SlideShare uma empresa Scribd logo
DeClara
Jornal do Agrupamento Escolas Clara de Resende
DeClara
n.º
64
–
Abril
2023
Sofia Lima nº22 “ A Ilustração da Penélope”
Rodrigo Amaro nº25 “Os Argonautas"
Liberdade
Literacia
Literatura
Democracia
Educação
Cultura
Inclusão
Integração
Tolerância
Respeito
PAZ
Informação
Música
Desenvolvimento
Integridade
Valores
Alimentação
Habitação
Ensino
Saúde
Equidade
Igualdade
Oportunidades
Férias
Salário
Emprego
Humanidade
Verdade
Compromisso
Honra
Direitos
Deveres
Imagem
base
https://www.pinterest.pt/violines/pins/
2
TRABALHOS DE ALUNOS E PROFESSORES:
1º CICLO PÁG. 37
ENSINO SECUNDÁRIO PÁG. 49
DECLARA PÁG. 95
EDITORIAL PÁG. 2 Editorial
https://erte.dge.mec.pt/cic-clubes
1 MAIO DIA DO TRABALHADOR PÁG. 96
3º CICLO PÁG. 44
CONCURSOS PÁG. 36
PROJETOS PÁG. 83
SERVIÇO PSICOLOGIA ORIENTAÇÃO PÁG. 87
DeClara nº 64 abril 2023
BIBLIOTECA ESCOLAR PÁG. 35
Abril deixou-nos como legado a LIBERDADE. Uma
conquista que devemos honrar, respeitar e
praticar com dignidade, onde os valores de
cidadania e desenvolvimento estejam sempre
presentes. Uma conquista que nos mostra que
muito foi feito, mas há ainda muito a fazer.
A EDUCAÇÃO é um caminho e a ESCOLA um
espaço para valorizar e não esquecer o que é a
LIBERDADE…É fundamental formar cidadãos que
saibam utilizar e usufruir da Liberdade
conquistada!
Liberdade
Liberdade, que estais no céu...
Rezava o padre-nosso que sabia,
A pedir-te, humildemente,
O pio de cada dia.
Mas a tua bondade omnipotente
Nem me ouvia.
— Liberdade, que estais na terra...
E a minha voz crescia
De emoção.
Mas um silêncio triste sepultava
A fé que ressumava
Da oração.
Até que um dia, corajosamente,
Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado,
Saborear, enfim,
O pão da minha fome.
— Liberdade, que estais em mim,
Santificado seja o vosso nome.
Isabel M. Pereira
Miguel Torga
ASSOCIAÇÃO DE PAIS E PÁG. 92
3
A prova escrita eliminatória do 3.º ciclo, em formato online, decorreu no dia 19 de abril de
2023, quarta feira, pelas 14h na Biblioteca da Escola Clara de Resende.
A nossa finalista da fase municipal, 3.º ciclo, a aluna Eva Moreira, do 8.ºF, realizou a prova
escrita e foi uma das cinco finalistas apuradas para a realização da prova oral em palco dia 26
de abril 2023.
Parabéns à nossa aluna Eva Moreira pela excelente prova prestada!
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – CNL Fase intermunicipal: Escola a ler…
Realização da prova online
CONCURSO NACIONAL DE LEITURA
16.ª edição - 2022/2023
Fase Intermunicipal da Área Metropolitana do Porto
Biblioteca Municipal Florbela Espanca, Matosinhos
19 de abril prova escrita online
4
Boa sorte Eva!
Parabéns à nossa aluna Eva Moreira a escola na fase intermunicipal
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – CNL Fase intermunicipal: Escola a ler…
5
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – CNL Fase intermunicipal: Escola a ler…
Obras em leitura e análise:
• 1.º ciclo: Os livros do rei/David Machado;
• 2.º ciclo: Eu, Pedro palito/Maria Teresa Maia Gonzalez;
• 3.º ciclo: O rapaz que prendeu o vento/William Kamkwamba;
• Secundário: O que procuras está na biblioteca/Michiko Aoyama.
A prova oral, para os 5 apurados por categoria, foi em formato presencial e decorreu dia 26 de
abril de2023, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Matosinhos.
Salão Nobre da Câmara Municipal de Matosinhos, apresentador e júri.
Finalistas intermunicipais do 3.º ciclo
6
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar –CNL Fase intermunicipal: Escola a ler…
Prova em palco da Eva Moreira: Leitura, resposta às questões e argumentação
Os participantes no final da prova
7
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar: Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor
8
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar: Dia Mundial do Livro - 23 de abril
Para assinalar o prazer da leitura e o respeito pelos livros e pelos seus autores, a UNESCO
instituiu, a partir de 1996, o dia 23 de abril como Dia Mundial do Livro.
Esta data foi escolhida com base na lenda de São Jorge e o Dragão, adaptada para honrar a
velha tradição catalã segundo a qual, neste dia, os cavaleiros oferecem às suas damas uma rosa
vermelha de São Jorge (Sant Jordi) e recebem, em troca, um livro, testemunho das aventuras do
heroico cavaleiro.
Em simultâneo, é prestada homenagem à obra de grandes escritores, como Shakespeare e
Cervantes, falecidos em 1616, exatamente em abril.
Também a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, em 2023, presta
homenagem a alguns autores portugueses, cujos centenários de nascimento se assinalam:
Eduardo Lourenço (1923-2020), Eugénio de Andrade (1923-2005), Mário Cesariny (1923-2006),
Mário-Henrique Leiria (1923-1980), Natália Correia (1923-1993) e Urbano Tavares Rodrigues
(1923-2013).
Para assinalar o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor tivemos o Concurso de
Apresentações do Ensino Secundário, na manha do dia 26, na Biblioteca da Escola, e dia 3 de
maio, será a vez dos alunos do 2.º ciclo.
Na próxima edição do DeClara partilharemos vários momentos da atividade.
Atividade dinamizada pelo Departamento de Línguas
9
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Lembrar Abril
imagem do fotógrafo Sérgio Guimarães
10
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Lembrar Abril
A Revolução de 25 de Abril, também conhecida como Revolução dos Cravos, Revolução de
Abril ou apenas por 25 de Abril, refere-se a um evento da história de Portugal resultante do
movimento político e social, ocorrido a 25 de abril de 1974, que depôs o regime ditatorial do
Estado Novo, vigente desde 1933, e que iniciou um processo que viria a terminar com a
implantação de um regime democrático e com a entrada em vigor da nova Constituição a 25 de
abril de 1976, marcada por forte orientação socialista.
Esta ação foi liderada por um movimento militar, o Movimento das Forças Armadas (MFA),
composto na sua maior parte por capitães que tinham participado na Guerra Colonial e que
tiveram o apoio de oficiais milicianos. Este movimento surgiu por volta de 1973, baseando-se
inicialmente em reivindicações corporativistas como a luta pelo prestígio das forças armadas,
acabando por atingir o regime político em vigor. Com reduzido poderio militar e com uma adesão
em massa da população ao movimento, a reação do regime foi praticamente inexistente e
infrutífera, registando-se apenas quatro civis mortos e quarenta e cinco feridos em Lisboa,
atingidos pelas balas da DGS.
11
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Lembrar Abril
O movimento confiou a direção do país à Junta de Salvação Nacional, que assumiu os
poderes dos órgãos do Estado. A 15 de maio de 1974, o General António de Spínola foi nomeado
Presidente da República. O cargo de primeiro-ministro seria atribuído a Adelino da Palma
Carlos.[14] Seguiu-se um período de grande agitação social, política e militar conhecido como o
PREC (Processo Revolucionário em Curso), marcado por manifestações, ocupações, governos
provisórios, nacionalizações e confrontos militares que terminaram com o 25 de novembro de
1975.
Estabilizada a conjuntura política, prosseguiram os trabalhos da Assembleia Constituinte para
a nova constituição democrática, que entrou em vigor no dia 25 de abril de 1976, o mesmo dia
das primeiras eleições legislativas da nova República. Na sequência destes eventos foi instituído
em Portugal um feriado nacional no dia 25 de abril, denominado como "Dia da Liberdade".
O cravo
O cravo vermelho tornou-se o símbolo indissolúvel da Revolução de Abril de 1974. Celeste
Caeiro, que trabalhava num restaurante na Rua Braamcamp de Lisboa, tendo o restaurante
permanecido encerrado pelos acontecimentos, transportava pelas ruas um ramo de cravos
brancos e vermelhos nas mãos. Um soldado pediu-lhe um cigarro, mas ela só tinha flores e
decidiu então iniciar a distribuição dos cravos aos soldados, que logo os colocaram nos canos das
suas armas. Mais tarde as floristas da Baixa continuaram a replicar o gesto. Por esta razão este dia
também ficou conhecido como "Revolução dos Cravos"
12
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Lembrar Abril
Uma vendedora de flores oferece CRAVOS vermelhos …
Um deles vai para uma lapela dum soldado,
um outro para um canhão.
Algures, alguém, perto do quartel no Largo do Carmo,
por entre a multidão, ecoou quatro palavras doces e profundas:
“Viva a Liberdade, pá!”.
O povo sai à rua atarantado, seguindo os seus CAPITÃES DE ABRIL,
sem perceber muito bem todo aquele turbilhão.
Júbilo do povo, sorriso de crianças
furam as calçadas de Lisboa num voo ainda incompreendido.
Porque não havia agora ninguém perseguido???
As mordaças da Censura tinham caído!
Alguma coisa muito boa tinha acontecido!
Mas o que poderia estar no alvoroço de tantos tanques e militares
e nos ouvidos de milhares após um calar de almas por quase 50 anos???
Concretizavam-se algumas das SENHAS DE ABRIL:
“A Desfolhada” da Simone de Oliveira, “E depois do adeus” de Paulo de
Carvalho, “A Tourada” de Fernando Tordo, “Grândola Vila Morena” de ZECA
AFONSO.
Abrem-se pouco a pouco as portas das prisões,
para deixar muitos escorrer lágrimas de alegria abraçados a familiares.
Rasgam-se documentos pidescos e, agora, num reinar de Ordem aparente,
todos esperam, que “O 25 DE ABRIL DE 1974”
se prolongue por muitos anos e chegue a toda a gente.
T.M
“UMA PALAVRA AO DIA DA LIBERDADE”
13
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Lembrar Abril
É possível falar sem um nó na garganta
é possível amar sem que venham proibir
é possível correr sem que seja fugir.
Se tens vontade de cantar não tenhas medo:
canta.
É possível andar sem olhar para o chão
é possível viver sem que seja de rastos.
Os teus olhos nasceram para olhar os astros
se te apetece dizer não grita comigo: não.
É possível viver de outro modo. É
possível transformares em arma a tua mão.
É possível o amor. É possível o pão.
É possível viver de pé.
Não te deixes murchar. Não deixes que te domem.
É possível viver sem fingir que se vive.
É possível ser homem.
É possível ser livre livre livre.
Manuel Alegre, in 𝘖 𝘤𝘢𝘯𝘵𝘰 𝘥𝘢𝘴 𝘢𝘳𝘮𝘢𝘴
pintura de Nathalie Afonso
É Possível…
14
DeClara nº 64 abril 2023
O grande símbolo do 25 de abril, é o cravo. E que melhor símbolo para uma revolução pacífica
do que esta linda flor que, ainda por cima, é vermelha e verde, as cores da bandeira nacional? O
que talvez nem toda a gente saiba é a origem dos cravos colocados no cano das armas dos
soldados que fizeram o 25 de abril.
A história é bonita e simples:
Uma senhora trabalhava numa empresa que ia comemorar um ano de atividade no dia 25 de
abril. Tinham-na mandado comprar muitos cravos para a festa de aniversário. Nesse mesmo dia,
pela manhã, quando a senhora chegou à empresa, já a revolução estava na rua e os patrões
disseram-lhe para levar os cravos, pois, se ficassem ali, murchavam.
A senhora trouxe consigo um grande molho de cravos e, quando encontrou os chaimites a
subir para o Carmo, perguntou a um soldado:
“Era uma vez o 25 de Abril”
José Fanha
Ilustração Abigail Ascenso
Biblioteca Escolar – Lembrar Abril
- Vocês estão aqui a fazer o quê?
Eles explicaram que iam prender o Marcelo
Caetano.
E um soldado perguntou:
- A senhora, não tem um cigarrinho?
- Não tenho cigarros, mas tenho cravos - disse a
senhora.
E foi dando os cravos aos soldados, que os
puseram nos canos das armas. Depois, disso, muitos
cravos apareceram.
Muita gente foi buscar cravos e os soldados ficavam todos felizes por trazerem o sinal de
alegria na lapela. E no cano das armas.
15
DeClara nº 64 abril 2023
"No 25 de abril, o país acordou para uma vida diferente. A liberdade era uma coisa nova, e as
pessoas tiveram de se habituar a ela, devagarinho. Como quando nós acordamos, de manhã, e
nos custa abrir os olhos de repente, por causa da luz, também Portugal teve de aprender a viver
sem ditadura.
É bonito fazermos o que queremos, mas a liberdade não é só nossa. É normal que não
pensemos todos da mesma maneira.
E é bom.
- Sabes, filho, quando eu disse que aquela flor se chama Liberdade, não estava a brincar.
A liberdade é frágil. Tem muitos inimigos. E é como uma flor, que tem de ser muito bem
cuidada, para não ficar murcha.
Essa é a maior lição do 25 de abril.
Um dia, também tu vais ter o poder de decidir, com o teu voto, o que queres para o nosso
país. Se não o fizeres, os outros vão decidir por ti.
E quando os outros decidem por nós, não somos livres. "
"A Flor de abril : uma história da revolução dos cravos"
Pedro Olavo Simões
Ilustração de Abigail Ascenso
Biblioteca Escolar – Lembrar Abril
16
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Lembrar Abril
25 de Abril
1974-2023
Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silencio
E livres habitamos a substância do tempo.
Sophia de Mello Bryner Andresen, in “O Nome das Coisas”
17
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Lembrar Abril
por Helena Vieira da Silva
Árvore
Onde os frutos maduram:
sal e sol em minhas veias,
luz e mel em boca alheia.
Onde plantei
a alta acácia das febres
eu mesmo me deitei,
para ser a raiz da semente,
e de madeira e seiva
se fez o meu corpo.
Agora,
chove dentro de mim,
em minhas folhas se demoram gotas,
suspensas entre um e outro Sol.
Em mim pousam
cantos e sombras
e eu não sei
se são aves ou palavras.
Mia Couto, em Vagas e Lumes
18
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar –Lembrar Abril
Porque
Porque os outros se mascaram, mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão
Porque os outros têm medo, mas tu não
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam, mas tu não.
Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis, mas tu não.
Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam, mas tu não.
Sophia de Mello Breyner Andresen
As mãos
Com mãos se faz a paz se faz a guerra
Com mãos tudo se faz e se desfaz
Com mãos se faz o poema ─ e são de terra.
Com mãos se faz a guerra ─ e são a paz.
Com mãos se rasga o mar. Com mãos se lavra.
Não são de pedra estas casas mas
de mãos. E estão no fruto e na palavra
as mãos que são o canto e são as armas.
E cravam-se no Tempo como farpas
as mãos que vês nas coisas transformadas.
Folhas que vão no vento: verdes harpas.
De mãos é cada flor cada cidade.
Ninguém pode vencer estas espadas:
nas tuas mãos começa a liberdade.
Manuel alegre
19
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Escola a ler - Ler em Abril – Lembrar Abril
20
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar: Liberdade. Literacia. Leitura. Literatura
21
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Abril: Escola a ler…
Agrupamento de Escolas
Clara de Resende
Escola Básica João de Deus
Escola Básica e Secundária Clara de Resende
O Projeto “Escola a ler”, iniciativa promovida pela Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), pelo
Plano Nacional de Leitura (PNL) e pela Direção-Geral de Educação (DGE), integrada no Plano
Escola + 21|23, visa trabalhar a leitura de forma sistemática, estruturada e diversificada e
constituir uma rede colaborativa de trabalho e partilha, no âmbito desta medida.
“ESCOLA A LER”
Em abril continuamos a Ler, a Escrever, a Desenhar…
Atividades
1. Atividades em desenvolvimento no Agrupamento de Escolas Clara de Resende
- Leitura orientada.
- Projeto Pessoal de Leitura.
- Tempo para ler e pensar!
- Vou levar-te comigo!
a) Leitura orientada
Realização de atividades que proporcionem o contacto dos alunos com livros que os
motivem e estimulem a prática regular e continuada da leitura e da escrita: uma hora por dia no
primeiro ciclo do ensino básico e uma hora por semana no segundo ciclo do ensino básico.
22
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Abril: Escola a ler…
b) Projeto Pessoal de Leitura.
Desenvolvimento de projetos individuais de leitura que explicitem objetivos de leitura e
impliquem o contacto com temas comuns em obras, em géneros e em manifestações artísticas
diferentes obras escolhidas em contrato de leitura com o(a) professor(a).
c) Tempo para ler e pensar!
Leitura e exploração de livros, jornais, revistas e/ ou outros materiais de leitura na biblioteca
escolar em articulação com docentes de diferentes áreas curriculares, com periodicidade e
tempo estipulados (desejavelmente mensal, em cada turma).
d) Vou levar-te comigo!
Dinamização periódica de sessões de requisição domiciliária na biblioteca escolar, em
articulação com os docentes da turma e com recurso a estratégias motivadoras.
Escola a ler 11.ºB e 11.ºC
5.º ano 5.º ano
23
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Escola a ler…tempo para ler e pensar
Cem Anos de Solidão
Gabriel Garcia Márquez (1927-2014) México
(escritor, jornalista, editor, ativista e político colombiano)
Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o coronel Aureliano Buendía haveria
de recordar aquela tarde remota em que o pai o levou a conhecer o gelo. Macondo era então
uma aldeia de vinte casas de barro e cana, construídas na margem de um rio de águas
transparentes, que se precipitavam por um leito de pedras polidas, brancas e enormes como
ovos pré-históricos. O mundo era tão recente que muitas coisas ainda não tinham nome e para
as mencionar era preciso apontar com o dedo. Todos os anos, pelo mês de Março, uma família de
ciganos andrajosos montava a sua tenda perto da aldeia e, num grande alvoroço de apitos e
timbales, davam a conhecer as novas invenções. Primeiro levaram o íman. Um cigano corpulento,
de barba ferina e mãos de pardal-dos-telhados, que se apresentou com o nome de Melquídades,
fez uma truculenta demonstração daquilo que ele próprio denominava de oitava maravilha dos
sábios alquimistas da Macedónia. Foi de casa em casa a arrastar dois lingotes metálicos, e toda a
gente ficou espantada ao ver como as caldeiras, os tachos, as tenazes e os fogareiros caiam dos
seus lugares, e as madeiras rangiam pelo desespero dos pregos e dos parafusos que tentavam
24
DeClara nº 64 abril 2023
despregar-se, e até os objectos perdidos há muito tempo apareciam por onde mais se procurara e
arrastavam-se em debandada turbulenta atrás dos ferros mágicos de Melquíades.
“As coisas têm vida própria”, apregoava o cigano com um sotaque áspero, “é tudo uma questão de
lhes acordar a alma.” José Arcadio Buendía, cuja imaginação desaforada andava sempre à frente
do engenho da Natureza e ainda mais além do milagre e da magia, pensou que era possível servir-
se daquele invento inútil para desentranhar o ouro da terra. Melquíades, que era um homem
honrado, preveniu-o: “Para isso não serve.” Mas José Arcadio Buendía não acreditava, naquela
altura, na honradez dos ciganos, de modo que trocou a sua mula e algumas cabras pelos dois
lingotes magnetizados. Úrsula Iguarán, sua mulher, que contava com aqueles animais para dar
uma certa folga ao desmedrado património doméstico, não conseguiu dissuadi-lo. “Depressa nos
sobrará ouro com que empedrar a casa” replicou-lhe o marido. Durante vários meses empenhou-
se em demonstrar o acerto das suas conjecturas. Explorou a região palmo a palmo, até ao fundo
do rio, arrastando os dois lingotes de ferro e recitando em voz alta o esconjuro de Melquíades. A
única coisa que conseguiu desenterrar foi uma armadura do século XV, com todas as suas partes
soldadas por uma camada de ferrugem, cujo interior tinha a ressonância oca de uma enorme
cabaça cheia de pedras. Quando José Arcadio Buendía mais os quatro homens da sua expedição
conseguiram desarticular a armadura, encontraram lá dentro um esqueleto calcificado que tinha
pendurado ao pescoço, um relicário de cobre com uma madeixa de mulher.
DESAFIO:
Lê com atenção o seguinte excerto…. “Primeiro levaram o íman. Um cigano corpulento, de
barba ferina e mãos de pardal-dos-telhados, que se apresentou com o nome de Melquídades, fez
uma truculenta demonstração daquilo que ele próprio denominava de oitava maravilha dos sábios
alquimistas da Macedónia.”
O que sabes sobre as forças magnéticas? E sobre os imanes? E o magnetismo terrestre? Será
a oitava maravilha, como se afirma no texto?
Prof M Isabel Pinto, 11º B e C
Biblioteca Escolar – Escola a ler…tempo para ler e pensar
25
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar: Leitura Orientada em Sala de Aula e na BE
A BE apoia a Leitura Orientada em Sala de Aula
Plano 21|23 Escola+
A leitura é fundamental para o sucesso dos alunos pela sua transversalidade e pela
forma como influencia as aprendizagens em todas as áreas curriculares. O sucesso neste
domínio está diretamente relacionado com a frequência de contactos com livros e com práticas
de leitura, pelo que o tempo dedicado à leitura condiciona de forma decisiva os progressos na
compreensão, cabendo à escola um papel relevante no ensino da leitura e na promoção do
gosto de ler.
No âmbito do Plano 21|23 Escola+, que visa a recuperação das aprendizagens,
procurando garantir que ninguém fica para trás, o PNL2027 disponibiliza propostas de trabalho
integradas na ação Escola a Ler: para os 1.º e 2.º ciclos, Leitura Orientada na Sala de Aula e,
para o 3.º ciclo, Contratos de Leitura.
Escola a Ler em sala de aula e na Biblioteca Escolar
26
A leitura é fundamental para o sucesso dos alunos pela sua transversalidade e pela
forma como influencia as aprendizagens em todas as áreas curriculares. O sucesso neste
domínio está diretamente relacionado com a frequência de contactos com livros e com práticas
de leitura, pelo que o tempo dedicado à leitura condiciona de forma decisiva os progressos na
compreensão, cabendo à escola um papel relevante no ensino da leitura e na promoção do
gosto de ler.
No âmbito do Plano 21|23 Escola+, que visa a recuperação das aprendizagens,
procurando garantir que ninguém fica para trás, o PNL2027 disponibiliza propostas de trabalho
integradas na ação Escola a Ler: para os 1.º e 2.º ciclos, Leitura Orientada na Sala de Aula e,
para o 3.º ciclo, Contratos de Leitura.
O PNL2027 propõe que os docentes do ensino básico reforcem as atividades em
torno do livro e, nesse sentido, apresenta um conjunto de orientações organizadas em oito
áreas:
https://www.leituraorientada.pnl2027.gov.pt/orienta%C3%A7%C3%B5es
Várias turmas a ler, escrever e desenhar na Biblioteca Escolar
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar: Leitura Orientada em Sala de Aula e na BE
27
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Cultura Timorense – O Tais
Os nossos amigos do CAFE de Maliana, em Timor - Leste, com quem estabelecemos um
intercambio cultural ofereceram-nos um presente muito especial, que retrata a sua cultura e
tradições: um caderno e uma caneta forrados com um pano, o Tais, um tecido tradicional de
Timor – Leste, feito manualmente e que simbolizam e assinalam a nossa aliança.
O presente foi-nos entregue pela professa Teresa Moreira, a nossa interlocutora em Maliana
enquanto esteve destacada no projeto como Coordenadora do CAFE e onde desenvolveu um
trabalho excecional
Presentes muito valiosos!
Ofereceram-nos também dois belos desenhos pintados pelos alunos mais pequenos alusivos
ao Natal, época em que terminam o ano letivo e uma casa tradicional em madeira..
Agenda e caneta em Tais
28
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Cultura Timorense – O Tais
Desenhos. Agenda e Caneta em Tais. Casa típica em madeira
Isabel Pereira
Um presente muito valioso, de que gostamos muito, e que simboliza a nossa amizade.
Muito obrigada!
29
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Cultura Timorense – O Tais
O tais é tradicionalmente feito de algodão, com plantas naturais usadas para tingir a cor. Os
tais congregam nos seus motivos animais como galos, crocodilos, búfalos, árvores, também eles
símbolos representativos do imaginário timorense, personagens e protagonistas dos relatos
orais. Os tais têm motivos e cores diferentes, de acordo com o grupo étnico a que pertencem,
funcionando como marcos. É um pano que é uma marca identitária da cultura timorense, o tais,
liga em aliança, os vivos e os antepassados passa de geração em geração.
É fabricado de forma manual pelas mulheres, que recorrem a equipamentos simples como a
'atis’, o 'kida', (tear tradicional), que se encontra nas casas. Podem ser utilizados como
vestimenta masculina ou feminina, ou como elemento decorativo de mesas e de paredes.
É usado em rituais de nascimento, casamento e morte e nas cerimónias oficias de
comemoração de acontecimentos importantes para a comunidade.
O Tais é o tecido tradicional de Timor – Leste
Elaborado artesanalmente por mulheres, em teares tradicionais de madeira.
30
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar – Tais
Fica aqui o registo de uma lenda sobre as suas origens:
No barlaque (dote de casamento do noivo) é usado como símbolo valioso de determinado clã
ou família, oferecido pela família da noiva à família do noivo, corrente ou elemento de ligação de
uma nova família que se forma com o casamento.
Nas cerimónias fúnebres é oferecido à família do morto e nas zonas mais rurais era usado
como mortalha,
Também é oferecido aos estrangeiros (malae) em cerimónias oficiais, como prova de
consideração, respeito ou agradecimento, como pano inteiro ou como como salenda (espécie de
cachecol) que se coloca sobre os ombros e se oferece aos convidados nas cerimónias públicas.
Em 14 dezembro de 2021 o Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural
Imaterial, da UNESCO, aprovou a classificação do 'tais', de Timor-Leste, como Património Cultural
Imaterial.
Conta a lenda que a filha Makasae foi a primeira mulher a ter conhecimento de como fazer
tais. Esta conheceu e casou com um rapaz da tribo de Samalau. O casal teve três filhos,
duas filhas e um filho e viveu feliz. A mãe fazia os tais de forma tradicional, colocando
flores de algodão numa caçarola e proibiu as filhas de a observarem enquanto trabalhava.
Ora, certo dia, a filha mais velha, não resistindo à curiosidade de ver o que fazia, às
escondidas, a sua mãe, espreitou por um buraco e desvendou o segredo. A mãe, tendo
conhecimento do pecado da filha, entregou- entregou-lhe uma caixa de tecidos “Dare Asse
“ e disse-lhe: Filha, tu não respeitaste as minhas palavras. Por isso, durante 1000 anos,
levará sempre muito tempo para tecer um Tais. O processo tornar-vos-á loucas de dor e de
pena: as vossas nádegas sofrerão demais, as vossas mãos fortes ficarão cansadíssimas. A
filha que tomará conta do meu nome será capaz de fabricar Tais, a outra não poderá. O
filho só poderá encomendar ou comprar Tais. Depois, vocês poderão fazer o que eu fiz:
trabalhar muito para fabricar Tais. No final, deixou as filhas e o filho e tornou-se -se a
Deusa dos Tais. Ainda hoje, os descendentes de Samalau acreditam nessa deusa. Quando
fazem um Tais, eles agradecem à deusa, com sacrifício de animais: um frango e uma
galinha de cor branca ou vermelha.
Fonte: Com base em Vítor José da Costa Barbosa “Relatos fundacionais do
Imaginário Timorense - O taís – quadro multicolor do imaginário timorense, 2014.
Professora Teresa Moreira
31
Professor Artur Neri
Escolas integradas no projeto Clubes de Leitura PNL, na sequência da candidatura
