SlideShare uma empresa Scribd logo
GRANDES
NAVEGAÇÕES
    VANIA
1.Introdução

Durante os séculos XV e XVI, os europeus,
principalmente    portugueses      e    espanhóis,
lançaram-se nos oceanos Pacífico, Índico e
Atlântico com dois objetivos principais : descobrir
uma nova rota marítima para as Índias e
encontrar novas terras. Este período ficou
conhecido como a Era das Grandes Navegações
e Descobrimentos Marítimos.
2. Fatores que contribuíram
 para expansão marítima:
Encontrar um novo caminho
      para as Índias:
Necessidade de conquistar novas
            terras:
Aumentar o número de fiéis:
Conhecimento de novas
      técnicas,
          bússola
ASTROLÁBIO
     O astrolábio era um antigo
     instrumento para medir a altura
     dos astros acima do horizonte,
     utilizado na Idade Média para
     fins astrológicos e
     astronômicos. Também era
     utilizado para resolver
     problemas geométricos, como
     calcular a altura de um edifício
     ou a profundidade de um poço.
     Era formado por disco de latão
     graduado na sua borda, num
     anel de suspensão e numa
     mediclina (espécie de
     ponteiro).O astrolábio náutico
     era uma versão simplificada do
     tradicional e tinha a
Necessidade de novos
mercados consumidores   N
Já utilizavam a pólvora nas armas
de fogo, dando mais segurança às
expedições.
imprensa serviu para divulgar os conhecimentos
    e ampliou o número de cartas náuticas.
pioneiros: os dois
primeiros países que
   possuíam essas
condições favoráveis
   eram Portugal e
      Espanha.
IDEIAS

Portugal, conhecedor de que as
Índias (como genericamente era
chamado o Oriente), ficava a
Leste, decidiu navegar nessa
direção, contornando os obstáculos
que fossem surgindo. Optou pelo
Ciclo    Oriental.    (costear   a
              África)
RAZÕES DO PIONEIRISMO
           PORTGUES
Formação precoce de uma monarquia centralizada graças à
guerra de Reconquista, contra os muçulmanos;
Localização geográfica favorável, no extremo sul da
Europa, com fácil acesso para o Atlântico e para o continente
africano;
Formação de uma classe mercantil mais dinâmica que a velha
nobreza feudal, facilitando a modernização da monarquia.
 Período de inovações técnicas através da influência árabe, foram
divulgados e aperfeiçoados diversos conhecimentos: algarismos
arábicos ,bússola, pólvora, papel. Com a invenção de imprensa, esses
conhecimentos ganhavam maior divulgação.
A grande experiência em navegações, principalmente da pesca,
COM caravelas,
Portugal contou com uma quantidade significativa de investimentos
de capital vindos da burguesia e também da nobreza, interessadas
ESCOLA DE SAGRES
Rosa dos ventos da fortaleza de Sagres, no
Algarve, Portugal.
4.1. Planejamento das Navegações:
Primeira conquista deveria ser de Ceuta: (1415) era muçulmana e muito
      rica e por isso serviria para financiar as outras expedições.
4.2. Os descobrimentos
                      portugueses:
1415 conquistaram Ceutadurante o século XV o litoral da África e Ilha da
Madeira, Açores, Cabo Verde e Cabo Bojador;
  1434      –      os     portugueses       chegaram       ao     Cabo       Bojador


•1488 Bartolomeu Dias chegou ao Sul da África, contornando o Cabo da Boa
                              Esperança;


