SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
A DepressãoA Depressão
25ª Aula da Disciplina de Psicologia e Bem-Estar25ª Aula da Disciplina de Psicologia e Bem-Estar
1. DEFINIÇÃO DE DEPRESSÃO
 A depressão não é um simples estado de tristeza
passageiro, motivado por uma ou várias situações pontuais
que encaramos como negativas para nós (ex. ficarmos tristes
porque nos zangamos com alguém de quem gostamos, ou
porque no trabalho as coisas não têm corrido bem). Pelo
contrário, os sintomas depressivossintomas depressivos predominam a maior parte
do dia, na maior parte dos dias, durante no mínimo 2
semanas, infligindo sofrimento ou limitação significativa no
funcionamento físico e psicológico da pessoa.
1. DEFINIÇÃO DE DEPRESSÃO
 Em termos clínicos, a depressãodepressão caracteriza-se por um
conjunto de alterações comportamentaisalterações comportamentais, emocionaisemocionais e de
pensamentopensamento, que tornando-se permanentes e não dependendo
da vontade da pessoa que as experiência, provocam
geralmente prejuízos significativos em diversas áreas da sua
vida. Assim, é normal, que uma pessoa deprimida apresente,
por exemplo, não só um humor deprimido e uma diminuição do
seu rendimento profissional, mas também uma perda
generalizada de prazer no estabelecimento de relacionamentos
interpessoais, bem como, na realização de actividades, mesmo
aquelas que antes lhe despertavam eventualmente interesse.
2. SINTOMAS DE DEPRESSÃO
 Humor deprimido na maior parte do dia, quase todos o dias.
Em crianças e adolescentes pode ser humor irritável;
 Acentuada diminuição de interesse ou prazer na realização em
todas ou quase todas as actividades a maior parte do dia, quase
todos os dias;
 Perda ou ganho significativo de peso e/ou apetite;
 Insónia ou hipersónia (dormir em excesso) quase todos os dias;
2. SINTOMAS DE DEPRESSÃO
Agitação ou retardo psicomotor quase todos os dias, observável
por terceiros e não apenas produto de uma avaliação subjectiva
de sensações de inquietação ou lentificação;
 Fadiga ou perda de energia quase todos os dias;
 Baixa-auto estima, sentimento de inutilidade ou culpa
excessiva ou inadequada (que pode ser delirante), quase todos os
dias;
2. SINTOMAS DE DEPRESSÃO
 Surgimento de queixas físicas sem explicação aparente (ex.
dores musculares, dores de cabeça, dores de estômago, dores de
costas);
Capacidade diminuída de pensar ou concentrar-se, ou
indecisão, quase todos os dias;
 Sentimento de desamparo e desesperança quase todos os
dias;
 Pensamentos de morte recorrentes, ideação suicida
3. TIPOS DE DEPRESSÃO
 Depressão Reactiva ou Secundária:
Surge em resposta a um stress identificável como sejam: perdas
(reações de luto), doença física importante (tumores cerebrais,
AVC, hipo ou hipertireoidismo, demência), ou uso de drogas
(medicamentosas ou não). Corresponde a mais de 60% de todasCorresponde a mais de 60% de todas
as depressões.as depressões.
3. TIPOS DE DEPRESSÃO
 Depressão Menor ou Distimia:
É uma perturbação depressiva crónica, que tem a duração de
pelo menos 2 anos em adultos. Caracteriza-se pela presença de
sintomas depressivos, contudo, a pessoa consegue funcionar
socialmente embora sem experimentar prazer.
3. TIPOS DE DEPRESSÃO
 Depressão Maior ou Unipolar:
É uma perturbação depressiva primária, endógena, ou seja, que
não tem relação causal com situações stressantes, patologias
orgânicas ou psiquiátricas ( mas sim com factores hereditários e
bioquímicos), caracterizando-se por episódios puramente
depressivos em períodos variáveis da vida da pessoa
geneticamente predisposta à doença. Durante o episódio, os
sintomas depressivos são severos e intensos, impedindo o
indivíduo de agir normalmente, havendo alto risco de suicídio se
não tratado.
3. TIPOS DE DEPRESSÃO
 Depressão Bipolar:
É também uma perturbação primária, endógena ( tal como
acontece na Depressão Maior ou Unipolar, também neste caso
existe uma predisposição hereditária e a influencia de factores
bioquímicos) e que se caracteriza por episódios depressivos
alternados com fases de mania ou de humor normal (oscilações
cíclicas do humor entre "altos" (mania) e "baixos" (depressão)).
Quando deprimida, a pessoa pode ter alguns ou todos os
sintomas de depressão. Quando em mania, torna-se falante,
