SlideShare uma empresa Scribd logo
Revista CFEPO
N.º 1 - janeiro 2023
www.https://cfepo.pt/
Rumos a Oeste
Ficha técnica:
Direção: Filomena Ventura, Diretora do CFEPO
Coordenação editorial: Ana Mafalda Damião, Rita Falcão
Colaboradores: Alexandre Sargento, Ana Alves, António
Moreira Jorge, António Oliveira, Dália Maio, Diana Duarte,
Fátima Soares, Joana Santos, José Dias, Luís Martins, Maria
João Félix, Marta Lima, Marta Raimundo, Nuno Cunha, Rosa
Silva, Rui Fonseca, Sónia Ramalho, Susana Alves, Teresa Xavier
Número da edição: 1
Data da edição: janeiro de 2023
Periodicidade: Bianual
Í
N
D
I
C
E
EDITORIAL ...................................................................... 1
PROGRAMA ERASMUS+ .............................................. 2
1 - MOBILIDADES:.......................................................... 4
1.1 - CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO..... 5
1.2 - E B 2,3 VISO............................................................ 9
1.3 - AGRUPAMENTOS DE ESCOLAS CAROLINA
MICHAELIS, GARCIA DE ORTA, RODRIGUES DE
FREITAS.......................................................................... 11
1.4 - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FONTES
PEREIRA DE MELO...................................................... 14
1.5 - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS INFANTE D.
HENRIQUE..................................................................... 18
1.6 - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LEONARDO
COIMBRA, ESCOLA PROFISSIONAL INFANTE D.
HENRIQUE ................................................................... 21
1.7 - AGRUPAMENTOS DE ESCOLAS CLARA DE
RESENDE, GARCIA DE ORTA, RODRIGUES DE
FREITAS........................................................................ 25
Neste primeiro número da revista Rumos a Oeste, do Centro de
Formação de Escolas do Porto Ocidental (CFEPO), partilhamos a
experiência Erasmus+ vivida pelo consórcio CFEPO. No início de 2020 foi
possível, pela primeira vez, a submissão de uma candidatura pelos
Centros de Formação de Associação de Escolas. Esta oportunidade
permitiu que docentes de todas as Escolas do território CFEPO
partilhassem uma experiência conjunta de mobilidade Erasmus.
Hoje, como nunca antes, a ocidente como a oriente, a sul como a norte
o conhecimento pulula e toma novas formas a cada momento, pelo que
a atualização do/a docente ao longo da vida é um imperativo. Conhecer
outras formas de ser professor/a mais a oriente e a norte foi a opção do
biénio 2021/22.
Os contributos aqui plasmados resultam de experiências muito
enriquecedoras, já partilhados no encontro do dia 11 de julho de 2022,
Dia Erasmus+ no CFEPO - Getting the best practices. A ideia desta revista
nasce no seio da Secção de Formação e Monitorização - acreditamos
que a partilha de práticas pode ser inspiradora e indutora de
renovação… ao longo da vida!
Editorial
Filomena Ventura
(Diretora do CFEPO)
1
Ser professor é uma missão de quem se permite
espantar, aprender e partilhar ao longo da vida!
1
– da partilha do que se faz na sua
Unidade Orgânica, reconhecendo o
percurso até então realizado.
Para esta primeira participação no
Programa Erasmus+, o consórcio
coordenado pelo CFEPO, optou por
selecionar a atividade Job
Shadowing.
O CFEPO (Centro de Formação
de Escolas do Porto Ocidental) é
constituído por Onze Unidades
Orgânicas.
No projeto de mobilidade
individual do Programa
Erasmus+, estão envolvidos
nove Agrupamentos de Escolas e
duas Escolas não agrupadas,
que têm como desafio central a
educação de crianças e jovens
com vista ao desenvolvimento
de cidadãos de pleno direito.
Objetivos:
Na Escola para Todos urge
repensar a gestão de
espaços/recursos humanos e
materiais, bem como refletir em
torno da gramática pedagógica
que suporta os processos de
ensino e aprendizagem. Neste
contexto, importa aprofundar o
desenvolvimento de
competências pessoais e
profissionais nos docentes que
sejam promotoras:
– da implementação de
estratégias de envolvimento
crescente dos colaboradores;
Atividades:
-do envolvimento ativo em
grupos de reflexão em torno de
temáticas pedagógicas;
-da construção de práticas
pedagógicas inclusivas;
– da participação em formação
profissional em organizações de
outros países;
O Job Shadowing, mobilidade para
pessoal do ensino escolar, consiste
na observação de uma atividade
profissional no local de trabalho e
oferece a professores, dirigentes
escolares ou outro pessoal escolar a
oportunidade de passarem um
período numa escola parceira ou
noutra organização relevante ativa
no domínio do ensino escolar no
estrangeiro. Com as 19 mobilidades
pretende-se uma oportunidade de
observar, sentir e recolher in loco
outras formas de fazer/ser
professor.
Observar outras formas de gerir
recursos, conhecer estratégias de
team building para conseguir maior
envolvimento dos colaboradores.
Estes são alguns dos aspetos da vida
das organizações a que os
responsáveis das Unidades
Orgânicas são sensíveis, que estão
permanentemente no campo de
decisão, com impacto direto no
nível de adesão dos docentes aos
projetos e, consequentemente, com
Programa Erasmus +
2
impacto na qualidade das
aprendizagens e no nível de
envolvimento dos alunos.
Participantes:
Os participantes são docentes
com responsabilidade na gestão
das Unidades Orgânicas, quer na
direção, quer em estruturas
intermédias, nomeadamente,
Diretor/a da Unidade Orgânica e
do CFEPO, membro da Secção de
Formação e Monitorização e
Coordenador/a do Projeto de
Autonomia e Flexibilidade
Curricular (PAFC)/Responsável da
Estratégia Nacional para a
Educação para Cidadania (ENEC),
de cada um dos consórcios, e
ainda o/a assessor/a do CFEPO
para o PAFC.
Mapa Erasmus
Paises de acolhimento:
Espanha
França
Itália
3
4
1 - Mobilidades:
Agrupamento de Escolas Carolina Michaelis
Agrupamento de Escolas Clara de Resende
Agruamento de Escolas Fontes Pereira de Melo
Agrupamento de Escolas Garcia de Orta
Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique
Agrupamento de Escolas Leonardo Coimbra Filho
Agrupamento de Escolas Rodrigues de Freitas
Agrupamento de Escolas do Viso
Escola Artística do Conservatório de Música do Porto
Escola Profissional Infante D. Henrique
1.1 - Instituições em Mobilidade:
Agrupamento de Escolas Carolina Michaelis
Agrupamento de Escolas Garcia da Orta
Agrupamento de Escolas Rodrigues de Freitas
Instituição de Acolhimento:
IES Albalat
IES Al - Qázeres
CPR de Navalmoral
Participantes:
Diana Duarte
Fátima Soares
Marta Lima
Marta Raimundo
5
IES Albalat
Níveis de Ensino :
- 3º ciclo e Secundário
IES Al - Qázeres
Níveis de Ensino :
-Secundaria, Bacharelato em Artes Plásticas, Escénicas, FP, TAFAD,
Servicios socioculturais e na comunidade
CPR de Navalmoral
Níveis de Ensino :
-Secundário
https://iesalbalat.educarex.es/
https://iesalqazeres.educarex.es/
https://cprnavalmoral.juntaextremadura.net/
6
Sobre a experiência...
Nestas três escolas conhecemos
algumas formas de organização e
funcionamento que
consideramos inovadoras e
facilitadoras da aprendizagem.
Pretendemos implementar...
Como exemplo podemos referir
que a coordenação é feita através
de reuniões de equipa, de
Comissões e projetos e de
comissões de semanas de
projetos.
Os projetos em execução estão
centrados nas temáticas: leitura,
saúde, cidadania, igualdade,
experimentação e comunicação.
Salientamos também a docência
partilhada que consiste numa
interseção curricular, na
observação de aulas, na avaliação
e materiais partilhados, num
banco de horas e na existência de
docentes voluntários.
Nos recreios os alunos podem
frequentar workshops de música,
dança, xadrez, manualidades e
robótica.
As semanas temáticas (da leitura,
da comunicação...); os workshops
nos recreios e horas de almoço (de
música, de xadrez...) e ainda as
"docências partilhadas" em que
mais do que um professor (de áreas
diferentes) está na sala de aula e
ambos abordam um determinado
conteúdo de perspetivas diferentes,
trazendo a interdisciplinaridade
para dentro da sala de aula; dar
uma maior visibilidade às
atividades feitas pelos alunos quer
colocando expositores na sala dos
alunos ou outros locais visíveis quer
na página do Agrupamento.
Com o apoio do projeto PES, criar a
atividade «carolina fruta» uma vez
por mês. Será distribuída fruta no
recreio sensibilizando assim os
alunos para uma alimentação
saudável.
7
Diana Duarte, Fátima Soares,
Marta Lima, Marta Raimundo
1.2 - Instituições em Mobilidade:
Agrupamento de Escolas Clara de Resende
Agrupamento de Escolas Garcia de Orta
Agrupamento de Escolas Rodrigues de Freitas
Instituição de Acolhimento:
Bellvitge Jesuittes - Céntre d' Éstudis Joan XXII
Participantes:
Ana Alves, Maria João Félix, Rui Fonseca
8
Bellvitge Jesuittes - Céntre d' Éstudis Joan XXII
Está localizado no distrito de Bellvitge, cidade de l'Hospitalet, a segunda
maior cidade da Catalunha em termos de habitantes, especificamente
no bairro de Bellvitge, predominantemente da classe trabalhadora,
pertencente à área metropolitana de Barcelona. Atualmente conta com
cerca de 1700 alunos e 170 educadores e professores.
Tem como Missão , promover uma formação inovadora , comprometida
