SlideShare uma empresa Scribd logo
AS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS
NA PRÁTICA ESCOLAR
Prof. Dr. Joelson de Sousa Morais
Diretoria de Tecnologias na Educação - DTED
PRÁTICA EDUCATIVA E SOCIEDADE
é parte integrante do processo educativo mais
global pelo qual os membros da sociedade são
preparados para a participação na vida social.
TRABALHO
DOCENTE
É um fenômeno social e universal, sendo uma
atividade humana necessária à existência e
funcionamento de todas as sociedades.
EDUCAÇÃO
(Prática
educativa)
“Não há sociedade sem prática educativa, nem prática educativa
sem sociedade”
(LIBÂNEO, 1994)
(LIBÂNEO, 1994)
O processo de ensino é uma atividade
conjunta de professores e alunos, organizado sob a
direção de um professor, com a finalidade de prover
as condições e meios pelos quais os alunos
assimilam ativamente conhecimentos, habilidades,
atitudes e convicções (LIBÂNEO, 1994, p. 29).
O ENSINO COMO PRÁTICA SOCIAL
O ensino deve situar-se em
contextos sociopolíticos, de
interesses e valores, de conflito
(ANTOLÍ, 2012, p. 102).
Ensinar é uma realidade que pode ser interrogada e pesquisada não
só pela percepção de atos visíveis em sua execução, em suas
modalidades, seus sucessos e fracassos, mas também pela reflexão
sobre o seu significado na formação da personalidade e suas
consequências para a vida social (CASTRO, 2002, p. 20).
Como prática social, o ensino conforma-se e
configura-se em determinadas condições
concretas, tais como o contexto institucional,
as condições de trabalho dos docentes, suas
representações e os sentidos que elaboram
sobre seu trabalho (FRANCO, 2010, p. 90).
Os efeitos educativos dependem da interação complexa
de todos os fatores que se inter-relacionam nas
situações de ensino:
Tipo de
atividade
metodológica
Aspectos
materiais da
situação
Estilo do
professor
Relações
sociais
Conteúdos
culturais
(LIBÂNEO, 1994)
CUNHO LIBERAL
CLASSIFICAÇÃO DAS TENDÊNCIAS
CUNHO PROGRESSISTA
 Pedagogia Libertadora.
 Pedagogia Crítico-Social
dos conteúdos.
(LIBÂNEO, 1994)
 Pedagogia Tradicional.
 Pedagogia Renovada.
 Tecnicismo Educacional
PEDAGOGIA TRADICIONAL
DIDÁTICA
Disciplina normativa, um conjunto de
princípios e regras que regulam o
ensino.
ALUNO
PROFESSOR
APRENDIZAGEM
Receptiva, automática, não mobilizando a
atividade mental do aluno e o desenvolvimento
de suas capacidades intelectuais.
Recebedor da matéria e sua tarefa é
decorá-la.
Detentor do saber. “Transmissor”.
ENSINO Centrada do professor. Vertical.
(LIBÂNEO, 1994)
Na PEDAGOGIA TRADICIONAL...
O professor tende a encaixar os alunos
num modelo idealizado de homem que
nada tem a ver com a vida presente e
futura.
A matéria de ensino é tratada
isoladamente, isto é, desvinculada dos
interesses dos alunos e dos problemas
reais da sociedade e da vida.
O método é dado pela lógica e
sequência da matéria, é o meio utilizado
pelo professor para comunicar a matéria
e não dos alunos para aprendê-la. (LIBÂNEO, 1994)
PEDAGOGIA RENOVADA
CORRENTES:
Não-diretiva
Surge no final do século XIX
Ativista espiritual
(de orientação
católica)
Culturalista
Piagetiana
Montessoriana
(LIBÂNEO, 1994)
Progressista:
- John Dewey
PEDAGOGIA RENOVADA
DIDÁTICA
ALUNO
PROFESSOR
APRENDIZAGEM
Sujeito da aprendizagem.
Incentiva, orienta, organiza as situações de
aprendizagem, adequando-as às capacidades de
