SlideShare uma empresa Scribd logo
Vários fatores de risco contribuem para a formação de 
cálculos renais, que incluem a história familiar, sendo 
2,5 vezes maior em indivíduos com antecedentes de ca-sos 
na família; a idade; a raça; elevação de ácido úrico; 
índice de massa corporal (IMC) >30Kg/m2, a presença 
de diabetes mellitus; síndrome metabólica e hábitos ali-mentares 
inadequados. 
Os fatores dietéticos podem ser modificados, especifi-camente 
a alimentação, pois a composição da urina está 
diretamente relacionada com a mesma. A compreensão 
dos mecanismos fisiológicos e dos fatores de risco é 
importante para que medidas de prevenção sejam in-corporadas 
pelo paciente no decorrer do tratamento, a 
fim de modificar a história natural da doença. 
A terapia nutricional deve incluir medidas de adequação 
do peso corporal, perda de peso em caso de sobrepeso 
e obesidade, a implementação de recomendações de 
hábitos de vida saudáveis, incluindo atividade física e 
a mudança de hábitos alimentares inadequados, visan-do 
à redução do consumo de sódio, gordura saturada 
e alimentos calóricos e, principalmente, o aumento do 
consumo de líquidos. 
As orientações devem ser de fácil compreensão e o 
nutricionista deve procurar esclarecer qual a inter-­relação 
entre o consumo do alimento e a prevenção ou 
a gênese da formação do cálculo, para que a adesão 
do paciente, tanto no tratamento clínico e nutricional, 
alcance os objetivos propostos. 
Nídia Denise Pucci 
Nutricionista Chefe da Divisão de Nutrição e Dietética e do Setor de 
Endourologia e Litíase Urinária da Divisão de Clínica Urológica do Instituto 
Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP 
Fabio C. Vicentini 
Assistente – Doutor do Setor de Endourologia e Litíase Urinária da 
Divisão de Clínica Urológica do Instituto Central do Hospital das 
Clínicas da Faculdade de Medicina da USP
Alimentação na Prevenção de 
Cálculos Renais-Orientação 
aos pacientes 
O cálculo renal é muito comum de acontecer. Cerca de 
8% das mulheres e 15% dos homens vão apresentar 
cálculo renal em algum momento da vida. 
Seu tratamento nem sempre é fácil. Além disso, as 
chances de uma pessoa que já teve cálculo renal vir a 
ter novamente é de cerca de 50% em cinco anos. Por 
isso, após o tratamento, é muito importante a prevenção 
da formação de novos cálculos. Para isso, as orienta-ções 
nutricionais são muito importantes. 
A formação de cálculos renais pode aumentar em fun-ção 
de alguns fatores nutricionais, tais como: ganho de 
peso e obesidade, excesso de sal na comida e o consu-mo 
reduzido de líquidos, dentre outros. Desta forma, al-guns 
cuidados na alimentação devem ser tomados para 
evitar a sua formação: 
Procure ingerir no mínimo 2 a 3 litros 
de líquidos por dia: 
Tome água, limonada com adoçante e chás de ervas 
(camomila, erva-doce, cidreira, hortelã) ao natural ou 
com adoçante. Consuma quente ou gelado e de prefe-rência, 
adicionado de limão. Evite adoçar com açúcar, 
mel ou açúcar mascavo, pois aumenta a quantidade de 
calorias da bebida. Evite refrigerantes ou sucos em pó e 
artificiais, pois aumentam os riscos de cálculos. Prefira 
os sucos naturais e sem adição de açúcar. 
Lembre-se: para avaliar se a quantidade de líquidos 
consumida está adequada, observe a urina, que sempre 
deve estar clara e límpida. Caso contrário, a quantidade 
de líquidos ingerida deverá ser aumentada.
Cuidado com o sal! 
Use o mínimo de sal possível no preparo dos alimentos 
e não adicione sal na comida. Prefira temperos naturais 
de ervas para dar sabor e aroma: orégano, salsinha, ce-bolinha, 
limão, coentro, salsão ou outros de sua prefe-rência 
e evite: 
• Azeitonas, bacalhau, salgadinhos, queijos amarelos, 
temperos e molhos prontos (catchup, mostarda, shoyu, 
caldos concentrados, molho inglês, sopas de pacote, 
cubos de caldos de carne e outros), produtos com glu-tamato 
monossódico, embutidos (salsicha, mortadela, 
linguiça, presunto, salame, paio, carne seca); 
• Conservas (picles, azeitona, aspargo, palmito, milho, pa-tês, 
algas, chucrutes, maionese pronta); 
• Enlatados (extrato de tomate, milho, ervilha, seleta de 
legumes e outros) 
• Carnes salgadas (charque, camarão seco, defumados); 
• Salgadinhos para aperitivos (batata frita, amendoim sal-gado, 
castanhas, chips); 
• Bolachas salgadas, recheadas, margarina ou manteiga 
com sal, requeijão normal ou light. 
Procure ler os rótulos, pois muitos alimentos industria-lizados 
possuem sódio ou glutamato monossódico na 
composição e não devem ser consumidos. 
Frutas: Consuma pelo menos 3 a 4 ao dia: 
Dê preferência à laranja, tangerina e melão. Consuma 
limonada e laranjada preparadas com a fruta natural, 
pois o ácido cítrico contido nestas frutas pode auxi-liar 
a evitar a formação dos cálculos. Não use sucos 
artificiais ou refrigerantes. Frutas vermelhas ou sucos 
de cranberry, framboesa e morango possuem alta con-centração 
de protetores contra infecções.
Legumes cozidos ou crus e verduras de folha 
devem fazer parte das duas refeições principais (almoço e 
jantar), pois contém vitaminas, minerais e fibras, auxiliando 
no bom funcionamento intestinal, na prevenção de doenças 
e no aumento da resistência do organismo. 
Não deixe de consumir leite e seus derivados: 
No geral, não há necessidade de restringir o consumo de 
cálcio, um tabu que ainda é muito difundido. Consuma 
pelo menos três copos ao dia, desde que sejam desna-tados: 
iogurte light, ao natural, coalhada, queijo branco 
magro com pouco sal, ricota ou leite desnatado em pó. 
Somente reduza a quantidade de leite se for orientado pelo 
seu médico ou da nutricionista. 
Prefira os alimentos integrais aos refinados, 
pois contém fibras que auxiliam no funcionamento 
intestinal: arroz e macarrão integral, biscoitos e pão 
integral light (sem adição de açúcar e gordura). No 
entanto, a quantidade destes alimentos deve ser 
controlada caso necessite perder peso, seguindo a 
orientação do nutricionista. 
Prepare os alimentos sempre grelhados, assados ou cozi-dos. 
Evite frituras e empanados, pois são muito calóricos. 
Consuma uma porção de carne ou substitutos 
(peixe, frango sem pele ou ovo), no almoço e jantar, 
evitando excessos. Prefira as carnes magras. Evite 
churrascos, pois contém muita gordura e excesso de sal. 
Não utilize suplementos de vitaminas ou minerais, sobre-tudo 
a vitamina C sem a prescrição do médico, pois podem 
propiciar a formação de cálculos. 
Evite café, bebidas achocolatadas e chocolate, chá preto, 
mate ou verde, espinafre, nozes, mariscos e frutos do mar. 
Estes alimentos contribuem na formação de cálculos, pois 
são ricos em oxalato. Portanto, use com moderação.
Algumas situações de cálculos de repetição são causa-das 
por alterações específicas e são identificadas pelo 
urologista, merecendo aí um tratamento individualizado. 
Além de tudo isso, procure realizar uma atividade física 
regular, pois auxilia na perda de peso e na manutenção 
da saúde. Portanto, procure caminhar ou fazer alguma 
atividade com regularidade. 
Lembre-se: mantenha-se sempre bem hidratado 
durante as atividades, pois neste momento pode haver 
o início de algum cálculo renal devido à falta de água! 
Seguindo estas orientações, as chances de formação de 
novos cálculos diminuem de 20 a 70%. Isso é muito im-portante, 
pois quem teve cálculo sabe a dor e sofrimento 
que isto pode causar! 
Desenvolvido pelo: 
Departamento de TMI - Terapia Minimamente Invasiva - SBU 
Iniciativa 
Baixe a versão digital 
Apoio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Nutrição na Hipertensão
Palestra Nutrição na HipertensãoPalestra Nutrição na Hipertensão
Palestra Nutrição na Hipertensão
Juliana Nólibos
 
