SlideShare uma empresa Scribd logo
QUÍMICA
QUÍMICA
João Usberco; Philipe Spitaleri Kaufmann
3º ano ensino médio
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS
Descrição e classificação
• Os lipídios, também conhecidos como óleos de gordura, são
extremamente importantes para o nosso organismo. Atuam como
componente da membrana celular formando as lipoproteínas, como
reserva energética e fonte de energia para o metabolismo celular. Atuam
também na construção do tecido adiposo, exercem o isolamento térmico
de muitos animais; no isolamento e na proteção de órgãos; em função
mais especializada associadas a hormônios e na sinalização celular.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS
Cerídeos:
• também denominados lipídIos simples, são como o próprio nome indica, as ceras. Embora esta seja uma mistura
complexa de vários compostos orgânicos, seus principais constituintes são ésteres de ácidos graxos e álcoois de
cadeia longa, ambos não ramificados.
As ceras de origem vegetal ou animal compõem-se de ésteres de ácidos orgânicos graxos constituídos por moléculas de cadeia longa e
álcoois alifáticos. Aves aquáticas têm suas penas recobertas por ceras produzidas pelas glândulas uropigianas, que as impermeabilizam e
facilitam sua flutuação. Representações fora de escala e em cores fantasia.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS
Fosfolipídios:
• são moléculas que apresentam caráter polar e apolar, sendo denominadas
anfipáticas (ou anfifílicas). Apresentam como importância biológica o fato de
constituírem estruturalmente a membrana celular, as organelas celulares
membranosas, assim como as lipoproteínas presentes no plasma sanguíneo.
Estão presentes também na bile, auxiliando solubilização de diversos
compostos, entre eles o colesterol.
Esteroides:
• formam um grande grupo de compostos lipossolúveis, com uma estrutura
básica de 17 átomos de carbono dispostos em quatro anéis ligados entre si.
A presença de grupos funcionais ou grupos
orgânicos– em geral, nas posições 3, 10, 13
ou 17 – é que faz a diferença entre os vários
esteroides.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS
Glicerídeos:
• esse lipídios podem ser, à temperatura ambiente, sólidos (as gorduras), ou
líquidos (os óleos). Os glicerídeos, na sua maioria, são hidrofóbicos (apolares)
e constituem a principal forma de armazenamento de energia. Situam-se
principalmente nos adipócitos e são usados nas reações metabólicas.
Propriedades químicas
Hidrólise alcalina - saponificação
• A hidrólise alcalina de um éster é denominada, genericamente, reação de
saponificação, porque em uma reação desse tipo, quando é utilizado um éster
proveniente de um ácido graxo, o sal formado recebe o nome de sabão.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS
Características do sabão
• Os sabões facilitam o processos de limpeza devido a sua
ação detergente.
• A parte apolar do sabão interage com a gordura,
enquanto a parte polar interage com a água, formando
partículas que se mantêm dispersas na água.
• Os detergentes são compostos orgânicos sintéticos cujas
estruturas se assemelham às dos sabões e apresentam o
mesmo tipo de ação sobre óleos e gorduras.
Sabão X detergente
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS
Alcoólise,
• também conhecida por transesterificação, é uma reação entre um álcool e um éster, produzindo um éster e um
álcool diferentes.
Transesterificação:
• a reação de transesterificação de óleos vegetais ou gorduras animais (triglicerídeos) com álcoois produz um éster,
semelhante ao diesel de petróleo e um novo álcool.
O biodiesel é um combustível
biodegradável obtido de fontes renováveis,
por exemplo, óleos vegetais extraídos de
plantas conhecidas como oleaginosas:
