SlideShare uma empresa Scribd logo
Apresentação
profissional
Prof. Me. Leonardo Mendes
Barbosa
Formação acadêmica
Graduação em Bacharelado em Educação Física pela
Universidade Estácio de Sá;
 Graduação em Licenciatura em Educação Física pelo Centro
Universitário La Salle;
Especialização em Fisiologia do Exercício – faculdade La
salle Manaus;
Mestrado em Ciências do Movimento Humano (PPGCIMH) FEFF/
UFAM.
 Possui vínculo ao Laboratório de Estudos do Desempenho Humano - LEDEHU
Atuação e vínculos
 Atualmente aborda estudos relacionados à interface do para -
desporto e desempenho esportivo.
ESPORTES
COLETIVOS:
RUGBY
PROF. ME. LEONARDO MENDES
Rugby história e ética
A história do esporte se inicia em 1823, durante um jogo
escolar de futebol na cidade inglesa de Rugby, um jovem chamado William
Webb Ellis pegou a bola com as mãos e correu em direção ao gol dos
adversários.
“O Rugby deu origem ao futebol”
 Dois séculos mais tarde, o rugby tornou-se um dos esportes mais populares do
mundo, com milhões de pessoas jogando, assistindo, e apreciando o Jogo.
 O Rugby baseia-se numa ética única que se manteve com o passar do tempo. O
Jogo não apenas é praticado de acordo as Leis, como também dentro do espírito
das Leis.
 Através da disciplina, controle, respeito mútuo e camaradagem é forjado o
senso de fair play, definindo o Rugby como o Jogo em si.
 Os princípios do Rugby são os elementos fundamentais sobre os quais o Jogo se
baseia e eles permitem aos participantes imediatamente identificarem o caráter
do Jogo, e o que o distingue como um esporte que é praticado por pessoas de
todos os biótipos idades e gêneros.
O Rugby tem suas características impares, mas como muitos outros
esportes trata essencialmente da criação e utilização do espaço. Os
vencedores de um jogo de Rugby serão os atletas da equipe que
conseguir colocá-los no espaço criado e utilizá-lo com sabedoria, e que
consigam também negar aos seus adversários tanto a posse da bola
quanto o espaço para utilizar essa posse.
Ex: goleiro argentino pegou o bizu na
mundial, no último mundial de futebol
O Jogo
Jogo aberto
O termo ‘jogo aberto’ refere-se a qualquer fase do jogo em que a bola
esteja sendo passada ou chutada entre os atletas de uma, ou das duas
equipes ou enquanto exista a disputa pela posse da bola. Durante o
jogo aberto, a equipe de posse da bola tenta colocar os seus atletas no
espaço em que seja possível progredir em direção à linha de in-goal
adversária.
Saída de Jogo
Cada meio tempo de jogo é iniciado com um chute de drop no centro da
linha de meio campo. A equipe que não chuta a bola tem que estar
posicionada a 10 metros de onde o chute será efetuado e a bola tem que
percorrer pelo menos 10 metros em direção à linha do in-goal adversário.
Campo de
Rugby
Número de Jogadores/ e tempo
de partida
equipes de 15 jogadores cada – no modelo UNION (tradicional)
tempo de partida: 2 tempos de 40 minutos cada
equipes de 07 jogadores cada – no modelo SEVENS
tempo de partida: 2 tempos de 07 minutos (geralmente fazem mais
de uma partida)
Rugby é um Jogo no qual o objetivo é levar a bola para além da linha de
gol dos adversários e apoiá-la contra o solo para marcar pontos.
Manuseio
Passe
Um atleta pode passar (jogar a bola) para um
companheiro de equipe que esteja melhor
posicionado para continuar o ataque
mas a bola não pode ser passada em direção à
linha de in-goal dos adversários apenas
lateralmente ou em direção à linha de in-goal
da equipe do passador
Permitido correr com
a bola
4 meios de
pontuar –
 Try
Um try é marcado quando a bola é apoiada
contra o solo na área além da linha de in-goal
dos adversários.
Um try de penalidade pode ser marcado se um
atleta tivesse marcado o try, mas foi impedido
por uma penalidade do adversário.
pontos Após a marcação de um try, a equipe pode tentar a conversão de mais dois
pontos chutando a bola sobre o travessão e entre os postes a partir de um ponto na
linha que passa pelo local onde o try foi marcado.
Conversão – 2
Quando é concedida uma penalidade após ocorrer uma infração dos
adversários, a equipe pode optar por chutar para os postes
Penalidade - 3 pontos
Obs: a cargo do juiz da
partida: falta grave ou
leve. se no caso de uma
pequena infração, o
árbitro pode assinalar
uma formação ordenada.
Drop goal - 3 pontos (jogo aberto)
A drop goal é marcado quando um atleta chuta para o gol durante o jogo
aberto imediatamente após a bola cair e tocar o solo
Infrações e paradas de jogos
Passe para frente é ilegal: Se um passe é efetuado
para frente, o árbitro para o jogo e concede
um scrum
O scrum
O scrum é o meio de reiniciar o jogo após uma interrupção que tenha sido
causada por uma infração leve às Leis (um passe para frente ou uma bola
derrubada) ou por que a bola não pode continuar a ser jogada em um ruck
