SlideShare uma empresa Scribd logo
DeClaraJornal do Agrupamento Escolas Clara de Resende
Nº11março2018
Maria Ribeiro, nº19, 6ºE
2
DeClara, nº 11 março de 2018
EDITORIAL
CLUBES
RESPOSTAS AOS DESAFIOS
OFICINAS DE APRENDIZAGEM
O QUE ESCREVEM OS PROFESSORES
É BOM SABER ...
AS NOSSAS ESCOLHAS ...
SUGESTÕES DO MÊS
TRABALHOS DOS ALUNOS
O QUE ESCREVEM OS NOSSOS ALUNOS
O QUE ACONTECEU ...
O QUE ESTÁ PARA ACONTECER ...
DESAFIOS DO MÊS
Editorial
E muitas vezes, quando não estamos à espera, a
Escola surpreende-nos!
A Escola é um espaço de formação do cidadão,
enquanto indivíduo, mas também enquanto
membro de uma comunidade que valoriza a
democracia, o conhecimento científico, o
conhecimento humanista, a cultura, o
ambiente, a saúde, os valores e essencialmente
o Ser Humano: alunos, professores,
funcionários, todos aqueles que diariamente a
habitam e convivem entre si.
E neste sentido o mês de março surpreendeu-
nos! Um Dia da Escola diferente, que nos
permitiu homenagear os alunos e descobrir
outros talentos que transportam consigo e que
são por nós desconhecidos. Um dia muito
dinâmico que envolveu mais os professores e
alunos. Um dia com Momentos musicais,
Torneios, Jogos, Desafios, Entrega de Prémios
aos alunos… Mas não ficamos por aqui,
seguiram-se ao longo do mês projetos,
trabalhos, visitas de estudos, aulas, testes,
apresentações,…
Concluímos o segundo período de aulas com a
Semana da Leitura que permitirá, com certeza,
alargar contactos e conhecimentos, construir
uma comunidade mais culta, mais solidária,
mais democrática e mais Feliz!
Desejamos a toda a Comunidade Educativa uma
Boa Páscoa.
Regressaremos em abril com mais notícias e
mais alento.
Até breve!
A equipa do Jornal
Agrupamento Clara de Resende
3
OFICINAS DE
APRENDIZAGEM
CLUBES
DeClara, nº 11 março de 2018
4
RESPOSTAS AOS DESAFIOS
DE FEVEREIRO
Resposta ao Desafio de Português
De Lupa
Ansiedade, você, atrás,
dispensado, exames.
RESPOSTA ENIGMA POLICIAL DO MÊS
FEVEREIRO
Mistérios em aberto - Nº3
Veritas
Como é que o detetive identificou o
ladrão no meio da multidão?
Quando o alarme soou, todos os
presentes fugiram, naturalmente, com
os seus objetos de maior valor. O ladrão
levaria a garrafa de Boémia e, ao
contrário das outras pessoas, não
despiria a roupa molhadaporque por
baixo ocultava a garrafa.
DeClara, nº 11 março de 2018
Resposta ao desafio de Matemática
1 mala, 2 cofres e 5 malas Total 8
fechaduras
Enigma policial do mês março 2018
Mistérios em aberto - Nº4
Sem respirar
Para ensinar os alunos a utilizarem o
pensamento lateral (a capacidade de pensar
“fora da caixa”, numa linha diferente da mais
óbvia), o velho detetive Gusmão deu o
seguinte enigma a resolver aos seus
aprendizes:
Existe uma sala vazia, com exceção de uma
mesa frágil de madeira e uma janela. A janela
está aberta para fora e no exterior corre uma
ventania descomunal: é a maior tempestade
da década, e há chuva, vento e trovoada. No
chão da sala está uma poça de água,
estilhaços de um objeto de vidro partido, e os
corpos da Francisca e do Francisco. Sabe-se
apenas que morreram sem conseguir respirar.
Como morreram a Francisca e o Francisco?
DESAFIOS DO MÊS
5
Problema de Matemática
do mês março
Um cubo, com comprimento de lado
igual a 3 cm, é pintado de verde. Depois
é cortado em cubos mais pequenos,
cada um com 1 cm de lado.
Quantos cubos mais pequenos têm,
exatamente, duas faces pintadas de
verde?
Professor Artur Neri
DeClara, nº 11 março de 2018
Crucigrama sobre a Grécia Antiga
Questões:
1.Característica da arte grega;
2.Técnica de produção de saliências em uma
superfície plana;
3.Centro intelectual e artístico que atraía
sábios e artistas;
4.Tipo de arte grega;
5.Igualdade de direitos de todos os cidadãos;
6.Tipo de arte grega;
7.Regime social e político em que o poder de
governar pertence ao povo;
8.Corrente artística que coloca diante do
observador, uma semelhança convincente das
aparências reais das coisas;
9.Herança cultural;
10.Ciência que reflete sobre os problemas do
mundo e da existência humana fundamentada
na razão;
11.Conjunto dos mitos de uma religião ou
cultura de determinado povo;
12.Filósofo grego.
G 1
R 2
E 3
C 4
I 5
A 6
7 A
8 N
9 T
10 I
11 G
12 A
Francisco Cerqueira, 7-º B, nº 9
6
AS NOSSAS ESCOLHAS ...
DeClara, nº 11 março de 2018
POEMA DO MÊS DE MARÇO
8 de março
Dia internacional da Mulher
O mar dos meus olhos
Há mulheres que trazem o mar nos olhos
Não pela cor
Mas pela vastidão da alma
E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos
Ficam para além do tempo
Como se a maré nunca as levasse
Da praia onde foram felizes
Há mulheres que trazem o mar nos olhos
pela grandeza da imensidão da alma
pelo infinito modo como abarcam as coisas
e os homens...
Há mulheres que são maré em noites de
tardes...
e calma
Seleção Biblioteca Escolar
IMAGEM MÊS DE MARÇO 2018
In lo irracional del tiempo en que vivimos
Biblioteca Escolar
Secas do mês
Atenção: Estas anedotas são extremamente
secas. Mesmo muito secas! As mais secas
que já alguma vez ouviste!
Perguntei as horas ao James Bond e ele
disse-me que eram 15.
8 e 15.
Pai, acorda!
-Hã? O quê?
-Está na hora dos teus comprimidos para
dormir.
Quando Galileu demonstrou que a Terra
girava, já os bêbados sabiam disso há
séculos.
-Bom dia! Não se importa que eu atravesse
o seu terreno para apanhar o comboio das
oito?
-Com certeza!
-Muito obrigado!
-Pode ser que se encontrar o meu touro,
apanha o comboio das sete e meia.
Francisco Manta Rodrigues, 8ºB
7
SUGESTÕES DO MÊS SUGESTÕES DO MÊS -
LEITURA
DeClara, nº 11 março de 2018
Ensino Secundário: “RESGATE”, de
David Malouf
Esta é a história da relação de dois homens em
guerra e em sofrimento: o feroz Aquiles, que
perdeu o seu amado Pátroclo no cerco de
Troia; e o enlutado Príamo, cujo filho Heitor
matou Pátroclo e foi, por sua vez, ferozmente
atacado por Aquiles.
Uma comovente história de dor, tristeza e
redenção, Resgate é incandescente no seu
lirismo delicado e poderoso e no seu
imperativo subliminar de que imaginamos a
nossa vida à luz de sentimentos alheios.
Biblioteca Escolar
8
DeClara, nº 11 março de 2018
3º Ciclo: “A ODISSEIA”, de Homero
A Odisseia é um dos grandes épicos da
literatura grega e também um dos pilares do
cânone ocidental, um poema de rara e
extraordinária beleza - e o livro que mais
influência exerceu, ao longo dos tempos, no
imaginário ocidental.
Quando a Ilíada e a Odisseia foram
compostas, ainda não tinha sido escrita a
maior parte dos livros que integram o Antigo
Testamento; as duas epopeias homéricas são,
para todos os efeitos, os primeiros grandes
livros da cultura ocidental.
Os vários aspetos desta história que ao longo
dos tempos entraram no quotidiano da
civilização ocidental (a teia de Penélope, as
Sereias, o Ciclope antropófago, o saque de
Troia por meio do estratagema do cavalo de
madeira, a magia de Circe, o amor sufocante
de Calipso), são agora explicados aos leitores
mais jovens, neste livro encantador do
brilhante helenista e ficcionista Frederico
Lourenço
Biblioteca Escolar
Queixas-te da tua vida?
Então conhece a vida
de Stanley, que foi para
um campo de correção
para rapazes, Camp
Green lake, por ter sido
acusado injustamente
de ter roubado uns ténis
velhos.
Lá, a vida é dura: os rapazes acordam todos
os dias às 4 da manhã, para escavarem covas
de grandes dimensões, evitando as horas de
muito sol.
Stanley fez lá muitos amigos, todos tratados
por alcunhas. Um deles era o Zero, porque
todos pensavam que ele era burro, mas afinal
era um génio da matemática. Mas Zero ainda
não tinha aprendido a ler nem a escrever, e
então faz um acordo com Stanley: Zero fazia
parte da sua cova e Stanley ensinava-lhe a ler
e a escrever. Ele aprendia depressa.
•Mas um dia, acontece um conflito entre
rapazes e Zero foge do acampamento
desértico.
•Num dia de tempestade, Stanley viu que a
luz de um relâmpago iluminou uma
montanha ao longe e que o topo tinha a
forma de um polegar virado para cima. No
dia seguinte, seguiu até a montanha do
polegar, e encontrou Zero pelo caminho.
•O que achas que aconteceu a seguir?
Voltaram ao acampamento? Seguiram até o
polegar? Enviaram uma busca para os
encontrar ou foram salvos por um herói?
Além do livro, ainda poderás matar a
curiosidade com a adaptação feita pela
Disney com o filme “Holes”.
Francisca Vareta – 6º A
2º Ciclo: “O Polegar de Deus”, de
Louis Sachar
9
É BOM SABER ...
A Missão
Título: A missão
Ano: 1986
Realizador: Roland Joffé.
Elenco principal: Roberto de Niro, Jeremy
Irons, Liam Neeson, Aidan Quinn.
Sinopse: O Padre Jesuíta Gabriel (Jeremy
Irons) vai para a terra dos Guaranis, na
América do Sul, com o propósito de
converter os nativos ao Cristianismo.
Rapidamente ele constrói uma missão,
juntamente com Rodrigo Mendoza (Robert
De Niro), um comerciante de escravos em
busca de redenção. Quando um tratado
transfere a terra da Espanha para Portugal, o
governo português quer capturar os nativos
para o trabalho escravo. Mendoza e Gabriel
protegem a missão, discordando da
realização da tarefa.
Biblioteca Escolar
Sabias que?
Um número capicua quando lido da
esquerda para a direita ou da direita
para a esquerda representa sempre o
mesmo valor.
353 8998 53635
SUGESTÕES DO MÊS -
Filme
DeClara, nº 11 março de 2018
A minhoca possui cinco pares de
corações na parte dianteira do corpo.
Sabias que?
10
A Idade Média
Introdução
A Idade Média teve início na Europa com as
invasões bárbaras sobre o Império Romano
do Ocidente, no século V. Essa época vai até
ao século XV. A Idade Média caracteriza-se
por: uma economia ruralizada, um
enfraquecimento comercial, o predomínio
da Igreja Católica, um sistema de produção
feudal e um sociedade de hierarquias.
Estrutura Política
Na Idade Média sobressaíram as relações
de vassalagem e suserania. O suserano era
quem dava um lote de terra ao vassalo e
este deveria prestar fidelidade e ajuda ao
seu suserano. O vassalo oferecia ao Senhor
fidelidade e trabalho, em troca de proteção
e um lugar no sistema de produção.
Todos os poderes concentravam-se nas
mãos dos senhores feudais.
Sociedade Medieval
A sociedade era estática e hierarquizada. A
nobreza tinha as terras e lucrava com os
impostos dos camponeses. O clero tinha
um grande poder, pois era responsável pela
proteção espiritual da sociedade. Era isento
de impostos e arrecadava o dízimo
(contribuição que a Igreja exigia). A terceira
camada da sociedade era formada pelos
servos (camponeses) e pequenos artesãos.
Os servos deviam pagar várias taxas aos
senhores feudais, tais como: o trabalho nas
terras do senhor feudal); metade da sua
produção; outras taxas pagas pela utilização
do moinho ou forno do senhor feudal.
Religião na Idade Média
Na Idade Média, a Igreja Católica dominava
a Religião. A Igreja influenciava o modo de
pensar e as formas de comportamento na
Idade Média. A Igreja também tinha grande
poder económico, pois possuía terras em
grande quantidade e, até mesmo, servos a
trabalhar nelas.
Educação, cultura e arte medieval
A educação era para poucos, pois só os
filhos dos nobres estudavam. A educação
era marcada pela influência da Igreja, em se
aprendia o latim, as doutrinas religiosas e
as táticas de guerra. Grande parte da
população medieval era analfabeta e não
tinha acesso aos livros.
A arte medieval também era marcada pela
religiosidade da época. As pinturas
retratavam passagens da Bíblia e
ensinamentos religiosos. As pinturas
medievais e os vitrais das igrejas eram
formas de ensinar à população um pouco
mais sobre a religião. Podemos dizer que,
no geral, a cultura medieval foi fortemente
influenciada pela religião. Na arquitetura
destacou-se a construção de castelos,
igrejas e catedrais.
As Cruzadas
No século XI, os muçulmanos conquistaram
a cidade sagrada de Jerusalém. Diante
dessa situação, o papa Urbano II convocou
a Primeira Cruzada (1096), com o objetivo
de expulsar os "infiéis" (árabes) da Terra
Santa. Essas batalhas, entre católicos e
muçulmanos, duraram cerca de dois
séculos, deixando milhares de mortos e um
TRABALHOS DOS
ALUNOS – 5º ANO
DeClara, nº 11 março de 2018
11
grande rasto de destruição. Ao mesmo
tempo que eram guerras marcadas por
diferenças religiosas, também tinham
caráter económico. Muitos cavaleiros
cruzados roubavam as cidades árabes e
vendiam os produtos nas estradas, nas
chamadas feiras e rotas de comércio. Este
aspeto contribuiu para o renascimento
urbano e comercial, a partir do século XIII.
Peste Negra
Em meados do século XIV, uma doença
devastou a população europeia. Os
Historiadores calculam que
aproximadamente um terço dos habitantes
morreu desta doença. A Peste Negra era
transmitida através da picada de pulgas de
ratos doentes. Estes ratos chegavam à
Europa nos porões dos navios vindos do
Oriente. Como as cidades medievais não
tinham condições higiénicas adequadas, os
ratos espalharam-se facilmente. Após o
contato com a doença, a pessoa tinha
poucos dias de vida.
Trabalho realizado por:
Francisco Pinto Magina Castro Dias, 5ºG,
nº10
Professora Laurentina Alegria
DeClara, nº 11 março de 2018
Espaços tridimensionais-E.T 5A e 5B
O meu quarto...é meu e teu
Lá vou crescendo...descansando...estudando. Encantos e desencantos...lá sou mais eu.
(continua...)
12
Engrenagens/Transmissão de movimento - E.T./6ºG
TRABALHOS DOS
ALUNOS – 6º ANO
DeClara, nº 11 março de 2018
Pela decoração e organização facilmente detetamos um quarto de menina e de menino.
Professor de EV António Ala
13
TRABALHOS DOS
ALUNOS – 7º ANO
DeClara, nº 11 março de 2018
Professor João Pereira
14
Mensagem da obra de Luís
Sepúlveda
Leitura orientada – 7ºano
No livro “História da Gaivota e do gato que
a ensinou a voar”, a personagem que se
destaca mais é o gato Zorbas pois, sem ele,
Ditosa provavelmente não conseguiria voar,
ou nem sequer sobreviver. Claro que ele
teve a ajuda dos seus amigos Colonello,
Barlavento, Sabetudo e Secretário, mas foi
ele que fez as três promessas a Kengah,
mãe de Ditosa, antes desta morrer.
As personagens Zorbas, Ditosa, Colonello,
Secretário e Sabetudo manifestaram
sentimentos de preocupação quando a
gaivotinha nasceu, por não saberem como
cuidar dela. Demonstraram também um
sentimento de esperança, quando Ditosa
não conseguiu voar, depois de inúmeras
tentativas. Sentiram espanto, quando
Zorbas decidiu quebrar o tabu e, no final,
felicidade quando Ditosa finalmente voou.
A relação entre os seres é de uma
gigantesca amizade, como se evidencia em
vários momentos da obra, tais como,
quando Ditosa pensava e queria ser um
gato, todos os amigos gatos a apoiaram e a
ajudaram a perceber o quão maravilhosa
era.
Quanto às ações humanas criticadas na
obra, é de referir o mal que as marés negras
de petróleo fazem aos animais marinhos ou,
aos que dependem deles para a sua
alimentação como, por exemplo, as
gaivotas. Além disto, também são
abordadas as experiências com os animais
que tanto os gatos temiam, em que os
prendiam em jaulas com más condições.
Na primeira parte da obra, quando há
referência ao Mar do Norte, assiste-se à
denúncia de problemas ambientais,
nomeadamente às marés negras que
poluem o mar e que matam muitos seres
vivos.
Inês Bessa Peixoto Ferraz Ferreira, nº 11,
turma 7º D
Professora Raquel Ribeiro
DeClara, nº 11 março de 2018
15
Março dias com História
1 de março 1498-
A armada de Vasco
da Gama chega a
Moçambique.
2 de março 2004-
Cientistas da NASA
anunciam que Marte já teve muita água.
3 de março 1847- Nasce Alexander Graham
Bell, escocês-americano, o inventor do
telefone.
4 de março 1877- Estreia de O Lago dos
Cisnes, de Tchaikovsky.
5 de março 1953- Morre Joseph Stalin,
ditador russo.
6 de março 1927- Nasce Gabriel Garcia
Marquez, escritor colombiano e Prêmio
Nobel em 1982.
7 de março 1821- D. João VI, no Brasil,
promulga um decreto que anuncia o
retorno da corte a Portugal e a transmissão
do trono brasileiro ao seu filho D. Pedro.
8 de março 1975- Dia Internacional da
Mulher, oficializado pela Organização das
Nações Unidas, como homenagem às
operárias fabris, nos Estados Unidos e em
alguns países da Europa, que começaram
uma campanha dentro do movimento
socialista para reivindicar os seus direitos,
nomeadamente a igualdade de género.
9 de março 1500- A frota de Pedro Álvares
Cabral deixa Portugal para uma viagem que
terminaria com o achamento do Brasil.
10 de março 1862- É emitida a primeira
nota em papel, pelo governo dos Estados
Unidos da América.
11 de março 1993- A Coreia do Norte
retira-se do Tratado de Não-Proliferação
Nuclear, não permitindo a inspeção à
produção de armas nucleares por oficiais
do Ocidente.
12 de março 1571- Publicação dos
Lusíadas, poema
épico escrito por
Luís de Camões.
13 de março 1781- O astrónomo William
Herschel descobre o planeta Urano.
14 de março 1879- Nasce Albert Einstein,
físico alemão, Prêmio Nobel em 1922.
15 de março 44 a.C.- O imperador romano
Júlio César é assassinado por um grupo de
senadores romanos, entre eles seu amigo
Brutus.
16 de março 1925- Nasce Jerry Lewis,
comediante americano.
17 de março 1905- Albert Einstein conclui
uma série de artigos que seriam a base da
física moderna.
18 de março 1949 - Fundação da
Organização do Tratado Atlântico Norte
(OTAN).
19 de março 1534- Nasce José de Anchieta,
missionário católico.
20 de março 1662– Portugal proíbe a
escravatura dos índios brasileiros.
21 de março 1935- A Pérsia passa a
designar-se de Irão e o seu líder, o xá Reza
Pahlavi, que queria modernizar o país,
decide criar a Universidade de Teerão e
abolir o xador, traje feminino usado em
alguns países muçulmanos, especialmente
no Irão, que cobre todo o corpo, exceto os
olhos.
TRABALHOS DOS
ALUNOS – 8º ANO
DeClara, nº 11 março de 2018
16
22 de março 1933- O presidente Franklin
Delano Roosevelt põe fim á Lei Seca, ao
assinar a lei que legaliza o consumo de
bebidas alcoólicas.
23 de março 2001- A estação espacial russa
MIR é desativada e cai, depois de ser
destruída na atmosfera, no sul do Oceano
Pacífico.
24 de março 1923- A Grécia torna-se uma
república.
25 de março 1655- A maior lua de Saturno
Titã é descoberta por Christiaan Huygens.
26 de março 1973- Pela primeira vez na
História, as mulheres são aceites na Bolsa de
Valores de Londres.
27 de março 1940- Heinrich Himmler ordena
a construção do campo de concentração de
Auschwitz, o maior do regime nazi, localizado
