SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
Baixar para ler offline
T E X T O D O D I A
"Sempre dou graças ao meu Deus
por vós pela graça de Deus que
vos foi dada em Jesus Cristo."
(1 Co 1.4).
SÍNTESE
A oração de Paulo em favor dos
coríntios era uma forma de
revelar seu amor a eles.
1 Coríntios 1.1-9
1 Paulo (chamado apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus) e o irmão
Sóstenes,
2 à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus,
chamados santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso
Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso:
3 graça e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.
4 Sempre dou graças ao meu Deus por vós pela graça de Deus que vos foi dada
em Jesus Cristo.
5 Porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o
conhecimento
6 (como foi mesmo o testemunho de Cristo confirmado entre vós).
7 De maneira que nenhum dom vos falta, esperando a manifestação de nosso
Senhor Jesus Cristo,
8 o qual vos confirmará também até ao fim, para serdes irrepreensíveis no Dia de
nosso Senhor Jesus Cristo.
9 Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus
Cristo, nosso Senhor.
Leitura bíblica
INTRODUÇÃO
• Paulo faz as saudações iniciais de forma
fraternal, agradecendo a Deus pela vida dos
coríntios.
• O amor do apóstolo pela igreja fala mais alto que
sua insatisfação com alguns comportamentos
internos dos crentes.
• Antes de tratar os problemas, o apóstolo sobre a
abundância de dons espirituais.
INTRODUÇÃO
TÓPICO I
SAUDAÇÕES DE PAULO
À IGREJA (1.1-3)
• Paulo utiliza o padrão de carta da época:
1. endereço: remetente, destinatário e saudações;
2. ação de graças/doxologia;
3. Apresentação dos assuntos; e
4. saudação final e despedida.
• Paulo dá graças a Deus pela igreja de Corinto.
• Ele não trabalhava sozinho (Sóstenes – ex-
chefe da sinagoga - At 18.17). A amizade
verdadeira é um tesouro.
• Defesa do apostolado e a origem divina do seu
chamado (Rm 1.1; Gl 1.1).
1. Paulo se apresenta e justifica seu chamado (v. 1)
• Motivo: alguns falsos mestres que
questionavam a imagem e a mensagem de Paulo.
• Paulo enfatizou que seu ministério era da
vontade de Deus.
• Convicção do chamado = excelência ministerial.
1. Paulo se apresenta e justifica seu chamado (v. 1)
• Paulo conhecia bem de perto os membros e o
estilo de vida desses grupos de crentes.
• Começa enfatizando o lado positivo da igreja.
• Ele reconhece as qualidades de seus
destinatários, mas também é firme nas
repreensões.
• As recomendações e advertências são aplicáveis
para a igreja atual.
2. Reconhecimento do chamado de seus leitores (v. 2)
• Todavia, Paulo destaca a ação divina na vida da
igreja.
• Seus membros foram santificados, mas por meio
da obra de Cristo.
• Eles foram chamados para servir na Igreja de
Deus.
2. Reconhecimento do chamado de seus leitores (v. 2)
• Paulo deseja à igreja a graça e a paz.
• Graça não era uma simples palavra de saudação,
mas tinha um grande significado naquela
cultura.
• O apóstolo conhecia muito bem o efeito dessa
graça diante das dificuldades, injustiças e
sofrimento por amor ao Evangelho.
• "Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há
em Cristo Jesus" (2 Tm 2.1).
3. A saudação fraternal de Paulo (v. 3)
• PAZ = expressão hebraica shalon.
• O termo expressa mais do que a ausência de
luta, representa a prosperidade integral do ser
humano, em especial, a espiritual.
• Portanto, graça e paz seriam muito benéficas na
situação de tensão e conflitos que a igreja em
Corinto vivia.
3. A saudação fraternal de Paulo (v. 3)
PENSE
Você é grato ao Senhor pelo
presente da salvação?
IMPORTANTE
Cristo nos salvou e como crentes
precisamos dissipar os conflitos e
comportamentos que não
condizem com a vida cristã.
TÓPICO II
PAULO DÁ GRAÇAS A DEUS
PELA OBRA DE CRISTO
NA VIDA DOS CORÍNTIOS (1.4-9)
• O hábito de orar pelas pessoas desenvolve em
quem ora o sentimento de empatia.
• Agradece pela conversão dos coríntios e sua fé
em Cristo, fruto das pregações e testemunho
de vida na convivência de 18 meses.