dendê (a), girassol (b), soja, mamona,
babaçu (c), amendoim, algodão, entre
outras; ou gorduras animais (sebo) e óleos
residuais (óleo de cozinha usado).
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS
Descrição e classificação
• Hidratos de carbono ou carboidratos, compostos formados por
carbono, hidrogênio e oxigênio, abrangem açúcares, amido,
glicogênio e celulose. Todos os hidratos de carbono apresentam o
grupo funcional –OH e os grupos aldeídos ou cetona.
Monossacarídeos
• Os monossacarídeos do tipo hexose apresentam fórmula molecular
C₆H₁₂O₆, mas diferem entre si na estrutura. Eles não sofrem hidrólise,
isto é, não são quebrados pela água, o que daria origem a
carboidratos mais simples. A glicose, a frutose e a galactose são
exemplos de monossacarídeos.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS
Dissacarídeos
• A união de dois monossacarídeos irá resultar em um dissacarídeo com a
eliminação de uma molécula de água.
• O dissacarídeo mais importante é a sacarose, conhecida também por açúcar
de cana ou açúcar comum.
Isomeria óptica e moléculas quirais
• A isomeria óptica está associada ao comportamento das substâncias
submetidas a um feixe de luz polarizada, obtida quando a luz natural, não
polarizada, atravessa um polarizador.
Conceito de simetria
• Dizemos que uma estrutura é simétrica quando ela apresenta pelo menos um
plano de simetria, isto é, quando pode ser dividida em duas partes idênticas.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS
Quantidades de carbonos assimétricos e número de isômeros ópticos
• Moléculas com um carbono quiral;
• Moléculas com vários carbonos assimétricos diferentes;
• Moléculas com carbonos assimétricos iguais;
• Moléculas cíclicas;
• Moléculas assimétricas.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS
Polissacarídeos
• Os dissacarídeos são formados pela reação de condensação de dois
monossacarídeos. Mas se a mesma reação envolver vários
monossacarídeos, podemos ter a formação de polissacarídeo.
Amido
• É a mais importante fonte de carboidrato para o organismo humano. É o
polissacarídeo que constitui a reserva dos vegetais e é encontrado nos
grãos de sementes e de raízes de numerosas plantas, como: batata, trigo,
arroz, milho, mandioca, centeio e cevada.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS
Glicogênio
• Constitui a reserva animal de carboidratos. Praticamente todas as células
dos mamíferos contêm glicogênio na forma de grânulos, porém ele
é particularmente abundante no fígado (de 4% a 8% em massa) e nas
células dos músculos (de 0,5% a 1,0%). Durante jejum ou fome, o
organismo transforma a reserva de glicogênio em glicose, necessária para
manter o balanço energético.
Celulose
• A celulose é um carboidrato fibroso encontrado em todas as plantas e é o
polissacarídeo mais abundante na natureza, fibras de algodão e de papel
são praticamente constituídas só de celulose (95% em massa).
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS
Função dos carboidratos
• Com auxílio de enzimas, os carboidratos do tipo dissacarídeos e
polissacarídeos sofrem hidrólise, originando monossacarídeos. Estes
sofrem combustão durante a respiração celular, liberando energia para as
funções vitais.
Polímeros de condensação
• São formados, geralmente, pela reação entre dois monômeros diferentes,
com a eliminação de moléculas pequenas - por exemplo, água. Nesse tipo
de polimerização, os monômeros não precisam apresentar duplas ligações
entre os carbonos, mas é necessária a existência de dois tipos de grupos
funcionais nos dois monômeros diferentes.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS
Poliéster:
• esse polímero é caracterizado por vários grupos de ésteres, que são produtos da reação entre ácidos carboxílicos e
