SlideShare uma empresa Scribd logo
Hamilton Anxiety Scale – HAM-A (Hamilton, 1959)
Instruções: Escolha para cada item, segundo a sua experiência, a nota que corresponde à intensidade do comportamento observado. As definições
que acompanham o enunciado do item são exemplos para orientação. Todos os itens devem ser cotados seguindo o esquema:
0 = Ausente
1 = Intensidade leve
2 = Intensidade média
3 = Intensidade forte
4 = Intensidade máxima
Escala de Hamilton para avaliação de ansiedade1
1. HUMORANSIOSO(inquietação, temor do pior, apreensão quanto ao presente ou ao futuro, maus pressentimentos, irritabilidade etc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
2. TENSÃO(sensaçãodetensão,fadiga,reaçõesdesobressalto,chorofácil,tremores,sensaçãodecansaço,incapacidadederelaxareagitação).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
3. MEDOS (de escuro, de estranhos, de ficar só, de animais de grande porte, do trânsito, de multidões etc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
4. INSÔNIA(dificuldadeemadormecer,sonointerrompido,sonoinsatisfatório,fadigadeacordar,sonhospenosos,pesadelos,terrornoturnoetc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
5. DIFICULDADES INTELECTUAIS (dificuldade de concentração, falhas de memória etc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
6. HUMOR DEPRIMIDO (perda de interesse, oscilação de humor, depressão, despertar precoce etc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
7. SOMATIZAÇÕES MOTORAS (dores musculares, rigidez muscular, contrações espásticas, contrações involuntárias, ranger de dentes,
voz insegura etc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
TOTAL PARCIAL
8. SOMATIZAÇÕES SENSORIAIS (ondas de frio ou calor, sensação de fraqueza, visão borrada, sensação de picadas, formigamento, sen-
sações auditivas de ruído, zumbidos etc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
9. SINTOMAS CARDIOVASCULARES (taquicardia, palpitações, dores no peito, sensação de desmaio, sensação de extrassístoles etc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
10. SINTOMAS RESPIRATÓRIOS (pressão ou constrição no peito, dispneia, respiração suspirosa, sensação de sufocação etc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
11. SINTOMAS GASTRINTESTINAIS (deglutição difícil, aerofagia, dispepsia, sensação de plenitude, dor pré ou pós-prandial, pirose,
meteorismo, náusea, vômitos, sensação de vazio gástrico, diarreia ou constipação e cólicas).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
12. SINTOMAS GENITURINÁRIOS (polaciúria, urgência de micção, amenorreia, menorragia, frigidez, ejaculação precoce, ereção incom-
pleta, impotência, diminuição da libido etc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
13. SINTOMAS NEUROVEGETATIVOS (boca seca, palidez, ruborização, tendência à sudação, tonturas, cefaleia de tensão etc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
14. COMPORTAMENTO DURANTE A ENTREVISTA (geral: tenso, pouco à vontade, inquieto, agitação das mãos [mexer, retorcer, cacoetes
e tremores], franzir a testa e face tensa. Fisiológico: engolir a saliva, eructações, dilatação pupilar, sudação, respiração suspirosa etc.).
0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima
TOTAL GERAL
Pontuação: Pontuação total de 18 a 24 = ansiedade leve*; 25 a 30 = ansiedade moderada; ≥ 31 = ansiedade grave.
* Pontuação de HAM-A > 18 pode ser observada em pacientes com síndrome do pânico como diagnóstico principal.
Paciente:________________________________________________________________________________________________________
Data da consulta: _________/_____________/______________
Hamilton Rating Scale for Depression - HAM-D (Hamilton, 1960)
Instruções: Em cada item, escolha o escore que melhor caracteriza o paciente na última semana. Assinale sua opção no espaço apropriado.
Escala de Hamilton para avaliação de depressão2
1. Humor depressivo (tristeza, desesperança, desamparo,
inutilidade)
0. Ausente.
1. Sentimentos relatados somente se perguntados.
2. Sentimentos relatados espontaneamente, com palavras.
3. Comunica os sentimentos não com palavras, mas com expressão facial,
postura, voz e tendência ao choro.
4. O paciente comunica quase que exclusivamente esses sentimentos, tanto
em seu relato verbal como na comunicação não verbal.
2.Sentimentosdeculpa
0. Ausente.
1. Autorrecriminação, acha que decepcionou outras pessoas.
2. Ideiasdeculpaouruminaçõesdeerrosouaçõespecaminosas(más)nopassado.
3. Paciente acha que a doença atual é uma punição (castigo). Delírio de culpa.
4. Ouve vozes que o acusam ou denunciam e/ou tem alucinações visuais
ameaçadoras.
3.Suicídio
0. Ausente.
1. Acha que não vale a pena viver.
2. Deseja estar morto ou pensa em uma possível morte para si.
3. Ideias ou atitudes suicidas.
4. Tentativas de suicídio.
4.Insôniainicial
0. Sem dificuldades para iniciar o sono.
1. Queixadedificuldadeocasionalparainiciarosono,ouseja,maisquemeiahora.
2. Queixa de dificuldade para iniciar o sono todas as noites.
5.Insôniaintermediária
0. Sem dificuldade.
1. Queixa de agitação e perturbação durante a noite.
2. Acorda durante a noite – qualquer saída da cama (exceto por motivos de
necessidade fisiológica).
6.Insôniatardia
0. Sem dificuldade.
