SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 41
O Populismo;
A República Liberal;
Período Democrático.
(1946 – 1964)
Aula 12 – Apostila 6C
Aula 13 – Apostila 7C
Constituição de 1946
• Princípios Básicos:
– Regime político: Democracia, Forma de
governo: República, Forma de Estado:
Federação e sistema de Governo:
Presidencialismo.
• Cinco anos de mandato para o presidente;
• Garantia de liberdade de expressão;
– Voto secreto e universal (excluindo-se analfabetos,
soldados e cabos).
• Direitos Trabalhistas: Legislação da Era Vargas
foi preservada; Sindicatos atrelados ao governo –
restrições a greves.
Governo Dutra (1946-1950)
• Contexto: Guerra Fria e anticomunismo.
• Promulgação da Constituição de 1946;
• Abertura econômica;
• Alinhamento internacional com os EUA
(Guerra Fria):
– Rompimento de relações com URSS.
– 1947 – cancelamento do PCB.
• Liberalismo econômico – facilidades para
importações.
– Esgotamento de reservas financeiras.
– Retração da indústria nacional.
– Endividamento.
– Arrocho salarial = Redução do poder de compra dos salários;
– Descontentamento de trabalhadores.
Governo Dutra (1946-1950)
• Estabelecimento do Plano SALTE;
– Política de investimentos em setores públicos
considerados prioritários: Saúde,
Alimentação, Transporte e Energia.
– Sem dinheiro suficiente e competência
administrativa, o governo realizou pouco dos
objetivos.
• Conclusão da rodovia Rio-São Paulo, denominada
Rodovia Presidente Dutra.
A Volta de Vargas: 1951-1954.
• Nacionalismo econômico e política
trabalhista.
• Getúlio (48,7%) venceu Eduardo Gomes
(29,7%) da UDN.
• Procurou apagar a imagem de ditador e
construiu uma nova: de homem
democrático:
– Eleito pelo voto direto – “nos braços do
povo”.
Oposição de Getúlio:
• UDN (União Democrática Nacional):
– Segunda maior força política.
– Antigetulistas.
– Contra a intervenção do Estado na economia.
– Contra as leis trabalhistas.
– Apoiavam o liberalismo e o alinhamento com os EUA.
– Banqueiros, grandes empresários ligados aos EUA,
donos de veículos de comunicação.
– Exemplos: Carlos Lacerda, Assis Chateaubriand,
Júlio Mesquita, família Marinho, José Sarney, Antônio
Carlos Magalhães.
NACIONALISMO:
• Para Vargas, era preciso atacar a exploração
das forças internacionais para que o país
conquistasse sua independência econômica.
• Nacionalismo era combatido por
representantes do EUA e de empresas
estrangeiras instaladas no Brasil.
– Muitos adeptos desta política atuavam na mídia e
no Congresso, ficaram chamados de
Internacionalistas ou entreguistas.
NACIONALISMO:
• Campanha o Petróleo é nosso!
– Os nacionalistas queriam que a extração do
petróleo fosse realizada por uma empresa estatal
brasileira, seus oponentes defendiam a
exploração por grupos internacionais.
– Campanha favorável aos nacionalistas, com a
fundação em 1953 da Petrobrás.
• Governo ainda propôs a Lei dos Lucros
Extraordinários (1953);
– Limitando a remessa de lucros da empresas