ou maul. O scrum serve para concentrar todos os forwards e os médios
scrum em um local do campo, proporcionando a oportunidade para os três-
quartos prepararem um ataque usando o espaço criado em outro lugar
No chute para a frente: O chute pode ser feito em direção ao
in-goal do adversário, mas apenas o próprio jogador ou
outro jogador da equipe pode apanhar a bola. qualquer
atleta da sua equipe na frente da bola no momento do
chute está fora de jogo até que se retirem para trás do
chutador.
Bola caiu a frente (mal manuseio da bola):
infação chamado “Knock-on”
Quando um atleta manuseia mal a bola, como
exemplo deixa-a cair ou rebater nas mãos e
braços e está toca o solo indo na direção do in-
goal adversário, esta ação é denominada knock-
on. Esta ação é punida com um scrum para os
adversários e desta forma ocorre uma mudança de
posse.
Knock-on
Um jogador está offside em jogo aberto se estiver em frente a um
companheiro de equipe que esteja carregando a bola, ou que a tiver jogado
por último. Um jogador offside não pode interferir no jogo.
Officide
ARBITRAGEM
Arbitragem
Sinal de Try Sinais de scrum concedido (esquerda) e
formar um scrum (direita)
LATERAL
O juiz de linha sinaliza que a bola está na lateral e qual equipe tem a posse para
introduzi-la no jogo
Sinal de Free kick
Um free kick é concedido para infrações menos
graves. A equipe não pode marcar pontos
diretamente de um free kick. A equipe pode
optar por um scrum no local do free kick
MEIOS DE INTERVIR NA PROGRESSÃO COM A BOLA
Assim como é um jogo de evasão que requer a criação e o uso do espaço, o Rugby é
também um esporte de contato. De fato, as situações de contato são o mecanismo pelo
qual os atletas criam o espaço que necessitam para atacar. As três situações mais
comuns de contato que podem ocorrer durante o jogo aberto são o tackle, o ruck e o
maul
O Tackle
Apenas o portador da bola pode ser derrubado com um tackle de um
atleta adversário. O tackle ocorre quando o portador da bola é seguro
por um ou mais adversários e levado para o solo, ou seja, tocar com um
ou dois joelhos o solo, sentar-se no solo ou tocar outro atleta que esteja
no solo. Para manter a continuidade do jogo, o portador deve soltar a
bola imediatamente após o tackle, o tackleador deve soltar o portador da
bola e afastar-se dela. Isto permite que outros atletas se envolvam e
disputem a da bola, porém iniciando uma nova fase de jogo.
O Tackle
O ruck
Um ruck é formado se a bola estiver no solo e um ou mais atletas de ambas
as equipes que estejam em pé entrem em contato ao redor da bola. Os
atletas não podem usar as mãos para manusear a bola no ruck. Os atletas
podem utilizar os pés para mover a bola no ruck e podem empurrar os
adversários para além da bola de forma que ela emirja após o último pé e
possa ser jogada com as mãos.
O ruck
O maul
Um maul ocorre quando o portador é seguro por um ou mais atletas
adversários e um ou mais atletas da sua equipe entram em contato
com ele. A bola não pode estar em contato com o solo. A equipe de
posse da bola pode tentar ganhar território empurrando os seus
adversários em direção à linha de ingoal adversária. A bola pode ser
passada para trás entre os atletas no maul, e eventualmente,
passada para outro atleta que não esteja participando do maul, ou
um atleta pode deixar o maul portando a bola e correr com ela
O maul
Chutar
O chute pode ser feito em direção ao in-goal do adversário, mas qualquer atleta da
sua equipe na frente da bola no momento do chute está fora de jogo até que se
retirem para trás do chutador.
estratégia de chute inclui:
• chutar para o espaço, de modo a que os companheiros de equipe tenham tempo para
correr até à bola antes de um adversário poder retomá la; (RECOMPOSIÇÃO OU
DIMINUIR A PRESSÃO).
• Chutar em profundidade, em um ângulo obliquo ao
campo, de forma a que o ponta oposto ou o segundo-
centro possam retomar a posse;
com introdução dos adversários. Esta ação concede a posse da bola aos
adversários, mas permite que a equipe que chuta dispute a posse em
uma melhor posição no campo
LINEOUT
HOOKER
AS POSIÇÕES
O Rugby sempre foi caracterizado pelo conceito de que é um esporte
para todos os tamanhos e físicos. Na realidade, cada posição requer
um conjunto distinto de aptidões físicas e atributos técnicos e é esta
diversidade que o torna um jogo acessível a todos. Desde a potência
dos forwards até a velocidade dos três-quartos, existe espaço numa
equipe de Rugby para qualquer um que queira um pouco de ação.
AS POSIÇÕES
Camisas 1 e 3
Atividade apresentação
Equipe
1 descrever as posições e potencialidades a
serem trabalhadas
2 regras básicas de jogo
3 infrações e manuseio da bola
4 arbitragem, infrações e técnico (formação e
conhecimentos necessários)

