SlideShare uma empresa Scribd logo
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO SEMANA DE CAPACITAÇÃO/2011 EDUCAÇÃO FÍSICA. Buscando a excelência pedagógica  nos dias de hoje . Tema da palestra:  Educação Física - 6º ao 9º ano Palestrante: Prof.  Rogerio Melo e-mail: rogeriomelo@rogeriomelo.com
  EDUCAÇÃO FÍSICA  – 6º AO 9º ANO
SUMÁRIO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],FORMATAÇÃO DE TODOS OS SLIDES, PARA MELHOR VISUALIZAÇÃO. LETRAS TIPO: ARIAL TAMANHO: 32 Por favor, crie quantos slides forem necessários a partir deste.
SUMÁRIO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],FORMATAÇÃO DE TODOS OS SLIDES, PARA MELHOR VISUALIZAÇÃO. LETRAS TIPO: ARIAL TAMANHO: 32 Por favor, crie quantos slides forem necessários a partir deste.
PROFESSOR DE QUE MANEIRA A SUA AULA DE  EDUCAÇÃO FÍSICA  CONTRIBUI PARA MINHA FORMAÇÃO? Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Carta aberta a comunidade Prof. Ronaldo Pacheco Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
“ Aprender não é nunca chegar a ser capaz de repetir  o mesmo gesto, mas de, perante a situação dar uma  resposta adequada por meios diferentes.” Maurice Merleau-Ponty Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
CONTEXTUALIZANDO A prática da  Educação Física  nas escolas.  Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
CONTEXTUALIZANDO Educação Física  Escolar passou por cinco tendências . Ghiraldelli Jr (1991) 1 -  Educação Física Higienista,   com ênfase na sua realização  como condição de saúde, entendendo saúde como assepsia social,  isto é, a  Educação Física  deveria afastar as pessoas das práticas  capazes de deteriorar a saúde e a moral, o que comprometeria  a vida coletiva. Esta concepção perdurou até 1930; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
2  -   Educação Física Militarista ,  com ênfase na disciplina pessoal e depuração da raça (Eugenia), obtendo uma juventude capaz de suportar o combate, a luta, a guerra. Não se resume à prática militar de preparo físico. Antes, impõe padrões de comportamento estereotipados a toda a sociedade. Vigorou entre 1930 e 1945; 3 -   Educação Física Pedagogistica,  de 1945 a 1964, realizada como atividade prioritariamente educativa, preconizando a educação do movimento para a promoção da educação integral. É a  Educação Física  Escolar encarada como utilidade social, capaz de levar os jovens a aceitar as regras do convívio democrático; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
4 -  Educação Física Competitivista,  após 1964, com ênfase na  competição desportiva como forma de superação individual e do adversário. Ocorre o culto ao atleta herói e ao desporto de alto nível. No âmbito escolar, a iniciação esportiva se tornou um dos aspectos fundamentais da  Educação Física , na tentativa de descobrir novos talentos que pudessem representar o país nas competições internacionais. Porém, esse modelo começou a ser contestado, uma vez que o Brasil não se tornou uma potência olímpica. Assim, surgiu a preocupação com o desenvolvimento psicomotor do aluno e uma nova tendência em  Educação Física ; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
5 -  Educação Física Popular ,  que privilegia a ludicidade, a solidariedade, a organização, e mobilização de todos para a construção de uma sociedade “democrática”, isto é, uma  Educação Física  capaz de articular as múltiplas dimensões do ser humano envolvido em cada prática corporal. Essa tendência surgiu na década de 80. Educação Física   que articule as múltiplas dimensões do ser humano. (BRASIL, 1997, p. 24), sendo compreendida como uma disciplina que integra o aluno na  Cultura Corporal de Movimento. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Alguns professores têm uma preocupação de cobrar e comparar rendimentos, da aula ser voltada para competição, onde somente o vencedor tem valor, repetem uma cópia fiel do regulamento das  grandes competições. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Assis (2005)  , falando dessa prática no seu livro  Reinventando o Esporte , diz que era uma  Educação Física  partícipe, na sua especificidade, do modelo de sociedade assentado na produtividade, na eficácia, na eficiência e, sobretudo (...) na formação do corpo dócil e disciplinado, apolítico, acrítico e alienado.  Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Tratar o esporte da escola como um pré-requisito para o esporte de alto nível é um desperdício, é privilegiar os mais habilidosos, os gestos técnicos, o resultado final. É deixar de se preocupar com quem está realizando o movimento, é não possibilitar a esse aluno experimentar novas formas de responder a uma situação específica. A especialização é excludente, elimina os menos habilidosos não oferece nenhuma chance do aluno ter o direito de não ser campeão, de poder perder, de não ser um atleta de alto nível.  Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
OBJETIVO DA  EDUCAÇÃO FÍSICA  ESCOLAR Contribuir na formação geral dos estudantes, através do desenvolvimento de cultura das capacidades motoras, cognitivas, afetivas e sociais, visando à aquisição do hábito da prática regular de atividades físicas como componente fundamental da educação para uma vida saudável. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