eufórica e/ou irritável, cheia de energia, grandiosa.
3. TIPOS DE DEPRESSÃO
 Depressão Bipolar:
A mania prejudica o raciocínio, a capacidade de julgamento e o
comportamento social, podendo ocasionar graves consequências
e constrangimentos, pois a pessoa em fase de “mania”, envolve-
se com facilidade, por exemplo, em negócios mirabolantes e
incertos ou em aventuras românticas, tomando frequentemente
atitudes precipitadas e inadequadas. Se não tratada, a mania
pode piorar, evoluindo para quadro psicótico (com delírios e/ou
alucinações).
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Comece aos poucos e mantenha-se centrado naComece aos poucos e mantenha-se centrado na
estratégia:estratégia:
Comece com os recursos que tiver à sua disposição. Você pode
não ter muita energia, mas provavelmente você tem o suficiente
para fazer uma pequena caminhada à volta do seu prédio ou
pegar o telefone para falar com um amigo. Escolha alguém de
confiança e peça-lhe para o convidar a sair de vez em quando,
peça-lhe que lhe pergunte se tem caminhado, se tem ido às
compras, se tem lido o jornal. Essa pessoa pode funcionar para si
como um “auxílio” de monitorização;
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Comece aos poucos e mantenha-se centrado naComece aos poucos e mantenha-se centrado na
estratégia:estratégia:
No inicio não exija demasiado de si, possivelmente não fará tudo
aquilo a que se propõe, não tem problema. Mantenha-se firme,
leve as coisas um dia de cada vez e recompense-se por cada
realização bem sucedida. Vai ver que a pouco e pouco, a cada
pequena meta atingida, irá sentir a sua força anímica a aumentar.
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Construa relações de suporte:Construa relações de suporte:
É frequente que a natureza da própria depressão retire à pessoa
que está deprimida, a clareza de pensamento que necessita para
pedir ajuda. Assim, é importante esforçar-se por desafiar o apelo
ao isolamento, tentando promover relacionamentos interpessoais
e actividades sociais:
- Procure partilhar com amigos e familiares de confiança,
mesmo que não presencialmente, aquilo porque está a
passar e o que está a sentir;
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Construa relações de suporte:Construa relações de suporte:
É frequente que a natureza da própria depressão retire à pessoa
que está deprimida, a clareza de pensamento que necessita para
pedir ajuda. Assim, é importante esforçar-se por desafiar o apelo
ao isolamento, tentando promover relacionamentos interpessoais
e actividades sociais:
- Tente envolver-se em actividades sociais, ainda que não
se sinta particularmente motivado para o fazer;
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Construa relações de suporte:Construa relações de suporte:
É frequente que a natureza da própria depressão retire à pessoa
que está deprimida, a clareza de pensamento que necessita para
pedir ajuda. Assim, é importante esforçar-se por desafiar o apelo
ao isolamento, tentando promover relacionamentos interpessoais
e actividades sociais:
- Se possível junte-se a um grupo de apoio para a
depressão.
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Cuide de si mesmo:Cuide de si mesmo:
- Procure fazer coisas que goste (ou que gostava);
- Adopte hábitos saudáveis de vida:
• Durma o tempo suficiente (em média 6/8 horas);
• Exponha-se um pouco ao sol todos os dias, e se possível
procure estar em contacto com a natureza;
• Pratique técnicas de relaxamento (ex. yoga, meditação,
relaxamento progressivo);
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Cuide de si mesmo:Cuide de si mesmo:
- Adopte hábitos saudáveis de vida:
• Pratique actividade física regularmente:
 Escolha actividades de intensidade moderada;
 Escolha exercícios que sejam contínuos e rítmicos (ex.
andar, nadar, andar de bicicleta, fazer yoga);
 Comece devagar e não exagere na intensidade.
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Aprenda a gerir o stress:Aprenda a gerir o stress:
- Não se auto-pressione, ponha o perfeccionismo de lado, já
sabemos que a perfeição na realidade não existe, é apenas uma
criação da nossa mente;
- Identifique quais as situações que funcionam como “gatilhos” do
seu stress (stressores) e quais o limiar de stress que consegue