ao sul da Polónia, com três campos para
prisioneiros, para extermínio e para trabalhos
forçados.
28 de março 1930- As cidades turcas de
Constantinopla e Angora mudam os seus
nomes pra Istambul e Ancara,
respetivamente.
29 de março 1974- A sonda Mariner 10, da
NASA, é a primeira sonda a sobrevoar
Mercúrio.
30 de março 1981- Ronald Reagan, presidente
dos estados unidos, é baleado por John
Hinckley Jr.
31 de março 1821- A Inquisição é extinta em
Portugal.
Duarte Matos, João Urbano, Tomás Morte,
alunos do 8.º C
Trabalho para a disciplina de História
Professora Arlete dos Santos Ferreira
Março na História
Sexta-Feira Santa - ou Sexta-feira da Paixão é
uma data religiosa cristã que relembra a
crucificação e morte de Jesus Cristo. É uma
data móvel e tem como base a Primeira Sexta-
feira de Lua cheia depois do Equinócio de
Primavera, no Hemisfério Norte, ou do
Equinócio de Outono, no Hemisfério Sul. Foi
no ano 325 que a Igreja Católica definiu, no
Concílio de Nicéia, as cerimónias do
Calendário Cristão e que a Sexta-Feira Santa
passou a integrar as cerimónias da Semana
Santa. Nos países católicos esta é uma
semana que tem início no Domingo de Ramos
e termina no Domingo de Páscoa, durante a
qual se revivem todos os principais momentos
do processo de prisão, condenação,
crucificação e morte de Jesus.
Para marcar esta data são comuns as
penitências e os sacrifícios. A tradição da
privação do consumo de carne às refeições,
durante o período da Quaresma – os 40 dias
desde a Quarta-Feira das Cinzas até à Sexta-
Feira Santa – é uma forma de penitência e de
gratidão pelo sofrimento a que Jesus foi
submetido.
Em muitas comunidades, predominantemente
católicas, os fiéis fazem representações
teatrais sobre a Paixão de Cristo,
reproduzindo todas as etapas, desde o
momento em que foi preso até à sua morte e
ressurreição, atraindo imenso público, como
nas Filipinas.
Este é o único dia em que não se celebra a
Eucaristia, exceto por ordem expressa do
Papa, chefe da Igreja Católica.
Este ano, a sexta-feira santa será celebrada no
dia 30 de março.
Beatriz Moreira, Daniela Duarte, Luísa
Pimenta, alunas do 8.º D
Trabalho para a disciplina de História
Professora Arlete dos Santos Ferreira
DeClara, nº 11 março de 2018
17
DeClara, nº 11 março de 2018
Participação dos alunos da Escola S2,3 Clara de Resende na exposição sobre o tema “ A
PAZ”, no Teatro Rivoli, promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, com
o apoio da Câmara Municipal do Porto.
EXPOSIÇÃO “DeClara a PAZ”
Afonso Vinagre, nº1, 8ºB
Professor de E.V.João Carlos Pereira
18
DeClara, nº 11 março de 2018
Gonçalo Vinagre, nº 15, 8ºB
Maria Carlota, nº20 7ºD Tomás Oliveira, nº30, 7ºD
19
DeClara, nº 11 março de 2018
Livro de texturas para invisuais
Educação Visual
A perceção da textura é visual, mas também táctil. Quando percecionamos visualmente uma
textura, ela é associada à perceção táctil que guardamos do conhecimento dessa textura.
Assim, dizemos que um objeto se caracteriza por ter uma textura lisa ou rugosa. A perceção
visual das texturas comunica-nos sensações. Texturas muito polidas e brilhantes podem dar-
nos a sensação de uma superfície fria. Mas as texturas podem ser ásperas, rugosas ou macias.
Podem também transmitir-nos sensações de calor, de macieza, de conforto.
O trabalho consiste na recolha de texturas em superfícies naturais e fabricadas pelo homem,
através da técnica de fricção, da colagem e construção de um livro encadernado que pode ser
lido/sentido por um invisual. Criação de composição visual de uma paisagem com recurso a
texturas visuais criadas e recolhidas por fricção.
Ana Rita Cabral, nº1 8ºF
André Matos,nº2, 8ºF
20
DeClara, nº 11 março de 2018
Catarina Pereira, nº3, 8ºF Constança Sequeira, nº4, 8ºF
Laura Lencart, nº17, 8ºF
21
DeClara, nº 11 março de 2018
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
No âmbito do estudo a Saga, de Sophia de Mello Breiner, e da Banda desenhada os alunos
do 8ºA foram desafiados pela sua professora de Português Dr.ª Patrícia ferreira a construir,
em grupo, uma banda desenhada original e criativa, com as personagens da obra. Eis os
resultados…
22
DeClara, nº 11 março de 2018
23
DeClara, nº 11 março de 2018
24
DeClara, nº 11 março de 2018
25
Apreciação crítica à peça de Gil
Vicente
Foi no dia 23 de janeiro que visitei o clássico
Teatro Sá da Bandeira para assistir à
interpretação teatral de «Auto da Barca do
Inferno», obra de Gil Vicente.
O primeiro ponto que considero merecedor
de crítica é o teatro em si. Estava sem dúvida
bem arranjado, clássico em termos artísticos,
pronto para o espetáculo.
Agora sim em relação à peça. Desde já devo
dar os parabéns a todos os membros da peça.
O elenco era bom no geral, e houve uma
grande capacidade de adaptação e entrega
dos atores aos vários papeis que
representaram. Apesar do geral bom
trabalho, tenho de referir um personagem
por entre todos: o Diabo. Este foi, sem
dúvida, o mais cativante, algo que penso ter-
se devido à qualidade das relações de ironia,
piada e rigidez que estabeleceu nas suas
falas. Mas como há quase sempre alguém
que se destaque pela negativa, devo dizer
que não apreciei de todo a atuação proposta
para o Anjo. Falta de projeção de voz e ainda
certos problemas em transmitir a mensagem
pretendida foram, para mim, as principais
causas desta frustração. Quanto aos
adereços, para mim o melhor foi a bengala
que o Diabo utilizou de forma ríspida e
engraçada na interação com outras
personagens, algo que se entrelaçou de
forma muito interessante com a sua
personificação. Em relação aos momentos
divertidos ou inesperados, desde já devo
assinalar a fantástica reação do público ao
final da peça. Mas passando ao tópico em si,
considero que os momentos mais divertidos
foram proporcionados pelo Diabo. Já nos
momentos inesperados, noto a participação
de um aluno no teatro e ainda o facto de ter
havido uma escolha surpreendente no
elenco, já que foi uma mulher a interpretar o
Anjo.
Para concluir, quero acentuar a simplicidade
que o cenário transpareceu e a qualidade do
jogo de luzes. Em suma, foi uma grande peça
e um memorável espetáculo cuja visualização
é por mim aconselhada a todas as faixas
etárias.
João Pedro Pereira, 9.ºG
(Profª Raquel Ribeiro)
TRABALHOS DOS
ALUNOS – 9º ANO
DeClara, nº 11 março de 2018
26
Trabalhos realizados pelos alunos do 10ºF sobre
“Dependências”
Disciplina de Espanhol
TRABALHOS DOS
ALUNOS – 10º ANO
DeClara, nº 11 março de 2018
27
DeClara, nº 11 março de 2018
28
DeClara, nº 11 março de 2018
29
DeClara, nº 11 março de 2018
30
DeClara, nº 11 março de 2018
31
The exam’s monster disappearing
A recent news article has claimed that the
Portuguese government is finally considering-
after several requests over the past years-
making final exams not compulsory. Although
it might be perceived like a fantastic measure,
especially in the eyes of high school students,
trying to access college, it is important for all
of us to ask ourselves: “Is this something I
really want? And “How would I benefit from
it?”
In order to answer the first question, you
must also consider that your perspective on
exams might be biased. In fact, knowing that
you will be evaluated at the end of the school
year might motivate you to study harder and
be more attentive at school, in other words:
turn you into a better student. However, it
might also cause higher stress levels,
particularly when it comes to tests and other
school related subjects. Either way, and
looking at the bigger picture: having final
exams sounds scarier than it actually is.
In order to answer the second question,
you’ll have to understand that final exams are
the government’s way of guaranteeing that
students from private schools won’t have an
edge on the ones who go to public schools,
just because they pay to attend them. So, in a
way, final exams guarantee (or try to) fairer
access to college.
In conclusion, the topic “exams”, will always
be controversial, because of the pressure that
teens feel to excel in them, but we might
actually benefit more from their existence
than you think, as they work as “filter” and
motivation.
Raquel Alexandra Pinto de Sousa, nº20, 11º A
Professora Lia Mota
TRABALHOS DOS
ALUNOS – 11º ANO
DeClara, nº 11 março de 2018
32
DeClara, nº 11 março de 2018
Teresa Marramaque 11ºano
PINTURA DO MÊS DE MARÇO
33
Declamando Pessoa
O recital que decorreu no passado dia
18 de janeiro, realizado pela companhia
Embaixada do Conhecimento,
apresentou o diseur Nuno Miguel
Henriques, com uma interpretação
notável de diversos trechos da obra
poética da obra de Fernando Pessoa,
contando, também, com uma breve
homenagem a Eugénio de Andrade,
através da recitação do poema “Adeus”.
Movimentando-se pelo cenário,
constituído por uma secretária, pilhas de
livros e uma tribuna adornada com a
bandeira portuguesa, declamou, ao som
de músicas selecionadas por si mesmo,
poemas como “Lisbon Revisited”,
“Mestre, são plácidas”, “Ode Triunfal”,
“Menino da sua mãe”, “Autopsicografia”,
entre outros.
Nuno Miguel Henriques adotou uma
metodologia de interação com o público,
de forma a dinamizar a experiência do
recital. O resultado foi uma animada
troca de ideias e conhecimento, com
base na poesia. A erudição do diseur
relativamente à obra lírica de Pessoa
permitiu uma melhor compreensão dos
seus poemas e, também, o incentivo ao
gosto pela poesia.
Porém, algumas destas interações
poderiam ser mal interpretadas pelo
público, dado o carácter pessoal e
subjetivo do humor.
Em suma, esta experiência didática
contribuiu para o alargamento do
conhecimento dos alunos e representa
um espetáculo que seria agradável ao
público geral.
Clara Peláez nº 11, 12ºE
Mafalda Remédios nº20, 12ºE
Margarida Pisco nº21, 12ºE
(Texto selecionado pelas turmas A, D e E
do 11º ano)
Professora Helena Sereno
TRABALHOS DOS
ALUNOS – 12º ANO
DeClara, nº 11 março de 2018
34
O QUE ACONTECEU …
DeClara, nº 11 março de 2018
Notícias Desporto Escolar
3º Torneio de badminton
Decorreu no passado dias 10 de março na
escola Maria Lamas, Porto, o 3º torneio de
badminton do Desporto Escolar, tendo nele
participado 5 alunos do clube de desporto
escolar da nossa escola.
Nos torneios participaram alunos de várias
escolas, nomeadamente ES Rodrigues de
Freitas, ES Carolina Michaellis e EB23 Maria
Lamas.
Após os três torneios realizados, os nossos
alunos obtiveram as seguintes classificações
no ranking da modalidade:
Escalão de Infantis A Femininos:
•1º - Renata Barros, nº 22 – 5ºG;
•2º - Emanuela Valente, nº5 – 5ºE
Escalão de Infantis B Masculinos:
•8º - João Correia, nº10 – 7ºA
Escalão de Iniciados Masculinos:
•2º Afonso Vinagre, nº1 – 8ºB;
•4º Gonçalo Vinagre, nº 15 – 8ºB
José Pinto
Professor EF responsável pelo grupo/equipa
Badminton
6ºC e 6º D em visita de estudo ao
Estádio e Museu do Dragão
No âmbito da disciplina de Educação Física, as
turmas do 6ºC e 6ºD participaram, com muito
empenho e entusiasmo, numa visita de
estudo ao Estádio e Museu do Dragão, no dia
21 de fevereiro de 2018. Foi uma manhã
muito bem passada…
Aqui ficam alguns momentos da visita
registados em fotos, que falam por si…
Professora Laurentina Alegria
35
DeClara, nº 11 março de 2018
VISITA À FÁBRICA DE CHOCOLATE
IMPERIAL
VILA DO CONDE
Na noite de dia 12 de Março de 2018 nem
conseguia adormecer, só de pensar que no dia
seguinte, pela manhã, iria visitar uma Fábrica
de Chocolates. Mas, por fim, lá caí no sono. Um
sono doce!
Na manhã do dia 13 de Março de 2018, pelas
9h45m, partimos da nossa escola Clara de
Resende rumo à Fábrica de Chocolates
Imperial, em Vila do Conde. Éramos 21 alunos e
3 professores. Esta visita foi promovida pelo
Professor André Rubim Rangel, no âmbito da
disciplina de Educação Moral e Religiosa
Católica, que nos acompanhou ao longo de
toda a visita. Também participaram as
Professoras Belmira Coelho e Ângela Viegas.
Chegámos à Fábrica de Chocolates Imperial por
volta das 10h15m. Fomos “docemente”
acolhidos. Começámos a visita com a
visualização de um breve filme sobre a fábrica
mais recente e de seguida fizemos algumas
perguntas. Depois, fomos visitar a unidade
fabril mais antiga. O cheirinho a chocolate
pairava no ar. Vimos as máquinas a trabalhar no
processo de refinação e da mistura do
chocolate. Também tivemos oportunidade de
ver o processo de derretimento, arrefecimento
e solidificação do chocolate. Por fim,
contactámos com o processo de embalagem do
produto (chocolate).
Quero destacar a simpatia, amabilidade,
paciência e disponibilidade de todas as
colaboradoras da Fábrica de Chocolates
Imperial que nos acolheram.
No final desta maravilhosa visita, para nosso
grande contentamento, foram-nos distribuídas
caixas com chocolates.
Chegámos à nossa escola Clara de Resende por
volta das 13h40m.
Na noite deste dia, para além de um sono doce,
também tive sonhos doces!
Jorge Lima 5º D
36
DeClara, nº 11 março de 2018
Feira Porto de Futuro –
Qualifica
No âmbito do projeto «A Empresa»,
organizado pela Junior Achievement Portugal,
alguns alunos da nossa escola estão, desde o
início do ano letivo, a criar e a desenvolver
um produto/serviço em miniempresas criadas
para o efeito, e assessoradas por voluntários
da Cerealis, parceira da nossa escola no
“Porto de Futuro”.
Duas empresas da nossa escola
candidataram-se e foram selecionadas para
um dos maiores eventos educacionais na
nossa cidade «Feira Porto de Futuro –
Qualifica», realizado na Exponor, promovida
pela Câmara Municipal do Porto. Essas
empresas são a WIT, constituída pelas alunas
Filipa Bessa, Leonor Russo, Luísa Maruny e
Margarida Neves, e Dandari, formada pelos
alunos Bruno Magalhães, Cristiano Marques,
Daniel Monteiro, Miguel Santos e Vasco Alves.
Durante a manhã de 1 de março, estes alunos
do 11º e 12º anos de escolaridade tiveram
que mostrar as suas ideias de negócio a todos
os visitantes e a um exigente júri constituído
por cinco elementos de destaque na nossa
sociedade. Salienta-se que as equipas do
Clara tiveram um ótimo desempenho e foram
reconhecidas pelo trabalho em equipa e
liderança; expressão oral e técnicas de venda;
planeamento e organização e dinamismo e
originalidade na decoração do stand.
Apesar de nenhum dos nossos grupos ter
ganho esta competição, todos continuarão a
desenvolver e a melhorar os seus produtos, e
continuarão a participar em competições nas
quais possam mostrar o seu espírito de
equipa e de empreendedorismo.
Cristiano Marques, 12ºA, Nº9
37
DeClara, nº 11 março de 2018
Projeto SEI - Sociedade,
Escolas e Investigação
Com o objetivo geral de "Alavancar o nível
educacional da comunidade escolar,
promovendo o conhecimento e a literacia
científica” esta é uma iniciativa da Câmara
Municipal do Porto, através do departamento
Porto do Conhecimento, destinado aos alunos
do 3º ciclo e secundário dos estabelecimentos
de ensino públicos da cidade do Porto.
Projetos Escola Clara de Resende – Faculdade
de Engenharia da Universidade do Porto
(FEUP)
Casas de desperdícios – 9ºD na FEUP
no Departamento de Engenharia Civil
O Mundo Secreto dos materiais -
12º A,B, e C na FEUP no Departamento de
metalurgia
38
DeClara, nº 11 março de 2018
Intercâmbio com alunos
franceses (projeto das
turmas B e C do 8º ano)
Na manhã do passado dia 12 de março, a
nossa escola teve o prazer de receber um
grupo de alunos franceses, 25 no total,
estudantes do Collège Anatole France.
Com esta visita, foi possível promover o
conhecimento com os alunos do 8º ano,
turmas B e C, que, desde o princípio do ano
letivo, participaram num projeto de
intercâmbio escrito, de caráter interdisciplinar.
Foi uma manhã muito agradável, plena de sol,
promotora de convívio, e que permitiu um
enriquecimento cultural a todos os envolvidos.
Foi, acima de tudo, um momento em que os
alunos presentes puderam desenvolver as suas
competências linguísticas ao nível da língua
estrangeira. (Os nossos alunos aprofundaram o
seu francês e os alunos franceses, que
estudam o português como língua estrangeira,
aprofundaram o português).
Passada esta experiência, e dado que a
amizade foi fortalecida, o intercâmbio escrito
manter-se-á até ao final do presente ano
letivo, contando com a participação das
docentes envolvidas, professoras Dina Pereira,
Emília Ferreira e Rosário Bastos.
A todos aqueles que permitiram o sucesso
desta atividade (direção da escola, alunos,
encarregados de educação e professores) o
nosso reconhecimento.
Desta forma, comprovamos que, tendo
espírito de iniciativa e pensando sempre nos
nossos alunos, o sucesso acontece.
Professora Rosário Bastos
39
DeClara, nº 11 março de 2018
DEPENDÊNCIA, O QUE É?
“Necessidade física e/ou psicológica de
determinada substância ou atividade” é
uma das definições encontradas (in Infopédia).
O conhecimento sobre a realidade do
consumo de substâncias psicoativas,
comportamentos aditivos e dependências em
Portugal, e a sua evolução ao longo do tempo,
permitiu identificar as tendências e as
necessidades de intervenção.
Com base nesse conhecimento, a ADEIMA,
através do projeto Metas Comunica,
desenvolveu a plataforma MC Ajuda-te a
compreender, que nos foi apresentada no
passado dia 9 de março, pela psicóloga Joana
Jesus, técnica do projeto.
Foi um encontro muito interessante no qual,
para além da informação veiculada pela
oradora, houve espaço para questões e partilha
de experiências.
Esta sessão, promovida pela APECR, contou
com a presença, para além dos PEE e de dois
alunos, da Fecap Porto, da AP Castelos, da Drª.
Maria José Oliveira (JFRamalde) e do Eng.
Eduardo Serrão (PS Ramalde).
Deixamos aqui o nosso agradecimento à Drª
Joana Jesus.
Sónia Valente e Helena Tavares (APECR)
3ª CONFERENCIA DO
PROJETO DE ANIMAÇÃO
COMUM
40
DeClara, nº 11 março de 2018
MISSÃO LER: ORIGINALIDADES VOLUNTÁRIAS DO CLARA
No dia 21 de fevereiro, a nossa escola celebrou o Dia Internacional da Língua Materna e, em
antecipação, o Dia do Mundial do Livro.
Os professores do Departamento de Línguas pediram a colaboração dos alunos do 12º, 11º, 10º
e 8º anos para a difícil tarefa de divulgar livros e autores. Assim, não só os mais jovens foram
convidados a ler pelos seus companheiros mais adiantados nos estudos, como também as mais
interessantes exposições orais sobre livros feitas nas aulas obtiveram maior reconhecimento.
