SlideShare uma empresa Scribd logo
Senac Unidade 24 de Maio
Fluxograma
TECNICO CONTABILIDADETECNICO CONTABILIDADE
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
Fluxograma
Aula 4 AAula 4 A -- BRINDE IIBRINDE II
Docente - Edson dos Santos (negão)
Fluxograma de ProcessoFluxograma de Processo
O fluxograma é um diagrama utilizado para representar a
sequência dos processos, através de ssíímbolos grmbolos grááficosficos.
Os símbolos do fluxograma proporcionam uma melhormelhor
visualizavisualizaçção do funcionamento do processoão do funcionamento do processo, ajudando no
seu entendimento.
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 2
seu entendimento.
No gerenciamento de processos, o fluxograma tem como
objetivo garantir a qualidade e aumentar aobjetivo garantir a qualidade e aumentar a
produtividadeprodutividade, através da documentação do fluxo das
atividades, utilizando diversos sutilizando diversos síímbolos diferentesmbolos diferentes para
identificar os diferentes tipos de atividades.
APLICAÇÕES DO FLUXOGRAMAAPLICAÇÕES DO FLUXOGRAMA
-Melhora a compreensão do processo de trabalho.
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 3
-Mostra os passos para a realização do trabalho.
- Cria normas de padrão de trabalho.
FluxogramaFluxograma
• Gráfico universal que representa o fluxo ou a
sequência normal de qualquer trabalho;
• Símbolos utilizados no fluxograma têm por
finalidade colocar em evidência a origem,
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
finalidade colocar em evidência a origem,
processamento e destino da informação;
• Alguns símbolos são consagrados, outros ainda
são duvidosos, porém quando necessário deve-se
utilizar outros símbolos, colocando legenda.
FluxogramaFluxograma
Vantagens dos FluxogramasVantagens dos Fluxogramas
• Permitir verificar como funcionam, realmente, todos os
componentes de um sistema, mecanizando ou não, facilitando a
análise de sua eficácia;
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
• Entendimento mais simples e objetivo do que o de outros métodos
descritivos;
• Facilitar localização das deficiências, pela fácil visualização dos
passos, transportes, operações, formulários entre outros...
FluxogramaFluxograma
Vantagens dos FluxogramasVantagens dos Fluxogramas
• Aplicação a qualquer sistema, desde o mais simples aos
mais complexos;
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
• O rápido entendimento de qualquer alteração que se
proponha nos sistemas existentes;
• Por mostrar claramente as modificações introduzidas.
FluxogramaFluxograma
Uma importante opinião sobre os fluxogramas :Uma importante opinião sobre os fluxogramas :
• Ferramenta inestimável para entender o funcionamento interno;
• Função básica: documentar um processo para que se possa
identificar as áreas que precisam ser aperfeiçoadas;
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
identificar as áreas que precisam ser aperfeiçoadas;
• Cria disciplina mental, demonstra regras e políticas que não são
claras, ou estão sendo desobedecias;
• bons fluxogramas facilitam as comunicações entre as áreas
problemáticas, tendo capacidade de esclarecer casos complexos.
FluxogramaFluxograma
Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas
• Demonstraram como as coisas são realmente feitas;
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
• Pesquisa minuciosa junto às unidades organizacionais em exame;
• Fazer levantamento dos passos que envolvem o trabalho.
FluxogramaFluxograma
Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas
Elaboração e análise do fluxograma pode ser descrito nas seguintesElaboração e análise do fluxograma pode ser descrito nas seguintes
fases:fases:
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
fases:fases:
1.Comunicação:1.Comunicação: entre chefias e empregados
referente a realização do trabalho e seus
objetivos;
FluxogramaFluxograma
Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas
2.Coleta de dados:2.Coleta de dados: fornecidas pelos próprios executores dos trabalhos, utilizando
um roteiro de entrevista, contendo questões como:
a)cargo e nome?;
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
b) de quem recebe trabalho?;
c) em que consiste seu trabalho?
d) para quem passa o trabalho após terminar sua parte?;
e) quantas unidades de trabalho faz por dia? (se for interessante) ;
f) quanto tempo gasta para realizar seu trabalho? (se for de interesse).
FluxogramaFluxograma
Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas
3.3.FluxogramaçãoFluxogramação:: colhidos os dados, verificar o tipo de fluxograma a ser utilizado
e fazer rascunho;
•Examinar o fluxograma elaborado e, caso não esteja claras as informações voltar
aos entrevistados para:
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
aos entrevistados para:
a)certificar-se da correção dos dados;
b) colher informações adicionais;
c) ouvir opiniões dos executores dos serviços;
d) fazer observação pessoal das rotinas que apresentam incoerências.
FluxogramaFluxograma
Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas
4.Análise do fluxograma:4.Análise do fluxograma: deve partir do processo geral e descer
progressivamente ao exame minucioso das diversas parte;
a) Qual a utilidade de cada etapa do processo?;
b) Haverá vantagens em se alterar a sequência de operações?;
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
b) Haverá vantagens em se alterar a sequência de operações?;
c) As operações estão sendo executadas por pessoas adequadas às funções que
ocupam;
d) Com treinamento suficiente nas técnicas utilizadas?;
f) Cada operação está sendo executada da maneira mais eficiente?;
g) Os formulários são adequados, em número de vias e em seus respectivos
campos.
FluxogramaFluxograma
Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas
5A.Relatório da análise:5A.Relatório da análise: nessa fase terminado o estudo e o
novo fluxograma, o analista deve preparar um relatório em
que poderão ser inseridos os seguintes itens:
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
a)condições atuais: fluxograma da situação existente;
•Informações complementares sobre fases complexas;
•Cópias preenchidas dos formulários utilizados no
processamento;
FluxogramaFluxograma
Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas
5B.Relatório da análise:5B.Relatório da análise:
b)análise das condições existentes: descrição das falhas de
processamento diagnosticados, como:
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
•morosidade;
•desperdício de mão-de-obra;
• erros;
•dificuldade de controle;
FluxogramaFluxograma
Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas
5C.Relatório da análise:5C.Relatório da análise:
c)Recomendações:
•fluxograma da rotina proposta;
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
•fluxograma da rotina proposta;
•informações complementares sobre fases complexas (se for o caso);
• cópias dos formulários propostos (se for o caso);
•Instrumento Executivo Normativo de implantação do novo fluxo de
trabalho.
FluxogramaFluxograma
Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas
6.Apresentação do trabalho: os fluxogramas e formulários
constituem excelentes demonstrações visuais para a
apresentação de recomendações finais.
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
NOTA:NOTA:
Exposição de métodos atuais e propostos deve ser clara e
objetiva;