• No ano de 1498, Portugal realiza uma das mais importantes navegações:
Vasco da Gama às Índias.
CAbral CHEGOU AO Brasil em abril de 1500. Após fazer um reconhecimento
da terra "descoberta", Cabral continuou o percurso em direção às Índias.
Em função destes acontecimentos, Portugal tornou-se a principal potência econômica da
época.
5. Navegações Espanholas
Enquanto os portugueses navegaram para as Índias contornando a
África, os espanhóis optaram por um outro caminho. O genovês
Cristovão Colombo, financiado pela Espanha, pretendia chegar às
Índias, navegando na direção oeste.
Em 1492, as caravelas espanholas partiram rumo ao oriente
navegando pelo Oceano Atlântico. Colombo tinha o conhecimento de que
nosso planeta era redondo, porém desconhecia a existência do continente
americano. Chegou em 12 de outubro de 1492 nas ilhas da América
Central, sem saber que tinha atingido um novo continente. Foi somente anos
mais tarde que o navegador Américo Vespúcio identificou aquelas terras como
sendo um continente ainda não conhecido dos europeus. Em contato com os
índios da América ( maias, incas e astecas ), os espanhóis começaram um
processo de exploração destes povos, interessados na grande quantidade de
ouro. Além de retirar as riquezas dos indígenas americanos, os espanhóis
destruíram suas culturas.
5.1. CRONOLOGIA
1492 – Colombo descobre a América
De América do Sul – descobrimento das Antilhas, Panamá e
da 1492 ate 1504
1504 – Américo Vespúcio afirmou que as terras descobertas
por Colombo eram um novo continente.
1513 – Nunes BalboaCentral chegando ao Oceano Pacífico.
por terra a América Vespúcio, deu o hipótese, atravessando
                     confirmou essa
Em homenagem a
novo continente.                     nome de América ao
Entre 1519 e 1522 circunavegação.
primeira viagem de – Fernão de Magalhães iniciou a
1ª VIAGEM DE
CIRCUNAVEGAÇÃO ESPANHOLA
5.2. Cristóvão Colombo:
COLONIAS ESPANHOLAS NA
       AMÉRICA
6. Tratado de Tordesilhas:
8. O atraso da Inglaterra,
França e Holanda nas Grandes
          Navegações
INGLATERRA
Inglaterra: além do desgaste na Guerra dos Cem Anos
(1337-1453), travada contra a França, a Inglaterra sofreu os
efeitos da Guerra das Duas Rosas (1455-85) retardando
assim sua presença nas Grandes Navegações, que somente
ocorreria a partir do reinado de Henrique VII (Tudor),
estimulada pelo êxito ibérico: com a viagem dos italianos João
e Sebastião Caboto (1497-98) foi atingido o Labrador, no
Canadá; entre 1584 e 1587, Walter Raleigh fundou a
colônia da Virgínia, o primeiro núcleo colonial inglês, além de
tentar fundar colônias na Flórida. A partir daí, e até 1740, serão
formadas as 13 colônias inglesas da América do Norte.
Um dos feitos mais importantes das navegações inglesas foi a segunda
viagem de circunavegação, realizada por Francis Drake, entre 1587 e
1590.
Como não participaram da colonização utilizavam a pirataria para lucrar.
FRANÇA
problemas que marcaram o processo de centralização
monárquica, dificultado pela nobreza, e aos efeitos
devastadores da Guerra dos Cem Anos. As Grandes
Navegações francesas começaram no século XVI, apoiadas pela
dinastia Valois e com a participação de navegadores
estrangeiros.
Em 1523, o italiano Verrazano atingiu o litoral do Canadá e o norte dos
EUA. Em seguida, Jacques Cartier penetrou o rio São Lourenço,
fundando em 1534 a colônia de Nova França, o primeiro
estabelecimento francês na América. Em 1604, já sob o governo dos
Bourbons, os franceses ocuparam a Guiana e em 1608 fundaram a
colônia de Quebec, no Canadá. Ainda neste século, penetraram o rio
Mississipi e fundaram os núcleos de Saint Louis e Nova Orleans,
embrião da colônia da Louisiana. Além disso, os franceses fizeram duas
tentativas de colonização no Brasil: no Rio de Janeiro (1555-67), com a
França Antártica, e no Maranhão (1612-15), com a França Equinocial,
ambas de curta duração. A penetração do Oriente começou no reinado
de Luís XIV com a conquista de parte da Índia.
HOLANDA
Mesmo com uma sólida tradição mercantil, os holandeses eram
dominados pela Espanha. Sua independência 1581, com o surgimento
das Províncias Unidas dos Países Baixos do Norte (Holanda).
criadas as Companhias de Comércio, das Índias Orientais (E.I.C.) e das
Indias Ocidentais (W.I.C.), responsáveis pela penetração no bloco
colonial ibérico.
Em 1626, os flamengos entraram para as Grandes Navegações e
atingiram a América do Norte, onde fundaram a colônia de Nova
Amsterdã, que depois de tomada pelos ingleses passou a se denominar
Nova York. Entre 1624 e 1654, a W.I.C. realizou duas invasões no
Nordeste brasileiro, buscando o controle da produção açucareira e, ao
mesmo tempo, incursões na África portuguesa, nas Antilhas espanholas
e no Oriente. Na América do Sul, em sua parte setentrional, criaram a
Guiana holandesa, atual Suriname. No século XVII, os holandeses
controlavam um grande império colonial, especialmente nas Índias
Orientais.
9.   As consequências da expansão
                      marítima