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aula 1 (história, equiamentos e regras de jogo).pptx

Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
smigano
 
Handebol
HandebolHandebol
Handebol
Rayana Fialho
 
Voleibol diogo soudo miguel
Voleibol diogo soudo  miguelVoleibol diogo soudo  miguel
Voleibol diogo soudo miguel
Isabellucas59
 
Andebol - tudo
Andebol - tudoAndebol - tudo
Andebol - tudo
HugoSousa93
 
O Basquete
O BasqueteO Basquete
O Basquete
Aandréa Rodrigues
 
Corfebol
CorfebolCorfebol
andebol
andebolandebol
andebol
guest126cc72
 
Handebol
Handebol Handebol
Handebol
Daniele Gomes
 
Slide handebol
Slide handebolSlide handebol
Slide handebol
Gelcimar Educ Física
 
Basquete 1
Basquete 1Basquete 1
Basquete 1
Nilceia Sc
 
Andebol.ppt
Andebol.pptAndebol.ppt
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
Marcia Barbosa
 
Andebol
AndebolAndebol
Andebol
ana pinho
 
Andebol regras
Andebol regras Andebol regras
Andebol regras
Maria Sequeira
 
Andebol 101209122214-phpapp01 2
Andebol 101209122214-phpapp01 2Andebol 101209122214-phpapp01 2
Andebol 101209122214-phpapp01 2
Maria Sequeira
 
Regras do Voleibol
Regras do VoleibolRegras do Voleibol
Regras do Voleibol
Sutier
 
SLIDE DE HANDEBOL PARA ED. FÍSICA.pptx
SLIDE DE HANDEBOL PARA ED. FÍSICA.pptxSLIDE DE HANDEBOL PARA ED. FÍSICA.pptx
SLIDE DE HANDEBOL PARA ED. FÍSICA.pptx
sayonara39
 
Andebol
Andebol Andebol
Handebol
HandebolHandebol
Handebol
HandebolHandebol

Semelhante a Aula 1 (história, equiamentos e regras de jogo).pptx (20)

Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
 
Handebol
HandebolHandebol
Handebol
 
Voleibol diogo soudo miguel
Voleibol diogo soudo  miguelVoleibol diogo soudo  miguel
Voleibol diogo soudo miguel
 
Andebol - tudo
Andebol - tudoAndebol - tudo
Andebol - tudo
 
O Basquete
O BasqueteO Basquete
O Basquete
 
Corfebol
CorfebolCorfebol
Corfebol
 
andebol
andebolandebol
andebol
 
Handebol
Handebol Handebol
Handebol
 
Slide handebol
Slide handebolSlide handebol
Slide handebol
 
Basquete 1
Basquete 1Basquete 1
Basquete 1
 
Andebol.ppt
Andebol.pptAndebol.ppt
Andebol.ppt
 
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
 
Andebol
AndebolAndebol
Andebol
 
Andebol regras
Andebol regras Andebol regras
Andebol regras
 
Andebol 101209122214-phpapp01 2
Andebol 101209122214-phpapp01 2Andebol 101209122214-phpapp01 2
Andebol 101209122214-phpapp01 2
 