Fluxogramas devem ser desenhados com utilização de
gabaritos apropriados, para facilitar a elaboração do
gráfico, retratando o fluxo de trabalho.
FluxogramaFluxograma
Fluxograma Global ou de ColunasFluxograma Global ou de Colunas
•Visão global que oferece do fluxo de trabalho;
•É apropriada para se transmitir o fluxo de trabalho para
toda a organização;
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
toda a organização;
• Normalmente é feito em formulário A-3 e depois
reduzido para A-4;
• Utilização dos Simbolos Universais de Fluxograma;
(disponivel aplicativo Word e Powe Point ou regras com simbolos geometricos).
TIPOS DE FLUXOGRAMATIPOS DE FLUXOGRAMA
1
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 18
SIMBOLOS DO FLUXOGRAMASIMBOLOS DO FLUXOGRAMA
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 19
EXEMPLO DE FLUXOGRAMAEXEMPLO DE FLUXOGRAMA
Exemplo de um fluxograma para procedimento de controle de produto não conforme:Exemplo de um fluxograma para procedimento de controle de produto não conforme:
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 20
RESULTADOS/ METASRESULTADOS/ METAS
Quando um fluxograma de processo é
elaborado, são identificados os fatores
problemáticos que não eram percebidos
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 21
anteriormente, os quais poderão ser trabalhados
e melhorados para alcançar melhores resultados.
REFERÊNCIAREFERÊNCIA
PEINADO, Jurandir; GRAEML, Alexandre Reis. AdministraPEINADO, Jurandir; GRAEML, Alexandre Reis. Administraçção da produão da produçção: operaão: operaçções industriais e de serviões industriais e de serviçços.os.
Curitiba:Curitiba: UnicenPUnicenP, 2007., 2007.
SLACK, NigelSLACK, Nigel etet al. Administraal. Administraçção de Produão de Produçção. São Paulo: Atlas, 2002.ão. São Paulo: Atlas, 2002.
Autor(Autor(eses): Rosemary Martins): Rosemary Martins
FLUXOGRAMA DE ATIVIDADESFLUXOGRAMA DE ATIVIDADES
Usado aqui para representar processos.
Processo visto como:
um conjunto articulado de atividades para gerar um resultado
denominado produto (mercadoria ou serviço).
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 22
denominado produto (mercadoria ou serviço).
uma cadeia de atividades que produz um serviço.
uma linha de produção para fabricar uma mercadoria.
Usaremos para representar
processo-chave de negócio
PROCESSOPROCESSO--CHAVE DO NEGÓCIOCHAVE DO NEGÓCIO
Focaliza um tipo de produto vendido pela empresa,
Abrange TODAS AS ATIVIDADES DA EMPRESA para:
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 23
Receber o Pedido do cliente,
Fazer o Produto,
Fazer a Entrega e,
Receber Pagamento.
IMPORTANTE:
Representa apenas as atividades realizadas PELA EMPRESA por meio
de seus EMPREGADOS.
NÃO DEVE REPRESENTAR:
PROCESSOPROCESSO--CHAVE DO NEGÓCIOCHAVE DO NEGÓCIO
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 24
NÃO DEVE REPRESENTAR:
Atividade de Cliente
Atividade de Fornecedor de Mercadoria (componentes)
Atividade de Fornecedor de Serviço (terceirizado)
Qualquer outra atividade externa à empresa (fiscal, consultor, vizinho,
etc.)
SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- II
Terminal:
INÍCIO
FIM
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 25
Indicador de fluxo de atividades:Indicador de fluxo de atividades:
de cima para baixo
esquerda para a direita
SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- IIII
Atividade:
Nome da atividade
Nome da atividade = verbo + objeto
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 26
Nome da atividade = verbo + objeto
Verbo no tempo presente
Objeto = substantivo + [expressão]
Exemplos:
•Monta computador
•Recebe pedido do cliente
•Paga dívida vencida
SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- IIIIII
Indicador de executante da atividade
Nome da atividade
Nome do executante
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 27
Nome do executante (da atividade):
• cargo ou função de empregado
• setor da empresa, etc.
Exemplos:
• Balconista
• Seção de Expedição.
SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- IVIV
Decisão:
Pergunta
?
NÃO
SIM
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 28
Conector de continuação:
(usar de uma página para outra)
SIM
1
1
SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- VV
Subprocesso, conceito igual a:
•Subrotina ou módulo
•Procedimento (procedure)
•Função (function)
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
•Função (function)
Consideração prática:
cada página deve conter no máximo 7±2 símbolos gráficos
Caso contrário a legibilidade do fluxograma (flowchart) ou de
qualquer outro modelo gráfico fica prejudicada.
SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- VV
Subprocesso:
Nome do
subprocesso
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
Nome do subprocesso = verbo + objeto
Verbo no infinitivo
Objeto = substantivo + [expressão]
Exemplos:
•Atualizar estoque
•Receber entrega do fornecedor
•Entregar encomendas do dia
SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- VV
Indicador de uso de Arquivo em Papel na
atividade (Tecnologia tradicional)
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
Nome da atividade
Nome do executante
Registrando
Cliente
Utilizar as mesmas convenções do Caso de Uso de TI, para dar nome ao Uso
de Arquivo em Papel
EXEMPLO DE FLUXOGRAMA IIEXEMPLO DE FLUXOGRAMA II
INÍCIO
Recebe Pedido
Vendedor
Fazer Produto
Entrega Produto
Registrando
Pedido
2
Consultando
Mapa
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
FIM
Recebe Pagamento
Tesouraria
Cliente
recebeu
?
SIM
NÃO
1
Logística
Mapa
Quitando Dívida
do Cliente
Lançando no
Livro-caixa
EXEMPLO DE FLUXOGRAMA IIIEXEMPLO DE FLUXOGRAMA III
Investiga
Motivo
Gerente
1
Consultando
Ocorrências
Anteriores
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
Providencia
Correções
2
Gerente
Relatando
Ocorrência
Atual
ALGUMAS RECOMENDAÇÕESALGUMAS RECOMENDAÇÕES
Fluxograma deve ter sempre um título:
•Nome do processo-chave
•Nome do subprocesso
Respeitar quantidade de símbolos gráficos por página: 7±2 com bom-senso.
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
Respeitar quantidade de símbolos gráficos por página: 7±2 com bom-senso.
•Não mais de 9
•Não menos de 5
Usar linhas suficientemente grossas para desenhar todos os símbolos e setas
Seta de desvio deve chegar ANTES do símbolo gráfico e não EM CIMA dele.
ALGUMAS RECOMENDAÇÕESALGUMAS RECOMENDAÇÕES
Cada atividade que precise de TI, tem seu Caso de Uso, que é ÚNICO:
Nome do Caso de Uso indica a transação realizada (exemplos):
•Incluindo cliente no cadastro
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
•Incluindo cliente no cadastro
•Consultando estoque
•Alterando dados pessoais
Evitar nomes genéricos como:
•Usando software
•Utilizando CAD
•Uso de TI
ALGUMAS RECOMENDAÇÕESALGUMAS RECOMENDAÇÕES
Não começar o fluxograma com uma decisão:
•O normal é haver alguma atividade inicial,
•Para obter informação, por exemplo.
Várias decisões encadeadas em cascata?
Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado
Várias decisões encadeadas em cascata?
•Apenas para fazer o “case ... of”
•Em outras situações:
•Deve sempre haver alguma atividade entre 2 decisões seguidas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Benchmarking: O que é e como fazer
Benchmarking: O que é e como fazerBenchmarking: O que é e como fazer
Benchmarking: O que é e como fazer
Mateada
 
