Anemia Ferropriva

9.962 visualizações

Publicada em

Anemia Ferropriva - Seminário apresentado no Internato em Pediatria I (PED I) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) - Natal - Brasil

0 comentários
26 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.962
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
962
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
26
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Anemia Ferropriva

  1. 1. Anemia FerroprivaDoutorandos:Alyson HalleyAntônio AndersonAntônio MaxsueltonFilipe MedeirosMarcela SamillePriscilla MeloOrientador: Dr. Hélcio MaranhãoUNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTEDEPARTAMENTO DE PEDIATRIAINTERNATO EM PEDIATRIA I – PED I
  2. 2. Anemia Ferropriva• Anemia Ferropriva e Deficiência de Ferro• Carência nutricional mais prevalente domundo– OMS: mais de 50% nos < 4 anos– População mais susceptível: baixarenda, desnutriçãointrauterina, prematuridade, baixo peso aonascer, gemelaridade, abandono prematuro doleite materno, substituição do leite materno peloleite de vaca sem reposição de ferro, parasitismo...
  3. 3. Anemia Ferropriva• RNT em AME– Aporte suficiente de ferro até 4-6 meses• RNPT e BP– Reservas pobres de ferro, que se esgotamrapidamente, mesmo em AME– Necessidade de suplementação de ferro
  4. 4. Anemia Ferropriva• 6-18 meses– Maior risco deficiência de ferro• Período de crescimento rápido• Estoques reduzidos de ferro, ingestão inadequada, perdagastrointestinal crônica• Período pré-escolar/escolar– Diminuição do risco• Diminuição da velocidade de crescimento• Dietas mais equilibradas• Adolescência– Aumento do risco• Crescimento púbere• Alimentação inadequada
  5. 5. Hematopoiese
  6. 6. Hematopoiese• Eritropoetina• Reticulócitos após 3 dias na medula ganham acirculação – após 1 dia: hemácia• Vida média hemácias: 120 dias
  7. 7. Hematopoiese• Eritropoiese– Período mesoblástico (1ªs semanas de vidaembrionária)• Saco vitelino– Período Hepático (2º T da gestação)• Fígado (baço e linfonodos)– Período Mielóide (Estágios finais da vida fetal)• MO– Após o nascimento: MO (exclusivamente)• Até os 5 anos: todos os ossos do corpo• Idade adulta: pelve, esterno, crânio, arcos costais, vértebrase epífises femorais e umerais
  8. 8. Hematopoiese• Eritropoetina– Alta produção no período fetal• St O2 = 45%– Ao nascimento – Queda dos níveis deeritropoetina• St O2 > 95%
  9. 9. Anemia Fisiológica da Infância• Queda dos níveis de eritropoetina• A partir do 7º dia– Diminuição da Hb, hemácias e reticulócitos• Não existe déficit de oxigenação celular– HbA x HbF– 2,3 bifosfoglicerato
  10. 10. Anemia Fisiológica da Infância• Nadir: 6-8ª semana– Hb 9-11 mg/dl– Estímulo síntese eritropoetina• Todos os estoques de ferro são utilizadosnesta fase de eritropoiese ativa e se esgostamem torno da 15-20ª semana se não foremrepostos
  11. 11. Metabolismo do Ferro• Ferritina:– Produção hepática; reagente de fase aguda– Compartimento armazenador (25%)– Concentração sérica diretamente proporcional às reservas deferro– 20 a 200 ng/mL• Hemossiderina:– Derivado da ferritina, também armazenador– Mobiliza lentamente• Transferrina:– Produção hepática– Transporte, liga os compartimentos armazenadores– 2%
  12. 12. Metabolismo do Ferro• Ferro alimentar– Forma heme: animal; 30%, absorvidodiretamente, sem influências– Forma não-heme: vegetal; absorvido comoFe+2, 10%.– Conversão férrico->ferroso: ácidosestimulam, cereais prejudicam (quelantes)
  13. 13. Metabolismo do Ferro• Ciclo do ferroFERROABSORVIDOFERROPORTINAFERRITINAMUCOSA INTESTINALRECEPTORESMEDULA E FIGADODESCAMAÇÃOE ELIMINAÇÃOTRANSFERRINAPLASMÁTICA
  14. 14. Metabolismo do Ferro• Ciclo do ferroTRANSFERRINA FERROFERRITINAPROTOPORFIRINAENDOCITOSE-EXOCITOSEMEDULA ÓSSEAHEMOGLOBINAHEME MITOCÔNDRIA
  15. 15. Metabolismo do Ferro• Ciclo do ferroHEMOGLOBINAFERRO+BILIVERDINAFERRITINATRANSFERRINAPLASMÁTICAGLOBINA+HEMEBAÇO
  16. 16. Metabolismo do Ferro• Ciclo do ferro:– Como regular a necessidade?• Hepcidina
  17. 17. Laboratório do FerroDepleção de estoques de FerritinaElevação da TransferrinaElevação do TIBCFe Sérico diminuídoDiminuição da quant./qual. Hb(hipo/micro)