álcoois, como a eliminação de água.
Poliamida:
• a reação de polimerização por condensação que origina a poliamida ocorre entre um diácido carboxílico e uma
diamina.
Policarbonatos:
• esses polímeros apresentam alta resistência ao impacto, são transparente e têm baixo custo, pois seus monômeros
são baratos.
Silicone:
• é encontrado como elemento característico o silício (Si), que apresenta propriedades semelhantes às do carbono
por fazer parte da mesma família periódica.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS
Aminoácidos
• Um tipo de substância essencial à vida e que apresenta o grupo amina em
sua estrutura são os aminoácidos (aa). Os mais importantes são os alfa-
aminoácidos (α-aa) por serem os responsáveis pela síntese de proteína.
Algumas propriedades químicas dos aminoácidos
Eletroforese de aminoácido:
• um dos métodos mais comuns para se determinar as composições das
proteínas é a eletroforese (migração de partículas submetidas a uma
diferença de potencial).
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS
Proteínas ou polipeptídeos
• As proteínas são polímeros formados a partir da condensação
de α-aminoácidos e estão em todas as células vivas. Algumas
proteínas fazem parte da estrutura dos organismos, como fibras
musculares, cabelo e pele; outras funcionam como catalisadores
nas reações que ocorrem nos organismos e, nesses casos, são
denominados enzimas. Há, ainda, as proteínas que atuam como
reguladores do metabolismo – os hormônios – e as que fazem
parte do sistema imunológico.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS
A estrutura de uma proteína é classificada em quatro níveis diferentes:
Estrutura primária:
• consiste em uma sequência particular de aminoácidos unidos por meio de ligações peptídicas, originando uma
cadeia principal em que os grupos R – constituem cadeias laterais.
Estrutura secundária:
• está relacionada com o tipo de estrutura que se forma como consequência de atrações, por exemplo, nas ligações
de hidrogênio, que ocorrem em partes de uma proteína ou ainda entre as cadeias de polipeptídeos.
Estrutura terciária:
• está relacionada com as interações, repulsões e atrações que ocorrem entre os grupos R- laterais da cadeia de
polipeptídeos.
Estrutura quartenária:
• consiste na união de duas ou mais unidades de polipeptídeos.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS
Vitaminas
• Produzidas em sua maioria pelos vegetais, poucas são as vitaminas que
nosso organismo consegue sintetizar, o que ocorre somente a partir de
precursores provitamina presentes na alimentação, por isso uma
alimentação saudável deve conter todas as vitaminas e provitaminas.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS
Classificação
• As vitaminas, por apresentarem estruturas diferentes, podem ser
classificadas como hidrossolúveis ou lipossolúveis. As hidrossolúveis
apresentam moléculas com predominante caráter polar e, assim, se
dissolvem preferencialmente em água (polar). As lipossolúveis, por sua vez,
apresentam molécula com predominante caráter apolar e se solubilizam
preferencialmente na gordura (apolar). Algumas das vitaminas
hidrossolúveis são facilmente eliminadas na urina, portanto não são
armazenadas no organismo, enquanto as lipossolúveis se acumulam no
organismo com maior facilidade.
QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre
UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS
CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS
Hidrossolúveis:
• Vitamina B-1 (tiamina)
• Vitamina B-9 (ácido fólico)
• Vitamina B-12 (cobalamina, cianocobalamina)
• Vitamina C (ácido ascórbico)
Lipossolúveis
• Vitamina A (retinol)
• Vitamina D (calciferol)
• Vitamina D-2 (ergocalciferol)
• Vitamina K
• Vitamina E