Exercício - Análise Curva ABC
Exercício - Análise Curva ABCExercício - Análise Curva ABC
Exercício - Análise Curva ABC
Faculdade Cidade Verde
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
douglas
 
27 questoes-comentadas-estruturas-organizacionais
27 questoes-comentadas-estruturas-organizacionais27 questoes-comentadas-estruturas-organizacionais
27 questoes-comentadas-estruturas-organizacionais
Valdenisio da Mata
 
Departamentalização
DepartamentalizaçãoDepartamentalização
Departamentalização
Robson Costa
 
Gestão por Processos
Gestão por ProcessosGestão por Processos
Gestão por Processos
Wandick Rocha de Aquino
 
Rotinas administrativas
Rotinas administrativasRotinas administrativas
Rotinas administrativas
Valéria Lins
 
Aula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiaisAula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiais
Larissa da Costa Melo
 
Administração financeira
Administração financeiraAdministração financeira
Administração financeira
Francine Manhabosco
 
Abertura de empresa_aula_
Abertura de empresa_aula_Abertura de empresa_aula_
Abertura de empresa_aula_
Claudio Parra
 
Estrutura organizacional
Estrutura organizacionalEstrutura organizacional
Estrutura organizacional
Letícia Vilela de Aquino
 
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
Caio Roberto de Souza Filho
 
Aula10 fluxogramas
Aula10 fluxogramasAula10 fluxogramas
Aula10 fluxogramas
Kércia Silva
 
Indicadores de Desempenho
Indicadores de Desempenho Indicadores de Desempenho
Planejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produçãoPlanejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produção
Luiza Mucida
 
Gestão do Conhecimento_ parte 1
Gestão do Conhecimento_ parte 1Gestão do Conhecimento_ parte 1
Gestão do Conhecimento_ parte 1
Leonardo Moraes
 
Aula 8 - Arquivos e Tecnicas de Arquivamento
Aula 8  - Arquivos e Tecnicas de ArquivamentoAula 8  - Arquivos e Tecnicas de Arquivamento
Aula 8 - Arquivos e Tecnicas de Arquivamento
Charles Lima
 
Gestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- IntroduçãoGestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- Introdução
Marcos Alves
 
Ciclo pdca
Ciclo pdcaCiclo pdca
Ciclo pdca
Carci
 
Organização
OrganizaçãoOrganização

Mais procurados (20)

Benchmarking: O que é e como fazer
Benchmarking: O que é e como fazerBenchmarking: O que é e como fazer
Benchmarking: O que é e como fazer
 
Exercício - Análise Curva ABC
Exercício - Análise Curva ABCExercício - Análise Curva ABC
Exercício - Análise Curva ABC
 
Introdução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e OperaçõesIntrodução a Administração de Produção e Operações
Introdução a Administração de Produção e Operações
 
27 questoes-comentadas-estruturas-organizacionais
27 questoes-comentadas-estruturas-organizacionais27 questoes-comentadas-estruturas-organizacionais
27 questoes-comentadas-estruturas-organizacionais
 
Departamentalização
DepartamentalizaçãoDepartamentalização
Departamentalização
 
Gestão por Processos
Gestão por ProcessosGestão por Processos
Gestão por Processos
 
Rotinas administrativas
Rotinas administrativasRotinas administrativas
Rotinas administrativas
 
Aula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiaisAula 01 gestao de materiais
Aula 01 gestao de materiais
 
Administração financeira
Administração financeiraAdministração financeira
Administração financeira
 
Abertura de empresa_aula_
Abertura de empresa_aula_Abertura de empresa_aula_
Abertura de empresa_aula_
 
Estrutura organizacional
Estrutura organizacionalEstrutura organizacional
Estrutura organizacional
 
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
 
Aula10 fluxogramas
Aula10 fluxogramasAula10 fluxogramas
Aula10 fluxogramas
 
Indicadores de Desempenho
Indicadores de Desempenho Indicadores de Desempenho
Indicadores de Desempenho
 
Planejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produçãoPlanejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produção
 
Gestão do Conhecimento_ parte 1
Gestão do Conhecimento_ parte 1Gestão do Conhecimento_ parte 1
Gestão do Conhecimento_ parte 1
 
Aula 8 - Arquivos e Tecnicas de Arquivamento
Aula 8  - Arquivos e Tecnicas de ArquivamentoAula 8  - Arquivos e Tecnicas de Arquivamento
Aula 8 - Arquivos e Tecnicas de Arquivamento
 
Gestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- IntroduçãoGestão de Pessoas- Introdução
Gestão de Pessoas- Introdução
 
Ciclo pdca
Ciclo pdcaCiclo pdca
Ciclo pdca
 
Organização
OrganizaçãoOrganização
Organização
 

Semelhante a Aula 4.a. fluxograma.pptm

Aula engmet - parte 2
Aula   engmet - parte 2Aula   engmet - parte 2
Aula engmet - parte 2
engmetodos
 
Ferramentas da Qualidade - Fluxograma
Ferramentas da Qualidade - FluxogramaFerramentas da Qualidade - Fluxograma
Ferramentas da Qualidade - Fluxograma
cajuela
 
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Juliano Oliveira
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalho
Mauro Enrique
 
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...
Robson Veiga Roy
 
Diagrama de Espaguete
Diagrama de EspagueteDiagrama de Espaguete
Diagrama de Espaguete
Camila Oliveira
 
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de ProcessosOMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
Euller Barros
 
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSMORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
Cursos Profissionalizantes
 
Aula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias ÁgeisAula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias Ágeis
Daniela Brauner
 
Atps 1 algebra_linear_geometria_analitica
Atps 1 algebra_linear_geometria_analiticaAtps 1 algebra_linear_geometria_analitica
Atps 1 algebra_linear_geometria_analitica
RonanMs23
 
Artigo asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
Artigo   asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...Artigo   asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
Artigo asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
Garage Criativa | Garage Hub
 

Semelhante a Aula 4.a. fluxograma.pptm (11)

Aula engmet - parte 2
Aula   engmet - parte 2Aula   engmet - parte 2
Aula engmet - parte 2
 
Ferramentas da Qualidade - Fluxograma
Ferramentas da Qualidade - FluxogramaFerramentas da Qualidade - Fluxograma
Ferramentas da Qualidade - Fluxograma
 
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalho
 
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...
 
Diagrama de Espaguete
Diagrama de EspagueteDiagrama de Espaguete
Diagrama de Espaguete
 
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de ProcessosOMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
 
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSMORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
 
Aula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias ÁgeisAula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias Ágeis
 
Atps 1 algebra_linear_geometria_analitica
Atps 1 algebra_linear_geometria_analiticaAtps 1 algebra_linear_geometria_analitica
Atps 1 algebra_linear_geometria_analitica
 
Artigo asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
Artigo   asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...Artigo   asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
Artigo asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacot...
 

