SlideShare uma empresa Scribd logo
REVOLUÇÃO INGLESA
   ( 1642 - 1689 )




             Professor Alysson Castro
Contexto / antecedentes
• Plano Econômico / Social
  – Revolução comercial, ascensão da burguesia
  – Forte indústria têxtil inglesa
  – Cercamentos, miséria da população em geral
  – Debilitamento da aristocracia fundiária que
    dava sustentação ao absolutismo
  – Surgimento dos Gentry, pequena e média
    nobreza rural, mentalidade capitalista e laços
    com a burguesia
  – Surgimento dos Yeomen, espécie de classe
    média em péssimas condições
• Plano Ideológico
  – Conflitos religiosos (anglicanos, católicos,
    puritanos, presbiterianos)
  – Anglicanos e católicos apoiavam o Rei
  – Calvinistas do lado do Parlamento
                               (richas internas)
• Plano Político
  – morte de Elisabeth, fim da dinastia Tudor,
    decadência do absolutismo inglês
• Jaime I (1603 - 1625, início da dinastia
  Stuart)
  – Tendências absolutistas, anglicano
  – Problemas com o parlamento, fecha – 1614


• Carlos I (1625 – X )
  – 1628 – Petição de Direitos = restringia o
    poder do soberano (Parlamento)
  – Fecha o Parlamento, governa uma década
    sem chamá-lo novamente
– 1640 → convoca o Parlamento,
  precisando de fundos para lutar contra
  os escoceses

– Entra em choque novamente, fecha
  (1642)
Guerra Civil Inglesa
           ( 1642 – 1648 )
 Cavaleiros           Cabeças Redondas
     (Rei)                (Parlamento)




                    X
  Partidários do          Presbiterianos (alta
   absolutismo,             burguesia), nobreza
      nobreza,
                            liberal, puritanos
      católicos
     ingleses e             (pequena burguesia),
     irlandeses             “levellers” e “diggers”
     Carlos I             Oliver Cromwell
    decapitado             Vencem
      ( 1649 )
Oliver
Cromwell
República Puritana (1649-58)
• Poder nas mãos de Cromwell
• Submete a Irlanda e Escócia,
  persegue católicos e anglicanos
• Repressão à esquerda e direita
• 1653 → dissolve o parlamento,
  governo ditatorial → “Lorde Protetor da
  Inglaterra”
• Filho de Cromwell, fraco, renuncia...
Restauração Monárquica
(1660-1688)


• Carlos II → Jaime II → católico,
  claras pretensões absolutistas
• Parlamento “convida” Guilherme de
  Orange (casado com a filha mais velha de
  Jaime II) a tomar o poder
Revolução Gloriosa (1688)


• “sem derramamento de sangue”

• Guilherme III assume o poder, Jaime
  II foge pra França
CERIMÔNIA DE COROAÇÃOGULHERME III
DECLARAÇÃO DE DIREITOS
 DE 1689 (Bill of Rights)
1 → que é ilegal a faculdade que se
  atribui à autoridade real para
  suspender as leis ou seu cumprimento.
4 → que é ilegal toda cobrança de
  impostos para a Coroa sem o concurso
  do Parlamento, sob pretexto de
  prerrogativa, ou em época e modo
  diferentes dos designados por ele
  próprio.
5 → que os súditos tem direitos de
  apresentar petições ao Rei, sendo
  ilegais as prisões vexações de qualquer
  espécie que sofram por esta causa.
6 → que o ato de levantar e manter
  dentro do país um exército em tempo
  de paz é contrário a lei, se não
  proceder autorização do Parlamento.
9 → que os discursos pronunciados nos
  debates do Parlamento não devem ser
  examinados senão por ele mesmo, e
  não em outro Tribunal ou sítio algum.
13 → que é indispensável convocar com
 freqüência os Parlamentos para
 satisfazer os agravos, assim como para
 corrigir, afirmar e conservar as leis.

 “Rei reina, mas não governa”
  → submissão do poder do Rei ao do
    Parlamento
  → Monarquia limitada, povo afastado
 das          decisões, evitou a
 radicalização...
Conclusão

• A Revolução Inglesa (ou Revoluções)
    criou as condições indispensáveis
  para a Revolução Industrial do século
    XVIII, limpando o terreno para o
     avanço do capitalismo, deve ser
    considerado a primeira revolução
     burguesa da história na Europa,
   antecipando em cento e cinqüenta
       anos a Revolução Francesa.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
Janayna Lira
 
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas -  InglaterraRevoluções Burguesas -  Inglaterra
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Daniel Alves Bronstrup
 
Revolução inglesa 2º. ano
Revolução inglesa   2º. anoRevolução inglesa   2º. ano
Revolução inglesa 2º. ano
Fatima Freitas
 