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a SA_QUI_QUS_V03_U00_C00_04_APR.pptx

Aula 3.Estudo de lipidos.pptx
Aula 3.Estudo de lipidos.pptxAula 3.Estudo de lipidos.pptx
Aula 3.Estudo de lipidos.pptx
CarlosMacuvele2
 
Definição, classificação, composição e conservação aula 2
Definição, classificação, composição e conservação aula 2Definição, classificação, composição e conservação aula 2
Definição, classificação, composição e conservação aula 2
UERGS
 
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdfFundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Jorgepedro38
 
2° etapa biologia
2° etapa  biologia2° etapa  biologia
2° etapa biologia
Daniel Cavalcanti
 
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhorA base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
Cynthia Oliveira
 
Bioquímica teoria
Bioquímica teoriaBioquímica teoria
Bioquímica teoria
Fábio Oisiovici
 
Bioquimica
BioquimicaBioquimica
Bioquimica
Thiago Oliveira
 
Bioquímica celular
Bioquímica celularBioquímica celular
Bioquímica celular
Fábio Santos
 
Fundamentos da bioquímica - proteínas.pdf
Fundamentos da bioquímica - proteínas.pdfFundamentos da bioquímica - proteínas.pdf
Fundamentos da bioquímica - proteínas.pdf
WallysonDouglas1
 
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptxTrabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
FeridoZitoJonas
 
Fundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vidaFundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vida
letyap
 
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdf
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdfAula 18 Estrutura de carboidratos.pdf
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdf
robertocordeiro909
 
citoplasma-_slides.pdf
citoplasma-_slides.pdfcitoplasma-_slides.pdf
citoplasma-_slides.pdf
NeideDeolinda
 
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Laguat
 
Plano aula 2
Plano aula 2Plano aula 2
Plano aula 2
naymarques
 
ESPECÍFICA COMP QUIM CEL
ESPECÍFICA COMP QUIM CELESPECÍFICA COMP QUIM CEL
ESPECÍFICA COMP QUIM CEL
MARCIAMP
 
Apresentação carboidratos
Apresentação carboidratosApresentação carboidratos
Apresentação carboidratos
Bruno Silva
 
Bioquimica celular
Bioquimica celularBioquimica celular
Bioquimica celular
Cristiane Arruda
 
42951 carboidratos --introdução.2012
42951 carboidratos --introdução.201242951 carboidratos --introdução.2012
42951 carboidratos --introdução.2012
Marcelo Roberto Lazzari
 
Biologia aula 02 carboidratos
Biologia aula 02   carboidratosBiologia aula 02   carboidratos
Biologia aula 02 carboidratos
Alpha Colégio e Vestibulares
 

Semelhante a SA_QUI_QUS_V03_U00_C00_04_APR.pptx (20)

Aula 3.Estudo de lipidos.pptx
Aula 3.Estudo de lipidos.pptxAula 3.Estudo de lipidos.pptx
Aula 3.Estudo de lipidos.pptx
 
Definição, classificação, composição e conservação aula 2
Definição, classificação, composição e conservação aula 2Definição, classificação, composição e conservação aula 2
Definição, classificação, composição e conservação aula 2
 
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdfFundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
 
2° etapa biologia
2° etapa  biologia2° etapa  biologia
2° etapa biologia
 
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhorA base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
 
Bioquímica teoria
Bioquímica teoriaBioquímica teoria
Bioquímica teoria
 
Bioquimica
BioquimicaBioquimica
Bioquimica
 
Bioquímica celular
Bioquímica celularBioquímica celular
Bioquímica celular
 
Fundamentos da bioquímica - proteínas.pdf
Fundamentos da bioquímica - proteínas.pdfFundamentos da bioquímica - proteínas.pdf
Fundamentos da bioquímica - proteínas.pdf
 
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptxTrabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
 
Fundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vidaFundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vida
 
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdf
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdfAula 18 Estrutura de carboidratos.pdf
Aula 18 Estrutura de carboidratos.pdf
 
citoplasma-_slides.pdf
citoplasma-_slides.pdfcitoplasma-_slides.pdf
citoplasma-_slides.pdf
 
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e Lipídios
 
Plano aula 2
Plano aula 2Plano aula 2
Plano aula 2
 
ESPECÍFICA COMP QUIM CEL
ESPECÍFICA COMP QUIM CELESPECÍFICA COMP QUIM CEL
ESPECÍFICA COMP QUIM CEL
 
Apresentação carboidratos
Apresentação carboidratosApresentação carboidratos
Apresentação carboidratos
 
Bioquimica celular
Bioquimica celularBioquimica celular
Bioquimica celular
 
42951 carboidratos --introdução.2012
42951 carboidratos --introdução.201242951 carboidratos --introdução.2012
42951 carboidratos --introdução.2012
 
Biologia aula 02 carboidratos
Biologia aula 02   carboidratosBiologia aula 02   carboidratos
Biologia aula 02 carboidratos
 