• Mesmo diante das diversas falhas
demonstradas pelos membros da igreja, Paulo
era grato pela permanência do grupo de fiéis.
1. Paulo era grato pela conversão dos coríntios (vv. 4-6)
• Ainda no texto bíblico, ele distingue três pontos
importantes:
1) o enriquecimento na Palavra;
2) o conhecimento experiencial de Deus; e
3) o testemunho de Cristo confirmado neles.
• O apóstolo conhecia bem o poder do
Evangelho para salvação de todo aquele que crê
(Rm 1.16).
1. Paulo era grato pela conversão dos coríntios (vv. 4-6)
• A ação de graças pela vida e fé dos destinatários
prepararam o caminho para o que estava por
vir.
• Eles estavam no início da caminhada cristã e
eram imaturos espiritualmente.
• O apóstolo faz menção do Dia do Senhor (juízo
Vs gozo) e da promessa do Arrebatamento.
• O comportamento de alguns membros poderia
comprometer a salvação deles.
2. Paulo inclui um alerta de fidelidade
em suas ações de graças (1.8)
• A nossa conduta no presente pode
comprometer o nosso futuro.
• Assim, um dos objetivos de sua carta era
dissipar os conflitos e comportamentos que
não condiziam com a vida cristã.
2. Paulo inclui um alerta de fidelidade
em suas ações de graças (1.8)
• O Deus que os presenteou com a salvação em
Jesus Cristo era fiel para guardá-los.
• Apesar das falhas, Paulo nunca desistiu da
igreja e de seus membros.
• A conversão de Paulo mudou a sua forma de ver
Deus.
• Deus sempre está disposto a perdoar.
• O Senhor tem prazer em ajudar em nosso
processo de santificação.
• A ênfase na fidelidade de Deus = motivo de
gratidão e mudança de comportamento.
3. A expectativa de Paulo estava alicerçada
na fidelidade de Deus (v. 9)
PENSE
Você é grato ao Senhor pelo
presente da salvação?
IMPORTANTE
Cristo nos salvou e como crentes
precisamos dissipar os conflitos e
comportamentos que não
condizem com a vida cristã.
TÓPICO III
UMA IGREJA
MARCADA PELOS DONS
• Em meio à saudação Paulo lembra que nenhum
dom (presente) faltava à igreja.
• Na igreja, os dons eram concedidos a todos,
independente das diferenças (raça, social, cor,
...). Ver situação dos devotos do judaísmo - livro.
• As promessas de Deus por meio da pregação
do Evangelho estavam sendo cumpridas ali.
• Mereciam?
• Os dons são presentes imerecidos de Deus e a
manifestação deles na igreja era o testemunho
de Cristo a respeito de seu povo (1 Co 1.6-7).
1. Os dons espirituais
• A diversidade de dons espirituais não é sinônimo
de espiritualidade individual ou coletiva.
• A santidade é evidenciada pelo fruto do Espírito
(Gl 5.22-25; cf. Ef 5.18 - 6.9).
• Os dons espirituais são importantes para a Igreja,
mas a salvação é mais importante.
• Por isso, não se engane, para identificar se uma
pessoa tem maturidade espiritual observe seus
frutos no dia a dia.
2. Os dons espirituais não definem a nossa espiritualidade
• Os dons devem ser usados com base no amor.
• 1 Co 13 interlúdio de 1 Co 12 e 14.
• O dom não deve ser considerado um fim em si
mesmo.
• Os dons devem ser usufruídos com humildade e
nunca para projeção pessoal.
• Os dons trazem benefícios quando
complementados entre si (corpo).
• Paulo dá graças pelos dons, mas adverte que
devem ser usufruídos para o bem comum.
3. Os dons são capacitações para o serviço
IMPORTANTE
Os dons espirituais não definem a
nossa espiritualidade, o que
define é o fruto do Espírito.
CONSIDERAÇÕES
FINAIS
1. A maneira como o Paulo inicia a carta a uma
igreja com tantos problemas como a igreja em
Corinto é um bom exemplo de como tratar
assuntos complexos de forma positiva.
2. Paulo, enquanto dá graças, alerta a seus
destinatários que é necessário manter a
fidelidade até o Dia do Senhor.
3. Por fim, ele introduz um assunto que aprofundará
mais tarde, os dons espirituais, que não
definem grau de espiritualidade e são
concedidos para o serviço e o bem comum da
igreja.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
CONTATOS COM
O COMENTARISTA
Pr. Natalino das Neves
natalinoteologo@gmail.com
(41) 98409 8094 (WhatsApp/TIM)
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Tweter: @Natalinoneves

