SlideShare uma empresa Scribd logo
A Filosofia na Educação
Básica: Tensões e
Questões Emergentes Locais e
Globais
O Lugar de minha Compreensão e Proposição:
“Habito Poesia na Filosofia que ama
Sophia: músico dançarino das Musas
sou como uma ponte atravessando o
desfiladeiro para deixar passar o ímpeto
querer-ser da Vida Abundante no
instante sem ocaso.”
Horizonte 1 – Campo Ontológico
Compreensão e prática de uma Filosofia da
Vida própria e apropriada aberta ao
acontecimento da criação conjugada do
espírito humano implicado na comum-
responsabilidade
A Metodologia e a Prática de Ensino de Filosofia
Professor da
UFBA/FACED
Horizonte 2: Campo Poemático-Pedagógico
Formação do Educador-Filósofo: Epistemologia
do Educar, Filosofar e Educar, Fenomenologia-
Hermenêutica, Educação Transdisciplinar,
Difusão do Conhecimento
Horizonte 3: Campo Epistemológico
Projeto de construção de um aprendizado
filosófico polilógico, próprio e apropriado,
inventivo e autônomo, comum e diversificado,
ousado e altaneiro, colaborativo e crítico,
combativo e pacífico, sensível e transformador
da interdição metafísica fundada no medo de
ser-sendo
Horizonte 4: Campo das Possibilidades
O que é Filosofia?
Questões Fundamentais:
Qual Filosofia na Educação Básica: Filosofia
profissional ou Filosofia própria e apropriada?
Qual professor de Filosofia: O Educador-filósofo ou
o repassador de conteúdos descontextualizados e
inúteis ao educar apropriador?
Qual a formação adequada para o exercício de uma
prática docente autônoma e inventiva?
Tensão entre Teoria e Prática
Qual deve ser o modelo de ensino da
Filosofia na Educação Básica:a prática do
pensamento crítico contextualizado e
dialógico ou a repetição de conteúdos
historiográficos abstratos e indiscutíveis?
Uma compreensão filosófica a partir da
prática aprendente polilógica...
A amplitude Transdisciplinar da Filosofia
e do filosofar
PHILOSOPHIA
MITOLOGIA
ANTROPOLOGIA
LINGUAGEM POÉTICA
LINGUAGEM FÍSICO-MATEMÁTICA
LINGUAGEM ORDINÁRIA
LINGUAGEM EPISTÊMICA
LINGUAGEM POÉTICO-FILOSÓFICA
LINGUAGEM EXTRA-0RDINÁRIA
UM OLHAR HERMENÊUTICO-FENOMENOLÓGICO DA
FILOSOFIA E DO FILOSOFAR
COSMOLOGIA
ONTOLOGIA
TRANSPOSIÇÃO LINGUAGEM
POLILÓGICA
Prática Pedagógica do educador-
filósofo:
Investigação
Ponderaçã
o
Planejamento
Produção
Construção
Situação
Experimentaçã
o
Atitude, disposição, motivação, possibilidade, localização
social
Tensões, Questões, Problemas, Fundamentos,
Metodologia
Avaliação, retroação, Posição, Potenciação
Projeção, Concepção, Proposição
Vivência, Atualização, Memorização, Potencialização,
Imaginação
Documentação, Divulgação, Publicação, Difusão
Proposta Polilógica: Ontológica, Epistemológica, Política
e Pedagógica para a Trans-Formação do Educador-
Filósofo
Proposta
Polilógica
Ontológica
Epistemológica
Política
Pedagógica
Nossa relação viva com o mundo
– princípio de realidade – nossa
condição conjuntural – ser-no-
mundo-com – situação, projeto,
processo, identidade, diferença
Bases científico-
metodológicas da ação
transformativa – Ciência
Implicada
Bases afetivas para a
realização de uma sociedade
solidária: ética diferencial
implicada
Teoria e modelagem educacional:
investigação continuada, currículo
criador, ação transdisciplinar,
sentidos realizantes, mudança de
horizonte potencial/atual –
Projetos, pesquisas em ação
A Filosofia como Atitude Aprendente
Radical: Filosofia Básica
Proposta Pedagógica:
a Filosofia como atitude
aprendente transdisciplinar
Eixos ou Pilares
da Modelagem
aprender a ser/não-ser
aprender a conhecer/não-conhecer
aprender a ver/não-ver
aprender a viver-com /não- viver com
aprender a fazer/não-fazer
aprender a viver/morrer
Aprender a aprender / desaprender
ÉTICA ESTÉTICA
EPISTEMOLOGIA
POLÍTICA
ECOLOGI
A
ONTOLOGIA
ATITU
D
E
FILO
S
Ó
FIC
A
MÍSTICA
TECNOCIÊNCI
A Atitude Filosófica como
investigação permanente: aprender a
aprender aprendendo – Pedagogia
investigativa radical
Conceitos Geradores
Figuras Conceituais
Diferença
Ontológica
Consciência da
Consciência e da
Inconsciência
Autoconhecimento
Ciência da Complexidade /
Epistemologia da
ComplexidadeÉtica e Estética da
Diferença e da Igualdade
Filosofia das conexões
significativas não-causais
Lógica Inclusiva
Níveis de Realidade
Implicação
Transdisciplinaridade
Totalidade segmentária
Unidade do
Diverso
Relação de comum-
pertencimento
O Projeto compreende os ciclos da
Educação Básica e Superior
Educação Básica
Educação Infantil
Ensino Fundamental
Ensino Médio
Educação
Superior
Graduação
Pós-Graduação
Educação Profissional
Educação de Jovens e
Adultos
Desenvolvimento argumentativo da Proposta
de trans-formação do educador filósofo
Polifoc
o
O que se pode e se deve fazer-aprender
em cada situação e contexto
Delimitação dos eixos comuns de
estruturação e planejamento das atividades
Vivência da arte de aprender pela
experimentação de proposições e criações
pedagógicas pontuais.
Aprendizados diferenciados da arte de
aprender como atitude filosófica
Desenvolvimento de Programas e Ações
Pedagógicas
Aprofundamento dos estudos críticos
pessoais e inter-pessoais.
Três ações implicadas:
1. Construção de uma rede congregando os
Professores de Filosofia do Estado
2. Delimitação de um Programa Mínimo Comum
3. Elaboração da Carta de Salvador para a
Filosofia
Programa Mínimo de Filosofia
FILOSOFIA
Ser criança
Amantes da Vida Sábia
Filosofar
Ser-Sendo-Ser-Não-Ser
Para o usufruto diurno e noturno de
todos os que se implicam no filosofar
próprio e apropriado
Transformação
Saber ConhecimentoFilosofia
Ética
Ontologia Epistemologia
Estética
Saber Ser
Aprender a Ser
Saber Conhecer
Aprender a Conhecer
Saber Conviver
Agir
Sentir Pensar
Fazer
Saber Fazer
Aprender a Viver-Com
Falar
Ouvir
Ler
Escrever
Aprender a Fazer
Escutar
Compreender
Aprender a Viver-Com-Só Aprender a Desfazer
Aprender a DesconhecerAprender a Não-Ser
Compartilhar
Aprender a Aprender
Aprender a Desaprender
Atitude Filosófica
Atitude Aprendente
Atitude Sapiente
Atitude Radical
Atitude Investigativa
Atitude Dialógica
Atitude Polilógica
Filosofia
SER HUMANO
HUMANIDADE
NATUREZA
Transdisciplinaridade
ATITUDE
FILOSÓFICA
PERCEPÇÃO
APRENDER A SENTIR:
VER/OUVIR/TOCAR/CHEIRAR/
PALATAR
CONCEITUAÇÃO
APRENDER A CONHECER
CONSTRUÇÃO
APRENDER A FAZER
VIVÊNCIA
EXPERIÊNCIA
IMAGINAÇÃO
SENSIBILIDADE
CONFRONTAÇÃO
SOCIALIZAÇÃO
AFETIVIDADE
IMPLICAÇÃO
ELABORAÇÃO
PRODUÇÃO
APROPRIAÇÃO
CONSERVAÇÃO
ATITUDE
APRENDENTE
ATITUDE
INVESTIGATIVA
APRENDER A SER
RELAÇÃO
APRENDER A VIVER-JUNTO
ANÁLISE/SÍNTESE
EXPLICAÇÃO/COMPREENSÃO
PROPOSIÇÃO/SISTEMATIZAÇÃO
CARTA DE SALVADOR PARA A FILOSOFIA NA
EDUCAÇÃO BÁSICA – ENSINO MÉDIO
Nós, participantes da “1ª Oficina de Filosofia
e Sociologia no Ensino Médio”, realizada no
Instituto Anísio Teixeira, de 13 a 27 de abril
de 2007, inspirados na Declaração de Paris
para a Filosofia (UNESCO, 1995), e
subscrevendo alguns de seus itens com a
devida adequação,
Constatamos que os problemas de que
trata a filosofia são os da Vida e da
existência dos seres humanos
considerados universalmente, o que
significa uma compreensão da filosofia
como atividade transdisciplinar,
Estimamos que a reflexão filosófica pode
e deve contribuir para a compreensão
e conduta dos afazeres humanos,