  18. 18. Laboratório do Ferro• Ferritina- VR: 20 – 200ng/ml- Armazenamento- Primeira a se alterar- Diminui nas condições que reduz o ferro corporal
  19. 19. Laboratório do Ferro• Transferrina- VR: 200 – 400 mg/dl- Cada molécula capta 2 moléculas de Fe- Aumenta produção hepática na anemia ferropriva
  20. 20. Laboratório do Ferro• TIBC- VR: 250 -360 mcg/dl- Capacidade de ligação total do ferro pelatransferrina- Aumenta em situações que eleva-se a Transferrina
  21. 21. Laboratório do Ferro
  22. 22. Laboratório do Ferro
  23. 23. Laboratório do Ferro• Índice de saturação de transferrina- VR: 30 – 40%- Sítio da transferrina ligadas ao ferro/ Sítios totaisda transferrina=- Fe Sérico/ TIBC
  24. 24. Laboratório do Ferro• Ferro sérico• Ferritina• Transferrina• TIBC• Sat. Transferrina
  25. 25. Manifestações Clínicas• Relacionados à anemia– astenia, fadiga indisposição física, insônia, palpitações ecefaleia;– pode descompensar uma patologia de base, cursando anginapectoris, insuficiência cardíaca, dispneia e rebaixamento donível de consciencia;– o exame físico revela: palidez cutaneomucosa e sopro sistólicode hiperfluxo.• Relacionados a Ferropenia– anorexia, irritabilidade, prejuízo no DNPM, glossite, queiliteangular, coiloníquia, escleras azuladas(15%), esplenomegalia, perversão do apetite;– síndrome de Plummer- Vinson
  26. 26. Diagnóstico laboratorial• Hemograma:- inicialmente anemia “normo-normo”, convertendo-se em “hipo-micro”- hemoglobina média de 8g/dl, VCM médio74 fL, CHCM 28g/dl-RDW elevado > 14%
  27. 27. • Ferro sérico- Em média < 30mg/dl (eleva-se rapidamenteapós reposição oral e parenteral)• Ferritina sérica- Tipicamente < 15 ng/ml• TIBC elevado ( > 400)• Saturação de transferrina diminuída (15%)Diagnóstico laboratorial
  28. 28. Tratamento• Oral– 3-5 mg/kg/dia de ferro elementar– 30 min antes ou 2 horas após dieta– Manter 3-4 meses ou 2 meses após normalização Hb• Parenteral– Síndrome de má absorção– Refratariedade– Reposição imediata• Transfusão
  29. 29. Profilaxia
  30. 30. Anemia FerroprivaTREINAMENTO(Questões- Casos clínicos)
  31. 31. 1. Criança de 3 anos, com palidez intensa e asteniahá um mês. Ao exame:hipocorado, anictérico, taquicárdico e taquipnéico.ACV com sopro sistólico em foco mitral.Hb=4,5g/dl, VCM=52, RDW=25, leucócitos=4500(N405/L45%/E15%), plaquetas=650.000. O diagnóstico etratamento imediato recomendado, são:a) Talassemia e transfusão de concentrado de hemáciasb) Anemia ferropriva e sulfato ferroso endovenosoc) Anemia ferropriva e transfusão de concentrado de hemáciasd) Anemia falciforme e transfusão de concentrado de hemácias
  32. 32. 1. Criança de 3 anos, com palidez intensa e asteniahá um mês. Ao exame: hipocorado, anictérico,taquicárdico e taquipnéico. ACV com sopro sistólicoem foco mitral. Hb=4,5g/dl, VCM=52, RDW=25,leucócitos=4500(N405/L45%/E15%),plaquetas=650.000. O diagnóstico e tratamentoimediato recomendado, são:a) Talassemia e transfusão de concentrado de hemáciasb) Anemia ferropriva e sulfato ferroso endovenosoc) Anemia ferropriva e transfusão de concentrado dehemáciasd) Anemia falciforme e transfusão de concentrado de hemácias
  33. 33. 2. A anemia por deficiência de ferrocaracteriza-se por:a)macrocitose, hipocromia e neutrófilos grandes comnúcleo hipersegmentado.b)microcitose, hipocromia e RDW altoc)microcitose, hipocromia, células em alvo e pontilhadobasófilo no esfregaçõ de sangue periféricod)microcitose, hipocromia e RDW normale)normocitose, hipocromia e RDW alto
  34. 34. 2. A anemia por deficiência de ferrocaracteriza-se por:a)macrocitose, hipocromia e neutrófilos grandes comnúcleo hipersegmentado.b)microcitose, hipocromia e RDW altoc)microcitose, hipocromia, células em alvo e pontilhadobasófilo no esfregaçõ de sangue periféricod)microcitose, hipocromia e RDW normale)normocitose, hipocromia e RDW alto
  35. 35. 3. Em relação a anemia ferroprivapodemos afirmar:a) Níveis séricos de ferritina normais afastam apossibilidade de doençab) A prevenção de anemia ferropriva, de acordo com oMS, deverá ser iniciada no desmame e ser continuadaaté os 18 meses, sendo utilizado ferro oral em doseúnica diáriac) As faixas etárias de maior risco são pré-escolar eadolescentesd) NDA
