SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 52
CORONARIOPATIA NO IDOSO:COMO INDICAR O ESTUDO HEMODINÂMICO Dr. Leônidas Alvarenga Henriques
Doença Arterial Coronária ,[object Object],[object Object],[object Object]
Doença Arterial Coronária Nos Idosos ,[object Object],[object Object],[object Object]
Etapas na abordagem da Doença Arterial Coronária: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Avaliação Laboratorial da Doença Arterial Coronária  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Avaliação Laboratorial da DAC Teste Ergométrico ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Avaliação Laboratorial da Doença Arterial Coronária  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Melhor Capacidade diagnóstica e prognóstica
Avaliação Laboratorial da DAC Angiotomografia Coronária  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Avaliação Laboratorial da Doença Arterial Coronária  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Opções de tratamento para Doença  Coronariana ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Tratamento Atual da Doença Coronariana (EUA) ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Intervenção coronária percutânea é a terapêutica  de revascularização dominante hoje CDC MMWR Feb 16,2007/56(06);113-118 JACC 2002;39 :1096-1103
INTERVENÇÕES CORONÁRIAS PERCUTÂNEAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
ANGIOPLASTIA COM BALÃO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],5 a15 %
2)REESTENOSE : MECANISMO
DISPOSITIVOS DE ATERECTOMIA Aterectomia Direcional
DISPOSITIVOS DE ATERECTOMIA: ROTABLATOR Balão Rota
BALÃO DE CORTE: dilatação cirúrgica
Surgimento dos Stents coronarianos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
DISPOSITIVO DE PROTEÇÃO DISTAL
X-SIZER (ASPIRAÇÃO) Dispositivo de trombo- aterectomia
Dr. Leônidas A. Henriques Cateterismo por acesso radial ,[object Object],[object Object],[object Object]
Stents se tornaram a estratégia dominante na cardiologia intervencionista
Os pacientes  idosos submetidos as técnicas percutâneas de revascularização são mais frequentemente ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Revascularização no Idoso ,[object Object],[object Object],[object Object]
Revascularização Percutânea no Idoso ,[object Object],[object Object],[object Object]
Reestenose Intra stent: Aspectos macroscópico e microscópico
REESTENOSE : um problema de excessiva Hiperplasia  Neo intimal Pós imediato Follow -up à longo prazo
CLASSIFICAÇÃO DE REESTENOSE INTRASTENT Articulação Bordas Focal e Central Multifocal Oclusão Intrastent Proliferativa Mehran Circulation  99; 100: 1872-78
AVANÇOS NA TECNOLOGIA DO STENT Espessura variável
AVANÇOS NA TECNOLOGIA DO STENT STENTS BIOCOMPATÍVEIS Revestidos c/ Fosforilcolina ( Cópia sintética da  Membrana celular )
STENTS FARMACOLÓGICOS
Stent com e sem rapamicina Aspectos Anatomopatológicos   SEM RAPAMICINA COM RAPAMICINA
Caso Clínico L.A.F. 63 a, sexo fem, angina instável Lesão DA Pós-stent BX 2.75-13 mm
3 meses após, angina progressiva, Ecostress + Reestenose intra-stent Cypher ®   2.75-18 mm
S.G.O. 81 a. , angina instável , disfunção VE , FE:30%, Hipert. Pulmonar   Sabincor 27/09/2005
IMPLANTE DE 2 STENTS ELUÍDOS COM RAPAMICINA EM BIFURCAÇÃO DE TCE NÃO PROTEGIDO   Insufla o primeiro ... E depois o segundo stent  ... e no final os dois juntos à média pressão  .
48 H APÓS : Assintomático, FE 41% e normalização pressão pulmonar  Resultado Final
A segurança da primeira geração de Stents Farmacológicos foi questionada Apresentação no congresso europeu de cardiologia  Sugeriu aumento da taxa de óbito,IM e trombose  com stents farmacológicos
Dramáticas afirmações(positivas ou negativas) Baseadas em pequenos estudos Tendem ao exagero Mais evidências sólidas   Efeitos indesejados modestos
  Qual deve ser minha atitude diante destas notícias alarmistas ?  ,[object Object],[object Object],[object Object]
RAZÕES PARA ESCOLHER... ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Stent Conv. Stent Farm.
Indicações de Stent Farmacológico: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],“ on-label” “ off-label”
INTERVENÇÕES CORONÁRIAS PERCUTÂNEAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],complexo simples
CONSENTIMENTO INFORMADO RISCOS BENEFÍCIOS X Discutir com família e médico assistente: Taxa de sucesso e complicações Reestenose:  Stent  convencional : 15 a 50% Stent Farmacológico :<10%
Nova geração de Stents Farmacológicos  28 dias (porcino) Cypher Taxus Endeavor Xience
Próxima geração de Stents Farmacológicos:
Nova geração de Stents Farmacológicos:
STENT BIODEGRADÁVEL: Magnésio
1)Conclusões : ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
2)Conclusões : ,[object Object],[object Object],[object Object]
FUTURO?  Obrigado !