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIX
dmflores21
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
luizmourao23
 
Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)
Norma Almeida
 
Revolução Inglesa
Revolução Inglesa Revolução Inglesa
Revolução Inglesa
Hugo Araujo
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
Priscila Azeredo
 
Unificação italiana e alemã
Unificação italiana e alemãUnificação italiana e alemã
Unificação italiana e alemã
Gabriel Passeri
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
Valeria Kosicki
 
05 reforma protestante
05   reforma protestante05   reforma protestante
05 reforma protestante
Ciências Humanas e Suas Tecnologias
 
Feudalismo 130920181052-phpapp02
Feudalismo 130920181052-phpapp02Feudalismo 130920181052-phpapp02
Feudalismo 130920181052-phpapp02
Valkuiria Andrade
 
A revolução francesa 2
A revolução francesa 2A revolução francesa 2
A revolução francesa 2
Susana Simões
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
Isabel Aguiar
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
luizmourao23
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Edenilson Morais
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
MarceloFreitas
 
Resumo processo de independência do brasil
Resumo   processo de independência do brasilResumo   processo de independência do brasil
Resumo processo de independência do brasil
Claudenilson da Silva
 
A Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias NacionaisA Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias Nacionais
Bruce Portes
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
luizmourao23
 

Mais procurados (20)

A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
 
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas -  InglaterraRevoluções Burguesas -  Inglaterra
Revoluções Burguesas - Inglaterra
 
Revolução inglesa 2º. ano
Revolução inglesa   2º. anoRevolução inglesa   2º. ano
Revolução inglesa 2º. ano
 
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIX
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
 
Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)
 
Revolução Inglesa
Revolução Inglesa Revolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
 
Unificação italiana e alemã
Unificação italiana e alemãUnificação italiana e alemã
Unificação italiana e alemã
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
 
05 reforma protestante
05   reforma protestante05   reforma protestante
05 reforma protestante
 
Feudalismo 130920181052-phpapp02
Feudalismo 130920181052-phpapp02Feudalismo 130920181052-phpapp02
Feudalismo 130920181052-phpapp02
 
A revolução francesa 2
A revolução francesa 2A revolução francesa 2
A revolução francesa 2
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
Resumo processo de independência do brasil
Resumo   processo de independência do brasilResumo   processo de independência do brasil
Resumo processo de independência do brasil
 
A Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias NacionaisA Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias Nacionais
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
 

Semelhante a [c7s] Revolução Inglesa

Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
profceleri
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Professor de História
 
55--REVOLUCAO-INGLESA-MODELO-3_13f994e9bc61488391144e2dd0a42c64.pptx
55--REVOLUCAO-INGLESA-MODELO-3_13f994e9bc61488391144e2dd0a42c64.pptx55--REVOLUCAO-INGLESA-MODELO-3_13f994e9bc61488391144e2dd0a42c64.pptx
55--REVOLUCAO-INGLESA-MODELO-3_13f994e9bc61488391144e2dd0a42c64.pptx
enzolivia00
 
Resumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesasResumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesas
Claudenilson da Silva
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Thamires Bragança
 
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa11 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
flaviaLION
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
joana71
 
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
PollyanaRibeiroFerra
 
Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa
Thiago Bro
 
Resumo revoluçoes inglesas
Resumo   revoluçoes inglesasResumo   revoluçoes inglesas
Resumo revoluçoes inglesas
Claudenilson da Silva
 
12. aula de história geral - revolução inglesa
12. aula de história geral - revolução inglesa12. aula de história geral - revolução inglesa
12. aula de história geral - revolução inglesa
Darlan Campos
 
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVIIA REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
Isabella Silva
 
A revolucao inglesa
A revolucao inglesaA revolucao inglesa
A revolucao inglesa
Lucas pk'
 
9. revolução inglesa
9. revolução inglesa9. revolução inglesa
9. revolução inglesa
José Augusto Fiorin
 
As revoluções inglesas
As revoluções inglesasAs revoluções inglesas
As revoluções inglesas
fernandacarolinestang
 
AS REVOLUÇÕES INGLESAS A REVOLUÇÃO BURGUESA INGLESA.pptx
AS REVOLUÇÕES INGLESAS A REVOLUÇÃO BURGUESA INGLESA.pptxAS REVOLUÇÕES INGLESAS A REVOLUÇÃO BURGUESA INGLESA.pptx
AS REVOLUÇÕES INGLESAS A REVOLUÇÃO BURGUESA INGLESA.pptx
RaquelRodrigues530546
 
Revolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e IluminismoRevolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e Iluminismo
eiprofessor
 
Revolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filéRevolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filé
mundica broda
 
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.pptRevoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
VinciusKusma
 
Revolucao Inglesa Ii
Revolucao Inglesa IiRevolucao Inglesa Ii
Revolucao Inglesa Ii
secretaria estadual de educação
 