características individuais dos alunos.
ENSINO Valoriza o processo da aprendizagem
Entendida como “direção da
aprendizagem”.
Ativa, mobilizada pela criação, expressão verbal,
escrita plástica e outro.
(LIBÂNEO, 1994)
Tanto na organização das
experiências de
aprendizagem como na
seleção de métodos
importa o processo de
aprendizagem e não
diretamente o ensino.
Dá importância aos
métodos e técnicas:
Na PEDAGOGIA RENOVADA...
 trabalho de grupo;
 atividades cooperativas;
 estudo individual;
 pesquisas;
 projetos;
 experimentações, etc.
A Didática não é a direção do ensino, é a orientação da
aprendizagem, uma vez que esta é uma experiência
própria do aluno através da pesquisa, da investigação.
(LIBÂNEO, 1994)
CARACTERÍSTICAS:
 A valorização da criança, dotada de liberdade, iniciativa e
interesses próprios e, por isso mesmo, sujeito da aprendizagem e
agente do seu próprio desenvolvimento;
 Tratamento científico do processo educacional, considerando as
etapas sucessivas do desenvolvimento biológico e psicológico;
 Respeito às capacidades e aptidões individuais, individualização
do ensno conforme os ritmos próprios de aprendizagem;
 Rejeição de modelos em favor da atividade e da liberdade de
expressão da criança.
(LIBÂNEO, 1994)
A denominação Pedagogia Renovada se aplica:
tanto ao movimento da
educação nova
propriamente dito, que
inclui a criação de
“escolas novas”, a
disseminação da
pedagogia ativa e dos
métodos ativos
como também a
outras correntes que
adotam certos
princípios de
renovação
educacional mas sem
vínculo com a Escola
Nova.
Dentro do movimento
escolanovista
desenvolveu-se:
-Pedagogia Pragmática ou Progressivista (John Dewey /
1859-1952) nos E. Unidos.
- Movimento dos Pioneiros da Escola Nova (Anísio
Teixeira) no Brasil na década de 30.
(LIBÂNEO, 1994)
PEDAGOGIA TECNICISTA
Desenvolveu-se no Brasil na década de 50, à
sombra do progressivismo, ganhando nos
anos 60 autonomia quando constituiu-se
especificamente como tendência, inspirada
na teoria behaviorista da aprendizagem e na
abordagem sistêmica do ensino.
Acabou sendo imposta às escolas pelos organismos oficiais ao
longo de duas décadas, por ser compatível com a orientação
econômica, política e ideológica do regime militar então vigente.
(LIBÂNEO, 1994)
(CASTRO, 2002).
PEDAGOGIA TECNICISTA
DIDÁTICA
ALUNO
PROFESSOR
Centrado no domínio de técnicas com
eficiência e eficácia.
ENSINO
Operacionalização de técnicas e instrumentos,
visando o alcance de objetivos previamente
estabelecidos.
Instrumental, interessada na
racionalização do ensino, no uso de
meios e técnicas mais eficazes.
Administrador e executor do
planejamento.
(LIBÂNEO, 1994)
TENDÊNCIAS DE CUNHO
PROGRESSISTAS
Adquiriu maior solidez e sistematização.
1980
Também denominadas teorias críticas da educação
No começo do século formaram-se movimentos de renovação
educacional por iniciativa de militantes socialistas.
No início dos anos 60 surgiram os movimentos de educação de
adultos que geraram idéias pedagógicas e práticas
educacionais de educação popular, configurando a tendência
que veio a ser denominada de Pedagogia Libertadora.
(LIBÂNEO, 1994)
Trata-se de duas tendências pedagógicas progressistas, propondo uma
educação escolar crítica a serviço das transformações sociais e
econômicas, ou seja, de superação das desigualdades sociais decorrentes