estrangeiras ao exterior.
– Lei foi barrada no Congresso, devido a pressão
de grupos internacionais.
Campanha “O petróleo é nosso” e criação
da Petrobras
Outras realizações:
• Criação do BNDE - investimentos industriais
nacionais.
• Criação da Eletrobrás.
TRABALHISMO:
• Aumento de 100% para o salário mínimo
(MAI/1954).
– Atendendo à proposta do Ministro do Trabalho João
Goulart (Jango).
• Reforço do sindicalismo;
• Apoio aos trabalhadores.
Crise política:
• Críticas generalizadas da oposição.
– UDN (Carlos Lacerda), empresários ligados aos EUA,
setores das forças armadas (ESG) e dos meios de
comunicação (Assis Chateaubriand).
• Denúncias de corrupção!
• Atentado da Rua Toneleros, no Rio de Janeiro
(05/08/1954).
– Lacerda escapou com vida, mas o major da aeronáutica
Rubem Vaz morreu.
– República do Galeão = Investigações conduzidas pela
aeronáutica indicaram que o assassino cumpria ordens do
chefe da guarda presidencial (Gregório Fortunato).
Atentado contra Carlos Lacerda
Crise política:
• O crime teve grande repercussão, a oposição
multiplicava os ataques ao governo federal e
tramava derrubar o presidente.
– 22 e 23 de agosto manifestações de oficias e
militares que exigiam a renúncia de Getúlio Vargas.
• Isolado politicamente, escreveu uma carta-
testamento ao povo brasileiro e, em seguida,
suicidou-se com um tiro no coração no dia 24 de
agosto de 1954.
Suicídio de Vargas
A MORTE DE VARGAS:
O FINAL DO MANDATO DE VARGAS
(1954 – 1956):
• Café Filho (PSD – vice):
– aproximação com UDN.
– Afastamento por doença.
• Carlos Luz (PSD - Presidente do
Congresso Nacional) assume:
– Tentativa de golpe.
– Impedido pelo Marechal Henrique T. Lott
• Nereu Ramos (Presidente do Senado)
completa o mandato (de 11 de novembro de
1955 a 31 de janeiro de 1956).
Governo Juscelino Kubitschek
(1956-1961)
• PSD + PTB
• Democrata, hábil politicamente.
– “Presidente Bossa Nova”.
• Clima de liberdade política.
• Desenvolvimentismo.
– “50 anos em 5”
– Plano de Metas – ênfase na indústria.
• Mas prometia investimentos na produção de energia,
transportes, alimentos, indústria de base e educação.
Governo Juscelino Kubitschek
(1956-1961)
• Construção de 20 mil km de estradas
– entre elas Belém-Brasília
• Usinas: Furnas e Três Marias.
• Implantação da Industria automobilística,
– que produzia mais de 300 mil veículos por ano
• Ampliação da produção de petróleo de 2 milhões para 5,4
milhões de barris;
• Criação do Conselho Nacional de Energia Nuclear;
• Criação da SUDENE
– Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste.
– Tentativa de desenvolver o Nordeste (fracasso).
Construção de Brasília:
• Plano urbanístico traçado por Lúcio
Costa e os projetos arquitetônicos
coordenados por Oscar Niemayer.
• Três anos de obras, milhares de
trabalhadores (Candangos) envolvidos dia
e noite.
• Inauguração 21 de abril de 1961.
UMA NOVA CAPITAL SURGE
DO NADA
Congresso Nacional – Brasília/DF