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Early Treatment of Atrial Fibrillation (AF) - By Dr Pipin Kojodjojo
Early Treatment of Atrial Fibrillation (AF) - By Dr Pipin KojodjojoEarly Treatment of Atrial Fibrillation (AF) - By Dr Pipin Kojodjojo
Early Treatment of Atrial Fibrillation (AF) - By Dr Pipin Kojodjojoahvc0858
 
SINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDASINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDAFernanda Marinho
 
Laudo da cintilografia de perfusao do miocardio
Laudo da cintilografia de perfusao do miocardioLaudo da cintilografia de perfusao do miocardio
Laudo da cintilografia de perfusao do miocardioJoao Bruno Oliveira
 
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regionalTraumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regionalCarlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Pré operatório de cirurgia cardíaca - fisioterapia
Pré operatório de cirurgia cardíaca - fisioterapiaPré operatório de cirurgia cardíaca - fisioterapia
Pré operatório de cirurgia cardíaca - fisioterapiaMarcela Mihessen
 
Tce
TceTce
TceFMU
 
4a aula fisiologia cardiovascular ecg_profa luiza a. rabelo_farmácia 034 ufal
4a aula   fisiologia cardiovascular ecg_profa luiza a. rabelo_farmácia 034 ufal4a aula   fisiologia cardiovascular ecg_profa luiza a. rabelo_farmácia 034 ufal
4a aula fisiologia cardiovascular ecg_profa luiza a. rabelo_farmácia 034 ufalluizaa.rabelo
 
Doença arterial obstrutiva periférica (DAOP)
Doença arterial obstrutiva periférica (DAOP)Doença arterial obstrutiva periférica (DAOP)
Doença arterial obstrutiva periférica (DAOP)Marcella Reis Goulart
 
Protocolo Atendimento do AVC
Protocolo Atendimento do AVCProtocolo Atendimento do AVC
Protocolo Atendimento do AVCgalegoo
 
Tratamento AVC isquemico: perspectivas atuais
Tratamento AVC isquemico: perspectivas atuaisTratamento AVC isquemico: perspectivas atuais
Tratamento AVC isquemico: perspectivas atuaisErion Junior de Andrade
 
SINDROMES CORONARIANAS AGUDAS
SINDROMES CORONARIANAS AGUDASSINDROMES CORONARIANAS AGUDAS
SINDROMES CORONARIANAS AGUDASMaycon Silva
 
ICD in Non-ischemic cardiomyopathy
ICD in Non-ischemic cardiomyopathyICD in Non-ischemic cardiomyopathy
ICD in Non-ischemic cardiomyopathyPRAVEEN GUPTA
 
Doença Arterial Coronariana
Doença Arterial CoronarianaDoença Arterial Coronariana
Doença Arterial CoronarianaJacyelle Medeiros
 

Mais procurados (20)

Aneurisma Cerebral
Aneurisma CerebralAneurisma Cerebral
Aneurisma Cerebral
 
Early Treatment of Atrial Fibrillation (AF) - By Dr Pipin Kojodjojo
Early Treatment of Atrial Fibrillation (AF) - By Dr Pipin KojodjojoEarly Treatment of Atrial Fibrillation (AF) - By Dr Pipin Kojodjojo
Early Treatment of Atrial Fibrillation (AF) - By Dr Pipin Kojodjojo
 
SINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDASINDROME CORONARIANA AGUDA
SINDROME CORONARIANA AGUDA
 
Cardiotocografia
CardiotocografiaCardiotocografia
Cardiotocografia
 
Aneurisma
AneurismaAneurisma
Aneurisma
 
Laudo da cintilografia de perfusao do miocardio
Laudo da cintilografia de perfusao do miocardioLaudo da cintilografia de perfusao do miocardio
Laudo da cintilografia de perfusao do miocardio
 
AVC Hemorragico
AVC HemorragicoAVC Hemorragico
AVC Hemorragico
 
Trauma Cranioencefálico - Urgência & Emergência
Trauma Cranioencefálico - Urgência & EmergênciaTrauma Cranioencefálico - Urgência & Emergência
Trauma Cranioencefálico - Urgência & Emergência
 
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regionalTraumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
Traumatismo craniano – classificação e epidemiologia regional
 
O politraumatizado em UCI boas praticas
O politraumatizado em UCI   boas praticas O politraumatizado em UCI   boas praticas
O politraumatizado em UCI boas praticas
 
Pré operatório de cirurgia cardíaca - fisioterapia
Pré operatório de cirurgia cardíaca - fisioterapiaPré operatório de cirurgia cardíaca - fisioterapia
Pré operatório de cirurgia cardíaca - fisioterapia
 
Tce
TceTce
Tce
 
4a aula fisiologia cardiovascular ecg_profa luiza a. rabelo_farmácia 034 ufal
4a aula   fisiologia cardiovascular ecg_profa luiza a. rabelo_farmácia 034 ufal4a aula   fisiologia cardiovascular ecg_profa luiza a. rabelo_farmácia 034 ufal
4a aula fisiologia cardiovascular ecg_profa luiza a. rabelo_farmácia 034 ufal
 
Doença arterial obstrutiva periférica (DAOP)
Doença arterial obstrutiva periférica (DAOP)Doença arterial obstrutiva periférica (DAOP)
Doença arterial obstrutiva periférica (DAOP)
 
Protocolo Atendimento do AVC
Protocolo Atendimento do AVCProtocolo Atendimento do AVC
Protocolo Atendimento do AVC
 
Tratamento AVC isquemico: perspectivas atuais
Tratamento AVC isquemico: perspectivas atuaisTratamento AVC isquemico: perspectivas atuais
Tratamento AVC isquemico: perspectivas atuais
 
Cuidado Paliativo no século XXI: conceitos, evidências e desafios
Cuidado Paliativo no século XXI:conceitos, evidências e desafiosCuidado Paliativo no século XXI:conceitos, evidências e desafios
Cuidado Paliativo no século XXI: conceitos, evidências e desafios
 
SINDROMES CORONARIANAS AGUDAS
SINDROMES CORONARIANAS AGUDASSINDROMES CORONARIANAS AGUDAS
SINDROMES CORONARIANAS AGUDAS
 
ICD in Non-ischemic cardiomyopathy
ICD in Non-ischemic cardiomyopathyICD in Non-ischemic cardiomyopathy
ICD in Non-ischemic cardiomyopathy
 
Doença Arterial Coronariana
Doença Arterial CoronarianaDoença Arterial Coronariana
Doença Arterial Coronariana
 

Destaque

Coronariopatias SEMINARIO
Coronariopatias SEMINARIOCoronariopatias SEMINARIO
Coronariopatias SEMINARIONancy Rivera C
 
Anatomía coronaria básica - Coronariografía. Visualización de las arterias co...
Anatomía coronaria básica - Coronariografía. Visualización de las arterias co...Anatomía coronaria básica - Coronariografía. Visualización de las arterias co...
Anatomía coronaria básica - Coronariografía. Visualización de las arterias co...CardioTeca
 