das formas sociais capitalistas de organização da sociedade.
PEDAGOGIA
LIBERTADORA
PEDAGOGIA
CRÍTICO-SOCIAL
DOS CONTEÚDOS
Retomou as propostas
de educação popular
dos anos 60 (clientela
adulta)
- Paulo Freire.
Inspirada no materialismo
histórico dialético, concebe o
ensino como condição p/ a
participação efetivo do povo
nas lutas sociais
- Dermeval Saviane.
(LIBÂNEO, 1994)
PEDAGOGIA LIBERTADORA
DIDÁTICA
ALUNO
PROFESSOR
Sujeito da aprendizagem.
ENSINO
Centrado na discussão de temas sociais e
políticos. Questões da realidade social
imediata.
Não tem uma proposta explícita de
Didática.
Coordenador ou animador das atividades
que se organizam sempre pela ação
conjunta.
(LIBÂNEO, 1994)
A Pedagogia Libertadora tem sido empregada
com muito êxito em vários setores dos
movimentos sociais, como sindicatos,
associações de bairro, comunidades religiosas.
Em relação à sua aplicação nas escolas
públicas, especialmente no ensino de 1º grau,
os representantes dessa tendência não
chegaram a formular uma orientação
pedagógico-didática especificamente escolar,
compatível com a idade, o desenvolvimento
mental e as características de aprendizagem
das crianças e jovens.
(LIBÂNEO, 1994)
PEDAGOGIA CRÍTICO-
SOCIAL DOS CONTEÚDOS
DIDÁTICA
ALUNO
PROFESSOR
APRENDIZAGEM
ENSINO
A tarefa de propiciar aos alunos o desenvolvimento de suas
capacidades e habilidades intelectuais, mediante a
transmissão e assimilação ativa dos conteúdos escolares
articulando, no mesmo processo, a aquisição de noções
sistematizadas e as qualidades individuais dos alunos que
lhes possibilitam a auto-atividade e a busca independente e
criativa das noções.
Direção do processo de ensinar,
tendo em vista finalidades sócio-
políticas e pedagógicas e as
condições e meios formativos.
(LIBÂNEO, 1994)
A PEDAGOGIA CRÍTICO-SOCIAL DOS CONTEÚDOS...
 Busca uma síntese superadora de traços significativos da
Pedagogia Tradicional e da Escola Nova.
 Toma o partido dos interesses majoritários da sociedade,
atribuindo à instrução e ao ensino o papel de proporcionar aos
alunos o domínio de conteúdos científicos, os métodos de estudo
e habilidades e hábitos de raciocínio científico, de modo a irem
formando a consciência crítica face às realidades sociais e
capacitando-se a assumir no conjunto das lutas sociais a sua
condição de agente ativos de transformação da sociedade e de si
próprios.
(LIBÂNEO, 1994)
• ANTOLÍ, Vicenç Benedito. A didática como espaço e área do conhecimento:
fundamentação teórica e pesquisa didática. In.: FAZENDA, I. C. A. Didática e
interdisciplinaridade. 17. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.
• CASTRO, Amélia Domingues de. O ensino: objeto da didática. In.: _____; CARVALHO,
A. M. P. de (Orgs.). Ensinar a ensinar: didática para a escola fundamental e média. São
Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.
• FRANCO, Maria Amélia Santoro. Didática e pedagogia: da teoria de ensino à teoria da
formação. In.: _____; PIMENTA, S. G. (Orgs.). Didática: embates contemporâneos. São
Paulo: Loyola, 2010.
• LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.
• ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Tradução Ernani F. da F. Rosa.
Porto Alegre: Artmed, 1998.
REFERÊNCIAS
Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx

Tendências pedagógicas texto
Tendências pedagógicas   textoTendências pedagógicas   texto
Tendências pedagógicas texto
diegocn
 
Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.
Paula Naranjo
 
"Tendências pedagógicas"
"Tendências pedagógicas""Tendências pedagógicas"
"Tendências pedagógicas"
Cléo Lima
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Ilvanete Rosa Costa
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - cópia
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - cópiaTendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - cópia
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - cópia
Alzirene Santos Almeida
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Ilvanete Rosa Costa
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Ilvanete Rosa Costa
 
Didatica
DidaticaDidatica
Luckesi tendencias pedagogicas
Luckesi  tendencias pedagogicasLuckesi  tendencias pedagogicas
Luckesi tendencias pedagogicas
Valeria Lima
 
Resumo de tendências pedagógicas
Resumo de tendências pedagógicasResumo de tendências pedagógicas
Resumo de tendências pedagógicas
Gislene Estagiária gomes
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
Marcelo Assis
 
slides 3_PARFOR-Teorias_da_Educacao_e_Tendencias_Pedagogicas.ppt
slides 3_PARFOR-Teorias_da_Educacao_e_Tendencias_Pedagogicas.pptslides 3_PARFOR-Teorias_da_Educacao_e_Tendencias_Pedagogicas.ppt
slides 3_PARFOR-Teorias_da_Educacao_e_Tendencias_Pedagogicas.ppt
DenisedeAmorimRamos
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
TENDÊNCIA CRÍTICO-SOCIAL DOS CONTEÚDOS.pptx
TENDÊNCIA CRÍTICO-SOCIAL DOS CONTEÚDOS.pptxTENDÊNCIA CRÍTICO-SOCIAL DOS CONTEÚDOS.pptx
TENDÊNCIA CRÍTICO-SOCIAL DOS CONTEÚDOS.pptx
conviver54
 
Apresentacao 2º
Apresentacao 2ºApresentacao 2º
Apresentacao 2º
cristianeramosteixeira
 
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
Julhinha Camara
 
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docenteAula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Kelly da Silva
 
Apresentação slide marcos pessoa
Apresentação slide marcos pessoaApresentação slide marcos pessoa
Apresentação slide marcos pessoa
Marcos Pessoa Pinto Pessoa
 
Analise de pensamento de dois grandes autores
Analise de pensamento de dois grandes autoresAnalise de pensamento de dois grandes autores
Analise de pensamento de dois grandes autores
Clayton Bezerra
 
Tendência Pedagógica
Tendência PedagógicaTendência Pedagógica

Semelhante a Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx (20)

Tendências pedagógicas texto
Tendências pedagógicas   textoTendências pedagógicas   texto
Tendências pedagógicas texto
 
Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.
 
"Tendências pedagógicas"
"Tendências pedagógicas""Tendências pedagógicas"
"Tendências pedagógicas"
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - cópia
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - cópiaTendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - cópia
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - cópia
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
 
Didatica
DidaticaDidatica
Didatica
 
Luckesi tendencias pedagogicas
Luckesi  tendencias pedagogicasLuckesi  tendencias pedagogicas
Luckesi tendencias pedagogicas
 
Resumo de tendências pedagógicas
Resumo de tendências pedagógicasResumo de tendências pedagógicas
Resumo de tendências pedagógicas
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
 
slides 3_PARFOR-Teorias_da_Educacao_e_Tendencias_Pedagogicas.ppt
slides 3_PARFOR-Teorias_da_Educacao_e_Tendencias_Pedagogicas.pptslides 3_PARFOR-Teorias_da_Educacao_e_Tendencias_Pedagogicas.ppt
slides 3_PARFOR-Teorias_da_Educacao_e_Tendencias_Pedagogicas.ppt
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
TENDÊNCIA CRÍTICO-SOCIAL DOS CONTEÚDOS.pptx
TENDÊNCIA CRÍTICO-SOCIAL DOS CONTEÚDOS.pptxTENDÊNCIA CRÍTICO-SOCIAL DOS CONTEÚDOS.pptx
TENDÊNCIA CRÍTICO-SOCIAL DOS CONTEÚDOS.pptx
 
Apresentacao 2º
Apresentacao 2ºApresentacao 2º
Apresentacao 2º
 
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
 
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docenteAula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
Aula didática, tendências pedagógicas e a práxis docente
 
Apresentação slide marcos pessoa
Apresentação slide marcos pessoaApresentação slide marcos pessoa
Apresentação slide marcos pessoa
 