Consequências da política
desenvolvimentista:
• Urbanização intensa e desordenada, o Oeste e o Sudeste
passaram ser o destino de milhares de brasileiros.
– Em 1960, 45% da população total do país vivia nas cidades.
• Empréstimos – endividamento externo.
• Multinacionais controlaram importantes setores da
indústria (eletrodomésticos, automóveis, produtos químicos,
farmacêuticos e cigarros).
• Inflação e concentração de renda, aumento das
disparidades regionais.
• 1960 – Rompimento com FMI.
– Emissão monetária.
A cultura nos anos 1950 e
1960 no Brasil:
• Anos Dourados:
• Início da Televisão no Brasil;
• Conquistas do futebol brasileiro;
• Surgimento da Bossa Nova.
Governo Jânio Quadros
(1961):
• Jânio Quadros do PTN (apoiado pela UDN)
– PTN (Partido Trabalhista Nacional), de
representação inexpressiva.
– venceu o marechal Henrique Teixeira Lott
candidato PTB-PSD.
– João Goulart, do PTB, foi eleito para vice.
• Herdeiro político do getulismo;
Vassoura: símbolo da
campanha eleitoral:
• Jânio chegou à presidência da república
coroando uma carreira política rápida e
repleta de sucessos.
• Fenômeno político;
– Político personalista e carismático;
– Defesa da austeridade nos gastos públicos;
– Combate à inflação;
– Apoio da classe média e do proletariado;
Governo Jânio Quadros
(1961):
• Política interna: conservadorismo econômico
– Congelamento de salários.
– Corte de subsídios para o trigo e o petróleo.
– Inflação.
• Moralismo:
– Proibição de brigas de galo.
– Proibição de corridas de cavalo em dias úteis.
– Proibição do uso do biquíni.
Governo Jânio Quadros (1961):
• Política externa “independente”
– não alinhamento.
– Reatou relações diplomáticas com URSS, CHINA e CUBA.
– Em 19 de agosto de 1961 condecorou Ernesto “Chê” Guevara com
a Ordem do Cruzeiro do Sul.
• Diante de tais atitudes, a UDN rompeu com o
governo.
– Também fica sem apoio dos grandes empresário e dos
grupos que dominavam a Imprensa.
• Em 25 de agosto de 1961, uma atitude inesperada:
a Renúncia!
Ernesto “Chê” Guevara com a Ordem do Cruzeiro do Sul.
A Crise para a posse: João Goulart (1961-1964)
• João Goulart estava em visita oficial à China
comunista,
– A presidência foi entregue ao Presidente da Câmara dos
Deputados, Ranieri Mazzilli.
– Forte oposição dos militares e de setores conservadores
(UDN e grandes empresários nacionais e estrangeiros);
– MEDO DO COMUNISMO!!
• Formação da campanha da legalidade ou Frente
Legalista:
– Liderada por Leonel Brizola (governador RS) e o
comandante do III Exército, Gen. Machado Lopes.
– defesa pelo direito de posse de Jango;
– Líderes sindicais, trabalhadores, profissionais liberais,
• O confronto parecia encaminhar para um
Guerra Civil.
• Para que isso não ocorresse, foi
negociado a Implementação do
Parlamentarismo (1961);
– Jango assumiria a presidência com poderes
limitados e vigiados pelo Congresso Nacional.
– Tancredo Neves era o primeiro-ministro.
• Realização do plebiscito de 1963: vitória
