SlideShare uma empresa Scribd logo
ARTE E TECNOLOGIA
TRANSFORMAÇÕES CULTURAIS: AS
INFLUÊNCIAS DA TECNOLOGIA NA
ARTE
• A emergência de novas tecnologias sempre influencia,
de algum modo, a relação do homem com a arte. Não é
preciso ir muito longe para comprovar tal teoria. No fim
do século XIX e inicio do século XX, duas invenções
fantásticas revolucionaram o modo tradicional de
“consumir” arte: o cinema e a televisão. Nesse
contexto, nasce o conceito de CULTURA DE MASSA
(difundida pelos filósofos da Escola de Frankfurt),
produto da chamada INDÚSTRIA CULTURAL, que
consiste em
• Todos os tipos de expressões artísticas produzidas
para atingir a maior parte da população, com o
objetivo essencialmente comercial, ou seja, de
gerar produtos para consumo. Com efeito, esse
fenômeno cultural, impulsionado pelo avanço
tecnológico, transformou a relação do homem com
a cultura e a arte erudita, que se tornaram mais
populares e, ao mesmo tempo, produtos de
entretenimento.
• Podemos citar, também a utilização do
computador como parte dos instrumentos e
mídias de criação em arte. Essa tecnologia
remonta aos anos 1.960, com o surgimento dos
primeiros computadores comerciais. Além disso,
mais recentemente, temos o advento da web e da
internet que modificou as relações sociais e,
consequentemente, o modo de produção de arte,
sobretudo com as múltiplas e crescentes
possibilidades que os meios digitais permitem ao
processo de criação, relacionando arte, tecnologia
e ciência .
• Assim, nos dias atuais, o desenvolvimento cada
vez mais intenso de novas tecnologias ao alcance
dos artistas possibilita criações antes não
imaginadas, seja pela abrangência dos meios de
comunicação, como pelas possibilidades de
criações híbridas. Tais fatos têm alterado muito o
perfil do artista criador, incorporando as novas
produções equipamentos multimídia, ambientes
imersivos, experiências artísticas multissensoriais,
utilização de códigos de programação etc.
• É importante reafirmar que as novas tecnologias
da comunicação modificaram os modos de
interação, o que também se reflete na arte.
Algumas mudanças podem ser observadas na
relação entre artista e plateia ou na forma como o
público se relaciona com a obra e com o artista
que a produz, pois o público deixa de ser um
mero observadorapreciador e passa a interagir
com a obra, colaborando até mesmo com a sua
criação.
• No teatro contemporâneo, por exemplo,
algumas produções utilizam espaços
alternativos do teatro onde o público pode
participar da encenação, escolhendo os temas
construindo o roteiro ou “atuando” na peça
de maneira improvisada. A dança também
rompeu fronteiras. Hoje, em alguns
espetáculos, os artistas não apenas dançam,
mas cantam, recitam e contam histórias.
• Tecnologia e interatividade são marcas da arte
contemporânea.
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
VIDEOARTE
• A videoarte é uma forma de expressão artística que
aplica a tecnologia do Vídeo as artes visuais. Pode
ser apresentada em videoinstalações, gravações ou
performances que utilizem vídeo. Surgiu na década
de 1.960 em um contexto no qual os artistas
buscavam uma arte contrária a comercial, seguindo
as novas orientações de dirigir a criação artística as
coisas do mundo, a natureza, a realidade urbana e a
tecnologia. Dessa forma:
• A videoarte deve ser lida na esteira das conquistas
minimalistas, mas também da arte pop, pela sua recusa
em separar arte e vida por meio da incorporação das
histórias em quadrinhos, da publicidade, das imagens
televisivas e do cinema. As performances e os
happenings largamente realizados pelos artistas ligados
ao Fluxus, aparecem diretamente ligados à videoarte.
As realizações Fluxus justapõem não apenas objetos,
mas também sons, movimentos e luzes num apelo
simultâneo aos diversos sentidos: visão, olfato, audição,
tato. Nelas, o espectador deve participar dos
espetáculos experimentais, em geral, descontínuos,
sem foco definido, não-verbais e sem seqüência
previamente estabelecida.
• O fundador da videoarte é o norte –
americano Nam June Paik, que já fazia
experimentações com vídeo desde 1.959. A
partir da década de 1.970, essa arte passou a
estabelecer sua própria produção critica.
Tendo festivais e espaços de expressão no
mundo todo.
• Nascido nos anos de 1.960. FLUXUS pode ser
definido como um movimento artístico QUE