No geral, consoante reflete a tabela abaixo, dois alunos de uma turma de um determinado ano
de escolaridade apresentaram dois livros a uma turma de outro ano, durante uma aula de
Português, Inglês, Francês ou Espanhol. Para que tal fosse possível, professores de Educação
Física, MACS, Geometria Descritiva, Filosofia e Físico-química dispensaram estudantes ou
cederam algum tempo de aula.
Horário Turma-origem e
professor
Palestrante e livro Turma-alvo
e professor
8.10 11º A – Helena Sereno Rita Magalhães, Retrato de Dorian Gray (Oscar Wilde )
Paulo Cruz, Candide (Voltaire)
9º E - Raquel Ribeiro
8.10 8º F – Nelson Cardoso André Matos e Gonçalo Cavadas, «A saga» in Contos ( Sophia de Mello
Breyner Andresen)
6º F - Fernanda Moura
9.10 8º F – Nelson Cardoso Manuel Moreira e Diogo Ribeiro, O prisioneiro (Robert Muchamore) 6º G – M.ª Amélia
9.10 12º E – Helena Sereno (EF,
Cristina Cabrita)
Margarida Pisco , Cem anos de solidão (Gabriel García Márquez)
Clara Pelaez, Auto-Retrato do escritor enquanto corredor de fundo
(Murakami)
11º D - Helena Fernandes
(GD)
10.15 12º E - Helena Sereno (EF,
Cristina Cabrita)
Benedita Bacelar, Vendedor de passados ( José Eduardo Agualusa)
Margarida Pisco , Cem anos de solidão (Gabriel García Márquez)
11º E - Alexandra Soares
10.15 8º G - Luís Nelson Marta Pimentel e Carolina Moura, A minha vida fora de série (Paula
Pimenta)
6º E – Andreia Silva
10.15 8º G - Luís Nelson Isabel Cayolla e Carlota Figueiredo, Robinson Crusoe ( Daniel Defoe) 6º B – Isabel Correia
10.15 12º B – Fátima Miranda André Urbano, Ensaio sobre a cegueira (José Saramago)
Francisca Neves, Mil e uma noites ( autor desconhecido)
11º G – Lia Mota
10.15 11º D – Helena Sereno (GD,
Helena Fernandes)
Luísa Maruny, Monte dos vendavais (Emily Brontë) 9º F – Patrícia Ferreira
11.15 11º E - Helena Sereno (EF,
Cristina Cabrita)
Ana Oliveira, Contos ( Guide Maupassant )
Maria Pimenta, Orgulho e preconceito (Jane Austen)
9º G - Raquel Ribeiro
12.15 11º E - Helena Sereno (EF,
Cristina Cabrita)
Leonor Faro e Leonor Russo, Confissão da Leoa ( Mia Couto) 10º E – Paulo Ferreira
12.15 11º H – M.ª Rosário Bastos
(Alexandra Soares)
Daniel, Candide (Voltaire) 9º D – Dina Pereira
13.20 10º G - Elisabete Moreira
(MACS, Carla Duarte )
Francisca Monteiro, Como uma Onda (Manuel Rui)
Valéria, Dom Quixote de la Mancha ( Miguel Cervantes)
8º E – M.ª João Sarmento
14.20 10º G – Elisabete Moreira
(MACS, Carla Duarte )
José Resende, Ivanhoe ( Walter Scott)
Maria Fátima Pinto, Contos (Clarice Lispector)
9º F – Raquel Ribeiro
15.25 10º F - Elisabete Moreira
(GEO, Clementina Torres)
Eduarda Silva, As ilhas desconhecidas ( Raul Brandão)
Ricardo Rocha, As cruzadas vistas pelos árabes (Amin Maalouf)
8º F – M.ª José Azevedo
15.25 10º B - Elisabete Moreira
(FIL, Graça Ramos)
Ana Raquel Fortuna, Dom Quixote de la Mancha (Miguel Cervantes)
Diogo Cardoso, Odisseia (Homero)
Joana Lopes, Contos Fantásticos ( Edgar Allan Poe)
9º C – Manuela Carvalho
15.25 11º A – Helena Sereno (FQ,
Carlos Duarte)
Inês Silva, Felizmente há luar! ( Luís Sttau Monteiro)
Inês Terrinha, Nossa Senhora de Paris (Victor Hugo)
8º G – Teresa Miranda
41
DeClara, nº 11 março de 2018
(continuação...)
Se a intenção era potenciar a leitura e suas consequências naturais – aumentar o vocabulário,
aprofundar o conhecimento, estimular o pensamento crítico, melhorar os resultados escolares,
ser mais saudável, etc. –, um dos mais benignos resultados deste evento foi a generosa e
responsável participação voluntária dos alunos e professores numa atividade inédita.
Aos alunos mais jovens surpreendeu a real leitura, tranquilidade, organização e clareza das
exposições dos seus colegas mais crescidos; já estes apreciaram tanto o silêncio curioso dos
ouvintes, como a oportunidade de comunicar num contexto diferente, contribuindo para o
sucesso escolar, profissional e pessoal de outrem.
Sendo o Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor um evento criado pela UNESCO e
comemorado no dia 23 de abril a fim de promover o prazer da leitura, a publicação de livros e
os direitos de autor, aqui, no Clara, em 2018, a festa começou bem mais cedo, na penúltima
quarta-feira de fevereiro, Dia Internacional da Língua Materna, igualmente proclamado pela
UNESCO, para celebrar a diversidade linguística e cultural.
Helena Sereno
João Choupina 10ºF Luís Filípe 9º A Pedro Mota 10º E
Professor António Ferreira
OVOS ESPECIAIS DE PÁSCOA – Trabalhos produzidos pelos alunos
42
DeClara, nº 11 março de 2018
2 de março
Várias Momentos e
atividades
Feira dos minerais Torneio de xadrez
Jogos matemáticos
Momentos Musicais
43
DeClara, nº 11 março de 2018
Mala das Ciências
Olimpíadas da História
Mergulho no mundo
da Nanotecnologia
Apresentação Escola Superior de Saúde
44
DeClara, nº 11 março de 2018
Entrega de Prémios Mérito, Progressão
2 de março
Entrega do Prémio
Cereallis pela Dr.ª Susana
Lira e Subdiretora Dr.ª
Mónica Magalhães
45
DeClara, nº 11 março de 2018
EXPOSIÇÃO “O Postal
ilustrado: Leituras da
Paisagem e da Sociedade”
46
DeClara, nº 11 março de 2018
47
DeClara, nº 11 março de 2018
Clube de Fotografia
Fotos realizadas com uma "Pinhole"
"A pinhole consiste numa maneira de ver uma imagem real através de uma câmara escura. De
um pequeno orifício onde a luz é captada para dentro da câmara, (por ex: uma caixa de sapatos
pintada de negro no interior) e sofrendo um movimento de inversão, a imagem é projetada
para a parede oposta ao orifício ao contrário, onde está um pedaço de papel fotográfico no lado
oposto. Para produzir uma imagem razoavelmente nítida, a abertura tem que ser um furo
pequeno, na ordem de 0,5 mm ou menos. As câmaras pinhole requerem um tempo maior de
exposição do que as câmaras convencionais, devido à pequena abertura; os tempos de
exposição vão de 5 segundos a muitas horas. O furo geralmente é feito utilizando uma agulha
de costura de diâmetro pequeno feito em um pedaço de alumínio fino, cobre ou latão. Este
pedaço de metal é colocado então dentro da caixa em um corte feito na mesma. Pode-se
conseguir muitos efeitos especiais com as câmaras pinhole - como a possibilidade de se obter
imagens duplas usando múltiplos furos, ou conseguir fotos em perspetivas cilíndricas ou
esféricas curvando o filme."
A designação tem por base o inglês, pin-hole, "buraco de alfinete".
10º ano
5º ano
negativo positivo
48
DeClara, nº 11 março de 2018
5º ano
negativo positivo
Este tipo de fotografia é uma prática económica e simples pois utiliza uma caixa qualquer em
que a luz não penetre.
Professora Helena Fernandes
49
Informações úteis CNL
Fase concelhia da 12ª edição do Concurso Nacional de Leitura 2018
– Porto
A fase concelhia realizar-se-á no dia 10 de abril na Biblioteca Almeida
Garrett, no Porto.
O tema escolhido este ano foi o Mundo Antigo.
O conhecimento do mundo antigo proporcionar-nos-á uma viagem pelos
clássicos da literatura e pelos alicerces da cultura europeia. Grandes
escritores portugueses do séc. XX se inspiraram na Antiguidade Clássica,
como Sophia de Mello Breyner Andresen, Eugénio de Andrade ou Agustina
Bessa-Luís. Visitaremos a Grécia e a Roma Antiga, sobrevoaremos o
Mediterrâneo, encontraremos os deuses e deusas da Antiguidade Clássica.
Escolhemos obras que despertem o interesse das crianças e jovens sobre
este tempo e espaço glorioso, repletos de encantos e perigos mil, certos que
reconhecerão muitos dos seus heróis.
As obras selecionadas para a fase concelhia do Porto são as seguintes:
Ensino Secundário
MALOUF, David – Resgate. Lisboa: Bertrand, 201
3º Ciclo do Ensino Básico
HOMERO; adapt. LOURENÇO, Frederico - Livro II: a jangada de
Ulisses In A odisseia de Homero adaptada para jovens por
Frederico Lourenço. Lisboa: Cotovia, 2007
DeClara, nº 11 março de 2018
O QUE ESTÁ PARA
ACONTECER …
50
2º Ciclo do Ensino Básico
CORREIA, HÉLIA - Mopsos, o pequeno grego: a coroa de Olímpia.
Lisboa: Relógio d’água, 2005
1º Ciclo do Ensino Básico
Adapt. SÁNCHEZ, Isidro; trad. LINHARES, Francisco Alba; ilust. De TOBELLA, Montserrat - A lenda
de Ícaro: lenda grega. 3ª ed. Porto: Asa, 1997
A fase intermunicipal realizar-se-á no dia 25 de maio (nesta fase só será
apurado um aluno(a) por ciclo de ensino e por concelho).
DeClara, nº 11 março de 2018
CONCURSO LITERACIA 3DI FASE 2
No passado dia 28 de fevereiro decorreu a segunda fase da LITERACIA 3Di – o
desafio pelo conhecimento.
Os alunos do apurados da nossa escola, deslocaram-se à escola Fontes Pereira de
Melo, onde responderam às provas de Matemática, Ciência, Leitura e Inglês,
pretendendo assim conquistar um lugar na Grande Final!
Os vencedores desta fase distrital serão conhecidos nas próximas semanas e,
entretanto, está-se já a preparar a última etapa, que se realizará no dia 11 de
maio, no Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva, em Lisboa.
51
DeClara, nº 11 março de 2018
‘LEITOR(ES) COMPETENTE(S):
MARATONAS DA LEITURA’
O aluno DIOGO RIBEIRO CALDEIRA AMARAL (4.º
B), da Escola Básica João de Deus, é o vencedor
das “Maratonas da Leitura 2017-2018”, uma
importante atividade literária da língua
portuguesa que a biblioteca escolar promoveu.
O anúncio foi feito a 8 de março, dia do patrono
da EBJD, após exame à pontuação da grelha de
avaliação de desempenho da leitura, pelo
assessor da direção para o 1.º CEB, professor
Adriano Pinto.
No percurso literário das maratonas, estiveram a
concurso algumas das obras infanto-juvenis de
Ilse LOSA, textos icónicos de uma escritora de
origem alemã, que deu voz à cidade que a
acolheu – o Porto –, abordando temas como o
Ambiente, Família, Segregação Social, Amor ... e,
simultaneamente, uma autora que delatou a
opressão política da Alemanha nazi.
Com início a 08 de janeiro e termo a 28 de
fevereiro, as maratonas ocuparam um total de
dezoito sessões de leitura, em três fases
distintas. Ao longo desses três momentos,
DIOGO RIBEIRO CALDEIRA AMARAL, recebeu
inúmeras distinções, que se estenderam aos
restantes finalistas: SARA ROTHES GANÇO (4.ºA)
– candidata suplente –; Alice Barros Vilela Cruz
(3.ºA); Carolina Saraiva (3.ºB); Bruna R. Pereira
(2.ºA) e Nuno Diogo Borges (2.ºB).
Pelo conjunto das suas leituras, o jovem aluno
foi distinguido com o prémio LEITOR
COMPETENTE E REPRESENTANTE DA ESCOLA à
fase concelhia/municipal da 12.ª edição do
Concurso Nacional de Leitura (CNL), que terá
lugar no auditório da Biblioteca Municipal
Almeida Garrett, dia 10 de abril.
Foi um verdadeiro prazer de Vos ver ler &
cre(S)cer. A TODOS … parabéns!
Por Abel dos Santos Cruz
P‘JOÃO DE DEUS: o pedagogo. A cartilha
maternal e o ensino da leitura’*
Por Abel dos Santos Cruz
A biblioteca escolar João de Deus
(BEJD) tem patente ( até ao dia 23
de março ) a mostra “JOÃO DE DEUS: o
pedagogo. A cartilha maternal e o ensino da
leitura”, de forma a celebrar o Dia do Patrono (8
de março), exposição inserida no âmbito das
comemorações da semana da leitura.
O trabalho pedagógico, sob a proteção João de
Deus, deve a sua origem ao autor da CARTILHA
MATERNAL, publicada em 1877.
Poeta e pedagogo, JOÃO DE DEUS (1830-1896)
foi um grande defensor da alfabetização em
Portugal. A publicação, em 1876, da célebre
CARTILHA MATERNAL, método de ensino da leitura
verdadeiramente revolucionário no panorama
pedagógico nacional, constituiu um marco
importante desse processo.
A CARTILHA MATERNAL é uma obra de natureza
pedagógica, escrita pelo poeta e pedagogo,
destinada a servir de base ao ensino da leitura
às crianças. A doutrina de JOÃO DE DEUS
tornou-se rapidamente no método de iniciação
à leitura preferido pelos professores. “Este
sistema funda-se na língua viva”. Sendo
relativamente inovador na época, foi aprovado
como o método nacional de aprendizagem da
escrita da língua portuguesa.
No sentido de celebrar o dia do patrono da
EBJD, a biblioteca escolar não quis deixar de
comemorar o Homem e a Cartilha e,
consequentemente, dar a conhecer o método
pedagógico usado na época para o
desenvolvimento da leitura e da escrita dos
alunos.
* A biblioteca escolar agradece à Senhora Professora
Isabel Fonseca a cedência da cartilha maternal que serviu
de base para a preparação da exposição.
Professor bibliotecário Escola Básica João de Deus.
52
DeClara, nº 11 março de 2018
53
DeClara, nº 11 março de 2018
54
DeClara, nº 11 março de 2018
Escola Secundária 2,3 Clara de Resende
CONTOS
Concurso Interno de Leitura e Escrita
2ª edição – 2017 | 2018 – 2ºciclo
21 DE MARÇO DE 2018
4ª FEIRA - 14:30
Local: Auditório da Escola Clara de Resende
Inscrições: Biblioteca da Escola Clara de Resende
ATIVIDADE INSERIDA NO PLANO DE ATIVIDADES DA SEMANA DA LEITURA DA ESCOLA CLARA DE RESENDE
55
DeClara, nº 11 março de 2018
Convite
A Biblioteca da Escola Clara de Resende e o autor
Rui Alcântara Carreira convidam-no para assistir à
sessão A Geografia e a História nos enredos da
literatura, no qual será apresentado o seu
romance histórico sobre a cidade do Porto – A
casa dos Lóios.
Esta atividade terá lugar no auditório da escola,
no dia 23 de março de 2018, sexta feira, pelas
11:15, estando integrada na Semana da Leitura a
decorrer na escola de 19 a 21 de março.
Contamos com a sua presença!
No dia 2 de abril comemora-se em todo o
mundo o nascimento de Hans Christian
Andersen. A partir de 1967, este dia
passou a ser designado por Dia
Internacional do Livro Infantil,
chamando-se a atenção para a
importância da leitura e para o papel
fundamental dos livros para a infância.
Dia Internacional do
Livro Infantil
56
O QUE ESCREVEM OS
NOSSOS ALUNOS...
Espírito de Campeão
Muito temos que correr
Para ganhar resistência
É uma luta diária
Com esforço e paciência.
Devemos seguir as aulas
Com disciplina e atenção
Sempre com assiduidade
E espirito de Campeão.
O Desporto para mim
É uma grande paixão
E desejo acima de tudo
Vir a ser uma mulher de ação.
Devemos reconhecer
O esforço de quem nos ensina
A sermos melhores pessoas
E ganharmos auto estima.
Beatriz
7ºE
DeClara, nº 11 março de 2018
Proteger o mundo…
57
O DESAFIO DA PROFª ESTER
Olá a todos!
Não escrevi por altura do Dia dos
Namorados nem no Dia da Mulher e não
foi por preguiça… Fiquei a pensar.
Hoje estou aqui para vos lançar um
desafio. E como o desafio só existe se
alguém se sentir desafiado… aqui vai.
Se se sentirem desafiados, podemos
continuar com vários níveis de dificuldade.
Se não for desafio para ninguém, morre
aqui. Combinado?
Começo por abrir o vosso apetite:
Quando eu tinha vinte e poucos anos foi-
me contada pela minha sogra uma história
verídica - ela chegou a conhecer os
protagonistas, chegando uma delas a estar
escondida na casa da sua mãe. O enredo,
o ser uma história real e ainda por cima
próxima, aguçou por completo a minha
curiosidade e levou-me a ler duma
assentada dois livros que ela tinha,
primeiras edições, com certeza, escritos
por uma das protagonistas.
Ainda hoje passados trinta e tal anos essa
história me causa interrogações. Porque
há histórias que não ficam no passado,
ficam para sempre. Se nós quisermos,
claro!
Essas pessoas viveram na Rua de Francos e
estão enterradas no cemitério de
Ramalde- Sepultura Perpétua n.º 14 da 4.ª
secção.
Quem eram elas? Qual foi a história de
que foram protagonistas?
O desafio está lançado…
Porto, Março de 2018
Ester Varzim
DeClara, nº 11 março de 2018
O QUE ESCREVEM OS
PROFESSORES...
58
21 de março - Dia da Poesia em
Semana da Leitura…
Poesia Matemática de Millôr Fernandes
Às folhas tantas
do livro matemático
um Quociente apaixonou-se
um dia
doidamente
por uma Incógnita.
Olhou-a com seu olhar inumerável
e viu-a do ápice à base
uma figura ímpar;
olhos rombóides, boca trapezóide,
corpo retangular, seios esferóides.
Fez de sua uma vida
paralela à dela
até que se encontraram
no infinito.
"Quem és tu?", indagou ele
em ânsia radical.
"Sou a soma do quadrado dos catetos.
Mas pode me chamar de Hipotenusa."
E de falarem descobriram que eram
(o que em aritmética corresponde
a almas irmãs)
primos entre si.
E assim se amaram
ao quadrado da velocidade da luz
numa sexta potenciação
traçando
ao sabor do momento
e da paixão
retas, curvas, círculos e linhas sinoidais
nos jardins da quarta dimensão.
Escandalizaram os ortodoxos das fórmulas
euclidiana
e os exegetas do Universo Finito.
Romperam convenções newtonianas e
pitagóricas.
E enfim resolveram se casar
constituir um lar,
mais que um lar,
um perpendicular.
Convidaram para padrinhos
o Poliedro e a Bissetriz.
E fizeram planos, equações e diagramas para
o futuro
sonhando com uma felicidade
integral e diferencial.
E se casaram e tiveram uma secante e três
cones
muito engraçadinhos.
E foram felizes
até aquele dia
em que tudo vira afinal
monotonia.
Foi então que surgiu
O Máximo Divisor Comum
frequentador de círculos concêntricos,
viciosos.
Ofereceu-lhe, a ela,
uma grandeza absoluta
e reduziu-a a um denominador comum.
Ele, Quociente, percebeu
que com ela não formava mais um todo,
uma unidade.
Era o triângulo,
tanto chamado amoroso.
Desse problema ela era uma fração,
a mais ordinária.
Mas foi então que Einstein descobriu a
Relatividade
e tudo que era espúrio passou a ser
moralidade
como aliás em qualquer
sociedade.
Professora Otília Rocha
Texto extraído do livro "Tempo e Contratempo",
Edições O Cruzeiro - Rio de Janeiro, 1954, pág. sem
número, publicado com o pseudônimo de Vão
Gogo.
DeClara, nº 11 março de 2018
59
DeClara, nº 11 março de 2018
Ter um Pai
Ter um Pai! É ter na vida
Uma luz por entre escolhos;
É ter dois olhos no mundo
Que vêem pelos nossos olhos!
Ter um Pai! Um coração
Que apenas amor encerra,
É ver Deus, no mundo vil,
É ter os céus cá na terra!
Ter um Pai! Nunca se perde
Aquela santa afeição,
Sempre a mesma, quer o filho
Seja um santo ou um ladrão;
Talvez maior, sendo infame
O filho que é desprezado
Pelo mundo; pois um Pai
Perdoa ao mais desgraçado!
Ter um Pai! Um santo orgulho
Pró coração que lhe quer
Um orgulho que não cabe
Num coração de mulher!
Embora ele seja imenso
Vogando pelo ideal,
O coração que me deste
Ó Pai bondoso é leal!
Ter um Pai! Doce poema
Dum sonho bendito e santo
Nestas letras pequeninas,
Astros dum céu todo encanto!
Ter um Pai! Os orfãozinhos
Não conhecem este amor!
Por mo fazer conhecer,
Bendito seja o Senhor!
Florbela Espanca in Poesia 1918-1930
Lisboa: Dom Quixote, 1992]
60
DeClara, nº 11 março de 2018

