SlideShare uma empresa Scribd logo
Professora Isabel Oliveira
        As figuras de linguagem ou de estilo são empregadas para
    valorizar o texto, tornando a linguagem mais expressiva. É um
    recurso lingüístico para expressar experiências comuns de formas
    diferentes, conferindo originalidade, emotividade ou poeticidade ao
    discurso.

     As figuras revelam muito da sensibilidade de quem as produz,
    traduzindo particularidades estilísticas do autor. A palavra
    empregada em sentido figurado, conotativo, passa a pertencer a
    outro campo de significação, mais amplo e criativo.

    As figuras de linguagem classificam-se em:
        a)figuras de palavras;
        b)figuras de harmonia;
        c)figuras de pensamento;
        d)figuras de construção ou sintaxe.
É O EMPREGO DE UM TERMO COM SIGNIFICADO DE OUTRO EM VISTA DE UMA
SEMELHANÇA ENTRE AMBOS, CAPAZ DE ESTABELECER UMA COMPARAÇÃO,
PORÉM SUBENTENDIDA, IMPLÍCITA, SEM OS ELEMNTOS COMPARATIVOS.


    "Não sei que nuvem trago neste peito
      que tudo quanto vejo me entristece..."
                        (Alexandre de Gusmão)
     " Sua boca é um cadeado
    E meu corpo é uma fogueira"
                         (Chico Buarque de Holanda)
    Ele anda a passos de tartaruga.
   A chuva caía como lágrimas de um céu entristecido.
   "E há poeta que são artistas
    E trabalham nos seus versos
    como carpinteiro nas tábuas!..."
                     (Alberto Caeiro)

   Como um grande borrão de fogo sujo
    O sol posto demora-se nas nuvens que ficam."
                                  (Alberto Caeiro)
   "Ah! cidade maliciosa
    de olhos de ressaca
    que das índias guardou a vontade de andar nua".
                 (Ferreira Gullar)

   Com a passagem da nuvem, a lua se tranqüiliza.
PERSONIFICAÇÃO PRÁTICA
      Personificação da mesa.
   O cheiro doce e verde do capim trazia recordações
    da fazenda, para onde nunca mais retornou.
    ( cheiro = sensação olfativa; doce = sensação
    gustativa; verde = sensação visual )

   Um doce abraço indicava que o pai desculpara.
    ( doce = sensação gustativa; abraço = tátil )

   Dia de luz , festa de sol
    Um barquinho a deslizar no macio azul do mar...
    (O barquinho - Tom Jobim)
    ( azul = sensação visual; macio = sensação tátil )
É O EMPREGO DE UM TERMO FIGURADO POR FALTA DE UM
TERMO PRÓPRIO PARA DESIGNAR DETERMINADAS COISAS. É
UMA METÁFORA DESGASTADA PELO USO EXCESSIVO.

    Sentou-se no braço da poltrona para
     descansar.
    Não me lembro do seu nome, mas ainda
     vejo as suas eternas maçãs do rosto
     avermelhadas.
    A asa da xícara quebrou-se.
•Usamos a catacrese em expressões como “orelha de
livro” ou “dente de alho”.

•O termo “engarrafamento”, usado para designar o
congestionamento de automóveis, ou o verbo “embarcar”,
usado no sentido de entrar no carro, no avião ou no trem,
são exemplos de catacrese.

Na expressão “casal gay”, curiosa porque “casal”, ao pé
da letra, é um par formado por macho e fêmea, apagou-se
o sentido de heterossexualidade e avivou-se o sentido de
par unido por laços de afetividade.
É A SUBSTITUIÇÃO DO SENTIDO DE UMA PALAVRA
    OU EXPRESSÃO POR OUTRO SENTIDO, HAVENDO
    ENTRE ELES UMA REAÇÃO LÓGICA .

O autor pela obra.
 Ouvi    Mozart com        emoção.    (a   música    de    Mozart)
   Leio Graciliano Ramos porque ele fala da realidade brasileira.
    (obra de Graciliano Ramos)

O continente (o que contém) pelo conteúdo (o que está contido).

   Ele comemorou tomando um copo de caipirinha.
    (Continente: um copo; Conteúdo: caipirinha contida no copo )
A parte pelo todo.
 " o bonde passa cheio de pernas." (Drummond) (pernas =
  pessoas)
 São muitas as famílias que procuram um teto para
  morar. (teto = casa)
O singular pelo plural.
 " O homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança
  pessoal.“      (Art.3º-Declaração Universal dos Direitos Humanos)

  (homem = Humanidade)
 A mulher foi chamada para ir às ruas na luta contra a
  violência. (mulher = todas as mulheres)
O instrumento pela pessoa que o utiliza.
 Os microfones corriam atropelando até o entrevistado.
  (microfone = repórteres)
 Ele é um bom pincel, o problema é que seus quadros
  são caros.
  (pincel = pintor)
 Ele é um bom garfo.
  (garfo = come de mais)

O abstrato pelo concreto.
 A juventude é corajosa e nem sempre conseqüente.
  (juventude = jovens)
 A infância é saudavelmente desordeira.
  (infância = crianças)
O efeito pela causa
 Com muito suor o operário construiu sua casa.
  (suor = trabalho)
 As industrias despejam a morte nos rios.
  (morte = poluição)

A matéria pelo objeto
 Os bronzes tangiam avisando a hora da missa.
  (bronze = sino)
 Os cristais tiniam na bandeja de prata.
  (cristais = copos)
Lugar pela coisa ou pessoa - Nomeia-se ou indica-se um ser
   pelo lugar onde ele ocorre ou é produzido.
 Esse peixe deve ser acompanhado de um porto.

 (vinho substituído pelo nome do lugar onde ele é produzido).

 Marca pela coisa ou produto - Nomeia-se ou indica-se um
  produto pela sua marca, que às vezes pode até indicar
  produtos similares de outras marcas.
 Vamos lavar a roupa com omo.