O deslocamento do eixo econômico europeu do Mediterrâneo para o
 Atlântico-Índico, com a ascensão dos países ibéricos e a
 consequente decadência das cidades mercantis italianas.
♦ A consolidação do Estado Absolutista, típico da Época Moderna, que
depois de patrocinar o movimento expansionista, passou agora a
usufruir dos seus lucros.,
♦ Adoção da política econômica mercantilista, baseada no
protecionismo do Estado e no regime de monopólios.
♦ A formação do Sistema Colonial Tradicional vinculado à política
econômica mercantilista e responsável pela colonização da América.
♦ O renascimento da escravidão nas áreas colônias nos moldes do
capitalismo moderno, com a utilização intensiva da força de trabalho
indígena e africana.
♦ O fortalecimento da burguesia mercantil nos países atlânticos.
♦ Início do processo de europeização do mundo, especialmente, com
a expansão do cristianismo.
♦ A destruição das avançadas civilizações pré-colombianas existentes
na América.
♦ A expansão do comércio europeu (Revolução Comercial), dentro de
uma nova noção de mercado, agora entendido em escala mundial.
♦ Aceleração da acumulação primitiva de capital, realizada através da
circulação de mercadorias.
Apresentação grandes navegações tmp

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
Isabel Aguiar
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
Nefer19
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
Douglas Barraqui
 
Descobrimento Do Brasil
Descobrimento Do  BrasilDescobrimento Do  Brasil
Descobrimento Do Brasil
Alex Ferreira dos Santos
 
Colonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américaColonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américa
Carolina Medeiros
 
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesasBrasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Revolução francesa 8º
Revolução francesa 8ºRevolução francesa 8º
Revolução francesa 8º
Vagner Roberto
 
Independência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholasIndependência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholas
Fatima Freitas
 
Colonização do Brasil
Colonização do BrasilColonização do Brasil
Colonização do Brasil
Paulo Alexandre
 
A Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias NacionaisA Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias Nacionais
Gilmar Rodrigues
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
Geová da Silva
 
Igreja e cultura medieval
Igreja e cultura medievalIgreja e cultura medieval
Igreja e cultura medieval
Marilia Pimentel
 
Expansão ultramarina
Expansão ultramarinaExpansão ultramarina
Expansão ultramarina
Fatima Freitas
 
01 colônia - expansão da colonização
01   colônia - expansão da colonização01   colônia - expansão da colonização
01 colônia - expansão da colonização
Portal do Vestibulando
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Edenilson Morais
 
Período Pré - Colonial _ Prof. Altair Aguilar
Período Pré - Colonial _ Prof. Altair AguilarPeríodo Pré - Colonial _ Prof. Altair Aguilar
Período Pré - Colonial _ Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476
Izaac Erder
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 

Mais procurados (20)

INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
Descobrimento Do Brasil
Descobrimento Do  BrasilDescobrimento Do  Brasil
Descobrimento Do Brasil
 
Colonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américaColonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américa
 
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesasBrasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
 