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

I Corintios Inicio
 I Corintios Inicio I Corintios Inicio
I Corintios Inicio
UEPB
 
Estudo Epístola 1 Coríntios – Introdução
Estudo Epístola 1 Coríntios – IntroduçãoEstudo Epístola 1 Coríntios – Introdução
Estudo Epístola 1 Coríntios – Introdução
Márcio Pereira
 
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-clEstudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
JUERP
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
UEPB
 
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Rodrigo F Menegatti
 

Mais procurados (18)

Aula 2 1 Coríntios
Aula 2   1 CoríntiosAula 2   1 Coríntios
Aula 2 1 Coríntios
 
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJAPROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)
2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)
2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)
 
Paulo e a Igreja em Corinto
Paulo e a Igreja em CorintoPaulo e a Igreja em Corinto
Paulo e a Igreja em Corinto
 
I Corintios Inicio
 I Corintios Inicio I Corintios Inicio
I Corintios Inicio
 
Estudo 01 - Chamados Para Ser Santos
Estudo 01 - Chamados Para Ser SantosEstudo 01 - Chamados Para Ser Santos
Estudo 01 - Chamados Para Ser Santos
 
Meninos espirituais
Meninos espirituaisMeninos espirituais
Meninos espirituais
 
Estudo Epístola 1 Coríntios – Introdução
Estudo Epístola 1 Coríntios – IntroduçãoEstudo Epístola 1 Coríntios – Introdução
Estudo Epístola 1 Coríntios – Introdução
 
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
 
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-clEstudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
 
A Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diária
A Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diáriaA Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diária
A Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diária
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
Estudo em 1 coríntios
Estudo em 1 coríntiosEstudo em 1 coríntios
Estudo em 1 coríntios
 
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
 

Semelhante a Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto

LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSLIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
Ismael Isidio
 

Semelhante a Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto (20)

Projeção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptxLIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
 
LBJ LIÇÃO 11 - FIRME NA VERDADE E NA GRAÇA DE DEUS
LBJ LIÇÃO 11 - FIRME NA VERDADE E NA GRAÇA DE DEUSLBJ LIÇÃO 11 - FIRME NA VERDADE E NA GRAÇA DE DEUS
LBJ LIÇÃO 11 - FIRME NA VERDADE E NA GRAÇA DE DEUS
 
Novo testamento 2 2016.1 tarde e noite
Novo testamento 2   2016.1 tarde e noiteNovo testamento 2   2016.1 tarde e noite
Novo testamento 2 2016.1 tarde e noite
 
Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
Aulas 01 04-cristao_frutifero2013Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
 
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a Deus
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a DeusEBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a Deus
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 11: Importa agradar a Deus
 
2021 2º trimestre jovem - lição 02
2021   2º trimestre jovem - lição 022021   2º trimestre jovem - lição 02
2021 2º trimestre jovem - lição 02
 
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
 
Lição 1ª A igreja de Deus
Lição 1ª A igreja de DeusLição 1ª A igreja de Deus
Lição 1ª A igreja de Deus
 
Lição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagraçãoLição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagração
 
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos JovensA alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
 
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja localSlide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
 
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERALBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
 
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSLIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
 
Apostila de dons espirituais
Apostila de dons espirituaisApostila de dons espirituais
Apostila de dons espirituais
 
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igrejaLBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
 
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno LageO que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
 
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptxLição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
Lição 11 – Cultivando a Convicção Cristã.pptx
 
Lição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptx
Lição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptxLição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptx
Lição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptx
 
Epistola de efeso
Epistola de efesoEpistola de efeso
Epistola de efeso
 

Mais de Natalino das Neves Neves

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
Resgatando o Princípio da Humildade e do Serviço ao Próximo_2019 LBJ 2 TRI Li...
Resgatando o Princípio da Humildade e do Serviço ao Próximo_2019 LBJ 2 TRI Li...Resgatando o Princípio da Humildade e do Serviço ao Próximo_2019 LBJ 2 TRI Li...
Resgatando o Princípio da Humildade e do Serviço ao Próximo_2019 LBJ 2 TRI Li...
 