Analise de pensamento de dois grandes autores
Analise de pensamento de dois grandes autoresAnalise de pensamento de dois grandes autores
Analise de pensamento de dois grandes autores
 
Tendência Pedagógica
Tendência PedagógicaTendência Pedagógica
Tendência Pedagógica
 

Mais de Fernando Naize

atendimento para pariental da faculdade ..pptx
atendimento para pariental da faculdade   ..pptxatendimento para pariental da faculdade   ..pptx
atendimento para pariental da faculdade ..pptx
Fernando Naize
 
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologia
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologiaIntrodução a Microbiologia para aulas de microbiologia
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologia
Fernando Naize
 
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdfslides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
Fernando Naize
 
aula-atendente-de-farmacia.pptx
aula-atendente-de-farmacia.pptxaula-atendente-de-farmacia.pptx
aula-atendente-de-farmacia.pptx
Fernando Naize
 
aula-atendente-de-farmacia.pdf
aula-atendente-de-farmacia.pdfaula-atendente-de-farmacia.pdf
aula-atendente-de-farmacia.pdf
Fernando Naize
 
Sinais Vitais.pdf
Sinais Vitais.pdfSinais Vitais.pdf
Sinais Vitais.pdf
Fernando Naize
 
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdfGestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
Fernando Naize
 
Metodologias da Educação Infantil.pdf
Metodologias da Educação Infantil.pdfMetodologias da Educação Infantil.pdf
Metodologias da Educação Infantil.pdf
Fernando Naize
 
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptxAula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
Fernando Naize
 
SA_QUI_QUS_V03_U00_C00_04_APR.pptx
SA_QUI_QUS_V03_U00_C00_04_APR.pptxSA_QUI_QUS_V03_U00_C00_04_APR.pptx
SA_QUI_QUS_V03_U00_C00_04_APR.pptx
Fernando Naize
 
Princípios de Contagem.pptx
Princípios de Contagem.pptxPrincípios de Contagem.pptx
Princípios de Contagem.pptx
Fernando Naize
 
CREATINA & INSULINA - FINALIZADA.pptx
CREATINA & INSULINA -  FINALIZADA.pptxCREATINA & INSULINA -  FINALIZADA.pptx
CREATINA & INSULINA - FINALIZADA.pptx
Fernando Naize
 
Prof. Fernando Scoth.pptx
Prof. Fernando Scoth.pptxProf. Fernando Scoth.pptx
Prof. Fernando Scoth.pptx
Fernando Naize
 
Geografia.pptx
Geografia.pptxGeografia.pptx
Geografia.pptx
Fernando Naize
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
Fernando Naize
 
slide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptxslide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptx
Fernando Naize
 
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptxSLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
Fernando Naize
 
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptxSLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
Fernando Naize
 
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdfABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
Fernando Naize
 
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdfTecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
Fernando Naize
 

Mais de Fernando Naize (20)

atendimento para pariental da faculdade ..pptx
atendimento para pariental da faculdade   ..pptxatendimento para pariental da faculdade   ..pptx
atendimento para pariental da faculdade ..pptx
 
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologia
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologiaIntrodução a Microbiologia para aulas de microbiologia
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologia
 
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdfslides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
 
aula-atendente-de-farmacia.pptx
aula-atendente-de-farmacia.pptxaula-atendente-de-farmacia.pptx
aula-atendente-de-farmacia.pptx
 
aula-atendente-de-farmacia.pdf
aula-atendente-de-farmacia.pdfaula-atendente-de-farmacia.pdf
aula-atendente-de-farmacia.pdf
 
Sinais Vitais.pdf
Sinais Vitais.pdfSinais Vitais.pdf
Sinais Vitais.pdf
 
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdfGestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
 
Metodologias da Educação Infantil.pdf
Metodologias da Educação Infantil.pdfMetodologias da Educação Infantil.pdf
Metodologias da Educação Infantil.pdf
 
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptxAula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
 
