SlideShare uma empresa Scribd logo
ORIGENS DO BARROCO 
 O barroco foi uma tendência artística que se 
desenvolveu primeiramente nas artes plásticas e 
depois se manifestou na literatura, no teatro e na 
música. 
 O berço do barroco é a Itália do século XVII, porém 
se espalhou por outros países europeus como, por 
exemplo, a Holanda, a Bélgica, a França e a Espanha. 
 O barroco permaneceu vivo no mundo das artes até 
o século XVIII.
CONTEXTO HISTÓRICO 
 O barroco se desenvolve no seguinte contexto 
histórico: após o processo de Reformas Religiosas, 
ocorrido no século XVI, a Igreja Católica havia perdido 
muito espaço e poder. Mesmo assim, os católicos 
continuavam influenciando muito o cenário político, 
econômico e religioso na Europa. 
 A arte barroca surge neste contexto e expressa todo o 
contraste deste período: a espiritualidade e 
teocentrismo da Idade Média com o racionalismo e 
antropocentrismo do Renascimento.
Barroco Europeu 
 As obras dos artistas barrocos europeus valorizam as 
cores, as sombras e a luz, e representam os 
contrates. As imagens não são tão centralizadas 
quanto as renascentistas e aparecem de forma 
dinâmica, valorizando o movimento. Os temas 
principais são : mitologia, passagens da Bíblia e a 
história da humanidade. 
 As cenas retratadas costumam ser sobre a vida da 
nobreza, o cotidiano da burguesia, naturezas-mortas 
entre outros. Muitos artistas barrocos dedicaram-se a 
decorar igrejas com esculturas e pinturas, utilizando a 
técnica da perspectiva.
Barroco Europeu 
 As esculturas barrocas mostram faces humanas 
marcadas pelas emoções, principalmente o 
sofrimento. Os traços se contorcem, demonstrando 
um movimento exagerado. Predominam nas 
esculturas as curvas, os relevos e a utilização da cor 
dourada. 
 Podemos citar como principais artistas do barroco: o 
espanhol Velázquez, o italiano Caravaggio, os belgas 
Van Dyck e Frans Hals, os holandeses Rembrandt 
Vermeer e o flamengo Rubens.
Arte da Pintura - Jan Vermeer, c. 
1665-1667
CARACTERÍSTICAS DO 
BARROCO 
 TEOCENTRISMO x ANTROPOCENTRISMO 
 O rebuscamento da arte barroca é reflexo do dilema 
em que vivia o homem do seiscentismo (os anos de 
1600). Daí as preferências por temas opostos: espírito 
e matéria, perdão e pecado, bem e mal, céu e inferno. 
Tudo isso gerava a preocupação com a brevidade da 
vida (carpe diem). 
 (homem X Deus, carne X espírito)
CARACTERÍSTICAS DO 
BARROCO 
 Atormentado por este conflito, o homem produz textos literários 
com características bastante nítidas. São elas: 
a) uso de contrastes: as idéias opostas seduzem o barroco; os 
textos mostram choques entre amor e dor, vida e morte, 
religiosidade e erotismo, juventude e velhice, etc. 
b) pessimismo: conflito entre o eu e o mundo. A vida terrena é vista 
como triste, cheia de sofrimento, enquanto que a vida celestial é 
luminosa e tranquila. 
c) presença de impressões sensoriais: usando seus sentidos, o 
homem busca captar todo o sentido da miséria humana, 
ressaltando seus aspectos dolorosos e cruéis.
CARACTERÍSTICAS DO 
BARROCO 
 Preocupação com a transitoriedade da vida: por ser 
curta, a vida não permite que o homem a viva 
intensamente, como seria seu desejo. 
 Intensidade: desejo de expressar as emoções fortes 
do amor, do desejo e da dor em profundidade, na 