1. Acorda durante a madrugada, mas volta a dormir.
2. Não consegue voltar a dormir se levantar da cama durante a noite.
7.Trabalhoeatividades
0. Sem dificuldades.
1. Pensamentos e sentimentos de incapacidade, fadiga ou fraqueza relacio-
nados a atividades, trabalho ou passatempos.
2. Perda de interesse em atividades, passatempos ou trabalho, quer relatada
diretamente pelo paciente, quer indiretamente por desatenção, indecisão
ou vacilação (sente que precisa se esforçar para o trabalho ou outras ativi-
dades).
3. Diminuição no tempo gasto em atividades ou queda de produtividade.
No hospital, o paciente ocupa-se por menos de três horas por dia em ati-
vidades (trabalho hospitalar ou passatempos), com exceção das tarefas
rotineiras da enfermaria.
4. Parou de trabalhar devido à doença atual. No hospital, sem atividades, com
exceção das tarefas rotineiras da enfermaria, ou se não consegue realizá-
-las sem ajuda.
8.Retardo(lentificaçãodopensamentoedafala,dificuldade
deconcentração,diminuiçãodaatividademotora)
0. Pensamentos e fala normais.
1. Lentificação discreta à entrevista.
2. Lentificação óbvia durante a entrevista.
3. Entrevista difícil.
4. Estupor completo.
9.Agitação
0. Nenhuma.
1. Inquietação.
2. Mexe as mãos, cabelos etc.
3. Movimenta-sebastante,nãoconseguepermanecersentadoduranteaentrevista.
4. Retorce as mãos, rói as unhas, puxa os cabelos, morde os lábios.
10.Ansiedadepsíquica
0. Sem dificuldade.
1. Tensão e irritabilidade subjetivas.
2. Preocupa-se com trivialidades.
3. Atitude apreensiva aparente no rosto ou na fala.
4. Paciente expressa medo sem ser perguntado.
11.Ansiedadesomática
Concomitantes fisiológicos da ansiedade, como:
• GI: boca seca, flatulência, indigestão, diarreias, cólicas, eructações.
• CV: palpitação, cefaleias.
• Respiratórios: hiperventilação, suspiros.
• Ter de urinar frequentemente.
• Sudorese.
0. Ausente.
1. Duvidoso ou trivial: sintomas menores relatados quando questionado.
2. Leve: paciente descreve espontaneamente os sintomas, que não são acen-
tuados ou incapacitantes.
3. Moderado: mais que dois sintomas e com maior frequência. São acompa-
nhados de estresse subjetivo e prejudicam o funcionamento normal.
4. Grave: numerosos sintomas, persistentes e incapacitantes na maior parte
do tempo, ou ataques de pânico quase diariamente.
12.Sintomassomáticos(apetite,digestivo)
0. Nenhum.
1. Perda de apetite, mas come sem necessidade de insistência.
2. Dificuldade para comer se não insistirem.
13.Sintomassomáticos(gerais)
0. Nenhum.
1. Peso em membros, costas ou cabeça; dor nas costas, na cabeça ou nos
músculos. Perda de energia e fatigabilidade.
2. Qualquer sintoma bem caracterizado e nítido.
14.Sintomasgenitais(perdadalibido,distúrbiosmenstruais)
0. Ausentes.
1. Leves ou infrequentes: perda da libido, desempenho sexual prejudicado.
2. Óbvios e graves: perda completa do interesse sexual.
15.Hipocondria
0. Ausente.
1. Auto-observação aumentada (com relação ao corpo).
2. Preocupação com a saúde.
3. Queixas frequentes, pedidos de ajuda etc.
4. Delírios hipocondríacos.
16.Perdadepeso(desdeoiníciodadoençaoudaúltimaavaliação)
0. Sem perda de peso ou perda de peso não causada pela doença atual.
1. Perda de peso provavelmente causada pela doença atual. Perda de menos
de meio quilo.
2. Perda de peso definitivamente causada pela doença atual. Perda de meio
quilo ou mais.
17.Crítica(consequênciadadoença)
0. Reconhece estar deprimido e doente ou não estar deprimido no momento.
1. Reconhece estar doente, mas atribui a causa à má alimentação, ao clima,
ao excesso de trabalho, a um vírus, à necessidade de descanso etc.
2. Nega estar doente.
TOTAL
Pontuação: Pontuação total de 8 a 13 = depressão leve*; 14 a 18 = depressão moderada; 19 a 22 = depressão grave; ≥ 23 = depressão muito grave.
* Pontuações de HAM-D entre 8 e 13 em pacientes com distimia.
Referências bibliográficas
1. Ito LM, Ramos RT. Escalas de avaliação clínica do transtorno do pânico. In: Gorenstein C, Andrade LHSG, Zuardi AW. Escalas de avaliação clínica em psiquiatria e psicofarmacologia. São Paulo: Lemos; 2000. p. 145-
55. 2. Moreno RA, Moreno DH. Escalas de avaliação para depressão de Hamilton (HAM-D) e Montgomery-Asberg (MADRS). In: Gorenstein C, Andrade LHSG, Zuardi AW. Escalas de avaliação clínica em psiquiatria
e psicofarmacologia. São Paulo: Lemos; 2001. p. 71-88.
© 2015 Conectfarma®
Publicações Científicas Ltda. I Rua Alexandre Dumas, 1.562, cjs. 23/24, Chácara Santo Antônio I 04717-004 I São Paulo/SP I Fone: 11 5181-2618
www.conectfarma.net I Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial sem a autorização por escrito dos editores. MM 5444/15.
As opiniões emitidas nesta publicação são de inteira responsabilidade da autora e não refletem, necessariamente, a opinião da Conectfarma Publicações Científicas Ltda.
Conteúdo elaborado sob assessoria científica da Dra. Cecília Attux
Médica psiquiatra colaboradora do Programa de Esquizofrenia (Proesq) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
CRM/SP 95.701
Cód:5001546Abril/15
Material destinado à classe médica.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação neuropsicológica
Avaliação neuropsicológicaAvaliação neuropsicológica
Avaliação neuropsicológica
Rute da Conceição Machado
 
