SlideShare uma empresa Scribd logo
Antigo Egito
   “O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO”.
                       HERÓDOTO.
Condições naturais e a capacidade racional da
               espécie humana.

 O Rio Nilo possuía um regime regular de cheias
 que irrigava o solo durante os meses de julho a
 novembro.

 Organização do trabalho humano: controle sobre a
 força das águas, aumento na capacidade de
 produção e modificação da natureza por meio do
 trabalho coletivo.
1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito
LOCALIZAÇÃO:

 Extremo nordeste da África;
 As margens do rio serviram para a fixação da
  população;

 Obras mais comuns:diques, canais de irrigação...
   No 1° momento: construções de pequeno porte (feita de forma
    comunitária);
   No 2° Momento: obras maiores (compondo uma organização
    mais complexa do trabalho).
ECONOMIA:

 Agricultura:
   Cevada, trigo, legumes e árvores frutíferas.

 Pecuária:
   Porcos, cabras bois e cavalos (trazidos pelos Hicsos).

 O Estado era proprietário dos meios de produção.
 Os excedentes recolhidos eram depositados em
  grandes armazéns do Estado, sua distribuição não
  era igualitária.
1° ano E.M. -  Antigo Egito
POLÍTICA:

 No primeiro momento surgiram os Nomos
  (Comunidades autônomas).
     Se espalharam pelas margens do rio Nilo.
     A fusão entre alguns Nomos originou diversas cidades.



 3500 a.C = Existem dois reinos:
     Alto Egito = ao Sul
     Baixo Egito = ao Norte.



 3200 a.C. = Unificação!
   Menés (rei do sul) conquista o norte e torna-se o
    primeiro Faraó.
   Surge uma monarquia poderosa e teocrática.
POLÍTICA:

 ANTIGO IMPÉRIO: entre 3.200 a.C. e 2.300 a.C.
   Grandes construções!
        Pirâmides do Vale de Gizé.
 Maioria da população vivia na servidão coletiva
  trabalhando na agricultura e nas obras públicas.
 Forte burocracia estatal.
 2300 a.C. = Péssimas colheitas + muitos impostos:
  resultam em várias rebeliões que levaram o Antigo
  Império ao fim.

 MÉDIO IMPÉRIO: entre 2.050 a.C. e 1.750 a.C.
   Faraós recuperam o poder dentro do Egito.
   Restabelecendo a organização anterior.
   Período de crescimento econômico e territorial.
   Hicsos (da Mesopotâmia) e Hebreus (da Palestina) penetram no
    Estado.
        Essa migração traz problemas sócio-políticos.
POLÍTICA:

 NOVO IMPÉRIO: entre 1580 a.C e 1080 a.C.
 Início da expulsão dos Hicsos.
   Período mais rico e desenvolvido dos Egípcios.

   Ocorreu a fuga (Êxodo) dos Hebreus, estes eram
    escravizados.
      Novas técnicas são implantadas como a utilização do cavalo
       e do ferro.
      Vão conquistar a Fenícia e a Síria ao Norte, chegando até ao
       rio Eufrates.
    Período de obras colossais, conhecidas obras faraônicas
     = templos Luxor, Karnak e Abusimbel.
        Amenófis IV (1372 a.C.) tenta implantar o monoteísmo, mas
         após a sua morte, Tutakamon permitiu o politeísmo.
Templo de Luxor.
POLÍTICA:

 BAIXA ÉPOCA: a partir de 1080 a.C.
    Caracterizado pelo declínio do Império ocasionado pelas
     disputas internas e ataques externos (invasão dos Assírios).
    Enfraquecimento do poder central e a independência dos
     Nomarcas.

 RENASCÍMENTO SAÍTA: (663 a.C. – 525 a.C.)
    Breve recuperação: grande desenvolvimento comercial e
     artesanal.
    Intercâmbio comercial e cultural com a Grécia.

 525 a.C. = foram invadidos pelos Persas (Batalha de
  Pelusa).
 depois foram dominados pelos: Macedônicos,
  Gregos, Romanos, Bizantinos e Árabes.
A Monarquia Egípcia.    Sociedade
                             desigual,
 Despótica:
                            estamental
  autoritária.
                                ou
                           estratificada
 Teocrática:
  centralizada
  no poder
  divino.
A Monarquia Egípcia.

 Faraó: rei, juiz, chefe militar e grande sacerdote.         Faraó
                                                        Tutankamon


 Funcionários reais: escribas, sacerdotes e militares.


