
Leonardo Souza
 
5. sistema nervoso
5. sistema nervoso5. sistema nervoso
5. sistema nervoso
Luiz Gonçalves Mendes Jr
 
Aula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
Aula de Farmacologia sobre AntihistaminicosAula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
Aula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
Jaqueline Almeida
 
Aula - Farmacologia básica - Farmacodinâmica
Aula - Farmacologia básica - FarmacodinâmicaAula - Farmacologia básica - Farmacodinâmica
Aula - Farmacologia básica - Farmacodinâmica
Mauro Cunha Xavier Pinto
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
7. farmacologia tgi
7. farmacologia tgi7. farmacologia tgi
7. farmacologia tgi
Luiz Gonçalves Mendes Jr
 
Farmacodinâmica e farmacocinética
Farmacodinâmica e farmacocinéticaFarmacodinâmica e farmacocinética
Farmacodinâmica e farmacocinética
anafreato
 
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAISANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
pauloalambert
 
Aula - SNC - Ansiolíticos e Hipnóticos
Aula - SNC - Ansiolíticos e HipnóticosAula - SNC - Ansiolíticos e Hipnóticos
Aula - SNC - Ansiolíticos e Hipnóticos
Mauro Cunha Xavier Pinto
 
Aula de Farmacocinética e Vias de Administração
Aula de Farmacocinética e Vias de AdministraçãoAula de Farmacocinética e Vias de Administração
Aula de Farmacocinética e Vias de Administração
Jaqueline Almeida
 
Farmacologia dos Analgésicos
Farmacologia dos Analgésicos Farmacologia dos Analgésicos
Farmacologia dos Analgésicos
Ricardo Augusto Tenfen Carneiro
 
Aula - Quimioterápicos - Antiparasitários
Aula - Quimioterápicos - AntiparasitáriosAula - Quimioterápicos - Antiparasitários
Aula - Quimioterápicos - Antiparasitários
Mauro Cunha Xavier Pinto
 

Mais procurados (20)

Aula - Anti-inflamatórios não esteróidais
Aula - Anti-inflamatórios não esteróidaisAula - Anti-inflamatórios não esteróidais
Aula - Anti-inflamatórios não esteróidais
 
Aula de Farmacologia sobre Fármacos anti-hipertensivos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos anti-hipertensivosAula de Farmacologia sobre Fármacos anti-hipertensivos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos anti-hipertensivos
 
Analgésicos
AnalgésicosAnalgésicos
Analgésicos
 
ANTI-INFLAMATÓRIOS e ANALGÉSICOS
ANTI-INFLAMATÓRIOS e ANALGÉSICOSANTI-INFLAMATÓRIOS e ANALGÉSICOS
ANTI-INFLAMATÓRIOS e ANALGÉSICOS
 
Aula antiinflamatórios
Aula  antiinflamatóriosAula  antiinflamatórios
Aula antiinflamatórios
 
Grupos de medicamentos
Grupos de medicamentosGrupos de medicamentos
Grupos de medicamentos
 
Anti-hipertensivos
Anti-hipertensivosAnti-hipertensivos
Anti-hipertensivos
 
Glicocorticoides (AIES) e Antiinflamatórios não esteroidais (AINES)
Glicocorticoides (AIES) e Antiinflamatórios não esteroidais (AINES)Glicocorticoides (AIES) e Antiinflamatórios não esteroidais (AINES)
Glicocorticoides (AIES) e Antiinflamatórios não esteroidais (AINES)
 
Farmacodinâmica
FarmacodinâmicaFarmacodinâmica
Farmacodinâmica
 
5. sistema nervoso
5. sistema nervoso5. sistema nervoso
5. sistema nervoso
 
Aula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
Aula de Farmacologia sobre AntihistaminicosAula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
Aula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
 
Aula - Farmacologia básica - Farmacodinâmica
Aula - Farmacologia básica - FarmacodinâmicaAula - Farmacologia básica - Farmacodinâmica
Aula - Farmacologia básica - Farmacodinâmica
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
Aula 1 (1)
 