Alimentação saudável
Alimentação saudávelAlimentação saudável
Alimentação saudável
Sasuke Sakura
 
Drogas de interesse em Alta Complexidade.pdf
Drogas de interesse em Alta Complexidade.pdfDrogas de interesse em Alta Complexidade.pdf
Drogas de interesse em Alta Complexidade.pdf
FrancielleConstantin
 
Cálculo Renal
Cálculo RenalCálculo Renal
Biodisponibilidade excelente
Biodisponibilidade excelenteBiodisponibilidade excelente
Biodisponibilidade excelente
Universidade Federal de São Paulo- UNIFESP
 
Funcionalidade e aplicabilidade dos alimentos na estética
Funcionalidade e aplicabilidade dos alimentos na estéticaFuncionalidade e aplicabilidade dos alimentos na estética
Funcionalidade e aplicabilidade dos alimentos na estética
Lupe Bello Cuerpo
 
Nutrição do idoso
Nutrição do idosoNutrição do idoso
Nutrição do idoso
Karina Pereira
 
Minerais
MineraisMinerais
Alimentação e qualidade de vida
Alimentação e qualidade de vidaAlimentação e qualidade de vida
Alimentação e qualidade de vida
phtizzo
 
Princípios básicos de fisiologia do exercício
Princípios básicos de fisiologia do exercícioPrincípios básicos de fisiologia do exercício
Princípios básicos de fisiologia do exercício
washington carlos vieira
 
5. Função Renal.pptx
5. Função Renal.pptx5. Função Renal.pptx
5. Função Renal.pptx
Menandes Alves De Souza Neto
 
Palestra has e dm
Palestra has e dmPalestra has e dm
Palestra has e dm
clinicansl
 
Exames laboratoriais
Exames laboratoriaisExames laboratoriais
Exames laboratoriais
resenfe2013
 
Palestra sexta basica pat_ educacao_ nutricional
Palestra sexta basica pat_ educacao_ nutricionalPalestra sexta basica pat_ educacao_ nutricional
Palestra sexta basica pat_ educacao_ nutricional
Gabriella Lukoff
 