PROPÕE o rompimento das barreiras entre
arte e não arte, dirigindo a criação artística as
coisas do mundo, seja a natureza, seja a
realidade urbana, seja ao mundo da
tecnologia. Manifesta nas mais diversas
formas de arte: música, dança, teatro, artes
visuais, poesia, vídeo, fotografia, entre outras.
VIDEO GRUPO FLUXOS NA
INTERNET
TECNOLOGIA NAS ARTES CÊNICAS E NA
MÚSICA
• Os espetáculos de teatro e de dança tem cada vez mais
rompido as barreiras entre o real e o virtual. A
utilização de projeções, interações entre o corpo do
artista e imagens pré – gravadas, microfones,
computadores e uma diversidade de materiais
tecnológicos integram os espetáculos contemporâneos.
A tecnologia não é apenas uma ferramenta de
produção, restrita aos bastidores, é também um
importante elemento de criação e encenação.
Projetando a voz através de recursos de áudio ou
ampliando a imagem aos telões de vídeo,
• Seja como for, as artes cênicas se apropriam
das novas tecnologias, criando e conceituando
novas formas de pensar e estar em cena,
novos modos de se expressar para além do
corpo.
• Na música, as tecnologias digitais tornaram sua
distribuição praticamente ilimitada. Com o
advento da web e a popularização da internet, é
possível criar, produzir e compartilhar músicas
com o mundo inteiro, de uma banda de rock
alternativa da Islândia ou de um grupo de cultura
popular do interior de Pernambuco. Além disso,
hoje já é possível produzir músicas com
qualidade de estúdio em casa, pelo computador,
através de programas de áudio. Isso facilita a
emergência de novos artistas do cenário musical.
A FOTOGRAFIA COMO EXPRESSÃO
ARTISTICA
• Além de ser um registro da realidade, a fotografia,
principalmente a partir da década de 1.960, com as
correntes de Pop Arte e Arte Conceitual, passa a
compor também os movimentos de expressões e
inovações artísticas. Os artistas começam a
reproduzir emoções, reflexões e provocar discussões
através da busca de novos pontos de vista, atentando
para o ângulo, a luz e o conceito por trás da foto. A
imagem serve, portanto, não apenas a memória ou
ao deleite, mas a apreciação estética.
• Há fotógrafos que captam paisagens, revelam
a diversidade cultural, denunciam o
preconceito, dão voz as minorias. A fotografia
como obra artística para ser pensada,
apreciada e sentida.
• Muitos artistas deixaram sua marca na arte
da fotografia , destacando três deles:
Sebastião Salgado, Henri Castier – Bresson,
Annie Leibovitz
SEBASTIÃO SALGADO
• Brasileiro de Minas Gerais, começou como
fotojornalista aos 26 anos. Porem o maior destaque
de seu trabalho é na fotografia artística. Registrou
efeitos da pobreza em diversas culturas. Fotografou
camponeses rurais da America Latina, trabalhadores
manuais de regiões agrícolas pelo mundo e
documentou efeitos da fome na África. Seus
principais projetos são EXODOS E GENESIS, nas quais
ele fotografou as paisagens e a vida selvagem. Foi
produzido um documentário sobre Sebastião Salgado
em 2015 chamado o O SAL DA TERRA, dirigido pelo
alemão Wim Wenders.
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
HENRI CARTIER - BRESSOM
• Francês, considerado um dos fotógrafos mais
originais da história da fotografia, suas fotos
possuem um realismo intenso. Ele está para
as artes plásticas. Ou seja, sua genialidade é
reconhecida e respeitada. Fotografa
principalmente cidades europeias, num
trabalho singelo e cheio de significados. Sua
primeira exposição foi no Museu de Arte
Moderna em 1.947, fotografou países como a
Índia, Indonésia, China e União Soviética.
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
ANNIE LEIBOVITZ
• Americana, aclamada pela crítica, suas fotos
registram figuras célebres como artistas e ícones
sociais. Fotografou a rainha Elizabeth II, a atriz
Whoopi Goldberg dentro de uma banheira cheia
de leite e também fotografou a casa de artistas
como Yoko Ono e Jhon Lennon. Diferente dos
paparazzi, Leibovitz trazia uma aurora diferente
para a imagem, imprimindo em seus retratos a
essência da vida de cada personalidade
fotografada.
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia
Arte e tecnologia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Técnicas de pintura e desenho
Técnicas de pintura e desenhoTécnicas de pintura e desenho
Técnicas de pintura e desenho
Isabella Silva
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
Ana Barreiros
 
