SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 57
Fisioterapia nas Amputações Dr. Rodney Wenke. Fisioterapeuta: Clinica Quatro Barras, Prefeitura de Quatro Barras, Centro Hospitalar de Reabilitação.
Definição: ,[object Object],[object Object]
Etiologia: ,[object Object],[object Object]
Etiologia: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
[object Object],[object Object]
Etiologia: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Etiologia:
Níveis  de Amputação: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Níveis de Amputação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
l.  amputações através do metatarso são duvidosas. k.  as amputações através do tarso devem ser evitadas. j.  a amputação de "Symes" permite excelentes cotos para apoio terminal. i.  evitar cotos muito longos de perna. h.  o nível ideal é aquele entre o 1/3 médio e o inferior. g.  um bom nível será aquele entre o 1/3 superior com o médio. f.  6 cm de tíbia já são suficientes para prótese de perna; remover o perônio. Usa-se a prótese "ajoelhada". e.  a desarticulação de joelho após descapsulização permite cotos para apoio terminal. d . o nível transcondiliano não é bom a não ser para apoio terminal, pois a colocação da articulação de joelho deve ser externa, o que prejudica a estética e função. c.  30 a 36 cm abaixo do trocanter é um comprimento ideal de coto de coxa. b.  12 cm abaixo do trocanter são dados como comprimento mínimo para controle do coto. Assim mesmo é difícil mover as próteses com eficiência. a.  evitar a desarticulação do quadril. Deixar quando possível a cabeça e a maior porção do colo do fêmur para evitar deformidade.
i.  salve o que for possível da mão. h.  as amputações através do carpo não são boas. g.  a desarticulação do punho permite o uso de prótese simples com grande capacidade funcional. f.  o terço médio com o inferior é o nível ideal para amputação de antebraço. e.  deixar sempre um coto na antebraço por menor que seja. O uso da prótese mioelétrica é o ideal para estes casos. d.  desarticulação do cotovelo da mau coto para prótese por dificuldade na colocação das articulações funcionais. c.  o comprimento ideal para amputação acima do cotovelo é no terço médio com o inferior. b.  cotos acima da inserção do peitoral têm pouco valor para o controle da prótese a.  evitar a remoção da cabeça do úmero, o que traz deformidade de ombro dificultando o apoio do arreio.
Metatarsos:
Lisfrank:
Chopart e Symes
Symes:
Transtibial Baixa:
Transtibial alta:
Desarticulação do Joelho:
 
 
Desarticulação do Quadril ou hemepelvictomia:
Reabilitação:
Preparação do Coto: Enfaixamento do coto :
Orientação de cuidados com o coto.
Passo a passo:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Casos especiais:
 
Próteses:
 
Colocação da Prótese:
 
 
Joelhos:
 
 
 
 
Referencias: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Obrigado!! [email_address] [email_address]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Princípios físicos da água
Princípios físicos da águaPrincípios físicos da água
Princípios físicos da águaFUAD HAZIME
 
15 -amplitude_de_movimento
15  -amplitude_de_movimento15  -amplitude_de_movimento
15 -amplitude_de_movimentoJohnny Martins
 
Princípios de Consolidação e Tratamento das Fraturas
Princípios de Consolidação e Tratamento das FraturasPrincípios de Consolidação e Tratamento das Fraturas
Princípios de Consolidação e Tratamento das FraturasCaio Gonçalves de Souza
 
Raio x pós graduação
Raio   x pós graduaçãoRaio   x pós graduação
Raio x pós graduaçãoIapes Ensino
 
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombro
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombroCinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombro
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombroRaphael Menezes
 
Manejo da via aerea - Fisioterapeuta
Manejo da via aerea - FisioterapeutaManejo da via aerea - Fisioterapeuta
Manejo da via aerea - FisioterapeutaJanderson Physios
 
Apostila cinesioterapia basica
Apostila cinesioterapia basicaApostila cinesioterapia basica
Apostila cinesioterapia basicaNatha Fisioterapia
 