Psicopatologia I- Aula 4: Alterações da Consciência
Psicopatologia I- Aula 4: Alterações da ConsciênciaPsicopatologia I- Aula 4: Alterações da Consciência
Psicopatologia I- Aula 4: Alterações da Consciência
Alexandre Simoes
 
Exame do estado mental - III Semana Acadêmica da UFCSPA - LIPSAM
Exame do estado mental - III Semana Acadêmica da UFCSPA - LIPSAMExame do estado mental - III Semana Acadêmica da UFCSPA - LIPSAM
Exame do estado mental - III Semana Acadêmica da UFCSPA - LIPSAM
Daniel Luccas Arenas
 
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
José Salomão
 
Cartão babel (1)
Cartão babel (1)Cartão babel (1)
Cartão babel (1)
Inaiara Bragante
 
Anamnese e exame psíquico (Livia Castelo Branco)
Anamnese e exame psíquico (Livia Castelo Branco)Anamnese e exame psíquico (Livia Castelo Branco)
Anamnese e exame psíquico (Livia Castelo Branco)
Liga Acadêmica De Saúde Mental
 
Exame psiquico comportamento geral
Exame psiquico comportamento geralExame psiquico comportamento geral
Exame psiquico comportamento geral
Policlínica Edukaleidos
 
117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-ii117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-ii
Silvana Eloisa
 
Avaliacão psicometria teoria da medida
Avaliacão psicometria teoria da medidaAvaliacão psicometria teoria da medida
Avaliacão psicometria teoria da medida
Márcia Nascimento
 
Psicopatologia I- Aula 5: Alterações da Atenção
Psicopatologia I- Aula 5: Alterações da AtençãoPsicopatologia I- Aula 5: Alterações da Atenção
Psicopatologia I- Aula 5: Alterações da Atenção
Alexandre Simoes
 
Psicopatologia
PsicopatologiaPsicopatologia
Psicopatologia
Elisa Brietzke
 
CONTRAN RESOLUÇÃO NÚMERO 80 DE 1998
CONTRAN RESOLUÇÃO NÚMERO 80 DE 1998CONTRAN RESOLUÇÃO NÚMERO 80 DE 1998
CONTRAN RESOLUÇÃO NÚMERO 80 DE 1998
João Antônio Granzotti
 
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da PercepçãoPsicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
Alexandre Simoes
 
Apresentação1 Escalas Beck
Apresentação1 Escalas BeckApresentação1 Escalas Beck
Apresentação1 Escalas Beck
micaterres
 