7. farmacologia tgi
7. farmacologia tgi7. farmacologia tgi
7. farmacologia tgi
 
Farmacodinâmica e farmacocinética
Farmacodinâmica e farmacocinéticaFarmacodinâmica e farmacocinética
Farmacodinâmica e farmacocinética
 
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAISANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
 
Aula - SNC - Ansiolíticos e Hipnóticos
Aula - SNC - Ansiolíticos e HipnóticosAula - SNC - Ansiolíticos e Hipnóticos
Aula - SNC - Ansiolíticos e Hipnóticos
 
Aula de Farmacocinética e Vias de Administração
Aula de Farmacocinética e Vias de AdministraçãoAula de Farmacocinética e Vias de Administração
Aula de Farmacocinética e Vias de Administração
 
Farmacologia dos Analgésicos
Farmacologia dos Analgésicos Farmacologia dos Analgésicos
Farmacologia dos Analgésicos
 
Aula - Quimioterápicos - Antiparasitários
Aula - Quimioterápicos - AntiparasitáriosAula - Quimioterápicos - Antiparasitários
Aula - Quimioterápicos - Antiparasitários
 

Semelhante a Fármacos que atuam no sistema Digestório

Bom roteiro de estudo aula14
Bom roteiro de estudo aula14Bom roteiro de estudo aula14
Bom roteiro de estudo aula14
Barreto Santos
 
Paciente de risco
Paciente de riscoPaciente de risco
Paciente de risco
Luanna Melo
 
30351329 - Interacao - Medicamentosas.ppt
30351329 - Interacao - Medicamentosas.ppt30351329 - Interacao - Medicamentosas.ppt
30351329 - Interacao - Medicamentosas.ppt
Cristiane Andrade Maciel Nassif
 
2. anes
2. anes2. anes
Serotonina
SerotoninaSerotonina
Serotonina
karlaguzmn
 
Cap 28 -_farmacologia_do_tgi
Cap 28 -_farmacologia_do_tgiCap 28 -_farmacologia_do_tgi
Cap 28 -_farmacologia_do_tgi
Evolução Evolução
 
Grupos farmacológicos.pptx
Grupos farmacológicos.pptxGrupos farmacológicos.pptx
Grupos farmacológicos.pptx
Aloisio Amaral
 
2. antiinfla
2. antiinfla2. antiinfla
Neurologia – caso clínico
Neurologia – caso clínicoNeurologia – caso clínico
Neurologia – caso clínico
Gisele Doula
 
Cuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressorasCuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressoras
Nayara Dávilla
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagem
Ana Hollanders
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 
Apresentao farmacologiadosistemagastrointestinal-141017144143-conversion-gate02
Apresentao farmacologiadosistemagastrointestinal-141017144143-conversion-gate02Apresentao farmacologiadosistemagastrointestinal-141017144143-conversion-gate02
Apresentao farmacologiadosistemagastrointestinal-141017144143-conversion-gate02
Antonioinacioferraz
 
Idor fsc2
Idor fsc2Idor fsc2
Complicacoes TNE e NPT
Complicacoes TNE e NPTComplicacoes TNE e NPT
Complicacoes TNE e NPT
lucianajunqueira
 
Vias de administração de medicamentos.
Vias de administração de medicamentos. Vias de administração de medicamentos.
Vias de administração de medicamentos.
Juliana Lima
 
Patologias gastrointestinais e intervenções clínicas
Patologias gastrointestinais e intervenções clínicasPatologias gastrointestinais e intervenções clínicas
Patologias gastrointestinais e intervenções clínicas
Eloi Lago
 
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptxaula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
PedroNabarrete
 
Diuréticos
DiuréticosDiuréticos
Diuréticos
Nulciene freitas
 
7. farmacologia tgi
7. farmacologia tgi7. farmacologia tgi
7. farmacologia tgi
Luiz Gonçalves Mendes Jr
 

Semelhante a Fármacos que atuam no sistema Digestório (20)

Bom roteiro de estudo aula14
Bom roteiro de estudo aula14Bom roteiro de estudo aula14
Bom roteiro de estudo aula14
 