Consideramos que a atividade filosófica, que
não subtrai nenhuma idéia e fato à livre
discussão e investigação, que se esforça em
precisar as definições exatas das noções
utilizadas, em verificar a validade dos
raciocínios e das pesquisas, em examinar
com atenção os argumentos dos outros,
permite a cada um aprender a pensar por si
mesmo e aprender a reconhecer os
processos sociais implicados,
Sublinhamos que o ensino de
filosofia favorece a abertura do espírito, a
responsabilidade cívica, a compreensão e
a tolerância entre os indivíduos e suas
relações dialógicas, ainda mais em um
país como o Brasil e em um Estado como
a Bahia cuja história reúne as diversas
culturas do planeta, gerando uma fusão
extraordinária e única,
Reafirmamos que a educação filosófica,
formando espíritos livres e reflexivos -
capazes de resistir às diversas formas de
alienação, de fanatismo, de exclusão e de
intolerância - contribui para a paz e
prepara cada um a assumir suas
responsabilidades face às grandes
interrogações contemporâneas,
notadamente nos domínios da educação
ética e da educação ambiental e
transdisciplinar,
Julgamos que o desenvolvimento da
reflexão filosófica, no ensino e na vida
cultural, contribui de maneira importante
para a formação de cidadãos, no exercício
de sua capacidade de julgamento, elemento
fundamental de toda democracia.
É por isso que, engajando-nos em fazer
tudo o que esteja em nosso poder -
nas nossas escolas e em nossas
respectivas comunidades de base - para
realizar tais objetivos, declaramos que:
Uma atividade filosófica livre deve ser
garantida por toda parte - sob todas as
formas e em todos os lugares onde ela
possa se exercer - a todos os indivíduos;
O ensino de Filosofia deve ser
assegurado por professores-
pesquisadores competentes e implicados,
especialmente formados para esse fim, e
não pode estar subordinado a nenhum
imperativo econômico, técnico, religioso,
político ou ideológico; trata-se da
realização de um empenho radical com o
saber e o aprender dialógico de todo ser
humano.
Permanecendo totalmente autônomo, o
ensino de Filosofia deve ser, em toda
parte onde isto é possível, efetivamente
associado - e não simplesmente justaposto
- às formações universitárias ou
profissionais, em todos os domínios; quer
dizer, tal ensino deve constituir-se como
efetivo processo de aprendizado
inteligente, sensível e inventivo,
A produção e difusão de livros acessíveis
a um largo público, a geração de emissões
de rádio ou de televisão, de audiocassetes
ou DVDs, a utilização pedagógica de todos
os meios audiovisuais e informáticos,
A criação de múltiplos espaços de debates
livres, e todas as iniciativas susceptíveis
de fazer aceder um maior número a uma
primeira compreensão das questões e dos
métodos filosóficos devem ser
encorajadas, a fim de constituir uma
educação filosófica de jovens e adultos;
O conhecimento das reflexões filosóficas
das diferentes culturas, a comparação de
seus aportes respectivos e a análise
daquilo que os aproxima e daquilo que os
opõe, devem ser perseguidos e
sustentados pelas instituições de pesquisa
e de ensino;
As atividades filosóficas, como práticas
livres da reflexão e da investigação
radical, não podem considerar alguma
verdade como definitivamente alcançada,
e incitam a respeitar as convicções de
cada um; mas elas não devem, em
nenhum caso, sob pena de negarem-se a
si mesmas, aceitar doutrinas que neguem
a liberdade de outrem, injuriando a
dignidade humana e engendrando a
barbárie.
Consideramos fundamental que a filosofia
deva ser exercida como atividade
investigativa transdisciplinar, sempre
relacionando as diversas áreas do
conhecimento, contribuindo para a
coesão dos processos aprendentes,
ressaltando o caráter dialógico que
deverá incorporar-se radicalmente ao
amplo movimento de integrar o educando
ao ambiente escolar em atividades e
atitudes criativas e heurísticas.
Tudo isso no intuito de garantir que o
ensino de Filosofia ocorra de forma
própria e apropriada, que envolva e
seduza o educando para aprender a
aprender e aprender a desaprender,
dando sentido à sua vida.
Neste sentido, defendemos a inserção da
Filosofia no Ensino Fundamental e Médio
de forma obrigatória, a partir da garantia
de que a Filosofia será ministrada no
Ensino Médio por filósofos licenciados,
respeitando o Estatuto do Magistério
Público Fundamental e Médio do Estado
da Bahia, Lei nº 8.261 de 29 de Maio de
2002, Seção IV – Regime de Trabalho Art.
58;
Acreditamos que para desenvolvermos um
trabalho com qualidade, é fundamental que
a Filosofia tenha pelo menos uma carga
horária mínima de duas horas semanais
por turma, como rege o Parecer CNE/CEB
nº 38 de 7 de julho de 2006.
Reivindicamos a formação continuada do
professor através da criação de Curso de
Especialização em Filosofia com foco em
Educação, a fim de garantir o
aperfeiçoamento e a formação continuada,
em serviço, do profissional em Filosofia;
Reafirmamos a intenção de promover
outros encontros com a presença de todos
os educadores em Filosofia do Estado da
Bahia, incluindo os professores do interior
do Estado;
Sugerimos a criação e produção dos livros
e recursos didáticos de Filosofia, com uma
linguagem direcionada e apropriada ao
estudante da Educação Básica,
elaborados por professores da rede
estadual licenciados em Filosofia;
Buscaremos e lutaremos pela criação de
uma Associação dos Professores de
Filosofia da Educação Básica, assim como
do grupo de estudos filosóficos;
Julgamos que o desenvolvimento da
reflexão filosófica no Estado depende da
criação de um centro de estudos e
pesquisas em Filosofia com foco em
Educação, com o apoio das universidades
e da Secretaria da Educação do Estado da
Bahia.
Salvador – Bahia – Brasil, em 27/04/2007
Magali Macedo de Paula
Maura Freitas Santos
Ivone Maria da Silva Nascimento
Almira do Carmo Ribeiro
Manuel Antonio da Silva
Dorilda Sousa de Almeida
Emerson Sousa Freire
Sandra Maria Rocha Borges Conceição
Adalgisa Dorotéa Sales
Dante Augusto Galeffi
Daniel Nascimento Vilasboas
Josevaldo dos Santos
José Fernandes Mascarenhas Paixão
Adilson José Silva
Flávio Pereira dos Santos
Roberto Fernando S. Cerqueira
Marcelo Augusto Machado
Márcia Maria Saievicz
Elci Alves Machado Cunha
Tânia M. Souza (nome ilegível)
Crispim Conceição Santos
Gladys Parish Seixas
Ygayara Vieira Cabral
Bernadete Souza Almeida
Maricelia R. de Andrade
Aidil Fonseca Vieira
Adivonildes Rocha dos Santos
Zenilde Lopes Almeida
Raimunda Souza Viana
Esta Carta foi inicialmente subscrita por:
Pontos Fundamentais para uma inserção
conseqüente da Filosofia na Educação Básica:
1.Valorização do Educador-Filósofo;
2.Constituição de uma rede transdisciplinar
cooperativa de educadores-filósofos;
3.Formação continuada;
4.Difusão dos conhecimentos Filosóficos por
todos os meios disponíveis;
5.Consolidação de ações pedagógicas
contextualizadas e diferenciadas.
“Não é mais tempo de dizer o
mundo, é tempo de fazer mundos”
Ouvir o que diz aquilo que é
– ouvir polilógico:
Educação Transdisciplinar
Educação Polilógica
Educação Filosófica Básica
Ciência
Tecnociência
Arte
Filosofia
Saber Mítico
Saber Religioso
Saber Poético
Autoconhecimento
Revolução Interior