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicosIntrodução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Caio Maximino
 
psicologia e psicopatologia
psicologia e psicopatologiapsicologia e psicopatologia
psicologia e psicopatologia
Faculdade Metropolitanas Unidas - FMU
 
Terapia Comportamental e Cognitiva, uma introdução.
Terapia Comportamental e Cognitiva, uma introdução.Terapia Comportamental e Cognitiva, uma introdução.
Terapia Comportamental e Cognitiva, uma introdução.
Marcelo da Rocha Carvalho
 
Memoria armazenagem
Memoria armazenagemMemoria armazenagem
Memoria armazenagem
Beatriz Ligabue
 
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva InfantilTerapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Marcelo da Rocha Carvalho
 
sensação e percepção
sensação e percepçãosensação e percepção
sensação e percepção
Roberto Nobre
 

Mais procurados (20)

Avaliação neuropsicológica
Avaliação neuropsicológicaAvaliação neuropsicológica
Avaliação neuropsicológica
 
Psicopatologia I- Aula 4: Alterações da Consciência
Psicopatologia I- Aula 4: Alterações da ConsciênciaPsicopatologia I- Aula 4: Alterações da Consciência
Psicopatologia I- Aula 4: Alterações da Consciência
 
Exame do estado mental - III Semana Acadêmica da UFCSPA - LIPSAM
Exame do estado mental - III Semana Acadêmica da UFCSPA - LIPSAMExame do estado mental - III Semana Acadêmica da UFCSPA - LIPSAM
Exame do estado mental - III Semana Acadêmica da UFCSPA - LIPSAM
 
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
55591762 aula-3-modificando-pensamentos-automaticos
 
Cartão babel (1)
Cartão babel (1)Cartão babel (1)
Cartão babel (1)
 
Anamnese e exame psíquico (Livia Castelo Branco)
Anamnese e exame psíquico (Livia Castelo Branco)Anamnese e exame psíquico (Livia Castelo Branco)
Anamnese e exame psíquico (Livia Castelo Branco)
 
Exame psiquico comportamento geral
Exame psiquico comportamento geralExame psiquico comportamento geral
Exame psiquico comportamento geral
 
117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-ii117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-ii
 
Avaliacão psicometria teoria da medida
Avaliacão psicometria teoria da medidaAvaliacão psicometria teoria da medida
Avaliacão psicometria teoria da medida
 
Psicopatologia I- Aula 5: Alterações da Atenção
Psicopatologia I- Aula 5: Alterações da AtençãoPsicopatologia I- Aula 5: Alterações da Atenção
Psicopatologia I- Aula 5: Alterações da Atenção
 
Psicopatologia
PsicopatologiaPsicopatologia
Psicopatologia
 
CONTRAN RESOLUÇÃO NÚMERO 80 DE 1998
CONTRAN RESOLUÇÃO NÚMERO 80 DE 1998CONTRAN RESOLUÇÃO NÚMERO 80 DE 1998
CONTRAN RESOLUÇÃO NÚMERO 80 DE 1998
 
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da PercepçãoPsicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
Psicopatologia I- Aula 7: Alterações da Percepção
 
Apresentação1 Escalas Beck
Apresentação1 Escalas BeckApresentação1 Escalas Beck
Apresentação1 Escalas Beck
 
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicosIntrodução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
 
psicologia e psicopatologia
psicologia e psicopatologiapsicologia e psicopatologia
psicologia e psicopatologia
 
Terapia Comportamental e Cognitiva, uma introdução.
Terapia Comportamental e Cognitiva, uma introdução.Terapia Comportamental e Cognitiva, uma introdução.
Terapia Comportamental e Cognitiva, uma introdução.
 
Memoria armazenagem
Memoria armazenagemMemoria armazenagem
Memoria armazenagem
 
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva InfantilTerapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
 
sensação e percepção
sensação e percepçãosensação e percepção
sensação e percepção
 

Destaque

จิตอาสา
จิตอาสาจิตอาสา
Evolução dos conceitos da física
Evolução dos conceitos da físicaEvolução dos conceitos da física
Evolução dos conceitos da física
Francisco A. Arruda
 
Sugerencia 3b (primer ciclo)
Sugerencia 3b (primer ciclo)Sugerencia 3b (primer ciclo)
Sugerencia 3b (primer ciclo)elbaulvolador
 
Educación digital crítica y teatro social ante ciberacoso - Ondula
Educación digital crítica y teatro social ante ciberacoso  - OndulaEducación digital crítica y teatro social ante ciberacoso  - Ondula
Educación digital crítica y teatro social ante ciberacoso - Ondula
LA RUECA Asociación
 