2023: Escola Básica e Secundária Clara de Resende.
Porto Agrupamento de Escolas Clara de Resende, Porto 346779 Escola Básica e Secundária Clara de Resende
In: Portal da Matemática
O Artur escreveu um algarismo e, depois, escreveu outro algarismo à
direita do primeiro. Somou 19 ao número escrito e obteve o resultado
de 72.
Qual foi o algarismo que o Artur escreveu em primeiro lugar?
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar: Resposta desafio mês de março
Desafio de matemática: mês de abril
Escola a Ler - Clubes de Leitura CR do PNL
O Artur resolveu iniciar o envio de mensagens (SMS) em cadeia e
enviou uma ao aseu melhor amigo Horácio (primeira etapa).
Entretanto, o Horácio tem de enviar a mensagem a duas pessoas
(segunda etapa). As pessoas que recebem as mensagens, terão de a
enviar a outras duas pessoas e assim sucessivamente. Ao fim de três
etapas, a mensagem foi enviada a sete pessoas (1 + 2 + 4 = 7).
Quantas vezes a mensagem foi enviada ao fim de 5 etapas?
32
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar: Sugestões do mês
As secas do mês
Atenção: Estas anedotas são extremamente secas. Mesmo
muito secas! As mais secas que já alguma vez ouviste!
Onde é que os micróbios fazem
surf?
Num micro-ondas
O que diz uma pulga a outra pulga?
Vamos a pé ou esperamos pelo cão?
Por que é que na Argentina as vacas
andam sempre de cabeça no ar?
Por causa dos Buenos Aires.
O que é que faz uma hortaliça surda?
Finge couve
Um homem sentou-se em cima de um cão.
Qual é o nome do filme?
Sento em um dálmata
O que pato disse à pata?
- "Vem Quá."
Quem é o mais velho: o Sol ou a Lua?
A Lua, porque já pode sair à noite.
33
Professora Fátima Noronha Peres Miranda,
Grupo 300
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar: Página Cultural
"Meu coração tem quantos versos quer"
Miguel Torga
Wassily Kandinsky
"A atenção é a mais importante de todas as
faculdades para o desenvolvimento da
inteligência humana."
Charles Darwin
Between-Showers-Susan-Kyne-Andrews-Royal-Meteorological-
Society-Weather-Photographer-of-the-Year-2021
(...) Importemo-nos apenas com o lugar onde estamos.
Há beleza bastante em estar aqui e não noutra parte
qualquer.
Se há alguém para além da curva da estrada,
esses que se preocupem com o que há para além da
curva da estrada.
Essa é que é a estrada para eles.
Se nós tivermos que chegar lá, quando lá chegarmos
saberemos.
Por agora só sabemos que lá não estamos.
Aqui só há a estrada antes da curva e antes da curva
Há a estrada sem curva nenhuma.
(...)
Fernando Pessoa, poesia de Alberto Caeiro
Sunset over Monument Valley,
Arizona-Utah border, United States
34
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar: Ideias de Leitura e Escrita para miúdo PNL
35
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar: Ideias de Leitura PNL
36
DeClara nº 64 abril 2023
Biblioteca Escolar: Desafios de Escrita PNL
37
DeClara nº 64 abril 2023
Concurso Público na Escola
Reportagens, entrevistas e textos de opinião. A palavra dada aos alunos
Concursos “Jornalistas em Rede” e “Isto também é comigo!”. Alunos do 3.º ciclo e do
ensino secundário são os destinatários desta iniciativa do PÚBLICO na Escola e da Rede de
Bibliotecas Escolares.
Oportunidade de participar em dois concursos que convidam os alunos a entrar no mundo
do jornalismo: entrevistando alguém por quem se interessem ou fazendo uma reportagem
acerca de uma situação que lhes apeteça dar a conhecer, no caso do “Jornalistas em Rede";
escrevendo um texto de opinião a propósito de um trabalho do PÚBLICO, se optarem por
participar no “Isto também é comigo!”. O tema é sempre livre, já ao tamanho dos textos são
impostos limites.
Iniciativas lançadas pelo PÚBLICO na Escola e a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE).
Podem participar no “Jornalistas em Rede” todos os alunos do 3.º ciclo do ensino
básico Edo Ensino Secundário. As reportagens e as entrevistas são avaliadas em momentos
diferentes do concurso (consultar regulamento).
38
DeClara nº 64 abril 2023
Tu desenhas, Eu escrevo
Foi este o mote para mais um desafio.
Cada aluno teria de fazer um desenho que seria a ilustração e inspiração para a criação de uma
coletânea de textos. Um desafio para um jovem escritor português.
A turma do 3ºA e os alunos que frequentam o Apoio PTT do 4º B embarcaram na aventura.
Assim seguimos várias etapas:
1 – seleção individual do tema a ilustrar (a escolha foi feita, livremente, por cada aluno dentro de
um conjunto de possibilidades enviadas pelo autor)
2 – realização de um estudo do desenho a fazer (pensar, reestruturar, riscar, apagar, refazer)
Pensar no que se pode fazer
para poder melhorar
é muito importante
para o nosso melhor podermos mostrar.
3 – desenhar sem poder apagar
Quando desenhares
a borracha deves guardar.
tudo o que fazes
podes aproveitar.
usa a imaginação
e logo um novo desenho
com um “erro”
podes enriquecer,
algo de novo criar
no qual não estavas a pensar.
1.º ciclo: Tu desenhas, Eu escrevo: 3.ºA e 4.ºB
39
DeClara nº 64 abril 2023
4 – segue-se a pintura (precisamos de seguir algumas regras)
Pintar a lápis de cor
ou usar as canetas de filtro
é permitido.
Pensar como e quando o fazer
são técnicas a desenvolver.
5 – trabalho acabado
6 – pedir autorização aos pais para o envio do desenho com dados dos alunos
7 – autorizações recebidas
8 – trabalhos enviados
9 – trabalhos publicados na internet
Podem ser observados e dar a vossa opinião.
Atenção:
Críticas construtivas
são sempre bem recebidas.
As outras, aquelas em que se diz mal
guarda para ti
escreve num papel. …
Nunca as escrevas na internet.
Devemos todos valorizar.
Cada um deu o seu melhor
é esse que devemos apreciar.
1.º ciclo: Tu desenhas, Eu escrevo: 3.ºA e 4.ºB
40
DeClara nº 64 abril 2023
EB João de Deus – 3.ºA
1.º ciclo: Tu desenhas, Eu escrevo: 3.ºA e 4.ºB
41
DeClara nº 64 abril 2023
EB João de Deus – 3.ºA
EB João de Deus – 4.ºB
1.º ciclo: Tu desenhas, Eu escrevo: 3.ºA e 4.ºB
42
DeClara nº 64 abril 2023
1.º ciclo: Tu desenhas, Eu escrevo
10 - contactos com o autor
"Os desenhos recebidos para o Projeto Tu Desenhas, Eu Escrevo estão a ser digitalizados e
serão colocados nas páginas:
facebook.com/tudesenhaseuescrevo
tudesenhaseuescrevo.blogspot.com
Estão fantásticos! Bem-haja pela participação!
Convido-vos agora a:
- colocar "gosto" na página (se for caso disso);
- colocar "gosto" nos desenhos (e comentá-los)."
Bruno Magina
11- E agora é só esperar mais um pouco.
Os textos estão quase prontos
e à escola vão chegar
para que todos os possamos apreciar.
Obrigada aos alunos do 3ºA e 4ºB pelo empenho demonstrado.
Obrigada ao autor pelo empenho e trabalho de parceria feito com a docente
responsável pelo desenvolvimento do projeto na escola.
Fátima Vaz
43
DeClara nº 64 abril 2023
Em vésperas de se comemorar o 49° aniversário do 25 de abril, o 4º A explorou o livro "O
Tesouro", obra de Manuel António Pina. O escritor ilustrou de uma forma simples e cativante
como era a vida neste "país de pessoas tristes".
“O Tesouro” de Manuel António Pina
Os alunos ficaram "agarrados" desde o primeiro momento e o silêncio ficou instalado na
sala de uma forma arrepiante.
De seguida dialogamos sobre a ditadura e o que tinha acontecido no dia 25 de Abril de
1974. Ouvimos as músicas de Zeca Afonso e Paulo de Carvalho e homenageamos Salgueiro Maia
com a construção de um painel coletivo.
1.º ciclo: A comemorar o 49.º aniversário do 25 de Abril - 4.ºA
44
DeClara nº 64 abril 2023
Desta forma, as nossas crianças ficaram a saber, o quanto esta liberdade custou a conquistar e
que têm o dever de a manter bem viva nos dias de hoje.
#anoletivo20222023 #notíciasdaescola #eb1joaodedeus #25deabril
Prof. Sónia Teixeira
4ºA
1.º ciclo: A comemorar o 49.º aniversário do 25 de Abril - 4.ºA
Viva o 25 de abril!!!!
Viva a liberdade!!!!!
Painel coletivo
45
DeClara nº 64 abril 2023
3.º Ciclo: História 8.º C– Poema e ilustração sobre a Inquisição
Neste mundo não importa se pecamos
se os nossos bolsos estão cheios
tudo é perdoado se pagamos.
Vivemos em devaneios.
Criaram-se grupos pois não podiam concordar.
Do fugitivo ao rei decidiram mudar
começou-se a rezar ou então era morrer
apenas continuar este ato chamado viver.
A reforma é tudo o que resta
para aquele que protesta.
O mundo dividiu-se que podemos fazer.
Um concílio será feito para a paz restabelecer.
Quem se opor ou questionar a verdade
acreditem em mim, não haverá piedade.
A morte tornou-se um espetáculo
para os que pensam conseguir passar o obstáculo.
Nas chamas todos nós podemos acabar
a justiça não existe, tudo o que fazemos é esperar.
Isto é de facto viver
ou existir num Inferno para tentar sobreviver.
Ser rico ou pobre é um destino sem escapatória.
Estarás com Deus, estarás com o Diabo
é uma lei obrigatória.
Quem a criou, não sei, faz tudo parte da história.
Mas será de facto verdade
Porque haveria Deus de falar com mortais
Não importa a identidade
agimos como animais.
Humanos: Uma figura que se acha divina
Carlota
Fego
nº4,
8ºC;
Professora
Teresa
Moreira
46
DeClara nº 64 abril 2023
3.º Ciclo: História 8.º C– Poema e ilustração sobre a Inquisição
Carlota
Fego
nº4,
8ºC;
Professora
Teresa
Moreira
47
DeClara nº 64 abril 2023
Criar definições
Seguir instruções
Não mandar
O que importa é rezar
Uma mulher
Em ninguém pode confiar
Vai ter de pagar
Viva queimar
Não pode saber a mais
Não mais do que um homem
Isso não tem jeito
É amiga do diabo
Sabe cantar
Vai queimar
Sabe contar
Vai queima
Tudo o que importa
É a quantidade que tem no bolso
Se pode pagar
Pode pecar
A época da Inquisição
Mas o que é o pecado
Por quem foi inventado
Foi por Deus
Ou pelo Diabo
Mas nada se pode fazer
Porque o Homem
Só quer enriquecer
Os pobres trabalham
Os ricos gastam
Os pobres passam fome
Os ricos fazem banquetes
E será que no clero
Se pode confiar
Ele não está sempre a pecar
Ao amar e procriar
A nobreza
Quer mesmo proteger
Ou apenas enriquecer
Enquanto está a comer
3.º Ciclo: História 8.º C– Poema e ilustração sobre a Inquisição
Maria
Lima
Moreira
Patrício,
N°16,
8°C;
Professora
Teresa
Moreira
48
DeClara nº 64 abril 2023
3.º Ciclo: História 8.º C– Poema e ilustração sobre a Inquisição
Maria
Lima
Moreira
Patrício,
N°16,
8°C;
Professora
Teresa
Moreira
49
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD
PROJETO DE TURMA 10ºD: LÍDERES TRANSFORMADORES
Análise do filme “Elementos Secretos”
Porque se valorizam os sonhos? Qual o poder da luta? Quem
transforma o mundo? Onde entra a ciência? Estas e outras questões
acompanharam a visualização do filme “Elementos Secretos” e
impeliram à reflexão, numa atividade baseada no projeto de turma
dos alunos do 10º ano, turma D.
Na aula de Física e Química A, a reflexão, no âmbito dos direitos
humanos, focou as questões do racismo e das mulheres na ciência,
para além de aspetos da Ciência, da Tecnologia e da Sociedade. As
ligações aos dias de hoje surgiram naturalmente.
ELEMENTOS SECRETOS
Com Taraji P. Henson, Mahershala Ali, Janelle Monáe, Jim Parsons, Glen Powell, Kirsten Dunst,
Kevin Costner
Realização Theodore Melfi
Produção Peter Chernin, Donna Gigliotti
Argumento Allison Schroeder
2017
O CONTEXTO DO FILME
Otávio e James: A competição entre os Estados Unidos da América (EUA) e a antiga URSS (União
das Repúblicas Socialistas Soviéticas) no domínio da exploração espacial representa o contexto
do filme. Durante a Guerra Fria, os Estados Unidos e a União Soviética competiram na Corrida
Espacial para demonstrar a sua superioridade tecnológica. A competição começou em 1957,
quando a União Soviética lançou o primeiro satélite artificial e, em 1961, mandou o primeiro
homem ao espaço, causando preocupação nos EUA. Os EUA responderam aumentando o
financiamento para o seu próprio programa espacial, o que levou aos programas Mercury,
Gemini e Apollo. O programa Apollo pousou com sucesso um homem na Lua em 1969. Com o
50
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD
tempo, a Corrida Espacial perdeu o seu significado político e militar, porém, teve efeitos
duradouros na ciência e na tecnologia, inspirando avanços em vários campos e inspirando uma
geração de cientistas e engenheiros. Na atualidade, muitos países cooperam e trabalham juntos
na exploração espacial, como é o caso da Estação Espacial Internacional, que tem o apoio de
vários países, incluindo os Estados Unidos e a Rússia.
Duarte, Diogo A. e Maria: No filme vimos três protagonistas que sofrem uma tripla discriminação:
mulheres, negras e cientistas, numa américa da década de sessenta do século 20. Ainda hoje a
inclusão na ciência é um assunto importante e urgente, uma vez que a diversidade em todas as
suas formas é importante para garantir que a ciência seja relevante, ética e de alta qualidade.
Infelizmente, o acesso à ciência ainda é dominado por certos grupos privilegiados, o que pode
levar a uma série de problemas, como a falta de perspetivas diversas, além do aumento do risco
de discriminação. Em suma, a inclusão na ciência é uma questão crucial para o avanço da mesma
e da sociedade como um todo e requer um esforço coletivo de cientistas, respetivas instituições
científicas, políticos e sociedade civil para garantir que todas as pessoas podem usufruir de uma
oportunidade de contribuir para a produção e disseminação de conhecimento científico.
UMA CENA MARCANTE
Matilde G, Matilde F. e Miguel: Estas mulheres
têm o seu trabalho dificultado. Katherine
Johnson, por exemplo, é impedida de assinar os
relatórios que realiza. Os seus colegas não
aceitam partilhar a cafeteira com ela. Além disso,
precisa caminhar quase um quilômetro para se
deslocar às casas de banho destinadas a pessoas negras. Katherine percorria quilómetros
diariamente só para ir à casa de banho, pois havia casas de banho distintas para pessoas de cor e
51
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD
Marta S., Sofia M. e Francisco: Por isso a cena em que a placa que dizia "colored bathroom"
(casa de banho de cor) foi destruída pelo engenheiro chefe teve um grande impacto em nós,
tanto que todos a aplaudimos: “Aqui todos mijam da mesma cor!”.
UMA QUESTÃO DE DIREITOS HUMANOS
Marta S, Sofia M. e Francisco: Na ação deste filme é observada uma óbvia violação dos direitos
humanos, nomeadamente do Artigo 1 de declaração dos Direitos Humanos que cita: “Todos os
seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e
consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.” As
trabalhadoras ou as consideradas “computadores” não eram respeitadas no seu local de trabalho
e as suas opiniões eram muitas vezes desprezadas, por causa da sua etnia e género.
pessoas “normais”. Ela não podia perder tanto tempo só para satisfazer as suas necessidades,
porque tinha muito trabalho, e por isso levava-o consigo e continuava o trabalho sentada na
sanita.
Sofia F. e Marta M.: Alguns momentos no filme foram mais marcantes em relação a este tópico:
Mary tenta entrar em Hampton High School; A divisão entre brancos e negros acerca dos bens
essenciais ao longo do filme; Katherine não é ouvida ou reconhecida no escritório. A maior causa
destes acontecimentos é o facto de serem mulheres afro-americanas. Este filme mostra-nos
como antigamente, nos anos 60 nos Estados Unidos, os direitos humanos eram desrespeitados
com frequência. Atualmente desrespeitar estes artigos pode levar a grande punição, porém, nos
tempos passados não tinham muita relevância. O artigo que nos pareceu mais relevante aqui foi
o artigo 23: “Todo o ser humano tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições
justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego.”
52
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD
Gabriel e Diogo N.: Alguns dos aspetos
científicos apresentados no filme
incluem: Matemática e física aplicada:
As três protagonistas do filme eram
matemáticas habilidosas que usavam as suas habilidades para resolver complexos problemas
matemáticos e físicos que surgiam durante o desenvolvimento do programa espacial americano.
Em particular, Katherine Johnson foi fundamental para a precisão dos cálculos das trajetórias das
missões espaciais, incluindo a histórica missão Apollo 11 que levou o primeiro homem à Lua.
Engenharia: O filme também retrata a engenharia envolvida na construção e lançamento de
foguetes e satélites. Os engenheiros trabalhavam em equipes multidisciplinares para projetar e
construir veículos de lançamento, sistemas de suporte de vida para astronautas e outros
componentes críticos para o sucesso das missões espaciais. Computação: O filme retrata a
transição da computação manual para a computação eletrônica nas décadas de 1950 e 1960. As
protagonistas do filme trabalharam em computação manual antes de se adaptarem às novas
tecnologias de computação eletrónica.
UM ASPETO CIENTÍFICO
Gonçalo e Júlia: Em "Elementos Secretos", vemos as três personagens principais, Katherine
Johnson, Mary Jackson, e Dorothy Vaughan, a trabalhar como "computadores humanos" no
Centro de Investigação de Langley da NASA. O seu trabalho era efetuar cálculos matemáticos
complexos à mão e foi crucial para o sucesso do programa espacial, pois ajudaram a assegurar que
as trajetórias dos foguetes e naves espaciais fossem precisas. Durante a década de 1960, a
tecnologia informática era ainda relativamente nova e pouco acessível. Os computadores eram
máquinas grandes e caras que eram principalmente utilizadas por agências governamentais,
grandes empresas e instituições de investigação. À medida que o filme avança, assistimos à
introdução do computador mainframe IBM 7090, o que constituiu um avanço significativo na
tecnologia informática da época. As mulheres que trabalhavam no departamento dos
53
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD
“computadores humanos”, que depois da introdução do computador mainframe IBM 7090 ia deixar
de existir, passaram a dedicar-se à programação deste computador, mantendo as suas carreiras. Ao
longo dos anos a tecnologia tem vindo a evoluir. Dessa evolução resultou, entre outros, a criação
das inteligências artificiais (ou seja, a capacidade que uma máquina possui para reproduzir
competências semelhantes às humanas, como raciocinar, aprender, planear, entre outras), como o
Chat GPT. O Chat GPT é uma inteligência artificial, ou IA, que consegue imitar a linguagem humana
a fim de responder a perguntas dos utilizadores.
UMA APRENDIZAGEM
Miguel, Matilde G. e Matilde F.: Neste filme aprendemos que embora sejamos todos diferentes
devemos ter os mesmos direitos. Deve existir igualdade de género entre todos, pois mesmo que
tenhamos géneros diferentes merecemos todos o mesmo respeito e todos merecemos uma
chance de mostrar do que somos capazes.
Marta S., Sofia M. e Francisco: Com a visualização deste filme, aprendemos que não devemos
duvidar das capacidades de qualquer ser humano, independente da sua etnia, género, religião,
sexualidade, etc… Até mesmo as pessoas que nos parecem incapazes, podem tornar-se as mais
capazes.
Diogo A., Duarte e Maria- Com a visualização deste filme aprendemos que é sempre possível
alcançar os nossos objetivos apesar de quaisquer dificuldades acrescidas que possam surgir
devido às nossas circunstâncias pessoais, caso haja uma grande determinação.
QUE IMPORTÂNCIA TEM PROTESTAR?
João e Afonso: O protesto expressa uma reação solitária ou em grupo, de caráter público, contra
um determinado evento. Protestando podemos alterar ou, pelo menos, tentar, o que está errado
na sociedade e torná-la mais justa e igual.
54
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD
Marta S., Sofia M. e Francisco: O ato de “protestar” é importante para defendermos os nossos
direitos e desejos em relação a algum tema. “Protestar” ajuda-nos a ter voz e a reclamar e mudar
aquilo que é incorreto. Por exemplo, Mary Jackson conseguiu ter o direito ao ensino superior, que
não permitia pessoas de cor.
Sofia F. e Marta M: Este filme, como muitos outros, mostra que infelizmente muitas coisas só se
conseguem protestando. Muitas das conquistas humanas foram devidas ao protesto de alguém ou
de um grupo onde demonstrou a sua revolta perante um certo assunto. O principal assunto que
este filme retratou foi o racismo e a desigualdade de género que nos anos 60 era muito vulgar.
Uma das cenas mais marcantes foi quando o chefe daquela secção de trabalho se apercebeu que
essas diferenciações não tinham qualquer nexo e que todos deveriam ter acesso às mesmas
condições de trabalho independentemente da cor da pele. Ao longo do filme é demonstrado,
também, a desigualdade presente naquela década e podemos ver isso pois não valorizavam o
trabalho de Katherine como o de qualquer outro homem presente naquela secção de trabalho. A
única forma de mudança a seu favor foi protestando contra as desigualdades presentes.
Tiago e Rodrigo: Protestar é extremamente importante, já que sem protesto nunca seremos
ouvidos. É através do protesto que conseguimos ser ouvidos e fazer com que os outros tenham
conhecimento da nossa opinião e das nossas ideias. É através do protesto que conseguimos
mudar o mundo e pôr as nossas ideias em ação, para fazer do mundo um lugar melhor.
55
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD
Referindo ao filme "Elementos secretos", foi através do protesto e da luta que as três mulheres
que sofriam de discriminação conseguiram importantes vitórias na empresa em que trabalhavam
e onde tinham grandes planos de carreira. Foi através do protesto que estas três mulheres
independentes conseguiram seguir os seus sonhos e abrir espaço para os sonhos dos vindouros.
QUEM FOI KATHERINE JOHNSON
Duarte, Diogo A. e Maria: Katherine Johnson foi uma matemática
afro-americana que trabalhou para a NASA de 1953 a 1986. Ela
trabalhava como computador humano e, numa época em que as
minorias tinham poucos empregos em matemática e ciências,
Katherine era uma pioneira da sua área. O seu trabalho em calcular
os caminhos para as naves espaciais viajarem foi monumental para
ajudar a NASA a colocar com sucesso um americano em órbita ao
redor da Terra. O seu trabalho ajudou a pousar astronautas na Lua.
Gonçalo e Júlia: Katherine Johnson foi uma matemática e cientista informática americana que fez
contribuições significativas para os programas aeronáuticos e espaciais dos Estados Unidos.
Nasceu a 26 de agosto de 1918, em White Sulphur Springs, West Virginia. Formou-se no West
Virginia State College. Começou a sua carreira como professora, mas mais tarde juntou-se ao
Comité Consultivo Nacional para a Aeronáutica (NACA), que mais tarde se tornou na NASA. Fez
parte da equipa de matemáticas afro-americanas conhecidas como "computadores humanos",
que fizeram cálculos complexos à mão para o programa espacial inicial. O trabalho de Katherine
Johnson envolvia o cálculo das trajetórias, entre outros. Ela desempenhou um papel crítico no
sucesso da missão Apollo 11, que enviou os primeiros humanos para a Lua. Foi homenageada
com muitos prémios e reconhecimento pelas suas contribuições. A sua vida e obra foram
retratadas no filme "Elementos Secretos", de 2016.
Katherine Johnson faleceu a 24 de fevereiro de 2020, com a idade de 101 anos.
56
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD
Alunos do 10ºD
Professora Ana Cardoso
Aula de Física e Química A
PROJETO DE TURMA 10ºD: LÍDERES TRANSFORMADORES
57
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento 11.ºC
A calculadora que usámos para calcular a nossa pegada ecológica foi criada pelo Stockholm
Environment Institute da Universidade de York, e a Universidade de Leeds.
O que significa pegada carbónica?
A sua pegada de carbono é uma forma simples de mostrar como o seu estilo de vida conduz às
emissões de carbono. É a sua impressão no planeta.
Por emissões de carbono, entendemos gases com efeito de estufa - principalmente dióxido de
carbono, metano e óxido nitroso.
Convertemos todos os diferentes gases com efeito de estufa num impacto equivalente do
dióxido de carbono, o gás com efeito de estufa mais comum causado pelo homem. O seu valor
de pegada é um valor anual em "toneladas de dióxido de carbono equivalente - ou tCO2e" e
pode ver como a sua pegada se compara à média das pegadas de carbono do Reino Unido e do
mundo.
O que significa o meu resultado?
Depois de ter respondido às perguntas, calcularemos a sua pontuação como uma tonelagem
anual de equivalente de CO2. Esta pontuação será comparada com a média atual do Reino Unido
(9,5 toneladas para 2022) para nos dar uma comparação percentual (%).
Assim que calculamos a nossa pegada carbónica poderemos descobrir como calcular a nossa
pegada ecológica.
O que é a pegada ecológica?
A pegada ecológica é um indicador de sustentabilidade que acompanha a concorrência das
demandas humanas com a capacidade regenerativa do planeta Terra.
WWF Footprint Calculator
58
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento 11.ºC
Análise de resultados da turma
Analisando todos os resultados da turma, podemos concluir que, em termos de toneladas, a
pegada carbónica da turma é de 17,3 toneladas.
Em termos mais específicos-
Gastos em casa: 23%
Gastos em transportes: 39%
Gastos em comida: 22,6%
Gastos em bens materiais: 15,3%
59
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento 11.ºC
Conclusão e observações:
Em suma, a turma precisa de melhorar os seus resultados, uma vez que a emissão, em toneladas,
de dióxido de carbono e outros gases poluentes é muito elevada (17,3).
Com esta pegada carbónica, a turma precisaria de 20 planetas para sustentar corretamente as
nossas emissões e gastos. A pegada ecológica da turma 11ºC é de 20 planetas Terra.
Para reduzir os nossos gastos e melhorar os nossos resultados, deveríamos:
- optar por andar mais a pé;
- Preferir produtos locais;
- Fazer mais reciclagem;
- Utilizar mais energias renováveis;
- Diminuir a comprar de produtos de casa, roupa/calçado e beleza.
Todos devem ter conhecimento da sua pegada ecológica, no âmbito de saber o que melhorar,
para termos um planeta mais sustentável.
Turma 11ºC- Escola Básica e Secundária Clara de Resende
60
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ
Visita de Estudo aos Açores 2023
61
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores - BG e FQ
A central geotérmica da Ribeira grande é responsável por transformar a energia obtida do
calor proveniente do interior da Terra, a energia geotérmica, em energia elétrica, sendo este tipo
de energia a maior fonte de energia renovável no Arquipélago.
A primeira etapa do funcionamento de uma central geotérmica é a captação de água quente
ou do vapor proveniente do interior da Terra. Através das fraturas das camadas rochosas, a água
e os vapores emergem à superfície, onde são captados por poços de extração. Assim, o vapor é
direcionado para as centrais através de tubulações. Esse mesmo vapor move as turbinas que
giram mecanicamente. Estas, por sua vez, acionam o gerador que produz a energia elétrica.
Existem atualmente nos Açores três centrais geotérmicas em funcionamento (34,3 MW): a
do Pico Vermelho (13 MW) e a da Ribeira Grande (16,6 MW), ambas na ilha de São Miguel, e a
central geotérmica do Pico Alto (4,7 MW), na ilha Terceira.
Grutas do carvão e as suas diferenças com as grutas de Mira de Aire em Portugal Continental
