SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 74
Baixar para ler offline
ARTE
CONTEMPORÂNEA
SÉC XX
PROFESSORA
DENISE MARIA RAMOS LUGLI
IMPRESSIONISMO
Contexto
Fenômeno que se dá na
pintura
Grupo de Pintores (1874)
Competição com a
indústria (fotografia)
Características
Pinceladas rápidas - velocidade
Captar qualidades visuais
(sensações)
Contra o academicismo
A favor da cor
Racionalismo (só se percebe
quando se vê)
Pintura ao ar livre
Paisagens urbanas
Só se usam cores primárias
e secundárias (percepção)
Pintores – Manet, Monet,
Degas, Renoir, Pissarro e
Sisley
Manet Monet
DEGAS RENOIR
Pissarro Sisley
PONTILHISMO (divisionismo e
ou neo-impressionismo)
Marco- exposição de arte (1886)
Características
Pintura por meio de manchas e
pontos próximos
Cores puras que são
misturadas visualmente na tela
Pintores – Seurat e Signac
SEURAT SIGNAC
PÓS-IMPRESSIONISMO
Características
Volume sem importância
Pintura que se desenvolveu de
1886 até 1905
Abrange artistas de
características diversas
GAUGUIM (memória) cor arbitrária,
cores puras, capta o essencial,
deixa o tridimensional Precursor
do Fauvismo
CÈZANNE (razão) conversão das
coisas em figuras geométricas
(estrutura da composição
Precursor do Cubismo
VAN GOGH (emoção) pintura não
mais como representação, o tema
é pretexto, emoção pura
Precursor do Expressionismo
TOULUSSE LAUTREC traços
rápidos, poucas cores, vida e
pessoas do cotidiano noturno
Cartazes
PÓS-IMPRESSIONISMO
CÈZANNE
GAUGUIM
PÓS-IMPRESSIONISMO
VAN GOGH
LAUTREC
EXPRESSIONISMO (1905)
Características
Arte como expressão do mundo
interior do artista
Expressa sentimentos humanos
Deformação (figuras humanas) e
as cores (realçar sentimentos)
Pintura dramática e subjetiva
Só se pinta o essencial
Die Bruke “A ponte”
Dar forma plástica ao sentimento
Belo decadente (deformação)
Temas dramáticos
Falta de equilíbrio, regularidade
de formas e harmonia de cores
Pintores – Munch e Kichner
EXPRESSIONISMO
MUNCH KIRCHNER
FAUVISMO (FOVISMO)
Características
Cores puras (sem mistura)
Cores arbitrárias, contrastantes e
violentas
Simplicidade
Expressão de impulsos e sensações
Não há perspectiva ou profundidade
Pintores Dufy, Matisse, Derain e etc
MATISSE DERAIN
FOVISMO (FAUVISMO)
DUFY VLAMINCK
FOVISMO (FAUVISMO)
CUBISMO
Características
Quarta dimensão (tempo)
O que interessa é a cor, a
forma e a composição
Vários pontos de vista
Duas fases: Analítico e
Sintético
Primeira fase: monocromia
Segunda fase: policromia e
colagem
Percepção da forma
Tema: conteúdo sem
importância
Pintores – Picasso, Braque,
Gris, Delaunay e Léger
CUBISMO
PICASSO BRAQUE
JUAN GRIS
DELAUNAY
LÉGER
FUTURISMO 1909-1916 (Itália)
Objetivo – modernização da cultura
(contemporânea e revolucionária)
Atitude de irreverência
Destruição de códigos e valores
cristalizados, arte agressiva
Corte dos elos com o passado
Nada em comum com as formas de
arte tradicionais.
Planos fragmentados
Cores expandidas
Repetição de formas
Sensação de movimento contínuo
Associa-se a: Agressividade,
Escândalo
Agitar da vida moderna, Paixão
pelas máquinas, Velocidade, Guerra,
Morte, Desprezo da mulher
Artistas – Gocommo Balla, Carra,
Bocioni, Russolo e Severini
FUTURISMO
BOCCIONI BALLA
FUTURISMO
CARRÁ SEVERINI
ABSTRACIONISMO
Características
Ausência de relação com a realidade
Fases:
Der Blauer Reiter (O cavaleiro azul)
Suprematismo
Neoplasticismo (Abstracionismo
geométrico)
Action Painting
Der Blauer Reiter (O cavaleiro
azul)
Abstracionismo informal
Organização de formas e cores
de maneira espontânea
Kandinsky, Franz Marc e Paul
Klee
Neoplasticismo (De Styl)
Geometrismo das formas
Ordem, equilíbrio e simplicidade
Proporção em formas e espaço
Superfície plana e retangular
Uso das três cores primárias
com um pouco de preto e branco
Pieter Mondrian
Suprematismo
Reduz as formas e sólidos e
figuras geométricas
Malevitch
Action Painting
Pintura em ação, resulta de
movimento através do
derramamento de tinta ou o
uso das mãos
ABSTRACIONISMO
KANDINSKY FRANZ MARC
KLEE POLLOCK
ABSTRACIONISMO
MONDRIAM MALEVICH
ABSTRACIONISMO
DADAISMO (1916) - Duchamp
Características
Arte do protesto contra a
destruição do homem e de sua
cultura pela guerra
Desprezo pelos valores humanos
Protesto em relação à estética
convencional (anti-arte)
