SlideShare uma empresa Scribd logo
COLÉGIO MILITAR DE CAMPO GRANDE – 2º ANO 2013
                                                              FÍSICA
                                                                                                             Cap Dutra
                                                                  LISTA 1
                                                          Escalas Termométricas

                                                                             A temperatura em ºY, que corresponde a 35 ºX é:
              EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
                                                                             a) 120             b) 127,5        c) 135           d) 137,5
1. Ao medir a temperatura de uma pessoa em estado febril obteve-se
40 ºC. Qual seria o valor obtido se o termômetro fosse calibrado na
escala Fahrenheit?
                                                                                            EXERCÍCIOS PROPOSTOS
2. Transforme 50 ºF em ºC.
                                                                             01 - (UEL PR) Quando Fahrenheit definiu a escala termométrica
3. Em um determinado dia, a diferença entre as temperaturas máxi-            que hoje leva o seu nome, o primeiro ponto fixo definido por ele,
ma e mínima foi de 18 ºF. De quanto é essa variação de temperatura           o 0ºF, corresponde à temperatura obtida ao se misturar uma
na escala Celsius?                                                           porção de cloreto de amônia com três porções de neve, à pres-
                                                                             são de 1atm. Qual é esta temperatura na escala Celsius?
4. Determine a temperatura que nas escalas Celsius e Fahrenheit é
expressa pelo mesmo valor numérico.                                              a)   32ºC
                                                                                 b)   273ºC
5. Assinale certo (C) ou errado (E) em cada afirmativa seguinte.                 c)   37,7ºC
                                                                                 d)   212ºC
a) [___] O limite inferior para a temperatura de um corpo é                      e)   –17,7ºC
   273 K.
                                                                             02 - (UNIFOR CE) Uma certa massa de gás perfeito sofre uma
                                                                             transformação isobárica e sua temperatura varia de 293K para
b) [___] O limite superior para a temperatura de um corpo é 0 K.             543K. A variação da temperatura do gás, nessa transformação,
                                                                             medida na escala Fahrenheit, foi de

                                                                                 a)   250°
c) [___] A temperatura é a medida da maior ou menor agitação das
                                                                                 b)   273°
   moléculas ou átomos que constituem um corpo.                                  c)   300°
                                                                                 d)   385°
                                                                                 e)   450°
6. Sêmen bovino é conservado sob temperatura de 195 ºC. Como
seria expressa essa temperatura na escala Kelvin?                            03 - (UNIFOR CE) A temperatura de determinada substância é
                                                                             50°F. A temperatura absoluta dessa substância, em kelvins, é
7. Um corpo apresentou uma variação de temperatura de 80 ºC. De
quanto foi essa variação na escala Kelvin?                                       a)   343
                                                                                 b)   323
8. Um cientista verificou que certa temperatura, obtida na escala                c)   310
Kelvin, é igual ao correspondente valor da escala Fahrenheit, acresci-           d)   283
do de 145 unidades. Essa temperatura, na escala Celsius é:                       e)   273

a) 55                                b) 60                                   04 - (UNIFOR CE) Uma escala termométrica arbitrária X atribui
c) 100                               d) 120                                  o valor 20°X para a temperatura de fusão do gelo e 80°X para a
                                                                             temperatura de ebulição da água, sob pressão normal. Quando a
9. A relação entre duas escalas de temperaturas, X e Y, é mostrada           temperatura de um ambiente sofre uma variação de 30°X, a
na figura seguinte.                                                          correspondente variação na escala Celsius é de:

                                                                                 a)   20°C
                                                                                 b)   30°C
                                                                                 c)   40°C
                                                                                 d)   50°C
                                                                                 e)   60°C

                                                                             05 - (FEPECS DF) A figura mostra a correspondência entre a
                                                                             escala Celsius e a Reaumur, usada antigamente na França.

                                                                             Mede-se a temperatura e uma criança com um termômetro
                                                                             graduado na escala Reaumur e obtém-se 32 ºR.
A temperatura em ºY, que corresponde a 50 ºX é:
                                                                             Considerando-se 36,5 ºC como a temperatura normal dos seres
                                                                             humanos, verifica-se, então, que a criança está febril, pois sua
a) 162            b) 122             c) 94              d) 90
                                                                             temperatura, em graus Celsius, é de:
10. O gráfico seguinte representa a relação entre duas escalas ter-
                                                                                 a)   38ºC;
mométricas X e Y.
                                                                                 b)   38,5ºC;
                                                                                 c)   39ºC;
                                                                                 d)   39,5ºC;
                                                                                 e)   40ºC.