As grutas do carvão formam-se por uma origem vulcânica, são formados a partir de túneis
lávicos. Dentro destas grutas estão presentes uma grande variedade de estruturas, como por
exemplo as estalactites e estalagmites lávicas, estalactites secundárias, as bancadas laterais e
pontes lávicas.
62
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores - BG e FQ
Numa gruta de carvão, o equilíbrio químico pode ser influenciado pela presença de gases e
substâncias químicas presentes no ambiente. Geralmente, as grutas de carvão possuem altas
concentrações de dióxido de carbono (CO2), metano (CH4) e ácido sulfídrico (H2S), que são gases
comumente produzidos pela decomposição da matéria orgânica presente no carvão.
Esses gases podem reagir com outros elementos presentes na gruta, como o cálcio, o ferro e o
manganês, formando diferentes compostos. Por exemplo, o dióxido de carbono pode reagir com a
água presente na gruta para formar ácido carbônico (H2CO3), que pode dissolver o calcário e criar
formações como estalactites e estalagmites.
A idade aproximada desta gruta é entre 5.000 a 12.000 anos.
As grutas de Mira de Aire já são completamente diferentes formam-se a partir da atuação das
águas da chuva sobre o calcário, são formadas a partir da reação em equilíbrio químico de
dissolução do carbonato de cálcio com a água e o gás carbónico.
Estas grutas foram descobertas em 1947 por habitantes locais.
Numa gruta de calcário, o equilíbrio químico é influenciado pela presença de água e dióxido de
carbono (CO2) no ambiente. A água, que geralmente é rica em dióxido de carbono, pode dissolver
o calcário presente na gruta, criando formações como estalactites, estalagmites e colunas.
A dissolução do calcário é um processo químico que envolve a reação do carbonato de cálcio
(CaCO3) com ácido carbônico (H2CO3), que é formado pela reação do dióxido de carbono com a
água. Essa reação forma íões bicarbonato (HCO3-) e cálcio (Ca2+), que ficam em equilíbrio
químico com o carbonato de cálcio.
O equilíbrio químico nesse sistema é governado pelo Princípio de Le Chatelier, que afirma que
um sistema em equilíbrio tende a se ajustar para minimizar qualquer perturbação externa.
Portanto, se a concentração de um dos produtos ou reagentes for alterada, o equilíbrio químico
será deslocado para compensar essa mudança.
63
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores - BG e FQ
A visita de estudo foi muito interessante quer no âmbito da FQA quer no âmbito de BG e
proporcionou agradáveis momentos de convívio entre todos os alunos e professores.
Registos fotográficos feitos pelos alunos
Gabriel Pereira nº6
Guilherme Furtado nº7
11º B Prof Isabel Pinto
Pedro Mendes nº13
Pedro Pinho nº14
11º B Prof Isabel Pinto
64
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ
Visita de estudo aos Açores
Na visita de estudo aos Açores, que decorreu de 27 de fevereiro a 3 de março, foram
estudados variados domínios dentro das disciplinas de físico-química, biologia e geologia e no
âmbito da cidadania e desenvolvimento. No nosso trabalho iremos abordar três pontos
principais:
• A energia geotérmica e a Central Geotérmica Da Ribeira Grande.
• A paisagem açoriana e a importância das Hortênsias na indicação do pH do solo e na
agricultura biológica.
• As Grutas do Carvão.
Energia Geotérmica e a Central Geotérmica da Ribeira Grande
A Energia Geotérmica é, a energia obtida pelo calor contido no interior da Terra. Mais
especificamente trata-se de parte do calor da Terra que pode ser aproveitado pelo Homem.
Este calor é constantemente transmitido para a superfície terrestre e chega a esta superfície de
uma forma difusa, sendo perdido para o espaço por radiação.
Foto 1: Central Geotérmica
65
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ
À semelhança de outras regiões, as Açores apresentam recursos geotérmicos. Existem
reservatórios geotérmicos, que são volumes confinados de rochas quentes que contém um fluido
quente sob, por exemplo a forma de agua ou vapor, que permitem a produção comercial de
eletricidade.
Para esta produção de eletricidade (energia elétrica), são retirados através de dutos grandes
quantidades de vapor de água com temperaturas altíssimas que, de seguida, são conduzidos ate
um gerador que transforma esta energia geotérmica em energia elétrica, processo denominado
indução eletromagnética, representando uma fonte de energias renováveis.
No Arquipélago dos Açores, a energia geotérmica tem um papel fundamental ao contribuir
para a autonomia energética da região. Através da operação das centrais da Ribeira Grande e do
Pico Vermelho, a EDA RENOVAVEIS explora assim os recursos geotérmicos para a produção desta
energia.
A Central Geotérmica da Ribeira Grande iniciou a sua operação em 1994 e apresenta,
atualmente, 4 grupos geradores de energia. Nesta central registam-se nos reservatórios
temperaturas máximas, a uma profundidade de 1000 metros, de 245 graus.
A energia geotérmica tem vindo a ter um papel cada vez mais importante no mercado
energético açoriano, contribuindo assim para o cumprimento das metas da União Europeia
relativas à produção de energia através de recursos renováveis.
66
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ
A paisagem açoriana e a importância das Hortênsias na indicação do pH do solo e na
agricultura biológica.
Na nossa visita não foram visualizadas hortênsias devido à época em que esta decorreu, não
sendo a época correspondente á sua altura de floração.
As Grutas do Carvão
A Gruta do Carvão está localizada no concelho de Ponta Delgada e constitui o maior túnel
lávico da ilha de S.Miguel. Esta gruta desenvolve-se numa extensa escoada lávica basáltica, com
orientação N-S, cujo centro emissor deverá estar na zona central do “Complexo Vulcânico dos
Picos”. De acordo com trabalhos de datação radiométrica, a idade de formação desta gruta está
compreendida entre 5 e 12 mil anos. Sendo atribuída uma idade Holocénica. Uma das suas
principais características é a existência de dois túneis sobrepostos, ao longo de cerca de 200
metros.
Do teto pendem inúmeras estalactites, quer primárias, que resultam da solidificação de
pingos de lavas e apresentam em geral uma forma cónica e superfície lisa, quer secundárias, que
surgem como resultado da alteração e acumulação de águas de escorrência que se infiltram na
gruta. Estas águas são também responsáveis por fenómenos de oxidação das rochas basálticas
que formam a gruta do Carvão, conferindo-lhes tonalidades avermelhadas ou alaranjadas junto
das fendas e outros locais de infiltração.
Nos túneis lávicos é comum a presença de estruturas salientes nas paredes laterais, que são
os “registos” dos níveis de escoamento das lavas que percorreram o interior. O chão da gruta é
constituído principalmente por escoadas lávicas do tipo aa, apresentando uma superfície
bastante irregular, mas existindo também pequenas áreas de superfície lisa formada por lavas
pahoehoe.
67
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ
Nesta Gruta existem comunidades biológicas adaptadas às condições particulares destas
estruturas (ausência de luminosidade e elevada humidade), como: bactérias quimiossintéticas
(pois não têm como fazer a fotossíntese) e de aranhas. As raízes que atravessam o teto rochoso e
penetram no seu interior são também muito importantes, uma vez que fornecem suporte físico e
nutritivo para estas comunidades bióticas.
A Gruta do Carvão apresenta diversas potencialidades quer científicas quer didáticas quer
turísticas.
As grutas do carvão e as suas diferenças com as grutas de Mira de Aire em Portugal Continental
As Grutas de Mira de Aire situam-se na serra d'Daire, no distrito de Leiria. Foram descobertas
quando dois homens desceram até uma pequena galeria a 20 metros de profundidade.
68
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ
O eco denunciou maiores dimensões, mas a escuridão não os permitiu explorar. Dois anos mais
tarde é que foram encontrar a continuação desta gruta. Têm até hoje, uma extensão de 11 km e a
rocha mais abundante o calcário.
Mais aprofundadamente, aquela região é caracterizada por não ser atravessada por nenhum
rio, pois a água das chuvas infiltra-se quase totalmente nas fendas da rocha em vez de escorrer
pelas vertentes e originar rios. Ao penetrar nas pequenas fissuras de rocha (calcário que é
dissolvido pela água), a água alarga-as por dissolução e transforma-as em corredores ou poços
naturais que têm o nome de lagares. Foi num destes lagares que os habitantes entraram em 1947
e teve início a descoberta da gruta.
Uma parte das águas vai sofrendo evaporação, diminuindo a quantidade de CO2 que nela
existia. Esta operação forma carbonato de cálcio que fica suspenso nos tetos sob formas sólidas
com o vértice para baixo pela qual vão “crescendo” lentamente ao longo de séculos, tendo como
nome, estalactites. Podem também, nascer a partir do chão sendo conhecidas como estalagmites.
Pode ainda haver união formando magníficas colunas.
As Grutas de Mira de Aire são então uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal.
Carolina Sarmento e Maria Inês 11.ºC
Professora. Isabel Pinto
69
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
Fenómenos físicos e aplicações na nossa vida quotidiana
70
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
Trabalho realizado por:
Clara Pires e Matilde Azevedo, 11ºC
Prof Isabel Pinto
71
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
72
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
73
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
74
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
75
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
Fibras óticas
76
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
Maria Inês nº15 ; Nídia Dias nº20; 11º C
Prof Isabel Pinto
77
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
Qual a importância da refração da luz nas aplicações do nosso dia-a-dia?
Qual a importância da refração da luz?
Por meio da refração é possível descrever a característica policromática da luz do Sol e verificar
as cores monocromáticas que a formam, elucidando também o princípio da formação do arco-
íris. Também observamos refração em lentes usadas para corrigir problemas de visão, lentes para
aumentar e reduzir imagens, etc.
Na formação do arco-íris…
A luz solar incidente sobre as gotículas de água presentes na atmosfera
sofre refração e espalha-se de acordo com o índice de refração da água
para cada frequência de luz. Isso causa a formação dos arco-íris
Nas lentes e nos óculos…
As lentes usadas nos óculos e lentes de contacto usam a refração para
corrigir o caminho da luz em direção aos nossos olhos. Em termos
simples, quanto mais espessa e curvada é uma lente, maior é a sua
capacidade de mudar a direção dos raios luminosos.
Na observação do fundo de piscinas…
Ao olharmos para o fundo de uma piscina, percebemos que a
profundidade observada não corresponde à profundidade real. Isso
ocorre em virtude de uma ilusão de ótica decorrente da refração da
luz. Isis Fernandes nº 11, Maria Senhorinha nº16-11º C
Prof Isabel Pinto
78
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Português - 12.ºC – Trabalho 100.ª aula
79
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Português - 12.ºC – Trabalho 100.ª aula
80
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Português - 12.ºD – Trabalho 100.ª aula
81
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: Português - 12.ºD – Trabalho 100.ª aula
82
DeClara nº 64 abril 2023
Ensino Secundário: 12.º D a participar no “Braço Direito”
Vários alunos da turma do 12.º D irão participar no mês de maio no projeto “Braço Direito”.
O Braço Direito é um Programa da Junior Achievement que leva os alunos do Ensino
Secundário a terem contacto com a realidade empresarial, acompanhando voluntários, no seu
ambiente de trabalho, durante um dia. Cada voluntário recebe um aluno e mostra-lhe quais são
as tarefas habituais da sua função, partilha conhecimentos com o aluno que estará ao seu lado, o
qual coloca questões, compreende a aplicação prática das matérias que aprende na escola e
conhece a estrutura organizacional de uma empresa.
Através desta experiência prática, os alunos adquirem conhecimentos sobre a cultura, ética
de trabalho e as várias opções de carreiras existentes, podendo abrir os seus horizontes.
Objetivos deste programa:
- Possibilitar aos alunos o contacto com uma realidade profissional do seu interesse.
- Fazer com que a disponibilidade e a experiência dos voluntários constituam uma mais-valia na
sua orientação vocacional e no empenho escolar.
A Professora de Geografia C 12.ºD
Isabel Maria Pereira
83
DeClara nº 64 abril 2023
Ponto Um – Apresentação do Plano de Ação 2022-2023;
Ponto Dois – Workshop sobre Economia Circular – Formação no âmbito dos Resíduos e sua
separação;
Ponto Três – Divulgação dos dados do projeto “Pegada da Formiga”;
Ponto Quatro – Outros assuntos
Partindo-se das diversas sugestões dos eco-conselheiros na 2ª reunião, bem como de
diferentes Desafios que algumas turmas e seus professores aceitaram desenvolver, construi-se um
Plano de Ação muito diverso e exigente, mas que todos procuraremos levar a cabo.
Na última reunião do Eco-Conselho de fevereiro, os alunos revelaram insatisfação e alguma
incompreensão face aos locais onde são colocados os pontos de triagem dos resíduos. Após
debate nessa reunião consideramos ser importante criar um momento de formação e de
aprofundamento de conhecimentos sobre Economia Circular. Deste modo, foi possível contar com
um Workshop no âmbito dos Resíduos e sua separação dinamizado pela Dra. Sandra Rodrigues da
Lipor.
Formação e Partilha!
Projetos: 3ª Reunião do Eco-Conselho – Formação e Partilha!
No passado dia 29 de março, realizou-se a 3ª reunião do Eco-Conselho 22-23.
Esta reunião constitui mais um momento de (In)Formação, partilha e debate.
A ordem de trabalho foi a seguinte:
Dinamização do workshop
84
DeClara nº 64 abril 2023
Projetos: 3ª Reunião do Eco-Conselho – Formação e Partilha!
Foi-nos dito, entre outras coisas, que devemos fazer a triagem dos resíduos, contribuindo para
uma gestão sustentável dos resíduos e optar por práticas mais sustentáveis na gestão dos nossos
resíduos, praticando a política dos 5R (Repensar, Recusar, Reduzir; Reutilizar e Reciclar).
Foi ainda possível recordar o que podemos colocar nos diferentes Ecopontos, a saber:
Na segunda parte da reunião, o universitário Francisco Manta, antigo aluno do Clara de
Resende, apresentou os resultados obtidos num projeto que levou a cabo com o seu colega
Rodrigo Sousa no ano letivo transato, na disciplina de Química do 12º ano, intitulado “A Pegada
da Formiga” em parceria com a empresa CEiiA. Este projeto tinha como objetivo “lançar um
movimento que contribua para a neutralidade carbónica da escola e na cidade do Porto, através
da mudança de comportamento e do recurso a soluções baseadas na natureza para sequestrar
carbono e remover poluentes atmosféricos” (In Projeto Pegada da Formiga, 2023).
85
DeClara nº 64 abril 2023
Projetos: 3ª Reunião do Eco-Conselho – Formação e Partilha!
O Francisco Manta a apresentar o Projeto “Pegada da Formiga”
Estes alunos constataram que a escola está situada numa região com níveis elevados de
emissões de carbono e de poluentes atmosféricos que põem em causa a saúde pública e o
ambiente. Neste sentido, elaboraram um projeto muito importante que foi partilhado com todos
e que serviu para sensibilizar toda a comunidade educativa para a importância de criar medidas
promotoras do sequestro do CO2, nomeadamente, a sugestão para repor no recinto escolar as
árvores que morreram, mas optando por espécies com elevada capacidade de sequestro
carbónico, como o Ácer Plátano, o Ácer Negundo, o Bordo ou o Loureiro, com apadrinhamento
dos alunos /turmas ao longo do tempo. Pretende-se ainda, promover o sentido de
responsabilidade e vinculação emocional com a Natureza que devemos expandir, proteger e
cuidar, tal como o Francisco, referiu e sensibilizou os presentes.
Neste ponto de partilha, o Dr. Miguel Oliveira, Presidente da Associação de Pais da EBSCR,
informou que a Associação de Pais em conjunto com a direção da escola, elaboraram um projeto
para a requalificação do recinto escolar/recreio que submeteram ao Orçamento Participativo da
Junta de Freguesia de Ramalde, tendo sido este aprovado. Tal significa, entre outras
requalificações, existir verba financeira para comprar e colocar as cerca de 18 árvores que
86
DeClara nº 64 abril 2023
Projetos: 3ª Reunião do Eco-Conselho – Formação e Partilha!
morreram e criar um canteiro de aromáticas. Isto permite dar continuidade ao projeto “Pegada da
Formiga”.
Por último, a professora responsável pelo projeto Eco-escolas solicitou aos alunos presentes a
sua colaboração em atividades do plano que ainda não estavam atribuídas a nenhuma turma e,
para o qual necessitava da colaboração dos eco-conselheiros. Por tudo isto consideramos que se
tratou de uma reunião muito profícua, motivadora para os jovens eco-conselheiros e elucidativa!
Até breve 😊
Intervenção do Dr. Miguel Oliveira, Presidente da Associação de Pais da EBSCR
A responsável pelo projeto Eco-Escola 22-23 A coordenadora de projetos da EBSCR
Isolina Silva Isabel Pinto
87
DeClara nº 64 abril 2023
Serviço de Psicologia e Orientação: Laço Azul
Campanha do Laço Azul
No âmbito do Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância e Juventude, a decorrer no
mês de Abril, a nossa escola aderiu mais uma vez à campanha de sensibilização para esta
temática.
Construímos um laço azul que tem estado afixado no exterior da entrada da escola, visível
para toda a comunidade escolar.
Enviámos registo fotográfico para a CNPDPCJ (Comissão Nacional de promoção dos direitos e
proteção das crianças e jovens), para que faça parte da Campanha promovida a nível nacional e
que será visível na comunicação social.
Porquê o mês de Abril e porquê o laço azul, perguntam vocês?
Em 1989, uma mulher norte-americana (Bonnie Finney) amarrou uma fita azul na antena do
carro, em homenagem ao seu neto, vítima mortal de maus-tratos. A criança tinha sido
maltratada pela mãe (filha de Bonnie) e pelo namorado. Com esse gesto quis “fazer com que as
pessoas se questionassem”.
88
DeClara nº 64 abril 2023
A história que Bonnie Finney contou aos elementos da sua comunidade foi trágica: o seu neto
já tinha morrido de forma brutal por ter sido espancado pela mãe e pelo namorado. O azul, que
simboliza a cor das lesões, servir-lhe-ia por isso como uma imagem constante na sua luta na
proteção das crianças contra os maus-tratos.
Esta campanha, que começou como uma homenagem desta avó ao neto, expandiu-se e,
atualmente, muitos países usam as fitas azuis, durante o mês de abril, em memória daqueles que
morreram ou são vítimas de abuso infantil e também como forma de apoiar as famílias e
fortalecer as comunidades, nos esforços necessários para prevenir o abuso infantil e a negligência.
Em Portugal, a campanha, simbolizada pelo Laço Azul, é amplamente divulgada por todo o
território, quer pela Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e
Jovens, quer pelas CPCJ, que realizam numerosas ações de prevenção contra os maus-tratos.
“Serei o que me deres…que seja amor”, é o Slogan da Comissão Nacional, que seja também o de
todos e de cada um de nós.
Natália Amaral
Assistente social SPO
AE Clara de Resende
Serviço de Psicologia e Orientação: Laço Azul
89
DeClara nº 64 abril 2023
Serviço de Psicologia e Orientação: Mostra da U.Porto
No dia 20 de Abril, o Serviço de Psicologia e Orientação (SPO) organizou uma visita para as
turmas do ensino secundário (12º e 11º anos) à 20ª Mostra da Universidade do Porto que teve
lugar no Pavilhão Multiusos de Gondomar.
Estiveram presentes neste evento as 14 faculdades, centros de investigação e outros serviços
da Universidade do Porto.
Assim, durante essa manhã os 90 alunos que foram, tiveram a oportunidade de explorar o
que de melhor se faz na academia, e ficar a conhecer um pouco mais sobre a transição para o
ensino superior. Para isso, contaram com a companhia de centenas de docentes, técnicos e
estudantes da U.Porto, que estiveram disponíveis para auxiliar e esclarecer as dúvidas dos
futuros universitários.
MOSTRA DA UNIVERSIDADE DO PORTO
90
DeClara nº 64 abril 2023
Serviço de Psicologia e Orientação: Mostra da U.Porto
Num percurso pelo recinto, foi possível a participação em dezenas de atividades interativas
de experimentação e demonstração científica propostas pelas diferentes faculdades, bem
como a obtenção de informação e conhecimento sobre os respetivos planos de estudo e
experiências extracurriculares.
Aspeto geral da Mostra
Diversas atividades interativas
91
DeClara nº 64 abril 2023
Diogo Lima
(Psicólogo – Escola Clara de Resende)
Serviço de Psicologia e Orientação: Mostra da U.Porto
Interação, experimentação e demonstração científica
Experiências extracurriculares
92
DeClara nº 64 abril 2023
Associação de Pais e Encarregados de Educação Clara de Resende
APECR ORGANIZA PROGRAMA-PILOTO
DE
EXPLORAÇÃO VOCACIONAL E DE PROMOÇÃO DA EMPREGABILIDADE
A inovação tecnológica e a globalização da economia transformaram o mundo do trabalho.
Mudou a forma como as empresas operacionalizam o seu modelo de negócio e como as pessoas
comunicam e realizam as suas tarefas. A mudança faz-se sentir a um ritmo acelerado, e se
apresenta desafios, muitas vezes percebidos como ameaçadores à manutenção dos nossos postos
de trabalho, também se traduz em oportunidades. Surgem novos perfis profissionais e é imperioso
o desenvolvimento de novas habilidades e competências. Estas mudanças têm por consequência
colocar as pessoas, num determinado momento da sua vida, perante a necessidade de pensar o seu
percurso profissional, de fazer o balanço dos seus saberes, das suas competências e experiências.
Também assim acontece com os jovens, que muito cedo se veem perante o desafio de refletir e
projetar o seu futuro no mercado de trabalho.
Consciente deste desafio, a Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica
e Secundária Clara de Resende ambicionou proporcionar aos alunos do 9º ano e do ensino
secundário momentos estruturados e apoiados de reflexão nestas matérias, tendo organizado para
esse efeito a iniciativa "Futuro às Claras - Cenários de Orientação Vocacional e de
Empregabilidade". E fê-lo em estreita colaboração e articulação com a Direção Executiva do
Agrupamento de Escolas.
Esta iniciativa, estruturada num conjunto de palestras, workshops e visitas a empresas, teve
como objetivo disponibilizar informações e ferramentas relevantes no âmbito da orientação
vocacional e da empregabilidade, bem como proporcionar experiências em contexto laboral, onde
foi explorado o universo de profissões que as organizações comportam e as características que as
mesmas valorizam no processo de procura de talento.
93
DeClara nº 64 abril 2023
Associação de Pais e Encarregados de Educação Clara de Resende
Nesta primeira edição, que decorreu de 11 a 14 de abril, num formato considerado piloto, os
alunos participaram em palestras e workshops que, por um lado, estimularam o
autoconhecimento e a reflexão sobre as escolhas que pautam o percurso educativo e a
importância de definir e gerir cenários possíveis de progressão no ensino, e que, por outro,
94
DeClara nº 64 abril 2023
Associação de Pais e Encarregados de Educação Clara de Resende
favoreceram uma tomada de decisão mais consciente e informada, com base nos interesses, nas
competências e nos projetos de vida dos alunos. No âmbito das visitas a empresas e organizações,
os alunos tiveram a oportunidade de conhecer o contexto de trabalho do CEiiA - Centro de
Engenharia e Desenvolvimento de Produto, da Porto Business School, da Farfetch e da Reitoria da
Universidade do Porto, visitas que os ajudaram a compreender as características e tendências do
mercado de trabalho e a melhor projetar o seu futuro no mundo laboral.
Participaram nas diversas sessões temáticas, entre Workshops, Palestras e visitas institucionais
em contexto laboral e de contacto com a realidade do mundo do trabalho e suas profissões, mais
de 60 jovens.
Esta iniciativa, que contou com a participação de formadores com profunda experiência na sua
área de atuação e de organizações de referência, superou todas as expectativas, indo ao encontro
do objetivo a que a Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica e Secundária
Clara de Resende se propôs, entre outros, de promover a tomada de consciência dos desafios
existentes e/ou emergentes no contexto atual e futuro e permitir o contacto com importantes
ferramentas que desenvolvam as suas competências em diversos domínios. Acreditamos, assim,
que a iniciativa "Futuro às Claras - Cenários de Orientação Vocacional e de Empregabilidade"
contribuiu para a construção de um futuro mais promissor nas diferentes dimensões de vida dos
alunos: escolar, profissional e pessoal.
Teresa Chaves
(Associação de Pais e/ou Encarregados de Educação da Escola Clara de Resende)
95
O Jornal da Agrupamento de Escolas Clara de Resende, o DeClara, é um projeto de
promoção da leitura, de caráter mensal e pretende colocar toda a comunidade escolar a ler e
escrever, de modo formativo, informativo e recreativo. Dar a conhecer tudo o que se faz na
escola, presencial ou digitalmente, e dar voz a todos aqueles que querem partilhar algo com a
comunidade educativa… Pretende constituir-se como um instrumento de educação para a
cidadania, de promoção do espírito crítico e de integração dos diferentes saberes, com recurso
às diferentes tecnologias da informação e comunicação, a um nível transversal.
Este projeto dirige-se e envolve alunos do 1.º ao 12.º ano, professores, funcionários,
pais/encarregados de educação e Comunidade educativa em geral. É gratuito, enviado
digitalmente por email para toda a comunidade escolar e fica disponível no blogue das
Bibliotecas do Agrupamento Clara de Resende.
http://bibliotecaescolarclararesende.blogspot.pt/
Os artigos para publicação podem ser enviadas para o email: isabelpereira@clararesende.pt
Com a vossa colaboração e participação, o Jornal será "mais nosso" e sairá muito mais
enriquecido!
PARTICIPA!
Inscreve-te por email (isabelpereira@clararesende.pt) para fazeres parte da equipa do
Jornal.
Convite para participar no DeClara
https://erte.dge.mec.pt/cic-clubes
DeClara nº 64 abril 2023
Convite para participar no Jornal da Escola: DeClara
96
DeClara nº64 ABRIL 2023
Ficha técnica:
Nome do Agrupamento: Agrupamento de Escolas Clara de Resende
Morada: Rua O Primeiro de Janeiro 323, 4100-367 Porto
Contactos Telefone: 22 606 4689
Responsável pela publicação:
Isabel Maria Chaves dos Santos Pereira
• Professora Geografia Grupo – 420
• Professora bibliotecária
• Jornal Escolar, Escola a Ler, Bibliotecas AECR
Regressamos em maio.
Até breve!
DeClara nº 64 abril 2023
1 de maio – Dia do Trabalhador
https://arquivos.rtp.pt/conteudos/1o-de-maio-dia-do-trabalhador/
Retrospetiva histórica sobre a celebração do Dia do Trabalhador, ilustrada com imagens de
arquivo. O 1º de Maio enquanto manifestação de classe e festa popular .