  36. 36. 3. Em relação a anemia ferroprivapodemos afirmar:a) Níveis séricos de ferritina normais afastam apossibilidade de doençab) A prevenção de anemia ferropriva, de acordo com oMS, deverá ser iniciada no desmame e ser continuadaaté os 18 meses, sendo utilizado ferro oral em doseúnica diáriac) As faixas etárias de maior risco são pré-escolar eadolescentesd) NDA
  37. 37. 4. Na dieta pobre em ferro qual o primeiroexame a alterar-se?a) Hemoglobinab) Ferritinac) TIBCd) Hepcidinae) Volume corpuscular médio
  38. 38. 4. Na dieta pobre em ferro qual o primeiroexame a alterar-se?a) Hemoglobinab) Ferritinac) TIBCd) Hepcidinae) Volume corpuscular médio
  39. 39. 5. Qual alternativa melhor descreve as etapasenvolvidas na instalação de um quadro de anemiaferropriva na ordem cronológica:a) Balanço de ferro negativo, anemia por deficiência de ferro eeritropoiese deficiente em ferro.b) Anemia por deficiência de ferro, balanço de ferro negativo eeritropoiese deficiente em ferro.c) Anemia por deficiência de ferro, eritropoiese deficiente em ferroe balanço de ferro negativo.d) Eritropoiese deficiente em ferro, balanço de ferro negativo eanemia por deficiência de ferroe) Balanço de ferro negativo, eritropoiese deficiente em ferro eanemia por deficiência de ferro
  40. 40. 5. Qual alternativa melhor descreve as etapasenvolvidas na instalação de um quadro de anemiaferropriva na ordem cronológica:a) Balanço de ferro negativo, anemia por deficiência de ferro eeritropoiese deficiente em ferro.b) Anemia por deficiência de ferro, balanço de ferro negativo eeritropoiese deficiente em ferro.c) Anemia por deficiência de ferro, eritropoiese deficiente em ferroe balanço de ferro negativo.d) Eritropoiese deficiente em ferro, balanço de ferro negativo eanemia por deficiência de ferroe) Balanço de ferro negativo, eritropoiese deficiente em ferro eanemia por deficiência de ferro
  41. 41. 6. Paciente de 14 meses de idade, sexomasculino, história de palidez cutaneo-mucosa, sem icterícia ou hepatoesplenomegalia;Ht=35%,Hb=11,7g/dl,semreticulocitose,leucócitos=8000(N40%/L60%),plaquetas=235.000/mm3, ferritina=9ng/ml. Qual aprincipal hipótese diagnóstica?a) Anemia fisiológicab) Anemia ferroprivac) Anemia aplásticad) Traço talassêmicoe) Deficiência de ferro
  42. 42. 6. Paciente de 14 meses de idade, sexomasculino, história de palidez cutaneo-mucosa, sem icterícia ou hepatoesplenomegalia;Ht=35%,Hb=11,7g/dl,semreticulocitose,leucócitos=8000(N40%/L60%),plaquetas=235.000/mm3, ferritina=9ng/ml. Qual aprincipal hipótese diagnóstica?a) Anemia fisiológicab) Anemia ferroprivac) Anemia aplásticad) Traço talassêmicoe) Deficiência de ferro
  43. 43. 7. Em relação à anemia ferropriva, podemos afirmar que:a) A OMS considera anemia ferropriva quando a Hb<9g/dl paracrianças menores de 5 anos.b) O pico de reticulócitos após o início do tratamento ocorre após ummês do uso de ferroc) A dose terapêutica do ferro é calculada na forma de ferroelementar e varia nos diferentes saisd) O aumento da Hb de 1 g/dl ocorre 3 meses após o inpicio dotratamento, quando deverá ser reavaliada a dosee) A anemia ferropriva é do tipo macrocítica e hipocrômica e fazdiagnóstico diferencial apenas com as infecções crônicas.
  44. 44. 7. Em relação à anemia ferropriva, podemos afirmar que:a) A OMS considera anemia ferropriva quando a Hb<9g/dl paracrianças menores de 5 anos.b) O pico de reticulócitos após o início do tratamento ocorre após ummês do uso de ferroc) A dose terapêutica do ferro é calculada na forma de ferroelementar e varia nos diferentes saisd) O aumento da Hb de 1 g/dl ocorre 3 meses após o inicio dotratamento, quando deverá ser reavaliada a dosee) A anemia ferropriva é do tipo macrocítica e hipocrômica e fazdiagnóstico diferencial apenas com as infecções crônicas.
  45. 45. Bibliografia• Cecil Medicine, 24ª ed. Philadelphia.Saunders. 2012.• Harrison´s Principles of Iternal Medicine, 18ªedição, McGraw-Hill, 2012• SBP, Tratado de Pediatria
  46. 46. Obrigado.

×