Spenta 33 Hughes Brochure - Zricks.com
Spenta 33 Hughes Brochure - Zricks.comSpenta 33 Hughes Brochure - Zricks.com
Spenta 33 Hughes Brochure - Zricks.com
Zricks.com
 
El 2n inaugural del President Obama - Diari Ara
El 2n inaugural del President Obama - Diari AraEl 2n inaugural del President Obama - Diari Ara
El 2n inaugural del President Obama - Diari Ara
Aleix Cuberes i Diaz
 
Question 1
Question 1Question 1
Question 1
reece oldfield
 
Pharmaceutical care department 2014 n.35
Pharmaceutical care department 2014 n.35Pharmaceutical care department 2014 n.35
Pharmaceutical care department 2014 n.35
M. Luisetto Pharm.D.Spec. Pharmacology
 

Destaque (9)

จิตอาสา
จิตอาสาจิตอาสา
จิตอาสา
 
Evolução dos conceitos da física
Evolução dos conceitos da físicaEvolução dos conceitos da física
Evolução dos conceitos da física
 
Sugerencia 3b (primer ciclo)
Sugerencia 3b (primer ciclo)Sugerencia 3b (primer ciclo)
Sugerencia 3b (primer ciclo)
 
Educación digital crítica y teatro social ante ciberacoso - Ondula
Educación digital crítica y teatro social ante ciberacoso  - OndulaEducación digital crítica y teatro social ante ciberacoso  - Ondula
Educación digital crítica y teatro social ante ciberacoso - Ondula
 
Spenta 33 Hughes Brochure - Zricks.com
Spenta 33 Hughes Brochure - Zricks.comSpenta 33 Hughes Brochure - Zricks.com
Spenta 33 Hughes Brochure - Zricks.com
 
El 2n inaugural del President Obama - Diari Ara
El 2n inaugural del President Obama - Diari AraEl 2n inaugural del President Obama - Diari Ara
El 2n inaugural del President Obama - Diari Ara
 
Question 1
Question 1Question 1
Question 1
 
Pharmaceutical care department 2014 n.35
Pharmaceutical care department 2014 n.35Pharmaceutical care department 2014 n.35
Pharmaceutical care department 2014 n.35
 
Aaaaa. agnes l
Aaaaa. agnes lAaaaa. agnes l
Aaaaa. agnes l
 

Semelhante a BLOCO ESCALA DE HAMILTON

Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade
Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade
Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade
Elva Judy Nieri
 
Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade mais resumido
Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade mais resumidoAuriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade mais resumido
Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade mais resumido
Elva Judy Nieri
 
ESTRESSE OU STRESS
ESTRESSE OU STRESSESTRESSE OU STRESS
ESTRESSE OU STRESS
Elva Judy Nieri
 
Ansiedade completa
Ansiedade completaAnsiedade completa
Ansiedade completa
Heloísa Ximenes
 
palestra estresse.pptx
palestra estresse.pptxpalestra estresse.pptx
palestra estresse.pptx
ErickSalesCuna
 
SINDROMES ANSIOSAS.pptx
SINDROMES ANSIOSAS.pptxSINDROMES ANSIOSAS.pptx
SINDROMES ANSIOSAS.pptx
RobertoSilva309300
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Como lidar estresse_cronico_enfermagem_enaf
Como lidar estresse_cronico_enfermagem_enafComo lidar estresse_cronico_enfermagem_enaf
Como lidar estresse_cronico_enfermagem_enaf
Marcelo da Rocha Carvalho
 
ANSIEDADE.ppt
ANSIEDADE.pptANSIEDADE.ppt
ANSIEDADE.ppt
Telma Lima
 
TRANSTORNOS ANSIOSOS E SINTOMAS CLINICOS
TRANSTORNOS ANSIOSOS E SINTOMAS CLINICOSTRANSTORNOS ANSIOSOS E SINTOMAS CLINICOS
TRANSTORNOS ANSIOSOS E SINTOMAS CLINICOS
kadrikasecomerce
 
A depressão
A depressãoA depressão
A depressão
Sara Baptista
 
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptxSíndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
SilviaLouro2
 
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADEDEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Sensorimonitor ocd slide
Sensorimonitor ocd slideSensorimonitor ocd slide
Sensorimonitor ocd slide
FruitsPunchSamurai1
 
Palestra: Cuidadores - Nahara Ribeiro
Palestra: Cuidadores  - Nahara RibeiroPalestra: Cuidadores  - Nahara Ribeiro
Palestra: Cuidadores - Nahara Ribeiro
Clínica Neurológica Vida Piracicaba
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
Mensagens Virtuais
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
Roberta Cardoso
 