   (uma marca de sabão em pó, que tanto pode ser usada
  para indicar o sabão dessa marca, como sabão em pó de
  um modo geral).
   A Cidade Luz continua atraindo visitantes do mundo todo. 
    (cidade luz = Paris)


   A Cidade Maravilhosa segue cheia de sol.
    (cidade maravilhosa = Rio de Janeiro)

   O povo lusitano foi bastante satirizado por Gil Vicente.
    (povo lusitano = os portugueses)
    O Príncipe dos poetas também teve outras
     atividades que o tornaram famoso; por exemplo: a
     luta pelo serviço militar obrigatório.
     (Príncipe dos poetas = Olavo Bilac)
    O Presidente dos Pobres suicidou-se em 1954.
     (Presidente dos Pobres = Getúlio Vargas)
    "A dama do teatro brasileiro foi indicada para o
     Oscar."
    (dama do teatro brasileiro = Fernanda Montenegro)
   " Tristeza não tem fim.
    felicidade sim ...." (Vinícius de Moraes)

   " Eu preparo uma canção
    que faça acordar os homens
    e adormecer as crianças". (Drummond)

   "Há de surgir uma estrela no céu cada vez que você
    sorrir,
    há de apagar uma estrela no céu cada vez que você
    chorar" (Gilberto Gil)
   "Pra se viver do amor
    Há que esquecer o amor."
    (Chico Buarque de Holanda)

   No discurso, sindicalista afirmou que o operário
    quanto mais trabalha, mais tem dificuldades
    econômicas.
FIGURA QUE CONSISTE NO ABRANDAMENTO DE UMA
EXPRESSÃO DE SENTIDO DESAGRADÁVEL.
    Aqueles homens públicos apropriam-se do
     dinheiro.
     (apropriar-se = roubar)
    Cássia Eller partiu dessa para melhor.
     (partiu dessa para melhor = morrer)
 E UFEMISMO NA PUBLICIDADE
   Na época de festa junina, sempre morro de
    medo de fogos de artifício.

   Ela gastou rios de dinheiro.

   "Será que eu tenho sempre que te lembrar
    todo dia, toda hora .
    Eu te imploro,
    Por favor. " (Alice, Kid Abelha)
   Cada vez que você interrompe seu colega, sem pedir
    licença, percebo como é bem-educado.




                                 Na charge, na verdade, o
                                 pobre fica sem comer,
                                 porque não pode comprar.
                                 Logo, nem paga imposto.
   ONOMATOPÉIA
   ASSONÂNCIA
   ALITERAÇÃO
   "Sem o coaxar dos sapos ou o cricri dos grilos
    como que é que poderíamos dormir tranqüilos a
    nossa eternidade?" (Mário Quitanda)

   "No Tic Tic Tac do meu coração, renascerá..."
    (Timbalada)
É a repetição de vogais na mesma frase.

    - "Sou um mulato nato no sentido lato
     mulato democrático do litoral"       
                     (Caetano Veloso  - Araçá Azul)
    Anule aliterações altamente abusivas
                     ( manual de redação humorístico (aliteração em A)


    Na publicidade
                                               Ka/Ko –
                                               aliteração e
                                               assonância
   O rato roeu a roupa do rei de Roma.

   “Pedro Pedreiro penseiro esperando o trem/
    Manhã parece, carece de esperar também/
    Para o bem de quem tem bem de quem não tem
    vintém”.Chico Buarque (várias figuras)

                                Aqui também há
                                assonância em E
FIGURAS SINTÁTICAS

   Elipse         Silepse

   Zeugma         Pleonasmo

   Polissíndeto    Anacoluto
   Assíndeto       Anáfora
   Hipérbato       Epístrofe
   À direita da estrada, sol, à esquerda, chuva.
    (omissão da forma verbal estava: estava o sol,
    estava chuva)

   " Na rua deserta, nenhum sinal de bonde."
    (Clarice Lispector)
    (omissão de não havia)
   “Ele prefere um passeio pela praia; eu, cinema.”
    (omissão de prefiro)

   "Levou seu retrato,
    seu trapo,
    seu prato,
    que papel!
    Uma imagem de São Francisco e um bom disco de Noel"
    (omissão de levou)
    (A Rita – Chico Buarque de Holanda)
   Viajam cansados os pescadores de ilusões.
    ( Os pescadores de ilusões viajam cansados )

   Acompanhando o som da torcida, dançava com a
    bola o atleta.
    (O atleta dançava com a bola acompanhando som
    da torcida )
   Choramos um choro sentido, mas nos
    refizemos logo.

   A ele resta-lhe a boa oportunidade de provar
    sua inocência.

   "Olhei até ficar cansado
    De ver os meus olhos no espelho"
    Flores ( Titãs )
   O cantor interpretava a canção, o público
    vaiava. Ele insistia, o público continuava. Ele
    parou, quebrou o violão, saiu do palco.

   O velho zunia, as folhas caíam.
   E falei, e gritei, e tentei, e gesticulei e pedi ajuda, mas
    ninguém parou para socorrer o gato acidentado.

   E a noite é negra
    e estrelas não brilham
    e pessoas mascaram a voz
    e a dor
    e expõem o rosto ao risco
    e à solidão.
   Umas moedas velhas caídas no fundo da gaveta,
    nós descobrimos o seu valor depois que o
    colecionador as quis comprar.

   Os nordestinos quando chegam, em família, entre
    sacos e sacola, na estação central, eu acho que
    merecem mais do que uma reportagem: merecem
    um livro que conte a luta e a resistência dessa
    brava gente.
"Na solidão solitude,
 Na solidão entrei,
 Na solidão perdi-me,
 Nunca me alegrei." (Mário de Andrade)

"Vários tons de vermelho dançam para mim,
o vermelho da guerra,
o vermelho das terras,
o vermelho do nada." (Kátia Maristela Ongaro)
A silepse pode ser:
de gênero
   Vossa Excelência ficou cansado com o discurso.

de número
   A família do réu procurou advogado e queriam
    saber se ele poderia ficar em liberdade durante o
    processo.
de pessoa
   Os brasileiros somos muito crédulos.
     
:


       "Era a mais cruel das cenas. Era a mais
        cruel das situações. Era a mais cruel das
 
        missões..."
   O que será (À flor da pele)
 
           O que será que me dá
           Que me bole por dentro, será que me dá
           Que brota à flor da pele, será que me dá
           E que me sobe às faces, e me faz corar
           E que me salta aos olhos a me atraiçoar
           E que me aperta o peito e me faz confessar
           O que não tem mais jeito de dissimular
           E que nem é direito ninguém recusar
           E que me faz mendigo, me faz suplicar
           O que não tem medida, nem nunca terá
           O que não tem remédio, nem nunca terá
           O que não tem receita
                                  Chico Buarque de Holanda
Gradação ou Clímax

   O trigo... nasceu, cresceu, espigou,
    amadureceu, colheu-se. (Padre Vieira)
 
   Ele chorou, berrou, esperneou.
   Ó mar salgado,
    quanto do teu sal
    são lágrimas de Portugal!