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)  TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
Wellinton Augusto
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
Experiências Português
 
Arte digital
Arte digitalArte digital
Arte digital
Joel Sousa
 
Grafite slide
Grafite slideGrafite slide
Grafite slide
cafumilena
 
Arte Indígena Brasileira
Arte Indígena BrasileiraArte Indígena Brasileira
Arte Indígena Brasileira
Andrea Dressler
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Ana Paula Silva
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
Sandro Bottene
 
As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da arte
dpport
 
A função da arte slide
A função da arte   slideA função da arte   slide
A função da arte slide
2011saletekm
 
O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
IF - Baiano
 
Aula de Xilogravura
Aula de XilogravuraAula de Xilogravura
Aula de Xilogravura
Ipsun
 
Grafite x pichação
Grafite x pichaçãoGrafite x pichação
Grafite x pichação
Junior Onildo
 
Arte - Romantismo
Arte - RomantismoArte - Romantismo
Arte - Romantismo
Maiara Giordani
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
VIVIAN TROMBINI
 
Aula 02 videoarte
Aula 02 videoarteAula 02 videoarte
Aula 02 videoarte
Venise Melo
 
A arte na Pré-História
A arte na Pré-HistóriaA arte na Pré-História
A arte na Pré-História
Edenilson Morais
 
Arte urbana
Arte urbana Arte urbana
Arte urbana
Turmasthera
 

Mais procurados (20)

Técnicas de pintura e desenho
Técnicas de pintura e desenhoTécnicas de pintura e desenho
Técnicas de pintura e desenho
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)  TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
 
Arte digital
Arte digitalArte digital
Arte digital
 
Grafite slide
Grafite slideGrafite slide
Grafite slide
 
Arte Indígena Brasileira
Arte Indígena BrasileiraArte Indígena Brasileira
Arte Indígena Brasileira
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
 
As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da arte
 
A função da arte slide
A função da arte   slideA função da arte   slide
A função da arte slide
 
O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
 
Aula de Xilogravura
Aula de XilogravuraAula de Xilogravura
Aula de Xilogravura
 
Grafite x pichação
Grafite x pichaçãoGrafite x pichação
Grafite x pichação
 
Arte - Romantismo
Arte - RomantismoArte - Romantismo
Arte - Romantismo
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Aula 02 videoarte
Aula 02 videoarteAula 02 videoarte
Aula 02 videoarte
 
Arte Conceitual
Arte ConceitualArte Conceitual
Arte Conceitual
 
A arte na Pré-História
A arte na Pré-HistóriaA arte na Pré-História
A arte na Pré-História
 
Arte urbana
Arte urbana Arte urbana
Arte urbana
 

Semelhante a Arte e tecnologia

Fluxus, Arte digital e Arte Eletrónica
Fluxus, Arte digital e Arte EletrónicaFluxus, Arte digital e Arte Eletrónica
Fluxus, Arte digital e Arte Eletrónica
Raquel Almeida
 
9ano
9ano9ano
fluxus
fluxusfluxus
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
Joana Queirós
 
Fluxus arte digital e arte eletronica
Fluxus arte digital e arte eletronicaFluxus arte digital e arte eletronica
Fluxus arte digital e arte eletronica
Rodrigo Leite
 
C&C 15dez09 Neobarrocoresumido
C&C 15dez09 NeobarrocoresumidoC&C 15dez09 Neobarrocoresumido
C&C 15dez09 Neobarrocoresumido
UERJ
 