suportar, para que lhe seja possível proteger-se atempadamente,
accionando algumas das estratégias que fazer parte da sua “caixa
de ferramentas de bem-estar”.
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Desafie os pensamentos negativos:Desafie os pensamentos negativos:
- Pense fora de si mesmo: Pergunte a si mesmo se você diria a
outra pessoa o que está pensando para si. Se acha que não diria,
pare de ser tão duro consigo. Pense em declarações mais
ajustadas e como as pode verbalizar ou pensar de uma forma
mais realista;
- Socialize com pessoas positivas e bem humoradas;
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Desafie os pensamentos negativos:Desafie os pensamentos negativos:
- Faça um registo dos seus pensamentos negativos mais
severos: Sempre que tiver um pensamento negativo, anote o
pensamento e o que o desencadeou num livro de registo Reveja
o registo quando você estiver de bom humor. Pergunte a si
mesmo se a forma negativa como pensou acerca de uma
determinada situação, foi verdadeiramente justificada. Pode
também obter uma segunda opinião sobre o seu registo, junto de
um amigo ou alguém em quem confie;
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Desafie os pensamentos negativos:Desafie os pensamentos negativos:
- Substitua pensamentos negativos por positivos: Reveja o registo
de pensamentos negativos. Depois, para cada pensamento
negativo, escreva algo positivo. Por exemplo, ” O meu chefe não
gosta de mim. Por isso é que me deu este relatório tão
complicado para eu fazer e em tão pouco tempo”. Poderia
substituir para: “O meu chefe deve ter muita confiança nas minhas
capacidades, para me dar tanta responsabilidade”.
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Procure trabalhar na compreensão das suasProcure trabalhar na compreensão das suas
emoções:emoções:
- Não deve ter medo de se reconectar com as suas emoções, pois
apesar de o primeiro impacto poder ser doloroso, as emoções,
mesmos as negativas, vão e vêm. Estas, não permanecem em
nós para sempre, basta que para isso façamos um esforço para
nos desfocar delas. Por outro lado, é muito importante aceitarmos
que as nossas emoções nos pertencem e nos transmitem
informação fundamental acerca de nós mesmos;
4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA
RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO
o Procure trabalhar na compreensão das suasProcure trabalhar na compreensão das suas
emoções:emoções:
- Deve ter consciência que a suas sensações físicas lhe podem
dar pistas muito importantes acerca das suas emoções e, como
tal funcionar com peças chave no entendimento das mesmas,
o Saiba aceitar e reconhecer quando é necessárioSaiba aceitar e reconhecer quando é necessário
procurar ajuda profissional, e consciencialize-se queprocurar ajuda profissional, e consciencialize-se que
uma depressão é sempre possível de ser tratada.uma depressão é sempre possível de ser tratada.
5. COMO PODEMOS AJUDAR A UMA
PESSOA COM DEPRESSÃO?
Simplesmente, “estando lá”, fazendo-lhe companhia,
estando disponíveis para a reconfortar e escutar sem dizer nada,
se ela assim o desejar;
 Dando apoio através de pequenos gestos, como por
exemplo, convidando a pessoa para fazer algo connosco que
saibamos que ela gosta, ou enviando-lhe uma mensagem de
apoio e conforto para o telemóvel;
5. COMO PODEMOS AJUDAR A UMA
PESSOA COM DEPRESSÃO?
 Seja paciente;
 Procure saber o máximo sobre depressão;
 Evite dar conselhos, uma vez que as pessoas deprimidas
ao terem, frequentemente, uma visão bastante alterada do mundo
que as rodeia, podem encarar esses conselhos de uma forma
ofensiva. É mais assertivo e funcional perguntar ou dizer algo
como: “O que posso fazer para ajudar-te a sentir melhor?”; “ Se
existir algo em que te possa ajudar , estou disponível.”
5. COMO PODEMOS AJUDAR A UMA
PESSOA COM DEPRESSÃO?
 Não julgando, nem criticando a pessoa e as atitudes
e comportamentos;
 Não minimizando o sofrimento da pessoa;
 Evite fazer comparações, uma vez que, ainda que tenha
passado por uma situação semelhante, é importante não se
esquecer que as dores são diferentes, assim como as causas e a
forma de lidar com os problemas. Por isso, descreva a sua dor,
mas respeite sempre a magnitude da dor do outro.
A depressão

