Portifolio finalizado

2.545 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Portifolio finalizado

  1. 1. Mensagem ao Professor Estar vivo é estar em conflito permanente, produzindo dúvidas, certezas questionáveis. Estar vivo é assumir a Educação do sonho do cotidiano. Para permanecer vivo, educando a paixão, desejos de vida e morte, é preciso educar o medo e a coragem. Medo e coragem em ousar. Medo e coragem em romper com o velho. Medo e coragem em assumir a solidão de ser diferente. Medo e coragem em construir o novo. Medo e coragem em assumir a educação deste drama, cujos personagens são nossos desejos de vida e morte. Educar a paixão (de vida e morte) é lidar com esses dois ingredientes, cotidianamente,através da nossa capacidade, força vital (que todo ser humano possui, uns mais, outros menos, em outros anestesiada) e desejar, sonhar, imaginar, criar. Somos sujeitos porque desejamos, sonhamos, imaginamos e criamos, na busca permanenteda alegria, da esperança, do fortalecimento da liberdade, de uma sociedade mais justa, da felicidade a que todos temos direito. Este é o drama de permanecermos vivos... fazendo Educação.  Madalena Freire
  2. 2. Orientadora : Cláudia Regina Regente: Zuleide SilvaEstagiário: Giusepe Lamboglia Bandeira Portfólio apresentado ao colegiado do curso de graduação em Ciências Biológicas, Universidade do Estado da Bahia,como um dos pré-requisitos da disciplina Estágio Supervisionado II, sobre a regência da Profª Zuleide Silva e orientação da Profª Cláudia Regina.
  3. 3. Este portfólio é composto da aula, como também, dodescrição das observações e ambiente escolar como umdas experiências vivenciadas todo. Dentro desteno período de regência em pressuposto, procurou-sesala de aula que se baseou nos conviver e observar umaquatro pilares da educação e forma de direcionar a práticatambém na tendência pedagógica como uma açãosociointeracionista do sustentada em fundamentosprocesso de ensino- que englobam uma linhaaprendizagem. filosófica de aprendizagem eEncontram-se descrito neste sua efetividade.trabalho as observações nãosó do processo em sala de
  4. 4. Muitas são as dúvidas do aluno futuro educador com a realidadeao iniciar sua vida acadêmica no escolar, oportunizando compartilharcurso de licenciatura em Ciências construções de aprendizagem, bemBiológicas, como muitos de nós como a aplicação do aprendizadoestudantes nunca tivemos contato teórico na prática da profissãocom a sala de aula atuando como escolhida. O primeiro momento naprofessores é normal que surja escola para a preparação do estágioinúmeros anseios e dúvidas quanto deve ser aproveitado para observarao futuro como professores, por o funcionamento da escola, tanto naisso é fundamental o parte administrativa – coordenaçãodesenvolvimento do estágio – quanto na sala de aula, dos alunossupervisionado I e II.No decorrer da comunidade e de todos osdo curso o acadêmico se apropria envolvidos com o cotidiano escolar.de inúmeros conhecimentos, dediversas correntes filosóficas eteoria de aprendizagem, retratadopelas matérias de práticapedagógicas.O estágio, na maioriadas vezes, é o primeiro contato do
  5. 5. Essa observação permite a coletade informações extremamenteimportante, para que o acadêmicopossa elaborar seu projeto deintervenção pedagógico deRegência em sala de aula que seráa segunda etapa do estágio.