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

De clara 14 junho2018
De clara 14 junho2018De clara 14 junho2018
De clara 14 junho2018
IsabelPereira2010
 
DeClara 24 junho 2019
DeClara 24 junho 2019DeClara 24 junho 2019
DeClara 24 junho 2019
IsabelPereira2010
 
De clara 12 abril 2018
De clara 12 abril 2018De clara 12 abril 2018
De clara 12 abril 2018
IsabelPereira2010
 
DeClara 25 julho 2019
DeClara 25 julho 2019DeClara 25 julho 2019
DeClara 25 julho 2019
IsabelPereira2010
 
De clara, nº2 final
De clara, nº2 finalDe clara, nº2 final
De clara, nº2 final
IsabelPereira2010
 
DeClara22_abril2019
DeClara22_abril2019DeClara22_abril2019
DeClara22_abril2019
IsabelPereira2010
 
De clara 13 maio 2018
De clara 13 maio 2018 De clara 13 maio 2018
De clara 13 maio 2018
IsabelPereira2010
 
De clara, nº8, dezembro 2017
De clara, nº8, dezembro 2017De clara, nº8, dezembro 2017
De clara, nº8, dezembro 2017
IsabelPereira2010
 
DeClara 43 junho 2021
DeClara 43 junho 2021DeClara 43 junho 2021
DeClara 43 junho 2021
IsabelPereira2010
 
De clara, nº7 novembro 2017
De clara, nº7 novembro 2017De clara, nº7 novembro 2017
De clara, nº7 novembro 2017
IsabelPereira2010
 
DeClara 20 fevereiro 2019
DeClara 20 fevereiro 2019DeClara 20 fevereiro 2019
DeClara 20 fevereiro 2019
IsabelPereira2010
 
De clara 10 fevereiro 2018 crcode
De clara 10 fevereiro 2018 crcodeDe clara 10 fevereiro 2018 crcode
De clara 10 fevereiro 2018 crcode
IsabelPereira2010
 
DeClara 3 abril
DeClara 3 abrilDeClara 3 abril
DeClara 3 abril
IsabelPereira2010
 
DeClara nº 45 julho 2021
DeClara nº 45 julho 2021DeClara nº 45 julho 2021
DeClara nº 45 julho 2021
IsabelPereira2010
 
DeClara18
DeClara18DeClara18
DeClara nº 39 janeiro 2021
DeClara nº 39 janeiro 2021DeClara nº 39 janeiro 2021
DeClara nº 39 janeiro 2021
IsabelPereira2010
 
DeClara nº36 outubro 2020
DeClara nº36 outubro 2020DeClara nº36 outubro 2020
DeClara nº36 outubro 2020
IsabelPereira2010
 
DeClara 28
DeClara 28DeClara 28
DeClara 28
IsabelPereira2010
 
DeClara nº30 fevereiro 2020
DeClara nº30 fevereiro  2020DeClara nº30 fevereiro  2020
DeClara nº30 fevereiro 2020
IsabelPereira2010
 
DeClara29
DeClara29DeClara29

Mais procurados (20)

De clara 14 junho2018
De clara 14 junho2018De clara 14 junho2018
De clara 14 junho2018
 
DeClara 24 junho 2019
DeClara 24 junho 2019DeClara 24 junho 2019
DeClara 24 junho 2019
 
De clara 12 abril 2018
De clara 12 abril 2018De clara 12 abril 2018
De clara 12 abril 2018
 
DeClara 25 julho 2019
DeClara 25 julho 2019DeClara 25 julho 2019
DeClara 25 julho 2019
 
De clara, nº2 final
De clara, nº2 finalDe clara, nº2 final
De clara, nº2 final
 
DeClara22_abril2019
DeClara22_abril2019DeClara22_abril2019
DeClara22_abril2019
 
De clara 13 maio 2018
De clara 13 maio 2018 De clara 13 maio 2018
De clara 13 maio 2018
 
De clara, nº8, dezembro 2017
De clara, nº8, dezembro 2017De clara, nº8, dezembro 2017
De clara, nº8, dezembro 2017
 
DeClara 43 junho 2021
DeClara 43 junho 2021DeClara 43 junho 2021
DeClara 43 junho 2021
 
De clara, nº7 novembro 2017
De clara, nº7 novembro 2017De clara, nº7 novembro 2017
De clara, nº7 novembro 2017
 