Regras do Voleibol
Regras do VoleibolRegras do Voleibol
Regras do Voleibol
 
SLIDE DE HANDEBOL PARA ED. FÍSICA.pptx
SLIDE DE HANDEBOL PARA ED. FÍSICA.pptxSLIDE DE HANDEBOL PARA ED. FÍSICA.pptx
SLIDE DE HANDEBOL PARA ED. FÍSICA.pptx
 
Andebol
Andebol Andebol
Andebol
 
Handebol
HandebolHandebol
Handebol
 
Handebol
HandebolHandebol
Handebol
 

Mais de TavaresJana

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE ESPORTE NO BRASIL.pptx
ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE ESPORTE NO BRASIL.pptxESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE ESPORTE NO BRASIL.pptx
ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE ESPORTE NO BRASIL.pptx
TavaresJana
 
REVISÃO.pptx acerca da organização e estrutura de plíticas públicas no esporte
REVISÃO.pptx acerca da organização e estrutura de plíticas públicas no esporteREVISÃO.pptx acerca da organização e estrutura de plíticas públicas no esporte
REVISÃO.pptx acerca da organização e estrutura de plíticas públicas no esporte
TavaresJana
 
POLÍTICAS PÚBLICAS DO LAZER - AULA 1.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS DO LAZER - AULA 1.pptxPOLÍTICAS PÚBLICAS DO LAZER - AULA 1.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS DO LAZER - AULA 1.pptx
TavaresJana
 
EDUCAÇÃO FÍSICA - DIMENSÕES ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS NOS PROGRAMAS DE ESP...
EDUCAÇÃO FÍSICA - DIMENSÕES ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS NOS PROGRAMAS DE ESP...EDUCAÇÃO FÍSICA - DIMENSÕES ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS NOS PROGRAMAS DE ESP...
EDUCAÇÃO FÍSICA - DIMENSÕES ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS NOS PROGRAMAS DE ESP...
TavaresJana
 
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidadeTÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
TavaresJana
 
Métodos analíticos no futebol e seus fundamentos.pptx
Métodos analíticos no futebol e seus fundamentos.pptxMétodos analíticos no futebol e seus fundamentos.pptx
Métodos analíticos no futebol e seus fundamentos.pptx
TavaresJana
 
equipe 4.pptx fundamentos do futebol e táticas e aplicações
equipe 4.pptx fundamentos do futebol e táticas e aplicaçõesequipe 4.pptx fundamentos do futebol e táticas e aplicações
equipe 4.pptx fundamentos do futebol e táticas e aplicações
TavaresJana
 
Estrutura e Organização da Política de Esporte no Brasil
Estrutura e Organização da Política de Esporte no BrasilEstrutura e Organização da Política de Esporte no Brasil
Estrutura e Organização da Política de Esporte no Brasil
TavaresJana
 
Apresentação 2 (3).pptx posições e características das posições no futebol
Apresentação 2 (3).pptx posições e características das posições no futebolApresentação 2 (3).pptx posições e características das posições no futebol
Apresentação 2 (3).pptx posições e características das posições no futebol
TavaresJana
 
ética profissional e a importancia da educação física aula 3.pptx
ética profissional e a importancia da educação física aula 3.pptxética profissional e a importancia da educação física aula 3.pptx
ética profissional e a importancia da educação física aula 3.pptx
TavaresJana
 
Aula 4 - PELCI PROGRAMAS DE ESPORTES E LAZER NA COMUNIDADE.pptx
Aula 4 - PELCI PROGRAMAS DE ESPORTES E LAZER NA COMUNIDADE.pptxAula 4 - PELCI PROGRAMAS DE ESPORTES E LAZER NA COMUNIDADE.pptx
Aula 4 - PELCI PROGRAMAS DE ESPORTES E LAZER NA COMUNIDADE.pptx
TavaresJana
 