Mais de Fernando Naize

atendimento para pariental da faculdade ..pptx
atendimento para pariental da faculdade   ..pptxatendimento para pariental da faculdade   ..pptx
atendimento para pariental da faculdade ..pptx
Fernando Naize
 
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologia
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologiaIntrodução a Microbiologia para aulas de microbiologia
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologia
Fernando Naize
 
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdfslides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
Fernando Naize
 
aula-atendente-de-farmacia.pptx
aula-atendente-de-farmacia.pptxaula-atendente-de-farmacia.pptx
aula-atendente-de-farmacia.pptx
Fernando Naize
 
aula-atendente-de-farmacia.pdf
aula-atendente-de-farmacia.pdfaula-atendente-de-farmacia.pdf
aula-atendente-de-farmacia.pdf
Fernando Naize
 
Sinais Vitais.pdf
Sinais Vitais.pdfSinais Vitais.pdf
Sinais Vitais.pdf
Fernando Naize
 
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdfGestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
Fernando Naize
 
Metodologias da Educação Infantil.pdf
Metodologias da Educação Infantil.pdfMetodologias da Educação Infantil.pdf
Metodologias da Educação Infantil.pdf
Fernando Naize
 
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptxAula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
Fernando Naize
 
Princípios de Contagem.pptx
Princípios de Contagem.pptxPrincípios de Contagem.pptx
Princípios de Contagem.pptx
Fernando Naize
 
CREATINA & INSULINA - FINALIZADA.pptx
CREATINA & INSULINA -  FINALIZADA.pptxCREATINA & INSULINA -  FINALIZADA.pptx
CREATINA & INSULINA - FINALIZADA.pptx
Fernando Naize
 
Prof. Fernando Scoth.pptx
Prof. Fernando Scoth.pptxProf. Fernando Scoth.pptx
Prof. Fernando Scoth.pptx
Fernando Naize
 
Geografia.pptx
Geografia.pptxGeografia.pptx
Geografia.pptx
Fernando Naize
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
Fernando Naize
 
slide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptxslide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptx
Fernando Naize
 
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptxAula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
Fernando Naize
 
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptxSLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
Fernando Naize
 
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptxSLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
Fernando Naize
 
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdfABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
Fernando Naize
 
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdfTecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
Fernando Naize
 

Mais de Fernando Naize (20)

atendimento para pariental da faculdade ..pptx
atendimento para pariental da faculdade   ..pptxatendimento para pariental da faculdade   ..pptx
atendimento para pariental da faculdade ..pptx
 
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologia
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologiaIntrodução a Microbiologia para aulas de microbiologia
Introdução a Microbiologia para aulas de microbiologia
 
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdfslides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
slides de para apresentação nutricao-e-dietetica.pdf
 
aula-atendente-de-farmacia.pptx
aula-atendente-de-farmacia.pptxaula-atendente-de-farmacia.pptx
aula-atendente-de-farmacia.pptx
 
aula-atendente-de-farmacia.pdf
aula-atendente-de-farmacia.pdfaula-atendente-de-farmacia.pdf
aula-atendente-de-farmacia.pdf
 
Sinais Vitais.pdf
Sinais Vitais.pdfSinais Vitais.pdf
Sinais Vitais.pdf
 
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdfGestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
Gestão e Organização de Sistemas Educacionais II.pdf
 
Metodologias da Educação Infantil.pdf
Metodologias da Educação Infantil.pdfMetodologias da Educação Infantil.pdf
Metodologias da Educação Infantil.pdf
 
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptxAula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
Aula 01 de At.Far. 17.06.23.pptx
 
Princípios de Contagem.pptx
Princípios de Contagem.pptxPrincípios de Contagem.pptx
Princípios de Contagem.pptx
 
CREATINA & INSULINA - FINALIZADA.pptx
CREATINA & INSULINA -  FINALIZADA.pptxCREATINA & INSULINA -  FINALIZADA.pptx
CREATINA & INSULINA - FINALIZADA.pptx
 