Tomografia Computadorizada de Artérias Coronarias
Tomografia Computadorizada de Artérias CoronariasTomografia Computadorizada de Artérias Coronarias
Tomografia Computadorizada de Artérias CoronariasAlex Eduardo Ribeiro
 
Exames 2semest 1ano cópia
Exames 2semest 1ano   cópiaExames 2semest 1ano   cópia
Exames 2semest 1ano cópiacommed1
 
Coronariopatías Clase N° 6
Coronariopatías Clase N° 6Coronariopatías Clase N° 6
Coronariopatías Clase N° 6Miriam
 
Angio tc coronario
Angio tc coronarioAngio tc coronario
Angio tc coronariothecat251
 
Análise crítica do tratamento da doença carotídea hmb
Análise crítica do tratamento da doença carotídea   hmbAnálise crítica do tratamento da doença carotídea   hmb
Análise crítica do tratamento da doença carotídea hmbKate Antunes
 
Irrigación del corazón (Arterias Coronarias)
Irrigación del corazón (Arterias Coronarias)Irrigación del corazón (Arterias Coronarias)
Irrigación del corazón (Arterias Coronarias)Carlos Andrés García
 
Sepse para dia da sepse
Sepse para dia da sepseSepse para dia da sepse
Sepse para dia da sepseYuri Assis
 
Radiologianota10 uretrocistografia retrógrada e miccional
Radiologianota10 uretrocistografia retrógrada e miccionalRadiologianota10 uretrocistografia retrógrada e miccional
Radiologianota10 uretrocistografia retrógrada e miccionalDanilo Leandro Sanches
 
Fisiologia Coronaria
Fisiologia CoronariaFisiologia Coronaria
Fisiologia CoronarianAyblancO
 
Fisiologia do bloqueio neuromuscular
Fisiologia do bloqueio neuromuscularFisiologia do bloqueio neuromuscular
Fisiologia do bloqueio neuromuscularMichelle Nogueira
 
Mercredi monitorização hemodinamica
Mercredi monitorização hemodinamicaMercredi monitorização hemodinamica
Mercredi monitorização hemodinamicactisaolucascopacabana
 
Angio ressonância Magnética
Angio ressonância MagnéticaAngio ressonância Magnética
Angio ressonância MagnéticaDanielle Climaco
 

Destaque (20)

Angiotomografia Coronaria
Angiotomografia Coronaria Angiotomografia Coronaria
Angiotomografia Coronaria
 
Coronariopatias SEMINARIO
Coronariopatias SEMINARIOCoronariopatias SEMINARIO
Coronariopatias SEMINARIO
 
Coronariopatias 2012
Coronariopatias 2012Coronariopatias 2012
Coronariopatias 2012
 
Anatomía coronaria básica - Coronariografía. Visualización de las arterias co...
Anatomía coronaria básica - Coronariografía. Visualización de las arterias co...Anatomía coronaria básica - Coronariografía. Visualización de las arterias co...
Anatomía coronaria básica - Coronariografía. Visualización de las arterias co...
 
Angiotomografia
AngiotomografiaAngiotomografia
Angiotomografia
 
Anatomía coronaria
Anatomía coronariaAnatomía coronaria
Anatomía coronaria
 
arterias coronarias
arterias coronariasarterias coronarias
arterias coronarias
 
Tomografia Computadorizada de Artérias Coronarias
Tomografia Computadorizada de Artérias CoronariasTomografia Computadorizada de Artérias Coronarias
Tomografia Computadorizada de Artérias Coronarias
 
Exames 2semest 1ano cópia
Exames 2semest 1ano   cópiaExames 2semest 1ano   cópia
Exames 2semest 1ano cópia
 
Coronariopatías Clase N° 6
Coronariopatías Clase N° 6Coronariopatías Clase N° 6
Coronariopatías Clase N° 6
 
Angio tc coronario
Angio tc coronarioAngio tc coronario
Angio tc coronario
 
Análise crítica do tratamento da doença carotídea hmb
Análise crítica do tratamento da doença carotídea   hmbAnálise crítica do tratamento da doença carotídea   hmb
Análise crítica do tratamento da doença carotídea hmb
 