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Filosofia e educação
Filosofia e educaçãoFilosofia e educação
Filosofia e educação
Peedagogia
 
Filosofia da Educação
Filosofia da Educação  Filosofia da Educação
Filosofia da Educação
unieubra
 
A CONTRIBUIÇÃO DA FILOSOFIA PARA EDUCAÇÃO
A CONTRIBUIÇÃO DA FILOSOFIA PARA EDUCAÇÃOA CONTRIBUIÇÃO DA FILOSOFIA PARA EDUCAÇÃO
A CONTRIBUIÇÃO DA FILOSOFIA PARA EDUCAÇÃO
SUPORTE EDUCACIONAL
 
Filosofia da educação
Filosofia da educaçãoFilosofia da educação
Filosofia da educação
Carlos Tesch
 
Filosofia e Educação
Filosofia e EducaçãoFilosofia e Educação
Filosofia e Educação
Prof. Saulo Bezerra
 
Fundamentos da filosofia da educação
Fundamentos da filosofia da educação  Fundamentos da filosofia da educação
Fundamentos da filosofia da educação
Keila Cuzzuol Pimentel
 
Slaids fundamentos filosoficos da educação
Slaids fundamentos filosoficos da educaçãoSlaids fundamentos filosoficos da educação
Slaids fundamentos filosoficos da educação
Fátima Rodrigues
 
filosofia
filosofiafilosofia
filosofia
Luci Bonini
 
Apresentação de filosofia
Apresentação de filosofiaApresentação de filosofia
Apresentação de filosofia
Gisele Boucherville
 
As interfaces entre filosofia e pedagogia
As interfaces entre filosofia e pedagogiaAs interfaces entre filosofia e pedagogia
As interfaces entre filosofia e pedagogia
Carolina Sgrillo Ed Fisíca Licenciatura
 
Concepções filosóficas i
Concepções filosóficas iConcepções filosóficas i
Concepções filosóficas i
LEONARDO RODRIGUES DA SILVA
 
Trabalho de filosofia
Trabalho de filosofiaTrabalho de filosofia
Trabalho de filosofia
Alexandre Misturini
 
Apresentação da proposta metodológica do curso fei 1º sem 2012 - isecc
Apresentação da proposta metodológica do curso fei 1º sem  2012 - iseccApresentação da proposta metodológica do curso fei 1º sem  2012 - isecc
Apresentação da proposta metodológica do curso fei 1º sem 2012 - isecc
Octavio Silvério de Souza Vieira Neto
 
Estudar Filosofia a partir da Ficção Científica
Estudar Filosofia a partir da Ficção CientíficaEstudar Filosofia a partir da Ficção Científica
Estudar Filosofia a partir da Ficção Científica
CEULJI/ULBRA Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná
 
Apontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaApontamentos de Filosofia
Apontamentos de Filosofia
Luci Bonini
 
Trabalho De Filosofia
Trabalho De FilosofiaTrabalho De Filosofia
Trabalho De Filosofia
guest3d04b3
 
Concepções filosoficas-s
Concepções filosoficas-sConcepções filosoficas-s
Concepções filosoficas-s
LEONARDO RODRIGUES DA SILVA
 
Trabalho de filosofia ensino médio
Trabalho de filosofia ensino médioTrabalho de filosofia ensino médio
Trabalho de filosofia ensino médio
WANDERSON JONER
 
Trabalho De Filosofia
Trabalho De FilosofiaTrabalho De Filosofia
Trabalho De Filosofia
guest3d04b3
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
PriscillaTomazi2015
 

Mais procurados (20)

Filosofia e educação
Filosofia e educaçãoFilosofia e educação
Filosofia e educação
 
Filosofia da Educação
Filosofia da Educação  Filosofia da Educação
Filosofia da Educação
 
A CONTRIBUIÇÃO DA FILOSOFIA PARA EDUCAÇÃO
A CONTRIBUIÇÃO DA FILOSOFIA PARA EDUCAÇÃOA CONTRIBUIÇÃO DA FILOSOFIA PARA EDUCAÇÃO
A CONTRIBUIÇÃO DA FILOSOFIA PARA EDUCAÇÃO
 
Filosofia da educação
Filosofia da educaçãoFilosofia da educação
Filosofia da educação
 
Filosofia e Educação
Filosofia e EducaçãoFilosofia e Educação
Filosofia e Educação
 