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Depressão - Marcelly e Marcilene
Depressão -  Marcelly e MarcileneDepressão -  Marcelly e Marcilene
Depressão - Marcelly e Marcilenemahvieira
 
Depressão - Ansiedade
Depressão - AnsiedadeDepressão - Ansiedade
Depressão - AnsiedadeNovo Tempo
 
3 - Depressão - Tormentos da Alma.
3 - Depressão - Tormentos da Alma.3 - Depressão - Tormentos da Alma.
3 - Depressão - Tormentos da Alma.JPS Junior
 
Um homem de Deus em depressão
Um homem de Deus em depressãoUm homem de Deus em depressão
Um homem de Deus em depressãoMoisés Sampaio
 
Depressão na pessoa idosa rui grilo
Depressão na pessoa idosa    rui griloDepressão na pessoa idosa    rui grilo
Depressão na pessoa idosa rui griloRui Grilo
 
Pregação 16.07.17 depressão 1
Pregação 16.07.17 depressão 1Pregação 16.07.17 depressão 1
Pregação 16.07.17 depressão 1Dagmar Wendt
 
Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)gomespereira64
 
Depressão na 3ª idade
Depressão na 3ª idadeDepressão na 3ª idade
Depressão na 3ª idadeCras Macatuba
 
DEPRESSÃO
DEPRESSÃODEPRESSÃO
DEPRESSÃOEnerliz
 
Transtornos depressivos
Transtornos depressivosTranstornos depressivos
Transtornos depressivosCaio Maximino
 

Mais procurados (20)

Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Depressão - Marcelly e Marcilene
Depressão -  Marcelly e MarcileneDepressão -  Marcelly e Marcilene
Depressão - Marcelly e Marcilene
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Depressão palestra
Depressão   palestraDepressão   palestra
Depressão palestra
 
Depressão - Ansiedade
Depressão - AnsiedadeDepressão - Ansiedade
Depressão - Ansiedade
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
3 - Depressão - Tormentos da Alma.
3 - Depressão - Tormentos da Alma.3 - Depressão - Tormentos da Alma.
3 - Depressão - Tormentos da Alma.
 
Um homem de Deus em depressão
Um homem de Deus em depressãoUm homem de Deus em depressão
Um homem de Deus em depressão
 
Depressão na pessoa idosa rui grilo
Depressão na pessoa idosa    rui griloDepressão na pessoa idosa    rui grilo
Depressão na pessoa idosa rui grilo
 
Pregação 16.07.17 depressão 1
Pregação 16.07.17 depressão 1Pregação 16.07.17 depressão 1
Pregação 16.07.17 depressão 1
 
Vencendo a depressão
Vencendo a depressãoVencendo a depressão
Vencendo a depressão
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Tipos de depressão
Tipos de depressãoTipos de depressão
Tipos de depressão
 
Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)Trabalho de grupo (depressão)
Trabalho de grupo (depressão)
 
Depressão na 3ª idade
Depressão na 3ª idadeDepressão na 3ª idade
Depressão na 3ª idade
 
DEPRESSÃO
DEPRESSÃODEPRESSÃO
DEPRESSÃO
 
Transtornos depressivos
Transtornos depressivosTranstornos depressivos
Transtornos depressivos
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 

Destaque (7)

Terapia de casal
Terapia de casalTerapia de casal
Terapia de casal
 
Aspectos farmacogeneticos relacionados a depressao
Aspectos farmacogeneticos relacionados a depressaoAspectos farmacogeneticos relacionados a depressao
Aspectos farmacogeneticos relacionados a depressao
 
Terapia conjugal
Terapia conjugalTerapia conjugal
Terapia conjugal
 
DEPRESSÃO
DEPRESSÃO DEPRESSÃO
DEPRESSÃO
 
Depressão
Depressão Depressão
Depressão
 
Tristeza e depressão
Tristeza e depressãoTristeza e depressão
Tristeza e depressão
 
A Depressão
A DepressãoA Depressão
A Depressão
 

Semelhante a A depressão (20)

A depresso impotencia para viver
A depresso   impotencia para viverA depresso   impotencia para viver
A depresso impotencia para viver
 
A depresso impotencia para viver
A depresso   impotencia para viverA depresso   impotencia para viver
A depresso impotencia para viver
 
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão pdf
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão   pdfSaiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão   pdf
Saiba Como Controlar a Ansiedade, Prevenir e Tratar a Depressão pdf
 
AULA DISTIMIA.pptx
AULA DISTIMIA.pptxAULA DISTIMIA.pptx
AULA DISTIMIA.pptx
 
Palestra André
Palestra AndréPalestra André
Palestra André
 
depressao.pdf
depressao.pdfdepressao.pdf
depressao.pdf
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
 