                                                                         1
COLÉGIO MILITAR DE CAMPO GRANDE – 2º ANO 2013
                                                            FÍSICA
                                                                                                         Cap Dutra
                                                              LISTA 1
                                                      Escalas Termométricas

06 - (UFF RJ) Um turista brasileiro, ao desembarcar no aeroporto         10 - (UNIFOR CE) Um estudante construiu uma escala de tem-
de Chicago, observou que o valor da temperatura lá indicado, em          peratura E atribuindo o valor 0°E à temperatura equivalente a
°F, era um quinto do valor correspondente em °C.                         20°C e o valor 100°E à temperatura equivalente a 104°F. Quan-
O valor observado foi:                                                   do um termômetro graduado na escala E indicar 25°E, outro
                                                                         termômetro graduado na escala Fahrenheit indicará:
    a)   - 2 °F
    b)   2 °F                                                                a)   85
    c)   4 °F                                                                b)   77
    d)   0 °F                                                                c)   70
    e)   - 4 °F                                                              d)   64
                                                                             e)   60
07 - (UFF RJ) Quando se deseja realizar experimentos a baixas
temperaturas, é muito comum a utilização de nitrogênio líquido           11 - (FATEC SP) Uma escala termométrica arbitrária X atribui o
como refrigerante, pois seu ponto normal de ebulição é de - 196          valor –20 ºX para a temperatura de fusão do gelo e 120 ºX para a
ºC.                                                                      temperatura de ebulição da água, sob pressão normal. A tempera-
Na escala Kelvin, esta temperatura vale:                                 tura em que a escala X dá a mesma indicação que a Celsius é:

    a)   77 K                                                                a)   80                                 b) 70
    b)   100 K                                                               c)   50                                 d) 30
    c)   196 K                                                               e)   10
    d)   273 K
    e)   469 K                                                           12 - (PUC PR) Um termômetro foi construído de tal modo que a
                                                                         0ºC e 100ºC da escala Celsius corresponde –5ºY e 105ºY, respec-
08 - (UNIFESP SP) Quando se mede a temperatura do corpo                  tivamente.
humano com um termômetro clínico de mercúrio em vidro, pro-              Qual a temperatura de mesmo valor numérico nas duas escalas?
cura-se colocar o bulbo do termômetro em contato direto com
regiões mais próximas do interior do corpo e manter o termôme-               a)   45º
tro assim durante algum tempo, antes de fazer a leitura. Esses               b)   48º
dois procedimentos são necessários porque:                                   c)   50º
                                                                             d)   52º
    a)   o equilíbrio térmico só é possível quando há contato di-            e)   55º
         reto entre dois corpos e porque demanda sempre algum
         tempo para que a troca de calor entre o corpo humano
         e o termômetro se efetive.                                      13 - (PUC PR) O gráfico ao lado
    b)   é preciso reduzir a interferência da pele, órgão que re-        mostra a relação entre duas escalas
         gula a temperatura interna do corpo, e porque deman-            termométricas, sendo uma Celsius e
         da sempre algum tempo para que a troca de calor entre           a outra, "X". Com base nos dados
         o corpo humano e o termômetro se efetive.                       nele contido, determine a temperatu-
    c)   o equilíbrio térmico só é possível quando há contato di-        ra em que ambas as escalas acusem
         reto entre dois corpos e porque é preciso evitar a inter-       uma mesma leitura.
         ferência do calor específico médio do corpo humano.
    d)   é preciso reduzir a interferência da pele, órgão que re-            a)   -75°
         gula a temperatura interna do corpo, e porque o calor               b)   -18°
         específico médio do corpo humano é muito menor que o                c)   18°
         do mercúrio e do vidro.                                             d)   25°
    e)   o equilíbrio térmico só é possível quando há contato di-            e)   75°
         reto entre dois corpos e porque é preciso reduzir a in-
         terferência da pele, órgão que regula a temperatura in-         14 - (UFMS) Através de experimentos, biólogos observaram
         terna do corpo.                                                 que a taxa de canto de grilos de uma determinada espécie esta-
                                                                         va relacionada com a temperatura ambiente de uma maneira
09 - (FATEC SP) Lord Kelvin (título de nobreza dado ao célebre           que poderia ser considerada linear. Experiências mostraram que,
físico William Thompson, 1824-1907) estabeleceu uma associa-             a uma temperatura de 21º C, os grilos cantavam, em média,
ção entre a energia de agitação das moléculas de um sistema e            120 vezes por minuto; e, a uma
a sua temperatura.                                                       temperatura de 26º C, os grilos
Deduziu que a uma temperatura de -273,15 ºC, também cha-                 cantavam, em média, 180 ve-
mada de zero absoluto, a agitação térmica das moléculas deve-            zes por minuto. Considerando T
ria cessar.                                                              a temperatura em graus Celsius
Considere um recipiente com gás, fechado e de variação de                e n o número de vezes que os
volume desprezível nas condições do problema e, por comodida-            grilos cantavam por minuto,
de, que o zero absoluto corresponde a –273 ºC.                           podemos representar a relação
É correto afirmar:                                                       entre T e n pelo gráfico abaixo.

    a)   O estado de agitação é o mesmo para as temperaturas             Supondo que os grilos estivessem cantando, em média, 156
         de 100 ºC e 100 K.                                              vezes por minuto, de acordo com o modelo sugerido nesta ques-
    b)   À temperatura de 0 ºC o estado de agitação das molé-            tão, estima-se que a temperatura deveria ser igual a:
         culas é o mesmo que a 273 K.
    c)   As moléculas estão mais agitadas a –173 ºC do que a –               a)   21,5º   C.
         127 ºC.                                                             b)   22º C   .
    d)   A -32 ºC as moléculas estão menos agitadas que a 241                c)   23º C   .
         K.                                                                  d)   24º C   .
    e)   A 273 K as moléculas estão mais agitadas que a 100 ºC.              e)   25,5º   C.