Nutrição e Câncer
Nutrição e CâncerNutrição e Câncer
Nutrição e Câncer
Oncoguia
 
Alimentos Funcionais
Alimentos FuncionaisAlimentos Funcionais
Alimentos Funcionais
Marcel Thomas
 
Bioquimica das proteínas
Bioquimica das proteínasBioquimica das proteínas
Bioquimica das proteínas
Viviane Vasconcelos
 
PROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTO
PROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTOPROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTO
PROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTO
Centro Universitário Ages
 
Power point ednutri
Power point ednutriPower point ednutri
Power point ednutri
Laura Cen
 
NutriçãO E Qualidade De Vida
NutriçãO E Qualidade De VidaNutriçãO E Qualidade De Vida
NutriçãO E Qualidade De Vida
penacozinha
 

Mais procurados (20)

Palestra Nutrição na Hipertensão
Palestra Nutrição na HipertensãoPalestra Nutrição na Hipertensão
Palestra Nutrição na Hipertensão
 
Alimentação saudável
Alimentação saudávelAlimentação saudável
Alimentação saudável
 
Drogas de interesse em Alta Complexidade.pdf
Drogas de interesse em Alta Complexidade.pdfDrogas de interesse em Alta Complexidade.pdf
Drogas de interesse em Alta Complexidade.pdf
 
Cálculo Renal
Cálculo RenalCálculo Renal
Cálculo Renal
 
Biodisponibilidade excelente
Biodisponibilidade excelenteBiodisponibilidade excelente
Biodisponibilidade excelente
 
Funcionalidade e aplicabilidade dos alimentos na estética
Funcionalidade e aplicabilidade dos alimentos na estéticaFuncionalidade e aplicabilidade dos alimentos na estética
Funcionalidade e aplicabilidade dos alimentos na estética
 
Nutrição do idoso
Nutrição do idosoNutrição do idoso
Nutrição do idoso
 
Minerais
MineraisMinerais
Minerais
 
Alimentação e qualidade de vida
Alimentação e qualidade de vidaAlimentação e qualidade de vida
Alimentação e qualidade de vida
 
Princípios básicos de fisiologia do exercício
Princípios básicos de fisiologia do exercícioPrincípios básicos de fisiologia do exercício
Princípios básicos de fisiologia do exercício
 
5. Função Renal.pptx
5. Função Renal.pptx5. Função Renal.pptx
5. Função Renal.pptx
 
Palestra has e dm
Palestra has e dmPalestra has e dm
Palestra has e dm
 
Exames laboratoriais
Exames laboratoriaisExames laboratoriais
Exames laboratoriais
 
Palestra sexta basica pat_ educacao_ nutricional
Palestra sexta basica pat_ educacao_ nutricionalPalestra sexta basica pat_ educacao_ nutricional
Palestra sexta basica pat_ educacao_ nutricional
 
Nutrição e Câncer
Nutrição e CâncerNutrição e Câncer
Nutrição e Câncer
 
Alimentos Funcionais
Alimentos FuncionaisAlimentos Funcionais
Alimentos Funcionais
 
Bioquimica das proteínas
Bioquimica das proteínasBioquimica das proteínas
Bioquimica das proteínas
 
PROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTO
PROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTOPROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTO
PROMOÇÃO DA SAÚDE NO ENVELHECIMENTO
 
Power point ednutri
Power point ednutriPower point ednutri
Power point ednutri
 
NutriçãO E Qualidade De Vida
NutriçãO E Qualidade De VidaNutriçãO E Qualidade De Vida
NutriçãO E Qualidade De Vida
 

Destaque

Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica - UFRGS - Hospital de Clínicas P...
Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica - UFRGS - Hospital de Clínicas P...Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica - UFRGS - Hospital de Clínicas P...
Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica - UFRGS - Hospital de Clínicas P...
Dr. Benevenuto
 
Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de s...
Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de s...Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de s...
Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de s...
Dr. Benevenuto
 
Manual: Gestação de Alto Risco (M. da Saúde, 2010)
Manual: Gestação de Alto Risco (M. da Saúde, 2010)Manual: Gestação de Alto Risco (M. da Saúde, 2010)
Manual: Gestação de Alto Risco (M. da Saúde, 2010)
Dr. Benevenuto
 
Saude dos professores
Saude dos professoresSaude dos professores
Saude dos professores
Dr. Benevenuto
 
Dez passos para uma alimentação saudável-Guia alimentar para crianças menore...
Dez passos para uma  alimentação saudável-Guia alimentar para crianças menore...Dez passos para uma  alimentação saudável-Guia alimentar para crianças menore...
Dez passos para uma alimentação saudável-Guia alimentar para crianças menore...
Dr. Benevenuto
 
Manual da Gestante
Manual da GestanteManual da Gestante
Manual da Gestante
Dr. Benevenuto
 
Cartilha: Saúde do Homem
Cartilha: Saúde do HomemCartilha: Saúde do Homem
Cartilha: Saúde do Homem
Dr. Benevenuto
 
Manual de orientação para a alimentação escolar na educação infantil, ensino ...
Manual de orientação para a alimentação escolar na educação infantil, ensino ...Manual de orientação para a alimentação escolar na educação infantil, ensino ...
Manual de orientação para a alimentação escolar na educação infantil, ensino ...
Dr. Benevenuto
 