STRESSE
STRESSESTRESSE
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581-   Stress em Profissionais de SaúdeUFCD - 6581-   Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de Saúde
Nome Sobrenome
 
UFCD - 6581 - Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581 - Stress em Profissionais de SaúdeUFCD - 6581 - Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581 - Stress em Profissionais de Saúde
Nome Sobrenome
 

Semelhante a BLOCO ESCALA DE HAMILTON (20)

Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade
Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade
Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade
 
Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade mais resumido
Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade mais resumidoAuriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade mais resumido
Auriculoterapia aplicada a depressão e ansiedade mais resumido
 
ESTRESSE OU STRESS
ESTRESSE OU STRESSESTRESSE OU STRESS
ESTRESSE OU STRESS
 
Ansiedade completa
Ansiedade completaAnsiedade completa
Ansiedade completa
 
palestra estresse.pptx
palestra estresse.pptxpalestra estresse.pptx
palestra estresse.pptx
 
SINDROMES ANSIOSAS.pptx
SINDROMES ANSIOSAS.pptxSINDROMES ANSIOSAS.pptx
SINDROMES ANSIOSAS.pptx
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
Como lidar estresse_cronico_enfermagem_enaf
Como lidar estresse_cronico_enfermagem_enafComo lidar estresse_cronico_enfermagem_enaf
Como lidar estresse_cronico_enfermagem_enaf
 
ANSIEDADE.ppt
ANSIEDADE.pptANSIEDADE.ppt
ANSIEDADE.ppt
 
TRANSTORNOS ANSIOSOS E SINTOMAS CLINICOS
TRANSTORNOS ANSIOSOS E SINTOMAS CLINICOSTRANSTORNOS ANSIOSOS E SINTOMAS CLINICOS
TRANSTORNOS ANSIOSOS E SINTOMAS CLINICOS
 
A depressão
A depressãoA depressão
A depressão
 
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptxSíndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
 
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADEDEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
DEPRESSÃO E ESPIRITUALIDADE
 
Sensorimonitor ocd slide
Sensorimonitor ocd slideSensorimonitor ocd slide
Sensorimonitor ocd slide
 
Palestra: Cuidadores - Nahara Ribeiro
Palestra: Cuidadores  - Nahara RibeiroPalestra: Cuidadores  - Nahara Ribeiro
Palestra: Cuidadores - Nahara Ribeiro
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
 
STRESSE
STRESSESTRESSE
STRESSE
 
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581-   Stress em Profissionais de SaúdeUFCD - 6581-   Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de Saúde
 
UFCD - 6581 - Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581 - Stress em Profissionais de SaúdeUFCD - 6581 - Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581 - Stress em Profissionais de Saúde
 