 Camada média: artesãos e comerciantes.


 Camponeses: (ou Felás) responsáveis pela manutenção
  e construção das obras do governo, além da produção
  agrícola.

 Escravos: Prestadores de serviços domésticos ou em
  minas e pedreiras.
Ciência no Antigo Egito.

 Matemática:      seu desenvolvimento possibilitou a
 construção de canais de irrigação, barragens para conter
 as cheias e as pirâmides.

 Arquitetura:     de proporções gigantescas,        larga
 utilização da pedra como matéria prima.

 Medicina: o processo de mumificação levou a um
 conhecimento mais apurado do corpo humano, além do
 diagnóstico de algumas doenças e a descoberta de
 remédio para curá-las.

 Pinturas e Esculturas.

                                         Busto de
                                         Nefertiti
Escrita Hieróglifa:

 Do grego, escrita sagrada:
 Símbolos     egípcios    também       denominados
 pictogramas, era um complexo sistema de escrita,
 exigiu dos escribas uma simplificação:

    Hierática: letra cursiva, resultante da união dos hieróglifos ;

    Demótica: de uso comum, abreviação dos hieróglifos.


 Escribas: pequena parcela da população que sabia
 ler e escrever, possuíam imenso prestígio perante a
 sociedade.
Escrita Hieróglifa
O Papiro:
 Encontrado em pântanos e às
  margens do rio Nilo;
 Material    utilizado    para  a
  produção       de     documentos
  escritos;
 Utilizado também em construção
  de casas e de embarcações.
 Politeísta: vários deuses;
 Antropozoomórfica: deuses com formas de humanos,
  animais ou os dois juntos;
 Alguns deuses representados pelas forças da
  natureza;
 Acreditavam na imortalidade da alma, no juízo final
  e no retorno da alma ao mesmo corpo.
 Construíam Pirâmides, Mastabas e Hipogeus para
  câmaras funerárias.
Processo de
mumificação
Mastabas.   Templo de Abu Simbel
1° ano E.M. -  Antigo Egito
CULTURA:
 Quase a totalidade das obras de arte           Obras Literárias:
  tinham funções num              contexto          Forte ideologia religiosa e
  religioso e político.                              moral.
                                                    Ex: O Livro dos Mortos.
 Arquitetura:
   Destacaram-se as pirâmides gigantescas;
   Os Hipogeus (subterrâneos);
                                                 Ciências:
   Mastabas (trapezoidal)                          Caráter prático pautado
 Esculturas:                                        nos cálculos e previsões das
   Lei  da frontalidade (corpo humano               cheias do Nilo.
    representado de frente e dividido em duas       Destacaram-se em algumas
    partes iguais);
   Hieratismo (rigidez, contenção).
                                                     áreas como:
 Pinturas:                                             Química;
   Técnicas do Afresco.                                Matemática;
   Representavam o cotidiano.
                                                        Astronomia;
                                                        Medicina
Fim..

VÍDEO: DEUSES DO EGITO.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
Daniel Alves Bronstrup
 
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e RomaAntiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
Marilia Pimentel
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
O egito antigo
O egito antigoO egito antigo
O egito antigo
Espanhol Puríssimo
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
Douglas Barraqui
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
Eloy Souza
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
alinemaiahistoria
 
Mapa mental sobre o Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Mapa mental sobre o   Feudalismo, Grécia Antiga e RomaMapa mental sobre o   Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Mapa mental sobre o Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Jéssica Frontelli
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
cattonia
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
Fatima Freitas
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
Nila Michele Bastos Santos
 
1° ano império romano - completo
1° ano    império romano - completo1° ano    império romano - completo
1° ano império romano - completo
Daniel Alves Bronstrup
 
O que é historia
O que é historiaO que é historia
O que é historia
alinemaiahistoria
 
Egito slide
Egito slideEgito slide
Egito slide
Isabel Aguiar
 
O Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANOO Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANO
Diego Bian Filo Moreira
 
Civilização Grega aula 01
Civilização Grega   aula 01Civilização Grega   aula 01
Civilização Grega aula 01
Daniel Alves Bronstrup
 
Astecas maias e incas
Astecas maias e incasAstecas maias e incas
Astecas maias e incas
Fabiana Tonsis
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
Fatima Freitas
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Aulas de História
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
Fatima Freitas
 

Mais procurados (20)

1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
 
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e RomaAntiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
O egito antigo
O egito antigoO egito antigo
O egito antigo
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
 