Complexo do ombro 2013 - 2
Complexo do ombro   2013 - 2Complexo do ombro   2013 - 2
Complexo do ombro 2013 - 2paraiba1974
 
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)projetacursosba
 
Slides de fraturas de colo do femur
Slides de fraturas de colo do femurSlides de fraturas de colo do femur
Slides de fraturas de colo do femurLuana Morais
 
Corrente interferencial
Corrente interferencial Corrente interferencial
Corrente interferencial FUAD HAZIME
 

Mais procurados (20)

Marcha normal e_patologica
Marcha normal e_patologicaMarcha normal e_patologica
Marcha normal e_patologica
 
Princípios físicos da água
Princípios físicos da águaPrincípios físicos da água
Princípios físicos da água
 
Aula Imobilizações
Aula ImobilizaçõesAula Imobilizações
Aula Imobilizações
 
15 -amplitude_de_movimento
15  -amplitude_de_movimento15  -amplitude_de_movimento
15 -amplitude_de_movimento
 
Princípios de Consolidação e Tratamento das Fraturas
Princípios de Consolidação e Tratamento das FraturasPrincípios de Consolidação e Tratamento das Fraturas
Princípios de Consolidação e Tratamento das Fraturas
 
Apostila alongamentos
Apostila   alongamentosApostila   alongamentos
Apostila alongamentos
 
Coluna lombar
Coluna lombarColuna lombar
Coluna lombar
 
Cinesioterapia
CinesioterapiaCinesioterapia
Cinesioterapia
 
Raio x pós graduação
Raio   x pós graduaçãoRaio   x pós graduação
Raio x pós graduação
 
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombro
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombroCinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombro
Cinesiologia e biomecânica do complexo articular do ombro
 
Coluna cervical
Coluna cervicalColuna cervical
Coluna cervical
 
Lesão Medular
Lesão MedularLesão Medular
Lesão Medular
 
Manejo da via aerea - Fisioterapeuta
Manejo da via aerea - FisioterapeutaManejo da via aerea - Fisioterapeuta
Manejo da via aerea - Fisioterapeuta
 
Lombalgia - Lombociatalgia
Lombalgia - Lombociatalgia Lombalgia - Lombociatalgia
Lombalgia - Lombociatalgia
 
Lesão medular
Lesão medularLesão medular
Lesão medular
 
Apostila cinesioterapia basica
Apostila cinesioterapia basicaApostila cinesioterapia basica
Apostila cinesioterapia basica
 
Complexo do ombro 2013 - 2
Complexo do ombro   2013 - 2Complexo do ombro   2013 - 2
Complexo do ombro 2013 - 2
 
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)
 
Slides de fraturas de colo do femur
Slides de fraturas de colo do femurSlides de fraturas de colo do femur
Slides de fraturas de colo do femur
 
Corrente interferencial
Corrente interferencial Corrente interferencial
Corrente interferencial
 

Destaque

amputação membros inferiores
 amputação membros inferiores   amputação membros inferiores
amputação membros inferiores Ruan Silva
 
Reabilitação do paciente amputado
Reabilitação do paciente amputadoReabilitação do paciente amputado
Reabilitação do paciente amputadofisio4bioethicus
 
Coletiva órteses e próteses 07/07/15
Coletiva órteses e próteses 07/07/15Coletiva órteses e próteses 07/07/15
Coletiva órteses e próteses 07/07/15Ministério da Saúde
 
Op aula 01 - introdução ortese prótese
Op   aula 01 - introdução ortese próteseOp   aula 01 - introdução ortese prótese
Op aula 01 - introdução ortese próteseeduardo alves medina
 
Aula ExercíCios Respiratorios Terapeuticos
Aula   ExercíCios Respiratorios TerapeuticosAula   ExercíCios Respiratorios Terapeuticos
Aula ExercíCios Respiratorios Terapeuticoseriksonalcantara
 