Semelhante a [c7s] Revolução Inglesa (20)

Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
55--REVOLUCAO-INGLESA-MODELO-3_13f994e9bc61488391144e2dd0a42c64.pptx
55--REVOLUCAO-INGLESA-MODELO-3_13f994e9bc61488391144e2dd0a42c64.pptx55--REVOLUCAO-INGLESA-MODELO-3_13f994e9bc61488391144e2dd0a42c64.pptx
55--REVOLUCAO-INGLESA-MODELO-3_13f994e9bc61488391144e2dd0a42c64.pptx
 
Resumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesasResumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesas
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa11 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
2ª Série - As Revoluções Inglesas (1).pdf
 
Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa
 
Resumo revoluçoes inglesas
Resumo   revoluçoes inglesasResumo   revoluçoes inglesas
Resumo revoluçoes inglesas
 
12. aula de história geral - revolução inglesa
12. aula de história geral - revolução inglesa12. aula de história geral - revolução inglesa
12. aula de história geral - revolução inglesa
 
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVIIA REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
A REVOLUÇÃO INGLESA DO SÉCULO XVII
 
A revolucao inglesa
A revolucao inglesaA revolucao inglesa
A revolucao inglesa
 
9. revolução inglesa
9. revolução inglesa9. revolução inglesa
9. revolução inglesa
 
As revoluções inglesas
As revoluções inglesasAs revoluções inglesas
As revoluções inglesas
 
AS REVOLUÇÕES INGLESAS A REVOLUÇÃO BURGUESA INGLESA.pptx
AS REVOLUÇÕES INGLESAS A REVOLUÇÃO BURGUESA INGLESA.pptxAS REVOLUÇÕES INGLESAS A REVOLUÇÃO BURGUESA INGLESA.pptx
AS REVOLUÇÕES INGLESAS A REVOLUÇÃO BURGUESA INGLESA.pptx
 
Revolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e IluminismoRevolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e Iluminismo
 
Revolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filéRevolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filé
 
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.pptRevoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
Revoluções inglesas e surgimento do pensamento liberal.ppt
 
Revolucao Inglesa Ii
Revolucao Inglesa IiRevolucao Inglesa Ii
Revolucao Inglesa Ii
 

Mais de 7 de Setembro

Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 2014Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 2014
7 de Setembro
 
Pôster Amostra Cultural
Pôster Amostra CulturalPôster Amostra Cultural
Pôster Amostra Cultural
7 de Setembro
 
Fenômenos Atmosféricos
Fenômenos AtmosféricosFenômenos Atmosféricos
Fenômenos Atmosféricos
7 de Setembro
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
7 de Setembro
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua
7 de Setembro
 
Texto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-ArgumentativoTexto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-Argumentativo
7 de Setembro
 
Texto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha ComunitáriaTexto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha Comunitária
7 de Setembro
 
Substantivos e Adjetivos
Substantivos e AdjetivosSubstantivos e Adjetivos
Substantivos e Adjetivos
7 de Setembro
 
Substantivos
SubstantivosSubstantivos
Substantivos
7 de Setembro
 
Semântica
Semântica Semântica
Semântica
7 de Setembro
 
[c7s] Notícia
[c7s] Notícia[c7s] Notícia
[c7s] Notícia
7 de Setembro
 
[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras
7 de Setembro
 
[c7s] Notícia II
[c7s] Notícia II[c7s] Notícia II
[c7s] Notícia II
7 de Setembro
 
[c7s] Figuras de Linguagem
[c7s] Figuras de Linguagem[c7s] Figuras de Linguagem
[c7s] Figuras de Linguagem
7 de Setembro
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
7 de Setembro
 
Os livros
Os livrosOs livros
Os livros
7 de Setembro
 
Crise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º anoCrise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º ano
7 de Setembro
 
Tabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º anoTabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º ano
7 de Setembro
 
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º anoRenascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
7 de Setembro
 
Machado de Assis
Machado de AssisMachado de Assis
Machado de Assis
7 de Setembro
 

Mais de 7 de Setembro (20)

Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 2014Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 2014
 
Pôster Amostra Cultural
Pôster Amostra CulturalPôster Amostra Cultural
Pôster Amostra Cultural
 
Fenômenos Atmosféricos
Fenômenos AtmosféricosFenômenos Atmosféricos
Fenômenos Atmosféricos
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua
 
Texto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-ArgumentativoTexto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-Argumentativo
 
Texto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha ComunitáriaTexto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha Comunitária
 
Substantivos e Adjetivos
Substantivos e AdjetivosSubstantivos e Adjetivos
Substantivos e Adjetivos
 