Paciente de risco
Paciente de riscoPaciente de risco
Paciente de risco
 
30351329 - Interacao - Medicamentosas.ppt
30351329 - Interacao - Medicamentosas.ppt30351329 - Interacao - Medicamentosas.ppt
30351329 - Interacao - Medicamentosas.ppt
 
2. anes
2. anes2. anes
2. anes
 
Serotonina
SerotoninaSerotonina
Serotonina
 
Cap 28 -_farmacologia_do_tgi
Cap 28 -_farmacologia_do_tgiCap 28 -_farmacologia_do_tgi
Cap 28 -_farmacologia_do_tgi
 
Grupos farmacológicos.pptx
Grupos farmacológicos.pptxGrupos farmacológicos.pptx
Grupos farmacológicos.pptx
 
2. antiinfla
2. antiinfla2. antiinfla
2. antiinfla
 
Neurologia – caso clínico
Neurologia – caso clínicoNeurologia – caso clínico
Neurologia – caso clínico
 
Cuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressorasCuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressoras
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagem
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
Apresentao farmacologiadosistemagastrointestinal-141017144143-conversion-gate02
Apresentao farmacologiadosistemagastrointestinal-141017144143-conversion-gate02Apresentao farmacologiadosistemagastrointestinal-141017144143-conversion-gate02
Apresentao farmacologiadosistemagastrointestinal-141017144143-conversion-gate02
 
Idor fsc2
Idor fsc2Idor fsc2
Idor fsc2
 
Complicacoes TNE e NPT
Complicacoes TNE e NPTComplicacoes TNE e NPT
Complicacoes TNE e NPT
 
Vias de administração de medicamentos.
Vias de administração de medicamentos. Vias de administração de medicamentos.
Vias de administração de medicamentos.
 
Patologias gastrointestinais e intervenções clínicas
Patologias gastrointestinais e intervenções clínicasPatologias gastrointestinais e intervenções clínicas
Patologias gastrointestinais e intervenções clínicas
 
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptxaula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
 
Diuréticos
DiuréticosDiuréticos
Diuréticos
 
7. farmacologia tgi
7. farmacologia tgi7. farmacologia tgi
7. farmacologia tgi
 

Último

Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
JohnnyLima16
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 

Último (20)

Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 

Fármacos que atuam no sistema Digestório

  • 1. CENTRO UNIVERSITARIO FACEX – UNIFACEX UP: FARMACOLOGIAAPLICADAA ENFERMAGEM DOCENTE: CARLOS CAPISTRANO DISCENTES: JAKELINE OLIVEIRA, SIMARA SILVA, JEANE XAVIER, MARIA DA PIEDADE GUEDES, CÁTIA MARIA, IRLANIA DANTAS, JOSÉ HUMBERTO CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX-UNIFACEX UP: FARMACOLOGIA APLICADA A ENFERMAGEM DOCENTE: DR. CARLOS CAPISTRANO FÁRMACOS QUE ATUAM NO SISTEMA DIGESTÓRIO DISCENTES: JAKELINE OLIVEIRA, SIMARA SILVA, JEANE XAVIER, CÁTIA MARIA, IRLANIA DANTAS, MARIA DA PIEDADE GUEDES, JOSÉ HUMBERTO
  • 2.  Inibidores de secreção gástrica: Antagonistas dos receptores H2, inibidores da bomba de próton, antiácidos e protetores de mucosa.  Antiemético : Anti-histamínicos, anticolinérgicos, antagonista de receptor dopaminérgico, antagonista do receptor de serotonina.  Catárticos: Laxantes formadores de volume, Laxantes lubrificantes, catárticos irritantes, catárticos salinos.  Antidiarreicos  Digestivos
  • 3.  Farmacocinética: é absorvida no intestino com pico sérico de 60 a 90 minutos. É metabolizado no fígado (meia vida de 2 horas) e sua eliminação é a urina.  Efeitos Colaterais: diarreia, cefaleia, tontura, dores musculares, erupções cutâneas e hipergastrinemia, ginecomastia em homens, inibe P450.  Interações: retardar o metabolismo de anticoagulantes orais, fenitoina, carbamazepina, teofilina e ADT.
  • 4.
  • 5.  Ação: Antiulceroso, bloqueiam receptores H2 inibindo competitivamente, a ação da histamina bem como a secreção gástrica. EX: Cimetidina e Ranitidina  Uso Clínico: Acidez gástrica, esofagite, hipersecreção gástrica, úlcera duodenal e úlcera gástrica. Não fumar durante o tratamento.  Contra indicações: lactantes, asma ou doenças cardíacas, úlcera gástrica maligna.
  • 6.  Ação: Inibição irreversível da H+/K+- ATPase Inibe a secreção→ ácida tanto basal quanto Estimulada. Ex: Omeprazol e Pantoprazol .  Uso Clínico: úlceras do estomago,úlcera duodenal, esofagite de refluxo, infecção por Helicobacter pylori, síndrome de Zollinger-Ellison.  Contra indicação: câncer de estomago, crianças lactantes.
  • 7.  Farmacocinética: a absorção intestinal com meia-vida menor que 1 hora, metabolismo hepático e eliminação de 80% é excretada na urina.  Efeitos Colaterais: cefaleia, tonturas, sonolência e confusão mental, náuseas, diarreia, flatulência, diminuição da absorção de vitamina B12.  Interações: interfere no metabolismo de diazepam, fenitoína e warfrin aumentando a meia vida bem como na absorção de drogas que dependem do pH gástrico como cetoconazol, digoxina e ampicilina.
  • 8.  Ação: agem diretamente na mucosa gastrintestinal neutralizando o HCl e inibindo a atividade péptica através da inibição da pepsina.  Uso Clínico: hiperacidez, refluxo gastroesofágico, gastrite, úlcera péptica, hérnia de hiato, hiperfosfatemia.  Contra indicações: Insuficiência renal. Tratamento simultâneo com Aureomicina. Pacientes que presentem hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula.
  • 9. Farmacocinética: como neutralizam o HCl não precisam ser absorvidos, são distribuídos por todo o TGI eliminados nas fezes. Efeitos Colaterais: Antiácidos contendo alumínio podem causar constipação podendo levar a obstrução intestinal. Interações: não utiliza em tratamento simultâneo com aureomicina.
  • 10.  Ação: Inibe a bomba protônica H+,K+ ATPase, enzima responsável pela etapa final da secreção ácida gástrica .  Uso Clínico: Cytocec está indicado para o tratamento de úlceras gástricas e duodenais ativas. diminuição lesões da mucosa causadas por AINEs, cicatrização de úlceras em geral.  Contra indicações: pode pôr em risco a gravidez e seus efeitos sobre o feto humano em desenvolvimento não são conhecidos.Portanto, Cytotec não deve ser usado pela mulher grávida.
  • 11.  Farmacocinética: após perder um radical éster, forma o ácido de misoprostol. Sua absorção é rápida, com metabolismo nos tecidos do corpo. A excreção é feita pela urina.  Efeitos colaterais: náuseas, vômitos, diarreia, fortes dores abdominais, febre, tremores, risco de aborto.  Interações: não há evidência de interações com drogas cardíacas, gastrintestinais, pulmonares ou que atuam no SNC.