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012
Dr. Benevenuto
 
Nutrição Infantil - Caderno de Atividades
Nutrição Infantil - Caderno de AtividadesNutrição Infantil - Caderno de Atividades
Nutrição Infantil - Caderno de Atividades
Dr. Benevenuto
 
Fitoesteróis e Colesterol
Fitoesteróis e ColesterolFitoesteróis e Colesterol
Fitoesteróis e Colesterol
Dr. Benevenuto
 
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Dr. Benevenuto
 
Guia Alimentar Para pessoas com Diabetes Tipo 2
Guia Alimentar Para pessoas com Diabetes Tipo 2Guia Alimentar Para pessoas com Diabetes Tipo 2
Guia Alimentar Para pessoas com Diabetes Tipo 2
Dr. Benevenuto
 
Manual Oficial de Contagem de Carboidratos para Profissionais da Saúde
Manual Oficial de Contagem de Carboidratos para Profissionais da SaúdeManual Oficial de Contagem de Carboidratos para Profissionais da Saúde
Manual Oficial de Contagem de Carboidratos para Profissionais da Saúde
Dr. Benevenuto
 
Manual Patologias Nutricionais
Manual Patologias NutricionaisManual Patologias Nutricionais
Manual Patologias Nutricionais
gikapp88
 
Alimentacao historia
Alimentacao historiaAlimentacao historia
Alimentacao historia
Ana Prada
 
Obesidade tratamento dietético
Obesidade tratamento dietéticoObesidade tratamento dietético
Obesidade tratamento dietético
Dr. Benevenuto
 
Guia alimentar bolso
Guia alimentar bolsoGuia alimentar bolso
Guia alimentar bolso
Dr. Benevenuto
 
Manual consumidor
Manual consumidorManual consumidor
Manual consumidor
Dr. Benevenuto
 
Meu prato-saudável---programa-alimentar-para-o-coração-saudável
Meu prato-saudável---programa-alimentar-para-o-coração-saudávelMeu prato-saudável---programa-alimentar-para-o-coração-saudável
Meu prato-saudável---programa-alimentar-para-o-coração-saudável
Dr. Benevenuto
 

Destaque (20)

Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica - UFRGS - Hospital de Clínicas P...
Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica - UFRGS - Hospital de Clínicas P...Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica - UFRGS - Hospital de Clínicas P...
Orientações Nutricionais Cirurgia Bariátrica - UFRGS - Hospital de Clínicas P...
 
Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de s...
Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de s...Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de s...
Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de s...
 
Manual: Gestação de Alto Risco (M. da Saúde, 2010)
Manual: Gestação de Alto Risco (M. da Saúde, 2010)Manual: Gestação de Alto Risco (M. da Saúde, 2010)
Manual: Gestação de Alto Risco (M. da Saúde, 2010)
 
Saude dos professores
Saude dos professoresSaude dos professores
Saude dos professores
 
Dez passos para uma alimentação saudável-Guia alimentar para crianças menore...
Dez passos para uma  alimentação saudável-Guia alimentar para crianças menore...Dez passos para uma  alimentação saudável-Guia alimentar para crianças menore...
Dez passos para uma alimentação saudável-Guia alimentar para crianças menore...
 
Manual da Gestante
Manual da GestanteManual da Gestante
Manual da Gestante
 
Cartilha: Saúde do Homem
Cartilha: Saúde do HomemCartilha: Saúde do Homem
Cartilha: Saúde do Homem
 
Manual de orientação para a alimentação escolar na educação infantil, ensino ...
Manual de orientação para a alimentação escolar na educação infantil, ensino ...Manual de orientação para a alimentação escolar na educação infantil, ensino ...
Manual de orientação para a alimentação escolar na educação infantil, ensino ...
 
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012
Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, 2012
 
Nutrição Infantil - Caderno de Atividades
Nutrição Infantil - Caderno de AtividadesNutrição Infantil - Caderno de Atividades
Nutrição Infantil - Caderno de Atividades
 
Fitoesteróis e Colesterol
Fitoesteróis e ColesterolFitoesteróis e Colesterol
Fitoesteróis e Colesterol
 
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
 
Guia Alimentar Para pessoas com Diabetes Tipo 2
Guia Alimentar Para pessoas com Diabetes Tipo 2Guia Alimentar Para pessoas com Diabetes Tipo 2
Guia Alimentar Para pessoas com Diabetes Tipo 2
 
Manual Oficial de Contagem de Carboidratos para Profissionais da Saúde
Manual Oficial de Contagem de Carboidratos para Profissionais da SaúdeManual Oficial de Contagem de Carboidratos para Profissionais da Saúde
Manual Oficial de Contagem de Carboidratos para Profissionais da Saúde
 
Manual Patologias Nutricionais
Manual Patologias NutricionaisManual Patologias Nutricionais
Manual Patologias Nutricionais
 
Alimentacao historia
Alimentacao historiaAlimentacao historia
Alimentacao historia
 
Obesidade tratamento dietético
Obesidade tratamento dietéticoObesidade tratamento dietético
Obesidade tratamento dietético
 
Guia alimentar bolso
Guia alimentar bolsoGuia alimentar bolso
Guia alimentar bolso
 