Desequilíbrio e desordem
Agressão e satirização
DADAÍSMO
DUCHAMP
SURREALISMO (1924)
Características
Orientação pelo inconsciente
Desprezo pelo passado
Absurdo ilógico (nega os valores da
realidade)
Imagens de sonhos
Excesso de realismo (fotográfico)
Fases: figurativo e abstrato
Dali, Chagall, Miró, M. Ernest, Chirico
e Magritte
SURREALISMO
SALVADOR DALI MAGRITTE
CHAGALL
MIRÓ
SURREALISMO
MAX ERNEST DE CHIRICO
POP ART – (1960)
Origem na Inglaterra, porém nos
EUA tem mais expressão.
Arte para o povo, extraída do
cotidiano usando os meios
existentes (recursos gráficos)
Oldenburg, Lichtenstein, Warhol,
Weissmann e Hamilton
POP ART
WARHOL
OLDENBURG WESSELMAN
LICHTENSTEINHAMILTON
OP ART – (1965)
Optical Art
Trabalha elementos
geométricos criando texturas
e ilusão de ótica
Vasarely, Albers, Vavignier e
Escher
OP ART
VASARELY ESCHER
ALBERS VAVIGNIER
ARTE CONTEMPORÂNEA –
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
- Sociedade da informação, tecnologia e novas
mídias.
- Subjetividade e liberdade artística
- Efemeridade na arte
- Abandona dos suportes tradicionais
- Mescla de estilos artísticas
- Utilização de diferentes materiais
- Fusão entre arte e vida
- Aproximação com a cultura popular
- Questionamento sobre a definição de arte
- Interação do espectador com a obra
MINIMAL ART déc. 60 e 70.
Estruturas primárias, reduzindo
as formas à simplicidade (varie-
dade visual), total abstração,
ordem, industrialização,
acabamento perfeito, repetição de
formas geométricas, todo-partes.
Frank Stella, Ronald Judd, Dan
Flavin e outros
DONALD JUDD
STELLA
DAN FLAVIN
HAPPENING
Ação de
espectador,
sem duração
previsível,
sem
planejamento
rígido.
performance
artística é uma
modalidade de
manifestação
artística
interdisciplinar
que – assim
como o
happening –
pode combinar
teatro, música,
poesia ou
vídeo.
ART PERFORMANCE
ARTE
POVERA
O que
interessa é o
processo
(reações e
físicas e
químicas de
materiais)
ARTE POVERA
não é feita com a intencionalidade
de ser guardada ou preservada por
longo período..
ARTE
CONCEITUAL
Definição da obra
e não a obra
Não existem limites muito bem definidos para que
uma obra seja considerada Arte Conceptual já que
esta abrange vários aspectos tendo como intenção
desafiar as pessoas a interpretar uma ideia, um
conceito, uma crítica ou uma denúncia. A obra de
arte conceitual exibida em uma exposição nada
mais é do que um documento, um relato das
reflexões do artista.
Precisa ser um grande conhecedor da cultura,
da história, da filosofia e ter o maior número de
informações sobre o contexto que ele está
inserido e que gostaria de criar. Somente
conhecendo tudo isso em detalhes que ele
será capaz de fazer obras visuais
consistentes, que façam que observador
consiga refletir sobre elas.
HIPER REALISMO
Fé um gênero de pintura e escultura
que tem um efeito semelhante ao da
fotografia de alta resolução.
BODY ART 1960
Uso do corpo do artista
na obra. Pretende
evidenciar os limites
corporais. O corpo em
todos seus estados é o
único campo de sua
investigação. Suas
ações se baseiam em:
pintura, auto pintura e
automutilação.
Gina Pane
Land Art, também conhecida
como Earth Art ou Earthwork, se
refere ao tipo de arte em que o
terreno natural, em vez de prover o
ambiente para uma obra de arte, é
ele próprio trabalhado de modo a
integrar-se à obra.
LAND ART
Trabalhos tridimensionais
com
volume
de terra
Robert
Smithson
INSTALAÇÃO
ARTE CINÉTICA
explora efeitos visuais por meio de
movimentos físicos ou ilusão de óptica
ou truques de posicionamento de peças.
ARTE DE COMPUTADOR
Grafismo no computador,
geometrismo. "arte digital" é um
termo aplicado à arte
contemporânea que utiliza os
métodos de produção em massa
ou mídia digital. [5]
GRAFITE (ARTE URBANA)
O GRAFITE É UMA ARTE DE RUA
(URBANA) CARACTERIZADA POR
DESENHOS EM LOCAIS PÚBLICOS,
(PAREDES, EDIFÍCIOS, RUAS, ETC) QUE
SURGIU NA DÉCADA DE 70, NOS
ESTADOS UNIDOS, NA CIDADE DE NOVA
YORK.
URBAN LIGHT ART:
GRAFITE ARQUITETÔNICO DE LUZ
O GRAFITE ARQUITETÔNICO DE LUZ
PODE SER REALIZADO DE DIVERSOS
MODOS, NO ENTANTO TODOS COMPAR-
TILHAM DE UMA CARACTERÍSTICA CO-
MUM: OS EFEITOS SÃO EFÊMEROS E SE
ALTERAM DE SEGUNDO EM SEGUNDO. O
ÚNICO REGISTRO DESSAS ARTES PER-
FORMATIVAS VÊM EM FORMA DE
FOTOGRAFIAS E VÍDEOS.
Arte contemporanea