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptxAula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
TavaresJana
 
fases do desenvolvimento e características de atividades.pptx
fases do desenvolvimento e características de atividades.pptxfases do desenvolvimento e características de atividades.pptx
fases do desenvolvimento e características de atividades.pptx
TavaresJana
 
equipe 1 analise do esporte como fenômeno sociocultural.pptx
equipe 1 analise do esporte como fenômeno sociocultural.pptxequipe 1 analise do esporte como fenômeno sociocultural.pptx
equipe 1 analise do esporte como fenômeno sociocultural.pptx
TavaresJana
 
aula 2 História da Educação Física Brasil e amazonas.pptx
aula 2 História da Educação Física Brasil e amazonas.pptxaula 2 História da Educação Física Brasil e amazonas.pptx
aula 2 História da Educação Física Brasil e amazonas.pptx
TavaresJana
 
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptxaula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
TavaresJana
 
fundamementos e ensino pedagógicoTAG_RUGBY_AAP.pptx
fundamementos e ensino pedagógicoTAG_RUGBY_AAP.pptxfundamementos e ensino pedagógicoTAG_RUGBY_AAP.pptx
fundamementos e ensino pedagógicoTAG_RUGBY_AAP.pptx
TavaresJana
 
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptxaula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
TavaresJana
 
aula 2 - recreação e lazer fundamentos e conceitos .pptx
aula 2 - recreação e lazer fundamentos e conceitos .pptxaula 2 - recreação e lazer fundamentos e conceitos .pptx
aula 2 - recreação e lazer fundamentos e conceitos .pptx
TavaresJana
 
aula 1 - EDUCAÇÃO FÍSICA DA ANTIGUIDADE ATÉ A IDADE CONTEPORÂNEA.pptx
aula 1 - EDUCAÇÃO FÍSICA DA ANTIGUIDADE ATÉ A IDADE CONTEPORÂNEA.pptxaula 1 - EDUCAÇÃO FÍSICA DA ANTIGUIDADE ATÉ A IDADE CONTEPORÂNEA.pptx
aula 1 - EDUCAÇÃO FÍSICA DA ANTIGUIDADE ATÉ A IDADE CONTEPORÂNEA.pptx
TavaresJana
 

Mais de TavaresJana (20)

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE ESPORTE NO BRASIL.pptx
ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE ESPORTE NO BRASIL.pptxESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE ESPORTE NO BRASIL.pptx
ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE ESPORTE NO BRASIL.pptx
 
REVISÃO.pptx acerca da organização e estrutura de plíticas públicas no esporte
REVISÃO.pptx acerca da organização e estrutura de plíticas públicas no esporteREVISÃO.pptx acerca da organização e estrutura de plíticas públicas no esporte
REVISÃO.pptx acerca da organização e estrutura de plíticas públicas no esporte
 
POLÍTICAS PÚBLICAS DO LAZER - AULA 1.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS DO LAZER - AULA 1.pptxPOLÍTICAS PÚBLICAS DO LAZER - AULA 1.pptx
POLÍTICAS PÚBLICAS DO LAZER - AULA 1.pptx
 
EDUCAÇÃO FÍSICA - DIMENSÕES ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS NOS PROGRAMAS DE ESP...
EDUCAÇÃO FÍSICA - DIMENSÕES ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS NOS PROGRAMAS DE ESP...EDUCAÇÃO FÍSICA - DIMENSÕES ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS NOS PROGRAMAS DE ESP...
EDUCAÇÃO FÍSICA - DIMENSÕES ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS NOS PROGRAMAS DE ESP...
 
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidadeTÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
 
Métodos analíticos no futebol e seus fundamentos.pptx
Métodos analíticos no futebol e seus fundamentos.pptxMétodos analíticos no futebol e seus fundamentos.pptx
Métodos analíticos no futebol e seus fundamentos.pptx
 
equipe 4.pptx fundamentos do futebol e táticas e aplicações
equipe 4.pptx fundamentos do futebol e táticas e aplicaçõesequipe 4.pptx fundamentos do futebol e táticas e aplicações
equipe 4.pptx fundamentos do futebol e táticas e aplicações
 
Estrutura e Organização da Política de Esporte no Brasil
Estrutura e Organização da Política de Esporte no BrasilEstrutura e Organização da Política de Esporte no Brasil
Estrutura e Organização da Política de Esporte no Brasil
 