tentativa de encontrar o sentido da existência 
humana.
Barroco no Brasil 
 O barroco brasileiro foi diretamente influenciado pelo 
barroco português, porém, com o tempo, foi 
assumindo características próprias. 
 A grande produção artística barroca no Brasil ocorreu 
nas cidade auríferas de Minas Gerais, no chamado 
século do ouro (século XVIII). Estas cidades eram 
ricas e possuíam um intensa vida cultura e artística 
em pleno desenvolvimento.
Barroco no Brasil 
O principal representante do barroco 
mineiro foi o escultor e arquiteto Antônio 
Francisco de Lisboa também conhecido 
como Aleijadinho. Sua obras, de forte 
caráter religioso, eram feitas em 
madeira e pedra-sabão, os principais 
materiais usados pelos artistas barrocos 
do Brasil.
Barroco no Brasil 
 Podemos citar algumas obras de Aleijadinho : Os 
Doze Profetas e Os Passos da Paixão, na Igreja de 
Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas do Campo 
(MG). Outros artistas importantes do barroco 
brasileiro foram: o pintor mineiro Manuel da Costa 
Ataíde e o escultor carioca Mestre Valentim. No 
estado da Bahia, o barroco destacou-se na decoração 
das igrejas em Salvador como, por exemplo, de São 
Francisco de Assis e a da Ordem Terceira de São 
Francisco.
Detalhe de o Cristo do carregamento da Cruz, por 
Aleijadinho
Busto do Profeta Daniel, Aleijadinho
Última Ceia, Aleijadinho
Características da escultura de 
Aleijadinho 
Olhos espaçados 
Nariz reto e alongado 
Lábios entreabertos 
Queixo pontiagudo 
Pescoço alongado em forma de V
AUTORES DO BARROCO 
BRASILEIRO 
1. BENTO TEIXEIRA 
Iniciador do Barroco no Brasil, autor de Prosopopéia. 
2. GREGÓRIO DE MATOS 
O Boca do Inferno; poeta maior do Barroco brasileiro. 
3. PADRE ANTÔNIO VIEIRA 
Maior orador sacro de nossa literatura. 
4. MANUEL BOTELHO DE OLIVEIRA 
Autor de Música do Parnaso (1705), primeira obra publicada por 
um autor brasileiro.
TEMAS DA POESIA 
GREGORIANA: 
 POESIA RELIGIOSA: mostra o autor envolvido pelo 
sentimento de culpa e de arrependimento, implorando 
perdão. 
 POESIA SATÍRICA: mostra a crítica severa de uma 
sociedade marcada pela mediocridade e pela 
desonestidade, nasce de um sujeito lírico que adota 
um ponto de vista conservador e preconceituoso. 
Seus poemas satíricos renderam-lhe o apelido de 
Boca do Inferno. 
 POESIA ERÓTICA: mostra o uso de palavrões e 
alusões obscenas, mesmo em textos sutis onde a 
ambigüidade aparece repleta de safadeza.
A PROSA BARROCA BRASILEIRA 
 PADRE ANTÔNIO VIEIRA nasceu em Lisboa, em 1608, chegou 
ao Brasil e se instalou em Salvador, iniciando seu noviciado na 
Companhia de Jesus.Efetivou uma política de defesa dos 
cristãos novos, procurando protegê-los da Inquisição em 
Portugal. 
 Sua extensa obra reflete seu envolvimento nos debates sociais e 
políticos de Portugal e do Brasil no século XVII. 
 Os sermões e cartas, além de temas especificamente religiosos 
também manifestam questões polêmicas da época como: a luta 
pela independência portuguesa, o confronto com holandeses no 
nordeste, a escravidão índia e negra, a defesa dos judeus e 
cristãos-novos contra a intolerância da Inquisição.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Lucas Queiroz
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
Zenia Ferreira
 
