Ot historia 2011

1.424 visualizações

Publicada em

Orientação Técnica de História realizada na Diretoria de Ensino Região de Bragança Paulista , no dia 07/06/2011.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.424
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ot historia 2011

  1. 1. 1- ABERTURATEORIA/PRÁTICACONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTOCIÊNCIAS HUMANASCURRÍCULO OFICIAL - HISTÓRIACONCEITOS: SENSIBILIZAÇÃO; PROBLEMATIZAÇÃO; CONTEXTUALIZAÇÃO;INTERDISCIPLINARIDADE E SEQUÊNCIA DIDÁTICA2- Ensino médio - segunda série - volume 2/2009Caderno do prof./aluno - História3- Vídeo: “Terremoto de 1755 -Lisboa”4- Vídeo: vestibulandoHistória Geral - 3Aula 19 - O Renascimento – parte IIHistória Geral - 4Aula 26 - A Revolução Francesa – parte I5- Atividade para o LAR: preparar uma aula de sua escolha que esteja colocadanos cadernos do prof./aluno , atendendo os itens estudados neste encontro (faráparte da pauta da próxima reunião) objetivo: formar um portfólio com aulaspreparadas.6- AVALIAÇÃO
  2. 2. Se concretiza na interação entre professorese alunos, refletindo a cultura e os contextos sociais a que pertence. (Freire, 1974).conceitos como: … contextualização temas transversais interdisciplinaridade…estão presentes na vida profissional de cada professormas, torná-los parte do contexto de sala de aula ainda é um desafio que tem que ser discutido.
  3. 3.  formação da pessoa, de maneira  o aprimoramento do educando a desenvolver valores e como pessoa humana, competências necessárias à incluindo a formação ética e o integração de seu projeto desenvolvimento de autonomia individual ao projeto da intelectual e do pensamento sociedade em que se situa. crítico.  a preparação e a orientação  o desenvolvimento das básicas para sua integração ao competências para continuar mundo do trabalho, com as aprendendo, de forma competências que garantam seu autônoma e crítica em níveis aprimoramento profissional e mais complexos de estudos. permitam acompanhar as mudanças que caracterizam a produção de nosso tempo.
  4. 4. O estudo das ações humanas no âmbito das relações sociais, que são construídas entre diferentes indivíduos, grupos, segmentos e classes sociais, bem como as construções intelectuais que estes elaboram nos processos de construção dos conhecimentos que, em cada momento, se mostramnecessários para viver em sociedade, em termos individuais ou coletivos.Disciplinas nas quais o objeto acima está presente deforma implícita ou explícita:
  5. 5. Corpos de conhecimentossistematicamente organizados (não são somente agregações mais ou menos sistematizadas de teorias e conceitos),expressam metodologias específicas de pesquisa, modalidades peculiares decoleta de dados, uso de materiais e de instrumentos.
  6. 6. A disciplina deve funcionar como instrumento capaz de levar o aluno a perceber-se como partede um amplo meio social. Assim, mesmo partindo das relações mais imediatas, como a família, por meio do estudo de história, o aluno poderá compreender as determinações sociais, temporais, espaciais presentes na sociedade.  desenvolvimento de capacidades de leitura, reflexão e escrita.
  7. 7. As relações sociais na sua diversidade (econômica,política e cultural) e nas múltiplasdimensões temporais, as atitudes de indivíduos, degrupos e de povos na construção e na reconstruçãodas sociedades, por meio de estudos das questões locais, regionais nacionais e mundiais, das diferenças e semelhanças entre culturas, das mudanças e permanências no modo de viver, de pensar, de fazer e das heranças legadas por gerações.
  8. 8. Momento importantíssimo, nem sempre tomado com cuidado que merece para a aprendizagem. Para iniciarmos um processo de investigaçãoprecisamos colocar os alunos em contato com o tema a ser desenvolvido. É o momento que o tema toma corpo, em que fazemos as pontes entre os alunos e as informações a serem conhecidas, entre eles e os conceitos ou conhecimentos a serem abordados.
  9. 9. É conveniente que se inicie todo estudo a partir de umproblema. Tal problematização do conteúdo pode seruma questão bem particular, a ser trabalhada em umaúnica aula, ou mais abrangente, tomando um númeromaior de aulas. Pode ser um desafio ou uma situação- problema ligada ao tema a ser trabalhado. possibilita a construção de conhecimentos, das habilidades propostas, de atitudes e valores almejados e explicitados nas expectativas de aprendizagem.