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a DeClara n.º 64 abril 2023.pdf

25 de abril_de_1974
25 de abril_de_197425 de abril_de_1974
25 de abril_de_1974
cresac
 
25 de abril de 1974[1]
25 de abril de 1974[1]25 de abril de 1974[1]
25 de abril de 1974[1]
Ana Sêco
 
Clarice Lispector - Uma geografia fundadora (Antônio Campos
Clarice Lispector - Uma geografia fundadora (Antônio CamposClarice Lispector - Uma geografia fundadora (Antônio Campos
Clarice Lispector - Uma geografia fundadora (Antônio Campos
GQ Shows e Eventos
 
Caderno de resumos III da Semana de História UNEB Campi II Alogoinhas - Bahia
Caderno de resumos III da Semana de História UNEB Campi II  Alogoinhas - BahiaCaderno de resumos III da Semana de História UNEB Campi II  Alogoinhas - Bahia
Caderno de resumos III da Semana de História UNEB Campi II Alogoinhas - Bahia
Francemberg Teixeira Reis
 
Livro 25 de abril
Livro 25 de abrilLivro 25 de abril
Livro 25 de abril
Helena Amaral
 
Boletim informativo Contacto - março 2024
Boletim informativo Contacto - março 2024Boletim informativo Contacto - março 2024
Boletim informativo Contacto - março 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
25 de Abril de 1974
25 de Abril de 197425 de Abril de 1974
25 de Abril de 1974
Lecinha
 
Dia do livro_25_abril
Dia do livro_25_abrilDia do livro_25_abril
Dia do livro_25_abril
Margarida Botelho da Silva
 
Feriados Nacionais
Feriados NacionaisFeriados Nacionais
Feriados Nacionais
zialucio
 
Scena Crítica, n. 02, ano 1.pdf
Scena Crítica, n. 02, ano 1.pdfScena Crítica, n. 02, ano 1.pdf
Scena Crítica, n. 02, ano 1.pdf
Revista Scena Crítica
 
Programação da 9ª Feira do Livro de Feira de Santana
Programação da 9ª Feira do Livro de Feira de SantanaProgramação da 9ª Feira do Livro de Feira de Santana
Programação da 9ª Feira do Livro de Feira de Santana
Feirenses
 
25 de abril r r 4 c
25 de abril r r 4 c25 de abril r r 4 c
25 de abril r r 4 c
fatimarico
 
O 25 de abril
O 25 de abrilO 25 de abril
O 25 de abril
bslf
 
Boletim informativo "Contacto"
Boletim informativo "Contacto"Boletim informativo "Contacto"
Boletim informativo "Contacto"
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Boletim março-2017- pet história
Boletim março-2017- pet históriaBoletim março-2017- pet história
Boletim março-2017- pet história
Larissa Almeida
 
Boletim março-2017- pet história
Boletim março-2017- pet históriaBoletim março-2017- pet história
Boletim março-2017- pet história
Larissa Almeida
 
BOLETIM DE MARÇO 2017
BOLETIM DE MARÇO 2017BOLETIM DE MARÇO 2017
BOLETIM DE MARÇO 2017
Lucas Tadeu
 
Boletim Informativo - Março 2017 - PET HISTÓRIA
Boletim Informativo - Março 2017 - PET HISTÓRIABoletim Informativo - Março 2017 - PET HISTÓRIA
Boletim Informativo - Março 2017 - PET HISTÓRIA
Larissa Almeida
 