Vanguarda europeia
Vanguarda europeiaVanguarda europeia
Vanguarda europeia
Ana Batista
 
Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Hely Costa Júnior
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
Ivana Mayrink
 
A Segunda Geração modernista brasileira: Poesia
A Segunda Geração modernista brasileira: PoesiaA Segunda Geração modernista brasileira: Poesia
A Segunda Geração modernista brasileira: Poesia
Ademir Miranda
 
1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo
Luciene Gomes
 
Literatura barroca
Literatura barrocaLiteratura barroca
Literatura barroca
daniel ferreira
 
Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
Equipemundi2014
 
Figuras de linguagem completo
Figuras de linguagem completoFiguras de linguagem completo
Figuras de linguagem completo
CDIM Daniel
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
Cláudia Heloísa
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
Ana Batista
 
Cubismo
CubismoCubismo
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 30
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 302 Fase Modernista- ROMANCE DE 30
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 30
Jaqueline Soares
 
Esolas literarias
Esolas literariasEsolas literarias
Esolas literarias
Agenor Neto
 
Parnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiroParnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiro
Andréia Peixoto
 
Realismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - Literatura
Cynthia Funchal
 
Segunda geração modernista
Segunda geração modernistaSegunda geração modernista
Segunda geração modernista
Andrieli Muhl
 
Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..
guesta61019
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
Ana Paula Brisolar
 

Mais procurados (20)

Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
 
Vanguarda europeia
Vanguarda europeiaVanguarda europeia
Vanguarda europeia
 
Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
 
A Segunda Geração modernista brasileira: Poesia
A Segunda Geração modernista brasileira: PoesiaA Segunda Geração modernista brasileira: Poesia
A Segunda Geração modernista brasileira: Poesia
 
1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo
 
Literatura barroca
Literatura barrocaLiteratura barroca
Literatura barroca
 
Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
 
Figuras de linguagem completo
Figuras de linguagem completoFiguras de linguagem completo
Figuras de linguagem completo
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 30
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 302 Fase Modernista- ROMANCE DE 30
2 Fase Modernista- ROMANCE DE 30
 
Esolas literarias
Esolas literariasEsolas literarias
Esolas literarias
 
Parnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiroParnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiro
 
Realismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - Literatura
 
Segunda geração modernista
Segunda geração modernistaSegunda geração modernista
Segunda geração modernista
 
Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 

Destaque

Pré história - história e arte
Pré história - história e artePré história - história e arte
Pré história - história e arte
Lú Carvalho
 
Egito
EgitoEgito
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
Lú Carvalho
 
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português - Palavras Semelhantes
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português -  Palavras Semelhanteswww.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português -  Palavras Semelhantes
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português - Palavras Semelhantes
Anna Paula
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
Elayne Silva
 
Tempo colonia data
Tempo colonia dataTempo colonia data
Tempo colonia data
cursinhoembu
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
Isabel Aguiar
 
Revolta  de filipe dos santos– 1720 – vila rica/Estude para o Enem!
Revolta  de filipe dos santos– 1720 – vila rica/Estude para o Enem!Revolta  de filipe dos santos– 1720 – vila rica/Estude para o Enem!
Revolta  de filipe dos santos– 1720 – vila rica/Estude para o Enem!
Joemille Leal
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
Lú Carvalho
 
2º médio brasil regência aulas 5 e6
2º médio brasil regência aulas 5 e62º médio brasil regência aulas 5 e6
2º médio brasil regência aulas 5 e6
Lú Carvalho
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Lú Carvalho
 
Baixa Idade Media (sec XI-XV)
Baixa Idade Media (sec XI-XV)Baixa Idade Media (sec XI-XV)
Baixa Idade Media (sec XI-XV)
Lú Carvalho
 
Roma
RomaRoma
Bizantinos e francos
Bizantinos e francosBizantinos e francos
Bizantinos e francos
Lú Carvalho
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
Lú Carvalho
 
Introdução ao estudo da história
Introdução ao estudo da históriaIntrodução ao estudo da história
Introdução ao estudo da história
Lú Carvalho
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
Lú Carvalho
 
Economia e Urbanização na República Velha
Economia e Urbanização na República VelhaEconomia e Urbanização na República Velha
Economia e Urbanização na República Velha
Lú Carvalho
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Jornal Ovale
 
Linguagem para bobos
Linguagem para bobosLinguagem para bobos
Linguagem para bobos
Fernando Monteiro D'Andrea
 

Destaque (20)

Pré história - história e arte
Pré história - história e artePré história - história e arte
Pré história - história e arte
 
Egito
EgitoEgito
Egito
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
 
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português - Palavras Semelhantes
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português -  Palavras Semelhanteswww.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português -  Palavras Semelhantes
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - Português - Palavras Semelhantes
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
 
Tempo colonia data
Tempo colonia dataTempo colonia data
Tempo colonia data
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
Revolta  de filipe dos santos– 1720 – vila rica/Estude para o Enem!
Revolta  de filipe dos santos– 1720 – vila rica/Estude para o Enem!Revolta  de filipe dos santos– 1720 – vila rica/Estude para o Enem!
Revolta  de filipe dos santos– 1720 – vila rica/Estude para o Enem!
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
 