A atuacao da_fisioterapia_no_paciente com
A atuacao da_fisioterapia_no_paciente comA atuacao da_fisioterapia_no_paciente com
A atuacao da_fisioterapia_no_paciente comAj-power-people
 
Praticas educacao fisica_para_pessoas_com_deficiencia
Praticas educacao fisica_para_pessoas_com_deficienciaPraticas educacao fisica_para_pessoas_com_deficiencia
Praticas educacao fisica_para_pessoas_com_deficienciaElisabeth Mattos
 
Técnicas de cinesioterapia respiratória
Técnicas de cinesioterapia respiratóriaTécnicas de cinesioterapia respiratória
Técnicas de cinesioterapia respiratóriaglendamsaito
 
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)FUAD HAZIME
 
Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros Ane Costa
 
Slides trauma raquimedular
Slides trauma raquimedularSlides trauma raquimedular
Slides trauma raquimedularÁgatha Mayara
 
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marchaAvaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marchaNatha Fisioterapia
 

Destaque (20)

amputação membros inferiores
 amputação membros inferiores   amputação membros inferiores
amputação membros inferiores
 
Reabilitação do paciente amputado
Reabilitação do paciente amputadoReabilitação do paciente amputado
Reabilitação do paciente amputado
 
Amputacao
AmputacaoAmputacao
Amputacao
 
Amputação
AmputaçãoAmputação
Amputação
 
Coletiva órteses e próteses 07/07/15
Coletiva órteses e próteses 07/07/15Coletiva órteses e próteses 07/07/15
Coletiva órteses e próteses 07/07/15
 
Op aula 01 - introdução ortese prótese
Op   aula 01 - introdução ortese próteseOp   aula 01 - introdução ortese prótese
Op aula 01 - introdução ortese prótese
 
Aula ExercíCios Respiratorios Terapeuticos
Aula   ExercíCios Respiratorios TerapeuticosAula   ExercíCios Respiratorios Terapeuticos
Aula ExercíCios Respiratorios Terapeuticos
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Amputações
AmputaçõesAmputações
Amputações
 
William fq
William fqWilliam fq
William fq
 
A atuacao da_fisioterapia_no_paciente com
A atuacao da_fisioterapia_no_paciente comA atuacao da_fisioterapia_no_paciente com
A atuacao da_fisioterapia_no_paciente com
 
Hemicorporectomia
HemicorporectomiaHemicorporectomia
Hemicorporectomia
 
Praticas educacao fisica_para_pessoas_com_deficiencia
Praticas educacao fisica_para_pessoas_com_deficienciaPraticas educacao fisica_para_pessoas_com_deficiencia
Praticas educacao fisica_para_pessoas_com_deficiencia
 
Conduta fisioterapêutica na trombose venosa profunda (TVP)
Conduta fisioterapêutica na trombose venosa profunda (TVP)Conduta fisioterapêutica na trombose venosa profunda (TVP)
Conduta fisioterapêutica na trombose venosa profunda (TVP)
 
Técnicas de cinesioterapia respiratória
Técnicas de cinesioterapia respiratóriaTécnicas de cinesioterapia respiratória
Técnicas de cinesioterapia respiratória
 
Pé Diabético
Pé DiabéticoPé Diabético
Pé Diabético
 
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
 
Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros
 
Slides trauma raquimedular
Slides trauma raquimedularSlides trauma raquimedular
Slides trauma raquimedular
 
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marchaAvaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
 

Semelhante a Fisioterapia nas amputações

Fraturas diafisária de úmero
Fraturas diafisária de úmeroFraturas diafisária de úmero
Fraturas diafisária de úmeroMarcus Murata
 
Pé Cavo Dr. Omar Mohamad M. Abdallah
Pé Cavo  Dr. Omar Mohamad M. AbdallahPé Cavo  Dr. Omar Mohamad M. Abdallah
Pé Cavo Dr. Omar Mohamad M. AbdallahOmar Mohamad Abdallah
 