Mapa mental sobre o Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Mapa mental sobre o   Feudalismo, Grécia Antiga e RomaMapa mental sobre o   Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Mapa mental sobre o Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
 
1° ano império romano - completo
1° ano    império romano - completo1° ano    império romano - completo
1° ano império romano - completo
 
O que é historia
O que é historiaO que é historia
O que é historia
 
Egito slide
Egito slideEgito slide
Egito slide
 
O Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANOO Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANO
 
Civilização Grega aula 01
Civilização Grega   aula 01Civilização Grega   aula 01
Civilização Grega aula 01
 
Astecas maias e incas
Astecas maias e incasAstecas maias e incas
Astecas maias e incas
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
Pré História
Pré   História Pré   História
Pré História
 

Destaque

Religião egipcia
Religião egipciaReligião egipcia
Religião egipcia
Carlos Vieira
 
Religião egípcia
Religião egípciaReligião egípcia
Religião egípcia
Maria Gomes
 
Deuses egípcios Rita Rosado
Deuses egípcios  Rita RosadoDeuses egípcios  Rita Rosado
Deuses egípcios Rita Rosado
ceufaias
 
Deuses EgíPcios
Deuses EgíPciosDeuses EgíPcios
Deuses EgíPcios
Sílvia Mendonça
 
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedadeEgito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Carlos Pinheiro
 
Antigo Egito - A religião egípcia
Antigo Egito - A religião egípciaAntigo Egito - A religião egípcia
Antigo Egito - A religião egípcia
Carlos Pinheiro
 
Trabalho de história do Egito
Trabalho de história do EgitoTrabalho de história do Egito
Trabalho de história do Egito
Fátima da História
 
O Antigo Egipto
O Antigo EgiptoO Antigo Egipto
O Antigo Egipto
CPH
 
Organizações produtivas
Organizações produtivasOrganizações produtivas
Organizações produtivas
Márcia Sousa
 
Egito história da arte 7º ano
Egito história da arte 7º anoEgito história da arte 7º ano
Egito história da arte 7º ano
josivaldopassos
 
Deuses do egito
Deuses do egitoDeuses do egito
Deuses do egito
Maria Martim Gabriel
 
A escrita egípcia
A escrita egípciaA escrita egípcia
A escrita egípcia
Carlos Vieira
 
Aula Egito Babil Heb
Aula Egito Babil HebAula Egito Babil Heb
Aula Egito Babil Heb
Lucas Nunes de Souza
 
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumériosOs deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
Robson Rocha
 
Escrita e numeração egípcia
Escrita e numeração egípciaEscrita e numeração egípcia
Escrita e numeração egípcia
Doug Caesar
 
Povos e impérios da Mesopotâmia
Povos e impérios da MesopotâmiaPovos e impérios da Mesopotâmia
Povos e impérios da Mesopotâmia
Queila Tomaz Alves
 
Antigo Egito
Antigo EgitoAntigo Egito
Antigo Egito
Josefa Libório
 
Os deuses do egito, religião
Os deuses do egito, religiãoOs deuses do egito, religião
Os deuses do egito, religião
Robson Rocha
 
Ficha de Trabalho - O Egito
Ficha de Trabalho - O EgitoFicha de Trabalho - O Egito
Ficha de Trabalho - O Egito
Patrícia Morais
 

Destaque (19)

Religião egipcia
Religião egipciaReligião egipcia
Religião egipcia
 
Religião egípcia
Religião egípciaReligião egípcia
Religião egípcia
 
Deuses egípcios Rita Rosado
Deuses egípcios  Rita RosadoDeuses egípcios  Rita Rosado
Deuses egípcios Rita Rosado
 
Deuses EgíPcios
Deuses EgíPciosDeuses EgíPcios
Deuses EgíPcios
 
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedadeEgito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
 
Antigo Egito - A religião egípcia
Antigo Egito - A religião egípciaAntigo Egito - A religião egípcia
Antigo Egito - A religião egípcia
 
Trabalho de história do Egito
Trabalho de história do EgitoTrabalho de história do Egito
Trabalho de história do Egito
 
O Antigo Egipto
O Antigo EgiptoO Antigo Egipto
O Antigo Egipto
 
Organizações produtivas
Organizações produtivasOrganizações produtivas
Organizações produtivas
 
Egito história da arte 7º ano
Egito história da arte 7º anoEgito história da arte 7º ano
Egito história da arte 7º ano
 