Fundamentos da filosofia da educação
Fundamentos da filosofia da educação  Fundamentos da filosofia da educação
Fundamentos da filosofia da educação
 
Slaids fundamentos filosoficos da educação
Slaids fundamentos filosoficos da educaçãoSlaids fundamentos filosoficos da educação
Slaids fundamentos filosoficos da educação
 
filosofia
filosofiafilosofia
filosofia
 
Apresentação de filosofia
Apresentação de filosofiaApresentação de filosofia
Apresentação de filosofia
 
As interfaces entre filosofia e pedagogia
As interfaces entre filosofia e pedagogiaAs interfaces entre filosofia e pedagogia
As interfaces entre filosofia e pedagogia
 
Concepções filosóficas i
Concepções filosóficas iConcepções filosóficas i
Concepções filosóficas i
 
Trabalho de filosofia
Trabalho de filosofiaTrabalho de filosofia
Trabalho de filosofia
 
Apresentação da proposta metodológica do curso fei 1º sem 2012 - isecc
Apresentação da proposta metodológica do curso fei 1º sem  2012 - iseccApresentação da proposta metodológica do curso fei 1º sem  2012 - isecc
Apresentação da proposta metodológica do curso fei 1º sem 2012 - isecc
 
Estudar Filosofia a partir da Ficção Científica
Estudar Filosofia a partir da Ficção CientíficaEstudar Filosofia a partir da Ficção Científica
Estudar Filosofia a partir da Ficção Científica
 
Apontamentos de Filosofia
Apontamentos de FilosofiaApontamentos de Filosofia
Apontamentos de Filosofia
 
Trabalho De Filosofia
Trabalho De FilosofiaTrabalho De Filosofia
Trabalho De Filosofia
 
Concepções filosoficas-s
Concepções filosoficas-sConcepções filosoficas-s
Concepções filosoficas-s
 
Trabalho de filosofia ensino médio
Trabalho de filosofia ensino médioTrabalho de filosofia ensino médio
Trabalho de filosofia ensino médio
 
Trabalho De Filosofia
Trabalho De FilosofiaTrabalho De Filosofia
Trabalho De Filosofia
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 

Destaque

Aula 1 - ciência.. construção de conhecimento
Aula 1  - ciência.. construção de conhecimentoAula 1  - ciência.. construção de conhecimento
Aula 1 - ciência.. construção de conhecimento
aula123456
 
Educação, o que é?
Educação, o que é?Educação, o que é?
Educação, o que é?
Edson Guedes
 
A relação entre Ernst Mach e Albert Einstein
A relação entre Ernst Mach e Albert EinsteinA relação entre Ernst Mach e Albert Einstein
A relação entre Ernst Mach e Albert Einstein
bpierro
 
Ciência com consciencia
Ciência com conscienciaCiência com consciencia
Ciência com consciencia
Margarida Rodrigues
 
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICATEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
jlpaesjr
 
Filosofia com crianças educação para o pensar
Filosofia com crianças   educação para o pensarFilosofia com crianças   educação para o pensar
Filosofia com crianças educação para o pensar
Aparecido Alcântara
 
Seminário do estágio
Seminário do estágioSeminário do estágio
Seminário do estágio
familiaestagio
 
Educaosociedadeetrabalho 110906101528-phpapp01
Educaosociedadeetrabalho 110906101528-phpapp01Educaosociedadeetrabalho 110906101528-phpapp01
Educaosociedadeetrabalho 110906101528-phpapp01
Célia Ferreira da Silva
 
2º anos (Filosofia) Consciência
2º anos (Filosofia) Consciência2º anos (Filosofia) Consciência
2º anos (Filosofia) Consciência
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Filosofia - A Consciência
Filosofia - A ConsciênciaFilosofia - A Consciência
Filosofia - A Consciência
Raphael Barbosa
 
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio SeverinoCap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
Nayara Gaban
 
Fundamentos e metodologia da Educação Infantil
Fundamentos e metodologia da Educação InfantilFundamentos e metodologia da Educação Infantil
Fundamentos e metodologia da Educação Infantil
educacaoinfantilempauta
 
Consciencia (1)
Consciencia (1)Consciencia (1)
Consciencia (1)
Sonia Buarque
 
Alcaloides
AlcaloidesAlcaloides
Filosofia da educação marcia tiburi pronto para postar slide
Filosofia da educação   marcia tiburi pronto para postar slideFilosofia da educação   marcia tiburi pronto para postar slide
Filosofia da educação marcia tiburi pronto para postar slide
adrianainescenatti
 
Filosofia politica
Filosofia politicaFilosofia politica
Filosofia politica
ISISVS
 
Apresentação de relatório de estágio II
Apresentação de relatório de estágio IIApresentação de relatório de estágio II
Apresentação de relatório de estágio II
marcia121007
 
Apresentação estágio supervisionado ii
Apresentação estágio supervisionado iiApresentação estágio supervisionado ii
Apresentação estágio supervisionado ii
familiaestagio
 
Filosofia da educação
Filosofia da educaçãoFilosofia da educação
Filosofia da educação
Oswaldo Michaelano
 
Slides das Aulas de Teoria e Prática da Argumentação Jurídica (2012)
Slides das Aulas de Teoria e Prática da Argumentação Jurídica (2012)Slides das Aulas de Teoria e Prática da Argumentação Jurídica (2012)
Slides das Aulas de Teoria e Prática da Argumentação Jurídica (2012)
Luís Rodolfo A. de Souza Dantas
 

Destaque (20)

Aula 1 - ciência.. construção de conhecimento
Aula 1  - ciência.. construção de conhecimentoAula 1  - ciência.. construção de conhecimento
Aula 1 - ciência.. construção de conhecimento
 
Educação, o que é?
Educação, o que é?Educação, o que é?
Educação, o que é?
 
A relação entre Ernst Mach e Albert Einstein
A relação entre Ernst Mach e Albert EinsteinA relação entre Ernst Mach e Albert Einstein
A relação entre Ernst Mach e Albert Einstein
 
Ciência com consciencia
Ciência com conscienciaCiência com consciencia
Ciência com consciencia
 
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICATEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
 
Filosofia com crianças educação para o pensar
Filosofia com crianças   educação para o pensarFilosofia com crianças   educação para o pensar
Filosofia com crianças educação para o pensar
 
Seminário do estágio
Seminário do estágioSeminário do estágio
Seminário do estágio
 
Educaosociedadeetrabalho 110906101528-phpapp01
Educaosociedadeetrabalho 110906101528-phpapp01Educaosociedadeetrabalho 110906101528-phpapp01
Educaosociedadeetrabalho 110906101528-phpapp01
 
2º anos (Filosofia) Consciência
2º anos (Filosofia) Consciência2º anos (Filosofia) Consciência
2º anos (Filosofia) Consciência
 
Filosofia - A Consciência
Filosofia - A ConsciênciaFilosofia - A Consciência
Filosofia - A Consciência
 
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio SeverinoCap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
 
Fundamentos e metodologia da Educação Infantil
Fundamentos e metodologia da Educação InfantilFundamentos e metodologia da Educação Infantil
Fundamentos e metodologia da Educação Infantil
 