do presidencialismo;
A Crise para a posse: João Goulart (1961-1964)
João Goulart (1961-1964)
• Adoção de uma política nacionalista e
reformista;
• Plano Trienal de Desenvolvimento.
– Organizado por Celso Furtado.
• Desapropriar latifundios improdutivos,
• encampar as refinarias particulares de petróleo,
• reduzir a dívida externa, diminuir a inflação
• e manter o crescimento econômico sem sacrificar
os trabalhadores.
• Atuação intensa dos movimentos sociais:
– Ligas Camponesas ( de Francisco Julião);
(UNE) União Nacional dos Estudantes, (JUC)
Juventude Universitária Católica, (CGT)
Central Geral dos Trabalhadores.
• Reivindicações sociais populares com a
intenção de transformar o Brasil numa
sociedade mais justa e igualitária.
João Goulart (1961-1964)
Manifestação das Ligas Camponesas criadas por
Francisco Julião, no município de Vitória de Santo
Antão em 1955 em Pernambuco.
www.memoriaviva.com.br
Movimentos Sociais:
Forte oposição:
• da UDN;
– Políticos de oposição recebiam verbas para as
campanhas e depois de eleitos, eram subornados
para votar contra Jango.
• Em oposição aos movimentos sociais surgem
associações políticas, financiadas por
empresários brasileiros e estrangeiros.
– IBAD – Instituto Brasileiro de Ação Democrática;
– IPEAS – Instituto de Pesquisa e Estudos Sociais.
• Propaganda contra o governo por meio de:
– Livros, jornais,revistas, rádio e televisão.
• Em 13 de maio de 1964, comício da Central do Brasil.
– Presença de 300 mil pessoas.
• Anunciou as Reformas de Base:
– AGRÁRIA:
• facilitar o acesso à terra e melhorar a condição de vida no campo.
– EDUCACIONAL:
• Matricular todas as crianças brasileiras e combater o analfabetismo.
– ELEITOAL:
• Dar analfabeto o direito
– TRIBUTÁRIA:
• Corrigir as desigualdades sociais na distribuição dos deveres entre ricos e
pobres, patrões e empregados.
• Lei de Remessa de Lucros:
– Descontentamento dos EUA e da oposição ligada a UDN.
João Goulart (1961-1964)
Comício da Central do
Brasil
• Marcha da família com Deus e pela Liberdade;
• Manifestação organizada no dia 19 de março de 1964, em São
Paulo.
• Contrária ao governo.
• Participaram: 500 mil pessoas.
• Entre 19 de março a 8 de junho de 1964, 49 marchas pelo país.
• Agitação política e social
tomava corpo no país:
– Rebelião dos sargentos (em
Brasília) que exigiam o
direito de voto;
– Crescente número de
greves:
• Militares responsabilizaram
o governo pelo “clima de
desordem”.
João Goulart (1961-1964)
GOLPE DE 1964
o Em 31 de março de 1964 eclodiu a rebelião das
forças armadas contra o governo de João
Goulart.
o O movimento contou com o apoio dos
governadores:
o Adhemar de Barros (São Paulo), Magalhães Pinto,
(Minas Gerais), e Carlos Lacerda (estado da
Guanabara).
o Sem condições de resistir, João Goulart deixou
Brasília rumo ao Uruguai como exilado político
Prof. Msc. Daniel Alves Bronstrup
BLOG: profhistdaniel.blogspot.com
@danielbronstrup
3ão