BLOCO ESCALA DE HAMILTON

  • 1.
  • 2.
  • 3. Hamilton Anxiety Scale – HAM-A (Hamilton, 1959) Instruções: Escolha para cada item, segundo a sua experiência, a nota que corresponde à intensidade do comportamento observado. As definições que acompanham o enunciado do item são exemplos para orientação. Todos os itens devem ser cotados seguindo o esquema: 0 = Ausente 1 = Intensidade leve 2 = Intensidade média 3 = Intensidade forte 4 = Intensidade máxima Escala de Hamilton para avaliação de ansiedade1 1. HUMORANSIOSO(inquietação, temor do pior, apreensão quanto ao presente ou ao futuro, maus pressentimentos, irritabilidade etc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 2. TENSÃO(sensaçãodetensão,fadiga,reaçõesdesobressalto,chorofácil,tremores,sensaçãodecansaço,incapacidadederelaxareagitação). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 3. MEDOS (de escuro, de estranhos, de ficar só, de animais de grande porte, do trânsito, de multidões etc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 4. INSÔNIA(dificuldadeemadormecer,sonointerrompido,sonoinsatisfatório,fadigadeacordar,sonhospenosos,pesadelos,terrornoturnoetc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 5. DIFICULDADES INTELECTUAIS (dificuldade de concentração, falhas de memória etc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 6. HUMOR DEPRIMIDO (perda de interesse, oscilação de humor, depressão, despertar precoce etc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 7. SOMATIZAÇÕES MOTORAS (dores musculares, rigidez muscular, contrações espásticas, contrações involuntárias, ranger de dentes, voz insegura etc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima TOTAL PARCIAL 8. SOMATIZAÇÕES SENSORIAIS (ondas de frio ou calor, sensação de fraqueza, visão borrada, sensação de picadas, formigamento, sen- sações auditivas de ruído, zumbidos etc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 9. SINTOMAS CARDIOVASCULARES (taquicardia, palpitações, dores no peito, sensação de desmaio, sensação de extrassístoles etc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 10. SINTOMAS RESPIRATÓRIOS (pressão ou constrição no peito, dispneia, respiração suspirosa, sensação de sufocação etc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 11. SINTOMAS GASTRINTESTINAIS (deglutição difícil, aerofagia, dispepsia, sensação de plenitude, dor pré ou pós-prandial, pirose, meteorismo, náusea, vômitos, sensação de vazio gástrico, diarreia ou constipação e cólicas). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 12. SINTOMAS GENITURINÁRIOS (polaciúria, urgência de micção, amenorreia, menorragia, frigidez, ejaculação precoce, ereção incom- pleta, impotência, diminuição da libido etc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 13. SINTOMAS NEUROVEGETATIVOS (boca seca, palidez, ruborização, tendência à sudação, tonturas, cefaleia de tensão etc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima 14. COMPORTAMENTO DURANTE A ENTREVISTA (geral: tenso, pouco à vontade, inquieto, agitação das mãos [mexer, retorcer, cacoetes e tremores], franzir a testa e face tensa. Fisiológico: engolir a saliva, eructações, dilatação pupilar, sudação, respiração suspirosa etc.). 0 = Ausente | 1 = Intensidade leve | 2 = Intensidade média | 3 = Intensidade forte | 4 = Intensidade máxima TOTAL GERAL Pontuação: Pontuação total de 18 a 24 = ansiedade leve*; 25 a 30 = ansiedade moderada; ≥ 31 = ansiedade grave. * Pontuação de HAM-A > 18 pode ser observada em pacientes com síndrome do pânico como diagnóstico principal. Paciente:________________________________________________________________________________________________________ Data da consulta: _________/_____________/______________
  • 4. Hamilton Rating Scale for Depression - HAM-D (Hamilton, 1960) Instruções: Em cada item, escolha o escore que melhor caracteriza o paciente na última semana. Assinale sua opção no espaço apropriado. Escala de Hamilton para avaliação de depressão2 1. Humor depressivo (tristeza, desesperança, desamparo, inutilidade) 0. Ausente. 1. Sentimentos relatados somente se perguntados. 2. Sentimentos relatados espontaneamente, com palavras. 3. Comunica os sentimentos não com palavras, mas com expressão facial, postura, voz e tendência ao choro. 4. O paciente comunica quase que exclusivamente esses sentimentos, tanto em seu relato verbal como na comunicação não verbal. 2.Sentimentosdeculpa 0. Ausente. 1. Autorrecriminação, acha que decepcionou outras pessoas. 2. Ideiasdeculpaouruminaçõesdeerrosouaçõespecaminosas(más)nopassado. 3. Paciente acha que a doença atual é uma punição (castigo). Delírio de culpa. 4. Ouve vozes que o acusam ou denunciam e/ou tem alucinações visuais ameaçadoras. 3.Suicídio 0. Ausente. 1. Acha que não vale a pena viver. 2. Deseja estar morto ou pensa em uma possível morte para si. 3. Ideias ou atitudes suicidas. 4. Tentativas de suicídio. 4.Insôniainicial 0. Sem dificuldades para iniciar o sono. 1. Queixadedificuldadeocasionalparainiciarosono,ouseja,maisquemeiahora. 2. Queixa de dificuldade para iniciar o sono todas as noites. 5.Insôniaintermediária 0. Sem dificuldade. 1. Queixa de agitação e perturbação durante a noite. 