Revolução francesa 8º
Revolução francesa 8ºRevolução francesa 8º
Revolução francesa 8º
 
Independência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholasIndependência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholas
 
Colonização do Brasil
Colonização do BrasilColonização do Brasil
Colonização do Brasil
 
A Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias NacionaisA Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias Nacionais
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
 
Igreja e cultura medieval
Igreja e cultura medievalIgreja e cultura medieval
Igreja e cultura medieval
 
Expansão ultramarina
Expansão ultramarinaExpansão ultramarina
Expansão ultramarina
 
01 colônia - expansão da colonização
01   colônia - expansão da colonização01   colônia - expansão da colonização
01 colônia - expansão da colonização
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
Período Pré - Colonial _ Prof. Altair Aguilar
Período Pré - Colonial _ Prof. Altair AguilarPeríodo Pré - Colonial _ Prof. Altair Aguilar
Período Pré - Colonial _ Prof. Altair Aguilar
 
Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476Queda do império romano do ocidente – 476
Queda do império romano do ocidente – 476
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 

Destaque

Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
Fabiana Tonsis
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
samuelbaiano
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
Henrique Tobal Jr.
 
Slides Grandes Navegações
Slides Grandes Navegações Slides Grandes Navegações
Slides Grandes Navegações
baianinhohistoriador
 
As Grandes Navegações
As Grandes NavegaçõesAs Grandes Navegações
As Grandes Navegações
Gilmar Rodrigues
 
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVIIA Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
Niela Tuani
 
Descobrimentos Portugueses
Descobrimentos PortuguesesDescobrimentos Portugueses
Descobrimentos Portugueses
João Fernandes
 
Quiz - Grandes Navegações
Quiz -  Grandes NavegaçõesQuiz -  Grandes Navegações
Quiz - Grandes Navegações
Marcela Marangon Ribeiro
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
Rodrigo Luiz
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
Janayna Lira
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
Isabel Aguiar
 
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º AnoCaderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
Patrícia Costa Grigório
 
A Expansão marítima
A Expansão marítimaA Expansão marítima
A Expansão marítima
cattonia
 
G1
G1G1
Grandes navegações século xv e xvi
Grandes navegações século xv e xviGrandes navegações século xv e xvi
Grandes navegações século xv e xvi
Izaac Erder
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
Alê Maldonado
 
Grandes navegações1
Grandes  navegações1Grandes  navegações1
Grandes navegações1
nolascovelasco
 
Bartolomeu dias
Bartolomeu dias Bartolomeu dias
Bartolomeu dias
Marco Silva
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Carla Freitas
 
Primeira guerra 2013
Primeira guerra 2013Primeira guerra 2013
Primeira guerra 2013
Fabio Salvari
 

Destaque (20)

Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
 
Slides Grandes Navegações
Slides Grandes Navegações Slides Grandes Navegações
Slides Grandes Navegações
 
As Grandes Navegações
As Grandes NavegaçõesAs Grandes Navegações
As Grandes Navegações
 
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVIIA Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
 
Descobrimentos Portugueses
Descobrimentos PortuguesesDescobrimentos Portugueses
Descobrimentos Portugueses
 
Quiz - Grandes Navegações
Quiz -  Grandes NavegaçõesQuiz -  Grandes Navegações
Quiz - Grandes Navegações
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
 
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º AnoCaderno Pedagógico de História - 7º Ano
Caderno Pedagógico de História - 7º Ano
 
A Expansão marítima
A Expansão marítimaA Expansão marítima
A Expansão marítima
 
G1
G1G1
G1
 
Grandes navegações século xv e xvi
Grandes navegações século xv e xviGrandes navegações século xv e xvi
Grandes navegações século xv e xvi
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
 
Grandes navegações1
Grandes  navegações1Grandes  navegações1
Grandes navegações1
 
Bartolomeu dias
Bartolomeu dias Bartolomeu dias
Bartolomeu dias
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Primeira guerra 2013
Primeira guerra 2013Primeira guerra 2013
Primeira guerra 2013
 