Manual consumidor
Manual consumidorManual consumidor
Manual consumidor
 
Meu prato-saudável---programa-alimentar-para-o-coração-saudável
Meu prato-saudável---programa-alimentar-para-o-coração-saudávelMeu prato-saudável---programa-alimentar-para-o-coração-saudável
Meu prato-saudável---programa-alimentar-para-o-coração-saudável
 

Semelhante a Alimentação na Prevenção de Cálculos Renais - Orientação aos pacientes

01 quatro medidas indicadas pela oms para emagrecer com saúde
01 quatro medidas indicadas pela oms para emagrecer com saúde01 quatro medidas indicadas pela oms para emagrecer com saúde
01 quatro medidas indicadas pela oms para emagrecer com saúde
Silva Gomes
 
Alimentação Saudável Blog
Alimentação Saudável   BlogAlimentação Saudável   Blog
Alimentação Saudável Blog
Agricultura Sao Paulo
 
ApresentaçAo Agronegocio Janeiro 200 Padrao
ApresentaçAo Agronegocio Janeiro 200 PadraoApresentaçAo Agronegocio Janeiro 200 Padrao
ApresentaçAo Agronegocio Janeiro 200 Padrao
Agricultura Sao Paulo
 
Alimentação saudável para gestantes
Alimentação saudável para gestantesAlimentação saudável para gestantes
Alimentação saudável para gestantes
Deisi Colombo
 
A ferritina é uma proteína globular que se localiza essencialmente no fígado
A ferritina é uma proteína globular que se localiza essencialmente no fígadoA ferritina é uma proteína globular que se localiza essencialmente no fígado
A ferritina é uma proteína globular que se localiza essencialmente no fígado
letieriqueixada
 
esse aqui.pdf
esse aqui.pdfesse aqui.pdf
esse aqui.pdf
walaceNascimento4
 
P h do corpo
P h do corpoP h do corpo
P h do corpo
Carlos Alves
 
Cartilha Saúde da Mulher
Cartilha Saúde da Mulher Cartilha Saúde da Mulher
Cartilha Saúde da Mulher
Governo de Santa Catarina
 
eBook 30 DICAS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL
eBook 30 DICAS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVELeBook 30 DICAS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL
eBook 30 DICAS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL
Leandro Estevam
 
palestra alimentação saudavel
palestra  alimentação saudavelpalestra  alimentação saudavel
palestra alimentação saudavel
EduardoDama1
 
Queijo com maçã rocha d. bate, bate coração
Queijo com maçã rocha d. bate, bate coraçãoQueijo com maçã rocha d. bate, bate coração
Queijo com maçã rocha d. bate, bate coração
queijocommaca
 
Caderneta mulhercuritibana
Caderneta  mulhercuritibanaCaderneta  mulhercuritibana
Caderneta mulhercuritibana
Leonel Santos
 
Confira as receitas para perder peso rápido!
Confira as receitas para perder peso rápido!Confira as receitas para perder peso rápido!
Confira as receitas para perder peso rápido!
RafaelaAndrade72
 
Controle da diabetes
Controle da diabetesControle da diabetes
Controle da diabetes
Dessa Reis
 
Controle da diabetes
Controle da diabetesControle da diabetes
Controle da diabetes
Dessa Reis
 
Apostila de reeducação
Apostila de reeducaçãoApostila de reeducação
Apostila de reeducação
Alexandra Lacerda
 
Fast food: os seus perigos e como os reduzir
Fast food: os seus perigos e como os reduzirFast food: os seus perigos e como os reduzir
Fast food: os seus perigos e como os reduzir
Teresa Batista
 
Dietas
DietasDietas
Dietas
e.ferreira
 
Comer bem fora de casa será um desafio
Comer bem fora de casa será um desafioComer bem fora de casa será um desafio
Comer bem fora de casa será um desafio
queijocommaca
 
Dietas
DietasDietas
Dietas
e.ferreira
 

Semelhante a Alimentação na Prevenção de Cálculos Renais - Orientação aos pacientes (20)

01 quatro medidas indicadas pela oms para emagrecer com saúde
01 quatro medidas indicadas pela oms para emagrecer com saúde01 quatro medidas indicadas pela oms para emagrecer com saúde
01 quatro medidas indicadas pela oms para emagrecer com saúde
 
Alimentação Saudável Blog
Alimentação Saudável   BlogAlimentação Saudável   Blog
Alimentação Saudável Blog
 
ApresentaçAo Agronegocio Janeiro 200 Padrao
ApresentaçAo Agronegocio Janeiro 200 PadraoApresentaçAo Agronegocio Janeiro 200 Padrao
ApresentaçAo Agronegocio Janeiro 200 Padrao
 
Alimentação saudável para gestantes
Alimentação saudável para gestantesAlimentação saudável para gestantes
Alimentação saudável para gestantes
 
A ferritina é uma proteína globular que se localiza essencialmente no fígado
A ferritina é uma proteína globular que se localiza essencialmente no fígadoA ferritina é uma proteína globular que se localiza essencialmente no fígado
A ferritina é uma proteína globular que se localiza essencialmente no fígado
 
esse aqui.pdf
esse aqui.pdfesse aqui.pdf
esse aqui.pdf
 
P h do corpo
P h do corpoP h do corpo
P h do corpo
 
Cartilha Saúde da Mulher
Cartilha Saúde da Mulher Cartilha Saúde da Mulher
Cartilha Saúde da Mulher
 
eBook 30 DICAS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL
eBook 30 DICAS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVELeBook 30 DICAS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL
eBook 30 DICAS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL
 
palestra alimentação saudavel
palestra  alimentação saudavelpalestra  alimentação saudavel
palestra alimentação saudavel
 