Prótese do Joelho - Marcos George S Leão - SBCJAM
Prótese do Joelho - Marcos George S Leão - SBCJAMPrótese do Joelho - Marcos George S Leão - SBCJAM
Prótese do Joelho - Marcos George S Leão - SBCJAMClube do Joelho
 
Vias-de-acesso-Quadril.ppt
Vias-de-acesso-Quadril.pptVias-de-acesso-Quadril.ppt
Vias-de-acesso-Quadril.pptWhiskaMontao
 
Aula fratura do úmero proximal
Aula fratura do úmero proximalAula fratura do úmero proximal
Aula fratura do úmero proximalMauricio Fabiani
 
Lesoes Traumaticas No Spa Maj Jose
Lesoes Traumaticas No Spa   Maj JoseLesoes Traumaticas No Spa   Maj Jose
Lesoes Traumaticas No Spa Maj Joseaidamehanna
 
Fratura luxação da coluna cervical (alta e baixa)
Fratura luxação da coluna cervical (alta e baixa)Fratura luxação da coluna cervical (alta e baixa)
Fratura luxação da coluna cervical (alta e baixa)Jorge Acosta Noriega
 
Fratura apos a queda 01
Fratura apos a queda 01Fratura apos a queda 01
Fratura apos a queda 01Laercio Leao
 
Protocolo Ressonância magnética do joelho e tornozelo
Protocolo Ressonância magnética do joelho e tornozeloProtocolo Ressonância magnética do joelho e tornozelo
Protocolo Ressonância magnética do joelho e tornozeloarianechaves
 

Semelhante a Fisioterapia nas amputações (20)

02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf
02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf
02 - Técnicas cirúrgicas de amputação.pdf
 
Fraturas diafisária de úmero
Fraturas diafisária de úmeroFraturas diafisária de úmero
Fraturas diafisária de úmero
 
Fraturas do femur distal
Fraturas do femur distalFraturas do femur distal
Fraturas do femur distal
 
Fraturas do tornozelo
Fraturas do tornozeloFraturas do tornozelo
Fraturas do tornozelo
 
Fratura-escápula.pptx
Fratura-escápula.pptxFratura-escápula.pptx
Fratura-escápula.pptx
 
DISCIPLINA FRATYRA FEMUR.docx
DISCIPLINA FRATYRA FEMUR.docxDISCIPLINA FRATYRA FEMUR.docx
DISCIPLINA FRATYRA FEMUR.docx
 
Pé Cavo Dr. Omar Mohamad M. Abdallah
Pé Cavo  Dr. Omar Mohamad M. AbdallahPé Cavo  Dr. Omar Mohamad M. Abdallah
Pé Cavo Dr. Omar Mohamad M. Abdallah
 
Prótese do Joelho - Marcos George S Leão - SBCJAM
Prótese do Joelho - Marcos George S Leão - SBCJAMPrótese do Joelho - Marcos George S Leão - SBCJAM
Prótese do Joelho - Marcos George S Leão - SBCJAM
 
Vias-de-acesso-Quadril.ppt
Vias-de-acesso-Quadril.pptVias-de-acesso-Quadril.ppt
Vias-de-acesso-Quadril.ppt
 
Aula fratura do úmero proximal
Aula fratura do úmero proximalAula fratura do úmero proximal
Aula fratura do úmero proximal
 
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: MEMBROS SUPERIORES
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: MEMBROS SUPERIORESRESSONÂNCIA MAGNÉTICA: MEMBROS SUPERIORES
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: MEMBROS SUPERIORES
 
Fratura umero proximal
Fratura umero proximalFratura umero proximal
Fratura umero proximal
 
Modulo 18
Modulo 18Modulo 18
Modulo 18
 
Lesoes Traumaticas No Spa Maj Jose
Lesoes Traumaticas No Spa   Maj JoseLesoes Traumaticas No Spa   Maj Jose
Lesoes Traumaticas No Spa Maj Jose
 