Consciencia (1)
Consciencia (1)Consciencia (1)
Consciencia (1)
 
Alcaloides
AlcaloidesAlcaloides
Alcaloides
 
Filosofia da educação marcia tiburi pronto para postar slide
Filosofia da educação   marcia tiburi pronto para postar slideFilosofia da educação   marcia tiburi pronto para postar slide
Filosofia da educação marcia tiburi pronto para postar slide
 
Filosofia politica
Filosofia politicaFilosofia politica
Filosofia politica
 
Apresentação de relatório de estágio II
Apresentação de relatório de estágio IIApresentação de relatório de estágio II
Apresentação de relatório de estágio II
 
Apresentação estágio supervisionado ii
Apresentação estágio supervisionado iiApresentação estágio supervisionado ii
Apresentação estágio supervisionado ii
 
Filosofia da educação
Filosofia da educaçãoFilosofia da educação
Filosofia da educação
 
Slides das Aulas de Teoria e Prática da Argumentação Jurídica (2012)
Slides das Aulas de Teoria e Prática da Argumentação Jurídica (2012)Slides das Aulas de Teoria e Prática da Argumentação Jurídica (2012)
Slides das Aulas de Teoria e Prática da Argumentação Jurídica (2012)
 

Semelhante a A filosofia na educação básica

Filosofia e educação
Filosofia e educaçãoFilosofia e educação
Filosofia e educação
Anderson رودريغز
 
Thiago ingrassia pereira
Thiago ingrassia pereiraThiago ingrassia pereira
Thiago ingrassia pereira
Joviana Vedana da Rosa
 
FILO.EDU
FILO.EDUFILO.EDU
Indicações de leitura
Indicações de leituraIndicações de leitura
Indicações de leitura
FDernandes
 
G ped didp_3_1_04
G ped didp_3_1_04G ped didp_3_1_04
{29 d0a457 f644-4cf4-a309-468518db19ac}-pc filosofia 2008 cbc filosofia
{29 d0a457 f644-4cf4-a309-468518db19ac}-pc filosofia 2008 cbc filosofia{29 d0a457 f644-4cf4-a309-468518db19ac}-pc filosofia 2008 cbc filosofia
{29 d0a457 f644-4cf4-a309-468518db19ac}-pc filosofia 2008 cbc filosofia
Thiago Fonseca de Paula
 
Cbc
CbcCbc
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
Claudemir Barbosa
 
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia
Jocilaine Moreira
 
Jc 73 net
Jc 73  netJc 73  net
Jc 73 net
Jc 73  netJc 73  net
Abordagens sociopolíticas da educação
Abordagens sociopolíticas da educaçãoAbordagens sociopolíticas da educação
Abordagens sociopolíticas da educação
Edilene Pina
 
G ped didp_3_1_04
G ped didp_3_1_04G ped didp_3_1_04
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.doc
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.docProjeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.doc
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.doc
Jocilaine Moreira
 
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdffilosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
Sebbajr Junior
 
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdffilosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
Sebbajr Junior
 
Artigo filosofia
Artigo filosofiaArtigo filosofia
Artigo filosofia
Elisangela de Oliveira
 
Práticas performáticas nas relações educativas
Práticas performáticas nas relações educativasPráticas performáticas nas relações educativas
Práticas performáticas nas relações educativas
eduviecorr
 
PRODUTO_EDUCACIONAL_Educação_Diversidade_Cores_Valores.pdf
PRODUTO_EDUCACIONAL_Educação_Diversidade_Cores_Valores.pdfPRODUTO_EDUCACIONAL_Educação_Diversidade_Cores_Valores.pdf
PRODUTO_EDUCACIONAL_Educação_Diversidade_Cores_Valores.pdf
AlexandroVieira5
 
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
Claudemir Barbosa
 

Semelhante a A filosofia na educação básica (20)

Filosofia e educação
Filosofia e educaçãoFilosofia e educação
Filosofia e educação
 
Thiago ingrassia pereira
Thiago ingrassia pereiraThiago ingrassia pereira
Thiago ingrassia pereira
 
FILO.EDU
FILO.EDUFILO.EDU
FILO.EDU
 
Indicações de leitura
Indicações de leituraIndicações de leitura
Indicações de leitura
 
G ped didp_3_1_04
G ped didp_3_1_04G ped didp_3_1_04
G ped didp_3_1_04
 
{29 d0a457 f644-4cf4-a309-468518db19ac}-pc filosofia 2008 cbc filosofia
{29 d0a457 f644-4cf4-a309-468518db19ac}-pc filosofia 2008 cbc filosofia{29 d0a457 f644-4cf4-a309-468518db19ac}-pc filosofia 2008 cbc filosofia
{29 d0a457 f644-4cf4-a309-468518db19ac}-pc filosofia 2008 cbc filosofia
 
Cbc
CbcCbc
Cbc
 
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
 
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia
Projeto de Dissertação de Mestrado em Filosofia
 
Jc 73 net
Jc 73  netJc 73  net
Jc 73 net
 
Jc 73 net
Jc 73  netJc 73  net
Jc 73 net
 
Abordagens sociopolíticas da educação
Abordagens sociopolíticas da educaçãoAbordagens sociopolíticas da educação
Abordagens sociopolíticas da educação
 
G ped didp_3_1_04
G ped didp_3_1_04G ped didp_3_1_04
G ped didp_3_1_04
 
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.doc
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.docProjeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.doc
Projeto de dissertação de mestrado em filosofia jocilaine.doc
 
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdffilosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
 
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdffilosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
 
Artigo filosofia
Artigo filosofiaArtigo filosofia
Artigo filosofia
 
Práticas performáticas nas relações educativas
Práticas performáticas nas relações educativasPráticas performáticas nas relações educativas
Práticas performáticas nas relações educativas
 
PRODUTO_EDUCACIONAL_Educação_Diversidade_Cores_Valores.pdf
PRODUTO_EDUCACIONAL_Educação_Diversidade_Cores_Valores.pdfPRODUTO_EDUCACIONAL_Educação_Diversidade_Cores_Valores.pdf
PRODUTO_EDUCACIONAL_Educação_Diversidade_Cores_Valores.pdf
 
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
A filosofia como atividade de criação de conceitos (salvo automaticamente)
 