Mais de Claudio Parra

DCTF e RETENÇOES
DCTF e RETENÇOESDCTF e RETENÇOES
DCTF e RETENÇOES
Claudio Parra
 
Lei.da.empregada.domestica
Lei.da.empregada.domesticaLei.da.empregada.domestica
Lei.da.empregada.domestica
Claudio Parra
 
Empresário x Consumidor
Empresário x ConsumidorEmpresário x Consumidor
Empresário x Consumidor
Claudio Parra
 
“Manicômio jurídico tributário"
“Manicômio jurídico tributário"“Manicômio jurídico tributário"
“Manicômio jurídico tributário"
Claudio Parra
 
Modulo.v .:. www.tc58n.worpress.com
Modulo.v .:. www.tc58n.worpress.comModulo.v .:. www.tc58n.worpress.com
Modulo.v .:. www.tc58n.worpress.com
Claudio Parra
 
Lingua Portuguesa .:. www.tc58n.wordpress.com
Lingua Portuguesa .:. www.tc58n.wordpress.comLingua Portuguesa .:. www.tc58n.wordpress.com
Lingua Portuguesa .:. www.tc58n.wordpress.com
Claudio Parra
 
Relatorio natura
Relatorio naturaRelatorio natura
Relatorio natura
Claudio Parra
 
Relatorio natura
Relatorio naturaRelatorio natura
Relatorio natura
Claudio Parra
 
BALANCO SOCIAL www.tc58n.wordpress.com
BALANCO SOCIAL   www.tc58n.wordpress.comBALANCO SOCIAL   www.tc58n.wordpress.com
BALANCO SOCIAL www.tc58n.wordpress.com
Claudio Parra
 
Noções gerais de direito .:. www.tc58n.wordpress.com
Noções gerais de direito .:. www.tc58n.wordpress.comNoções gerais de direito .:. www.tc58n.wordpress.com
Noções gerais de direito .:. www.tc58n.wordpress.com
Claudio Parra
 
Balanço Social .:. www.tc58n.wordpress.com
Balanço Social .:. www.tc58n.wordpress.comBalanço Social .:. www.tc58n.wordpress.com
Balanço Social .:. www.tc58n.wordpress.com
Claudio Parra
 
Contabilidade social .:. www.tc58n.wordpress.com
Contabilidade social .:. www.tc58n.wordpress.comContabilidade social .:. www.tc58n.wordpress.com
Contabilidade social .:. www.tc58n.wordpress.com
Claudio Parra
 
Legislação e ética_aula 01
Legislação e ética_aula 01Legislação e ética_aula 01
Legislação e ética_aula 01
Claudio Parra
 
RESOLUÇÃO CFC N.º 1.330/11
RESOLUÇÃO CFC N.º 1.330/11  RESOLUÇÃO CFC N.º 1.330/11
RESOLUÇÃO CFC N.º 1.330/11
Claudio Parra
 
Custos conjuntos teoria a
Custos conjuntos  teoria  aCustos conjuntos  teoria  a
Custos conjuntos teoria a
Claudio Parra
 
Those
ThoseThose
CONTABILIDADE DE ATIVIDADES ESPECÍFICAS .:. www;tc58n.wordpress.com
CONTABILIDADE DE ATIVIDADES ESPECÍFICAS .:. www;tc58n.wordpress.comCONTABILIDADE DE ATIVIDADES ESPECÍFICAS .:. www;tc58n.wordpress.com
CONTABILIDADE DE ATIVIDADES ESPECÍFICAS .:. www;tc58n.wordpress.com
Claudio Parra
 
Relatórios e pareceres_parte 05
Relatórios e pareceres_parte 05Relatórios e pareceres_parte 05
Relatórios e pareceres_parte 05
Claudio Parra
 
2014 04 29_relatórios e pareceres_parte 06_leasing
2014 04 29_relatórios e pareceres_parte 06_leasing2014 04 29_relatórios e pareceres_parte 06_leasing
2014 04 29_relatórios e pareceres_parte 06_leasing
Claudio Parra
 
Relatórios e pareceres_parte 04
Relatórios e pareceres_parte 04Relatórios e pareceres_parte 04
Relatórios e pareceres_parte 04
Claudio Parra
 

Mais de Claudio Parra (20)

DCTF e RETENÇOES
DCTF e RETENÇOESDCTF e RETENÇOES
DCTF e RETENÇOES
 
Lei.da.empregada.domestica
Lei.da.empregada.domesticaLei.da.empregada.domestica
Lei.da.empregada.domestica
 
Empresário x Consumidor
Empresário x ConsumidorEmpresário x Consumidor
Empresário x Consumidor
 
“Manicômio jurídico tributário"
“Manicômio jurídico tributário"“Manicômio jurídico tributário"
“Manicômio jurídico tributário"
 
Modulo.v .:. www.tc58n.worpress.com
Modulo.v .:. www.tc58n.worpress.comModulo.v .:. www.tc58n.worpress.com
Modulo.v .:. www.tc58n.worpress.com
 
Lingua Portuguesa .:. www.tc58n.wordpress.com
Lingua Portuguesa .:. www.tc58n.wordpress.comLingua Portuguesa .:. www.tc58n.wordpress.com
Lingua Portuguesa .:. www.tc58n.wordpress.com
 
Relatorio natura
Relatorio naturaRelatorio natura
Relatorio natura
 
Relatorio natura
Relatorio naturaRelatorio natura
Relatorio natura
 
BALANCO SOCIAL www.tc58n.wordpress.com
BALANCO SOCIAL   www.tc58n.wordpress.comBALANCO SOCIAL   www.tc58n.wordpress.com
BALANCO SOCIAL www.tc58n.wordpress.com
 
Noções gerais de direito .:. www.tc58n.wordpress.com
Noções gerais de direito .:. www.tc58n.wordpress.comNoções gerais de direito .:. www.tc58n.wordpress.com
Noções gerais de direito .:. www.tc58n.wordpress.com
 