Último

Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 

Último (20)

Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 

Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto

  • 1.
  • 2.
  • 3. T E X T O D O D I A "Sempre dou graças ao meu Deus por vós pela graça de Deus que vos foi dada em Jesus Cristo." (1 Co 1.4).
  • 4. SÍNTESE A oração de Paulo em favor dos coríntios era uma forma de revelar seu amor a eles.
  • 5. 1 Coríntios 1.1-9 1 Paulo (chamado apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus) e o irmão Sóstenes, 2 à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: 3 graça e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. 4 Sempre dou graças ao meu Deus por vós pela graça de Deus que vos foi dada em Jesus Cristo. 5 Porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento 6 (como foi mesmo o testemunho de Cristo confirmado entre vós). 7 De maneira que nenhum dom vos falta, esperando a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, 8 o qual vos confirmará também até ao fim, para serdes irrepreensíveis no Dia de nosso Senhor Jesus Cristo. 9 Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor. Leitura bíblica
  • 7. • Paulo faz as saudações iniciais de forma fraternal, agradecendo a Deus pela vida dos coríntios. • O amor do apóstolo pela igreja fala mais alto que sua insatisfação com alguns comportamentos internos dos crentes. • Antes de tratar os problemas, o apóstolo sobre a abundância de dons espirituais. INTRODUÇÃO
  • 8. TÓPICO I SAUDAÇÕES DE PAULO À IGREJA (1.1-3)
  • 9. • Paulo utiliza o padrão de carta da época: 1. endereço: remetente, destinatário e saudações; 2. ação de graças/doxologia; 3. Apresentação dos assuntos; e 4. saudação final e despedida. • Paulo dá graças a Deus pela igreja de Corinto. • Ele não trabalhava sozinho (Sóstenes – ex- chefe da sinagoga - At 18.17). A amizade verdadeira é um tesouro. • Defesa do apostolado e a origem divina do seu chamado (Rm 1.1; Gl 1.1). 1. Paulo se apresenta e justifica seu chamado (v. 1)
  • 10. • Motivo: alguns falsos mestres que questionavam a imagem e a mensagem de Paulo. • Paulo enfatizou que seu ministério era da vontade de Deus. • Convicção do chamado = excelência ministerial. 1. Paulo se apresenta e justifica seu chamado (v. 1)
  • 11. • Paulo conhecia bem de perto os membros e o estilo de vida desses grupos de crentes. • Começa enfatizando o lado positivo da igreja. • Ele reconhece as qualidades de seus destinatários, mas também é firme nas repreensões. • As recomendações e advertências são aplicáveis para a igreja atual. 2. Reconhecimento do chamado de seus leitores (v. 2)
  • 12. • Todavia, Paulo destaca a ação divina na vida da igreja. • Seus membros foram santificados, mas por meio da obra de Cristo. • Eles foram chamados para servir na Igreja de Deus. 2. Reconhecimento do chamado de seus leitores (v. 2)
  • 13. • Paulo deseja à igreja a graça e a paz. • Graça não era uma simples palavra de saudação, mas tinha um grande significado naquela cultura. • O apóstolo conhecia muito bem o efeito dessa graça diante das dificuldades, injustiças e sofrimento por amor ao Evangelho. • "Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus" (2 Tm 2.1). 3. A saudação fraternal de Paulo (v. 3)
  • 14. • PAZ = expressão hebraica shalon. • O termo expressa mais do que a ausência de luta, representa a prosperidade integral do ser humano, em especial, a espiritual. • Portanto, graça e paz seriam muito benéficas na situação de tensão e conflitos que a igreja em Corinto vivia. 3. A saudação fraternal de Paulo (v. 3)
  • 15. PENSE Você é grato ao Senhor pelo presente da salvação?
  • 16. IMPORTANTE Cristo nos salvou e como crentes precisamos dissipar os conflitos e comportamentos que não condizem com a vida cristã.
  • 17. TÓPICO II PAULO DÁ GRAÇAS A DEUS PELA OBRA DE CRISTO NA VIDA DOS CORÍNTIOS (1.4-9)