                                                                     2
COLÉGIO MILITAR DE CAMPO GRANDE – 2º ANO 2013
                                                          FÍSICA
                                                                                               Cap Dutra
                                                            LISTA 1
                                                    Escalas Termométricas

15 – (Makenzie SP) Para medir a temperatura de um certo
corpo, utilizou-se um termômetro graduado na escala Fahrenheit
e o valor obtido correspondeu a 5/4 da indicação de um termô-
metro graduado na escala Celsius, para o mesmo estado térmi-
co. Se a escala adotada tivesse sido a Kelvin, esta temperatura
seria indicada por:

    a)   305 K
    b)   273 K
    c)   241 K
    d)   32 K
    e)   25,6 K


16 – (UFPA) Em um certo instante a temperatura de um corpo,
medida na escala Kelvin, foi de 300 K. Decorrido um certo tem-
po, mediu-se a temperatura desse mesmo corpo e o termômetro
indicou 68 ºF. A variação de temperatura sofrida pelo corpo,
medida na escala Celsius, foi de:

    a)   – 32 ºC
    b)   – 5 ºC
    c)   – 7 ºC
    d)   – 12 ºC
    e)   368 ºC




                                                                       GABARITO
                                                                      EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO:
                                                                      1)   104 ºF               2) 10 ºC
                                                                      3)   10 ºC                4) 40º
                                                                      5)   EEC                  6) 78 K
                                                                      7)   80 ºC                8) D
                                                                      9)   B                    10) D

                                                                      EXERCÍCIOS PROPOSTOS:
                                                                      1) E          2) E        3) D       4) D
                                                                      5) E          6) E        7) A       8) B
                                                                      9) B          10) B       11) C      12) C
                                                                      13) A         14) D       15) C      16) C



                                                                  3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exercícios função de 2° grau 2p
Exercícios função de 2° grau 2pExercícios função de 2° grau 2p
Exercícios função de 2° grau 2p
Kamilla Oliveira
 
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano ilton bruno
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano   ilton bruno1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano   ilton bruno
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano ilton bruno
Ilton Bruno
 
Lista de exercícios - conjuntos - 6º ano
Lista de exercícios  - conjuntos - 6º anoLista de exercícios  - conjuntos - 6º ano
Lista de exercícios - conjuntos - 6º ano
Anderson C. Rosa
 
Exercícios monomios extra 8º ano
Exercícios monomios extra   8º anoExercícios monomios extra   8º ano
Exercícios monomios extra 8º ano
Adriano Capilupe
 
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoGabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Edson Marcos Silva
 
SIMULADO - RADICIAÇÃO
SIMULADO - RADICIAÇÃOSIMULADO - RADICIAÇÃO
SIMULADO - RADICIAÇÃO
Hélio Rocha
 
Lista de Exercícios – Juros Simples
Lista de Exercícios – Juros Simples Lista de Exercícios – Juros Simples
Lista de Exercícios – Juros Simples
Everton Moraes
 
Lista 01 exercícios de função do 1º grau
Lista 01 exercícios de função do 1º grauLista 01 exercícios de função do 1º grau
Lista 01 exercícios de função do 1º grau
Manoel Silva
 
Soma dos ângulos internos de um triângulo gabarito
Soma dos ângulos internos de um triângulo gabaritoSoma dos ângulos internos de um triângulo gabarito
Soma dos ângulos internos de um triângulo gabarito
CIEP 456 - E.M. Milcah de Sousa
 
Circunferencia exercicios
Circunferencia   exerciciosCircunferencia   exercicios
Circunferencia exercicios
Diomedes Manoel
 
Lista de relações métricas no triangulo retângulo
Lista de  relações métricas no triangulo retânguloLista de  relações métricas no triangulo retângulo
Lista de relações métricas no triangulo retângulo
Rosana Santos Quirino
 
Juros compostos exercicios
Juros compostos exerciciosJuros compostos exercicios
Juros compostos exercicios
Alfrede Anderson
 
Prova números inteiros - 7° ano
Prova números inteiros  - 7° anoProva números inteiros  - 7° ano
Prova números inteiros - 7° ano
Gentil De Almeida Junior
 
Exercícios de proporcionalidade
Exercícios de proporcionalidadeExercícios de proporcionalidade
Exercícios de proporcionalidade
aldaalves
 
Lista de Exercícios – Equação do 1° grau
Lista de Exercícios – Equação do 1° grauLista de Exercícios – Equação do 1° grau
Lista de Exercícios – Equação do 1° grau
Everton Moraes
 
Triangulo exercicios
Triangulo   exerciciosTriangulo   exercicios
Triangulo exercicios
Diomedes Manoel
 
Lista de exercícios de função afim
Lista de exercícios de função afimLista de exercícios de função afim
Lista de exercícios de função afim
ProfessoraIve
 
4ª Lista de Exercícios – Logaritmos
4ª Lista de Exercícios – Logaritmos4ª Lista de Exercícios – Logaritmos
4ª Lista de Exercícios – Logaritmos
celiomelosouza
 
Resumão transformações gasosas
Resumão transformações gasosasResumão transformações gasosas
Resumão transformações gasosas
Daniela F Almenara
 