CARTA BRASILEIRA DE  EDUCAÇÃO FÍSICA Da indispensabilidade de uma  Educação Física  de qualidade nas escolas d) Tenha práticas esportivas e jogos em seu conteúdo, sob a forma de Esporte Educacional, que ao não reproduzir o esporte de rendimento no ambiente escolar, deve apresentar-se com regras específicas que permitam atender a princípios sócio-educativos; e) Possibilite ao aluno uma variedade considerável de experiências, vivências e convivências no uso de atividades físicas e no conhecimento de sua corporeidade; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
O ESPORTE É CONTEÚDO DE ENSINO DA  EDUCAÇÃO FÍSICA  ESCOLAR? SIM O esporte deve ser oferecido no sistema de ensino como atividade inerente ao componente curricular  Educação Física , inserido no projeto pedagógico da Escola. A sua prática deve evitar a  hipercompetitividade   dos alunos e priorizar o seu  desenvolvimento integral , incluindo a sua formação para a cidadania e lazer. O esporte e os demais conteúdos devem ser orientados para promover o estilo de vida ativo, para o lazer e a fruição, fazendo com que hábitos e atitudes que são próprias do esporte sejam utilizados com fatores de bem-estar, de paz, de cooperação e de exercício  da ética. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
CONTEÚDOS DE ENSINO DA  EDUCAÇÃO FÍSICA  ESCOLAR Exercícios físicos, atividades rítmicas e expressivas, ginástica, atividades esportivas, jogos, danças, lutas e olímpismo, compõe os conteúdos da  Educação Física  Escolar. Cada um desses conteúdos de natureza teórico/prática, pode e deve ser decomposto em ações motoras diversas (andar, correr, girar, saltar, arremessar, cair e se elevar...) que devem ser trabalhadas em diferentes intensidades, direções, ritmos, velocidades e significados. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Em algumas escolas a preocupação de se trabalhar com esportes educa as crianças mais para consecução de metas de treinamento preestabelecidas. Santana (2005) ,   falando sobre o esporte da escola, ele descreve que em algumas escolas ainda se procura sustentar uma pedagogia retrógrada que: Despreza dimensões sensíveis como a moralidade, a afetividade,  a sociabilidade e privilegia a dimensão racional (avaliação e treinamento); Elege um modelo de atleta ideal a ser (per) seguido; Compartilha da preocupação mercadológica da revelação de talentos; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Tem uma tendência à  especialização esportiva precoce ;   Seleciona crianças para o esporte a fim de compor equipes de  competição; Reproduz modelos de eventos competitivos do esporte profissional; Elege a competição como o principal referencial de avaliação. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Castellani Filho  (1998), recomenda parâmetros para compor as  unidades programáticas de  Educação Física : Um “aprender’ desvinculado da busca do rendimento físico-esportivo; Aprender percebendo a técnica como conhecimento produzido  pelo homem; Perceber o movimento humano presente na técnica; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Aprender para além do ato motor; Aprender regras como construções socioculturais modificáveis, e Aprender a organizar os próprios jogos e competições. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
PORTANTO As aulas de Educação Física  não devem ser apenas uma  reprodutora de movimentos,  mas instrumentalizar e dar  oportunidade de todos terem  autonomia.  Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
“ Há um mundo a ser descoberto dentro de cada criança  e de cada jovem. Só não consegue descobri-lo quem está  encarcerado dentro  do seu próprio mundo”.   Augusto Cury Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Atualmente podemos observar que algumas crianças “deixaram” de ser crianças, abandonaram os jogos de rua, não jogam mais bolas, nem brincam  mais. A CRIANÇA E A  EDUCAÇÃO FÍSICA Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Piaget (1998 )  diz que a atividade lúdica é o berço obrigatório das  atividades  intelectuais da criança. Estas não são apenas uma forma de desafogo ou  entretenimento para gastar energia das crianças, mas meios que contribuem  e enriquecem o desenvolvimento intelectual. Toda criança deve brincar e jogar, pois é de fundamental importância  para o seu desenvolvimento. Desde cedo à criança deve ser estimulada a brincar e jogar, pois é através da brincadeira e dos jogos que ela desenvolve conceitos que são levados para o resto da vida, além de desenvolver qualidades físicas fundamentais para uma boa coordenação motora.  Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Tremea (2000) , diz que a maneira de jogar apresenta duas características importantes: o prazer e o esforço espontâneo. Desta maneira, o jogo se torna uma atividade de grande motivação, liberando a espontaneidade e estimulando a ação.  9 DE JUNHO Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
UMA  EDUCAÇÃO FÍSICA  COM VÁRIAS POSSIBILIDADES “ A pratica da  Educação Física  na escola deve ser um espaço  democrático, dando oportunidade a todos, e não somente aqueles  que  apresentam  um maior grau de habilidade”.   Rogerio Melo Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
O que devemos utilizar como atividade em uma  aula de  Educação Física ? Como fazer com que essa aula possa  ser prazerosa?  Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