  10. 10. As discussões podem ser feitas inicialmente em pequenos grupos e em seguida, compartilhada com toda a classe. O professor pontua, elabora questionamentos, fomenta asdiscussões e contradições entre diferentes posições dos alunose lança dúvidas que ainda de forma implícita, vão demarcandoos conhecimentos necessários para se compreender e resolver o problema extremamente importante para desenvolver diferentes habilidades e competências como: domínio de conceitos, de linguagens, de procedimentos de pesquisa e investigação.
  11. 11. É um importante recurso que permite ao professor alcançar o objetivo proposto para os conteúdos abordados. O foco da disciplina de História deve estar centrado entre o evento histórico estudado e o viver concreto daquele que estuda o evento, no caso os alunos. do conteúdo traz importância aocotidiano do aluno, mostra que aquilo que se aprende , em sala de aula, tem aplicação prática. Na educação básica o objetivo não é formar “jovens historiadores” e sim formar jovens cidadãos.
  12. 12. Não é o momento para ensinar ou esclarecer conceitos, mas para colocar “na roda” o que vai ser ensinado e aprendido. (Algum esclarecimento pode ser dado, mas não é o momento para explicações sistematizadas). Contextualizar é vincular de formaintencional: os temas, os assuntos e as atividades desenvolvidas no fazer escolar, ao viver em sociedade do aluno.
  13. 13. As atividades desse momento têm o papel de incentivar o começo das discussões, de estimular olevantamento (e a organização) de alguns conhecimentos prévios, de elaboração de hipóteses que serão desenvolvidas, testadas, ampliadas e retomadas. É quando os alunos entram na investigação propriamente dita.Desse momento deve resultar um esquema ou um quadro com tudo o que foi levantado e está relacionado ao tema a serestudado. A função principal é possibilitar uma primeira visão de conjunto. Desse registro coletivo, que pode ser amplo e até caótico; é importante que o professor faça escolhas a serem investigadas.
  14. 14. Utiliza conhecimentos de várias disciplinas para a compreensão de uma situação problema. É uma integração de saberes. Além do conhecimento específico, o aluno podeaprender gramática, elaborar problemas relativos ao texto e muito mais.
  15. 15. Procedimento encadeado de passos ou etapas, para tornar mais eficiente processo de aprendizado.É indispensável que o professor saiba onde deseja chegar(intencionalidade) ao realizar uma proposta de ensino/ aprendizagem.
  16. 16. Para compreender o valor educacional de uma sequência didática e as razões que a justificam, é necessário: • identificar suas fases; •as atividades que a conformam; • as relações que se estabelecem.A partir daí, pode-se introduzir mudanças ou atividades novas que a melhorem, tendo em vista atender às reais necessidades dos educandos Zabala
  17. 17. Podem e devem ser usadas em qualquerdisciplina ou conteúdo, pois auxiliam o professor a organizar o trabalho na sala de aula de formagradual, partindo de níveis de conhecimento que os alunos já dominam, para chegar aos níveis que eles precisam dominar. Não é qualquer sequência didática que favorece o desenvolvimento da autonomiados estudantes. As que enfatizam a recepção de conteúdos e sua reprodução mecânicaretira a possibilidade de autoria na produção de conhecimentos.
  18. 18. Sequência didática?
  19. 19. Para Zabala:sequências didáticas são
  20. 20. Ensino médio - segunda série - volume 2/2009 Página 22 Caderno do professor - História
  21. 21. Ensino médio - segunda série - volume 2/2009 Página 22 Caderno do professor - História Situação de aprendizagem 3 - Iluminismo Tempo previsto: 4 aulas Conteúdos e temas: pressupostos referenciais do Iluminismo Habilidades e competências:• Compreensão de texto. Exige: domínio da norma culta da língua portuguesa;• capacidade de interpretar dados e informações contidas em textoshistoriográfico, relacionar essas informações entre si e com conceitospreviamente aprendidos, construindo uma síntese consistente, em que fiquedemonstrado o reconhecimento de aspectos definidores do pensamentoiluminista.