e individualizada, baseada em critérios de qualidade e de promoção
social.
Níveis de Ensino :
- Do Jardim de Infância ao Ensino Médio
9
https://www.j23.fje.edu/ca
Sobre a experiência...
Pretendemos implementar...
Fomos sempre bem acolhidos na
escola , Centre d'Estudis Joan XXIII ,
por toda a comunidade , desde o
diretor, ao nosso lado na foto, Peter
Martin, até aos docentes , alunos,
assistentes operacionais e
guardamos as melhores
recordações da nossa estadia.
O nosso principal objetivo, focava-
se na observação de novas
metodologias relacionadas com o
trabalho de projeto e trabalho
colaborativo e também em ideias
inovadoras no processo de ensino-
aprendizagem.
Um dos aspetos que consideramos
mais relevantes foi um grande
trabalho colaborativo, em projeto,
de equipa, desde a planificação até
á aula com par pedagógico. Este
trabalho envolvia sempre várias
disciplinas, cruzando as
aprendizagens essenciais de cada
uma delas. A sala de aula tornava-se
o expositor dos trabalhos realizados
pelos alunos.
Um outro aspeto interessante
observado, foram os recursos
utilizados em sala de aula, sem
manuais, mas sim cadernos de
atividades próprios, elaborados
pelos docentes e adaptados aos
alunos de educação especial.
Estes alunos estão em sala de aula
com a turma, acompanhados
sempre pelo respetivo docente de
educação especial.
Os alunos mais novos trabalhavam
em grupo, com a disposição das
mesas em círculo.
-Planificação e trabalho em DAC;
-Proposta de formação contínua na
área de autonomia e flexibilidade
curricular;
-Repensar a organização e
disposição dos alunos na sala de
aula;
-Dar mais visibilidade aos trabalhos
realizados pelos alunos.
10
Ana Alves, Maria João Félix,
Rui Fonseca
1.3 - Instituição em Mobilidade:
Agrupamento de Escolas Fontes Pereira de Melo
Instituição de Acolhimento:
IES La Marxadella
Participantes:
Alexandre Sargento, Nuno Cunha
11
IES La Marxadella
Níveis de Formação :
-Secundário
-Bacharelato
-Formação Profissional (Mecatrónica Automóvel, Eletrónica e
Automação, Som Imagem e Dj's)
24 turmas do Secundário
6 turmas de Bacharelato
29 turmas de Formação Profissional
O Instituto conta com 1635 alunos divididos da seguinte forma:
https://portal.edu.gva.es/iesmarxadella/#
12
Sobre a experiência...
O acolhimento e a realidade que
encontramos, quando fomos
recebidos pelos responsáveis da
IES La Marxadella, fez-nos
perceber que tínhamos tomada a
decisão certa quando escolhemos
esta instituição para "beber
conhecimento" e alargar
horizontes formativos.
As práticas formativas aplicadas
na instituição são, inovadoras,
dinâmicas e reveladoras do cariz
profissional da instituição que
prepara jovens para ingressar no
mercado de trabalho com
competências técnicas ajustadas
às necessidades do mercado.
Nos pequenos pormenores como
o toque de saída, que se revelou
ser uma música escolhida pelos
alunos semanalmente, até ao
acompanhamento dos alunos em
estágio, a instituição revelou uma
preocupação com a integração
dos alunos na instituição e na
aquisição dos valores defendidos
pela mesma. Como evidência
desta preocupação, a instituição
tem implementadas 2 disciplinas
não técnicas com vista a
apoiarem a integração no
mercado de trabalho:
FOL – Formação e Orientação
Laboral onde são tratadas
questões laborais e apoio aos
estágios curriculares;
alunos que pretendem criar o seu
próprio emprego.
O instituto dispõe de instalações
partilhadas com outros níveis de
ensino e espaços específicos,
devidamente equipados com as
melhores tecnologias e
equipamentos. Tem uma oferta
formativa profissional com 3 áreas
distintas da parte técnica:
Mecatrónica Automóvel, Eletrónica
e Automação e Som Imagem e DJ's.
Em todos os percursos formativos
não existem disciplinas
socioculturais ou científicas, sendo
as disciplinas técnicas as únicas
integrantes no curso e com
períodos de FCT semelhantes aos
praticadas em Portugal.
Têm um departamento de ERASMUS
que recebe e encaminha alunos para
realizarem formação em diversos
países da europa e recebe e
encaminha docentes em regime de
"jobshadowing" para aquisição de
novas práticas formativas.
Esta mobilidade permitiu-nos ter
uma visão clara de um sistema de
ensino profissional focado no
objetivo principal desta modalidade
de ensino que é a integração no
mercado de trabalho de jovens com
competências técnicas atuais e
ajustadas à necessidade das
empresas.
EIE – Empresa e Iniciativa
Empreendedora como apoio aos
13
Como reflexo desta nossa
experiência e ligação, recebemos
2 professores do Instituto IES La
Marxadella, durante uma semana
em mobilidade por "Job
Shadowing" no Agrupamento de
Escolas de Fontes Pereira de Melo.
O objetivo foi observar as nossas
práticas formativas, bem como a
visita a potenciais empresas
parceiras acolhedoras de
formandos para realização de
estágio ERASMUS+.
·ajustar horário para condensar
disciplinas técnicas e não técnicas
por dias; criar disciplinas de ajuda
ao empreendedorismo e integração
no mercado de trabalho; riar espaço
“Espaço Erasmus+” na escola.
Claro que haverá sempre espaço
para melhoria, sempre crescimento
possível, mas sem dúvida que são
experiências destas que nos fazem
crescer profissionalmente e até
socialmente, quando somos
confrontados com realidades
diferentes das nossas com as suas
características e especificidades.
Venha a próxima experiência...
Permitiu também efetuar uma
reflexão consciente sobre as
nossas práticas pedagógicas e
mostrar o caminho para novas
realidades formativas (horários
mais focados no objetivo do
curso/foco no mercado de
trabalho/integração dos alunos
em projetos externos/ligações da
escola com o meio empresarial
envolvente/etc...) como objeto de
evolução constante e percurso a
seguir no futuro.
Pretendemos implementar...
Como fruto da nossa observação
das práticas da instituição que
visitamos entendemos que seria
benéfico e um processo evolutivo
as seguintes ações como início de
um "caminho" rumo ao sucesso
de todos os intervenientes
(alunos/escola/empresas):
14
Alexandre Sargento, Nuno Cunhaa
1.4 - Instituição em Mobilidade:
Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique
Instituição de Acolhimento:
CEIP Antonio Mingote
Participantes:
Joana Santos, Susana Alves
15
CEIP Antonio Mingote
Níveis de Ensino :
- Do Pré-escolar (3 anos de idade),
até ao 6º ano
Escola (2012) situada numa zona residencial de classe média/alta, que
funciona no horário das 9:00 às 14:00 com 30 min de intervalo.
https://www.antoniomingote.org/
16
Sobre a experiência...
Metodologias ativas -
diversificação das
metodologias de ensino,
Projeto Ipad - todos os alunos
utilizam o Ipad como
ferramenta de trabalho diário
a partir do 1º ano de
escolaridade,
Bilinguismo - atividades
curriculares de várias
disciplinas totalmente
lecionadas em inglês,
Centro de Referência TEA -
Centro de Referência para o
Espetro do Autismo.
As práticas educativas nesta
instiituição assentam em 4 linhas:
A prática das metodologias ativas
operacionaliza-se através da
disciplina positiva, de uma
aprendizagem baseada em
projetos, das inteligências
múltiplas e da aprendizagem
cooperativa. Desta forma, a
criança desenvolve-se saudável e
feliz, autónoma e responsável, por
meio do afeto, da gentileza, do
respeito e da colaboração.
As crianças sabem o que podem
ou não fazer e são responsáveis ​
​
pelos seus atos e pelas respetivas
consequências.
Com a disciplina positiva pretende-se
elogiar, motivar e não repreender.
É de salientar nesta metodologia a
visão positiva do erro, ou seja
cometer erros torna-se uma
oportunidade de aprender e as
crianças são estimuladas a
experimentar essas oportunidades.
Na Aprendizagem baseada em
Projetos, os alunos são os
protagonistas da sua própria
aprendizagem.
Nas Inteligências Múltiplas, são
utilizados um conjunto de
estratégias motivadoras, partindo
das capacidades de cada aluno.
Na Aprendizagem cooperativa o
trabalho colaborativo é fomentado
pela organização do espaço e das
tarefas. Os alunos compartilham
ideias, debatem e concordam com
as decisões.
Através da aprendizagem
colaborativa, apoiam-se uns aos
outros para aprender e alcançar um
objetivo comum.
17
Salientamos também a pática da
Mediação na qual, com a
interferência mínima do docente,
os alunos resolvem questões entre
si com o apoio de colegas e de
guiões que os orientam.
Partem do conflito e das
possibilidades para o resolver,
encontrando uma resolução, um
compromisso entre as partes.
Consideramos que esta
mobilidade nos permitiu conhecer
novas metodologias e repensar o
nosso ensino.
O Projeto Ipad parte do princípio
que este é uma ferramenta que se
adapta a cada aluno, ao seu ritmo,
às suas necessidades, às suas
particularidades e que lhes
permite investigar em vez de
memorizar.
O Bilinguismo foi implementado
em 2015 e é facilitado pela
"Comunidad de Madrid".
O Centro de Referência TEA
consiste na existência da Sala
Sonrisas, que é uma sala de ensino
estruturado, para alunos com
Perturbação do Espetro do
Autismo, para desenvolvimento
de competências a serem
generalizadas em sala de aula de
trabalho e de autonomia.
As Metodologias ativas e a Mediação
por considerarmos que estas duas
práticas irão contibuir para um
maior sucesso dos alunos e um
enriquecimento da prática docente.