SA_QUI_QUS_V03_U00_C00_04_APR.pptx
SA_QUI_QUS_V03_U00_C00_04_APR.pptxSA_QUI_QUS_V03_U00_C00_04_APR.pptx
SA_QUI_QUS_V03_U00_C00_04_APR.pptx
 
Princípios de Contagem.pptx
Princípios de Contagem.pptxPrincípios de Contagem.pptx
Princípios de Contagem.pptx
 
CREATINA & INSULINA - FINALIZADA.pptx
CREATINA & INSULINA -  FINALIZADA.pptxCREATINA & INSULINA -  FINALIZADA.pptx
CREATINA & INSULINA - FINALIZADA.pptx
 
Prof. Fernando Scoth.pptx
Prof. Fernando Scoth.pptxProf. Fernando Scoth.pptx
Prof. Fernando Scoth.pptx
 
Geografia.pptx
Geografia.pptxGeografia.pptx
Geografia.pptx
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
 
slide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptxslide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptx
 
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptxSLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
 
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptxSLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
 
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdfABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
 
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdfTecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
 

Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx

  • 1. AS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS NA PRÁTICA ESCOLAR Prof. Dr. Joelson de Sousa Morais Diretoria de Tecnologias na Educação - DTED
  • 2. PRÁTICA EDUCATIVA E SOCIEDADE é parte integrante do processo educativo mais global pelo qual os membros da sociedade são preparados para a participação na vida social. TRABALHO DOCENTE É um fenômeno social e universal, sendo uma atividade humana necessária à existência e funcionamento de todas as sociedades. EDUCAÇÃO (Prática educativa) “Não há sociedade sem prática educativa, nem prática educativa sem sociedade” (LIBÂNEO, 1994)
  • 3. (LIBÂNEO, 1994) O processo de ensino é uma atividade conjunta de professores e alunos, organizado sob a direção de um professor, com a finalidade de prover as condições e meios pelos quais os alunos assimilam ativamente conhecimentos, habilidades, atitudes e convicções (LIBÂNEO, 1994, p. 29). O ENSINO COMO PRÁTICA SOCIAL O ensino deve situar-se em contextos sociopolíticos, de interesses e valores, de conflito (ANTOLÍ, 2012, p. 102).
  • 4. Ensinar é uma realidade que pode ser interrogada e pesquisada não só pela percepção de atos visíveis em sua execução, em suas modalidades, seus sucessos e fracassos, mas também pela reflexão sobre o seu significado na formação da personalidade e suas consequências para a vida social (CASTRO, 2002, p. 20). Como prática social, o ensino conforma-se e configura-se em determinadas condições concretas, tais como o contexto institucional, as condições de trabalho dos docentes, suas representações e os sentidos que elaboram sobre seu trabalho (FRANCO, 2010, p. 90).
  • 5. Os efeitos educativos dependem da interação complexa de todos os fatores que se inter-relacionam nas situações de ensino: Tipo de atividade metodológica Aspectos materiais da situação Estilo do professor Relações sociais Conteúdos culturais (LIBÂNEO, 1994)
  • 6. CUNHO LIBERAL CLASSIFICAÇÃO DAS TENDÊNCIAS CUNHO PROGRESSISTA  Pedagogia Libertadora.  Pedagogia Crítico-Social dos conteúdos. (LIBÂNEO, 1994)  Pedagogia Tradicional.  Pedagogia Renovada.  Tecnicismo Educacional
  • 7. PEDAGOGIA TRADICIONAL DIDÁTICA Disciplina normativa, um conjunto de princípios e regras que regulam o ensino. ALUNO PROFESSOR APRENDIZAGEM Receptiva, automática, não mobilizando a atividade mental do aluno e o desenvolvimento de suas capacidades intelectuais. Recebedor da matéria e sua tarefa é decorá-la. Detentor do saber. “Transmissor”. ENSINO Centrada do professor. Vertical. (LIBÂNEO, 1994)