Criações da memória defensores e críticos da ditadura
Criações da memória defensores e críticos da ditaduraCriações da memória defensores e críticos da ditadura
Criações da memória defensores e críticos da ditadura
catoper
 
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdfDeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 

Semelhante a DeClara n.º 64 abril 2023.pdf (20)

25 de abril_de_1974
25 de abril_de_197425 de abril_de_1974
25 de abril_de_1974
 
25 de abril de 1974[1]
25 de abril de 1974[1]25 de abril de 1974[1]
25 de abril de 1974[1]
 
Clarice Lispector - Uma geografia fundadora (Antônio Campos
Clarice Lispector - Uma geografia fundadora (Antônio CamposClarice Lispector - Uma geografia fundadora (Antônio Campos
Clarice Lispector - Uma geografia fundadora (Antônio Campos
 
Caderno de resumos III da Semana de História UNEB Campi II Alogoinhas - Bahia
Caderno de resumos III da Semana de História UNEB Campi II  Alogoinhas - BahiaCaderno de resumos III da Semana de História UNEB Campi II  Alogoinhas - Bahia
Caderno de resumos III da Semana de História UNEB Campi II Alogoinhas - Bahia
 
Livro 25 de abril
Livro 25 de abrilLivro 25 de abril
Livro 25 de abril
 
Boletim informativo Contacto - março 2024
Boletim informativo Contacto - março 2024Boletim informativo Contacto - março 2024
Boletim informativo Contacto - março 2024
 
25 de Abril de 1974
25 de Abril de 197425 de Abril de 1974
25 de Abril de 1974
 
Dia do livro_25_abril
Dia do livro_25_abrilDia do livro_25_abril
Dia do livro_25_abril
 
Feriados Nacionais
Feriados NacionaisFeriados Nacionais
Feriados Nacionais
 
Scena Crítica, n. 02, ano 1.pdf
Scena Crítica, n. 02, ano 1.pdfScena Crítica, n. 02, ano 1.pdf
Scena Crítica, n. 02, ano 1.pdf
 
Programação da 9ª Feira do Livro de Feira de Santana
Programação da 9ª Feira do Livro de Feira de SantanaProgramação da 9ª Feira do Livro de Feira de Santana
Programação da 9ª Feira do Livro de Feira de Santana
 
25 de abril r r 4 c
25 de abril r r 4 c25 de abril r r 4 c
25 de abril r r 4 c
 
O 25 de abril
O 25 de abrilO 25 de abril
O 25 de abril
 
Boletim informativo "Contacto"
Boletim informativo "Contacto"Boletim informativo "Contacto"
Boletim informativo "Contacto"
 
Boletim março-2017- pet história
Boletim março-2017- pet históriaBoletim março-2017- pet história
Boletim março-2017- pet história
 
Boletim março-2017- pet história
Boletim março-2017- pet históriaBoletim março-2017- pet história
Boletim março-2017- pet história
 
BOLETIM DE MARÇO 2017
BOLETIM DE MARÇO 2017BOLETIM DE MARÇO 2017
BOLETIM DE MARÇO 2017
 
Boletim Informativo - Março 2017 - PET HISTÓRIA
Boletim Informativo - Março 2017 - PET HISTÓRIABoletim Informativo - Março 2017 - PET HISTÓRIA
Boletim Informativo - Março 2017 - PET HISTÓRIA
 
Criações da memória defensores e críticos da ditadura
Criações da memória defensores e críticos da ditaduraCriações da memória defensores e críticos da ditadura
Criações da memória defensores e críticos da ditadura
 
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdfDeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
 

Mais de IsabelPereira2010

DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECRDeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdfDeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
IsabelPereira2010
 
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdfreferenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdfDeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdfDeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdfDeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
IsabelPereira2010
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdfPropostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
IsabelPereira2010
 
Prioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdfPrioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdfDeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdfDeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdfDeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdfDeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 61 janeiro 2023.pdf
DeClara n.º 61 janeiro 2023.pdfDeClara n.º 61 janeiro 2023.pdf
DeClara n.º 61 janeiro 2023.pdf
IsabelPereira2010
 

Mais de IsabelPereira2010 (20)

DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
DeClara n.º 76 MAIO 2024, o jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara de...
 
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
 
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECRDeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdfDeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
 
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdfreferenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
 
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdfDeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
 
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdfDeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
 
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdfDeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
 
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdfPropostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
 
Prioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdfPrioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdf
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
 
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdfDeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
 
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdfDeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
 
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdfDeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
 
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdfDeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
 
DeClara n.º 61 janeiro 2023.pdf
DeClara n.º 61 janeiro 2023.pdfDeClara n.º 61 janeiro 2023.pdf
DeClara n.º 61 janeiro 2023.pdf
 

Último

-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 

Último (20)