Mais de MARISE VON FRUHAUF HUBLARD

Estatuto do idoso
Estatuto do idosoEstatuto do idoso
Estatuto do idoso
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Portal do professor eleições de um municipio
Portal do professor   eleições de um municipioPortal do professor   eleições de um municipio
Portal do professor eleições de um municipio
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
consumo e consumismo qual o papel do consumidor consciente
 consumo e consumismo qual o papel do consumidor consciente consumo e consumismo qual o papel do consumidor consciente
consumo e consumismo qual o papel do consumidor consciente
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Felicidade sustentável epicuro e_a_felicidade
Felicidade sustentável  epicuro e_a_felicidadeFelicidade sustentável  epicuro e_a_felicidade
Felicidade sustentável epicuro e_a_felicidade
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Animação sobre a segunda guerra mundial
Animação sobre a segunda guerra mundialAnimação sobre a segunda guerra mundial
Animação sobre a segunda guerra mundial
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Bioética
BioéticaBioética
Arte e estética
Arte e estéticaArte e estética
Arte e estética
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
A filosofia e seu ensino
A filosofia e seu ensinoA filosofia e seu ensino
A filosofia e seu ensino
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
A filosofia de platão
A filosofia de platãoA filosofia de platão
A filosofia de platão
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
A atitude científica
A atitude científicaA atitude científica
A atitude científica
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
A arte da guerra
A arte da guerraA arte da guerra
A arte da guerra
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Karl marx (materialismo histórico)
Karl marx (materialismo histórico)Karl marx (materialismo histórico)
Karl marx (materialismo histórico)
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
A tradicao-socratica-na-sala-de-aula
A tradicao-socratica-na-sala-de-aulaA tradicao-socratica-na-sala-de-aula
A tradicao-socratica-na-sala-de-aula
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Sociologia em Movimento
Sociologia em MovimentoSociologia em Movimento
Sociologia em Movimento
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Consumo vs consumismo
Consumo vs consumismoConsumo vs consumismo
Consumo vs consumismo
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Livro de sociologia 2015 sec. xxi
Livro de sociologia 2015   sec. xxiLivro de sociologia 2015   sec. xxi
Livro de sociologia 2015 sec. xxi
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Caderno pedagógico de sociologia sta catarina
Caderno pedagógico de sociologia sta catarinaCaderno pedagógico de sociologia sta catarina
Caderno pedagógico de sociologia sta catarina
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Regras da_abnt_para_formatacao_de_trabalhos_academicos
 Regras da_abnt_para_formatacao_de_trabalhos_academicos Regras da_abnt_para_formatacao_de_trabalhos_academicos
Regras da_abnt_para_formatacao_de_trabalhos_academicos
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
O leviatã de thomas hobbes
O leviatã de thomas hobbesO leviatã de thomas hobbes
O leviatã de thomas hobbes
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
As teorias liberais e socialistas na idade moderna
As teorias liberais e socialistas na idade modernaAs teorias liberais e socialistas na idade moderna
As teorias liberais e socialistas na idade moderna
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 

Mais de MARISE VON FRUHAUF HUBLARD (20)

Estatuto do idoso
Estatuto do idosoEstatuto do idoso
Estatuto do idoso
 
Portal do professor eleições de um municipio
Portal do professor   eleições de um municipioPortal do professor   eleições de um municipio
Portal do professor eleições de um municipio
 
consumo e consumismo qual o papel do consumidor consciente
 consumo e consumismo qual o papel do consumidor consciente consumo e consumismo qual o papel do consumidor consciente
consumo e consumismo qual o papel do consumidor consciente
 
Felicidade sustentável epicuro e_a_felicidade
Felicidade sustentável  epicuro e_a_felicidadeFelicidade sustentável  epicuro e_a_felicidade
Felicidade sustentável epicuro e_a_felicidade
 
Animação sobre a segunda guerra mundial
Animação sobre a segunda guerra mundialAnimação sobre a segunda guerra mundial
Animação sobre a segunda guerra mundial
 
Bioética
BioéticaBioética
Bioética
 
Arte e estética
Arte e estéticaArte e estética
Arte e estética
 
A filosofia e seu ensino
A filosofia e seu ensinoA filosofia e seu ensino
A filosofia e seu ensino
 
A filosofia de platão
A filosofia de platãoA filosofia de platão
A filosofia de platão
 
A atitude científica
A atitude científicaA atitude científica
A atitude científica
 
A arte da guerra
A arte da guerraA arte da guerra
A arte da guerra
 
Karl marx (materialismo histórico)
Karl marx (materialismo histórico)Karl marx (materialismo histórico)
Karl marx (materialismo histórico)
 
A tradicao-socratica-na-sala-de-aula
A tradicao-socratica-na-sala-de-aulaA tradicao-socratica-na-sala-de-aula
A tradicao-socratica-na-sala-de-aula
 
Sociologia em Movimento
Sociologia em MovimentoSociologia em Movimento
Sociologia em Movimento
 
Consumo vs consumismo
Consumo vs consumismoConsumo vs consumismo
Consumo vs consumismo
 
Livro de sociologia 2015 sec. xxi
Livro de sociologia 2015   sec. xxiLivro de sociologia 2015   sec. xxi
Livro de sociologia 2015 sec. xxi
 
Caderno pedagógico de sociologia sta catarina
Caderno pedagógico de sociologia sta catarinaCaderno pedagógico de sociologia sta catarina
Caderno pedagógico de sociologia sta catarina
 
Regras da_abnt_para_formatacao_de_trabalhos_academicos
 Regras da_abnt_para_formatacao_de_trabalhos_academicos Regras da_abnt_para_formatacao_de_trabalhos_academicos
Regras da_abnt_para_formatacao_de_trabalhos_academicos
 
O leviatã de thomas hobbes
O leviatã de thomas hobbesO leviatã de thomas hobbes
O leviatã de thomas hobbes
 
As teorias liberais e socialistas na idade moderna
As teorias liberais e socialistas na idade modernaAs teorias liberais e socialistas na idade moderna
As teorias liberais e socialistas na idade moderna
 

Último

UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 

Último (20)

UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 

A filosofia na educação básica

  • 1. A Filosofia na Educação Básica: Tensões e Questões Emergentes Locais e Globais
  • 2. O Lugar de minha Compreensão e Proposição: “Habito Poesia na Filosofia que ama Sophia: músico dançarino das Musas sou como uma ponte atravessando o desfiladeiro para deixar passar o ímpeto querer-ser da Vida Abundante no instante sem ocaso.”
  • 3. Horizonte 1 – Campo Ontológico Compreensão e prática de uma Filosofia da Vida própria e apropriada aberta ao acontecimento da criação conjugada do espírito humano implicado na comum- responsabilidade
  • 4. A Metodologia e a Prática de Ensino de Filosofia Professor da UFBA/FACED Horizonte 2: Campo Poemático-Pedagógico
  • 5. Formação do Educador-Filósofo: Epistemologia do Educar, Filosofar e Educar, Fenomenologia- Hermenêutica, Educação Transdisciplinar, Difusão do Conhecimento Horizonte 3: Campo Epistemológico
  • 6. Projeto de construção de um aprendizado filosófico polilógico, próprio e apropriado, inventivo e autônomo, comum e diversificado, ousado e altaneiro, colaborativo e crítico, combativo e pacífico, sensível e transformador da interdição metafísica fundada no medo de ser-sendo Horizonte 4: Campo das Possibilidades
  • 7. O que é Filosofia? Questões Fundamentais: Qual Filosofia na Educação Básica: Filosofia profissional ou Filosofia própria e apropriada? Qual professor de Filosofia: O Educador-filósofo ou o repassador de conteúdos descontextualizados e inúteis ao educar apropriador? Qual a formação adequada para o exercício de uma prática docente autônoma e inventiva?
  • 8. Tensão entre Teoria e Prática Qual deve ser o modelo de ensino da Filosofia na Educação Básica:a prática do pensamento crítico contextualizado e dialógico ou a repetição de conteúdos historiográficos abstratos e indiscutíveis?
  • 9. Uma compreensão filosófica a partir da prática aprendente polilógica... A amplitude Transdisciplinar da Filosofia e do filosofar
  • 10. PHILOSOPHIA MITOLOGIA ANTROPOLOGIA LINGUAGEM POÉTICA LINGUAGEM FÍSICO-MATEMÁTICA LINGUAGEM ORDINÁRIA LINGUAGEM EPISTÊMICA LINGUAGEM POÉTICO-FILOSÓFICA LINGUAGEM EXTRA-0RDINÁRIA UM OLHAR HERMENÊUTICO-FENOMENOLÓGICO DA FILOSOFIA E DO FILOSOFAR COSMOLOGIA ONTOLOGIA TRANSPOSIÇÃO LINGUAGEM POLILÓGICA
  • 11. Prática Pedagógica do educador- filósofo: Investigação Ponderaçã o Planejamento Produção Construção Situação Experimentaçã o Atitude, disposição, motivação, possibilidade, localização social Tensões, Questões, Problemas, Fundamentos, Metodologia Avaliação, retroação, Posição, Potenciação Projeção, Concepção, Proposição Vivência, Atualização, Memorização, Potencialização, Imaginação Documentação, Divulgação, Publicação, Difusão
  • 12. Proposta Polilógica: Ontológica, Epistemológica, Política e Pedagógica para a Trans-Formação do Educador- Filósofo Proposta Polilógica Ontológica Epistemológica Política Pedagógica Nossa relação viva com o mundo – princípio de realidade – nossa condição conjuntural – ser-no- mundo-com – situação, projeto, processo, identidade, diferença Bases científico- metodológicas da ação transformativa – Ciência Implicada Bases afetivas para a realização de uma sociedade solidária: ética diferencial implicada Teoria e modelagem educacional: investigação continuada, currículo criador, ação transdisciplinar, sentidos realizantes, mudança de horizonte potencial/atual – Projetos, pesquisas em ação
  • 13. A Filosofia como Atitude Aprendente Radical: Filosofia Básica
  • 14. Proposta Pedagógica: a Filosofia como atitude aprendente transdisciplinar
  • 15. Eixos ou Pilares da Modelagem aprender a ser/não-ser aprender a conhecer/não-conhecer aprender a ver/não-ver aprender a viver-com /não- viver com aprender a fazer/não-fazer aprender a viver/morrer Aprender a aprender / desaprender
  • 17. A Atitude Filosófica como investigação permanente: aprender a aprender aprendendo – Pedagogia investigativa radical
  • 18. Conceitos Geradores Figuras Conceituais Diferença Ontológica Consciência da Consciência e da Inconsciência Autoconhecimento Ciência da Complexidade / Epistemologia da ComplexidadeÉtica e Estética da Diferença e da Igualdade Filosofia das conexões significativas não-causais Lógica Inclusiva Níveis de Realidade Implicação Transdisciplinaridade Totalidade segmentária Unidade do Diverso Relação de comum- pertencimento
  • 19. O Projeto compreende os ciclos da Educação Básica e Superior Educação Básica Educação Infantil Ensino Fundamental Ensino Médio Educação Superior Graduação Pós-Graduação Educação Profissional Educação de Jovens e Adultos
  • 20. Desenvolvimento argumentativo da Proposta de trans-formação do educador filósofo Polifoc o O que se pode e se deve fazer-aprender em cada situação e contexto Delimitação dos eixos comuns de estruturação e planejamento das atividades Vivência da arte de aprender pela experimentação de proposições e criações pedagógicas pontuais. Aprendizados diferenciados da arte de aprender como atitude filosófica Desenvolvimento de Programas e Ações Pedagógicas Aprofundamento dos estudos críticos pessoais e inter-pessoais.
  • 21. Três ações implicadas: 1. Construção de uma rede congregando os Professores de Filosofia do Estado 2. Delimitação de um Programa Mínimo Comum 3. Elaboração da Carta de Salvador para a Filosofia
  • 22. Programa Mínimo de Filosofia FILOSOFIA Ser criança Amantes da Vida Sábia
  • 23. Filosofar Ser-Sendo-Ser-Não-Ser Para o usufruto diurno e noturno de todos os que se implicam no filosofar próprio e apropriado Transformação
  • 24. Saber ConhecimentoFilosofia Ética Ontologia Epistemologia Estética Saber Ser Aprender a Ser Saber Conhecer Aprender a Conhecer Saber Conviver Agir Sentir Pensar Fazer Saber Fazer Aprender a Viver-Com Falar Ouvir Ler Escrever Aprender a Fazer Escutar Compreender Aprender a Viver-Com-Só Aprender a Desfazer Aprender a DesconhecerAprender a Não-Ser Compartilhar Aprender a Aprender Aprender a Desaprender
  • 25. Atitude Filosófica Atitude Aprendente Atitude Sapiente Atitude Radical Atitude Investigativa Atitude Dialógica Atitude Polilógica
  • 27. ATITUDE FILOSÓFICA PERCEPÇÃO APRENDER A SENTIR: VER/OUVIR/TOCAR/CHEIRAR/ PALATAR CONCEITUAÇÃO APRENDER A CONHECER CONSTRUÇÃO APRENDER A FAZER VIVÊNCIA EXPERIÊNCIA IMAGINAÇÃO SENSIBILIDADE CONFRONTAÇÃO SOCIALIZAÇÃO AFETIVIDADE IMPLICAÇÃO ELABORAÇÃO PRODUÇÃO APROPRIAÇÃO CONSERVAÇÃO ATITUDE APRENDENTE ATITUDE INVESTIGATIVA APRENDER A SER RELAÇÃO APRENDER A VIVER-JUNTO ANÁLISE/SÍNTESE EXPLICAÇÃO/COMPREENSÃO PROPOSIÇÃO/SISTEMATIZAÇÃO
  • 28. CARTA DE SALVADOR PARA A FILOSOFIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA – ENSINO MÉDIO Nós, participantes da “1ª Oficina de Filosofia e Sociologia no Ensino Médio”, realizada no Instituto Anísio Teixeira, de 13 a 27 de abril de 2007, inspirados na Declaração de Paris para a Filosofia (UNESCO, 1995), e subscrevendo alguns de seus itens com a devida adequação,
  • 29. Constatamos que os problemas de que trata a filosofia são os da Vida e da existência dos seres humanos considerados universalmente, o que significa uma compreensão da filosofia como atividade transdisciplinar,
  • 30. Estimamos que a reflexão filosófica pode e deve contribuir para a compreensão e conduta dos afazeres humanos,