  • 12.
  • 13. O processo do vômito é coordenado pelo centro do vômito, uma estrutura do sistema nervoso central (SNC), conectado às seguintes estruturas: Zona de gatilho dos quimiorreceptores; Núcleo do trato solitário do nervo vago; Antieméticos: Atuam como antagonistas dos receptores presentes na zona de gatilho quimiorreceptora ou inibidores das vias aferentes vagais. Antagonistas do receptor 5-HT3: Ex. dolasetrona Anti-histamínicos: Ex. Fernegan. Antagonistas dos receptores muscarínicos: Ex. Escopolamina. Antagonistas dos receptores dopaminérgicos: Ex. droperidol .
  • 14.  Ação: Antagonistas dos receptores H1da histamina e agonistas α1e muscarínicos, agem no aparelho vestibular evitando o enjoo de movimento (cinetose).  Uso Clínico: nauseas,rinite alergica, sedação,cinetose, na êmese pós- operatória, labirintites.  Contra indicações: ataque de asma, crianças com doença aguda ou desidratação, dano cerebral, doença cardiovascular, lactantes, epilepsia, estado de coma.
  • 15.  Farmacocinética: rápida absorção VO, pico em 1-2 horas e eficaz por 3-6 horas. Metabolização hepática e excreção renal.  Efeito Colateral: sonolência, tonturas, turvação visual, insônia, nervosismo, secura de boca, garganta e vias respiratórias bem como retenção urinária.  Interações: potencializa drogas depressoras do SNC, evitar o uso com inibidores da MAO, sedativos, tranquilizantes, ototóxicos (mascara os sintomas de ototoxicidade).
  • 16.  Ação: agem no centro do vômito, bloqueiam estímulos do trato solitário e agem nos quimiorreceptores das drogas citostáticas (quimioterápicos).  Uso Clínico: cinetose, náuseas, vômitos pós-operatórios, controle da dismenorreia ,úlcera duodenal, úlcera de estomago.  Contra indicações: lactantes.
  • 17.  Farmacocinética: é absorvida no intestino e tem efeito anticolinérgico periférico, inibindo a transmissão ganglionar. É metabolizada no fígado com eliminação renal.  Efeito Colateral: secura da boca, taquicardia, vertigem, retenção urinária, pressão baixa, rubor.  Interações: intensifica a ação anticolinérgica de antidepressivos e anti-histamínicos, aumenta a ação taquicardia dos agentes beta-adrenérgicos.
  • 18.  Ação: bloqueia os receptores dopaminérgicos no SNC e aumenta a sensibilidade dos tecidos à acetilcolina.Estimula a motilidade do TGI superior, aumenta a pressão esofágica inferior,acelera o esvaziamento do estomago e aumenta o trânsito intestinal.  Uso Clínico: náuseas e vômitos, esofagite com refluxo.  Contraindicações: epilepsia, hemorragia gastrointestinal, insuficiência hepática, IRC, obstrução intestinal.
  • 19.  Farmacocinética: A absorção gastrintestinal e mucosa retal. A meia-vida a é de 3 a 6 horas. Metabolizado parcialmente pelo fígado e eliminado sem alteração na urina.  Efeito Colateral: agitação, torcicolo, sonolência, constipação, diarreia, edema oral e periorbital, e galactorréia.  Interações: altera a velocidade de absorção de algumas drogas (como paracetamol), reduz a biodisponibilidade da cimetidina por VO.
  • 20.  Ação: é um potente antagonista, altamente seletivo, dos receptores 5- HT3 .  Uso Clínico: náuseas e vômitos em geral.  Contra indicações: pacientes que apresentam hipersensibilidade conhecida à qualquer componente da fórmula, e a crianças menores de 4 anos.
  • 21.  Farmacocinética: é absorvida pelo TGI, metabolizada pelo fígado e eliminada é eliminada da circulação sistêmica predominantemente por metabolismo hepático.  Efeito Colateral: movimento circular involuntário dos olhos, agitação, convulsões, visão turva, arritmia , lipotimia , cefaleia , constipação e soluços.  Interações: Não existem evidências que a ondansetrona induza ou iniba o metabolismo de outras drogas.
  • 22.
  • 23.  Ação: lubrificam e amolecem as fezes(impede a dessecação).  Uso Clínico: utilizados como laxantes.  Farmacocinética: são absorvidos no intestino (hidrolisados pela lipase intestinal), metabolizado pelo fígado através da bile e eliminados nas fezes.  Efeitos Colaterais: aumento da resistência a insulina.  Interações: reduzem a absorção das vitaminas lipossolúveis, aumentam a absorção sistêmica podendo resultar em depósitos teciduais do óleo. Ex: Óleo Vegetal.