Pretendemos implementar...
Joana Santos, Susana Alves
18
Instituição de Acolhimento:
IISS Polo Tecnico Mediterraneo "Aldo Moro" di Santa Cesarea Terme
Participantes:
José Dias, Luís Martins, Rosa Silva
19
1.5 - Instituição em Mobilidade:
Agrupamento de Escolas Leonardo Coimbra Filho
IISS Polo Tecnico Mediterraneo "Aldo Moro" di Santa
Cesarea Terme
Este Instituto desempenha um papel preponderante na preparação
cultural e profissional dos futuros colaboradores dos Serviços de
Hotelaria, Restauração e Turismo, Técnicos de Logística e Transportes e
Técnicos Gráficos e de Comunicação.
Níveis de Ensino :
- Cursos Profissionais com a duração de 5 anos
https://www.polomediterraneosct.edu.it/
20
Sobre a experiência...
A partir do ano letivo 2020/2021, o
Instituto deixou de ser apenas um
Instituto Profissional de
Gastronomia e Hotelaria, e
tornou-se um Pólo Técnico, onde
são lecionados os cursos de
Gastronomia e Hotelaria e
Hotelaria e também Comunicação
e gráficos e Logística e Transporte.
Relativamente aos Serviços de
Gastronomia e Hotelaria e
Hotelaria, o primeiro biénio é
comum a todas as áreas de estudo
e visa proporcionar competências
culturais e profissionais básicas.
Ao final desse caminho, os alunos
poderão escolher entre os
caminhos oferecidos pelo
instituto. As articulações possíveis
são:
Comida e vinho;
Serviços de quarto e vendas;
Recepção turística;
Produtos de confeitaria,
artesanais e industriais.
O segundo biênio visa fortalecer e
completar a formação cultural e
profissional do aluno.
No final do quinto ano, o aluno terá
de realizar os exames finais para
obtenção do diploma. A aprovação
nos Exames Estaduais permitirá,
dependendo do setor de origem, a
obtenção do diploma de:
Técnico de serviço de comida e
vinho ou Técnico de hotelaria.
Pretendemos implementar...
O Agrupamento de Escolas
Leonardo Coimbra Filho, na
sequência, da visita efetuada,
pretende implementar uma
associação ao Erasmus da Escola
Italiana, estendida a uma escola
Francesa e a uma Croata. Neste
momento, já temos planeada uma
visita de 3 Docentes do Lycée Notre
Dame de Nazareth, da Normandia,
para o mês de junho de 2023 ao
nosso Agrupamento.
21
José Dias, Luís Martins,
Rosa Silva
1.6 - Instituição em Mobilidade:
Agrupamento de Escolas do Viso
Instituição de Acolhimento:
Collège Helder Camara
Participantes:
Dália Maio, Sónia Ramalho
22
Collège Helder Camara
O Collège Helder Camara tem 590 alunos distribuídos por 19 turmas.
Cada turma tem entre 30 e 32 alunos. O corpo docente é composto por
60 professores.
Níveis de Ensino :
-Correspondentes ao 2º e 3º ciclos em Portugal
https://heldercamara-treillieres.loire-atlantique.e-lyco.fr/
23
Sobre a experiência...
O Colégio tem projetos com
vários paises da união europeia e,
inclusivamente, tem uma
disciplina opcional que aborda a
União europeia e os países
membros (LCE - Langues et
Culture Européennes). A
metodologia adotada,
maioritariamente, nesta
disciplina é o trabalho de grupo e
é privilegiada a apresentação oral
dos trabalhos.
Consideramos pontos fortes na
forma de organização e
funcionamento do Collège Helder
Camara os seguintes:
-Oferta de atividades
extracurriculares muito
diversificadas (tivemos
oportunidades de participar nos
clubes de vídeo e de teatro,
porque um dos nossos objetivos
prévios foi perceber o
funcionamento destes dois
clubes);
-Poucas reuniões formais e
trabalho colaborativo informal
daqui resultando uma
significativa desburocratização.
-Especificidade da reunião
semanal do colégio e seus
intervenientes (a Diretora do
colégio, os Coordenadores de ano
e o Coordenador da Vie Scolaire);
esta é a única reunião marcada no
horário dos professores.
-Na situação de falta do docente à
sua atividade letiva, a escola , para
efeito de ocupação dos alunos, tem
a Salle de Permanence cujo
funcionamento observamos,
destacando pela positiva a relação
de respeito/autoridade dos alunos
para com o Assistant de la Vie
Scolaire.
Esta mobilidade permitiu-nos,
como observadoras de aulas e da
dinâmica semanal do Collège
Helder Camara, refletir sobre a
nossa prática pedagógica.
Observamos com atenção a
especificidade dos horários das
turmas e dos professores, a
utilização prática, rápida e informal
do quadro da sala dos professores
que se afigurou, para nós deveras
eficaz , bem como muitos outros
aspetos já referidos.
Pretendemos implementar...
Algumas destas práticas na escola
do Viso, como por exemplo a
dinamização de painéis nas salas de
aula para divulgar o trabalho feito e
o que está planeado; a colocação de
expositores na sala dos alunos ; a
criação de uma Sala de
Permanência (que receberá os
alunos que estejam sem aulas) e um
Clube de Vídeo.
Dália Maio, Sónia Ramalho
24
1.7 - Instituição em Mobilidade:
Escola Artística do Conservatório de Música do Porto
Instituição de Acolhimento:
Conservatorio Profesional de Música de Valencia
Participantes:
António Moreira Jorge, António Oliveira, Teresa Xavier
25
Conservatorio Profesional de Música de Valencia
Escola pública de ensino artístico no regime especial do ensino da
música, denominadas genericamente em Espanha como conservatorios
profesionales de musica, tem atualmente cerca de 1100 alunos.
Níveis de Ensino :
Elementar - dos 8 aos 12 anos de idade
Profissional - dos 12 aos 18 anos de idade
https://portal.edu.gva.es/cpmvalencia/es/inicio/
26
Sobre a experiência...
Conhecer uma outra realidade de
escola que muito embora noutro
país, com outro idioma, outro
contexto cultural, partilha
connosco o mesmo gosto pela
música, pelo ensino, pelos
alunos, é sempre uma fantástica
oportunidade de enriquecimento
pessoal e profissional.
Desde logo pela envolvência com
a cidade de Valência, conhecida
como a Cidade das Artes e das
Ciências, cujo complexo
arquitetónico vanguardista
contrasta com a Cidade Velha
onde estão situados os dois
edifícios do Conservatorio
Profesional de Música (CPM).
Mas sobretudo pela partilha de
experiências, quer com o Corpo
Diretivo do Conservatório, com
quem falamos sobre questões de
organização escolar,
desenvolvimento curricular, a
utilização de plataformas digitais,
a carga letiva, a proteção de
dados, os direitos de autor, quer
com os colegas professores que
tão generosamente nos abriram
as portas das suas salas de
aula/ensaio.
Percebemos, nesta troca de
impressões que havia muitos
aspetos comuns entre as nossas
escolas, mas também outros
que irei aqui evidenciar pela sua
diferenciação, sem que isso
constitua algum juízo de valor, antes
sim matéria que nos poderá levar a
uma saudável reflexão.
No Conservatorio de Música de
Valencia os horários são escolhidos
pelo Aluno/Encarregado de
Educação, mediante a avaliação
que obteve no ano anterior ou na
prova de admissão. Tem prioridade
na escolha do horário, o Aluno que
obtém as melhores classificações.
De notar que o CPM não tem como
regime de frequência o Ensino
Integrado, apenas os regimes
Supletivo e Articulado. Também de
sublinhar o facto de não existir o
princípio da Continuidade
Pedagógica, sendo o Aluno livre de
mudar de Professor se assim o
desejar.
Pela análise da programação
didática dos cursos podemos
constatar a existência da disciplina
de Conjunto Instrumento que tem
como objetivo integrar na mesma
disciplina diferentes capacidades da
prática instrumental. Esta disciplina
é composta por uma parte teórica e
uma parte prática.
27
O regime de avaliação dos alunos
prevê a realização de provas de
avaliação perante um júri apenas
para a obtenção dos certificados
do Ensino Elementar/Ensino
Profissional ou para acesso ao
Ensino Profissional. Nos demais
anos, só é avaliado pelo professor,
garantindo-se que o aluno para
aprovar o ano tem que realizar
pelo menos duas Audições de
Classe e para obter classificações
de distinção tem de participar na
Audição de Departamento. Podem
ainda candidatar-se a Prémios de
Excelência, mediante provas
perante um júri.
De realçar ainda, a necessidade
sentida pelos professores do CPM,
de incorporar a disciplina optativa
de Pedagogia Musical no Currículo
do Ensino Profissional
(Secundário), com o principal
propósito de dotar os alunos de
conhecimentos básicos de
didática, métodos de iniciação à
música e ao instrumento, etc., que
lhes permitam iniciar o seu
percurso seja numa Escola
Superior de Música ou,
simplesmente, para obter o
Certificado de Ensino Profissional,
e lhes confere noções práticas
com algum critério pedagógico.
Estas foram, em suma, algumas
das questões que nos suscitaram
curiosidade, que nos abrem
espaço para reflexão e nos dão a
possibilidade de também nos
analisarmos através do outro.
Foram cinco dias intensos, com um
plano de visitas meticulosamente
estabelecido pelos nossos anfitriões
que nos proporcionaram assistir a
ensaios de Orquestra, de Jazz, de
Banda, de aulas de Instrumento, de
aulas da disciplina atrás referida de
Conjunto, sempre seguidas de
conversas bem animadas com os
nossos colegas valencianos.
António Moreira Jorge,
António Oliveira, Teresa Xavier
28
A equipa CFEPO agradece à equipa
Erasmus+ o apoio prestado tanto
em sede de candidatura, como
também no acompanhamento de
toda esta experiência. BEM HAJA!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf

Diretrizes do programa ensino integral
Diretrizes do programa ensino integralDiretrizes do programa ensino integral
Diretrizes do programa ensino integral
Rogerio Alexandre Garcia
 
Formação continuada nelane de souza viana
Formação continuada  nelane de souza vianaFormação continuada  nelane de souza viana
Formação continuada nelane de souza viana
Neilane Viana
 
Formação continuada neilane de souza viana
Formação continuada  neilane de souza vianaFormação continuada  neilane de souza viana
Formação continuada neilane de souza viana
Neilane Viana
 
Prática pedagógica renovada ago 2013
Prática pedagógica renovada ago 2013Prática pedagógica renovada ago 2013
Prática pedagógica renovada ago 2013
Neilane Viana
 
Stp newsletter 2
Stp newsletter 2Stp newsletter 2
Stp newsletter 2
ProgramaEscolasTEIP
 
Dossier | Voluntariado na Universidade do Porto 2022
Dossier | Voluntariado na Universidade do Porto 2022Dossier | Voluntariado na Universidade do Porto 2022
Dossier | Voluntariado na Universidade do Porto 2022
treis4
 
Estagio regencia de sala
Estagio regencia de salaEstagio regencia de sala
Estagio regencia de sala
Alessandra Alves
 
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativoRelatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Alessandra Alves
 
Jornal Entrepalavras
Jornal EntrepalavrasJornal Entrepalavras
Jornal Entrepalavras
EquipaBiblioteca
 
Anexo v projeto curricular de agrupamento (2)
Anexo v   projeto curricular de agrupamento (2)Anexo v   projeto curricular de agrupamento (2)
Anexo v projeto curricular de agrupamento (2)
AMG Sobrenome
 
Teceduca 2010 brasil_ejadigital
Teceduca 2010 brasil_ejadigitalTeceduca 2010 brasil_ejadigital
Teceduca 2010 brasil_ejadigital
ticEDUCA2010
 
Projeto Político Pedagógico _ EEEP Júlio França
Projeto Político Pedagógico _ EEEP Júlio FrançaProjeto Político Pedagógico _ EEEP Júlio França
Projeto Político Pedagógico _ EEEP Júlio França
Socorro Vasconcelos
 
Projecto educativo do Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo
Projecto educativo do Agrupamento de Escolas Fragata do TejoProjecto educativo do Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo
Projecto educativo do Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo
golfinhos
 
Pi reestruturado
Pi reestruturadoPi reestruturado
Pi reestruturado
karfrio
 
Atps didática e prática de ensino
Atps didática e prática de ensinoAtps didática e prática de ensino
Atps didática e prática de ensino
Joélia Mendonça
 
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de TaguatingaPPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
Ana Silva
 