  • 31. Consideramos que a atividade filosófica, que não subtrai nenhuma idéia e fato à livre discussão e investigação, que se esforça em precisar as definições exatas das noções utilizadas, em verificar a validade dos raciocínios e das pesquisas, em examinar com atenção os argumentos dos outros, permite a cada um aprender a pensar por si mesmo e aprender a reconhecer os processos sociais implicados,
  • 32. Sublinhamos que o ensino de filosofia favorece a abertura do espírito, a responsabilidade cívica, a compreensão e a tolerância entre os indivíduos e suas relações dialógicas, ainda mais em um país como o Brasil e em um Estado como a Bahia cuja história reúne as diversas culturas do planeta, gerando uma fusão extraordinária e única,
  • 33. Reafirmamos que a educação filosófica, formando espíritos livres e reflexivos - capazes de resistir às diversas formas de alienação, de fanatismo, de exclusão e de intolerância - contribui para a paz e prepara cada um a assumir suas responsabilidades face às grandes interrogações contemporâneas, notadamente nos domínios da educação ética e da educação ambiental e transdisciplinar,
  • 34. Julgamos que o desenvolvimento da reflexão filosófica, no ensino e na vida cultural, contribui de maneira importante para a formação de cidadãos, no exercício de sua capacidade de julgamento, elemento fundamental de toda democracia.
  • 35. É por isso que, engajando-nos em fazer tudo o que esteja em nosso poder - nas nossas escolas e em nossas respectivas comunidades de base - para realizar tais objetivos, declaramos que:
  • 36. Uma atividade filosófica livre deve ser garantida por toda parte - sob todas as formas e em todos os lugares onde ela possa se exercer - a todos os indivíduos;
  • 37. O ensino de Filosofia deve ser assegurado por professores- pesquisadores competentes e implicados, especialmente formados para esse fim, e não pode estar subordinado a nenhum imperativo econômico, técnico, religioso, político ou ideológico; trata-se da realização de um empenho radical com o saber e o aprender dialógico de todo ser humano.
  • 38. Permanecendo totalmente autônomo, o ensino de Filosofia deve ser, em toda parte onde isto é possível, efetivamente associado - e não simplesmente justaposto - às formações universitárias ou profissionais, em todos os domínios; quer dizer, tal ensino deve constituir-se como efetivo processo de aprendizado inteligente, sensível e inventivo,
  • 39. A produção e difusão de livros acessíveis a um largo público, a geração de emissões de rádio ou de televisão, de audiocassetes ou DVDs, a utilização pedagógica de todos os meios audiovisuais e informáticos,
  • 40. A criação de múltiplos espaços de debates livres, e todas as iniciativas susceptíveis de fazer aceder um maior número a uma primeira compreensão das questões e dos métodos filosóficos devem ser encorajadas, a fim de constituir uma educação filosófica de jovens e adultos;
  • 41. O conhecimento das reflexões filosóficas das diferentes culturas, a comparação de seus aportes respectivos e a análise daquilo que os aproxima e daquilo que os opõe, devem ser perseguidos e sustentados pelas instituições de pesquisa e de ensino;
  • 42. As atividades filosóficas, como práticas livres da reflexão e da investigação radical, não podem considerar alguma verdade como definitivamente alcançada, e incitam a respeitar as convicções de cada um; mas elas não devem, em nenhum caso, sob pena de negarem-se a si mesmas, aceitar doutrinas que neguem a liberdade de outrem, injuriando a dignidade humana e engendrando a barbárie.
  • 43. Consideramos fundamental que a filosofia deva ser exercida como atividade investigativa transdisciplinar, sempre relacionando as diversas áreas do conhecimento, contribuindo para a coesão dos processos aprendentes, ressaltando o caráter dialógico que deverá incorporar-se radicalmente ao amplo movimento de integrar o educando ao ambiente escolar em atividades e atitudes criativas e heurísticas.
  • 44. Tudo isso no intuito de garantir que o ensino de Filosofia ocorra de forma própria e apropriada, que envolva e seduza o educando para aprender a aprender e aprender a desaprender, dando sentido à sua vida.
  • 45. Neste sentido, defendemos a inserção da Filosofia no Ensino Fundamental e Médio de forma obrigatória, a partir da garantia de que a Filosofia será ministrada no Ensino Médio por filósofos licenciados, respeitando o Estatuto do Magistério Público Fundamental e Médio do Estado da Bahia, Lei nº 8.261 de 29 de Maio de 2002, Seção IV – Regime de Trabalho Art. 58;
  • 46. Acreditamos que para desenvolvermos um trabalho com qualidade, é fundamental que a Filosofia tenha pelo menos uma carga horária mínima de duas horas semanais por turma, como rege o Parecer CNE/CEB nº 38 de 7 de julho de 2006.
  • 47. Reivindicamos a formação continuada do professor através da criação de Curso de Especialização em Filosofia com foco em Educação, a fim de garantir o aperfeiçoamento e a formação continuada, em serviço, do profissional em Filosofia;
  • 48. Reafirmamos a intenção de promover outros encontros com a presença de todos os educadores em Filosofia do Estado da Bahia, incluindo os professores do interior do Estado;
  • 49. Sugerimos a criação e produção dos livros e recursos didáticos de Filosofia, com uma linguagem direcionada e apropriada ao estudante da Educação Básica, elaborados por professores da rede estadual licenciados em Filosofia;
  • 50. Buscaremos e lutaremos pela criação de uma Associação dos Professores de Filosofia da Educação Básica, assim como do grupo de estudos filosóficos;
  • 51. Julgamos que o desenvolvimento da reflexão filosófica no Estado depende da criação de um centro de estudos e pesquisas em Filosofia com foco em Educação, com o apoio das universidades e da Secretaria da Educação do Estado da Bahia. Salvador – Bahia – Brasil, em 27/04/2007
  • 52. Magali Macedo de Paula Maura Freitas Santos Ivone Maria da Silva Nascimento Almira do Carmo Ribeiro Manuel Antonio da Silva Dorilda Sousa de Almeida Emerson Sousa Freire Sandra Maria Rocha Borges Conceição Adalgisa Dorotéa Sales Dante Augusto Galeffi Daniel Nascimento Vilasboas Josevaldo dos Santos José Fernandes Mascarenhas Paixão Adilson José Silva Flávio Pereira dos Santos Roberto Fernando S. Cerqueira Marcelo Augusto Machado Márcia Maria Saievicz Elci Alves Machado Cunha Tânia M. Souza (nome ilegível) Crispim Conceição Santos Gladys Parish Seixas Ygayara Vieira Cabral Bernadete Souza Almeida Maricelia R. de Andrade Aidil Fonseca Vieira Adivonildes Rocha dos Santos Zenilde Lopes Almeida Raimunda Souza Viana Esta Carta foi inicialmente subscrita por:
  • 53. Pontos Fundamentais para uma inserção conseqüente da Filosofia na Educação Básica: 1.Valorização do Educador-Filósofo; 2.Constituição de uma rede transdisciplinar cooperativa de educadores-filósofos; 3.Formação continuada; 4.Difusão dos conhecimentos Filosóficos por todos os meios disponíveis; 5.Consolidação de ações pedagógicas contextualizadas e diferenciadas.
  • 54. “Não é mais tempo de dizer o mundo, é tempo de fazer mundos” Ouvir o que diz aquilo que é – ouvir polilógico:
  • 55. Educação Transdisciplinar Educação Polilógica Educação Filosófica Básica Ciência Tecnociência Arte Filosofia Saber Mítico Saber Religioso Saber Poético Autoconhecimento Revolução Interior