Transtornos do humor
Transtornos do humorTranstornos do humor
Transtornos do humor
 
vencendo a depressão
vencendo a depressãovencendo a depressão
vencendo a depressão
 
PPR - Plano de Prevenção a Recaída
PPR - Plano de Prevenção a Recaída PPR - Plano de Prevenção a Recaída
PPR - Plano de Prevenção a Recaída
 
Transtornos.pptx
Transtornos.pptxTranstornos.pptx
Transtornos.pptx
 
Sessão 2 - Saúde Mental - ITA.pdf
Sessão 2 -  Saúde Mental - ITA.pdfSessão 2 -  Saúde Mental - ITA.pdf
Sessão 2 - Saúde Mental - ITA.pdf
 
Depressão.pptx
Depressão.pptxDepressão.pptx
Depressão.pptx
 
depressao.pdf
depressao.pdfdepressao.pdf
depressao.pdf
 
Cuidador de idoso_29
Cuidador de idoso_29Cuidador de idoso_29
Cuidador de idoso_29
 
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptxSíndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
Síndromes afetivas isoladas (módulo 5).pptx
 
ESTRESSE OU STRESS
ESTRESSE OU STRESSESTRESSE OU STRESS
ESTRESSE OU STRESS
 
Noções básicas sobre depressão
Noções básicas sobre depressãoNoções básicas sobre depressão
Noções básicas sobre depressão
 
Por que algumas pessoas sofrem de depressão?
Por que algumas pessoas sofrem de depressão? Por que algumas pessoas sofrem de depressão?
Por que algumas pessoas sofrem de depressão?
 

Mais de Sara Baptista

Valor acrescentado do trabalhador com (D)eficiência
Valor acrescentado do trabalhador com (D)eficiênciaValor acrescentado do trabalhador com (D)eficiência
Valor acrescentado do trabalhador com (D)eficiênciaSara Baptista
 
Ansiedade e perturbações do sono
Ansiedade e perturbações do sonoAnsiedade e perturbações do sono
Ansiedade e perturbações do sonoSara Baptista
 
"Psico-análise" do filme longe Dela
"Psico-análise" do filme longe Dela"Psico-análise" do filme longe Dela
"Psico-análise" do filme longe DelaSara Baptista
 
Psico análise do filme magnólia
Psico  análise do filme magnóliaPsico  análise do filme magnólia
Psico análise do filme magnóliaSara Baptista
 
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 3º parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência   3º parteRumo à psicologia positiva e à resiliência   3º parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 3º parteSara Baptista
 
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 2ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência   2ª parteRumo à psicologia positiva e à resiliência   2ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 2ª parteSara Baptista
 
O que é a psicologia 1ª aula
O que é a psicologia  1ª aulaO que é a psicologia  1ª aula
O que é a psicologia 1ª aulaSara Baptista
 
Psico análise do filme laços de ternura
Psico  análise do filme laços de ternuraPsico  análise do filme laços de ternura
Psico análise do filme laços de ternuraSara Baptista
 
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 1ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência   1ª parteRumo à psicologia positiva e à resiliência   1ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 1ª parteSara Baptista
 

Mais de Sara Baptista (13)

Disciplina
DisciplinaDisciplina
Disciplina
 
Pr.in disciplina
Pr.in disciplinaPr.in disciplina
Pr.in disciplina
 
A auto estima
A auto estimaA auto estima
A auto estima
 
Valor acrescentado do trabalhador com (D)eficiência
Valor acrescentado do trabalhador com (D)eficiênciaValor acrescentado do trabalhador com (D)eficiência
Valor acrescentado do trabalhador com (D)eficiência
 
Ansiedade e perturbações do sono
Ansiedade e perturbações do sonoAnsiedade e perturbações do sono
Ansiedade e perturbações do sono
 
A auto estima
A auto estimaA auto estima
A auto estima
 
"Psico-análise" do filme longe Dela
"Psico-análise" do filme longe Dela"Psico-análise" do filme longe Dela
"Psico-análise" do filme longe Dela
 
Psico análise do filme magnólia
Psico  análise do filme magnóliaPsico  análise do filme magnólia
Psico análise do filme magnólia
 
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 3º parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência   3º parteRumo à psicologia positiva e à resiliência   3º parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 3º parte
 
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 2ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência   2ª parteRumo à psicologia positiva e à resiliência   2ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 2ª parte
 