A  ESCOLA “ A escola deixou de ser uma aventura agradável. Paralelamente a isso, a mídia os seduziu com estímulos rápidos e prontos. Eles tornaram-se amantes do  fast food  emocional. A TV transporta os jovens, sem que eles façam esforços, para dentro de uma Excitante partida esportiva, para o interior de uma aeronave,  para o cerne de uma guerra e para dentro de um dramático conflito policial”.  Cury (2003) Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
E NA EDUCAÇÃO FÍSICA? Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
A quantidade de  informações faz com que as crianças  e adolescentes  percam o prazer em tudo aquilo que já  não trás as mesmas emoções que a mídia oferece. Já que essas  informações são repletas de cores e sons.  Em algumas escolas a  EDUCAÇÃO  FÍSICA  é em “ preto e  branco ”. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Tema: Atletismo Maratona (apresentação de competições e treinamento de alto nível) – Valores: fair play e espírito esportivo.  Disciplina: Educação Física Ano: 9º ano – Aula 03 Pergunta-desafio:  Qual é a corrida mais longa do Atletismo?  O esporte favorece a prática do fair play? Produtora: Leila Ribeiro Validadora: Vera Lucia de Menezes Costa Revisor: Rogério Silva de Melo Coordenadora de disciplina :  Ludmila Mourão
Você já conhece vários tipos de corridas do Atletismo Observe  nas  fotos  abaixo como a corrida pode ser realizada de forma diferenciada, desde a sua largada até o local onde pode ser realizada.  Largadas Locais  de corrida Venha agora conhecer com detalhes  um tipo de  corrida que vem crescendo na sua prática entre atletas e pessoas de várias idades
A  corrida mais longa do Atletismo! Nas olimpíadas temos uma corrida especial que encerra com as competições olímpicas e que empolga a multidão.  Você já assistiu  ou participou de uma corrida longa de competição? Observe a foto abaixo com atenção e depois  clique  nela para responder a questão acima. Importante!  Para navegar nesta aula clique para ler todo o assunto do slide de acordo com a sua vontade e velocidade de leitura.  Boa aula!
A sua história ... (Lembre-se de clicar para ver o texto!) A maratona é uma das mais antigas modalidades praticadas no mundo.  Diz a lenda grega, que a modalidade surgiu no sacrifício de um herói.  O grego  Pheidíppides  percorreu 40 quilômetros entre as cidades de Maratona e Atenas, na Grécia, para levar a notícia da vitória grega sobre os persas no ano 490 a.C. Ao concluir o duro percurso, o soldado falou: “Νενικήκαμεν” (vencemos a batalha) e, em seguida, morreu.
Afinal,como é a maratona  na atualidade?... A maratona é uma corrida de fundo que possui uma longa distância. É realizada parcialmente ou totalmente fora do estádio, envolve grande resistência física, sendo seu percurso estabelecido em 42 quilômetros e 195 metros. De todas as corridas de rua, apenas a maratona é disputada nas Olimpíadas. Há ainda os mundiais de maratona, meia-maratona e maratona de revezamento. Observe abaixo o percurso  de uma corrida de longa distância
O que devemos utilizar como atividade em uma  aula de  Educação Física ? Como fazer com que essa aula possa  ser prazerosa?  RESPONDENDO Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Uma proposta de  Educação Física  mais participativa e  emancipatória,  que deve contribuir  de forma  determinante para o  desenvolvimento  harmonioso e  integral dos alunos, fazendo com que  eles possam sentir  prazer em praticar a  atividade física e  através dessa prática  prazerosa sejam capazes  de levar para o resto de  suas vidas esse hábito salutar. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
SUMÔ Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
9 DE JUNHO Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
KIN BALL Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
DANÇA Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
ROPE SKIPPING Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E SUGESTÕES: ASSIS, Sávio. Reinventando o esporte. Possibilidade da prática pedagógica. 2º edição. Campinas:  Autores Associados LTDA, 2005. BETTI, Mauro. Educação Física e sociedade. São Paulo: Movimento. 1991. BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental.  Parâmetros Curriculares Nacionais :  Educação Física/Secretaria de Ensino Fundamental (1º e 2º Ciclos).  Brasília: MEC/SEF, 1997. CASTELLANI FILHO, Lino. Política educacional e educação física. Campinas: Autores Associados LTDA. 1998. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
GHIRALDELLI , P, J. Educação Física progressista: a pedagogia crítico social dos  conteúdos e a Educação Física brasileira. São Paulo, Loyola, 1991. WWW.EDUCOPEDIA.COM.BR www.efdeportes.com PIAGET, Jean. A psicologia da criança. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998. MELO,  Rogerio .  Esportes e Jogos Alternativos para Educação  Física Escolar.  Sprint. Rio de Janeiro. 2011. SANTANA, Wilton C.  Pedagogia do Esporte na Infância e Complexidade. In Pedagogia  do Esporte Contextos e Perspectivas. Org: Paes, Roberto Rodrigues e Balbino, Hermes  Ferreira. Guanabara Koogan. Rio de Janeiro.  2005.  Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
TREMEA, Viviam Santim (Org.). Jogos com materiais alternativos: material confeccionado pelos acadêmicos do curso de Educação Física, Turismo e Pedagogia. UNISC. Santa Cruz do Sul, 2000. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
www.rogeriomelo.com Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conteúdos das aulas de educação física
Conteúdos das aulas de educação físicaConteúdos das aulas de educação física
Conteúdos das aulas de educação física
FRANCISCO MAGNO CARNEIRO
 