Fratura luxação da coluna cervical (alta e baixa)
Fratura luxação da coluna cervical (alta e baixa)Fratura luxação da coluna cervical (alta e baixa)
Fratura luxação da coluna cervical (alta e baixa)
 
Fraturas de tibia e fibula proximais
Fraturas de tibia e fibula proximaisFraturas de tibia e fibula proximais
Fraturas de tibia e fibula proximais
 
Traumatologia2
Traumatologia2Traumatologia2
Traumatologia2
 
Espondilite anquilosante da coluna vertebral
Espondilite anquilosante da coluna vertebralEspondilite anquilosante da coluna vertebral
Espondilite anquilosante da coluna vertebral
 
Fratura apos a queda 01
Fratura apos a queda 01Fratura apos a queda 01
Fratura apos a queda 01
 
Protocolo Ressonância magnética do joelho e tornozelo
Protocolo Ressonância magnética do joelho e tornozeloProtocolo Ressonância magnética do joelho e tornozelo
Protocolo Ressonância magnética do joelho e tornozelo
 

Fisioterapia nas amputações

  • 1. Fisioterapia nas Amputações Dr. Rodney Wenke. Fisioterapeuta: Clinica Quatro Barras, Prefeitura de Quatro Barras, Centro Hospitalar de Reabilitação.
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.  
  • 6.
  • 7.
  • 9.
  • 10.
  • 11. l. amputações através do metatarso são duvidosas. k. as amputações através do tarso devem ser evitadas. j. a amputação de "Symes" permite excelentes cotos para apoio terminal. i. evitar cotos muito longos de perna. h. o nível ideal é aquele entre o 1/3 médio e o inferior. g. um bom nível será aquele entre o 1/3 superior com o médio. f. 6 cm de tíbia já são suficientes para prótese de perna; remover o perônio. Usa-se a prótese "ajoelhada". e. a desarticulação de joelho após descapsulização permite cotos para apoio terminal. d . o nível transcondiliano não é bom a não ser para apoio terminal, pois a colocação da articulação de joelho deve ser externa, o que prejudica a estética e função. c. 30 a 36 cm abaixo do trocanter é um comprimento ideal de coto de coxa. b. 12 cm abaixo do trocanter são dados como comprimento mínimo para controle do coto. Assim mesmo é difícil mover as próteses com eficiência. a. evitar a desarticulação do quadril. Deixar quando possível a cabeça e a maior porção do colo do fêmur para evitar deformidade.
  • 12. i. salve o que for possível da mão. h. as amputações através do carpo não são boas. g. a desarticulação do punho permite o uso de prótese simples com grande capacidade funcional. f. o terço médio com o inferior é o nível ideal para amputação de antebraço. e. deixar sempre um coto na antebraço por menor que seja. O uso da prótese mioelétrica é o ideal para estes casos. d. desarticulação do cotovelo da mau coto para prótese por dificuldade na colocação das articulações funcionais. c. o comprimento ideal para amputação acima do cotovelo é no terço médio com o inferior. b. cotos acima da inserção do peitoral têm pouco valor para o controle da prótese a. evitar a remoção da cabeça do úmero, o que traz deformidade de ombro dificultando o apoio do arreio.
  • 20.  
  • 21.  
  • 22. Desarticulação do Quadril ou hemepelvictomia:
  • 24. Preparação do Coto: Enfaixamento do coto :
  • 27.  
  • 28.  
  • 29.  
  • 30.  
  • 31.  
  • 32.  
  • 33.  
  • 34.  
  • 35.  
  • 36.  
  • 37.  
  • 38.  
  • 39.  
  • 40.  
  • 41.  
  • 42.  
  • 43.  
  • 45.  
  • 47.  
  • 49.  
  • 50.  
  • 52.  
  • 53.  
  • 54.  
  • 55.  
  • 56.