Estética - FILOSOFIA
Estética - FILOSOFIAEstética - FILOSOFIA
Estética - FILOSOFIA
Tainá Oliveira
 
SOCIEDADE DE MASSAS E INDÚSTRIA CULTURAL
SOCIEDADE DE MASSAS E INDÚSTRIA CULTURALSOCIEDADE DE MASSAS E INDÚSTRIA CULTURAL
SOCIEDADE DE MASSAS E INDÚSTRIA CULTURAL
Carlos Benjoino Bidu
 
Artes visuais
Artes visuaisArtes visuais
Artes visuais
Lú Feitosa
 
Videoarte: Do conceito às experiências
Videoarte: Do conceito às experiênciasVideoarte: Do conceito às experiências
Videoarte: Do conceito às experiências
Delandro Melo
 
Fluxus
FluxusFluxus
Fluxus
Bruno Silva
 
June paik
June paikJune paik
June paik
Venise Melo
 
Fluxus
FluxusFluxus
Fluxus
Bruno Silva
 
Um pouco da arte contemporanea na fotografia
Um pouco da arte contemporanea na fotografiaUm pouco da arte contemporanea na fotografia
Um pouco da arte contemporanea na fotografia
SamaraSalesMendes2
 
AULÃO-3º ANOSE.M..pptx
AULÃO-3º ANOSE.M..pptxAULÃO-3º ANOSE.M..pptx
AULÃO-3º ANOSE.M..pptx
RosaMariaDaSilvaSous1
 
Pop Art
Pop Art Pop Art
Pop Art
Daniela Fiuza
 
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdfHAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
ssuser90b57a
 
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Raphael Lanzillotte
 
Arte contemporânea
Arte contemporânea Arte contemporânea
Arte contemporânea
LuisPhelipeEstudos
 
Educação visual e tecnológica a arte
Educação visual e tecnológica   a arteEducação visual e tecnológica   a arte
Educação visual e tecnológica a arte
p337
 

Semelhante a Arte e tecnologia (20)

Fluxus, Arte digital e Arte Eletrónica
Fluxus, Arte digital e Arte EletrónicaFluxus, Arte digital e Arte Eletrónica
Fluxus, Arte digital e Arte Eletrónica
 
9ano
9ano9ano
9ano
 
fluxus
fluxusfluxus
fluxus
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Fluxus arte digital e arte eletronica
Fluxus arte digital e arte eletronicaFluxus arte digital e arte eletronica
Fluxus arte digital e arte eletronica
 
C&C 15dez09 Neobarrocoresumido
C&C 15dez09 NeobarrocoresumidoC&C 15dez09 Neobarrocoresumido
C&C 15dez09 Neobarrocoresumido
 
Estética - FILOSOFIA
Estética - FILOSOFIAEstética - FILOSOFIA
Estética - FILOSOFIA
 
SOCIEDADE DE MASSAS E INDÚSTRIA CULTURAL
SOCIEDADE DE MASSAS E INDÚSTRIA CULTURALSOCIEDADE DE MASSAS E INDÚSTRIA CULTURAL
SOCIEDADE DE MASSAS E INDÚSTRIA CULTURAL
 
Artes visuais
Artes visuaisArtes visuais
Artes visuais
 
Videoarte: Do conceito às experiências
Videoarte: Do conceito às experiênciasVideoarte: Do conceito às experiências
Videoarte: Do conceito às experiências
 
Fluxus
FluxusFluxus
Fluxus
 
June paik
June paikJune paik
June paik
 
Fluxus
FluxusFluxus
Fluxus
 
Um pouco da arte contemporanea na fotografia
Um pouco da arte contemporanea na fotografiaUm pouco da arte contemporanea na fotografia
Um pouco da arte contemporanea na fotografia
 
AULÃO-3º ANOSE.M..pptx
AULÃO-3º ANOSE.M..pptxAULÃO-3º ANOSE.M..pptx
AULÃO-3º ANOSE.M..pptx
 
Pop Art
Pop Art Pop Art
Pop Art
 
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdfHAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
HAA-III_ UNIDADE II - Arte Contemporânea.pdf
 
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
 
Arte contemporânea
Arte contemporânea Arte contemporânea
Arte contemporânea
 
Educação visual e tecnológica a arte
Educação visual e tecnológica   a arteEducação visual e tecnológica   a arte
Educação visual e tecnológica a arte
 