História da educação física
História da educação física História da educação física
História da educação física
Marcone Almeida
 
Apresentação Educação Física - primeiro dia de aula
Apresentação   Educação Física - primeiro dia de aulaApresentação   Educação Física - primeiro dia de aula
Apresentação Educação Física - primeiro dia de aula
Gilson Silva
 
Ginástica
GinásticaGinástica
Ginástica
Bruna Telles
 
Projeto jogos escolares
Projeto jogos escolaresProjeto jogos escolares
Projeto jogos escolares
Ipu Notícias
 
Educação Física na BNCC.pptx
Educação Física na BNCC.pptxEducação Física na BNCC.pptx
Educação Física na BNCC.pptx
Makchwell Coimbra
 
Condicionamento físico
Condicionamento físicoCondicionamento físico
Condicionamento físico
NatanaelMoreiraAmori
 
A importancia da educação fisica
A importancia da educação fisicaA importancia da educação fisica
A importancia da educação fisica
Rosa Paollucci
 
Planos bimestrais 6º ao 9º educação física
Planos bimestrais  6º ao 9º educação físicaPlanos bimestrais  6º ao 9º educação física
Recreação
RecreaçãoRecreação
Recreação
LUIZ ALCÂNTARA
 
Avaliação educação física 9° ano 3° bimestre
Avaliação educação física 9° ano 3° bimestreAvaliação educação física 9° ano 3° bimestre
Avaliação educação física 9° ano 3° bimestre
José Paulo da Conceição
 
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docxPlanejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
MoisesVeiga2
 
Ava ed fisica_9ano
Ava ed fisica_9anoAva ed fisica_9ano
Ava ed fisica_9ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Apresentação da Disciplina Educação Física
Apresentação da Disciplina Educação FísicaApresentação da Disciplina Educação Física
Apresentação da Disciplina Educação Física
Junior Oliveira
 
Ava ed fisica_7ano
Ava ed fisica_7anoAva ed fisica_7ano
Ava ed fisica_7ano
Atividades Diversas Cláudia
 
História da Educação Física no Brasil
História da Educação Física no BrasilHistória da Educação Física no Brasil
História da Educação Física no Brasil
waldeck
 
Jogos cooperativos na escola
Jogos cooperativos na escolaJogos cooperativos na escola
Jogos cooperativos na escola
evandrolhp
 
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembroAvaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
Moesio Alves
 
Plano de aula ed. física
Plano de aula ed. físicaPlano de aula ed. física
Historia da Educação Física
Historia da Educação FísicaHistoria da Educação Física
Historia da Educação Física
Prof. Saulo Bezerra
 

Mais procurados (20)

Conteúdos das aulas de educação física
Conteúdos das aulas de educação físicaConteúdos das aulas de educação física
Conteúdos das aulas de educação física
 
História da educação física
História da educação física História da educação física
História da educação física
 
Apresentação Educação Física - primeiro dia de aula
Apresentação   Educação Física - primeiro dia de aulaApresentação   Educação Física - primeiro dia de aula
Apresentação Educação Física - primeiro dia de aula
 
Ginástica
GinásticaGinástica
Ginástica
 
Projeto jogos escolares
Projeto jogos escolaresProjeto jogos escolares
Projeto jogos escolares
 
Educação Física na BNCC.pptx
Educação Física na BNCC.pptxEducação Física na BNCC.pptx
Educação Física na BNCC.pptx
 
Condicionamento físico
Condicionamento físicoCondicionamento físico
Condicionamento físico
 
A importancia da educação fisica
A importancia da educação fisicaA importancia da educação fisica
A importancia da educação fisica
 
Planos bimestrais 6º ao 9º educação física
Planos bimestrais  6º ao 9º educação físicaPlanos bimestrais  6º ao 9º educação física
Planos bimestrais 6º ao 9º educação física
 
Recreação
RecreaçãoRecreação
Recreação
 
Avaliação educação física 9° ano 3° bimestre
Avaliação educação física 9° ano 3° bimestreAvaliação educação física 9° ano 3° bimestre
Avaliação educação física 9° ano 3° bimestre
 
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docxPlanejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
 
Ava ed fisica_9ano
Ava ed fisica_9anoAva ed fisica_9ano
Ava ed fisica_9ano
 
Apresentação da Disciplina Educação Física
Apresentação da Disciplina Educação FísicaApresentação da Disciplina Educação Física
Apresentação da Disciplina Educação Física
 
Ava ed fisica_7ano
Ava ed fisica_7anoAva ed fisica_7ano
Ava ed fisica_7ano
 
História da Educação Física no Brasil
História da Educação Física no BrasilHistória da Educação Física no Brasil
História da Educação Física no Brasil
 
Jogos cooperativos na escola
Jogos cooperativos na escolaJogos cooperativos na escola
Jogos cooperativos na escola
 
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembroAvaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
Avaliação global de educação física 6º e 7º ano setembro
 
Plano de aula ed. física
Plano de aula ed. físicaPlano de aula ed. física
Plano de aula ed. física
 
Historia da Educação Física
Historia da Educação FísicaHistoria da Educação Física
Historia da Educação Física
 

Semelhante a Educação Física 6º ao 9º ano

14. didatica aplicada a ef
14. didatica aplicada a ef14. didatica aplicada a ef
14. didatica aplicada a ef
Anderson Madeira
 
Esportes e jogos alternativos (slide)
Esportes e jogos alternativos (slide)Esportes e jogos alternativos (slide)
Esportes e jogos alternativos (slide)
Rogerio Melo
 