Lista de Exercícios – Critérios de Divisibilidade
Lista de Exercícios – Critérios de DivisibilidadeLista de Exercícios – Critérios de Divisibilidade
Lista de Exercícios – Critérios de Divisibilidade
Everton Moraes
 

Mais procurados (20)

Exercícios função de 2° grau 2p
Exercícios função de 2° grau 2pExercícios função de 2° grau 2p
Exercícios função de 2° grau 2p
 
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano ilton bruno
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano   ilton bruno1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano   ilton bruno
1ª lista de exercícios(razão e proporção) 9º ano ilton bruno
 
Lista de exercícios - conjuntos - 6º ano
Lista de exercícios  - conjuntos - 6º anoLista de exercícios  - conjuntos - 6º ano
Lista de exercícios - conjuntos - 6º ano
 
Exercícios monomios extra 8º ano
Exercícios monomios extra   8º anoExercícios monomios extra   8º ano
Exercícios monomios extra 8º ano
 
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoGabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
 
SIMULADO - RADICIAÇÃO
SIMULADO - RADICIAÇÃOSIMULADO - RADICIAÇÃO
SIMULADO - RADICIAÇÃO
 
Lista de Exercícios – Juros Simples
Lista de Exercícios – Juros Simples Lista de Exercícios – Juros Simples
Lista de Exercícios – Juros Simples
 
Lista 01 exercícios de função do 1º grau
Lista 01 exercícios de função do 1º grauLista 01 exercícios de função do 1º grau
Lista 01 exercícios de função do 1º grau
 
Soma dos ângulos internos de um triângulo gabarito
Soma dos ângulos internos de um triângulo gabaritoSoma dos ângulos internos de um triângulo gabarito
Soma dos ângulos internos de um triângulo gabarito
 
Circunferencia exercicios
Circunferencia   exerciciosCircunferencia   exercicios
Circunferencia exercicios
 
Lista de relações métricas no triangulo retângulo
Lista de  relações métricas no triangulo retânguloLista de  relações métricas no triangulo retângulo
Lista de relações métricas no triangulo retângulo
 
Juros compostos exercicios
Juros compostos exerciciosJuros compostos exercicios
Juros compostos exercicios
 
Prova números inteiros - 7° ano
Prova números inteiros  - 7° anoProva números inteiros  - 7° ano
Prova números inteiros - 7° ano
 
Exercícios de proporcionalidade
Exercícios de proporcionalidadeExercícios de proporcionalidade
Exercícios de proporcionalidade
 
Lista de Exercícios – Equação do 1° grau
Lista de Exercícios – Equação do 1° grauLista de Exercícios – Equação do 1° grau
Lista de Exercícios – Equação do 1° grau
 
Triangulo exercicios
Triangulo   exerciciosTriangulo   exercicios
Triangulo exercicios
 
Lista de exercícios de função afim
Lista de exercícios de função afimLista de exercícios de função afim
Lista de exercícios de função afim
 
4ª Lista de Exercícios – Logaritmos
4ª Lista de Exercícios – Logaritmos4ª Lista de Exercícios – Logaritmos
4ª Lista de Exercícios – Logaritmos
 
Resumão transformações gasosas
Resumão transformações gasosasResumão transformações gasosas
Resumão transformações gasosas
 
Lista de Exercícios – Critérios de Divisibilidade
Lista de Exercícios – Critérios de DivisibilidadeLista de Exercícios – Critérios de Divisibilidade
Lista de Exercícios – Critérios de Divisibilidade
 

Destaque

Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Pedro Ivo Andrade Sousa
 
exercicios resolvidos-termometria.pdf
exercicios resolvidos-termometria.pdfexercicios resolvidos-termometria.pdf
exercicios resolvidos-termometria.pdf
Cleiton Rosa
 
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2   Temperatura E Escalas TermométricasExercícios Livro 2   Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricas
Eduardo Tuba
 
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercícios Resolvidos de Hidrostática ...
www.aulasdefisicaapoio.com - Física -  Exercícios Resolvidos de Hidrostática ...www.aulasdefisicaapoio.com - Física -  Exercícios Resolvidos de Hidrostática ...
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercícios Resolvidos de Hidrostática ...
Videoaulas De Física Apoio
 
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2   Temperatura E Escalas TermométricasExercícios Livro 2   Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricas
guest640ecc
 
Termodinâmica resolvido
Termodinâmica resolvidoTermodinâmica resolvido
Termodinâmica resolvido
flavio moura
 
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos   questões resolvidas - termologiaGases perfeitos   questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
Drica Salles
 
Conversão de escalas - Termodinâmica
Conversão de escalas - TermodinâmicaConversão de escalas - Termodinâmica
Conversão de escalas - Termodinâmica
Mayra
 
Lista de-dilatação-termica
Lista de-dilatação-termicaLista de-dilatação-termica
Lista de-dilatação-termica
Ricardo Sousa Alves
 
Dilatação exercícios
Dilatação   exercíciosDilatação   exercícios
Dilatação exercícios
Isabella Silva
 
Lista de exercícios. cinematica
Lista de exercícios. cinematicaLista de exercícios. cinematica
Lista de exercícios. cinematica
Jocelio Costa
 
Exescalas
ExescalasExescalas
Exescalas
Emerson Assis
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidosExercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
O mundo da FÍSICA
 