Balanço Social .:. www.tc58n.wordpress.com
Balanço Social .:. www.tc58n.wordpress.comBalanço Social .:. www.tc58n.wordpress.com
Balanço Social .:. www.tc58n.wordpress.com
 
Contabilidade social .:. www.tc58n.wordpress.com
Contabilidade social .:. www.tc58n.wordpress.comContabilidade social .:. www.tc58n.wordpress.com
Contabilidade social .:. www.tc58n.wordpress.com
 
Legislação e ética_aula 01
Legislação e ética_aula 01Legislação e ética_aula 01
Legislação e ética_aula 01
 
RESOLUÇÃO CFC N.º 1.330/11
RESOLUÇÃO CFC N.º 1.330/11  RESOLUÇÃO CFC N.º 1.330/11
RESOLUÇÃO CFC N.º 1.330/11
 
Custos conjuntos teoria a
Custos conjuntos  teoria  aCustos conjuntos  teoria  a
Custos conjuntos teoria a
 
Those
ThoseThose
Those
 
CONTABILIDADE DE ATIVIDADES ESPECÍFICAS .:. www;tc58n.wordpress.com
CONTABILIDADE DE ATIVIDADES ESPECÍFICAS .:. www;tc58n.wordpress.comCONTABILIDADE DE ATIVIDADES ESPECÍFICAS .:. www;tc58n.wordpress.com
CONTABILIDADE DE ATIVIDADES ESPECÍFICAS .:. www;tc58n.wordpress.com
 
Relatórios e pareceres_parte 05
Relatórios e pareceres_parte 05Relatórios e pareceres_parte 05
Relatórios e pareceres_parte 05
 
2014 04 29_relatórios e pareceres_parte 06_leasing
2014 04 29_relatórios e pareceres_parte 06_leasing2014 04 29_relatórios e pareceres_parte 06_leasing
2014 04 29_relatórios e pareceres_parte 06_leasing
 
Relatórios e pareceres_parte 04
Relatórios e pareceres_parte 04Relatórios e pareceres_parte 04
Relatórios e pareceres_parte 04
 