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásia
Isaquel Silva
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
Fabiana Tonsis
 
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
Edenilson Morais
 
Aula 09 republica populista 1
Aula 09  republica populista 1Aula 09  republica populista 1
Aula 09 republica populista 1
Fabiana Tonsis
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
Rafael Noronha
 
Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)
Janaína Tavares
 

Mais procurados (20)

Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásia
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
 
A Revolução Mexicana (1910)
A Revolução Mexicana (1910)A Revolução Mexicana (1910)
A Revolução Mexicana (1910)
 
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
 
Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulart
 
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
 
3º ano - Era Vargas 1930-1945
3º ano  - Era Vargas 1930-19453º ano  - Era Vargas 1930-1945
3º ano - Era Vargas 1930-1945
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
 
Aula 09 republica populista 1
Aula 09  republica populista 1Aula 09  republica populista 1
Aula 09 republica populista 1
 
Revolução de 1930
Revolução de 1930Revolução de 1930
Revolução de 1930
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
 
O governo Jânio Quadros (1961)
O governo Jânio Quadros (1961)O governo Jânio Quadros (1961)
O governo Jânio Quadros (1961)
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)
 
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 19183ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 

Semelhante a 3º ano - Brasil de 1945 a 1964.

Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
Dismael Sagás
 

Semelhante a 3º ano - Brasil de 1945 a 1964. (20)

O populismo; a república liberal, período democrático 1946 - 1964
O populismo; a república liberal, período democrático   1946 - 1964O populismo; a república liberal, período democrático   1946 - 1964
O populismo; a república liberal, período democrático 1946 - 1964
 
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
 
Populismo 1945 1964
Populismo 1945   1964Populismo 1945   1964
Populismo 1945 1964
 
Populismo
PopulismoPopulismo
Populismo
 
Era Vargas e o Período Populista
Era Vargas e o Período PopulistaEra Vargas e o Período Populista
Era Vargas e o Período Populista
 
Período Democrático - Saboia - 9° ano
Período Democrático - Saboia - 9° anoPeríodo Democrático - Saboia - 9° ano
Período Democrático - Saboia - 9° ano
 
A república populista
A república populistaA república populista
A república populista
 
Brasil república populista 1945 1964
Brasil república populista 1945 1964Brasil república populista 1945 1964
Brasil república populista 1945 1964
 
Resumo Estado Novo
Resumo Estado NovoResumo Estado Novo
Resumo Estado Novo
 
A partir de Vargas
A partir de VargasA partir de Vargas
A partir de Vargas
 
Período democrático 1946 a 1964 - História do Brasil
Período democrático 1946 a 1964 - História do BrasilPeríodo democrático 1946 a 1964 - História do Brasil
Período democrático 1946 a 1964 - História do Brasil
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
A República Populista
A República PopulistaA República Populista
A República Populista
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
 
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
 
Governo dutra-1945-1964
Governo dutra-1945-1964Governo dutra-1945-1964
Governo dutra-1945-1964
 
Governos populistas no Brasil
Governos populistas no BrasilGovernos populistas no Brasil
Governos populistas no Brasil
 
Brasil Finaleira
Brasil  FinaleiraBrasil  Finaleira
Brasil Finaleira
 
Brasil contemporâneo rep. parte ii
Brasil contemporâneo   rep. parte iiBrasil contemporâneo   rep. parte ii
Brasil contemporâneo rep. parte ii
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
 

Mais de Daniel Alves Bronstrup

Mais de Daniel Alves Bronstrup (20)

Idade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptxIdade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptx
 
2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
 
2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas
 
2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
 
2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
 
2º ano - iluminismo
2º ano -  iluminismo2º ano -  iluminismo
2º ano - iluminismo
 
1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia
 
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Resumão do 3ão -  Alta Idade MédiaResumão do 3ão -  Alta Idade Média
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
 
3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado
 
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
 
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
 
3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
 
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
 
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
 
3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana 3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana
 

Último

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 

Último (20)

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 

3º ano - Brasil de 1945 a 1964.