Semelhante a Apresentação grandes navegações tmp

Expansão mapas
Expansão mapasExpansão mapas
Expansão mapas
Julia Selistre
 
Expansão mapas
Expansão mapasExpansão mapas
Expansão mapas
Julia Selistre
 
Plano grandes navegações tmp
Plano grandes navegações tmpPlano grandes navegações tmp
Plano grandes navegações tmp
Péricles Penuel
 
Expansões Européias
Expansões EuropéiasExpansões Européias
Expansões Européias
IsabellyViana
 
As Grandes Navegações
As Grandes NavegaçõesAs Grandes Navegações
As Grandes Navegações
Henrique Tobal Jr.
 
2 navegacoes
2 navegacoes2 navegacoes
2 navegacoes
Paulo Alexandre
 
O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
danielafirmino3
 
E1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeuE1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeu
Vítor Santos
 
E1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeuE1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeu
Vítor Santos
 
Expansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IIExpansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João II
Lucilia Fonseca
 
Expansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IIExpansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João II
Lucilia Fonseca
 
Grandes nvegaçoes
Grandes nvegaçoesGrandes nvegaçoes
Grandes nvegaçoes
Dismael Sagás
 
Revisão de história 1º ano
Revisão de história 1º anoRevisão de história 1º ano
Revisão de história 1º ano
eunamahcado
 
Slides - As Grandes Navegações
Slides -  As Grandes NavegaçõesSlides -  As Grandes Navegações
Slides - As Grandes Navegações
Leonardo Lira
 
Expansão maritima 4 ano
Expansão maritima 4 anoExpansão maritima 4 ano
Expansão maritima 4 ano
Gilvan Aragão
 
Expansaomaritimaeuropeia
ExpansaomaritimaeuropeiaExpansaomaritimaeuropeia
Expansaomaritimaeuropeia
Alessandro Varela Dos Santos
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
Nilton Sá
 
Portugal no século XV - Descobrimentos
Portugal no século XV - DescobrimentosPortugal no século XV - Descobrimentos
Portugal no século XV - Descobrimentos
131121
 
Expansão maritima
Expansão maritimaExpansão maritima
Expansão maritima
Vinicius Oliveira Amaral
 
AS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdf
AS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdfAS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdf
AS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdf
MariaAparecidaFerrei84
 

Semelhante a Apresentação grandes navegações tmp (20)

Expansão mapas
Expansão mapasExpansão mapas
Expansão mapas
 
Expansão mapas
Expansão mapasExpansão mapas
Expansão mapas
 
Plano grandes navegações tmp
Plano grandes navegações tmpPlano grandes navegações tmp
Plano grandes navegações tmp
 
Expansões Européias
Expansões EuropéiasExpansões Européias
Expansões Européias
 
As Grandes Navegações
As Grandes NavegaçõesAs Grandes Navegações
As Grandes Navegações
 
2 navegacoes
2 navegacoes2 navegacoes
2 navegacoes
 
O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
 
E1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeuE1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeu
 
E1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeuE1 o expansionismo europeu
E1 o expansionismo europeu
 
Expansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IIExpansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João II
 
Expansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IIExpansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João II
 
Grandes nvegaçoes
Grandes nvegaçoesGrandes nvegaçoes
Grandes nvegaçoes
 
Revisão de história 1º ano
Revisão de história 1º anoRevisão de história 1º ano
Revisão de história 1º ano
 
Slides - As Grandes Navegações
Slides -  As Grandes NavegaçõesSlides -  As Grandes Navegações
Slides - As Grandes Navegações
 
Expansão maritima 4 ano
Expansão maritima 4 anoExpansão maritima 4 ano
Expansão maritima 4 ano
 
Expansaomaritimaeuropeia
ExpansaomaritimaeuropeiaExpansaomaritimaeuropeia
Expansaomaritimaeuropeia
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
 
Portugal no século XV - Descobrimentos
Portugal no século XV - DescobrimentosPortugal no século XV - Descobrimentos
Portugal no século XV - Descobrimentos
 