Apresentação 2 (3).pptx posições e características das posições no futebol
Apresentação 2 (3).pptx posições e características das posições no futebolApresentação 2 (3).pptx posições e características das posições no futebol
Apresentação 2 (3).pptx posições e características das posições no futebol
 
ética profissional e a importancia da educação física aula 3.pptx
ética profissional e a importancia da educação física aula 3.pptxética profissional e a importancia da educação física aula 3.pptx
ética profissional e a importancia da educação física aula 3.pptx
 
Aula 4 - PELCI PROGRAMAS DE ESPORTES E LAZER NA COMUNIDADE.pptx
Aula 4 - PELCI PROGRAMAS DE ESPORTES E LAZER NA COMUNIDADE.pptxAula 4 - PELCI PROGRAMAS DE ESPORTES E LAZER NA COMUNIDADE.pptx
Aula 4 - PELCI PROGRAMAS DE ESPORTES E LAZER NA COMUNIDADE.pptx
 
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptxAula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
 
fases do desenvolvimento e características de atividades.pptx
fases do desenvolvimento e características de atividades.pptxfases do desenvolvimento e características de atividades.pptx
fases do desenvolvimento e características de atividades.pptx
 
equipe 1 analise do esporte como fenômeno sociocultural.pptx
equipe 1 analise do esporte como fenômeno sociocultural.pptxequipe 1 analise do esporte como fenômeno sociocultural.pptx
equipe 1 analise do esporte como fenômeno sociocultural.pptx
 
aula 2 História da Educação Física Brasil e amazonas.pptx
aula 2 História da Educação Física Brasil e amazonas.pptxaula 2 História da Educação Física Brasil e amazonas.pptx
aula 2 História da Educação Física Brasil e amazonas.pptx
 
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptxaula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
 
fundamementos e ensino pedagógicoTAG_RUGBY_AAP.pptx
fundamementos e ensino pedagógicoTAG_RUGBY_AAP.pptxfundamementos e ensino pedagógicoTAG_RUGBY_AAP.pptx
fundamementos e ensino pedagógicoTAG_RUGBY_AAP.pptx
 
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptxaula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
aula 2 multifaces da ginástica de academia na atualidade - Copia.pptx
 
aula 2 - recreação e lazer fundamentos e conceitos .pptx
aula 2 - recreação e lazer fundamentos e conceitos .pptxaula 2 - recreação e lazer fundamentos e conceitos .pptx
aula 2 - recreação e lazer fundamentos e conceitos .pptx
 
aula 1 - EDUCAÇÃO FÍSICA DA ANTIGUIDADE ATÉ A IDADE CONTEPORÂNEA.pptx
aula 1 - EDUCAÇÃO FÍSICA DA ANTIGUIDADE ATÉ A IDADE CONTEPORÂNEA.pptxaula 1 - EDUCAÇÃO FÍSICA DA ANTIGUIDADE ATÉ A IDADE CONTEPORÂNEA.pptx
aula 1 - EDUCAÇÃO FÍSICA DA ANTIGUIDADE ATÉ A IDADE CONTEPORÂNEA.pptx
 

Último

Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 

Último (20)

Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 

Aula 1 (história, equiamentos e regras de jogo).pptx

  • 2. Formação acadêmica Graduação em Bacharelado em Educação Física pela Universidade Estácio de Sá;  Graduação em Licenciatura em Educação Física pelo Centro Universitário La Salle; Especialização em Fisiologia do Exercício – faculdade La salle Manaus; Mestrado em Ciências do Movimento Humano (PPGCIMH) FEFF/ UFAM.  Possui vínculo ao Laboratório de Estudos do Desempenho Humano - LEDEHU Atuação e vínculos  Atualmente aborda estudos relacionados à interface do para - desporto e desempenho esportivo.
  • 4. Rugby história e ética A história do esporte se inicia em 1823, durante um jogo escolar de futebol na cidade inglesa de Rugby, um jovem chamado William Webb Ellis pegou a bola com as mãos e correu em direção ao gol dos adversários. “O Rugby deu origem ao futebol”
  • 5.  Dois séculos mais tarde, o rugby tornou-se um dos esportes mais populares do mundo, com milhões de pessoas jogando, assistindo, e apreciando o Jogo.  O Rugby baseia-se numa ética única que se manteve com o passar do tempo. O Jogo não apenas é praticado de acordo as Leis, como também dentro do espírito das Leis.  Através da disciplina, controle, respeito mútuo e camaradagem é forjado o senso de fair play, definindo o Rugby como o Jogo em si.  Os princípios do Rugby são os elementos fundamentais sobre os quais o Jogo se baseia e eles permitem aos participantes imediatamente identificarem o caráter do Jogo, e o que o distingue como um esporte que é praticado por pessoas de todos os biótipos idades e gêneros.
  • 6. O Rugby tem suas características impares, mas como muitos outros esportes trata essencialmente da criação e utilização do espaço. Os vencedores de um jogo de Rugby serão os atletas da equipe que conseguir colocá-los no espaço criado e utilizá-lo com sabedoria, e que consigam também negar aos seus adversários tanto a posse da bola quanto o espaço para utilizar essa posse. Ex: goleiro argentino pegou o bizu na mundial, no último mundial de futebol
  • 8. Jogo aberto O termo ‘jogo aberto’ refere-se a qualquer fase do jogo em que a bola esteja sendo passada ou chutada entre os atletas de uma, ou das duas equipes ou enquanto exista a disputa pela posse da bola. Durante o jogo aberto, a equipe de posse da bola tenta colocar os seus atletas no espaço em que seja possível progredir em direção à linha de in-goal adversária.
  • 9. Saída de Jogo Cada meio tempo de jogo é iniciado com um chute de drop no centro da linha de meio campo. A equipe que não chuta a bola tem que estar posicionada a 10 metros de onde o chute será efetuado e a bola tem que percorrer pelo menos 10 metros em direção à linha do in-goal adversário.
  • 11. Número de Jogadores/ e tempo de partida equipes de 15 jogadores cada – no modelo UNION (tradicional) tempo de partida: 2 tempos de 40 minutos cada
  • 12. equipes de 07 jogadores cada – no modelo SEVENS tempo de partida: 2 tempos de 07 minutos (geralmente fazem mais de uma partida)
  • 13. Rugby é um Jogo no qual o objetivo é levar a bola para além da linha de gol dos adversários e apoiá-la contra o solo para marcar pontos.
  • 14. Manuseio Passe Um atleta pode passar (jogar a bola) para um companheiro de equipe que esteja melhor posicionado para continuar o ataque mas a bola não pode ser passada em direção à linha de in-goal dos adversários apenas lateralmente ou em direção à linha de in-goal da equipe do passador Permitido correr com a bola
  • 16.  Try Um try é marcado quando a bola é apoiada contra o solo na área além da linha de in-goal dos adversários. Um try de penalidade pode ser marcado se um atleta tivesse marcado o try, mas foi impedido por uma penalidade do adversário.
  • 17. pontos Após a marcação de um try, a equipe pode tentar a conversão de mais dois pontos chutando a bola sobre o travessão e entre os postes a partir de um ponto na linha que passa pelo local onde o try foi marcado. Conversão – 2
  • 18. Quando é concedida uma penalidade após ocorrer uma infração dos adversários, a equipe pode optar por chutar para os postes Penalidade - 3 pontos Obs: a cargo do juiz da partida: falta grave ou leve. se no caso de uma pequena infração, o árbitro pode assinalar uma formação ordenada.
  • 19. Drop goal - 3 pontos (jogo aberto) A drop goal é marcado quando um atleta chuta para o gol durante o jogo aberto imediatamente após a bola cair e tocar o solo
  • 20. Infrações e paradas de jogos Passe para frente é ilegal: Se um passe é efetuado para frente, o árbitro para o jogo e concede um scrum
  • 21. O scrum O scrum é o meio de reiniciar o jogo após uma interrupção que tenha sido causada por uma infração leve às Leis (um passe para frente ou uma bola derrubada) ou por que a bola não pode continuar a ser jogada em um ruck ou maul. O scrum serve para concentrar todos os forwards e os médios scrum em um local do campo, proporcionando a oportunidade para os três- quartos prepararem um ataque usando o espaço criado em outro lugar