O que é a psicologia 1ª aula
O que é a psicologia  1ª aulaO que é a psicologia  1ª aula
O que é a psicologia 1ª aula
 
Psico análise do filme laços de ternura
Psico  análise do filme laços de ternuraPsico  análise do filme laços de ternura
Psico análise do filme laços de ternura
 
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 1ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência   1ª parteRumo à psicologia positiva e à resiliência   1ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 1ª parte
 

A depressão

  • 1. A DepressãoA Depressão 25ª Aula da Disciplina de Psicologia e Bem-Estar25ª Aula da Disciplina de Psicologia e Bem-Estar
  • 2. 1. DEFINIÇÃO DE DEPRESSÃO  A depressão não é um simples estado de tristeza passageiro, motivado por uma ou várias situações pontuais que encaramos como negativas para nós (ex. ficarmos tristes porque nos zangamos com alguém de quem gostamos, ou porque no trabalho as coisas não têm corrido bem). Pelo contrário, os sintomas depressivossintomas depressivos predominam a maior parte do dia, na maior parte dos dias, durante no mínimo 2 semanas, infligindo sofrimento ou limitação significativa no funcionamento físico e psicológico da pessoa.
  • 3. 1. DEFINIÇÃO DE DEPRESSÃO  Em termos clínicos, a depressãodepressão caracteriza-se por um conjunto de alterações comportamentaisalterações comportamentais, emocionaisemocionais e de pensamentopensamento, que tornando-se permanentes e não dependendo da vontade da pessoa que as experiência, provocam geralmente prejuízos significativos em diversas áreas da sua vida. Assim, é normal, que uma pessoa deprimida apresente, por exemplo, não só um humor deprimido e uma diminuição do seu rendimento profissional, mas também uma perda generalizada de prazer no estabelecimento de relacionamentos interpessoais, bem como, na realização de actividades, mesmo aquelas que antes lhe despertavam eventualmente interesse.
  • 4. 2. SINTOMAS DE DEPRESSÃO  Humor deprimido na maior parte do dia, quase todos o dias. Em crianças e adolescentes pode ser humor irritável;  Acentuada diminuição de interesse ou prazer na realização em todas ou quase todas as actividades a maior parte do dia, quase todos os dias;  Perda ou ganho significativo de peso e/ou apetite;  Insónia ou hipersónia (dormir em excesso) quase todos os dias;
  • 5. 2. SINTOMAS DE DEPRESSÃO Agitação ou retardo psicomotor quase todos os dias, observável por terceiros e não apenas produto de uma avaliação subjectiva de sensações de inquietação ou lentificação;  Fadiga ou perda de energia quase todos os dias;  Baixa-auto estima, sentimento de inutilidade ou culpa excessiva ou inadequada (que pode ser delirante), quase todos os dias;
  • 6. 2. SINTOMAS DE DEPRESSÃO  Surgimento de queixas físicas sem explicação aparente (ex. dores musculares, dores de cabeça, dores de estômago, dores de costas); Capacidade diminuída de pensar ou concentrar-se, ou indecisão, quase todos os dias;  Sentimento de desamparo e desesperança quase todos os dias;  Pensamentos de morte recorrentes, ideação suicida
  • 7. 3. TIPOS DE DEPRESSÃO  Depressão Reactiva ou Secundária: Surge em resposta a um stress identificável como sejam: perdas (reações de luto), doença física importante (tumores cerebrais, AVC, hipo ou hipertireoidismo, demência), ou uso de drogas (medicamentosas ou não). Corresponde a mais de 60% de todasCorresponde a mais de 60% de todas as depressões.as depressões.
  • 8. 3. TIPOS DE DEPRESSÃO  Depressão Menor ou Distimia: É uma perturbação depressiva crónica, que tem a duração de pelo menos 2 anos em adultos. Caracteriza-se pela presença de sintomas depressivos, contudo, a pessoa consegue funcionar socialmente embora sem experimentar prazer.
  • 9. 3. TIPOS DE DEPRESSÃO  Depressão Maior ou Unipolar: É uma perturbação depressiva primária, endógena, ou seja, que não tem relação causal com situações stressantes, patologias orgânicas ou psiquiátricas ( mas sim com factores hereditários e bioquímicos), caracterizando-se por episódios puramente depressivos em períodos variáveis da vida da pessoa geneticamente predisposta à doença. Durante o episódio, os sintomas depressivos são severos e intensos, impedindo o indivíduo de agir normalmente, havendo alto risco de suicídio se não tratado.