Mais de Cristiane Seibt

Obras de arte mais caras ja vendidas
Obras de arte mais caras ja vendidasObras de arte mais caras ja vendidas
Obras de arte mais caras ja vendidas
Cristiane Seibt
 
16 artistas conceituais
16 artistas conceituais16 artistas conceituais
16 artistas conceituais
Cristiane Seibt
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
Cristiane Seibt
 
Circo
CircoCirco
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
Cristiane Seibt
 
Movimento modernista e a semana da arte moferna de 1922
Movimento modernista e a semana da arte moferna de 1922Movimento modernista e a semana da arte moferna de 1922
Movimento modernista e a semana da arte moferna de 1922
Cristiane Seibt
 
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantinaArte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Cristiane Seibt
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
Cristiane Seibt
 
Arte ambiental
Arte ambientalArte ambiental
Arte ambiental
Cristiane Seibt
 
ARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIAARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIA
Cristiane Seibt
 
10 obras mais caras do mundo
10 obras mais caras do mundo10 obras mais caras do mundo
10 obras mais caras do mundo
Cristiane Seibt
 
Música
MúsicaMúsica
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
Cristiane Seibt
 
MÚSICA RECICLADA
MÚSICA RECICLADAMÚSICA RECICLADA
MÚSICA RECICLADA
Cristiane Seibt
 
BRINQUEDOS
BRINQUEDOSBRINQUEDOS
BRINQUEDOS
Cristiane Seibt
 
GRAFITE E INSTALAÇÃO
GRAFITE  E INSTALAÇÃOGRAFITE  E INSTALAÇÃO
GRAFITE E INSTALAÇÃO
Cristiane Seibt
 
OP - ART e POP - ART
OP - ART e POP - ARTOP - ART e POP - ART
OP - ART e POP - ART
Cristiane Seibt
 
SURREALISMO
SURREALISMOSURREALISMO
SURREALISMO
Cristiane Seibt
 
FUTURISMO
FUTURISMOFUTURISMO
FUTURISMO
Cristiane Seibt
 
DADAÍSMO
DADAÍSMODADAÍSMO
DADAÍSMO
Cristiane Seibt
 

Mais de Cristiane Seibt (20)

Obras de arte mais caras ja vendidas
Obras de arte mais caras ja vendidasObras de arte mais caras ja vendidas
Obras de arte mais caras ja vendidas
 
16 artistas conceituais
16 artistas conceituais16 artistas conceituais
16 artistas conceituais
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
 
Circo
CircoCirco
Circo
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
 
Movimento modernista e a semana da arte moferna de 1922
Movimento modernista e a semana da arte moferna de 1922Movimento modernista e a semana da arte moferna de 1922
Movimento modernista e a semana da arte moferna de 1922
 
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantinaArte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantina
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
Arte ambiental
Arte ambientalArte ambiental
Arte ambiental
 
ARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIAARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIA
 
10 obras mais caras do mundo
10 obras mais caras do mundo10 obras mais caras do mundo
10 obras mais caras do mundo
 