  22. 22. Página 24 (caderno do Prof.)Duas frases: Kant e Jean Meslier
  23. 23. O Jogo Virou StrikeComposição : (Fábio Perez/ Marcelo Mancini/ André Maini/ Cadu/ Rodrigo Maciel/ James Break/ Luiz carlos) E eu sigo em frente E hoje nada vai me abalar Sem olhar pra trás eu vou na fé Não Vi que tudo ao meu redor ia desmoronar Como um sonho eu acordei em outro lugar E eu, senti que a estrela brilhou, e nada faz parar Seis horas da manhã o sol me toca Com a paz que renova tudo em minha volta O som a noite inteira com a lua refletindo No fim do túnel a luz que cerca o meu caminho Já tá tudo pronto pra trip decolar E na bagagem traz sorte pra somar Pela sensação de liberdade é conduzido Limita o seu pudor e libera seu libido
  24. 24. E o jogo virou E a casa caiu Causando a mil por hora e nada abala E o jogo virou A mente se abriu, eu vou voar O mundo gira e bota sempre tudo no lugar Sem me arrepender, vou continuarManter o equilíbrio entrar na brisa, levitar Com minha bela na paz de Deus O que sobe pra mente faz o meu caminho o seu Tá tudo pronto com os pés na areia E o brilho da cidade incendeia Segue a vida reverenciando o som do mar Vou na certeza que o sol vai me guiar E o jogo virou E a casa caiu Causando a mil por hora e nada abala E o jogo virou
  25. 25. A mente se abriu, eu vou voar O mundo gira e bota sempre tudo no lugar Segue no role de bike À noite eu entro em cena e o clima é bom Queimando a Babilônia Legalize, eu faço um som Não morro na praia eu sei me aventurarSou come-quieto, mas sei bem quando explanar Que ela é toda imoral, de olhar já passo mal O encaixe foi perfeito, a sintonia surreal Ousada nova escola faz história estilo Reis de Dogtown E o jogo virou E a casa caiu Causando a mil por hora e nada abala E o jogo virou A mente se abriu, eu vou voar O mundo gira e bota sempre tudo no lugar (3x)
  26. 26. Músicos:Márcio: Violão e VozLucas: ViolãoJoão Victor: BongôProf. Michel: Baixo Aparódia foi baseada namúsica O Jogo Virou, dabanda Strike.
  27. 27. 1- “Política e Religião não se discute” Com certeza essa frase já foi ouvida por muitos de vocês! Quem concorda com ela? Por quê? 2- Na imagem vista podemos entender como formas de explicação do quê? Explicação religiosa e científica da origem da vida humana, criação divina dos seres humanos e a evolução dos seres vivos para se adaptar a novos ambientes .3- A imagem da esquerda mostra a criação do homem, obra de Michelangelo e a da direita satiriza a evolução humana, obra de Eduardo Seabra/Estúdio Sépia. As duas obras são contemporâneas?Não. “A criação do homem”, (é um afresco de 280 cm x 570 cm, pintado por Michelangelo Buonarroti por volta de 1511, que figura no teto da CapelaSistina. A cena representa um episódio do Livro do Gênesis no qual Deus cria o primeiro homem: Adão. A “sátira a evolução humana” é criação do Estúdio Sépia edições e imagens, Eduardo Seabra - artista gráfico, ilustrador e fotógrafo, Integra uma cooperativa de serviços editoriais, com mais de 20 de experiência no mercado editorial). (dados capturados na internet em 18/05/2011)
  28. 28. CADERNO DO PROFESSOR - PÁGINA 25 CADERNO DO ALUNO: PÁGINAS: 21;22 E 23• Preparar cópias dos excertos numerando-os de 1 a 3;• Distribuí-los aos alunos (vários alunos receberão o mesmo texto) Pedir aos alunos que individualmente: • leiam as frases , considerando a época e o contexto;• respondam, por escrito, a questão proposta.
  29. 29. Observe: Percurso do rio TejoComprimento: 1.007 kmNascente: Serra de Albarracín; EspanhaFoz: Lisboa; Portugal
  30. 30. Vídeo: “Terremoto de 1755 -Lisboa”Yutube Enviado por MCXLIIIPortugal, 25/03/2010 (partes 1-5) Caderno do professor página 26Ocorrido em meio à efervecência do pensamento Iluminista, foi alvo de diferentes interpretações de filósofos e intelectuais do período, que buscavam explicar suas causas. A polêmica mais conhecida envolveu Voltaire e Rousseau. Considerando que a razão iluminista fundamentou-se na crítica da metafísica, das religiões e do direito natural este vídeo oportunizará a análise de um evento ocorrido no século XVIII à luz dessa razão. Voltaire acreditava em Deus, no entanto era deísta,(acreditava em Deus que era a explicação racional do mundo e manifestada na ciência e na natureza – criticava as religiões).
  31. 31. Leitura e análise pelos alunos, do texto proposto. É importante que percebam/compreendam que: Para Rousseau a culpa não era nem da natureza e nem de Deus, mas do ser humano (corrupção da integridade humana pela sociedade e por sua irracionalidade, por sua capacidade de manter o caráter originalmente bom dos filhos do senhor) Pedir aos alunos que, à luz do que estudaram nas aulas anteriores e no conteúdo apresentado, formulem reflexões para as questões propostas no carderno. Os cadernos apresentam a partir das páginas 28,(prof.)e 26 (aluno) atividades de recaptulação das aulas anteriores, situações de aprendizagem avaliativas, de recuperação e de outros recursos para compreensão do tema tanto para os professores quanto para os alunos.