Física – velocidade média 01 – 2013
Física – velocidade média 01 – 2013Física – velocidade média 01 – 2013
Física – velocidade média 01 – 2013
Jakson_0311
 
Exercícios dilatação térmica
Exercícios dilatação térmicaExercícios dilatação térmica
Exercícios dilatação térmica
Edieliton Silva
 
Cinemática
CinemáticaCinemática
Cinemática
Breno Meira
 
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reaçãoLista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Colegio CMC
 
Dilatacao linear exercicios
Dilatacao linear exerciciosDilatacao linear exercicios
Dilatacao linear exercicios
Marcia Marcia.Cristina2
 
Lista de exercícios 8° ano 2° sem
Lista de exercícios 8° ano 2° semLista de exercícios 8° ano 2° sem
Lista de exercícios 8° ano 2° semWellington Sampaio
 

Destaque (20)

Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
 
exercicios resolvidos-termometria.pdf
exercicios resolvidos-termometria.pdfexercicios resolvidos-termometria.pdf
exercicios resolvidos-termometria.pdf
 
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2   Temperatura E Escalas TermométricasExercícios Livro 2   Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricas
 
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercícios Resolvidos de Hidrostática ...
www.aulasdefisicaapoio.com - Física -  Exercícios Resolvidos de Hidrostática ...www.aulasdefisicaapoio.com - Física -  Exercícios Resolvidos de Hidrostática ...
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercícios Resolvidos de Hidrostática ...
 
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2   Temperatura E Escalas TermométricasExercícios Livro 2   Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricas
 
Termodinâmica resolvido
Termodinâmica resolvidoTermodinâmica resolvido
Termodinâmica resolvido
 
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos   questões resolvidas - termologiaGases perfeitos   questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
 
Conversão de escalas - Termodinâmica
Conversão de escalas - TermodinâmicaConversão de escalas - Termodinâmica
Conversão de escalas - Termodinâmica
 
Lista de-dilatação-termica
Lista de-dilatação-termicaLista de-dilatação-termica
Lista de-dilatação-termica
 
Dilatação exercícios
Dilatação   exercíciosDilatação   exercícios
Dilatação exercícios
 
Lista de exercícios. cinematica
Lista de exercícios. cinematicaLista de exercícios. cinematica
Lista de exercícios. cinematica
 
Exescalas
ExescalasExescalas
Exescalas
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidosExercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
Exercícios extras_Revisão dilatação térmica de sólidos
 
Física – velocidade média 01 – 2013
Física – velocidade média 01 – 2013Física – velocidade média 01 – 2013
Física – velocidade média 01 – 2013
 
Exercícios dilatação térmica
Exercícios dilatação térmicaExercícios dilatação térmica
Exercícios dilatação térmica
 
Cinemática
CinemáticaCinemática
Cinemática
 
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reaçãoLista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
 
Dilatacao linear exercicios
Dilatacao linear exerciciosDilatacao linear exercicios
Dilatacao linear exercicios
 
Lista de exercícios 8° ano 2° sem
Lista de exercícios 8° ano 2° semLista de exercícios 8° ano 2° sem
Lista de exercícios 8° ano 2° sem
 

Semelhante a Lista 1 2013 escalas termométricas

Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°
Wellington Sampaio
 
Termometria
TermometriaTermometria
Termometria
LEAM DELGADO
 
Revisão geral-de-termologia
Revisão geral-de-termologiaRevisão geral-de-termologia
Revisão geral-de-termologia
Marcia Marcia.Cristina2
 
Termometria
TermometriaTermometria
Termometria
O mundo da FÍSICA
 
Termometria - Escalas termométricas
Termometria - Escalas termométricasTermometria - Escalas termométricas
Termometria - Escalas termométricas
Lara Lídia
 
Prova I unidade 2º ano 2012
Prova I unidade 2º ano 2012Prova I unidade 2º ano 2012
Prova I unidade 2º ano 2012
Robson Nascimento
 
Termologiatransmissaodecalordilatacao
TermologiatransmissaodecalordilatacaoTermologiatransmissaodecalordilatacao
Termologiatransmissaodecalordilatacao
brendarezende
 
Exercícios termometria 8º ano
Exercícios termometria 8º anoExercícios termometria 8º ano
Exercícios termometria 8º ano
Wellington Sampaio
 
Revparalela2ano
Revparalela2anoRevparalela2ano
Revparalela2ano
Rafael Sampaio
 
Apostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-anoApostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-ano
Irmão Jáder
 
Apostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-anoApostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-ano
Irmão Jáder
 
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
lprofessorjoao
 
Termometria e calorimetria
Termometria  e calorimetriaTermometria  e calorimetria
Fisica termometria
Fisica termometriaFisica termometria
Fisica termometria
comentada
 
Basica termo e dilatação
Basica termo e dilataçãoBasica termo e dilatação
Basica termo e dilatação
rodrigoateneu
 
Exerccioslivro2 temperaturaeescalastermomtricas-090523121818-phpapp01
Exerccioslivro2 temperaturaeescalastermomtricas-090523121818-phpapp01Exerccioslivro2 temperaturaeescalastermomtricas-090523121818-phpapp01
Exerccioslivro2 temperaturaeescalastermomtricas-090523121818-phpapp01
Cleiton Turibio
 
Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1
rosana_maia
 
Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01
comentada
 
Slide sobre termometria
Slide sobre termometriaSlide sobre termometria
Slide sobre termometria
joaberb
 
Trabalho 2º ano
Trabalho 2º anoTrabalho 2º ano
Trabalho 2º ano
Adeilton Diniz
 

Semelhante a Lista 1 2013 escalas termométricas (20)

Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°
 
Termometria
TermometriaTermometria
Termometria
 
Revisão geral-de-termologia
Revisão geral-de-termologiaRevisão geral-de-termologia
Revisão geral-de-termologia
 
Termometria
TermometriaTermometria
Termometria
 
Termometria - Escalas termométricas
Termometria - Escalas termométricasTermometria - Escalas termométricas
Termometria - Escalas termométricas
 
Prova I unidade 2º ano 2012
Prova I unidade 2º ano 2012Prova I unidade 2º ano 2012
Prova I unidade 2º ano 2012
 
Termologiatransmissaodecalordilatacao
TermologiatransmissaodecalordilatacaoTermologiatransmissaodecalordilatacao
Termologiatransmissaodecalordilatacao
 
Exercícios termometria 8º ano
Exercícios termometria 8º anoExercícios termometria 8º ano
Exercícios termometria 8º ano
 
Revparalela2ano
Revparalela2anoRevparalela2ano
Revparalela2ano
 
Apostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-anoApostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-ano
 
Apostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-anoApostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-ano
 
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
 
Termometria e calorimetria
Termometria  e calorimetriaTermometria  e calorimetria
Termometria e calorimetria
 
Fisica termometria
Fisica termometriaFisica termometria
Fisica termometria
 
Basica termo e dilatação
Basica termo e dilataçãoBasica termo e dilatação
Basica termo e dilatação
 
Exerccioslivro2 temperaturaeescalastermomtricas-090523121818-phpapp01
Exerccioslivro2 temperaturaeescalastermomtricas-090523121818-phpapp01Exerccioslivro2 temperaturaeescalastermomtricas-090523121818-phpapp01
Exerccioslivro2 temperaturaeescalastermomtricas-090523121818-phpapp01
 
Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1Lista de exercícios 1
Lista de exercícios 1
 
Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01
 
Slide sobre termometria
Slide sobre termometriaSlide sobre termometria
Slide sobre termometria
 
Trabalho 2º ano
Trabalho 2º anoTrabalho 2º ano
Trabalho 2º ano
 

Mais de Péricles Penuel

Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
Péricles Penuel
 
Arte egípicia
Arte egípiciaArte egípicia
Arte egípicia
Péricles Penuel
 
éTica capitulo 6
éTica capitulo 6éTica capitulo 6
éTica capitulo 6
Péricles Penuel
 
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Péricles Penuel
 
3 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 20133 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 2013
Péricles Penuel
 
1 diversidade da vida
1 diversidade da vida1 diversidade da vida
1 diversidade da vida
Péricles Penuel
 
Aula 2 população
Aula 2   populaçãoAula 2   população
Aula 2 população
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
Péricles Penuel
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
Péricles Penuel
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
Péricles Penuel
 
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano   frente 2 - procariontesBiologia 2º ano   frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
Péricles Penuel
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
Péricles Penuel
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
Péricles Penuel
 
Aula 1 o brasil
Aula 1   o brasilAula 1   o brasil
Aula 1 o brasil
Péricles Penuel
 
Entradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmpEntradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmp
Péricles Penuel
 
Plano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmpPlano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmp
Péricles Penuel
 
Imagens invvasão holandesa tmp
Imagens invvasão holandesa tmpImagens invvasão holandesa tmp
Imagens invvasão holandesa tmp
Péricles Penuel
 

Mais de Péricles Penuel (20)

Arte pré histórica
Arte pré históricaArte pré histórica
Arte pré histórica
 
Arte egípicia
Arte egípiciaArte egípicia
Arte egípicia
 
éTica capitulo 6
éTica capitulo 6éTica capitulo 6
éTica capitulo 6
 
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
Cultura e ideologia unidade 6 capitulo 18
 
3 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 20133 revolução industrial 2013
3 revolução industrial 2013
 
1 diversidade da vida
1 diversidade da vida1 diversidade da vida
1 diversidade da vida
 
Aula 2 população
Aula 2   populaçãoAula 2   população
Aula 2 população
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
 
1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico1absolutismo monárquico
1absolutismo monárquico
 
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano   frente 2 - procariontesBiologia 2º ano   frente 2 - procariontes
Biologia 2º ano frente 2 - procariontes
 
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap   cópia
2 ilum, indep amer, rev franc, imp nap cópia
 
Aula de matrizes
Aula de matrizesAula de matrizes
Aula de matrizes
 
Aula 1 o brasil
Aula 1   o brasilAula 1   o brasil
Aula 1 o brasil
 
Entradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmpEntradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmp
 
Plano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmpPlano ins. pernambucana tmp
Plano ins. pernambucana tmp
 
Imagens invvasão holandesa tmp
Imagens invvasão holandesa tmpImagens invvasão holandesa tmp
Imagens invvasão holandesa tmp
 