  • 22. No chute para a frente: O chute pode ser feito em direção ao in-goal do adversário, mas apenas o próprio jogador ou outro jogador da equipe pode apanhar a bola. qualquer atleta da sua equipe na frente da bola no momento do chute está fora de jogo até que se retirem para trás do chutador. Bola caiu a frente (mal manuseio da bola): infação chamado “Knock-on”
  • 23. Quando um atleta manuseia mal a bola, como exemplo deixa-a cair ou rebater nas mãos e braços e está toca o solo indo na direção do in- goal adversário, esta ação é denominada knock- on. Esta ação é punida com um scrum para os adversários e desta forma ocorre uma mudança de posse. Knock-on
  • 24. Um jogador está offside em jogo aberto se estiver em frente a um companheiro de equipe que esteja carregando a bola, ou que a tiver jogado por último. Um jogador offside não pode interferir no jogo. Officide
  • 26. Arbitragem Sinal de Try Sinais de scrum concedido (esquerda) e formar um scrum (direita)
  • 27. LATERAL O juiz de linha sinaliza que a bola está na lateral e qual equipe tem a posse para introduzi-la no jogo
  • 28. Sinal de Free kick Um free kick é concedido para infrações menos graves. A equipe não pode marcar pontos diretamente de um free kick. A equipe pode optar por um scrum no local do free kick
  • 29. MEIOS DE INTERVIR NA PROGRESSÃO COM A BOLA Assim como é um jogo de evasão que requer a criação e o uso do espaço, o Rugby é também um esporte de contato. De fato, as situações de contato são o mecanismo pelo qual os atletas criam o espaço que necessitam para atacar. As três situações mais comuns de contato que podem ocorrer durante o jogo aberto são o tackle, o ruck e o maul
  • 30. O Tackle Apenas o portador da bola pode ser derrubado com um tackle de um atleta adversário. O tackle ocorre quando o portador da bola é seguro por um ou mais adversários e levado para o solo, ou seja, tocar com um ou dois joelhos o solo, sentar-se no solo ou tocar outro atleta que esteja no solo. Para manter a continuidade do jogo, o portador deve soltar a bola imediatamente após o tackle, o tackleador deve soltar o portador da bola e afastar-se dela. Isto permite que outros atletas se envolvam e disputem a da bola, porém iniciando uma nova fase de jogo.
  • 32. O ruck Um ruck é formado se a bola estiver no solo e um ou mais atletas de ambas as equipes que estejam em pé entrem em contato ao redor da bola. Os atletas não podem usar as mãos para manusear a bola no ruck. Os atletas podem utilizar os pés para mover a bola no ruck e podem empurrar os adversários para além da bola de forma que ela emirja após o último pé e possa ser jogada com as mãos.
  • 34. O maul Um maul ocorre quando o portador é seguro por um ou mais atletas adversários e um ou mais atletas da sua equipe entram em contato com ele. A bola não pode estar em contato com o solo. A equipe de posse da bola pode tentar ganhar território empurrando os seus adversários em direção à linha de ingoal adversária. A bola pode ser passada para trás entre os atletas no maul, e eventualmente, passada para outro atleta que não esteja participando do maul, ou um atleta pode deixar o maul portando a bola e correr com ela
  • 36.
  • 37. Chutar O chute pode ser feito em direção ao in-goal do adversário, mas qualquer atleta da sua equipe na frente da bola no momento do chute está fora de jogo até que se retirem para trás do chutador.
  • 38. estratégia de chute inclui: • chutar para o espaço, de modo a que os companheiros de equipe tenham tempo para correr até à bola antes de um adversário poder retomá la; (RECOMPOSIÇÃO OU DIMINUIR A PRESSÃO). • Chutar em profundidade, em um ângulo obliquo ao campo, de forma a que o ponta oposto ou o segundo- centro possam retomar a posse;
  • 39. com introdução dos adversários. Esta ação concede a posse da bola aos adversários, mas permite que a equipe que chuta dispute a posse em uma melhor posição no campo
  • 41. AS POSIÇÕES O Rugby sempre foi caracterizado pelo conceito de que é um esporte para todos os tamanhos e físicos. Na realidade, cada posição requer um conjunto distinto de aptidões físicas e atributos técnicos e é esta diversidade que o torna um jogo acessível a todos. Desde a potência dos forwards até a velocidade dos três-quartos, existe espaço numa equipe de Rugby para qualquer um que queira um pouco de ação.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47. Atividade apresentação Equipe 1 descrever as posições e potencialidades a serem trabalhadas 2 regras básicas de jogo 3 infrações e manuseio da bola 4 arbitragem, infrações e técnico (formação e conhecimentos necessários)