  • 8. Na PEDAGOGIA TRADICIONAL... O professor tende a encaixar os alunos num modelo idealizado de homem que nada tem a ver com a vida presente e futura. A matéria de ensino é tratada isoladamente, isto é, desvinculada dos interesses dos alunos e dos problemas reais da sociedade e da vida. O método é dado pela lógica e sequência da matéria, é o meio utilizado pelo professor para comunicar a matéria e não dos alunos para aprendê-la. (LIBÂNEO, 1994)
  • 9. PEDAGOGIA RENOVADA CORRENTES: Não-diretiva Surge no final do século XIX Ativista espiritual (de orientação católica) Culturalista Piagetiana Montessoriana (LIBÂNEO, 1994) Progressista: - John Dewey
  • 10. PEDAGOGIA RENOVADA DIDÁTICA ALUNO PROFESSOR APRENDIZAGEM Sujeito da aprendizagem. Incentiva, orienta, organiza as situações de aprendizagem, adequando-as às capacidades de características individuais dos alunos. ENSINO Valoriza o processo da aprendizagem Entendida como “direção da aprendizagem”. Ativa, mobilizada pela criação, expressão verbal, escrita plástica e outro. (LIBÂNEO, 1994)
  • 11. Tanto na organização das experiências de aprendizagem como na seleção de métodos importa o processo de aprendizagem e não diretamente o ensino. Dá importância aos métodos e técnicas: Na PEDAGOGIA RENOVADA...  trabalho de grupo;  atividades cooperativas;  estudo individual;  pesquisas;  projetos;  experimentações, etc. A Didática não é a direção do ensino, é a orientação da aprendizagem, uma vez que esta é uma experiência própria do aluno através da pesquisa, da investigação. (LIBÂNEO, 1994)
  • 12. CARACTERÍSTICAS:  A valorização da criança, dotada de liberdade, iniciativa e interesses próprios e, por isso mesmo, sujeito da aprendizagem e agente do seu próprio desenvolvimento;  Tratamento científico do processo educacional, considerando as etapas sucessivas do desenvolvimento biológico e psicológico;  Respeito às capacidades e aptidões individuais, individualização do ensno conforme os ritmos próprios de aprendizagem;  Rejeição de modelos em favor da atividade e da liberdade de expressão da criança. (LIBÂNEO, 1994)
  • 13. A denominação Pedagogia Renovada se aplica: tanto ao movimento da educação nova propriamente dito, que inclui a criação de “escolas novas”, a disseminação da pedagogia ativa e dos métodos ativos como também a outras correntes que adotam certos princípios de renovação educacional mas sem vínculo com a Escola Nova. Dentro do movimento escolanovista desenvolveu-se: -Pedagogia Pragmática ou Progressivista (John Dewey / 1859-1952) nos E. Unidos. - Movimento dos Pioneiros da Escola Nova (Anísio Teixeira) no Brasil na década de 30. (LIBÂNEO, 1994)
  • 14. PEDAGOGIA TECNICISTA Desenvolveu-se no Brasil na década de 50, à sombra do progressivismo, ganhando nos anos 60 autonomia quando constituiu-se especificamente como tendência, inspirada na teoria behaviorista da aprendizagem e na abordagem sistêmica do ensino. Acabou sendo imposta às escolas pelos organismos oficiais ao longo de duas décadas, por ser compatível com a orientação econômica, política e ideológica do regime militar então vigente. (LIBÂNEO, 1994)
  • 15. (CASTRO, 2002). PEDAGOGIA TECNICISTA DIDÁTICA ALUNO PROFESSOR Centrado no domínio de técnicas com eficiência e eficácia. ENSINO Operacionalização de técnicas e instrumentos, visando o alcance de objetivos previamente estabelecidos. Instrumental, interessada na racionalização do ensino, no uso de meios e técnicas mais eficazes. Administrador e executor do planejamento. (LIBÂNEO, 1994)