-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 

DeClara n.º 64 abril 2023.pdf

  • 1. DeClara Jornal do Agrupamento Escolas Clara de Resende DeClara n.º 64 – Abril 2023 Sofia Lima nº22 “ A Ilustração da Penélope” Rodrigo Amaro nº25 “Os Argonautas" Liberdade Literacia Literatura Democracia Educação Cultura Inclusão Integração Tolerância Respeito PAZ Informação Música Desenvolvimento Integridade Valores Alimentação Habitação Ensino Saúde Equidade Igualdade Oportunidades Férias Salário Emprego Humanidade Verdade Compromisso Honra Direitos Deveres Imagem base https://www.pinterest.pt/violines/pins/
  • 2. 2 TRABALHOS DE ALUNOS E PROFESSORES: 1º CICLO PÁG. 37 ENSINO SECUNDÁRIO PÁG. 49 DECLARA PÁG. 95 EDITORIAL PÁG. 2 Editorial https://erte.dge.mec.pt/cic-clubes 1 MAIO DIA DO TRABALHADOR PÁG. 96 3º CICLO PÁG. 44 CONCURSOS PÁG. 36 PROJETOS PÁG. 83 SERVIÇO PSICOLOGIA ORIENTAÇÃO PÁG. 87 DeClara nº 64 abril 2023 BIBLIOTECA ESCOLAR PÁG. 35 Abril deixou-nos como legado a LIBERDADE. Uma conquista que devemos honrar, respeitar e praticar com dignidade, onde os valores de cidadania e desenvolvimento estejam sempre presentes. Uma conquista que nos mostra que muito foi feito, mas há ainda muito a fazer. A EDUCAÇÃO é um caminho e a ESCOLA um espaço para valorizar e não esquecer o que é a LIBERDADE…É fundamental formar cidadãos que saibam utilizar e usufruir da Liberdade conquistada! Liberdade Liberdade, que estais no céu... Rezava o padre-nosso que sabia, A pedir-te, humildemente, O pio de cada dia. Mas a tua bondade omnipotente Nem me ouvia. — Liberdade, que estais na terra... E a minha voz crescia De emoção. Mas um silêncio triste sepultava A fé que ressumava Da oração. Até que um dia, corajosamente, Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado, Saborear, enfim, O pão da minha fome. — Liberdade, que estais em mim, Santificado seja o vosso nome. Isabel M. Pereira Miguel Torga ASSOCIAÇÃO DE PAIS E PÁG. 92
  • 3. 3 A prova escrita eliminatória do 3.º ciclo, em formato online, decorreu no dia 19 de abril de 2023, quarta feira, pelas 14h na Biblioteca da Escola Clara de Resende. A nossa finalista da fase municipal, 3.º ciclo, a aluna Eva Moreira, do 8.ºF, realizou a prova escrita e foi uma das cinco finalistas apuradas para a realização da prova oral em palco dia 26 de abril 2023. Parabéns à nossa aluna Eva Moreira pela excelente prova prestada! DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – CNL Fase intermunicipal: Escola a ler… Realização da prova online CONCURSO NACIONAL DE LEITURA 16.ª edição - 2022/2023 Fase Intermunicipal da Área Metropolitana do Porto Biblioteca Municipal Florbela Espanca, Matosinhos 19 de abril prova escrita online
  • 4. 4 Boa sorte Eva! Parabéns à nossa aluna Eva Moreira a escola na fase intermunicipal DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – CNL Fase intermunicipal: Escola a ler…
  • 5. 5 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – CNL Fase intermunicipal: Escola a ler… Obras em leitura e análise: • 1.º ciclo: Os livros do rei/David Machado; • 2.º ciclo: Eu, Pedro palito/Maria Teresa Maia Gonzalez; • 3.º ciclo: O rapaz que prendeu o vento/William Kamkwamba; • Secundário: O que procuras está na biblioteca/Michiko Aoyama. A prova oral, para os 5 apurados por categoria, foi em formato presencial e decorreu dia 26 de abril de2023, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Matosinhos. Salão Nobre da Câmara Municipal de Matosinhos, apresentador e júri. Finalistas intermunicipais do 3.º ciclo
  • 6. 6 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar –CNL Fase intermunicipal: Escola a ler… Prova em palco da Eva Moreira: Leitura, resposta às questões e argumentação Os participantes no final da prova
  • 7. 7 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar: Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor
  • 8. 8 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar: Dia Mundial do Livro - 23 de abril Para assinalar o prazer da leitura e o respeito pelos livros e pelos seus autores, a UNESCO instituiu, a partir de 1996, o dia 23 de abril como Dia Mundial do Livro. Esta data foi escolhida com base na lenda de São Jorge e o Dragão, adaptada para honrar a velha tradição catalã segundo a qual, neste dia, os cavaleiros oferecem às suas damas uma rosa vermelha de São Jorge (Sant Jordi) e recebem, em troca, um livro, testemunho das aventuras do heroico cavaleiro. Em simultâneo, é prestada homenagem à obra de grandes escritores, como Shakespeare e Cervantes, falecidos em 1616, exatamente em abril. Também a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, em 2023, presta homenagem a alguns autores portugueses, cujos centenários de nascimento se assinalam: Eduardo Lourenço (1923-2020), Eugénio de Andrade (1923-2005), Mário Cesariny (1923-2006), Mário-Henrique Leiria (1923-1980), Natália Correia (1923-1993) e Urbano Tavares Rodrigues (1923-2013). Para assinalar o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor tivemos o Concurso de Apresentações do Ensino Secundário, na manha do dia 26, na Biblioteca da Escola, e dia 3 de maio, será a vez dos alunos do 2.º ciclo. Na próxima edição do DeClara partilharemos vários momentos da atividade. Atividade dinamizada pelo Departamento de Línguas
  • 9. 9 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Lembrar Abril imagem do fotógrafo Sérgio Guimarães
  • 10. 10 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Lembrar Abril A Revolução de 25 de Abril, também conhecida como Revolução dos Cravos, Revolução de Abril ou apenas por 25 de Abril, refere-se a um evento da história de Portugal resultante do movimento político e social, ocorrido a 25 de abril de 1974, que depôs o regime ditatorial do Estado Novo, vigente desde 1933, e que iniciou um processo que viria a terminar com a implantação de um regime democrático e com a entrada em vigor da nova Constituição a 25 de abril de 1976, marcada por forte orientação socialista. Esta ação foi liderada por um movimento militar, o Movimento das Forças Armadas (MFA), composto na sua maior parte por capitães que tinham participado na Guerra Colonial e que tiveram o apoio de oficiais milicianos. Este movimento surgiu por volta de 1973, baseando-se inicialmente em reivindicações corporativistas como a luta pelo prestígio das forças armadas, acabando por atingir o regime político em vigor. Com reduzido poderio militar e com uma adesão em massa da população ao movimento, a reação do regime foi praticamente inexistente e infrutífera, registando-se apenas quatro civis mortos e quarenta e cinco feridos em Lisboa, atingidos pelas balas da DGS.
  • 11. 11 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Lembrar Abril O movimento confiou a direção do país à Junta de Salvação Nacional, que assumiu os poderes dos órgãos do Estado. A 15 de maio de 1974, o General António de Spínola foi nomeado Presidente da República. O cargo de primeiro-ministro seria atribuído a Adelino da Palma Carlos.[14] Seguiu-se um período de grande agitação social, política e militar conhecido como o PREC (Processo Revolucionário em Curso), marcado por manifestações, ocupações, governos provisórios, nacionalizações e confrontos militares que terminaram com o 25 de novembro de 1975. Estabilizada a conjuntura política, prosseguiram os trabalhos da Assembleia Constituinte para a nova constituição democrática, que entrou em vigor no dia 25 de abril de 1976, o mesmo dia das primeiras eleições legislativas da nova República. Na sequência destes eventos foi instituído em Portugal um feriado nacional no dia 25 de abril, denominado como "Dia da Liberdade". O cravo O cravo vermelho tornou-se o símbolo indissolúvel da Revolução de Abril de 1974. Celeste Caeiro, que trabalhava num restaurante na Rua Braamcamp de Lisboa, tendo o restaurante permanecido encerrado pelos acontecimentos, transportava pelas ruas um ramo de cravos brancos e vermelhos nas mãos. Um soldado pediu-lhe um cigarro, mas ela só tinha flores e decidiu então iniciar a distribuição dos cravos aos soldados, que logo os colocaram nos canos das suas armas. Mais tarde as floristas da Baixa continuaram a replicar o gesto. Por esta razão este dia também ficou conhecido como "Revolução dos Cravos"
  • 12. 12 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Lembrar Abril Uma vendedora de flores oferece CRAVOS vermelhos … Um deles vai para uma lapela dum soldado, um outro para um canhão. Algures, alguém, perto do quartel no Largo do Carmo, por entre a multidão, ecoou quatro palavras doces e profundas: “Viva a Liberdade, pá!”. O povo sai à rua atarantado, seguindo os seus CAPITÃES DE ABRIL, sem perceber muito bem todo aquele turbilhão. Júbilo do povo, sorriso de crianças furam as calçadas de Lisboa num voo ainda incompreendido. Porque não havia agora ninguém perseguido??? As mordaças da Censura tinham caído! Alguma coisa muito boa tinha acontecido! Mas o que poderia estar no alvoroço de tantos tanques e militares e nos ouvidos de milhares após um calar de almas por quase 50 anos??? Concretizavam-se algumas das SENHAS DE ABRIL: “A Desfolhada” da Simone de Oliveira, “E depois do adeus” de Paulo de Carvalho, “A Tourada” de Fernando Tordo, “Grândola Vila Morena” de ZECA AFONSO. Abrem-se pouco a pouco as portas das prisões, para deixar muitos escorrer lágrimas de alegria abraçados a familiares. Rasgam-se documentos pidescos e, agora, num reinar de Ordem aparente, todos esperam, que “O 25 DE ABRIL DE 1974” se prolongue por muitos anos e chegue a toda a gente. T.M “UMA PALAVRA AO DIA DA LIBERDADE”
  • 13. 13 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Lembrar Abril É possível falar sem um nó na garganta é possível amar sem que venham proibir é possível correr sem que seja fugir. Se tens vontade de cantar não tenhas medo: canta. É possível andar sem olhar para o chão é possível viver sem que seja de rastos. Os teus olhos nasceram para olhar os astros se te apetece dizer não grita comigo: não. É possível viver de outro modo. É possível transformares em arma a tua mão. É possível o amor. É possível o pão. É possível viver de pé. Não te deixes murchar. Não deixes que te domem. É possível viver sem fingir que se vive. É possível ser homem. É possível ser livre livre livre. Manuel Alegre, in 𝘖 𝘤𝘢𝘯𝘵𝘰 𝘥𝘢𝘴 𝘢𝘳𝘮𝘢𝘴 pintura de Nathalie Afonso É Possível…
  • 14. 14 DeClara nº 64 abril 2023 O grande símbolo do 25 de abril, é o cravo. E que melhor símbolo para uma revolução pacífica do que esta linda flor que, ainda por cima, é vermelha e verde, as cores da bandeira nacional? O que talvez nem toda a gente saiba é a origem dos cravos colocados no cano das armas dos soldados que fizeram o 25 de abril. A história é bonita e simples: Uma senhora trabalhava numa empresa que ia comemorar um ano de atividade no dia 25 de abril. Tinham-na mandado comprar muitos cravos para a festa de aniversário. Nesse mesmo dia, pela manhã, quando a senhora chegou à empresa, já a revolução estava na rua e os patrões disseram-lhe para levar os cravos, pois, se ficassem ali, murchavam. A senhora trouxe consigo um grande molho de cravos e, quando encontrou os chaimites a subir para o Carmo, perguntou a um soldado: “Era uma vez o 25 de Abril” José Fanha Ilustração Abigail Ascenso Biblioteca Escolar – Lembrar Abril - Vocês estão aqui a fazer o quê? Eles explicaram que iam prender o Marcelo Caetano. E um soldado perguntou: - A senhora, não tem um cigarrinho? - Não tenho cigarros, mas tenho cravos - disse a senhora. E foi dando os cravos aos soldados, que os puseram nos canos das armas. Depois, disso, muitos cravos apareceram. Muita gente foi buscar cravos e os soldados ficavam todos felizes por trazerem o sinal de alegria na lapela. E no cano das armas.
  • 15. 15 DeClara nº 64 abril 2023 "No 25 de abril, o país acordou para uma vida diferente. A liberdade era uma coisa nova, e as pessoas tiveram de se habituar a ela, devagarinho. Como quando nós acordamos, de manhã, e nos custa abrir os olhos de repente, por causa da luz, também Portugal teve de aprender a viver sem ditadura. É bonito fazermos o que queremos, mas a liberdade não é só nossa. É normal que não pensemos todos da mesma maneira. E é bom. - Sabes, filho, quando eu disse que aquela flor se chama Liberdade, não estava a brincar. A liberdade é frágil. Tem muitos inimigos. E é como uma flor, que tem de ser muito bem cuidada, para não ficar murcha. Essa é a maior lição do 25 de abril. Um dia, também tu vais ter o poder de decidir, com o teu voto, o que queres para o nosso país. Se não o fizeres, os outros vão decidir por ti. E quando os outros decidem por nós, não somos livres. " "A Flor de abril : uma história da revolução dos cravos" Pedro Olavo Simões Ilustração de Abigail Ascenso Biblioteca Escolar – Lembrar Abril
  • 16. 16 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Lembrar Abril 25 de Abril 1974-2023 Esta é a madrugada que eu esperava O dia inteiro e limpo Onde emergimos da noite e do silencio E livres habitamos a substância do tempo. Sophia de Mello Bryner Andresen, in “O Nome das Coisas”
  • 17. 17 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Lembrar Abril por Helena Vieira da Silva Árvore Onde os frutos maduram: sal e sol em minhas veias, luz e mel em boca alheia. Onde plantei a alta acácia das febres eu mesmo me deitei, para ser a raiz da semente, e de madeira e seiva se fez o meu corpo. Agora, chove dentro de mim, em minhas folhas se demoram gotas, suspensas entre um e outro Sol. Em mim pousam cantos e sombras e eu não sei se são aves ou palavras. Mia Couto, em Vagas e Lumes
  • 18. 18 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar –Lembrar Abril Porque Porque os outros se mascaram, mas tu não Porque os outros usam a virtude Para comprar o que não tem perdão Porque os outros têm medo, mas tu não Porque os outros são os túmulos caiados Onde germina calada a podridão. Porque os outros se calam, mas tu não. Porque os outros se compram e se vendem E os seus gestos dão sempre dividendo. Porque os outros são hábeis, mas tu não. Porque os outros vão à sombra dos abrigos E tu vais de mãos dadas com os perigos. Porque os outros calculam, mas tu não. Sophia de Mello Breyner Andresen As mãos Com mãos se faz a paz se faz a guerra Com mãos tudo se faz e se desfaz Com mãos se faz o poema ─ e são de terra. Com mãos se faz a guerra ─ e são a paz. Com mãos se rasga o mar. Com mãos se lavra. Não são de pedra estas casas mas de mãos. E estão no fruto e na palavra as mãos que são o canto e são as armas. E cravam-se no Tempo como farpas as mãos que vês nas coisas transformadas. Folhas que vão no vento: verdes harpas. De mãos é cada flor cada cidade. Ninguém pode vencer estas espadas: nas tuas mãos começa a liberdade. Manuel alegre
  • 19. 19 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Escola a ler - Ler em Abril – Lembrar Abril
  • 20. 20 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar: Liberdade. Literacia. Leitura. Literatura
  • 21. 21 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Abril: Escola a ler… Agrupamento de Escolas Clara de Resende Escola Básica João de Deus Escola Básica e Secundária Clara de Resende O Projeto “Escola a ler”, iniciativa promovida pela Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), pelo Plano Nacional de Leitura (PNL) e pela Direção-Geral de Educação (DGE), integrada no Plano Escola + 21|23, visa trabalhar a leitura de forma sistemática, estruturada e diversificada e constituir uma rede colaborativa de trabalho e partilha, no âmbito desta medida. “ESCOLA A LER” Em abril continuamos a Ler, a Escrever, a Desenhar… Atividades 1. Atividades em desenvolvimento no Agrupamento de Escolas Clara de Resende - Leitura orientada. - Projeto Pessoal de Leitura. - Tempo para ler e pensar! - Vou levar-te comigo! a) Leitura orientada Realização de atividades que proporcionem o contacto dos alunos com livros que os motivem e estimulem a prática regular e continuada da leitura e da escrita: uma hora por dia no primeiro ciclo do ensino básico e uma hora por semana no segundo ciclo do ensino básico.
  • 22. 22 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Abril: Escola a ler… b) Projeto Pessoal de Leitura. Desenvolvimento de projetos individuais de leitura que explicitem objetivos de leitura e impliquem o contacto com temas comuns em obras, em géneros e em manifestações artísticas diferentes obras escolhidas em contrato de leitura com o(a) professor(a). c) Tempo para ler e pensar! Leitura e exploração de livros, jornais, revistas e/ ou outros materiais de leitura na biblioteca escolar em articulação com docentes de diferentes áreas curriculares, com periodicidade e tempo estipulados (desejavelmente mensal, em cada turma). d) Vou levar-te comigo! Dinamização periódica de sessões de requisição domiciliária na biblioteca escolar, em articulação com os docentes da turma e com recurso a estratégias motivadoras. Escola a ler 11.ºB e 11.ºC 5.º ano 5.º ano
  • 23. 23 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Escola a ler…tempo para ler e pensar Cem Anos de Solidão Gabriel Garcia Márquez (1927-2014) México (escritor, jornalista, editor, ativista e político colombiano) Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o coronel Aureliano Buendía haveria de recordar aquela tarde remota em que o pai o levou a conhecer o gelo. Macondo era então uma aldeia de vinte casas de barro e cana, construídas na margem de um rio de águas transparentes, que se precipitavam por um leito de pedras polidas, brancas e enormes como ovos pré-históricos. O mundo era tão recente que muitas coisas ainda não tinham nome e para as mencionar era preciso apontar com o dedo. Todos os anos, pelo mês de Março, uma família de ciganos andrajosos montava a sua tenda perto da aldeia e, num grande alvoroço de apitos e timbales, davam a conhecer as novas invenções. Primeiro levaram o íman. Um cigano corpulento, de barba ferina e mãos de pardal-dos-telhados, que se apresentou com o nome de Melquídades, fez uma truculenta demonstração daquilo que ele próprio denominava de oitava maravilha dos sábios alquimistas da Macedónia. Foi de casa em casa a arrastar dois lingotes metálicos, e toda a gente ficou espantada ao ver como as caldeiras, os tachos, as tenazes e os fogareiros caiam dos seus lugares, e as madeiras rangiam pelo desespero dos pregos e dos parafusos que tentavam
  • 24. 24 DeClara nº 64 abril 2023 despregar-se, e até os objectos perdidos há muito tempo apareciam por onde mais se procurara e arrastavam-se em debandada turbulenta atrás dos ferros mágicos de Melquíades. “As coisas têm vida própria”, apregoava o cigano com um sotaque áspero, “é tudo uma questão de lhes acordar a alma.” José Arcadio Buendía, cuja imaginação desaforada andava sempre à frente do engenho da Natureza e ainda mais além do milagre e da magia, pensou que era possível servir- se daquele invento inútil para desentranhar o ouro da terra. Melquíades, que era um homem honrado, preveniu-o: “Para isso não serve.” Mas José Arcadio Buendía não acreditava, naquela altura, na honradez dos ciganos, de modo que trocou a sua mula e algumas cabras pelos dois lingotes magnetizados. Úrsula Iguarán, sua mulher, que contava com aqueles animais para dar uma certa folga ao desmedrado património doméstico, não conseguiu dissuadi-lo. “Depressa nos sobrará ouro com que empedrar a casa” replicou-lhe o marido. Durante vários meses empenhou- se em demonstrar o acerto das suas conjecturas. Explorou a região palmo a palmo, até ao fundo do rio, arrastando os dois lingotes de ferro e recitando em voz alta o esconjuro de Melquíades. A única coisa que conseguiu desenterrar foi uma armadura do século XV, com todas as suas partes soldadas por uma camada de ferrugem, cujo interior tinha a ressonância oca de uma enorme cabaça cheia de pedras. Quando José Arcadio Buendía mais os quatro homens da sua expedição conseguiram desarticular a armadura, encontraram lá dentro um esqueleto calcificado que tinha pendurado ao pescoço, um relicário de cobre com uma madeixa de mulher. DESAFIO: Lê com atenção o seguinte excerto…. “Primeiro levaram o íman. Um cigano corpulento, de barba ferina e mãos de pardal-dos-telhados, que se apresentou com o nome de Melquídades, fez uma truculenta demonstração daquilo que ele próprio denominava de oitava maravilha dos sábios alquimistas da Macedónia.” O que sabes sobre as forças magnéticas? E sobre os imanes? E o magnetismo terrestre? Será a oitava maravilha, como se afirma no texto? Prof M Isabel Pinto, 11º B e C Biblioteca Escolar – Escola a ler…tempo para ler e pensar
  • 25. 25 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar: Leitura Orientada em Sala de Aula e na BE A BE apoia a Leitura Orientada em Sala de Aula Plano 21|23 Escola+ A leitura é fundamental para o sucesso dos alunos pela sua transversalidade e pela forma como influencia as aprendizagens em todas as áreas curriculares. O sucesso neste domínio está diretamente relacionado com a frequência de contactos com livros e com práticas de leitura, pelo que o tempo dedicado à leitura condiciona de forma decisiva os progressos na compreensão, cabendo à escola um papel relevante no ensino da leitura e na promoção do gosto de ler. No âmbito do Plano 21|23 Escola+, que visa a recuperação das aprendizagens, procurando garantir que ninguém fica para trás, o PNL2027 disponibiliza propostas de trabalho integradas na ação Escola a Ler: para os 1.º e 2.º ciclos, Leitura Orientada na Sala de Aula e, para o 3.º ciclo, Contratos de Leitura. Escola a Ler em sala de aula e na Biblioteca Escolar
  • 26. 26 A leitura é fundamental para o sucesso dos alunos pela sua transversalidade e pela forma como influencia as aprendizagens em todas as áreas curriculares. O sucesso neste domínio está diretamente relacionado com a frequência de contactos com livros e com práticas de leitura, pelo que o tempo dedicado à leitura condiciona de forma decisiva os progressos na compreensão, cabendo à escola um papel relevante no ensino da leitura e na promoção do gosto de ler. No âmbito do Plano 21|23 Escola+, que visa a recuperação das aprendizagens, procurando garantir que ninguém fica para trás, o PNL2027 disponibiliza propostas de trabalho integradas na ação Escola a Ler: para os 1.º e 2.º ciclos, Leitura Orientada na Sala de Aula e, para o 3.º ciclo, Contratos de Leitura. O PNL2027 propõe que os docentes do ensino básico reforcem as atividades em torno do livro e, nesse sentido, apresenta um conjunto de orientações organizadas em oito áreas: https://www.leituraorientada.pnl2027.gov.pt/orienta%C3%A7%C3%B5es Várias turmas a ler, escrever e desenhar na Biblioteca Escolar DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar: Leitura Orientada em Sala de Aula e na BE
  • 27. 27 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Cultura Timorense – O Tais Os nossos amigos do CAFE de Maliana, em Timor - Leste, com quem estabelecemos um intercambio cultural ofereceram-nos um presente muito especial, que retrata a sua cultura e tradições: um caderno e uma caneta forrados com um pano, o Tais, um tecido tradicional de Timor – Leste, feito manualmente e que simbolizam e assinalam a nossa aliança. O presente foi-nos entregue pela professa Teresa Moreira, a nossa interlocutora em Maliana enquanto esteve destacada no projeto como Coordenadora do CAFE e onde desenvolveu um trabalho excecional Presentes muito valiosos! Ofereceram-nos também dois belos desenhos pintados pelos alunos mais pequenos alusivos ao Natal, época em que terminam o ano letivo e uma casa tradicional em madeira.. Agenda e caneta em Tais
  • 28. 28 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Cultura Timorense – O Tais Desenhos. Agenda e Caneta em Tais. Casa típica em madeira Isabel Pereira Um presente muito valioso, de que gostamos muito, e que simboliza a nossa amizade. Muito obrigada!
  • 29. 29 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Cultura Timorense – O Tais O tais é tradicionalmente feito de algodão, com plantas naturais usadas para tingir a cor. Os tais congregam nos seus motivos animais como galos, crocodilos, búfalos, árvores, também eles símbolos representativos do imaginário timorense, personagens e protagonistas dos relatos orais. Os tais têm motivos e cores diferentes, de acordo com o grupo étnico a que pertencem, funcionando como marcos. É um pano que é uma marca identitária da cultura timorense, o tais, liga em aliança, os vivos e os antepassados passa de geração em geração. É fabricado de forma manual pelas mulheres, que recorrem a equipamentos simples como a 'atis’, o 'kida', (tear tradicional), que se encontra nas casas. Podem ser utilizados como vestimenta masculina ou feminina, ou como elemento decorativo de mesas e de paredes. É usado em rituais de nascimento, casamento e morte e nas cerimónias oficias de comemoração de acontecimentos importantes para a comunidade. O Tais é o tecido tradicional de Timor – Leste Elaborado artesanalmente por mulheres, em teares tradicionais de madeira.
  • 30. 30 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar – Tais Fica aqui o registo de uma lenda sobre as suas origens: No barlaque (dote de casamento do noivo) é usado como símbolo valioso de determinado clã ou família, oferecido pela família da noiva à família do noivo, corrente ou elemento de ligação de uma nova família que se forma com o casamento. Nas cerimónias fúnebres é oferecido à família do morto e nas zonas mais rurais era usado como mortalha, Também é oferecido aos estrangeiros (malae) em cerimónias oficiais, como prova de consideração, respeito ou agradecimento, como pano inteiro ou como como salenda (espécie de cachecol) que se coloca sobre os ombros e se oferece aos convidados nas cerimónias públicas. Em 14 dezembro de 2021 o Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, da UNESCO, aprovou a classificação do 'tais', de Timor-Leste, como Património Cultural Imaterial. Conta a lenda que a filha Makasae foi a primeira mulher a ter conhecimento de como fazer tais. Esta conheceu e casou com um rapaz da tribo de Samalau. O casal teve três filhos, duas filhas e um filho e viveu feliz. A mãe fazia os tais de forma tradicional, colocando flores de algodão numa caçarola e proibiu as filhas de a observarem enquanto trabalhava. Ora, certo dia, a filha mais velha, não resistindo à curiosidade de ver o que fazia, às escondidas, a sua mãe, espreitou por um buraco e desvendou o segredo. A mãe, tendo conhecimento do pecado da filha, entregou- entregou-lhe uma caixa de tecidos “Dare Asse “ e disse-lhe: Filha, tu não respeitaste as minhas palavras. Por isso, durante 1000 anos, levará sempre muito tempo para tecer um Tais. O processo tornar-vos-á loucas de dor e de pena: as vossas nádegas sofrerão demais, as vossas mãos fortes ficarão cansadíssimas. A filha que tomará conta do meu nome será capaz de fabricar Tais, a outra não poderá. O filho só poderá encomendar ou comprar Tais. Depois, vocês poderão fazer o que eu fiz: trabalhar muito para fabricar Tais. No final, deixou as filhas e o filho e tornou-se -se a Deusa dos Tais. Ainda hoje, os descendentes de Samalau acreditam nessa deusa. Quando fazem um Tais, eles agradecem à deusa, com sacrifício de animais: um frango e uma galinha de cor branca ou vermelha. Fonte: Com base em Vítor José da Costa Barbosa “Relatos fundacionais do Imaginário Timorense - O taís – quadro multicolor do imaginário timorense, 2014. Professora Teresa Moreira