Manual Teste
Manual TesteManual Teste
Manual Teste
Shopnautas21
 
Atps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidadeAtps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidade
Klebiana Correia
 
Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013
eemarquesdesaovicente
 
Necessidades especiais de_educacao_parceria_entre_a_escola_e_o_cri_uma_estrat...
Necessidades especiais de_educacao_parceria_entre_a_escola_e_o_cri_uma_estrat...Necessidades especiais de_educacao_parceria_entre_a_escola_e_o_cri_uma_estrat...
Necessidades especiais de_educacao_parceria_entre_a_escola_e_o_cri_uma_estrat...
Conceição pires
 

Semelhante a Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf (20)

Diretrizes do programa ensino integral
Diretrizes do programa ensino integralDiretrizes do programa ensino integral
Diretrizes do programa ensino integral
 
Formação continuada nelane de souza viana
Formação continuada  nelane de souza vianaFormação continuada  nelane de souza viana
Formação continuada nelane de souza viana
 
Formação continuada neilane de souza viana
Formação continuada  neilane de souza vianaFormação continuada  neilane de souza viana
Formação continuada neilane de souza viana
 
Prática pedagógica renovada ago 2013
Prática pedagógica renovada ago 2013Prática pedagógica renovada ago 2013
Prática pedagógica renovada ago 2013
 
Stp newsletter 2
Stp newsletter 2Stp newsletter 2
Stp newsletter 2
 
Dossier | Voluntariado na Universidade do Porto 2022
Dossier | Voluntariado na Universidade do Porto 2022Dossier | Voluntariado na Universidade do Porto 2022
Dossier | Voluntariado na Universidade do Porto 2022
 
Estagio regencia de sala
Estagio regencia de salaEstagio regencia de sala
Estagio regencia de sala
 
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativoRelatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
 
Jornal Entrepalavras
Jornal EntrepalavrasJornal Entrepalavras
Jornal Entrepalavras
 
Anexo v projeto curricular de agrupamento (2)
Anexo v   projeto curricular de agrupamento (2)Anexo v   projeto curricular de agrupamento (2)
Anexo v projeto curricular de agrupamento (2)
 
Teceduca 2010 brasil_ejadigital
Teceduca 2010 brasil_ejadigitalTeceduca 2010 brasil_ejadigital
Teceduca 2010 brasil_ejadigital
 
Projeto Político Pedagógico _ EEEP Júlio França
Projeto Político Pedagógico _ EEEP Júlio FrançaProjeto Político Pedagógico _ EEEP Júlio França
Projeto Político Pedagógico _ EEEP Júlio França
 
Projecto educativo do Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo
Projecto educativo do Agrupamento de Escolas Fragata do TejoProjecto educativo do Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo
Projecto educativo do Agrupamento de Escolas Fragata do Tejo
 
Pi reestruturado
Pi reestruturadoPi reestruturado
Pi reestruturado
 
Atps didática e prática de ensino
Atps didática e prática de ensinoAtps didática e prática de ensino
Atps didática e prática de ensino
 
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de TaguatingaPPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
PPP 2013 Escola Classe 29 de Taguatinga
 
Manual Teste
Manual TesteManual Teste
Manual Teste
 
Atps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidadeAtps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidade
 
Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013
 
Necessidades especiais de_educacao_parceria_entre_a_escola_e_o_cri_uma_estrat...
Necessidades especiais de_educacao_parceria_entre_a_escola_e_o_cri_uma_estrat...Necessidades especiais de_educacao_parceria_entre_a_escola_e_o_cri_uma_estrat...
Necessidades especiais de_educacao_parceria_entre_a_escola_e_o_cri_uma_estrat...
 

Mais de IsabelPereira2010

DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECRDeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdfDeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
IsabelPereira2010
 
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdfreferenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdfDeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdfDeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdfDeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdfDeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdfPropostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
IsabelPereira2010
 
Prioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdfPrioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdfDeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdfDeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdfDeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdfDeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdfDeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 

Mais de IsabelPereira2010 (20)

DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
 
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
 
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECRDeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdfDeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
 
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdfreferenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
 
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdfDeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
 
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdfDeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
 
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdfDeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
 
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdfDeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
 
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdfPropostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
 
Prioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdfPrioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdf
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
 
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdfDeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
 
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdfDeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
 
DeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdfDeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdf
 
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdfDeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
 
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdfDeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
 

Último

759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 

Último (20)