Irrigación del corazón (Arterias Coronarias)
Irrigación del corazón (Arterias Coronarias)Irrigación del corazón (Arterias Coronarias)
Irrigación del corazón (Arterias Coronarias)
 
Sepse para dia da sepse
Sepse para dia da sepseSepse para dia da sepse
Sepse para dia da sepse
 
Radiologianota10 uretrocistografia retrógrada e miccional
Radiologianota10 uretrocistografia retrógrada e miccionalRadiologianota10 uretrocistografia retrógrada e miccional
Radiologianota10 uretrocistografia retrógrada e miccional
 
Fisiologia Coronaria
Fisiologia CoronariaFisiologia Coronaria
Fisiologia Coronaria
 
Fisiologia do bloqueio neuromuscular
Fisiologia do bloqueio neuromuscularFisiologia do bloqueio neuromuscular
Fisiologia do bloqueio neuromuscular
 
Mercredi monitorização hemodinamica
Mercredi monitorização hemodinamicaMercredi monitorização hemodinamica
Mercredi monitorização hemodinamica
 
Angiotc de cuello
Angiotc de cuelloAngiotc de cuello
Angiotc de cuello
 
Angio ressonância Magnética
Angio ressonância MagnéticaAngio ressonância Magnética
Angio ressonância Magnética
 

Semelhante a Coronariopatia No Idoso - Como indicar estudo hemodinâmico?

Relato de caso - 04.08.2014
Relato de caso - 04.08.2014Relato de caso - 04.08.2014
Relato de caso - 04.08.2014Paulo Cardoso
 
Anestesia e Segurança - Prof. Dr. José Otávio Costa Auler Júnior
Anestesia e Segurança - Prof. Dr. José Otávio Costa Auler JúniorAnestesia e Segurança - Prof. Dr. José Otávio Costa Auler Júnior
Anestesia e Segurança - Prof. Dr. José Otávio Costa Auler JúniorSMA - Serviços Médicos de Anestesia
 
Aula Anestesia em pacientes com doença valvar avançada
Aula Anestesia em pacientes com doença valvar avançadaAula Anestesia em pacientes com doença valvar avançada
Aula Anestesia em pacientes com doença valvar avançadaCarlos Galhardo Junior
 
Estenose supra VP após cirurgia de Jatene
Estenose supra VP após cirurgia de JateneEstenose supra VP após cirurgia de Jatene
Estenose supra VP após cirurgia de Jatenegisa_legal
 
Iam pos cirurgia valvar incor 2009
Iam pos cirurgia valvar incor 2009Iam pos cirurgia valvar incor 2009
Iam pos cirurgia valvar incor 2009galegoo
 
NEOBEXIGA ORTOTÓPICA - Como Previnir Complicações
NEOBEXIGA ORTOTÓPICA - Como Previnir Complicações NEOBEXIGA ORTOTÓPICA - Como Previnir Complicações
NEOBEXIGA ORTOTÓPICA - Como Previnir Complicações Urovideo.org
 
Dr. Arno von Ristow "Cirurgia carotídea e coronária combinada deve ser elimin...
Dr. Arno von Ristow "Cirurgia carotídea e coronária combinada deve ser elimin...Dr. Arno von Ristow "Cirurgia carotídea e coronária combinada deve ser elimin...
Dr. Arno von Ristow "Cirurgia carotídea e coronária combinada deve ser elimin...Academia Nacional de Medicina
 
Transcatheter aortic valve replacement with a self-expanding valve in
Transcatheter aortic valve replacement with a self-expanding valve inTranscatheter aortic valve replacement with a self-expanding valve in
Transcatheter aortic valve replacement with a self-expanding valve inThiago Henrique
 
Aula Iam C Supra Fabio
Aula Iam C Supra FabioAula Iam C Supra Fabio
Aula Iam C Supra Fabiogalegoo
 
UFMT 2021 2022.pdf
UFMT 2021 2022.pdfUFMT 2021 2022.pdf
UFMT 2021 2022.pdfBrian Tc
 
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em MastologiaAplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologiacaduanselmi
 