   Senhor, Deus dos desgraçados!
    Dizei-me vós, Senhor Deus!

   Deus! Deus! Onde estás que não respondes?
Vamos exercitar?
01. (VUNESP) No trecho: “... dão um jeito de mudar o mínimo para continuar mandando o máximo", a figura de
     linguagem presente é chamada:

   a) metáfora
   b) ironia
   c) metonímia
   d) antítese

02. (PUC - SP) Nos trechos: "O pavão é um arco-íris de plumas" e “... de tudo que ele suscita e esplende e estremece
     e delira..." enquanto procedimento estilístico temos, respectivamente:

   a) metáfora e polissíndeto
   b) comparação e repetição
   c) metonímia e aliteração
   d) hipérbole e metáfora

03. (PUC - SP) Nos trechos: “... nem um dos autores nacionais ou nacionalizados de oitenta pra lá faltava nas
     estantes do major" e “... o essencial é achar-se as palavras que o violão pede e deseja" encontramos,
     respectivamente, as seguintes figuras de linguagem:

   a) prosopopéia e hipérbole
   b) hipérbole e metonímia
   c) metáfora e hipérbole
   d) metonímia e prosopopéia

04. (VUNESP) Na frase: "A auto-estima é uma ponte para o sucesso", encontramos a figura de linguagem chamada:
    a) metonímia
    b) personificação
    c) metáfora
    d) ironia

05. (ITA) Em qual das opções há erro de identificação das figuras?
    a) “A neblina, roçando o chão, cicia, em prece”. (prosopopéia)
    b) “Ele embarcou numa canoa furada”. (metonímia)
    c) "E fria, fluente, frouxa claridade / Flutua..." (aliteração).
    d) "Seus olhos são como estrelas cintilantes." (comparação).
06. Na expressão “A natureza parece estar chorando.” temos:
    a) antítese
    b) polissíndeto
    c) ironia
    d) personificação

07. Em qual dos casos a seguir uma figura de linguagem foi classificada de forma incorreta:
    a) “A terra inteira chorou a morte do santo pontífice.” – METÁFORA.
    b) “Traduzir Homero para o português não é fácil.” – METONÍMIA.
    c) “Mas a poesia deste momento inunda a minha vida inteira” - PROSOPOPÉIA
    d) “Incêndio em mares de água disfarçado! Rio de neve em fogo convertido”– ANTÍTESE

08. (FEBA - SP) Assinale a alternativa em que ocorre aliteração:

a) "Água de fonte... água de oceano... água de pranto”. (Manuel Bandeira)
b) "A gente almoça e se coça e se roça e só se vicia." (Chico Buarque).
c) "Ouço o tique-taque do relógio: apresso-me então." (Clarice Lispector).
d) "Minha vida é uma colcha de retalhos, todos da mesma cor." (Mário Quintana).


09. Na frase: “Os ladrões roubaram um Portinari e um Segal” temos a mesma figura de linguagem da opção:
a) "Lá fora, a noite é um pulmão ofegante." (F. Namora).
                                  ofegante."
b) "Cai a tinta da treva sobre o mundo." (Dante Miliano).
c) Toda profissão tem seus espinhos.
                             espinhos.
d) O trono estava abalado

10. (FATEC) "Seus óculos eram imperiosos." Assinale a alternativa em que aparece a mesma figura de linguagem que
     há na frase acima:

a) "As cidades vinham surgindo na ponte dos nomes.”.
b) "Nasci na sala do 3° ano.”.
c) "O bonde passa cheio de pernas.”.
d) "O meu amor, paralisado, pula.”.
   ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Gramática
    Metódica da Língua Por tuguesa . 44ª edição.
    Editora Saraiva. São Paulo. 2001

   CUNHA, Celso & CINTRA, Luís F. Lindley. Nova
    Gramática do Por tuguês Contemporâneo . 3ª
    edição. Editora Nova Fronteira. Rio de Janeiro. 2001

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exercicios de fixação de coesão e coerência
Exercicios de fixação de coesão e coerênciaExercicios de fixação de coesão e coerência
Exercicios de fixação de coesão e coerência
Marcos Amauri
 
Parágrafos expositivo x argumentativo
Parágrafos   expositivo x argumentativoParágrafos   expositivo x argumentativo
Parágrafos expositivo x argumentativo
Cynthia Funchal
 
Uso dos porquês
Uso dos porquêsUso dos porquês
Uso dos porquês
Sabrina Paiva
 
Slides aula verbos
Slides   aula verbosSlides   aula verbos
Slides aula verbos
Bruno Souza de Oliveira
 
Classes gramaticais slides.2
Classes gramaticais  slides.2Classes gramaticais  slides.2
Classes gramaticais slides.2
Lúcia Maria Silva Gonçalves
 
Intertextualidade
Intertextualidade Intertextualidade
Intertextualidade
Denise
 
regras de pontuação
regras de pontuaçãoregras de pontuação
regras de pontuação
carvalho31
 
Frase, oração e período - Orações coordenadas
Frase, oração e período  - Orações coordenadasFrase, oração e período  - Orações coordenadas
Frase, oração e período - Orações coordenadas
Sinara Lustosa
 
Coesão e coerência
Coesão e coerênciaCoesão e coerência
Coesão e coerência
Cynthia Funchal
 
Coerência e coesão textual,matias
Coerência e coesão textual,matiasCoerência e coesão textual,matias
Coerência e coesão textual,matias
Alexandra Gonçalves
 
Homônimos e parônimos
Homônimos e parônimosHomônimos e parônimos
Homônimos e parônimos
Sadrak Silva
 
Artigo aula 8
Artigo   aula 8Artigo   aula 8
Artigo aula 8
Alice Silva
 
Flexão do Substantivo
Flexão do SubstantivoFlexão do Substantivo
Flexão do Substantivo
lucivane cangussú
 
Passos para uma boa redação
Passos para uma boa redaçãoPassos para uma boa redação
Passos para uma boa redação
Sinara Lustosa
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
5julho55
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
Fábio Guimarães
 
ColocaçãO Pronominal
ColocaçãO PronominalColocaçãO Pronominal
ColocaçãO Pronominal
guest0cbfe
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesa
PacatubaLei
 
Substantivo slide
Substantivo slideSubstantivo slide
Substantivo slide
Andreia Berto
 
Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)
Flávio Ferreira
 

Mais procurados (20)