DeClara 20 fevereiro 2019
DeClara 20 fevereiro 2019DeClara 20 fevereiro 2019
DeClara 20 fevereiro 2019
 
De clara 10 fevereiro 2018 crcode
De clara 10 fevereiro 2018 crcodeDe clara 10 fevereiro 2018 crcode
De clara 10 fevereiro 2018 crcode
 
DeClara 3 abril
DeClara 3 abrilDeClara 3 abril
DeClara 3 abril
 
DeClara nº 45 julho 2021
DeClara nº 45 julho 2021DeClara nº 45 julho 2021
DeClara nº 45 julho 2021
 
DeClara18
DeClara18DeClara18
DeClara18
 
DeClara nº 39 janeiro 2021
DeClara nº 39 janeiro 2021DeClara nº 39 janeiro 2021
DeClara nº 39 janeiro 2021
 
DeClara nº36 outubro 2020
DeClara nº36 outubro 2020DeClara nº36 outubro 2020
DeClara nº36 outubro 2020
 
DeClara 28
DeClara 28DeClara 28
DeClara 28
 
DeClara nº30 fevereiro 2020
DeClara nº30 fevereiro  2020DeClara nº30 fevereiro  2020
DeClara nº30 fevereiro 2020
 
DeClara29
DeClara29DeClara29
DeClara29
 

Semelhante a DeClara 11 março 2018

Contacto dezembro 2017
Contacto dezembro  2017Contacto dezembro  2017
Contacto dezembro 2017
Bibliotecas Infante D. Henrique
 
Contacto dezembro 2017
Contacto dezembro  2017Contacto dezembro  2017
Contacto dezembro 2017
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Boletim informativo "Contacto"
Boletim informativo "Contacto"Boletim informativo "Contacto"
Boletim informativo "Contacto"
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Resume um livro numa frase
Resume um livro numa fraseResume um livro numa frase
Resume um livro numa frase
anapaulaoliveira
 
Contacto - dezembro de 2021
Contacto -   dezembro de 2021Contacto -   dezembro de 2021
Contacto - dezembro de 2021
Bibliotecas Infante D. Henrique
 
DeClara2
DeClara2DeClara2
Aquisições - Biblioteca D. Luís de Loureiro
Aquisições - Biblioteca D. Luís de LoureiroAquisições - Biblioteca D. Luís de Loureiro
Aquisições - Biblioteca D. Luís de Loureiro
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Folha da biblioteca 11
Folha da biblioteca 11Folha da biblioteca 11
Folha da biblioteca 11
Biblioteca Escolar Marinhas do Sal
 
De clara 2
De clara 2De clara 2
De clara 2
IsabelPereira2010
 
Caderno de leitura
Caderno de leituraCaderno de leitura
Caderno de leitura
joaosantosterrivel
 
Caderno de leitura
Caderno de leituraCaderno de leitura
Caderno de leitura
joaosantosterrivel
 
Boletim informativo8
Boletim informativo8Boletim informativo8
Boletim informativo8
Risoleta Montez
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 545 an 13 outubro_2015
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 545 an 13 outubro_2015AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 545 an 13 outubro_2015
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 545 an 13 outubro_2015
Roberto Rabat Chame
 
Contacto junho
Contacto  junhoContacto  junho
Contacto junho
becreluisdeloureiro
 
Sustentabilidade 2
Sustentabilidade 2Sustentabilidade 2
Sustentabilidade 2
Silvia Fabricio
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
Silvia Fabricio
 
Ofertas da Feira do Livro
Ofertas da Feira do LivroOfertas da Feira do Livro
Ofertas da Feira do Livro
Paula Morgado
 
Multiculturiedade
MulticulturiedadeMulticulturiedade
Multiculturiedade
Natalia Pina
 
Metas curriculares
Metas curricularesMetas curriculares
Metas curriculares
Jorge Armenio
 
David Machado
David MachadoDavid Machado
David Machado
Mariana Oliveira
 

Semelhante a DeClara 11 março 2018 (20)

Contacto dezembro 2017
Contacto dezembro  2017Contacto dezembro  2017
Contacto dezembro 2017
 
Contacto dezembro 2017
Contacto dezembro  2017Contacto dezembro  2017
Contacto dezembro 2017
 
Boletim informativo "Contacto"
Boletim informativo "Contacto"Boletim informativo "Contacto"
Boletim informativo "Contacto"
 
Resume um livro numa frase
Resume um livro numa fraseResume um livro numa frase
Resume um livro numa frase
 
Contacto - dezembro de 2021
Contacto -   dezembro de 2021Contacto -   dezembro de 2021
Contacto - dezembro de 2021
 
DeClara2
DeClara2DeClara2
DeClara2
 
Aquisições - Biblioteca D. Luís de Loureiro
Aquisições - Biblioteca D. Luís de LoureiroAquisições - Biblioteca D. Luís de Loureiro
Aquisições - Biblioteca D. Luís de Loureiro
 
Folha da biblioteca 11
Folha da biblioteca 11Folha da biblioteca 11
Folha da biblioteca 11
 
De clara 2
De clara 2De clara 2
De clara 2
 
Caderno de leitura
Caderno de leituraCaderno de leitura
Caderno de leitura
 
Caderno de leitura
Caderno de leituraCaderno de leitura
Caderno de leitura
 
Boletim informativo8
Boletim informativo8Boletim informativo8
Boletim informativo8
 
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 545 an 13 outubro_2015
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 545 an 13 outubro_2015AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 545 an 13 outubro_2015
AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS - Nº 545 an 13 outubro_2015
 
Contacto junho
Contacto  junhoContacto  junho
Contacto junho
 
Sustentabilidade 2
Sustentabilidade 2Sustentabilidade 2
Sustentabilidade 2
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
Ofertas da Feira do Livro
Ofertas da Feira do LivroOfertas da Feira do Livro
Ofertas da Feira do Livro
 
Multiculturiedade
MulticulturiedadeMulticulturiedade
Multiculturiedade
 
Metas curriculares
Metas curricularesMetas curriculares
Metas curriculares
 
David Machado
David MachadoDavid Machado
David Machado
 

Mais de IsabelPereira2010

DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECRDeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdfDeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
IsabelPereira2010
 
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdfreferenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdfDeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdfDeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdfDeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdfDeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
IsabelPereira2010
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdfPropostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
IsabelPereira2010
 
Prioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdfPrioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdfDeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdfDeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdfDeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdfDeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
IsabelPereira2010
 

Mais de IsabelPereira2010 (20)

DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
 
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
 
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECRDeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdfDeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
 
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdfreferenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
 
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdfDeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
 
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdfDeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
 
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdfDeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
 
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdfDeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
 
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdfPropostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
 
Prioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdfPrioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdf
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
 
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdfDeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
 
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdfDeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
 
DeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdfDeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdf
 
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdfDeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
 

Último

Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 

Último (20)

Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 

DeClara 11 março 2018

  • 1. DeClaraJornal do Agrupamento Escolas Clara de Resende Nº11março2018 Maria Ribeiro, nº19, 6ºE
  • 2. 2 DeClara, nº 11 março de 2018 EDITORIAL CLUBES RESPOSTAS AOS DESAFIOS OFICINAS DE APRENDIZAGEM O QUE ESCREVEM OS PROFESSORES É BOM SABER ... AS NOSSAS ESCOLHAS ... SUGESTÕES DO MÊS TRABALHOS DOS ALUNOS O QUE ESCREVEM OS NOSSOS ALUNOS O QUE ACONTECEU ... O QUE ESTÁ PARA ACONTECER ... DESAFIOS DO MÊS Editorial E muitas vezes, quando não estamos à espera, a Escola surpreende-nos! A Escola é um espaço de formação do cidadão, enquanto indivíduo, mas também enquanto membro de uma comunidade que valoriza a democracia, o conhecimento científico, o conhecimento humanista, a cultura, o ambiente, a saúde, os valores e essencialmente o Ser Humano: alunos, professores, funcionários, todos aqueles que diariamente a habitam e convivem entre si. E neste sentido o mês de março surpreendeu- nos! Um Dia da Escola diferente, que nos permitiu homenagear os alunos e descobrir outros talentos que transportam consigo e que são por nós desconhecidos. Um dia muito dinâmico que envolveu mais os professores e alunos. Um dia com Momentos musicais, Torneios, Jogos, Desafios, Entrega de Prémios aos alunos… Mas não ficamos por aqui, seguiram-se ao longo do mês projetos, trabalhos, visitas de estudos, aulas, testes, apresentações,… Concluímos o segundo período de aulas com a Semana da Leitura que permitirá, com certeza, alargar contactos e conhecimentos, construir uma comunidade mais culta, mais solidária, mais democrática e mais Feliz! Desejamos a toda a Comunidade Educativa uma Boa Páscoa. Regressaremos em abril com mais notícias e mais alento. Até breve! A equipa do Jornal Agrupamento Clara de Resende
  • 4. 4 RESPOSTAS AOS DESAFIOS DE FEVEREIRO Resposta ao Desafio de Português De Lupa Ansiedade, você, atrás, dispensado, exames. RESPOSTA ENIGMA POLICIAL DO MÊS FEVEREIRO Mistérios em aberto - Nº3 Veritas Como é que o detetive identificou o ladrão no meio da multidão? Quando o alarme soou, todos os presentes fugiram, naturalmente, com os seus objetos de maior valor. O ladrão levaria a garrafa de Boémia e, ao contrário das outras pessoas, não despiria a roupa molhadaporque por baixo ocultava a garrafa. DeClara, nº 11 março de 2018 Resposta ao desafio de Matemática 1 mala, 2 cofres e 5 malas Total 8 fechaduras Enigma policial do mês março 2018 Mistérios em aberto - Nº4 Sem respirar Para ensinar os alunos a utilizarem o pensamento lateral (a capacidade de pensar “fora da caixa”, numa linha diferente da mais óbvia), o velho detetive Gusmão deu o seguinte enigma a resolver aos seus aprendizes: Existe uma sala vazia, com exceção de uma mesa frágil de madeira e uma janela. A janela está aberta para fora e no exterior corre uma ventania descomunal: é a maior tempestade da década, e há chuva, vento e trovoada. No chão da sala está uma poça de água, estilhaços de um objeto de vidro partido, e os corpos da Francisca e do Francisco. Sabe-se apenas que morreram sem conseguir respirar. Como morreram a Francisca e o Francisco? DESAFIOS DO MÊS
  • 5. 5 Problema de Matemática do mês março Um cubo, com comprimento de lado igual a 3 cm, é pintado de verde. Depois é cortado em cubos mais pequenos, cada um com 1 cm de lado. Quantos cubos mais pequenos têm, exatamente, duas faces pintadas de verde? Professor Artur Neri DeClara, nº 11 março de 2018 Crucigrama sobre a Grécia Antiga Questões: 1.Característica da arte grega; 2.Técnica de produção de saliências em uma superfície plana; 3.Centro intelectual e artístico que atraía sábios e artistas; 4.Tipo de arte grega; 5.Igualdade de direitos de todos os cidadãos; 6.Tipo de arte grega; 7.Regime social e político em que o poder de governar pertence ao povo; 8.Corrente artística que coloca diante do observador, uma semelhança convincente das aparências reais das coisas; 9.Herança cultural; 10.Ciência que reflete sobre os problemas do mundo e da existência humana fundamentada na razão; 11.Conjunto dos mitos de uma religião ou cultura de determinado povo; 12.Filósofo grego. G 1 R 2 E 3 C 4 I 5 A 6 7 A 8 N 9 T 10 I 11 G 12 A Francisco Cerqueira, 7-º B, nº 9
  • 6. 6 AS NOSSAS ESCOLHAS ... DeClara, nº 11 março de 2018 POEMA DO MÊS DE MARÇO 8 de março Dia internacional da Mulher O mar dos meus olhos Há mulheres que trazem o mar nos olhos Não pela cor Mas pela vastidão da alma E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos Ficam para além do tempo Como se a maré nunca as levasse Da praia onde foram felizes Há mulheres que trazem o mar nos olhos pela grandeza da imensidão da alma pelo infinito modo como abarcam as coisas e os homens... Há mulheres que são maré em noites de tardes... e calma Seleção Biblioteca Escolar IMAGEM MÊS DE MARÇO 2018 In lo irracional del tiempo en que vivimos Biblioteca Escolar
  • 7. Secas do mês Atenção: Estas anedotas são extremamente secas. Mesmo muito secas! As mais secas que já alguma vez ouviste! Perguntei as horas ao James Bond e ele disse-me que eram 15. 8 e 15. Pai, acorda! -Hã? O quê? -Está na hora dos teus comprimidos para dormir. Quando Galileu demonstrou que a Terra girava, já os bêbados sabiam disso há séculos. -Bom dia! Não se importa que eu atravesse o seu terreno para apanhar o comboio das oito? -Com certeza! -Muito obrigado! -Pode ser que se encontrar o meu touro, apanha o comboio das sete e meia. Francisco Manta Rodrigues, 8ºB 7 SUGESTÕES DO MÊS SUGESTÕES DO MÊS - LEITURA DeClara, nº 11 março de 2018 Ensino Secundário: “RESGATE”, de David Malouf Esta é a história da relação de dois homens em guerra e em sofrimento: o feroz Aquiles, que perdeu o seu amado Pátroclo no cerco de Troia; e o enlutado Príamo, cujo filho Heitor matou Pátroclo e foi, por sua vez, ferozmente atacado por Aquiles. Uma comovente história de dor, tristeza e redenção, Resgate é incandescente no seu lirismo delicado e poderoso e no seu imperativo subliminar de que imaginamos a nossa vida à luz de sentimentos alheios. Biblioteca Escolar
  • 8. 8 DeClara, nº 11 março de 2018 3º Ciclo: “A ODISSEIA”, de Homero A Odisseia é um dos grandes épicos da literatura grega e também um dos pilares do cânone ocidental, um poema de rara e extraordinária beleza - e o livro que mais influência exerceu, ao longo dos tempos, no imaginário ocidental. Quando a Ilíada e a Odisseia foram compostas, ainda não tinha sido escrita a maior parte dos livros que integram o Antigo Testamento; as duas epopeias homéricas são, para todos os efeitos, os primeiros grandes livros da cultura ocidental. Os vários aspetos desta história que ao longo dos tempos entraram no quotidiano da civilização ocidental (a teia de Penélope, as Sereias, o Ciclope antropófago, o saque de Troia por meio do estratagema do cavalo de madeira, a magia de Circe, o amor sufocante de Calipso), são agora explicados aos leitores mais jovens, neste livro encantador do brilhante helenista e ficcionista Frederico Lourenço Biblioteca Escolar Queixas-te da tua vida? Então conhece a vida de Stanley, que foi para um campo de correção para rapazes, Camp Green lake, por ter sido acusado injustamente de ter roubado uns ténis velhos. Lá, a vida é dura: os rapazes acordam todos os dias às 4 da manhã, para escavarem covas de grandes dimensões, evitando as horas de muito sol. Stanley fez lá muitos amigos, todos tratados por alcunhas. Um deles era o Zero, porque todos pensavam que ele era burro, mas afinal era um génio da matemática. Mas Zero ainda não tinha aprendido a ler nem a escrever, e então faz um acordo com Stanley: Zero fazia parte da sua cova e Stanley ensinava-lhe a ler e a escrever. Ele aprendia depressa. •Mas um dia, acontece um conflito entre rapazes e Zero foge do acampamento desértico. •Num dia de tempestade, Stanley viu que a luz de um relâmpago iluminou uma montanha ao longe e que o topo tinha a forma de um polegar virado para cima. No dia seguinte, seguiu até a montanha do polegar, e encontrou Zero pelo caminho. •O que achas que aconteceu a seguir? Voltaram ao acampamento? Seguiram até o polegar? Enviaram uma busca para os encontrar ou foram salvos por um herói? Além do livro, ainda poderás matar a curiosidade com a adaptação feita pela Disney com o filme “Holes”. Francisca Vareta – 6º A 2º Ciclo: “O Polegar de Deus”, de Louis Sachar
  • 9. 9 É BOM SABER ... A Missão Título: A missão Ano: 1986 Realizador: Roland Joffé. Elenco principal: Roberto de Niro, Jeremy Irons, Liam Neeson, Aidan Quinn. Sinopse: O Padre Jesuíta Gabriel (Jeremy Irons) vai para a terra dos Guaranis, na América do Sul, com o propósito de converter os nativos ao Cristianismo. Rapidamente ele constrói uma missão, juntamente com Rodrigo Mendoza (Robert De Niro), um comerciante de escravos em busca de redenção. Quando um tratado transfere a terra da Espanha para Portugal, o governo português quer capturar os nativos para o trabalho escravo. Mendoza e Gabriel protegem a missão, discordando da realização da tarefa. Biblioteca Escolar Sabias que? Um número capicua quando lido da esquerda para a direita ou da direita para a esquerda representa sempre o mesmo valor. 353 8998 53635 SUGESTÕES DO MÊS - Filme DeClara, nº 11 março de 2018 A minhoca possui cinco pares de corações na parte dianteira do corpo. Sabias que?
  • 10. 10 A Idade Média Introdução A Idade Média teve início na Europa com as invasões bárbaras sobre o Império Romano do Ocidente, no século V. Essa época vai até ao século XV. A Idade Média caracteriza-se por: uma economia ruralizada, um enfraquecimento comercial, o predomínio da Igreja Católica, um sistema de produção feudal e um sociedade de hierarquias. Estrutura Política Na Idade Média sobressaíram as relações de vassalagem e suserania. O suserano era quem dava um lote de terra ao vassalo e este deveria prestar fidelidade e ajuda ao seu suserano. O vassalo oferecia ao Senhor fidelidade e trabalho, em troca de proteção e um lugar no sistema de produção. Todos os poderes concentravam-se nas mãos dos senhores feudais. Sociedade Medieval A sociedade era estática e hierarquizada. A nobreza tinha as terras e lucrava com os impostos dos camponeses. O clero tinha um grande poder, pois era responsável pela proteção espiritual da sociedade. Era isento de impostos e arrecadava o dízimo (contribuição que a Igreja exigia). A terceira camada da sociedade era formada pelos servos (camponeses) e pequenos artesãos. Os servos deviam pagar várias taxas aos senhores feudais, tais como: o trabalho nas terras do senhor feudal); metade da sua produção; outras taxas pagas pela utilização do moinho ou forno do senhor feudal. Religião na Idade Média Na Idade Média, a Igreja Católica dominava a Religião. A Igreja influenciava o modo de pensar e as formas de comportamento na Idade Média. A Igreja também tinha grande poder económico, pois possuía terras em grande quantidade e, até mesmo, servos a trabalhar nelas. Educação, cultura e arte medieval A educação era para poucos, pois só os filhos dos nobres estudavam. A educação era marcada pela influência da Igreja, em se aprendia o latim, as doutrinas religiosas e as táticas de guerra. Grande parte da população medieval era analfabeta e não tinha acesso aos livros. A arte medieval também era marcada pela religiosidade da época. As pinturas retratavam passagens da Bíblia e ensinamentos religiosos. As pinturas medievais e os vitrais das igrejas eram formas de ensinar à população um pouco mais sobre a religião. Podemos dizer que, no geral, a cultura medieval foi fortemente influenciada pela religião. Na arquitetura destacou-se a construção de castelos, igrejas e catedrais. As Cruzadas No século XI, os muçulmanos conquistaram a cidade sagrada de Jerusalém. Diante dessa situação, o papa Urbano II convocou a Primeira Cruzada (1096), com o objetivo de expulsar os "infiéis" (árabes) da Terra Santa. Essas batalhas, entre católicos e muçulmanos, duraram cerca de dois séculos, deixando milhares de mortos e um TRABALHOS DOS ALUNOS – 5º ANO DeClara, nº 11 março de 2018
  • 11. 11 grande rasto de destruição. Ao mesmo tempo que eram guerras marcadas por diferenças religiosas, também tinham caráter económico. Muitos cavaleiros cruzados roubavam as cidades árabes e vendiam os produtos nas estradas, nas chamadas feiras e rotas de comércio. Este aspeto contribuiu para o renascimento urbano e comercial, a partir do século XIII. Peste Negra Em meados do século XIV, uma doença devastou a população europeia. Os Historiadores calculam que aproximadamente um terço dos habitantes morreu desta doença. A Peste Negra era transmitida através da picada de pulgas de ratos doentes. Estes ratos chegavam à Europa nos porões dos navios vindos do Oriente. Como as cidades medievais não tinham condições higiénicas adequadas, os ratos espalharam-se facilmente. Após o contato com a doença, a pessoa tinha poucos dias de vida. Trabalho realizado por: Francisco Pinto Magina Castro Dias, 5ºG, nº10 Professora Laurentina Alegria DeClara, nº 11 março de 2018 Espaços tridimensionais-E.T 5A e 5B O meu quarto...é meu e teu Lá vou crescendo...descansando...estudando. Encantos e desencantos...lá sou mais eu. (continua...)
  • 12. 12 Engrenagens/Transmissão de movimento - E.T./6ºG TRABALHOS DOS ALUNOS – 6º ANO DeClara, nº 11 março de 2018 Pela decoração e organização facilmente detetamos um quarto de menina e de menino. Professor de EV António Ala
  • 13. 13 TRABALHOS DOS ALUNOS – 7º ANO DeClara, nº 11 março de 2018 Professor João Pereira
  • 14. 14 Mensagem da obra de Luís Sepúlveda Leitura orientada – 7ºano No livro “História da Gaivota e do gato que a ensinou a voar”, a personagem que se destaca mais é o gato Zorbas pois, sem ele, Ditosa provavelmente não conseguiria voar, ou nem sequer sobreviver. Claro que ele teve a ajuda dos seus amigos Colonello, Barlavento, Sabetudo e Secretário, mas foi ele que fez as três promessas a Kengah, mãe de Ditosa, antes desta morrer. As personagens Zorbas, Ditosa, Colonello, Secretário e Sabetudo manifestaram sentimentos de preocupação quando a gaivotinha nasceu, por não saberem como cuidar dela. Demonstraram também um sentimento de esperança, quando Ditosa não conseguiu voar, depois de inúmeras tentativas. Sentiram espanto, quando Zorbas decidiu quebrar o tabu e, no final, felicidade quando Ditosa finalmente voou. A relação entre os seres é de uma gigantesca amizade, como se evidencia em vários momentos da obra, tais como, quando Ditosa pensava e queria ser um gato, todos os amigos gatos a apoiaram e a ajudaram a perceber o quão maravilhosa era. Quanto às ações humanas criticadas na obra, é de referir o mal que as marés negras de petróleo fazem aos animais marinhos ou, aos que dependem deles para a sua alimentação como, por exemplo, as gaivotas. Além disto, também são abordadas as experiências com os animais que tanto os gatos temiam, em que os prendiam em jaulas com más condições. Na primeira parte da obra, quando há referência ao Mar do Norte, assiste-se à denúncia de problemas ambientais, nomeadamente às marés negras que poluem o mar e que matam muitos seres vivos. Inês Bessa Peixoto Ferraz Ferreira, nº 11, turma 7º D Professora Raquel Ribeiro DeClara, nº 11 março de 2018
  • 15. 15 Março dias com História 1 de março 1498- A armada de Vasco da Gama chega a Moçambique. 2 de março 2004- Cientistas da NASA anunciam que Marte já teve muita água. 3 de março 1847- Nasce Alexander Graham Bell, escocês-americano, o inventor do telefone. 4 de março 1877- Estreia de O Lago dos Cisnes, de Tchaikovsky. 5 de março 1953- Morre Joseph Stalin, ditador russo. 6 de março 1927- Nasce Gabriel Garcia Marquez, escritor colombiano e Prêmio Nobel em 1982. 7 de março 1821- D. João VI, no Brasil, promulga um decreto que anuncia o retorno da corte a Portugal e a transmissão do trono brasileiro ao seu filho D. Pedro. 8 de março 1975- Dia Internacional da Mulher, oficializado pela Organização das Nações Unidas, como homenagem às operárias fabris, nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, que começaram uma campanha dentro do movimento socialista para reivindicar os seus direitos, nomeadamente a igualdade de género. 9 de março 1500- A frota de Pedro Álvares Cabral deixa Portugal para uma viagem que terminaria com o achamento do Brasil. 10 de março 1862- É emitida a primeira nota em papel, pelo governo dos Estados Unidos da América. 11 de março 1993- A Coreia do Norte retira-se do Tratado de Não-Proliferação Nuclear, não permitindo a inspeção à produção de armas nucleares por oficiais do Ocidente. 12 de março 1571- Publicação dos Lusíadas, poema épico escrito por Luís de Camões. 13 de março 1781- O astrónomo William Herschel descobre o planeta Urano. 14 de março 1879- Nasce Albert Einstein, físico alemão, Prêmio Nobel em 1922. 15 de março 44 a.C.- O imperador romano Júlio César é assassinado por um grupo de senadores romanos, entre eles seu amigo Brutus. 16 de março 1925- Nasce Jerry Lewis, comediante americano. 17 de março 1905- Albert Einstein conclui uma série de artigos que seriam a base da física moderna. 18 de março 1949 - Fundação da Organização do Tratado Atlântico Norte (OTAN). 19 de março 1534- Nasce José de Anchieta, missionário católico. 20 de março 1662– Portugal proíbe a escravatura dos índios brasileiros. 21 de março 1935- A Pérsia passa a designar-se de Irão e o seu líder, o xá Reza Pahlavi, que queria modernizar o país, decide criar a Universidade de Teerão e abolir o xador, traje feminino usado em alguns países muçulmanos, especialmente no Irão, que cobre todo o corpo, exceto os olhos. TRABALHOS DOS ALUNOS – 8º ANO DeClara, nº 11 março de 2018