Metodologia de educação fisica
Metodologia de educação fisicaMetodologia de educação fisica
Metodologia de educação fisica
Gracieli Castilho
 
Plano de ensino modelo exc-antigo
Plano de ensino  modelo exc-antigoPlano de ensino  modelo exc-antigo
Plano de ensino modelo exc-antigo
Francisco de Sousa
 
Pedagogia do futsal na escola e na iniciação
Pedagogia do futsal na escola e na iniciaçãoPedagogia do futsal na escola e na iniciação
Pedagogia do futsal na escola e na iniciação
ProfDaniel93
 
Metodologia do ensino da educação física no ensino fundamental
Metodologia do ensino da educação física no ensino fundamentalMetodologia do ensino da educação física no ensino fundamental
Metodologia do ensino da educação física no ensino fundamental
Rafael Hatyla
 
Modulo 04 manifestacoes jogos
Modulo 04   manifestacoes jogosModulo 04   manifestacoes jogos
Modulo 04 manifestacoes jogos
marcelosilveirazero1
 
Pedagogia do esporte
Pedagogia do esportePedagogia do esporte
Pedagogia do esporte
Roberto Pereira
 
Modulo 01 pedagogia do esporte
Modulo 01 pedagogia do esporteModulo 01 pedagogia do esporte
Modulo 01 pedagogia do esporte
marcelosilveirazero1
 
1º Módulo: Introdução.pdf
1º Módulo: Introdução.pdf1º Módulo: Introdução.pdf
1º Módulo: Introdução.pdf
EsojSavan
 
A transformação didática pedagogica do esporte na educação fisica escolar
A transformação didática pedagogica do esporte na educação fisica escolarA transformação didática pedagogica do esporte na educação fisica escolar
A transformação didática pedagogica do esporte na educação fisica escolar
Evandro Felipe
 
Em defesa da identidade e do estatuto da educação física escolas
Em defesa da identidade e do estatuto da educação física   escolasEm defesa da identidade e do estatuto da educação física   escolas
Em defesa da identidade e do estatuto da educação física escolas
Paulo Martins
 
O que é Educação Física - Histórico
O que é Educação Física - HistóricoO que é Educação Física - Histórico
O que é Educação Física - Histórico
Prof. Saulo Bezerra
 
Orientação conceito
Orientação conceitoOrientação conceito
Orientação conceito
Ozeli Medeiros
 
TEXTO DIDÁTICO - Educação Física Escolar: Esporte da Escola
TEXTO DIDÁTICO - Educação Física Escolar: Esporte da EscolaTEXTO DIDÁTICO - Educação Física Escolar: Esporte da Escola
TEXTO DIDÁTICO - Educação Física Escolar: Esporte da Escola
MatheusAlvesdaSilva5
 
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
HELENO FAVACHO
 
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
ZairaLessa
 
Educação Física na Escola e a Questão da Organização Curricular
Educação Física na Escola e a Questão da Organização CurricularEducação Física na Escola e a Questão da Organização Curricular
Educação Física na Escola e a Questão da Organização Curricular
Alliance Fitness
 
Esporte educacional
Esporte educacionalEsporte educacional
Esporte educacional
danisousah
 
Ensinar aprender
Ensinar aprenderEnsinar aprender
Ensinar aprender
André Vicente de Oliveira
 

Semelhante a Educação Física 6º ao 9º ano (20)

14. didatica aplicada a ef
14. didatica aplicada a ef14. didatica aplicada a ef
14. didatica aplicada a ef
 
Esportes e jogos alternativos (slide)
Esportes e jogos alternativos (slide)Esportes e jogos alternativos (slide)
Esportes e jogos alternativos (slide)
 
Metodologia de educação fisica
Metodologia de educação fisicaMetodologia de educação fisica
Metodologia de educação fisica
 
Plano de ensino modelo exc-antigo
Plano de ensino  modelo exc-antigoPlano de ensino  modelo exc-antigo
Plano de ensino modelo exc-antigo
 
Pedagogia do futsal na escola e na iniciação
Pedagogia do futsal na escola e na iniciaçãoPedagogia do futsal na escola e na iniciação
Pedagogia do futsal na escola e na iniciação
 
Metodologia do ensino da educação física no ensino fundamental
Metodologia do ensino da educação física no ensino fundamentalMetodologia do ensino da educação física no ensino fundamental
Metodologia do ensino da educação física no ensino fundamental
 
Modulo 04 manifestacoes jogos
Modulo 04   manifestacoes jogosModulo 04   manifestacoes jogos
Modulo 04 manifestacoes jogos
 
Pedagogia do esporte
Pedagogia do esportePedagogia do esporte
Pedagogia do esporte
 
Modulo 01 pedagogia do esporte
Modulo 01 pedagogia do esporteModulo 01 pedagogia do esporte
Modulo 01 pedagogia do esporte
 
1º Módulo: Introdução.pdf
1º Módulo: Introdução.pdf1º Módulo: Introdução.pdf
1º Módulo: Introdução.pdf
 
A transformação didática pedagogica do esporte na educação fisica escolar
A transformação didática pedagogica do esporte na educação fisica escolarA transformação didática pedagogica do esporte na educação fisica escolar
A transformação didática pedagogica do esporte na educação fisica escolar
 