  • 1. O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964) Aula 12 – Apostila 6C Aula 13 – Apostila 7C
  • 2. Constituição de 1946 • Princípios Básicos: – Regime político: Democracia, Forma de governo: República, Forma de Estado: Federação e sistema de Governo: Presidencialismo. • Cinco anos de mandato para o presidente; • Garantia de liberdade de expressão; – Voto secreto e universal (excluindo-se analfabetos, soldados e cabos). • Direitos Trabalhistas: Legislação da Era Vargas foi preservada; Sindicatos atrelados ao governo – restrições a greves.
  • 3. Governo Dutra (1946-1950) • Contexto: Guerra Fria e anticomunismo. • Promulgação da Constituição de 1946; • Abertura econômica; • Alinhamento internacional com os EUA (Guerra Fria): – Rompimento de relações com URSS. – 1947 – cancelamento do PCB. • Liberalismo econômico – facilidades para importações. – Esgotamento de reservas financeiras. – Retração da indústria nacional. – Endividamento. – Arrocho salarial = Redução do poder de compra dos salários; – Descontentamento de trabalhadores.
  • 4. Governo Dutra (1946-1950) • Estabelecimento do Plano SALTE; – Política de investimentos em setores públicos considerados prioritários: Saúde, Alimentação, Transporte e Energia. – Sem dinheiro suficiente e competência administrativa, o governo realizou pouco dos objetivos. • Conclusão da rodovia Rio-São Paulo, denominada Rodovia Presidente Dutra.
  • 5. A Volta de Vargas: 1951-1954. • Nacionalismo econômico e política trabalhista. • Getúlio (48,7%) venceu Eduardo Gomes (29,7%) da UDN. • Procurou apagar a imagem de ditador e construiu uma nova: de homem democrático: – Eleito pelo voto direto – “nos braços do povo”.
  • 6. Oposição de Getúlio: • UDN (União Democrática Nacional): – Segunda maior força política. – Antigetulistas. – Contra a intervenção do Estado na economia. – Contra as leis trabalhistas. – Apoiavam o liberalismo e o alinhamento com os EUA. – Banqueiros, grandes empresários ligados aos EUA, donos de veículos de comunicação. – Exemplos: Carlos Lacerda, Assis Chateaubriand, Júlio Mesquita, família Marinho, José Sarney, Antônio Carlos Magalhães.
  • 7. NACIONALISMO: • Para Vargas, era preciso atacar a exploração das forças internacionais para que o país conquistasse sua independência econômica. • Nacionalismo era combatido por representantes do EUA e de empresas estrangeiras instaladas no Brasil. – Muitos adeptos desta política atuavam na mídia e no Congresso, ficaram chamados de Internacionalistas ou entreguistas.
  • 8. NACIONALISMO: • Campanha o Petróleo é nosso! – Os nacionalistas queriam que a extração do petróleo fosse realizada por uma empresa estatal brasileira, seus oponentes defendiam a exploração por grupos internacionais. – Campanha favorável aos nacionalistas, com a fundação em 1953 da Petrobrás. • Governo ainda propôs a Lei dos Lucros Extraordinários (1953); – Limitando a remessa de lucros da empresas estrangeiras ao exterior. – Lei foi barrada no Congresso, devido a pressão de grupos internacionais.
  • 9. Campanha “O petróleo é nosso” e criação da Petrobras
  • 10. Outras realizações: • Criação do BNDE - investimentos industriais nacionais. • Criação da Eletrobrás. TRABALHISMO: • Aumento de 100% para o salário mínimo (MAI/1954). – Atendendo à proposta do Ministro do Trabalho João Goulart (Jango). • Reforço do sindicalismo; • Apoio aos trabalhadores.
  • 11. Crise política: • Críticas generalizadas da oposição. – UDN (Carlos Lacerda), empresários ligados aos EUA, setores das forças armadas (ESG) e dos meios de comunicação (Assis Chateaubriand). • Denúncias de corrupção! • Atentado da Rua Toneleros, no Rio de Janeiro (05/08/1954). – Lacerda escapou com vida, mas o major da aeronáutica Rubem Vaz morreu. – República do Galeão = Investigações conduzidas pela aeronáutica indicaram que o assassino cumpria ordens do chefe da guarda presidencial (Gregório Fortunato).