Exercicios de fixação de coesão e coerência
Exercicios de fixação de coesão e coerênciaExercicios de fixação de coesão e coerência
Exercicios de fixação de coesão e coerência
 
Parágrafos expositivo x argumentativo
Parágrafos   expositivo x argumentativoParágrafos   expositivo x argumentativo
Parágrafos expositivo x argumentativo
 
Uso dos porquês
Uso dos porquêsUso dos porquês
Uso dos porquês
 
Slides aula verbos
Slides   aula verbosSlides   aula verbos
Slides aula verbos
 
Classes gramaticais slides.2
Classes gramaticais  slides.2Classes gramaticais  slides.2
Classes gramaticais slides.2
 
Intertextualidade
Intertextualidade Intertextualidade
Intertextualidade
 
regras de pontuação
regras de pontuaçãoregras de pontuação
regras de pontuação
 
Frase, oração e período - Orações coordenadas
Frase, oração e período  - Orações coordenadasFrase, oração e período  - Orações coordenadas
Frase, oração e período - Orações coordenadas
 
Coesão e coerência
Coesão e coerênciaCoesão e coerência
Coesão e coerência
 
Coerência e coesão textual,matias
Coerência e coesão textual,matiasCoerência e coesão textual,matias
Coerência e coesão textual,matias
 
Homônimos e parônimos
Homônimos e parônimosHomônimos e parônimos
Homônimos e parônimos
 
Artigo aula 8
Artigo   aula 8Artigo   aula 8
Artigo aula 8
 
Flexão do Substantivo
Flexão do SubstantivoFlexão do Substantivo
Flexão do Substantivo
 
Passos para uma boa redação
Passos para uma boa redaçãoPassos para uma boa redação
Passos para uma boa redação
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
ColocaçãO Pronominal
ColocaçãO PronominalColocaçãO Pronominal
ColocaçãO Pronominal
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesa
 
Substantivo slide
Substantivo slideSubstantivo slide
Substantivo slide
 
Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)
 

Destaque

Figuras de-linguagem
Figuras de-linguagemFiguras de-linguagem
Figuras de-linguagem
Sadrak Silva
 
Figura de pensamento
Figura de pensamentoFigura de pensamento
Figura de pensamento
densron
 
O Corpo Fala
O Corpo FalaO Corpo Fala
O Corpo Fala
Amanda Martinez
 
Prova portugues - medio
Prova  portugues - medioProva  portugues - medio
Prova portugues - medio
LucianoLLC
 
Figuras sintáticas
Figuras sintáticasFiguras sintáticas
Figuras sintáticas
ma.no.el.ne.ves
 
Figuras fonéticas
Figuras fonéticasFiguras fonéticas
Figuras fonéticas
ma.no.el.ne.ves
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Linguagem e pensamento 2 ano
Linguagem e pensamento 2 anoLinguagem e pensamento 2 ano
Linguagem e pensamento 2 ano
Over Lane
 
Linguagem e Pensamento
Linguagem e Pensamento Linguagem e Pensamento
Linguagem e Pensamento
Rosana Leite
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide
Jaciara Mota
 
Figuras de Linguagem 2
Figuras de Linguagem 2 Figuras de Linguagem 2
Figuras de Linguagem 2
Adilson P Motta Motta
 
Projeto com o gênero bate papo no computador
Projeto com o gênero bate papo no computadorProjeto com o gênero bate papo no computador
Projeto com o gênero bate papo no computador
paulocesar2011
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
7 de Setembro
 
Figuras literarias
Figuras literariasFiguras literarias
Figuras literarias
Araceli Medel
 
Ler em todas as áreas
Ler em todas as áreasLer em todas as áreas
Ler em todas as áreas
Alexandre Ricardo von Ehnert
 
Oficina de redação_do_benê
Oficina de redação_do_benêOficina de redação_do_benê
Oficina de redação_do_benê
dehfaria
 
5 Maneiras De Sentir O Mundo
5 Maneiras De Sentir O Mundo5 Maneiras De Sentir O Mundo
5 Maneiras De Sentir O Mundo
ailhadaspalavrasmagicas
 
Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
Gliciane S. Aragão
 
Projeto de leitura na EMEF Maria Gusmão Britto (São Leopoldo) - Profª Neusa P...
Projeto de leitura na EMEF Maria Gusmão Britto (São Leopoldo) - Profª Neusa P...Projeto de leitura na EMEF Maria Gusmão Britto (São Leopoldo) - Profª Neusa P...
Projeto de leitura na EMEF Maria Gusmão Britto (São Leopoldo) - Profª Neusa P...
Ana Paula Cecato
 
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideias
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideiasCaderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideias
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideias
Silvia Cintra
 

Destaque (20)

Figuras de-linguagem
Figuras de-linguagemFiguras de-linguagem
Figuras de-linguagem
 
Figura de pensamento
Figura de pensamentoFigura de pensamento
Figura de pensamento
 
O Corpo Fala
O Corpo FalaO Corpo Fala
O Corpo Fala
 
Prova portugues - medio
Prova  portugues - medioProva  portugues - medio
Prova portugues - medio
 
Figuras sintáticas
Figuras sintáticasFiguras sintáticas
Figuras sintáticas
 
Figuras fonéticas
Figuras fonéticasFiguras fonéticas
Figuras fonéticas
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Linguagem e pensamento 2 ano
Linguagem e pensamento 2 anoLinguagem e pensamento 2 ano
Linguagem e pensamento 2 ano
 
Linguagem e Pensamento
Linguagem e Pensamento Linguagem e Pensamento
Linguagem e Pensamento
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide
 
Figuras de Linguagem 2
Figuras de Linguagem 2 Figuras de Linguagem 2
Figuras de Linguagem 2
 
Projeto com o gênero bate papo no computador
Projeto com o gênero bate papo no computadorProjeto com o gênero bate papo no computador
Projeto com o gênero bate papo no computador
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
 
Figuras literarias
Figuras literariasFiguras literarias
Figuras literarias
 
Ler em todas as áreas
Ler em todas as áreasLer em todas as áreas
Ler em todas as áreas
 
Oficina de redação_do_benê
Oficina de redação_do_benêOficina de redação_do_benê
Oficina de redação_do_benê
 
5 Maneiras De Sentir O Mundo
5 Maneiras De Sentir O Mundo5 Maneiras De Sentir O Mundo
5 Maneiras De Sentir O Mundo
 
Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
 
Projeto de leitura na EMEF Maria Gusmão Britto (São Leopoldo) - Profª Neusa P...
Projeto de leitura na EMEF Maria Gusmão Britto (São Leopoldo) - Profª Neusa P...Projeto de leitura na EMEF Maria Gusmão Britto (São Leopoldo) - Profª Neusa P...
Projeto de leitura na EMEF Maria Gusmão Britto (São Leopoldo) - Profª Neusa P...
 