  • 10. 3. TIPOS DE DEPRESSÃO  Depressão Bipolar: É também uma perturbação primária, endógena ( tal como acontece na Depressão Maior ou Unipolar, também neste caso existe uma predisposição hereditária e a influencia de factores bioquímicos) e que se caracteriza por episódios depressivos alternados com fases de mania ou de humor normal (oscilações cíclicas do humor entre "altos" (mania) e "baixos" (depressão)). Quando deprimida, a pessoa pode ter alguns ou todos os sintomas de depressão. Quando em mania, torna-se falante, eufórica e/ou irritável, cheia de energia, grandiosa.
  • 11. 3. TIPOS DE DEPRESSÃO  Depressão Bipolar: A mania prejudica o raciocínio, a capacidade de julgamento e o comportamento social, podendo ocasionar graves consequências e constrangimentos, pois a pessoa em fase de “mania”, envolve- se com facilidade, por exemplo, em negócios mirabolantes e incertos ou em aventuras românticas, tomando frequentemente atitudes precipitadas e inadequadas. Se não tratada, a mania pode piorar, evoluindo para quadro psicótico (com delírios e/ou alucinações).
  • 12. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Comece aos poucos e mantenha-se centrado naComece aos poucos e mantenha-se centrado na estratégia:estratégia: Comece com os recursos que tiver à sua disposição. Você pode não ter muita energia, mas provavelmente você tem o suficiente para fazer uma pequena caminhada à volta do seu prédio ou pegar o telefone para falar com um amigo. Escolha alguém de confiança e peça-lhe para o convidar a sair de vez em quando, peça-lhe que lhe pergunte se tem caminhado, se tem ido às compras, se tem lido o jornal. Essa pessoa pode funcionar para si como um “auxílio” de monitorização;
  • 13. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Comece aos poucos e mantenha-se centrado naComece aos poucos e mantenha-se centrado na estratégia:estratégia: No inicio não exija demasiado de si, possivelmente não fará tudo aquilo a que se propõe, não tem problema. Mantenha-se firme, leve as coisas um dia de cada vez e recompense-se por cada realização bem sucedida. Vai ver que a pouco e pouco, a cada pequena meta atingida, irá sentir a sua força anímica a aumentar.
  • 14. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Construa relações de suporte:Construa relações de suporte: É frequente que a natureza da própria depressão retire à pessoa que está deprimida, a clareza de pensamento que necessita para pedir ajuda. Assim, é importante esforçar-se por desafiar o apelo ao isolamento, tentando promover relacionamentos interpessoais e actividades sociais: - Procure partilhar com amigos e familiares de confiança, mesmo que não presencialmente, aquilo porque está a passar e o que está a sentir;
  • 15. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Construa relações de suporte:Construa relações de suporte: É frequente que a natureza da própria depressão retire à pessoa que está deprimida, a clareza de pensamento que necessita para pedir ajuda. Assim, é importante esforçar-se por desafiar o apelo ao isolamento, tentando promover relacionamentos interpessoais e actividades sociais: - Tente envolver-se em actividades sociais, ainda que não se sinta particularmente motivado para o fazer;
  • 16. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Construa relações de suporte:Construa relações de suporte: É frequente que a natureza da própria depressão retire à pessoa que está deprimida, a clareza de pensamento que necessita para pedir ajuda. Assim, é importante esforçar-se por desafiar o apelo ao isolamento, tentando promover relacionamentos interpessoais e actividades sociais: - Se possível junte-se a um grupo de apoio para a depressão.
  • 17. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Cuide de si mesmo:Cuide de si mesmo: - Procure fazer coisas que goste (ou que gostava); - Adopte hábitos saudáveis de vida: • Durma o tempo suficiente (em média 6/8 horas); • Exponha-se um pouco ao sol todos os dias, e se possível procure estar em contacto com a natureza; • Pratique técnicas de relaxamento (ex. yoga, meditação, relaxamento progressivo);
  • 18. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Cuide de si mesmo:Cuide de si mesmo: - Adopte hábitos saudáveis de vida: • Pratique actividade física regularmente:  Escolha actividades de intensidade moderada;  Escolha exercícios que sejam contínuos e rítmicos (ex. andar, nadar, andar de bicicleta, fazer yoga);  Comece devagar e não exagere na intensidade.