2. Acorda durante a noite – qualquer saída da cama (exceto por motivos de necessidade fisiológica). 6.Insôniatardia 0. Sem dificuldade. 1. Acorda durante a madrugada, mas volta a dormir. 2. Não consegue voltar a dormir se levantar da cama durante a noite. 7.Trabalhoeatividades 0. Sem dificuldades. 1. Pensamentos e sentimentos de incapacidade, fadiga ou fraqueza relacio- nados a atividades, trabalho ou passatempos. 2. Perda de interesse em atividades, passatempos ou trabalho, quer relatada diretamente pelo paciente, quer indiretamente por desatenção, indecisão ou vacilação (sente que precisa se esforçar para o trabalho ou outras ativi- dades). 3. Diminuição no tempo gasto em atividades ou queda de produtividade. No hospital, o paciente ocupa-se por menos de três horas por dia em ati- vidades (trabalho hospitalar ou passatempos), com exceção das tarefas rotineiras da enfermaria. 4. Parou de trabalhar devido à doença atual. No hospital, sem atividades, com exceção das tarefas rotineiras da enfermaria, ou se não consegue realizá- -las sem ajuda. 8.Retardo(lentificaçãodopensamentoedafala,dificuldade deconcentração,diminuiçãodaatividademotora) 0. Pensamentos e fala normais. 1. Lentificação discreta à entrevista. 2. Lentificação óbvia durante a entrevista. 3. Entrevista difícil. 4. Estupor completo. 9.Agitação 0. Nenhuma. 1. Inquietação. 2. Mexe as mãos, cabelos etc. 3. Movimenta-sebastante,nãoconseguepermanecersentadoduranteaentrevista. 4. Retorce as mãos, rói as unhas, puxa os cabelos, morde os lábios. 10.Ansiedadepsíquica 0. Sem dificuldade. 1. Tensão e irritabilidade subjetivas. 2. Preocupa-se com trivialidades. 3. Atitude apreensiva aparente no rosto ou na fala. 4. Paciente expressa medo sem ser perguntado. 11.Ansiedadesomática Concomitantes fisiológicos da ansiedade, como: • GI: boca seca, flatulência, indigestão, diarreias, cólicas, eructações. • CV: palpitação, cefaleias. • Respiratórios: hiperventilação, suspiros. • Ter de urinar frequentemente. • Sudorese. 0. Ausente. 1. Duvidoso ou trivial: sintomas menores relatados quando questionado. 2. Leve: paciente descreve espontaneamente os sintomas, que não são acen- tuados ou incapacitantes. 3. Moderado: mais que dois sintomas e com maior frequência. São acompa- nhados de estresse subjetivo e prejudicam o funcionamento normal. 4. Grave: numerosos sintomas, persistentes e incapacitantes na maior parte do tempo, ou ataques de pânico quase diariamente. 12.Sintomassomáticos(apetite,digestivo) 0. Nenhum. 1. Perda de apetite, mas come sem necessidade de insistência. 2. Dificuldade para comer se não insistirem. 13.Sintomassomáticos(gerais) 0. Nenhum. 1. Peso em membros, costas ou cabeça; dor nas costas, na cabeça ou nos músculos. Perda de energia e fatigabilidade. 2. Qualquer sintoma bem caracterizado e nítido. 14.Sintomasgenitais(perdadalibido,distúrbiosmenstruais) 0. Ausentes. 1. Leves ou infrequentes: perda da libido, desempenho sexual prejudicado. 2. Óbvios e graves: perda completa do interesse sexual. 15.Hipocondria 0. Ausente. 1. Auto-observação aumentada (com relação ao corpo). 2. Preocupação com a saúde. 3. Queixas frequentes, pedidos de ajuda etc. 4. Delírios hipocondríacos. 16.Perdadepeso(desdeoiníciodadoençaoudaúltimaavaliação) 0. Sem perda de peso ou perda de peso não causada pela doença atual. 1. Perda de peso provavelmente causada pela doença atual. Perda de menos de meio quilo. 2. Perda de peso definitivamente causada pela doença atual. Perda de meio quilo ou mais. 17.Crítica(consequênciadadoença) 0. Reconhece estar deprimido e doente ou não estar deprimido no momento. 1. Reconhece estar doente, mas atribui a causa à má alimentação, ao clima, ao excesso de trabalho, a um vírus, à necessidade de descanso etc. 2. Nega estar doente. TOTAL Pontuação: Pontuação total de 8 a 13 = depressão leve*; 14 a 18 = depressão moderada; 19 a 22 = depressão grave; ≥ 23 = depressão muito grave. * Pontuações de HAM-D entre 8 e 13 em pacientes com distimia. Referências bibliográficas 1. Ito LM, Ramos RT. Escalas de avaliação clínica do transtorno do pânico. In: Gorenstein C, Andrade LHSG, Zuardi AW. Escalas de avaliação clínica em psiquiatria e psicofarmacologia. São Paulo: Lemos; 2000. p. 145- 55. 2. Moreno RA, Moreno DH. Escalas de avaliação para depressão de Hamilton (HAM-D) e Montgomery-Asberg (MADRS). In: Gorenstein C, Andrade LHSG, Zuardi AW. Escalas de avaliação clínica em psiquiatria e psicofarmacologia. São Paulo: Lemos; 2001. p. 71-88.
  • 5. © 2015 Conectfarma® Publicações Científicas Ltda. I Rua Alexandre Dumas, 1.562, cjs. 23/24, Chácara Santo Antônio I 04717-004 I São Paulo/SP I Fone: 11 5181-2618 www.conectfarma.net I Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial sem a autorização por escrito dos editores. MM 5444/15. As opiniões emitidas nesta publicação são de inteira responsabilidade da autora e não refletem, necessariamente, a opinião da Conectfarma Publicações Científicas Ltda. Conteúdo elaborado sob assessoria científica da Dra. Cecília Attux Médica psiquiatra colaboradora do Programa de Esquizofrenia (Proesq) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) CRM/SP 95.701