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideias
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideiasCaderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideias
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideias
 

Semelhante a [c7s] Figuras de Linguagem

Figuras de Linguagem (recursos estilísticos e sonoros)
Figuras de Linguagem (recursos estilísticos e sonoros)Figuras de Linguagem (recursos estilísticos e sonoros)
Figuras de Linguagem (recursos estilísticos e sonoros)
7 de Setembro
 
figuras-de-linguagem.ppt
figuras-de-linguagem.pptfiguras-de-linguagem.ppt
figuras-de-linguagem.ppt
escolajudithgomeslei
 
figuras-de-linguagem sentido figurado ppt
figuras-de-linguagem sentido figurado pptfiguras-de-linguagem sentido figurado ppt
figuras-de-linguagem sentido figurado ppt
LauraSilva649143
 
Figuras de linguagem para aula 1 ano
Figuras de linguagem para aula 1 anoFiguras de linguagem para aula 1 ano
Figuras de linguagem para aula 1 ano
mfmpafatima
 
Figuras linguagem
Figuras linguagemFiguras linguagem
Figuras linguagem
newtonbonfim
 
Figuras linguagem2
Figuras linguagem2Figuras linguagem2
Figuras linguagem2
Aline Castro
 
Figuras linguagem
Figuras linguagemFiguras linguagem
Figuras linguagem
Pedro Barros
 
Figuras de linguagem carla
Figuras de linguagem  carlaFiguras de linguagem  carla
Figuras de linguagem carla
Laboratório de Informática
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Wellington Lopes
 
Figuras linguagem Completo
Figuras linguagem CompletoFiguras linguagem Completo
Figuras linguagem Completo
Júnior Maciel
 
Figuras de linguagem completo 01
Figuras de linguagem   completo 01Figuras de linguagem   completo 01
Figuras de linguagem completo 01
Natália Matos
 
DIVERSAS FIGURAS DE LINGUAGEM SLIDE ESSE
DIVERSAS FIGURAS DE LINGUAGEM SLIDE ESSEDIVERSAS FIGURAS DE LINGUAGEM SLIDE ESSE
DIVERSAS FIGURAS DE LINGUAGEM SLIDE ESSE
CarolineFrancielle
 
Aula 1º Ano - RALP.pptx
Aula 1º Ano - RALP.pptxAula 1º Ano - RALP.pptx
Aula 1º Ano - RALP.pptx
JHony342614
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Francisco Galeno
 
Figuras de estilo
Figuras de estiloFiguras de estilo
Figuras de estilo
dsca1011
 
Figuras de linguagem 2012
Figuras de linguagem   2012Figuras de linguagem   2012
Figuras de linguagem 2012
Lourdes Vilar
 
Figuras linguagem2
Figuras linguagem2Figuras linguagem2
Figuras linguagem2
claudia murta
 
figuras-de-linguagem- DÉBORA.ppt
figuras-de-linguagem- DÉBORA.pptfiguras-de-linguagem- DÉBORA.ppt
figuras-de-linguagem- DÉBORA.ppt
DboraMariaRodrigues
 
FIGURAS DE LINGUAGEM - 9 ano.pptx
FIGURAS DE LINGUAGEM - 9 ano.pptxFIGURAS DE LINGUAGEM - 9 ano.pptx
FIGURAS DE LINGUAGEM - 9 ano.pptx
Rozenilda1
 
Slide.intertextualidade
Slide.intertextualidadeSlide.intertextualidade
Slide.intertextualidade
Lorranny Caroliny
 

Semelhante a [c7s] Figuras de Linguagem (20)

Figuras de Linguagem (recursos estilísticos e sonoros)
Figuras de Linguagem (recursos estilísticos e sonoros)Figuras de Linguagem (recursos estilísticos e sonoros)
Figuras de Linguagem (recursos estilísticos e sonoros)
 
figuras-de-linguagem.ppt
figuras-de-linguagem.pptfiguras-de-linguagem.ppt
figuras-de-linguagem.ppt
 
figuras-de-linguagem sentido figurado ppt
figuras-de-linguagem sentido figurado pptfiguras-de-linguagem sentido figurado ppt
figuras-de-linguagem sentido figurado ppt
 
Figuras de linguagem para aula 1 ano
Figuras de linguagem para aula 1 anoFiguras de linguagem para aula 1 ano
Figuras de linguagem para aula 1 ano
 
Figuras linguagem
Figuras linguagemFiguras linguagem
Figuras linguagem
 
Figuras linguagem2
Figuras linguagem2Figuras linguagem2
Figuras linguagem2
 
Figuras linguagem
Figuras linguagemFiguras linguagem
Figuras linguagem
 
Figuras de linguagem carla
Figuras de linguagem  carlaFiguras de linguagem  carla
Figuras de linguagem carla
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras linguagem Completo
Figuras linguagem CompletoFiguras linguagem Completo
Figuras linguagem Completo
 
Figuras de linguagem completo 01
Figuras de linguagem   completo 01Figuras de linguagem   completo 01
Figuras de linguagem completo 01
 
DIVERSAS FIGURAS DE LINGUAGEM SLIDE ESSE
DIVERSAS FIGURAS DE LINGUAGEM SLIDE ESSEDIVERSAS FIGURAS DE LINGUAGEM SLIDE ESSE
DIVERSAS FIGURAS DE LINGUAGEM SLIDE ESSE
 
Aula 1º Ano - RALP.pptx
Aula 1º Ano - RALP.pptxAula 1º Ano - RALP.pptx
Aula 1º Ano - RALP.pptx
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras de estilo
Figuras de estiloFiguras de estilo
Figuras de estilo
 
Figuras de linguagem 2012
Figuras de linguagem   2012Figuras de linguagem   2012
Figuras de linguagem 2012
 
Figuras linguagem2
Figuras linguagem2Figuras linguagem2
Figuras linguagem2
 
figuras-de-linguagem- DÉBORA.ppt
figuras-de-linguagem- DÉBORA.pptfiguras-de-linguagem- DÉBORA.ppt
figuras-de-linguagem- DÉBORA.ppt
 