  • 13. Crise política: • O crime teve grande repercussão, a oposição multiplicava os ataques ao governo federal e tramava derrubar o presidente. – 22 e 23 de agosto manifestações de oficias e militares que exigiam a renúncia de Getúlio Vargas. • Isolado politicamente, escreveu uma carta- testamento ao povo brasileiro e, em seguida, suicidou-se com um tiro no coração no dia 24 de agosto de 1954.
  • 15. A MORTE DE VARGAS:
  • 16. O FINAL DO MANDATO DE VARGAS (1954 – 1956): • Café Filho (PSD – vice): – aproximação com UDN. – Afastamento por doença. • Carlos Luz (PSD - Presidente do Congresso Nacional) assume: – Tentativa de golpe. – Impedido pelo Marechal Henrique T. Lott • Nereu Ramos (Presidente do Senado) completa o mandato (de 11 de novembro de 1955 a 31 de janeiro de 1956).
  • 17. Governo Juscelino Kubitschek (1956-1961) • PSD + PTB • Democrata, hábil politicamente. – “Presidente Bossa Nova”. • Clima de liberdade política. • Desenvolvimentismo. – “50 anos em 5” – Plano de Metas – ênfase na indústria. • Mas prometia investimentos na produção de energia, transportes, alimentos, indústria de base e educação.
  • 18. Governo Juscelino Kubitschek (1956-1961) • Construção de 20 mil km de estradas – entre elas Belém-Brasília • Usinas: Furnas e Três Marias. • Implantação da Industria automobilística, – que produzia mais de 300 mil veículos por ano • Ampliação da produção de petróleo de 2 milhões para 5,4 milhões de barris; • Criação do Conselho Nacional de Energia Nuclear; • Criação da SUDENE – Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste. – Tentativa de desenvolver o Nordeste (fracasso).
  • 19.
  • 20. Construção de Brasília: • Plano urbanístico traçado por Lúcio Costa e os projetos arquitetônicos coordenados por Oscar Niemayer. • Três anos de obras, milhares de trabalhadores (Candangos) envolvidos dia e noite. • Inauguração 21 de abril de 1961.
  • 21. UMA NOVA CAPITAL SURGE DO NADA
  • 22. Congresso Nacional – Brasília/DF
  • 23. Consequências da política desenvolvimentista: • Urbanização intensa e desordenada, o Oeste e o Sudeste passaram ser o destino de milhares de brasileiros. – Em 1960, 45% da população total do país vivia nas cidades. • Empréstimos – endividamento externo. • Multinacionais controlaram importantes setores da indústria (eletrodomésticos, automóveis, produtos químicos, farmacêuticos e cigarros). • Inflação e concentração de renda, aumento das disparidades regionais. • 1960 – Rompimento com FMI. – Emissão monetária.
  • 24. A cultura nos anos 1950 e 1960 no Brasil: • Anos Dourados: • Início da Televisão no Brasil; • Conquistas do futebol brasileiro; • Surgimento da Bossa Nova.
  • 25. Governo Jânio Quadros (1961): • Jânio Quadros do PTN (apoiado pela UDN) – PTN (Partido Trabalhista Nacional), de representação inexpressiva. – venceu o marechal Henrique Teixeira Lott candidato PTB-PSD. – João Goulart, do PTB, foi eleito para vice. • Herdeiro político do getulismo;
  • 26. Vassoura: símbolo da campanha eleitoral: • Jânio chegou à presidência da república coroando uma carreira política rápida e repleta de sucessos. • Fenômeno político; – Político personalista e carismático; – Defesa da austeridade nos gastos públicos; – Combate à inflação; – Apoio da classe média e do proletariado;
  • 27. Governo Jânio Quadros (1961): • Política interna: conservadorismo econômico – Congelamento de salários. – Corte de subsídios para o trigo e o petróleo. – Inflação. • Moralismo: – Proibição de brigas de galo. – Proibição de corridas de cavalo em dias úteis. – Proibição do uso do biquíni.
  • 28. Governo Jânio Quadros (1961): • Política externa “independente” – não alinhamento. – Reatou relações diplomáticas com URSS, CHINA e CUBA. – Em 19 de agosto de 1961 condecorou Ernesto “Chê” Guevara com a Ordem do Cruzeiro do Sul. • Diante de tais atitudes, a UDN rompeu com o governo. – Também fica sem apoio dos grandes empresário e dos grupos que dominavam a Imprensa. • Em 25 de agosto de 1961, uma atitude inesperada: a Renúncia!