Em defesa da identidade e do estatuto da educação física escolas
Em defesa da identidade e do estatuto da educação física   escolasEm defesa da identidade e do estatuto da educação física   escolas
Em defesa da identidade e do estatuto da educação física escolas
 
O que é Educação Física - Histórico
O que é Educação Física - HistóricoO que é Educação Física - Histórico
O que é Educação Física - Histórico
 
Orientação conceito
Orientação conceitoOrientação conceito
Orientação conceito
 
TEXTO DIDÁTICO - Educação Física Escolar: Esporte da Escola
TEXTO DIDÁTICO - Educação Física Escolar: Esporte da EscolaTEXTO DIDÁTICO - Educação Física Escolar: Esporte da Escola
TEXTO DIDÁTICO - Educação Física Escolar: Esporte da Escola
 
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
 
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
 
Educação Física na Escola e a Questão da Organização Curricular
Educação Física na Escola e a Questão da Organização CurricularEducação Física na Escola e a Questão da Organização Curricular
Educação Física na Escola e a Questão da Organização Curricular
 
Esporte educacional
Esporte educacionalEsporte educacional
Esporte educacional
 
Ensinar aprender
Ensinar aprenderEnsinar aprender
Ensinar aprender
 

Último

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 

Último (20)

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 

Educação Física 6º ao 9º ano

  • 1. SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO SEMANA DE CAPACITAÇÃO/2011 EDUCAÇÃO FÍSICA. Buscando a excelência pedagógica nos dias de hoje . Tema da palestra: Educação Física - 6º ao 9º ano Palestrante: Prof. Rogerio Melo e-mail: rogeriomelo@rogeriomelo.com
  • 2. EDUCAÇÃO FÍSICA – 6º AO 9º ANO
  • 3.
  • 4.
  • 5. PROFESSOR DE QUE MANEIRA A SUA AULA DE EDUCAÇÃO FÍSICA CONTRIBUI PARA MINHA FORMAÇÃO? Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 6. Carta aberta a comunidade Prof. Ronaldo Pacheco Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 7. “ Aprender não é nunca chegar a ser capaz de repetir o mesmo gesto, mas de, perante a situação dar uma resposta adequada por meios diferentes.” Maurice Merleau-Ponty Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 8. CONTEXTUALIZANDO A prática da Educação Física nas escolas. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 9. CONTEXTUALIZANDO Educação Física Escolar passou por cinco tendências . Ghiraldelli Jr (1991) 1 - Educação Física Higienista, com ênfase na sua realização como condição de saúde, entendendo saúde como assepsia social, isto é, a Educação Física deveria afastar as pessoas das práticas capazes de deteriorar a saúde e a moral, o que comprometeria a vida coletiva. Esta concepção perdurou até 1930; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 10. 2 - Educação Física Militarista , com ênfase na disciplina pessoal e depuração da raça (Eugenia), obtendo uma juventude capaz de suportar o combate, a luta, a guerra. Não se resume à prática militar de preparo físico. Antes, impõe padrões de comportamento estereotipados a toda a sociedade. Vigorou entre 1930 e 1945; 3 - Educação Física Pedagogistica, de 1945 a 1964, realizada como atividade prioritariamente educativa, preconizando a educação do movimento para a promoção da educação integral. É a Educação Física Escolar encarada como utilidade social, capaz de levar os jovens a aceitar as regras do convívio democrático; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 11. 4 - Educação Física Competitivista, após 1964, com ênfase na competição desportiva como forma de superação individual e do adversário. Ocorre o culto ao atleta herói e ao desporto de alto nível. No âmbito escolar, a iniciação esportiva se tornou um dos aspectos fundamentais da Educação Física , na tentativa de descobrir novos talentos que pudessem representar o país nas competições internacionais. Porém, esse modelo começou a ser contestado, uma vez que o Brasil não se tornou uma potência olímpica. Assim, surgiu a preocupação com o desenvolvimento psicomotor do aluno e uma nova tendência em Educação Física ; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 12. 5 - Educação Física Popular , que privilegia a ludicidade, a solidariedade, a organização, e mobilização de todos para a construção de uma sociedade “democrática”, isto é, uma Educação Física capaz de articular as múltiplas dimensões do ser humano envolvido em cada prática corporal. Essa tendência surgiu na década de 80. Educação Física que articule as múltiplas dimensões do ser humano. (BRASIL, 1997, p. 24), sendo compreendida como uma disciplina que integra o aluno na Cultura Corporal de Movimento. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 13. Alguns professores têm uma preocupação de cobrar e comparar rendimentos, da aula ser voltada para competição, onde somente o vencedor tem valor, repetem uma cópia fiel do regulamento das grandes competições. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 14. Assis (2005) , falando dessa prática no seu livro Reinventando o Esporte , diz que era uma Educação Física partícipe, na sua especificidade, do modelo de sociedade assentado na produtividade, na eficácia, na eficiência e, sobretudo (...) na formação do corpo dócil e disciplinado, apolítico, acrítico e alienado. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 15. Tratar o esporte da escola como um pré-requisito para o esporte de alto nível é um desperdício, é privilegiar os mais habilidosos, os gestos técnicos, o resultado final. É deixar de se preocupar com quem está realizando o movimento, é não possibilitar a esse aluno experimentar novas formas de responder a uma situação específica. A especialização é excludente, elimina os menos habilidosos não oferece nenhuma chance do aluno ter o direito de não ser campeão, de poder perder, de não ser um atleta de alto nível. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 16. OBJETIVO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Contribuir na formação geral dos estudantes, através do desenvolvimento de cultura das capacidades motoras, cognitivas, afetivas e sociais, visando à aquisição do hábito da prática regular de atividades físicas como componente fundamental da educação para uma vida saudável. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 17. CARTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO FÍSICA Da indispensabilidade de uma Educação Física de qualidade nas escolas d) Tenha práticas esportivas e jogos em seu conteúdo, sob a forma de Esporte Educacional, que ao não reproduzir o esporte de rendimento no ambiente escolar, deve apresentar-se com regras específicas que permitam atender a princípios sócio-educativos; e) Possibilite ao aluno uma variedade considerável de experiências, vivências e convivências no uso de atividades físicas e no conhecimento de sua corporeidade; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 18. O ESPORTE É CONTEÚDO DE ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR? SIM O esporte deve ser oferecido no sistema de ensino como atividade inerente ao componente curricular Educação Física , inserido no projeto pedagógico da Escola. A sua prática deve evitar a hipercompetitividade dos alunos e priorizar o seu desenvolvimento integral , incluindo a sua formação para a cidadania e lazer. O esporte e os demais conteúdos devem ser orientados para promover o estilo de vida ativo, para o lazer e a fruição, fazendo com que hábitos e atitudes que são próprias do esporte sejam utilizados com fatores de bem-estar, de paz, de cooperação e de exercício da ética. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 19. CONTEÚDOS DE ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Exercícios físicos, atividades rítmicas e expressivas, ginástica, atividades esportivas, jogos, danças, lutas e olímpismo, compõe os conteúdos da Educação Física Escolar. Cada um desses conteúdos de natureza teórico/prática, pode e deve ser decomposto em ações motoras diversas (andar, correr, girar, saltar, arremessar, cair e se elevar...) que devem ser trabalhadas em diferentes intensidades, direções, ritmos, velocidades e significados. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 20. Em algumas escolas a preocupação de se trabalhar com esportes educa as crianças mais para consecução de metas de treinamento preestabelecidas. Santana (2005) , falando sobre o esporte da escola, ele descreve que em algumas escolas ainda se procura sustentar uma pedagogia retrógrada que: Despreza dimensões sensíveis como a moralidade, a afetividade, a sociabilidade e privilegia a dimensão racional (avaliação e treinamento); Elege um modelo de atleta ideal a ser (per) seguido; Compartilha da preocupação mercadológica da revelação de talentos; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 21. Tem uma tendência à especialização esportiva precoce ;   Seleciona crianças para o esporte a fim de compor equipes de competição; Reproduz modelos de eventos competitivos do esporte profissional; Elege a competição como o principal referencial de avaliação. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 22. Castellani Filho (1998), recomenda parâmetros para compor as unidades programáticas de Educação Física : Um “aprender’ desvinculado da busca do rendimento físico-esportivo; Aprender percebendo a técnica como conhecimento produzido pelo homem; Perceber o movimento humano presente na técnica; Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 23. Aprender para além do ato motor; Aprender regras como construções socioculturais modificáveis, e Aprender a organizar os próprios jogos e competições. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 24. PORTANTO As aulas de Educação Física não devem ser apenas uma reprodutora de movimentos, mas instrumentalizar e dar oportunidade de todos terem autonomia. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 25. “ Há um mundo a ser descoberto dentro de cada criança e de cada jovem. Só não consegue descobri-lo quem está encarcerado dentro do seu próprio mundo”.   Augusto Cury Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 26. Atualmente podemos observar que algumas crianças “deixaram” de ser crianças, abandonaram os jogos de rua, não jogam mais bolas, nem brincam mais. A CRIANÇA E A EDUCAÇÃO FÍSICA Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 27. Piaget (1998 ) diz que a atividade lúdica é o berço obrigatório das atividades intelectuais da criança. Estas não são apenas uma forma de desafogo ou entretenimento para gastar energia das crianças, mas meios que contribuem e enriquecem o desenvolvimento intelectual. Toda criança deve brincar e jogar, pois é de fundamental importância para o seu desenvolvimento. Desde cedo à criança deve ser estimulada a brincar e jogar, pois é através da brincadeira e dos jogos que ela desenvolve conceitos que são levados para o resto da vida, além de desenvolver qualidades físicas fundamentais para uma boa coordenação motora. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 28. Tremea (2000) , diz que a maneira de jogar apresenta duas características importantes: o prazer e o esforço espontâneo. Desta maneira, o jogo se torna uma atividade de grande motivação, liberando a espontaneidade e estimulando a ação. 9 DE JUNHO Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 29. UMA EDUCAÇÃO FÍSICA COM VÁRIAS POSSIBILIDADES “ A pratica da Educação Física na escola deve ser um espaço democrático, dando oportunidade a todos, e não somente aqueles que apresentam um maior grau de habilidade”.   