  • 16. TENDÊNCIAS DE CUNHO PROGRESSISTAS Adquiriu maior solidez e sistematização. 1980 Também denominadas teorias críticas da educação No começo do século formaram-se movimentos de renovação educacional por iniciativa de militantes socialistas. No início dos anos 60 surgiram os movimentos de educação de adultos que geraram idéias pedagógicas e práticas educacionais de educação popular, configurando a tendência que veio a ser denominada de Pedagogia Libertadora. (LIBÂNEO, 1994)
  • 17. Trata-se de duas tendências pedagógicas progressistas, propondo uma educação escolar crítica a serviço das transformações sociais e econômicas, ou seja, de superação das desigualdades sociais decorrentes das formas sociais capitalistas de organização da sociedade. PEDAGOGIA LIBERTADORA PEDAGOGIA CRÍTICO-SOCIAL DOS CONTEÚDOS Retomou as propostas de educação popular dos anos 60 (clientela adulta) - Paulo Freire. Inspirada no materialismo histórico dialético, concebe o ensino como condição p/ a participação efetivo do povo nas lutas sociais - Dermeval Saviane. (LIBÂNEO, 1994)
  • 18. PEDAGOGIA LIBERTADORA DIDÁTICA ALUNO PROFESSOR Sujeito da aprendizagem. ENSINO Centrado na discussão de temas sociais e políticos. Questões da realidade social imediata. Não tem uma proposta explícita de Didática. Coordenador ou animador das atividades que se organizam sempre pela ação conjunta. (LIBÂNEO, 1994)
  • 19. A Pedagogia Libertadora tem sido empregada com muito êxito em vários setores dos movimentos sociais, como sindicatos, associações de bairro, comunidades religiosas. Em relação à sua aplicação nas escolas públicas, especialmente no ensino de 1º grau, os representantes dessa tendência não chegaram a formular uma orientação pedagógico-didática especificamente escolar, compatível com a idade, o desenvolvimento mental e as características de aprendizagem das crianças e jovens. (LIBÂNEO, 1994)
  • 20. PEDAGOGIA CRÍTICO- SOCIAL DOS CONTEÚDOS DIDÁTICA ALUNO PROFESSOR APRENDIZAGEM ENSINO A tarefa de propiciar aos alunos o desenvolvimento de suas capacidades e habilidades intelectuais, mediante a transmissão e assimilação ativa dos conteúdos escolares articulando, no mesmo processo, a aquisição de noções sistematizadas e as qualidades individuais dos alunos que lhes possibilitam a auto-atividade e a busca independente e criativa das noções. Direção do processo de ensinar, tendo em vista finalidades sócio- políticas e pedagógicas e as condições e meios formativos. (LIBÂNEO, 1994)
  • 21. A PEDAGOGIA CRÍTICO-SOCIAL DOS CONTEÚDOS...  Busca uma síntese superadora de traços significativos da Pedagogia Tradicional e da Escola Nova.  Toma o partido dos interesses majoritários da sociedade, atribuindo à instrução e ao ensino o papel de proporcionar aos alunos o domínio de conteúdos científicos, os métodos de estudo e habilidades e hábitos de raciocínio científico, de modo a irem formando a consciência crítica face às realidades sociais e capacitando-se a assumir no conjunto das lutas sociais a sua condição de agente ativos de transformação da sociedade e de si próprios. (LIBÂNEO, 1994)
  • 22. • ANTOLÍ, Vicenç Benedito. A didática como espaço e área do conhecimento: fundamentação teórica e pesquisa didática. In.: FAZENDA, I. C. A. Didática e interdisciplinaridade. 17. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012. • CASTRO, Amélia Domingues de. O ensino: objeto da didática. In.: _____; CARVALHO, A. M. P. de (Orgs.). Ensinar a ensinar: didática para a escola fundamental e média. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002. • FRANCO, Maria Amélia Santoro. Didática e pedagogia: da teoria de ensino à teoria da formação. In.: _____; PIMENTA, S. G. (Orgs.). Didática: embates contemporâneos. São Paulo: Loyola, 2010. • LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994. • ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Tradução Ernani F. da F. Rosa. Porto Alegre: Artmed, 1998. REFERÊNCIAS