Prof. Fernando Scoth.pptx
Prof. Fernando Scoth.pptxProf. Fernando Scoth.pptx
Prof. Fernando Scoth.pptx
 
Geografia.pptx
Geografia.pptxGeografia.pptx
Geografia.pptx
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
 
slide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptxslide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptx
 
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptxAula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
 
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptxSLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
SLIDE PESQUISA EDUCACIONAL-1.pptx
 
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptxSLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
SLIDE ENCONTRO METODOLOGIA DA PESQUISA (1).pptx
 
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdfABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
ABORDAGENS DA PESQUISA_Unidade 2_PARTE 2.pdf
 
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdfTecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
Tecnologias_Digitais_na_Educacao.pdf
 

Último

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 

Último (20)

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 

SA_QUI_QUS_V03_U00_C00_04_APR.pptx

  • 2. QUÍMICA João Usberco; Philipe Spitaleri Kaufmann 3º ano ensino médio
  • 3. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS Descrição e classificação • Os lipídios, também conhecidos como óleos de gordura, são extremamente importantes para o nosso organismo. Atuam como componente da membrana celular formando as lipoproteínas, como reserva energética e fonte de energia para o metabolismo celular. Atuam também na construção do tecido adiposo, exercem o isolamento térmico de muitos animais; no isolamento e na proteção de órgãos; em função mais especializada associadas a hormônios e na sinalização celular.
  • 4. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS Cerídeos: • também denominados lipídIos simples, são como o próprio nome indica, as ceras. Embora esta seja uma mistura complexa de vários compostos orgânicos, seus principais constituintes são ésteres de ácidos graxos e álcoois de cadeia longa, ambos não ramificados. As ceras de origem vegetal ou animal compõem-se de ésteres de ácidos orgânicos graxos constituídos por moléculas de cadeia longa e álcoois alifáticos. Aves aquáticas têm suas penas recobertas por ceras produzidas pelas glândulas uropigianas, que as impermeabilizam e facilitam sua flutuação. Representações fora de escala e em cores fantasia.
  • 5. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS Fosfolipídios: • são moléculas que apresentam caráter polar e apolar, sendo denominadas anfipáticas (ou anfifílicas). Apresentam como importância biológica o fato de constituírem estruturalmente a membrana celular, as organelas celulares membranosas, assim como as lipoproteínas presentes no plasma sanguíneo. Estão presentes também na bile, auxiliando solubilização de diversos compostos, entre eles o colesterol. Esteroides: • formam um grande grupo de compostos lipossolúveis, com uma estrutura básica de 17 átomos de carbono dispostos em quatro anéis ligados entre si. A presença de grupos funcionais ou grupos orgânicos– em geral, nas posições 3, 10, 13 ou 17 – é que faz a diferença entre os vários esteroides.
  • 6. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS Glicerídeos: • esse lipídios podem ser, à temperatura ambiente, sólidos (as gorduras), ou líquidos (os óleos). Os glicerídeos, na sua maioria, são hidrofóbicos (apolares) e constituem a principal forma de armazenamento de energia. Situam-se principalmente nos adipócitos e são usados nas reações metabólicas. Propriedades químicas Hidrólise alcalina - saponificação • A hidrólise alcalina de um éster é denominada, genericamente, reação de saponificação, porque em uma reação desse tipo, quando é utilizado um éster proveniente de um ácido graxo, o sal formado recebe o nome de sabão.