759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 

Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf

  • 1. Revista CFEPO N.º 1 - janeiro 2023 www.https://cfepo.pt/ Rumos a Oeste
  • 2. Ficha técnica: Direção: Filomena Ventura, Diretora do CFEPO Coordenação editorial: Ana Mafalda Damião, Rita Falcão Colaboradores: Alexandre Sargento, Ana Alves, António Moreira Jorge, António Oliveira, Dália Maio, Diana Duarte, Fátima Soares, Joana Santos, José Dias, Luís Martins, Maria João Félix, Marta Lima, Marta Raimundo, Nuno Cunha, Rosa Silva, Rui Fonseca, Sónia Ramalho, Susana Alves, Teresa Xavier Número da edição: 1 Data da edição: janeiro de 2023 Periodicidade: Bianual
  • 3. Í N D I C E EDITORIAL ...................................................................... 1 PROGRAMA ERASMUS+ .............................................. 2 1 - MOBILIDADES:.......................................................... 4 1.1 - CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO..... 5 1.2 - E B 2,3 VISO............................................................ 9 1.3 - AGRUPAMENTOS DE ESCOLAS CAROLINA MICHAELIS, GARCIA DE ORTA, RODRIGUES DE FREITAS.......................................................................... 11 1.4 - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FONTES PEREIRA DE MELO...................................................... 14 1.5 - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS INFANTE D. HENRIQUE..................................................................... 18 1.6 - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LEONARDO COIMBRA, ESCOLA PROFISSIONAL INFANTE D. HENRIQUE ................................................................... 21 1.7 - AGRUPAMENTOS DE ESCOLAS CLARA DE RESENDE, GARCIA DE ORTA, RODRIGUES DE FREITAS........................................................................ 25
  • 4. Neste primeiro número da revista Rumos a Oeste, do Centro de Formação de Escolas do Porto Ocidental (CFEPO), partilhamos a experiência Erasmus+ vivida pelo consórcio CFEPO. No início de 2020 foi possível, pela primeira vez, a submissão de uma candidatura pelos Centros de Formação de Associação de Escolas. Esta oportunidade permitiu que docentes de todas as Escolas do território CFEPO partilhassem uma experiência conjunta de mobilidade Erasmus. Hoje, como nunca antes, a ocidente como a oriente, a sul como a norte o conhecimento pulula e toma novas formas a cada momento, pelo que a atualização do/a docente ao longo da vida é um imperativo. Conhecer outras formas de ser professor/a mais a oriente e a norte foi a opção do biénio 2021/22. Os contributos aqui plasmados resultam de experiências muito enriquecedoras, já partilhados no encontro do dia 11 de julho de 2022, Dia Erasmus+ no CFEPO - Getting the best practices. A ideia desta revista nasce no seio da Secção de Formação e Monitorização - acreditamos que a partilha de práticas pode ser inspiradora e indutora de renovação… ao longo da vida! Editorial Filomena Ventura (Diretora do CFEPO) 1 Ser professor é uma missão de quem se permite espantar, aprender e partilhar ao longo da vida! 1
  • 5. – da partilha do que se faz na sua Unidade Orgânica, reconhecendo o percurso até então realizado. Para esta primeira participação no Programa Erasmus+, o consórcio coordenado pelo CFEPO, optou por selecionar a atividade Job Shadowing. O CFEPO (Centro de Formação de Escolas do Porto Ocidental) é constituído por Onze Unidades Orgânicas. No projeto de mobilidade individual do Programa Erasmus+, estão envolvidos nove Agrupamentos de Escolas e duas Escolas não agrupadas, que têm como desafio central a educação de crianças e jovens com vista ao desenvolvimento de cidadãos de pleno direito. Objetivos: Na Escola para Todos urge repensar a gestão de espaços/recursos humanos e materiais, bem como refletir em torno da gramática pedagógica que suporta os processos de ensino e aprendizagem. Neste contexto, importa aprofundar o desenvolvimento de competências pessoais e profissionais nos docentes que sejam promotoras: – da implementação de estratégias de envolvimento crescente dos colaboradores; Atividades: -do envolvimento ativo em grupos de reflexão em torno de temáticas pedagógicas; -da construção de práticas pedagógicas inclusivas; – da participação em formação profissional em organizações de outros países; O Job Shadowing, mobilidade para pessoal do ensino escolar, consiste na observação de uma atividade profissional no local de trabalho e oferece a professores, dirigentes escolares ou outro pessoal escolar a oportunidade de passarem um período numa escola parceira ou noutra organização relevante ativa no domínio do ensino escolar no estrangeiro. Com as 19 mobilidades pretende-se uma oportunidade de observar, sentir e recolher in loco outras formas de fazer/ser professor. Observar outras formas de gerir recursos, conhecer estratégias de team building para conseguir maior envolvimento dos colaboradores. Estes são alguns dos aspetos da vida das organizações a que os responsáveis das Unidades Orgânicas são sensíveis, que estão permanentemente no campo de decisão, com impacto direto no nível de adesão dos docentes aos projetos e, consequentemente, com Programa Erasmus + 2
  • 6. impacto na qualidade das aprendizagens e no nível de envolvimento dos alunos. Participantes: Os participantes são docentes com responsabilidade na gestão das Unidades Orgânicas, quer na direção, quer em estruturas intermédias, nomeadamente, Diretor/a da Unidade Orgânica e do CFEPO, membro da Secção de Formação e Monitorização e Coordenador/a do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC)/Responsável da Estratégia Nacional para a Educação para Cidadania (ENEC), de cada um dos consórcios, e ainda o/a assessor/a do CFEPO para o PAFC. Mapa Erasmus Paises de acolhimento: Espanha França Itália 3
  • 7. 4 1 - Mobilidades: Agrupamento de Escolas Carolina Michaelis Agrupamento de Escolas Clara de Resende Agruamento de Escolas Fontes Pereira de Melo Agrupamento de Escolas Garcia de Orta Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique Agrupamento de Escolas Leonardo Coimbra Filho Agrupamento de Escolas Rodrigues de Freitas Agrupamento de Escolas do Viso Escola Artística do Conservatório de Música do Porto Escola Profissional Infante D. Henrique
  • 8. 1.1 - Instituições em Mobilidade: Agrupamento de Escolas Carolina Michaelis Agrupamento de Escolas Garcia da Orta Agrupamento de Escolas Rodrigues de Freitas Instituição de Acolhimento: IES Albalat IES Al - Qázeres CPR de Navalmoral Participantes: Diana Duarte Fátima Soares Marta Lima Marta Raimundo 5
  • 9. IES Albalat Níveis de Ensino : - 3º ciclo e Secundário IES Al - Qázeres Níveis de Ensino : -Secundaria, Bacharelato em Artes Plásticas, Escénicas, FP, TAFAD, Servicios socioculturais e na comunidade CPR de Navalmoral Níveis de Ensino : -Secundário https://iesalbalat.educarex.es/ https://iesalqazeres.educarex.es/ https://cprnavalmoral.juntaextremadura.net/ 6
  • 10. Sobre a experiência... Nestas três escolas conhecemos algumas formas de organização e funcionamento que consideramos inovadoras e facilitadoras da aprendizagem. Pretendemos implementar... Como exemplo podemos referir que a coordenação é feita através de reuniões de equipa, de Comissões e projetos e de comissões de semanas de projetos. Os projetos em execução estão centrados nas temáticas: leitura, saúde, cidadania, igualdade, experimentação e comunicação. Salientamos também a docência partilhada que consiste numa interseção curricular, na observação de aulas, na avaliação e materiais partilhados, num banco de horas e na existência de docentes voluntários. Nos recreios os alunos podem frequentar workshops de música, dança, xadrez, manualidades e robótica. As semanas temáticas (da leitura, da comunicação...); os workshops nos recreios e horas de almoço (de música, de xadrez...) e ainda as "docências partilhadas" em que mais do que um professor (de áreas diferentes) está na sala de aula e ambos abordam um determinado conteúdo de perspetivas diferentes, trazendo a interdisciplinaridade para dentro da sala de aula; dar uma maior visibilidade às atividades feitas pelos alunos quer colocando expositores na sala dos alunos ou outros locais visíveis quer na página do Agrupamento. Com o apoio do projeto PES, criar a atividade «carolina fruta» uma vez por mês. Será distribuída fruta no recreio sensibilizando assim os alunos para uma alimentação saudável. 7 Diana Duarte, Fátima Soares, Marta Lima, Marta Raimundo
  • 11. 1.2 - Instituições em Mobilidade: Agrupamento de Escolas Clara de Resende Agrupamento de Escolas Garcia de Orta Agrupamento de Escolas Rodrigues de Freitas Instituição de Acolhimento: Bellvitge Jesuittes - Céntre d' Éstudis Joan XXII Participantes: Ana Alves, Maria João Félix, Rui Fonseca 8
  • 12. Bellvitge Jesuittes - Céntre d' Éstudis Joan XXII Está localizado no distrito de Bellvitge, cidade de l'Hospitalet, a segunda maior cidade da Catalunha em termos de habitantes, especificamente no bairro de Bellvitge, predominantemente da classe trabalhadora, pertencente à área metropolitana de Barcelona. Atualmente conta com cerca de 1700 alunos e 170 educadores e professores. Tem como Missão , promover uma formação inovadora , comprometida e individualizada, baseada em critérios de qualidade e de promoção social. Níveis de Ensino : - Do Jardim de Infância ao Ensino Médio 9 https://www.j23.fje.edu/ca
