O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

LBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graça

855 visualizações

Publicada em

Subsídios para lições bíblicas da CPAD elaborados pelo Pastor Natalino das Neves (IEADC-Sede).
Assista aos demais vídeos com estudos bíblicos e baixe os arquivos de slides referentes aos vídeos no blog:
http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

LBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graça

  1. 1. TEXTO ÁUREO "Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida." (Rm 5.18)
  2. 2. VERDADE PRÁTICA A nossa salvação é fruto único e exclusivo da graça de Deus.
  3. 3. LEITURA BÍBLICA Romanos 5.6-10, 15,17,18,20; 11.6
  4. 4. 6 - Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. 7 - Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. 8 - Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. 9 - Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. 10 - Porque, se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida. 15 - Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se, pela ofensa de um, morreram muitos, muito mais a graça de Deus e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos.
  5. 5. 17 - Porque, se, pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça e do dom da justiça reinarão em vida por um só, Jesus Cristo. 18 - Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida. 20 - Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça; 11.6 - Mas, se é por graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça.
  6. 6. • A Lei no Antigo Testamento tem a função de instruir e ensinar ao povo. • Os mandamentos contêm preceitos indispensáveis de moral, de ética e de vida religiosa, sem os quais o povo viveria num caos. • Entretanto, o ser humano não é capaz de cumprir toda a Lei. • Por isso, a necessidade de alguém que pudesse cumpri-la no seu lugar e oferecer gratuitamente a salvação. “Pela graça sois salvos...” INTRODUÇÃO
  7. 7. PONTO CENTRAL A salvação é resultado da graça divina.
  8. 8. I - LEI E GRAÇA
  9. 9. • A Lei tem o propósito espiritual de mostrar quão terrível é o pecado - "pela lei vem o conhecimento do pecado" (Rm 3.20). • A Lei também acaba por revelar a necessidade do ser humano da graça de Deus (Rm 7.19; Tg 2.10). • Jesus não veio anular a Lei, mas cumpri-la. • Muitos aspectos morais e éticos da Lei continuam vigorando até os dias atuais (Êx 20.1-17). 1. O propósito da Lei
  10. 10. • A Lei foi uma espécie de guia para encontrarmos a Cristo por meio da graça (Gl 3.24). • Ela nos convence, pela impossibilidade de ser cumprida, de que não podemos alcançar a salvação sem Cristo. • Quando o ser humano faz uso da Lei para se justificar, por seus méritos, ela se torna depreciativa e uma barreira à salvação. • No entanto, quando utilizada para demonstrar a situação de dependência humana da graça divina, ela conduz à salvação gratuita em Cristo (Ef 2.8). 2. A Lei nos conduziu a Cristo
  11. 11. • Paulo constata a superioridade do Espírito em relação à Lei (Gl 5.18; Rm 7.4; Gl 2.19). • O autor de Hebreus afirma que a Lei é imperfeita (Hb 8.6,7,13). • Cristo trouxe a graça e a verdade (Jo 1.17). • A graça é superior à lei, pois enquanto esta aponta para o pecado, aquela enfatiza no amor e misericórdia de Deus (Rm 5.8; 7.7). • A lei exige a justiça perfeita e divina. A graça revela a grandeza da misericórdia de Deus. 3. A graça revela que a Lei é imperfeita
  12. 12. SINÓPSE DO TÓPICO Lei e graça: a justiça e a misericórdia de Deus.
  13. 13. II - O FAVOR IMERECIDO DE DEUS
  14. 14. • Não há pecador, por pior que seja, que não possa ser alcançado. • Onde abundou o pecado, que foi exposto pela Lei, superabundou a graça de Deus (Rm 5.20). • Por isso, que "se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo" (1 Jo 2.1). Você já pensou qual seria sua situação se não fosse a graça de Deus? 1. Superabundante graça