Lista 1 2013 escalas termométricas

  • 1. COLÉGIO MILITAR DE CAMPO GRANDE – 2º ANO 2013 FÍSICA Cap Dutra LISTA 1 Escalas Termométricas A temperatura em ºY, que corresponde a 35 ºX é: EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO a) 120 b) 127,5 c) 135 d) 137,5 1. Ao medir a temperatura de uma pessoa em estado febril obteve-se 40 ºC. Qual seria o valor obtido se o termômetro fosse calibrado na escala Fahrenheit? EXERCÍCIOS PROPOSTOS 2. Transforme 50 ºF em ºC. 01 - (UEL PR) Quando Fahrenheit definiu a escala termométrica 3. Em um determinado dia, a diferença entre as temperaturas máxi- que hoje leva o seu nome, o primeiro ponto fixo definido por ele, ma e mínima foi de 18 ºF. De quanto é essa variação de temperatura o 0ºF, corresponde à temperatura obtida ao se misturar uma na escala Celsius? porção de cloreto de amônia com três porções de neve, à pres- são de 1atm. Qual é esta temperatura na escala Celsius? 4. Determine a temperatura que nas escalas Celsius e Fahrenheit é expressa pelo mesmo valor numérico. a) 32ºC b) 273ºC 5. Assinale certo (C) ou errado (E) em cada afirmativa seguinte. c) 37,7ºC d) 212ºC a) [___] O limite inferior para a temperatura de um corpo é e) –17,7ºC 273 K. 02 - (UNIFOR CE) Uma certa massa de gás perfeito sofre uma transformação isobárica e sua temperatura varia de 293K para b) [___] O limite superior para a temperatura de um corpo é 0 K. 543K. A variação da temperatura do gás, nessa transformação, medida na escala Fahrenheit, foi de a) 250° c) [___] A temperatura é a medida da maior ou menor agitação das b) 273° moléculas ou átomos que constituem um corpo. c) 300° d) 385° e) 450° 6. Sêmen bovino é conservado sob temperatura de 195 ºC. Como seria expressa essa temperatura na escala Kelvin? 03 - (UNIFOR CE) A temperatura de determinada substância é 50°F. A temperatura absoluta dessa substância, em kelvins, é 7. Um corpo apresentou uma variação de temperatura de 80 ºC. De quanto foi essa variação na escala Kelvin? a) 343 b) 323 8. Um cientista verificou que certa temperatura, obtida na escala c) 310 Kelvin, é igual ao correspondente valor da escala Fahrenheit, acresci- d) 283 do de 145 unidades. Essa temperatura, na escala Celsius é: e) 273 a) 55 b) 60 04 - (UNIFOR CE) Uma escala termométrica arbitrária X atribui c) 100 d) 120 o valor 20°X para a temperatura de fusão do gelo e 80°X para a temperatura de ebulição da água, sob pressão normal. Quando a 9. A relação entre duas escalas de temperaturas, X e Y, é mostrada temperatura de um ambiente sofre uma variação de 30°X, a na figura seguinte. correspondente variação na escala Celsius é de: a) 20°C b) 30°C c) 40°C d) 50°C e) 60°C 05 - (FEPECS DF) A figura mostra a correspondência entre a escala Celsius e a Reaumur, usada antigamente na França. Mede-se a temperatura e uma criança com um termômetro graduado na escala Reaumur e obtém-se 32 ºR. A temperatura em ºY, que corresponde a 50 ºX é: Considerando-se 36,5 ºC como a temperatura normal dos seres humanos, verifica-se, então, que a criança está febril, pois sua a) 162 b) 122 c) 94 d) 90 temperatura, em graus Celsius, é de: 10. O gráfico seguinte representa a relação entre duas escalas ter- a) 38ºC; mométricas X e Y. b) 38,5ºC; c) 39ºC; d) 39,5ºC; e) 40ºC. 1
  • 2. COLÉGIO MILITAR DE CAMPO GRANDE – 2º ANO 2013 FÍSICA Cap Dutra LISTA 1 Escalas Termométricas 06 - (UFF RJ) Um turista brasileiro, ao desembarcar no aeroporto 10 - (UNIFOR CE) Um estudante construiu uma escala de tem- de Chicago, observou que o valor da temperatura lá indicado, em peratura E atribuindo o valor 0°E à temperatura equivalente a °F, era um quinto do valor correspondente em °C. 20°C e o valor 100°E à temperatura equivalente a 104°F. Quan- O valor observado foi: do um termômetro graduado na escala E indicar 25°E, outro termômetro graduado na escala Fahrenheit indicará: a) - 2 °F b) 2 °F a) 85 c) 4 °F b) 77 d) 0 °F c) 70 e) - 4 °F d) 64 e) 60 07 - (UFF RJ) Quando se deseja realizar experimentos a baixas temperaturas, é muito comum a utilização de nitrogênio líquido 11 - (FATEC SP) Uma escala termométrica arbitrária X atribui o como refrigerante, pois seu ponto normal de ebulição é de - 196 valor –20 ºX para a temperatura de fusão do gelo e 120 ºX para a ºC. temperatura de ebulição da água, sob pressão normal. A tempera- Na escala Kelvin, esta temperatura vale: tura em que a escala X dá a mesma indicação que a Celsius é: a) 77 K a) 80 b) 70 b) 100 K c) 50 d) 30 c) 196 K e) 10 d) 273 K e) 469 K 12 - (PUC PR) Um