  • 24.  Ação: aumenta o conteúdo intraluminal por retenção osmótica, formam um gel que mantém as fezes hidratadas, consequentemente acelerando o trânsito intestinal .  Uso Clínico: usado como laxante em casos de constipações em geral.
  • 25. Farmacocinética: como não são absorvidas sistematicamente, os polissacarídeos são convertidos pela flora intestinal em metabólitos osmoticamente ativos, que retém água para o intestino. São excretados nas fezes. Efeito Colateral: o uso em excesso pode causar constipação. Interações: absorção diminuída de digoxina, warfarin e salicilatos ocorre se essas drogas forem tomadas concomitantemente.
  • 26.  Ação: estabelece a liquefação das fezes através da liberação de água absorvida. Esta fluidificação estimula o peristaltismo.  Uso Clínico: constipações em geral.  Farmacocinética: absorvido no reto de metabolismo e excreção locais.  Efeito Colateral: Não se conhecem efeitos colaterais atribuídos ao preparado.  Interações: O preparado não produz, nem sofre interações como outros medicamentos. Ex: Minilax
  • 27.  Ação: Laxativo osmótico na constipação intestinal habitual ou eventual.  Uso Clínico: Para normalizar o intestino, no pós-operatório e no puerpério. Para esvaziamento intestinal no preparo para colonoscopia , retoscopia, partos e urografia excretora. No tratamento do íleo adinâmico pós-operatório.  Contra indicações: casos de hemorragias agudas ou crises de retocolite
  • 28. Ação: Aumenta a motilidade do TGI e a diminuição de absorção de líquidos que são os principais fatores da diarreia. Os antidiarreicos incluem os fármacos antimotilidade, os adsorventes e fármacos que modificam o transporte de água e eletrólitos. Uso Clínico: diarreia, restauração da flora intestinal, Contra indicações: Não são conhecidas, até o momento, condições que contra-indiquem o uso de Floratil e Floratil PEDIÁTRICO.
  • 29.  Farmacocinética: o medicamento não é absorvido e age localmente; é excretado nas fezes.  Efeito Colateral: não são conhecidos relatos sobre de reações adversas. Em algumas crianças pode-se observar odor de fermento nas fezes, sem qualquer significado nocivo.  Interações: não deve ser administrado juntamente com agentes fungistáticos e fungicidas (poliênicos e os derivados do imidazol) que poderiam inativar o produto.
  • 30.  Ação: promovem o processo de digestão no trato gastrointestinal e constituem um tipo de terapia de reposição em estados carências de HCl, pancreatina, pancrelipase, enzimas lactase.  Uso Clínico: patologias dispépticas (eructações, flatulência, empachamento pós-prandial, distensão abdominal epigástrica e dor abdominal).  Contraindicações: hipersensibilidade a quaisquer dos componentes de sua fórmula e nos casos de hemorragia e obstrução ou perfuração gastrintestinal. Digeplus também é contraindicado em pacientes com doença de Parkinson e com história de epilepsia.
  • 31.  Farmacocinética: absorvido pela mucosa intestinal com biodisponibilidade de 32 a 97%. Sua metabolização é hepática e a excreção é urinária.  Efeitos Colaterais: tontura, depressão, retenção hídrica, galactorréia, fraqueza, reação alérgica, constipação intestinal, diarreia, urticária.  Interações: Deve ser evitada a terapia concomitante com antidepressivos e tricíclicos e com aminas simpaticomiméticas.
  • 32.  VIANA, Dirce Laplaca, SILVA, Evandro de Sena,guia de medicamentos e Cuidados de Enfermagem , 1ª Edição, 2012, são Caetano –SP, editora Yends  www.google.com/imagens  www.medicina.net.com  http://www.ebah.com.br/content/ABAAAfj5YAH/antiemeticos  http://www.anestesiologia.org.br/pdfs/antiemeticos.pdf  www.tuasaude.com

Notas do Editor

  1. Importante falar sucintamente sobre controle da secreção gástrica: nervoso e hormonal. Pode ser com imagem. Algo breve! Para que suas colegas entendam como agem os antagonistas.
  2. Indicar outros exemplos, como a ranitidina!
  3. Indicar outros exemplos como: pantoprazol! Importante falar sobre o que é síndrome de Zollinger-Ellison.
  4. Utilizar outros exemplos, ainda que não tenha imagem!