Expansão maritima
Expansão maritimaExpansão maritima
Expansão maritima
 
AS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdf
AS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdfAS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdf
AS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdf
 

Mais de Péricles Penuel

Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
Péricles Penuel
 
Arte egípicia
Arte egípiciaArte egípicia
Arte egípicia
Péricles Penuel
 
éTica capitulo 6
éTica capitulo 6éTica capitulo 6
éTica capitulo 6
Péricles Penuel
 
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Péricles Penuel
 
3 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 20133 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 2013
Péricles Penuel
 
1 diversidade da vida
1 diversidade da vida1 diversidade da vida
1 diversidade da vida
Péricles Penuel
 
Lista 1 2013 escalas termométricas
Lista 1 2013   escalas termométricasLista 1 2013   escalas termométricas
Lista 1 2013 escalas termométricas
Péricles Penuel
 
Aula 2 população
Aula 2   populaçãoAula 2   população
Aula 2 população
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
Péricles Penuel
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
Péricles Penuel
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
Péricles Penuel
 
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano   frente 2 - procariontesBiologia 2º ano   frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
Péricles Penuel
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
Aula 1 o brasil
Aula 1   o brasilAula 1   o brasil
Aula 1 o brasil
Péricles Penuel
 
Entradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmpEntradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmp
Péricles Penuel
 
Plano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmpPlano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmp
Péricles Penuel
 

Mais de Péricles Penuel (20)

Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
 
Arte egípicia
Arte egípiciaArte egípicia
Arte egípicia
 
éTica capitulo 6
éTica capitulo 6éTica capitulo 6
éTica capitulo 6
 
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
 
3 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 20133 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 2013
 
1 diversidade da vida
1 diversidade da vida1 diversidade da vida
1 diversidade da vida
 
Lista 1 2013 escalas termométricas
Lista 1 2013   escalas termométricasLista 1 2013   escalas termométricas
Lista 1 2013 escalas termométricas
 
Aula 2 população
Aula 2   populaçãoAula 2   população
Aula 2 população
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
 
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano   frente 2 - procariontesBiologia 2º ano   frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
Aula 1 o brasil
Aula 1   o brasilAula 1   o brasil
Aula 1 o brasil
 
Entradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmpEntradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmp
 
Plano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmpPlano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmp
 