2º médio brasil regência aulas 5 e6
2º médio brasil regência aulas 5 e62º médio brasil regência aulas 5 e6
2º médio brasil regência aulas 5 e6
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Baixa Idade Media (sec XI-XV)
Baixa Idade Media (sec XI-XV)Baixa Idade Media (sec XI-XV)
Baixa Idade Media (sec XI-XV)
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Bizantinos e francos
Bizantinos e francosBizantinos e francos
Bizantinos e francos
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Introdução ao estudo da história
Introdução ao estudo da históriaIntrodução ao estudo da história
Introdução ao estudo da história
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
 
Economia e Urbanização na República Velha
Economia e Urbanização na República VelhaEconomia e Urbanização na República Velha
Economia e Urbanização na República Velha
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Linguagem para bobos
Linguagem para bobosLinguagem para bobos
Linguagem para bobos
 

Semelhante a Barroco

Os contraste do barroco
Os contraste do barrocoOs contraste do barroco
Os contraste do barroco
Edinair Alves
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
BarrocoBarroco
literatura-barroco1-101103152934-phpapp01.pdf
literatura-barroco1-101103152934-phpapp01.pdfliteratura-barroco1-101103152934-phpapp01.pdf
literatura-barroco1-101103152934-phpapp01.pdf
Carlos100coliCoimbra
 
Barroco no Brasil
Barroco no BrasilBarroco no Brasil
Barroco no Brasil
Gustavo Alves
 
Literatura slides
Literatura  slidesLiteratura  slides
Literatura slides
Ma Hildebrand de Araujo
 
Apostila arte barroca
Apostila arte barrocaApostila arte barroca
Apostila arte barroca
nandacruz
 
Texto Para As Fotos Do Barroco Prof
Texto Para As Fotos Do Barroco   ProfTexto Para As Fotos Do Barroco   Prof
Texto Para As Fotos Do Barroco Prof
hsjval
 
Características do barroco
Características do barrocoCaracterísticas do barroco
Características do barroco
Wesley Henrique
 
Barroco 1 ano
Barroco 1 anoBarroco 1 ano
Barroco 1 ano
Marilene dos Santos
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
BarrocoBarroco
Aleijadinho
AleijadinhoAleijadinho
O Barroco
O BarrocoO Barroco
O Barroco
Rita
 
Barroco
Barroco Barroco
Barroco
peterloco
 
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
Alecio Marcelo Vaz Vaz
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
0009222
 
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05   barroco em portugal e literatura informativaAula 05   barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
Jonatas Carlos
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
Erika Renata
 

Semelhante a Barroco (20)

Os contraste do barroco
Os contraste do barrocoOs contraste do barroco
Os contraste do barroco
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
literatura-barroco1-101103152934-phpapp01.pdf
literatura-barroco1-101103152934-phpapp01.pdfliteratura-barroco1-101103152934-phpapp01.pdf
literatura-barroco1-101103152934-phpapp01.pdf
 
Barroco no Brasil
Barroco no BrasilBarroco no Brasil
Barroco no Brasil
 
Literatura slides
Literatura  slidesLiteratura  slides
Literatura slides
 
Apostila arte barroca
Apostila arte barrocaApostila arte barroca
Apostila arte barroca
 
Texto Para As Fotos Do Barroco Prof
Texto Para As Fotos Do Barroco   ProfTexto Para As Fotos Do Barroco   Prof
Texto Para As Fotos Do Barroco Prof
 
Características do barroco
Características do barrocoCaracterísticas do barroco
Características do barroco
 
Barroco 1 ano
Barroco 1 anoBarroco 1 ano
Barroco 1 ano
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Aleijadinho
AleijadinhoAleijadinho
Aleijadinho
 
O Barroco
O BarrocoO Barroco
O Barroco
 
Barroco
Barroco Barroco
Barroco
 
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
13650916 literatura-aula-05-barroco-em-portugal-e-literatura-informativa
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05   barroco em portugal e literatura informativaAula 05   barroco em portugal e literatura informativa
Aula 05 barroco em portugal e literatura informativa
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
 

Mais de Lú Carvalho

Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
Lú Carvalho
 
Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da América
Lú Carvalho
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
Lú Carvalho
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
Lú Carvalho
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos eua
Lú Carvalho
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Lú Carvalho
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
Lú Carvalho
 
Restauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas NativistasRestauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas Nativistas
Lú Carvalho
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
Lú Carvalho
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
Lú Carvalho
 