  • 19. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Aprenda a gerir o stress:Aprenda a gerir o stress: - Não se auto-pressione, ponha o perfeccionismo de lado, já sabemos que a perfeição na realidade não existe, é apenas uma criação da nossa mente; - Identifique quais as situações que funcionam como “gatilhos” do seu stress (stressores) e quais o limiar de stress que consegue suportar, para que lhe seja possível proteger-se atempadamente, accionando algumas das estratégias que fazer parte da sua “caixa de ferramentas de bem-estar”.
  • 20. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Desafie os pensamentos negativos:Desafie os pensamentos negativos: - Pense fora de si mesmo: Pergunte a si mesmo se você diria a outra pessoa o que está pensando para si. Se acha que não diria, pare de ser tão duro consigo. Pense em declarações mais ajustadas e como as pode verbalizar ou pensar de uma forma mais realista; - Socialize com pessoas positivas e bem humoradas;
  • 21. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Desafie os pensamentos negativos:Desafie os pensamentos negativos: - Faça um registo dos seus pensamentos negativos mais severos: Sempre que tiver um pensamento negativo, anote o pensamento e o que o desencadeou num livro de registo Reveja o registo quando você estiver de bom humor. Pergunte a si mesmo se a forma negativa como pensou acerca de uma determinada situação, foi verdadeiramente justificada. Pode também obter uma segunda opinião sobre o seu registo, junto de um amigo ou alguém em quem confie;
  • 22. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Desafie os pensamentos negativos:Desafie os pensamentos negativos: - Substitua pensamentos negativos por positivos: Reveja o registo de pensamentos negativos. Depois, para cada pensamento negativo, escreva algo positivo. Por exemplo, ” O meu chefe não gosta de mim. Por isso é que me deu este relatório tão complicado para eu fazer e em tão pouco tempo”. Poderia substituir para: “O meu chefe deve ter muita confiança nas minhas capacidades, para me dar tanta responsabilidade”.
  • 23. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Procure trabalhar na compreensão das suasProcure trabalhar na compreensão das suas emoções:emoções: - Não deve ter medo de se reconectar com as suas emoções, pois apesar de o primeiro impacto poder ser doloroso, as emoções, mesmos as negativas, vão e vêm. Estas, não permanecem em nós para sempre, basta que para isso façamos um esforço para nos desfocar delas. Por outro lado, é muito importante aceitarmos que as nossas emoções nos pertencem e nos transmitem informação fundamental acerca de nós mesmos;
  • 24. 4. ESTRATÉGIAS PARA AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DA DEPRESSÃO o Procure trabalhar na compreensão das suasProcure trabalhar na compreensão das suas emoções:emoções: - Deve ter consciência que a suas sensações físicas lhe podem dar pistas muito importantes acerca das suas emoções e, como tal funcionar com peças chave no entendimento das mesmas, o Saiba aceitar e reconhecer quando é necessárioSaiba aceitar e reconhecer quando é necessário procurar ajuda profissional, e consciencialize-se queprocurar ajuda profissional, e consciencialize-se que uma depressão é sempre possível de ser tratada.uma depressão é sempre possível de ser tratada.
  • 25. 5. COMO PODEMOS AJUDAR A UMA PESSOA COM DEPRESSÃO? Simplesmente, “estando lá”, fazendo-lhe companhia, estando disponíveis para a reconfortar e escutar sem dizer nada, se ela assim o desejar;  Dando apoio através de pequenos gestos, como por exemplo, convidando a pessoa para fazer algo connosco que saibamos que ela gosta, ou enviando-lhe uma mensagem de apoio e conforto para o telemóvel;
  • 26. 5. COMO PODEMOS AJUDAR A UMA PESSOA COM DEPRESSÃO?  Seja paciente;  Procure saber o máximo sobre depressão;  Evite dar conselhos, uma vez que as pessoas deprimidas ao terem, frequentemente, uma visão bastante alterada do mundo que as rodeia, podem encarar esses conselhos de uma forma ofensiva. É mais assertivo e funcional perguntar ou dizer algo como: “O que posso fazer para ajudar-te a sentir melhor?”; “ Se existir algo em que te possa ajudar , estou disponível.”
  • 27. 5. COMO PODEMOS AJUDAR A UMA PESSOA COM DEPRESSÃO?  Não julgando, nem criticando a pessoa e as atitudes e comportamentos;  Não minimizando o sofrimento da pessoa;  Evite fazer comparações, uma vez que, ainda que tenha passado por uma situação semelhante, é importante não se esquecer que as dores são diferentes, assim como as causas e a forma de lidar com os problemas. Por isso, descreva a sua dor, mas respeite sempre a magnitude da dor do outro.