FIGURAS DE LINGUAGEM - 9 ano.pptx
FIGURAS DE LINGUAGEM - 9 ano.pptxFIGURAS DE LINGUAGEM - 9 ano.pptx
FIGURAS DE LINGUAGEM - 9 ano.pptx
 
Slide.intertextualidade
Slide.intertextualidadeSlide.intertextualidade
Slide.intertextualidade
 

Mais de 7 de Setembro

Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 2014Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 2014
7 de Setembro
 
Pôster Amostra Cultural
Pôster Amostra CulturalPôster Amostra Cultural
Pôster Amostra Cultural
7 de Setembro
 
Fenômenos Atmosféricos
Fenômenos AtmosféricosFenômenos Atmosféricos
Fenômenos Atmosféricos
7 de Setembro
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua
7 de Setembro
 
Texto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-ArgumentativoTexto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-Argumentativo
7 de Setembro
 
Texto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha ComunitáriaTexto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha Comunitária
7 de Setembro
 
Substantivos e Adjetivos
Substantivos e AdjetivosSubstantivos e Adjetivos
Substantivos e Adjetivos
7 de Setembro
 
Substantivos
SubstantivosSubstantivos
Substantivos
7 de Setembro
 
Semântica
Semântica Semântica
Semântica
7 de Setembro
 
[c7s] Notícia
[c7s] Notícia[c7s] Notícia
[c7s] Notícia
7 de Setembro
 
[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras
7 de Setembro
 
[c7s] Notícia II
[c7s] Notícia II[c7s] Notícia II
[c7s] Notícia II
7 de Setembro
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
7 de Setembro
 
Os livros
Os livrosOs livros
Os livros
7 de Setembro
 
Crise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º anoCrise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º ano
7 de Setembro
 
Tabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º anoTabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º ano
7 de Setembro
 
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º anoRenascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
7 de Setembro
 
Machado de Assis
Machado de AssisMachado de Assis
Machado de Assis
7 de Setembro
 
A água e sua importância
A água e sua importânciaA água e sua importância
A água e sua importância
7 de Setembro
 
Egito
EgitoEgito

Mais de 7 de Setembro (20)

Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 2014Pôster amostra cultural 2014
Pôster amostra cultural 2014
 
Pôster Amostra Cultural
Pôster Amostra CulturalPôster Amostra Cultural
Pôster Amostra Cultural
 
Fenômenos Atmosféricos
Fenômenos AtmosféricosFenômenos Atmosféricos
Fenômenos Atmosféricos
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua
 
Texto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-ArgumentativoTexto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-Argumentativo
 
Texto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha ComunitáriaTexto de Campanha Comunitária
Texto de Campanha Comunitária
 
Substantivos e Adjetivos
Substantivos e AdjetivosSubstantivos e Adjetivos
Substantivos e Adjetivos
 
Substantivos
SubstantivosSubstantivos
Substantivos
 
Semântica
Semântica Semântica
Semântica
 
[c7s] Notícia
[c7s] Notícia[c7s] Notícia
[c7s] Notícia
 
[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras
 
[c7s] Notícia II
[c7s] Notícia II[c7s] Notícia II
[c7s] Notícia II
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
 
Os livros
Os livrosOs livros
Os livros
 
Crise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º anoCrise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º ano
 
Tabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º anoTabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º ano
 
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º anoRenascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
 
Machado de Assis
Machado de AssisMachado de Assis
Machado de Assis
 
A água e sua importância
A água e sua importânciaA água e sua importância
A água e sua importância
 