Deuses do egito
Deuses do egitoDeuses do egito
Deuses do egito
 
A escrita egípcia
A escrita egípciaA escrita egípcia
A escrita egípcia
 
Aula Egito Babil Heb
Aula Egito Babil HebAula Egito Babil Heb
Aula Egito Babil Heb
 
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumériosOs deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
 
Escrita e numeração egípcia
Escrita e numeração egípciaEscrita e numeração egípcia
Escrita e numeração egípcia
 
Povos e impérios da Mesopotâmia
Povos e impérios da MesopotâmiaPovos e impérios da Mesopotâmia
Povos e impérios da Mesopotâmia
 
Antigo Egito
Antigo EgitoAntigo Egito
Antigo Egito
 
Os deuses do egito, religião
Os deuses do egito, religiãoOs deuses do egito, religião
Os deuses do egito, religião
 
Ficha de Trabalho - O Egito
Ficha de Trabalho - O EgitoFicha de Trabalho - O Egito
Ficha de Trabalho - O Egito
 

Semelhante a 1° ano E.M. - Antigo Egito

3° ano EM - Antigo Egito - antiguidade oriental 01
3° ano EM - Antigo Egito - antiguidade oriental 013° ano EM - Antigo Egito - antiguidade oriental 01
3° ano EM - Antigo Egito - antiguidade oriental 01
Daniel Alves Bronstrup
 
1ano-antigoegito-120326132838-phpapp02.pdf
1ano-antigoegito-120326132838-phpapp02.pdf1ano-antigoegito-120326132838-phpapp02.pdf
1ano-antigoegito-120326132838-phpapp02.pdf
Elizeu filho
 
Egito Antigo - 1º Ano
Egito Antigo - 1º AnoEgito Antigo - 1º Ano
Egito Antigo - 1º Ano
Privada
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
evando hermes
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
evando hermes
 
Egito Antigo - alunos Politécnico
Egito Antigo - alunos PolitécnicoEgito Antigo - alunos Politécnico
Egito Antigo - alunos Politécnico
evando hermes
 
1ano-antigoegito.pptx
1ano-antigoegito.pptx1ano-antigoegito.pptx
1ano-antigoegito.pptx
RobsonCamposdeAbreu
 
AULA EGITO 2012
AULA EGITO 2012AULA EGITO 2012
AULA EGITO 2012
Jose Ribamar Santos
 
Aula egito 2012
Aula egito 2012Aula egito 2012
Aula egito 2012
Jose Ribamar Santos
 
O egito antigo
O egito antigoO egito antigo
O egito antigo
Jose Ribamar Santos
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
eiprofessor
 
Antiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completoAntiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completo
Carlos Glufke
 
Aula 4 o antigo egito
Aula 4   o antigo egitoAula 4   o antigo egito
Aula 4 o antigo egito
Profdaltonjunior
 
Aula 4 o antigo egito
Aula 4   o antigo egitoAula 4   o antigo egito
Aula 4 o antigo egito
Dalton Lopes Reis Jr.
 
Egito
EgitoEgito
O Antigo Egito
O Antigo EgitoO Antigo Egito
O Antigo Egito
Dalton Lopes Reis Jr.
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
o egito antigo
o egito antigoo egito antigo
o egito antigo
VIEIRA RESENDE
 
Aula 1 hist em
Aula 1   hist emAula 1   hist em
Aula 1 hist em
Walney M.F
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações Mesopotâmicas
João Medeiros
 

Semelhante a 1° ano E.M. - Antigo Egito (20)

3° ano EM - Antigo Egito - antiguidade oriental 01
3° ano EM - Antigo Egito - antiguidade oriental 013° ano EM - Antigo Egito - antiguidade oriental 01
3° ano EM - Antigo Egito - antiguidade oriental 01
 
1ano-antigoegito-120326132838-phpapp02.pdf
1ano-antigoegito-120326132838-phpapp02.pdf1ano-antigoegito-120326132838-phpapp02.pdf
1ano-antigoegito-120326132838-phpapp02.pdf
 
Egito Antigo - 1º Ano
Egito Antigo - 1º AnoEgito Antigo - 1º Ano
Egito Antigo - 1º Ano
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Egito Antigo - alunos Politécnico
Egito Antigo - alunos PolitécnicoEgito Antigo - alunos Politécnico
Egito Antigo - alunos Politécnico
 
1ano-antigoegito.pptx
1ano-antigoegito.pptx1ano-antigoegito.pptx
1ano-antigoegito.pptx
 