  15. 15. • A graça opera mediante a fé no sacrifício vicário de Cristo Jesus. • Ambas, fé e graça, atuam juntamente na obra de salvação: a graça, o presente imerecido de Deus; a fé, a contrapartida humana à obra de Cristo. • Nesse sentido, não é a fé que opera a salvação, mas a graça de Deus que atua mediante a fé do crente no Filho de Deus (Rm 3.28; 5.2; Fp 3.9). 2. Fé e graça
  16. 16. • A graça aplicada não significa um salvo conduto para a prática do pecado ou da libertinagem (Gl 5.13). • Pelo contrário, a graça de Deus nos convoca à obediência voluntária e amorosa à Deus. • O amor de Cristo nos "constrange" (2 Co 5.14) a fazer algo que agrade ao Pai (1 Ts 4.1). • O cristão salvo deve amar a Deus e ao próximo, viver em santidade e não na prática do pecadol(Rm 13.8; Jo 13.35; Rm 6.11,13). 3. A graça não é salvo conduto para pecar
  17. 17. SINÓPSE DO TÓPICO Graça, o favor imerecido de Deus.
  18. 18. III - O ESCÂNDALO DA GRAÇA
  19. 19. • Devido a limitação de compreensão humana da verdadeira justiça, a graça é considerada um escândalo (Cl 2.14; Ef 2.8,9). • Pelos méritos próprios ninguém será justificado (Gl 2.16), mas somente mediante a graça e misericórdia de Deus(15.11). • Os judeus estavam cansados devido a imposição da Lei, mas cristo revelou o segredo do descanso para a alma (Mt 11.28-30). • Como a justificação não é por méritos, muitos têm a justificação pela fé por injusta. Para entender a justificação pela fé Leia Gl 3 e Rm4. 1. Seria a graça injusta?
  20. 20. • Muitas pessoas não compreenderam os ensinamentos de Paulo sobre a graça (2 Pe 3.15,16). Dois extremos se destacam: 1. Liberdade total para pecar (Rm 6.1,2); 2. A impossibilidade de receber tão valioso presente (Gl 5.4,5). • O primeiro, naturalmente, conduz a pessoa à libertinagem (Hb 10.29). • O segundo extremo, naturalmente, conduz a pessoa ao legalismo, à hipocrisia e ao orgulho espiritual (Ef 2.8-10; Mt 23.23). 2. A divina graça incompreendida
  21. 21. • Humanamente é impossível ao crente, alcançado pela graça, retribuir a Deus tão grande salvação. • Em nosso relacionamento com Deus, quem tem mérito é seu Filho, Jesus Cristo (Fp 2.9-11). • Por isso, Paulo afirma que a salvação é um presente de Deus (ver Rm 4.1-8). 3. Se deixar presentear pela graça
  22. 22. SINÓPSE DO TÓPICO Não somos merecedores da graça divina.
  23. 23. 1. A Lei é imperfeita, mas tem o seu propósito. Ela serviu como aio (guia) para conduzir o ser humano até Cristo. 2. A graça é um favor imerecido, mas não significa liberdade para pecar. Pelo contrário, constrange o salvo a obedecer à Deus e amar ao próximo. 3. Muitos por não entenderem o amor de Deus, tem a salvação como presente de Deus como injusta. No entanto, Deus se faz justiça por meio de Cristo e concede a reconciliação gratuita a quem a aceita, um presente. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  24. 24. REFERÊNCIAS Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2009. HORTON, Stanley M. Teologia Sistemática: Uma perspectiva pentecostal. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1996. LIÇÕES BÍBLICAS ADULTOS. A obra da Salvação: Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida. 4º Trim., Edição Professor, Rio de Janeiro, CPAD, 2017. NEVES, Natalino das. Justiça e Graça: um estudo da doutrina da salvação na Carta aos Romanos. CPAD: 2015. POMMERENING, Claiton Ivan. A obra da Salvação: Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida. Rio de Janeiro: CPAD, 2017.
  25. 25. REFERÊNCIAS RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012. RICHARDS, Lawrence. Comentário Histórico- Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
  26. 26. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 98409 8094 (TIM)

×