Egito
EgitoEgito
Egito
 

Último

Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 

[c7s] Figuras de Linguagem

  • 2. As figuras de linguagem ou de estilo são empregadas para valorizar o texto, tornando a linguagem mais expressiva. É um recurso lingüístico para expressar experiências comuns de formas diferentes, conferindo originalidade, emotividade ou poeticidade ao discurso.  As figuras revelam muito da sensibilidade de quem as produz, traduzindo particularidades estilísticas do autor. A palavra empregada em sentido figurado, conotativo, passa a pertencer a outro campo de significação, mais amplo e criativo.  As figuras de linguagem classificam-se em: a)figuras de palavras; b)figuras de harmonia; c)figuras de pensamento; d)figuras de construção ou sintaxe.
  • 3. É O EMPREGO DE UM TERMO COM SIGNIFICADO DE OUTRO EM VISTA DE UMA SEMELHANÇA ENTRE AMBOS, CAPAZ DE ESTABELECER UMA COMPARAÇÃO, PORÉM SUBENTENDIDA, IMPLÍCITA, SEM OS ELEMNTOS COMPARATIVOS.  "Não sei que nuvem trago neste peito que tudo quanto vejo me entristece..." (Alexandre de Gusmão)  " Sua boca é um cadeado E meu corpo é uma fogueira" (Chico Buarque de Holanda)  Ele anda a passos de tartaruga.
  • 4. A chuva caía como lágrimas de um céu entristecido.  "E há poeta que são artistas E trabalham nos seus versos como carpinteiro nas tábuas!..." (Alberto Caeiro)  Como um grande borrão de fogo sujo O sol posto demora-se nas nuvens que ficam." (Alberto Caeiro)
  • 5. "Ah! cidade maliciosa de olhos de ressaca que das índias guardou a vontade de andar nua". (Ferreira Gullar)  Com a passagem da nuvem, a lua se tranqüiliza.
  • 6. PERSONIFICAÇÃO PRÁTICA  Personificação da mesa.
  • 7. O cheiro doce e verde do capim trazia recordações da fazenda, para onde nunca mais retornou. ( cheiro = sensação olfativa; doce = sensação gustativa; verde = sensação visual )  Um doce abraço indicava que o pai desculpara. ( doce = sensação gustativa; abraço = tátil )  Dia de luz , festa de sol Um barquinho a deslizar no macio azul do mar... (O barquinho - Tom Jobim) ( azul = sensação visual; macio = sensação tátil )
  • 8. É O EMPREGO DE UM TERMO FIGURADO POR FALTA DE UM TERMO PRÓPRIO PARA DESIGNAR DETERMINADAS COISAS. É UMA METÁFORA DESGASTADA PELO USO EXCESSIVO.  Sentou-se no braço da poltrona para descansar.  Não me lembro do seu nome, mas ainda vejo as suas eternas maçãs do rosto avermelhadas.  A asa da xícara quebrou-se.
  • 9. •Usamos a catacrese em expressões como “orelha de livro” ou “dente de alho”. •O termo “engarrafamento”, usado para designar o congestionamento de automóveis, ou o verbo “embarcar”, usado no sentido de entrar no carro, no avião ou no trem, são exemplos de catacrese. Na expressão “casal gay”, curiosa porque “casal”, ao pé da letra, é um par formado por macho e fêmea, apagou-se o sentido de heterossexualidade e avivou-se o sentido de par unido por laços de afetividade.
  • 10. É A SUBSTITUIÇÃO DO SENTIDO DE UMA PALAVRA OU EXPRESSÃO POR OUTRO SENTIDO, HAVENDO ENTRE ELES UMA REAÇÃO LÓGICA . O autor pela obra.  Ouvi Mozart com emoção. (a música de Mozart)  Leio Graciliano Ramos porque ele fala da realidade brasileira. (obra de Graciliano Ramos) O continente (o que contém) pelo conteúdo (o que está contido).  Ele comemorou tomando um copo de caipirinha. (Continente: um copo; Conteúdo: caipirinha contida no copo )
  • 11. A parte pelo todo.  " o bonde passa cheio de pernas." (Drummond) (pernas = pessoas)  São muitas as famílias que procuram um teto para morar. (teto = casa) O singular pelo plural.  " O homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.“ (Art.3º-Declaração Universal dos Direitos Humanos) (homem = Humanidade)  A mulher foi chamada para ir às ruas na luta contra a violência. (mulher = todas as mulheres)
  • 12. O instrumento pela pessoa que o utiliza.  Os microfones corriam atropelando até o entrevistado. (microfone = repórteres)  Ele é um bom pincel, o problema é que seus quadros são caros. (pincel = pintor)  Ele é um bom garfo. (garfo = come de mais) O abstrato pelo concreto.  A juventude é corajosa e nem sempre conseqüente. (juventude = jovens)  A infância é saudavelmente desordeira. (infância = crianças)
  • 13. O efeito pela causa  Com muito suor o operário construiu sua casa. (suor = trabalho)  As industrias despejam a morte nos rios. (morte = poluição) A matéria pelo objeto  Os bronzes tangiam avisando a hora da missa. (bronze = sino)  Os cristais tiniam na bandeja de prata. (cristais = copos)
  • 14. Lugar pela coisa ou pessoa - Nomeia-se ou indica-se um ser pelo lugar onde ele ocorre ou é produzido.  Esse peixe deve ser acompanhado de um porto. (vinho substituído pelo nome do lugar onde ele é produzido). Marca pela coisa ou produto - Nomeia-se ou indica-se um produto pela sua marca, que às vezes pode até indicar produtos similares de outras marcas.  Vamos lavar a roupa com omo. (uma marca de sabão em pó, que tanto pode ser usada para indicar o sabão dessa marca, como sabão em pó de um modo geral).
  • 15. A Cidade Luz continua atraindo visitantes do mundo todo.  (cidade luz = Paris)  A Cidade Maravilhosa segue cheia de sol. (cidade maravilhosa = Rio de Janeiro)  O povo lusitano foi bastante satirizado por Gil Vicente. (povo lusitano = os portugueses)
  • 16. O Príncipe dos poetas também teve outras atividades que o tornaram famoso; por exemplo: a luta pelo serviço militar obrigatório. (Príncipe dos poetas = Olavo Bilac)  O Presidente dos Pobres suicidou-se em 1954. (Presidente dos Pobres = Getúlio Vargas)  "A dama do teatro brasileiro foi indicada para o Oscar." (dama do teatro brasileiro = Fernanda Montenegro)
  • 17. " Tristeza não tem fim. felicidade sim ...." (Vinícius de Moraes)  " Eu preparo uma canção que faça acordar os homens e adormecer as crianças". (Drummond)  "Há de surgir uma estrela no céu cada vez que você sorrir, há de apagar uma estrela no céu cada vez que você chorar" (Gilberto Gil)
  • 18. "Pra se viver do amor Há que esquecer o amor." (Chico Buarque de Holanda)  No discurso, sindicalista afirmou que o operário quanto mais trabalha, mais tem dificuldades econômicas.
  • 19. FIGURA QUE CONSISTE NO ABRANDAMENTO DE UMA EXPRESSÃO DE SENTIDO DESAGRADÁVEL.  Aqueles homens públicos apropriam-se do dinheiro. (apropriar-se = roubar)  Cássia Eller partiu dessa para melhor. (partiu dessa para melhor = morrer) E UFEMISMO NA PUBLICIDADE
  • 20. Na época de festa junina, sempre morro de medo de fogos de artifício.  Ela gastou rios de dinheiro.  "Será que eu tenho sempre que te lembrar todo dia, toda hora . Eu te imploro, Por favor. " (Alice, Kid Abelha)
  • 21. Cada vez que você interrompe seu colega, sem pedir licença, percebo como é bem-educado. Na charge, na verdade, o pobre fica sem comer, porque não pode comprar. Logo, nem paga imposto.
  • 22. ONOMATOPÉIA  ASSONÂNCIA  ALITERAÇÃO