Queijo com maçã rocha d. bate, bate coração
Queijo com maçã rocha d. bate, bate coraçãoQueijo com maçã rocha d. bate, bate coração
Queijo com maçã rocha d. bate, bate coração
 
Caderneta mulhercuritibana
Caderneta  mulhercuritibanaCaderneta  mulhercuritibana
Caderneta mulhercuritibana
 
Confira as receitas para perder peso rápido!
Confira as receitas para perder peso rápido!Confira as receitas para perder peso rápido!
Confira as receitas para perder peso rápido!
 
Controle da diabetes
Controle da diabetesControle da diabetes
Controle da diabetes
 
Controle da diabetes
Controle da diabetesControle da diabetes
Controle da diabetes
 
Apostila de reeducação
Apostila de reeducaçãoApostila de reeducação
Apostila de reeducação
 
Fast food: os seus perigos e como os reduzir
Fast food: os seus perigos e como os reduzirFast food: os seus perigos e como os reduzir
Fast food: os seus perigos e como os reduzir
 
Dietas
DietasDietas
Dietas
 
Comer bem fora de casa será um desafio
Comer bem fora de casa será um desafioComer bem fora de casa será um desafio
Comer bem fora de casa será um desafio
 
Dietas
DietasDietas
Dietas
 

Mais de Dr. Benevenuto

Cartilha saúde do homem
Cartilha saúde do homem Cartilha saúde do homem
Cartilha saúde do homem
Dr. Benevenuto
 
Problemas de abordagem difícil: “não come” e “não dorme”
Problemas de abordagem difícil: “não come” e “não dorme”Problemas de abordagem difícil: “não come” e “não dorme”
Problemas de abordagem difícil: “não come” e “não dorme”
Dr. Benevenuto
 
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
Dr. Benevenuto
 
Guia orientador para Celiacos 2010
Guia orientador para Celiacos 2010Guia orientador para Celiacos 2010
Guia orientador para Celiacos 2010
Dr. Benevenuto
 
Probióticos e prebióticos - Diretrizes Mundiais da Organização Mundial de Gas...
Probióticos e prebióticos - Diretrizes Mundiais da Organização Mundial de Gas...Probióticos e prebióticos - Diretrizes Mundiais da Organização Mundial de Gas...
Probióticos e prebióticos - Diretrizes Mundiais da Organização Mundial de Gas...
Dr. Benevenuto
 
I DIretrIz sobre o Consumo de Gorduras e saúde CardIovascular
I DIretrIz sobre o Consumo de Gorduras e saúde CardIovascularI DIretrIz sobre o Consumo de Gorduras e saúde CardIovascular
I DIretrIz sobre o Consumo de Gorduras e saúde CardIovascular
Dr. Benevenuto
 
Guia alimentar: Como ter uma alimentacao saudavel
Guia alimentar: Como ter uma alimentacao saudavelGuia alimentar: Como ter uma alimentacao saudavel
Guia alimentar: Como ter uma alimentacao saudavel
Dr. Benevenuto
 
ALIMENTOS ORGÂNICOS um guia para o consumidor consciente
ALIMENTOS ORGÂNICOS um guia para o consumidor conscienteALIMENTOS ORGÂNICOS um guia para o consumidor consciente
ALIMENTOS ORGÂNICOS um guia para o consumidor consciente
Dr. Benevenuto
 
Cancer guia de nutricao_para_pacientes_cuidadores
Cancer guia de nutricao_para_pacientes_cuidadoresCancer guia de nutricao_para_pacientes_cuidadores
Cancer guia de nutricao_para_pacientes_cuidadores
Dr. Benevenuto
 
Sou Diabético, E Agora? Um guia prático para simplificar a vida do diabético
Sou Diabético, E Agora? Um guia prático para simplificar a vida do diabéticoSou Diabético, E Agora? Um guia prático para simplificar a vida do diabético
Sou Diabético, E Agora? Um guia prático para simplificar a vida do diabético
Dr. Benevenuto
 
Nutrição & Coquetel Passatempos
Nutrição & Coquetel PassatemposNutrição & Coquetel Passatempos
Nutrição & Coquetel Passatempos
Dr. Benevenuto
 
10dicas câncer
10dicas câncer10dicas câncer
10dicas câncer
Dr. Benevenuto
 
Manual cantinas: Escolas Particulares
Manual cantinas: Escolas ParticularesManual cantinas: Escolas Particulares
Manual cantinas: Escolas Particulares
Dr. Benevenuto
 
Cartilha peixe 105x150
Cartilha peixe 105x150Cartilha peixe 105x150
Cartilha peixe 105x150
Dr. Benevenuto
 
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches Saudáveis
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches SaudáveisCartilha: Alimentação Infantil - Lanches Saudáveis
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches Saudáveis
Dr. Benevenuto
 

Mais de Dr. Benevenuto (15)

Cartilha saúde do homem
Cartilha saúde do homem Cartilha saúde do homem
Cartilha saúde do homem
 
Problemas de abordagem difícil: “não come” e “não dorme”
Problemas de abordagem difícil: “não come” e “não dorme”Problemas de abordagem difícil: “não come” e “não dorme”
Problemas de abordagem difícil: “não come” e “não dorme”
 
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
Album seriado amamentação (Unicef, Min. Saúde)
 
Guia orientador para Celiacos 2010
Guia orientador para Celiacos 2010Guia orientador para Celiacos 2010
Guia orientador para Celiacos 2010
 
Probióticos e prebióticos - Diretrizes Mundiais da Organização Mundial de Gas...
Probióticos e prebióticos - Diretrizes Mundiais da Organização Mundial de Gas...Probióticos e prebióticos - Diretrizes Mundiais da Organização Mundial de Gas...
Probióticos e prebióticos - Diretrizes Mundiais da Organização Mundial de Gas...
 