  • 18. • O hábito de orar pelas pessoas desenvolve em quem ora o sentimento de empatia. • Agradece pela conversão dos coríntios e sua fé em Cristo, fruto das pregações e testemunho de vida na convivência de 18 meses. • Mesmo diante das diversas falhas demonstradas pelos membros da igreja, Paulo era grato pela permanência do grupo de fiéis. 1. Paulo era grato pela conversão dos coríntios (vv. 4-6)
  • 19. • Ainda no texto bíblico, ele distingue três pontos importantes: 1) o enriquecimento na Palavra; 2) o conhecimento experiencial de Deus; e 3) o testemunho de Cristo confirmado neles. • O apóstolo conhecia bem o poder do Evangelho para salvação de todo aquele que crê (Rm 1.16). 1. Paulo era grato pela conversão dos coríntios (vv. 4-6)
  • 20. • A ação de graças pela vida e fé dos destinatários prepararam o caminho para o que estava por vir. • Eles estavam no início da caminhada cristã e eram imaturos espiritualmente. • O apóstolo faz menção do Dia do Senhor (juízo Vs gozo) e da promessa do Arrebatamento. • O comportamento de alguns membros poderia comprometer a salvação deles. 2. Paulo inclui um alerta de fidelidade em suas ações de graças (1.8)
  • 21. • A nossa conduta no presente pode comprometer o nosso futuro. • Assim, um dos objetivos de sua carta era dissipar os conflitos e comportamentos que não condiziam com a vida cristã. 2. Paulo inclui um alerta de fidelidade em suas ações de graças (1.8)
  • 22. • O Deus que os presenteou com a salvação em Jesus Cristo era fiel para guardá-los. • Apesar das falhas, Paulo nunca desistiu da igreja e de seus membros. • A conversão de Paulo mudou a sua forma de ver Deus. • Deus sempre está disposto a perdoar. • O Senhor tem prazer em ajudar em nosso processo de santificação. • A ênfase na fidelidade de Deus = motivo de gratidão e mudança de comportamento. 3. A expectativa de Paulo estava alicerçada na fidelidade de Deus (v. 9)
  • 23. PENSE Você é grato ao Senhor pelo presente da salvação?
  • 24. IMPORTANTE Cristo nos salvou e como crentes precisamos dissipar os conflitos e comportamentos que não condizem com a vida cristã.
  • 26. • Em meio à saudação Paulo lembra que nenhum dom (presente) faltava à igreja. • Na igreja, os dons eram concedidos a todos, independente das diferenças (raça, social, cor, ...). Ver situação dos devotos do judaísmo - livro. • As promessas de Deus por meio da pregação do Evangelho estavam sendo cumpridas ali. • Mereciam? • Os dons são presentes imerecidos de Deus e a manifestação deles na igreja era o testemunho de Cristo a respeito de seu povo (1 Co 1.6-7). 1. Os dons espirituais
  • 27. • A diversidade de dons espirituais não é sinônimo de espiritualidade individual ou coletiva. • A santidade é evidenciada pelo fruto do Espírito (Gl 5.22-25; cf. Ef 5.18 - 6.9). • Os dons espirituais são importantes para a Igreja, mas a salvação é mais importante. • Por isso, não se engane, para identificar se uma pessoa tem maturidade espiritual observe seus frutos no dia a dia. 2. Os dons espirituais não definem a nossa espiritualidade
  • 28. • Os dons devem ser usados com base no amor. • 1 Co 13 interlúdio de 1 Co 12 e 14. • O dom não deve ser considerado um fim em si mesmo. • Os dons devem ser usufruídos com humildade e nunca para projeção pessoal. • Os dons trazem benefícios quando complementados entre si (corpo). • Paulo dá graças pelos dons, mas adverte que devem ser usufruídos para o bem comum. 3. Os dons são capacitações para o serviço
  • 29. IMPORTANTE Os dons espirituais não definem a nossa espiritualidade, o que define é o fruto do Espírito.
  • 31. 1. A maneira como o Paulo inicia a carta a uma igreja com tantos problemas como a igreja em Corinto é um bom exemplo de como tratar assuntos complexos de forma positiva. 2. Paulo, enquanto dá graças, alerta a seus destinatários que é necessário manter a fidelidade até o Dia do Senhor. 3. Por fim, ele introduz um assunto que aprofundará mais tarde, os dons espirituais, que não definem grau de espiritualidade e são concedidos para o serviço e o bem comum da igreja. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • 33. CONTATOS COM O COMENTARISTA Pr. Natalino das Neves natalinoteologo@gmail.com (41) 98409 8094 (WhatsApp/TIM) www.natalinodasneves.blogspot.com.br Tweter: @Natalinoneves