  6. 6. Durante o estágio supervisionado Supervisionado II favorece aII é possível a aplicação e descoberta, sendo um processoconcretização dos conhecimentos dinâmico de aprendizagens emteóricos obtidos durante o curso, e diferentes áreas de atuação noexperiência adquirida na prática campo profissional, dentro dedo estagio supervisionado I.É a situações reais de forma que ooportunidade para os professores acadêmico possa conhecerem formação exercitem os compreender e aplicar, naprincípios de cidadania e de realidade escolhida, a união daresponsabilidade social. Para que teoria com a prática.todas as atividades pedagógicassejam desenvolvidas de formacoerente e fundamental asupervisão do professororientador. A prática do Ensino/Estágio
  7. 7. Por ser um elo entre todas as parte dos fundamentos aprendidosdisciplinas do curso que ao longo dos períodos anterioresenglobam os núcleos temáticos da com os princípios teóricosformação básica do conhecimento estudados, junto com adidático-pedagógico, experiência do estagio I, agoraconhecimento sobre a cultura do trabalhando em sala de aula,movimento, tem por finalidade saindo do ensino fundamentalinserir o estagiário na realidade para o médio, neste momento,viva do mercado de trabalho, aliou-se a teoria à prática,possibilitando consolidar sua demonstrando, assim, o quanto éprofissionalização. enriquecedor e importante esta Dando conclusão à primeira etapa na formação acadêmica eetapa do Estágio Supervisionado profissional do futuro docente.II do curso de Licenciatura emBiologia, tendo em vista anecessidade de uma experiênciaprática onde se aplicou grande
  8. 8. Com uma linguagem simples edidática, " Biologia - I" apresentano início de cada capítulo um textointrodutórios correlacionado comassuntos do nosso cotidiano e aofinal dos capítulos o aluno serádesafiado por atividades de trêscategorias: desenvolvendohabilidades, questões e propostaspara discussão e testes, sempre como intuito de que os exercícios Livro: Biologia. volume 1funcionem como estímulo para odesenvolvimento do raciocínio dos Autor: César e Sezar alunos. Editora: Saraiva - 7ª edição - 2002 - 400 páginas
  9. 9. A sala do 1 ano MAV1, los com a prática pedagógicacomposta por 21 alunos, com propriamente dita, buscandoum nível intelectual aceitável, firmar uma prática que sejaanalisando a realidade significativa.encontrada em outras salas, o Todas as etapas do Estágiotrabalho discorreu de forma Supervisionado II foramcontinua, pelo interesse e importantes e enriquecedoras,disposição de aceitar o novo mas nenhuma delas se comparaprofessor temporário pelos aos momentos mágicos vividosalunos, o respeito mostrou-se numa sala de aula que, apesar daalto, e amizades surgiram de pequena quantidade de alunos,forma agradável e prazerosa. requereu muito do estagiário.O Estágio Supervisionado IIteve o objetivo de observar eaplicar os conhecimentosadquiridos nas disciplinasestudadas, bem como confrontá-
  10. 10. Encarar frente a frente toda a chamados a atenção.dialética educacional, os Pode-se também observar que oproblemas, como atrasos, o retorno foi satisfatório não apenascansaço visível na face da maioria pelo aprendizado, pelos gestos dedos alunos, muitos chegam a aceitação, pelo retorno dado acochilar em alguns momentos da cada atividade aplicada em salaaula, ou retira-se. de aula, via-se que a recíproca eraAlém disso, foi muito prazerosa a verdadeira.troca de conhecimentos, a atençãoque disponibilizaram cada um doseu jeito, para melhorcompreensão dos assuntos e dostemas abordados, embora umapequena parte, ou seja, dois (02)ou três (03) alunos que em algunsmomentos precisaram serem
  11. 11. No começo os alunos ficaram meio despedida e até depois emdesconfiados principalmente os encontros ocasionais na própriahomens, uma vez que a professora cidade. As atividades dadas em salaestava sendo substituída por um de aula, as pesquisas encomendadasestagiário. Iniciado os trabalhos e foram realizadas com êxito porcom o andamento das aulas foram parte dos discentes, criou-se ainda,adaptando-se à metodologia um laço afetivo muito forte, fatoaplicada ao longo das aulas. que proporcionou o sucesso no Procurou-se elaborar aulas processo de ensino-aprendizagemdiferenciadas que despertassem a bem como o reconhecimento docuriosidade e atenção dos mesmos; trabalho, empenho epercebeu-se também o interesse profissionalismo do estagiário.cada vez maior, a interação com osassuntos abordados e a relação deamizade com o estagiário,explícitos nas palavras de apoio,nos elogios e o carinhodemonstrado nesse período, na
  12. 12. No primeiro dia sempre porque não entra umadá um "frio na barriga", gatinha para estagiaros olhares como quem aqui" nos dias seguintesdiz: "já vem esse cara aí com a introdução dosmudar tudo", assusta um assuntos e as dinâmicaspouco os alunos já aplicadas os alunosacostumados com a foram gostando do jeitodidática do professor e a diferenciado de passar asdinâmica das aulas aulas eministradas, lembro conseqüentementequando um desses aprendendo a matéria.alunos disse: "só entrahomem nessa sala,
  13. 13. Nas aulas posteriores utilizados na aula, alémnotava-se o explicito das pesquisas sempreinteresse e a interação que solicitadas pelo"rolava" cada vez estagiário e ainda amelhor, os alunos se participação cada vezofereciam para ajudar a mais calorosa por partebuscar livros, dos mesmos.televisores, papeis eoutros matérias quefossem ou seriam
  14. 14. Experimentos desenvolvidos: A gema do ovo será colocada no copo só com água e outra água com sal,objetivo principal é demonstrar como a membrana acaba se adaptando ao meio, naágua pura a gema teoricamente ficara maior, na água com sal, a gema muchará. Oprofessor com isso demonstrar diferenças entre o meio hipertônico do meiohipotônico.