Apresentação grandes navegações tmp

  • 2. 1.Introdução Durante os séculos XV e XVI, os europeus, principalmente portugueses e espanhóis, lançaram-se nos oceanos Pacífico, Índico e Atlântico com dois objetivos principais : descobrir uma nova rota marítima para as Índias e encontrar novas terras. Este período ficou conhecido como a Era das Grandes Navegações e Descobrimentos Marítimos.
  • 3. 2. Fatores que contribuíram para expansão marítima:
  • 4. Encontrar um novo caminho para as Índias:
  • 5.
  • 7. Aumentar o número de fiéis:
  • 8. Conhecimento de novas técnicas, bússola
  • 9.
  • 10.
  • 11. ASTROLÁBIO O astrolábio era um antigo instrumento para medir a altura dos astros acima do horizonte, utilizado na Idade Média para fins astrológicos e astronômicos. Também era utilizado para resolver problemas geométricos, como calcular a altura de um edifício ou a profundidade de um poço. Era formado por disco de latão graduado na sua borda, num anel de suspensão e numa mediclina (espécie de ponteiro).O astrolábio náutico era uma versão simplificada do tradicional e tinha a
  • 13. Já utilizavam a pólvora nas armas de fogo, dando mais segurança às expedições.
  • 14. imprensa serviu para divulgar os conhecimentos e ampliou o número de cartas náuticas.
  • 15. pioneiros: os dois primeiros países que possuíam essas condições favoráveis eram Portugal e Espanha.
  • 16. IDEIAS Portugal, conhecedor de que as Índias (como genericamente era chamado o Oriente), ficava a Leste, decidiu navegar nessa direção, contornando os obstáculos que fossem surgindo. Optou pelo Ciclo Oriental. (costear a África)
  • 17.
  • 18.
  • 19. RAZÕES DO PIONEIRISMO PORTGUES Formação precoce de uma monarquia centralizada graças à guerra de Reconquista, contra os muçulmanos; Localização geográfica favorável, no extremo sul da Europa, com fácil acesso para o Atlântico e para o continente africano; Formação de uma classe mercantil mais dinâmica que a velha nobreza feudal, facilitando a modernização da monarquia. Período de inovações técnicas através da influência árabe, foram divulgados e aperfeiçoados diversos conhecimentos: algarismos arábicos ,bússola, pólvora, papel. Com a invenção de imprensa, esses conhecimentos ganhavam maior divulgação. A grande experiência em navegações, principalmente da pesca, COM caravelas, Portugal contou com uma quantidade significativa de investimentos de capital vindos da burguesia e também da nobreza, interessadas
  • 20.
  • 21.
  • 23. Rosa dos ventos da fortaleza de Sagres, no Algarve, Portugal.
  • 24. 4.1. Planejamento das Navegações: Primeira conquista deveria ser de Ceuta: (1415) era muçulmana e muito rica e por isso serviria para financiar as outras expedições.
  • 25. 4.2. Os descobrimentos portugueses: 1415 conquistaram Ceutadurante o século XV o litoral da África e Ilha da Madeira, Açores, Cabo Verde e Cabo Bojador; 1434 – os portugueses chegaram ao Cabo Bojador •1488 Bartolomeu Dias chegou ao Sul da África, contornando o Cabo da Boa Esperança; • No ano de 1498, Portugal realiza uma das mais importantes navegações: Vasco da Gama às Índias. CAbral CHEGOU AO Brasil em abril de 1500. Após fazer um reconhecimento da terra "descoberta", Cabral continuou o percurso em direção às Índias. Em função destes acontecimentos, Portugal tornou-se a principal potência econômica da época.
  • 26.
  • 27.
  • 28. 5. Navegações Espanholas Enquanto os portugueses navegaram para as Índias contornando a África, os espanhóis optaram por um outro caminho. O genovês Cristovão Colombo, financiado pela Espanha, pretendia chegar às Índias, navegando na direção oeste. Em 1492, as caravelas espanholas partiram rumo ao oriente navegando pelo Oceano Atlântico. Colombo tinha o conhecimento de que nosso planeta era redondo, porém desconhecia a existência do continente americano. Chegou em 12 de outubro de 1492 nas ilhas da América Central, sem saber que tinha atingido um novo continente. Foi somente anos mais tarde que o navegador Américo Vespúcio identificou aquelas terras como sendo um continente ainda não conhecido dos europeus. Em contato com os índios da América ( maias, incas e astecas ), os espanhóis começaram um processo de exploração destes povos, interessados na grande quantidade de ouro. Além de retirar as riquezas dos indígenas americanos, os espanhóis destruíram suas culturas.