Brasil Regência
Brasil RegênciaBrasil Regência
Brasil Regência
Lú Carvalho
 
Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da América
Lú Carvalho
 
Rugendas II
Rugendas IIRugendas II
Rugendas II
Lú Carvalho
 
Rugendas I
Rugendas IRugendas I
Rugendas I
Lú Carvalho
 
Paul Harro-Harring
Paul Harro-HarringPaul Harro-Harring
Paul Harro-Harring
Lú Carvalho
 
Debret
DebretDebret
Debret
Lú Carvalho
 
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesaColonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
Lú Carvalho
 
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e IncasCivilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Lú Carvalho
 
Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima  Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima
Lú Carvalho
 
Império Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e CarolingeoImpério Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e Carolingeo
Lú Carvalho
 

Mais de Lú Carvalho (20)

Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da América
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos eua
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
 
Restauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas NativistasRestauração e Revoltas Nativistas
Restauração e Revoltas Nativistas
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Brasil Regência
Brasil RegênciaBrasil Regência
Brasil Regência
 
Processo de Independência da América
Processo de Independência da AméricaProcesso de Independência da América
Processo de Independência da América
 
Rugendas II
Rugendas IIRugendas II
Rugendas II
 
Rugendas I
Rugendas IRugendas I
Rugendas I
 
Paul Harro-Harring
Paul Harro-HarringPaul Harro-Harring
Paul Harro-Harring
 
Debret
DebretDebret
Debret
 
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesaColonizações inglesa, francesa e holandesa
Colonizações inglesa, francesa e holandesa
 
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e IncasCivilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
Civilizações Pré-Colombianas: Maias, Astecas e Incas
 
Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima  Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima
 
Império Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e CarolingeoImpério Bizantino e Carolingeo
Império Bizantino e Carolingeo
 

Último

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 

Último (20)