  • 7. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS Características do sabão • Os sabões facilitam o processos de limpeza devido a sua ação detergente. • A parte apolar do sabão interage com a gordura, enquanto a parte polar interage com a água, formando partículas que se mantêm dispersas na água. • Os detergentes são compostos orgânicos sintéticos cujas estruturas se assemelham às dos sabões e apresentam o mesmo tipo de ação sobre óleos e gorduras. Sabão X detergente
  • 8. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 13 – LIPÍDIOS Alcoólise, • também conhecida por transesterificação, é uma reação entre um álcool e um éster, produzindo um éster e um álcool diferentes. Transesterificação: • a reação de transesterificação de óleos vegetais ou gorduras animais (triglicerídeos) com álcoois produz um éster, semelhante ao diesel de petróleo e um novo álcool. O biodiesel é um combustível biodegradável obtido de fontes renováveis, por exemplo, óleos vegetais extraídos de plantas conhecidas como oleaginosas: dendê (a), girassol (b), soja, mamona, babaçu (c), amendoim, algodão, entre outras; ou gorduras animais (sebo) e óleos residuais (óleo de cozinha usado).
  • 9. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS Descrição e classificação • Hidratos de carbono ou carboidratos, compostos formados por carbono, hidrogênio e oxigênio, abrangem açúcares, amido, glicogênio e celulose. Todos os hidratos de carbono apresentam o grupo funcional –OH e os grupos aldeídos ou cetona. Monossacarídeos • Os monossacarídeos do tipo hexose apresentam fórmula molecular C₆H₁₂O₆, mas diferem entre si na estrutura. Eles não sofrem hidrólise, isto é, não são quebrados pela água, o que daria origem a carboidratos mais simples. A glicose, a frutose e a galactose são exemplos de monossacarídeos.
  • 10. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS Dissacarídeos • A união de dois monossacarídeos irá resultar em um dissacarídeo com a eliminação de uma molécula de água. • O dissacarídeo mais importante é a sacarose, conhecida também por açúcar de cana ou açúcar comum. Isomeria óptica e moléculas quirais • A isomeria óptica está associada ao comportamento das substâncias submetidas a um feixe de luz polarizada, obtida quando a luz natural, não polarizada, atravessa um polarizador. Conceito de simetria • Dizemos que uma estrutura é simétrica quando ela apresenta pelo menos um plano de simetria, isto é, quando pode ser dividida em duas partes idênticas.
  • 11. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS Quantidades de carbonos assimétricos e número de isômeros ópticos • Moléculas com um carbono quiral; • Moléculas com vários carbonos assimétricos diferentes; • Moléculas com carbonos assimétricos iguais; • Moléculas cíclicas; • Moléculas assimétricas.
  • 12. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS Polissacarídeos • Os dissacarídeos são formados pela reação de condensação de dois monossacarídeos. Mas se a mesma reação envolver vários monossacarídeos, podemos ter a formação de polissacarídeo. Amido • É a mais importante fonte de carboidrato para o organismo humano. É o polissacarídeo que constitui a reserva dos vegetais e é encontrado nos grãos de sementes e de raízes de numerosas plantas, como: batata, trigo, arroz, milho, mandioca, centeio e cevada.
  • 13. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS Glicogênio • Constitui a reserva animal de carboidratos. Praticamente todas as células dos mamíferos contêm glicogênio na forma de grânulos, porém ele é particularmente abundante no fígado (de 4% a 8% em massa) e nas células dos músculos (de 0,5% a 1,0%). Durante jejum ou fome, o organismo transforma a reserva de glicogênio em glicose, necessária para manter o balanço energético. Celulose • A celulose é um carboidrato fibroso encontrado em todas as plantas e é o polissacarídeo mais abundante na natureza, fibras de algodão e de papel são praticamente constituídas só de celulose (95% em massa).
  • 14. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS Função dos carboidratos • Com auxílio de enzimas, os carboidratos do tipo dissacarídeos e polissacarídeos sofrem hidrólise, originando monossacarídeos. Estes sofrem combustão durante a respiração celular, liberando energia para as funções vitais. Polímeros de condensação • São formados, geralmente, pela reação entre dois monômeros diferentes, com a eliminação de moléculas pequenas - por exemplo, água. Nesse tipo de polimerização, os monômeros não precisam apresentar duplas ligações entre os carbonos, mas é necessária a existência de dois tipos de grupos funcionais nos dois monômeros diferentes.