Rogerio Melo Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 30. O que devemos utilizar como atividade em uma aula de Educação Física ? Como fazer com que essa aula possa ser prazerosa? Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 31. A ESCOLA “ A escola deixou de ser uma aventura agradável. Paralelamente a isso, a mídia os seduziu com estímulos rápidos e prontos. Eles tornaram-se amantes do fast food emocional. A TV transporta os jovens, sem que eles façam esforços, para dentro de uma Excitante partida esportiva, para o interior de uma aeronave, para o cerne de uma guerra e para dentro de um dramático conflito policial”. Cury (2003) Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 32. E NA EDUCAÇÃO FÍSICA? Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 33. A quantidade de informações faz com que as crianças e adolescentes percam o prazer em tudo aquilo que já não trás as mesmas emoções que a mídia oferece. Já que essas informações são repletas de cores e sons. Em algumas escolas a EDUCAÇÃO FÍSICA é em “ preto e branco ”. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 34. Tema: Atletismo Maratona (apresentação de competições e treinamento de alto nível) – Valores: fair play e espírito esportivo. Disciplina: Educação Física Ano: 9º ano – Aula 03 Pergunta-desafio: Qual é a corrida mais longa do Atletismo? O esporte favorece a prática do fair play? Produtora: Leila Ribeiro Validadora: Vera Lucia de Menezes Costa Revisor: Rogério Silva de Melo Coordenadora de disciplina : Ludmila Mourão
  • 35. Você já conhece vários tipos de corridas do Atletismo Observe nas fotos abaixo como a corrida pode ser realizada de forma diferenciada, desde a sua largada até o local onde pode ser realizada. Largadas Locais de corrida Venha agora conhecer com detalhes um tipo de corrida que vem crescendo na sua prática entre atletas e pessoas de várias idades
  • 36. A corrida mais longa do Atletismo! Nas olimpíadas temos uma corrida especial que encerra com as competições olímpicas e que empolga a multidão. Você já assistiu ou participou de uma corrida longa de competição? Observe a foto abaixo com atenção e depois clique nela para responder a questão acima. Importante! Para navegar nesta aula clique para ler todo o assunto do slide de acordo com a sua vontade e velocidade de leitura. Boa aula!
  • 37. A sua história ... (Lembre-se de clicar para ver o texto!) A maratona é uma das mais antigas modalidades praticadas no mundo. Diz a lenda grega, que a modalidade surgiu no sacrifício de um herói. O grego Pheidíppides percorreu 40 quilômetros entre as cidades de Maratona e Atenas, na Grécia, para levar a notícia da vitória grega sobre os persas no ano 490 a.C. Ao concluir o duro percurso, o soldado falou: “Νενικήκαμεν” (vencemos a batalha) e, em seguida, morreu.
  • 38. Afinal,como é a maratona na atualidade?... A maratona é uma corrida de fundo que possui uma longa distância. É realizada parcialmente ou totalmente fora do estádio, envolve grande resistência física, sendo seu percurso estabelecido em 42 quilômetros e 195 metros. De todas as corridas de rua, apenas a maratona é disputada nas Olimpíadas. Há ainda os mundiais de maratona, meia-maratona e maratona de revezamento. Observe abaixo o percurso de uma corrida de longa distância
  • 39. O que devemos utilizar como atividade em uma aula de Educação Física ? Como fazer com que essa aula possa ser prazerosa? RESPONDENDO Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 40. Uma proposta de Educação Física mais participativa e emancipatória, que deve contribuir de forma determinante para o desenvolvimento harmonioso e integral dos alunos, fazendo com que eles possam sentir prazer em praticar a atividade física e através dessa prática prazerosa sejam capazes de levar para o resto de suas vidas esse hábito salutar. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 41. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 42. SUMÔ Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 43. 9 DE JUNHO Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 44. KIN BALL Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 45. DANÇA Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 46. ROPE SKIPPING Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 47. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E SUGESTÕES: ASSIS, Sávio. Reinventando o esporte. Possibilidade da prática pedagógica. 2º edição. Campinas: Autores Associados LTDA, 2005. BETTI, Mauro. Educação Física e sociedade. São Paulo: Movimento. 1991. BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais : Educação Física/Secretaria de Ensino Fundamental (1º e 2º Ciclos). Brasília: MEC/SEF, 1997. CASTELLANI FILHO, Lino. Política educacional e educação física. Campinas: Autores Associados LTDA. 1998. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 48. GHIRALDELLI , P, J. Educação Física progressista: a pedagogia crítico social dos conteúdos e a Educação Física brasileira. São Paulo, Loyola, 1991. WWW.EDUCOPEDIA.COM.BR www.efdeportes.com PIAGET, Jean. A psicologia da criança. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998. MELO, Rogerio . Esportes e Jogos Alternativos para Educação Física Escolar. Sprint. Rio de Janeiro. 2011. SANTANA, Wilton C. Pedagogia do Esporte na Infância e Complexidade. In Pedagogia do Esporte Contextos e Perspectivas. Org: Paes, Roberto Rodrigues e Balbino, Hermes Ferreira. Guanabara Koogan. Rio de Janeiro. 2005. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 49. TREMEA, Viviam Santim (Org.). Jogos com materiais alternativos: material confeccionado pelos acadêmicos do curso de Educação Física, Turismo e Pedagogia. UNISC. Santa Cruz do Sul, 2000. Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com
  • 50. www.rogeriomelo.com Prof. Dr. Rogerio Melo CREF 000018 G/RJ www.rogeriomelo.com