Hrav-trauma esplenico revisão
Hrav-trauma esplenico revisãoHrav-trauma esplenico revisão
Hrav-trauma esplenico revisãoLee James Ramos
 
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCO
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCOTRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCO
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCOUrovideo.org
 
Infarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdioInfarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdiojaquerpereira
 
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreas
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreasQual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreas
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreasCirurgia Online
 
Infarto no perioperatório de cirurgia cardíaca
Infarto no perioperatório de cirurgia cardíacaInfarto no perioperatório de cirurgia cardíaca
Infarto no perioperatório de cirurgia cardíacaMário Barbosa
 

Semelhante a Coronariopatia No Idoso - Como indicar estudo hemodinâmico? (20)

Relato de caso - 04.08.2014
Relato de caso - 04.08.2014Relato de caso - 04.08.2014
Relato de caso - 04.08.2014
 
Anestesia e Segurança - Prof. Dr. José Otávio Costa Auler Júnior
Anestesia e Segurança - Prof. Dr. José Otávio Costa Auler JúniorAnestesia e Segurança - Prof. Dr. José Otávio Costa Auler Júnior
Anestesia e Segurança - Prof. Dr. José Otávio Costa Auler Júnior
 
Aula Anestesia em pacientes com doença valvar avançada
Aula Anestesia em pacientes com doença valvar avançadaAula Anestesia em pacientes com doença valvar avançada
Aula Anestesia em pacientes com doença valvar avançada
 
Estenose supra VP após cirurgia de Jatene
Estenose supra VP após cirurgia de JateneEstenose supra VP após cirurgia de Jatene
Estenose supra VP após cirurgia de Jatene
 
Iam pos cirurgia valvar incor 2009
Iam pos cirurgia valvar incor 2009Iam pos cirurgia valvar incor 2009
Iam pos cirurgia valvar incor 2009
 
NEOBEXIGA ORTOTÓPICA - Como Previnir Complicações
NEOBEXIGA ORTOTÓPICA - Como Previnir Complicações NEOBEXIGA ORTOTÓPICA - Como Previnir Complicações
NEOBEXIGA ORTOTÓPICA - Como Previnir Complicações
 
Dr. Arno von Ristow "Cirurgia carotídea e coronária combinada deve ser elimin...
Dr. Arno von Ristow "Cirurgia carotídea e coronária combinada deve ser elimin...Dr. Arno von Ristow "Cirurgia carotídea e coronária combinada deve ser elimin...
Dr. Arno von Ristow "Cirurgia carotídea e coronária combinada deve ser elimin...
 
Transcatheter aortic valve replacement with a self-expanding valve in
Transcatheter aortic valve replacement with a self-expanding valve inTranscatheter aortic valve replacement with a self-expanding valve in
Transcatheter aortic valve replacement with a self-expanding valve in
 
IAMSSST
IAMSSSTIAMSSST
IAMSSST
 
PCI_Silvio.pptx
PCI_Silvio.pptxPCI_Silvio.pptx
PCI_Silvio.pptx
 
CA PULMÃO.pdf
CA PULMÃO.pdfCA PULMÃO.pdf
CA PULMÃO.pdf
 
Aula Iam C Supra Fabio
Aula Iam C Supra FabioAula Iam C Supra Fabio
Aula Iam C Supra Fabio
 
UFMT 2021 2022.pdf
UFMT 2021 2022.pdfUFMT 2021 2022.pdf
UFMT 2021 2022.pdf
 
Ffr
FfrFfr
Ffr
 
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em MastologiaAplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
 
Hrav-trauma esplenico revisão
Hrav-trauma esplenico revisãoHrav-trauma esplenico revisão
Hrav-trauma esplenico revisão
 
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCO
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCOTRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCO
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCO
 
Infarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdioInfarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdio
 
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreas
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreasQual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreas
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreas
 
Infarto no perioperatório de cirurgia cardíaca
Infarto no perioperatório de cirurgia cardíacaInfarto no perioperatório de cirurgia cardíaca
Infarto no perioperatório de cirurgia cardíaca
 

Mais de Márcio Borges

O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...
O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...
O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...Márcio Borges
 