AULA EGITO 2012
AULA EGITO 2012AULA EGITO 2012
AULA EGITO 2012
 
Aula egito 2012
Aula egito 2012Aula egito 2012
Aula egito 2012
 
O egito antigo
O egito antigoO egito antigo
O egito antigo
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
 
Antiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completoAntiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completo
 
Aula 4 o antigo egito
Aula 4   o antigo egitoAula 4   o antigo egito
Aula 4 o antigo egito
 
Aula 4 o antigo egito
Aula 4   o antigo egitoAula 4   o antigo egito
Aula 4 o antigo egito
 
Egito
EgitoEgito
Egito
 
O Antigo Egito
O Antigo EgitoO Antigo Egito
O Antigo Egito
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
o egito antigo
o egito antigoo egito antigo
o egito antigo
 
Aula 1 hist em
Aula 1   hist emAula 1   hist em
Aula 1 hist em
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações Mesopotâmicas
 

Mais de Daniel Alves Bronstrup

Idade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptxIdade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptx
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas
Daniel Alves Bronstrup
 
2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa
Daniel Alves Bronstrup
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
Daniel Alves Bronstrup
 
2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira
Daniel Alves Bronstrup
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ano - iluminismo
2º ano -  iluminismo2º ano -  iluminismo
2º ano - iluminismo
Daniel Alves Bronstrup
 
1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia
Daniel Alves Bronstrup
 
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Resumão do 3ão -  Alta Idade MédiaResumão do 3ão -  Alta Idade Média
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Daniel Alves Bronstrup
 
3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
Daniel Alves Bronstrup
 
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana 3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana
Daniel Alves Bronstrup
 

Mais de Daniel Alves Bronstrup (20)

Idade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptxIdade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptx
 
2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
 
2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas
 
2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
 
2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
 
2º ano - iluminismo
2º ano -  iluminismo2º ano -  iluminismo
2º ano - iluminismo
 
1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia
 
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Resumão do 3ão -  Alta Idade MédiaResumão do 3ão -  Alta Idade Média
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
 
3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado
 
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
 
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
 
3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
 
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
 
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
 
3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana 3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana
 