  • 16. 16 22 de março 1933- O presidente Franklin Delano Roosevelt põe fim á Lei Seca, ao assinar a lei que legaliza o consumo de bebidas alcoólicas. 23 de março 2001- A estação espacial russa MIR é desativada e cai, depois de ser destruída na atmosfera, no sul do Oceano Pacífico. 24 de março 1923- A Grécia torna-se uma república. 25 de março 1655- A maior lua de Saturno Titã é descoberta por Christiaan Huygens. 26 de março 1973- Pela primeira vez na História, as mulheres são aceites na Bolsa de Valores de Londres. 27 de março 1940- Heinrich Himmler ordena a construção do campo de concentração de Auschwitz, o maior do regime nazi, localizado ao sul da Polónia, com três campos para prisioneiros, para extermínio e para trabalhos forçados. 28 de março 1930- As cidades turcas de Constantinopla e Angora mudam os seus nomes pra Istambul e Ancara, respetivamente. 29 de março 1974- A sonda Mariner 10, da NASA, é a primeira sonda a sobrevoar Mercúrio. 30 de março 1981- Ronald Reagan, presidente dos estados unidos, é baleado por John Hinckley Jr. 31 de março 1821- A Inquisição é extinta em Portugal. Duarte Matos, João Urbano, Tomás Morte, alunos do 8.º C Trabalho para a disciplina de História Professora Arlete dos Santos Ferreira Março na História Sexta-Feira Santa - ou Sexta-feira da Paixão é uma data religiosa cristã que relembra a crucificação e morte de Jesus Cristo. É uma data móvel e tem como base a Primeira Sexta- feira de Lua cheia depois do Equinócio de Primavera, no Hemisfério Norte, ou do Equinócio de Outono, no Hemisfério Sul. Foi no ano 325 que a Igreja Católica definiu, no Concílio de Nicéia, as cerimónias do Calendário Cristão e que a Sexta-Feira Santa passou a integrar as cerimónias da Semana Santa. Nos países católicos esta é uma semana que tem início no Domingo de Ramos e termina no Domingo de Páscoa, durante a qual se revivem todos os principais momentos do processo de prisão, condenação, crucificação e morte de Jesus. Para marcar esta data são comuns as penitências e os sacrifícios. A tradição da privação do consumo de carne às refeições, durante o período da Quaresma – os 40 dias desde a Quarta-Feira das Cinzas até à Sexta- Feira Santa – é uma forma de penitência e de gratidão pelo sofrimento a que Jesus foi submetido. Em muitas comunidades, predominantemente católicas, os fiéis fazem representações teatrais sobre a Paixão de Cristo, reproduzindo todas as etapas, desde o momento em que foi preso até à sua morte e ressurreição, atraindo imenso público, como nas Filipinas. Este é o único dia em que não se celebra a Eucaristia, exceto por ordem expressa do Papa, chefe da Igreja Católica. Este ano, a sexta-feira santa será celebrada no dia 30 de março. Beatriz Moreira, Daniela Duarte, Luísa Pimenta, alunas do 8.º D Trabalho para a disciplina de História Professora Arlete dos Santos Ferreira DeClara, nº 11 março de 2018
  • 17. 17 DeClara, nº 11 março de 2018 Participação dos alunos da Escola S2,3 Clara de Resende na exposição sobre o tema “ A PAZ”, no Teatro Rivoli, promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, com o apoio da Câmara Municipal do Porto. EXPOSIÇÃO “DeClara a PAZ” Afonso Vinagre, nº1, 8ºB Professor de E.V.João Carlos Pereira
  • 18. 18 DeClara, nº 11 março de 2018 Gonçalo Vinagre, nº 15, 8ºB Maria Carlota, nº20 7ºD Tomás Oliveira, nº30, 7ºD
  • 19. 19 DeClara, nº 11 março de 2018 Livro de texturas para invisuais Educação Visual A perceção da textura é visual, mas também táctil. Quando percecionamos visualmente uma textura, ela é associada à perceção táctil que guardamos do conhecimento dessa textura. Assim, dizemos que um objeto se caracteriza por ter uma textura lisa ou rugosa. A perceção visual das texturas comunica-nos sensações. Texturas muito polidas e brilhantes podem dar- nos a sensação de uma superfície fria. Mas as texturas podem ser ásperas, rugosas ou macias. Podem também transmitir-nos sensações de calor, de macieza, de conforto. O trabalho consiste na recolha de texturas em superfícies naturais e fabricadas pelo homem, através da técnica de fricção, da colagem e construção de um livro encadernado que pode ser lido/sentido por um invisual. Criação de composição visual de uma paisagem com recurso a texturas visuais criadas e recolhidas por fricção. Ana Rita Cabral, nº1 8ºF André Matos,nº2, 8ºF
  • 20. 20 DeClara, nº 11 março de 2018 Catarina Pereira, nº3, 8ºF Constança Sequeira, nº4, 8ºF Laura Lencart, nº17, 8ºF
  • 21. 21 DeClara, nº 11 março de 2018 A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen No âmbito do estudo a Saga, de Sophia de Mello Breiner, e da Banda desenhada os alunos do 8ºA foram desafiados pela sua professora de Português Dr.ª Patrícia ferreira a construir, em grupo, uma banda desenhada original e criativa, com as personagens da obra. Eis os resultados…
  • 22. 22 DeClara, nº 11 março de 2018
  • 23. 23 DeClara, nº 11 março de 2018
  • 24. 24 DeClara, nº 11 março de 2018
  • 25. 25 Apreciação crítica à peça de Gil Vicente Foi no dia 23 de janeiro que visitei o clássico Teatro Sá da Bandeira para assistir à interpretação teatral de «Auto da Barca do Inferno», obra de Gil Vicente. O primeiro ponto que considero merecedor de crítica é o teatro em si. Estava sem dúvida bem arranjado, clássico em termos artísticos, pronto para o espetáculo. Agora sim em relação à peça. Desde já devo dar os parabéns a todos os membros da peça. O elenco era bom no geral, e houve uma grande capacidade de adaptação e entrega dos atores aos vários papeis que representaram. Apesar do geral bom trabalho, tenho de referir um personagem por entre todos: o Diabo. Este foi, sem dúvida, o mais cativante, algo que penso ter- se devido à qualidade das relações de ironia, piada e rigidez que estabeleceu nas suas falas. Mas como há quase sempre alguém que se destaque pela negativa, devo dizer que não apreciei de todo a atuação proposta para o Anjo. Falta de projeção de voz e ainda certos problemas em transmitir a mensagem pretendida foram, para mim, as principais causas desta frustração. Quanto aos adereços, para mim o melhor foi a bengala que o Diabo utilizou de forma ríspida e engraçada na interação com outras personagens, algo que se entrelaçou de forma muito interessante com a sua personificação. Em relação aos momentos divertidos ou inesperados, desde já devo assinalar a fantástica reação do público ao final da peça. Mas passando ao tópico em si, considero que os momentos mais divertidos foram proporcionados pelo Diabo. Já nos momentos inesperados, noto a participação de um aluno no teatro e ainda o facto de ter havido uma escolha surpreendente no elenco, já que foi uma mulher a interpretar o Anjo. Para concluir, quero acentuar a simplicidade que o cenário transpareceu e a qualidade do jogo de luzes. Em suma, foi uma grande peça e um memorável espetáculo cuja visualização é por mim aconselhada a todas as faixas etárias. João Pedro Pereira, 9.ºG (Profª Raquel Ribeiro) TRABALHOS DOS ALUNOS – 9º ANO DeClara, nº 11 março de 2018
  • 26. 26 Trabalhos realizados pelos alunos do 10ºF sobre “Dependências” Disciplina de Espanhol TRABALHOS DOS ALUNOS – 10º ANO DeClara, nº 11 março de 2018
  • 27. 27 DeClara, nº 11 março de 2018
  • 28. 28 DeClara, nº 11 março de 2018
  • 29. 29 DeClara, nº 11 março de 2018
  • 30. 30 DeClara, nº 11 março de 2018
  • 31. 31 The exam’s monster disappearing A recent news article has claimed that the Portuguese government is finally considering- after several requests over the past years- making final exams not compulsory. Although it might be perceived like a fantastic measure, especially in the eyes of high school students, trying to access college, it is important for all of us to ask ourselves: “Is this something I really want? And “How would I benefit from it?” In order to answer the first question, you must also consider that your perspective on exams might be biased. In fact, knowing that you will be evaluated at the end of the school year might motivate you to study harder and be more attentive at school, in other words: turn you into a better student. However, it might also cause higher stress levels, particularly when it comes to tests and other school related subjects. Either way, and looking at the bigger picture: having final exams sounds scarier than it actually is. In order to answer the second question, you’ll have to understand that final exams are the government’s way of guaranteeing that students from private schools won’t have an edge on the ones who go to public schools, just because they pay to attend them. So, in a way, final exams guarantee (or try to) fairer access to college. In conclusion, the topic “exams”, will always be controversial, because of the pressure that teens feel to excel in them, but we might actually benefit more from their existence than you think, as they work as “filter” and motivation. Raquel Alexandra Pinto de Sousa, nº20, 11º A Professora Lia Mota TRABALHOS DOS ALUNOS – 11º ANO DeClara, nº 11 março de 2018
  • 32. 32 DeClara, nº 11 março de 2018 Teresa Marramaque 11ºano PINTURA DO MÊS DE MARÇO
  • 33. 33 Declamando Pessoa O recital que decorreu no passado dia 18 de janeiro, realizado pela companhia Embaixada do Conhecimento, apresentou o diseur Nuno Miguel Henriques, com uma interpretação notável de diversos trechos da obra poética da obra de Fernando Pessoa, contando, também, com uma breve homenagem a Eugénio de Andrade, através da recitação do poema “Adeus”. Movimentando-se pelo cenário, constituído por uma secretária, pilhas de livros e uma tribuna adornada com a bandeira portuguesa, declamou, ao som de músicas selecionadas por si mesmo, poemas como “Lisbon Revisited”, “Mestre, são plácidas”, “Ode Triunfal”, “Menino da sua mãe”, “Autopsicografia”, entre outros. Nuno Miguel Henriques adotou uma metodologia de interação com o público, de forma a dinamizar a experiência do recital. O resultado foi uma animada troca de ideias e conhecimento, com base na poesia. A erudição do diseur relativamente à obra lírica de Pessoa permitiu uma melhor compreensão dos seus poemas e, também, o incentivo ao gosto pela poesia. Porém, algumas destas interações poderiam ser mal interpretadas pelo público, dado o carácter pessoal e subjetivo do humor. Em suma, esta experiência didática contribuiu para o alargamento do conhecimento dos alunos e representa um espetáculo que seria agradável ao público geral. Clara Peláez nº 11, 12ºE Mafalda Remédios nº20, 12ºE Margarida Pisco nº21, 12ºE (Texto selecionado pelas turmas A, D e E do 11º ano) Professora Helena Sereno TRABALHOS DOS ALUNOS – 12º ANO DeClara, nº 11 março de 2018
  • 34. 34 O QUE ACONTECEU … DeClara, nº 11 março de 2018 Notícias Desporto Escolar 3º Torneio de badminton Decorreu no passado dias 10 de março na escola Maria Lamas, Porto, o 3º torneio de badminton do Desporto Escolar, tendo nele participado 5 alunos do clube de desporto escolar da nossa escola. Nos torneios participaram alunos de várias escolas, nomeadamente ES Rodrigues de Freitas, ES Carolina Michaellis e EB23 Maria Lamas. Após os três torneios realizados, os nossos alunos obtiveram as seguintes classificações no ranking da modalidade: Escalão de Infantis A Femininos: •1º - Renata Barros, nº 22 – 5ºG; •2º - Emanuela Valente, nº5 – 5ºE Escalão de Infantis B Masculinos: •8º - João Correia, nº10 – 7ºA Escalão de Iniciados Masculinos: •2º Afonso Vinagre, nº1 – 8ºB; •4º Gonçalo Vinagre, nº 15 – 8ºB José Pinto Professor EF responsável pelo grupo/equipa Badminton 6ºC e 6º D em visita de estudo ao Estádio e Museu do Dragão No âmbito da disciplina de Educação Física, as turmas do 6ºC e 6ºD participaram, com muito empenho e entusiasmo, numa visita de estudo ao Estádio e Museu do Dragão, no dia 21 de fevereiro de 2018. Foi uma manhã muito bem passada… Aqui ficam alguns momentos da visita registados em fotos, que falam por si… Professora Laurentina Alegria
  • 35. 35 DeClara, nº 11 março de 2018 VISITA À FÁBRICA DE CHOCOLATE IMPERIAL VILA DO CONDE Na noite de dia 12 de Março de 2018 nem conseguia adormecer, só de pensar que no dia seguinte, pela manhã, iria visitar uma Fábrica de Chocolates. Mas, por fim, lá caí no sono. Um sono doce! Na manhã do dia 13 de Março de 2018, pelas 9h45m, partimos da nossa escola Clara de Resende rumo à Fábrica de Chocolates Imperial, em Vila do Conde. Éramos 21 alunos e 3 professores. Esta visita foi promovida pelo Professor André Rubim Rangel, no âmbito da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica, que nos acompanhou ao longo de toda a visita. Também participaram as Professoras Belmira Coelho e Ângela Viegas. Chegámos à Fábrica de Chocolates Imperial por volta das 10h15m. Fomos “docemente” acolhidos. Começámos a visita com a visualização de um breve filme sobre a fábrica mais recente e de seguida fizemos algumas perguntas. Depois, fomos visitar a unidade fabril mais antiga. O cheirinho a chocolate pairava no ar. Vimos as máquinas a trabalhar no processo de refinação e da mistura do chocolate. Também tivemos oportunidade de ver o processo de derretimento, arrefecimento e solidificação do chocolate. Por fim, contactámos com o processo de embalagem do produto (chocolate). Quero destacar a simpatia, amabilidade, paciência e disponibilidade de todas as colaboradoras da Fábrica de Chocolates Imperial que nos acolheram. No final desta maravilhosa visita, para nosso grande contentamento, foram-nos distribuídas caixas com chocolates. Chegámos à nossa escola Clara de Resende por volta das 13h40m. Na noite deste dia, para além de um sono doce, também tive sonhos doces! Jorge Lima 5º D
  • 36. 36 DeClara, nº 11 março de 2018 Feira Porto de Futuro – Qualifica No âmbito do projeto «A Empresa», organizado pela Junior Achievement Portugal, alguns alunos da nossa escola estão, desde o início do ano letivo, a criar e a desenvolver um produto/serviço em miniempresas criadas para o efeito, e assessoradas por voluntários da Cerealis, parceira da nossa escola no “Porto de Futuro”. Duas empresas da nossa escola candidataram-se e foram selecionadas para um dos maiores eventos educacionais na nossa cidade «Feira Porto de Futuro – Qualifica», realizado na Exponor, promovida pela Câmara Municipal do Porto. Essas empresas são a WIT, constituída pelas alunas Filipa Bessa, Leonor Russo, Luísa Maruny e Margarida Neves, e Dandari, formada pelos alunos Bruno Magalhães, Cristiano Marques, Daniel Monteiro, Miguel Santos e Vasco Alves. Durante a manhã de 1 de março, estes alunos do 11º e 12º anos de escolaridade tiveram que mostrar as suas ideias de negócio a todos os visitantes e a um exigente júri constituído por cinco elementos de destaque na nossa sociedade. Salienta-se que as equipas do Clara tiveram um ótimo desempenho e foram reconhecidas pelo trabalho em equipa e liderança; expressão oral e técnicas de venda; planeamento e organização e dinamismo e originalidade na decoração do stand. Apesar de nenhum dos nossos grupos ter ganho esta competição, todos continuarão a desenvolver e a melhorar os seus produtos, e continuarão a participar em competições nas quais possam mostrar o seu espírito de equipa e de empreendedorismo. Cristiano Marques, 12ºA, Nº9
  • 37. 37 DeClara, nº 11 março de 2018 Projeto SEI - Sociedade, Escolas e Investigação Com o objetivo geral de "Alavancar o nível educacional da comunidade escolar, promovendo o conhecimento e a literacia científica” esta é uma iniciativa da Câmara Municipal do Porto, através do departamento Porto do Conhecimento, destinado aos alunos do 3º ciclo e secundário dos estabelecimentos de ensino públicos da cidade do Porto. Projetos Escola Clara de Resende – Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) Casas de desperdícios – 9ºD na FEUP no Departamento de Engenharia Civil O Mundo Secreto dos materiais - 12º A,B, e C na FEUP no Departamento de metalurgia
  • 38. 38 DeClara, nº 11 março de 2018 Intercâmbio com alunos franceses (projeto das turmas B e C do 8º ano) Na manhã do passado dia 12 de março, a nossa escola teve o prazer de receber um grupo de alunos franceses, 25 no total, estudantes do Collège Anatole France. Com esta visita, foi possível promover o conhecimento com os alunos do 8º ano, turmas B e C, que, desde o princípio do ano letivo, participaram num projeto de intercâmbio escrito, de caráter interdisciplinar. Foi uma manhã muito agradável, plena de sol, promotora de convívio, e que permitiu um enriquecimento cultural a todos os envolvidos. Foi, acima de tudo, um momento em que os alunos presentes puderam desenvolver as suas competências linguísticas ao nível da língua estrangeira. (Os nossos alunos aprofundaram o seu francês e os alunos franceses, que estudam o português como língua estrangeira, aprofundaram o português). Passada esta experiência, e dado que a amizade foi fortalecida, o intercâmbio escrito manter-se-á até ao final do presente ano letivo, contando com a participação das docentes envolvidas, professoras Dina Pereira, Emília Ferreira e Rosário Bastos. A todos aqueles que permitiram o sucesso desta atividade (direção da escola, alunos, encarregados de educação e professores) o nosso reconhecimento. Desta forma, comprovamos que, tendo espírito de iniciativa e pensando sempre nos nossos alunos, o sucesso acontece. Professora Rosário Bastos
  • 39. 39 DeClara, nº 11 março de 2018 DEPENDÊNCIA, O QUE É? “Necessidade física e/ou psicológica de determinada substância ou atividade” é uma das definições encontradas (in Infopédia). O conhecimento sobre a realidade do consumo de substâncias psicoativas, comportamentos aditivos e dependências em Portugal, e a sua evolução ao longo do tempo, permitiu identificar as tendências e as necessidades de intervenção. Com base nesse conhecimento, a ADEIMA, através do projeto Metas Comunica, desenvolveu a plataforma MC Ajuda-te a compreender, que nos foi apresentada no passado dia 9 de março, pela psicóloga Joana Jesus, técnica do projeto. Foi um encontro muito interessante no qual, para além da informação veiculada pela oradora, houve espaço para questões e partilha de experiências. Esta sessão, promovida pela APECR, contou com a presença, para além dos PEE e de dois alunos, da Fecap Porto, da AP Castelos, da Drª. Maria José Oliveira (JFRamalde) e do Eng. Eduardo Serrão (PS Ramalde). Deixamos aqui o nosso agradecimento à Drª Joana Jesus. Sónia Valente e Helena Tavares (APECR) 3ª CONFERENCIA DO PROJETO DE ANIMAÇÃO COMUM