  • 29. Ernesto “Chê” Guevara com a Ordem do Cruzeiro do Sul.
  • 30. A Crise para a posse: João Goulart (1961-1964) • João Goulart estava em visita oficial à China comunista, – A presidência foi entregue ao Presidente da Câmara dos Deputados, Ranieri Mazzilli. – Forte oposição dos militares e de setores conservadores (UDN e grandes empresários nacionais e estrangeiros); – MEDO DO COMUNISMO!! • Formação da campanha da legalidade ou Frente Legalista: – Liderada por Leonel Brizola (governador RS) e o comandante do III Exército, Gen. Machado Lopes. – defesa pelo direito de posse de Jango; – Líderes sindicais, trabalhadores, profissionais liberais,
  • 31. • O confronto parecia encaminhar para um Guerra Civil. • Para que isso não ocorresse, foi negociado a Implementação do Parlamentarismo (1961); – Jango assumiria a presidência com poderes limitados e vigiados pelo Congresso Nacional. – Tancredo Neves era o primeiro-ministro. • Realização do plebiscito de 1963: vitória do presidencialismo; A Crise para a posse: João Goulart (1961-1964)
  • 32. João Goulart (1961-1964) • Adoção de uma política nacionalista e reformista; • Plano Trienal de Desenvolvimento. – Organizado por Celso Furtado. • Desapropriar latifundios improdutivos, • encampar as refinarias particulares de petróleo, • reduzir a dívida externa, diminuir a inflação • e manter o crescimento econômico sem sacrificar os trabalhadores.
  • 33. • Atuação intensa dos movimentos sociais: – Ligas Camponesas ( de Francisco Julião); (UNE) União Nacional dos Estudantes, (JUC) Juventude Universitária Católica, (CGT) Central Geral dos Trabalhadores. • Reivindicações sociais populares com a intenção de transformar o Brasil numa sociedade mais justa e igualitária. João Goulart (1961-1964)
  • 34. Manifestação das Ligas Camponesas criadas por Francisco Julião, no município de Vitória de Santo Antão em 1955 em Pernambuco. www.memoriaviva.com.br Movimentos Sociais:
  • 35. Forte oposição: • da UDN; – Políticos de oposição recebiam verbas para as campanhas e depois de eleitos, eram subornados para votar contra Jango. • Em oposição aos movimentos sociais surgem associações políticas, financiadas por empresários brasileiros e estrangeiros. – IBAD – Instituto Brasileiro de Ação Democrática; – IPEAS – Instituto de Pesquisa e Estudos Sociais. • Propaganda contra o governo por meio de: – Livros, jornais,revistas, rádio e televisão.
  • 36. • Em 13 de maio de 1964, comício da Central do Brasil. – Presença de 300 mil pessoas. • Anunciou as Reformas de Base: – AGRÁRIA: • facilitar o acesso à terra e melhorar a condição de vida no campo. – EDUCACIONAL: • Matricular todas as crianças brasileiras e combater o analfabetismo. – ELEITOAL: • Dar analfabeto o direito – TRIBUTÁRIA: • Corrigir as desigualdades sociais na distribuição dos deveres entre ricos e pobres, patrões e empregados. • Lei de Remessa de Lucros: – Descontentamento dos EUA e da oposição ligada a UDN. João Goulart (1961-1964)
  • 37. Comício da Central do Brasil
  • 38. • Marcha da família com Deus e pela Liberdade; • Manifestação organizada no dia 19 de março de 1964, em São Paulo. • Contrária ao governo. • Participaram: 500 mil pessoas. • Entre 19 de março a 8 de junho de 1964, 49 marchas pelo país.
  • 39. • Agitação política e social tomava corpo no país: – Rebelião dos sargentos (em Brasília) que exigiam o direito de voto; – Crescente número de greves: • Militares responsabilizaram o governo pelo “clima de desordem”. João Goulart (1961-1964)
  • 40. GOLPE DE 1964 o Em 31 de março de 1964 eclodiu a rebelião das forças armadas contra o governo de João Goulart. o O movimento contou com o apoio dos governadores: o Adhemar de Barros (São Paulo), Magalhães Pinto, (Minas Gerais), e Carlos Lacerda (estado da Guanabara). o Sem condições de resistir, João Goulart deixou Brasília rumo ao Uruguai como exilado político
  • 41. Prof. Msc. Daniel Alves Bronstrup BLOG: profhistdaniel.blogspot.com @danielbronstrup 3ão