1° ano E.M. - Antigo Egito

  • 1. Antigo Egito “O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO”. HERÓDOTO.
  • 2. Condições naturais e a capacidade racional da espécie humana.  O Rio Nilo possuía um regime regular de cheias que irrigava o solo durante os meses de julho a novembro.  Organização do trabalho humano: controle sobre a força das águas, aumento na capacidade de produção e modificação da natureza por meio do trabalho coletivo.
  • 6. LOCALIZAÇÃO:  Extremo nordeste da África;  As margens do rio serviram para a fixação da população;  Obras mais comuns:diques, canais de irrigação...  No 1° momento: construções de pequeno porte (feita de forma comunitária);  No 2° Momento: obras maiores (compondo uma organização mais complexa do trabalho).
  • 7. ECONOMIA:  Agricultura:  Cevada, trigo, legumes e árvores frutíferas.  Pecuária:  Porcos, cabras bois e cavalos (trazidos pelos Hicsos).  O Estado era proprietário dos meios de produção.  Os excedentes recolhidos eram depositados em grandes armazéns do Estado, sua distribuição não era igualitária.
  • 9. POLÍTICA:  No primeiro momento surgiram os Nomos (Comunidades autônomas).  Se espalharam pelas margens do rio Nilo.  A fusão entre alguns Nomos originou diversas cidades.  3500 a.C = Existem dois reinos:  Alto Egito = ao Sul  Baixo Egito = ao Norte.  3200 a.C. = Unificação!  Menés (rei do sul) conquista o norte e torna-se o primeiro Faraó.  Surge uma monarquia poderosa e teocrática.
  • 10. POLÍTICA:  ANTIGO IMPÉRIO: entre 3.200 a.C. e 2.300 a.C.  Grandes construções!  Pirâmides do Vale de Gizé.  Maioria da população vivia na servidão coletiva trabalhando na agricultura e nas obras públicas.  Forte burocracia estatal.  2300 a.C. = Péssimas colheitas + muitos impostos: resultam em várias rebeliões que levaram o Antigo Império ao fim.  MÉDIO IMPÉRIO: entre 2.050 a.C. e 1.750 a.C.  Faraós recuperam o poder dentro do Egito.  Restabelecendo a organização anterior.  Período de crescimento econômico e territorial.  Hicsos (da Mesopotâmia) e Hebreus (da Palestina) penetram no Estado.  Essa migração traz problemas sócio-políticos.
  • 11. POLÍTICA:  NOVO IMPÉRIO: entre 1580 a.C e 1080 a.C.  Início da expulsão dos Hicsos.  Período mais rico e desenvolvido dos Egípcios.  Ocorreu a fuga (Êxodo) dos Hebreus, estes eram escravizados.  Novas técnicas são implantadas como a utilização do cavalo e do ferro.  Vão conquistar a Fenícia e a Síria ao Norte, chegando até ao rio Eufrates.  Período de obras colossais, conhecidas obras faraônicas = templos Luxor, Karnak e Abusimbel.  Amenófis IV (1372 a.C.) tenta implantar o monoteísmo, mas após a sua morte, Tutakamon permitiu o politeísmo.
  • 13. POLÍTICA:  BAIXA ÉPOCA: a partir de 1080 a.C.  Caracterizado pelo declínio do Império ocasionado pelas disputas internas e ataques externos (invasão dos Assírios).  Enfraquecimento do poder central e a independência dos Nomarcas.  RENASCÍMENTO SAÍTA: (663 a.C. – 525 a.C.)  Breve recuperação: grande desenvolvimento comercial e artesanal.  Intercâmbio comercial e cultural com a Grécia.  525 a.C. = foram invadidos pelos Persas (Batalha de Pelusa).  depois foram dominados pelos: Macedônicos, Gregos, Romanos, Bizantinos e Árabes.
  • 14. A Monarquia Egípcia. Sociedade desigual,  Despótica: estamental autoritária. ou estratificada  Teocrática: centralizada no poder divino.
  • 15. A Monarquia Egípcia.  Faraó: rei, juiz, chefe militar e grande sacerdote. Faraó Tutankamon  Funcionários reais: escribas, sacerdotes e militares.  Camada média: artesãos e comerciantes.  Camponeses: (ou Felás) responsáveis pela manutenção e construção das obras do governo, além da produção agrícola.  Escravos: Prestadores de serviços domésticos ou em minas e pedreiras.
  • 16. Ciência no Antigo Egito.  Matemática: seu desenvolvimento possibilitou a construção de canais de irrigação, barragens para conter as cheias e as pirâmides.  Arquitetura: de proporções gigantescas, larga utilização da pedra como matéria prima.  Medicina: o processo de mumificação levou a um conhecimento mais apurado do corpo humano, além do diagnóstico de algumas doenças e a descoberta de remédio para curá-las.  Pinturas e Esculturas. Busto de Nefertiti
  • 17. Escrita Hieróglifa:  Do grego, escrita sagrada:  Símbolos egípcios também denominados pictogramas, era um complexo sistema de escrita, exigiu dos escribas uma simplificação:  Hierática: letra cursiva, resultante da união dos hieróglifos ;  Demótica: de uso comum, abreviação dos hieróglifos. Escribas: pequena parcela da população que sabia ler e escrever, possuíam imenso prestígio perante a sociedade.
  • 19. O Papiro:  Encontrado em pântanos e às margens do rio Nilo;  Material utilizado para a produção de documentos escritos;  Utilizado também em construção de casas e de embarcações.
  • 20.  Politeísta: vários deuses;  Antropozoomórfica: deuses com formas de humanos, animais ou os dois juntos;  Alguns deuses representados pelas forças da natureza;  Acreditavam na imortalidade da alma, no juízo final e no retorno da alma ao mesmo corpo.  Construíam Pirâmides, Mastabas e Hipogeus para câmaras funerárias.
  • 22. Mastabas. Templo de Abu Simbel
  • 24. CULTURA:  Quase a totalidade das obras de arte  Obras Literárias: tinham funções num contexto  Forte ideologia religiosa e religioso e político. moral.  Ex: O Livro dos Mortos.  Arquitetura:  Destacaram-se as pirâmides gigantescas;  Os Hipogeus (subterrâneos);  Ciências:  Mastabas (trapezoidal)  Caráter prático pautado  Esculturas: nos cálculos e previsões das  Lei da frontalidade (corpo humano cheias do Nilo. representado de frente e dividido em duas  Destacaram-se em algumas partes iguais);  Hieratismo (rigidez, contenção). áreas como:  Pinturas:  Química;  Técnicas do Afresco.  Matemática;  Representavam o cotidiano.  Astronomia;  Medicina