  • 29. 5.1. CRONOLOGIA 1492 – Colombo descobre a América De América do Sul – descobrimento das Antilhas, Panamá e da 1492 ate 1504 1504 – Américo Vespúcio afirmou que as terras descobertas por Colombo eram um novo continente. 1513 – Nunes BalboaCentral chegando ao Oceano Pacífico. por terra a América Vespúcio, deu o hipótese, atravessando confirmou essa Em homenagem a novo continente. nome de América ao Entre 1519 e 1522 circunavegação. primeira viagem de – Fernão de Magalhães iniciou a
  • 30.
  • 34.
  • 35. 6. Tratado de Tordesilhas:
  • 36.
  • 37.
  • 38. 8. O atraso da Inglaterra, França e Holanda nas Grandes Navegações
  • 39. INGLATERRA Inglaterra: além do desgaste na Guerra dos Cem Anos (1337-1453), travada contra a França, a Inglaterra sofreu os efeitos da Guerra das Duas Rosas (1455-85) retardando assim sua presença nas Grandes Navegações, que somente ocorreria a partir do reinado de Henrique VII (Tudor), estimulada pelo êxito ibérico: com a viagem dos italianos João e Sebastião Caboto (1497-98) foi atingido o Labrador, no Canadá; entre 1584 e 1587, Walter Raleigh fundou a colônia da Virgínia, o primeiro núcleo colonial inglês, além de tentar fundar colônias na Flórida. A partir daí, e até 1740, serão formadas as 13 colônias inglesas da América do Norte. Um dos feitos mais importantes das navegações inglesas foi a segunda viagem de circunavegação, realizada por Francis Drake, entre 1587 e 1590. Como não participaram da colonização utilizavam a pirataria para lucrar.
  • 40. FRANÇA problemas que marcaram o processo de centralização monárquica, dificultado pela nobreza, e aos efeitos devastadores da Guerra dos Cem Anos. As Grandes Navegações francesas começaram no século XVI, apoiadas pela dinastia Valois e com a participação de navegadores estrangeiros. Em 1523, o italiano Verrazano atingiu o litoral do Canadá e o norte dos EUA. Em seguida, Jacques Cartier penetrou o rio São Lourenço, fundando em 1534 a colônia de Nova França, o primeiro estabelecimento francês na América. Em 1604, já sob o governo dos Bourbons, os franceses ocuparam a Guiana e em 1608 fundaram a colônia de Quebec, no Canadá. Ainda neste século, penetraram o rio Mississipi e fundaram os núcleos de Saint Louis e Nova Orleans, embrião da colônia da Louisiana. Além disso, os franceses fizeram duas tentativas de colonização no Brasil: no Rio de Janeiro (1555-67), com a França Antártica, e no Maranhão (1612-15), com a França Equinocial, ambas de curta duração. A penetração do Oriente começou no reinado de Luís XIV com a conquista de parte da Índia.
  • 41. HOLANDA Mesmo com uma sólida tradição mercantil, os holandeses eram dominados pela Espanha. Sua independência 1581, com o surgimento das Províncias Unidas dos Países Baixos do Norte (Holanda). criadas as Companhias de Comércio, das Índias Orientais (E.I.C.) e das Indias Ocidentais (W.I.C.), responsáveis pela penetração no bloco colonial ibérico. Em 1626, os flamengos entraram para as Grandes Navegações e atingiram a América do Norte, onde fundaram a colônia de Nova Amsterdã, que depois de tomada pelos ingleses passou a se denominar Nova York. Entre 1624 e 1654, a W.I.C. realizou duas invasões no Nordeste brasileiro, buscando o controle da produção açucareira e, ao mesmo tempo, incursões na África portuguesa, nas Antilhas espanholas e no Oriente. Na América do Sul, em sua parte setentrional, criaram a Guiana holandesa, atual Suriname. No século XVII, os holandeses controlavam um grande império colonial, especialmente nas Índias Orientais.
  • 42.
  • 43. 9. As consequências da expansão marítima O deslocamento do eixo econômico europeu do Mediterrâneo para o Atlântico-Índico, com a ascensão dos países ibéricos e a consequente decadência das cidades mercantis italianas. ♦ A consolidação do Estado Absolutista, típico da Época Moderna, que depois de patrocinar o movimento expansionista, passou agora a usufruir dos seus lucros., ♦ Adoção da política econômica mercantilista, baseada no protecionismo do Estado e no regime de monopólios. ♦ A formação do Sistema Colonial Tradicional vinculado à política econômica mercantilista e responsável pela colonização da América. ♦ O renascimento da escravidão nas áreas colônias nos moldes do capitalismo moderno, com a utilização intensiva da força de trabalho indígena e africana. ♦ O fortalecimento da burguesia mercantil nos países atlânticos. ♦ Início do processo de europeização do mundo, especialmente, com a expansão do cristianismo. ♦ A destruição das avançadas civilizações pré-colombianas existentes na América. ♦ A expansão do comércio europeu (Revolução Comercial), dentro de uma nova noção de mercado, agora entendido em escala mundial. ♦ Aceleração da acumulação primitiva de capital, realizada através da circulação de mercadorias.