termômetro foi construído de tal modo que a 0ºC e 100ºC da escala Celsius corresponde –5ºY e 105ºY, respec- 08 - (UNIFESP SP) Quando se mede a temperatura do corpo tivamente. humano com um termômetro clínico de mercúrio em vidro, pro- Qual a temperatura de mesmo valor numérico nas duas escalas? cura-se colocar o bulbo do termômetro em contato direto com regiões mais próximas do interior do corpo e manter o termôme- a) 45º tro assim durante algum tempo, antes de fazer a leitura. Esses b) 48º dois procedimentos são necessários porque: c) 50º d) 52º a) o equilíbrio térmico só é possível quando há contato di- e) 55º reto entre dois corpos e porque demanda sempre algum tempo para que a troca de calor entre o corpo humano e o termômetro se efetive. 13 - (PUC PR) O gráfico ao lado b) é preciso reduzir a interferência da pele, órgão que re- mostra a relação entre duas escalas gula a temperatura interna do corpo, e porque deman- termométricas, sendo uma Celsius e da sempre algum tempo para que a troca de calor entre a outra, "X". Com base nos dados o corpo humano e o termômetro se efetive. nele contido, determine a temperatu- c) o equilíbrio térmico só é possível quando há contato di- ra em que ambas as escalas acusem reto entre dois corpos e porque é preciso evitar a inter- uma mesma leitura. ferência do calor específico médio do corpo humano. d) é preciso reduzir a interferência da pele, órgão que re- a) -75° gula a temperatura interna do corpo, e porque o calor b) -18° específico médio do corpo humano é muito menor que o c) 18° do mercúrio e do vidro. d) 25° e) o equilíbrio térmico só é possível quando há contato di- e) 75° reto entre dois corpos e porque é preciso reduzir a in- terferência da pele, órgão que regula a temperatura in- 14 - (UFMS) Através de experimentos, biólogos observaram terna do corpo. que a taxa de canto de grilos de uma determinada espécie esta- va relacionada com a temperatura ambiente de uma maneira 09 - (FATEC SP) Lord Kelvin (título de nobreza dado ao célebre que poderia ser considerada linear. Experiências mostraram que, físico William Thompson, 1824-1907) estabeleceu uma associa- a uma temperatura de 21º C, os grilos cantavam, em média, ção entre a energia de agitação das moléculas de um sistema e 120 vezes por minuto; e, a uma a sua temperatura. temperatura de 26º C, os grilos Deduziu que a uma temperatura de -273,15 ºC, também cha- cantavam, em média, 180 ve- mada de zero absoluto, a agitação térmica das moléculas deve- zes por minuto. Considerando T ria cessar. a temperatura em graus Celsius Considere um recipiente com gás, fechado e de variação de e n o número de vezes que os volume desprezível nas condições do problema e, por comodida- grilos cantavam por minuto, de, que o zero absoluto corresponde a –273 ºC. podemos representar a relação É correto afirmar: entre T e n pelo gráfico abaixo. a) O estado de agitação é o mesmo para as temperaturas Supondo que os grilos estivessem cantando, em média, 156 de 100 ºC e 100 K. vezes por minuto, de acordo com o modelo sugerido nesta ques- b) À temperatura de 0 ºC o estado de agitação das molé- tão, estima-se que a temperatura deveria ser igual a: culas é o mesmo que a 273 K. c) As moléculas estão mais agitadas a –173 ºC do que a – a) 21,5º C. 127 ºC. b) 22º C . d) A -32 ºC as moléculas estão menos agitadas que a 241 c) 23º C . K. d) 24º C . e) A 273 K as moléculas estão mais agitadas que a 100 ºC. e) 25,5º C. 2
  • 3. COLÉGIO MILITAR DE CAMPO GRANDE – 2º ANO 2013 FÍSICA Cap Dutra LISTA 1 Escalas Termométricas 15 – (Makenzie SP) Para medir a temperatura de um certo corpo, utilizou-se um termômetro graduado na escala Fahrenheit e o valor obtido correspondeu a 5/4 da indicação de um termô- metro graduado na escala Celsius, para o mesmo estado térmi- co. Se a escala adotada tivesse sido a Kelvin, esta temperatura seria indicada por: a) 305 K b) 273 K c) 241 K d) 32 K e) 25,6 K 16 – (UFPA) Em um certo instante a temperatura de um corpo, medida na escala Kelvin, foi de 300 K. Decorrido um certo tem- po, mediu-se a temperatura desse mesmo corpo e o termômetro indicou 68 ºF. A variação de temperatura sofrida pelo corpo, medida na escala Celsius, foi de: a) – 32 ºC b) – 5 ºC c) – 7 ºC d) – 12 ºC e) 368 ºC GABARITO EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: 1) 104 ºF 2) 10 ºC 3) 10 ºC 4) 40º 5) EEC 6) 78 K 7) 80 ºC 8) D 9) B 10) D EXERCÍCIOS PROPOSTOS: 1) E 2) E 3) D 4) D 5) E 6) E 7) A 8) B 9) B 10) B 11) C 12) C 13) A 14) D 15) C 16) C 3