  • 40. 40 DeClara, nº 11 março de 2018 MISSÃO LER: ORIGINALIDADES VOLUNTÁRIAS DO CLARA No dia 21 de fevereiro, a nossa escola celebrou o Dia Internacional da Língua Materna e, em antecipação, o Dia do Mundial do Livro. Os professores do Departamento de Línguas pediram a colaboração dos alunos do 12º, 11º, 10º e 8º anos para a difícil tarefa de divulgar livros e autores. Assim, não só os mais jovens foram convidados a ler pelos seus companheiros mais adiantados nos estudos, como também as mais interessantes exposições orais sobre livros feitas nas aulas obtiveram maior reconhecimento. No geral, consoante reflete a tabela abaixo, dois alunos de uma turma de um determinado ano de escolaridade apresentaram dois livros a uma turma de outro ano, durante uma aula de Português, Inglês, Francês ou Espanhol. Para que tal fosse possível, professores de Educação Física, MACS, Geometria Descritiva, Filosofia e Físico-química dispensaram estudantes ou cederam algum tempo de aula. Horário Turma-origem e professor Palestrante e livro Turma-alvo e professor 8.10 11º A – Helena Sereno Rita Magalhães, Retrato de Dorian Gray (Oscar Wilde ) Paulo Cruz, Candide (Voltaire) 9º E - Raquel Ribeiro 8.10 8º F – Nelson Cardoso André Matos e Gonçalo Cavadas, «A saga» in Contos ( Sophia de Mello Breyner Andresen) 6º F - Fernanda Moura 9.10 8º F – Nelson Cardoso Manuel Moreira e Diogo Ribeiro, O prisioneiro (Robert Muchamore) 6º G – M.ª Amélia 9.10 12º E – Helena Sereno (EF, Cristina Cabrita) Margarida Pisco , Cem anos de solidão (Gabriel García Márquez) Clara Pelaez, Auto-Retrato do escritor enquanto corredor de fundo (Murakami) 11º D - Helena Fernandes (GD) 10.15 12º E - Helena Sereno (EF, Cristina Cabrita) Benedita Bacelar, Vendedor de passados ( José Eduardo Agualusa) Margarida Pisco , Cem anos de solidão (Gabriel García Márquez) 11º E - Alexandra Soares 10.15 8º G - Luís Nelson Marta Pimentel e Carolina Moura, A minha vida fora de série (Paula Pimenta) 6º E – Andreia Silva 10.15 8º G - Luís Nelson Isabel Cayolla e Carlota Figueiredo, Robinson Crusoe ( Daniel Defoe) 6º B – Isabel Correia 10.15 12º B – Fátima Miranda André Urbano, Ensaio sobre a cegueira (José Saramago) Francisca Neves, Mil e uma noites ( autor desconhecido) 11º G – Lia Mota 10.15 11º D – Helena Sereno (GD, Helena Fernandes) Luísa Maruny, Monte dos vendavais (Emily Brontë) 9º F – Patrícia Ferreira 11.15 11º E - Helena Sereno (EF, Cristina Cabrita) Ana Oliveira, Contos ( Guide Maupassant ) Maria Pimenta, Orgulho e preconceito (Jane Austen) 9º G - Raquel Ribeiro 12.15 11º E - Helena Sereno (EF, Cristina Cabrita) Leonor Faro e Leonor Russo, Confissão da Leoa ( Mia Couto) 10º E – Paulo Ferreira 12.15 11º H – M.ª Rosário Bastos (Alexandra Soares) Daniel, Candide (Voltaire) 9º D – Dina Pereira 13.20 10º G - Elisabete Moreira (MACS, Carla Duarte ) Francisca Monteiro, Como uma Onda (Manuel Rui) Valéria, Dom Quixote de la Mancha ( Miguel Cervantes) 8º E – M.ª João Sarmento 14.20 10º G – Elisabete Moreira (MACS, Carla Duarte ) José Resende, Ivanhoe ( Walter Scott) Maria Fátima Pinto, Contos (Clarice Lispector) 9º F – Raquel Ribeiro 15.25 10º F - Elisabete Moreira (GEO, Clementina Torres) Eduarda Silva, As ilhas desconhecidas ( Raul Brandão) Ricardo Rocha, As cruzadas vistas pelos árabes (Amin Maalouf) 8º F – M.ª José Azevedo 15.25 10º B - Elisabete Moreira (FIL, Graça Ramos) Ana Raquel Fortuna, Dom Quixote de la Mancha (Miguel Cervantes) Diogo Cardoso, Odisseia (Homero) Joana Lopes, Contos Fantásticos ( Edgar Allan Poe) 9º C – Manuela Carvalho 15.25 11º A – Helena Sereno (FQ, Carlos Duarte) Inês Silva, Felizmente há luar! ( Luís Sttau Monteiro) Inês Terrinha, Nossa Senhora de Paris (Victor Hugo) 8º G – Teresa Miranda
  • 41. 41 DeClara, nº 11 março de 2018 (continuação...) Se a intenção era potenciar a leitura e suas consequências naturais – aumentar o vocabulário, aprofundar o conhecimento, estimular o pensamento crítico, melhorar os resultados escolares, ser mais saudável, etc. –, um dos mais benignos resultados deste evento foi a generosa e responsável participação voluntária dos alunos e professores numa atividade inédita. Aos alunos mais jovens surpreendeu a real leitura, tranquilidade, organização e clareza das exposições dos seus colegas mais crescidos; já estes apreciaram tanto o silêncio curioso dos ouvintes, como a oportunidade de comunicar num contexto diferente, contribuindo para o sucesso escolar, profissional e pessoal de outrem. Sendo o Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor um evento criado pela UNESCO e comemorado no dia 23 de abril a fim de promover o prazer da leitura, a publicação de livros e os direitos de autor, aqui, no Clara, em 2018, a festa começou bem mais cedo, na penúltima quarta-feira de fevereiro, Dia Internacional da Língua Materna, igualmente proclamado pela UNESCO, para celebrar a diversidade linguística e cultural. Helena Sereno João Choupina 10ºF Luís Filípe 9º A Pedro Mota 10º E Professor António Ferreira OVOS ESPECIAIS DE PÁSCOA – Trabalhos produzidos pelos alunos
  • 42. 42 DeClara, nº 11 março de 2018 2 de março Várias Momentos e atividades Feira dos minerais Torneio de xadrez Jogos matemáticos Momentos Musicais
  • 43. 43 DeClara, nº 11 março de 2018 Mala das Ciências Olimpíadas da História Mergulho no mundo da Nanotecnologia Apresentação Escola Superior de Saúde
  • 44. 44 DeClara, nº 11 março de 2018 Entrega de Prémios Mérito, Progressão 2 de março Entrega do Prémio Cereallis pela Dr.ª Susana Lira e Subdiretora Dr.ª Mónica Magalhães
  • 45. 45 DeClara, nº 11 março de 2018 EXPOSIÇÃO “O Postal ilustrado: Leituras da Paisagem e da Sociedade”
  • 46. 46 DeClara, nº 11 março de 2018
  • 47. 47 DeClara, nº 11 março de 2018 Clube de Fotografia Fotos realizadas com uma "Pinhole" "A pinhole consiste numa maneira de ver uma imagem real através de uma câmara escura. De um pequeno orifício onde a luz é captada para dentro da câmara, (por ex: uma caixa de sapatos pintada de negro no interior) e sofrendo um movimento de inversão, a imagem é projetada para a parede oposta ao orifício ao contrário, onde está um pedaço de papel fotográfico no lado oposto. Para produzir uma imagem razoavelmente nítida, a abertura tem que ser um furo pequeno, na ordem de 0,5 mm ou menos. As câmaras pinhole requerem um tempo maior de exposição do que as câmaras convencionais, devido à pequena abertura; os tempos de exposição vão de 5 segundos a muitas horas. O furo geralmente é feito utilizando uma agulha de costura de diâmetro pequeno feito em um pedaço de alumínio fino, cobre ou latão. Este pedaço de metal é colocado então dentro da caixa em um corte feito na mesma. Pode-se conseguir muitos efeitos especiais com as câmaras pinhole - como a possibilidade de se obter imagens duplas usando múltiplos furos, ou conseguir fotos em perspetivas cilíndricas ou esféricas curvando o filme." A designação tem por base o inglês, pin-hole, "buraco de alfinete". 10º ano 5º ano negativo positivo
  • 48. 48 DeClara, nº 11 março de 2018 5º ano negativo positivo Este tipo de fotografia é uma prática económica e simples pois utiliza uma caixa qualquer em que a luz não penetre. Professora Helena Fernandes
  • 49. 49 Informações úteis CNL Fase concelhia da 12ª edição do Concurso Nacional de Leitura 2018 – Porto A fase concelhia realizar-se-á no dia 10 de abril na Biblioteca Almeida Garrett, no Porto. O tema escolhido este ano foi o Mundo Antigo. O conhecimento do mundo antigo proporcionar-nos-á uma viagem pelos clássicos da literatura e pelos alicerces da cultura europeia. Grandes escritores portugueses do séc. XX se inspiraram na Antiguidade Clássica, como Sophia de Mello Breyner Andresen, Eugénio de Andrade ou Agustina Bessa-Luís. Visitaremos a Grécia e a Roma Antiga, sobrevoaremos o Mediterrâneo, encontraremos os deuses e deusas da Antiguidade Clássica. Escolhemos obras que despertem o interesse das crianças e jovens sobre este tempo e espaço glorioso, repletos de encantos e perigos mil, certos que reconhecerão muitos dos seus heróis. As obras selecionadas para a fase concelhia do Porto são as seguintes: Ensino Secundário MALOUF, David – Resgate. Lisboa: Bertrand, 201 3º Ciclo do Ensino Básico HOMERO; adapt. LOURENÇO, Frederico - Livro II: a jangada de Ulisses In A odisseia de Homero adaptada para jovens por Frederico Lourenço. Lisboa: Cotovia, 2007 DeClara, nº 11 março de 2018 O QUE ESTÁ PARA ACONTECER …
  • 50. 50 2º Ciclo do Ensino Básico CORREIA, HÉLIA - Mopsos, o pequeno grego: a coroa de Olímpia. Lisboa: Relógio d’água, 2005 1º Ciclo do Ensino Básico Adapt. SÁNCHEZ, Isidro; trad. LINHARES, Francisco Alba; ilust. De TOBELLA, Montserrat - A lenda de Ícaro: lenda grega. 3ª ed. Porto: Asa, 1997 A fase intermunicipal realizar-se-á no dia 25 de maio (nesta fase só será apurado um aluno(a) por ciclo de ensino e por concelho). DeClara, nº 11 março de 2018 CONCURSO LITERACIA 3DI FASE 2 No passado dia 28 de fevereiro decorreu a segunda fase da LITERACIA 3Di – o desafio pelo conhecimento. Os alunos do apurados da nossa escola, deslocaram-se à escola Fontes Pereira de Melo, onde responderam às provas de Matemática, Ciência, Leitura e Inglês, pretendendo assim conquistar um lugar na Grande Final! Os vencedores desta fase distrital serão conhecidos nas próximas semanas e, entretanto, está-se já a preparar a última etapa, que se realizará no dia 11 de maio, no Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva, em Lisboa.
  • 51. 51 DeClara, nº 11 março de 2018 ‘LEITOR(ES) COMPETENTE(S): MARATONAS DA LEITURA’ O aluno DIOGO RIBEIRO CALDEIRA AMARAL (4.º B), da Escola Básica João de Deus, é o vencedor das “Maratonas da Leitura 2017-2018”, uma importante atividade literária da língua portuguesa que a biblioteca escolar promoveu. O anúncio foi feito a 8 de março, dia do patrono da EBJD, após exame à pontuação da grelha de avaliação de desempenho da leitura, pelo assessor da direção para o 1.º CEB, professor Adriano Pinto. No percurso literário das maratonas, estiveram a concurso algumas das obras infanto-juvenis de Ilse LOSA, textos icónicos de uma escritora de origem alemã, que deu voz à cidade que a acolheu – o Porto –, abordando temas como o Ambiente, Família, Segregação Social, Amor ... e, simultaneamente, uma autora que delatou a opressão política da Alemanha nazi. Com início a 08 de janeiro e termo a 28 de fevereiro, as maratonas ocuparam um total de dezoito sessões de leitura, em três fases distintas. Ao longo desses três momentos, DIOGO RIBEIRO CALDEIRA AMARAL, recebeu inúmeras distinções, que se estenderam aos restantes finalistas: SARA ROTHES GANÇO (4.ºA) – candidata suplente –; Alice Barros Vilela Cruz (3.ºA); Carolina Saraiva (3.ºB); Bruna R. Pereira (2.ºA) e Nuno Diogo Borges (2.ºB). Pelo conjunto das suas leituras, o jovem aluno foi distinguido com o prémio LEITOR COMPETENTE E REPRESENTANTE DA ESCOLA à fase concelhia/municipal da 12.ª edição do Concurso Nacional de Leitura (CNL), que terá lugar no auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett, dia 10 de abril. Foi um verdadeiro prazer de Vos ver ler & cre(S)cer. A TODOS … parabéns! Por Abel dos Santos Cruz P‘JOÃO DE DEUS: o pedagogo. A cartilha maternal e o ensino da leitura’* Por Abel dos Santos Cruz A biblioteca escolar João de Deus (BEJD) tem patente ( até ao dia 23 de março ) a mostra “JOÃO DE DEUS: o pedagogo. A cartilha maternal e o ensino da leitura”, de forma a celebrar o Dia do Patrono (8 de março), exposição inserida no âmbito das comemorações da semana da leitura. O trabalho pedagógico, sob a proteção João de Deus, deve a sua origem ao autor da CARTILHA MATERNAL, publicada em 1877. Poeta e pedagogo, JOÃO DE DEUS (1830-1896) foi um grande defensor da alfabetização em Portugal. A publicação, em 1876, da célebre CARTILHA MATERNAL, método de ensino da leitura verdadeiramente revolucionário no panorama pedagógico nacional, constituiu um marco importante desse processo. A CARTILHA MATERNAL é uma obra de natureza pedagógica, escrita pelo poeta e pedagogo, destinada a servir de base ao ensino da leitura às crianças. A doutrina de JOÃO DE DEUS tornou-se rapidamente no método de iniciação à leitura preferido pelos professores. “Este sistema funda-se na língua viva”. Sendo relativamente inovador na época, foi aprovado como o método nacional de aprendizagem da escrita da língua portuguesa. No sentido de celebrar o dia do patrono da EBJD, a biblioteca escolar não quis deixar de comemorar o Homem e a Cartilha e, consequentemente, dar a conhecer o método pedagógico usado na época para o desenvolvimento da leitura e da escrita dos alunos. * A biblioteca escolar agradece à Senhora Professora Isabel Fonseca a cedência da cartilha maternal que serviu de base para a preparação da exposição. Professor bibliotecário Escola Básica João de Deus.
  • 52. 52 DeClara, nº 11 março de 2018
  • 53. 53 DeClara, nº 11 março de 2018
  • 54. 54 DeClara, nº 11 março de 2018 Escola Secundária 2,3 Clara de Resende CONTOS Concurso Interno de Leitura e Escrita 2ª edição – 2017 | 2018 – 2ºciclo 21 DE MARÇO DE 2018 4ª FEIRA - 14:30 Local: Auditório da Escola Clara de Resende Inscrições: Biblioteca da Escola Clara de Resende ATIVIDADE INSERIDA NO PLANO DE ATIVIDADES DA SEMANA DA LEITURA DA ESCOLA CLARA DE RESENDE
  • 55. 55 DeClara, nº 11 março de 2018 Convite A Biblioteca da Escola Clara de Resende e o autor Rui Alcântara Carreira convidam-no para assistir à sessão A Geografia e a História nos enredos da literatura, no qual será apresentado o seu romance histórico sobre a cidade do Porto – A casa dos Lóios. Esta atividade terá lugar no auditório da escola, no dia 23 de março de 2018, sexta feira, pelas 11:15, estando integrada na Semana da Leitura a decorrer na escola de 19 a 21 de março. Contamos com a sua presença! No dia 2 de abril comemora-se em todo o mundo o nascimento de Hans Christian Andersen. A partir de 1967, este dia passou a ser designado por Dia Internacional do Livro Infantil, chamando-se a atenção para a importância da leitura e para o papel fundamental dos livros para a infância. Dia Internacional do Livro Infantil
  • 56. 56 O QUE ESCREVEM OS NOSSOS ALUNOS... Espírito de Campeão Muito temos que correr Para ganhar resistência É uma luta diária Com esforço e paciência. Devemos seguir as aulas Com disciplina e atenção Sempre com assiduidade E espirito de Campeão. O Desporto para mim É uma grande paixão E desejo acima de tudo Vir a ser uma mulher de ação. Devemos reconhecer O esforço de quem nos ensina A sermos melhores pessoas E ganharmos auto estima. Beatriz 7ºE DeClara, nº 11 março de 2018 Proteger o mundo…
  • 57. 57 O DESAFIO DA PROFª ESTER Olá a todos! Não escrevi por altura do Dia dos Namorados nem no Dia da Mulher e não foi por preguiça… Fiquei a pensar. Hoje estou aqui para vos lançar um desafio. E como o desafio só existe se alguém se sentir desafiado… aqui vai. Se se sentirem desafiados, podemos continuar com vários níveis de dificuldade. Se não for desafio para ninguém, morre aqui. Combinado? Começo por abrir o vosso apetite: Quando eu tinha vinte e poucos anos foi- me contada pela minha sogra uma história verídica - ela chegou a conhecer os protagonistas, chegando uma delas a estar escondida na casa da sua mãe. O enredo, o ser uma história real e ainda por cima próxima, aguçou por completo a minha curiosidade e levou-me a ler duma assentada dois livros que ela tinha, primeiras edições, com certeza, escritos por uma das protagonistas. Ainda hoje passados trinta e tal anos essa história me causa interrogações. Porque há histórias que não ficam no passado, ficam para sempre. Se nós quisermos, claro! Essas pessoas viveram na Rua de Francos e estão enterradas no cemitério de Ramalde- Sepultura Perpétua n.º 14 da 4.ª secção. Quem eram elas? Qual foi a história de que foram protagonistas? O desafio está lançado… Porto, Março de 2018 Ester Varzim DeClara, nº 11 março de 2018 O QUE ESCREVEM OS PROFESSORES...
  • 58. 58 21 de março - Dia da Poesia em Semana da Leitura… Poesia Matemática de Millôr Fernandes Às folhas tantas do livro matemático um Quociente apaixonou-se um dia doidamente por uma Incógnita. Olhou-a com seu olhar inumerável e viu-a do ápice à base uma figura ímpar; olhos rombóides, boca trapezóide, corpo retangular, seios esferóides. Fez de sua uma vida paralela à dela até que se encontraram no infinito. "Quem és tu?", indagou ele em ânsia radical. "Sou a soma do quadrado dos catetos. Mas pode me chamar de Hipotenusa." E de falarem descobriram que eram (o que em aritmética corresponde a almas irmãs) primos entre si. E assim se amaram ao quadrado da velocidade da luz numa sexta potenciação traçando ao sabor do momento e da paixão retas, curvas, círculos e linhas sinoidais nos jardins da quarta dimensão. Escandalizaram os ortodoxos das fórmulas euclidiana e os exegetas do Universo Finito. Romperam convenções newtonianas e pitagóricas. E enfim resolveram se casar constituir um lar, mais que um lar, um perpendicular. Convidaram para padrinhos o Poliedro e a Bissetriz. E fizeram planos, equações e diagramas para o futuro sonhando com uma felicidade integral e diferencial. E se casaram e tiveram uma secante e três cones muito engraçadinhos. E foram felizes até aquele dia em que tudo vira afinal monotonia. Foi então que surgiu O Máximo Divisor Comum frequentador de círculos concêntricos, viciosos. Ofereceu-lhe, a ela, uma grandeza absoluta e reduziu-a a um denominador comum. Ele, Quociente, percebeu que com ela não formava mais um todo, uma unidade. Era o triângulo, tanto chamado amoroso. Desse problema ela era uma fração, a mais ordinária. Mas foi então que Einstein descobriu a Relatividade e tudo que era espúrio passou a ser moralidade como aliás em qualquer sociedade. Professora Otília Rocha Texto extraído do livro "Tempo e Contratempo", Edições O Cruzeiro - Rio de Janeiro, 1954, pág. sem número, publicado com o pseudônimo de Vão Gogo. DeClara, nº 11 março de 2018
  • 59. 59 DeClara, nº 11 março de 2018 Ter um Pai Ter um Pai! É ter na vida Uma luz por entre escolhos; É ter dois olhos no mundo Que vêem pelos nossos olhos! Ter um Pai! Um coração Que apenas amor encerra, É ver Deus, no mundo vil, É ter os céus cá na terra! Ter um Pai! Nunca se perde Aquela santa afeição, Sempre a mesma, quer o filho Seja um santo ou um ladrão; Talvez maior, sendo infame O filho que é desprezado Pelo mundo; pois um Pai Perdoa ao mais desgraçado! Ter um Pai! Um santo orgulho Pró coração que lhe quer Um orgulho que não cabe Num coração de mulher! Embora ele seja imenso Vogando pelo ideal, O coração que me deste Ó Pai bondoso é leal! Ter um Pai! Doce poema Dum sonho bendito e santo Nestas letras pequeninas, Astros dum céu todo encanto! Ter um Pai! Os orfãozinhos Não conhecem este amor! Por mo fazer conhecer, Bendito seja o Senhor! Florbela Espanca in Poesia 1918-1930 Lisboa: Dom Quixote, 1992]
  • 60. 60 DeClara, nº 11 março de 2018