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da arte
dpport
 
Vanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slidesVanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slides
Eline Lima
 
Arte moderna brasileira
Arte moderna brasileiraArte moderna brasileira
Arte moderna brasileira
Arte Educadora
 
Linha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da ArteLinha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da Arte
Jesrayne Nascimento
 

Mais procurados (20)

Grafite
GrafiteGrafite
Grafite
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Arte abstrata
Arte abstrataArte abstrata
Arte abstrata
 
Arte e tecnologia
Arte e tecnologiaArte e tecnologia
Arte e tecnologia
 
As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da arte
 
Abstracionismo (Arte Abstrata)
Abstracionismo (Arte Abstrata)Abstracionismo (Arte Abstrata)
Abstracionismo (Arte Abstrata)
 
Semana de arte moderna
Semana de arte moderna Semana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
A figura humana na arte
A figura humana na arteA figura humana na arte
A figura humana na arte
 
Vanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slidesVanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slides
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Movimentos artísticos
Movimentos artísticosMovimentos artísticos
Movimentos artísticos
 
História da arte - Arte Contemporânea
História da arte -  Arte ContemporâneaHistória da arte -  Arte Contemporânea
História da arte - Arte Contemporânea
 
Land Art
Land ArtLand Art
Land Art
 
Slides sobre Escultura (simples) para o 9º ano
Slides sobre Escultura (simples) para o 9º anoSlides sobre Escultura (simples) para o 9º ano
Slides sobre Escultura (simples) para o 9º ano
 
Historia da arte
Historia da arteHistoria da arte
Historia da arte
 
Artes Visuais
Artes VisuaisArtes Visuais
Artes Visuais
 
Arte - Realismo
Arte - RealismoArte - Realismo
Arte - Realismo
 
Arte moderna brasileira
Arte moderna brasileiraArte moderna brasileira
Arte moderna brasileira
 
Linha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da ArteLinha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da Arte
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art
 

Semelhante a Arte contemporanea

Do romantismo ao sec xx
Do romantismo ao sec xxDo romantismo ao sec xx
Do romantismo ao sec xx
denise lugli
 
Um pouco de arte parte 1
Um pouco de arte parte 1Um pouco de arte parte 1
Um pouco de arte parte 1
renatamruiz
 
Um pouco de arte parte 3
Um pouco de arte parte 3Um pouco de arte parte 3
Um pouco de arte parte 3
renatamruiz
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
Lú Carvalho
 
Um Pouco De Arte Parte III
Um Pouco De Arte Parte IIIUm Pouco De Arte Parte III
Um Pouco De Arte Parte III
renatamruiz
 
A arte da 1ª metade do séc beatriz
A arte da 1ª metade do séc   beatrizA arte da 1ª metade do séc   beatriz
A arte da 1ª metade do séc beatriz
Bioquinha
 
O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
Sofia Oliveira
 
Op art, Pop art e outras artes
Op art, Pop art e outras artesOp art, Pop art e outras artes
Op art, Pop art e outras artes
Marcio Duarte
 
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
Cecília Tura
 

Semelhante a Arte contemporanea (20)

Semana 22 parte 2
Semana 22 parte 2Semana 22 parte 2
Semana 22 parte 2
 
Do romantismo ao sec xx
Do romantismo ao sec xxDo romantismo ao sec xx
Do romantismo ao sec xx
 
Um pouco de arte - parte I
Um pouco de arte - parte IUm pouco de arte - parte I
Um pouco de arte - parte I
 