  15. 15. Analisando o Estágio de suas respectivas etapas eSupervisionado II, por meio de planos documentais.suas etapas, desde a observação O balanço é bastante positivopassando pela co-participação até levando em consideração a poucaa sua culminância na regência, experiência frente à ação docente.verificou-se quão complexo e O resultado superou ascheio de por menores é a sua expectativas uma vez que asconsumação, como a parte partes envolvidas, professor-burocrática dos papéis regente, alunos e estagiários,(documentos), os planejamentos , saíram satisfeitos.planos diários, planos semanais,tudo isso se torna um tantocomplicado. É como juntar peçasde um grande quebra-cabeça queé o estágio em toda a suaestrutura.Sua complexidade vai muito além
  16. 16. “Segundo Navarro (2000) contexto escolar e no meioas diversas temáticas social onde se inserem,envolvendo os estágios sobre os meios existentessupervisionados, para realizá-los, sobre oscontribuem para uma base caminhos e procedimentos asólida para a formação dos seguir, ou seja, sobre osprofissionais da educação saberes de referência de suaapesar das dificuldades, ação pedagógica, fazconsiderando que nem sentido investir no processosempre os professores e de reflexão nas e das açõesestagiários tem clareza pedagógicas realizadas nossobre os objetivos que contextos escolares (apudorientam suas ações no PIMENTA; LIMA, 2004).”
  17. 17. Na direção desse atividade de transformação daaprofundamento, Pimenta realidade. Nesse sentido, o(1994) partindo de pesquisas estágio curricular é atividaderealizadas em escola de teórica de conhecimento,formação de professores, fundamentação, diálogo eintroduz a discussão de intervenção na realidade, esta,práxis, na tentativa de superar sim, objeto da práxis. Ou seja,a decantada dicotomia entre é no contexto da sala de aulateoria e prática. Conclui que o da escola, do sistema deestágio ao contrário do que se ensino e da sociedade que apropugnava, não é atividade práxis de dá.prática, mais teórica,instrumentalizadora da práxisdocente, entendida esta como
  18. 18. Analisando o estágio sala de aula. Alem disso,como um todo não foi não foram encontradosdifícil realizá-lo, pois, problemas no decorrerpelo fato de tratar-se de da regência, fato quepessoas adultas culminou no sucesso(adolescentes) notava-se deste Estágio.sempre grande interessee atenção em relação àsaulas aplicadas o queajudava a melhorar cadavez mais o trabalho em
  19. 19. BRITO, G. S.; PURIFICAÇÃO, I. Educação e novastecnologias: um re-pensar. 2. ed. Curitiba: Ibpex,2008. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberesnecessários a prática. São Paulo: Paz e Terra, 1996.Coleção e Leitura. LANE, Silvia T.M. CODO, Wanderley, (orgs).Psicologia Social: o homem em movimento. 3. ed.São Paulo: Editora Brasiliense,SALDANHA, Louremi ercolani (coord.) Planejamentoe Organização do Ensino. 4ª ed., Porto Alegre,Globo, 19978SISTO, Fermino Fernandes.Dificuldades de aprendizagem no contextopsicopedagógico. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes.Cap.2, 2001. p.40-56.

×