Música
MúsicaMúsica
Música
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
 
MÚSICA RECICLADA
MÚSICA RECICLADAMÚSICA RECICLADA
MÚSICA RECICLADA
 
BRINQUEDOS
BRINQUEDOSBRINQUEDOS
BRINQUEDOS
 
GRAFITE E INSTALAÇÃO
GRAFITE  E INSTALAÇÃOGRAFITE  E INSTALAÇÃO
GRAFITE E INSTALAÇÃO
 
OP - ART e POP - ART
OP - ART e POP - ARTOP - ART e POP - ART
OP - ART e POP - ART
 
SURREALISMO
SURREALISMOSURREALISMO
SURREALISMO
 
FUTURISMO
FUTURISMOFUTURISMO
FUTURISMO
 
DADAÍSMO
DADAÍSMODADAÍSMO
DADAÍSMO
 

Arte e tecnologia

  • 2. TRANSFORMAÇÕES CULTURAIS: AS INFLUÊNCIAS DA TECNOLOGIA NA ARTE • A emergência de novas tecnologias sempre influencia, de algum modo, a relação do homem com a arte. Não é preciso ir muito longe para comprovar tal teoria. No fim do século XIX e inicio do século XX, duas invenções fantásticas revolucionaram o modo tradicional de “consumir” arte: o cinema e a televisão. Nesse contexto, nasce o conceito de CULTURA DE MASSA (difundida pelos filósofos da Escola de Frankfurt), produto da chamada INDÚSTRIA CULTURAL, que consiste em
  • 3. • Todos os tipos de expressões artísticas produzidas para atingir a maior parte da população, com o objetivo essencialmente comercial, ou seja, de gerar produtos para consumo. Com efeito, esse fenômeno cultural, impulsionado pelo avanço tecnológico, transformou a relação do homem com a cultura e a arte erudita, que se tornaram mais populares e, ao mesmo tempo, produtos de entretenimento.
  • 4. • Podemos citar, também a utilização do computador como parte dos instrumentos e mídias de criação em arte. Essa tecnologia remonta aos anos 1.960, com o surgimento dos primeiros computadores comerciais. Além disso, mais recentemente, temos o advento da web e da internet que modificou as relações sociais e, consequentemente, o modo de produção de arte, sobretudo com as múltiplas e crescentes possibilidades que os meios digitais permitem ao processo de criação, relacionando arte, tecnologia e ciência .
  • 5. • Assim, nos dias atuais, o desenvolvimento cada vez mais intenso de novas tecnologias ao alcance dos artistas possibilita criações antes não imaginadas, seja pela abrangência dos meios de comunicação, como pelas possibilidades de criações híbridas. Tais fatos têm alterado muito o perfil do artista criador, incorporando as novas produções equipamentos multimídia, ambientes imersivos, experiências artísticas multissensoriais, utilização de códigos de programação etc.
  • 6. • É importante reafirmar que as novas tecnologias da comunicação modificaram os modos de interação, o que também se reflete na arte. Algumas mudanças podem ser observadas na relação entre artista e plateia ou na forma como o público se relaciona com a obra e com o artista que a produz, pois o público deixa de ser um mero observadorapreciador e passa a interagir com a obra, colaborando até mesmo com a sua criação.
  • 7. • No teatro contemporâneo, por exemplo, algumas produções utilizam espaços alternativos do teatro onde o público pode participar da encenação, escolhendo os temas construindo o roteiro ou “atuando” na peça de maneira improvisada. A dança também rompeu fronteiras. Hoje, em alguns espetáculos, os artistas não apenas dançam, mas cantam, recitam e contam histórias.
  • 8. • Tecnologia e interatividade são marcas da arte contemporânea.
  • 17. VIDEOARTE • A videoarte é uma forma de expressão artística que aplica a tecnologia do Vídeo as artes visuais. Pode ser apresentada em videoinstalações, gravações ou performances que utilizem vídeo. Surgiu na década de 1.960 em um contexto no qual os artistas buscavam uma arte contrária a comercial, seguindo as novas orientações de dirigir a criação artística as coisas do mundo, a natureza, a realidade urbana e a tecnologia. Dessa forma:
  • 18. • A videoarte deve ser lida na esteira das conquistas minimalistas, mas também da arte pop, pela sua recusa em separar arte e vida por meio da incorporação das histórias em quadrinhos, da publicidade, das imagens televisivas e do cinema. As performances e os happenings largamente realizados pelos artistas ligados ao Fluxus, aparecem diretamente ligados à videoarte. As realizações Fluxus justapõem não apenas objetos, mas também sons, movimentos e luzes num apelo simultâneo aos diversos sentidos: visão, olfato, audição, tato. Nelas, o espectador deve participar dos espetáculos experimentais, em geral, descontínuos, sem foco definido, não-verbais e sem seqüência previamente estabelecida.