  • 31. 31 Professor Artur Neri Escolas integradas no projeto Clubes de Leitura PNL, na sequência da candidatura 2023: Escola Básica e Secundária Clara de Resende. Porto Agrupamento de Escolas Clara de Resende, Porto 346779 Escola Básica e Secundária Clara de Resende In: Portal da Matemática O Artur escreveu um algarismo e, depois, escreveu outro algarismo à direita do primeiro. Somou 19 ao número escrito e obteve o resultado de 72. Qual foi o algarismo que o Artur escreveu em primeiro lugar? DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar: Resposta desafio mês de março Desafio de matemática: mês de abril Escola a Ler - Clubes de Leitura CR do PNL O Artur resolveu iniciar o envio de mensagens (SMS) em cadeia e enviou uma ao aseu melhor amigo Horácio (primeira etapa). Entretanto, o Horácio tem de enviar a mensagem a duas pessoas (segunda etapa). As pessoas que recebem as mensagens, terão de a enviar a outras duas pessoas e assim sucessivamente. Ao fim de três etapas, a mensagem foi enviada a sete pessoas (1 + 2 + 4 = 7). Quantas vezes a mensagem foi enviada ao fim de 5 etapas?
  • 32. 32 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar: Sugestões do mês As secas do mês Atenção: Estas anedotas são extremamente secas. Mesmo muito secas! As mais secas que já alguma vez ouviste! Onde é que os micróbios fazem surf? Num micro-ondas O que diz uma pulga a outra pulga? Vamos a pé ou esperamos pelo cão? Por que é que na Argentina as vacas andam sempre de cabeça no ar? Por causa dos Buenos Aires. O que é que faz uma hortaliça surda? Finge couve Um homem sentou-se em cima de um cão. Qual é o nome do filme? Sento em um dálmata O que pato disse à pata? - "Vem Quá." Quem é o mais velho: o Sol ou a Lua? A Lua, porque já pode sair à noite.
  • 33. 33 Professora Fátima Noronha Peres Miranda, Grupo 300 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar: Página Cultural "Meu coração tem quantos versos quer" Miguel Torga Wassily Kandinsky "A atenção é a mais importante de todas as faculdades para o desenvolvimento da inteligência humana." Charles Darwin Between-Showers-Susan-Kyne-Andrews-Royal-Meteorological- Society-Weather-Photographer-of-the-Year-2021 (...) Importemo-nos apenas com o lugar onde estamos. Há beleza bastante em estar aqui e não noutra parte qualquer. Se há alguém para além da curva da estrada, esses que se preocupem com o que há para além da curva da estrada. Essa é que é a estrada para eles. Se nós tivermos que chegar lá, quando lá chegarmos saberemos. Por agora só sabemos que lá não estamos. Aqui só há a estrada antes da curva e antes da curva Há a estrada sem curva nenhuma. (...) Fernando Pessoa, poesia de Alberto Caeiro Sunset over Monument Valley, Arizona-Utah border, United States
  • 34. 34 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar: Ideias de Leitura e Escrita para miúdo PNL
  • 35. 35 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar: Ideias de Leitura PNL
  • 36. 36 DeClara nº 64 abril 2023 Biblioteca Escolar: Desafios de Escrita PNL
  • 37. 37 DeClara nº 64 abril 2023 Concurso Público na Escola Reportagens, entrevistas e textos de opinião. A palavra dada aos alunos Concursos “Jornalistas em Rede” e “Isto também é comigo!”. Alunos do 3.º ciclo e do ensino secundário são os destinatários desta iniciativa do PÚBLICO na Escola e da Rede de Bibliotecas Escolares. Oportunidade de participar em dois concursos que convidam os alunos a entrar no mundo do jornalismo: entrevistando alguém por quem se interessem ou fazendo uma reportagem acerca de uma situação que lhes apeteça dar a conhecer, no caso do “Jornalistas em Rede"; escrevendo um texto de opinião a propósito de um trabalho do PÚBLICO, se optarem por participar no “Isto também é comigo!”. O tema é sempre livre, já ao tamanho dos textos são impostos limites. Iniciativas lançadas pelo PÚBLICO na Escola e a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE). Podem participar no “Jornalistas em Rede” todos os alunos do 3.º ciclo do ensino básico Edo Ensino Secundário. As reportagens e as entrevistas são avaliadas em momentos diferentes do concurso (consultar regulamento).
  • 38. 38 DeClara nº 64 abril 2023 Tu desenhas, Eu escrevo Foi este o mote para mais um desafio. Cada aluno teria de fazer um desenho que seria a ilustração e inspiração para a criação de uma coletânea de textos. Um desafio para um jovem escritor português. A turma do 3ºA e os alunos que frequentam o Apoio PTT do 4º B embarcaram na aventura. Assim seguimos várias etapas: 1 – seleção individual do tema a ilustrar (a escolha foi feita, livremente, por cada aluno dentro de um conjunto de possibilidades enviadas pelo autor) 2 – realização de um estudo do desenho a fazer (pensar, reestruturar, riscar, apagar, refazer) Pensar no que se pode fazer para poder melhorar é muito importante para o nosso melhor podermos mostrar. 3 – desenhar sem poder apagar Quando desenhares a borracha deves guardar. tudo o que fazes podes aproveitar. usa a imaginação e logo um novo desenho com um “erro” podes enriquecer, algo de novo criar no qual não estavas a pensar. 1.º ciclo: Tu desenhas, Eu escrevo: 3.ºA e 4.ºB
  • 39. 39 DeClara nº 64 abril 2023 4 – segue-se a pintura (precisamos de seguir algumas regras) Pintar a lápis de cor ou usar as canetas de filtro é permitido. Pensar como e quando o fazer são técnicas a desenvolver. 5 – trabalho acabado 6 – pedir autorização aos pais para o envio do desenho com dados dos alunos 7 – autorizações recebidas 8 – trabalhos enviados 9 – trabalhos publicados na internet Podem ser observados e dar a vossa opinião. Atenção: Críticas construtivas são sempre bem recebidas. As outras, aquelas em que se diz mal guarda para ti escreve num papel. … Nunca as escrevas na internet. Devemos todos valorizar. Cada um deu o seu melhor é esse que devemos apreciar. 1.º ciclo: Tu desenhas, Eu escrevo: 3.ºA e 4.ºB
  • 40. 40 DeClara nº 64 abril 2023 EB João de Deus – 3.ºA 1.º ciclo: Tu desenhas, Eu escrevo: 3.ºA e 4.ºB
  • 41. 41 DeClara nº 64 abril 2023 EB João de Deus – 3.ºA EB João de Deus – 4.ºB 1.º ciclo: Tu desenhas, Eu escrevo: 3.ºA e 4.ºB
  • 42. 42 DeClara nº 64 abril 2023 1.º ciclo: Tu desenhas, Eu escrevo 10 - contactos com o autor "Os desenhos recebidos para o Projeto Tu Desenhas, Eu Escrevo estão a ser digitalizados e serão colocados nas páginas: facebook.com/tudesenhaseuescrevo tudesenhaseuescrevo.blogspot.com Estão fantásticos! Bem-haja pela participação! Convido-vos agora a: - colocar "gosto" na página (se for caso disso); - colocar "gosto" nos desenhos (e comentá-los)." Bruno Magina 11- E agora é só esperar mais um pouco. Os textos estão quase prontos e à escola vão chegar para que todos os possamos apreciar. Obrigada aos alunos do 3ºA e 4ºB pelo empenho demonstrado. Obrigada ao autor pelo empenho e trabalho de parceria feito com a docente responsável pelo desenvolvimento do projeto na escola. Fátima Vaz
  • 43. 43 DeClara nº 64 abril 2023 Em vésperas de se comemorar o 49° aniversário do 25 de abril, o 4º A explorou o livro "O Tesouro", obra de Manuel António Pina. O escritor ilustrou de uma forma simples e cativante como era a vida neste "país de pessoas tristes". “O Tesouro” de Manuel António Pina Os alunos ficaram "agarrados" desde o primeiro momento e o silêncio ficou instalado na sala de uma forma arrepiante. De seguida dialogamos sobre a ditadura e o que tinha acontecido no dia 25 de Abril de 1974. Ouvimos as músicas de Zeca Afonso e Paulo de Carvalho e homenageamos Salgueiro Maia com a construção de um painel coletivo. 1.º ciclo: A comemorar o 49.º aniversário do 25 de Abril - 4.ºA
  • 44. 44 DeClara nº 64 abril 2023 Desta forma, as nossas crianças ficaram a saber, o quanto esta liberdade custou a conquistar e que têm o dever de a manter bem viva nos dias de hoje. #anoletivo20222023 #notíciasdaescola #eb1joaodedeus #25deabril Prof. Sónia Teixeira 4ºA 1.º ciclo: A comemorar o 49.º aniversário do 25 de Abril - 4.ºA Viva o 25 de abril!!!! Viva a liberdade!!!!! Painel coletivo
  • 45. 45 DeClara nº 64 abril 2023 3.º Ciclo: História 8.º C– Poema e ilustração sobre a Inquisição Neste mundo não importa se pecamos se os nossos bolsos estão cheios tudo é perdoado se pagamos. Vivemos em devaneios. Criaram-se grupos pois não podiam concordar. Do fugitivo ao rei decidiram mudar começou-se a rezar ou então era morrer apenas continuar este ato chamado viver. A reforma é tudo o que resta para aquele que protesta. O mundo dividiu-se que podemos fazer. Um concílio será feito para a paz restabelecer. Quem se opor ou questionar a verdade acreditem em mim, não haverá piedade. A morte tornou-se um espetáculo para os que pensam conseguir passar o obstáculo. Nas chamas todos nós podemos acabar a justiça não existe, tudo o que fazemos é esperar. Isto é de facto viver ou existir num Inferno para tentar sobreviver. Ser rico ou pobre é um destino sem escapatória. Estarás com Deus, estarás com o Diabo é uma lei obrigatória. Quem a criou, não sei, faz tudo parte da história. Mas será de facto verdade Porque haveria Deus de falar com mortais Não importa a identidade agimos como animais. Humanos: Uma figura que se acha divina Carlota Fego nº4, 8ºC; Professora Teresa Moreira
  • 46. 46 DeClara nº 64 abril 2023 3.º Ciclo: História 8.º C– Poema e ilustração sobre a Inquisição Carlota Fego nº4, 8ºC; Professora Teresa Moreira
  • 47. 47 DeClara nº 64 abril 2023 Criar definições Seguir instruções Não mandar O que importa é rezar Uma mulher Em ninguém pode confiar Vai ter de pagar Viva queimar Não pode saber a mais Não mais do que um homem Isso não tem jeito É amiga do diabo Sabe cantar Vai queimar Sabe contar Vai queima Tudo o que importa É a quantidade que tem no bolso Se pode pagar Pode pecar A época da Inquisição Mas o que é o pecado Por quem foi inventado Foi por Deus Ou pelo Diabo Mas nada se pode fazer Porque o Homem Só quer enriquecer Os pobres trabalham Os ricos gastam Os pobres passam fome Os ricos fazem banquetes E será que no clero Se pode confiar Ele não está sempre a pecar Ao amar e procriar A nobreza Quer mesmo proteger Ou apenas enriquecer Enquanto está a comer 3.º Ciclo: História 8.º C– Poema e ilustração sobre a Inquisição Maria Lima Moreira Patrício, N°16, 8°C; Professora Teresa Moreira
  • 48. 48 DeClara nº 64 abril 2023 3.º Ciclo: História 8.º C– Poema e ilustração sobre a Inquisição Maria Lima Moreira Patrício, N°16, 8°C; Professora Teresa Moreira
  • 49. 49 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD PROJETO DE TURMA 10ºD: LÍDERES TRANSFORMADORES Análise do filme “Elementos Secretos” Porque se valorizam os sonhos? Qual o poder da luta? Quem transforma o mundo? Onde entra a ciência? Estas e outras questões acompanharam a visualização do filme “Elementos Secretos” e impeliram à reflexão, numa atividade baseada no projeto de turma dos alunos do 10º ano, turma D. Na aula de Física e Química A, a reflexão, no âmbito dos direitos humanos, focou as questões do racismo e das mulheres na ciência, para além de aspetos da Ciência, da Tecnologia e da Sociedade. As ligações aos dias de hoje surgiram naturalmente. ELEMENTOS SECRETOS Com Taraji P. Henson, Mahershala Ali, Janelle Monáe, Jim Parsons, Glen Powell, Kirsten Dunst, Kevin Costner Realização Theodore Melfi Produção Peter Chernin, Donna Gigliotti Argumento Allison Schroeder 2017 O CONTEXTO DO FILME Otávio e James: A competição entre os Estados Unidos da América (EUA) e a antiga URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) no domínio da exploração espacial representa o contexto do filme. Durante a Guerra Fria, os Estados Unidos e a União Soviética competiram na Corrida Espacial para demonstrar a sua superioridade tecnológica. A competição começou em 1957, quando a União Soviética lançou o primeiro satélite artificial e, em 1961, mandou o primeiro homem ao espaço, causando preocupação nos EUA. Os EUA responderam aumentando o financiamento para o seu próprio programa espacial, o que levou aos programas Mercury, Gemini e Apollo. O programa Apollo pousou com sucesso um homem na Lua em 1969. Com o
  • 50. 50 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD tempo, a Corrida Espacial perdeu o seu significado político e militar, porém, teve efeitos duradouros na ciência e na tecnologia, inspirando avanços em vários campos e inspirando uma geração de cientistas e engenheiros. Na atualidade, muitos países cooperam e trabalham juntos na exploração espacial, como é o caso da Estação Espacial Internacional, que tem o apoio de vários países, incluindo os Estados Unidos e a Rússia. Duarte, Diogo A. e Maria: No filme vimos três protagonistas que sofrem uma tripla discriminação: mulheres, negras e cientistas, numa américa da década de sessenta do século 20. Ainda hoje a inclusão na ciência é um assunto importante e urgente, uma vez que a diversidade em todas as suas formas é importante para garantir que a ciência seja relevante, ética e de alta qualidade. Infelizmente, o acesso à ciência ainda é dominado por certos grupos privilegiados, o que pode levar a uma série de problemas, como a falta de perspetivas diversas, além do aumento do risco de discriminação. Em suma, a inclusão na ciência é uma questão crucial para o avanço da mesma e da sociedade como um todo e requer um esforço coletivo de cientistas, respetivas instituições científicas, políticos e sociedade civil para garantir que todas as pessoas podem usufruir de uma oportunidade de contribuir para a produção e disseminação de conhecimento científico. UMA CENA MARCANTE Matilde G, Matilde F. e Miguel: Estas mulheres têm o seu trabalho dificultado. Katherine Johnson, por exemplo, é impedida de assinar os relatórios que realiza. Os seus colegas não aceitam partilhar a cafeteira com ela. Além disso, precisa caminhar quase um quilômetro para se deslocar às casas de banho destinadas a pessoas negras. Katherine percorria quilómetros diariamente só para ir à casa de banho, pois havia casas de banho distintas para pessoas de cor e
  • 51. 51 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD Marta S., Sofia M. e Francisco: Por isso a cena em que a placa que dizia "colored bathroom" (casa de banho de cor) foi destruída pelo engenheiro chefe teve um grande impacto em nós, tanto que todos a aplaudimos: “Aqui todos mijam da mesma cor!”. UMA QUESTÃO DE DIREITOS HUMANOS Marta S, Sofia M. e Francisco: Na ação deste filme é observada uma óbvia violação dos direitos humanos, nomeadamente do Artigo 1 de declaração dos Direitos Humanos que cita: “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.” As trabalhadoras ou as consideradas “computadores” não eram respeitadas no seu local de trabalho e as suas opiniões eram muitas vezes desprezadas, por causa da sua etnia e género. pessoas “normais”. Ela não podia perder tanto tempo só para satisfazer as suas necessidades, porque tinha muito trabalho, e por isso levava-o consigo e continuava o trabalho sentada na sanita. Sofia F. e Marta M.: Alguns momentos no filme foram mais marcantes em relação a este tópico: Mary tenta entrar em Hampton High School; A divisão entre brancos e negros acerca dos bens essenciais ao longo do filme; Katherine não é ouvida ou reconhecida no escritório. A maior causa destes acontecimentos é o facto de serem mulheres afro-americanas. Este filme mostra-nos como antigamente, nos anos 60 nos Estados Unidos, os direitos humanos eram desrespeitados com frequência. Atualmente desrespeitar estes artigos pode levar a grande punição, porém, nos tempos passados não tinham muita relevância. O artigo que nos pareceu mais relevante aqui foi o artigo 23: “Todo o ser humano tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego.”
  • 52. 52 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD Gabriel e Diogo N.: Alguns dos aspetos científicos apresentados no filme incluem: Matemática e física aplicada: As três protagonistas do filme eram matemáticas habilidosas que usavam as suas habilidades para resolver complexos problemas matemáticos e físicos que surgiam durante o desenvolvimento do programa espacial americano. Em particular, Katherine Johnson foi fundamental para a precisão dos cálculos das trajetórias das missões espaciais, incluindo a histórica missão Apollo 11 que levou o primeiro homem à Lua. Engenharia: O filme também retrata a engenharia envolvida na construção e lançamento de foguetes e satélites. Os engenheiros trabalhavam em equipes multidisciplinares para projetar e construir veículos de lançamento, sistemas de suporte de vida para astronautas e outros componentes críticos para o sucesso das missões espaciais. Computação: O filme retrata a transição da computação manual para a computação eletrônica nas décadas de 1950 e 1960. As protagonistas do filme trabalharam em computação manual antes de se adaptarem às novas tecnologias de computação eletrónica. UM ASPETO CIENTÍFICO Gonçalo e Júlia: Em "Elementos Secretos", vemos as três personagens principais, Katherine Johnson, Mary Jackson, e Dorothy Vaughan, a trabalhar como "computadores humanos" no Centro de Investigação de Langley da NASA. O seu trabalho era efetuar cálculos matemáticos complexos à mão e foi crucial para o sucesso do programa espacial, pois ajudaram a assegurar que as trajetórias dos foguetes e naves espaciais fossem precisas. Durante a década de 1960, a tecnologia informática era ainda relativamente nova e pouco acessível. Os computadores eram máquinas grandes e caras que eram principalmente utilizadas por agências governamentais, grandes empresas e instituições de investigação. À medida que o filme avança, assistimos à introdução do computador mainframe IBM 7090, o que constituiu um avanço significativo na tecnologia informática da época. As mulheres que trabalhavam no departamento dos
  • 53. 53 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD “computadores humanos”, que depois da introdução do computador mainframe IBM 7090 ia deixar de existir, passaram a dedicar-se à programação deste computador, mantendo as suas carreiras. Ao longo dos anos a tecnologia tem vindo a evoluir. Dessa evolução resultou, entre outros, a criação das inteligências artificiais (ou seja, a capacidade que uma máquina possui para reproduzir competências semelhantes às humanas, como raciocinar, aprender, planear, entre outras), como o Chat GPT. O Chat GPT é uma inteligência artificial, ou IA, que consegue imitar a linguagem humana a fim de responder a perguntas dos utilizadores. UMA APRENDIZAGEM Miguel, Matilde G. e Matilde F.: Neste filme aprendemos que embora sejamos todos diferentes devemos ter os mesmos direitos. Deve existir igualdade de género entre todos, pois mesmo que tenhamos géneros diferentes merecemos todos o mesmo respeito e todos merecemos uma chance de mostrar do que somos capazes. Marta S., Sofia M. e Francisco: Com a visualização deste filme, aprendemos que não devemos duvidar das capacidades de qualquer ser humano, independente da sua etnia, género, religião, sexualidade, etc… Até mesmo as pessoas que nos parecem incapazes, podem tornar-se as mais capazes. Diogo A., Duarte e Maria- Com a visualização deste filme aprendemos que é sempre possível alcançar os nossos objetivos apesar de quaisquer dificuldades acrescidas que possam surgir devido às nossas circunstâncias pessoais, caso haja uma grande determinação. QUE IMPORTÂNCIA TEM PROTESTAR? João e Afonso: O protesto expressa uma reação solitária ou em grupo, de caráter público, contra um determinado evento. Protestando podemos alterar ou, pelo menos, tentar, o que está errado na sociedade e torná-la mais justa e igual.
  • 54. 54 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD Marta S., Sofia M. e Francisco: O ato de “protestar” é importante para defendermos os nossos direitos e desejos em relação a algum tema. “Protestar” ajuda-nos a ter voz e a reclamar e mudar aquilo que é incorreto. Por exemplo, Mary Jackson conseguiu ter o direito ao ensino superior, que não permitia pessoas de cor. Sofia F. e Marta M: Este filme, como muitos outros, mostra que infelizmente muitas coisas só se conseguem protestando. Muitas das conquistas humanas foram devidas ao protesto de alguém ou de um grupo onde demonstrou a sua revolta perante um certo assunto. O principal assunto que este filme retratou foi o racismo e a desigualdade de género que nos anos 60 era muito vulgar. Uma das cenas mais marcantes foi quando o chefe daquela secção de trabalho se apercebeu que essas diferenciações não tinham qualquer nexo e que todos deveriam ter acesso às mesmas condições de trabalho independentemente da cor da pele. Ao longo do filme é demonstrado, também, a desigualdade presente naquela década e podemos ver isso pois não valorizavam o trabalho de Katherine como o de qualquer outro homem presente naquela secção de trabalho. A única forma de mudança a seu favor foi protestando contra as desigualdades presentes. Tiago e Rodrigo: Protestar é extremamente importante, já que sem protesto nunca seremos ouvidos. É através do protesto que conseguimos ser ouvidos e fazer com que os outros tenham conhecimento da nossa opinião e das nossas ideias. É através do protesto que conseguimos mudar o mundo e pôr as nossas ideias em ação, para fazer do mundo um lugar melhor.
  • 55. 55 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD Referindo ao filme "Elementos secretos", foi através do protesto e da luta que as três mulheres que sofriam de discriminação conseguiram importantes vitórias na empresa em que trabalhavam e onde tinham grandes planos de carreira. Foi através do protesto que estas três mulheres independentes conseguiram seguir os seus sonhos e abrir espaço para os sonhos dos vindouros. QUEM FOI KATHERINE JOHNSON Duarte, Diogo A. e Maria: Katherine Johnson foi uma matemática afro-americana que trabalhou para a NASA de 1953 a 1986. Ela trabalhava como computador humano e, numa época em que as minorias tinham poucos empregos em matemática e ciências, Katherine era uma pioneira da sua área. O seu trabalho em calcular os caminhos para as naves espaciais viajarem foi monumental para ajudar a NASA a colocar com sucesso um americano em órbita ao redor da Terra. O seu trabalho ajudou a pousar astronautas na Lua. Gonçalo e Júlia: Katherine Johnson foi uma matemática e cientista informática americana que fez contribuições significativas para os programas aeronáuticos e espaciais dos Estados Unidos. Nasceu a 26 de agosto de 1918, em White Sulphur Springs, West Virginia. Formou-se no West Virginia State College. Começou a sua carreira como professora, mas mais tarde juntou-se ao Comité Consultivo Nacional para a Aeronáutica (NACA), que mais tarde se tornou na NASA. Fez parte da equipa de matemáticas afro-americanas conhecidas como "computadores humanos", que fizeram cálculos complexos à mão para o programa espacial inicial. O trabalho de Katherine Johnson envolvia o cálculo das trajetórias, entre outros. Ela desempenhou um papel crítico no sucesso da missão Apollo 11, que enviou os primeiros humanos para a Lua. Foi homenageada com muitos prémios e reconhecimento pelas suas contribuições. A sua vida e obra foram retratadas no filme "Elementos Secretos", de 2016. Katherine Johnson faleceu a 24 de fevereiro de 2020, com a idade de 101 anos.
  • 56. 56 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento - 10.ºD Alunos do 10ºD Professora Ana Cardoso Aula de Física e Química A PROJETO DE TURMA 10ºD: LÍDERES TRANSFORMADORES
  • 57. 57 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento 11.ºC A calculadora que usámos para calcular a nossa pegada ecológica foi criada pelo Stockholm Environment Institute da Universidade de York, e a Universidade de Leeds. O que significa pegada carbónica? A sua pegada de carbono é uma forma simples de mostrar como o seu estilo de vida conduz às emissões de carbono. É a sua impressão no planeta. Por emissões de carbono, entendemos gases com efeito de estufa - principalmente dióxido de carbono, metano e óxido nitroso. Convertemos todos os diferentes gases com efeito de estufa num impacto equivalente do dióxido de carbono, o gás com efeito de estufa mais comum causado pelo homem. O seu valor de pegada é um valor anual em "toneladas de dióxido de carbono equivalente - ou tCO2e" e pode ver como a sua pegada se compara à média das pegadas de carbono do Reino Unido e do mundo. O que significa o meu resultado? Depois de ter respondido às perguntas, calcularemos a sua pontuação como uma tonelagem anual de equivalente de CO2. Esta pontuação será comparada com a média atual do Reino Unido (9,5 toneladas para 2022) para nos dar uma comparação percentual (%). Assim que calculamos a nossa pegada carbónica poderemos descobrir como calcular a nossa pegada ecológica. O que é a pegada ecológica? A pegada ecológica é um indicador de sustentabilidade que acompanha a concorrência das demandas humanas com a capacidade regenerativa do planeta Terra. WWF Footprint Calculator
  • 58. 58 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento 11.ºC Análise de resultados da turma Analisando todos os resultados da turma, podemos concluir que, em termos de toneladas, a pegada carbónica da turma é de 17,3 toneladas. Em termos mais específicos- Gastos em casa: 23% Gastos em transportes: 39% Gastos em comida: 22,6% Gastos em bens materiais: 15,3%
  • 59. 59 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Cidadania e Desenvolvimento 11.ºC Conclusão e observações: Em suma, a turma precisa de melhorar os seus resultados, uma vez que a emissão, em toneladas, de dióxido de carbono e outros gases poluentes é muito elevada (17,3). Com esta pegada carbónica, a turma precisaria de 20 planetas para sustentar corretamente as nossas emissões e gastos. A pegada ecológica da turma 11ºC é de 20 planetas Terra. Para reduzir os nossos gastos e melhorar os nossos resultados, deveríamos: - optar por andar mais a pé; - Preferir produtos locais; - Fazer mais reciclagem; - Utilizar mais energias renováveis; - Diminuir a comprar de produtos de casa, roupa/calçado e beleza. Todos devem ter conhecimento da sua pegada ecológica, no âmbito de saber o que melhorar, para termos um planeta mais sustentável. Turma 11ºC- Escola Básica e Secundária Clara de Resende
  • 60. 60 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ Visita de Estudo aos Açores 2023
  • 61. 61 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores - BG e FQ A central geotérmica da Ribeira grande é responsável por transformar a energia obtida do calor proveniente do interior da Terra, a energia geotérmica, em energia elétrica, sendo este tipo de energia a maior fonte de energia renovável no Arquipélago. A primeira etapa do funcionamento de uma central geotérmica é a captação de água quente ou do vapor proveniente do interior da Terra. Através das fraturas das camadas rochosas, a água e os vapores emergem à superfície, onde são captados por poços de extração. Assim, o vapor é direcionado para as centrais através de tubulações. Esse mesmo vapor move as turbinas que giram mecanicamente. Estas, por sua vez, acionam o gerador que produz a energia elétrica. Existem atualmente nos Açores três centrais geotérmicas em funcionamento (34,3 MW): a do Pico Vermelho (13 MW) e a da Ribeira Grande (16,6 MW), ambas na ilha de São Miguel, e a central geotérmica do Pico Alto (4,7 MW), na ilha Terceira. Grutas do carvão e as suas diferenças com as grutas de Mira de Aire em Portugal Continental As grutas do carvão formam-se por uma origem vulcânica, são formados a partir de túneis lávicos. Dentro destas grutas estão presentes uma grande variedade de estruturas, como por exemplo as estalactites e estalagmites lávicas, estalactites secundárias, as bancadas laterais e pontes lávicas.