Aula 4.a. fluxograma.pptm

  • 1. Senac Unidade 24 de Maio Fluxograma TECNICO CONTABILIDADETECNICO CONTABILIDADE Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado Fluxograma Aula 4 AAula 4 A -- BRINDE IIBRINDE II Docente - Edson dos Santos (negão)
  • 2. Fluxograma de ProcessoFluxograma de Processo O fluxograma é um diagrama utilizado para representar a sequência dos processos, através de ssíímbolos grmbolos grááficosficos. Os símbolos do fluxograma proporcionam uma melhormelhor visualizavisualizaçção do funcionamento do processoão do funcionamento do processo, ajudando no seu entendimento. Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 2 seu entendimento. No gerenciamento de processos, o fluxograma tem como objetivo garantir a qualidade e aumentar aobjetivo garantir a qualidade e aumentar a produtividadeprodutividade, através da documentação do fluxo das atividades, utilizando diversos sutilizando diversos síímbolos diferentesmbolos diferentes para identificar os diferentes tipos de atividades.
  • 3. APLICAÇÕES DO FLUXOGRAMAAPLICAÇÕES DO FLUXOGRAMA -Melhora a compreensão do processo de trabalho. Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 3 -Mostra os passos para a realização do trabalho. - Cria normas de padrão de trabalho.
  • 4. FluxogramaFluxograma • Gráfico universal que representa o fluxo ou a sequência normal de qualquer trabalho; • Símbolos utilizados no fluxograma têm por finalidade colocar em evidência a origem, Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado finalidade colocar em evidência a origem, processamento e destino da informação; • Alguns símbolos são consagrados, outros ainda são duvidosos, porém quando necessário deve-se utilizar outros símbolos, colocando legenda.
  • 5. FluxogramaFluxograma Vantagens dos FluxogramasVantagens dos Fluxogramas • Permitir verificar como funcionam, realmente, todos os componentes de um sistema, mecanizando ou não, facilitando a análise de sua eficácia; Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado • Entendimento mais simples e objetivo do que o de outros métodos descritivos; • Facilitar localização das deficiências, pela fácil visualização dos passos, transportes, operações, formulários entre outros...
  • 6. FluxogramaFluxograma Vantagens dos FluxogramasVantagens dos Fluxogramas • Aplicação a qualquer sistema, desde o mais simples aos mais complexos; Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado • O rápido entendimento de qualquer alteração que se proponha nos sistemas existentes; • Por mostrar claramente as modificações introduzidas.
  • 7. FluxogramaFluxograma Uma importante opinião sobre os fluxogramas :Uma importante opinião sobre os fluxogramas : • Ferramenta inestimável para entender o funcionamento interno; • Função básica: documentar um processo para que se possa identificar as áreas que precisam ser aperfeiçoadas; Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado identificar as áreas que precisam ser aperfeiçoadas; • Cria disciplina mental, demonstra regras e políticas que não são claras, ou estão sendo desobedecias; • bons fluxogramas facilitam as comunicações entre as áreas problemáticas, tendo capacidade de esclarecer casos complexos.
  • 8. FluxogramaFluxograma Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas • Demonstraram como as coisas são realmente feitas; Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado • Pesquisa minuciosa junto às unidades organizacionais em exame; • Fazer levantamento dos passos que envolvem o trabalho.
  • 9. FluxogramaFluxograma Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas Elaboração e análise do fluxograma pode ser descrito nas seguintesElaboração e análise do fluxograma pode ser descrito nas seguintes fases:fases: Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado fases:fases: 1.Comunicação:1.Comunicação: entre chefias e empregados referente a realização do trabalho e seus objetivos;
  • 10. FluxogramaFluxograma Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas 2.Coleta de dados:2.Coleta de dados: fornecidas pelos próprios executores dos trabalhos, utilizando um roteiro de entrevista, contendo questões como: a)cargo e nome?; Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado b) de quem recebe trabalho?; c) em que consiste seu trabalho? d) para quem passa o trabalho após terminar sua parte?; e) quantas unidades de trabalho faz por dia? (se for interessante) ; f) quanto tempo gasta para realizar seu trabalho? (se for de interesse).
  • 11. FluxogramaFluxograma Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas 3.3.FluxogramaçãoFluxogramação:: colhidos os dados, verificar o tipo de fluxograma a ser utilizado e fazer rascunho; •Examinar o fluxograma elaborado e, caso não esteja claras as informações voltar aos entrevistados para: Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado aos entrevistados para: a)certificar-se da correção dos dados; b) colher informações adicionais; c) ouvir opiniões dos executores dos serviços; d) fazer observação pessoal das rotinas que apresentam incoerências.
  • 12. FluxogramaFluxograma Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas 4.Análise do fluxograma:4.Análise do fluxograma: deve partir do processo geral e descer progressivamente ao exame minucioso das diversas parte; a) Qual a utilidade de cada etapa do processo?; b) Haverá vantagens em se alterar a sequência de operações?; Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado b) Haverá vantagens em se alterar a sequência de operações?; c) As operações estão sendo executadas por pessoas adequadas às funções que ocupam; d) Com treinamento suficiente nas técnicas utilizadas?; f) Cada operação está sendo executada da maneira mais eficiente?; g) Os formulários são adequados, em número de vias e em seus respectivos campos.
  • 13. FluxogramaFluxograma Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas 5A.Relatório da análise:5A.Relatório da análise: nessa fase terminado o estudo e o novo fluxograma, o analista deve preparar um relatório em que poderão ser inseridos os seguintes itens: Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado a)condições atuais: fluxograma da situação existente; •Informações complementares sobre fases complexas; •Cópias preenchidas dos formulários utilizados no processamento;
  • 14. FluxogramaFluxograma Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas 5B.Relatório da análise:5B.Relatório da análise: b)análise das condições existentes: descrição das falhas de processamento diagnosticados, como: Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado •morosidade; •desperdício de mão-de-obra; • erros; •dificuldade de controle;
  • 15. FluxogramaFluxograma Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas 5C.Relatório da análise:5C.Relatório da análise: c)Recomendações: •fluxograma da rotina proposta; Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado •fluxograma da rotina proposta; •informações complementares sobre fases complexas (se for o caso); • cópias dos formulários propostos (se for o caso); •Instrumento Executivo Normativo de implantação do novo fluxo de trabalho.
  • 16. FluxogramaFluxograma Roteiro para elaboração de FluxogramasRoteiro para elaboração de Fluxogramas 6.Apresentação do trabalho: os fluxogramas e formulários constituem excelentes demonstrações visuais para a apresentação de recomendações finais. Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado NOTA:NOTA: Exposição de métodos atuais e propostos deve ser clara e objetiva; Fluxogramas devem ser desenhados com utilização de gabaritos apropriados, para facilitar a elaboração do gráfico, retratando o fluxo de trabalho.