  • 13. Sobre a experiência... Pretendemos implementar... Fomos sempre bem acolhidos na escola , Centre d'Estudis Joan XXIII , por toda a comunidade , desde o diretor, ao nosso lado na foto, Peter Martin, até aos docentes , alunos, assistentes operacionais e guardamos as melhores recordações da nossa estadia. O nosso principal objetivo, focava- se na observação de novas metodologias relacionadas com o trabalho de projeto e trabalho colaborativo e também em ideias inovadoras no processo de ensino- aprendizagem. Um dos aspetos que consideramos mais relevantes foi um grande trabalho colaborativo, em projeto, de equipa, desde a planificação até á aula com par pedagógico. Este trabalho envolvia sempre várias disciplinas, cruzando as aprendizagens essenciais de cada uma delas. A sala de aula tornava-se o expositor dos trabalhos realizados pelos alunos. Um outro aspeto interessante observado, foram os recursos utilizados em sala de aula, sem manuais, mas sim cadernos de atividades próprios, elaborados pelos docentes e adaptados aos alunos de educação especial. Estes alunos estão em sala de aula com a turma, acompanhados sempre pelo respetivo docente de educação especial. Os alunos mais novos trabalhavam em grupo, com a disposição das mesas em círculo. -Planificação e trabalho em DAC; -Proposta de formação contínua na área de autonomia e flexibilidade curricular; -Repensar a organização e disposição dos alunos na sala de aula; -Dar mais visibilidade aos trabalhos realizados pelos alunos. 10 Ana Alves, Maria João Félix, Rui Fonseca
  • 14. 1.3 - Instituição em Mobilidade: Agrupamento de Escolas Fontes Pereira de Melo Instituição de Acolhimento: IES La Marxadella Participantes: Alexandre Sargento, Nuno Cunha 11
  • 15. IES La Marxadella Níveis de Formação : -Secundário -Bacharelato -Formação Profissional (Mecatrónica Automóvel, Eletrónica e Automação, Som Imagem e Dj's) 24 turmas do Secundário 6 turmas de Bacharelato 29 turmas de Formação Profissional O Instituto conta com 1635 alunos divididos da seguinte forma: https://portal.edu.gva.es/iesmarxadella/# 12
  • 16. Sobre a experiência... O acolhimento e a realidade que encontramos, quando fomos recebidos pelos responsáveis da IES La Marxadella, fez-nos perceber que tínhamos tomada a decisão certa quando escolhemos esta instituição para "beber conhecimento" e alargar horizontes formativos. As práticas formativas aplicadas na instituição são, inovadoras, dinâmicas e reveladoras do cariz profissional da instituição que prepara jovens para ingressar no mercado de trabalho com competências técnicas ajustadas às necessidades do mercado. Nos pequenos pormenores como o toque de saída, que se revelou ser uma música escolhida pelos alunos semanalmente, até ao acompanhamento dos alunos em estágio, a instituição revelou uma preocupação com a integração dos alunos na instituição e na aquisição dos valores defendidos pela mesma. Como evidência desta preocupação, a instituição tem implementadas 2 disciplinas não técnicas com vista a apoiarem a integração no mercado de trabalho: FOL – Formação e Orientação Laboral onde são tratadas questões laborais e apoio aos estágios curriculares; alunos que pretendem criar o seu próprio emprego. O instituto dispõe de instalações partilhadas com outros níveis de ensino e espaços específicos, devidamente equipados com as melhores tecnologias e equipamentos. Tem uma oferta formativa profissional com 3 áreas distintas da parte técnica: Mecatrónica Automóvel, Eletrónica e Automação e Som Imagem e DJ's. Em todos os percursos formativos não existem disciplinas socioculturais ou científicas, sendo as disciplinas técnicas as únicas integrantes no curso e com períodos de FCT semelhantes aos praticadas em Portugal. Têm um departamento de ERASMUS que recebe e encaminha alunos para realizarem formação em diversos países da europa e recebe e encaminha docentes em regime de "jobshadowing" para aquisição de novas práticas formativas. Esta mobilidade permitiu-nos ter uma visão clara de um sistema de ensino profissional focado no objetivo principal desta modalidade de ensino que é a integração no mercado de trabalho de jovens com competências técnicas atuais e ajustadas à necessidade das empresas. EIE – Empresa e Iniciativa Empreendedora como apoio aos 13
  • 17. Como reflexo desta nossa experiência e ligação, recebemos 2 professores do Instituto IES La Marxadella, durante uma semana em mobilidade por "Job Shadowing" no Agrupamento de Escolas de Fontes Pereira de Melo. O objetivo foi observar as nossas práticas formativas, bem como a visita a potenciais empresas parceiras acolhedoras de formandos para realização de estágio ERASMUS+. ·ajustar horário para condensar disciplinas técnicas e não técnicas por dias; criar disciplinas de ajuda ao empreendedorismo e integração no mercado de trabalho; riar espaço “Espaço Erasmus+” na escola. Claro que haverá sempre espaço para melhoria, sempre crescimento possível, mas sem dúvida que são experiências destas que nos fazem crescer profissionalmente e até socialmente, quando somos confrontados com realidades diferentes das nossas com as suas características e especificidades. Venha a próxima experiência... Permitiu também efetuar uma reflexão consciente sobre as nossas práticas pedagógicas e mostrar o caminho para novas realidades formativas (horários mais focados no objetivo do curso/foco no mercado de trabalho/integração dos alunos em projetos externos/ligações da escola com o meio empresarial envolvente/etc...) como objeto de evolução constante e percurso a seguir no futuro. Pretendemos implementar... Como fruto da nossa observação das práticas da instituição que visitamos entendemos que seria benéfico e um processo evolutivo as seguintes ações como início de um "caminho" rumo ao sucesso de todos os intervenientes (alunos/escola/empresas): 14 Alexandre Sargento, Nuno Cunhaa
  • 18. 1.4 - Instituição em Mobilidade: Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique Instituição de Acolhimento: CEIP Antonio Mingote Participantes: Joana Santos, Susana Alves 15
  • 19. CEIP Antonio Mingote Níveis de Ensino : - Do Pré-escolar (3 anos de idade), até ao 6º ano Escola (2012) situada numa zona residencial de classe média/alta, que funciona no horário das 9:00 às 14:00 com 30 min de intervalo. https://www.antoniomingote.org/ 16
  • 20. Sobre a experiência... Metodologias ativas - diversificação das metodologias de ensino, Projeto Ipad - todos os alunos utilizam o Ipad como ferramenta de trabalho diário a partir do 1º ano de escolaridade, Bilinguismo - atividades curriculares de várias disciplinas totalmente lecionadas em inglês, Centro de Referência TEA - Centro de Referência para o Espetro do Autismo. As práticas educativas nesta instiituição assentam em 4 linhas: A prática das metodologias ativas operacionaliza-se através da disciplina positiva, de uma aprendizagem baseada em projetos, das inteligências múltiplas e da aprendizagem cooperativa. Desta forma, a criança desenvolve-se saudável e feliz, autónoma e responsável, por meio do afeto, da gentileza, do respeito e da colaboração. As crianças sabem o que podem ou não fazer e são responsáveis ​ ​ pelos seus atos e pelas respetivas consequências. Com a disciplina positiva pretende-se elogiar, motivar e não repreender. É de salientar nesta metodologia a visão positiva do erro, ou seja cometer erros torna-se uma oportunidade de aprender e as crianças são estimuladas a experimentar essas oportunidades. Na Aprendizagem baseada em Projetos, os alunos são os protagonistas da sua própria aprendizagem. Nas Inteligências Múltiplas, são utilizados um conjunto de estratégias motivadoras, partindo das capacidades de cada aluno. Na Aprendizagem cooperativa o trabalho colaborativo é fomentado pela organização do espaço e das tarefas. Os alunos compartilham ideias, debatem e concordam com as decisões. Através da aprendizagem colaborativa, apoiam-se uns aos outros para aprender e alcançar um objetivo comum. 17
  • 21. Salientamos também a pática da Mediação na qual, com a interferência mínima do docente, os alunos resolvem questões entre si com o apoio de colegas e de guiões que os orientam. Partem do conflito e das possibilidades para o resolver, encontrando uma resolução, um compromisso entre as partes. Consideramos que esta mobilidade nos permitiu conhecer novas metodologias e repensar o nosso ensino. O Projeto Ipad parte do princípio que este é uma ferramenta que se adapta a cada aluno, ao seu ritmo, às suas necessidades, às suas particularidades e que lhes permite investigar em vez de memorizar. O Bilinguismo foi implementado em 2015 e é facilitado pela "Comunidad de Madrid". O Centro de Referência TEA consiste na existência da Sala Sonrisas, que é uma sala de ensino estruturado, para alunos com Perturbação do Espetro do Autismo, para desenvolvimento de competências a serem generalizadas em sala de aula de trabalho e de autonomia. As Metodologias ativas e a Mediação por considerarmos que estas duas práticas irão contibuir para um maior sucesso dos alunos e um enriquecimento da prática docente. Pretendemos implementar... Joana Santos, Susana Alves 18