  • 19. • O fundador da videoarte é o norte – americano Nam June Paik, que já fazia experimentações com vídeo desde 1.959. A partir da década de 1.970, essa arte passou a estabelecer sua própria produção critica. Tendo festivais e espaços de expressão no mundo todo.
  • 20. • Nascido nos anos de 1.960. FLUXUS pode ser definido como um movimento artístico QUE PROPÕE o rompimento das barreiras entre arte e não arte, dirigindo a criação artística as coisas do mundo, seja a natureza, seja a realidade urbana, seja ao mundo da tecnologia. Manifesta nas mais diversas formas de arte: música, dança, teatro, artes visuais, poesia, vídeo, fotografia, entre outras.
  • 21. VIDEO GRUPO FLUXOS NA INTERNET
  • 22. TECNOLOGIA NAS ARTES CÊNICAS E NA MÚSICA • Os espetáculos de teatro e de dança tem cada vez mais rompido as barreiras entre o real e o virtual. A utilização de projeções, interações entre o corpo do artista e imagens pré – gravadas, microfones, computadores e uma diversidade de materiais tecnológicos integram os espetáculos contemporâneos. A tecnologia não é apenas uma ferramenta de produção, restrita aos bastidores, é também um importante elemento de criação e encenação. Projetando a voz através de recursos de áudio ou ampliando a imagem aos telões de vídeo,
  • 23. • Seja como for, as artes cênicas se apropriam das novas tecnologias, criando e conceituando novas formas de pensar e estar em cena, novos modos de se expressar para além do corpo.
  • 24. • Na música, as tecnologias digitais tornaram sua distribuição praticamente ilimitada. Com o advento da web e a popularização da internet, é possível criar, produzir e compartilhar músicas com o mundo inteiro, de uma banda de rock alternativa da Islândia ou de um grupo de cultura popular do interior de Pernambuco. Além disso, hoje já é possível produzir músicas com qualidade de estúdio em casa, pelo computador, através de programas de áudio. Isso facilita a emergência de novos artistas do cenário musical.
  • 25. A FOTOGRAFIA COMO EXPRESSÃO ARTISTICA • Além de ser um registro da realidade, a fotografia, principalmente a partir da década de 1.960, com as correntes de Pop Arte e Arte Conceitual, passa a compor também os movimentos de expressões e inovações artísticas. Os artistas começam a reproduzir emoções, reflexões e provocar discussões através da busca de novos pontos de vista, atentando para o ângulo, a luz e o conceito por trás da foto. A imagem serve, portanto, não apenas a memória ou ao deleite, mas a apreciação estética.
  • 26. • Há fotógrafos que captam paisagens, revelam a diversidade cultural, denunciam o preconceito, dão voz as minorias. A fotografia como obra artística para ser pensada, apreciada e sentida.
  • 27. • Muitos artistas deixaram sua marca na arte da fotografia , destacando três deles: Sebastião Salgado, Henri Castier – Bresson, Annie Leibovitz
  • 28. SEBASTIÃO SALGADO • Brasileiro de Minas Gerais, começou como fotojornalista aos 26 anos. Porem o maior destaque de seu trabalho é na fotografia artística. Registrou efeitos da pobreza em diversas culturas. Fotografou camponeses rurais da America Latina, trabalhadores manuais de regiões agrícolas pelo mundo e documentou efeitos da fome na África. Seus principais projetos são EXODOS E GENESIS, nas quais ele fotografou as paisagens e a vida selvagem. Foi produzido um documentário sobre Sebastião Salgado em 2015 chamado o O SAL DA TERRA, dirigido pelo alemão Wim Wenders.
  • 38. HENRI CARTIER - BRESSOM • Francês, considerado um dos fotógrafos mais originais da história da fotografia, suas fotos possuem um realismo intenso. Ele está para as artes plásticas. Ou seja, sua genialidade é reconhecida e respeitada. Fotografa principalmente cidades europeias, num trabalho singelo e cheio de significados. Sua primeira exposição foi no Museu de Arte Moderna em 1.947, fotografou países como a Índia, Indonésia, China e União Soviética.
  • 43. ANNIE LEIBOVITZ • Americana, aclamada pela crítica, suas fotos registram figuras célebres como artistas e ícones sociais. Fotografou a rainha Elizabeth II, a atriz Whoopi Goldberg dentro de uma banheira cheia de leite e também fotografou a casa de artistas como Yoko Ono e Jhon Lennon. Diferente dos paparazzi, Leibovitz trazia uma aurora diferente para a imagem, imprimindo em seus retratos a essência da vida de cada personalidade fotografada.