  • 15. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 14 – CARBOIDRATOS Poliéster: • esse polímero é caracterizado por vários grupos de ésteres, que são produtos da reação entre ácidos carboxílicos e álcoois, como a eliminação de água. Poliamida: • a reação de polimerização por condensação que origina a poliamida ocorre entre um diácido carboxílico e uma diamina. Policarbonatos: • esses polímeros apresentam alta resistência ao impacto, são transparente e têm baixo custo, pois seus monômeros são baratos. Silicone: • é encontrado como elemento característico o silício (Si), que apresenta propriedades semelhantes às do carbono por fazer parte da mesma família periódica.
  • 16. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS Aminoácidos • Um tipo de substância essencial à vida e que apresenta o grupo amina em sua estrutura são os aminoácidos (aa). Os mais importantes são os alfa- aminoácidos (α-aa) por serem os responsáveis pela síntese de proteína. Algumas propriedades químicas dos aminoácidos Eletroforese de aminoácido: • um dos métodos mais comuns para se determinar as composições das proteínas é a eletroforese (migração de partículas submetidas a uma diferença de potencial).
  • 17. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS Proteínas ou polipeptídeos • As proteínas são polímeros formados a partir da condensação de α-aminoácidos e estão em todas as células vivas. Algumas proteínas fazem parte da estrutura dos organismos, como fibras musculares, cabelo e pele; outras funcionam como catalisadores nas reações que ocorrem nos organismos e, nesses casos, são denominados enzimas. Há, ainda, as proteínas que atuam como reguladores do metabolismo – os hormônios – e as que fazem parte do sistema imunológico.
  • 18. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS A estrutura de uma proteína é classificada em quatro níveis diferentes: Estrutura primária: • consiste em uma sequência particular de aminoácidos unidos por meio de ligações peptídicas, originando uma cadeia principal em que os grupos R – constituem cadeias laterais. Estrutura secundária: • está relacionada com o tipo de estrutura que se forma como consequência de atrações, por exemplo, nas ligações de hidrogênio, que ocorrem em partes de uma proteína ou ainda entre as cadeias de polipeptídeos. Estrutura terciária: • está relacionada com as interações, repulsões e atrações que ocorrem entre os grupos R- laterais da cadeia de polipeptídeos. Estrutura quartenária: • consiste na união de duas ou mais unidades de polipeptídeos.
  • 19. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS Vitaminas • Produzidas em sua maioria pelos vegetais, poucas são as vitaminas que nosso organismo consegue sintetizar, o que ocorre somente a partir de precursores provitamina presentes na alimentação, por isso uma alimentação saudável deve conter todas as vitaminas e provitaminas.
  • 20. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS Classificação • As vitaminas, por apresentarem estruturas diferentes, podem ser classificadas como hidrossolúveis ou lipossolúveis. As hidrossolúveis apresentam moléculas com predominante caráter polar e, assim, se dissolvem preferencialmente em água (polar). As lipossolúveis, por sua vez, apresentam molécula com predominante caráter apolar e se solubilizam preferencialmente na gordura (apolar). Algumas das vitaminas hidrossolúveis são facilmente eliminadas na urina, portanto não são armazenadas no organismo, enquanto as lipossolúveis se acumulam no organismo com maior facilidade.
  • 21. QUÍMICA | Volume 3 – 4º Bimestre UNIDADE 5 – LIPÍDIOS, CARBOIDRATOS E PROTEÍNAS CAPÍTULO 15 – AMINOÁCIDOS, PROTEÍNAS E VITAMINAS Hidrossolúveis: • Vitamina B-1 (tiamina) • Vitamina B-9 (ácido fólico) • Vitamina B-12 (cobalamina, cianocobalamina) • Vitamina C (ácido ascórbico) Lipossolúveis • Vitamina A (retinol) • Vitamina D (calciferol) • Vitamina D-2 (ergocalciferol) • Vitamina K • Vitamina E