Substantivos
SubstantivosSubstantivos
Substantivos
 
Semântica
Semântica Semântica
Semântica
 
[c7s] Notícia
[c7s] Notícia[c7s] Notícia
[c7s] Notícia
 
[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras
 
[c7s] Notícia II
[c7s] Notícia II[c7s] Notícia II
[c7s] Notícia II
 
[c7s] Figuras de Linguagem
[c7s] Figuras de Linguagem[c7s] Figuras de Linguagem
[c7s] Figuras de Linguagem
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
 
Os livros
Os livrosOs livros
Os livros
 
Crise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º anoCrise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º ano
 
Tabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º anoTabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º ano
 
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º anoRenascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
 
Machado de Assis
Machado de AssisMachado de Assis
Machado de Assis
 

Último

Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 

[c7s] Revolução Inglesa

  • 1. REVOLUÇÃO INGLESA ( 1642 - 1689 ) Professor Alysson Castro
  • 2. Contexto / antecedentes • Plano Econômico / Social – Revolução comercial, ascensão da burguesia – Forte indústria têxtil inglesa – Cercamentos, miséria da população em geral – Debilitamento da aristocracia fundiária que dava sustentação ao absolutismo – Surgimento dos Gentry, pequena e média nobreza rural, mentalidade capitalista e laços com a burguesia – Surgimento dos Yeomen, espécie de classe média em péssimas condições
  • 3. • Plano Ideológico – Conflitos religiosos (anglicanos, católicos, puritanos, presbiterianos) – Anglicanos e católicos apoiavam o Rei – Calvinistas do lado do Parlamento (richas internas) • Plano Político – morte de Elisabeth, fim da dinastia Tudor, decadência do absolutismo inglês
  • 4. • Jaime I (1603 - 1625, início da dinastia Stuart) – Tendências absolutistas, anglicano – Problemas com o parlamento, fecha – 1614 • Carlos I (1625 – X ) – 1628 – Petição de Direitos = restringia o poder do soberano (Parlamento) – Fecha o Parlamento, governa uma década sem chamá-lo novamente
  • 5. – 1640 → convoca o Parlamento, precisando de fundos para lutar contra os escoceses – Entra em choque novamente, fecha (1642)
  • 6. Guerra Civil Inglesa ( 1642 – 1648 )  Cavaleiros  Cabeças Redondas (Rei) (Parlamento) X  Partidários do  Presbiterianos (alta absolutismo, burguesia), nobreza nobreza, liberal, puritanos católicos ingleses e (pequena burguesia), irlandeses “levellers” e “diggers”  Carlos I  Oliver Cromwell decapitado  Vencem ( 1649 )
  • 8. República Puritana (1649-58) • Poder nas mãos de Cromwell • Submete a Irlanda e Escócia, persegue católicos e anglicanos • Repressão à esquerda e direita • 1653 → dissolve o parlamento, governo ditatorial → “Lorde Protetor da Inglaterra” • Filho de Cromwell, fraco, renuncia...
  • 9. Restauração Monárquica (1660-1688) • Carlos II → Jaime II → católico, claras pretensões absolutistas • Parlamento “convida” Guilherme de Orange (casado com a filha mais velha de Jaime II) a tomar o poder
  • 10. Revolução Gloriosa (1688) • “sem derramamento de sangue” • Guilherme III assume o poder, Jaime II foge pra França
  • 12. DECLARAÇÃO DE DIREITOS DE 1689 (Bill of Rights) 1 → que é ilegal a faculdade que se atribui à autoridade real para suspender as leis ou seu cumprimento. 4 → que é ilegal toda cobrança de impostos para a Coroa sem o concurso do Parlamento, sob pretexto de prerrogativa, ou em época e modo diferentes dos designados por ele próprio.
  • 13. 5 → que os súditos tem direitos de apresentar petições ao Rei, sendo ilegais as prisões vexações de qualquer espécie que sofram por esta causa. 6 → que o ato de levantar e manter dentro do país um exército em tempo de paz é contrário a lei, se não proceder autorização do Parlamento. 9 → que os discursos pronunciados nos debates do Parlamento não devem ser examinados senão por ele mesmo, e não em outro Tribunal ou sítio algum.
  • 14. 13 → que é indispensável convocar com freqüência os Parlamentos para satisfazer os agravos, assim como para corrigir, afirmar e conservar as leis. “Rei reina, mas não governa” → submissão do poder do Rei ao do Parlamento → Monarquia limitada, povo afastado das decisões, evitou a radicalização...
  • 15. Conclusão • A Revolução Inglesa (ou Revoluções) criou as condições indispensáveis para a Revolução Industrial do século XVIII, limpando o terreno para o avanço do capitalismo, deve ser considerado a primeira revolução burguesa da história na Europa, antecipando em cento e cinqüenta anos a Revolução Francesa.