  • 22. Instituição de Acolhimento: IISS Polo Tecnico Mediterraneo "Aldo Moro" di Santa Cesarea Terme Participantes: José Dias, Luís Martins, Rosa Silva 19 1.5 - Instituição em Mobilidade: Agrupamento de Escolas Leonardo Coimbra Filho
  • 23. IISS Polo Tecnico Mediterraneo "Aldo Moro" di Santa Cesarea Terme Este Instituto desempenha um papel preponderante na preparação cultural e profissional dos futuros colaboradores dos Serviços de Hotelaria, Restauração e Turismo, Técnicos de Logística e Transportes e Técnicos Gráficos e de Comunicação. Níveis de Ensino : - Cursos Profissionais com a duração de 5 anos https://www.polomediterraneosct.edu.it/ 20
  • 24. Sobre a experiência... A partir do ano letivo 2020/2021, o Instituto deixou de ser apenas um Instituto Profissional de Gastronomia e Hotelaria, e tornou-se um Pólo Técnico, onde são lecionados os cursos de Gastronomia e Hotelaria e Hotelaria e também Comunicação e gráficos e Logística e Transporte. Relativamente aos Serviços de Gastronomia e Hotelaria e Hotelaria, o primeiro biénio é comum a todas as áreas de estudo e visa proporcionar competências culturais e profissionais básicas. Ao final desse caminho, os alunos poderão escolher entre os caminhos oferecidos pelo instituto. As articulações possíveis são: Comida e vinho; Serviços de quarto e vendas; Recepção turística; Produtos de confeitaria, artesanais e industriais. O segundo biênio visa fortalecer e completar a formação cultural e profissional do aluno. No final do quinto ano, o aluno terá de realizar os exames finais para obtenção do diploma. A aprovação nos Exames Estaduais permitirá, dependendo do setor de origem, a obtenção do diploma de: Técnico de serviço de comida e vinho ou Técnico de hotelaria. Pretendemos implementar... O Agrupamento de Escolas Leonardo Coimbra Filho, na sequência, da visita efetuada, pretende implementar uma associação ao Erasmus da Escola Italiana, estendida a uma escola Francesa e a uma Croata. Neste momento, já temos planeada uma visita de 3 Docentes do Lycée Notre Dame de Nazareth, da Normandia, para o mês de junho de 2023 ao nosso Agrupamento. 21 José Dias, Luís Martins, Rosa Silva
  • 25. 1.6 - Instituição em Mobilidade: Agrupamento de Escolas do Viso Instituição de Acolhimento: Collège Helder Camara Participantes: Dália Maio, Sónia Ramalho 22
  • 26. Collège Helder Camara O Collège Helder Camara tem 590 alunos distribuídos por 19 turmas. Cada turma tem entre 30 e 32 alunos. O corpo docente é composto por 60 professores. Níveis de Ensino : -Correspondentes ao 2º e 3º ciclos em Portugal https://heldercamara-treillieres.loire-atlantique.e-lyco.fr/ 23
  • 27. Sobre a experiência... O Colégio tem projetos com vários paises da união europeia e, inclusivamente, tem uma disciplina opcional que aborda a União europeia e os países membros (LCE - Langues et Culture Européennes). A metodologia adotada, maioritariamente, nesta disciplina é o trabalho de grupo e é privilegiada a apresentação oral dos trabalhos. Consideramos pontos fortes na forma de organização e funcionamento do Collège Helder Camara os seguintes: -Oferta de atividades extracurriculares muito diversificadas (tivemos oportunidades de participar nos clubes de vídeo e de teatro, porque um dos nossos objetivos prévios foi perceber o funcionamento destes dois clubes); -Poucas reuniões formais e trabalho colaborativo informal daqui resultando uma significativa desburocratização. -Especificidade da reunião semanal do colégio e seus intervenientes (a Diretora do colégio, os Coordenadores de ano e o Coordenador da Vie Scolaire); esta é a única reunião marcada no horário dos professores. -Na situação de falta do docente à sua atividade letiva, a escola , para efeito de ocupação dos alunos, tem a Salle de Permanence cujo funcionamento observamos, destacando pela positiva a relação de respeito/autoridade dos alunos para com o Assistant de la Vie Scolaire. Esta mobilidade permitiu-nos, como observadoras de aulas e da dinâmica semanal do Collège Helder Camara, refletir sobre a nossa prática pedagógica. Observamos com atenção a especificidade dos horários das turmas e dos professores, a utilização prática, rápida e informal do quadro da sala dos professores que se afigurou, para nós deveras eficaz , bem como muitos outros aspetos já referidos. Pretendemos implementar... Algumas destas práticas na escola do Viso, como por exemplo a dinamização de painéis nas salas de aula para divulgar o trabalho feito e o que está planeado; a colocação de expositores na sala dos alunos ; a criação de uma Sala de Permanência (que receberá os alunos que estejam sem aulas) e um Clube de Vídeo. Dália Maio, Sónia Ramalho 24
  • 28. 1.7 - Instituição em Mobilidade: Escola Artística do Conservatório de Música do Porto Instituição de Acolhimento: Conservatorio Profesional de Música de Valencia Participantes: António Moreira Jorge, António Oliveira, Teresa Xavier 25
  • 29. Conservatorio Profesional de Música de Valencia Escola pública de ensino artístico no regime especial do ensino da música, denominadas genericamente em Espanha como conservatorios profesionales de musica, tem atualmente cerca de 1100 alunos. Níveis de Ensino : Elementar - dos 8 aos 12 anos de idade Profissional - dos 12 aos 18 anos de idade https://portal.edu.gva.es/cpmvalencia/es/inicio/ 26
  • 30. Sobre a experiência... Conhecer uma outra realidade de escola que muito embora noutro país, com outro idioma, outro contexto cultural, partilha connosco o mesmo gosto pela música, pelo ensino, pelos alunos, é sempre uma fantástica oportunidade de enriquecimento pessoal e profissional. Desde logo pela envolvência com a cidade de Valência, conhecida como a Cidade das Artes e das Ciências, cujo complexo arquitetónico vanguardista contrasta com a Cidade Velha onde estão situados os dois edifícios do Conservatorio Profesional de Música (CPM). Mas sobretudo pela partilha de experiências, quer com o Corpo Diretivo do Conservatório, com quem falamos sobre questões de organização escolar, desenvolvimento curricular, a utilização de plataformas digitais, a carga letiva, a proteção de dados, os direitos de autor, quer com os colegas professores que tão generosamente nos abriram as portas das suas salas de aula/ensaio. Percebemos, nesta troca de impressões que havia muitos aspetos comuns entre as nossas escolas, mas também outros que irei aqui evidenciar pela sua diferenciação, sem que isso constitua algum juízo de valor, antes sim matéria que nos poderá levar a uma saudável reflexão. No Conservatorio de Música de Valencia os horários são escolhidos pelo Aluno/Encarregado de Educação, mediante a avaliação que obteve no ano anterior ou na prova de admissão. Tem prioridade na escolha do horário, o Aluno que obtém as melhores classificações. De notar que o CPM não tem como regime de frequência o Ensino Integrado, apenas os regimes Supletivo e Articulado. Também de sublinhar o facto de não existir o princípio da Continuidade Pedagógica, sendo o Aluno livre de mudar de Professor se assim o desejar. Pela análise da programação didática dos cursos podemos constatar a existência da disciplina de Conjunto Instrumento que tem como objetivo integrar na mesma disciplina diferentes capacidades da prática instrumental. Esta disciplina é composta por uma parte teórica e uma parte prática. 27
  • 31. O regime de avaliação dos alunos prevê a realização de provas de avaliação perante um júri apenas para a obtenção dos certificados do Ensino Elementar/Ensino Profissional ou para acesso ao Ensino Profissional. Nos demais anos, só é avaliado pelo professor, garantindo-se que o aluno para aprovar o ano tem que realizar pelo menos duas Audições de Classe e para obter classificações de distinção tem de participar na Audição de Departamento. Podem ainda candidatar-se a Prémios de Excelência, mediante provas perante um júri. De realçar ainda, a necessidade sentida pelos professores do CPM, de incorporar a disciplina optativa de Pedagogia Musical no Currículo do Ensino Profissional (Secundário), com o principal propósito de dotar os alunos de conhecimentos básicos de didática, métodos de iniciação à música e ao instrumento, etc., que lhes permitam iniciar o seu percurso seja numa Escola Superior de Música ou, simplesmente, para obter o Certificado de Ensino Profissional, e lhes confere noções práticas com algum critério pedagógico. Estas foram, em suma, algumas das questões que nos suscitaram curiosidade, que nos abrem espaço para reflexão e nos dão a possibilidade de também nos analisarmos através do outro. Foram cinco dias intensos, com um plano de visitas meticulosamente estabelecido pelos nossos anfitriões que nos proporcionaram assistir a ensaios de Orquestra, de Jazz, de Banda, de aulas de Instrumento, de aulas da disciplina atrás referida de Conjunto, sempre seguidas de conversas bem animadas com os nossos colegas valencianos. António Moreira Jorge, António Oliveira, Teresa Xavier 28 A equipa CFEPO agradece à equipa Erasmus+ o apoio prestado tanto em sede de candidatura, como também no acompanhamento de toda esta experiência. BEM HAJA!