I DIretrIz sobre o Consumo de Gorduras e saúde CardIovascular
I DIretrIz sobre o Consumo de Gorduras e saúde CardIovascularI DIretrIz sobre o Consumo de Gorduras e saúde CardIovascular
I DIretrIz sobre o Consumo de Gorduras e saúde CardIovascular
 
Guia alimentar: Como ter uma alimentacao saudavel
Guia alimentar: Como ter uma alimentacao saudavelGuia alimentar: Como ter uma alimentacao saudavel
Guia alimentar: Como ter uma alimentacao saudavel
 
ALIMENTOS ORGÂNICOS um guia para o consumidor consciente
ALIMENTOS ORGÂNICOS um guia para o consumidor conscienteALIMENTOS ORGÂNICOS um guia para o consumidor consciente
ALIMENTOS ORGÂNICOS um guia para o consumidor consciente
 
Cancer guia de nutricao_para_pacientes_cuidadores
Cancer guia de nutricao_para_pacientes_cuidadoresCancer guia de nutricao_para_pacientes_cuidadores
Cancer guia de nutricao_para_pacientes_cuidadores
 
Sou Diabético, E Agora? Um guia prático para simplificar a vida do diabético
Sou Diabético, E Agora? Um guia prático para simplificar a vida do diabéticoSou Diabético, E Agora? Um guia prático para simplificar a vida do diabético
Sou Diabético, E Agora? Um guia prático para simplificar a vida do diabético
 
Nutrição & Coquetel Passatempos
Nutrição & Coquetel PassatemposNutrição & Coquetel Passatempos
Nutrição & Coquetel Passatempos
 
10dicas câncer
10dicas câncer10dicas câncer
10dicas câncer
 
Manual cantinas: Escolas Particulares
Manual cantinas: Escolas ParticularesManual cantinas: Escolas Particulares
Manual cantinas: Escolas Particulares
 
Cartilha peixe 105x150
Cartilha peixe 105x150Cartilha peixe 105x150
Cartilha peixe 105x150
 
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches Saudáveis
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches SaudáveisCartilha: Alimentação Infantil - Lanches Saudáveis
Cartilha: Alimentação Infantil - Lanches Saudáveis
 