  • 17. FluxogramaFluxograma Fluxograma Global ou de ColunasFluxograma Global ou de Colunas •Visão global que oferece do fluxo de trabalho; •É apropriada para se transmitir o fluxo de trabalho para toda a organização; Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado toda a organização; • Normalmente é feito em formulário A-3 e depois reduzido para A-4; • Utilização dos Simbolos Universais de Fluxograma; (disponivel aplicativo Word e Powe Point ou regras com simbolos geometricos).
  • 18. TIPOS DE FLUXOGRAMATIPOS DE FLUXOGRAMA 1 Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 18
  • 19. SIMBOLOS DO FLUXOGRAMASIMBOLOS DO FLUXOGRAMA Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 19
  • 20. EXEMPLO DE FLUXOGRAMAEXEMPLO DE FLUXOGRAMA Exemplo de um fluxograma para procedimento de controle de produto não conforme:Exemplo de um fluxograma para procedimento de controle de produto não conforme: Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 20
  • 21. RESULTADOS/ METASRESULTADOS/ METAS Quando um fluxograma de processo é elaborado, são identificados os fatores problemáticos que não eram percebidos Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 21 anteriormente, os quais poderão ser trabalhados e melhorados para alcançar melhores resultados. REFERÊNCIAREFERÊNCIA PEINADO, Jurandir; GRAEML, Alexandre Reis. AdministraPEINADO, Jurandir; GRAEML, Alexandre Reis. Administraçção da produão da produçção: operaão: operaçções industriais e de serviões industriais e de serviçços.os. Curitiba:Curitiba: UnicenPUnicenP, 2007., 2007. SLACK, NigelSLACK, Nigel etet al. Administraal. Administraçção de Produão de Produçção. São Paulo: Atlas, 2002.ão. São Paulo: Atlas, 2002. Autor(Autor(eses): Rosemary Martins): Rosemary Martins
  • 22. FLUXOGRAMA DE ATIVIDADESFLUXOGRAMA DE ATIVIDADES Usado aqui para representar processos. Processo visto como: um conjunto articulado de atividades para gerar um resultado denominado produto (mercadoria ou serviço). Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 22 denominado produto (mercadoria ou serviço). uma cadeia de atividades que produz um serviço. uma linha de produção para fabricar uma mercadoria. Usaremos para representar processo-chave de negócio
  • 23. PROCESSOPROCESSO--CHAVE DO NEGÓCIOCHAVE DO NEGÓCIO Focaliza um tipo de produto vendido pela empresa, Abrange TODAS AS ATIVIDADES DA EMPRESA para: Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 23 Receber o Pedido do cliente, Fazer o Produto, Fazer a Entrega e, Receber Pagamento.
  • 24. IMPORTANTE: Representa apenas as atividades realizadas PELA EMPRESA por meio de seus EMPREGADOS. NÃO DEVE REPRESENTAR: PROCESSOPROCESSO--CHAVE DO NEGÓCIOCHAVE DO NEGÓCIO Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 24 NÃO DEVE REPRESENTAR: Atividade de Cliente Atividade de Fornecedor de Mercadoria (componentes) Atividade de Fornecedor de Serviço (terceirizado) Qualquer outra atividade externa à empresa (fiscal, consultor, vizinho, etc.)
  • 25. SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- II Terminal: INÍCIO FIM Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 25 Indicador de fluxo de atividades:Indicador de fluxo de atividades: de cima para baixo esquerda para a direita
  • 26. SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- IIII Atividade: Nome da atividade Nome da atividade = verbo + objeto Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 26 Nome da atividade = verbo + objeto Verbo no tempo presente Objeto = substantivo + [expressão] Exemplos: •Monta computador •Recebe pedido do cliente •Paga dívida vencida
  • 27. SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- IIIIII Indicador de executante da atividade Nome da atividade Nome do executante Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 27 Nome do executante (da atividade): • cargo ou função de empregado • setor da empresa, etc. Exemplos: • Balconista • Seção de Expedição.
  • 28. SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- IVIV Decisão: Pergunta ? NÃO SIM Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado 28 Conector de continuação: (usar de uma página para outra) SIM 1 1
  • 29. SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- VV Subprocesso, conceito igual a: •Subrotina ou módulo •Procedimento (procedure) •Função (function) Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado •Função (function) Consideração prática: cada página deve conter no máximo 7±2 símbolos gráficos Caso contrário a legibilidade do fluxograma (flowchart) ou de qualquer outro modelo gráfico fica prejudicada.
  • 30. SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- VV Subprocesso: Nome do subprocesso Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado Nome do subprocesso = verbo + objeto Verbo no infinitivo Objeto = substantivo + [expressão] Exemplos: •Atualizar estoque •Receber entrega do fornecedor •Entregar encomendas do dia
  • 31. SÍMBOLOS GRÁFICOSSÍMBOLOS GRÁFICOS -- VV Indicador de uso de Arquivo em Papel na atividade (Tecnologia tradicional) Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado Nome da atividade Nome do executante Registrando Cliente Utilizar as mesmas convenções do Caso de Uso de TI, para dar nome ao Uso de Arquivo em Papel
  • 32. EXEMPLO DE FLUXOGRAMA IIEXEMPLO DE FLUXOGRAMA II INÍCIO Recebe Pedido Vendedor Fazer Produto Entrega Produto Registrando Pedido 2 Consultando Mapa Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado FIM Recebe Pagamento Tesouraria Cliente recebeu ? SIM NÃO 1 Logística Mapa Quitando Dívida do Cliente Lançando no Livro-caixa
  • 33. EXEMPLO DE FLUXOGRAMA IIIEXEMPLO DE FLUXOGRAMA III Investiga Motivo Gerente 1 Consultando Ocorrências Anteriores Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado Providencia Correções 2 Gerente Relatando Ocorrência Atual
  • 34. ALGUMAS RECOMENDAÇÕESALGUMAS RECOMENDAÇÕES Fluxograma deve ter sempre um título: •Nome do processo-chave •Nome do subprocesso Respeitar quantidade de símbolos gráficos por página: 7±2 com bom-senso. Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado Respeitar quantidade de símbolos gráficos por página: 7±2 com bom-senso. •Não mais de 9 •Não menos de 5 Usar linhas suficientemente grossas para desenhar todos os símbolos e setas Seta de desvio deve chegar ANTES do símbolo gráfico e não EM CIMA dele.
  • 35. ALGUMAS RECOMENDAÇÕESALGUMAS RECOMENDAÇÕES Cada atividade que precise de TI, tem seu Caso de Uso, que é ÚNICO: Nome do Caso de Uso indica a transação realizada (exemplos): •Incluindo cliente no cadastro Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado •Incluindo cliente no cadastro •Consultando estoque •Alterando dados pessoais Evitar nomes genéricos como: •Usando software •Utilizando CAD •Uso de TI
  • 36. ALGUMAS RECOMENDAÇÕESALGUMAS RECOMENDAÇÕES Não começar o fluxograma com uma decisão: •O normal é haver alguma atividade inicial, •Para obter informação, por exemplo. Várias decisões encadeadas em cascata? Prof.Edson Negão – Maio/ Junho 2013 – Modificado Várias decisões encadeadas em cascata? •Apenas para fazer o “case ... of” •Em outras situações: •Deve sempre haver alguma atividade entre 2 decisões seguidas