  • 62. 62 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores - BG e FQ Numa gruta de carvão, o equilíbrio químico pode ser influenciado pela presença de gases e substâncias químicas presentes no ambiente. Geralmente, as grutas de carvão possuem altas concentrações de dióxido de carbono (CO2), metano (CH4) e ácido sulfídrico (H2S), que são gases comumente produzidos pela decomposição da matéria orgânica presente no carvão. Esses gases podem reagir com outros elementos presentes na gruta, como o cálcio, o ferro e o manganês, formando diferentes compostos. Por exemplo, o dióxido de carbono pode reagir com a água presente na gruta para formar ácido carbônico (H2CO3), que pode dissolver o calcário e criar formações como estalactites e estalagmites. A idade aproximada desta gruta é entre 5.000 a 12.000 anos. As grutas de Mira de Aire já são completamente diferentes formam-se a partir da atuação das águas da chuva sobre o calcário, são formadas a partir da reação em equilíbrio químico de dissolução do carbonato de cálcio com a água e o gás carbónico. Estas grutas foram descobertas em 1947 por habitantes locais. Numa gruta de calcário, o equilíbrio químico é influenciado pela presença de água e dióxido de carbono (CO2) no ambiente. A água, que geralmente é rica em dióxido de carbono, pode dissolver o calcário presente na gruta, criando formações como estalactites, estalagmites e colunas. A dissolução do calcário é um processo químico que envolve a reação do carbonato de cálcio (CaCO3) com ácido carbônico (H2CO3), que é formado pela reação do dióxido de carbono com a água. Essa reação forma íões bicarbonato (HCO3-) e cálcio (Ca2+), que ficam em equilíbrio químico com o carbonato de cálcio. O equilíbrio químico nesse sistema é governado pelo Princípio de Le Chatelier, que afirma que um sistema em equilíbrio tende a se ajustar para minimizar qualquer perturbação externa. Portanto, se a concentração de um dos produtos ou reagentes for alterada, o equilíbrio químico será deslocado para compensar essa mudança.
  • 63. 63 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores - BG e FQ A visita de estudo foi muito interessante quer no âmbito da FQA quer no âmbito de BG e proporcionou agradáveis momentos de convívio entre todos os alunos e professores. Registos fotográficos feitos pelos alunos Gabriel Pereira nº6 Guilherme Furtado nº7 11º B Prof Isabel Pinto Pedro Mendes nº13 Pedro Pinho nº14 11º B Prof Isabel Pinto
  • 64. 64 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ Visita de estudo aos Açores Na visita de estudo aos Açores, que decorreu de 27 de fevereiro a 3 de março, foram estudados variados domínios dentro das disciplinas de físico-química, biologia e geologia e no âmbito da cidadania e desenvolvimento. No nosso trabalho iremos abordar três pontos principais: • A energia geotérmica e a Central Geotérmica Da Ribeira Grande. • A paisagem açoriana e a importância das Hortênsias na indicação do pH do solo e na agricultura biológica. • As Grutas do Carvão. Energia Geotérmica e a Central Geotérmica da Ribeira Grande A Energia Geotérmica é, a energia obtida pelo calor contido no interior da Terra. Mais especificamente trata-se de parte do calor da Terra que pode ser aproveitado pelo Homem. Este calor é constantemente transmitido para a superfície terrestre e chega a esta superfície de uma forma difusa, sendo perdido para o espaço por radiação. Foto 1: Central Geotérmica
  • 65. 65 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ À semelhança de outras regiões, as Açores apresentam recursos geotérmicos. Existem reservatórios geotérmicos, que são volumes confinados de rochas quentes que contém um fluido quente sob, por exemplo a forma de agua ou vapor, que permitem a produção comercial de eletricidade. Para esta produção de eletricidade (energia elétrica), são retirados através de dutos grandes quantidades de vapor de água com temperaturas altíssimas que, de seguida, são conduzidos ate um gerador que transforma esta energia geotérmica em energia elétrica, processo denominado indução eletromagnética, representando uma fonte de energias renováveis. No Arquipélago dos Açores, a energia geotérmica tem um papel fundamental ao contribuir para a autonomia energética da região. Através da operação das centrais da Ribeira Grande e do Pico Vermelho, a EDA RENOVAVEIS explora assim os recursos geotérmicos para a produção desta energia. A Central Geotérmica da Ribeira Grande iniciou a sua operação em 1994 e apresenta, atualmente, 4 grupos geradores de energia. Nesta central registam-se nos reservatórios temperaturas máximas, a uma profundidade de 1000 metros, de 245 graus. A energia geotérmica tem vindo a ter um papel cada vez mais importante no mercado energético açoriano, contribuindo assim para o cumprimento das metas da União Europeia relativas à produção de energia através de recursos renováveis.
  • 66. 66 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ A paisagem açoriana e a importância das Hortênsias na indicação do pH do solo e na agricultura biológica. Na nossa visita não foram visualizadas hortênsias devido à época em que esta decorreu, não sendo a época correspondente á sua altura de floração. As Grutas do Carvão A Gruta do Carvão está localizada no concelho de Ponta Delgada e constitui o maior túnel lávico da ilha de S.Miguel. Esta gruta desenvolve-se numa extensa escoada lávica basáltica, com orientação N-S, cujo centro emissor deverá estar na zona central do “Complexo Vulcânico dos Picos”. De acordo com trabalhos de datação radiométrica, a idade de formação desta gruta está compreendida entre 5 e 12 mil anos. Sendo atribuída uma idade Holocénica. Uma das suas principais características é a existência de dois túneis sobrepostos, ao longo de cerca de 200 metros. Do teto pendem inúmeras estalactites, quer primárias, que resultam da solidificação de pingos de lavas e apresentam em geral uma forma cónica e superfície lisa, quer secundárias, que surgem como resultado da alteração e acumulação de águas de escorrência que se infiltram na gruta. Estas águas são também responsáveis por fenómenos de oxidação das rochas basálticas que formam a gruta do Carvão, conferindo-lhes tonalidades avermelhadas ou alaranjadas junto das fendas e outros locais de infiltração. Nos túneis lávicos é comum a presença de estruturas salientes nas paredes laterais, que são os “registos” dos níveis de escoamento das lavas que percorreram o interior. O chão da gruta é constituído principalmente por escoadas lávicas do tipo aa, apresentando uma superfície bastante irregular, mas existindo também pequenas áreas de superfície lisa formada por lavas pahoehoe.
  • 67. 67 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ Nesta Gruta existem comunidades biológicas adaptadas às condições particulares destas estruturas (ausência de luminosidade e elevada humidade), como: bactérias quimiossintéticas (pois não têm como fazer a fotossíntese) e de aranhas. As raízes que atravessam o teto rochoso e penetram no seu interior são também muito importantes, uma vez que fornecem suporte físico e nutritivo para estas comunidades bióticas. A Gruta do Carvão apresenta diversas potencialidades quer científicas quer didáticas quer turísticas. As grutas do carvão e as suas diferenças com as grutas de Mira de Aire em Portugal Continental As Grutas de Mira de Aire situam-se na serra d'Daire, no distrito de Leiria. Foram descobertas quando dois homens desceram até uma pequena galeria a 20 metros de profundidade.
  • 68. 68 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Visita de Estudo aos Açores – BG e FQ O eco denunciou maiores dimensões, mas a escuridão não os permitiu explorar. Dois anos mais tarde é que foram encontrar a continuação desta gruta. Têm até hoje, uma extensão de 11 km e a rocha mais abundante o calcário. Mais aprofundadamente, aquela região é caracterizada por não ser atravessada por nenhum rio, pois a água das chuvas infiltra-se quase totalmente nas fendas da rocha em vez de escorrer pelas vertentes e originar rios. Ao penetrar nas pequenas fissuras de rocha (calcário que é dissolvido pela água), a água alarga-as por dissolução e transforma-as em corredores ou poços naturais que têm o nome de lagares. Foi num destes lagares que os habitantes entraram em 1947 e teve início a descoberta da gruta. Uma parte das águas vai sofrendo evaporação, diminuindo a quantidade de CO2 que nela existia. Esta operação forma carbonato de cálcio que fica suspenso nos tetos sob formas sólidas com o vértice para baixo pela qual vão “crescendo” lentamente ao longo de séculos, tendo como nome, estalactites. Podem também, nascer a partir do chão sendo conhecidas como estalagmites. Pode ainda haver união formando magníficas colunas. As Grutas de Mira de Aire são então uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal. Carolina Sarmento e Maria Inês 11.ºC Professora. Isabel Pinto
  • 69. 69 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica. Fenómenos físicos e aplicações na nossa vida quotidiana
  • 70. 70 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica. Trabalho realizado por: Clara Pires e Matilde Azevedo, 11ºC Prof Isabel Pinto
  • 71. 71 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
  • 72. 72 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
  • 73. 73 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
  • 74. 74 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica.
  • 75. 75 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica. Fibras óticas
  • 76. 76 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica. Maria Inês nº15 ; Nídia Dias nº20; 11º C Prof Isabel Pinto
  • 77. 77 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Físico Química 11. Divulgação Científica. Qual a importância da refração da luz nas aplicações do nosso dia-a-dia? Qual a importância da refração da luz? Por meio da refração é possível descrever a característica policromática da luz do Sol e verificar as cores monocromáticas que a formam, elucidando também o princípio da formação do arco- íris. Também observamos refração em lentes usadas para corrigir problemas de visão, lentes para aumentar e reduzir imagens, etc. Na formação do arco-íris… A luz solar incidente sobre as gotículas de água presentes na atmosfera sofre refração e espalha-se de acordo com o índice de refração da água para cada frequência de luz. Isso causa a formação dos arco-íris Nas lentes e nos óculos… As lentes usadas nos óculos e lentes de contacto usam a refração para corrigir o caminho da luz em direção aos nossos olhos. Em termos simples, quanto mais espessa e curvada é uma lente, maior é a sua capacidade de mudar a direção dos raios luminosos. Na observação do fundo de piscinas… Ao olharmos para o fundo de uma piscina, percebemos que a profundidade observada não corresponde à profundidade real. Isso ocorre em virtude de uma ilusão de ótica decorrente da refração da luz. Isis Fernandes nº 11, Maria Senhorinha nº16-11º C Prof Isabel Pinto
  • 78. 78 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Português - 12.ºC – Trabalho 100.ª aula
  • 79. 79 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Português - 12.ºC – Trabalho 100.ª aula
  • 80. 80 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Português - 12.ºD – Trabalho 100.ª aula
  • 81. 81 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: Português - 12.ºD – Trabalho 100.ª aula
  • 82. 82 DeClara nº 64 abril 2023 Ensino Secundário: 12.º D a participar no “Braço Direito” Vários alunos da turma do 12.º D irão participar no mês de maio no projeto “Braço Direito”. O Braço Direito é um Programa da Junior Achievement que leva os alunos do Ensino Secundário a terem contacto com a realidade empresarial, acompanhando voluntários, no seu ambiente de trabalho, durante um dia. Cada voluntário recebe um aluno e mostra-lhe quais são as tarefas habituais da sua função, partilha conhecimentos com o aluno que estará ao seu lado, o qual coloca questões, compreende a aplicação prática das matérias que aprende na escola e conhece a estrutura organizacional de uma empresa. Através desta experiência prática, os alunos adquirem conhecimentos sobre a cultura, ética de trabalho e as várias opções de carreiras existentes, podendo abrir os seus horizontes. Objetivos deste programa: - Possibilitar aos alunos o contacto com uma realidade profissional do seu interesse. - Fazer com que a disponibilidade e a experiência dos voluntários constituam uma mais-valia na sua orientação vocacional e no empenho escolar. A Professora de Geografia C 12.ºD Isabel Maria Pereira
  • 83. 83 DeClara nº 64 abril 2023 Ponto Um – Apresentação do Plano de Ação 2022-2023; Ponto Dois – Workshop sobre Economia Circular – Formação no âmbito dos Resíduos e sua separação; Ponto Três – Divulgação dos dados do projeto “Pegada da Formiga”; Ponto Quatro – Outros assuntos Partindo-se das diversas sugestões dos eco-conselheiros na 2ª reunião, bem como de diferentes Desafios que algumas turmas e seus professores aceitaram desenvolver, construi-se um Plano de Ação muito diverso e exigente, mas que todos procuraremos levar a cabo. Na última reunião do Eco-Conselho de fevereiro, os alunos revelaram insatisfação e alguma incompreensão face aos locais onde são colocados os pontos de triagem dos resíduos. Após debate nessa reunião consideramos ser importante criar um momento de formação e de aprofundamento de conhecimentos sobre Economia Circular. Deste modo, foi possível contar com um Workshop no âmbito dos Resíduos e sua separação dinamizado pela Dra. Sandra Rodrigues da Lipor. Formação e Partilha! Projetos: 3ª Reunião do Eco-Conselho – Formação e Partilha! No passado dia 29 de março, realizou-se a 3ª reunião do Eco-Conselho 22-23. Esta reunião constitui mais um momento de (In)Formação, partilha e debate. A ordem de trabalho foi a seguinte: Dinamização do workshop
  • 84. 84 DeClara nº 64 abril 2023 Projetos: 3ª Reunião do Eco-Conselho – Formação e Partilha! Foi-nos dito, entre outras coisas, que devemos fazer a triagem dos resíduos, contribuindo para uma gestão sustentável dos resíduos e optar por práticas mais sustentáveis na gestão dos nossos resíduos, praticando a política dos 5R (Repensar, Recusar, Reduzir; Reutilizar e Reciclar). Foi ainda possível recordar o que podemos colocar nos diferentes Ecopontos, a saber: Na segunda parte da reunião, o universitário Francisco Manta, antigo aluno do Clara de Resende, apresentou os resultados obtidos num projeto que levou a cabo com o seu colega Rodrigo Sousa no ano letivo transato, na disciplina de Química do 12º ano, intitulado “A Pegada da Formiga” em parceria com a empresa CEiiA. Este projeto tinha como objetivo “lançar um movimento que contribua para a neutralidade carbónica da escola e na cidade do Porto, através da mudança de comportamento e do recurso a soluções baseadas na natureza para sequestrar carbono e remover poluentes atmosféricos” (In Projeto Pegada da Formiga, 2023).
  • 85. 85 DeClara nº 64 abril 2023 Projetos: 3ª Reunião do Eco-Conselho – Formação e Partilha! O Francisco Manta a apresentar o Projeto “Pegada da Formiga” Estes alunos constataram que a escola está situada numa região com níveis elevados de emissões de carbono e de poluentes atmosféricos que põem em causa a saúde pública e o ambiente. Neste sentido, elaboraram um projeto muito importante que foi partilhado com todos e que serviu para sensibilizar toda a comunidade educativa para a importância de criar medidas promotoras do sequestro do CO2, nomeadamente, a sugestão para repor no recinto escolar as árvores que morreram, mas optando por espécies com elevada capacidade de sequestro carbónico, como o Ácer Plátano, o Ácer Negundo, o Bordo ou o Loureiro, com apadrinhamento dos alunos /turmas ao longo do tempo. Pretende-se ainda, promover o sentido de responsabilidade e vinculação emocional com a Natureza que devemos expandir, proteger e cuidar, tal como o Francisco, referiu e sensibilizou os presentes. Neste ponto de partilha, o Dr. Miguel Oliveira, Presidente da Associação de Pais da EBSCR, informou que a Associação de Pais em conjunto com a direção da escola, elaboraram um projeto para a requalificação do recinto escolar/recreio que submeteram ao Orçamento Participativo da Junta de Freguesia de Ramalde, tendo sido este aprovado. Tal significa, entre outras requalificações, existir verba financeira para comprar e colocar as cerca de 18 árvores que
  • 86. 86 DeClara nº 64 abril 2023 Projetos: 3ª Reunião do Eco-Conselho – Formação e Partilha! morreram e criar um canteiro de aromáticas. Isto permite dar continuidade ao projeto “Pegada da Formiga”. Por último, a professora responsável pelo projeto Eco-escolas solicitou aos alunos presentes a sua colaboração em atividades do plano que ainda não estavam atribuídas a nenhuma turma e, para o qual necessitava da colaboração dos eco-conselheiros. Por tudo isto consideramos que se tratou de uma reunião muito profícua, motivadora para os jovens eco-conselheiros e elucidativa! Até breve 😊 Intervenção do Dr. Miguel Oliveira, Presidente da Associação de Pais da EBSCR A responsável pelo projeto Eco-Escola 22-23 A coordenadora de projetos da EBSCR Isolina Silva Isabel Pinto
  • 87. 87 DeClara nº 64 abril 2023 Serviço de Psicologia e Orientação: Laço Azul Campanha do Laço Azul No âmbito do Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância e Juventude, a decorrer no mês de Abril, a nossa escola aderiu mais uma vez à campanha de sensibilização para esta temática. Construímos um laço azul que tem estado afixado no exterior da entrada da escola, visível para toda a comunidade escolar. Enviámos registo fotográfico para a CNPDPCJ (Comissão Nacional de promoção dos direitos e proteção das crianças e jovens), para que faça parte da Campanha promovida a nível nacional e que será visível na comunicação social. Porquê o mês de Abril e porquê o laço azul, perguntam vocês? Em 1989, uma mulher norte-americana (Bonnie Finney) amarrou uma fita azul na antena do carro, em homenagem ao seu neto, vítima mortal de maus-tratos. A criança tinha sido maltratada pela mãe (filha de Bonnie) e pelo namorado. Com esse gesto quis “fazer com que as pessoas se questionassem”.
  • 88. 88 DeClara nº 64 abril 2023 A história que Bonnie Finney contou aos elementos da sua comunidade foi trágica: o seu neto já tinha morrido de forma brutal por ter sido espancado pela mãe e pelo namorado. O azul, que simboliza a cor das lesões, servir-lhe-ia por isso como uma imagem constante na sua luta na proteção das crianças contra os maus-tratos. Esta campanha, que começou como uma homenagem desta avó ao neto, expandiu-se e, atualmente, muitos países usam as fitas azuis, durante o mês de abril, em memória daqueles que morreram ou são vítimas de abuso infantil e também como forma de apoiar as famílias e fortalecer as comunidades, nos esforços necessários para prevenir o abuso infantil e a negligência. Em Portugal, a campanha, simbolizada pelo Laço Azul, é amplamente divulgada por todo o território, quer pela Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens, quer pelas CPCJ, que realizam numerosas ações de prevenção contra os maus-tratos. “Serei o que me deres…que seja amor”, é o Slogan da Comissão Nacional, que seja também o de todos e de cada um de nós. Natália Amaral Assistente social SPO AE Clara de Resende Serviço de Psicologia e Orientação: Laço Azul
  • 89. 89 DeClara nº 64 abril 2023 Serviço de Psicologia e Orientação: Mostra da U.Porto No dia 20 de Abril, o Serviço de Psicologia e Orientação (SPO) organizou uma visita para as turmas do ensino secundário (12º e 11º anos) à 20ª Mostra da Universidade do Porto que teve lugar no Pavilhão Multiusos de Gondomar. Estiveram presentes neste evento as 14 faculdades, centros de investigação e outros serviços da Universidade do Porto. Assim, durante essa manhã os 90 alunos que foram, tiveram a oportunidade de explorar o que de melhor se faz na academia, e ficar a conhecer um pouco mais sobre a transição para o ensino superior. Para isso, contaram com a companhia de centenas de docentes, técnicos e estudantes da U.Porto, que estiveram disponíveis para auxiliar e esclarecer as dúvidas dos futuros universitários. MOSTRA DA UNIVERSIDADE DO PORTO
  • 90. 90 DeClara nº 64 abril 2023 Serviço de Psicologia e Orientação: Mostra da U.Porto Num percurso pelo recinto, foi possível a participação em dezenas de atividades interativas de experimentação e demonstração científica propostas pelas diferentes faculdades, bem como a obtenção de informação e conhecimento sobre os respetivos planos de estudo e experiências extracurriculares. Aspeto geral da Mostra Diversas atividades interativas
  • 91. 91 DeClara nº 64 abril 2023 Diogo Lima (Psicólogo – Escola Clara de Resende) Serviço de Psicologia e Orientação: Mostra da U.Porto Interação, experimentação e demonstração científica Experiências extracurriculares
  • 92. 92 DeClara nº 64 abril 2023 Associação de Pais e Encarregados de Educação Clara de Resende APECR ORGANIZA PROGRAMA-PILOTO DE EXPLORAÇÃO VOCACIONAL E DE PROMOÇÃO DA EMPREGABILIDADE A inovação tecnológica e a globalização da economia transformaram o mundo do trabalho. Mudou a forma como as empresas operacionalizam o seu modelo de negócio e como as pessoas comunicam e realizam as suas tarefas. A mudança faz-se sentir a um ritmo acelerado, e se apresenta desafios, muitas vezes percebidos como ameaçadores à manutenção dos nossos postos de trabalho, também se traduz em oportunidades. Surgem novos perfis profissionais e é imperioso o desenvolvimento de novas habilidades e competências. Estas mudanças têm por consequência colocar as pessoas, num determinado momento da sua vida, perante a necessidade de pensar o seu percurso profissional, de fazer o balanço dos seus saberes, das suas competências e experiências. Também assim acontece com os jovens, que muito cedo se veem perante o desafio de refletir e projetar o seu futuro no mercado de trabalho. Consciente deste desafio, a Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica e Secundária Clara de Resende ambicionou proporcionar aos alunos do 9º ano e do ensino secundário momentos estruturados e apoiados de reflexão nestas matérias, tendo organizado para esse efeito a iniciativa "Futuro às Claras - Cenários de Orientação Vocacional e de Empregabilidade". E fê-lo em estreita colaboração e articulação com a Direção Executiva do Agrupamento de Escolas. Esta iniciativa, estruturada num conjunto de palestras, workshops e visitas a empresas, teve como objetivo disponibilizar informações e ferramentas relevantes no âmbito da orientação vocacional e da empregabilidade, bem como proporcionar experiências em contexto laboral, onde foi explorado o universo de profissões que as organizações comportam e as características que as mesmas valorizam no processo de procura de talento.
  • 93. 93 DeClara nº 64 abril 2023 Associação de Pais e Encarregados de Educação Clara de Resende Nesta primeira edição, que decorreu de 11 a 14 de abril, num formato considerado piloto, os alunos participaram em palestras e workshops que, por um lado, estimularam o autoconhecimento e a reflexão sobre as escolhas que pautam o percurso educativo e a importância de definir e gerir cenários possíveis de progressão no ensino, e que, por outro,
  • 94. 94 DeClara nº 64 abril 2023 Associação de Pais e Encarregados de Educação Clara de Resende favoreceram uma tomada de decisão mais consciente e informada, com base nos interesses, nas competências e nos projetos de vida dos alunos. No âmbito das visitas a empresas e organizações, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer o contexto de trabalho do CEiiA - Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto, da Porto Business School, da Farfetch e da Reitoria da Universidade do Porto, visitas que os ajudaram a compreender as características e tendências do mercado de trabalho e a melhor projetar o seu futuro no mundo laboral. Participaram nas diversas sessões temáticas, entre Workshops, Palestras e visitas institucionais em contexto laboral e de contacto com a realidade do mundo do trabalho e suas profissões, mais de 60 jovens. Esta iniciativa, que contou com a participação de formadores com profunda experiência na sua área de atuação e de organizações de referência, superou todas as expectativas, indo ao encontro do objetivo a que a Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica e Secundária Clara de Resende se propôs, entre outros, de promover a tomada de consciência dos desafios existentes e/ou emergentes no contexto atual e futuro e permitir o contacto com importantes ferramentas que desenvolvam as suas competências em diversos domínios. Acreditamos, assim, que a iniciativa "Futuro às Claras - Cenários de Orientação Vocacional e de Empregabilidade" contribuiu para a construção de um futuro mais promissor nas diferentes dimensões de vida dos alunos: escolar, profissional e pessoal. Teresa Chaves (Associação de Pais e/ou Encarregados de Educação da Escola Clara de Resende)
  • 95. 95 O Jornal da Agrupamento de Escolas Clara de Resende, o DeClara, é um projeto de promoção da leitura, de caráter mensal e pretende colocar toda a comunidade escolar a ler e escrever, de modo formativo, informativo e recreativo. Dar a conhecer tudo o que se faz na escola, presencial ou digitalmente, e dar voz a todos aqueles que querem partilhar algo com a comunidade educativa… Pretende constituir-se como um instrumento de educação para a cidadania, de promoção do espírito crítico e de integração dos diferentes saberes, com recurso às diferentes tecnologias da informação e comunicação, a um nível transversal. Este projeto dirige-se e envolve alunos do 1.º ao 12.º ano, professores, funcionários, pais/encarregados de educação e Comunidade educativa em geral. É gratuito, enviado digitalmente por email para toda a comunidade escolar e fica disponível no blogue das Bibliotecas do Agrupamento Clara de Resende. http://bibliotecaescolarclararesende.blogspot.pt/ Os artigos para publicação podem ser enviadas para o email: isabelpereira@clararesende.pt Com a vossa colaboração e participação, o Jornal será "mais nosso" e sairá muito mais enriquecido! PARTICIPA! Inscreve-te por email (isabelpereira@clararesende.pt) para fazeres parte da equipa do Jornal. Convite para participar no DeClara https://erte.dge.mec.pt/cic-clubes DeClara nº 64 abril 2023 Convite para participar no Jornal da Escola: DeClara
  • 96. 96 DeClara nº64 ABRIL 2023 Ficha técnica: Nome do Agrupamento: Agrupamento de Escolas Clara de Resende Morada: Rua O Primeiro de Janeiro 323, 4100-367 Porto Contactos Telefone: 22 606 4689 Responsável pela publicação: Isabel Maria Chaves dos Santos Pereira • Professora Geografia Grupo – 420 • Professora bibliotecária • Jornal Escolar, Escola a Ler, Bibliotecas AECR Regressamos em maio. Até breve! DeClara nº 64 abril 2023 1 de maio – Dia do Trabalhador https://arquivos.rtp.pt/conteudos/1o-de-maio-dia-do-trabalhador/ Retrospetiva histórica sobre a celebração do Dia do Trabalhador, ilustrada com imagens de arquivo. O 1º de Maio enquanto manifestação de classe e festa popular .