Um pouco de arte parte 1
Um pouco de arte parte 1Um pouco de arte parte 1
Um pouco de arte parte 1
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte ModernaHistória da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
 
Um pouco de arte parte 3
Um pouco de arte parte 3Um pouco de arte parte 3
Um pouco de arte parte 3
 
Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBG
 
Pós Modernismo
Pós ModernismoPós Modernismo
Pós Modernismo
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
 
Um Pouco De Arte Parte III
Um Pouco De Arte Parte IIIUm Pouco De Arte Parte III
Um Pouco De Arte Parte III
 
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
 
Arte Contemporânea
Arte ContemporâneaArte Contemporânea
Arte Contemporânea
 
A arte da 1ª metade do séc beatriz
A arte da 1ª metade do séc   beatrizA arte da 1ª metade do séc   beatriz
A arte da 1ª metade do séc beatriz
 
O desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologiaO desenvolvimento da tecnologia
O desenvolvimento da tecnologia
 
Impressionismo e Pós-Impressionismo
Impressionismo e Pós-ImpressionismoImpressionismo e Pós-Impressionismo
Impressionismo e Pós-Impressionismo
 
Op art, Pop art e outras artes
Op art, Pop art e outras artesOp art, Pop art e outras artes
Op art, Pop art e outras artes
 
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
 

Mais de denise lugli

Apresentacao sete maravilhas [modo de compatibilidade]
Apresentacao sete maravilhas [modo de compatibilidade]Apresentacao sete maravilhas [modo de compatibilidade]
Apresentacao sete maravilhas [modo de compatibilidade]
denise lugli
 
20 arte barroca resumo [modo de compatibilidade]
20 arte barroca resumo [modo de compatibilidade]20 arte barroca resumo [modo de compatibilidade]
20 arte barroca resumo [modo de compatibilidade]
denise lugli
 
41 emissão francesa resumo
41 emissão francesa resumo41 emissão francesa resumo
41 emissão francesa resumo
denise lugli
 

Mais de denise lugli (20)

0 arte pra que
0 arte pra que0 arte pra que
0 arte pra que
 
Arquitetura moderna e contemporanea parte 2
Arquitetura moderna e contemporanea parte 2Arquitetura moderna e contemporanea parte 2
Arquitetura moderna e contemporanea parte 2
 
Arquitetura moderna e contemporanea parte 1
Arquitetura moderna e contemporanea parte 1Arquitetura moderna e contemporanea parte 1
Arquitetura moderna e contemporanea parte 1
 
Semana 22 parte 1
Semana 22 parte 1Semana 22 parte 1
Semana 22 parte 1
 
Semana 22 parte 3
Semana 22  parte 3Semana 22  parte 3
Semana 22 parte 3
 
11 pré história resumo [modo de compatibilidade]
11 pré história   resumo [modo de compatibilidade]11 pré história   resumo [modo de compatibilidade]
11 pré história resumo [modo de compatibilidade]
 
semana 22 resumo
  semana 22 resumo  semana 22 resumo
semana 22 resumo
 
Apresentacao sete maravilhas [modo de compatibilidade]
Apresentacao sete maravilhas [modo de compatibilidade]Apresentacao sete maravilhas [modo de compatibilidade]
Apresentacao sete maravilhas [modo de compatibilidade]
 
21 egito resumos
21 egito resumos21 egito resumos
21 egito resumos
 
31grécia resumo
31grécia resumo 31grécia resumo
31grécia resumo
 
51 realismo
51 realismo51 realismo
51 realismo
 
Academicos no brasil
Academicos no brasilAcademicos no brasil
Academicos no brasil
 
20 arte barroca resumo [modo de compatibilidade]
20 arte barroca resumo [modo de compatibilidade]20 arte barroca resumo [modo de compatibilidade]
20 arte barroca resumo [modo de compatibilidade]
 
32 romantismo
32 romantismo32 romantismo
32 romantismo
 
41 roma resumos
41 roma resumos41 roma resumos
41 roma resumos
 
61 idade média resumo [modo de compatibilidade]
61 idade média resumo [modo de compatibilidade]61 idade média resumo [modo de compatibilidade]
61 idade média resumo [modo de compatibilidade]
 
51 academicos no brasil resumo
51 academicos no brasil resumo51 academicos no brasil resumo
51 academicos no brasil resumo
 
41 emissão francesa resumo
41 emissão francesa resumo41 emissão francesa resumo
41 emissão francesa resumo
 
21 barroco eurobras
21 barroco eurobras21 barroco eurobras
21 barroco eurobras
 
31 neoclassicismo bj
31 neoclassicismo bj31 neoclassicismo bj
31 neoclassicismo bj
 

Último

Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

Arte contemporanea