  • 23. "Sem o coaxar dos sapos ou o cricri dos grilos como que é que poderíamos dormir tranqüilos a nossa eternidade?" (Mário Quitanda)  "No Tic Tic Tac do meu coração, renascerá..." (Timbalada)
  • 24. É a repetição de vogais na mesma frase.  - "Sou um mulato nato no sentido lato mulato democrático do litoral"        (Caetano Veloso  - Araçá Azul)  Anule aliterações altamente abusivas ( manual de redação humorístico (aliteração em A) Na publicidade Ka/Ko – aliteração e assonância
  • 25. O rato roeu a roupa do rei de Roma.  “Pedro Pedreiro penseiro esperando o trem/ Manhã parece, carece de esperar também/ Para o bem de quem tem bem de quem não tem vintém”.Chico Buarque (várias figuras) Aqui também há assonância em E
  • 26. FIGURAS SINTÁTICAS Elipse Silepse Zeugma Pleonasmo Polissíndeto Anacoluto Assíndeto Anáfora Hipérbato Epístrofe
  • 27. À direita da estrada, sol, à esquerda, chuva. (omissão da forma verbal estava: estava o sol, estava chuva)  " Na rua deserta, nenhum sinal de bonde." (Clarice Lispector) (omissão de não havia)
  • 28. “Ele prefere um passeio pela praia; eu, cinema.” (omissão de prefiro)  "Levou seu retrato, seu trapo, seu prato, que papel! Uma imagem de São Francisco e um bom disco de Noel" (omissão de levou) (A Rita – Chico Buarque de Holanda)
  • 29. Viajam cansados os pescadores de ilusões. ( Os pescadores de ilusões viajam cansados )  Acompanhando o som da torcida, dançava com a bola o atleta. (O atleta dançava com a bola acompanhando som da torcida )
  • 30. Choramos um choro sentido, mas nos refizemos logo.  A ele resta-lhe a boa oportunidade de provar sua inocência.  "Olhei até ficar cansado De ver os meus olhos no espelho" Flores ( Titãs )
  • 31. O cantor interpretava a canção, o público vaiava. Ele insistia, o público continuava. Ele parou, quebrou o violão, saiu do palco.  O velho zunia, as folhas caíam.
  • 32. E falei, e gritei, e tentei, e gesticulei e pedi ajuda, mas ninguém parou para socorrer o gato acidentado.  E a noite é negra e estrelas não brilham e pessoas mascaram a voz e a dor e expõem o rosto ao risco e à solidão.
  • 33. Umas moedas velhas caídas no fundo da gaveta, nós descobrimos o seu valor depois que o colecionador as quis comprar.  Os nordestinos quando chegam, em família, entre sacos e sacola, na estação central, eu acho que merecem mais do que uma reportagem: merecem um livro que conte a luta e a resistência dessa brava gente.
  • 34. "Na solidão solitude, Na solidão entrei, Na solidão perdi-me, Nunca me alegrei." (Mário de Andrade) "Vários tons de vermelho dançam para mim, o vermelho da guerra, o vermelho das terras, o vermelho do nada." (Kátia Maristela Ongaro)
  • 35. A silepse pode ser: de gênero  Vossa Excelência ficou cansado com o discurso. de número  A família do réu procurou advogado e queriam saber se ele poderia ficar em liberdade durante o processo. de pessoa  Os brasileiros somos muito crédulos.
  • 36.       :  "Era a mais cruel das cenas. Era a mais cruel das situações. Era a mais cruel das   missões..."
  • 37. O que será (À flor da pele)   O que será que me dá Que me bole por dentro, será que me dá Que brota à flor da pele, será que me dá E que me sobe às faces, e me faz corar E que me salta aos olhos a me atraiçoar E que me aperta o peito e me faz confessar O que não tem mais jeito de dissimular E que nem é direito ninguém recusar E que me faz mendigo, me faz suplicar O que não tem medida, nem nunca terá O que não tem remédio, nem nunca terá O que não tem receita Chico Buarque de Holanda
  • 38. Gradação ou Clímax  O trigo... nasceu, cresceu, espigou, amadureceu, colheu-se. (Padre Vieira)    Ele chorou, berrou, esperneou.
  • 39. Ó mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal!  Senhor, Deus dos desgraçados! Dizei-me vós, Senhor Deus!  Deus! Deus! Onde estás que não respondes?
  • 41. 01. (VUNESP) No trecho: “... dão um jeito de mudar o mínimo para continuar mandando o máximo", a figura de linguagem presente é chamada: a) metáfora b) ironia c) metonímia d) antítese 02. (PUC - SP) Nos trechos: "O pavão é um arco-íris de plumas" e “... de tudo que ele suscita e esplende e estremece e delira..." enquanto procedimento estilístico temos, respectivamente: a) metáfora e polissíndeto b) comparação e repetição c) metonímia e aliteração d) hipérbole e metáfora 03. (PUC - SP) Nos trechos: “... nem um dos autores nacionais ou nacionalizados de oitenta pra lá faltava nas estantes do major" e “... o essencial é achar-se as palavras que o violão pede e deseja" encontramos, respectivamente, as seguintes figuras de linguagem: a) prosopopéia e hipérbole b) hipérbole e metonímia c) metáfora e hipérbole d) metonímia e prosopopéia 04. (VUNESP) Na frase: "A auto-estima é uma ponte para o sucesso", encontramos a figura de linguagem chamada: a) metonímia b) personificação c) metáfora d) ironia 05. (ITA) Em qual das opções há erro de identificação das figuras? a) “A neblina, roçando o chão, cicia, em prece”. (prosopopéia) b) “Ele embarcou numa canoa furada”. (metonímia) c) "E fria, fluente, frouxa claridade / Flutua..." (aliteração). d) "Seus olhos são como estrelas cintilantes." (comparação).
  • 42. 06. Na expressão “A natureza parece estar chorando.” temos: a) antítese b) polissíndeto c) ironia d) personificação 07. Em qual dos casos a seguir uma figura de linguagem foi classificada de forma incorreta: a) “A terra inteira chorou a morte do santo pontífice.” – METÁFORA. b) “Traduzir Homero para o português não é fácil.” – METONÍMIA. c) “Mas a poesia deste momento inunda a minha vida inteira” - PROSOPOPÉIA d) “Incêndio em mares de água disfarçado! Rio de neve em fogo convertido”– ANTÍTESE 08. (FEBA - SP) Assinale a alternativa em que ocorre aliteração: a) "Água de fonte... água de oceano... água de pranto”. (Manuel Bandeira) b) "A gente almoça e se coça e se roça e só se vicia." (Chico Buarque). c) "Ouço o tique-taque do relógio: apresso-me então." (Clarice Lispector). d) "Minha vida é uma colcha de retalhos, todos da mesma cor." (Mário Quintana). 09. Na frase: “Os ladrões roubaram um Portinari e um Segal” temos a mesma figura de linguagem da opção: a) "Lá fora, a noite é um pulmão ofegante." (F. Namora). ofegante." b) "Cai a tinta da treva sobre o mundo." (Dante Miliano). c) Toda profissão tem seus espinhos. espinhos. d) O trono estava abalado 10. (FATEC) "Seus óculos eram imperiosos." Assinale a alternativa em que aparece a mesma figura de linguagem que há na frase acima: a) "As cidades vinham surgindo na ponte dos nomes.”. b) "Nasci na sala do 3° ano.”. c) "O bonde passa cheio de pernas.”. d) "O meu amor, paralisado, pula.”.
  • 43. ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Gramática Metódica da Língua Por tuguesa . 44ª edição. Editora Saraiva. São Paulo. 2001  CUNHA, Celso & CINTRA, Luís F. Lindley. Nova Gramática do Por tuguês Contemporâneo . 3ª edição. Editora Nova Fronteira. Rio de Janeiro. 2001