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...Márcio Borges
 
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...Márcio Borges
 
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...Márcio Borges
 
O IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...
O IDOSO DEPENDENTE -  2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...O IDOSO DEPENDENTE -  2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...
O IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...Márcio Borges
 
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...Márcio Borges
 
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...Márcio Borges
 
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?O QUE SE PASSA COM VOVÔ?
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?Márcio Borges
 
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIA
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIACUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIA
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIAMárcio Borges
 
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL
ENVELHECIMENTO POPULACIONALENVELHECIMENTO POPULACIONAL
ENVELHECIMENTO POPULACIONALMárcio Borges
 
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos IdososBenefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos IdososMárcio Borges
 
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA CUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIACUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIACUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA CUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...Márcio Borges
 
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTOASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTOMárcio Borges
 
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOS
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOSASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOS
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOSMárcio Borges
 
Biologia Do Envelhecimento
Biologia Do EnvelhecimentoBiologia Do Envelhecimento
Biologia Do EnvelhecimentoMárcio Borges
 
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?Márcio Borges
 
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADE
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADECUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADE
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADEMárcio Borges
 
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - ASSISTÊNCIA SOCIAL
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - ASSISTÊNCIA SOCIALCUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - ASSISTÊNCIA SOCIAL
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - ASSISTÊNCIA SOCIALMárcio Borges
 

Mais de Márcio Borges (20)

O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...
O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...
O COMPROMISSO DE TODOS POR UM ENVELHECIMENTO MAIS DIGNO - 2º ENCONTRO DE FAMI...
 
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...
CREAS IDOSO-MULHER - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPENDE...
 
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...
A FAMÍLIA DO IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDO...
 
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...
CUIDAR DE IDOSOS EM CASA - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS D...
 
O IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...
O IDOSO DEPENDENTE -  2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...O IDOSO DEPENDENTE -  2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...
O IDOSO DEPENDENTE - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS DEPEND...
 
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - 2º ENCONTRO DE FAMILIARES E CUIDADORES DE IDOSOS ...
 
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...
OS NOVOS RUMOS DA FILANTROPIA E OS IDOSOS DEPENDENTES - 2º ENCONTRO DE FAMILI...
 
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?O QUE SE PASSA COM VOVÔ?
O QUE SE PASSA COM VOVÔ?
 
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIA
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIACUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIA
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - VISÃO DA GERIATRIA
 
Gigantes Da Geriatria
Gigantes Da GeriatriaGigantes Da Geriatria
Gigantes Da Geriatria
 
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL
ENVELHECIMENTO POPULACIONALENVELHECIMENTO POPULACIONAL
ENVELHECIMENTO POPULACIONAL
 
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos IdososBenefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
Benefícios do Exercício Físico e da Reabilitação Cardíaca em Indivíduos Idosos
 
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA CUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIACUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIACUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA CUIDANDO DE IDOSOS EM UNIDADE DE TER...
 
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTOASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS SOCIAIS E PSICOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO
 
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOS
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOSASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOS
ASSISTÊNCIA E ORIENTAÇÃO ÀS FAMÍLIAS DE IDOSOS
 
Biologia Do Envelhecimento
Biologia Do EnvelhecimentoBiologia Do Envelhecimento
Biologia Do Envelhecimento
 
O CORAÇÃO DO IDOSO
O CORAÇÃO DO IDOSOO CORAÇÃO DO IDOSO
O CORAÇÃO DO IDOSO
 
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?
OBSTINAÇÃO TERAPÊUTICA: POR QUE NOSSAS UTIs ESTÃO CHEIAS DE IDOSOS TERMINAIS?
 
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADE
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADECUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADE
CUIDADOS PALIATIVOS NA TERCEIRA IDADE
 
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - ASSISTÊNCIA SOCIAL
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - ASSISTÊNCIA SOCIALCUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - ASSISTÊNCIA SOCIAL
CUIDAR DE IDOSOS EM ILPIs - ASSISTÊNCIA SOCIAL
 

Coronariopatia No Idoso - Como indicar estudo hemodinâmico?