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 

Barroco

  • 1.
  • 2. ORIGENS DO BARROCO  O barroco foi uma tendência artística que se desenvolveu primeiramente nas artes plásticas e depois se manifestou na literatura, no teatro e na música.  O berço do barroco é a Itália do século XVII, porém se espalhou por outros países europeus como, por exemplo, a Holanda, a Bélgica, a França e a Espanha.  O barroco permaneceu vivo no mundo das artes até o século XVIII.
  • 3. CONTEXTO HISTÓRICO  O barroco se desenvolve no seguinte contexto histórico: após o processo de Reformas Religiosas, ocorrido no século XVI, a Igreja Católica havia perdido muito espaço e poder. Mesmo assim, os católicos continuavam influenciando muito o cenário político, econômico e religioso na Europa.  A arte barroca surge neste contexto e expressa todo o contraste deste período: a espiritualidade e teocentrismo da Idade Média com o racionalismo e antropocentrismo do Renascimento.
  • 4. Barroco Europeu  As obras dos artistas barrocos europeus valorizam as cores, as sombras e a luz, e representam os contrates. As imagens não são tão centralizadas quanto as renascentistas e aparecem de forma dinâmica, valorizando o movimento. Os temas principais são : mitologia, passagens da Bíblia e a história da humanidade.  As cenas retratadas costumam ser sobre a vida da nobreza, o cotidiano da burguesia, naturezas-mortas entre outros. Muitos artistas barrocos dedicaram-se a decorar igrejas com esculturas e pinturas, utilizando a técnica da perspectiva.
  • 5. Barroco Europeu  As esculturas barrocas mostram faces humanas marcadas pelas emoções, principalmente o sofrimento. Os traços se contorcem, demonstrando um movimento exagerado. Predominam nas esculturas as curvas, os relevos e a utilização da cor dourada.  Podemos citar como principais artistas do barroco: o espanhol Velázquez, o italiano Caravaggio, os belgas Van Dyck e Frans Hals, os holandeses Rembrandt Vermeer e o flamengo Rubens.
  • 6. Arte da Pintura - Jan Vermeer, c. 1665-1667
  • 7. CARACTERÍSTICAS DO BARROCO  TEOCENTRISMO x ANTROPOCENTRISMO  O rebuscamento da arte barroca é reflexo do dilema em que vivia o homem do seiscentismo (os anos de 1600). Daí as preferências por temas opostos: espírito e matéria, perdão e pecado, bem e mal, céu e inferno. Tudo isso gerava a preocupação com a brevidade da vida (carpe diem).  (homem X Deus, carne X espírito)
  • 8. CARACTERÍSTICAS DO BARROCO  Atormentado por este conflito, o homem produz textos literários com características bastante nítidas. São elas: a) uso de contrastes: as idéias opostas seduzem o barroco; os textos mostram choques entre amor e dor, vida e morte, religiosidade e erotismo, juventude e velhice, etc. b) pessimismo: conflito entre o eu e o mundo. A vida terrena é vista como triste, cheia de sofrimento, enquanto que a vida celestial é luminosa e tranquila. c) presença de impressões sensoriais: usando seus sentidos, o homem busca captar todo o sentido da miséria humana, ressaltando seus aspectos dolorosos e cruéis.
  • 9. CARACTERÍSTICAS DO BARROCO  Preocupação com a transitoriedade da vida: por ser curta, a vida não permite que o homem a viva intensamente, como seria seu desejo.  Intensidade: desejo de expressar as emoções fortes do amor, do desejo e da dor em profundidade, na tentativa de encontrar o sentido da existência humana.
  • 10. Barroco no Brasil  O barroco brasileiro foi diretamente influenciado pelo barroco português, porém, com o tempo, foi assumindo características próprias.  A grande produção artística barroca no Brasil ocorreu nas cidade auríferas de Minas Gerais, no chamado século do ouro (século XVIII). Estas cidades eram ricas e possuíam um intensa vida cultura e artística em pleno desenvolvimento.
  • 11. Barroco no Brasil O principal representante do barroco mineiro foi o escultor e arquiteto Antônio Francisco de Lisboa também conhecido como Aleijadinho. Sua obras, de forte caráter religioso, eram feitas em madeira e pedra-sabão, os principais materiais usados pelos artistas barrocos do Brasil.
  • 12. Barroco no Brasil  Podemos citar algumas obras de Aleijadinho : Os Doze Profetas e Os Passos da Paixão, na Igreja de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas do Campo (MG). Outros artistas importantes do barroco brasileiro foram: o pintor mineiro Manuel da Costa Ataíde e o escultor carioca Mestre Valentim. No estado da Bahia, o barroco destacou-se na decoração das igrejas em Salvador como, por exemplo, de São Francisco de Assis e a da Ordem Terceira de São Francisco.
  • 13. Detalhe de o Cristo do carregamento da Cruz, por Aleijadinho
  • 14. Busto do Profeta Daniel, Aleijadinho
  • 16. Características da escultura de Aleijadinho Olhos espaçados Nariz reto e alongado Lábios entreabertos Queixo pontiagudo Pescoço alongado em forma de V
  • 17. AUTORES DO BARROCO BRASILEIRO 1. BENTO TEIXEIRA Iniciador do Barroco no Brasil, autor de Prosopopéia. 2. GREGÓRIO DE MATOS O Boca do Inferno; poeta maior do Barroco brasileiro. 3. PADRE ANTÔNIO VIEIRA Maior orador sacro de nossa literatura. 4. MANUEL BOTELHO DE OLIVEIRA Autor de Música do Parnaso (1705), primeira obra publicada por um autor brasileiro.
  • 18. TEMAS DA POESIA GREGORIANA:  POESIA RELIGIOSA: mostra o autor envolvido pelo sentimento de culpa e de arrependimento, implorando perdão.  POESIA SATÍRICA: mostra a crítica severa de uma sociedade marcada pela mediocridade e pela desonestidade, nasce de um sujeito lírico que adota um ponto de vista conservador e preconceituoso. Seus poemas satíricos renderam-lhe o apelido de Boca do Inferno.  POESIA ERÓTICA: mostra o uso de palavrões e alusões obscenas, mesmo em textos sutis onde a ambigüidade aparece repleta de safadeza.
  • 19. A PROSA BARROCA BRASILEIRA  PADRE ANTÔNIO VIEIRA nasceu em Lisboa, em 1608, chegou ao Brasil e se instalou em Salvador, iniciando seu noviciado na Companhia de Jesus.Efetivou uma política de defesa dos cristãos novos, procurando protegê-los da Inquisição em Portugal.  Sua extensa obra reflete seu envolvimento nos debates sociais e políticos de Portugal e do Brasil no século XVII.  Os sermões e cartas, além de temas especificamente religiosos também manifestam questões polêmicas da época como: a luta pela independência portuguesa, o confronto com holandeses no nordeste, a escravidão índia e negra, a defesa dos judeus e cristãos-novos contra a intolerância da Inquisição.