  32. 32. O texto de Luiz Felipe Baeta Neves se refere aootimismo de alguns filósofos mesmo após a catástofre.
  33. 33. Renascimento: movimento artístico e cultural que teve origem na Península Itálica e se espalhou pela Europa durante os séculos XIV, XV , e XVI.Iluminismo: movimento filosófico e político, marcado pelosurgimento da filosofia moderna e da ciência a partir do final do século XVI e durante os séculos XVII e XVIII. Humanismo: característica comum ao movimento renascentista e iluminista que consiste numa valorização doser humano. A perspectiva humanista rompeu com a tradição teocentrista religiosa da idade média. Liberalismo: O filho mais conhecido do Iluminismo.Consiste numa doutrina filosófica que prega acima de tudo o direito a liberdade (leia-se liberdade de comércio) em contraposição ao modelo político-econômico das antigas monarquias absolutistas baseadas em práticas como o monopólio colonial e o intervencionismo estatal.
  34. 34. Vídeo: vestibulando História Geral - 3 Aula 19 - O Renascimeno – parte IIRealização: Fundação Padre AnchietaCentro Paulista de Rádio e TV EducativasProdução: Mauro Muraro 1. domínio da norma culta da língua portuguesa; 2. capacidade de interpretar dados e informações contidas em textos historiográfico, 3. relacionar essas informações entre si e com conceitos previamente aprendidos, construindo uma síntese consistente
  35. 35. Vídeo: vestibulando História Geral - 4 Aula 26 - A Revolução Francesa – parte IRealização: Fundação Padre AnchietaCentro Paulista de Rádio e TV EducativasProdução: Mauro Muraro 1. domínio da norma culta da língua portuguesa; 2. capacidade de interpretar dados e informações contidas em textos historiográfico, 3. relacionar essas informações entre si e com conceitos previamente aprendidos, construindo uma síntese consistente
  36. 36. VOCÊAPRENDEU?Caderno do alunop. 26,27 e 28
  37. 37. Imannuel Kant (1724 - 1804) Professor universitário por opção, passa a vida realizando um sóprojeto, queria elaborar a teoria doconhecimento de modo a entender as operações do intelecto. Estudava curiosamente tudo: nas suas férias trabalhava como conferencista e realizava palestras para as familias nobres. A maioria desses cursos viraram livros e fragmentos de obras. Obras importante: O QUE É O ILUMINISMO? A CRÍTICA DA RAZÃO PURA .
  38. 38. “Poema sobre o desastre de Lisboa – ou exame deste axioma: “tudo está bem”” No poema Voltaire critica a posição de Leibniz e Alexandre Pope por atribuírem à Providência todo o acontecido
  39. 39. Aula expositiva e dialogada Iluminismo, movimento entendido como filosófico, exerceu grande influência em todas as áreas do conhecimento, tanto no seu contexto como posteriormente. • Loke, Kant, Voltaire, Montesquieu, Rousseau, são nomes ligados diretamente ao Iluminismo;• O Iluminismo não se desenvolveu somente na França, mas também na Alemanha, Itália, Portugal...• Ler com os alunos a definição de Kant (no caderno do aluno, p.20), na sequência discuta-a.
  40. 40. • é pela razão que os seres humanos se libertam da dominação política e religiosa;• deixar claro que esse pensamento é historicamente situado no século XVIII europeu, em um contexto de crítica à monarquia e à Igreja e que a valorização do progresso, da ciência e das técnicas como fatores que livrariam os seres humanos de seu fardo - a ausência da razão;• a crença na idéia de que as sociedades evoluem em etapas, com vistas a um fim objetivo, fazendo com que cada etapa dedesenvolvimento social seja sempre superior e melhor do que a anterior.
  41. 41. Voltar aos excertos numerados (caderno do prof. p.25) • analisar individualmente seus excertos pensando empossíveis respostas às perguntas apresentadas na sequência do excerto, lembrando que seus autores são ligados ao Iluminismo (representam esse tema); • promover o diálogo e o debate entre os alunos. professores que receberam o texto 1, levantam-se e , expressam sua análise.
  42. 42. Assunto: Você participou de uma O.T. na DERBP e informa a um amigo que estão abertasinscrições para nova turma. Sugira a ele que participe devido… ounao, porque …

×