Alimentação na Prevenção de Cálculos Renais - Orientação aos pacientes

  • 1.
  • 2. Vários fatores de risco contribuem para a formação de cálculos renais, que incluem a história familiar, sendo 2,5 vezes maior em indivíduos com antecedentes de ca-sos na família; a idade; a raça; elevação de ácido úrico; índice de massa corporal (IMC) >30Kg/m2, a presença de diabetes mellitus; síndrome metabólica e hábitos ali-mentares inadequados. Os fatores dietéticos podem ser modificados, especifi-camente a alimentação, pois a composição da urina está diretamente relacionada com a mesma. A compreensão dos mecanismos fisiológicos e dos fatores de risco é importante para que medidas de prevenção sejam in-corporadas pelo paciente no decorrer do tratamento, a fim de modificar a história natural da doença. A terapia nutricional deve incluir medidas de adequação do peso corporal, perda de peso em caso de sobrepeso e obesidade, a implementação de recomendações de hábitos de vida saudáveis, incluindo atividade física e a mudança de hábitos alimentares inadequados, visan-do à redução do consumo de sódio, gordura saturada e alimentos calóricos e, principalmente, o aumento do consumo de líquidos. As orientações devem ser de fácil compreensão e o nutricionista deve procurar esclarecer qual a inter-­relação entre o consumo do alimento e a prevenção ou a gênese da formação do cálculo, para que a adesão do paciente, tanto no tratamento clínico e nutricional, alcance os objetivos propostos. Nídia Denise Pucci Nutricionista Chefe da Divisão de Nutrição e Dietética e do Setor de Endourologia e Litíase Urinária da Divisão de Clínica Urológica do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP Fabio C. Vicentini Assistente – Doutor do Setor de Endourologia e Litíase Urinária da Divisão de Clínica Urológica do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP
  • 3. Alimentação na Prevenção de Cálculos Renais-Orientação aos pacientes O cálculo renal é muito comum de acontecer. Cerca de 8% das mulheres e 15% dos homens vão apresentar cálculo renal em algum momento da vida. Seu tratamento nem sempre é fácil. Além disso, as chances de uma pessoa que já teve cálculo renal vir a ter novamente é de cerca de 50% em cinco anos. Por isso, após o tratamento, é muito importante a prevenção da formação de novos cálculos. Para isso, as orienta-ções nutricionais são muito importantes. A formação de cálculos renais pode aumentar em fun-ção de alguns fatores nutricionais, tais como: ganho de peso e obesidade, excesso de sal na comida e o consu-mo reduzido de líquidos, dentre outros. Desta forma, al-guns cuidados na alimentação devem ser tomados para evitar a sua formação: Procure ingerir no mínimo 2 a 3 litros de líquidos por dia: Tome água, limonada com adoçante e chás de ervas (camomila, erva-doce, cidreira, hortelã) ao natural ou com adoçante. Consuma quente ou gelado e de prefe-rência, adicionado de limão. Evite adoçar com açúcar, mel ou açúcar mascavo, pois aumenta a quantidade de calorias da bebida. Evite refrigerantes ou sucos em pó e artificiais, pois aumentam os riscos de cálculos. Prefira os sucos naturais e sem adição de açúcar. Lembre-se: para avaliar se a quantidade de líquidos consumida está adequada, observe a urina, que sempre deve estar clara e límpida. Caso contrário, a quantidade de líquidos ingerida deverá ser aumentada.
  • 4. Cuidado com o sal! Use o mínimo de sal possível no preparo dos alimentos e não adicione sal na comida. Prefira temperos naturais de ervas para dar sabor e aroma: orégano, salsinha, ce-bolinha, limão, coentro, salsão ou outros de sua prefe-rência e evite: • Azeitonas, bacalhau, salgadinhos, queijos amarelos, temperos e molhos prontos (catchup, mostarda, shoyu, caldos concentrados, molho inglês, sopas de pacote, cubos de caldos de carne e outros), produtos com glu-tamato monossódico, embutidos (salsicha, mortadela, linguiça, presunto, salame, paio, carne seca); • Conservas (picles, azeitona, aspargo, palmito, milho, pa-tês, algas, chucrutes, maionese pronta); • Enlatados (extrato de tomate, milho, ervilha, seleta de legumes e outros) • Carnes salgadas (charque, camarão seco, defumados); • Salgadinhos para aperitivos (batata frita, amendoim sal-gado, castanhas, chips); • Bolachas salgadas, recheadas, margarina ou manteiga com sal, requeijão normal ou light. Procure ler os rótulos, pois muitos alimentos industria-lizados possuem sódio ou glutamato monossódico na composição e não devem ser consumidos. Frutas: Consuma pelo menos 3 a 4 ao dia: Dê preferência à laranja, tangerina e melão. Consuma limonada e laranjada preparadas com a fruta natural, pois o ácido cítrico contido nestas frutas pode auxi-liar a evitar a formação dos cálculos. Não use sucos artificiais ou refrigerantes. Frutas vermelhas ou sucos de cranberry, framboesa e morango possuem alta con-centração de protetores contra infecções.
  • 5. Legumes cozidos ou crus e verduras de folha devem fazer parte das duas refeições principais (almoço e jantar), pois contém vitaminas, minerais e fibras, auxiliando no bom funcionamento intestinal, na prevenção de doenças e no aumento da resistência do organismo. Não deixe de consumir leite e seus derivados: No geral, não há necessidade de restringir o consumo de cálcio, um tabu que ainda é muito difundido. Consuma pelo menos três copos ao dia, desde que sejam desna-tados: iogurte light, ao natural, coalhada, queijo branco magro com pouco sal, ricota ou leite desnatado em pó. Somente reduza a quantidade de leite se for orientado pelo seu médico ou da nutricionista. Prefira os alimentos integrais aos refinados, pois contém fibras que auxiliam no funcionamento intestinal: arroz e macarrão integral, biscoitos e pão integral light (sem adição de açúcar e gordura). No entanto, a quantidade destes alimentos deve ser controlada caso necessite perder peso, seguindo a orientação do nutricionista. Prepare os alimentos sempre grelhados, assados ou cozi-dos. Evite frituras e empanados, pois são muito calóricos. Consuma uma porção de carne ou substitutos (peixe, frango sem pele ou ovo), no almoço e jantar, evitando excessos. Prefira as carnes magras. Evite churrascos, pois contém muita gordura e excesso de sal. Não utilize suplementos de vitaminas ou minerais, sobre-tudo a vitamina C sem a prescrição do médico, pois podem propiciar a formação de cálculos. Evite café, bebidas achocolatadas e chocolate, chá preto, mate ou verde, espinafre, nozes, mariscos e frutos do mar. Estes alimentos contribuem na formação de cálculos, pois são ricos em oxalato. Portanto, use com moderação.
  • 6. Algumas situações de cálculos de repetição são causa-das por alterações específicas e são identificadas pelo urologista, merecendo aí um tratamento individualizado. Além de tudo isso, procure realizar uma atividade física regular, pois auxilia na perda de peso e na manutenção da saúde. Portanto, procure caminhar ou fazer alguma atividade com regularidade. Lembre-se: mantenha-se sempre bem hidratado durante as atividades, pois neste momento pode haver o início de algum cálculo renal devido à falta de água! Seguindo estas orientações, as chances de formação de novos cálculos diminuem de 20 a 70%. Isso é muito im-portante, pois quem teve cálculo sabe a dor e sofrimento que isto pode causar! Desenvolvido pelo: Departamento de TMI - Terapia Minimamente Invasiva - SBU Iniciativa Baixe a versão digital Apoio